Classificação de Produtos (GPC)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Classificação de Produtos (GPC)"

Transcrição

1 Classificação de Produtos (GPC) Leonor Vale Roadshow GS1 Portugal AIMinho Braga 25.Nov.2010 The global language of business

2 Definição da GS1 GPC GS1 GPC Global Product Classification Classificação Global de Produtos A GS1 GPC é uma ferramenta standard de classificação detalhada de todos os bens de acordo com as suas características físicas e serviços segundo o tipo da prestação. A GS1 GPC apresenta todas as categorias para a classificação dos itens que circulam nas operações internas, de mercado ou internacionais. A GS1 GPC foi desenvolvida para servir como um instrumento para o agrupamento e tabulação de todos os tipos de estatísticas que exigem detalhes do produto/serviços (produção, consumo intermediário/final, comércio exterior, preços, etc.) e podem reflectir os fluxos de mercadorias, stocks ou inventários. A GS1 GPC foi desenvolvida principalmente para a harmonização entre os diversos operadores e funcionar como uma ferramenta normalizada de classificação e pesquisa. Sem a GS1 GPC não é possível a Sincronização Global de Dados.

3 Não substituiu nenhum sistema de classificação Fornecedores Clientes Classificação de Produtos Interna GS1 GPC Cassificação de Produtos Interna Através de tabelas de relação com a GS1 GPC, os Solution Partners também podem manter os seus sistemas de classificação

4 Complementa a Classificação UNSPSC - Classificação das Nações Unidas Níveis de detalhe da Classificação Global de Produtos GS1 - GPC Segment Family Class Commodity Brick Attribute Value UNSPSC GS1 GPC GS1 GPC Global Product Classification Segment Family Class Commodity Brick Attribute Value Segmentação da Indústria Divisão do Segmento Grupo de Categorias Categorias do Produto Atributos ou Características dos Produtos da Categoria Vários Elementos de cada característica ou Valores

5 Categoria É um esquema de classificação estruturado e detalhado, baseado num conjunto de regras e não na identificação (GTIN Código do Produto) ou designação/descrição do produto, ou seja, é um Manual Electrónico de Códigos e Definições de produtos/serviços de todos os sectores de actividade Milk and Milk Substitutes (Perishable) Atributo Valor Atributo Valor

6 EXEMPLO: GTIN= C Segmento: Alimentos, Bebidas e Tabaco Família: Leite, Manteiga, Creme, Iogurtes, Queijo, Ovos e Substitutos Classe: Leite e Substitutos do Leite Atributos: Leite Animal Leite Não Animal Variante Teor de Gordura Orgânico Próbiotico Valores: Não Classificado Não Identificado Alto teor de Gordura Médio Teor de Gordura Baixo Teor de Gordura Sem Gordura Gordura Reduzida Não Identificado Não Não Identificado Sim Não Não Identificado Sim Categorias Categoria: Leite e Substitutos do Leite (Perecíveis) Categoria: Leite e Substitutos do Leite (Congelados) : : Refrigeração Fonte Pode ser Refrigerado Deve ser Refrigerado Não Identificado Burro Camelo Vaca Cabra Égua Porca Ovelha Iaque Soja Arroz Fruta Vegetal Não Classificado Não Identificado

7 Tem uma estrutura flexível Com múltiplas entradas e hierarquias Vinho, Gaseificado Vinho, Sem Gás Vinho, Fortificado & Biológico Atributo1 Qualidade Atributo 2 Cor Atributo 3 Casta Atributo 4 País Atributo 5 Região Valores Tinto Branco Rose Atributo 2 COR Atributo 5 REGIÃO Atributo 1 QUALIDADE Vinho, Sem Gás 1 2 Atributo 3 GRAPE Atributo 5 REGIÃO Atributo 2 COR

8 É essencial e obrigatória para a GS1 GDSN Processos Standard: Sincronização de dados do Item & Parceiro; Pesquisa; Validação; Certificação GS1 GPC: Hierarquia; Categoria; Tipo e Valor do Atributo GS1 GDSN Dados Standard: Atributos principais do Item e Parceiro (Marca, Tamanho, Peso, Morada, Telefone, etc.) Identificadores-Chave GS1: GTIN, GLN GS1 BarCodes GS1 EPCglobal GS1 ecom: Mensagens GS1 XML (Item, Parceiro, Preço)

9 Registo do Item no Catálogo Source Data Pool Global Registry Subscrição do Item do Catálogo Subscrição do Item do Catálogo Recipient Data Pool Registo do Item Data Source Sem a GS1 GPC este processo não funciona Subscrição do Item do Catálogo Data Recipient

10 Benefícios da GS1 GPC Melhora a qualidade de informação sobre os produtos Informação criada e gerida uma só vez e por uma só localização Facilita a automatização A precisão dos dados resulta em menos tempo com o mapeamento e em mais tempo de análise Reduz as ineficiências Redução de Erros Melhora e acelera a capacidade de decisão Identificação de oportunidades de mercado resultantes da capacidade de pesquisa em tempo real Sincronização Global de Dados (GS1 GDSN)

11 OBRIGADA... Leonor Vale Marketing & Communication Manager E. CODIPOR Associação Portuguesa de Identificação e Codificação de Produtos R. Prof. Fernando da Fonseca, 16 Esc.II Lisboa T F E. W.

Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor

Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor Introdução O Sistema GS1, devido à sua capacidade de fornecer uma identificação única e global

Leia mais

Roadshow GS1 PORTUGAL AVEIRO

Roadshow GS1 PORTUGAL AVEIRO Roadshow GS1 PORTUGAL AVEIRO # Café-temático: Qualidade dos dados na Gestão da Informação Susana Gaspar Técnica de Qualidade dos dados GS1 4 de junho 2015 Agenda 1. Qualidade dos dados da informação 2.

Leia mais

Segurança do Consumidor na Plataforma Sync PT. IMPLEMENTAÇÃO DO REGULAMENTO (UE) N.º 1169/2011 2 de Abril 2014 INSA

Segurança do Consumidor na Plataforma Sync PT. IMPLEMENTAÇÃO DO REGULAMENTO (UE) N.º 1169/2011 2 de Abril 2014 INSA Segurança do Consumidor na Plataforma Sync PT IMPLEMENTAÇÃO DO REGULAMENTO (UE) N.º 1169/2011 2 de Abril 2014 INSA AGENDA 1. Enquadramento 2. Plataforma Sync PT 3. Qualidade da Informação 4. Regulamento

Leia mais

GS1 Contributo para uma Classificação Global

GS1 Contributo para uma Classificação Global GS1 Contributo para uma Classificação Global GS1 Portugal e o Sistema GS1 1ª Reunião da Rede Portuguesa sobre Composição dos Alimentos Projecto PortFIR 16 Dezembro 2008 Agenda Quem somos Sistema GS1 Quem

Leia mais

O Contributo Internacional da GS1 no Contexto da Sincronização de Bases de Dados

O Contributo Internacional da GS1 no Contexto da Sincronização de Bases de Dados O Contributo Internacional da GS1 no Contexto da Sincronização de Bases de Dados Lançamento da Plataforma G.R.I.A. 20-04-2009 The global language of business O que é a sincronização de dados? 2009 GS1

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS GS1 Portugal entrada em vigor 01/01/2014

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS GS1 Portugal entrada em vigor 01/01/2014 TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS entrada em vigor 01/01/2014 ÍNDICE TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS 01 ADMISSÃO À GS1 PORTUGAL JÓia Quota Anual Condições Comerciais 02 PRODUTOS GS1 PORTUGAL

Leia mais

Partilhar dados na Saúde

Partilhar dados na Saúde Partilhar dados na Saúde Uma perspetiva Internacional Seminário internacional de Saúde 2015.06.25 Data synchronization is not just about technology it is about people and processes working together to

Leia mais

Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade

Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade Marcos Gaspar Carreira Técnico de CAD Um Mundo Um Sistema The Global Language of Business A Linguagem Global dos Negócios GS1 Início de actividade em 1977; Com sede

Leia mais

FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL

FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL Jóia Admissão à Associação (Direitos e Deveres Estatutários) 150,00 Quota Anual Permanência como Associado e Acesso e Licença de Utilização dos Produtos/Serviços GS1 Volume de negócios

Leia mais

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão The global language of business Construindo pontes entre diversos parceiros da cadeia de distribuição Qual

Leia mais

O Sistema GS1 Normas para os T&L

O Sistema GS1 Normas para os T&L O Sistema GS1 Normas para os T&L MARCA Optimize as suas Operações Workshop Movimente Normas GS1 Eficiência nos T&L 29 Novembro, Hotel Villa Rica - Lisboa O QUE É A GS1? Sem Fins Lucrativos Neutra em relação

Leia mais

Casos Práticos (Internacionais)

Casos Práticos (Internacionais) Casos Práticos (Internacionais) MARCA Optimize as suas Operações Workshop Movimente Normas GS1 Eficiência nos T&L 29 Novembro, Hotel Villa Rica - Lisboa Casos Estudo nos T&L Desenvolvido pelo GS1 Global

Leia mais

ecommerce RoadShow GS1 Portugal Porto 26 de Maio 2011 The global language of business

ecommerce RoadShow GS1 Portugal Porto 26 de Maio 2011 The global language of business ecommerce RoadShow GS1 Portugal Porto 26 de Maio 2011 The global language of business GS1 Portugal GTIN Global Trade Item Number GLN Global Location Number 2 GS1 Portugal Standards globais para identificação

Leia mais

Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO

Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO Agenda 1. Enquadramento a) Circunstâncias que justificam o projecto b) Objectivos gerais c) Vectores

Leia mais

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06 Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool Lisboa 2014-03-06 3 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC PT Data Pool O PROJETO IMPLEMENTAÇÃO O PROCESSO 4 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC

Leia mais

Rotulagem nutricional Intercâmbio de informação entre Sync PT, GS1 Portugal e PortFIR/SGRIA, INSA

Rotulagem nutricional Intercâmbio de informação entre Sync PT, GS1 Portugal e PortFIR/SGRIA, INSA Rotulagem nutricional Intercâmbio de informação entre Sync PT, GS1 Portugal e PortFIR/SGRIA, INSA 6ª Reunião Anual PORTFIR 31 Outubro 2013 Silvério Paixão O Mundo está a mudar Sabia que? Os Consumidores

Leia mais

Guia de utilização da Plataforma GS1 Sync PT

Guia de utilização da Plataforma GS1 Sync PT Guia de utilização da Plataforma GS1 Versão 1.0 25/08/2015 Índice Introdução... 3 Como aceder ao Portal... 4 Ecrã Inicial... 5 Menu Inicial > Produtos... 5 Importação de produtos... 7 Exportação de produtos...

Leia mais

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto The global language of business GS1 EPCglobal/RFID Uma ferramenta logística RASTREABILIDADE INFORMAÇÃO EM TEMPO REAL GS1 EPC

Leia mais

Varejo e Tecnologia:

Varejo e Tecnologia: Seminário GVcev Varejo e Tecnologia: Presente e Perspectivas Iniciativas de Colaboração Sergio Ribinik CEO da GS1 BRASIL MEMBRO DO ADVISORY COUNCIL DA GS1 MEMBRO DO BOARD DO EPC GLOBAL Agenda Tecnologia

Leia mais

Distinga-se pelo conhecimento

Distinga-se pelo conhecimento 2012 Distinga-se pelo conhecimento Índice Clique na Informação que deseja consultar Calendário de Formação GS1 Porquê Formação no Sistema GS1? Modelos de Formação Competências Informação Práticas 02 03

Leia mais

Global Data Synchronization Network (GS1 GDSN)

Global Data Synchronization Network (GS1 GDSN) Global Data Synchronization Network (GS1 GDSN) RoadShow GS1 Portugal Braga 25 de Novembro de 2010 The global language of business ecommerce O que é ecommerce? É a utilização das comunicações electrónicas

Leia mais

The global language of business

The global language of business Serviços de ECR Roadshow Braga 25 de Novembro de 2010 ECR Services Pedro Vítor The global language of business Visão e Missão VISÃO Ser promotora da excelência nas relações eficazes e eficientes ao longo

Leia mais

Conhecendo o GLN. Número Global de Localização. Volume 2

Conhecendo o GLN. Número Global de Localização. Volume 2 Conhecendo o GLN Número Global de Localização Volume 2 Conhecendo o GLN O material Conhecendo o GLN tem como objetivo integrar a sua empresa, de forma ainda mais eficiente, à cadeia de suprimentos. Além

Leia mais

Seminário GS1 Portugal FIPA

Seminário GS1 Portugal FIPA GS1 - The Global Language of Business Seminário GS1 Portugal FIPA Nuno Miranda 14.06.2012 2 EDI = Electronic Data Interchange - Transferência Electrónica de Documentos EDI é a transferência de MENSAGENS

Leia mais

ROADSHOW BRAGA Códigos de Barras (EAN, GS1-128, GS1 DataBar e GS1 DataMatrix) 25 de Novembro 2010 Marcos Gaspar Carreira

ROADSHOW BRAGA Códigos de Barras (EAN, GS1-128, GS1 DataBar e GS1 DataMatrix) 25 de Novembro 2010 Marcos Gaspar Carreira ROADSHOW BRAGA Códigos de Barras (EAN, GS1-128, GS1 DataBar e GS1 DataMatrix) 25 de Novembro 2010 Marcos Gaspar Carreira The global language of business Standards Globais Desempenham um importante papel

Leia mais

PAINEL: A Evolução da Auditoria até a Auditoria Contínua

PAINEL: A Evolução da Auditoria até a Auditoria Contínua PAINEL: A Evolução da Auditoria até a Auditoria Contínua AMBIENTE DE NEGÓCIO: Pressões & Desafios para as Empresas e Alavancas de Automação da AI Empresas X Novo Ambiente de Negócios: PRESSÕES Mercado

Leia mais

Inovação. Maria José Sousa

Inovação. Maria José Sousa Inovação 2 Inovação Difusão e adopção 3 Difusão da Inovação Um conceito de difusão: Processo através do qual uma inovação é comunicada através de canais específicos, ao longo do tempo, entre os membros

Leia mais

importância económica do sector

importância económica do sector importância económica do sector ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS O CONTEXTO DA INDÚSTRIA AGRO-ALIMENTAR E SUA IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA A industria de bebidas não alcoólicas

Leia mais

GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2

GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2 Quem é a GS1 Como gerar seu Código de Barras Produtos e Soluções GS1 GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 1 GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2 Quem é a GS1 GS1 Brasil A GS1 Brasil Associação Brasileira

Leia mais

Volume 8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO

Volume 8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO Volume 8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO Esta edição do Caderno Eficiência descreve as principais funcionalidades, benefícios e características do CADASTRO NACIONAL DE PRODUTOS, nova ferramenta on-line

Leia mais

ROADSHOW BRAGA Sistema de Rastreabilidade de montante a jusante 25 de Novembro 2010 Silvério Paixão

ROADSHOW BRAGA Sistema de Rastreabilidade de montante a jusante 25 de Novembro 2010 Silvério Paixão ROADSHOW BRAGA Sistema de Rastreabilidade de montante a jusante 25 de Novembro 2010 Silvério Paixão The global language of business Rastreabilidade Definição Rastreabilidade, a capacidade de detectar a

Leia mais

GS1 Portugal CODIPOR homenageada pelos seus 25 anos de actividade. Roadshow GS1 Portugal passou por Matosinhos em parceria com AEP

GS1 Portugal CODIPOR homenageada pelos seus 25 anos de actividade. Roadshow GS1 Portugal passou por Matosinhos em parceria com AEP GS1 Portugal CODIPOR homenageada pelos seus 25 anos de actividade Paulo Gomes e João de Castro Guimarães, respectivamente Presidente e Director Executivo da GS1 Portugal CODIPOR, foram agraciados com a

Leia mais

_APRESENTAÇÃO. Elevus People & Business Results

_APRESENTAÇÃO. Elevus People & Business Results _APRESENTAÇÃO Elevus People & Business Results _A Elevus apresenta-se ao mercado numa lógica de Outsourcing na área da consultoria de Recursos Humanos, apresentando soluções profissionais adequadas aos

Leia mais

ÍNDICE. Identificadores-Chave & Dados Adicionais. Normas Globais para Identificação Automática. Normas Globais para Mensagens Electrónicas Comerciais

ÍNDICE. Identificadores-Chave & Dados Adicionais. Normas Globais para Identificação Automática. Normas Globais para Mensagens Electrónicas Comerciais SISTEMA DE NORMAS DA GS1 A Linguagem Global dos Negócios ÍNDICE ÁREA CORPORATIVA: A Organização Internacional A Arquitectura do Sistema de Normas Globais GS1 A Arquitectura do Sistema GS1 em Portugal GS1

Leia mais

Qualidade dos Produtos Mais Baratos Alimentaria 2011. 28.Março.2011 Jorge Morgado

Qualidade dos Produtos Mais Baratos Alimentaria 2011. 28.Março.2011 Jorge Morgado Qualidade dos Produtos Mais Baratos Alimentaria 2011 28.Março.2011 Jorge Morgado Como Avaliámos Como avaliámos Em época de poupança o consumidor pode optar por encher o seu carrinho de compras com os produtos

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 Padrões do Sistema GS1 Habilitando a visibilidade da cadeia de valor. Identificação

Leia mais

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015

Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 5 Nº 41 14/Setembro/2015 Ano 6, n. 47 - Outubro/2015 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 - Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7400 Fax: (32) 3311-7424 www.embrapa.br

Leia mais

Evolução Recente dos Preços das Matérias-Primas Internacionais e Impacto na Taxa de inflação

Evolução Recente dos Preços das Matérias-Primas Internacionais e Impacto na Taxa de inflação Evolução Recente dos Preços das Matérias-Primas Internacionais e Impacto na Taxa de inflação Alda Rito e Clara Synek* Uma das principais preocupações existentes actualmente relaciona-se com a forte subida

Leia mais

Sustentabilidade na Cadeia de Abastecimento

Sustentabilidade na Cadeia de Abastecimento Sustentabilidade na Cadeia de Abastecimento 9.11.01 Artur Andrade Gestor de Projectos MARCA www.gs1pt.org Workshop Normas GS1 nos T&L Optimize as suas Operações Movimente Eficiência 01 GS1 Portugal 9 Novembro,

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES. Departamento de Ciências de Educação. Caderno de Actividades O GADO NA TUA ILHA ILHA TERCEIRA

UNIVERSIDADE DOS AÇORES. Departamento de Ciências de Educação. Caderno de Actividades O GADO NA TUA ILHA ILHA TERCEIRA UNIVERSIDADE DOS AÇORES Departamento de Ciências de Educação Caderno de Actividades O GADO NA TUA ILHA ILHA TERCEIRA Sandra Silva Dimas Serpa Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Metodologia do

Leia mais

Lançamento do GDSN Global Data Synchronization Network Cadastro Nacional de Produtos

Lançamento do GDSN Global Data Synchronization Network Cadastro Nacional de Produtos Lançamento do GDSN Global Data Synchronization Network Cadastro Nacional de Produtos Agenda GS1 e a Automação dos Processos de Supply Chain Conceito GDSN Benefícios Case Carrefour Como começar? GS1 e a

Leia mais

PROJECTO-PILOTO RASTREABILIDADE DISPOSITIVOS MÉDICOS (DMS) EM AMBIENTE HOSPITALAR. Nuno Loureiro Silvério Paixão

PROJECTO-PILOTO RASTREABILIDADE DISPOSITIVOS MÉDICOS (DMS) EM AMBIENTE HOSPITALAR. Nuno Loureiro Silvério Paixão PROJECTO-PILOTO RASTREABILIDADE DISPOSITIVOS MÉDICOS (DMS) EM AMBIENTE HOSPITALAR Nuno Loureiro Silvério Paixão Junho 2015 ÂMBITO Em ambiente hospitalar do SNS* Universo de Dispositivos Médicos (DM s)

Leia mais

A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA

A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA Um relatório novo e independente divulgado pela McKinsey&Company estimou os benefícios em vidas e valor da implementação de um único padrão global para a saúde pública.

Leia mais

Compras Públicas. Uma ambição de futuro SOURCE Sistema de Qualificacao de Fornecedores 13.05.15

Compras Públicas. Uma ambição de futuro SOURCE Sistema de Qualificacao de Fornecedores 13.05.15 Compras Públicas Uma ambição de futuro SOURCE Sistema de Qualificacao de Fornecedores 13.05.15 A REN é uma concessionária de Serviço Público que gere em simultâneo as redes de transporte de eletricidade

Leia mais

Iogurtes - Brasil - Setembro 2014. COMPRE ESTE Relatório agora

Iogurtes - Brasil - Setembro 2014. COMPRE ESTE Relatório agora O iogurte grego ainda precisa conquistar mais consumidores fora da região Sudeste, enquanto os funcionais tem a possibilidade de ficarem mais atraentes para a classe AB. Sabores diferenciados podem aumentar

Leia mais

MEMORANDO FASES DE ELABORAÇÃO DO INVENTÁRIO E ELEMENTOS QUE DEVEM CONSTAR DO MESMO AUTARQUIAS LOCAIS DO REGIME SIMPLIFICADO SÍNTESE

MEMORANDO FASES DE ELABORAÇÃO DO INVENTÁRIO E ELEMENTOS QUE DEVEM CONSTAR DO MESMO AUTARQUIAS LOCAIS DO REGIME SIMPLIFICADO SÍNTESE MEMORANDO FASES DE ELABORAÇÃO DO INVENTÁRIO E ELEMENTOS QUE DEVEM CONSTAR DO MESMO AUTARQUIAS LOCAIS DO REGIME SIMPLIFICADO SÍNTESE I - ELEMENTOS QUE DEVEM CONSTAR DO INVENTÁRIO II - FASES E CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

E OS SEUS BENEFÍCIOS

E OS SEUS BENEFÍCIOS E OS SEUS BENEFÍCIOS A principal função do leite é nutrir (alimentar). Além disso, cumpre as funções de proteger o estômago das toxinas e inflamações e contribui para a saúde metabólica, regulando os processos

Leia mais

Seminário sobre a CAE Rev. 3

Seminário sobre a CAE Rev. 3 Seminário sobre a CAE Rev. 3 Francisco Linhares Director da Base de Dados Coface Serviços Portugal Lisboa, 23 de Outubro de 2007 Quem é a COFACE? - Vocação: facilitar o comércio entre empresas através

Leia mais

O que comer quando não tem apetite

O que comer quando não tem apetite O que comer quando não tem apetite Princess Margaret What to eat when you don t feel like eating Portuguese Para pacientes que têm falta de apetite devido ao cancer e seu tratamento Please visit the UHN

Leia mais

Potencialidades com os portos Africanos Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas, 9 Novembro de 2010. Artur Alves

Potencialidades com os portos Africanos Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas, 9 Novembro de 2010. Artur Alves Potencialidades com os portos Africanos Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas, 9 Novembro de 2010 Artur Alves Enquadramento A rede de países da CPLP apresenta um conjunto de valências, que exploradas

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM VINHOS

ESPECIALIZAÇÃO EM VINHOS ESPECIALIZAÇÃO EM VINHOS Novembro 2010 1 Direção de Formação Departamento de Planeamento e Certificação Objectivos No final da formação, os formandos devem ter adquirido conhecimentos, competências e técnicas

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Geografia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 719/2.ª Fase 16 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

02-11-2010. Formador: Rui Carvalho. Carga horária 25 horas. Objectivo

02-11-2010. Formador: Rui Carvalho. Carga horária 25 horas. Objectivo Carga horária 25 horas Objectivo (s) Realização de apoio administrativo e logístico, ligada à função de aprovisionamento. Formador: Rui Carvalho Formador: Rui Carvalho 2 1. Ficheiros de armazém Códigos

Leia mais

O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR?

O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR? O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR? ALGUMAS SUGESTÕES CURIOSIDADES: SABIAS QUE A ORIGEM DO IOGURTE No período 10.000

Leia mais

e.newsletter GS1 Portugal

e.newsletter GS1 Portugal Caso não consiga visualizar corretamente, clique aqui A Linguagem Global dos Negócios III Fórum Solution Providers Tecnologias de informação e comunicação defendem normalização e qualidade da informação

Leia mais

Agenda. Fluxos financeiros. Como preencher a declaração anual. Reciclagem de embalagens. Multipacks. Valores Ponto Verde 2013

Agenda. Fluxos financeiros. Como preencher a declaração anual. Reciclagem de embalagens. Multipacks. Valores Ponto Verde 2013 JORNADAS TÉCNICAS Lisboa, 13 Dezembro 2012 Agenda 2 Fluxos financeiros Como preencher a declaração anual Reciclagem de embalagens Multipacks Valores Ponto Verde 2013 Fluxos financeiros 3 Fluxos financeiros

Leia mais

Deslocamentos na Curva de Demanda e da Oferta

Deslocamentos na Curva de Demanda e da Oferta Deslocamentos na Curva de Demanda e da Oferta a) Deslocamentos na curva de demanda - quando o preço varia e a quantidade varia também, o deslocamento é em cima da curva de demanda, ou seja, a demanda como

Leia mais

1.2 Projecto Housekeeping

1.2 Projecto Housekeeping 1.2 Projecto Housekeeping Redesenhar a GS1 Portugal O projecto Housekeeping foi lançado com o objectivo de introduzir na um modelo integrado de excelência operacional virado para o Utilizador, decorrente

Leia mais

Portugal CODIPOR. Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes

Portugal CODIPOR. Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes Portugal CODIPOR Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes ENQUADRAMENTO A Montebravo é a última empresa e a face mais visível, de uma organização composta por um circuito totalmente integrado

Leia mais

GS1 Portugal CODIPOR. Associação Portuguesa de Identificação e Codificação de Produtos. Novembro 2010

GS1 Portugal CODIPOR. Associação Portuguesa de Identificação e Codificação de Produtos. Novembro 2010 GS1 Portugal CODIPOR Associação Portuguesa de Identificação e Codificação de Produtos Novembro 2010 Apresentação da GS1 Portugal CODIPOR 1. Quem somos a) A GS1 no Mundo b) A GS1 em Portugal A CODIPOR i.

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. S. João da Madeira, 24 de novembro de 2015

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. S. João da Madeira, 24 de novembro de 2015 A AICEP e os Apoios à Internacionalização S. João da Madeira, 24 de novembro de 2015 Índice 1. A aicep Portugal Global 2. Produtos e serviços AICEP 3. Portugal 2020 4. O Processo de Internacionalização

Leia mais

ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015

ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 ASSUNTOS DIVERSOS DAS COMPLEMENTAR - GENERALIDADES SOBRE A EMISSÃO... Pág. 02 ICMS PR ALÍQUOTAS DO ICMS - REGIÃO NORTE - ATUALIZAÇÃO

Leia mais

Standard Internacional para a Etiqueta Logística (STILL)

Standard Internacional para a Etiqueta Logística (STILL) Standard Internacional para a Etiqueta Logística (STILL) Sumário de Documento Document Item Título do documento Valor corrente Standard Internacional para a Etiqueta Logística (STILL) Data última modificação

Leia mais

TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL

TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA E SOLOS TECNOLOGIA DE PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL Prof.: Daniel M. Tapia T. O que é alimento? Substância ou mistura de substâncias

Leia mais

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço BENCHMARKING 2014 Estudo dos niveis de serviço Objetivo do estudo BENCHMARKING 2014 O objectivo deste estudo é conhecer o nível de serviço oferecido pelos fabricantes do grande consumo aos distribuidores,

Leia mais

Nutrientes. E suas funções no organismo humano

Nutrientes. E suas funções no organismo humano Nutrientes E suas funções no organismo humano O corpo humano necessita de uma série de substâncias básicas indispensáveis para a formação de tecidos, para obtenção de energia, para a realização de atividades

Leia mais

O Sistema GS1 na eficiência dos negócios

O Sistema GS1 na eficiência dos negócios O Sistema GS1 na eficiência dos negócios Do código de barras às soluções tecnológicas de gestão e partilha de informação Silvério Paixão Aveiro, 4 de Junho de 2015 Agenda Eficiência dos Negócios (Muito)

Leia mais

1. O objetivo desta Norma é estabelecer o tratamento contábil e a evidenciação das atividades agrícolas.

1. O objetivo desta Norma é estabelecer o tratamento contábil e a evidenciação das atividades agrícolas. NBC TSP 27 Ativo Biológico e Produto Agrícola Objetivo 1. O objetivo desta Norma é estabelecer o tratamento contábil e a evidenciação das atividades agrícolas. Alcance 2. Uma entidade que prepare e apresente

Leia mais

Revisão das Guidelines sobre Boas Práticas de Distribuição

Revisão das Guidelines sobre Boas Práticas de Distribuição LIFE SCIENCES Newsletter 2/2013 Março /Abril Revisão das Guidelines sobre Boas Práticas de Distribuição No passado dia 8 de Março, foram publicadas, no Jornal Oficial da União Europeia, as novas Guidelines

Leia mais

Referenciais GFSI para as atividades de Logística, Armazenagem e Transporte

Referenciais GFSI para as atividades de Logística, Armazenagem e Transporte Referenciais GFSI para as atividades de Logística, Armazenagem e Transporte AGRO&FOOD é a área de serviços da APCER que se dedica exclusivamente ao sector alimentar: do campo à mesa A alta especificidade

Leia mais

Manual AVANTE. Sirva-se e bom apetite!

Manual AVANTE. Sirva-se e bom apetite! Manual AVANTE Sirva-se e bom apetite! Sumário O seu estabelecimento como referência em alimentação de qualidade Conceito Alimentação Saudável O Programa Avante pela Qualidade de Vida O que temos para o

Leia mais

DIETA DUKAN 1ª FASE: ATAQUE. Alimentos Permitidos e Primeiros Passos

DIETA DUKAN 1ª FASE: ATAQUE. Alimentos Permitidos e Primeiros Passos DIETA DUKAN 1ª FASE: ATAQUE Alimentos Permitidos e Primeiros Passos ÍNDICE Os Alimentos Autorizados Panqueca Dukan Os Adjuvantes Pode e não pode Conselhos do Dr. Dukan Recomendações para iniciar 03 07

Leia mais

A importância dos rótulos das embalagens

A importância dos rótulos das embalagens Sumário Módulo inicial Unidade temática 0 A importância dos rótulos das embalagens de produtos alimentares. Projeção do vídeo: Sabe ler o rótulo das embalagens?. Significado dos símbolos contidos nas embalagens

Leia mais

INVENTÁRIO PERMANENTE - 2016 Alteração em Portugal

INVENTÁRIO PERMANENTE - 2016 Alteração em Portugal INVENTÁRIO PERMANENTE - 2016 Alteração em Portugal W: www.centralgest.com E: comercial@centralgest.com T: (+351) 231 209 530 Portugal Angola Moçambique Cabo Verde 1987-2015 CentralGest Produção de Software

Leia mais

PORTUGAL. Produtos Agrícolas e Agro-industriais. Caracterização território do ponto de vista agrícola. Principal oferta produtos agrícolas hoje

PORTUGAL. Produtos Agrícolas e Agro-industriais. Caracterização território do ponto de vista agrícola. Principal oferta produtos agrícolas hoje PORTUGAL Produtos Agrícolas e Agro-industriais Caracterização território do ponto de vista agrícola Principal oferta produtos agrícolas hoje Oportunidades na oferta hoje produtos agrícolas Grande oferta

Leia mais

Sucos industrializados: melhor substituto aos refrigerantes?

Sucos industrializados: melhor substituto aos refrigerantes? Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO Centro de Ciências Biológicas e da Saúde CCBS Escola de Nutrição EN Departamento de Tecnologia de Alimentos DTA PPGAN Programa de Pós-graduação em

Leia mais

Prova Escrita de Economia A

Prova Escrita de Economia A EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Economia A 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 712/Época Especial 14 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

GORDURAS E COLESTEROL NOS ALIMENTOS:

GORDURAS E COLESTEROL NOS ALIMENTOS: 1 GORDURAS E COLESTEROL NOS ALIMENTOS: 1) MODIFICAÇÃO NA INGESTÃO DE GORDURA: O consumo de menos gordura é um aspecto importante da orientação nutricional para comer de maneira mais saudável, para a protecção

Leia mais

SOLUÇÕES FLEXÍVEIS PARA LÍQUIDOS

SOLUÇÕES FLEXÍVEIS PARA LÍQUIDOS SOLUÇÕES FLEXÍVEIS PARA LÍQUIDOS SOLUÇÕES FLEXÍVEIS PARA LÍQUIDOS A embalagem flexível está ganhando o mercado de líquidos de maneira significativa devido às suas inúmeras vantagens em relação às rígidas,

Leia mais

Realização: Parceiros: Centro de Conhecimento em Agronegócios. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto

Realização: Parceiros: Centro de Conhecimento em Agronegócios. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto CÂMARA SETORIAL DE LEITE E DERIVADOS SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO Realização: Centro de Conhecimento em Agronegócios Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto

Leia mais

Net Business. Soluções Profissionais em SQL Server ao alcance da sua empresa. Venha conhecer as nossas soluções Solicite uma demonstração

Net Business. Soluções Profissionais em SQL Server ao alcance da sua empresa. Venha conhecer as nossas soluções Solicite uma demonstração Net Business Soluções de Software Standard * Contabilidade Geral, Analítica e Orçamental * Salários e Gestão de Recursos Humanos * Gestão de Imobilizado * Gestão de Contas Correntes * Gestão de Stocks

Leia mais

CASE STUDY MADEIRA WINE COMPANY

CASE STUDY MADEIRA WINE COMPANY CASE STUDY MADEIRA WINE COMPANY A Madeira Wine Company, titular das conceituadas marcas Blandy's, Cossart Gordon, Leacock's, Miles e Atlantis posicionase como um produtor nacional com um forte perfil de

Leia mais

APÊNDICE A TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

APÊNDICE A TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO APÊNDICES APÊNDICE A TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO Prezada Senhora: Estamos desenvolvendo uma pesquisa cujo título é ANÁLISE DO CONSUMO ALIMENTAR DE GRÁVIDAS QUE PARTICIPAM DO GRUPO DE GESTANTES

Leia mais

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS Para: Concessão da Exploração do Bar da Escola Superior de Educação de Portalegre Data: Portalegre, 10 de Agosto de 2012 1. Identificação do Objeto do Contrato O presente

Leia mais

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 18 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO VIMCO emulsão para injeção para ovelhas e cabras. 2. Composição qualitativa e quantitativa Uma dose (2

Leia mais

PALESTRAS DO 30 o CNL*

PALESTRAS DO 30 o CNL* Programação do 30 o CONGRESSO NACIONAL DE LATICÍNIOS (A Comissão Organizadora se reserva o direito de alterar a programação definida, objetivando o bom andamento do evento) Horário 3ª feira, 14/07/15 8:30

Leia mais

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para as Mensagens de Comércio Electrónico 14 de Dezembro 2010 Nuno Miranda

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para as Mensagens de Comércio Electrónico 14 de Dezembro 2010 Nuno Miranda NORMALIZAÇÃO Normas Globais para as Mensagens de Comércio Electrónico 14 de Dezembro 2010 Nuno Miranda The global language of business Standards GS1 A LINGUAGEM COMUM O standard é a LINGUAGEM COMUM entre

Leia mais

O QUE PRECISA DE SABER...

O QUE PRECISA DE SABER... GS1 GDSN Global Data Synchronisation Network Rede Global de Sincronização de Dados GS1 O QUE PRECISA DE SABER... 1 Introdução Imagine que um fornecedor ou retalhista pode continuamente alinhar as informações

Leia mais

PREÂMBULO CREDENCIAMENTO

PREÂMBULO CREDENCIAMENTO (Página: 1 / 8) ATA DE SESSÃO PÚBLICA Pregão Nº : 22/2015 Processo : Objeto : Contratação de empresas para fornecimento de lanches, bolos, biscoitos e bebidas PREÂMBULO No dia 12 de Marco de 2015, às 08:30

Leia mais

Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologias Departamento de Engenharia Informática. Delta Cafés. Análise do Negócio

Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologias Departamento de Engenharia Informática. Delta Cafés. Análise do Negócio Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologias Departamento de Engenharia Informática Delta Cafés Análise do Negócio Análise de Negócio realizada para a Disciplina de Planeamento Estratégico

Leia mais

AS ÁREAS RURAIS EM MUDANÇA Produtos agrícolas de qualidade DOP / IGP / ETG. Fonte: Porto Editora

AS ÁREAS RURAIS EM MUDANÇA Produtos agrícolas de qualidade DOP / IGP / ETG. Fonte: Porto Editora AS ÁREAS RURAIS EM MUDANÇA Produtos agrícolas de qualidade DOP / IGP / ETG Fonte: Porto Editora Existe em toda a Europa uma imensa riqueza e variedade de produtos alimentares. Mas quando um produto adquire

Leia mais

14.º Encontro de Verificadores Ambientais Desenvolvimento do EMAS a nível Comunitário. Maria Gorete Sampaio

14.º Encontro de Verificadores Ambientais Desenvolvimento do EMAS a nível Comunitário. Maria Gorete Sampaio 14.º Encontro de Verificadores Ambientais Desenvolvimento do EMAS a nível Comunitário Maria Gorete Sampaio 10 de Dezembro de 2015 ÍNDICE DA APRESENTAÇÃO ISO 14001 e integração no EMAS Estudo REFIT Revisão

Leia mais

A Eco-inovação na Estratégia do Cluster Habitat Sustentável em Portugal

A Eco-inovação na Estratégia do Cluster Habitat Sustentável em Portugal Workshop Eco-inovação e compras públicas em mercados da fileira Habitat Teatro Thalia, Palácio das Laranjeiras, Lisboa, 05/12/2013 A Eco-inovação na Estratégia do Cluster Habitat Sustentável em Portugal

Leia mais

Limite máximo (g/100g ou g/100ml) Legislação. Mistela composta R 04/88

Limite máximo (g/100g ou g/100ml) Legislação. Mistela composta R 04/88 INS 100i CÚRCUMA, CURCUMINA Função: Corante Amargos e aperitivos Cereja em calda (para reconstituição da cor perdida durante processamento) Queijos (exclusivamente na crosta) Iogurtes aromatizados Leites

Leia mais

Agenda. Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005. A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos

Agenda. Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005. A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005 A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos Sergio Ribinik CEO GS1 BRASIL MEMBRO DO ADVISORY COUNCIL DA GS1 E DO BOARD OF GOVERNORS DO EPC GLOBAL Agenda

Leia mais

Becel Lança bebida láctea

Becel Lança bebida láctea empresas & negócios Becel Lança bebida láctea Becel anuncia seu principal lançamento para o primeiro semestre de 2012 bebida láctea com polpa de frutas, que chega nos sabores Ameixa, Pêssego e Morango.

Leia mais

MINIPLANO DE NEGÓCIOS Fonte: Sebrae

MINIPLANO DE NEGÓCIOS Fonte: Sebrae MINIPLANO DE NEGÓCIOS Fonte: Sebrae Data: Nome da Empresa: Nome dos Proprietário(s): Endereço: Telefone: Email: 1 Empreendimento Proposto 1.1 Objetivo do Empreendimento: A empresatem por objetivo principal

Leia mais

(sincronização de bases de dados)

(sincronização de bases de dados) sgria-sync PT (sincronização de bases de dados) Fernanda Mascarenhas 30 de Outubro 2014 INSA/GS1- Trabalho desenvolvido Work done Escolha atributos GDSN para cumprimento do Regulamento EU N.º 1169/2011

Leia mais