EDUCAÇÃO FÍSICA ANDEBOL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDUCAÇÃO FÍSICA ANDEBOL"

Transcrição

1 EDUCAÇÃO FÍSICA ANDEBOL O Andebol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas (cada equipa tem: 7 jogadores em campo e 5 suplentes), cujo objectivo é introduzir a bola na baliza da equipa adversária e evitar que ela seja introduzida na sua, respeitando as regras do jogo. O campo é rectangular, sendo delimitado por duas linhas laterais e duas linhas de baliza (sobre as quais está colocada uma baliza). Cada partida de andebol tem a duração de 60 minutos, divididos em duas partes de 30 minutos. A equipa de arbitragem é composta por dois árbitros, um secretário e um cronometrista. Ganha a equipa que, no fim do jogo, tenha obtido maior número de golos. Os empates são permitidos, embora nalgumas situações, haja necessidade de se efectuar um prolongamento de 10 minutos (duas partes de 5 minutos), para desempatar as equipas. Caso se mantenha a igualdade, efectua-se um segundo prolongamento e, só depois, séries de 5 livres de 7 metros. 1 SITUAÇÕES ESPECIAIS 1.1 LANÇAMENTO DE SAÍDA O início do jogo de andebol (A1) é realizado com um lançamento de saída, em que os jogadores de cada equipa, devem estar obrigatoriamente no respectivo meio-campo, para que o árbitro possa ordenar o começo do jogo. Contudo, no lançamento de saída após golo (A2), apenas a equipa que executa o lançamento tem de estar no seu meio-campo, dando o árbitro continuidade ao jogo independentemente da posição dos adversários. Os jogadores da equipa contrária têm que estar a pelo menos 3 metros do jogador que tem a bola. 1.2 REPOSIÇÃO DA BOLA EM JOGO Este lançamento deve ser executado: Com um ou dois pés pisando a linha lateral no local de saída da bola Sobre o ponto de encontro entre a linha de baliza e a linha lateral, quando a bola sai pela linha de baliza tocada por um defesa. Qualquer defensor deve estar a 3 metros do lançador da bola, excepto quando se encontram junto da linha de área de baliza. 1.3 LANÇAMENTO DE BALIZA A bola é reposta pelo guarda-redes, com a mão, em qualquer ponto do interior da área de baliza. Se o guarda-redes retardar o lançamento, o árbitro apitará e aquele terá 3 segundos para o executar. Em caso de violação da regra, a equipa será penalizada com a marcação de lançamento livre de 9 metros. 1

2 1.4 LANÇAMENTO LIVRE A marcação do lançamento livre realiza-se no local onde ocorreu a falta. Se esta for cometida entre as linhas de 6 e 9 metros, o lançamento é realizado fora da linha de 9 metros. O jogador dispõe de 3 segundos para realizar o lançamento livre e tem de o fazer mantendo uma parte do pé de apoio em permanente contacto com o solo. Os defesas terão de estar a uma distância mínima de 3 metros do lançador. 1.5 LANÇAMENTO DE 7 METROS Na marcação deste lançamento, não pode existir nenhum jogador entre as linhas de 6 e 9 metros, à excepção do marcador do lançamento de 7 metros. Os defesas terão de estar a uma distância mínima de 3 metros do lançador, que é obrigado a rematar directamente à baliza. EM TODOS OS LANÇAMENTOS É POSSÍVEL OBTER GOLO DIRECTO. 2 REGULAMENTO 2

3 3 ACÇÕES TÉCNICAS 3.1 RECEPÇÃO Para uma boa recepção, há que ter em conta os seguintes aspectos: Avançar para a bola, fixando o olhar na sua trajectória Controlar a bola com as duas mãos, amortecendo a recepção com a flexão dos braços. 3.2 ARMAR O BRAÇO Armar o braço constitui uma situação de tripla ameaça para um defesa, pois o atacante, a partir dessa posição, pode: driblar, passar ou rematar. Este gesto deve ser caracterizado por: Cotovelo alto Bola ligeiramente acima da cabeça Pega da bola realizada pelos dedos sem contacto com a palma da mão. 3.3 PASSE O andebol é um jogo de equipa, devendo os jogadores passar a bola frequentemente entre si: Controlando a bola com as duas mãos Armar o braço Lançar a bola com um movimento rápido do antebraço e do pulso. O passe mais utilizado no andebol, é o passe de ombro: Dirigimos a bola ao peito do companheiro Quando existe um adversário entre o jogador que tem a bola e um seu companheiro, realiza-se o passe picado: A bola ressalta no solo antes de chegar ao colega de equipa. O passe de pulso é usado para assegurar a colocação rápida da bola num companheiro desmarcado: A bola é passada na direcção do companheiro através de uma rotação interna do braço e de uma flexão do pulso. 3

4 3.4 DRIBLE Como não é permitido dar mais de 3 passos com a bola nas mãos, a progressão no campo, faz-se através de batimentos sucessivos da bola no solo drible de progressão: Com os dedos afastados, fazer ressaltar a bola (empurrar e amortecer) à frente e ao lado do pé, em direcção à baliza. Para conservar a bola em drible, quando é pressionado por um adversário, o jogador executa o drible de protecção: Batimento da bola abaixo do nível da cintura, colocando o seu corpo entre a bola e o adversário. Em todas as situações de drible, deve evitar-se olhar para a bola (mantendo a cabeça levantada) e esta não deve ultrapassar a altura da cintura (controlar o batimento da bola). 3.5 REMATE O gesto técnico que permite concretizar o objectivo do jogo (marcar golo) é o remate. Os remates mais usados são: o remate em apoio e o remate em suspensão. No remate em apoio o jogador deve: Armar o braço no final do primeiro passo e rematar após o terceiro, rodando o tronco para a frente No remate em suspensão, o jogador: Salta na vertical, armando o braço Realiza uma rotação do tronco à frente, que permite aumentar a potência do remate. 3.6 BLOCO Para travar o remate, os jogadores defesas devem dominar a técnica do bloco, que se caracteriza por: Braços tensos e paralelos, numa posição que corte a linha de remate (linha imaginária que vai da bola à baliza) Mãos bem abertas e dirigidas para a bola Não fechar os olhos durante o bloco. 4

5 3.7 FINTA As fintas são um excelente meio para conseguir ultrapassar o defesa e criar situações de superioridade numérica: Tentamos deslocar e desequilibrar o defensor para um dos lados e mudamos rapidamente de direcção e de velocidade para o lado contrário. 3.8 GUARDA-REDES O guarda-redes constitui a derradeira oposição ao remate do atacante, podendo defender com qualquer parte do corpo. Tendo em conta a variedade de remates, a posição deste jogador deve ser: Entre os postes, adiantado cerca de um metro em relação à linha de baliza Deve deslocar-se na baliza de acordo com o movimento da bola Sempre que tiver um adversário isolado à sua frente, deve adiantar-se para fechar o ângulo de remate e diminuir as possibilidades de concretização. 4 ACÇÕES TÁCTICAS 4.1 ATAQUE O contra-ataque, resultante de uma falha do adversário, de uma boa intervenção do guarda-redes ou de uma intercepção da defesa, é muitas vezes a primeira situação de ataque. Em situações de superioridade numérica, o atacante deve driblar e rematar junto à área. Se algum dos defesas o pressionar, deve passar a bola imediatamente ao companheiro livre. 4.2 DEFESA Uma equipa pode utilizar dois tipos de defesa: individual (quando cada jogador marca um adversário directo) ou à zona (quando cada jogador é responsável por uma determinada área do campo). As principais preocupações da defesa são: Defender o jogador com bola, colocando-se entre o atacante e a baliza, evitando que este se aproxime da baliza, que remate ou passe em boas condições Defender o jogador sem bola, colocando-se entre a bola e o possível receptor, evitando que este a receba (cortar a linha de passe). 5

6 Sinais da Arbitragem 6

O essencial sobre Autor: Francisco Cubal

O essencial sobre Autor: Francisco Cubal O essencial sobre Autor: Francisco Cubal 1 Qual a história do Voleibol? Em 1895 o professor de Educação Física G. Morgan, nos Estados Unidos, criou uma modalidade desportiva que, devido ao seu toque no

Leia mais

Estruturação dos Conteúdos Unidade Didáctica de Basquetebol. Aula Objectivo Específico Conteúdos Estratégias

Estruturação dos Conteúdos Unidade Didáctica de Basquetebol. Aula Objectivo Específico Conteúdos Estratégias Estruturação dos Conteúdos Unidade Didáctica de Basquetebol Aula Objectivo Específico Conteúdos Estratégias 1 Posição Básica Ofensiva; Passe (Peito e Picado) /recepção; Drible de Avaliar a prestação motora

Leia mais

TEMA : O Basquetebol

TEMA : O Basquetebol TRABALHO PARA A DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA TEMA : O Basquetebol Trabalho realizado por: David Carreira Ribeiro Pág.1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO BREVE ENQUADRAMENTO HISTÓRICO....... 1 2 CARACTERISTICAS GERAIS

Leia mais

PROFESSOR RENATO OLIVEIRA

PROFESSOR RENATO OLIVEIRA PROFESSOR RENATO OLIVEIRA Documento da Modalidade Andebol DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA INTRODUÇÃO Este documento surge na necessidade de realizar um documento que descreva de forma clara e resumida todos

Leia mais

Formação de Árbitros FUTSAL

Formação de Árbitros FUTSAL Formação de Árbitros FUTSAL O árbitro é o indivíduo responsável por fazer cumprir as regras, o regulamento e o espírito do jogo ao qual estão submetidos e intervir sempre que necessário, no caso quando

Leia mais

Documento de Apoio de Basquetebol

Documento de Apoio de Basquetebol I HISTÓRIA DO BASQUETEBOL A história do basquetebol tem praticamente origem com o aparecimento do homem na terra. A sua sobrevivência resultou dos meios que dispunha: a caça e a pesca. Mas para o conseguir

Leia mais

Disciplina: Educação Física Unidade didáctica: Andebol Turma: 7º B Aula Número: 43-44 COMPONENTES CRÍTICAS

Disciplina: Educação Física Unidade didáctica: Andebol Turma: 7º B Aula Número: 43-44 COMPONENTES CRÍTICAS Plano de Aula Professora estagiária: Disciplina: Educação Física Unidade didáctica: Andebol Turma: 7º B Aula Número: 43-44 Data: 19/01/10 Horário: 11h50-13h20 Duração: 90 min. Local: Pavilhão Número de

Leia mais

Diagrama das dimensões de uma quadra oficial Diagrama das dimensões de uma tabela oficial Equipe - Existem duas equipes que são compostas por 5

Diagrama das dimensões de uma quadra oficial Diagrama das dimensões de uma tabela oficial Equipe - Existem duas equipes que são compostas por 5 Basquetebol O basquetebol é um desporto colectivo inventado em 1891 pelo professor de Educação Física canadense James Naismith, na Associação Cristã de Moços de Springfield (Massachusetts), EUA. É jogado

Leia mais

Unidade didática de Futebol Objetivos gerais do Futebol

Unidade didática de Futebol Objetivos gerais do Futebol 102 Recursos do Professor Unidade didática de Futebol Objetivos gerais do Futebol Cooperar com os companheiros para o alcance do objetivo do Futebol, desempenhando com oportunidade e correção as ações

Leia mais

Modalidade Alternativa: Badminton

Modalidade Alternativa: Badminton Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas Modalidade Alternativa: Badminton Ações técnico-táticas Regulamento Professora: Andreia Veiga Canedo Professora Estagiária: Joana Filipa Pinto Correia Ano

Leia mais

1. História do Voleibol. 2. Caracterização do Voleibol. 2. Regras do Voleibol. Documento de Apoio de Voleibol VOLEIBOL

1. História do Voleibol. 2. Caracterização do Voleibol. 2. Regras do Voleibol. Documento de Apoio de Voleibol VOLEIBOL VOLEIBOL 1. História do Voleibol O Voleibol foi criado em 1885, em Massachussets, por William G. Morgan, responsável pela Educação Física no Colégio de Holyoke, no Estado de Massachussets, nos Estados

Leia mais

JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS

JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2015/2016 EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO (I), ELEMENTAR (E) e AVANÇADO (A) JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 5º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 5.º Ano 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM Atletismo

Leia mais

AS REGRAS DO VOLEIBOL

AS REGRAS DO VOLEIBOL AS REGRAS DO VOLEIBOL NÚMERO DE JOGADORES Cada equipa é composta, no máximo, por 12 jogadores inscritos no boletim de jogo. Apenas 6 jogadores ocupam o terreno de jogo ( 6 efectivos e 6 suplentes ). O

Leia mais

Caracterização. Objetivo

Caracterização. Objetivo VOLEIBOL Caracterização O voleibol é um jogo desportivo coletivo praticado por duas equipas, cada uma composta por seis jogadores efetivos e, no máximo, seis suplentes, podendo um ou dois destes jogadores

Leia mais

Documento de Apoio de Voleibol

Documento de Apoio de Voleibol Documento de Apoio de Voleibol PROFESSOR RENATO OLIVEIRA HISTÓRIA DA MODALIDADE O Voleibol foi criado em 1885, em Massachussets, por William G. Morgan, responsável pela Educação Física no Colégio de Holioke,

Leia mais

Colégio Adventista de Rio Preto Educação Física BASQUETEBOL. Basquetebol 8º ano. basquetebol

Colégio Adventista de Rio Preto Educação Física BASQUETEBOL. Basquetebol 8º ano. basquetebol Colégio Adventista de Rio Preto Educação Física BASQUETEBOL Basquetebol 8º ano Basquetebol Origem e Evolução: Estados Unidos - 1891 Prof. James Naismith Universidade Springfield - USA Ginástica - inverno

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Informação - Prova de Equivalência à Frequência Prova de Equivalência à Frequência de EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 28 Ano de escolaridade: 6º ano (Decreto Lei n.º 139/2012, de 5 de julho e Despacho Normativo

Leia mais

FUTSAL. O Futsal é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cada uma delas formada por cinco jogadores de campo e sete suplentes.

FUTSAL. O Futsal é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cada uma delas formada por cinco jogadores de campo e sete suplentes. FUTSAL 1. História do Futsal A prática do futebol de salão começou a dar aos primeiros passos na década de 30 no século XX, nos campos de basquetebol e em pequenos salões. As primeiras regras tiveram por

Leia mais

Projecto Nestum Rugby Rugby nas Escolas

Projecto Nestum Rugby Rugby nas Escolas Projecto Nestum Rugby Rugby nas Escolas Introdução A Federação Portuguesa de Rugby (FPR) acordou com o Gabinete do Desporto Escolar o lançamento do Projecto Nestum, Rugby nas Escolas. A NESTUM apoia este

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA Bateria de Exercícios Voleibol NÚCLEO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2000.2001 VOLEIBOL BATERIA DE EXERCÍCIOS Este documento pretende acima de tudo fornecer ao professor uma

Leia mais

Os juízes de linha devem apresentar-se, junto da mesa do marcador, no mínimo 45 minutos antes do início do jogo.

Os juízes de linha devem apresentar-se, junto da mesa do marcador, no mínimo 45 minutos antes do início do jogo. INTRODUÇÃO As Regras de Jogo regulamentam as funções dos juízes de linha, a sua localização (27.1) e as suas responsabilidades (27.2). Além disso, a Regra 28.2 indica os gestos oficiais com as bandeirolas

Leia mais

AS REGRAS DO BASQUETEBOL

AS REGRAS DO BASQUETEBOL AS REGRAS DO BASQUETEBOL A BOLA A bola é esférica, de cabedal, borracha ou material sintéctico. O peso situa-se entre 600 g e 650g e a circunferência deve estar compreendida entre 75 cm e 78 cm. CESTOS

Leia mais

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol Secundário Andebol Conhecer o objectivo e campo do jogo; Conhecer as seguintes regras do jogo: duração do jogo, constituição das equipas, golo, lançamento de saída, guarda-redes, área de baliza, violação

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2014/2015 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - OPERADOR DE INFORMÁTICA

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2014/2015 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - OPERADOR DE INFORMÁTICA PLANIFICAÇÃO MODULAR ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2014/2015 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - OPERADOR DE INFORMÁTICA MÓDULO A1 JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS a) Coopera com os companheiros, quer nos exercícios

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010 Ginástica de Solo Prova Prática ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010 Tempo de realização: 45m A prova é composta por

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 9º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 1º PERÍODO 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM

Leia mais

Curso de Treinadores de Futsal 1º Nível Dezembro/08 Janeiro/09. Capacidades Motoras Caderno de Exercícios. Bruno Torres

Curso de Treinadores de Futsal 1º Nível Dezembro/08 Janeiro/09. Capacidades Motoras Caderno de Exercícios. Bruno Torres Curso de Treinadores de Futsal 1º Nível Dezembro/08 Janeiro/09 Capacidades Motoras Caderno de Exercícios Bruno Torres 1 Modelo de Activação Funcional 2 Operacionalização: Activação Funcional. Grupos de

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 7ª, 8ª e 9ª classes 1º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Educação Física - 7ª, 8ª e 9ª classes EDITORA: INIDE IMPRESSÃO: GestGráfica, S.A. TIRAGEM:

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015

INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015 INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015 O presente documento visa divulgar as características da prova final do 2º ciclo do ensino básico da disciplina

Leia mais

Lentos, atrasados e desequilibrados

Lentos, atrasados e desequilibrados Deslocamentos Lentos, atrasados e desequilibrados Descoordenação espaço-tempo pela falta de referências e pelas dificuldades naturais da areia, vento ou sol Maior dificuldade em deslocamentos para trás

Leia mais

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL ÍNDICE CAPITULO I - O JOGO DE MINIVOLEIBOL - REGRA 1 - Concepção do Jogo - REGRA 2 - A quem se dirige - REGRA 3 - Finalidade do Jogo CAPITULO II - INSTALAÇÕES E MATERIAL - REGRA

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL CONSELHO DE ARBITRAGEM CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 Fátima, 6 de Agosto de 2006 ÉPOCA 2006/2007

Leia mais

Índice INTRODUÇÃO 1 HISTÓRIA DO FUTSAL 1 CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE 3

Índice INTRODUÇÃO 1 HISTÓRIA DO FUTSAL 1 CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE 3 Índice INTRODUÇÃO 1 HISTÓRIA DO FUTSAL 1 CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE 3 ESPAÇO DE JOGO 3 BOLA 4 NÚMERO DE JOGADORES 4 ESCOLHA DO CAMPO E DURAÇÃO DO JOGO 4 OBJECTIVO DO JOGO 5 SEGURANÇA 5 CONTEÚDOS TÉCNICO-TÁCTICOS

Leia mais

17/02/2016. Mestrando Dagnou Pessoa de Moura - Dog. A partida é supervisionada por três árbitros

17/02/2016. Mestrando Dagnou Pessoa de Moura - Dog. A partida é supervisionada por três árbitros Mestrando Dagnou Pessoa de Moura - Dog Formado em Educação Física Unisalesiano Lins Especialista em Fisiologia do Exercício UFSCar Especialista em Biomecânica, Avaliação Física e Prescrição de Exercícios

Leia mais

VOLLEYBALL Voleibol. Escola Dr. Costa Matos 2013/14. Ana Fernandes 8ºD

VOLLEYBALL Voleibol. Escola Dr. Costa Matos 2013/14. Ana Fernandes 8ºD VOLLEYBALL Voleibol Escola Dr. Costa Matos 2013/14 Ana Fernandes 8ºD REFERÊNCIAS HISTÓRICAS Origem REFERÊNCIAS HISTÓRICAS Origem Criado por William Morgan (Professor EF do Springfield College of the YMCA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo Avaliação dos alunos (Critérios uniformizados a nível do Conselho Pedagógico e do Grupo

Leia mais

COLÉGIO TERESIANO BRAGA Ano Letivo 2011-2012 Educação Física 1º Período 7º Ano 1. ATLETISMO

COLÉGIO TERESIANO BRAGA Ano Letivo 2011-2012 Educação Física 1º Período 7º Ano 1. ATLETISMO COLÉGIO TERESIANO BRAGA Ano Letivo 2011-2012 Educação Física 1º Período 7º Ano 1. ATLETISMO Corridas Especialidades Velocidade Meio-Fundo Fundo Barreiras Estafetas Provas 60m, 100m, 200m, 400m 800m, 1500m,

Leia mais

O que é o Bitoque-rugby

O que é o Bitoque-rugby O que é o Bitoque-rugby O rugby é uma modalidade desportiva que envolve contacto físico entre os seus praticantes, sendo assim é de primordial importância que os praticantes joguem de acordo com as regras

Leia mais

DEFESA INDIVIDUAL por Luís Laureano

DEFESA INDIVIDUAL por Luís Laureano DEFESA INDIVIDUAL por Luís Laureano Sempre que me encontro em Reguengos não perco a oportunidade de observar atentamente os jogos do meu Clube. Tenho visto, nomeadamente, no escalão de Sub 14 masculino

Leia mais

APOSTILA DE VOLEIBOL

APOSTILA DE VOLEIBOL APOSTILA DE VOLEIBOL O voleibol é praticado em uma quadra retangular dividida ao meio por uma rede que impede o contato corporal entre os adversários. A disputa é entre duas equipes compostas por seis

Leia mais

APOSTILA DE FUTSAL. 6º, 7º, 8º e 9º ANO. HISTÓRICO No Brasil

APOSTILA DE FUTSAL. 6º, 7º, 8º e 9º ANO. HISTÓRICO No Brasil APOSTILA DE FUTSAL 6º, 7º, 8º e 9º ANO HISTÓRICO No Brasil O Futebol de Salão tem duas versões sobre o seu surgimento, como em outros esportes, há divergências quanto a sua invenção. Há uma versão que

Leia mais

2 CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO

2 CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO 1 CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS E CONFIGURAÇÃO DOS JOGOS O número de praticantes desportivos por equipa que podem ser inscritos no boletim de jogo é os seguintes: 2º Ciclo: 4 jogadores (Jogos 2x2); 3º Ciclo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DAS UNIDADES DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º E 3º CICLO 2014/2015 FUTEBOL

PLANIFICAÇÃO DAS UNIDADES DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º E 3º CICLO 2014/2015 FUTEBOL FUTEBOL 1. Recebe a bola controlando-a e enquadra-se 1. Recebe a bola, controlando-a e enquadra-se ofensivamente; ofensivamente, optando conforme a leitura da simula e ou finta, se necessário, para se

Leia mais

ACÇÃO INTERMÉDIA DE AVALIAÇÃO E REFLEXÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS

ACÇÃO INTERMÉDIA DE AVALIAÇÃO E REFLEXÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL CONSELHO DE ARBITRAGEM ACÇÃO INTERMÉDIA DE AVALIAÇÃO E REFLEXÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 Leiria, 20 de Janeiro de 2007 ÉPOCA 2006/2007 TESTE ESCRITO

Leia mais

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL ÍNDICE CAPITULO I - O JOGO DE MINIVOLEIBOL - REGRA 1 - Concepção do Jogo - REGRA 2 - A quem se dirige - REGRA 3 - Finalidade do Jogo CAPITULO II - INSTALAÇÕES E MATERIAL - REGRA

Leia mais

JOGOS UNIVERSITÁRIOS CAMILIANOS - JUCAM 2013

JOGOS UNIVERSITÁRIOS CAMILIANOS - JUCAM 2013 REGULAMENTO PARA O VOLEIBOL EQUIPES Uma equipe é formada por 10 jogadores. E somente 6 jogadores podem participar do jogo tendo como obrigatoriedade 3 homens e 3 mulheres em quadra para condições de jogo.

Leia mais

COLÉGIO TERESIANO BRAGA Ano Letivo 2011-2012 Educação Física 2º Período 5º Ano BASQUETEBOL

COLÉGIO TERESIANO BRAGA Ano Letivo 2011-2012 Educação Física 2º Período 5º Ano BASQUETEBOL COLÉGIO TERESIANO BRAGA Ano Letivo 2011-2012 Educação Física 2º Período 5º Ano 1. HISTÓRIA BASQUETEBOL Origem Em Dezembro de 1891, o professor de educação física canadense James Naismith, do Springfield

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA GINÁSTICA 1 GINÁSTICA NO SOLO

EDUCAÇÃO FÍSICA GINÁSTICA 1 GINÁSTICA NO SOLO EDUCAÇÃO FÍSICA GINÁSTICA Para a realização dos exercícios de ginástica, foram usados alguns materiais e aparelhos, cuja manipulação e utilização, exigiram determinados cuidados específicos: Tapete de

Leia mais

FUTSAL CONTEXTO HISTÓRICO DO FUTSAL

FUTSAL CONTEXTO HISTÓRICO DO FUTSAL FUTSAL CONTEXTO HISTÓRICO DO FUTSAL Brasileiro ou uruguaio? É com esta dúvida que se começa a explicar o nascimento do futsal, que surgiu com o nome de futebol de salão e em 1989, quando passou para a

Leia mais

INFORMAÇÃO - EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO

INFORMAÇÃO - EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO INFORMAÇÃO - EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO DA PROVA: 28 ANO LETIVO: 2014/15 MODALIDADE: PROVA PRÁTICA 1. Introdução O presente documento

Leia mais

JOGOS LÚDICOS PARA AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

JOGOS LÚDICOS PARA AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA JOGOS LÚDICOS PARA AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA VOLUME 2 1 NOME DO JOGO: JOGOS DOS DEZ PASSES CONTEÚDOS: Passe ESPECIFICIDADE EM: Andebol; Basquetebol; Corfebol. MATERIAL NECESSÁRIO: Bolas; coletes OBJECTIVO

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL COORDENADORA SANDRA MARA KUCHNIR

ENSINO FUNDAMENTAL COORDENADORA SANDRA MARA KUCHNIR ENSINO FUNDAMENTAL COORDENADORA SANDRA MARA KUCHNIR 2014 EDUCAÇÃO FÍSICA EDUCAÇÃO FÍSICA PRODUÇÃO CULTURAL DA SOCIEDADE EXPRESSADA ATRAVÉS DO MOVIMENTO EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDOS EDUCAÇÃO FÍSICA EIXOS ESPORTE

Leia mais

Direção de Serviços do Desporto Escolar. Regulamento Específico Futsal

Direção de Serviços do Desporto Escolar. Regulamento Específico Futsal Direção de Serviços do Desporto Escolar Regulamento Específico Futsal Ano Lectivo 2012-2013 LEI I A SUPERFÍCIE DE JOGO ARTº 1º Os jogos de Futsal serão realizados preferencialmente nos recintos de Andebol

Leia mais

11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES

11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES 11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES O futsal, como outras modalidades, está associado a certos riscos de lesões por parte dos jogadores. No entanto, estudos científicos comprovaram que a incidência de lesões

Leia mais

Profª. Esp. Maria Helena Carvalho

Profª. Esp. Maria Helena Carvalho Profª. Esp. Maria Helena Carvalho HISTÓRIA DO VOLEIBOL Criação nos EUA; Dia 09 de fevereiro de 1895; Pelo diretor de Educação Física da ACM William George Morgan; Era conhecido como mintonette. Obs.: Nessa

Leia mais

3. Pressione o cotovelo, com a maior força possível com a outra mão, em direção ao outro ombro. Fique nesta posição por 10 segundos. Repita 3X.

3. Pressione o cotovelo, com a maior força possível com a outra mão, em direção ao outro ombro. Fique nesta posição por 10 segundos. Repita 3X. THIAGO MURILO EXERCÍCIOS PARA DEPOIS DO TÊNIS 1. Em Pé de costas para um canto de parede flexione a sua perna mais forte para frente, alinhe a coluna e leve os braços para trás até apoiar as palmas das

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO I E A

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO I E A AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2015/2016 EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO (I), ELEMENTAR (E) e AVANÇADO (A) 1. Se tem a bola, passar

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO DOS REIS EDUCAÇÃO

Leia mais

CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular

CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular Ano Lectivo: 2015-2016 Curso: Técnico de Gestão Ano: 11º Turma: Q Disciplina: Educação Física Módulo nº: 7 Data de início: 28/09/2011 TEMA do MÓDULO:

Leia mais

ENSINAR E APRENDER A JOGAR MINIBASQUETE. Carlos Bio. Adaptação Luís Laureano

ENSINAR E APRENDER A JOGAR MINIBASQUETE. Carlos Bio. Adaptação Luís Laureano ENSINAR E APRENDER A JOGAR MINIBASQUETE Carlos Bio Adaptação Luís Laureano 2 METODOLOGIA DE ENSINO Para ensinarmos o Minibasquete vamos seguir uma Metodologia, que nos parece indicada para o trabalho com

Leia mais

MÓDULO 5. Op.2 - Desportos Coletivos-BASQUETEBOL

MÓDULO 5. Op.2 - Desportos Coletivos-BASQUETEBOL 1. Origem, evolução e tendências de desenvolvimento da modalidade 1.1. Contextos organizacionais e formas de prática 1.2. Aspetos demográficos e geográficos da prática 1.3. Tendências de desenvolvimento

Leia mais

Programa de Educação Física, EB - 6º ano

Programa de Educação Física, EB - 6º ano Programa de Educação Física, EB - 6º ano CONTEÚDOS Objectivos Gerais Objectivos por Área Desenvolvimento das Capacidades Físicas: 1. Resistência 2. Força 3. Velocidade 4. Flexibilidade 5. Destreza Geral

Leia mais

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes Aula Teórica História A exemplo do que se passa em outras modalidades desportivas, também surgem grandes interrogações sobre a origem do Futsal. No entanto parecem não restar dúvidas que teve origem na

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012

Ano Letivo 2011/2012 Ano Letivo 2011/2012 Informação/ Exame de Equivalência à Frequência Disciplina de Educação Física 2ºciclo 1. Objeto de Avaliação A prova tem por referência o Programa de Educação Física. A prova desta

Leia mais

Princípios de Jogo Formação - Infantis 2013-2014

Princípios de Jogo Formação - Infantis 2013-2014 O futebol é um jogo de oposição entre os jogadores de duas equipas e, simultaneamente, um jogo de cooperação entre os elementos da mesma equipa que procuram, a todo o momento, a adopção de comportamentos

Leia mais

Regras Oficiais de Voleibol 2001-2004 APROVADAS PELA FIVB EDIÇÃO - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL

Regras Oficiais de Voleibol 2001-2004 APROVADAS PELA FIVB EDIÇÃO - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL REGRAS OFICIAIS DE VOLEIBOL 2001-2004 APROVADAS PELA FIVB EDIÇÃO - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL ÍNDICE Características do jogo SECÇÃO I O JOGO CAPÍTULO I INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTO REGRA 1. ÁREA DE

Leia mais

Introdução... 02. Objectivos... 03. Características... 04. Metodologia... 06 Organização da Aula... 07 Método de Avaliação... 07

Introdução... 02. Objectivos... 03. Características... 04. Metodologia... 06 Organização da Aula... 07 Método de Avaliação... 07 Escola Básica Integrada C/ J.I. D. Carlos I Núcleo de Estágio da FMH 2006/2007 Alberto Silva Leonel Oliveira Dias INDÍCE Introdução... 02 Objectivos... 03 Características... 04 Metodologia... 06 Organização

Leia mais

Periodização do Treino

Periodização do Treino Periodização do Treino Seniores masculinos AAC OAF FUTSAL Número: 3 Unidade de Treino Objectivos: Organização do processo defensivo, transição ataque defesa, potência aeróbia especifica Data: 27/08/2005

Leia mais

Figura 1 James Naismith

Figura 1 James Naismith 8 Ano Ensino Fundamental Basquetebol Unidade: 02 Prof.º Leonardo Delgado ASPECTOS HISTÓRICOS DO BASQUETEBOL O basquetebol foi criado pelo canadense James Naismith em dezembro de 1891, na cidade americana

Leia mais

Nome: Turma : N.º. Grupo 1 (24 %) Basquetebol (Cada questão 3%)

Nome: Turma : N.º. Grupo 1 (24 %) Basquetebol (Cada questão 3%) Teste Escrito 1 Educação Física 3º CEB 1.º Período 2011/2012 Nome: Turma : N.º O Professor Encarregado de Educação Avaliação Lê atentamente as afirmações e as opções de resposta. De seguida, assinala na

Leia mais

A TÉCNICA E A AVALIAÇÃO

A TÉCNICA E A AVALIAÇÃO A TÉCNICA E A AVALIAÇÃO Os jogos dos Campeonatos Regionais e mesmo alguns das primeiras fases dos Campeonatos Nacionais das divisões abertas, são dirigidos por um só árbitro: o 1º sem a colaboração do

Leia mais

Programa de Educação Física, EB - 5º ano

Programa de Educação Física, EB - 5º ano Programa de Educação Física, EB - 5º ano Programa de Educação Física, 2º Ciclo do EB, 5º ano CONTEÚDOS Objectivos Gerais Objectivos por Área Desenvolvimento das Capacidades Físicas: 1. Resistência 2. Força

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL CONSELHO DE ARBITRAGEM CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 Tomar, 5 de Agosto de 2007 ÉPOCA 2007/2008

Leia mais

Associação de Futebol de Lisboa CONSELHO DE ARBITRAGEM

Associação de Futebol de Lisboa CONSELHO DE ARBITRAGEM ssociação de Futebol de Lisboa ONSELHO DE ITGEM 1ª OV VLIÇÃO TEOI EGULMENT OSEVDOES DISTITIS 2012 / 2013 02 / Outubro / 2012 Futebol OS 2 ua Fanqueiros TESTE 05 Leia atentamente as instruções seguintes:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Victor H. A. Okazaki http://okazaki.webs.com Material de Apoio: Desenvolvimento & Aprendizado

Leia mais

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo ANTF Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo Fases do Jogo VÍTOR URBANO FASES DO JOGO No Futebol Moderno, todos os jogadores da equipa, sem

Leia mais

MATERIAL DE APOIO ED. FÍSICA PROFª. THAÍS LUCENA ALUNO(A): Nº RECIFE, DE DE 2012.

MATERIAL DE APOIO ED. FÍSICA PROFª. THAÍS LUCENA ALUNO(A): Nº RECIFE, DE DE 2012. DO INFANTIL ENSINO AO COMPLETO VESTIBULAR MATERIAL DE APOIO ED. FÍSICA PROFª. THAÍS LUCENA ALUNO(A): Nº RECIFE, DE DE 2012. 1. O sorteio do jogo - O sorteio é efetuado na presença dos dois capitães de

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO AOS ÁRBITROS DE BASQUETEBOL DO DESPORTO ESCOLAR 2015/2016 DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO DESPORTO ESCOLAR

DOCUMENTO DE APOIO AOS ÁRBITROS DE BASQUETEBOL DO DESPORTO ESCOLAR 2015/2016 DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO DESPORTO ESCOLAR DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO DESPORTO ESCOLAR DOCUMENTO DE APOIO AOS ÁRBITROS DE BASQUETEBOL DO DESPORTO ESCOLAR 2015/2016 Rua D. João nº57, Quinta Olinda, 9054-510 Funchal Email: dsde@madeira-edu.pt Página

Leia mais

O Basquetebol 1- Histórico do Basquetebol: O basquetebol no Brasil: O basquetebol em Santa Catarina: 2- O jogo de basquetebol:

O Basquetebol 1- Histórico do Basquetebol: O basquetebol no Brasil: O basquetebol em Santa Catarina: 2- O jogo de basquetebol: O Basquetebol 1- Histórico do Basquetebol: O criador do basquetebol foi o canadense James Naismith, no ano de 1891, incentivado por Luther Halsey Gullick, diretor do Springfield College, colégio internacional

Leia mais

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Mobilização da articulação do ombro 1 Objectivos: Aumentar a amplitude dos ombros e parte superior das costas. Mobiliza os deltóides, rotadores da

Leia mais

FUNDAMENTALS DRILLS. por Kevin Eastman

FUNDAMENTALS DRILLS. por Kevin Eastman por Kevin Eastman FUNDAMENTALS DRILLS Kevin Eastman é um dos melhores professores dos fundamentos do basquetebol nos E.U.A. Antigo treinador das universidades de Washington State e North Carolina - Wilmington,

Leia mais

SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR

SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR ANO LECTIVO 2010/2011 ÍNDICE 1 Programa... 2 2 Determinações referentes à participação... 2 2.1 Quadro

Leia mais

b a l õ e s E x e r c í c i o s j o g o s c o m Escola Superior de Educação de Bragança Educação Física no Jardim de Infância

b a l õ e s E x e r c í c i o s j o g o s c o m Escola Superior de Educação de Bragança Educação Física no Jardim de Infância Escola Superior de Educação de Bragança Educação Física no Jardim de Infância E x e r c í c i o s e j o g o s c o m b a l õ e s José Bragada Prof. Adjunto da Área de Educação Física Junho de 2000 Introdução

Leia mais

OS SINAIS DO ÁRBITRO. Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde

OS SINAIS DO ÁRBITRO. Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde OS SINAIS DO ÁRBITRO Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde Os 49 sinais do árbitro têm como objetivo facilitar a comunicação com os jogadores e o público

Leia mais

PETROBRAS MINI-HAND / INICIAÇÃO ESPORTIVA

PETROBRAS MINI-HAND / INICIAÇÃO ESPORTIVA Setembro/1997 Tradução: Dezembro/1999 Atualização: Janeiro/2005 ELABORAÇÃO: JOSÉ LUIS GÓMES CALVO (PORTO RICO) FRANCISCO JAVIER LÓPEZ (PORTO RICO) TRADUÇÃO: ALEXANDRE CERQUEIRA PEREIRA (BRASIL) 1 ÍNDICE

Leia mais

Bateria de Medidas e Testes. Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol

Bateria de Medidas e Testes. Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol Bateria de Medidas e Testes Centros de Formação de Jogadores Federação Portuguesa de Voleibol 2004 Nota Introdutória A bateria de medidas e testes a ser aplicada nos centros de formação resulta de um conjunto

Leia mais

A história do basquetebol

A história do basquetebol O Basquetebol A história do basquetebol Porque foi criado? Em Dezembro de 1891, o professor de educação física de Springfield College em Massachusetts, Estados Unidos, James Naismith, recebeu uma tarefa

Leia mais

REGRAS DE FUTSAL (Principais Regras)

REGRAS DE FUTSAL (Principais Regras) REGRAS DE FUTSAL (Principais Regras) Tempo de jogo: 30 minutos (15 min. + 15 min.); Período de desconto de tempo: Cada equipa tem direito a 2 (um em cada parte) Duração: 1 minuto; Número de jogadores:

Leia mais

Princípios da defesa 5x3

Princípios da defesa 5x3 Princípios da defesa 5x3 Não importa qual defesa praticamos, mas, o como a tornamos eficaz No 5x5, são até três atacantes realmente envolvidos em uma jogada, portanto, se todos estiverem sempre comprometidos

Leia mais

História e Evolução do Voleibol

História e Evolução do Voleibol História e Evolução do Voleibol Os jogos com bola já remontam há longos anos. Na velha Gália, jogava-se ao Follis. Os indivíduos que jogavam estes jogos estavam dispostos em círculo e tinham por objectivo

Leia mais

Escola Secundária c/ 3º ciclo do Fundão

Escola Secundária c/ 3º ciclo do Fundão Escola Secundária c/ 3º ciclo do Fundão ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1 HISTÓRIA DA MODALIDADE... 2 RECURSOS... 5 Espaciais 5 Materiais 5 Temporais 6 Humanos 6 ESTRATÉGIAS GERAIS DA UNIDADE DIDÁCTICA... 7 COMPETÊNCIAS

Leia mais

Exercícios de força muscular

Exercícios de força muscular Exercícios de força muscular ABDOMINAIS Objectivos: Melhoria funcional e reforço muscular do Core. Posição Inicial - Deite-se em decúbito dorsal (barriga para cima), coloque as pernas flectidas a 45º,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS NORONHA FEIO ESCOLA E. B. 2. 3. NORONHA FEIO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Orientações metodológicas Programação e Planeamento Avaliação Actividade Interna CAP I PROGRAMAÇÃO E

Leia mais

DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS. 1.º Período: ATIVIDADES DESPORTIVAS

DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS. 1.º Período: ATIVIDADES DESPORTIVAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Metas Intermédias Atividades Desportivas O aluno cumpre o nível introdutório de quatro matérias diferentes: Um nível introdutório na categoria

Leia mais

Regulamento Específico de Basquetebol

Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Basquetebol 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS / BOLA DE JOGO... 4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 4 4. MESA DE JOGO... 4 5. ARBITRAGEM... 5

Leia mais

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História Bitoque Râguebi História A lenda da criação do râguebi teve início por William Webb Ellis, um estudante de Londres. Foi dito que, durante uma partida de futebol em Novembro de 1823 na Rugby School, o tal

Leia mais

Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 de largura. 13 m. Deve ser distanciado de qualquer obstáculo, se possível, pelo menos 1 (um)

Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 de largura. 13 m. Deve ser distanciado de qualquer obstáculo, se possível, pelo menos 1 (um) MINI-VOLEIBOL 2014/15 TORNEIO 4X4 Regulamento da Prova CAPÍTULO I INSTALAÇÕES E MATERIAL O Terreno de Jogo Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 de largura 13 m 6,5 m metro. Deve ser distanciado

Leia mais

1.ºs JOGOS MINA DE ÁGUA 2014. Regulamento. Artigo 1º Equipas

1.ºs JOGOS MINA DE ÁGUA 2014. Regulamento. Artigo 1º Equipas 1.ºs JOGOS MINA DE ÁGUA 2014 Regulamento Artigo 1º Equipas 1. As equipas são constituídas no total por seis elementos, sendo três elementos do sexo masculino e os restantes três do sexo feminino; 2. A

Leia mais

OBJETIVO: Definir os conteúdos, objetivos específicos e exercícios aplicáveis ao ensino da natação nos níveis 0, 1, 2 e 3.

OBJETIVO: Definir os conteúdos, objetivos específicos e exercícios aplicáveis ao ensino da natação nos níveis 0, 1, 2 e 3. OBJETIVO: Definir os conteúdos, objetivos específicos e exercícios aplicáveis ao ensino da natação nos níveis 0, 1, 2 e 3. ÂMBITO: Aplica-se a todos os professores da Escola Municipal de Natação nos tanques

Leia mais