Carteiras e Fundos de Dividendos: Características, Mitos e Verdades

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carteiras e Fundos de Dividendos: Características, Mitos e Verdades"

Transcrição

1 Carteiras e Fundos de Dividendos: Características, Mitos e Verdades

2 Características das empresas a serem investidas em uma carteira de dividendos Empresas normalmente líderes de mercado, com forte geração de caixa: Esse tipo de ação normalmente apresenta uma volatilidade menor de fluxo de caixa e, portanto, comportamento diverso da média do mercado das ações. Os preços dos papéis tendem a apresentar uma maior estabilidade ao longo do tempo. Salvo alguma mudança estrutural na empresa ou no setor, os movimentos das cotações das ações costumam a ser mais suaves. Segmentos com baixo crescimento e necessidade de investimento: Como a geração de caixa na empresa é intensa e a dinâmica dos respectivos setores normalmente não exige novos investimentos, a melhor decisão financeira é a distribuição de dividendos. Por falta de oportunidades novas com retorno atraente, as companhias distribuem o caixa excedente por entenderem que os acionistas saberão aplicar melhor os recursos. 2

3 Lendas do mercado a serem desmistificadas para portfólios de dividendos Fundos de dividendos têm características de carteiras de renda fixa - Engodo baseado na seguinte premissa: Não haverá variação no preço da ação e o dividendo será uma espécie de juros pagos pela empresa. Cabe lembrar, porém, que ganhos ou perdas de capital são comuns e podem engordar ou emagrecer os retornos e destruir qualquer promessa de estabilidade semelhante à renda fixa. Determinadas empresas e companhias ligadas a setores específicos sempre pagarão bons dividendos Gestores e investidores que acreditaram, por exemplo, que as ações de empresas do setor elétrico eternamente teriam baixa volatilidade em suas cotações e pagariam bons dividendos, devem estar profundamente decepcionados. Em 2012, após o anúncio das regras para a renovação de concessões que vencem entre 2014 e 2015, os papéis sofreram substancial redução de valor, além de perderem temporariamente a capacidade de distribuir lucros agressivamente. 3

4 Lendas do mercado a serem desmistificadas para portfólios de dividendos Queda de preços de ações de empresas boas pagadoras de dividendos eleva automaticamente os dividend yields (dividendos projetados / valor de mercado da companhias) abrindo boas oportunidades de compra com alto retorno. Falácia baseada na premissa de que a queda do preço da ação é temporária e as razões que determinaram essa desvalorização não afetarão o fluxo de caixa da empresa no futuro e, por conseguinte, a capacidade de pagamento de dividendos. É fundamental avaliar se a perda de valor das ações se deu por razões estruturais (que podem afetar a distribuição de lucros no médio e longo prazos) ou conjunturais (que tendem a não influenciar fortemente o fluxo de caixa e o payout). Cabe ressaltar que normalmente os analistas demoram a revisar lucros e dividendos projetados. Portanto, é comum, após crises de mercado ou desvalorização intensa de um papel específico, que o investidor se depare com polpudos dividend yields teóricos que nunca se confirmarão. 4

5 Com o país voltando à normalidade e a volta do crescimento, o nível de payout vem lentamente caindo Setor Payout (ponderado pelo valor de mercado) Telecomunicações 80% Software e Dados 58% Energia Elétrica 51% Bolsa 48% Alimentos e Bebidas 48% Mineração 45% Transporte 45% Aviação 39% Química 35% Outros 35% Finanças e Seguros 33% Textil 31% Comércio 31% Papel e Celulose 29% Veículos e Peças 23% Construção 21% Petróleo e Gás 21% Siderurgia e Metalurgia 20% Shopping e Exploração de Imóveis 13% Agricultura 10% Entre 1998 e 2006 O nível médio de payout era de 45%; lembrando que, quando há lucro, o nível mínimo de distribuição é de 25%, o que joga a média sempre para cima. Mercado 38% Fonte: Bloomberg, preparado pela Canepa Asset Brasil 5

6 Estudo realizado para testarmos o retorno das carteiras compostas por ações com dividend yield potencialmente altos Tese a ser testada: Fundo de Dividendos é uma proxy de um Fundo de Renda Fixa ; se a teoria está ao menos próxima de ser verdadeira, uma carteira composta pelas ações com a maior média de dividend yields projetados no começo de cada ano deveria representar o portfólio de maior retorno ao longo do tempo. Objeto: Separamos em 10 grupos dentro do Ibovespa, com 6 e/ou 7 empresas cada, por ordem decrescente do nível de dividend yield ; para calcular o dividend yield, o critério é sempre utilizar o dividendo efetivamente pago sobre o preço da ação no início de determinado ano. Portanto, é como se fosse uma projeção de dividend yield ex-ante, baseado na premissa que os analistas acertarão as estimativas. 6

7 Estudo 1: Prazo mais longo Período: 2006 ao primeiro semestre de 2013

8 Estudo realizado para testarmos performance efetiva carteiras compostas por ações com dividend yield potencialmente altos Prazo do estudo: Para o dividend yield, o período de cálculo foi compreendido entre 2007 e 2012; para cálculo do retorno da carteira, incluímos também o primeiro semestre de Importante para evitar que observações /tendências de um ano isolado possam influenciar as conclusões. Cálculo de retorno das carteiras: Ganho de capital + dividendos acumulados nos períodos citados, em uma carteira composta por ações em peso igual; desprezo de custos de transação e taxas de administração e performance. 8

9 As duas carteiras que reúnem ações com os maiores dividend yields projetados Classe Código Média Div. Yld ( ) (%) Classificação de grupo pela média ( ) PN ELPL4 18,093 1 ON LIGT3 11,177 1 PN TRPL4 11,055 1 PN OIBR4 10,094 1 PN CMIG4 9,899 1 PN VIVT4 9,666 1 ON CPFE3 7,902 1 ON CRUZ3 7,475 2 ON CIEL3 6,760 2 PNB ELET6 6,500 2 ON CSNA3 6,249 2 ON BBAS3 6,078 2 ON ENBR3 5,776 2 Carteira 1: As 7 empresas do Ibovespa com maiores dividend yields projetados na média dos últimos seis anos Basicamente ações de energia elétrica e telecomunicações. Carteira 2: Maior diversificação, com ações dos segmentos de fumo, financeiro, siderúrgico, elétrico e concessões. ON CCRO3 5,004 2 Fonte: Economática, preparado pela Canepa Asset Brasil 9

10 Terceiro e quarto grupos de maiores dividend yields projetados. Grande diversificação setorial Classe Código Média Div. Yld ( ) (%) Classificação de grupo pela média ( ) ON NATU3 4,832 3 ON BVMF3 4,656 3 PN KLBN4 4,392 3 PN AMBV4 4,317 3 UNT N2 SANB11 4,105 3 ON SBSP3 4,008 3 PN BRAP4 3,991 3 PNA VALE5 3,897 4 PNB CPLE6 3,761 4 PN ITSA4 3,726 4 PNA USIM5 3,572 4 ON HGTX3 3,493 4 ON UGPA3 3,187 4 PN PETR4 3,160 4 Fonte: Economática, preparado pela Canepa Asset Brasil 10

11 Rentabilidade de cada carteira (já incluindo o primeiro semestre de 2013): Nem sempre o grupo de ações com melhor dividend yield teórico projetado resulta em maior retorno total ao longo do tempo - Ganhos de capital podem ser negativos, comprometendo o retorno dos diversos portfólios Carteira (Percentil) Retorno ( ) IPCA + X% ( ) % 0.39% % 6.95% % 6.64% 4 498,18% 24.75% % -1.37% % -7.33% % -0.35% % -4.56% % -3.79% % % IBrX ( ) 31.60% IDIV ( ) % Fonte: Bloomberg, preparado pela Canepa Asset Brasil 11

12 Conclusões sobre o desempenho dos portfólios entre 2007 e o primeiro semestre de 2013 As quatro primeiras carteiras compostas pelas 28 ações com maior promessa de dividendos superaram com folga a performance do IBX entre 2007 e 2013 (primeiro semestre). Carteira 1, que prometia um dividend yield maior, acabou sendo afetada: Ações de empresas de energia elétrica, antes classificadas como de baixa volatilidade e porto seguro de dividendos, sofreram muito com a intervenção do Governo nos últimos dois anos. O IEE, índice de energia elétrica, perdeu 18% nos quatro últimos meses de 2012 (por conta da exigência governamental de forte redução de tarifas como prerreequesito para a renovação de concessões), mostrando que ações com dividend yield estimado alto estão longe de representar um investimento em renda fixa. Já a OI caiu 31% ente 2007 e o primeiro semestre de 2013, por conta de várias incertezas corporativas e uma necessidade enorme de investimentos (com um paradoxal nível de payout elevado por conta da necessidade de caixa dos acionistas, levando a uma excessiva alavancagem). 12

13 Quais são os papéis que, em uma fotografia de curtíssimo prazo, normalmente apresentam um dividend yield mais elevado? Carteira 1 (característica) : Normalmente formada por empresas que, por qualquer situação macro ou específica, sofreram fortes perdas de capital no valor de suas ações no curto prazo (e por isso, mantida a promessa de dividendos os analistas demoram a ajustar as estimativas - o dividend yield projetado é ampliado). O gestor/investidor deve ter enorme cuidado para entender se houve alguma mudança estrutural na empresa que possa comprometer o desempenho da ação + a capacidade de pagar dividendos no futuro. Em outras palavras, é um erro assumir que comportamentos passados de certa estabilidade no resultado das empresas (e, por consequência, na cotação dos papéis) irão se perpetuar, como também que índices históricos de payout serão necessariamente repetidos. Carteira 1 versus IBX 100: Mesmo assim a Carteira 1, com 46% de retorno acumulado, ficou acima da performance do IBX, que atingiu apenas 32% de rentabilidade. Porém, sob a ótica falsa de renda fixa, o investimento não foi interessante: IPCA + 0,39% ao ano, com volatilidade de 16% ao ano muito superior à observada em uma aplicação tradicional em um título público, por exemplo. 13

14 Carteira 4 Às vezes o desempenho de uma ação, por razões específicas, compromete a conclusão geral Carteira 4 A performance da Carteira 4: 498% no período (primeiro semestre) representa um ponto fora da curva da amostra (podendo ser desprezada das conclusões), por conta da performance extraordinária da Hering Têxtil que subiu 2.951% no período, puxando o desempenho da carteira para cima. Retirando a empresa da amostra e rebalanceando os pesos, a rentabilidade no período teria sido de 75% (21% a.a. de desvio-padrão), bem mais compatível com a realidade e com os resultados dos demais portfólios. 14

15 Carteiras 2 e 3 Normalmente, nesses nichos encontramse as melhores opções para uma carteira balanceada de dividendos Carteiras 2 e 3 - Maior diversificação entre setores: Fumo, financeiro, energia elétrica, siderurgia, concessões, papel, bebidas, consumo e saneamento. Portfólios muito mais equilibrados e representativos de empresas com fundamentos consistentes para serem boas pagadoras de dividendos. Carteiras 2 e 3 - Performance: Excelente desempenho ao redor de 118 % no período (versus 32% do IBX), representando um retorno também considerável traduzido em renda fixa: ao redor de IPCA + 6,75% ao ano. Carteiras 2 e 3 - Volatilidade: Desvio-padrão médio aproximado de 19% ao ano, inferior a do IBX que foi de 22% ao ano (mas obviamente superior ao da renda fixa, mas com uma rentabilidade maior também). Carteira 2 e 3 Relação retorno risco vastamente superior: Portfólios com retorno superior e risco (medido pela volatilidade) mais baixo. 15

16 Índice de Dividendos da Bovespa - IDIV Bom índice a ser replicado pelo gestor/investidor que deseja uma carteira consistente de ações de empresas pagadoras de dividendos?

17 IDIV Índice de Dividendos da Bovespa Critérios de Participação - Liquidez mínima: Participação em 95% dos pregões nos últimos 24 meses e inclusão em indicadores de negociabilidade; - Inclusão: Obedecidos os critérios de liquidez mínima, as ações são classificadas pelo critério decrescente (do maior para o menor) de dividend yield dos últimos 24 meses. Do grupo total, os 25% primeiros entram na composição do índice; - Valor de mercado: A partir das empresas selecionadas, pondera-se o índice por valor de mercado; obviamente, isso cria distorções, com empresas, só pelo fato de serem grandes, assumindo participação relevante no índice; - Número de Empresas: 33 empresas e 38 papéis (Vale, Oi, Cemig, Eletrobrás e AES Tietê são representadas pela classe de ordinárias e preferenciais). 17

18 IDIV Índice de Dividendos Composição em Agosto/2013: Concentração grande em Vale (19%) Fonte: Bloomberg Empresa Participação Vale 19% BM&FBovespa 10% Banco do Brasil 9% Cielo 8% Vivo 6% CEMIG 6% Santander 5% Souza Cruz 4% Natura 3% Tractebel 3% CPFL 3% Bradespar 2% Cia Siderurgica Nacional 2% CESP 2% Oi 1% Equatorial Energia 1% Energias do Brasil 1% Transmissão Paulista 1% Banrisul 1% 18

19 IDIV Índice de Dividendos Gráfico histórico versus IBX IDIV Index IBrX Index Jan-07 Mar-07 May-07 Jul-07 Sep-07 Nov-07 Jan-08 Mar-08 May-08 Jul-08 Sep-08 Fonte: Bloomberg, preparado pela Canepa Asset Brasil Nov-08 Jan-09 Mar-09 May-09 Jul-09 Sep-09 Nov-09 Jan-10 Mar-10 May-10 Jul-10 Sep-10 Nov-10 Jan-11 Mar-11 May-11 Jul-11 Sep-11 Nov-11 Jan-12 Mar-12 May-12 Jul-12 Sep-12 Nov-12 Jan-13 Mar-13 May-13 Descolamento mais forte a favor do IDIV começa exatamente nos últimos dois anos 19

20 IDIV Índice de Dividendos Comentários Carteiras IDIV- Performance: Excelente desempenho de 123% no período entre 2007 e primeiro semestre de 2013 (versus 32% do IBX), representando um retorno também considerável traduzido em renda fixa: ao redor de IPCA + 7,15% ao ano. Carteira IDIV- Volatilidade: Desvio-padrão médio aproximado de 19% ao ano, inferior a do IBX que foi de 22% ao ano. Carteira IDIV- Análise: O índice tem um problema de construção que é a ponderação final pelo valor de mercado. Tal metodologia resulta em situações de concentração em empresas maiores 19% em Vale, por exemplo! A concentração excessiva nesse tipo de carteira (sobretudo não determinada por critérios técnicos e sim pelo simples tamanho da empresa) não é recomendável. O bom retorno mostra a consistência do produto dividendos e o fato da carteira ser formada por 33 empresas (38 ações) dilui um pouco o risco do excesso de participação de um papel no portfólio. 20

21 Estudo 2 : Prazo mais curto Período: 2011 ao primeiro semestre de 2013

22 Estudo realizado para testarmos performance efetiva de carteiras compostas por ações com dividend yield potencialmente altos Prazo do estudo: Para o dividend yield, o período de cálculo foi compreendido entre 2011 e 2012; para cálculo do retorno da carteira, incluímos também o primeiro semestre de Importante para entendermos se há alguma conclusão diferente para um prazo mais curto. Cálculo de retorno das carteiras: Ganho de capital + dividendos acumulados nos períodos citados, em uma carteira composta por ações em peso igual; desprezo de custos de transação e taxas de administração e performance. 22

23 Carteiras Selecionadas por dividend yield - Mesmo exercício, dessa vez realizado nos últimos dois anos ( ) Classe Código Média Div. Yld ( ) (%) Classificação de grupo pela média ( ) PN OIBR4 21,343 1 PN ELPL4 16,767 1 PN CMIG4 15,730 1 PN VIVT4 9,747 1 ON LIGT3 9,090 1 PN TRPL4 8,413 1 ON CIEL3 6,524 1 ON BBAS3 6,427 2 PNB ELET6 6,355 2 PNA VALE5 5,965 2 ON CPFE3 5,905 2 ON ENBR3 5,886 2 ON CSNA3 5,822 2 ON CRUZ3 4,956 2 Classificação de grupo pela média ( ) Fonte: Economática, preparado pela Canepa Asset Brasil Comparando a posição da ação entre 2011/13 (terceira coluna) e 2007/13 (quarta coluna), nota-se que a grande maioria das ações se manteve no primeiro grupo em termos de dividend yield projetado

24 Carteiras Selecionadas por dividend yield - Mesmo exercício, dessa vez realizado nos últimos 2 anos ( ) Classe Código Média Div. Yld ( ) (%) Classificação de grupo pela média ( ) PN BRAP4 4,886 3 ON NATU3 4,605 3 ON BVMF3 4,545 3 PNA BRKM5 4,409 3 ON CCRO3 4,382 3 UNT N2 SANB11 4,211 3 PN KLBN4 4,057 3 PN AMBV4 3,957 4 PN ITSA4 3,929 4 ON LREN3 3,881 4 PNB CESP6 3,626 4 ON BISA3 3,509 4 PN ITUB4 3,378 4 ON HGTX3 3,370 4 PN BBDC4 3,330 5 ON UGPA3 3,187 5 ON RSID3 2,969 5 PNB CPLE6 2,913 5 PN PETR4 2,823 5 ON TIMP3 2,667 5 ON DTEX3 2,526 5 Classificação de grupo pela média ( ) Fonte: Economática, preparado pela Canepa Asset Brasil 24

25 Rentabilidade das carteiras ( ), já incluindo o primeiro semestre de 2013 Carteira (Percentil) Retorno ( ) IPCA + X% ( ) % -0.84% % % % -1.22% % -6.20% % -5.58% % -3.47% % -0.53% % % % % % % IBrX ( ) % IDIV ( ) 18.92% Fonte: Bloomberg, preparado pela Canepa Asset Brasil 25

26 Análise de 2 anos e meio (2011/Primeiro semestre de 2013) Boas carteiras de dividendos à frente da performance do mercado Análise em geral: 2 anos representam um tempo curto para uma análise mais profunda, dado que em prazos mais longos os ruídos tendem a se compensar. Foi um período de inflação mais forte, queda marcante da taxa de juros real e de desempenho ruim dos papéis com maior peso nos índices bursáteis. A Carteira 2 acabou sendo afetada por desempenhos pontuais muito desfavoráveis, mas que confirmam a regra que a escolha de um portfólio de dividendos deve passar um escrutínio profundo do potencial real da capacidade da empresa de pagar dividendos: - Eletrobrás PNB (queda de 56% na cotação da ação no período por conta de violenta intervenção estatal nas tarifas no caso de renovação de concessões de de energia elétrica); e - CSN ON (queda de 74% nos últimos dois anos e meio devido à sobreoferta chinesa de aço e a falta de confiança no management). Como prometer dividendos e, ao mesmo tempo, em um período difícil para o setor, continuar a lutar pela compra da CSA? Performance destacada das carteiras de dividendos: Com exceção da Carteira 2 pelas razões supracitadas todas as sete primeiras carteiras selecionadas (adicione-se o IDIV) experimentaram desempenho superior ao IBX no período 26

27 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÃO DE BOAS ALTERNATIVAS PARA UM PORTFÓLIO DE DIVIDENDOS

28 Fundo/Carteira de dividendos Conclusões Do ponto de vista do investidor: Portfólio de ações boas pagadoras de dividendos não pode ser considerado nem proxy de um investimento em renda fixa: O investidor deve aceitar mais volatilidade, mediante a uma rentabilidade projetada também mais interessante Relação retorno / risco superior. Com a queda do juro real brasileiro, uma carteira diversificada e bem montada de ações com dividend yields atraentes pode ser excelente alternativa. Do ponto de vista do analista: A mensuração do dividend yield projetado deve ser sempre ponderado por risco. Em outras palavras, ações que tiveram performance recente desfavorável, se mantido o potencial de pagar dividendos, tendem a ser fortes candidatas a compra para uma carteira de dividendos. No entanto, o analista pode estar diante de uma armadilha e deve sempre se perguntar: Por que o preço da ação caiu tanto? As razões foram conjunturais ou estruturais? Qual o impacto desses problemas de curto prazo em termos da capacidade de geração de bons retornos futuros e pagamento dividendos? Enfim, qual o desvio-padrão em torno do dividend yield projetado? Desconfie e investigue sempre quando uma ação que nunca frequentou a lista dos maiores dividend yields começar a aparecer com frequência nesse seleto clube. 28

29 Fundo/Carteira de dividendos Conclusões Do ponto de vista do gestor: Como consequência da conclusão anterior, é falsa a hipótese de que a gestão de uma carteira de dividendos, pela característica dos papéis, deva ser necessariamente passiva, com carregamento de longo prazo dos papéis. Empresas e setores podem mudar de padrão, seja por fatores exógenos intervenção governamental, por exemplo (vide setor elétrico, concessões e petróleo), como endógenos - como a oferta excedente de aço chinês como em siderurgia ou no caso das inovações revolucionárias em segmentos intensivos em pesquisa e desenvolvimento, como máquinas/equipamentos, farmacêutico e tecnologia em geral. O gestor deve estar atento, como em qualquer carteira de ações, para rebalancear com agilidade os portfólios no momento que julgar necessário. Do ponto de vista do gestor: Mudanças bruscas setoriais podem afetar fortemente todo o cálculo do dividend yield projetado. Portanto, em termos de composição desse tipo de portfólio, uma diversificação de ações de empresas de diferentes segmentos econômicos é altamente recomendável. 29

30 Sugestão de papéis característicos de carteira de dividendos com boa relação risco/retorno 12 empresas selecionadas em azul 30

31 Portfólio setorial de empresas boas pagadores de dividendos Critério: Participação igual para cada empresa 31

32 SITE : de contato : Telefone: (21) A taxa de administração prevista no caput é a taxa de administração mínima do FUNDO. Tendo em vista que o FUNDO admite a aplicação em cotas de fundos de investimento, fica instituída a taxa de administração máxima de 3% a.a. (três por cento ao ano) sobre o valor do patrimônio líquido do FUNDO, no caso do CANEPA I FIC FIA e 4%a.a. (quatro por cento ao ano) sobre o valor do patrimônio líquido do FUNDO, no caso do CANEPA II FIC FIA. Os fundos de ações podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Este fundo de cotas aplica em fundo de investimento que utiliza estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. A Canepa Asset Brasil não comercializa nem distribui quotas de fundos de investimentos ou qualquer outro ativo financeiro. As informações contidas nesse material são de caráter exclusivamente informativo. Esse material tem caráter meramente informativo e não deve ser considerado uma oferta de aquisição de cotas do fundo. A constituição do fundo depende de registro prévio na CVM. Cotização do fundo MASTER: Cota de aplicação: D0; Cota de Resgate: D+1; Pagamento do Resgate: D+3 LEIA O PROSPECTO E O REGULAMENTO ANTES DE INVESTIR

Carteira de dividendos: retorno pode superar a poupança. 27/06/2012 08:14 Arena do Pavani

Carteira de dividendos: retorno pode superar a poupança. 27/06/2012 08:14 Arena do Pavani Carteira de dividendos: retorno pode superar a poupança. 27/06/2012 08:14 Arena do Pavani Por Eduardo Tavares, em Arena do Pavani. Montar uma carteira de ações de empresas que são boas pagadoras de dividendos

Leia mais

Relatório Especial Yield 11/01/2011

Relatório Especial Yield 11/01/2011 Introdução No mercado acionário tem sido observado, que investidores com determinado perfil preferem compor suas carteiras ou comprar determinadas ações, que distribuem dividendos e juros sobre o capital

Leia mais

Investidor, como usar os dividendos a seu favor. Giácomo Diniz 01/10/2013

Investidor, como usar os dividendos a seu favor. Giácomo Diniz 01/10/2013 Investidor, como usar os dividendos a seu favor. Giácomo Diniz 01/10/2013 Agenda 1) Lógica do Investidor na compra de Ações 2) Lucro no Mercado Acionário a. Ganho de Capital b. Dividendos e JSCP 3) Indicadores

Leia mais

IGB30 Índice Gradual Brasil 30. Janeiro 2015

IGB30 Índice Gradual Brasil 30. Janeiro 2015 Janeiro 2015 Introdução IGB30 Origem do IGB30 IGB30 A ideia de criação de um índice alternativo do mercado acionário brasileiro surgiu da dificuldade crescente em se explicar as oscilações do Ibovespa

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269.

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269. Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS MASTER DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO.

Leia mais

Ações preferenciais e ordinárias no mercado brasileiro: a abertura do gap de preços

Ações preferenciais e ordinárias no mercado brasileiro: a abertura do gap de preços Ações preferenciais e ordinárias no mercado brasileiro: a abertura do gap de preços Cota maio 6 meses 2015 Desde o início PL médio 12 meses* PL* Canepa I FIC FIA 1,20392779 0,16% 6,36% 13,50% 20,39% 33.230

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS TERMO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS TERMO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS TERMO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

28/11/2014 RETORNO TOTAL AOACIONISTA

28/11/2014 RETORNO TOTAL AOACIONISTA RETORNO TOTAL AOACIONISTA 28/11/2014 RIO DE JANEIRO : Praça Pio X, 55 11º andar Tel.: 21 2142-2100 / 21 2142-2121 SÃO PAULO : Rua Líbero Badaró, 425-16º andar - São Paulo - SP - Tel.: 11 2928-6000 / 11

Leia mais

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A. BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS INFLAÇÃO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF:

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS INFLAÇÃO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF: LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS INFLAÇÃO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um

Leia mais

Revisão Copel (CPLE6) Preço Teórico R$ 35,00 (COMPRA) 28.01.2009

Revisão Copel (CPLE6) Preço Teórico R$ 35,00 (COMPRA) 28.01.2009 Revisão Copel (CPLE6) Preço Teórico R$ 35,00 (COMPRA) 28.01.2009 Empresa Código Recomendação Fechamento* Preço-Teórico* Upside Risco Lote Copel PNB CPLE6 Compra 21,85 35,00 60,2% Elevado 1 EV/EBITDA (atual)

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016 MARATONA PROGRAMADO FIA BDR NIVEL I 21.363.225/000182 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o MARATONA PROGRAMADO FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40 BENCHMARK RF:60.00% ( 100.00%CDI ) + RV:40.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 03/11/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/11/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Janeiro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

SANTANDER SHORTTRACK ANÁLISE QUANTITATIVA MONITOR DA POSIÇÃO ALUGADA EM AÇÕES 20 DE MAIO DE 2013

SANTANDER SHORTTRACK ANÁLISE QUANTITATIVA MONITOR DA POSIÇÃO ALUGADA EM AÇÕES 20 DE MAIO DE 2013 SANTANDER SHORTTRACK ANÁLISE QUANTITATIVA MONITOR DA POSIÇÃO ALUGADA EM AÇÕES 20 DE MAIO DE 2013 Este relatório tem o objetivo de monitorar a posição alugada em ações no mercado brasileiro. Apresentamos

Leia mais

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos que acompanhem a variação do CDI.

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos que acompanhem a variação do CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS SOVEREIGN DI FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO REFERENCIADO CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 71

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 71 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 71 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento, no exercício das atribuições a ele conferidas

Leia mais

Relatório Mensal Dezembro de 2015

Relatório Mensal Dezembro de 2015 Relatório Mensal Relatório Mensal Carta do Gestor O Ibovespa teve um desfecho melancólico no ultimo mês de 2015, fechando com queda de 3,92% e acumulando uma retração de 13,31% no ano. O cenário econômico

Leia mais

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012 Opportunity Equity Hedge FIC FIM Agosto de 2012 Resultado Ao longo do segundo trimestre de 2012, o Opportunity Equity Hedge alcançou uma rentabilidade de 5% depois de taxas, o que representa 239,6% do

Leia mais

Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício findo em 30 de Setembro de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício findo em 30 de Setembro de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes MB Fundo de Investimento em Ações CNPJ nº 18.799.585/0001-17 (Administrado pela Mercantil do Brasil Distribuidora S.A. - TVM - CNPJ nº 17.364.795/0001-10) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício

Leia mais

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes grupos: as ações ordinárias e as ações preferenciais. As

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Perfin Long Short 15 FIC FIM

Perfin Long Short 15 FIC FIM Perfin Long Short 15 FIC FIM Relatório Mensal- Junho 2013 O Perfin LongShort 15 FICFIM tem como objetivo gerarretorno superior ao CDIno médio prazo. O fundo utiliza-se de análise fundamentalista eaestratégia

Leia mais

Av. Ataulfo de Paiva, 245-3º andar Leblon CEP: 22440-032 www.animaeducacao.com.br/ri Rio de Janeiro Tel.: +55 (21) 3550-1630. www.genuscapital.com.

Av. Ataulfo de Paiva, 245-3º andar Leblon CEP: 22440-032 www.animaeducacao.com.br/ri Rio de Janeiro Tel.: +55 (21) 3550-1630. www.genuscapital.com. Av. Ataulfo de Paiva, 245-3º andar Leblon CEP: 22440-032 Rio de Janeiro Tel.: +55 (21) 3550-1630 www.genuscapital.com.br A EMPRESA A Genus Capital Group é uma gestora independente centrada em produtos

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Ibovespa Regimes Próprios Fundo de Investimento em Ações (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - Período de 01 de abril de 2011 (data início das

Leia mais

O efeito da rentabilidade...

O efeito da rentabilidade... O efeito da rentabilidade... A importância da variável taxa: R$ 500 reais mensais, por 25 anos 0,80% 1,17% 1,53% 1,88% 2,21% 10% 15% 20% 25% 30% 10% aa 15% aa 20% aa 25% aa 30% aa Ano 0 R$ 0 R$ 0 R$ 0

Leia mais

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Julho. Carteira Sugerida de Junho

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Julho. Carteira Sugerida de Junho A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções de investimento para o mês subseqüente dentro dos ativos

Leia mais

29/04/2016 RETORNO TOTAL AOACIONISTA

29/04/2016 RETORNO TOTAL AOACIONISTA RETORNO TOTAL AOACIONISTA 29/04/2016 RIO DE JANEIRO - CENTRO : Praça Pio X, 55 11º andar Tel.: 21 2142-2100 / 21 2142-2121 RIO DE JANEIRO - BARRA : Av. das Américas, 500 Bloco 04 SL 304 Tel.: 21 3485-9670

Leia mais

CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FII (CXRI11) Informativo Mensal Janeiro/2015

CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FII (CXRI11) Informativo Mensal Janeiro/2015 Objetivo e Política do Fundo O fundo CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII tem como objetivo proporcionar retorno aos seus cotistas por meio de uma carteira diversificada de

Leia mais

FÓRUM EMPRESARIAL SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE CORPORATIVA: UM PASSO ADIANTE

FÓRUM EMPRESARIAL SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE CORPORATIVA: UM PASSO ADIANTE AMCE NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS www.amce.com.br PROJETOS ESPECIAIS FÓRUM EMPRESARIAL SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE CORPORATIVA: UM PASSO ADIANTE 13º EVENTO TEMA: Investimentos socialmente responsáveis:

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS LONG AND SHORT FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS LONG AND SHORT FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS LONG AND SHORT FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

WebServices. Versão < 1.0 > < 22/07/2010 > AGO 1-11

WebServices. Versão < 1.0 > < 22/07/2010 > AGO 1-11 Magliano Versão < 1.0 > < 22/07/2010 > AGO 1-11 SUMÁRIO 1. WS_Magliano... 3 1.1. Acoes... 4 1.2. Cambio... 5 1.3. Indicadores... 6 1.4. Indices... 7 1.5. Moedas... 8 1.6. PesquisaCotacao... 9 1.7. Ticker...

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

Mensagem da Administradora

Mensagem da Administradora Mensagem da Administradora Prezados Cotistas: Submetemos à apreciação de V.S.as. a demonstração da composição e diversificação das aplicações da CSN Invest Fundo de Investimento em Ações, em 31 de dezembro

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Índice Fundo de Investimento em Ações CNPJ: 02.131.725/0001-44

Demonstrações Financeiras Banrisul Índice Fundo de Investimento em Ações CNPJ: 02.131.725/0001-44 Demonstrações Financeiras Banrisul Índice Fundo de Investimento em Ações (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Fundos de Investimentos

Fundos de Investimentos Fundos de Investimentos 1 O que e um fundo de investimentos? Um fundo de investimentos concentra em uma unica entidade juridica, varios investidores com o mesmo objetivo e que compartilham a mesma estrategia

Leia mais

29/12/2016 RETORNO TOTAL AOACIONISTA

29/12/2016 RETORNO TOTAL AOACIONISTA RETORNO TOTAL AOACIONISTA 29/12/2016 RIO DE JANEIRO - CENTRO : Praça Pio X, 55 11º andar Tel.: 21 2142-2100 / 21 2142-2121 RIO DE JANEIRO - BARRA : Av. das Américas, 500 Bloco 04 SL 304 Tel.: 21 3485-9670

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Demonstrações financeiras em 28 de fevereiro de 2009 e 29 de fevereiro de 2008

Demonstrações financeiras em 28 de fevereiro de 2009 e 29 de fevereiro de 2008 ABCD BRAM Fundo de Investimento em Ações IBrX-50 CNPJ nº 07.667.245/0001-16 (Administrado pela BRAM - Bradesco Asset Management S.A. Distribuidora Demonstrações financeiras em 28 de fevereiro de 2009 e

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER IBRX FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER IBRX FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS MASTER IBRX FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros. GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos

VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros. GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos 1 CENÁRIO ECONÔMICO Economia Internacional RECUPERAÇÃO Produção Industrial (total) 115.00 Revisões

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli FIC de FI Referenciado DI. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo, disponíveis

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL RENDA FIXA TESOURO DIRETO

RELATÓRIO MENSAL RENDA FIXA TESOURO DIRETO RENDA FIXA TESOURO DIRETO CARTEIRA RECOMENDADA A nossa carteira para este mês continua estruturada com base no cenário de queda da taxa de juros no curto prazo. Acreditamos, no entanto, que esse cenário

Leia mais

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%)

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) Módulo V Fundos de Investimentos De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) 5 - Fundos de Investimentos Definições legais Tipos de Fundo Administração Documentos dos fundos Dinâmica de Aplicação e resgate

Leia mais

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8%

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8% Outubro de 2015 INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES O Geral Asset Long Term - GALT FIA é um fundo de investimento que investe em ações, selecionadas pela metodologia de análise

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

COMO CALCULAR A PERFORMANCE DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS - PARTE I

COMO CALCULAR A PERFORMANCE DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS - PARTE I COMO CALCULAR A PERFORMANCE DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS - PARTE I O que é o Índice de Sharpe? Como calcular o Índice de Sharpe? Revisão do conceito de risco. O desvio-padrão como medida de risco. Autor:

Leia mais

DESTAQUES DO DIA RELATÓRIO DIÁRIO. Mercado Doméstico. Mercado Internacional

DESTAQUES DO DIA RELATÓRIO DIÁRIO. Mercado Doméstico. Mercado Internacional DESTAQUES DO DIA Mercado Doméstico A arrecadação federal de impostos registrou recorde para meses de novembro, mas os números não surpreendem, já que o governo antecipou amplamente os resultados. A alta

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 04 de Maio de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/04/2015 a 30/04/2015 Panorama Mensal Abril 2015 No cenário internacional, o mês de abril foi marcado por surpresas negativas em

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 Subordinada à Resolução CMN nº 3.792 de 24/09/09 1- INTRODUÇÃO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes a serem observadas na aplicação dos recursos

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV CENÁRIO ECONÔMICO EM OUTUBRO São Paulo, 04 de novembro de 2010. O mês de outubro foi marcado pela continuidade do processo de lenta recuperação das economias maduras, porém com bons resultados no setor

Leia mais

19 corretoras indicam as melhores ações para setembro

19 corretoras indicam as melhores ações para setembro Imprimir Fechar Bolsa 19 corretoras indicam as melhores ações para setembro Incertezas sobre a recuperação econômica dos Estados Unidos fazem os analistas optarem por empresas mais defensivas e voltadas

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS MASTER IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIA SRI

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIA SRI Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO DE ACOES SRI. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

IGB30 Índice Gradual Brasil 30. Research Gradual Investimentos

IGB30 Índice Gradual Brasil 30. Research Gradual Investimentos IGB30 Índice Gradual Brasil 30 Research Gradual Investimentos IBOVESPA - Metodologia Índice Bovespa indicador mais difundido de desempenho do mercado acionário brasileiro, sem modificações metodológicas

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1 No segundo trimestre de 2015, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 3,61%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,03% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FUNDO FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA CNPJ: 00.828.035/0001-13 Informações referentes a Novembro/2015 Esta lâmina contém um resumo das

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC ACOES DIVIDENDOS 02.138.442/0001-24 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC ACOES DIVIDENDOS 02.138.442/0001-24 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO ACOES. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo, disponíveis

Leia mais

CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014

CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014 CARTA MENSAL SulAmérica Total Return FI Ações Novembro 2014 Cenário Internacional Crescimento mundial: gradual e desequilibrado A economia mundial fecha 2014 com um desempenho não muito diferente daquele

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2014 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2014 1 No segundo trimestre de 2014, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 1,41%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 2,51% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES

NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES Setembro de 2015 O CEMEC não se responsabiliza pelo uso dessas informações para tomada de decisões de compra

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 01 de Setembro de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 03/08/2015 a 31/08/2015 Panorama Mensal Agosto 2015 O mês de agosto novamente foi marcado por grande volatilidade nos mercados

Leia mais

Três fatores principais diferenciam o XP TOP DIVIDENDOS FIA dos Fundos de Investimento tradicionais, comumente encontrados no mercado.

Três fatores principais diferenciam o XP TOP DIVIDENDOS FIA dos Fundos de Investimento tradicionais, comumente encontrados no mercado. XP TOP dividendos FIA INTRODUÇÃO O XP TOP DIVIDENDOS FIA é um Fundo de Investimento em Ações que tem como objetivo buscar a valorização de suas cotas em um horizonte de longo prazo, por meio da composição

Leia mais

O ETF como instrumento na gestão de recursos:

O ETF como instrumento na gestão de recursos: O ETF como instrumento na gestão de recursos: Agosto de 2013 Tendências e Oportunidades no Brasil e no mundo. Informação Pública Política Corporativa de Segurança da Informação Conteúdo Utilização de ETFs

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 9 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo II ) Revisão da tentativa 1 Iniciado

Leia mais

PPS MSDPREV PORTFOLIO PERFORMANCE

PPS MSDPREV PORTFOLIO PERFORMANCE 1 MSDPREV ANÁLISE DE DESEMPENHO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTOS JAN.15 RENDA FIXA MSDPREV RF (WESTERN) CLASSIFICAÇÃO: CLUSTER RENDA FIXA ÍNDICES - MODERADO Fevereiro/14 a Janeiro/15 O histórico dos últimos

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS MOMENTO ECONÔMICO Os investimentos dos Fundos de Pensão, e o PRhosper não é diferente, têm por objetivo a formação de capital para uso previdenciário, portanto, de longo prazo. Exatamente por essa razão,

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

Princípios de Investimento

Princípios de Investimento Princípios de Investimento Rentabilidade Rentabilidade é o grau de rendimento proporcionado por um investimento pela valorização do capital ao longo do tempo. Liquidez Liquidez é a rapidez com que se consegue

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos, constituída sob a forma de condomínio que reúne recursos de vários investidores para aplicar em uma carteira diversificada de ativos financeiros. Ao aplicarem

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA BOND 03.894.320/0001-20. Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA BOND 03.894.320/0001-20. Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA BOND 03.894.320/0001-20 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Relatório Mensal - Novembro de 2013

Relatório Mensal - Novembro de 2013 Relatório Mensal - Relatório Mensal Carta do Gestor Depois de quatro meses consecutivos de alta, o Ibovespa terminou o mês de novembro com queda de 3,27%, aos 52.842 pontos. No cenário externo, os dados

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Dezembro. Carteira Sugerida de Novembro

Carteira Top Pick. Comentário. Carteira Sugerida para Dezembro. Carteira Sugerida de Novembro A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções de investimento para o mês subseqüente dentro dos ativos

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX BENCHMARK 100.00%CDI Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética dos Ativos em 30/04/2015 Financeiro % PL FUNDOS

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Luciane Ribeiro Coordenadora da Subcomissão de Base de Dados da ANBID Diretora Executiva Grupo Santander Brasil 1 Agenda O que é a classificação ANBID de Fundos Para que serve a classificação Pilares da

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Distribuição da Carteira da Visão Prev - CD

Distribuição da Carteira da Visão Prev - CD Distribuição da Carteira da Visão Prev - CD Maio/2014 Data: 30/05/2014 Renda Fixa Títulos Públicos(1) LFT LTN NTN-B NTN-F OPERAÇÕES COMPROMISSADAS Total de Títulos Públicos CDBs BCO ABC BCO VOTORANTIM

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI FIC DE FIM BTG PACTUAL HIGH YIELD CNPJ: 07.442.466/0001-96

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI FIC DE FIM BTG PACTUAL HIGH YIELD CNPJ: 07.442.466/0001-96 Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI FIC DE FIM BTG PACTUAL HIGH YIELD Informações referentes a novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FORPUS FIC FIA. CNPJ/MF: 21.917.184/0001-29 Informações referentes a Dezembro de 2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FORPUS FIC FIA. CNPJ/MF: 21.917.184/0001-29 Informações referentes a Dezembro de 2015 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o. As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

31/08/2016 RETORNO TOTAL AOACIONISTA

31/08/2016 RETORNO TOTAL AOACIONISTA RETORNO TOTAL AOACIONISTA 31/08/2016 RIO DE JANEIRO - CENTRO : Praça Pio X, 55 11º andar Tel.: 21 2142-2100 / 21 2142-2121 RIO DE JANEIRO - BARRA : Av. das Américas, 500 Bloco 04 SL 304 Tel.: 21 3485-9670

Leia mais

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos com rentabilidade superior ao CDI.

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos com rentabilidade superior ao CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS HEDGE CLASSIQUE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LONGO PRAZO CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

INFORME AOS INVESTIDORES 2T14

INFORME AOS INVESTIDORES 2T14 INFORME AOS INVESTIDORES 2T14 São Paulo, 14 de agosto de 2014 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)] anuncia os resultados referentes ao 2T14. Estrutura dos

Leia mais

31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Geração Futuro Fundo de Investimento em Ações Meninas Iradas (CNPJ: 08.608.189/0001-01) (Administrado pela Geração Futuro Corretora de Valores S.A. CNPJ: 27.652.684/0001-62) 31

Leia mais

Conheça mais sobre dividendos, direitos de subscrição e bonificações clicando aqui.

Conheça mais sobre dividendos, direitos de subscrição e bonificações clicando aqui. Fonte: CVM O que é uma Ação? Ação é a menor parcela do capital social das companhias ou sociedades anônimas. É, portanto, um título patrimonial e, como tal, concede aos seus titulares, os acionistas, todos

Leia mais

PROPOSTA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010

PROPOSTA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010 Secretaria da Administração do Estado da Bahia Superintendência de Previdência Diretoria de Gestão Financeira Previdenciária e Investimentos PROPOSTA DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010 REGIME PRÓPRIO

Leia mais

Análise Técnica 60% Maior/ Menor

Análise Técnica 60% Maior/ Menor Análise Técnica 11 de agosto de 2014 l Edição 11 Desempenho das Recomendações Nos últimos 12 meses, compreendidos entre Julho/13 a Junho/14, foram abertas pela equipe de Análise Técnica 84 recomendações,

Leia mais

Ciências Econômicas 28/10/2015. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.30) Prof. Johnny 1 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS

Ciências Econômicas 28/10/2015. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.30) Prof. Johnny 1 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Econômicas Análise Fundamentalista Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br Pode-se conceituar a análise fundamentalista como o estudo

Leia mais

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES REGULAMENTO DO FUNDO O BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, regido pelas disposições do presente Regulamento, e regulado pelas Instruções CVM nº 302

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS. Av. Gabriel de Lara, 1307 Leblon Paranaguá PR Cep 83.203-550 - (041) 3425-6969 - CNPJ - 08.542.

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS. Av. Gabriel de Lara, 1307 Leblon Paranaguá PR Cep 83.203-550 - (041) 3425-6969 - CNPJ - 08.542. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2008 ÍNDICE 1 Introdução 2 Objetivo 3 Estrutura Organizacional para Tomada de Decisões de Investimento 4 Diretrizes de Alocação dos Recursos 4.1. Segmentos de Aplicação 4.2. Objetivos

Leia mais

Propel Axis FIM Crédito Privado

Propel Axis FIM Crédito Privado Melhora expressiva na economia dos EUA; Brasil: inflação no teto da meta, atividade econômica e situação fiscal mais frágil; A principal posição do portfólio continua sendo a exposição ao dólar. 1. Cenário

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário - FII

Fundo de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Fundo de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário O produto O Fundo de Investimento Imobiliário (FII) é uma comunhão de recursos destinados à aplicação em ativos

Leia mais