A IMPORTÂNCIA DE ALINHAMENTO ENTRE EIXOS Manutenção Preditiva Alinhamentos. Introdução

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A IMPORTÂNCIA DE ALINHAMENTO ENTRE EIXOS Manutenção Preditiva Alinhamentos. Introdução"

Transcrição

1

2 Introdução As perguntas mais freqüentes formuladas por gerentes, engenheiros, supervisores, contratantes, profissionais da área, referentes ao alinhamento (ou desalinhamento) de eixos e sua importância na manutenção industrial de máquinas rotativas são discutidas a seguir. O que é, exatamente, alinhamento de eixos? Em termos bastante simples, desalinhamento de eixos ocorre quando as linhas de centro dos eixos de rotação de duas (ou mais) máquinas não estão em linha um com o outro. Por mais simples que isso possa parecer existe uma considerável confusão que é feita pelas pessoas que estão justamente iniciando o estudo dessa matéria, quando tentam definir precisamente a quantidade de desalinhamento que pode existir entre dois eixos ligados por acoplamentos rígidos ou flexíveis. Qual a precisão que um alinhamento deve ter? Como você mede o desalinhamento quando existem tantos tipos diferentes de projetos de acoplamentos? Onde o desalinhamento deve ser medido? O desalinhamento é medido em... mils, graus, milímetros de ofsete, arcosegundos, radianos? Quando o alinhamento deve ser medido... Quando as máquinas estão paradas ou quando elas estão rodando? Em termos mais precisos, o desalinhamento de eixos é o desvio da posição relativa do eixo de um eixo colinear de rotação medida nos pontos de transmissão de força (ou potência) quando o equipamento está rodando nas condições normais de operação. Para entender melhor esta definição, vamos dissecá-la em partes de modo a ilustrar claramente o que está envolvido. O desvio relativo à posição do eixo é calculado pela medida da diferença entre a linha de centro atual de rotação de um eixo e a linha de centro de rotação projetada do outro eixo. Figura 1 Condição típica de desalinhamento

3 Mostra uma situação típica de desalinhamento em um motor e uma bomba. Para um acoplamento flexível aceitar ambos, desalinhamentos paralelo e angular, deve haver pelo menos dois pontos onde o acoplamento possa ter flexibilidade ou acomodar a condição de desalinhamento. Pela projeção do eixo de rotação do motor em direção ao eixo da bomba e vice versa, há um desvio mensurável entre os eixos de rotação projetados de cada eixo e a linha de centro atual de cada eixo onde a potência está sendo transmitida através do acoplamento de um ponto flexível a outro. Desde que nós medimos o desalinhamento em dois planos diferentes vertical e horizontal, deverão existir quatro desvios que ocorrem em cada acoplamento. No exemplo mostrado, note que há um desvio horizontal e um desvio vertical no ponto de transmissão de potência, tanto no motor quanto na bomba. O objetivo da pessoa que está fazendo o alinhamento é posicionar as carcaças de tal modo que esses desvios estejam abaixo de certos valores de tolerâncias, ou toleráveis. Um guia para essas tolerâncias está mostrado na figura 2 que ajudará a estabelecer a meta para o pessoal que está executando o alinhamento. Figura 2 Guia de tolerância de alinhamento de eixos

4 A última parte da definição de alinhamento de eixos é provavelmente a mais difícil de se obter e usualmente um aspecto do alinhamento que é geralmente mais ignorado. Quando se dá partida nos equipamentos rotativos os eixos se movem para outra posição. A causa mais comum desse movimento é devido a variações de temperaturas que ocorrem nas carcaças das máquinas e daí esse movimento é comumente referido como alinhamento a frio e a quente. Essas variações de temperatura são causadas pela fricção nos mancais ou por variações térmicas que ocorrem líquidos e gases do processo. O movimento das máquinas pode também ser causado por reação ao processo de conectar uma tubulação ou contra-reação devida à rotação do rotor, algo parecido às forças que você experimenta quando tenta mover seu braço com um giroscópio girando em sua mão Qual é o objetivo de um alinhamento preciso? De modo simples, o objetivo do alinhamento de eixos é aumentar o período de operação de máquinas rotativas. Para atingir esse objetivo, os

5 componentes das máquinas que estão mais sujeitos à falhas devem trabalhar dentro dos seus limites de projeto. Desde que os componentes que estão mais sujeitos a falhas são os mancais, selos, acoplamentos e eixos, o alinhamento preciso das máquinas atingirá os seguintes resultados: Reduzir forças radiais e axiais excessivas sobre os mancais para garantir vida maior aos mancais e estabilidade ao rotor sob condições dinâmicas de operação. Minimizar o empeno de eixo do ponto de transmissão de potência no acoplamento ao mancal lado acoplamento. Minimizar o desgaste nos componentes do acoplamento. Reduzir as falhas nos selos mecânicos. Manter as folgas internas apropriadas no rotor. Eliminar a possibilidade de falha do eixo por fadiga cíclica. Menores níveis de vibração nas carcaças das máquinas, caixas de mancal, e rotores. (*) freqüentemente, pequenos valores de desalinhamento podem diminuir níveis de vibração em máquinas por isso precauções devem ser tomadas com relação a vibração e desalinhamento. Quais são os sintomas do desalinhamento? Desalinhamento não é fácil de detectar nas máquinas que estão rodando. As forças radiais transmitidas de eixo para eixo são tipicamente forças estáticas (isto é, uni direcionais) e são difíceis de medir externamente. Para nosso desapontamento, não existem analisadores ou sensores que possam ser instalados no lado externo das máquinas para medir o quanto de força está sendo aplicado aos mancais, eixos e acoplamentos. Consequentemente o que nós atualmente vemos são efeitos secundários dessas forças que são exibidos através dos seguintes sintomas: Falhas prematuras de mancal, selo, eixo e acoplamento. Vibração excessiva no sentido radial e axial. (*) testes tem demonstrado que diferentes projetos de acoplamentos mostram diferentes tipos de comportamento de vibração. Parece que a vibração é causada pela ação mecânica que ocorre no acoplamento quando ele roda. Altas temperatura de carcaça no e próximas aos mancais ou altas temperaturas de descarga do óleo. Vazamento excessivo de óleo nos retentores ou selos do mancal. Parafusos de fundação frouxos. Parafusos do acoplamento frouxos ou quebrados.

6 Alguns projetos de acoplamentos flexíveis rodam quentes sob condições de desalinhamento. Se é um tipo com elastômero, procure por pó de borracha dentro da proteção do acoplamento. Peças de equipamentos similares estão vibrando menos ou parecem ter uma maior vida em operação. Alto número de falhas em acoplamentos (não usual) ou desgaste rápido deles. Eixos quebram ou trincam no ou próximo do mancal (rolamento) ou cubo do acoplamento. Quantidade excessiva de graxa (ou óleo) no lado interno da proteção do acoplamento. O que acontece à máquina rotativa quando está desalinhada só um pouco, moderadamente ou por vezes severamente? O desenho mostrado na figura 3 ilustra o que acontece a uma máquina rotativa quando está desalinhada. Apesar da condição de desalinhamento mostrada aqui estar um tanto exagerada, ela tenta indicar qual o eixo da máquina rotativa sofrerá distorção (isto é empeno) quando cargas verticais ou laterais forem transferidas de eixo para eixo.

7 Figura 3 Distorção do eixo devido a desalinhamento excessivo Flexíveis fazem justamente aquilo para o qual eles foram projetados, eles flexionam para acomodar desalinhamentos leves. Mas os eixos são flexíveis também, e quando o desalinhamento torna-se mais severo, mais os eixos começam a flexionar também. Tenha em mente que os eixos não são permanentemente fletidos ou empenados, eles estão elasticamente curvados quanto eles são submetidos a rotação. Note também que o eixo da bomba, neste exemplo, está exercendo uma força para baixo sobre o mancal do lado interno do motor, enquanto ele tenta trazer o eixo do motor para estar em linha com a sua linha de centro de rotação. Por outro lado, o eixo do motor exerce uma força para cima no mancal interno da bomba desde que ele tenta trazer o eixo da bomba em linha com

8 sua linha de centro de rotação. Se as forças de eixo para eixo são bastante grandes, o vetor força pode estar para cima no mancal externo do motor e para baixo no mancal externo da bomba. Talvez a razão porque o desalinhamento de maquina possa não vibrar excessivamente é devido, em parte, ao fato que essas forças estão atuando na mesma direção. Forças de rotores desbalanceados, por exemplo, mudarão suas direções enquanto o ponto pesado esteja continuamente se movendo (em volta) quando o eixo gira, causando por isso vibração. Forças de desalinhamento de eixo não se movem (em volta); elas usualmente atual em uma única direção. A carta na figura 4 ilustra o tempo estimado para a falha de uma peça típica de equipamento rotativo baseado na variação das condições de alinhamento. O termo falha, aqui, implica uma degradação de qualquer componente crítico da máquina tal como os selos, mancais, acoplamento ou rotores. Os dados neste gráfico foram compilados de um grande número de histórico de casos onde o desalinhamento foi definido como sendo a causa raiz de falha da máquina. Figura 4 Tempo estimado para falha de maquinas rotativas

9 devido aos vários graus de desalinhamento do eixo menores níveis de vibração nas carcaças das máquinas, caixas de mancal, e rotores. (*) freqüentemente, pequenos valores de desalinhamento podem diminuir níveis de vibração em máquinas por isso precauções devem ser tomadas com relação a vibração e desalinhamento. Quanto tempo leva cada passo do procedimento de alinhamento? São oito os passos básicos para o trabalho total de alinhamento: 1. Preparação ferramentas, pessoas, treinamento 2. Obter informações relevantes sobre as máquinas a serem alinhadas. São necessárias ferramentas especiais para medir o alinhamento ou reposicionamento das máquinas? As máquinas se movem da posição off-line para condições de operação? Se sim, quanto e... você tem que desalinhá-las propositalmente de modo que elas se movam para a posição de alinhamento quando estiverem em operação normal? 3. Antes de você começar o trabalho em uma máquina lembre-se... Segurança em primeiro lugar! Identifique e desligue a máquina. 4. Verificações preliminares: runout, pé manco (soft foot), acoplamento está OK?, mancais OK?, fundação OK?, base (skid) OK?. A tubulação está forçando a máquina? 5. Meça a posição dos eixos. Eles estão dentro das tolerâncias de alinhamento aceitáveis? 6. Decida quem necessita ser movida (qual a maneira e quanto) e então fisicamente reposicione a(s) máquina(s) verticalmente, lateralmente e axialmente. Depois que você tiver feito um movimento, volte ao passo 5 e verifique para ver se as máquinas realmente foram movimentadas do modo que você esperava que fossem. 7. Instale o acoplamento e verifique se o equipamento acionado roda livre. Instale a proteção do acoplamento. 8. Rode a máquina e faça as verificações necessárias. Quanto tempo leva para alinhar uma máquina? O gráfico da figura 5 mostra o tempo médio total que leva para fazer os passos de 2 a 8. O passo 1 não está no gráfico desde que procurar todas as ferramentas necessárias e treinar todos que estão envolvidos pode levar um tempo considerável. Como pode se ver, os dois maiores tempos consumidos nas tarefas de alinhamento são: executar as verificações de integridade mecânica e movimentar as máquinas para alinhar os eixos. Não é de todo incomum para um alinhamento preciso levar de 3 a 8 horas, assumindo que tudo esteja certinho!

10 Figura 5 Tempo estimado para executar os passos de alinhamento Como eu posso reduzir o tempo total para alinhar apropriadamente? Em primeiro lugar, as pessoas que são alinhadores de máquinas devem conhecer o que eles estão fazendo e ter uma meta para alcançar. Eles também necessitam acessar todas as ferramentas necessárias para executar o trabalho e as ferramentas devem estar funcionando perfeitamente. Se sua empresa comprou um sistema de medição de alinhamento caro que permanece trancado em um armário, ele não valerá nada se não puder ser usado quando necessitarem dele. É também importante ter um sistema de alinhamento que possa lhe fornecer, com alternativa de movimento, soluções quando reposicionar as máquinas. A chave para o sucesso no alinhamento de máquinas vem da habilidade de se chegar a solução que é possível realizar e minimiza os movimentos requeridos no pé. Cálculos apurados do movimento necessário no pé da máquina são desnecessários se você não pode mover a máquina a quantidade que o sistema de alinhamento está lhe pedindo. Qual a freqüência que o alinhamento deve ser verificado? Como mencionado previamente máquinas rotativas podem mover imediatamente depois de dada a partidas. Isso ocorre rapidamente e o(s) eixo(s) adotam como que uma posição permanente após a estabilização da

11 condição térmica ou do processo ser estabilizada (qualquer coisa entre 2 horas e 1 semana dependendo do caso). Entretanto há variações mais vagarosas e mais sutis que ocorrem em longos períodos de tempo. As máquinas mudarão vagarosamente a sua posição do mesmo modo que a sua entrada de garagem fica saliente ou a fundação do seu prédio trinca. A acomodação do solo sob a maquina pode causar movimento de toda a fundação. Tanto quanto as fundações se movam vagarosamente, as tubulações conectadas exercerão esforços sobre os equipamentos causando modificações no alinhamento. Variações sazonais de temperatura causarão variações também no concreto, base metálica, tubulações e dutos seja expandindo-os ou contraindo-os. É recomendável que em equipamentos recém instalados (novos) seja feita verificação quanto a mudanças no alinhamento de 3 a 6 meses após a entrada em operação. Baseado no que for encontrado durante a primeira ou segunda verificação do alinhamento, adeqüe a sua inspeção para o melhor ajuste para do trem de máquinas. Em média, alinhamento de eixos em todos os equipamentos deveria ser verificado, digamos, anualmente. Não fique constrangido ao ler isso pois você não é a única pessoa que não tem feito verificações nas suas máquinas desde que foram instaladas. Quanto dinheiro eu deveria gastar em ferramentas e treinamento? Eu suponho que uma boa regra é investir 1% do custo de substituição total de todas as suas máquinas rotativas em ferramentas e treinamento em alinhamento como um valor base anual. Por exemplo, se você tem 20 trens de máquinas na sua planta valendo US$5000,00 cada (total US$ ,00) então você deveria investir US$ 1.000,00 em alinhamento todo ano. Esses gastos deveriam cobrir ferramentas e treinamento e não tempo e materiais necessários para serviços de alinhamento. Como eu posso saber se as empresas terceirizadas estão fazendo alinhamento de modo apropriado? Inclua algumas cláusulas no seu contrato que exijam o fornecer a você os dados iniciais de alinhamento, situações de pé-manco (soft-foot) e as correções efetuadas, runnout lidos nos eixos e cubos, dados de alinhamento final, o quanto as máquinas foram movidas, e a tolerância final de alinhamento. Não se sinta satisfeito com respostas do tipo... Nós usamos relógio comparador ou Nós usamos um laser. Relógios comparadores e lasers não movem máquinas; as pessoas o fazem.

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens A UU L AL A Um conjunto de engrenagens cônicas pertencente a uma máquina começou a apresentar ruídos estranhos. O operador da máquina ficou

Leia mais

ANÁLISE DE VIBRAÇÃO NÍVEL I

ANÁLISE DE VIBRAÇÃO NÍVEL I ANÁLISE DE VIBRAÇÃO NÍVEL I *Eng. Remo Alberto Pierri Transmotor MBC *Eng. Maurício Coronado - GYR Com base na experiência acumulada por vários especialistas em medida e análise de vibrações, serão apresentados

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SOPRADORES TIPO ROOTS DOSITEC SÉRIE Cutes - CR Parabéns por adquirir sopradores roots Dositec, série Cutes - CR, os quais são o resultado de avançado projeto

Leia mais

Um especialista em manutenção preditiva

Um especialista em manutenção preditiva Análise de vibrações A UU L AL A Um especialista em manutenção preditiva foi chamado para monitorar uma máquina em uma empresa. Ele colocou sensores em pontos estratégicos da máquina e coletou, em um registrador,

Leia mais

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE UNP-130408 1 de 6 INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS A vida útil das correntes transportadoras e elevadoras está diretamente ligada aos cuidados com a instalação, lubrificação

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 01 Bombas São máquinas acionadas que recebem energia mecânica de uma fonte motora (máquina acionadora) e a transformam em energia cinética (movimento),

Leia mais

TREINAMENTOS TÉCNICOS

TREINAMENTOS TÉCNICOS 0000 TREINAMENTOS TÉCNICOS TEÓRICOS E PRÁTICOS CONHECIMENTO.TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA A Empresa Ao longo dos 19 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL DE ROLAMENTOS LTDA, tem direcionado

Leia mais

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Mancais De modo geral, os elementos de apoio consistem em acessórios para o bom funcionamento de máquinas. Desde quando o homem passou a

Leia mais

MANUTENÇÃO EM MANCAIS E ROLAMENTOS Atrito É o contato existente entre duas superfícies sólidas que executam movimentos relativos. O atrito provoca calor e desgaste entre as partes móveis. O atrito depende

Leia mais

1. As Máquinas Hidráulicas de Fluxo

1. As Máquinas Hidráulicas de Fluxo 1. As Máquinas Hidráulicas de Fluxo Máquina de Fluxo é uma máquina de fluido, em que o escoamento flui continuamente, ocorrendo transferência de quantidade de movimento de um rotor para o fluido que atravessa.

Leia mais

Caminhões basculantes. Design PGRT

Caminhões basculantes. Design PGRT Informações gerais sobre caminhões basculantes Informações gerais sobre caminhões basculantes Os caminhões basculantes são considerados como uma carroceria sujeita à torção. Os caminhões basculantes são

Leia mais

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução 1 Introdução Objetivo Este módulo ajudará os gerentes a identificarem as necessidades de informação, a definirem prioridades, e a determinarem que módulos do PAG APS serão mais úteis para eles. A planilha

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS O acoplamento ACRIFLEX AD, consiste em dois flanges simétricos inteiramente usinados, pinos de aço com superfícies retificadas e buchas amortecedoras de borracha nitrílica à prova

Leia mais

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático 1 Capítulo 2 - Seleção do local para a APU Os passos que devem ser dados desde a concepção de uma aeronave são: 1) No Planejamento: Admitir que a seleção e a instalação da APU são tão importantes quanto

Leia mais

PROBLEMAS RELACIONADOS A MÁQUINAS ROTATIVAS

PROBLEMAS RELACIONADOS A MÁQUINAS ROTATIVAS PROBLEMAS RELACIONADOS A MÁQUINAS ROTATIVAS BERTON JR, J.; ROBERTO, S. B. RESUMO A presente pesquisa consiste no estudo dos problemas do comportamento de máquinas rotativas, tendo em vista a grande utilização

Leia mais

IV SEMINÁRIO DE MANUTENÇÃO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO. Vantagens do Uso do Alinhamento a Laser em Equipamentos de Usinas

IV SEMINÁRIO DE MANUTENÇÃO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO. Vantagens do Uso do Alinhamento a Laser em Equipamentos de Usinas IV SEMINÁRIO DE MANUTENÇÃO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO Vantagens do Uso do Alinhamento a Laser em Equipamentos de Usinas Por que o alinhamento é tão importante? Nos dias de hoje, todos nós estamos sob grande

Leia mais

Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1. 1. Bombas e Motores

Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1. 1. Bombas e Motores Hidráulica móbil aplicada a máquina agrícolas 1 BOMBAS: 1. Bombas e Motores As bombas hidráulicas são o coração do sistema, sua principal função é converter energia mecânica em hidráulica. São alimentadas

Leia mais

MANUTENÇÃO PREDITIVA : CONFIABILIDADE E QUALIDADE.

MANUTENÇÃO PREDITIVA : CONFIABILIDADE E QUALIDADE. 1 MANUTENÇÃO PREDITIVA : CONFIABILIDADE E QUALIDADE. INTRODUÇÃO : Nos últimos anos, têm-se discutido amplamente a gerência de manutenção preditiva. Tem-se definido uma variedade de técnicas que variam

Leia mais

1 ATUADORES HIDRÁULICOS

1 ATUADORES HIDRÁULICOS 1 ATUADORES HIDRÁULICOS Danniela Rosa Sua função é aplicar ou fazer atuar energia mecânica sobre uma máquina, levando-a a realizar um determinado trabalho. Aliás, o motor elétrico também é um tipo de atuador.

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX MN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência a abrasão.

Leia mais

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação A U A UL LA Acoplamento Introdução Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, percebeu um estranho ruído na roda. Preocupada, procurou um mecânico. Ao analisar o problema, o mecânico concluiu que

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial Prof. Daniel Hasse Robótica Industrial Aula 02 - Robôs e seus Periféricos Tipos de Sistemas de Controle Volume de Trabalho Dinâmica e Precisão dos Movimentos Sistemas de Acionamentos Garras Tipos de Sistemas

Leia mais

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1 4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos ACRIFLEX AG são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência

Leia mais

Procedimento de Manutenção Preventiva Mecânica

Procedimento de Manutenção Preventiva Mecânica GOM - GERÊNCIA DE APOIO À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO Procedimento de Manutenção Preventiva Mecânica Edição Data Alterações em relação a edição anterior 1ª 26/06/14 Edição inicial Objetivo A Gerência de Apoio

Leia mais

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias

rimetal máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário Máquinas para Baterias máquina codificadora a laser Modelo: TRCL Manual do Usuário ÍNDICE INTRODUÇÃO Apresentação Dados Técnicos Cuidados Segurança Limpeza 2 3 4 5 6 MANUTENÇÃO Instruções Manutenção Preventiva REGULAGEM E AJUSTES

Leia mais

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução

Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Considerações sobre redimensionamento de motores elétricos de indução Artigo publicado na revista Lumiere Electric edição nº 166 Aplicações de investimentos dentro das empresas sempre são questionadas

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO 1 1. AVISOS Leia este manual cuidadosamente antes de instalar e operar o equipamento. A operação da máquina deve estar de acordo com as instruções

Leia mais

Dist. da linha saída à 1ª barreira

Dist. da linha saída à 1ª barreira TÉCNICA DAS CORRIDAS COM BARREIRAS Antes de mais nada podemos dizer que as corridas com barreiras são provas de velocidade rasa porque, muito embora o barreiristas se depare com uma série de barreiras

Leia mais

Introdução Análise de Vibração

Introdução Análise de Vibração 1 Introdução Análise de Vibração 1-1 MANUTENÇÃO CORRETIVA ou REATIVA (Quebra Repara) È o tipo de Manutenção que ocorre após a quebra do equipamento. Atua somente após a ocorrência da Falha. PREVENTIVA

Leia mais

DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES

DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES DEFEITOS EM BOMBAS CENTRIFUGA E SOLUÇÕES simples multiestágio BOMBEAMENTO INSUFICIENTE E NULO VAZÃO OU PRESSÃO NULAS OU INSUFICIENTE VÁLVULA PRESA OU ENTUPIDA ROTOR FURADO, ENTUPIDO OU COM DESGASTE EXECESSIVO

Leia mais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais Seleção do 2. Seleção do Os s e de estão disponíveis numa variedade de tipos, formas e dimensões. Quando se faz a correta seleção do para a sua aplicação, é importante considerar diversos fatores, e analisar

Leia mais

CONVERSOR DE TORQUE PRINCIPIO DE FUNCIONAMENTO

CONVERSOR DE TORQUE PRINCIPIO DE FUNCIONAMENTO CONVERSOR DE TORQUE PRINCIPIO DE FUNCIONAMENTO Em matérias anteriores, conhecemos algumas noções básicas do funcionamento de uma transmissão automática, com seus componentes principais, informando ao técnico

Leia mais

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA)

ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA) ACOPLAMENTO ELÁSTICO MADEFLEX CR (COM CRUZETA) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX CR são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM...

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM... Motores H-Compact COMPACTO, REFRIGERAÇÃO EFICIENTE A importância crescente da economia de energia, dos requerimentos ambientais, da procura por dimensões menores e das imposições dos mercados nacionais

Leia mais

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS)

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS) ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX GR (COM GARRAS) CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX GR são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre

Leia mais

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN

ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN ACOPLAMENTOS ELÁSTICOS MADEFLEX MSN CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos MADEFLEX MSN são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido nodular, e um elemento poliuretano alojado entre eles

Leia mais

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES

ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES ANÁLISE TEÓRICO-EXPERIMENTAL DE BANCADA DIDÁTICA PARA BALANCEAMENTO ESTÁTICO E DINÂMICO DE ROTORES Sandro E. L. da Silva sandroels@bol.com.br Antonio A. Silva almeida@dem.ufcg.edu.br Marco A. da S. Irmão

Leia mais

Seção 12 Conjunto do motor

Seção 12 Conjunto do motor Seção 12 Conjunto do motor Página CONJUNTO DO MOTOR... 164 Instalação do virabrequim... 164 Instale o pistão e a biela... 164 Instalação do eixo de cames... 164 Instalação da bomba de óleo... 165 Instalação

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÕES DO ALINHADOR ALD300

MANUAL DE OPERAÇÕES DO ALINHADOR ALD300 MANUAL DE OPERAÇÕES DO ALINHADOR ALD300 1. Introdução O Alinhador ALD300 foi desenvolvido para verificação e ajuste do sistema de direção de veículos automotivos leves, através do sistema ótico. O sistema

Leia mais

Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV

Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV 1ª Edição (v1.4) 1 Um projeto de segurança bem feito Até pouco tempo atrás o mercado de CFTV era dividido entre fabricantes de alto custo

Leia mais

Cuidados na Instalação

Cuidados na Instalação Cuidados na Instalação Os principais cuidados na instalação referem-se a: Localização da Bomba Fundação/Base Alinhamento Nivelamento/Fixação à Base/Grouting Acoplamento às Tubulações Instalação Final/Partida

Leia mais

VARREDEIRA ZE072. Manual de serviço

VARREDEIRA ZE072. Manual de serviço VARREDEIRA ZE072 Manual de serviço A varredeira ZE072 foi desenvolvida para trabalhos na construção civil, de manutenção em estradas, ou locais que necessitem o mesmo sistema de remoção de resíduos. Qualquer

Leia mais

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA ALGODEN INSTRUÇÕES GERAIS Antes de colocar em operação o equipamento, este deve funcionar em vazio durante algum tempo. Neste período deve se dar atenção nos diferentes pontos de lubrificação. Durante

Leia mais

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.

12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO. Realização. 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com. 12 de maio de 2015 - Belo Horizonte (MG) PROJETO PREMIADO Realização 11 3895-8590 eventos@revistaminerios.com.br www.revistaminerios.com.br Negócio: Alumínio MANUTENÇÃO RETOMADORA B3RT02 Unidade: VM/CBA-Fábrica

Leia mais

20. CHASSI INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 20-1 DESCRIÇÃO 20-2 INSPEÇÃO 20-4 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 20-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 20-1

20. CHASSI INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 20-1 DESCRIÇÃO 20-2 INSPEÇÃO 20-4 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 20-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 20-1 20. CHASSI INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 20-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 20-1 DESCRIÇÃO 20-2 INSPEÇÃO 20-4 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO Embora seja possível reparar trincas no chassi por meio de soldagem ou alinhar chassis

Leia mais

CORTINA DE AR INTERNATIONAL

CORTINA DE AR INTERNATIONAL CORTINA DE AR INTERNATIONAL A: MANUTENÇÃO PERIÓDICA DE CORTINA DE AR 3 TAMPA PONTA 2 TAMPA CENTRAL 4 1 FIG. 01 TAMPA DO MOTOR TELAS DE SUCÇÃO DE AR A) LIMPEZA DA TELA DE SUCÇÃO DE AR ( 4 ) A.1) - SUJEIRA

Leia mais

Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO

Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO Detecção de falha em compressor de parafuso através da análise de vibrações 1 - INTRODUÇÃO A globalização hoje se estende no mundo em todos os seus setores e mais do que nunca na indústria mundial, seja

Leia mais

13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE

13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE 167 13 TUBULAÇÕES DE REFRIGERANTE As tubulações de refrigerante representam uma parte essencial no sistema de refrigeração, pois requer as mesmas considerações gerais de projeto que qualquer sistema de

Leia mais

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a Página 1 1 Como escrever um Estudo de Caso O que é um estudo de caso? Um estudo de caso é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a lembre-se de escrever um estudo de caso é que o caso

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO AGA-TEC Indústria, Comércio e Manutenção Ltda. R: Danilo Valbuza, 703 - Laranjeiras 07700-000 Caieiras / SP - Brasil Tels /Fax: (11) 4441 8353 / 8309 / 8247 / 8502 E-mail: agatecvendas@terra.com.br MANUAL

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

APRESENTAÇÃO CHEGADA À OBRA. Recebimento

APRESENTAÇÃO CHEGADA À OBRA. Recebimento APRESENTAÇÃO Seu ventilador centrífugo ou axial, foi cuidadosamente projetado e construído, de modo a lhe oferece um desempenho longo e satisfatório, sempre que corretamente instalado, e adequadamente

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Vedação => TC. Vedação => TA. Vedação => TG. Vedação => TS

Vedação => TC. Vedação => TA. Vedação => TG. Vedação => TS Montagem das caixas SNHL Vedação => TC Vedação => TA Vedação => TG Vedação => TS Burger S/A Industria e Comércio Técnica/di 15/05/2009 66 Vedação TC Vedadores de Feltro TC Os vedadores são constituídos

Leia mais

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Lavador de Ar

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Lavador de Ar Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção ISO 9001:2008 VENTEC AMBIENTAL EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES LTDA Rua André Adolfo Ferrari, nº 550 - Distrito Industrial Nova Era - Indaiatuba - São Paulo

Leia mais

APRENDA FÍSICA BRINCANDO NO PARQUE GUANABARA

APRENDA FÍSICA BRINCANDO NO PARQUE GUANABARA Programa Interdisciplinar de Física Para Escolas do Ensino Médio de Minas Gerais APRENDA FÍSICA BRINCANDO NO PARQUE GUANABARA Parque de Diversões Guanabara LTDA Av. Otacílio Negrão de Lima 3.333 - Pampulha

Leia mais

Redução do consumo de energia em motores elétrico. Redução do consumo de energia em motores elétricos

Redução do consumo de energia em motores elétrico. Redução do consumo de energia em motores elétricos Redução do consumo de energia em motores elétricos Estudos indicam que 50% de todas as máquinas quebram por desalinhamento. Algumas pesquisas indicam que mais de 90% das máquinas funcionam fora das tolerâncias

Leia mais

É usual dizer que as forças relacionadas pela terceira lei de Newton formam um par ação-reação.

É usual dizer que as forças relacionadas pela terceira lei de Newton formam um par ação-reação. Terceira Lei de Newton A terceira lei de Newton afirma que a interação entre dois corpos quaisquer A e B é representada por forças mútuas: uma força que o corpo A exerce sobre o corpo B e uma força que

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 045 REVISÃO 00

MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 045 REVISÃO 00 MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 045 REVISÃO 00 B12-084 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. INFORMAÇÕES GERAIS... 3 2.1. DIMENSÕES... 3 2.2. DADOS TÉCNICOS... 3 2.3. ACESSÓRIOS... 3 2.4. OPERAÇÃO... 4

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN

MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN * Foto meramente ilustrativa Manual de Instalação e Funcionamento 2 ÍNDICE 1Instalações 1.1 Esquemas Elétricos 2 Operação 2.1 Formas de Operação do Equipamento

Leia mais

Bomba d água rara: a solução é a remanufaturar!

Bomba d água rara: a solução é a remanufaturar! Bomba d água rara: a solução é a remanufaturar! Os primeiros motores faziam uso do sistema de termossifão, que utilizava o aquecimento da própria água para circulá-la pelo motor. Porém, com o aumento da

Leia mais

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice Índice 1.Características Gerais... 2 2.Seleção do Tamanho do Acoplamento... 2 2.1- Dimensionamento dos acoplamentos Henflex HXP para regime de funcionamento contínuo... 2 2.2 Seleção do Acoplamento...

Leia mais

Uma Operação Segura. Dicas de Segurança para Operações em Usina Siderúrgica

Uma Operação Segura. Dicas de Segurança para Operações em Usina Siderúrgica Uma Operação Segura Dicas de Segurança para Operações em Usina Siderúrgica Asegurança em uma usina siderúrgica é sempre prioridade, pois há muitas ocorrências possivelmente perigosas. Alguns exemplos são

Leia mais

Aula 4 Estatística Conceitos básicos

Aula 4 Estatística Conceitos básicos Aula 4 Estatística Conceitos básicos Plano de Aula Amostra e universo Média Variância / desvio-padrão / erro-padrão Intervalo de confiança Teste de hipótese Amostra e Universo A estatística nos ajuda a

Leia mais

THEBE BOMBAS HIDRÁULICAS LTDA

THEBE BOMBAS HIDRÁULICAS LTDA THEBE BOMBAS HIDRÁULICAS LTDA Vargem Grande do Sul, SP INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE BOMBAS HIDRÁULICAS DE FLUXO 1 INTRODUÇÃO Não basta que um conjunto moto-bomba tenha sido bem selecionado e bem

Leia mais

Procedimento de Manutenção Preventiva Elétrica

Procedimento de Manutenção Preventiva Elétrica GOM - GERÊNCIA DE APOIO À OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO Procedimento de Manutenção Preventiva Elétrica Edição Data Alterações em relação a edição anterior 1ª 26/06/14 Edição inicial Objetivo A Gerência de Apoio

Leia mais

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências:

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências: Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Os elevadores de correias a caçambas são os equipamentos mais comuns e econômicos para o movimento vertical de materiais

Leia mais

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS O acoplamento ACRIFLEX AC é composto por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, unidos por um jogo de correias planas fixadas aos cubos através de um flange aparafusado.

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

Galoneira Industrial série ZJ-W562

Galoneira Industrial série ZJ-W562 Galoneira Industrial série ZJ-W562 Instruções de Segurança IMPORTANTE Antes de utilizar sua máquina, leia atentamente todas as instruções desse manual. Ao utilizar a máquina, todos os procedimentos de

Leia mais

Acoplamentos elásticos. eflex. www.aciobras.com.br

Acoplamentos elásticos. eflex. www.aciobras.com.br Acoplamentos elásticos eflex www.aciobras.com.br Os acoplamentos elásticos EFLEX com garras, tipos EA, GA e HA, são utilizados na ligação de eixos rotativos, com desalinhamentos normalmente inevitáveis,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL PARA SOLDA ELÉTRICA MODELO O - MOTOR PERKINS

MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL PARA SOLDA ELÉTRICA MODELO O - MOTOR PERKINS Consulte as Assistências Técnicas Autorizadas acesse: www.bambozzi.com.br/assistec.xls ou ligue: +55 (16) 33833806 / 33833807 MANUAL DE INSTRUÇÕES BAMBOZZI PRODUTOS ESPECIAIS LTDA. Av. XV de Novembro,

Leia mais

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos para Todas as Necessidades da Sua Usina A Solução Perfeita para Qualquer Aplicação Com suas duas fortes marcas, INA e FAG, a qualidade

Leia mais

Atuadores e válvulas

Atuadores e válvulas A UU L AL A Atuadores e válvulas Você já viu nas aulas anteriores que é possível transformar energia elétrica em energia mecânica por meio de uma máquina: o motor elétrico. Na indústria atual, o motor

Leia mais

Acoplamentos de conexão HyCon, HyLoc e HyGrip

Acoplamentos de conexão HyCon, HyLoc e HyGrip Acoplamentos de conexão HyCon, HyLoc e HyGrip Voith Turbo Safeset Somos experts em limitação de torque e acoplamentos de conexão na Voith Turbo. A Voith Turbo, especialista em sistemas de transmissão hidrodinâmica,

Leia mais

3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2

3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2 3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3 O teste de compressão fornece informações importantes sobre a condição mecânica

Leia mais

O que é Integração das Técnicas de Monitoramento?

O que é Integração das Técnicas de Monitoramento? Análise de Vibração + Análise de Óleo O que é Integração das Técnicas de Monitoramento? Programas atuais de monitoramento da gestão das condições de ativos que desejam avançar rumo a uma verdadeira "Manutenção

Leia mais

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado A U A UL LA Lubrificação IV Introdução Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança da caixa de câmbio de um automóvel. Um mecânico verificou que a caixa de câmbio estava com problemas por falta de óleo.

Leia mais

Exercícios Teóricos Resolvidos

Exercícios Teóricos Resolvidos Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Matemática Exercícios Teóricos Resolvidos O propósito deste texto é tentar mostrar aos alunos várias maneiras de raciocinar

Leia mais

Emprego da Termografia na inspeção preditiva

Emprego da Termografia na inspeção preditiva Emprego da Termografia na inspeção preditiva Rafaela de Carvalho Menezes Medeiros* Resumo A prática de manutenção preditiva corresponde hoje a um meio eficaz de antever uma parada do equipamento por motivo

Leia mais

aos elementos de transmissão

aos elementos de transmissão A U A UL LA Introdução aos elementos de transmissão Introdução Um motorista viajava numa estrada e não viu a luz vermelha que, de repente, apareceu no painel. Mais alguns metros, o carro parou. O motorista,

Leia mais

Sumário Serra Fita FAM

Sumário Serra Fita FAM Sumário Serra Fita FAM 1 Componentes... 1 Painel de controle... 1 Sensores de segurança... 2 Especificações... 2 Instalação... 3 Condições Gerais do Local... 3 Rede Elétrica... 3 Instalação da Tomada...

Leia mais

Instalação da Corrente

Instalação da Corrente Instalação da Corrente Nivelando e Alinhando Todos os componentes devem estar nívelados e alinhados corretamente, para que a corrente e as rodas dentadas possa ter um tempo de vida mais longo. As duas

Leia mais

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores Robótica Industrial Projeto de Manipuladores Robôs são os típicos representantes da Mecatrônica. Integram aspectos de: Manipulação Sensoreamento Controle Comunicação 1 Robótica e Mecatrônica 2 Princípios

Leia mais

Detecção de Espiras em Curto do Rotor

Detecção de Espiras em Curto do Rotor Detecção de Espiras em Curto do Rotor Off-line Unidade fora de serviço Custo moderado / alto Sem geração / processo Enrolamento frio Sem vibrações Fonte de alimentação para os testes requerida Off-line

Leia mais

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180

Manual de Instruções e Operação Moinhos USI-180 USIFER A Solução em Moagem Indústria Metalúrgica Ltda. Rua Vêneto, n 969 Bairro Nova Vicenza CEP 95180-000 Farroupilha RS Fones: (54) 3222 5194 Vendas (54) 3261 7356 Fábrica e-mail: usifermoinhos@usifermoinhos.com.br

Leia mais

Dicas de Ecoeficiência. santander.com.br/sustentabilidade

Dicas de Ecoeficiência. santander.com.br/sustentabilidade Dicas de Ecoeficiência santander.com.br/sustentabilidade água Torneira aberta Cada minuto utilizado para escovar os dentes com a torneira aberta, é gasto de 12 a 20 litros de água. Por isso, recomenda-se

Leia mais

Sua Tríplice de um Curso de Sucesso

Sua Tríplice de um Curso de Sucesso Sua Tríplice de um Curso de Sucesso Um guia para identificar a sua grande idéia para um curso on-line Todo curso on-line de sucesso começa como uma idéia... Existem muitas formas de se identificar idéias

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Curso de Engenharia de Produção Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Mancais: São elementos de máquinas que suportam eixo girante, deslizante ou oscilante. São classificados em mancais de: Deslizamento

Leia mais

Segurança em Operações com Pórticos Hidráulicos

Segurança em Operações com Pórticos Hidráulicos Segurança em Operações com Pórticos Hidráulicos INTRODUÇÃO A UM SISTEMA DE PÓRTICO HIDRÁULICO Os pórticos hidráulicos são um tipo de equipamento extremamente útil para o içamento e movimentação de cargas

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ

SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ Dayse Duarte Tenorio Diretoria Acadêmica de Eletrotécnica IFRN Campus Mossoró E-mail: dayse_tenoro_d@hotmail.com Lucas Duarte Almeida Departamento

Leia mais

Resultados da Lubrificação Automatizada no segmento do concreto

Resultados da Lubrificação Automatizada no segmento do concreto UM GUIA PARA A MELHOR LUBRIFICAÇÃO VOLUME 20, NO.1 Resultados da Lubrificação Automatizada no segmento do concreto A fabricação e a venda de concreto é um negócio difícil. Equipamento pesado, material

Leia mais

Treinamentos técnicos

Treinamentos técnicos Treinamentos técnicos CONHECIMENTO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO A Empresa Ao longo dos 18 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL DE ROLAMENTOS LTDA, tem direcionado seu crescimento e desenvolvimento

Leia mais

TEK LINE geometria veicular www.tekline.com.br

TEK LINE geometria veicular www.tekline.com.br Alguns dos dispositivos mostrados neste manual são opcionais ou específicos podendo não acompanhar seu equipamento.o cliente dentro de suas necessidades é quem descreve o tipo de geometria que deseja fazer

Leia mais

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida 1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida O Que Determina o Sucesso de Uma Dieta? Você vê o bolo acima e pensa: Nunca poderei comer um doce se estiver de dieta. Esse é o principal fator que levam

Leia mais

Polias e correias I. Como Ernesto resolveu o problema da correia e da polia? Polias e correias é o tema desta aula.

Polias e correias I. Como Ernesto resolveu o problema da correia e da polia? Polias e correias é o tema desta aula. Polias e correias I A UU L AL A O número de rotações por minuto (rpm) executado por uma furadeira de coluna não estava compatível com a necessidade exigida pelo trabalho. O número de rotações desenvolvido

Leia mais

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO Cassetes Os cassetes laminadores são micro cadeiras de laminação, que substituem as fieiras nas máquinas de trefilação. Seu surgimento no

Leia mais

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição.

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. De acordo com a Norma NBR 1001, um grande número de fatores influência a freqüência de calibração. Os mais importantes,

Leia mais

TEKNIKAO. Balanceadora NK750. Manual de Instruções. São Paulo

TEKNIKAO. Balanceadora NK750. Manual de Instruções. São Paulo Balanceadora Manual de Instruções São Paulo 2013 ÍNDICE Ao Proprietário... 3 Ao Operador... 3 Trabalho com Segurança... 4 Cuidados Especiais... 4 Especificações Técnicas... 6 Dados Técnicos... 6 Dimensões

Leia mais

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração A UU L AL A Respiração A poluição do ar é um dos problemas ambientais que mais preocupam os governos de vários países e a população em geral. A queima intensiva de combustíveis gasolina, óleo e carvão,

Leia mais