Respeitando o Passado, Vivendo o Presente, Modelando o Futuro! FECAP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Respeitando o Passado, Vivendo o Presente, Modelando o Futuro! 30.9.08 FECAP"

Transcrição

1 Respeitando o Passado, Vivendo o Presente, Modelando o Futuro! FECAP 1

2 Vídeos mo gk&feature=related FECAP 2

3 Fórum de Relações Internacionais - FECAP Mesa A Participação do Exército Brasileiro em Missões de Paz Capitão Valério Luiz Lange Exército Brasileiro FECAP 3

4 UNFICYP United Nations Peacekeeping Force in Cyprus FECAP 4

5 Objetivo Apresentar uma rápida visão sobre a participação de um militar brasileiro em uma Missão de Paz da ONU junto a um Batalhão de Força de Paz Argentino Chipre 1999 aos alunos de graduação em RI e de outros cursos com inspiração internacional FECAP 5

6 Chipre FECAP 6

7 UNFICYP s s mandate (a) As given in resolution 186 (1964), is to use its best efforts to: prevent a recurrence of fighting; contribute to the maintenance and restoration of law and order; contribute to a return to normal conditions FECAP 7

8 UNFICYP s s mandate (b) Resolution 1568 (2004) endorses the Secretary- General's recommendations as outlined in his report of 24 September 2004: "...adopting a more mobile concept of operations, combined with a rationalization of infrastructure and command control, the Force could be reduced by 30 per cent to an overall strength of 860 military personnel..." As at September 2005, 868 military personnel from 12 different countries currently work alongside 69 police officers and 150 locally and internationally-recruited civilians FECAP 8

9 FECAP 9

10 FECAP 10

11 FECAP 11

12 CHIPRE (UNFICYP) (a) Força a Tarefa Argentina no Chipre (FTA) 13 Preparação prévia no CAECOPAZ (Argentina) Localização da ilha de Chipre no Mar Mediterrâneo Problemas históricos entre a Grécia e a Turquia Comunidades Independência da Ilha (1960) Arcebispo Makarius UNFICYP (1964) Invasão Turca 1974 Atividades operacionais do Batalhão Argentino Trabalho na Seção de Operações Relacionamento Argentina x Reino Unido Resquício da Guerra Fria MERCOSUL militares de vários v países da Am. do Sul Experiência pessoal de vida FECAP 12

13 CHIPRE (UNFICYP) (b) Sistema ONU Logística Recursos financeiros Diplomacia Civil Affairs Fronteira Ocidente e Oriente Cristãos Ortodoxos e Muçulmanos Gregos e Turcos Europa, África e Ásia PKK Forte influência britânica (em toda a ilha), grega (Sul) e turca (Norte) Exército Argentino Desafio e amizade FECAP 13

14 FECAP 14

15 O preparo para Missões de Paz (a) Comando de Operações Terrestres (COTER); Centro de Preparação e Avaliação para Operações de Paz do Exército Brasileiro (CEPAEB); 5ª Subchefia do Estado-Maior do Exército; Observadores Militares, Oficiais de Estado- Maior e Tropa; DPKO sede da ONU (dois oficiais); FECAP 15

16 O preparo para Missões de Paz (b) Exercícios conjuntos na América do Sul Forças Unidas, SUR 99, Op Cruzeiro do Sul, Iguaçu I Seminários Am. do Sul, Reino Unido, EUA (1999 e 2005) Relacionamento com ONG e conceitos doutrinários Observadores e Oficiais EM processo de seleção rigoroso Centro de Instrução para Operações de Paz (CIOPAZ) Rio de Janeiro (2006) maturação inserção no MD auxílio no preparo da tropa FECAP 16

17 Questionamentos (a) Como a formação acadêmica, essencialmente multidisciplinar, do profissional graduado em RI pode contribuir nesta área? Quais vantagens apresenta? R. Proporcionando flexibilidade no enfrentamento de diferenças culturais, facilitando a negociação. Quais as principais vantagens do internacionalista, enquanto o elemento aglutinador ideal no que se refere a compatibilizar as visões de diplomatas, militares, agentes de organizações internacionais e juristas em torno de uma negociação? R. Novamente Flexibilidade, firmeza de propósitos, visão balanceada, dentre outros tantos FECAP 17

18 Questionamentos (b) Como o profissional de RI poderia se inserir em temáticas derivadas dos conflitos armados no sistema internacional? R. Fontes iniciais: Ministério da Defesa; CIOPAZ; Biblioteca da ECEME; COTer, ONU, dentre outros. Mais adiante: vivendo fora do Brasil por um tempo. Quais os desafios apresentados pelas barreiras culturais? Como o internacionalista pode agir para compreendê-las e amenizá-las? R. Ignorância, Vaidade, interesses escusos. Por meio do Conhecimento, paciência, franqueza e do diálogo (fundamental). Andar, preferencialmente, em dupla FECAP 18

19 Questionamentos (c) O quão eficiente é a burocracia destas organizações? O internacionalista é um profissional capaz de lidar com ela? R. Discutível. Pensar o que é atividade-fim e o que é atividade-meio. Elemento difícil de lidar de forma individual. Que novas questões fazem parte de sua agenda? Como o internacionalista é capaz de lidar com elas? R. Indústria de Defesa. Conhecendo bem o nosso BRASIL, nossa cultura e valores e como podemos aprimorar a inserção do País neste mundo VOLÁTIL, COMPLEXO, INCERTO e AMBÍGUO da atualidade FECAP 19

20 Aspectos Importantes Viagens Idiomas Conhecimento de História Diferenças culturais Intercâmbios Idiossincrasias nacionais Interesses e pressões Brasil Negociação FECAP 20

21 FECAP 21

22 Conclusão FECAP 22

23 Cipriotas gregos e turcos comemoram abertura de passagem simbólica 03/04-14:22 AFP Um novo ponto de passagem na região que simbolizou por décadas a divisão do Chipre foi aberto nesta quinta-feira em meio a uma grande comemoração em Nicósia, permitindo vislumbrar um novo panorama nos esforços de reunificação da ilha. 25th July 2008, 04:34 pm The Cypriot leaders have agreed to start full-fledged talks on 3 September. The decision came following a relatively brief meeting two and a half hours, as opposed to four and a half for the previous one on 1 July. The leaders also agreed a package of measures aimed at making life easier for Cypriots on both sides of the Green Line. Among these, and very importantly for the drought-stricken island, is a campaign to incite people to save water. The two sides will also try to come up with a recommendation on the exchange of information and intelligence on crime and criminal matters. In the Zone UNFICYP blog FECAP 23

24 Muito Obrigado! FECAP 24

25 Major Valério Luiz Lange (11) Exército Brasileiro Comando da 2a Região Militar São Paulo SP FECAP 25

26 Respeitando o Passado, Vivendo o Presente, Modelando o Futuro! FECAP 26

27 FECAP 27

Os BRICS e as Operações de Paz

Os BRICS e as Operações de Paz Os BRICS e as Operações de Paz Policy Brief #3 Núcleo de Política Internacional e Agenda Multilateral BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS Maio de 2011 Os BRICS e as Operações de Paz

Leia mais

Geografia 03 Blocos Economicos 02 - Por Tabata Sato

Geografia 03 Blocos Economicos 02 - Por Tabata Sato Geografia 03 Blocos Economicos 02 - Por Tabata Sato União Europeia A Turquia apresentou o pedido de adesão em 1987 É candidata oficialmente desde 1999 Mas as negociações começaram apenas em 2005 União

Leia mais

Curriculum Vitae. Resumo Profissional. Projetos Principais (atuação) Heitor Freire de Abreu. majheitor@gmail.com (21) 981650127

Curriculum Vitae. Resumo Profissional. Projetos Principais (atuação) Heitor Freire de Abreu. majheitor@gmail.com (21) 981650127 Heitor Freire de Abreu majheitor@gmail.com (21) 981650127 Curriculum Vitae Resumo Profissional Doutorado na área de Logística Militar Terrestre, Especialista em Logística Empresarial pela Fundação Getúlio

Leia mais

PROC. Nº 6203/07 PLL Nº 183/07 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PROC. Nº 6203/07 PLL Nº 183/07 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Irani Flôres de Siqueira nasceu em Montenegro/RS, em 11 de fevereiro de 1936, filho de Mozart Noronha de Siqueira e de Cassilda Flôres de Siqueira. É casado com Lourdes Beatriz Pereira

Leia mais

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL COMANDANTE DO EXÉRCITO ÓRGÃOS DE ASSESSORAMENTO DO COMANDANTE Gabinete do Comandante do Exército Secretaria-Geral do Exército Centro de Inteligência do Exército Centro de Comunicação Social do Exército

Leia mais

A ATUAÇÃO DO BRASIL NA MISSÃO DE PAZ NO TIMOR LESTE

A ATUAÇÃO DO BRASIL NA MISSÃO DE PAZ NO TIMOR LESTE 1º Ten Al BERNARDINO GOMES JÚNIOR A ATUAÇÃO DO BRASIL NA MISSÃO DE PAZ NO TIMOR LESTE RIO DE JANEIRO 2008 G633a Gomes Júnior, Bernardino. A atuação do Brasil na missão de paz no Timor Leste /. - Bernardino

Leia mais

ESCOLA DE DEFESA. Pesquisa em Estudos da Paz e da Guerra. Prof. Dr. Carlos Frederico Coelho cafrecoelho@gmail.com 08 Jul 2015

ESCOLA DE DEFESA. Pesquisa em Estudos da Paz e da Guerra. Prof. Dr. Carlos Frederico Coelho cafrecoelho@gmail.com 08 Jul 2015 ESCOLA DE DEFESA Pesquisa em Estudos da Paz e da Guerra Prof. Dr. Carlos Frederico Coelho cafrecoelho@gmail.com 08 Jul 2015 Prof. Carlos Coelho - Graduação em Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR Maslow e as necessidades humanas: A preocupação com a segurança. Qualificando a palavra segurança : Conceito

Leia mais

INTRODUÇÃO. Prezados Delegados,

INTRODUÇÃO. Prezados Delegados, 0 INTRODUÇÃO Prezados Delegados, Este material auxiliar servirá de auxílio no estudo para a simulação do comitê, funcionando como um pontapé inicial nas pesquisas complementares ao Guia de Estudos que

Leia mais

Mulheres, Paz e Segurança no Brasil Construindo pontes e superando desafios

Mulheres, Paz e Segurança no Brasil Construindo pontes e superando desafios UMA PUBLICAÇÃO DO INSTITUTO IGARAPÉ RELATÓRIO POS EVENTO - MAIO DE 2014 Mulheres, Paz e Segurança no Brasil Construindo pontes e superando desafios Brasília, 13 de março de 2014 Instituto Rio Branco Apresentação

Leia mais

Retsudvalget 2013-14 REU Alm.del Bilag 408 Offentligt. National Unit for Drugs Trafficking Fighting

Retsudvalget 2013-14 REU Alm.del Bilag 408 Offentligt. National Unit for Drugs Trafficking Fighting Retsudvalget 2013-14 REU Alm.del Bilag 408 Offentligt National Unit for Drugs Trafficking Fighting Lisbon, September 22, 2014 Proposed agenda The Portuguese Criminal Police The Drugs Trafficking Investigation

Leia mais

OBJETIVO. Conhecer a Sistemática de Planejamento Estratégico do Exército (SIPLEx)

OBJETIVO. Conhecer a Sistemática de Planejamento Estratégico do Exército (SIPLEx) 06 ABR 15 OBJETIVO Conhecer a Sistemática de Planejamento Estratégico do Exército (SIPLEx) SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. O CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DO EXÉRCITO (CEEEx) 3. A REDE DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS

Leia mais

NA ÚLTIMA SEMANA do inverno

NA ÚLTIMA SEMANA do inverno Projeto de Força do Futuro Coronel Ramon Marçal da Silva, Exército Brasileiro NA ÚLTIMA SEMANA do inverno norte-americano, cem líderes do Exército dos Estados Unidos da América (EUA) e do Departamento

Leia mais

INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR (Versão 24/10/2011)

INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR (Versão 24/10/2011) Seminário 09 A AMAZÔNIA E SUAS FRONTEIRAS NO CONTEXTO DA INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR (Versão 24/10/2011) Objetivo: Em consonância com a Política Externa do Governo Federal de Integração

Leia mais

HÁ TEMPOS QUE o homem se utiliza

HÁ TEMPOS QUE o homem se utiliza A Ética das Operações Psicológicas Tenente-Coronel Clynson Silva de Oliveira, Exército Brasileiro HÁ TEMPOS QUE o homem se utiliza de artifícios para atingir o imaginário coletivo da sociedade, com o objetivo

Leia mais

Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus,

Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus, Unidades Especializadas de Polícia do Exército Polonês General Boguslaw Pacek, Exército Polonês Na atual Polônia, como na maioria dos países europeus, não há medo de agressão armada por parte de estados

Leia mais

Steinmeier, MNE da Alemanha: Sabemos que o caminho tem sido difícil

Steinmeier, MNE da Alemanha: Sabemos que o caminho tem sido difícil ESPECIAIS Steinmeier, MNE da Alemanha: Sabemos que o caminho tem sido difícil 27 Maio 2015 Nuno André Martins MNE alemão diz que Portugal "é um exemplo para a Europa", admite que só a negociação deu à

Leia mais

ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO ESCOLA MARECHAL CASTELLO BRANCO CURSO DE PREPARAÇÃO E SELEÇÃO

ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO ESCOLA MARECHAL CASTELLO BRANCO CURSO DE PREPARAÇÃO E SELEÇÃO 1 ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO ESCOLA MARECHAL CASTELLO BRANCO Pesquisa n 1-22 de maio de 2013 CURSO DE PREPARAÇÃO E SELEÇÃO AQUI SÃO SELECIONADOS OS FUTUROS LÍDERES DO EXÉRCITO BRASILEIRO

Leia mais

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Implantação do Programa Visa Waiver. 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Implantação do Programa Visa Waiver 26.11.2013 Audiência pública: Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado Chegadas internacionais Brasil XAmérica Latina Turistas internacionais (milhões)

Leia mais

CAPACIDADE DE DETECÇÃO E CONTROLE DE AMEAÇAS QBNR (EXÉRCITO BRASILEIRO)

CAPACIDADE DE DETECÇÃO E CONTROLE DE AMEAÇAS QBNR (EXÉRCITO BRASILEIRO) CAPACIDADE DE DETECÇÃO E CONTROLE DE AMEAÇAS QBNR (EXÉRCITO BRASILEIRO) O B J E T I V O Apresentar a capacidade de detecção e controle de ameaças Químicas, Biológicas, Organização Nucleares, Radiológicas

Leia mais

Periódicos de Relações Internacionais disponíveis em Brasília

Periódicos de Relações Internacionais disponíveis em Brasília Universidade de Brasília Instituto de Relações Internacionais Programa de Educação Tutorial - PET-REL Periódicos de Relações Internacionais disponíveis em Brasília Periódico Local* Anos disponíveis Breve

Leia mais

Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti. Military Component

Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti. Military Component SUMÁRIO 1. OPERAÇÕES DE PAZ 2. MINUSTAH 3. OPERAÇÕES DE GARANTIA DA LEI E DA ORDEM 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS PARTICIPAÇÃO EM MISSÕES DE PAZ UNEF-I Oriente Médio 47 Mis Paz Mais de 32.000 militares brasileiros

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

Analista diz que bases instaladas no território brasileiro tiveram importância fundamental na 2ª Guerra Mundial

Analista diz que bases instaladas no território brasileiro tiveram importância fundamental na 2ª Guerra Mundial 2ª GUERRA MUNDIAL Novos estudos feitos por um historiador norte americano, revelam que os Estados Unidos teriam cogitado que as forças militares brasileiras, então em combate na Italia, ocupassem a Austria

Leia mais

O recurso da comunicação social na atuação brasileira da operação de paz MINUSTAH

O recurso da comunicação social na atuação brasileira da operação de paz MINUSTAH O recurso da comunicação social na atuação brasileira da operação de paz MINUSTAH Annelise Faustino da Costa 1 RESUMO A atual operação de paz estabelecida pela ONU no Haiti, MINUSTAH, criada em 2004, tem

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA MANUAL DE OPERAÇÕES DE PAZ

MINISTÉRIO DA DEFESA MANUAL DE OPERAÇÕES DE PAZ MINISTÉRIO DA DEFESA MD34-M-02 MANUAL DE OPERAÇÕES DE PAZ 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA ESTADO-MAIOR CONJUNTO DAS FORÇAS ARMADAS MANUAL DE OPERAÇÕES DE PAZ 3 a Edição 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO

Leia mais

Carlos Frederico Pereira da Silva Gama

Carlos Frederico Pereira da Silva Gama Carlos Frederico Pereira da Silva Gama Mudanças institucionais nas atividades relativas às Operações de Manutenção da Paz do sistema ONU do pós-guerra Fria: Adaptação versus Aprendizado DISSERTAÇÃO DE

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DO EXÉRCITO NA MODERNIZAÇÃO DA INFRA - ESTRUTURA FÍSICA BRASILEIRA RESUMO

PARTICIPAÇÃO DO EXÉRCITO NA MODERNIZAÇÃO DA INFRA - ESTRUTURA FÍSICA BRASILEIRA RESUMO PARTICIPAÇÃO DO EXÉRCITO NA MODERNIZAÇÃO DA INFRA - ESTRUTURA FÍSICA BRASILEIRA Mauricio Augusto Cabral Galdino* RESUMO Este artigo trata da participação do Exército Brasileiro no esforço nacional de modernização

Leia mais

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul.

CHIPRE. Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. CHIPRE Chipre é uma ilha com 9.251km². A distância entre os seus extremos Leste e Oeste é de 240 Km e de 100 km entre Norte e Sul. Ocupa uma posição estratégica no Mediterrâneo Oriental próxima das grandes

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA AULA. Conteúdo: Áreas de Tensão no Mundo

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA AULA. Conteúdo: Áreas de Tensão no Mundo Conteúdo: Áreas de Tensão no Mundo Habilidade: Compreender os conflitos atuais existentes entre os países e as principais consequências para as populações. ESTADOS UNIDOS x MÉXICO Muro construído na década

Leia mais

resolução de situações-problema

resolução de situações-problema 1 resolução de situações-problema situação-problema esclarecer a comunidade escolar sobre o papel da onu na resolução dos conflitos mundiais saberes a mobilizar saber Enunciar os objetivos que presidiram

Leia mais

ESCOLA DE DEFESA. Projetos de Pesquisa em Gestão de Defesa. Prof. Dr. Luiz Rogério F. Goldoni. lgoldoni@hotmail.com

ESCOLA DE DEFESA. Projetos de Pesquisa em Gestão de Defesa. Prof. Dr. Luiz Rogério F. Goldoni. lgoldoni@hotmail.com ESCOLA DE DEFESA Projetos de Pesquisa em Gestão de Defesa Prof. Dr. Luiz Rogério F. Goldoni lgoldoni@hotmail.com 08 Jul 2015 Luiz Rogério Franco Goldoni - Doutor em Ciência Política pela UFF (2011); -

Leia mais

RELATÓRIO FINAL 1. ALCANCE

RELATÓRIO FINAL 1. ALCANCE RELATÓRIO FINAL 1. ALCANCE O Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) realizou um workshop sobre MINUSTAH 10 Anos de Êxito, com a participação dos militares dos países que integram esta missão

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

Uma agenda de reformas para o futuro da Europa

Uma agenda de reformas para o futuro da Europa Uma agenda de reformas para o futuro da Europa PRIORIDADES DO GRUPO PPE PARA 2014-2019 A União Europeia enfrenta desafios consideráveis após as eleições europeias. Para além dos milhões de desempregados,

Leia mais

O quinto resgate na zona do euro: A vez do Chipre 1. The fifth bailout in the Eurozone: The time of Cyprus

O quinto resgate na zona do euro: A vez do Chipre 1. The fifth bailout in the Eurozone: The time of Cyprus O quinto resgate na zona do euro: A vez do Chipre 1 The fifth bailout in the Eurozone: The time of Cyprus Ariane de Oliveira Saraiva 2 RESUMO O paper tem o objetivo de apresentar as peculiaridades da crise

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO OPERAÇÕES DE PAZ E POLICIAMENTO INTERNACIONAL

CURSO DE EXTENSÃO OPERAÇÕES DE PAZ E POLICIAMENTO INTERNACIONAL CURSO DE EXTENSÃO OPERAÇÕES DE PAZ E POLICIAMENTO INTERNACIONAL 1. OBJETIVOS: 1.1. Objetivo geral: Este curso tem por objetivo criar condições para que os participanantes possam conhecer as operações de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

CONFLITO ARMADO NA UCRÂNIA: Legalidade da Intervenção na Ucrânia

CONFLITO ARMADO NA UCRÂNIA: Legalidade da Intervenção na Ucrânia CONFLITO ARMADO NA UCRÂNIA: Legalidade da Intervenção na Ucrânia Gabriela Paulino de Paula. E-mail: g.paulinodepaula@gmail.com Orientador: João Irineu de Resende Miranda Universidade Estadual de Ponta

Leia mais

Como a JETRO poderá apoiar os exportadores brasileiros

Como a JETRO poderá apoiar os exportadores brasileiros Como a JETRO poderá apoiar os exportadores brasileiros Teiji Sakurai Realização :, SÃO PAULO O que é a JETRO? Órgão oficial de comércio exterior do Japão 1951 Osaka Oficialmente JETRO em 1958 76 escritórios

Leia mais

Operação de Instalações Marítimas

Operação de Instalações Marítimas ENIDH, Abril 2011 Sumário 1 Steering Gear 2 Bow Thrust 3 Propeller Servo 1 Steering Gear 2 Bow Thrust 3 Propeller Servo Steering Gear System Comprises two identical hydraulic systems. Each system includes:

Leia mais

4.2. Globalização, estado-nação e sistemas de ensino em mudança. 4.3. Descentralização, autonomia e sistemas de regulação

4.2. Globalização, estado-nação e sistemas de ensino em mudança. 4.3. Descentralização, autonomia e sistemas de regulação 4.2. Globalização, estado-nação e sistemas de ensino em mudança 4.3. Descentralização, autonomia e sistemas de regulação Globalization may be defined as the process whereby domestic product, capital and

Leia mais

ANTECEDENTES DA RIO + 10

ANTECEDENTES DA RIO + 10 ANTECEDENTES DA RIO + 10 RIO + 5 - evento organizado pela ONG Conselho da Terra, foi realizado no Rio de Janeiro de 13 e 19/3/1997 e teve forte participação empresarial e a presença de apenas 50 ONGs.Como

Leia mais

A questão da Irlanda do Norte

A questão da Irlanda do Norte A presença de vários grupos étnicos e religiosos num determinado país pode desencadear conflitos internos, principalmente quando um desses grupos aspira à conquista de sua autodeterminação política. Enquadraram-se

Leia mais

Unidade III. Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. Cidadania e Movimento

Unidade III. Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. Cidadania e Movimento CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. 2

Leia mais

O 5º BIL NA OPERAÇÃO SÃO FRANCISCO FORÇA DE PACIFICAÇÃO MARÉ

O 5º BIL NA OPERAÇÃO SÃO FRANCISCO FORÇA DE PACIFICAÇÃO MARÉ INFORMATIVO DO 4 TRIMESTRE DE 2014 MISSÃO CUMPRIDA! O 5 BIL NA OPERAÇÃO SÃO FRANCISCO FORÇA DE PACIFICAÇÃO MARÉ 2 O 5 BIL é uma das mais antigas e tradicionais Unidades do Exército Brasileiro. Os seus

Leia mais

Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações

Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações Associad as à Objetivos Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações Resultados concomitantes esperados

Leia mais

10 Edição. Um dos maiores eventos de moda de África / One of the biggest fashion show in Africa

10 Edição. Um dos maiores eventos de moda de África / One of the biggest fashion show in Africa a 10 Edição Um dos maiores eventos de moda de África / One of the biggest fashion show in Africa 10 a Edição Retorno ao Patrocinador / Return Primeiramente ter a imagem de sua marca/produto aliada a um

Leia mais

A INSERÇÃO INTERNACIONAL DO BRASIL E SEUS REFLEXOS PARA A DEFESA. Juliano da Silva Cortinhas Instituto Pandiá Calógeras MD

A INSERÇÃO INTERNACIONAL DO BRASIL E SEUS REFLEXOS PARA A DEFESA. Juliano da Silva Cortinhas Instituto Pandiá Calógeras MD A INSERÇÃO INTERNACIONAL DO BRASIL E SEUS REFLEXOS PARA A DEFESA Juliano da Silva Cortinhas Instituto Pandiá Calógeras MD Palestra UFMS 05/06/2013 CONTEXTO SISTÊMICO Maior complexidade da agenda internacional

Leia mais

Guerra por domínio territorial e econômico.

Guerra por domínio territorial e econômico. Guerra da Crimeia Quando: De 1853 até 1856 Guerra por domínio territorial e econômico. Cerca de 595 mil mortos Por que começou: A Rússia invocou o direito de proteger os lugares santos dos cristãos em

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

O COMPONENTE DO DESENVOLVIMENTO NAS INCIATIVAS PÓS-CONFLITO

O COMPONENTE DO DESENVOLVIMENTO NAS INCIATIVAS PÓS-CONFLITO O COMPONENTE DO DESENVOLVIMENTO NAS INCIATIVAS PÓS-CONFLITO ROTEIRO 1. ONU 2. INSTRUMENTOS PARA SOLUÇÃO DE CONFLITOS 3. O BRASIL E AS OPERAÇÕES DE PAZ 4. CONCLUSÃO ANTECEDENTES ANTECEDENTES LIGA DAS NAÇÕES

Leia mais

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio Análise Segurança Prof. Danny Zahreddine 25 de fevereiro de

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação: Mecanismos de Transformação e Fortalecimento da Indústria de Defesa Nacional

Ciência, Tecnologia e Inovação: Mecanismos de Transformação e Fortalecimento da Indústria de Defesa Nacional Ciência, Tecnologia e Inovação: Mecanismos de Transformação e Fortalecimento da Indústria de Defesa Nacional Satoshi Yokota I Seminário Internacional Livro Branco de Defesa Nacional Transformação da Defesa

Leia mais

As Relações Internacionais como Disciplina Acadêmica

As Relações Internacionais como Disciplina Acadêmica As Relações Internacionais como Disciplina Acadêmica Guilherme Gondin Ozias, 5º período No decorrer do dia, lendo o jornal ao acordar, acessando a internet ou assistindo televisão, nos deparamos com noticias

Leia mais

AMCHAM e a Internacionalização de empresas

AMCHAM e a Internacionalização de empresas Defensores da livre iniciativa Representatividade multisetorial e nacional Amplo e diferenciado conteúdo Estabelecer a competitividade de longo prazo Fortalecimento dos canais de influência AMCHAM e a

Leia mais

Roberto Lemos. Belo Horizonte

Roberto Lemos. Belo Horizonte Roberto Lemos O EMPREGO DO POLICIAMENTO OSTENSIVO DE TRÂNSITO E A MOBILIDADE URBANA DURANTE A REALIZAÇÃO DA COPA DO MUNDO DE FUTEBOL DE 2014, EM BELO HORIZONTE. Belo Horizonte 2011 Roberto Lemos O EMPREGO

Leia mais

ERASMUS+ AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o

ERASMUS+ AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o ERASMUS+ E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS CIM ALTO MINHO COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO ALTO MINHO ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE PONTE DE LIMA 17 DE JULHO DE 2014 O projeto

Leia mais

Prof. Ericksson Rocha e Almendra UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO almendra@.superest.ufrj.br

Prof. Ericksson Rocha e Almendra UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO almendra@.superest.ufrj.br ESCOLA POLITÉCNICA COBENGE 2014 (Forum Estudantil) Mobilidade Estudantil Internacional e Nacional Mobilidade Internacional na Escola Politécnica da UFRJ Diretoria Adjunta de Relações Internacionais Cenário

Leia mais

Carga horária total: 360 horas. Dias e horários das aulas: Aulas às terças e quintas, das 18:30h às 22:00h. Professores:

Carga horária total: 360 horas. Dias e horários das aulas: Aulas às terças e quintas, das 18:30h às 22:00h. Professores: Título do Curso: Pós-graduação em Segurança e Defesa Departamento: Ciência Política e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciência Política e Relações Internacionais Dados dos Coordenadores: Gustavo

Leia mais

PRESS RELEASE. Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo

PRESS RELEASE. Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo PRESS RELEASE 8 de Dezembro de 2009 Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo FNABA representou Portugal, em Pequim (China), na First Global Conference da World Business

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO 2º SEMESTRE/2013

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COMISSÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO 2º SEMESTRE/2013 CP019-A ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS PROF. CRISTIANO MORINI 2º SEMESTRE/2013 EMENTA: Classificação das organizações internacionais por natureza, abrangência e funções. Processo decisório. Organizações de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 9 17/10/2013 13:46 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.165, DE 29 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei n o 6.450, de 14 de outubro

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK 1. A vegetação varia de local para local baseada, sobretudo,

Leia mais

O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro

O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro Camila Nogueira 1 Camila Texeira Introdução Com o fim da guerra fria o mundo veio a passar por uma série de mudanças no sistema internacional,

Leia mais

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Programa para Forças Policiais

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Programa para Forças Policiais O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e o Programa para Forças Policiais Antes de falar sobre o trabalho com as forças de segurança, acho interessante apresentar o Comitê Internacional da Cruz

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

A Bandeira da Europa simboliza a União Europeia e também representa a unidade e a identidade da Europa. O circulo de estrelas douradas representa a

A Bandeira da Europa simboliza a União Europeia e também representa a unidade e a identidade da Europa. O circulo de estrelas douradas representa a Após a II Guerra Mundial alguns países europeus tiveram a ideia de se unirem para melhor resolver os seus problemas. Era necessário garantir a paz, reconstruir cidades e reorganizar o comércio. Só com

Leia mais

SOLUÇOES HÍDRICAS MUNDIAIS

SOLUÇOES HÍDRICAS MUNDIAIS SOLUÇOES HÍDRICAS MUNDIAIS 6 º Foro Mundial da Água Março de 2012, Marselha O FORO MUNDIAL DA AGUA O maior evento mundial relacionado com água Objetivos: Reunir todas as partes interessadas para debater

Leia mais

IMAGINE TER DE escolher um cirurgião entre

IMAGINE TER DE escolher um cirurgião entre Como Aprimorar o Desenvolvimento da Liderança no Domínio Operacional Tenente-Coronel Kevin M. Kreie, Exército dos EUA IMAGINE TER DE escolher um cirurgião entre três disponíveis para realizar uma intervenção

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

A VISÃO DE UM CIDADÃO COMUM XX ( O Factor Cipriota )

A VISÃO DE UM CIDADÃO COMUM XX ( O Factor Cipriota ) A VISÃO DE UM CIDADÃO COMUM XX ( O Factor Cipriota ) Nuno Melo A duas semanas das eleições legislativas Gregas, com todo o risco que as mesmas representam para a União Europeia e para a Zona Euro, eis

Leia mais

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Inglês 6º Ano de Escolaridade Prova 06 / 2.ª Fase 7 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. 2014 Prova 06/ 2.ª F.

Leia mais

COMUNICADO FINAL. XXIXª Comissão Bilateral Permanente Washington 5 de Maio de 2011

COMUNICADO FINAL. XXIXª Comissão Bilateral Permanente Washington 5 de Maio de 2011 COMUNICADO FINAL XXIXª Comissão Bilateral Permanente Washington 5 de Maio de 2011 Na 29ª reunião da Comissão Bilateral Permanente Portugal-EUA, que se realizou em Washington, a 5 de Maio de 2011, Portugal

Leia mais

INFORMATIVO DO 2º TRIMESTRE DE

INFORMATIVO DO 2º TRIMESTRE DE INFORMATIVO DO 2º TRIMESTRE DE 2015 5º BIL na operação anhanguera-2015 2 EDITORIAL Nesta edição do nosso Informativo O Itororó apresentaremos as principais atividades realizadas pelo 5º Batalhão de Infantaria

Leia mais

Operações de construção da paz: o caso do Haiti

Operações de construção da paz: o caso do Haiti Operações de construção da paz: o caso do Haiti Sérgio Luiz Cruz Aguilar (UNESP Campus de Marília/SP) FAPESP Projeto Regular Introdução As operações de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) surgiram

Leia mais

Projetar Portugal. Projetar a partir de Portugal. Para

Projetar Portugal. Projetar a partir de Portugal. Para Projetar a partir de Portugal Desenvolvimento de tecnologia associada a novos produtos e serviços na área de energia / mobilidade inteligente Para Projetar Portugal Cooperação com o Brasil na integração

Leia mais

Guerreiros Profissionais

Guerreiros Profissionais Guerreiros Profissionais ZOOM REVISTA DO 1º/4º GAV (NOV 2005) Maj Av Davi Rogério da Silva Castro - COMGAR 1 Estamos sem dinheiro. Portanto, temos que pensar! Lord Ernest Rutherford, pioneiro da Física

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa *Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais

Identificar as Concepções Política e Estratégica do Exército

Identificar as Concepções Política e Estratégica do Exército Identificar as Concepções Política e Estratégica do Exército 1. INTRODUÇÃO - 7ª Subchefia do Estado-Maior do Exército 2. DESENVOLVIMENTO - Concepções Política e Estratégica do Exército 3. CONCLUSÃO Política

Leia mais

ESCOLA DE DEFESA. Linha de Gestão de Defesa. Ariela Leske arieladiniz2@hotmail.com 08 Jul 2015

ESCOLA DE DEFESA. Linha de Gestão de Defesa. Ariela Leske arieladiniz2@hotmail.com 08 Jul 2015 ESCOLA DE DEFESA Linha de Gestão de Defesa Ariela Leske arieladiniz2@hotmail.com 08 Jul 2015 Apresentação pessoal Ariela Diniz Cordeiro Leske Doutora em Economia Profa da linha Pesquisa de Gestão de Defesa

Leia mais

CURRICULUM VITAE JORGE MANUEL DIAS SEQUEIRA. Junho de 2013. Página 1 de 6

CURRICULUM VITAE JORGE MANUEL DIAS SEQUEIRA. Junho de 2013. Página 1 de 6 CURRICULUM VITAE JORGE MANUEL DIAS SEQUEIRA Junho de 2013 Página 1 de 6 Página 2 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO Nome Jorge Manuel Dias Sequeira Data de nascimento 27 de Dezembro de 1966 Morada Rua Dom Jorge da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 93 Exposição na abertura do encontro

Leia mais

AUDIÇÃO PARLAMENTAR PÚBLICA PUBLIC PARLIAMENTARY HEARINGg

AUDIÇÃO PARLAMENTAR PÚBLICA PUBLIC PARLIAMENTARY HEARINGg c o n v i t e i n v i t a t i o n AUDIÇÃO PARLAMENTAR PÚBLICA PUBLIC PARLIAMENTARY HEARINGg PARLAMENTOS UNIDOS NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA AS MULHERES PARLIAMENTS UNITED IN COMBATING DOMESTIC

Leia mais

Projeto de Simulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas - SIMULREL

Projeto de Simulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas - SIMULREL Projeto de Simulação do Conselho de Segurança das Nações Unidas - SIMULREL Idealizador: Curso de Relações Internacionais Centro Universitário de Brasília UNICEUB Responsável: Fernando Paiva Monitor do

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX

TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX TEMA I A EUROPA E O MUNDO NO LIMIAR DO SÉC. XX A supremacia Europeia sobre o Mundo A Europa assumia-se como 1ª potência Mundial DOMÍNIO POLÍTICO Inglaterra, França, Alemanha, Portugal e outras potências

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS 11) China, Japão e Índia são três dos principais países asiáticos. Sobre sua História, cultura e relações com o Ocidente, analise as afirmações a seguir. l A China passou por um forte processo de modernização

Leia mais

GESTÃO DO CICLO DE VIDA DE SISTEMAS MILITARES

GESTÃO DO CICLO DE VIDA DE SISTEMAS MILITARES GESTÃO DO CICLO DE VIDA DE SISTEMAS MILITARES Mauro Guedes Ferreira Mosqueira Gomes Diretor do Arsenal de Guerra do Rio 23 Setembro 2009 SEMINÁRIO INTERNACIONAL Product Lifecycle Management Sumário Introdução;

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES

PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2006 [aprovado em reunião do CC em 11 de Novembro 2005] Introdução O IPRI-UNL definiu como objectivo fundamental para a sua actividade constituir-se como uma estrutura institucional

Leia mais

5º Cabe ao Cmt Mil A a fixação, dentro do limite estabelecido no 4º deste artigo, do acréscimo a que faz jus o militar. (NR)

5º Cabe ao Cmt Mil A a fixação, dentro do limite estabelecido no 4º deste artigo, do acréscimo a que faz jus o militar. (NR) 5º Cabe ao Cmt Mil A a fixação, dentro do limite estabelecido no 4º deste artigo, do acréscimo a que faz jus o militar. (NR)... Art. 2º Estabelecer que esta portaria entre em vigor na data de sua publicação.

Leia mais

Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado

Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado Maximo Pacheco Presidente International Paper do Brasil 34º ANAVE São Paulo, 29 de Setembro de 2009 A indústria de papel de I&E do Brasil

Leia mais

FICHA DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA INVESTIGADOR DO CISDI

FICHA DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA INVESTIGADOR DO CISDI MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL ESTADO-MAIOR GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES MILITARES CENTRO DE INVESTIGAÇÃO DE SEGURANÇA E DEFESA FICHA DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA INVESTIGADOR DO

Leia mais

Reflexões Sobre a Cooperação Internacional

Reflexões Sobre a Cooperação Internacional Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Ministério da Educação Anexos I e II 2º andar Caixa Postal 365 70359-970 Brasília, DF Brasil PLANO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (PNPG) 2005-2010

Leia mais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Cláudio Medeiros Leopoldino Coordenador-Geral Adjunto Brasil: 16.886 km de fronteiras terrestres 10 países vizinhos fronteiras plenamente

Leia mais

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR

FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR FÓRUM ESTADÃO BRASIL COMPETITIVO COMÉRCIO EXTERIOR PAINEL 1 COMO AUMENTAR A PARTICIPAÇÃO DO PAÍS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL E A COMPETITIVIDADE DOS PRODUTOS BRASILEIROS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo,

Leia mais

DOCUMENTO DE INFORMAÇÃO DO II FORO MUNDIAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL

DOCUMENTO DE INFORMAÇÃO DO II FORO MUNDIAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL DOCUMENTO DE INFORMAÇÃO DO II FORO MUNDIAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL ÍNDICE 1. ANTECEDENTES... 2 2. ORGANIZADORES... 2 3. OBJETIVOS DO FÓRUM... 4 4. PARTICIPANTES... 5 5. PROGRAMA E CONTEÚDOS...

Leia mais