Bases de Dados 2012/2013 Recuperação de Informação e Dados XML

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bases de Dados 2012/2013 Recuperação de Informação e Dados XML"

Transcrição

1 Bases de Dados 2012/2013 Recuperação de Informação e Dados XML Helena Galhardas Recuperação de Informação - RI (Information Retrieval - IR) Information retrieval is a field concerned with the structure, analysis, organization, storage, searching, and retrieval of information. (Gerard Salton, 1968) Information retrieval is the name of the process or method whereby a prospective user of information is able to convert his need for information into an actual list of citations to documents in storage containing information useful to him. (Calvin N. Mooers, 1950) 1

2 Sumário" Bases de Dados, Recuperação de Informação e XML" Recuperação de Informação " Dados XML" Referências Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, 3ª edição: Cap 27 2

3 Busca é ubíqua Todas as aplicações modernas que merecem ser mencionadas têm um mecanismo de busca incorporado Mail Desktop Pesquisa específica em websites Pesquisa focada Pesquisa na Web Global Bases de Dados Documentais Páginas da web, mensagens de correio electrónico, notícias, artigos científicos Característica: informação NÃO ESTRUTURADA Acesso preferencial: por conteúdo 3

4 Organização da Informação em Bases de Dados Centrada nos Dados (Data Centric) Modelo: Relacional Satisfação de condições lógicas Resultados exactos Oracle, DB2, SQLServer Centrada nos Documentos (Document Centric) Modelo: Recuperação de Documentos Satisfação de necessidades de informação Resultados com interesse probabilístico Google, Yahoo Do subjectivo ao objectivo: Semelhança e relevância Retorno de Relevância Respostas Necessidade de informação consulta Emparelhamentos com docs. similares Base de Documentos Relevante? Recuperação ad- hoc 4

5 Sistema RI vs. SGBD Grandes diferenças: IR Imprecise Semantics Keyword search Unstructured data format Read-Mostly. Add docs occasionally Page through top k results DBMS Precise Semantics SQL Structured data Expect reasonable number of updates Generate full answer Semelhanças: interrogações sobre grandes quantidades de dados, recurso a índices Na prática, há que escolher uma das alternativas. O problema: Selecção de Informação Métodos e Algoritmos para procurar agulhas em palheiros (agulha artificialmente ampliada) 5

6 Exemplo de Tarefa de RI prime factor? Description: What is a prime factor? Narrative: A relevant document will define prime numbers or prime factors of mathematical expressions. Documents that use prime factors without defining them are not relevant. TREC 2001 web ad hoc topics Interrogação booleana Política E Economia E NÃO Sociedade Política Sociedade - Retorna todos os documentos que obedecem à condição - Se a interrogação fôr ordenada (ranked), o resultado é uma lista de documentos ordenados por relevância para a interrogação 6

7 Modelo Dados RI: Saco de Palavras ( Bag of Words ) Modelo Típico de RI: Cada documento é um saco de palavras ou termos Detalhe 1: Stop Words Palavras irrelevantes não são colocadas no saco: e.g., the e.g., HTML tags como <H1> Detalhe 2: Radicalização ( Stemming ) e outras análises de conteúdo Converter palavras nos seus radicais usando regras da linguagem e.g., surfing, surfed --> surf Vectores de documentos Documentos representados como vectores quando usados computacionalmente Cada vector guarda um valor para cada termo na colecção Maior parte dos vectores são esparsos 7

8 Vectores de documentos: uma localização para cada palavra A B C D E F G H I nova galaxy heat h wood film role diet fur Nova occurs 9 10 times 10 in text 5 A Galaxy occurs 5 times in text A Heat occurs 3 times in text A (Blank 7 means 0 occurrences.) Document ids A B C D E F G H I Exemplo nova galaxy heat h wood film role diet fur

9 Representação no espaço vectorial Star Doc about astronomy Doc about movie stars Doc about mammal behavior Diet Documentos que estão próximos no espaço são semelhantes Modelo espaço vectorial Documentos representados como vectores no espaço Termos são os radicais das palavras Documentos são representados por vectores de termos Interrogações tb são representadas por documentos A medida de distância entre vectores entre a interrogação e os documentos é usada para ordenar os documentos obtidos Semelhança entre interrogação e documento é baseada no tamanho e direcção dos vectores Termos num vector podem ser pesados 9

10 Atribuição de pesos aos termos Pesos binários Frequência dos termos (term frequency tf) Número de ocorrências do termo no documento tf x idf Frequência inversa do documento (inverse document frequency idf) Log(N/nj), N é o número total de documentos; ni é o número de documentos em que o termo j ocorre Queremos que os termos tenham um peso grande se forem: Frequentes num documento MAS Raros na colecção total de documentos Semelhança entre documentos Espaço euclideano em Semelhança é dada pelo coseno do ângulo (intuitivo!) Pode ser calculada eficientemente! (produto interno dos vectores normalizados) 10

11 Índices de Texto Em RI índice de texto é mais do que é entendido por índice em BD Relacionais Estrutura de dados com elementos de tabelas e índices. É na realidade, um esquema lógico (i.e., tabelas) com um esquema físico (i.e., índices) Não é gerido por um SGBD Concretiza-se por ficheiros num sistema de ficheiros Índice Invertido (do Google ) Lexicon (in-memory) Postings (on disk) wordid #docs wordid #docs wordid #docs Sorted by wordid Sorted by Docid Docid #hits Hit, hit, hit, hit, hit Docid #hits Hit Docid #hits Hit, hit Docid #hits Hit Docid #hits Hit, hit, hit 11

12 Pesquisa Booleana em SQL Windows AND ( Glass OR Door ) AND NOT Microsoft (SELECT docurl FROM InvertedFile WHERE word = windows INTERSECT SELECT docurl FROM InvertedFile WHERE word = glass OR word = door ) EXCEPT SELECT docurl FROM InvertedFile WHERE word= Microsoft ORDER BY relevance() Pesquisa Booleana em SQL Só há uma interrogação em Pesquisa Booleana em IR: Select numa só tabela, UNION, INTERSECT, EXCEPT relevance () é o ingrediente secreto dos motores de busca: Não é fácil calcular de forma eficiente estas funções num SGBD relacional comum. 12

13 Operadores das Linguagens de Interrogação de RI Booleanos AND, OR, NOT Proximidade ADJ, NEAR Wildcards (não usados em recuperação ordenada) Software AND Engenharia Software NEAR Engenharia *, $ Eng* Não booleanos (pesquisas em linguagem natural) +,, (sinónimo), uma frase, [0.8] Field searches Operadores sobre atributos dos documentos site: tecnico.pt 24 SGBD vs. Motor de Busca SGBD Motor de Busca { Query OpXmizaXon and ExecuXon RelaXonal Operators Files and Access Methods Buffer Management Disk Space Management Search String Modifier Ranking Algorithm The Query The Access Method Buffer Management OS Disk Space Management Simple } DBMS Concurrency and Recovery Needed 13

14 Medidas de desempenho dos sistemas de RI Velocidade de indexação Medida em número de documentos/hora para um dado tamanho médio dos documentos Velocidade de pesquisa Latência (em função da dimensão do índice) Expressividade da linguagem de interrogação Capacidade de expressão de necessidades de informação complexas Velocidade de interrogações complexas 26 Medição de critérios subjectvos O critério principal é o nível de satisfação do utilizador. Tempo de resposta e tamanho do índice contam Respostas rápidas mas que não respondem às interrogações contam negativamente

15 Elementos de uma experiência em RI 1. Colecção de teste com Documentos Tópicos Julgamentos de relevância 2. Medidas de avaliação da eficácia das pesquisas. 3. Teste estatístico para avaliar diferenças observadas. 28 Medidas de sucesso: Precisão (precision) e Abrangência (recall) precisão = r n abrangência = r R r: nº de docs. relevantes recuperados n: nº de docs. recuperados R: nº de docs relevantes Precisão: percentagem de documentos retornados que são relevantes para a interrogação Abrangência: percentagem de documentos relevantes na colecção que são retornados como resposta Melhorar uma das métricas implica degradar a outra (estatística explica porquê) 29 15

16 Sumário" Bases de Dados, Recuperação de Informação e XML" Recuperação de Informação " Dados XML" Web Documentos HTML Gerados frequentemente por aplicações Consumidos apenas por humanos Fácil acesso: entre plataformas, entre organizações 16

17 Novo formato de troca de dados universal: XML Recomendação do W3C XML = dados XML gerado por aplicações XML consumido por aplicações Fácil acesso: entre plataformas e organizações Do HTML ao XML HTML descreve a apresentação 17

18 HTML <h1> Bibliography </h1>! <p> <i> Foundations of Databases </i>! Abiteboul, Hull, Vianu! <br> Addison Wesley, 1995! <p> <i> Data on the Web </i>! Abiteboul, Buneman, Suciu! <br> Morgan Kaufmann, 1999! XML <bibliography> <book> <title> Foundations </title> <author> Abiteboul </author> <author> Hull </author> <author> Vianu </author> <publisher> Addison Wesley </ publisher> <year> 1995 </year> </book> </bibliography> XML descreve o conteúdo 18

19 Dados semi-estruturados Origens: Integração de fontes de dados heterógeneas Fontes de dados com uma estrutura que não é rígida Ex: dados da Web, dados biológicos, etc Sintaxe dos dados semiestruturados { paper: { author: Abiteboul, author: { firstname: Victor, lastname: Vianu }, title: Regular path queries, page: { first: 122, last: 133 } } } 19

20 Características dos Dados Semiestruturados Atributos em falta ou adicionais Múltiplos atributos Diferentes tipos em diferents objectos Colecções heterógeneas Dados aninhados Dados irregulares sem estrutura conhecida apriori Porque é que a comunidade de BD está interessada em dados XML? Porque são dados! Desafios em termos de gestão de dados: Como modelar XML? (grafos) Como interrogar XML? (XQuery) Como armazenar XML (SGBDR? SGBDOO? Sistema nativo?) Como processar XML de forma eficiente? (muito interessante!) 20

textos documentos semi-estruturado

textos documentos semi-estruturado 1 Mineração de Textos Os estudos em Aprendizado de Máquina normalmente trabalham com dados estruturados Entretanto, uma grande quantidade de informação é armazenada em textos, que são dados semiestruturados

Leia mais

Introdução e motivação SGBD XML Nativo Consultas em SGBDs XML Prática. Bancos de dados XML. Conceitos e linguagens de consulta

Introdução e motivação SGBD XML Nativo Consultas em SGBDs XML Prática. Bancos de dados XML. Conceitos e linguagens de consulta Bancos de dados XML Conceitos e linguagens de consulta Sidney Roberto de Sousa MC536 - Bancos de Dados: Teoria e prática Material base: W3Schools XPath and XQuery Tutorial http://www.w3schools.com/xpath/

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

04/03/2013. Gerenciamento de Dados e Informação. Recuperação de Dado X Informação. Histórico

04/03/2013. Gerenciamento de Dados e Informação. Recuperação de Dado X Informação. Histórico Recuperação de Dado X Informação Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Robson Fidalgo Comparação (matching) Recuperação de Dados Exata Recuperação de Informação Aproximada Dados

Leia mais

Organização e Recuperação da Informação

Organização e Recuperação da Informação GSI024 Organização e Recuperação da Informação Introdução Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/ori UFU/FACOM - 2011/1 Arquivo 1a Introdução Porque RI? Problemas da solução

Leia mais

Cap. 3 Organização de Ficheiros e Indexação

Cap. 3 Organização de Ficheiros e Indexação Cap. 3 Organização de Ficheiros e Indexação If you don t find it in the index, look very carefully through the entire catalogue. -- Sears, Roebuck, and Co., Consumer s Guide, 1897 Abel J.P. Gomes Bibliografia:

Leia mais

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG

Bases de Dados. O que é uma Base de Dados? Pós-Grduação em SIG Bases de Dados O que é uma Base de Dados? Dados Pode-se começar por tentar dar uma definição do que são Dados. Os dados são factos em bruto, que não são necessáriamente relevantes para qualquer coisa que

Leia mais

Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Introdução Organização e Recuperação de Informação(GSI521) Tópicos Recuperação de informação (RI); Breve histórico; O

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS TEXTO USANDO MODELOS PROBABILISTICOS ESTENDIDOS

RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS TEXTO USANDO MODELOS PROBABILISTICOS ESTENDIDOS ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 RECUPERAÇÃO DE DOCUMENTOS TEXTO USANDO MODELOS PROBABILISTICOS ESTENDIDOS Marcello Erick Bonfim 1

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

PostgreSQL Performance

PostgreSQL Performance PostgreSQL Performance André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto February 24, 2012 André Restivo (FEUP) PostgreSQL Performance February 24, 2012 1 / 45 Sumário 1 Armazenamento 2 Índices

Leia mais

Desenvolvendo com XML

Desenvolvendo com XML José Antônio da Cunha IFRN Disciplina:ADM Banco de Dados Desenvolvendo com XML Tópicos: O tipo de dados XML O suporte XQuery Os métodos Data Type XML Índices XML Usando a cláusula For XML OPENXML XML Bulk

Leia mais

Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3

Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3 ÍNDICE o -INTRODUÇÃO Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3 0.5 Sistemas Utilizados 6 0.5.1 Access 2003 (Microsoft)

Leia mais

T U T O R I A I S SCOPUS TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. SCOPUS - Tutorial

T U T O R I A I S SCOPUS TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. SCOPUS - Tutorial T U T O R I A I S SCOPUS TUTORIAL O que é? O Scopus é uma base de dados que disponibiliza acesso a mais de 16.000 títulos de periódicos, mais de 1.200 revistas de livre acesso, mais de 500 anais de conferências

Leia mais

Aplicação da Medida TfIdf em Bancos de Dados Relacionais para Ordenação de Consultas por Termos

Aplicação da Medida TfIdf em Bancos de Dados Relacionais para Ordenação de Consultas por Termos Aplicação da Medida TfIdf em Bancos de Dados Relacionais para Ordenação de Consultas por Termos Daniel Pereira Lima 1, Naziane Alves Pinto 2, Carla Oran Fonseca de Souza 3, Francisca Sancha Azevedo da

Leia mais

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas.

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. MySQL 101 Recapitulando Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. As bases de dados são úteis quando necessitamos

Leia mais

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986

Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 2.3. Linguagens Relacionais SQL Structured Query Language Linguagem para o modelo relacional: Definida pelo American National Standard Institute (ANSI) em 1986 Adoptada em 1987 como um standard internacional

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2014/2015 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Capítulo 8: BDs Objecto-Relacional Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Objectos e Referência

Leia mais

Bases de Dados Relacional/Objeto e NoSQL. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

Bases de Dados Relacional/Objeto e NoSQL. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática Bases de Dados Relacional/Objeto e NoSQL Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SGBDs Principais tarefas Gerir grandes volumes de dados Suportar acessos eficientes Garantir

Leia mais

Recuperação de Informação Integrada ao Banco de Dados XML Nativo - XTC

Recuperação de Informação Integrada ao Banco de Dados XML Nativo - XTC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LUIZ HERMES SVOBODA JUNIOR Recuperação de Informação Integrada ao Banco de Dados XML Nativo - XTC Trabalho

Leia mais

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Curso de Gestão em SI Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Rodrigo da Silva Gomes (Extraído do material do prof. Ronaldo Melo - UFSC) Banco de Dados (BD) BD fazem parte do nosso dia-a-dia!

Leia mais

PROGRAMA. Aquisição dos conceitos teóricos mais importantes sobre bases de dados contextualizados à luz de exemplos da sua aplicação no mundo real.

PROGRAMA. Aquisição dos conceitos teóricos mais importantes sobre bases de dados contextualizados à luz de exemplos da sua aplicação no mundo real. PROGRAMA ANO LECTIVO: 2005/2006 CURSO: LICENCIATURA BI-ETÁPICA EM INFORMÁTICA ANO: 2.º DISCIPLINA: BASE DE DADOS DOCENTE RESPONSÁVEL PELA REGÊNCIA: Licenciado Lino Oliveira Objectivos Gerais: Aquisição

Leia mais

XML para transferência de dados Estrutura hierárquica do XML DTDs e XML Schema Consultas de documentos XML: XPath e XQuery Transformação de

XML para transferência de dados Estrutura hierárquica do XML DTDs e XML Schema Consultas de documentos XML: XPath e XQuery Transformação de Capítulo 9: XML XML para transferência de dados Estrutura hierárquica do XML DTDs e XML Schema Consultas de documentos XML: XPath e XQuery Transformação de documentos XML: XSLT Mapeamento entre documentos

Leia mais

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Ernani Viriato de Melo V Jornada Científica 24/10/2006 Tópicos Abordados Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE:

Leia mais

Otimização de Recuperação de Informação usando Algoritmos Genéticos

Otimização de Recuperação de Informação usando Algoritmos Genéticos Otimização de Recuperação de Informação usando Algoritmos Genéticos Neide de Oliveira Gomes, M. Sc., nog@inpi.gov.br Prof. Marco Aurélio C. Pacheco, PhD Programa de Doutorado na área de Métodos de Apoio

Leia mais

18/03/2012. Formação. E-mail: alunos@ecivaldo.com

18/03/2012. Formação. E-mail: alunos@ecivaldo.com Formação Bacharelado em Ciência da Computação (UFBA) Especialização avançada em Sistemas Distribuídos (UFBA) Mestrado em Ciência da Computação (UFCG) Doutorado em Educação (USP) 1a. Aula 2012.1 2 Empresa

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Helena Galhardas Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 1 Sumário Restrições de Integridade (RIs) em SQL Chave

Leia mais

Informática para Ciências e Engenharias 2013/14. Teórica 10

Informática para Ciências e Engenharias 2013/14. Teórica 10 Informática para Ciências e Engenharias 2013/14 Teórica 10 Na aula de hoje... Introdução aos sistemas de bases de dados: Modelo relacional SQL (Structured Query Language) SQL e MATLAB Um exemplo prático

Leia mais

Recuperação de Informação na Web. Recuperação de informação na Web

Recuperação de Informação na Web. Recuperação de informação na Web Recuperação de Informação na Web Baeza-Yates e Ribeiro-Neto, Modern Information Retrieval, Cap. 13 Informação online sobre motores de pesquisa e outras ferramentas Recuperação de informação na Web Características

Leia mais

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Universidade Federal da Paraíba UFPB Centro de Energias Alternativas e Renováveis - CEAR Departamento de Eng. Elétrica DEE BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Isaac Maia Pessoa Introdução O que é um BD? Operações

Leia mais

Arquivo Digital de Trabalhos Práticos de Alunos

Arquivo Digital de Trabalhos Práticos de Alunos Arquivo Digital de Trabalhos Práticos de Alunos Projecto Integrado Engenharia de Linguagens Eduardo Ribeiro Miguel Nunes Objectivos Criação de uma interface Web para incorporação de Objectos Digitais;

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

XML e Banco de Dados de Internet. Tópicos Especiais em Tecnologia da Informação Profa. Késsia R. C. Marchi

XML e Banco de Dados de Internet. Tópicos Especiais em Tecnologia da Informação Profa. Késsia R. C. Marchi XML e Banco de Dados de Internet Tópicos Especiais em Tecnologia da Informação Profa. Késsia R. C. Marchi Motivação Diversas aplicações Web utilizam Fontes de Dados (BD); Arquitetura Cliente-Servidor (2

Leia mais

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação.

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação. Mecanismo usado para mais fácil e rapidamente aceder à informação existente numa base de dados. Bases de Dados de elevadas dimensões. Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Banco de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Banco de Dados Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Banco de Dados Relacionais; SQL; MySQL; Manipulando Banco de Dados com o JDBC; Bibliografia; Prof. Leonardo Barreto Campos 2/25 Introdução

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br. Bancos de Dados. Fernando Albuquerque. 061-2733589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br. Bancos de Dados. Fernando Albuquerque. 061-2733589 fernando@cic.unb.br Bancos de Dados Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br Tópicos Introdução O modelo relacional A linguagem SQL Introdução O que é um banco de dados : Coleção de informações que existe por

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Avaliação Sistemas de Recuperação da Informação

Avaliação Sistemas de Recuperação da Informação Avaliação Sistemas de Recuperação da Informação Prof. Rodrigo Tripodi Calumby DEXA / UEFS rtcalumby@ecomp.uefs.br Por que? Ex.: Projeto de Aviões Teste em simuladores e experimentos Construção e teste

Leia mais

Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies. Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados. Module Introduction

Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies. Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados. Module Introduction Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies Cap. 1 Module Introduction Objectivos O propósito e a origem da arquitectura de base de dados a três níveis. O conteúdo dos níveis externo,

Leia mais

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS WEB OF SCIENCE - Tutorial O que é? O Web of Science é uma base de dados que disponibiliza acesso a mais de 9.200 títulos

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS ESCOLA DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS ESCOLA DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS ESCOLA DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA Desenvolvimento de um Sistema de Recomendação de Artigos Científicos e Avaliação de Métodos de Extração de

Leia mais

Recuperação de Informação

Recuperação de Informação Recuperação de Informação Estrutura de Dados II Mariella Berger 1 Roteiro Tarefas de Recuperação de Informação Modelos de Recuperação de Documentos Modelo Booleano Modelo Espaço Vetorial Recuperação de

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte Programação SQL INTRODUÇÃO II parte Programação SQL SELECT; INSERT; UPDATE; DELETE. Este conjunto de comandos faz parte da sublinguagem denominada por DML Data Manipulation Language (Linguagem de manipulação

Leia mais

Tecnologias da Informação, Comunicação e Sistemas de Inteligência

Tecnologias da Informação, Comunicação e Sistemas de Inteligência , Comunicação e Sistemas de Inteligência Gestão e de Bancos de Dados IESB - Centro Universitário A importância da informação em um mundo de informação disponível em tempo real a informação menos acessível

Leia mais

Número: Nome: 1 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Número: Nome: 1 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Número: Nome: 1 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------- INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Gestão e Tratamento de Informação Exame: tipo Dezembro

Leia mais

Administração e Optimização de BDs

Administração e Optimização de BDs Departamento de Engenharia Informática 2010/2011 Administração e Optimização de BDs Mini-Projecto 1 2º semestre A resolução deve ser claramente identificada com o número de grupo e entregue sob a forma

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências Bases de Dados 2007/2008 Aula 1 Sumário 1. SQL Server 2000: configuração do acesso ao servidor. 1.1. SQL Server Service Manager. 1.2. SQL Server Enterprise Manager. 1.3. SQL Query Analyzer. 2. A base de

Leia mais

AUDITORIA EM BANCO DE DADOS COM UTILIZAÇÃO DE REGRAS

AUDITORIA EM BANCO DE DADOS COM UTILIZAÇÃO DE REGRAS REVISTA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA AUDITORIA EM BANCO DE DADOS COM UTILIZAÇÃO DE REGRAS Eder Pazinatto Faculdade Anhanguera de Passo Fundo RESUMO: A busca por mecanismos que implementam segurança

Leia mais

MAPEAMENTO DE CONSULTAS SQL EM XML ENTRE SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS RELACIONAIS

MAPEAMENTO DE CONSULTAS SQL EM XML ENTRE SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS RELACIONAIS Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Sistemas de Informação RENATO SULZBACH MAPEAMENTO DE CONSULTAS SQL EM XML ENTRE SISTEMAS GERENCIADORES

Leia mais

KIT DE TREINO MULTIMEDIA. Exemplos e comparações: Pesquisa na Internet

KIT DE TREINO MULTIMEDIA. Exemplos e comparações: Pesquisa na Internet KIT DE TREINO MULTIMEDIA Exemplos e comparações: Pesquisa na Internet Developed by: Anna Feldman, for the Association for Progressive Communications Tabela de Sintaxe de Busca Dos módulos de pesquisa de

Leia mais

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello

Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2. Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Banco de Dados I Linguagem SQL Parte 2 Autor: Prof. Cláudio Baptista Adaptado por: Prof. Ricardo Antonello Introdução Como vimos, um SGBD possui duas linguagens: DDL: Linguagem de Definição de Dados. Usada

Leia mais

Dados Semi-Estruturados e XML

Dados Semi-Estruturados e XML Dados Semi-Estruturados e XML Sumário Dados da Web: Caracterização Gerência de Dados da Web Dados Semi-Estruturados Modelo de dados XML Definição de esquemas Linguagens de Consulta XPath, XQuery 1 Dados

Leia mais

SQL: Interrogações simples

SQL: Interrogações simples SQL: Interrogações simples Fernando Lobo Base de Dados, Universidade do Algarve 1 / 20 Structured Query Language (SQL) É uma implementação da álgebra relacional incluindo os operadores extendidos. Contém

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. Reservados todos

Leia mais

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos.

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos. Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Este assunto é muito vasto, tentaremos resumi-lo para atender as questões encontradas em concursos públicos. Já conhecemos o conceito de dado, ou seja, uma informação

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais

Índice. Introdução... 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais... 35

Índice. Introdução... 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais... 35 Introdução... 31 1. Bases de Dados Relacionais...31 2. Modelação de Bases de Dados...31 3. Modelo de Classes UML...32 4. Linguagem SQL...32 5. Sobre o Microsoft Access...32 Tutorial 1: O Microsoft Access

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Gerir referências bibliográficas. APA 6th. EndNote Web

Gerir referências bibliográficas. APA 6th. EndNote Web Gerir referências bibliográficas APA 6th EndNote Web Sumário 1. EndNote Web: instalação do estilo bibliográficos APA 6th... 3 2. Tipologia de documentos: elementos a preencher... 4 2.1 Artigo científico...

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM INTRODUÇÃO, INFRA-ESTRUTURA E MAPEAMENTO DE ESQUEMAS AGENDA Data Management System Peer Data Management System P2P Infra-estrutura Funcionamento do PDMS Mapeamento de Esquemas

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio formado por acadêmicos

Leia mais

Implementação de BD. Banco de dados relacional. Elementos que compõem o banco de dados CAMPO REGISTRO TABELA. Paulo Damico MDK Informática Ltda.

Implementação de BD. Banco de dados relacional. Elementos que compõem o banco de dados CAMPO REGISTRO TABELA. Paulo Damico MDK Informática Ltda. Implementação de BD Banco de dados relacional Elementos que compõem o banco de dados CAMPO REGISTRO TABELA Implementação de BD CAMPO O elemento campo é a menor unidade de armazenamento de um banco de dados

Leia mais

Manual : EBSCOHOST Web 6.0

Manual : EBSCOHOST Web 6.0 Manual : EBSCOHOST Web 6.0 Por: EBSCO Brasil Ltda. Outubro 1, 2003 Instruções para entrar no sistema Na internet entre na página: http://search.epnet.com ou http://trial.epnet.com Aparecerá a tela inicial

Leia mais

Bases de dados semi-estruturadas, XML

Bases de dados semi-estruturadas, XML Bases de dados semi-estruturadas, XML Fernando Lobo Base de Dados, Universidade do Algarve 1 / 40 Modelo de informação semi-estruturado Esquema está impĺıcito nos dados. Ao invés do modelo relacional,

Leia mais

Sistemas de Bases de Dados

Sistemas de Bases de Dados Sistemas de Bases de Dados Carlos Viegas Damásio José Alferes e Carlos Viegas Damásio Sistemas de Bases de Dados 2014/15 Objectivos - Em Bases de Dados (2º ano) pretendia-se: Que os estudantes fossem capazes

Leia mais

Material de Banco de Dados

Material de Banco de Dados Material de Banco de Dados Versão 2016 Rodrigo Dornel 22/06/2016 Sumário 1 Informações 3 1.1 Licença................................................ 3 2 Introdução 5 3 Linguagem SQL 7 3.1 CREATE...............................................

Leia mais

Linguagem SQL (Parte I)

Linguagem SQL (Parte I) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte I) Introdução

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

Armazenamento de Dados XML em SGBDs. Agenda

Armazenamento de Dados XML em SGBDs. Agenda Armazenamento de Dados XML em SGBDs Fernanda Baião fernanda.baiao@uniriotec.br Apresentação baseada no material de Humberto José Vieira Junior e Gabriela Ruberg 2006 1 Agenda Introdução Armazenamento de

Leia mais

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD)

Introdução. Motivação. Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Banco de Dados (BD) Sistema de Banco de Dados (SBD) Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados Introdução Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre de 2011 Motivação

Leia mais

BD Oracle. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04

BD Oracle. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04 BD Oracle SGBD Oracle Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Bases de Dados 2003/04 BD Oracle Introdução aos SGBD Base de Dados Colecção de dados que descrevem alguma realidade Sistema de

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Banco de Dados I. Quantidade de informação gerada em um dia. Aula 1. 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; Salários na área

Banco de Dados I. Quantidade de informação gerada em um dia. Aula 1. 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; Salários na área Banco de Dados I Aula 1 Quantidade de informação gerada em um dia E-mails Compras Bate-papo Notícias Blogs Transações bancárias Etc... 59 milhões de clientes ativos; Mais de 42 terabytes de dados; 100

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados. PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.ºH CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO MULTIMÉDIA ANO LECTIVO 2013/2014 6. LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO IV Pré-requisitos: - Planificar e estruturar bases

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS - XQUERY. Prof. Angelo Augusto Frozza

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS - XQUERY. Prof. Angelo Augusto Frozza GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS - XQUERY Prof. Angelo Augusto Frozza XQUERY (XML QUERY LANGUAGE) XQuery é para XML o que o SQL é para Banco de Dados. XQUERY (XML QUERY LANGUAGE) XQuery é uma linguagem

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro SQL- Strutured Query Language é a linguagem mais usada nas bases dados relacionais. Originalmente desenvolvida pela IBM Actualmente é um standard, o mais recente é o SQL:2003

Leia mais

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Objectivos: Junção externa (Outer JOIN) Junção externa à esquerda (LEFT Outer JOIN) Junção externa à direita (RIGHT Outer JOIN) Junção externa completa

Leia mais

Sistemas de Gestão de Bases de Dados

Sistemas de Gestão de Bases de Dados Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2008/2009 Sistemas de Gestão de Bases de Dados Profª Ana Lucas (Responsável) Mestre Fernando Naves Mestre Cristiane Pedron Engª Filipa Pires da Silva Dr.

Leia mais

Informática para Ciências e Engenharias 2012/13. Teórica 10

Informática para Ciências e Engenharias 2012/13. Teórica 10 Informática para Ciências e Engenharias 2012/13 Teórica 10 Na aula de hoje... Introdução aos sistemas de bases de dados (parte 2): Combinar MATLAB e SQL Um exemplo prático 2 MATLAB + SQL 3 MATLAB + SQL

Leia mais

Capítulo Sistemas de Memória Memória Virtual. Ch7b 1

Capítulo Sistemas de Memória Memória Virtual. Ch7b 1 Capítulo Sistemas de Memória Memória Virtual Ch7b Memória Virtual Memória principal funciona como uma cache para o armazenamento secundário (disco) Virtual addresses Physical addresses Address translation

Leia mais

25/05/2015. Relevance Feedback. Expansão de Consulta. Relevance Feedback

25/05/2015. Relevance Feedback. Expansão de Consulta. Relevance Feedback Relevance Feedback Expansão de Consulta Relevance Feedback 1 Relevance Feedback Baeza-Yates; Ribeiro-Neto, (2011, cap 5) distinguem dois métodos: Explicit Relevance Feedback a informação para a reformulação

Leia mais

Disciplina: Unidade V: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade V: Prof.: E-mail: Período: Encontro 17 Disciplina: Sistemas de Banco de Dados Unidade V: Introdução à Linguagem SQL Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 5º. SIG - ADM 13. Introdução à Linguagem SQL Introdução

Leia mais

Sistemas de Gestão de Bases de Dados

Sistemas de Gestão de Bases de Dados Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2007/08 Sistemas de Gestão de Bases de Dados Prof. Mário Caldeira Profª Ana Lucas Dr. Fernando Naves Engª Winnie Picoto Engº Luis Vaz Henriques Dr. José

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

NoSQL: Vantagens, Desvantagens e Compromissos. Mauricio De Diana (mestrando) Marco Aurélio Gerosa (orientador)

NoSQL: Vantagens, Desvantagens e Compromissos. Mauricio De Diana (mestrando) Marco Aurélio Gerosa (orientador) NoSQL: Vantagens, Desvantagens e Compromissos Mauricio De Diana (mestrando) Marco Aurélio Gerosa (orientador) Agenda Definição de NoSQL Atributos de qualidade e trocas Modelo de dados Escalabilidade Transações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

DBMS%Performance% Carlos%Soares% (baseado%em%materiais%gen8lmente%cedidos% por%andré%res8vo,%joão%correia%lopes%e%do% livro%ramakrishnan%&%gehrke)% %

DBMS%Performance% Carlos%Soares% (baseado%em%materiais%gen8lmente%cedidos% por%andré%res8vo,%joão%correia%lopes%e%do% livro%ramakrishnan%&%gehrke)% % DBMS%Performance% Carlos%Soares% (baseado%em%materiais%gen8lmente%cedidos% por%andré%res8vo,%joão%correia%lopes%e%do% livro%ramakrishnan%&%gehrke)% % Plano% Contexto% Índices% Carga%da%base%de%dados%%

Leia mais

Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Banco de Dados Processamento e Otimização de Consultas

Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Banco de Dados Processamento e Otimização de Consultas Processamento e Otimização de Consultas Banco de Dados Motivação Consulta pode ter sua resposta computada por uma variedade de métodos (geralmente) Usuário (programador) sugere uma estratégia para achar

Leia mais

Guia de Consulta. Percorrer

Guia de Consulta. Percorrer Guia de Consulta Percorrer A secção "Percorrer" permite-lhe consultar uma das listas numa determinada ordem. Existem cinco listas diferentes: Comunidades, Colecções, Títulos, Autores e Datas. Poderá percorrer

Leia mais