M ODELO EUROPEU DE INFORMAÇÃO PESSOAL EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL CURRICULUM VITAE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "M ODELO EUROPEU DE INFORMAÇÃO PESSOAL EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL CURRICULUM VITAE"

Transcrição

1 M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Matos Castro, Maria da Luz de Deus Morada Rua Ilha dos Amores, Lte A.-1ºC, Lisboa Telefone / Fax Correio electrónico Nacionalidade Data de nascimento Portuguesa 03,JUNHO,1948 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Datas (de até) De 1975 até 2012 Nome e endereço do empregador Ministério da Educação Tipo de empresa ou sector Escola Secundária com 3º ciclo Função ou cargo ocupado Professora de disciplinas do Grupo 4ºA / 510 (Física e Química) Coordenadora da Equipa de Auto-Avaliação da Escola Sec. D. Dinis desde Fevereiro de 2010 Presidente do Conselho Geral Transitório da Escola Sec. D. Dinis de Maio de 2008 a Dezembro de 2009 Presidente da Assembleia de Escola desde Maio de 2005 a Maio de 2008 na Esc. Sec. D. Dinis. Coordenadora dos Projectos da Escola, com assento no Conselho Pedagógico, 1997/2005, na Esc. Sec. D. Dinis Directora de Turma, 2003/2004/2005, na Esc. Sec. D. Dinis Coordenadora da Área-Escola / 8ºAnos 1993/1997 na Esc. Sec. D. Dinis Docente Orientadora na Escola Superior de Educação de Lisboa 1986/89 Subdelegada de Grupo na Esc. Sec. D. Dinis 1983/85 Delegada de Grupo à profissionalização 1981/83 na Esc. Sec. D. Dinis Subdelegada de Grupo 1980/81 na Esc. Sec. V. Franca Xira II Delegada de Grupo 1975/76, na Escola Preparatória de João de Lemos Página 1 Matos Castro, Maria da Luz de

2 Principais actividades e responsabilidades Actividade lectiva ensino básico e secundário Disciplinas das áreas de Física e Química dos 7º ao 12º anos de escolaridade Actividade complementar da actividade lectiva Sessões de apoio e recuperação para alunos; - Actividade prático-laboratorial regular; - Preparação de alunos para apresentações públicas de actividades desenvolvidas nas aulas ou em projectos (ex. Forum Ciência Viva Nov08, encontros internacionais Comenius); - Colaboração na realização de colóquios e visitas de estudo/aulas para os seus alunos e alunos de outras turmas em e por outras instituições (ISEL, LNETI, NUCLIO/ AIA). Principais acções de Formação Contínua que dinamizou Na Esc. Sec. Angra do Heroísmo Didáctica C.Ambiente, 3 dias, 1995 (org. ME); No St. Mary College Cobh Irlanda Experiences at D. Dinis Sc. Across Europe, 1995, 1 dia; Na ESE de Lisboa Ciências da Natureza: Práticas e Projectos Transdisciplinares, 1993, e Electricidade - Conceitos, materiais e estratégias de ensino/aprendizagem, 1990, várias sessões ao longo do ano letivo; Na Escola Primária Voz do Operário Introdução de processos Científicos no programa do Meio Físico e Social, 1989, várias sessões ao longo do ano letivo; Orientação de Estágios Pedagógicos em Física-Química de sete professoras, 1986/89 e de uma professora em 1981/1983; Seis acções sobre o programa de Ciências do Ambiente SUC (ME), de que é co-autora, 1986/88; Projectos em que participou, dinamizou e/ou coordenou na Escola Candidaturas a financiamento aprovadas, coordenação e desenvolvimento de projectos Projecto Dinisiando Encontros Pedagógicos na D. Dinis 2003/04/05/06/07, apoio do Instituto de Inovação Educacional. Projecto Ciência em Acção, Jan.2006 /Dez.2007 (apoio Ciência Viva); Projecto D. Dinis Escola de Futuro, apoio IIE, 2001/2002; Projecto Clínica de Ciências Experimentais, apoio Ciência Viva, 2000/02 ; Projecto Trabalho Experimental Assistido por Computador, apoio IIE, 2000/01; Projecto Centro de Recursos Educativos, apoio Programa Nónio Século XXI, ; Projecto Ciência em Acção no D. Dinis, 1997/99 Programa Ciência Viva 97; Projecto Desenvolvimento dos Cursos tecnológicos na esc. Sec. D. Dinis Programa PRODEP, 1995/1997; Projecto Science Across Europe, 1993/98 Esc. Sec. D. Dinis/Science Across Europe; Coordenação e desenvolvimento de projectos Projecto Oficinas Ciência Viva (Actividades semanais com energias alternativas e actividades experimentais diversas com alunos de 7º/8º/9º/10º/11ºAnos), 2008/2009/2010/2011; Projectos da Área Escola de quatro turmas do 8º Ano, 1993/95 e de duas turmas do 10º Ano, 1995/1996, coordenação de professores e de alunos na D. Dinis; Página 2 Matos Castro, Maria da Luz de Participação em projectos coordenados por outrém Projecto Comenius Saúde para o Homem e para a Floresta, responsável pelo grupo Níveis sonoros na escola, 2006/2009, com utilização de sensores e PC; Projecto Comenius, na Esc. Sec. D. Dinis, 2000/2004; Sinais a Cidade Habitada (coord. C.P.Design e Ass. Extramuros) 2003/04; Projecto Ciência e Tecnologia dos 4 aos 12 anos numa perspectiva interdisciplinar, 1987/91 Escola primária Voz do Operário/ESE de Lisboa;

3 Divulgação de projectos, actividades práticas e laboratoriais para professores Co-organização de acções de divulgação Ibercivis, em colaboração com o programa Ciência Viva, na Escola Sec. D. Dinis; Co-organização dos Encontros Pedagógicos Dinisiando e da semana Dinisiando, na Escola Secundária D. Dinis, de 2003 a 2008; Co-organização de Oficinas de Sensores de Física e Química, nos Encontros Pedagógicos Dinisiando, para professores, em 2003, 2004 e 2005; Apresentação e discussão, na Esc. Sec. D. Dinis, sobre actividades práticas lectivas e extra-lectivas a grupos de estudantes universitários da disciplina de Didáctica do Curso de Formação de professores da FCUL, em 2001 e 2002, em parceria com a docente da cadeira, Prof. Doutora Mariana Pereira, no âmbito do projecto Clínica das Ciências Experimentais; Apresentação da sala TIC da ESDDinis a alunos e Encarregados de Educação, por ocasião da abertura dos anos lectivos em 1999 e 2000; Co-organização da Exposição final de trabalhos da Área-Escola, na Esc. Sec. D. Dinis, 1994/97, aberta à comunidade educativa; Co-organização da semi-final da Olimpíada de Química 1984 Zona Sul (SPF), na Esc. Sec. D. Dinis; Co-organização da Exposição de Experiências de Fís-Quím, na Esc. Sec. D. Dinis, 1982/83, aberta à comunidade educativa; Em Encontros Regionais e Nacionais de Educação: Poster sobre Energias Alternativas no 1º Ciclo na área de Meio Físico e Social, 1990-FCUL; Poster sobre O uso do V de Gowin como processo de elaboração de relatórios, U. de Coimbra e 1985, na Escola Sec. dos Olivais 1; Demonstração de Linhas Equipotenciais, 1984 Universidade de Évora; Demonstrações sobre Electrostática 2ºCC, Esc. Sec. Olivais 1; Dinamização de workshop A teoria de aprendizagem de Ausubel e a utilização de mapas de conceitos, 1984 Esc. Sec. Olivais 1. Página 3 Matos Castro, Maria da Luz de

4 Organização Escolar e Comunidade Coordenadora da Equipa de Auto-avaliação da Escola Coordenação de representantes de professores, PND, alunos e pais para realização do Benchmarking e da primeira fase do CAF; Presidente do Conselho Geral Transitório - no desempenho destas funções: participou e coordenou a elaboração do novo Regulamento Interno da Escola; participou e coordenou o desenvolvimento do processo do Concurso do Director da Escola; promoveu a realização de uma sessão sobre Astronomia para Pais e EE, na Escola, para o que promoveu o envolvimento da Coordenação dos DTs e do Departamento 510 para; No desempenho das funções de Presidente da Assembleia de Escola e no sentido de contribuir para a resolução de problemas identificados: Promoção e co-organização de ações para pais e encarregados de educação sobre o "desenvolvimento de competências pessoais e sociais para a educação na adolescência.", 2006/2007; Estabelecimento de contactos e protocolos de colaboração entre entidades externas, nomeadamente Xerox e ISEL, e a Escola Sec. D. Dinis, 2006/07; Organização, Dinamização e divulgação junto da comunidade escolar da exposição dos trabalhos escolares dos alunos da Escola Sec. D. Dinis em 2007/2008/2010; Participação, na Escola Sec. D. Dinis em equipas de: Elaboração de exames e provas globais; correctores de exames de Física-Química e Química; matrículas, constituição de turmas e secretariado de exames. Participação na resolução de questões de índole pedagógica e organizacional em reuniões do grupo 4ºA. Coordenação de equipas de professores: Assembleia de Escola; Coordenação de Projectos/Clubes/Núcleos, de 1997 a 2005; Coordenação da equipa de professores organizadora dos encontros Pedagógicos no D. Dinis Dinisiando 2003, 2004 e 2005; Coordenação da Secção Pedagógica do C. Pedagógico, 2000/2003; Coordenação dos projectos das turmas do 8º Ano (1993/1995) e do 10º Ano (1995/1997) na E.S.D. Dinis, no âmbito da Área-Escola; Coordenação de professores do 4º grupo em 1975/76, na esc. Prep. João de Lemos e na Escola Sec. D. Dinis, em 1981/83; FORMAÇÃO ACADÉMICA E PROFISSIONAL Datas (de até) Nome e tipo da organização de Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa ensino ou formação Principais disciplinas/competências Metodologia do Ensino das Ciências profissionais Designação da qualificação Mestrado em Ciências da Educação atribuída Classificação obtida (se aplicável) Muito Bom Datas (de até) Nome e tipo da organização de ensino ou formação Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Página 4 Matos Castro, Maria da Luz de

5 Principais disciplinas/competências Licenciatura em Química - Ramo de Formação Educacional profissionais Designação da qualificação Professora do Ensino Secundário atribuída Classificação obtida (se aplicável) Quinze valores Datas (de até) Nome e tipo da organização de ensino ou formação Principais disciplinas/competências profissionais Designação da qualificação atribuída Classificação obtida (se aplicável) Universidade de Luanda Engenharia Química Licenciatura em Engenharia Catorze valores APTIDÕES E COMPETÊNCIAS PESSOAIS Adquiridas ao longo da vida ou da carreira, mas não necessariamente abrangidas por certificados e diplomas formais. PRIMEIRA LÍNGUA LÍNGUA PORTUGUESA OUTRAS LÍNGUAS INGLÊS FRANCÊS Compreensão escrita MUITO BOA MUITO BOA Expressão escrita MUITO BOA BOA Expressão oral MUITO BOA BOA APTIDÕES E COMPETÊNCIAS SOCIAIS Conviver e trabalhar com outras pessoas, em meios multiculturais, em funções onde a comunicação é importante e situações onde o trabalho de equipa é essencial (por exemplo, a nível cultural e desportivo), etc. APTIDÕES E COMPETÊNCIAS DE ORGANIZAÇÃO Por exemplo coordenação e gestão de pessoas, projectos, orçamentos; no trabalho, em trabalho voluntário (por exemplo, a nível cultural e desportivo) e em casa, etc. APTIDÕES E COMPETÊNCIAS TÉCNICAS Com computadores, tipos específicos de equipamento, máquinas, etc. Convivência diária com dezenas de adolescentes de origens culturais diversas orientando-os em currículos diversos (científico-humanísticos, profissionais e tecnológicos) orientando actividades lectivas e projectos de escola, na sua maioria em contexto de ciência. Convivio profissional com professores e formadores e coordenação de equipas de professores e de formadoras em projectos de escola e participação nas decisões de organização. Bom relacionamento com alunos e com formandos, com professores e formadores, com os elementos da Direcção, bem como com o pessoal administrativo e operacional. Coordenação de grupos de elementos representantes dos vários sectores da comunidade escolar (professores, pessoal não docente, alunos, pais, autarquia) com impacto na gestão da escola ( Assembleia de Escola, Conselho Geral Transitório, Equipa de Auto-avaliação da Escola). Coordenação de professores e alunos em projectos de escola e de formação com e sem financiamento (Nónio século XXI, Ciência Viva, Instituto de Inovação Educacional, FSE, Prodep) e preparação das respectivas candidaturas a financiamento. Organização de conferências, apresentações, exposições, reuniões em diversos ambientes escolares ou profissionais, para pequenos e grandes grupos (até aprox. 250 pessoas) Utilização do computador permanentemente na actividade profissional (Word, Excel, ppt, comunicação, pesquisa); utilização frequente de computador e projector vídeo/data, em actividade lectiva, em apresentações em congressos; actividade prática laboratorial de física e química com frequência. Página 5 Matos Castro, Maria da Luz de

6 CARTA(S) DE CONDUÇÃO Carta de Ligeiros desde 1970 INFORMAÇÃO ADICIONAL Trabalhos Publicados Mapas de Conceitos e aprendizagem dos alunos (2002). Revista Inovação, Vol.15, nº 1-2-3, IIE. Em co-autoria com Maria M. Pereira e M. Odete Sansão. O relatório como meio de avaliação formativa no 3º ciclo do ensino básico (1994). Revista Portuguesa de Educação, 7 (1 e 2), , Universidade do Minho. Em coautoria com Mariana P. Pereira. Que Química para o 1º Ciclo? (1991). Boletim da SPQ, 46, série II. Em co-autoria com M. Mercês Sousa Ramos. Da oportunidade de ensinar Física na Escola Primária. A aprendizagem de processos científicos por alunos do 2º ano de escolaridade um exemplo (1990). O Professor, 6, série 3, Junho. Em co-autoria com M. Mercês Sousa Ramos. Guia de Aprendizagem das Unidades 7 a 13 do programa de Ciências do Ambiente do Curso Geral Nocturno (3º Ciclo Ensino Recorrente) por Unidades Capitalizáveis (1990). Editorial do Ministério da Educação. Em co-autoria com C. Bento e P. Pereira. Um contributo para a formação de professores: descrição de uma caso em Metodologia da Química (8º Ano) (1989). Boletim da SPQ, nº 37, Em co-autoria co M. Mercês Sousa Ramos. Introdução de processos científicos na Escola Primária e formação contínua de professores uma experiência (1989). Actas do Simpósio sobre Formação de professores de química/ciências Desafios para um mundo em mudança 1998, Lisboa, SPQ/CTC IUPAC, p Em co-autoria com M. Mercês Sousa Ramos. Guia de Aprendizagem das Unidades 1 a 6 do Programa de Ciências do Ambiente do Curso Geral Nocturno (3º Ciclo Ensino Recorrente) por Unidades Capitalizáveis (1988,1992). Editorial do Ministério da educação. Em co-autoria com C. Bento e P. Pereira. Programa de Ciências do Ambiente do 3º Ciclo por Unidades capitalizáveis Ensino Recorrente (1988,1991). Editorial do Ministério da educação. Em co-autoria com C. Bento e P. Pereira. Sobre teoria curricular. Fundamentação, desenvolvimento e avaliação do currículo. A contribuição dos professores (1986). O professor, nº 88, Julho, Em co-autoria com C.Bento. Sobre Novos programas para o curso unificado (1985). Gazeta de Física, Revista da SPF, vol.9. Em co-autoria com F. Fernandes et al.. Física 11º Ano (1985). Lisboa: Ed. Nave. Em co-autoria com M.H.Pereira et al.. OUTROS Menção Honrosa no concurso nacional Prémio Rómulo de Carvalho atribuído pela Sociedade Portuguesa de Física, por proposta do Conselho Executivo da Escola Sec. D. Dinis, pela relevância da actividade como professora de Física do Ensino Secundário, em Dezembro de 2005 Página 6 Matos Castro, Maria da Luz de

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome PEREIRA, LUCÍLIA DOS SANTOS NUNES Morada 301, ORTIGOSA, EDIFÍCIO OÁSIS, 5100-076, LAMEGO, PORTUGAL Telefone 254 688 476 Telemóvel 963 481 872

Leia mais

Educação Formação Avançada

Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada Unidade Científico- Pedagógica de Ciências da Educação

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido (s) / Nome (s) próprio (s) Pronto, Joana Morada (s) Nº 2 R/C D T O, Praceta S. Lazaro, 227-2000 Santarém Nº 5 1º D T O, Rua Actor Epifânio, 1750 -Lisboa

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação e Formação Especialização: E-learning e Formação a Distância (Regime a Distância) 14 15 Edição Instituto

Leia mais

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016

PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Escola Básica Frei André da Veiga PLANO DE MELHORIA DA BIBLIOTECA da FAV PARA 2015/2016 A. Currículo, literacias e aprendizagem Problemas identificados Falta

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E

M O D E L O E U R O P E U D E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada João da Cruz Borges Silva Palmarejo Praia, Cabo Verde Telefone (+238)927-05-39 Fax (+238)262-35-51 Correio electrónico

Leia mais

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos CONCURSO DOCUMENTAL PARA UM LUGAR DE PROFESSOR COORDENADOR PARA O SETOR DE ÁREAS DISCIPLINARES DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ÁREA DISCIPLINAR PSICOLOGIA SOCIAL, COMPORTAMENTO E COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL.

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2013/2015

PLANO DE AÇÃO 2013/2015 PLANO DE AÇÃO 2013/2015 INTRODUÇÃO: Os planos de formação previstos na alínea b) do n.º 2 do artigo 20.º e na alínea d) do artigo 33.º, ambos do Decreto -Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, devem conter,

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação e Tecnologias Digitais (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CONSULTORIA E AUDITORIA ALIMENTAR AUDITOR LÍDER ISO

PÓS-GRADUAÇÃO CONSULTORIA E AUDITORIA ALIMENTAR AUDITOR LÍDER ISO PÓS-GRADUAÇÃO CONSULTORIA E AUDITORIA ALIMENTAR AUDITOR LÍDER ISO 22000:2005 Lead Auditor Training course ENTIDADES PARCEIRAS SGS PORTUGAL SOCIEDADE GERAL DE SUPERINTENDÊNCIA, S.A. O Grupo SGS Société

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Manuel Joaquim Flores Fernandes NOME

CURRICULUM VITAE. Manuel Joaquim Flores Fernandes NOME CURRICULUM VITAE NOME Manuel Joaquim Flores Fernandes Naturalidade: Rossas - Vieira do Minho Data de Nascimento: 31 de Outubro de 1969 Bilhete de Identidade Nº 8423421 - emitido em 04/07/2007 pelo Arquivo

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Cristina Cota Sequeira e Rua Maluda nº 10 3º Dtº, 1750-465 Lisboa, Portugal Telefone(s) 217931889 Telemóvel: 962835470

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA Plano Estratégico de Melhoria 2011-2012 Uma escola de valores, que educa para os valores Sustentabilidade, uma educação de, e para o Futuro 1. Plano Estratégico

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA ANEXO II DOMÍNIO: GESTÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Estudex PROJETOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS PARCERIAS CALENDARIZAÇÃO Sala de estudo para o

Leia mais

Bruno Helder Pacheco Couto

Bruno Helder Pacheco Couto Bruno Helder Pacheco Couto HABILITAÇÕES ACADÉMICAS 1991-1997 Escola Básica 3/Secundária Antero de Quental (Ponta Delgada). 1997-2002 Licenciatura em Ciências Físico Química (ensino de), habilitado pela

Leia mais

Lei n.º 21/2008 de 12 de Maio

Lei n.º 21/2008 de 12 de Maio Lei n.º 21/2008 de 12 de Maio Primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de Janeiro, que define os apoios especializados a prestar na educação pré-escolar e nos ensinos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES Inovação e Qualidade Plano de Ação Estratégico - 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES PROJECTO DE INTERVENÇÃO PLANO DE ACÇÃO ESTRATÉGICO 2012/2013 Escola de Oportunidades e de Futuro Telmo

Leia mais

REGULAMENTO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

REGULAMENTO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA REGULAMENTO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE MESTRADO QUE CONFEREM HABILITAÇÃO PROFISSIONAL PARA A DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E NO ENSINO BÁSICO O presente regulamento estabelece o enquadramento

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA, FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS PÓS-GRADUAÇÃOE MESTRADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS: BOLETIM DE CANDIDATURA

UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA, FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS PÓS-GRADUAÇÃOE MESTRADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS: BOLETIM DE CANDIDATURA UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA, FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS PÓS-GRADUAÇÃOE MESTRADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS: BOLETIM DE CANDIDATURA Nº (reservado aos serviços) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Curriculum Vitae (julho 2011)

Curriculum Vitae (julho 2011) Curriculum Vitae (julho 2011) Informação pessoal Nome Ana Maria Teixeira Soares FERREIRA Morada Estrada do Vale da Barrega, Lote 8 Quinta do Picado Aradas 3810-466 AVEIRO Telefone +351234191676 Telemóvel:

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E

M O D E L O E U R O P E U D E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome COSTA, JORGE MIGUEL NOGUEIRA Morada Nº 5 1º B, RUA ANTÓNIO LUÍS GOMES, 2620-310, RAMADA, PORTUGAL Telefone +351 219 322

Leia mais

Filiação: José da Encarnação Correia Cintra e de Liberdade das Dores Ferreira Cintra. Carta de Condução: FA 37991 Ligeiros, Pesados e Motociclos

Filiação: José da Encarnação Correia Cintra e de Liberdade das Dores Ferreira Cintra. Carta de Condução: FA 37991 Ligeiros, Pesados e Motociclos CURRICULUM VITAE Mário José Ferreira Cintra, nasceu em 1954, em Ferragudo, Concelho de Lagoa. Filho de José da Encarnação Correia Cintra, já falecido, marinheiro/pescador e de Liberdade das Dores Ferreira

Leia mais

Bibliotecas Públicas e Formação de Utilizadores

Bibliotecas Públicas e Formação de Utilizadores Bibliotecas Públicas e Formação de Utilizadores Experiência da Biblioteca Municipal de Armando Correia Janeiro 8 CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Direcção Municipal de Desenvolvimento Social Departamento de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA Relatório de Autoavaliação Ano letivo 2014/2015 Grupo disciplinar de Página2 ÍNDICE INTRODUÇÃO. 3 I ENQUADRAMENTO. 3 1. Caracterização da estrutura educativa.

Leia mais

Nº 13 AEC - Papel e Acção na Escola. e-revista ISSN 1645-9180

Nº 13 AEC - Papel e Acção na Escola. e-revista ISSN 1645-9180 1 A Escola a Tempo Inteiro em Matosinhos: dos desafios estruturais à aposta na formação dos professores das AEC Actividades de Enriquecimento Curricular Correia Pinto (*) antonio.correia.pinto@cm-matosinhos.pt

Leia mais

MAPA DE PESSOAL / ANO DE 2012

MAPA DE PESSOAL / ANO DE 2012 MUNICÍPIO DE CARRAZEDA DE ANSIÃES MAPA DE PESSOAL / ANO DE 202 Atribuições / a criar Artigo º do Decreto-lei n.º 93/200, de 20 de Abril Director de Departamento 2 (a) Artigo º do Decreto-lei n.º 93/200,

Leia mais

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Ensino Superior Regulamento n.º 319/2013 Regulamento do Programa de Apoio Social a Estudantes através de atividades de tempo Parcial (PASEP) da Universidade

Leia mais

Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet nas Escolas Públicas do 1.º ciclo no distrito de Bragança

Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet nas Escolas Públicas do 1.º ciclo no distrito de Bragança Seminário Contextualização SOCIEDADE DE CONHECIMENTO E NOVAS TECNOLOGIAS NAS ZONAS RURAIS as novas acessibilidades na procura da qualidade de vida Projecto de Acompanhamento do Uso Educativo da Internet

Leia mais

EDITAL. 2. Podem ser opositores ao concurso deste curso de mestrado:

EDITAL. 2. Podem ser opositores ao concurso deste curso de mestrado: EDITAL 1. Faz-se público que está aberto concurso para admissão ao Curso de Mestrado em Tecnologias de Informação e Comunicação em Educação, a iniciar no 1º semestre do ano letivo de 2015/2016 na Escola

Leia mais

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM Ano Letivo 2011/2012 Marinha Grande, Setembro de 2011 1. Índice: Índice 2 1. Introdução 3 2. Caracterização

Leia mais

José Manuel Pereira Alho RESUMO CURRICULAR

José Manuel Pereira Alho RESUMO CURRICULAR José Manuel Pereira Alho RESUMO CURRICULAR 2013 NOME: MORADA: CONTATOS: IDENTIFICAÇÃO: José Manuel Pereira Alho Estrada de Fátima,1150A, Atouguia 2490-053 OURÉM josemalho@gmail.com +351966021635 Bilhete

Leia mais

Plano de Atividades. Ano letivo 2011 / 2012

Plano de Atividades. Ano letivo 2011 / 2012 Plano de Atividades Ano letivo 2011 / 2012 Plano de Atividades de Informática @ 2011-2012 Plano de Atividades Pretende-se com este plano promover o uso efetivo das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria

AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARRONCHES AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria JANEIRO 2014 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ANÁLISE QUALITATIVA... 1 3.... 5 3.1. Áreas de Melhoria... 5 3.2. Identificação

Leia mais

CEF/0910/27086 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/27086 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/27086 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Cofac

Leia mais

Curso de e-learning Outubro de 2014

Curso de e-learning Outubro de 2014 Associação Portuguesa dos Técnicos de Natação Complexo de Piscinas Municipais de Rio Maior Estradas das Marinhas 2040 Rio Maior Curso de e-learning Outubro de 2014 Conservação, qualidade da água e contributos

Leia mais

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC 30 Dossier Tic Tac Tic Tac MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC Texto de Elsa de Barros Ilustração de Luís Lázaro Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas

Leia mais

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015/2016 PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015-2016 POR UM AGRUPAMENTO DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA JI Fojo EB 1/JI Major David Neto EB 2,3 Prof. José Buísel E.S. Manuel Teixeira Gomes

Leia mais

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 2) Cartas de curso identificação do Reitor da Universidade Nova de Lisboa, identificação do titular do grau, n.º do documento de identificação

Leia mais

Projecto de Lei n.º 54/X

Projecto de Lei n.º 54/X Projecto de Lei n.º 54/X Regula a organização de atribuição de graus académicos no Ensino Superior, em conformidade com o Processo de Bolonha, incluindo o Sistema Europeu de Créditos. Exposição de motivos

Leia mais

AGENDA DAS VISITAS AGRUPAMENTOS

AGENDA DAS VISITAS AGRUPAMENTOS AGENDA DAS VISITAS AGRUPAMENTOS 8h45 9h00-11h00 11h00-12h30 12h30 14h30-16h30 17h00-18h00 18h00 1.º dia Chegada à escola-sede do Agrupamento Sessão de apresentação do Agrupamento pela Direcção e primeira

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO 2015-2016 JULHO 2015 1. Enquadramento. O presente Plano Estratégico para o ano 2015-2016, dá cumprimento ao disposto no artigo 15.º do Despacho Normativo n.º6/2014, de 26 de maio. Apresentam-se

Leia mais

Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica

Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Relatórios dos Docentes Desempenho do Curso Ano Lectivo 2012/2013 Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Relatório de Desempenho do Curso Ano Lectivo

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Endereço(s) de correio electrónico Rua 20 de Dezembro de 1519, Nº 22, 3060-491 Outil (Portugal) Telefone(s) 231 429

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2011/2014

PLANO DE FORMAÇÃO 2011/2014 PLANO DE FORMAÇÃO 2011/2014 O Plano de Formação 2011/14 que integra o Projeto Educativo do Agrupamento (PEA) e o Plano Anual de Atividades (PAA) foi elaborado a partir do levantamento das necessidades

Leia mais

Ramos Coelho, Cristina Maria

Ramos Coelho, Cristina Maria Curriculum EUROPASSE Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada Ramos Coelho, Cristina Maria Avenida Pio XII, Lt A, 5º D, 7300-073 Portalegre Telefone 245362348 / 933410973 Endereço

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DA BAIXA DA BANHEIRA

ESCOLA SECUNDÁRIA DA BAIXA DA BANHEIRA ESCOLA SECUNDÁRIA DA BAIXA DA BANHEIRA Ano lectivo 2010 / 2011 Introdução De modo a dar cumprimento à legislação em vigor, tendo como base os objectivos do Projecto Educativo: Diminuir o Insucesso e abandono

Leia mais

Centro de Formação de Loures Oriental. PLANO DE FORMAÇÃO 2011 (Não financiado)

Centro de Formação de Loures Oriental. PLANO DE FORMAÇÃO 2011 (Não financiado) Centro de Formação de Loures Oriental PLANO DE FORMAÇÃO 2011 (Não financiado) FORMAÇÃO PARA DOCENTES (certificada pelo CCPFC) Os docentes que pretendam inscrever-se deverão preencher o impresso de candidatura

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Arronches. Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar

Agrupamento de Escolas de Arronches. Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar Agrupamento de Escolas de Arronches Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar João Garrinhas Agrupamento de Escolas de Arronches I. PRINCIPIOS, VALORES E MISSÃO DO AGRUPAMENTO

Leia mais

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA )

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Preâmbulo O regulamento da Universidade Sénior de Almada (USALMA) foi aprovado pela Associação de Professores do Concelho de Almada (APCA) em reunião

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RUY BELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RUY BELO PLANO DE FORMAÇÃO 1 PLANO DE FORMAÇÃO Índice Introdução 4 Pressupostos teóricos 5 Enquadramento legal 7 Âmbito da formação (objetivos) 9 Docentes Não docentes Pais e encarregados de educação Levantamento

Leia mais

Reconfiguração do contexto comunidade educativa: O Projecto Ria.EDU e a mediação tecnológica

Reconfiguração do contexto comunidade educativa: O Projecto Ria.EDU e a mediação tecnológica Reconfiguração do contexto comunidade educativa: O Projecto Ria.EDU e a mediação tecnológica Florin Zamfir 1, Fernando Delgado 2 e Óscar Mealha 1 1 Universidade de Aveiro Departamento de Comunicação e

Leia mais

Ex. mos Senhores. Sérgio Moreira Brito Ramos. Rua das Areias, nº1, R/c drt 1910-407 Setúbal. Email: sergiombramos@gmail.

Ex. mos Senhores. Sérgio Moreira Brito Ramos. Rua das Areias, nº1, R/c drt 1910-407 Setúbal. Email: sergiombramos@gmail. Sérgio Moreira Brito Ramos Rua das Areias, nº1, R/c drt 1910-407 Setúbal Email: sergiombramos@gmail.com Tel: 965615971 Setúbal, 01 de Maio de 2013, Ex. mos Senhores Eu, Sérgio Moreira Brito Ramos portador

Leia mais

3. Actividade Pedagógica e Cientifica. 1) Experiência no Ensino Superior Ao Nível do 2º Ciclo do Ensino Superior:

3. Actividade Pedagógica e Cientifica. 1) Experiência no Ensino Superior Ao Nível do 2º Ciclo do Ensino Superior: 1. Informação Biográfica Naturalidade: Coimbra (Sé Nova) Data de Nascimento: 10 de Fevereiro de 1970 Bilhete de Identidade: 8832094 de 12/10/2004 Coimbra Nacionalidade: Portuguesa Estado Civil: casada

Leia mais

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS ESTATUTO DO ALUNO DIREITOS E DEVERES - LEI 39/2010, DE 2 DE SETEMBRO Artigo 7.º Responsabilidade dos alunos 1. Os alunos são responsáveis, em termos adequados à sua idade e capacidade de discernimento,

Leia mais

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Índice Nota Introdutória Legislação Conceitos/Glossário de termos Princípios Orientadores e finalidades Documentos Nota Introdutória:

Leia mais

Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar. e no Ensino Básico Relatório-Síntese. Agrupamento de Escolas n.º 1 de Évora

Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar. e no Ensino Básico Relatório-Síntese. Agrupamento de Escolas n.º 1 de Évora Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no Ensino Básico Relatório-Síntese Agrupamento de Escolas n.º 1 de Évora AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE ÉVORA CÓDIGO 135537 CONCELHO DE ÉVORA DELEGAÇÃO REGIONAL

Leia mais

Unidade Curricular de Projecto Empresarial, em Parceria com o ISCTE-IUL

Unidade Curricular de Projecto Empresarial, em Parceria com o ISCTE-IUL ENQUDRAMENTO Unidade Curricular de Projecto Empresarial, em Parceria com o ISCTE-IUL A Faculdade de Ciências inclui nos seus planos de estudos diversas disciplinas que têm como objectivo sensibilizar os

Leia mais

PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO

PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO PLANO TIC ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACHICO 2010-2011 O Coordenador TIC Maria Jacinta Lopes IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR TIC Maria Jacinta Lopes 962937650 marijacinta@gmail.com CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E

M O D E L O E U R O P E U D E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Correio electrónico FONSECA DE MOURA COTA, TÂNIA SOFIA Rua das Descobertas, Nº 32, 2º Dto. Telefone 91 627 97

Leia mais

Externato Académico. Projeto Educativo

Externato Académico. Projeto Educativo Externato Académico Projeto Educativo 2015-2018 Índice 1. Introdução... 3 2. Caracterização... 4 2.1. Recursos materiais e educativos... 5 3. Princípios orientadores... 7 3.1.Missão, Visão, Objetivos e

Leia mais

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE IDENTIFICAÇÃO Unidade Orgânica: Docente avaliado: Departamento

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE ESCOLA 2014-2015

CONTRATAÇÃO DE ESCOLA 2014-2015 CONTRATAÇÃO DE ESCOLA 2014-2015 Informam-se os interessados que está aberto o procedimento concursal para recrutamento no âmbito da Reserva de Recrutamento / Contratação de Escola dos horários abaixo discriminados,

Leia mais

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE

M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE M ODELO EUROPEU DE CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome PINTO, CASIMIRO ERNESTO Morada 31 3.º ESQº, RUA ALEXANDRE FERREIRA 1750-010 LISBOA Telefone 217586368 Fax Correio electrónico cpinto@netcabo.pt

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Pereira Morada(s) Trav. Dr. Primitivo Lopes, Lote 3, 2410-383 Leiria Telefone(s) 244836651 Telemóvel: 914202020 Correio(s) electrónico(s)

Leia mais

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE PARTE A (a preencher pelo coordenador do departamento curricular ou pelo conselho executivo se o avaliado for coordenador de um departamento curricular)

Leia mais

Ensino Básico. Regulamento da Competição

Ensino Básico. Regulamento da Competição ESCOLA + Promoção de Eficiência Energética entre Escolas do 1º Ciclo de O Projeto Escola + Ensino Básico Regulamento da Competição Ano Letivo 2014-2015 O Projeto «Escola +» é uma iniciativa da Lisboa E-Nova

Leia mais

Departamento de Ciências da Educação Licenciatura em Educação de Infância 3º Ano

Departamento de Ciências da Educação Licenciatura em Educação de Infância 3º Ano Departamento de Ciências da Educação Licenciatura em Educação de Infância 3º Ano Programa da disciplina de Oficina de Materiais Educativos Ano lectivo 2008/2009 3 horas semanais Docente: Prof. Doutor Paulo

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 [DEPARTAMENTO de EDUCAÇÃO] [Anabela Sousa Pereira] [Mestrado em Psicologia na especialização de Psicologia Clínica e da Saúde] 1.

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS

REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS. ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS ESCOLA SECUNDÁRIA QUINTA do MARQUÊS Artigo 1º - Definição A Biblioteca Escolar - Centro de Recursos Educativos da Escola Secundária Quinta

Leia mais

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Graça, Tânia. Experiência profissional. Apelido / Nome(s)

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Graça, Tânia. Experiência profissional. Apelido / Nome(s) Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido / Nome(s) Morada Rua Ricardo Durão,79 2090-137 Alpiarça Telemóvel 926944712 Correio electrónico taniagraca@gmail.com Nacionalidade Portuguesa de nascimento 26.08.1982

Leia mais

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Évora A.1.a. Outra(s)

Leia mais

Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade

Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade Índice Preâmbulo... 2 I - Órgãos de Administração e Gestão. 2 Secção I - Legislação aplicável. 2 Secção II - Conselho Geral. 2 Secção III - O Director. 4 Secção IV - Conselho Administrativo 5 Secção V

Leia mais

Novembro de 2008 ISBN: 978-972-614-430-4. Desenho gráfico: WM Imagem Impressão: Editorial do Ministério da Educação Tiragem: 5 000 exemplares

Novembro de 2008 ISBN: 978-972-614-430-4. Desenho gráfico: WM Imagem Impressão: Editorial do Ministério da Educação Tiragem: 5 000 exemplares Título: Educação em Números - Portugal 2008 Autoria: Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE)/Ministério da Educação Edição: Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE)/Ministério

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA - FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS PLANO DE ARTICULAÇÃO CURRICULAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LIXA, FELGUEIRAS 1 Índice

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2011 MARÇO DE 2011 Este documento apresenta os objectivos estratégicos e as acções programáticas consideradas prioritárias para o desenvolvimento da ESE no ano 2011. O Plano de Actividades

Leia mais

Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra

Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra O Plano de para o ano de 2006 constitui-se enquanto instrumento de trabalho tendo sido construído com base no Plano Desenvolvimento Social. Apresenta um conjunto

Leia mais

Candidatura de. António Dourado Pereira Correia. a Director da FCTUC. Programa de acção do Director da FCTUC

Candidatura de. António Dourado Pereira Correia. a Director da FCTUC. Programa de acção do Director da FCTUC Candidatura de António Dourado Pereira Correia a Director da FCTUC Programa de acção do Director da FCTUC No momento em que as regras de gestão da nossa Faculdade se alteram tão profundamente, centrando-a

Leia mais

Regulamento do curso de Mestrado em Engenharia Industrial

Regulamento do curso de Mestrado em Engenharia Industrial Regulamento do curso de Mestrado em Engenharia Industrial REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento dá cumprimento ao

Leia mais

Suplemento do Boletim Municipal Nº 160 Maio 2010. Almada o teu futuro passa por aqui

Suplemento do Boletim Municipal Nº 160 Maio 2010. Almada o teu futuro passa por aqui Suplemento do Boletim Municipal Nº 160 Maio 2010 Almada o teu futuro passa por aqui Oferta Formativa Profissionalizante Ano Lectivo 2010/2011 Oferta Formativa Profissionalizante Almada o teu futuro passa

Leia mais

CONCURSO. A nossa escola pela não violência

CONCURSO. A nossa escola pela não violência CONCURSO A nossa escola pela não violência O concurso A nossa escola pela não violência pretende premiar produtos e acções de sensibilização produzidos por alunos e alunas do 3º Ciclo do Ensino Básico

Leia mais

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 Série Sumário PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Despacho n.º 17/2013 Designa em regime de comissão de serviço por um ano, da

Leia mais

2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO E SUA INSERÇÃO NO PLANO DE ACTIVIDADES DA ENTIDADE PROPONENTE

2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO E SUA INSERÇÃO NO PLANO DE ACTIVIDADES DA ENTIDADE PROPONENTE 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Educação Artística Contributos para a Educação para a Sustentabilidade, Ambiente e Reutilização Criativa 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO E SUA INSERÇÃO NO PLANO DE

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA FOR.CET Centro de Formação para Cursos de Especialização Tecnológica Regulamento de Funcionamento dos CET Capítulo I Acesso e Frequência Artigo 1º (Acesso e Frequência)

Leia mais

I SÉRIE - N.º 16-18-4-2002

I SÉRIE - N.º 16-18-4-2002 466 Decreto Legislativo Regional n.º 13/2002/A de 12 de Abril Organização e funcionamento do sistema de reconhecimento e validação de competências e da educação e formação de adultos A Lei de Bases do

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES Agrupamento de Escolas Elias Garcia 2013/2016 1 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES 2013/2016 O Plano Plurianual de Atividades (PPA) constitui um dos documentos de autonomia,

Leia mais

Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE

Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE _ ENQUADRAMENTO GERAL _ Gabinete de Avaliação e Promoção da Qualidade Instituto Superior de Ciências Educativas 2011, Março Avaliação e Promoção da Qualidade ISCE

Leia mais

Regulamento do Prémio de Mérito 2011/2012. Enquadramento

Regulamento do Prémio de Mérito 2011/2012. Enquadramento Enquadramento Lei nº 39/2010, de 2 de Setembro «CAPÍTULO VI Mérito escolar Artigo 51.º -A Prémios de mérito 1 Para efeitos do disposto na alínea h) do artigo 13.º, o regulamento interno pode prever prémios

Leia mais

Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior Cód. 152900 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO

Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior Cód. 152900 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2015/2016 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA.

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA. INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE ACESSO A CURSOS DE MESTRADOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA Edição 2014-2016 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de

Leia mais

Ciclo de Seminários de Especialização. Avaliação do risco no projecto

Ciclo de Seminários de Especialização. Avaliação do risco no projecto Ciclo de Seminários de Especialização Avaliação do risco no projecto Enquadramento O Ciclo de Seminários de especialização Avaliação do risco no projecto resulta de uma parceria entre a H.MENEZES Risk

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE PONTE DE SOR

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE PONTE DE SOR ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE PONTE DE SOR CURSOS PROFISSIONAIS ANO LECTIVO 2006 / 2007 Cursos Profissionais Cursos vocacionados para a qualificação inicial dos alunos, privilegiando

Leia mais

ACEF/1415/17827 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1415/17827 Relatório preliminar da CAE ACEF/1415/17827 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA Nô Pintcha Pa Dizinvolvimentu UE-PAANE - Programa de Apoio aos Actores Não Estatais TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA PARA FORMADOR/A/S EM GESTÂO ADMINISTRATIVA E SECRETARIADO PARA O

Leia mais

SÍNTESE DO ACORDO COM O ME EM 07/01/2010 QUE O SEPLEU NÃO ASSINOU

SÍNTESE DO ACORDO COM O ME EM 07/01/2010 QUE O SEPLEU NÃO ASSINOU SÍNTESE DO ACORDO COM O ME EM 07/01/2010 QUE O SEPLEU NÃO ASSINOU QUADRO RESUMO DA CARREIRA Escalão Índice Duração Outros requisitos: Quotas, aulas assistidas 1 167 4 2 188 4 2 aulas assistidas 3 205 4

Leia mais

Utilizar a Estatística com recurso ao Excel. 3.1.2 Escola(s) a que pertence(m): 3.1.3 Ciclos/Grupos de docência a que pertencem os proponentes:

Utilizar a Estatística com recurso ao Excel. 3.1.2 Escola(s) a que pertence(m): 3.1.3 Ciclos/Grupos de docência a que pertencem os proponentes: CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA b APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

ANEXO II Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal

ANEXO II Matriz de Responsabilidades. Descentralizar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal A3. Relação escola/comunidade A - Políticas Educativas A2. Políticas de avaliação institucional A1. Planeamento Estratégico 1 Definição geral de políticas educativas nacionais 2 Definição do Plano Estratégico

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Em consonância

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso MESTRADO EM ENSINO DE ARTES VISUAIS NO 3.º CICLO

Leia mais