Aspectos de Cartografia Temática com apoio de Imagens de Satélites THEOS e WorldView

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aspectos de Cartografia Temática com apoio de Imagens de Satélites THEOS e WorldView"

Transcrição

1 Aspectos de Cartografia Temática com apoio de Imagens de Satélites THEOS e WorldView Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2,3 Ubiratan de Souza Dias Junior 2 Marcelo Francisco Moraes 3 1 Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Faculdade de Engenharia, Rua São Francisco Xavier, B Maracanã - Rio de Janeiro-RJ CEP: Universidade Federal Fluminense UFF Escola de Serviço Social e Instituto de Geociências, Av. Litorânea, s/nº - Niterói-RJ CEP: Globalgeo Geotecnologias Alameda do Ingá, 88-6 andar - Vale do Sereno - N ova Lima-MG - CEP: Resumo O mapeamento de uso da Terra e cobertura vegetal nos municípios de Caraguatatuba e Ubatuba (SP), na escala 1/10.000, encontra-se em desenvolvimento, liderado pelo Departamento de Engenharia Cartográfica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e apoiado pelo Instituto Geológico do Estado de São Paulo (IG/SP). Tal mapeamento digital, auxiliado por imagens do sistema orbital THEOS (Thailand Earth Observation Satellite) e suas bandas pancromática (2 m de resolução espacial) e multiespectrais (15 m), para a época de 2011, tem revelado passos avançados de áreas caracterizadas por ocupação humana, especialmente nas planícies costeiras. O mapeamento pôde observar também áreas de vegetação de Floresta Atlântica e de remanescente de mangue nesse litoral. As atividades turísticas e de serviços crescem, acompanhados de explosão imobiliária, alterando de forma bem expressiva o arranjo da configuração espacial das feições e ambientes costeiros. Desta forma concentraram-se esforços a partir dos documentos cartográficos gerados, de entender parte dos processos de ocupação, na perspectiva de Cartografia Social. Ao mesmo tempo o artigo dedica-se a apresentar e disparar discussões com mapas e cartas geradas a partir de imagens do sistema orbital WorldView-2 de zonas litorâneas nos estados do Rio de Janeiro e de Pernambuco. Palavras-chave: Cartografia, Geografia, THEOS, WorldView. Abstract The land use mapping and vegetation cover in the municipalities of Caraguatatuba and Ubatuba (SP), the scale 1/10.000, is in development, led by the Department of Cartographic Engineering at the State University of Rio de Janeiro (UERJ) and supported the Geological Institute of the State of São Paulo (IG / SP). Such digital mapping, aided system images orbital THEOS (Thailand Earth Observation Satellite) and its panchromatic band (2 m spatial resolution) and multispectral (15 m) for the 2011 season, has revealed advanced steps in areas characterized by occupation human, especially on the coastal plains. The mapping could also observe areas of Atlantic forest vegetation and remnant coastal mangrove that. Tourism activities and services grow, accompanied by real estate boom, changing in a very expressive the arrangement of the spatial configuration of features and coastal environments. Thus concentrated efforts from cartographic documents generated, to understand some of the processes of occupation, from the perspective of Social Cartography. While the article is devoted to presenting and trigger discussions with maps and charts generated from orbital images from WorldView-2 system of coastal areas in the states of Rio de Janeiro and Pernambuco. Key-words: Cartography, Geography, THEOS, WorldView.

2 1. Introdução O mapeamento de uso da Terra e cobertura vegetal nos municípios de Caraguatatuba e Ubatuba (SP), na escala 1/10.000, encontra-se em desenvolvimento, atividade financiada parcialmente pela FAPERJ e FAPESP, liderado pelo Departamento de Engenharia Cartográfica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e apoiado pelo Instituto Geológico da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo (IG/SP). Tal mapeamento digital, auxiliado por imagens do sistema orbital THEOS (Thailand Earth Observation Satellite) e suas bandas pancromática (2 m de resolução espacial) e multiespectrais (15 m), para a época de 2011, tem revelado passos avançados de áreas caracterizadas por ocupação humana, especialmente nas planícies costeiras. O mapeamento em curso pôde observar também remanescentes de áreas de vegetação de Floresta Atlântica e de remanescente de mangue nesse litoral. As atividades turísticas e de serviços crescem nesses municípios, acompanhados de forte explosão imobiliária, alterando de forma bem expressiva o arranjo da configuração espacial das feições e ambientes costeiros naturais, já impactados há décadas. Desta forma concentraram-se esforços a partir dos documentos cartográficos gerados, de interpretar e entender parte dos processos de ocupação, na perspectiva também de Cartografia Social. Ao mesmo tempo este artigo dedica-se a apresentar e disparar discussões com mapas e cartas geradas a partir de imagens do sistema orbital WorldView-2 de zonas litorâneas nos estados do Rio de Janeiro e de Pernambuco, como estudos de caso, também com foco nas áreas de assentamentos humanos. 2. Pressupostos teóricos Com base em estudos profissionais e institucionais realizados nos municípios de Caraguatatuba e Ubatuba (SP) pelo Instituto Geológico da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, em especial o Sistema Integrador de Informações Geoambientais do Litoral de São Paulo Aplicado ao Gerenciamento Costeiro (SIIGAL), observou-se a necessidade de atualização cartográfica dos mapas topográficos e temáticos. O projeto que gerou esta discussão também se dedica a mapeamento, com mesma metodologia, dos municípios fluminenses de Paraty, Angra dos Reis e Mangaratiba. Análises espaciais dependem de cenários e paisagens modificadas através do crescimento populacional e ocorrência acompanhada de dispersão acelerada de obras e edificações impactando expressivamente os ambientes naturais. Planos e planejamentos urbanos, associados a Planos Diretores Municipais, não têm acompanhado às exigências dos equipamentos urbanos necessários para suporte aos serviços essenciais em atendimento às demandas locais, por exemplo: água, esgoto, energia, telefonia, esporte e lazer. Diante de demandas desse tipo investiu-se em executar tal mapeamento, na escala 1/10.000, oportunizando reconhecer e valorizar questões fundamentais sobre estratégias de ação do poder público e também de investidores nesses locais, que crescem em questões sociais e urbanas complexas. Mapeamentos já executados em Araruama (RJ), São João da Barra (RJ) e Teresópolis (RJ), com base em imagens de satélites de alta resolução, por exemplo, serviram de

3 referência para este projeto em curso, nessas duas cidades paulistas e três fluminenses. 3. Metodologia de Trabalho Os mapas e cartas-imagem foram produzidos por meio dos sistemas computacionais SPRING, GlobalMapper e PCI Geomatica, com processamentos envolvendo edição vetorial, correções geométricas, realce/contraste, georreferenciamento, segmentação e classificação supervisionada por crescimento de regiões. O arcabouço metodológico de parte importante do mapeamento digital é ilustrado na Figura 1 a seguir. MAPEAMENTO DIGITAL A PARTIR DE MOSAICO DE IMAGENS SENSORIAIS Arcabouço Metodológico Estabelecimento de áreas prioritárias Levantamentos de dados de população, de relevo e ambientais Processamento e validação de dados espaciais Geração de linhas de contorno Análise da evolução das linhas de contorno Mapeamento de feições geográficas Geração de pontos de controle Georreferenciamento de imagens Classificação digital Banco de dados geração de mapas temáticos Figura 1: Diagrama do arcabouço metodológico. O desenvolvimento de um SIG institucional costeiro é projetado e previsto, e seu escopo está ilustrado na Figura 2 (fases e etapas).

4 Figura 2: Diagrama de fases e etapas de implementação do SIG costeiro. 4. Resultados e Discussão A seguir são apresentados mapas e cartas gerados a partir de imagens dos sistemas orbitais THEOS e WorldView. Figura 3: Carta-imagem da praia do Indaia, Caraguatatuba (SP). Figura 4: Uso da Terra e cobertura vegetal da praia do Indaia, Caraguatatuba (SP). Figura 5: Carta-imagem da praia Grande, Ubatuba (SP). Figura 6: Uso da Terra e cobertura vegetal da praia Grande, Ubatuba (SP).

5 Figura 7: Carta-imagem da praia do Jabaquara, Paraty (RJ). Figura 8: Uso da Terra e cobertura vegetal da praia do Jabaquara, Paraty (RJ). Figura 9: Carta-imagem da praia do Frade, Angra dos Reis (RJ). Figura 10: Uso da Terra e cobertura vegetal da praia do Frade, Angra dos Reis (RJ). Figura 11: Carta-imagem da praia do Saco, Mangaratiba (RJ). Figura 12: Uso da Terra e cobertura vegetal da praia do Saco, Mangaratiba (RJ). A seguir são apresentadas cartas-imagem produzidas no sistema GlobalMapper a partir de imagens do sistema orbital WorldView-2, indicativas de zonas litorâneas de Cabo Frio (RJ) e Porto de Galinhas (PE), onde também se aplicam projetos urbanos apoiados por essas geotecnologias, no sentido de ordenamento territorial. Trata-se de áreas com comprovada explosão imobiliária e supervalorização de espaços públicos para atividades de turismo.

6 Em todos os casos aqui trazidos para a discussão recomendam-se estudos e pesquisas centradas em extração de feições e objetos das imagens, como tarefa primordial para quantificar os zoneamentos urbanos e ambientais. Projetos sociais envolvendo realocação (fluxos e processos) associada a movimentações populacionais devem ter apoio na configuração espacial dos arranjos atuais que se estabeleceram, hoje sem um ordenamento. Desafios em projetos desse tipo se instalam, e cabe ao uso de geotecnologias proporcionarem segurança em métricas nas várias escalas de análise. Iniciativa da UERJ promove estudos com foco em aspectos sociais, em parceria com profissional dessa área, no sentido de concentrar esforços úteis, produtivos e consistentes em direcionar e reorientar projetos urbanos. Figura 13: Carta-imagem de trecho do canal de Itajuru, Cabo Frio (RJ).

7 Figura 14: Litoral de Porto de Galinhas (PE). 5. Conclusões/Considerações finais Aspectos do potencial de uso de imagens THEOS e WorldView-2 apresentados aqui de forma sucinta, permitiram alertar e sinalizar sobre a possibilidade efetiva de investimentos em mapeamento digital profissional em atendimento às demandas urbanas em zonas costeiras. Fez-se notório que esses mapeamentos com a utilização das imagens THEOS na escala 1/10.000, apenas indicaram padrões de uso da Terra e cobertura vegetal, entretanto, revelaram áreas estratégicas de ação onde se instalam crises sociais e ambientais. De forma semelhante, nos casos de Cabo Frio-RJ e Porto de Galinhas-PE, as imagens WorldView-2, com resolução espacial submétrica e sua gama de bandas multiespectrais, trouxeram novidades em mapeamento de zona marinha adjacente à costa, por exemplo, quando há corais presentes em arrecifes. Os sistemas computacionais citados neste artigo, proporcionaram avanços no processamento dessas imagens, especialmente no que concerne a definição de contornos dos objetos e, por conseguinte, tornou-se mais convidativa a execução de testes e ensaios com mais exaustão, além da conseqüente análise dos resultados, no sentido de utilizá-los de forma ampla e mais estendida, uma vez que, com o alcançado detalhamento no mapeamento em relação aos sensores tradicionais de média resolução espacial, surge a complexidade na identificação e estabelecimento de aspectos geométricos das feições geográficas de interesse. Esse é um grande desafio no mapeamento

8 digital. A partir dos mapas e cartas gerados, e do trabalho de campo realizado em janeiro de 2013, é possível relatar o seguinte: A dinâmica da ocupação da planície costeira se da de forma diferente a partir do cenário ao qual ela está exposta. No caso de Ubatuba e Caraguatatuba, tem-se diferentes explosões populacionais de ocupação na costa, evidenciado pela ocupação: (a) Elitista: ocupação no cunho de atender uma demanda da elite social (casos de segunda moradia, status social); (b) População Desassistida: ocupação indevida a fim de atender uma demanda trabalhista, população desprovida de assistência a moradia, tendo que ocupar áreas desapropriadas devido a praias não habilitadas para banho; (c) População Local: vila de pescadores e população que vive de atividades locais. Tais ocupações se dão de diversas maneiras: posse; compra de lotes, terrenos cedidos, dentre outros. A partir de um determinado perfil encontrado, pode-se dialogar a questão do uso da Terra frente à ocupação e à intervenção ao microclima costeiro. Em Ubatuba a especulação imobiliária é muito evidente, tem-se a dos condomínios residenciais que se apropriaram territorialmente de praias, assim como os belos prédios da praia Grande. Em Caraguatatuba tem-se um cenário diferente, caracterizado por população periférica mais próxima à costa (Praia do Canal, por exemplo) e a população pescadora. Observou-se também na investida de trabalho de campo realizada em janeiro de 2013 uma série de empresas de manutenção de barcos a fim de atender às demandas da classe elitista lá instalada há décadas. Referências Bibliográficas GELELETE, G. J. A. Classificação digital de uso da terra e cobertura vegetal de zona costeira em Araruama (RJ) a partir de imagens sensoriais, Projeto de Graduação, Engenharia Cartográfica (UERJ), PEREIRA, M. F. M. Mapeamento digital de zona urbana em Teresópolis (RJ), adjacente ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), a partir de imagens IKONOS II, Projeto de Graduação, Engenharia Cartográfica (UERJ), PINHEIRO, T. C. Mapeamento digital do município de São João da Barra (RJ) com suporte de imagens IKONOS e dados GPS, como requisito para revisão do plano diretor municipal, Projeto de Graduação, Engenharia Cartográfica (UERJ), RIBEIRO, G. P.; DIAS JUNIOR, U. S. Ilhas fluviais e lacustres: aspectos de sua formação e geomorfológicos, Capítulo de livro (no prelo), RIBEIRO, G. P.; DIAS JUNIOR, U. S. Cartografia temática e social no Bonfim, Petrópolis (RJ), X Encontro de Pesquisadores do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), RIBEIRO, G. P. Tecnologias digitais de geoprocessamento no suporte à análise espaço temporal em ambiente costeiro, Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Geografia, UFF, 2005.

MAPEAMENTO DIGITAL E MONITORAMENTO DAS ÁREAS DE MANGUES DO LITORAL FLUMINENSE, ATRAVÉS DE TECNOLOGIAS DIGITAIS DE GEOPROCESSAMENTO E ANÁLISE ESPACIAL

MAPEAMENTO DIGITAL E MONITORAMENTO DAS ÁREAS DE MANGUES DO LITORAL FLUMINENSE, ATRAVÉS DE TECNOLOGIAS DIGITAIS DE GEOPROCESSAMENTO E ANÁLISE ESPACIAL RELATÓRIO TÉCNICO PARCIAL 02 PROJETO DE PESQUISA - FAPERJ EDITAL 04/2010 - PRIORIDADE RIO PROCESSO E-26/110.830/2010 RESPONSÁVEL: GILBERTO PESSANHA RIBEIRO MAPEAMENTO DIGITAL E MONITORAMENTO DAS ÁREAS

Leia mais

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL

METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL METODOLOGIA PARA O GEORREFERENCIAMENTO DE ILHAS COSTEIRAS COMO SUBSÍDIO AO MONITORAMENTO AMBIENTAL Carolina Rodrigues Bio Poletto¹ & Getulio Teixeira Batista² UNITAU - Universidade de Taubaté Estrada Municipal

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DE AMBIENTES COSTEIROS COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES E DADOS GNSS

MAPEAMENTO DIGITAL DE AMBIENTES COSTEIROS COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES E DADOS GNSS MAPEAMENTO DIGITAL DE AMBIENTES COSTEIROS COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES E DADOS GNSS Gilberto Pessanha Ribeiro ¹, ², ³ gilberto@globalgeo.com.br ¹ Globalgeo Geotecnologias www.globalgeo.com.br ² Faculdade

Leia mais

MAPEAMENTO COSTEIRO. DINÂMICA COSTEIRA E MONITORAMENTO GEODÉSICO DA LINHA DE COSTA.

MAPEAMENTO COSTEIRO. DINÂMICA COSTEIRA E MONITORAMENTO GEODÉSICO DA LINHA DE COSTA. MAPEAMENTO COSTEIRO. DINÂMICA COSTEIRA E MONITORAMENTO Prof. Gilberto Pessanha Ribeiro gilberto.pessanha@gmail.com Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Instituto do Mar Campus Baixada Santista www.mapasdigitais.uerj.br

Leia mais

Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2,3 Artur Willcox dos Santos 1,2 Magno de Morais Ferreira 2

Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2,3 Artur Willcox dos Santos 1,2 Magno de Morais Ferreira 2 Processamento e uso de imagens THEOS em mapeamento de áreas urbanas contidas em planícies Quaternárias no litoral de Caraguatatuba e Ubatuba-SP, Paraty, Angra dos Reis e Mangaratiba-RJ Gilberto Pessanha

Leia mais

ANÁLISE ESPACIAL INTEGRADA NO BONFIM, PETROPÓLIS, RJ, APLICADO AO USO DA TERRA E COBERTURA VEGETAL, COM SUPORTE DE GEOTECNOLOGIAS

ANÁLISE ESPACIAL INTEGRADA NO BONFIM, PETROPÓLIS, RJ, APLICADO AO USO DA TERRA E COBERTURA VEGETAL, COM SUPORTE DE GEOTECNOLOGIAS RELATÓRIO TÉCNICO PROJETO DE PESQUISA FAPERJ AUXÍLIO À PESQUISA APQ1 PROCESSO E-26/111.893/2012 RESPONSÁVEL: GILBERTO PESSANHA RIBEIRO ANÁLISE ESPACIAL INTEGRADA NO BONFIM, PETROPÓLIS, RJ, APLICADO AO

Leia mais

MAPEAMENTO TEMÁTICO APOIADO POR IMAGENS LANDSAT E THEOS DE PLANÍCIES COSTEIRAS DO NORTE PAULISTA E DO SUL FLUMINENSE

MAPEAMENTO TEMÁTICO APOIADO POR IMAGENS LANDSAT E THEOS DE PLANÍCIES COSTEIRAS DO NORTE PAULISTA E DO SUL FLUMINENSE p. 001-009 MAPEAMENTO TEMÁTICO APOIADO POR IMAGENS LANDSAT E THEOS DE PLANÍCIES COSTEIRAS DO NORTE PAULISTA E DO SUL FLUMINENSE GILBERTO PESSANHA RIBEIRO 1,2,3 CELIA REGINA DE GOUVEIA SOUZA 4 ARTUR WILLCOX

Leia mais

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento Gilberto Pessanha Ribeiro Engenheiro Cartógrafo - UERJ Mestre em Ciências Geodésicas - UFPR Doutor em Geografia UFF Especialista em Geologia do Quaternário Museu Nacional/UFRJ gilberto@eng.uerj.br gilberto@globalgeo.com.br

Leia mais

PLANO URBANO DO COMPLEXO INDUSTRIAL DO PORTO DO AÇU COM SUPORTE DE MAPAS TEMÁTICOS DIGITAIS GERADOS A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS

PLANO URBANO DO COMPLEXO INDUSTRIAL DO PORTO DO AÇU COM SUPORTE DE MAPAS TEMÁTICOS DIGITAIS GERADOS A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS PLANO URBANO DO COMPLEXO INDUSTRIAL DO PORTO DO AÇU COM SUPORTE DE MAPAS TEMÁTICOS DIGITAIS GERADOS A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS GILBERTO PESSANHA RIBEIRO 1 CRISTIANE RAMOS MAGALHÃES 2 YGOR MOREIRA MEDEIROS

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DA ILHA GRANDE, ANGRA DOS REIS, RJ, APOIADO POR IMAGENS SENSORIAIS E DADOS GPS

MAPEAMENTO DIGITAL DA ILHA GRANDE, ANGRA DOS REIS, RJ, APOIADO POR IMAGENS SENSORIAIS E DADOS GPS MAPEAMENTO DIGITAL DA ILHA GRANDE, ANGRA DOS REIS, RJ, APOIADO POR IMAGENS SENSORIAIS E DADOS GPS Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2 Artur Willcox dos Santos 2 Cláudio Bernardo Reis Vaz 3 Paulo Rodrigo de Aguiar

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DAS DERIVAÇÕES ANTROPOGÊNICAS EM ÁREAS DE MANGUEZAIS EM ARACAJU-SE. Geisedrielly Castro dos Santos¹

ANÁLISE COMPARATIVA DAS DERIVAÇÕES ANTROPOGÊNICAS EM ÁREAS DE MANGUEZAIS EM ARACAJU-SE. Geisedrielly Castro dos Santos¹ NÁLISE COMPRTIV DS DERIVÇÕES NTROPOGÊNICS EM ÁRES DE MNGUEZIS EM RCJU-SE. Geisedrielly Castro dos Santos¹ 1 Mestra e Doutoranda em Geografia, UFS, racaju-se, geisecastrosantos@hotmail.com. RESUMO: Os manguezais

Leia mais

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO

SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO SENSORIAMENTO REMOTO NO USO DO SOLO Ana Luiza Bovoy Jônatas de Castro Gonçalves Thiemi Igarashi Vinicius Chequer e Silva LEVANTAMENTO DA COBERTURA VEGETAL ATRAVÉS DE PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO NAS

Leia mais

PROJETOS DE PESQUISA (ORIENTAÇÃO) (ESTRATÉGIA DE AÇÃO COM OS ALUNOS ORIENTANDOS)

PROJETOS DE PESQUISA (ORIENTAÇÃO) (ESTRATÉGIA DE AÇÃO COM OS ALUNOS ORIENTANDOS) (ORIENTAÇÃO) (ESTRATÉGIA DE AÇÃO COM OS ALUNOS ORIENTANDOS) Prof. Gilberto Pessanha Ribeiro gilberto.unifesp@gmail.com Tel.: (13) 3523-5035, 99777-8337 http://gilbertounifesp.wix.com/home 1 Orientação

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL NA ILHA GRANDE EM APOIO A INVENTÁRIOS RÁPIDOS RAPELD (COMPONENTE PELD - PESQUISAS ECOLÓGICAS DE LONGA DURAÇÃO)

MAPEAMENTO DIGITAL NA ILHA GRANDE EM APOIO A INVENTÁRIOS RÁPIDOS RAPELD (COMPONENTE PELD - PESQUISAS ECOLÓGICAS DE LONGA DURAÇÃO) p. 001-009 MAPEAMENTO DIGITAL NA ILHA GRANDE EM APOIO A INVENTÁRIOS RÁPIDOS RAPELD (COMPONENTE PELD - PESQUISAS ECOLÓGICAS DE LONGA DURAÇÃO) GILBERTO PESSANHA RIBEIRO 1,2 HELENA DE GODOY BERGALLO 1 ARTUR

Leia mais

ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ESTUDOS DE CASO COM EXPLORAÇÃO DESCRITIVA DE ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO NUMA ANÁLISE MORFOMÉTRICA

ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ESTUDOS DE CASO COM EXPLORAÇÃO DESCRITIVA DE ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO NUMA ANÁLISE MORFOMÉTRICA ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ESTUDOS DE CASO COM EXPLORAÇÃO DESCRITIVA DE ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO NUMA ANÁLISE MORFOMÉTRICA Gilberto Pessanha Ribeiro, UFF e UERJ Artur Willcox dos Santos,

Leia mais

LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL*

LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL* LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL* BOLFE, É. L. 1 I. INTRODUÇÃO A necessidade de conhecer os modelos atuais de uso da terra e as modificações

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DA PLANÍCIE COSTEIRA DO RIO PARAÍBA DO SUL E O PORTO DO AÇU, NO NORTE FLUMINENSE

MAPEAMENTO DIGITAL DA PLANÍCIE COSTEIRA DO RIO PARAÍBA DO SUL E O PORTO DO AÇU, NO NORTE FLUMINENSE MAPEAMENTO DIGITAL DA PLANÍCIE COSTEIRA DO RIO PARAÍBA DO SUL E O PORTO DO AÇU, NO NORTE FLUMINENSE Gilberto Pessanha Ribeiro, UERJ/Faculdade de Engenharia; UFF/Instituto de Geociências; Globalgeo Geotecnologias

Leia mais

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor ANÁLISE DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JUQUERY ATRÁVES DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO E IMAGENS DE SENSORIAMENTO REMOTO 1. INTRODUÇÃO Ultimamente tem-se visto uma grande

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO USO E COBERTURA DA TERRA POR DOMÍNIOS GEOMORFOLÓGICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SÃO JOÃO - RIO DE JANEIRO

DISTRIBUIÇÃO DO USO E COBERTURA DA TERRA POR DOMÍNIOS GEOMORFOLÓGICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SÃO JOÃO - RIO DE JANEIRO DISTRIBUIÇÃO DO USO E COBERTURA DA TERRA POR DOMÍNIOS GEOMORFOLÓGICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SÃO JOÃO - RIO Oliveira, P.M.F. 1 ; Silveira, J.L.C. 2 ; Seabra, V.S. 3 ; 1 UERJ-FFP Email:pris.mathias@hotmail.com;

Leia mais

Contagem da População 2015

Contagem da População 2015 Contagem da População 2015 A nossa realidade Um país de dimensões continentais com 8.515.767 km 2, caracterizado por uma diversidade de paisagens ímpar, dos pampas gaúchos até a floresta Amazônica, com

Leia mais

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014 O USO DO GEOPROCESSAMENTO COMO APOIO AO DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO BOM RETIRO, JAÚ SP Fábio César Martins 1, Rafael Aleixo Braga 2, José Carlos Toledo Veniziani Junior 3 1 Tecnólogo

Leia mais

Nesta 2º Circular divulgamos as seguintes informações

Nesta 2º Circular divulgamos as seguintes informações 2ª Circular Nesta 2º Circular divulgamos as seguintes informações 1. Prazos e Normatizações dos EDP s (Espaços de Diálogos e Práticas) 2. Prazos e Normatizações das Oficinas e Mini-Cursos 3. Valores de

Leia mais

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG)

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG) USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO Calderano Filho, B. 1 ; Carvalho Junior, W. 2 ; Prado, R.B. 3 ; Calderano, S.B. 4 ; 1 EMBRAPA - CNPS Email:braz.calderano@embrapa.br; 2 EMBRAPA- CNPS Email:waldir.carvalho@embrapa.br;

Leia mais

GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR

GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR GERAÇÃO DE CARTA IMAGEM DO MUNICÍPIO DE PATO BRANCO-PR Ana Laura Reichert CENTENARO 1, Danielli BATISTELLA 1 Gabriela SUZIN 1, Morgana Gabriela RAYMUNDI 1 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná,

Leia mais

MONITORAMENTO DA CONFIGURAÇÃO ESPACIAL DO SUPERPORTO DO AÇU, SÃO JOÃO DA BARRA, RJ, COM SUPORTE EM MAPEAMENTO APOIADO POR IMAGENS SENSORIAIS

MONITORAMENTO DA CONFIGURAÇÃO ESPACIAL DO SUPERPORTO DO AÇU, SÃO JOÃO DA BARRA, RJ, COM SUPORTE EM MAPEAMENTO APOIADO POR IMAGENS SENSORIAIS p. 001-009 MONITORAMENTO DA CONFIGURAÇÃO ESPACIAL DO SUPERPORTO DO AÇU, SÃO JOÃO DA BARRA, RJ, COM SUPORTE EM MAPEAMENTO APOIADO POR IMAGENS SENSORIAIS GILBERTO PESSANHA RIBEIRO 1,2,3 ARTUR WILLCOX DOS

Leia mais

MAPEAMENTO COSTEIRO COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES THEOS E WORLDVIEW

MAPEAMENTO COSTEIRO COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES THEOS E WORLDVIEW 1 MAPEAMENTO COSTEIRO COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES THEOS E WORLDVIEW Gilberto Pessanha Ribeiro, gilberto.pessanha@gmail.com Artur Willcox dos Santos, arturwillcox@gmail.com Ubiratan de Souza Dias

Leia mais

SIG APOIADO POR IMAGENS WORLDVIEW-2 DESTINADO À ANÁLISE ESPACIAL DE CENÁRIOS URBANOS E COBERTURA VEGETAL NA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO

SIG APOIADO POR IMAGENS WORLDVIEW-2 DESTINADO À ANÁLISE ESPACIAL DE CENÁRIOS URBANOS E COBERTURA VEGETAL NA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO p. 001-0010 SIG APOIADO POR IMAGENS WORLDVIEW-2 DESTINADO À ANÁLISE ESPACIAL DE CENÁRIOS URBANOS E COBERTURA VEGETAL NA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO GILBERTO PESSANHA RIBEIRO 1,2 ARTUR WILLCOX DOS SANTOS

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR DO INSTITUTO DE GEOGRAFIA REFERENTE AO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO DA UERJ

EDITAL COMPLEMENTAR DO INSTITUTO DE GEOGRAFIA REFERENTE AO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO DA UERJ EDITAL COMPLEMENTAR DO INSTITUTO DE GEOGRAFIA REFERENTE AO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO DA UERJ I - A Direção do Instituto de Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

Áreas da cidade passíveis de alagamento pela elevação do nível do mar

Áreas da cidade passíveis de alagamento pela elevação do nível do mar ISSN 1984-7203 C O L E Ç Ã O E S T U D O S C A R I O C A S Áreas da cidade passíveis de alagamento pela elevação do nível do mar Nº 20080901 Setembro - 2008 Maria Luiza Furtado de Mendonça, Luiz Roberto

Leia mais

ANÁLISE DE VULNERABILIDADE À EROSÃO NA MICROBACIA DO RIO BRUMADO (BA) COM EMPREGO DE GEOTECNOLOGIAS

ANÁLISE DE VULNERABILIDADE À EROSÃO NA MICROBACIA DO RIO BRUMADO (BA) COM EMPREGO DE GEOTECNOLOGIAS ANÁLISE DE VULNERABILIDADE À EROSÃO NA MICROBACIA DO RIO BRUMADO (BA) COM EMPREGO DE GEOTECNOLOGIAS Passos, N.O. (UFBA) ; Melo, D.H.C.T.B. (UFBA) RESUMO Apresenta-se os principais resultados obtidos na

Leia mais

1ª Circular XXXI Encontro Estadual de Geografia. Professor, o Bacharel e o Estudante: diferentes ações, as mesmas geografias?

1ª Circular XXXI Encontro Estadual de Geografia. Professor, o Bacharel e o Estudante: diferentes ações, as mesmas geografias? 1ª Circular XXXI Encontro Estadual de Geografia O Professor, o Bacharel e o Estudante: diferentes ações, as mesmas geografias? 18 a 20 de maio de 2012 Universidade Federal de Rio Grande FURG Rio Grande

Leia mais

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO Geog.Ms. Maria G. da Silva Barbalho maria-gsb@sefaz.go.gov.br Conceito Disciplina do conhecimento que utiliza

Leia mais

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING.

ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. ANALISE TEMPORAL DA EVOLUÇÃO URBANA DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ, USANDO O PROGRAMA SPRING. RODRIGUES, Caroline Gomes 1, COSTA, Bruno Lopes ², CORREIA, Mariana Ribeiro³ 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

IMPACTOS DE ATIVIDADES DE MINERAÇÃO NA DINÂMICA FLUVIAL DO RIO ARAQUÁ (SÃO PEDRO SP)

IMPACTOS DE ATIVIDADES DE MINERAÇÃO NA DINÂMICA FLUVIAL DO RIO ARAQUÁ (SÃO PEDRO SP) IMPACTOS DE ATIVIDADES DE MINERAÇÃO NA DINÂMICA FLUVIAL DO Ribeiro, D.F. 1 ; Cunha, C.M.L. 2 ; 1 UNESP Email:dani_ferry@msn.com; 2 UNESP Email:cenira@rc.unesp.br; RESUMO: As atividades mineradoras causam

Leia mais

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006 GEOPROCESSAMENTO E FOTOINTERPRETAÇÃO APLICADOS À ANÁLISE DAS TRANSFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS E ESPACIAIS PROVOCADAS PELO TURISMO NAS COMUNIDADES MASSAGUEIRA/RUA NOVA, MARECHAL DEODORO, ALAGOAS ARAUJO, L.

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL 1. INTRODUÇÃO E REFERENCIAL TEÓRICO A área de geoprocessamento

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA CIVIL PÓS GRADUAÇÃO

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA CIVIL PÓS GRADUAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA CIVIL PÓS GRADUAÇÃO Evolução da mancha urbana em Caraguatatuba no período de 1986 2008 e impactos das mudanças climáticas no litoral norte de

Leia mais

Município de Colíder MT

Município de Colíder MT Diagnóstico da Cobertura e Uso do Solo e das Áreas de Preservação Permanente Município de Colíder MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Julho de 2008 Introdução O município de Colíder está localizado

Leia mais

Mapeamento digital na ilha Grande: desafios em áreas estratégicas

Mapeamento digital na ilha Grande: desafios em áreas estratégicas Mapeamento digital na ilha Grande: desafios em áreas estratégicas 1 G I L B E R T O P E S S A N H A R I B E I R O G I L B E R T O. P E S S A N H A @ G M A I L. C O M C R I S T I A N O D O S S A N T O S

Leia mais

Mapeamento da evolução dos usos e coberturas das terras na bacia do ribeirão das Anhumas Campinas (SP)

Mapeamento da evolução dos usos e coberturas das terras na bacia do ribeirão das Anhumas Campinas (SP) Mapeamento da evolução dos usos e coberturas das terras na bacia do ribeirão das Anhumas Campinas (SP) Samuel Fernando Adami 1 Francisco de Paula Nogueira 1 Jener Fernando Leite de Moraes 1 1 Instituto

Leia mais

Nota de pesquisa ANÁLISE DE PAISAGENS E CARTOGRAFIA TURÍSTICA APLICADAS À INTERPRETAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO DE PIRENÓPOLIS (GO) 1

Nota de pesquisa ANÁLISE DE PAISAGENS E CARTOGRAFIA TURÍSTICA APLICADAS À INTERPRETAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO DE PIRENÓPOLIS (GO) 1 Nota de pesquisa ANÁLISE DE PAISAGENS E CARTOGRAFIA TURÍSTICA APLICADAS À INTERPRETAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO DE PIRENÓPOLIS (GO) 1 ANALYSIS OF LANDSCAPES AND TOURIST CARTOGRAPHY APPLIED A INTERPRETATION

Leia mais

G. P. Ribeiro 1 B. G. Pinna 2 A. W. dos Santos 3

G. P. Ribeiro 1 B. G. Pinna 2 A. W. dos Santos 3 SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) APLICADO À ANÁLISE ESPACIAL INTEGRADA E DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL: ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO/RJ G. P. Ribeiro 1 B. G. Pinna 2 A. W. dos Santos 3

Leia mais

Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço, Cultura e Política (LECGEO)

Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço, Cultura e Política (LECGEO) Vidas exclusivas: Territorialização, transformação dos usos e apropriações da Praia do Paiva-PE Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE TRANUS COMO APOIO À ENGENHARIA DE TRÁFEGO E TRANSPORTE URBANO 1. INTRODUÇÃO Atualmente a tecnologia vem se desenvolvendo cada vez mais rápido para suprir as necessidades da população.

Leia mais

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana.

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana. Cartografia Desde os primórdios o homem tentou compreender a forma e as características do nosso planeta, bem como representar os seus diferentes aspectos através de croquis, plantas e mapas. Desenhar

Leia mais

O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico.

O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico. Ivo Francisco Barbosa¹ Universidade Federal Fluminense ivo_francisco@hotmail.com O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária - SEAPEC Superintendência de Desenvolvimento Sustentável

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária - SEAPEC Superintendência de Desenvolvimento Sustentável GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária - SEAPEC MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE EDITAL De acordo com o Contrato de Empréstimo firmado entre o Banco Internacional para

Leia mais

Bruno Rafael de Barros Pereira 1 Venerando Eustáquio Amaro 1,2 Arnóbio Silva de Souza 1 André Giskard Aquino 1 Dalton Rosemberg Valentim da Silva 1

Bruno Rafael de Barros Pereira 1 Venerando Eustáquio Amaro 1,2 Arnóbio Silva de Souza 1 André Giskard Aquino 1 Dalton Rosemberg Valentim da Silva 1 Análise de dados orbitais multitemporais para avaliação de linha de costa nas áreas adjacentes ao município de Areia Branca/RN, com enfoque na região próxima ao estuário do Rio Apodí-Mossoró. Bruno Rafael

Leia mais

Aplicações de Dados de Satélites com Ênfase em Imagens CBERS

Aplicações de Dados de Satélites com Ênfase em Imagens CBERS Aplicações de Dados de Satélites com Ênfase em Imagens CBERS Paulo Roberto Martini Sessão Especial sobre Produtos e Política de Distribuição de Imagens do INPE XI Simpósio Brasileiro

Leia mais

CAPÍTULO 12 USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO RECURSO DIDÁTICO PEDAGÓGICO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE

CAPÍTULO 12 USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO RECURSO DIDÁTICO PEDAGÓGICO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE INPE-8984-PUD/62 CAPÍTULO 12 USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO RECURSO DIDÁTICO PEDAGÓGICO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE Vânia Maria Nunes dos Santos INPE São José dos Campos 2002 C A P Í T U L O 12

Leia mais

APLICAÇÃO DO SIG NA IDENTIFICAÇÃO DE RAIOS DE ABRANGÊNCIA DOS EQUIPAMENTOS COMUNITÁRIOS NO BAIRRO PASSO DOS FORTES NA CIDADE DE CHAPECÓ SC

APLICAÇÃO DO SIG NA IDENTIFICAÇÃO DE RAIOS DE ABRANGÊNCIA DOS EQUIPAMENTOS COMUNITÁRIOS NO BAIRRO PASSO DOS FORTES NA CIDADE DE CHAPECÓ SC APLICAÇÃO DO SIG NA IDENTIFICAÇÃO DE RAIOS DE ABRANGÊNCIA DOS EQUIPAMENTOS COMUNITÁRIOS NO BAIRRO PASSO DOS FORTES NA CIDADE DE CHAPECÓ SC Debora Lavina Carniato e Maria Angélica Gonçalves¹ RESUMO Os equipamentos

Leia mais

Diagnóstico da Área de Preservação Permanente (APP) do Açude Grande no Município de Cajazeiras PB.

Diagnóstico da Área de Preservação Permanente (APP) do Açude Grande no Município de Cajazeiras PB. Diagnóstico da Área de Preservação Permanente (APP) do Açude Grande no Município de Cajazeiras PB. Itallo Harlan Reinaldo Alves Gomes (1) ; Jessily Medeiros Quaresma (2) ; Francisco José (3) ; Laedy Cecília

Leia mais

1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA. 1.1 Introdução

1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA. 1.1 Introdução TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA, PESSOA FÍSICA, NA ÁREA DE MAPEAMENTO GEOLÓGICO E GEOPROCESSAMENTO PARA A IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE ALERTA PRECOCE DE SECA E DESERTIFICAÇÃO. 1 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE SOFWARES GRATUITOS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA

ESTUDO COMPARATIVO DE SOFWARES GRATUITOS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA ESTUDO COMPARATIVO DE SOFWARES GRATUITOS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA 1. Introdução Nos últimos anos, a área de geotecnologias ganhou maior visibilidade através da popularização

Leia mais

Figura 1: Diagrama indicativo de etapas e fases para desenvolvimento do SIG.

Figura 1: Diagrama indicativo de etapas e fases para desenvolvimento do SIG. SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) APLICADO À ANÁLISE ESPACIAL INTEGRADA APOIADA EM DADOS SOCIOECONÔMICOS, DESTINADO AO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL, NA ÁREA INDUSTRIAL, EM ESCALA REGIONAL Gilberto

Leia mais

Relatório Técnico-Executivo Referente aos Serviços Prestados pela UNESP/FEG através Empresa JR. ENG

Relatório Técnico-Executivo Referente aos Serviços Prestados pela UNESP/FEG através Empresa JR. ENG Relatório Técnico-Executivo Referente aos Serviços Prestados pela UNESP/FEG através Empresa JR. ENG Este relatório tem como objetivo apresentar as atividades executadas pelo grupo de pesquisa da Faculdade

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 56 A CIDADE DO RIO DE JANEIRO

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 56 A CIDADE DO RIO DE JANEIRO GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 56 A CIDADE DO RIO DE JANEIRO Como pode cair no enem? Com base no mapa e na literatura sobre a região metropolitana do Rio de Janeiro, é correto afirmar: a) A cidade do Rio de

Leia mais

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR

MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR MAPEAMENTO DA COBERTURA VEGETAL DE ÁREAS DE GRANDE EXTENSÃO ATRAVÉS DE MOSAICOS DE IMAGENS DO NOAA-AVHRR Maria G. Almeida 1, Bernardo F. T. Rudorff 2, Yosio E. Shimabukuro 2 graca@dppg.cefetmg.br, bernardo@ltid.inpe.br,

Leia mais

(in: SENE, Eustáquio. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo, SP: Scipione, 2010.)

(in: SENE, Eustáquio. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo, SP: Scipione, 2010.) CARTOGRAFIA Sensoriamento Remoto (in: SENE, Eustáquio. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo, SP: Scipione, 2010.) Sensoriamento remoto é o conjunto de técnicas de captação e registro de imagens a distância

Leia mais

MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DOS MANGUES FLUMINENSES: ENSAIOS COM IMAGENS LANDSAT E ORTOFOTOS (DESAFIOS METODOLÓGICOS)

MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DOS MANGUES FLUMINENSES: ENSAIOS COM IMAGENS LANDSAT E ORTOFOTOS (DESAFIOS METODOLÓGICOS) p. 001-009 MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DOS MANGUES FLUMINENSES: ENSAIOS COM IMAGENS LANDSAT E ORTOFOTOS (DESAFIOS METODOLÓGICOS) GILBERTO PESSANHA RIBEIRO 1,2 ARTUR WILLCOX DOS SANTOS 1 MARCUS FELIPE MOURÃO

Leia mais

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo:

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo: Oficina em Ilhabela Relatoria da Plenária Final Esta oficina, realizada no dia 28 de março de 2012, no Hotel Ilhabela, na sede do município, faz parte do processo de escuta comunitária no âmbito do projeto

Leia mais

O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB

O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB O GEOPROCESSAMENTO E O PLANEJAMENTO TERRITORIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS ESCOLAS ESTADUAIS EM CAMPINA GRANDE-PB Erbeth Yuri dos Santos Nascimento¹, Antônio Pereira

Leia mais

FITOECOLOGIA DOS BREJOS DE ALTITUDE DO SERTÃO PARAIBANO

FITOECOLOGIA DOS BREJOS DE ALTITUDE DO SERTÃO PARAIBANO FITOECOLOGIA DOS BREJOS DE ALTITUDE DO SERTÃO PARAIBANO Ailson de Lima Marques (1); Júlia Diniz de Oliveira (2); Douglas Cavalcante de Araújo (3) Anna Raquel Dionísio Ramos (4) Universidade Federal de

Leia mais

Flavio Marcelo CONEGLIAN, Rodrigo Antonio LA SCALEA e Selma Regina Aranha RIBEIRO. Universidade Estadual de Ponta Grossa

Flavio Marcelo CONEGLIAN, Rodrigo Antonio LA SCALEA e Selma Regina Aranha RIBEIRO. Universidade Estadual de Ponta Grossa Comparação entre Classificações Supervisionadas em uma Imagem CBERS CCD com Bandas Multiespectrais e em uma Imagem Fusão da Mesma Imagem CBERS CCD Com uma Banda Pancromática HRC Flavio Marcelo CONEGLIAN,

Leia mais

FICHA PROJETO - nº387-mapp

FICHA PROJETO - nº387-mapp FICHA PROJETO - nº387-mapp Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: ETUDO DE VIABILIDADE PARA A AMPLIAÇÃO DO PARQUE NACIONAL DA ERRA DA BOCAINA. 2) MUNICÍPIO DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Parati, Angra dos Reis,

Leia mais

GERAÇÃO DE MAPAS DIGITAIS E MODELOS TRIDIMENSIONAIS DE SUPERFÍCIES. Manoel Silva Neto Engenheiro Cartógrafo

GERAÇÃO DE MAPAS DIGITAIS E MODELOS TRIDIMENSIONAIS DE SUPERFÍCIES. Manoel Silva Neto Engenheiro Cartógrafo GERAÇÃO DE MAPAS DIGITAIS E MODELOS TRIDIMENSIONAIS DE SUPERFÍCIES Manoel Silva Neto Engenheiro Cartógrafo Com um novo conceito enraizado na inovação, a Droneng busca integrar a multidisciplinaridade no

Leia mais

Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca

Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca Departamento de Geografia e Meio Ambiente Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca Introdução/Justificativa: Aluna: Izânia

Leia mais

CADASTRO DE METADADOS POR SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS GEOGRÁFICO (SGBD) EM SIG PARA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CADASTRO DE METADADOS POR SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS GEOGRÁFICO (SGBD) EM SIG PARA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CADASTRO DE METADADOS POR SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS GEOGRÁFICO (SGBD) EM SIG PARA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Raphael de Oliveira Fernandes Vivian Castilho da Costa

Leia mais

Aplicação do ITA na análise espaço-temporal do entorno da BR-101 nos municípios de Angra dos Reis e Parati

Aplicação do ITA na análise espaço-temporal do entorno da BR-101 nos municípios de Angra dos Reis e Parati Aplicação do ITA na análise espaço-temporal do entorno da BR-101 nos municípios de Angra dos Reis e Parati Stella Procopio da Rocha 1 Carla Bernadete Madureira Cruz 2 CENTRAN Centro de Excelência em Engenharia

Leia mais

PROGRAMA EDUCA SeRe. ltid.inpe..inpe.br. As imagens de satélite nos auxiliam a conhecer feições geográficas únicas no mundo:

PROGRAMA EDUCA SeRe. ltid.inpe..inpe.br. As imagens de satélite nos auxiliam a conhecer feições geográficas únicas no mundo: As imagens de satélite permitem o estudo do espaço geográfico e dos recursos naturais em diferentes escalas de trabalho e distintas áreas de abrangência: TANIA MARIA SAUSEN ATIVIDADE DE TREINAMENTO E DIFUSÃO

Leia mais

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014.

15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014. 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO VOÇOROCAMENTO URBANO EM RANCHARIA-SP DE 1962 A 2014. Alyson Bueno Francisco 1 Resumo Este trabalho visa apresentar

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL

A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL rocha. e.b Geógrafo - Mestrando em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento

Leia mais

USO DE GEOPROCESSAMENTO NA DELIMITAÇÃO DE CONFLITOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO VERÊ, MUNICÍPIO DE VERÊ PR.

USO DE GEOPROCESSAMENTO NA DELIMITAÇÃO DE CONFLITOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO VERÊ, MUNICÍPIO DE VERÊ PR. USO DE GEOPROCESSAMENTO NA DELIMITAÇÃO DE CONFLITOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO VERÊ, MUNICÍPIO DE VERÊ PR. Ivan Rodrigo Dal-Berti, Marcio Pigosso, Wanessa Suelen

Leia mais

Análise de Viabilidade

Análise de Viabilidade Análise de Viabilidade 1. Identificação Município: Itaúna Localização: Região de Tabuões Bacia Hidrográfica: Rio São Francisco 2. Resultados: Considerando as especulações que estão sendo levantadas com

Leia mais

Bairros Cota na Serra do

Bairros Cota na Serra do Geotecnia Ambiental Bairros Cota na Serra do Mar em Cubatão riscos em ebulição e planos de ação em andamento Os bairros localizados nas encostas da Serra do Mar, na cidade de Cubatão, passam por um processo

Leia mais

Sessão Temática: Códigos da Cidade: construções normativas em projetos Coordenação : Rosângela Lunardelli Cavallazzzi

Sessão Temática: Códigos da Cidade: construções normativas em projetos Coordenação : Rosângela Lunardelli Cavallazzzi I Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo (I ENANPARQ): Arquitetura, Cidade, Paisagem e Território: percursos e prospectivas 29 de Novembro a 03

Leia mais

EDITAL Nº 01/2016 Desenvolvimento de Plataforma Digital de Monitoramento

EDITAL Nº 01/2016 Desenvolvimento de Plataforma Digital de Monitoramento EDITAL Nº 01/2016 Desenvolvimento de Plataforma Digital de Monitoramento COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO 2016 Tipo: melhor técnica e preço Desenvolvimento de plataforma digital com indicadores de monitoramento

Leia mais

A paisagem rural e a atividade turística: aplicação da cartografia temática na representação visual da zona rural de Pelotas, RS

A paisagem rural e a atividade turística: aplicação da cartografia temática na representação visual da zona rural de Pelotas, RS A paisagem rural e a atividade turística: aplicação da cartografia temática na representação visual da zona rural de Pelotas, RS Rafael Cruz da Silva 1 Resumo O turismo representa uma atividade de grande

Leia mais

Kosmo SIG. Revista FOSSGIS Brasil Janeiro 2012 www.fossgisbrasil.com.br

Kosmo SIG. Revista FOSSGIS Brasil Janeiro 2012 www.fossgisbrasil.com.br Kosmo SIG Personalizando o Kosmo Desktop para Aplicações Portable Por Gilberto Pessanha Ribeiro, Ícaro Brito e Luiz Moreno Através da parceria recente firmada junto à Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE PPG - CASA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE PPG - CASA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE PPG - CASA SENSORIAMENTO REMOTO E SIG NA ANÁLISE AMBIENTAL DA MICROBACIA DO RIO PURAQUEQUARA MANAUS, AM BRASIL Antonio da Mata Pequeno Filho

Leia mais

1. Identificação Pessoal

1. Identificação Pessoal Formulário Pessoa Física ou Autônomo / Profissional Liberal Este formulário é idêntico ao eletrônico! Se sua opção for pelo preenchimento manual desta pesquisa, sugerimos que imprima este formulário e

Leia mais

Estruturando o SIG para fornecer suporte para elaboração e implantação do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Estruturando o SIG para fornecer suporte para elaboração e implantação do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Estruturando o SIG para fornecer suporte para elaboração e implantação do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica SIG Sistema de Informação Geográfica O SIG é um sistema de Informação

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA PARA COMPILAÇÃO E MAPEAMENTO DE IMOVEIS RURAIS

TERMO DE REFERENCIA PARA COMPILAÇÃO E MAPEAMENTO DE IMOVEIS RURAIS SERVIÇOS DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS PARA FINS DE ELABORAÇÃO DE CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR NO MUNICÍPIO DE RIO CLARO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1. Contextualização A The Nature Conservancy

Leia mais

Letícia Antunes Resende 1 Herbe Xavier 2

Letícia Antunes Resende 1 Herbe Xavier 2 As contribuiçõesdas geotecnologias à atividade turística Letícia Antunes Resende 1 Herbe Xavier 2 Pode-se considerar que o turismo é, antes de tudo, uma experiência geográfica, pois a atividade se desenvolve

Leia mais

Análise do Relevo do Litoral Norte Paulista (Brasil) Através da Cartografia Geomorfológica

Análise do Relevo do Litoral Norte Paulista (Brasil) Através da Cartografia Geomorfológica Análise do Relevo do Litoral Norte Paulista (Brasil) Através da Cartografia Geomorfológica Cleberson Ernandes de Andrade 1 Cenira Maria Lupinacci da Cunha 2 1 Graduando em Geografia, bolsista CNPq/PIBIC

Leia mais

Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG

Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG 06 a 10 de Outubro de 2008 Olinda - PE Proposta para implantação e utilização de gerenciador corporativo de imagens georreferenciadas na CEMIG Carlos Alberto Moura Ricardo Crispim Costa Fernando Iran Fonseca

Leia mais

DEFINIÇÃO DE ÁREAS POTENCIAIS AO RISCO DE DESLIGAMENTO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO DEVIDO A INCÊNDIOS - PLANEJAMENTO E CRITÉRIOS DE MANUTENÇÃO

DEFINIÇÃO DE ÁREAS POTENCIAIS AO RISCO DE DESLIGAMENTO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO DEVIDO A INCÊNDIOS - PLANEJAMENTO E CRITÉRIOS DE MANUTENÇÃO DEFINIÇÃO DE ÁREAS POTENCIAIS AO RISCO DE DESLIGAMENTO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO DEVIDO A INCÊNDIOS - PLANEJAMENTO E CRITÉRIOS DE MANUTENÇÃO Giovani Eduardo Braga(1) Leonardo Santana O. Dias(2) Carlos Alberto

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE TERRAÇOS FLUVIAIS NO RIO ITAPICURU (BA) POR MEIO DE DIFERENTES PRODUTOS DE SENSORES REMOTOS

IDENTIFICAÇÃO DE TERRAÇOS FLUVIAIS NO RIO ITAPICURU (BA) POR MEIO DE DIFERENTES PRODUTOS DE SENSORES REMOTOS IDENTIFICAÇÃO DE TERRAÇOS FLUVIAIS NO RIO ITAPICURU (BA) POR Lima, K.C. 1 ; Perez Filho, A. 2 ; 1 UNICAMP Email:kleberlima@ige.unicamp.br; 2 UNICAMP Email:archi@ige.unicamp.br; RESUMO: Identificamos os

Leia mais

Ações de Gerenciamento Costeiro no Instituto Estadual do Ambiente

Ações de Gerenciamento Costeiro no Instituto Estadual do Ambiente Ações de Gerenciamento Costeiro no Instituto Estadual do Ambiente Luiz Eduardo de S. Moraes Chefe do Serviço de Gerenciamento Costeiro Gerência de Instrumentos e Gestão do Território Instituto Estadual

Leia mais

NECESSIDADES HABITACIONAIS EM SÃO LOURENÇO DO OESTE: PMHIS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO

NECESSIDADES HABITACIONAIS EM SÃO LOURENÇO DO OESTE: PMHIS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO NECESSIDADES HABITACIONAIS EM SÃO LOURENÇO DO OESTE: PMHIS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO Giane Roberta Jansen Paula Batistello Docente, Mestre em Engenharia Ambiental, Curso de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

Anderson Gomes de Almeida 1, Alberto Garcia de Figueiredo Jr. 2, Gilberto Pessanha Ribeiro 3

Anderson Gomes de Almeida 1, Alberto Garcia de Figueiredo Jr. 2, Gilberto Pessanha Ribeiro 3 MODELAGEM NUMÉRICA DO TERRENO A PARTIR DA RECUPERAÇÃO DA BATIMETRIA DE 1958 NA FOZ DO RIO PARAÍBA DO SUL E DA ÁREA DA PLATAFORMA CONTINENTAL ADJACENTE, E SUAS APLICAÇÕES GEOLÓGICAS Anderson Gomes de Almeida

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL de GERENCIAMENTO COSTEIRO Brasília, 04 de novembro de 2014.

SEMINÁRIO NACIONAL de GERENCIAMENTO COSTEIRO Brasília, 04 de novembro de 2014. SEMINÁRIO NACIONAL de GERENCIAMENTO COSTEIRO Brasília, 04 de novembro de 2014. Consulta Questionário GERCOs UFs 2014 Consulta GERCOs UFs - Objetivo: coletar informações institucionais, normativas, bem

Leia mais

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006

Anais III Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto Aracaju/SE, 25 a 27 de outubro de 2006 USO DO GPS (SISTEMA DE POSICIONAMENTO GLOBAL) COMO FERRAMENTA DE TRABALHO PARA GESTÃO DE CONFLITOS EM ÁREAS PROTEGIDAS: O CASO DA MATA DO JUNCO (CAPELA -SE) SANTOS, M. J. S 1 ; SOUZA, H. T. R DE 2 ; SOUZA,

Leia mais

OCUPAÇÕES IRREGULARES E IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA REGIÃO NOROESTE DE GOIÂNIA

OCUPAÇÕES IRREGULARES E IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA REGIÃO NOROESTE DE GOIÂNIA OCUPAÇÕES IRREGULARES E IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS NA REGIÃO NOROESTE DE GOIÂNIA Wellington Nunes de Oliveira Universidade Federal de Goiás, Tecnólogo em Geoprocessamento, Especialista em Perícia Ambiental,

Leia mais

Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma

Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma Sensores e Satélites Para que um sensor possa coletar e registrar a energia refletida ou emitida por um objeto ou superfície, ele tem que estar instalado em uma plataforma estável à distância do objeto

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR Robson Rogaciano Fernandes da Silva (Mestrando-Universidade Federal de Campina Grande) Ailanti de Melo Costa Lima (Graduanda-Universidade Estadual

Leia mais

SigaGeo Monitoramento de Projetos Seminário Gestores Públicos da Geoinformação

SigaGeo Monitoramento de Projetos Seminário Gestores Públicos da Geoinformação Seminário Gestores Públicos da Geoinformação Ações de Governo no uso da Geoinformação como instrumento para uma Gestão Pública mais eficiente Metodologia para Monitoramento de Projetos Estratégicos para

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DE GOIÁS

MINISTÉRIO PÚBLICO DE GOIÁS MINISTÉRIO PÚBLICO DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E ADMINISTRAÇÃO DE DADOS GEOPROCESSAMENTO PERGUNTAS E RESPOSTAS AGOSTO 2009 1. O QUE É GEOPROCESSAMENTO? Geoprocessamento

Leia mais

INTRODUÇÃO 1.1 POR QUE GEOPROCESSAMENTO?

INTRODUÇÃO 1.1 POR QUE GEOPROCESSAMENTO? 1 INTRODUÇÃO 1.1 POR QUE GEOPROCESSAMENTO? O termo Geoprocessamento denota a disciplina do conhecimento que utiliza técnicas matemáticas e computacionais para o tratamento da informação geográfica. Esta

Leia mais

O Estudo de Aspectos do Espaço Intra-Urbano Utilizando Imagens CBERS

O Estudo de Aspectos do Espaço Intra-Urbano Utilizando Imagens CBERS O Estudo de Aspectos do Espaço Intra-Urbano Utilizando Imagens CBERS Sandra Maria Fonseca da Costa 1 Rosângela Nicolay Freitas 1 Angelica Carvalho Di Maio 1 1 Universidade do Vale do Paraíba IPD/UNIVAP

Leia mais