O papel da busca, recuperação e análise de informações de patentes no registro da propriedade intelectual em empresas de base tecnológica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O papel da busca, recuperação e análise de informações de patentes no registro da propriedade intelectual em empresas de base tecnológica"

Transcrição

1 O papel da busca, recuperação e análise de informações de patentes no registro da propriedade intelectual em empresas de base tecnológica Juliano Salmar Nogueira e Taveira *, Mariana Savedra Pfitzner **, Francisco Henrique Papa Este artigo descreve uma metodologia de busca, recuperação e análise nos bancos de dados gratuitos de patentes para se obter informações sobre o estado da arte de uma determinada tecnologia. Trata-se de um ferramental importante para empresas de base tecnológica, nas quais o conhecimento transformado em direito de propriedade pode representar vantagem competitiva para a inovação e o capital intelectual da empresa. O uso dessa metodologia permite ao pesquisador tomar conhecimento dos direitos de propriedade próprios e de terceiros, bem como ajuda a definir novas linhas de atividades de P&D. Apresentamos também um estudo de caso dessa metodologia usando a tecnologia de grade de Bragg em fibras ópticas. Palavras-chave: Busca. Estado-da-arte. Recuperação de informações. Análise de patenteabilidade. Introdução O conhecimento é hoje um insumo essencial para a competitividade empresarial. A velocidade vertiginosa do avanço da tecnologia eliminou a possibilidade de inserção nos mercados internacionais das empresas que se limitam a copiar produtos. Cada vez mais, somente aquelas capazes de criar ou agregar conhecimento ao que fazem conseguirão manter a longevidade de suas atividades principais. Para as chamadas organizações do conhecimento, o conhecimento é tido como matéria-prima e, às vezes, produto final. Portanto, estratégias institucionais para aprimorar a pesquisa do conhecimento e proteger os resultados de sua produção são cada vez mais bem-vindas e necessárias às instituições modernas, especialmente as de base tecnológica. O exame do estado da arte de determinadas tecnologias é um diferencial que deve estar presente nessas empresas, pois permite: diminuir a redundância de esforços e o investimento desnecessário de recursos no desenvolvimento de soluções preexistentes de propriedade de terceiros; propiciar que as atividades de P&D conduzam a soluções com elevado teor de novidade e, sempre que possível, passíveis de proteção por patentes, caracterizando efeitos de spillovers (conhecimento gera mais conhecimento); conhecer e absorver a tecnologia disponível através de inovações incrementais; identificar os atores (inventores, empresas, universidades, centros de P&D, etc.), respectivas tendências e interesses tecnológicos e comerciais. Em primeiro lugar, para construir o estado da arte de determinada tecnologia, cumpre traçar uma estratégia de busca e recuperação de informações pertinentes ao campo do conhecimento que se investiga (consulte a Seção 2). Essas informações encontram-se publicadas em documentos de patentes ou na literatura científica (artigos, teses, papers, etc.). A documentação de patentes possui características que a tornam uma das mais ricas fontes de informações tecnológicas, uma vez que a descrição técnica detalhada da inovação tecnológica é um dos pressupostos consagrados pelo sistema internacional de patentes. Em aproximadamente 70% dos casos, seu conteúdo não será publicado em qualquer outra fonte de informação (USPTO, 2007). Em segundo lugar, o conjunto de patentes recuperadas deve se transformar em conhecimento útil para a organização. Esse trabalho de análise, denominado refinamento informacional (consulte a Seção 3), objetiva estruturar o conhecimento disponível nos documentos de maneira sumarizada e inteligível, tornando-o acessível aos pesquisadores e tomadores de decisão. Com isso, os pesquisadores podem gerar conhecimento novo, passível de ser patenteado. Portanto, ao não se considerar os documentos de patente no levantamento do estado da técnica, os pesquisadores deixam de conhecer informações que poderiam ser muito relevantes para o seu trabalho. O crescimento do número de patentes publicadas no mundo em todas as áreas do *Autor a quem a correspondência deve ser dirigida: **CPFL, Gerência da Inovação. Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 5, n. 1, p , jan./jun. 2009

2 conhecimento humano vem atingindo, nos últimos anos, uma escala surpreendente. O acervo mundial de documentos de patentes está estimado em 30 milhões, com um crescimento anual da ordem de um milhão e duzentos mil novos documentos de patentes. O objetivo deste trabalho é, portanto, apresentar, de maneira sucinta, uma metodologia da estratégia de busca, recuperação e análise de informações presentes em documentos de patentes de bancos de dados mundiais de livre acesso. 1 Justificativa As empresas de base tecnológica possuem um aspecto peculiar: são agentes de mudanças, capazes de introduzir inovações na estrutura industrial e gerar um valor econômico a partir de conhecimentos científicos específicos em sua área de atuação. Nesse contexto, este artigo trata das atividades necessárias que precedem qualquer tipo de registro de propriedade intelectual nessas empresas. A título ilustrativo, este artigo apresenta os casos de busca, recuperação e análise de patentes para a tecnologia de grade de Bragg em fibras, cujo campo de conhecimento pertence às comunicações ópticas. 2 Definição das estratégias de busca e recuperação de informações A estratégia de busca corresponde a um grupo de regras que tornam possível o encontro entre a pergunta formulada e a informação armazenada na base de dados selecionada. Os principais bancos de patentes gratuitos disponíveis para consulta são: Espacenet (http:// ep.espacenet.com), Free Patents Online (http://www.freepatentsonline.com), INPI (http://www.inpi.gov.br/menu-superior/pesquisas) no item Pesquisar Bases de Patentes, USPTO (http://www.uspto.gov/patft/) e Patent Genius (http://www.patentgenius.com/). A base de patentes do INPI se restringe a patentes depositadas e publicadas no Brasil, enquanto o Patent Genius foca-se na busca por inventores. O uso dessa última base é particularmente interessante para se avaliar a movimentação dos pesquisadores com maior número de patentes que trabalham nas empresas, facilitando a identificação da concorrência, bem como a identificação das empresas como players de uma determinada tecnologia. No planejamento da estratégia de busca de informações em bancos de patentes, algumas ações precisam ser estabelecidas: Compreensão da questão: o que se deseja buscar na base de patentes? Qual o objetivo do levantamento do estado da arte? Escolha do banco de dados: qual o banco de dados que mais se adapta aos objetivos da busca? Definição dos indexadores de busca: os indexadores de busca poderão ser palavraschave ou classificações internacionais. As palavras-chave não obedecem nenhuma estrutura, são aleatórias e retiradas de textos de linguagem livre. A Classificação Internacional de Patentes (CIP), definida e mantida pela Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI-Genebra), foi estabelecida como uma forma taxonômica de relacionar o conhecimento humano descrito na forma de patentes, por meio de oito grupos temáticos: necessidades humanas (A), operações de processamento/transporte (B), química e metalurgia (C), têxtil e papel (D), construções fixas (E), engenharia mecânica/iluminação/aquecimento (F), física (G) e eletricidade (H). Seleção dos operadores booleanos: os operadores booleanos podem tanto reduzir quanto ampliar o escopo da busca. O truncamento após a palavra-chave (a exemplo do asterisco) aumenta o número de documentos recuperados, enquanto os limitadores (como o uso de NOT ) descartam documentos sem relação com o objeto da pesquisa. Uma boa estratégia de busca de documentos de patentes garante um conjunto de informações consistentes, capazes de cobrir, ainda que parcialmente, o estado da arte da tecnologia que se está investigando. A verificação da consistência e relevância dos documentos de patentes é chamada de estratégia de recuperação de informações. Especial atenção deve ser conferida ao risco de recuperação de documentos de patentes sem relação com a tecnologia. Esse tipo de problema, causado especialmente por palavras ou acrônimos que possuem diversos significados, afeta a etapa de análise do estado da arte. Exemplos de ambiguidade são as palavras chip (circuitos integrados ou batatas), 3G (terceira geração de tecnologia sem fio ou 3 gramas), FTT* (fibra óptica na casa do assinante ou primeiro transdutor de temperatura). A investigação das classificações atribuídas à palavra ou ao acrônimo buscado é a forma mais indicada para excluir documentos irrelevantes dos resultados obtidos. Assim, no caso do levantamento do estado da arte da tecnologia 3G, devem ser inicialmente considerados documentos pertencentes ao grupo de eletricidade (F) e excluídos os associados às necessidades humanas (A). Normalmente, o pesquisador especialista na tecnologia em investigação deve também auxiliar na 22 Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 5, n. 1, p , jan./jun. 2009

3 recuperação de documentos de patentes pertinentes. 2.1 Busca e recuperação de informações: o caso da tecnologia de grades de Bragg em fibras ópticas O objetivo do exame do estado da arte para a tecnologia de grade de Bragg em fibras ópticas era a orientação de novas linhas de P&D. Com base nessa informação, montou-se uma estratégia de busca abrangente e genérica, voltada a todas as aplicações e ao conceito da tecnologia. Cumpre lembrar que a base de dados do Espacenet foi utilizada em razão de sua interface amigável para a realização de buscas avançadas. Foram utilizadas como palavras-chave no título ou resumo dos documentos de patentes: bragg grating fibers e bragg grating fibres, considerando as distintas grafias do inglês americano e britânico para fibra. Essas palavras-chave não foram filtradas por classificações internacionais. O resultado da busca trouxe 159 documentos, dos quais 108 foram recuperados (desconsiderando patentes da mesma família) e posteriormente analisados. 3 Análise de informações A etapa subsequente à busca e recuperação de documentos de patentes compreende a análise das informações neles contidas. Tal análise significa a articulação de dados não estruturados contidos nos textos, de modo a transformá-los em conhecimento útil. No tocante à importância das informações codificadas, Freitas et al. (2005) menciona que a informação serve à tomada de decisão, logo a necessidade de decidir com maior precisão é justificada pela necessidade que temos em agir, dentro das organizações e no campo da pesquisa. Isto significa que o conhecimento do estado da arte é fundamental para a tomada de decisões sobre novas linhas de P&D e registro de propriedade intelectual. A definição de linhas estratégicas de P&D por meio do conhecimento prévio do estado da arte configura a situação organizacional que Chandler (1962) chama de structure follows strategy. Isto significa que o exame cuidadoso da tecnologia permite a clara definição de estratégias corporativas de inovação (estratégia) a serem seguidas por toda a empresa (estrutura). Basicamente, a análise de documentos de patentes envolve as seguintes etapas: Codificação: consiste no agrupamento de documentos de patentes que tratam de temas semelhantes. A codificação dos documentos de patentes pode ser feita através dos títulos, resumos ou quadros reivindicatórios, os quais, a rigor, identificam precisamente o que a patente pretende proteger. Análise léxica: as palavras mais frequentes dos grupos de patentes podem ser listadas com o auxílio de software de pesquisa qualitativa. Tais palavras devem ser analisadas no contexto em que aparecem. Excluem-se dessa análise os verbetes instrumentais que não possuem relação com a tecnologia, como THE, IN e AND. O processo de interpretação do contexto das palavras nas frases de origem é chamado navegação lexical. Com este recurso, é possível identificar, de maneira geral, o escopo das invenções. Análise de conteúdo: a leitura dos resumos dos documentos de patentes, em complementação à análise léxica, permite a sumarização do estado da técnica. Quanto mais documentos forem considerados nessa etapa, maior o grau de cobertura do exame do estado da técnica. O direcionamento da análise de conteúdo é dado pelos assuntos de interesse do demandante da pesquisa, como, por exemplo, o conceito da tecnologia, suas vantagens, desvantagens, possíveis aplicações e seu histórico. O resultado da análise de informações de documentos de patentes culmina em uma sumarização que deve abranger no máximo uma página, compreendendo os aspectos tecnológicos que interessam ao pesquisador e ao tomador de decisões. Entre os benefícios desse exame está a possibilidade de conhecer tanto o que é de domínio público quanto os direitos de propriedade próprios e de terceiros. Além disto, o exame do estado da técnica simplifica modelos de inovação complexos, aproximando-os do tradicional modelo linear. 3.1 Análise de informações: o caso da tecnologia de grades de Bragg em fibras ópticas A análise dos 108 documentos de patentes recuperados na ocasião da pesquisa sobre a grade de Bragg em fibras ópticas compreendeu primeiramente a codificação dos títulos das patentes em áreas temáticas. As invenções foram divididas em métodos para compensação da degradação da performance da fibra e controle do comprimento de onda, formas de fabricação da grade de Bragg, acopladores ópticos e materiais de proteção à fibra. Posteriormente, a contagem de frequência de palavras realizada por um software de pesquisa qualitativa apontou, através de um ranking, as 50 mais frequentes. Excluindo as palavras instrumentais, foi possível identificar os campos de aplicação da tecnologia mais importantes, por meio da frequência com que apareceram: laser (36%); sensor (27%); Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 5, n. 1, p , jan./jun

4 filtro (20%); (de)multiplexador (10%); amplificador (5%); modulador (2%). A navegação lexical em torno das 50 palavras de maior ocorrência possibilitou conceituar a tecnologia de acordo com o estado da arte. A fibra com grade de Bragg é um insumo para dispositivos de rede com guias de luz. Ela reflete energia com determinado comprimento de onda na direção onde a luz se originou. A grade de Bragg em fibras ópticas representa o índice de modulação periódica permanente e refrativa no centro de uma fibra óptica monomodo, sendo que ela possui um comprimento entre 1 e 100 mm. O índice de modulação é formado pela iluminação transversal da fibra com padrão de interferência periódica gerado por luz de laser. A codificação dos documentos em grupos permitiu que a leitura dos resumos das patentes fosse dividida de acordo com as áreas temáticas, o que facilitou o trabalho de análise. Com isto, foram levantadas as limitações da tecnologia, além da identificação de seus potenciais substitutos. Concluiu-se que a tecnologia de grade de Bragg em fibras ópticas apresenta como limitações a queda de performance da fibra em função da variação de temperatura, as degradações de sua transmissão e sua duração. No entanto, verificou-se que as invenções convergem para impedir esses pontos fracos da tecnologia, seja através da aplicação de um anelamento ou através de seu aquecimento a temperaturas altas. A análise de conteúdo também encontrou uma tecnologia substituta vis-à-vis à tecnologia estudada, denominada grade de longo período (long period grating), a qual se mostra superior para uso em aplicações de sensoreamento óptico. Notadamente, o exame do estado da técnica apresentou consistência de resultados ao responder às demandas dos pesquisadores sobre o conceito, os problemas e a substituição para a tecnologia de grades de Bragg. Com isto, foi possível definir novas linhas de pesquisa fundamentadas em inovações incrementais no contexto das comunicações ópticas. Além disto, o conhecimento preciso sobre o estado da técnica possibilitou o registro de propriedade intelectual (novidade tecnológica), sem incorrer em violação dos direitos de propriedade de terceiros. Conclusão Este artigo explorou a necessidade de estabelecer critérios e metodologias de Gestão da Propriedade Intelectual, para que as empresas saibam o que sabem e usem esse conhecimento a seu favor, como afirmam Davenport e Prusak (1998). Ressalte-se a importância do exame do estado da técnica (busca, recuperação e análise das informações) como ferramental de gestão da informação e registro de propriedade intelectual. A definição da estratégia de busca, em consonância com a classificação internacional apropriada, é responsável pela recuperação de documentos de patentes relevantes. Além disso, uma busca precisa representa condição necessária (mas não suficiente) de uma boa análise do estado da arte da tecnologia em investigação. A análise do estado da técnica depende da codificação de documentos de patentes e da navegação lexical. Com ela, é possível obter conhecimento útil e capaz de gerar inovação. Referências CHANDLER, A. Strategy and Structure: Chapters in the history of the Industrial Enterprise. Cambridge: MIT Press, DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Working Knowledge: how organizations manage what they know. Cap. 2 e 8. Massachusetts: HBS Press, FREITAS et al. Metodologias, Estratégias e Soluções para exploração de dados quanti e qualitativos. Sphinx Brasil Disponível em: <http://www.sphinxbrasil.com/po/lang=po&lone=s ervicos&ltwo=elearning&lthree=artigos>. Acesso em: 22 ago UNITED STATES PATENT AND TRADEMARK OFFICE (USPTO). Office of Technology Assessment and Forecast. Disponível em: <http://www.uspto.gov/>. Acesso em: 22 ago Bibliografia BRANDAU, R.; MONTEIRO, R.; BRAILE, D. M. Importância do uso correto dos descritores nos artigos científicos. Revista Brasileira de Cirurgia Vascular. São José do Rio Preto, v. 20 n. 1, CUENCA, A. M. B. O usuário final da busca informatizada: avaliação da capacitação no acesso a bases de dados em biblioteca acadêmica. Ci. Inf., v. 28, n. 3, p , Sept./ Dec GARCIA, R. M.; SILVA, H. Necessidades de otimização dos processos de planejamento e operacionalização das estratégias de busca em bases de dados especializada: um estudo com pós-graduandos da UNESP de Marília. In: FUJITA, M. (Org.). A dimensão social da 24 Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 5, n. 1, p , jan./jun. 2009

5 biblioteca digital na organização e acesso ao conhecimento: aspectos teóricos e aplicados. São Paulo: Departamento Técnico do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP. IBICT, LOPES, I. L. Estratégia de busca na recuperação da informação: revisão da literatura. Ci. Inf., Brasília, v. 31, n. 2, p , maio/ago PENNAKEN, M.; VAKKARI, P. Students conceptual structure, search process, and outcome while preparing a research proposal: a longitudinal case study. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 54, n. 8, p Abstract This paper describes a methodology for the search, retrieval and analysis of patents information containing the state of the art of a specific technology. This processes is very important for technologybased companies, in which knowledge, transformed into property rights, represents a competitive advantage for innovation. The use of this methodology helps increase the awareness of third party property rights as well as define new subjects of R&D activities. As an example, a practical case study of this methodology is presented using the technology of Bragg in optical fibers. Key words: Search. State of the art. Information retrieval. Patent analysis. Cad. CPqD Tecnologia, Campinas, v. 5, n. 1, p , jan./jun

6

O Papel da Busca, Recuperação e Análise de Informações de Patentes no Registro da Propriedade Intelectual em Empresas de Base Tecnológica

O Papel da Busca, Recuperação e Análise de Informações de Patentes no Registro da Propriedade Intelectual em Empresas de Base Tecnológica O Papel da Busca, Recuperação e Análise de Informações de Patentes no Registro da Propriedade Intelectual em Empresas de Base Tecnológica Juliano Salmar N. Taveira MSc. Mariana Savedra Pfitzner Francisco

Leia mais

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados CC BY-NC-ND A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Encontro de Negócios em Inovação e Tecnologia itec 2015 São Paulo, SP 28

Leia mais

Derwent Innovations Index

Derwent Innovations Index Derwent Innovations Index DERWENT INNOVATIONS INDEX Cartão de referência rápida ISI Web of Knowledge SM O Derwent Innovations Index é uma ferramenta poderosa de pesquisa de patentes, que combina Derwent

Leia mais

CEDIN - Centro de Documentação e Informação Tecnológica. Manual dos Serviços de Informação Tecnológica. Passo-a-passo para os clientes

CEDIN - Centro de Documentação e Informação Tecnológica. Manual dos Serviços de Informação Tecnológica. Passo-a-passo para os clientes CEDIN - Centro de Documentação e Informação Tecnológica Manual dos Serviços de Informação Tecnológica Passo-a-passo para os clientes CEDIN INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ÍNDICE 1 - Apresentação 02 2 - Por quê

Leia mais

Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes

Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Eliandro dos Santos Costa Arquivista DRT/RS Nº. 1582 Bolsista DTI II CNPq UBEA/PUCRS/NIT-RS Mestrando em Engenharia da Produção SANTA MARIA,

Leia mais

SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS.

SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS. SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ÓPTICA : INICIAR A PROPOSTA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM DISCIPLINA OPTATIVA, DURANTE PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE CRÉDITOS. Sandra Maria Dotto Stump sstump@mackenzie.com.br Maria Aparecida

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

A Materisalisaçao dos Recursos do Projeto CATI: Chave de Desenvolvimento Real

A Materisalisaçao dos Recursos do Projeto CATI: Chave de Desenvolvimento Real A Materisalisaçao dos Recursos do Projeto CATI: Chave de Desenvolvimento Real ELANGI BOTOY ITUKU ADMINISTRADOR DO PROJETO SEÇÃO DE APOIO À INOVAÇÃO E À TECNOLOGIA SAO TOME 24 DE MAYO DE 2014 Sumário Objetivo

Leia mais

Patents, Innovation and Economic Performance: OECD Conference Proceedings

Patents, Innovation and Economic Performance: OECD Conference Proceedings Patents, Innovation and Economic Performance: OECD Conference Proceedings Summary in Portuguese Patentes, Inovação e Desempenho Econômico: Procedimentos da Assembléia da OCDE Sumário em Português As invenções

Leia mais

III Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade (SimpGES) Produtos eco-inovadores: produção e consumo"

III Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade (SimpGES) Produtos eco-inovadores: produção e consumo 4 e 5 de outubro de 013 Campo Grande-MS Universidade Federal do Mato Grosso do Sul RESUMO EXPANDIDO INOVAÇÃO NO AGRONEGÓCIO: O CASO DA EMBRAPA Roger Welker Gomes Machado (UFMS); Carolina Oliveira Reis

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia.

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia. XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RESUMO OBSERVATÓRIO DE

Leia mais

PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE EM INFRA-ESTRUTURAS SUPORTADAS POR SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE REDE DE COMUNICAÇÃO DE DADOS

PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE EM INFRA-ESTRUTURAS SUPORTADAS POR SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE REDE DE COMUNICAÇÃO DE DADOS PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE EM INFRA-ESTRUTURAS SUPORTADAS POR SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE REDE DE COMUNICAÇÃO DE DADOS Roosevelt Belchior Lima Neste artigo será apresentada uma proposta de acompanhamento

Leia mais

Sistema de Gestão pela Qualidade Total. Administração por Políticas Planejamento Estratégico

Sistema de Gestão pela Qualidade Total. Administração por Políticas Planejamento Estratégico Sistema de Gestão pela Qualidade Total Administração por Políticas Planejamento Estratégico Márcia Elisa Garcia de Grandi megrandi@usp.br Rosa Maria Fischi rmfzani@usp.br Políticas As Políticas são as

Leia mais

Praticando o Conceito de Inteligência Estratégica Antecipativa (IEA) em uma Empresa de Software Médico

Praticando o Conceito de Inteligência Estratégica Antecipativa (IEA) em uma Empresa de Software Médico Praticando o Conceito de Inteligência Estratégica Antecipativa (IEA) em uma Empresa de Software Médico Pedro Freitas pedrof86@terra.com.br Henrique Freitas hf@ea.ufrgs.br Raquel Janissek-Muniz rjmuniz@ea.ufrgs.br

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE RESUMO Carlos Eduardo Spolavori Martins 1 Anderson Yanzer Cabral 2 Este artigo tem o objetivo de apresentar o andamento de uma pesquisa

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 Índice 1. Importância do ERP para as organizações...3 2. ERP como fonte de vantagem competitiva...4 3. Desenvolvimento e implantação de sistema de informação...5

Leia mais

www.periodicos.capes.gov.br Treinamento no uso do Portal de Periódicos UFCG, outubro de 2012

www.periodicos.capes.gov.br Treinamento no uso do Portal de Periódicos UFCG, outubro de 2012 Portal CAPES www.periodicos.capes.gov.br Treinamento no uso do Portal de Periódicos UFCG, outubro de 2012 Estrutura da apresentação 1. Breve histórico 2. Conceitos básicos 3. Finalidade do Portal 4. Informações

Leia mais

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1. POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1.1. Objetivos Nas últimas décadas as bibliotecas passaram por mudanças

Leia mais

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini SI- Sistemas de Informação Professora: Mariana A. Fuini INTRODUÇÃO A informação é tudo na administração de uma organização. Mas para uma boa informação é necessário existir um conjunto de características

Leia mais

Base de Patentes: abrangente, valiosa e única

Base de Patentes: abrangente, valiosa e única Patentes... Define o contrato entre o governo e um inventor pelo qual o inventor recebe proteção legal para a sua invenção Requer descrição completa de todos os detalhes da invenção (descrição, desenhos,

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Propriedade Intelectual e seu impacto nos programas de pós-graduação XVI ENCEP Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de

Leia mais

CARTILHA DE PI DO CADUCEUS

CARTILHA DE PI DO CADUCEUS CARTILHA DE PI DO CADUCEUS SUAS IDEIAS PODEM SER VALIOSAS! Vivemos hoje no mundo da informação e do conhecimento, onde o crescimento e a sustentação de qualquer indústria são sobretudo determinados por

Leia mais

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98)

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Propriedade Industrial Patentes (Lei 9.279/96) Invenção Modelo de Utilidade Desenho Industrial Marcas Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Software (Lei n 9.609/98) Patentes Invenção/Modelo de Utilidade Proteção

Leia mais

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial

T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL. Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS. WEB OF SCIENCE - Tutorial T U T O R I A I S WEB OF SCIENCE TUTORIAL Biblioteca da Escola de Engenharia da UFRGS WEB OF SCIENCE - Tutorial O que é? O Web of Science é uma base de dados que disponibiliza acesso a mais de 9.200 títulos

Leia mais

Derwent Innovations Index

Derwent Innovations Index Derwent Innovations Index ISI WEB OF KNOWLEDGE SM Quick Reference Card Derwent Innovations Index é uma poderosa ferramenta de pesquisa de patentes que combina Derwent World Patents Index, Patents Citation

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI Claudio Gottschalg Duque Professor Departamento de Ciência da Informação Universidade de Brasília (UnB) Brasil Mauricio Rocha Lyra Aluno

Leia mais

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB

Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB OBJETIVO GERAL Projeto 2.47 QUALIDADE DE SOFTWARE WEB Marisol de Andrade Maués Como objetivo geral, buscou-se avaliar a qualidade de produtos Web, tendo como base o processo de avaliação de qualidade descrito

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL DUMAS, Ana Carolina¹ Guirado CALDAMONE,Camila¹ Guerino FRANCO, Nathália¹ Ribeiro; Acadêmicos do curso de Administração da Faculdade de Ciências

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO USO DA INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA CONTIDA NOS DOCUMENTOS DE PATENTES Florianópolis 12 de maio de 2009 Propriedade

Leia mais

Solução em Software e Automação Comercial

Solução em Software e Automação Comercial Solução em Software e Automação Comercial EMPRESA A Aps Informática é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltados para a gestão empresarial localizada em Recife, Pernambuco. Desde 1992 no mercado,

Leia mais

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G 1082 X Salão de Iniciação Científica PUCRS UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G Agner Macedo Paiva, Bernardo Copstein (orientador) FACIN, PUCRS, Centro

Leia mais

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás Dalton Lopes Martins (UFG) dmartins@gmail.com Arlon Silva (UFG)

Leia mais

CONSULTORIA E PROJETOS ELÉTRICOS JÚNIOR

CONSULTORIA E PROJETOS ELÉTRICOS JÚNIOR Título do Case: Impulsionando a Captação de Projetos Através do Marketing Digital Categoria: Projeto Interno Temática: Mercado Resumo: Sabe-se que grande parte dos projetos realizados pelas empresas juniores

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários: 182 (2012) Faturamento:

Leia mais

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes. Aspectos Gerais

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes. Aspectos Gerais CURSO DE CAPACITAÇÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Aspectos Gerais Araraquara, agosto/2009 Importância da Informação Tecnológica

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

INFORMAÇÃO ORGÂNICA COMO INSUMO DO PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO EMPRESARIAL

INFORMAÇÃO ORGÂNICA COMO INSUMO DO PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO EMPRESARIAL INFORMAÇÃO ORGÂNICA COMO INSUMO DO PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO EMPRESARIAL 1 LOUSADA, Mariana marianalousada@hotmail.com 2 VALENTIM, Marta Lígia Pomim valentim@marilia.unesp.br Resumo: O foco desta pesquisa

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.: Lillian Alvares Aspectos Gerais O uso da tecnologia digital traz grandes perspectivas de trabalho para os arquivos

Leia mais

Inovação como instrumento de geração de riqueza no Brasil: o exemplo dos institutos privados de inovação tecnológica

Inovação como instrumento de geração de riqueza no Brasil: o exemplo dos institutos privados de inovação tecnológica Inovação como instrumento de geração de riqueza no Brasil: o exemplo dos institutos privados de inovação tecnológica Marcel Bergerman * 1. INTRODUÇÃO Nos últimos anos a sociedade brasileira passou a conviver

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial Sistema de Gestão Estratégica Brasília - 2010 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO 3 II. OBJETIVOS DO SGE 4 III. MARCO DO SGE 4 IV. ATORES

Leia mais

Tenho uma invenção e agora? Erros a evitar..:: Braga, 28 de Novembro 2014 ::. João Marcelino INPI

Tenho uma invenção e agora? Erros a evitar..:: Braga, 28 de Novembro 2014 ::. João Marcelino INPI Tenho uma invenção e agora? Erros a evitar.:: Braga, 28 de Novembro 2014 ::. João Marcelino INPI Alinhamento de estratégias INVENÇÃO, COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL E I&D+I PORQUÊ INVENTAR E INOVAR, PORQUÊ

Leia mais

Prof. Fabiano Geremia

Prof. Fabiano Geremia PLANEJAMENTO ESTRÁTEGICO PARA ARRANJOS PRODUTIVOS CURSO INTERMEDIÁRIO PARA FORMULADORES DE POLÍTICAS Prof. Fabiano Geremia Planejamento Estratégico ementa da disciplina Planejamento estratégico e seus

Leia mais

CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE

CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE Andrea C. A. Borim 1 Antônio M. Saraiva 2 José M. Fernandes 3 Carlos A. R. Pinto 4 RESUMO A busca pelo aumento da

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários:

Leia mais

Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases

Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases Teresina, 28 de novembro de 2011 Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases O que buscamos? Qual é a função da pesquisas?

Leia mais

MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES

MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES Recife 2015 APRESENTAÇÃO Com a aprovação da PPI- Política de Propriedade Industrial do SENAI-PE torna-se necessário que os técnicos, professores e alunos que já buscam a

Leia mais

EDUCAÇÃO SUPERIOR, INOVAÇÃO E PARQUES TECNOLÓGICOS

EDUCAÇÃO SUPERIOR, INOVAÇÃO E PARQUES TECNOLÓGICOS EDUCAÇÃO SUPERIOR, INOVAÇÃO E PARQUES TECNOLÓGICOS Jorge Luis Nicolas Audy * A Universidade vem sendo desafiada pela Sociedade em termos de uma maior aproximação e alinhamento com as demandas geradas pelo

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento 1 Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento Referência do texto para discussão: BRASCHER, Marisa;

Leia mais

Fator Estratégico para a Governança e a Efetividade da TI

Fator Estratégico para a Governança e a Efetividade da TI Fator Estratégico para a Governança e a Efetividade da TI Introdução Conceituação Transformando a TI: de Operacional para Estratégica Por que implementar Quem implementou Quem está implementando Como Implementar

Leia mais

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação 1.º Ano / 1.º Semestre Marketing Estratégico Formar um quadro conceptual abrangente no domínio do marketing. Compreender o conceito

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto Processos de gerenciamento de projetos em um projeto O gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de cumprir seus requisitos.

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 3 Disponibilidade em Data Center O Data Center é atualmente o centro nervoso

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS CICLO DE VIDA DE PROJETOS (viabilidade até a entrega / iniciação ao encerramento) RELEVÂNCIA SOBRE AS AREAS DE CONHECIMENTO FATORES IMPACTANTES EM PROJETOS

Leia mais

Inteligência Estratégica

Inteligência Estratégica Inteligência Estratégica Henrique Freitas & Raquel Janissek-Muniz PPGA/EA/UFRGS SPHINX Brasil E-mail: inteligencia@sphinxbrasil.com Pesquisa: http://gianti.ea.ufrgs.br Soluções: http://www.sphinxbrasil.com/inteligencia

Leia mais

Tecnologias da Informação e da. e Organizacionais

Tecnologias da Informação e da. e Organizacionais Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Cenários Econômicos e Organizacionais A evolução tecnológica acompanhando a mudança organizacional Os negócios na era eletrônica O comércio eletrônico Cadeias

Leia mais

Dr. Policarpo Batista Uliana (Documentta Tecnologia)

Dr. Policarpo Batista Uliana (Documentta Tecnologia) Projeto Nacional de um Localizador de Defeitos por Ondas Viajantes Dr. Policarpo Batista Uliana (Documentta Tecnologia) Consultor/coordenador técnico do projeto Dr. Elisete Ternes Pereira (SELMAG - FURB)

Leia mais

Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Organizaçãoe Recuperação de Informação GSI521 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Introdução Organização e Recuperação de Informação(GSI521) Tópicos Recuperação de informação (RI); Breve histórico; O

Leia mais

3 Análise para a definição da estratégia

3 Análise para a definição da estratégia 3 Análise para a definição da estratégia O presente capítulo aborda os aspectos relacionados à transação sob dois prismas, sendo o primeiro o Transaction Cost Theory (TCT), no qual o foco é a análise dos

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics:

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics: Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015 Big Data Analytics: Como melhorar a experiência do seu cliente Anderson Adriano de Freitas RESUMO

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

Planejamento de Marketing

Planejamento de Marketing PARTE II - Marketing Estratégico - Nessa fase é estudado o mercado, o ambiente em que o plano de marketing irá atuar. - É preciso descrever a segmentação de mercado, selecionar o mercado alvo adequado

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Estudo do Domínio do Repositório Institucional da ENAP

Estudo do Domínio do Repositório Institucional da ENAP Estudo do Domínio do Repositório Institucional da ENAP Projeto básico sobre Repositório Digital: Definição da Arquitetura Informacional / Definição do Conjunto de Metadados / Definição do Fluxo Geral e

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL

Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Alinhamento Estratégico da TI com o Modelo de Negócios da Empresa: um estudo sobre as melhores práticas da biblioteca ITIL Fernando Riquelme i Resumo. A necessidade por criar processos mais eficientes,

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA ANEEL / BNDES / FINEP DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR ELÉTRICO INOVA ENERGIA 01/2013 Modelo de Plano de Negócios Junho - 2013-1 - Introdução Este documento tem

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET Autores: OROMAR CÓRDOVA GILBERTO ALVES LOBATO COPEL Companhia Paranaense

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil Estrutura do INPI Propriedade Intelectual Sistema criado para garantir a propriedade ou exclusividade resultante da atividade intelectual nos campos industrial,

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO 503 IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO Christina Garcia(1); Franciane Formighieri(2); Taciana Tonial(3) & Neimar Follmann(4)(1) Acadêmica do 4º Ano do Curso de

Leia mais

3. Estratégia e Planejamento

3. Estratégia e Planejamento 3. Estratégia e Planejamento Conteúdo 1. Conceito de Estratégia 2. Vantagem Competitiva 3 Estratégias Competitivas 4. Planejamento 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Administração de Pequenas Empresas

Leia mais