Imbel planeja lançar seu rifle IA2 no mercado africano e asiático

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Imbel planeja lançar seu rifle IA2 no mercado africano e asiático"

Transcrição

1 Imbel planeja lançar seu rifle IA2 no mercado africano e asiático Por Roberto Valadares Caiafa Infodefensa visitou no início de dezembro as instalações da mais antiga Indústria Estratégica de Defesa do Brasil, cuja gênese pode ser traçada quando da chegada da Família Real Portuguesa na Colônia ultramarina em 1808, evento que possibilitou o estabelecimento da primeira unidade fabril estratégica no País, a Real Fábrica de Pólvora da Lagoa Rodrigo de Freitas, cidade do Rio de Janeiro. A Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel) foi criada em 14 de julho de 1975 (Lei nº 6.227), estando vinculada ao Ministério da Defesa por intermédio do Comando do Exército. Em 2013, a Imbel recebeu o título de Primeira Empresa de Defesa do Brasil.

2 Na Fábrica de Itajubá (FI), visitada pela reportagem, são produzidos os fuzis de assalto e carabinas IA2 em dois calibres, pistolas semiautomáticas de diferentes características, fuzis snipers para atiradores de elite, facas de combate, etc. A Imbel está organizada como um conglomerado de cinco fábricas, cujos produtos resultam de processos industriais diferentes (químicos, mecânicos e metalúrgicos). A Fábrica da Estrela (FE) localizada em Magé (RJ) produz explosivos; a Fábrica Presidente Vargas (FPV) localizada em Piquete (SP) é, também, uma fábrica química produtora de explosivos; a Fábrica de Itajubá (FI) localizada em Itajubá (MG) é uma fábrica mecânica produtora de armas; a Fábrica de Juiz de Fora (FJF) é uma fábrica química, mecânicometalúrgica que fabrica, carrega e monta munições de grosso calibre para o Exército; e a Fábrica de Material de Comunicações e Eletrônica (FMCE) localizada no Rio de Janeiro (RJ) produz equipamentos de comunicações e sistemas eletrônicos diversos.

3 A gênese do Imbel IA2 O IA2 é fruto de estudos do Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e da Imbel para substituir o FN FAL e suas variantes, em uso com o Exército Brasileiro desde A nova arma começou a ser testada no Centro de Avaliações de Exército (CAEx), no Campo de Provas de Marambaia, Rio de Janeiro, em Em 2012, foi colocada uma encomenda inicial de fuzis IA2, na variante de 5.56mm e 7.62 mm, para serem distribuídas entre várias unidades como a Brigada de Operações Especiais, a Brigada de Infantaria Paraquedista e as Brigadas de Infantaria de Selva. O IA2 é classificado como um fuzil de fogo seletivo, em calibre 5.56x45mm NATO, utilizando sistema de ferrolho rotativo, com sete ressaltos. Também possui uma versão em calibre 7,62mm utilizando sistema de ferrolho basculante, similar ao empregado anteriormente no FAL. Mesmos com sistemas de ferrolho diferentes, ambos os fuzis tem características similares, como o sistema por acionamento de gases (na qual os gases resultantes do disparo

4 são desviados para um tubo acima do cano, que empurram um pistão, localizado no tubo, que empurra o kit do ferrolho, liberando o estojo e carregando a câmara com outra munição), detalhes da mecânica foram alterados (como por exemplo, o extrator que teve seu desenho modificado para melhorar o processo de ejeção dos cartuchos deflagrados e o posicionamento do percussor foi modificado). Seu seletor de modo de disparo trabalha em três posições, Segurança (S), Fogo SemiAutomático (SA) e Fogo Automático (A). O IA2 tem design avançado com amplo uso de peças em polímero, como a nova empunhadura. A coronha, inicialmente, na versão 5.56mm, foi projetada com uma montagem telescópica, em polímero, muito similar à utilizada no fuzil FN SCAR. Com o tempo, essa solução foi abandonada em favor da coronha rebatível em material plástico da versão 7.62mm, mais barata e fácil de fabricar. Mantiveram-se duas características do FAL, a alavanca de acionamento do ferrolho, posicionada no lado esquerdo do fuzil (não é ambidestra nem intercambiável), e o seletor de modo de tiro, posicionado no lado esquerdo do conjunto do gatilho da arma, o que dificulta a operação por atiradores canhotos.

5 As variantes em calibre 5.56 mm usam carregador STANAG 4179 (30 munições) padrão OTAN, já a versão em calibre 7.62 mm utiliza carregador padrão do FAL (20 munições). A alça de mira é do tipo rampa deslizante, com as posições de 150 e 250 metros, sendo regulável no plano horizontal com o auxílio de uma chave de fenda. A massa de mira é regulável em altura. A caixa de culatra e guarda-mão receberam trilhos picatinny, o IA2 pode ser equipado com uma vasta gama de acessórios, que incluem lunetas, miras reddot, miras holográficas, intensificadores de imagem, lanternas táticas, lança granadas M203 de 40mm, unidades de controle de tiro, designadores a laser, entre outros acessórios. O cano é equipado com um quebra chamas padrão OTAN, capaz de disparar granadas de bocal. O fuzil pode ser equipado com uma baioneta IA2 ou AMZ, fabricados pela Imbel. O projeto IA2 está sendo oferecido no mercado internacional de armas em quatro versões, o fuzil em calibre 5.56x45mm NATO, feito para substituir o Imbel M964 FAL no Exército Brasileiro e na Marinha do Brasil, o Heckler & Koch HK33 na Força Aérea Brasileira e o Colt M16A2 no Corpo de Fuzileiros Navais (juntamente com o fuzil em calibre 7.62x51mm NATO), a

6 carabina semiautomática em calibre 5.56x45mm NATO e a carabina semiautomática em calibre 7.62x51mm NATO, para combates em ambientes fechados e operações policiais. O Exército Brasileiro fez uma encomenda inicial de fuzis em 2013, e mais recentemente, o Comando Logístico do Exército (COLOG) colocou uma nova encomenda de armas, visando equipar gradativamente as unidades de pronto emprego da Força Terrestre. A Polícia Militar do Estado de São Paulo adquiriu um lote de 500 carabinas em 2014 para equipar a ROTA e a Força Tática, unidades policiais que demandam armamento mais efetivo e moderno. Diversos interessados estão negociando com a Imbel novos contratos de aquisição. A demanda por um fuzil moderno no mercado doméstico e sulamericano é muito grande, e outros mercados considerados promissores estão no continente africano, no extremo asiático, incluindo países do Golfo Pérsico, dentre outros. As instalações antigas, da primeira metade do século XX, são

7 mantidas em ótimas condições. Nos pavilhões, máquinas de fresamento e corte a laser CNC digitais desfilam sua modernidade lado a lado com veneráveis sistemas mecânicos analógicos. Nos fornos, independente do clima ou da modernidade, o calor faz o seu trabalho. De vez em quando, o som de armas automáticas atirando toma conta do ambiente, os fuzis e pistolas que acabaram de ser fabricados estão sendo testados no estande de tiro. Por todos os lados, funcionários executam várias tarefas de forma organizada, afinal é mais um dia de trabalho na fabrica da Imbel em Itajubá, pequena cidade no interior de Minas Gerais. FONTE: Infodefensa FOTOS: Roberto Valadares Caiafa

criticam impasse em relação a embaixador de Israel

criticam impasse em relação a embaixador de Israel Militares brasileiros criticam impasse em relação a embaixador de Israel Dani Dayan - Foto Rina Castelnuovo /The New York Times Por DANIELA KRESCH A decisão de Brasília de postergar indefinidamente a aprovação

Leia mais

Dispõe sobre o estabelecimento de Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC) para os produtos de defesa comuns às Forças Armadas e suas aquisições.

Dispõe sobre o estabelecimento de Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC) para os produtos de defesa comuns às Forças Armadas e suas aquisições. MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 3.885/MD, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estabelecimento de Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC) para os produtos de defesa

Leia mais

Representatividade. Representamos 100% das Federações existentes de fato e de direito no Brasil, que são:

Representatividade. Representamos 100% das Federações existentes de fato e de direito no Brasil, que são: Representatividade Representamos 100% das Federações existentes de fato e de direito no Brasil, que são: FITV Federação Interestadual dos Vigilantes FEVASC Federação dos Vigilantes de Santa Catarina FEV

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL PORTARIA N o. 613, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005 O DIRETOR-GERAL DO DEPARTAMENTO DE POLICIA FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art. 27,

Leia mais

Características da arma:

Características da arma: Estas instruções explicam como identificar nas armas de fogo os dados que devem ser preenchidos no protocolo de entrega de armas de fogo. Os dados obrigatórios que devem ser preenchidos são espécie, modelo,

Leia mais

Regulamento de Prova de Tiro Numero 1/2013. Duelo 20 segundos

Regulamento de Prova de Tiro Numero 1/2013. Duelo 20 segundos Regulamento de Prova de Tiro Numero 1/2013 Duelo 20 segundos FINALIDADE Regulamentar a Prova de Tiro Duelo 20 segundos no âmbito do Estande de Tiro do 2º Batalhão de Policia do Exercito. MODALIDADE Tiro

Leia mais

www.nikkostirling.com

www.nikkostirling.com www.nikkostirling.com PT Anel de travamento Objectivo Ajuste de paralaxe Tubo da mira (luneta) Tampa do regulador Regulador de elevação Regulador da força do vento Ajuste da ampliação Iluminação Ocular

Leia mais

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO 2 APRESENTAÇÃO Esta cartilha foi elaborada pelo Serviço de Armamento e Tiro da Academia Nacional de Polícia e pelo Serviço Nacional de Armas e tem como objetivo principal fornecer

Leia mais

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO APRESENTAÇÃO

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO APRESENTAÇÃO CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO APRESENTAÇÃO Esta cartilha foi elaborada pelo Serviço de Armamento e Tiro da Academia Nacional de Polícia e pelo Serviço Nacional de Armas, tendo como objetivo principal fornecer

Leia mais

ACADEPOL / CORE ORDEM DE SERVIÇO N 124 DE 23 DE JANEIRO DE 2014.

ACADEPOL / CORE ORDEM DE SERVIÇO N 124 DE 23 DE JANEIRO DE 2014. ACADEPOL / CORE ORDEM DE SERVIÇO N 124 DE 23 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI O V CURSO DE OPERAÇÕES AÉREAS COA/2014 DA POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Diretora da Academia

Leia mais

PISTOLA 40 TC - IMBEL MD6

PISTOLA 40 TC - IMBEL MD6 PISTOLA 40 TC - IMBEL MD6 A. INTRODUÇÃO A Indústria de Material Bélico do Brasil - IMBEL, Empresa Pública Federal vinculada ao Ministério da Defesa - Comando do Exército Brasileiro, é tradicional fabricante

Leia mais

ENTREGAS OCOP SUBPROJETOS: 1.1 VIATURAS

ENTREGAS OCOP SUBPROJETOS: 1.1 VIATURAS ENTREGAS OCOP SUBPROJETOS: 1.1 VIATURAS Qnt Descrição 6.500 Viaturas acima de 1,5 ton 20 Ambulância Operacional 4x4 20 Pickup Militar Hilux 10 Reboque Cisterna Combustível 1.500 Litros 10 Reboque Cisterna

Leia mais

Por Nicholas de Larrinaga, Londres e Nikolai Novichkov

Por Nicholas de Larrinaga, Londres e Nikolai Novichkov A Revolução blindados Russa em Por Nicholas de Larrinaga, Londres e Nikolai Novichkov Pontos Chave A parada do Dia da Vitória em Moscou marcou a estréia formal de uma gama de novos modelos de veículos

Leia mais

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO. Edição Revista em Janeiro/2014 APRESENTAÇÃO

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO. Edição Revista em Janeiro/2014 APRESENTAÇÃO CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO Edição Revista em Janeiro/2014 Cartilha de Armamento e Tiro Clube Orion de Tiro APRESENTAÇÃO Esta cartilha foi elaborada pelo Clube Orion de Tiro, tendo como base os conteúdos

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 54 NOVA CAIXA DE MEDIÇÃO FABRICADA EM POLICARBONATO PARA LIGAÇÕES INDIVIDUAIS E COLETIVAS

COMUNICADO TÉCNICO Nº 54 NOVA CAIXA DE MEDIÇÃO FABRICADA EM POLICARBONATO PARA LIGAÇÕES INDIVIDUAIS E COLETIVAS COMUNICADO TÉCNICO Nº 54 NOVA CAIXA DE MEDIÇÃO FABRICADA EM POLICARBONATO PARA LIGAÇÕES INDIVIDUAIS E COLETIVAS Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia da Distribuição 1. OBJETIVO

Leia mais

Observação importante: ORIENTAÇÃO

Observação importante: ORIENTAÇÃO MINISTERIO DA DEFESA EXERCITO BRASILEIRO CMSE 2 ª RM 22º DEPOSITO DE SUPRIMENTO (DRMM/2 1946) Observação importante: a. Quando a relação de armas e munições estiverem prontas, encaminhar em arquivo do

Leia mais

BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE - UNICAMP TEMA DO SEMESTRE. Ambiente urbano ARMAS de FOGO Instituto Sou da Paz + C.F.Andrade

BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE - UNICAMP TEMA DO SEMESTRE. Ambiente urbano ARMAS de FOGO Instituto Sou da Paz + C.F.Andrade BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE - UNICAMP TEMA DO SEMESTRE Ambiente urbano ARMAS de FOGO Instituto Sou da Paz + C.F.Andrade Miami (EUA, Fev-2012) - Trayvon Martin, estudante negro de uma escola secundária

Leia mais

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO

CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO CARTILHA DE ARMAMENTO E TIRO 2 APRESENTAÇÃO Esta cartilha foi elaborada pelo Serviço de Armamento e Tiro da Academia Nacional de Polícia, tendo como objetivo principal fornecer os ensinamentos que serão

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II DOS PRINCÍPIOS 1/50

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II DOS PRINCÍPIOS 1/50 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO LOGÍSTICO DEPARTAMENTO MARECHAL FALCONIERI PORTARIA N o 51 - COLOG, DE 08 DE SETEMBRO DE 2015 Dispõe sobre normatização administrativa de atividades de

Leia mais

CAMINHÕES MILITARES UAI M1-50 e M1-34 UM TREM BÃO DAS GERAIS

CAMINHÕES MILITARES UAI M1-50 e M1-34 UM TREM BÃO DAS GERAIS CAMINHÕES MILITARES UAI M1-50 e M1-34 UM TREM BÃO DAS GERAIS No auge da Indústria de Material de Defesa no Brasil, nos anos 80, uma empresa mineira, localizada em Belo Horizonte, montadora de equipamentos

Leia mais

Questão 02 - A distância média de Goiânia a Taguatinga é de 200 km. Se um automóvel gasta 2,5h para fazer a viagem, sua velocidade média será de:

Questão 02 - A distância média de Goiânia a Taguatinga é de 200 km. Se um automóvel gasta 2,5h para fazer a viagem, sua velocidade média será de: Questão 01 - Uma estrela emite radiação que percorre a distância de 1 bilhão de anos-luz até chegar à Terra e ser captada por um telescópio. Isto quer dizer que: a) A estrela está a 1 bilhão de km da Terra.

Leia mais

www.dfpc.eb.mil.br/index.php/legislacao/61

www.dfpc.eb.mil.br/index.php/legislacao/61 PORTARIA N o 004 - D Log, DE 08 DE MARÇO DE 2001. Aprova as Normas que Regulam as Atividades dos Atiradores. O CHEFE DO DEPARTAMENTO LOGÍSTICO, no uso das atribuições previstas no inciso XV do art. 27

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952) MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE MATERIAL BÉLICO (Dir G de MB/1952) PORTARIA N o 036-DMB, DE 09 DE DEZEMBRO DE 1999 Aprova as normas que regulam o comércio de armas e munições.

Leia mais

Um Exército com Armas Inferiores: A Física Exige uma Nova Arma Básica de Combate

Um Exército com Armas Inferiores: A Física Exige uma Nova Arma Básica de Combate Um Exército com Armas Inferiores: A Física Exige uma Nova Arma Básica de Combate Joseph P. Avery Este artigo representa as opiniões do autor, não as do Departamento de Defesa ou das Forças Singulares dos

Leia mais

T-55, o burro de carga de conflitos locais no século 20

T-55, o burro de carga de conflitos locais no século 20 T-55, o burro de carga de conflitos locais no século 20 T-55 Veículo de combate foi utilizado por exércitos de 70 países Foto: Egor Eriomov/RIA Nóvosti Por Aleksandr Korolkov Historiador Se alguém pudesse

Leia mais

Identificação das Armas de Fogo

Identificação das Armas de Fogo Capítulo Identificação das Armas de Fogo VII Um dos instrumentos mais usados atualmente para cometer crimes violentos contra a vida é a arma de fogo. A fim de que a Justiça possa processar e condenar alguém

Leia mais

OS NOVOS BLINDADOS ISRAELENSES ANTIDISTÚRBIOS DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

OS NOVOS BLINDADOS ISRAELENSES ANTIDISTÚRBIOS DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO OS NOVOS BLINDADOS ISRAELENSES ANTIDISTÚRBIOS DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Em abril de 2014 foram assinados os contratos para a aquisição de 14 novos veículos blindados antidistúrbios entre

Leia mais

ARMANDO E CARREGANDO SUA PISTOLA DE PRESSÃO

ARMANDO E CARREGANDO SUA PISTOLA DE PRESSÃO NORMAS DE SEGURANÇA 1. Antes de utilizar a pistola de pressão, por favor, leia e entenda todos os avisos e instruções descritas neste manual. 2. O proprietário e usuário devem conhecer e obedecer todas

Leia mais

Art. 1 Aprovar e colocar em vigor a NORMA TÉCNICA N 03/2015-CBMDF, na forma do anexo a presente Portaria.

Art. 1 Aprovar e colocar em vigor a NORMA TÉCNICA N 03/2015-CBMDF, na forma do anexo a presente Portaria. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF PORTARIA N 09, DE 20 DE MARÇO DE 2015. Aprova a Norma Técnica N 03/2015- CBMDF - Sistema de Proteção por Extintores de Incêndio. O COMANDANTE-GERAL

Leia mais

Código Símbolo Significado Forma e cor Aplicação. Cuidado, risco de incêndio. Cuidado, risco de explosão. Cuidado, risco de corrosão

Código Símbolo Significado Forma e cor Aplicação. Cuidado, risco de incêndio. Cuidado, risco de explosão. Cuidado, risco de corrosão I - Símbolos da sinalização básica ANEXO B SIMBOLOGIA PARA A SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA Os símbolos adotados por esta norma para sinalização de emergência são apresentados a seguir, acompanhados de exemplos

Leia mais

Game Design: A segurança da humanidade em suas mãos

Game Design: A segurança da humanidade em suas mãos Game Design: A segurança da humanidade em suas mãos Todos Direitos Reservados 2013 Bruno Ruaro Confortin Versão # 1.01 22/04/2013 Índice 1. INTRODUÇÃO 4 2. VISÃO GERAL DO JOGO 5 QUANTO AO TIPO DE OBJETOS

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DE USAR SUA PISTOLA DE PRESSÃO, LEIA CUIDADOSAMENTE TODAS AS INSTRUÇÕES E ADVERTÊNCIAS CONTIDAS NESTE MANUAL DE INSTRUÇÕES.

MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DE USAR SUA PISTOLA DE PRESSÃO, LEIA CUIDADOSAMENTE TODAS AS INSTRUÇÕES E ADVERTÊNCIAS CONTIDAS NESTE MANUAL DE INSTRUÇÕES. PISTOLA DE PRESSÃO POR BOMBEAMENTO MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DE USAR SUA PISTOLA DE PRESSÃO, LEIA CUIDADOSAMENTE TODAS AS INSTRUÇÕES E ADVERTÊNCIAS CONTIDAS NESTE MANUAL DE INSTRUÇÕES. ADVERTÊNCIA: Não

Leia mais

MULAS MECÂNICAS MADE IN BRAZIL

MULAS MECÂNICAS MADE IN BRAZIL MULAS MECÂNICAS MADE IN BRAZIL Nos anos 70 diversos exércitos no mundo estavam a desenvolver uma família de veículos leves, versáteis e capazes de serem lançados de pará-quedas para apoiar operações que

Leia mais

POLIAS DE CORRENTE PARA OPERAÇÃO DE VÁLVULAS ELEVADAS. Ferro dúctil Aço inox Alumínio Aço carbono

POLIAS DE CORRENTE PARA OPERAÇÃO DE VÁLVULAS ELEVADAS. Ferro dúctil Aço inox Alumínio Aço carbono POLIAS DE CORRENTE E ACESSÓRIOS PARA OPERAÇÃO DE VÁLVULAS ELEVADAS Ferro dúctil Aço inox Alumínio Aço carbono Industries, Inc. POLIAS DE CORRENTE AJUSTÁVEIS DE FERRO DÚCTIL USADAS PARA OPERAR VÁLVULAS

Leia mais

Manual de instalação. Centralizador para molas a gás para BAM B19/18 e CBC B19

Manual de instalação. Centralizador para molas a gás para BAM B19/18 e CBC B19 Manual de instalação Centralizador para molas a gás para BAM B19/18 e CBC B19 Índice Segurança 3 Removendo a mecânica da coronha 4 Ajustando a mecânica no compressor de molas 6 Removendo a mola helicoidal

Leia mais

REFLETÔMETRO M43D EEL (SMOKE STAIN RFLECTOMETER) MANUAL DE OPERAÇÃO. Responsável: José Walderley Coêlho Dias

REFLETÔMETRO M43D EEL (SMOKE STAIN RFLECTOMETER) MANUAL DE OPERAÇÃO. Responsável: José Walderley Coêlho Dias ENERGÉTICA IND.E COM. LTDA. Rua Gravataí, 99 Rocha CEP 20975-030 Rio de Janeiro RJ CNPJ 29.341.583/0001-04 IE 82.846.190 Fone: (0xx21) 2501-1998; Fax: (0xx21) 2241-1354 REFLETÔMETRO M43D EEL (SMOKE STAIN

Leia mais

Sistema de Fixação a Pólvora

Sistema de Fixação a Pólvora Sistema de Fixação a Pólvora Fixação a Pólvora fischer A fischer mais uma vez inovando, traz para o Brasil as fixações a pólvora. Um produto seguro que pode ser empregado de várias maneiras por usuários

Leia mais

CAPÍTULO III HABILITAÇÃO EM PISTOLA CAL..40 PT 24/7 e PT 100:

CAPÍTULO III HABILITAÇÃO EM PISTOLA CAL..40 PT 24/7 e PT 100: 9 CAPÍTULO III HABILITAÇÃO EM PISTOLA CAL..40 PT 24/7 e PT 100: Curso Básico para Usuários Primeira Parte (sem uso de munição real):apresentação da Pistola, especificações; tipos de munições; explicações

Leia mais

TBA 42/60. Tornos automáticos CNC de carros múltiplos

TBA 42/60. Tornos automáticos CNC de carros múltiplos TBA 42/60 Tornos automáticos CNC de carros múltiplos TBA 42/60 - nova geração com moderna tecnologia Os tornos automáticos CNC de carros múltiplos Ergomat TBA 42 e TBA 60 se tornaram mais versáteis e produtivos

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR

MANUAL DO CONSUMIDOR MANUAL DO CONSUMIDOR PROTEÇÃO PARA VOCÊ E SEU APARELHO Gravadora de Borracha para Carimbos Pré- Entintados REF:2005 (Somente em 110 volts) Indústria e Comércio de Carimbos e Brinquedos Ltda Av.: Souza

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA A CARREIRA DE PRAÇAS POLICIAIS MILITARES AO CARGO DE SOLDADO PM DA POLÍCIA MILITAR DO CEARÁ CFPCPPM/SD PM-CE / T2

CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA A CARREIRA DE PRAÇAS POLICIAIS MILITARES AO CARGO DE SOLDADO PM DA POLÍCIA MILITAR DO CEARÁ CFPCPPM/SD PM-CE / T2 Página 1 de 31 CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA A CARREIRA DE PRAÇAS POLICIAIS MILITARES AO CARGO DE SOLDADO PM DA POLÍCIA MILITAR DO CEARÁ CFPCPPM/SD PM-CE / T2 Disciplina: Armamento (letal e menos

Leia mais

Boletim do Exército Nº 37/2010. Brasília, DF, 17 de setembro de 2010. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO

Boletim do Exército Nº 37/2010. Brasília, DF, 17 de setembro de 2010. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO Nº 37/2010 Brasília, DF, 17 de setembro de 2010. BOLETIM DO EXÉRCITO Nº 37/2010 Brasília, DF, 17 de setembro de

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº.

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº. 27/2010 Armazenamento em silos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

DE ALTA VELOCIDADE. Pedro Henrique B. de Vasconcellos Serviço o de Cirurgia Geral Hospital Cardoso Fontes

DE ALTA VELOCIDADE. Pedro Henrique B. de Vasconcellos Serviço o de Cirurgia Geral Hospital Cardoso Fontes DE ALTA VELOCIDADE Pedro Henrique B. de Vasconcellos Serviço o de Cirurgia Geral Hospital Cardoso Fontes Para entendermos o que ocorre nas lesões por PAF, precisamos estudar a Balística envolvida, o armamento

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICO-ADMINISTRATIVA Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2015

INSTRUÇÃO TÉCNICO-ADMINISTRATIVA Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2015 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DO EXÉRCITO COMANDO LOGÍSTICO DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DE PRODUTOS CONTROLADOS (DFPC/1982) INSTRUÇÃO TÉCNICO-ADMINISTRATIVA Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2015 Dispõe sobre normatização

Leia mais

sinalização de prevenção e combate a incêndio www.wnbh.com.br

sinalização de prevenção e combate a incêndio www.wnbh.com.br sinalização de prevenção e combate a incêndio www.wnbh.com.br índice Sinalização de alerta e proibição...04 Sinalização de orientação e salvamento...05 Sinalização de equipamentos e combate a incêndio...06

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA INFORMATIVO DO ALUNO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA INFORMATIVO DO ALUNO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA INFORMATIVO DO ALUNO INSTRUÇÃO DE NIVELAMENTO DE CONHECIMENTO DO EFETIVO CONVOCADO PELO DFNSP - 57ª EDIÇÃO DEPARTAMENTO DA FORÇA NACIONAL

Leia mais

Linha Miyano Evolution BNJ

Linha Miyano Evolution BNJ Centro de Torneamento CNC com 2 Fusos, 2 Torres e 1 Eixo- Deslizante Linha Miyano Evolution BNJ As Linhas Evolution & Innovation são o Futuro Quase tudo é possível para as Miyano BNJ - 42 e 51 S3 O movimento

Leia mais

Federação Portuguesa de Tiro

Federação Portuguesa de Tiro Regulamento de Benchrest 01 de Junho de 2011 Pág. 1 Artigo 1º Âmbito do Regulamento O presente Regulamento estabelece as regras das competições da disciplina de Benchrest para carabina de calibre.22 Long

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXÉRCITO PORTUGUÊS BRIGADA MECANIZADA GRUPO DE CARROS DE COMBATE

S. R. MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXÉRCITO PORTUGUÊS BRIGADA MECANIZADA GRUPO DE CARROS DE COMBATE S. R. MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXÉRCITO PORTUGUÊS BRIGADA MECANIZADA GRUPO DE CARROS DE COMBATE 1. INTRODUÇÃO a. As Forças Armadas Portuguesas têm presentemente a necessidade do acompanhamento tecnológico

Leia mais

TURMA: Com no máximo 30 alunos. CARGA HORÁRIA: 100 horas/aula, 20 horas/aula a mais que o exigido pelo Departamento de Polícia Federal.

TURMA: Com no máximo 30 alunos. CARGA HORÁRIA: 100 horas/aula, 20 horas/aula a mais que o exigido pelo Departamento de Polícia Federal. CURSO DE FORMAÇÃO DE INSTRUTOR DE ARMAMENTO E TIRO (C.F.I.A.T.) OBJETIVO: Capacitar o interessado em repassar as técnicas de manuseio e uso de armas curtas e longas utilizadas na área da segurança privada,

Leia mais

Brasil planeja envio de soldados para Força da ONU no Líbano

Brasil planeja envio de soldados para Força da ONU no Líbano Brasil planeja envio de soldados para Força da ONU no Líbano O Brasil planeja o envio de tropas do Exército para serem incorporadas à missão de paz das Nações Unidas no sul do Líbano, junto à fronteira

Leia mais

PUMP CBC 12. ATENÇÃO: Antes de carregar a arma com munição, leia atentamente este manual

PUMP CBC 12. ATENÇÃO: Antes de carregar a arma com munição, leia atentamente este manual 1 - INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA PUMP CBC 12 ATENÇÃO: Antes de carregar a arma com munição, leia atentamente este manual - Aprenda como manusear sua arma com segurança. A não observação das instruções de segurança

Leia mais

Olá, Professores e Professoras. É um prazer estar aqui com vocês novamente. Sejam bem-vindos!

Olá, Professores e Professoras. É um prazer estar aqui com vocês novamente. Sejam bem-vindos! Transcrição do vídeo Caixa de edição e texto Duração: 10 minutos e 26 segundos Olá, Professores e Professoras. É um prazer estar aqui com vocês novamente. Sejam bem-vindos! Hoje vamos conversar sobre um

Leia mais

Seção 12 Conjunto do motor

Seção 12 Conjunto do motor Seção 12 Conjunto do motor Página CONJUNTO DO MOTOR... 164 Instalação do virabrequim... 164 Instale o pistão e a biela... 164 Instalação do eixo de cames... 164 Instalação da bomba de óleo... 165 Instalação

Leia mais

DECRETO Nº 961, DE 23 DE JANEIRO DE 2012.

DECRETO Nº 961, DE 23 DE JANEIRO DE 2012. DECRETO Nº 961, DE 23 DE JANEIRO DE 2012. Aprova a Diretriz Conjunta nº 003/2011, dos Comandantes-Gerais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso, que regulamenta a aquisição,

Leia mais

FILMES ESPECIAIS PARA CÂMARAS A LASER KODAK EIR, EHN, HQB

FILMES ESPECIAIS PARA CÂMARAS A LASER KODAK EIR, EHN, HQB INSTRUÇÕES DE USO FILMES ESPECIAIS PARA CÂMARAS A LASER KODAK EIR, EHN, HQB Eastman Kodak Company / Kodak de México S.A. de C.V. Distribuidor no Brasil: Fabricado e Distribuído por: Kodak Brasileira Comércio

Leia mais

Marinha do Brasil e Polícia Federal apreendem contrabando no Paraná

Marinha do Brasil e Polícia Federal apreendem contrabando no Paraná Marinha do Brasil e Polícia Federal apreendem contrabando no Paraná Nesta segunda-feira (27 de julho), uma ação conjunta da Marinha do Brasil e Polícia Federal realizou a apreensão de contrabando e duas

Leia mais

Disciplina Objetivos Carga Horária

Disciplina Objetivos Carga Horária ANEXO V CURSO DE EXTENSÃO EM ESCOLTA ARMADA CEA PROGRAMA DE CURSO 1. REQUISITO Ter concluído o CFV. 2. OBJETIVO Dotar o aluno de conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes que o capacitem para o exercício

Leia mais

Plano do Curso. Curso de Instrutor de Armamento e Tiro 2013 São Leopoldo/RS

Plano do Curso. Curso de Instrutor de Armamento e Tiro 2013 São Leopoldo/RS Plano do Curso Curso de Instrutor de Armamento e Tiro 2013 São Leopoldo/RS Distribuição: Justificativa; Objetivos do Curso; Público-Alvo; Metodologia; Quadro horário; Extras; Instrutores; Referências Bibliográficas;

Leia mais

MANUAL DE ARMAMENTO E MANUSEIO SEGURO DE ARMAS DE FOGO

MANUAL DE ARMAMENTO E MANUSEIO SEGURO DE ARMAS DE FOGO MANUAL DE ARMAMENTO E MANUSEIO SEGURO DE ARMAS DE FOGO MANAUS 2012 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 03 1 Manuseio seguro com armas de fogo... 04 1.1 Conceito... 04 1.2 Regras de segurança... 04 2 Arma de fogo...

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA AQUISIÇÃO DE ARMAS

INSTRUÇÕES PARA AQUISIÇÃO DE ARMAS INSTRUÇÕES PARA AQUISIÇÃO DE ARMAS 1. Preencher e assinar o formulário de requisição de arma e/ou munição, em anexo, e enviá-los para o sindicato. O modelo da arma deve ser exatamente o que consta na tabela

Leia mais

CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS

CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS Dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas Sinarm, define crimes e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DO

Leia mais

< RT 605 Compacto e Leve. < PT 840 Confiável e Seguro. Pistolas & Revólveres 2015 calibres restritos

< RT 605 Compacto e Leve. < PT 840 Confiável e Seguro. Pistolas & Revólveres 2015 calibres restritos < RT 605 Compacto e Leve < PT 840 Confiável e Seguro Pistolas & Revólveres 2015 calibres restritos revólveres TAURUS RT 605.357 MAGNUM 5 51 mm 660 g OXIDADO OU INOX ALTO BRILHO FIXAS ARMAÇÃO COMPACTA RT

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA SELEÇÃO E INSTALAÇÃO DE DENSÍMETROS SMAR EM PLANTAS DE BENEFICIAMENTO DE MINÉRIO

RECOMENDAÇÕES PARA SELEÇÃO E INSTALAÇÃO DE DENSÍMETROS SMAR EM PLANTAS DE BENEFICIAMENTO DE MINÉRIO RECOMENDAÇÕES PARA SELEÇÃO E INSTALAÇÃO DE DENSÍMETROS SMAR EM PLANTAS DE BENEFICIAMENTO DE MINÉRIO 1 A SMAR está trabalhando há mais de 8 anos com sistemas de medição de densidade por pressão diferencial

Leia mais

ALINHA ENTO FEI LASER. Visão geral: Ferramentas usadas no alinhamento: Fita adesiva Caneta vermelha Tesoura Chave de fenda Phillips

ALINHA ENTO FEI LASER. Visão geral: Ferramentas usadas no alinhamento: Fita adesiva Caneta vermelha Tesoura Chave de fenda Phillips ALINHA MENTO DO FEIXE LASER. Este tutorial é para ajudar a pessoa de manutenção da máquina laser no alinhamento do feixe laser que é a coisa mais importante para obter um correto funcionamento de sua máquina

Leia mais

BARGOA. Conjunto de Emenda Aérea Selada Vertical - CEASV

BARGOA. Conjunto de Emenda Aérea Selada Vertical - CEASV O CEASV consiste de um conjunto para a acomodação e proteção de emendas de cabos de rede externa de telefonia, em montagem de topo, para instalações aéreas. Trata-se de um sistema versátil, de fácil instalação

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Diário da República, 1.ª série N.º 81 27 de Abril de 2011 2399 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 12/2011 de 27 de Abril Cria um procedimento único de formação e de exame para a obtenção simultânea da carta

Leia mais

No sentido inverso ao da marcha. Altura 61-105 cm. Peso máximo 18 kg. UN regulation no. R129 i-size. Idade 6m-4a

No sentido inverso ao da marcha. Altura 61-105 cm. Peso máximo 18 kg. UN regulation no. R129 i-size. Idade 6m-4a 1 23 2 4 3 Manual de utilização 5 6 7 24 26 8 9 10 11 12 13 14 No sentido inverso ao da marcha Altura 61-105 cm 16 17 18 20 25 Peso máximo 18 kg 15 19 Idade 6m-4a UN regulation no. R129 i-size 21 22 27

Leia mais

WORX AEROCART MODELO WG050

WORX AEROCART MODELO WG050 WORX AEROCART MODELO WG050 Avisos Gerais de Segurança AVISO Leia todos os avisos e instruções de segurança. Não seguir os avisos e instruções pode resultar em lesão séria. Guarde todos os avisos e instruções

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros Instrução Técnica Nº 027/2010 EM REVISÃO Armazenamento em Silos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

MANUAL DE MANUTENÇÃO E REPOSIÇÃO DE PEÇAS PARA CAIXAS DE DESCARGA

MANUAL DE MANUTENÇÃO E REPOSIÇÃO DE PEÇAS PARA CAIXAS DE DESCARGA MANUAL DE MANUTENÇÃO E REPOSIÇÃO DE PEÇAS PARA CAIXAS DE DESCARGA CAP 1 MANUTENÇÃO E REPOSIÇÃO D EPEÇAS PARA CAIXA DE DESCARGA DE EMBUTIR - M9000 M9000 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Ø40 mm Ø0 mm VOLUME DE ÁGUA

Leia mais

Piloto de testes admite: Caça mais caro do mundo não é capaz de fazer 'Dogfight'!

Piloto de testes admite: Caça mais caro do mundo não é capaz de fazer 'Dogfight'! Piloto de testes admite: Caça mais caro do mundo não é capaz de fazer 'Dogfight'! Novo caça stealth é carne morta em um combate aéreo! Por David Axe Um piloto de teste tem más notícias sobre o F-35 Joint

Leia mais

ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE ARMAS. Divisão de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas DPAT

ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE ARMAS. Divisão de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas DPAT ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE ARMAS Divisão de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas DPAT BRASÍLIA, OUTUBRO DE 2015 COMÉRCIO ILEGAL E TRÁFICO DE ARMAS CONSEQUÊNCIAS Fortalecimento

Leia mais

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário

CADERNOS DE INFORMÁTICA Nº 1. Fundamentos de Informática I - Word 2010. Sumário CADERNO DE INFORMÁTICA FACITA Faculdade de Itápolis Aplicativos Editores de Texto WORD 2007/2010 Sumário Editor de texto... 3 Iniciando Microsoft Word... 4 Fichários:... 4 Atalhos... 5 Área de Trabalho:

Leia mais

Construção de Navios-Patrulha Oceânicos. Desenvolvimento de Míssil Nacional Antinavio

Construção de Navios-Patrulha Oceânicos. Desenvolvimento de Míssil Nacional Antinavio Programa 0626 Reaparelhamento e Adequação da Marinha do Brasil Ações Orçamentárias Número de Ações 16 1N470000 Construção de Navios-Patrulha Oceânicos Produto: Navio construído Unidade de Medida: unidade

Leia mais

Professor e organizador: Cap PM Alberto Nunes Borges

Professor e organizador: Cap PM Alberto Nunes Borges Professor e organizador: Cap PM Alberto Nunes Borges INTRODUÇÃO Este polígrafo trata dos princípios básicos, características gerais e classificação das armas leves para o emprego policial. Mostra algumas

Leia mais

NORMAS PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO 11º CURSO DE PROTEÇÃO DE AUTORIDADES - SSMCC/ 2012

NORMAS PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO 11º CURSO DE PROTEÇÃO DE AUTORIDADES - SSMCC/ 2012 NORMAS PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS DO 11º CURSO DE PROTEÇÃO DE AUTORIDADES - SSMCC/ 1. FINALIDADE: As normas que se seguem têm por finalidade descrever os parâmetros e condições necessárias para o preenchimento

Leia mais

TORNOS E SUPORTES DE TUBOS. N.º de modelos. Página. pol. mm pol. mm. Tornos. Suportes

TORNOS E SUPORTES DE TUBOS. N.º de modelos. Página. pol. mm pol. mm. Tornos. Suportes Tornos e Suportes de Tubos Vasta selecção de acessórios para acessórios concebidos para trabalhar como um. Construção resistente para anos de serviço de confiança. Tornos de modelos Capacidade Ajuste da

Leia mais

Meia Maratona Estrada Real 2014 e prova de 10Km

Meia Maratona Estrada Real 2014 e prova de 10Km Meia Maratona Estrada Real 2014 e prova de 10Km *O presente regulamento está sujeito a possíveis modificações conforme o procedimento previsto no mesmo. Artigo 1 - O Evento A Meia Maratona Estrada Real

Leia mais

CARNEIRO HIDRÁULICO O QUE É - E COMO CONSTRUÍ-LO. Prof. Geraldo Lúcio Tiago Filho Revisão: Prof. Augusto Nelson Carvalho Viana

CARNEIRO HIDRÁULICO O QUE É - E COMO CONSTRUÍ-LO. Prof. Geraldo Lúcio Tiago Filho Revisão: Prof. Augusto Nelson Carvalho Viana CARNEIRO HIDRÁULICO O QUE É - E COMO CONSTRUÍ-LO Prof. Geraldo Lúcio Tiago Filho Revisão: Prof. Augusto Nelson Carvalho Viana Acesse www.hidrovector.com.br para baixar outros ebooks gratuitamente CARNEIRO

Leia mais

Modularidade, Escalabilidade e Aproveitamento de Código no Desenvolvimento e Teste de Rádios Militares

Modularidade, Escalabilidade e Aproveitamento de Código no Desenvolvimento e Teste de Rádios Militares Não é independente quem não tem o domínio das tecnologias sensíveis, tanto para a defesa como para o desenvolvimento (Estrat. Nac. Defesa) Modularidade, Escalabilidade e Aproveitamento de Código no Desenvolvimento

Leia mais

Equipamentos de salvatagem e combate a incêndio

Equipamentos de salvatagem e combate a incêndio Equipamentos de salvatagem e combate a incêndio Os equipamentos de salvatagem e combate á incêndio são essenciais para que seja mantida a segurança dos tripulantes quando o navio estiver em operação. A

Leia mais

Regras e Comportamento do GTAM

Regras e Comportamento do GTAM 1 Regras e Comportamento do GTAM O sistema de honra no Airsoft se baseia na idéia de que as armas utilizadas não marcam os jogadores com tinta, artefatos ou qualquer outra solução líquida. O sistema de

Leia mais

Manual de Instruções Nav Totem

Manual de Instruções Nav Totem Manual de Instruções Nav Totem Navegação comparada 1. Apresentação...2 2. Como funciona a navegação usando um NAV Totem...2 3. Aplicativos...2 4. Histórico das versões...2 5. Acessando Menu de Funções...3

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS WEBINAR DO DIA 12/03/2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS WEBINAR DO DIA 12/03/2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS WEBINAR DO DIA 12/03/2013 Pergunta: "Com respeito ao pouso, foi dito que o pouso é realizado com a intervenção de um "piloto". Isso quer dizer que o pouso é realizado através de um

Leia mais

Manual de Aperfeiçoamento Profissional

Manual de Aperfeiçoamento Profissional Manual de Aperfeiçoamento Profissional Introdução: "'Conhecer profundamente o produto é a base do sucesso em vendas."' Um bom produto é tudo que uma experiente e dinâmica equipe de vendas precisa para

Leia mais

TRATOR AGRÍCOLA BLINDADO FORDSON GUARDA CIVIL DE SÃO PAULO REVOLUÇÃO DE 1932

TRATOR AGRÍCOLA BLINDADO FORDSON GUARDA CIVIL DE SÃO PAULO REVOLUÇÃO DE 1932 TRATOR AGRÍCOLA BLINDADO FORDSON GUARDA CIVIL DE SÃO PAULO REVOLUÇÃO DE 1932 A Revolução Constitucionalista, movimento deflagrado por São Paulo em 9 de julho de 1932, foi na realidade a nossa maior guerra

Leia mais

CAMPEONATO SUL-MATO-GROSSENSE DE TIRO CALENDÁRIO 2015

CAMPEONATO SUL-MATO-GROSSENSE DE TIRO CALENDÁRIO 2015 CAMPEONATO SUL-MATO-GROSSENSE DE TIRO CALENDÁRIO 2015 ANUIDADES: CBTP: Até 31/03/2015 R$ 330,00 - A partir de 01/04/2015 - R$ 360,00 CBTE: No vencimento R$ 350,00 - Vencida R$ 400,00 FSMTE E FSMTP: R$

Leia mais

CustomerNews. Tópicos. Edição 2/2015, Novembro de 2015

CustomerNews. Tópicos. Edição 2/2015, Novembro de 2015 Edição 2/2015, Novembro de 2015 Tópicos 1. ByStar Fibra Corte com laser de Fibra sem compromissos 2. ByStar Fibra Testemunho (Roth & Effinger, DE) 3. ByStar Fibra Testemunho (Lasered Components, UK) 4.

Leia mais

Gen Bda Mosqueira Diretor de Fabricação mauroguedes@globo.com EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DIRETORIA DE FABRICAÇÃO

Gen Bda Mosqueira Diretor de Fabricação mauroguedes@globo.com EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DIRETORIA DE FABRICAÇÃO EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DIRETORIA DE FABRICAÇÃO "Ciência, Tecnologia, Inovação e Suporte Logístico: possibilidades, estratégias e reais situações para o Exército Brasileiro

Leia mais

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO Cassetes Os cassetes laminadores são micro cadeiras de laminação, que substituem as fieiras nas máquinas de trefilação. Seu surgimento no

Leia mais

Instruções para utilização

Instruções para utilização Instruções para utilização MÁQUINA DE LAVAR ROUPA Português AWM 129 Sumário Instalação, 16-17-18-19 Desembalar e nivelar Ligações hidráulicas e eléctricas Primeiro ciclo de lavagem Dados técnicos Instruções

Leia mais

Índice. Classificação. Mais leve do que o ar. Curso n 4 Aeronaves

Índice. Classificação. Mais leve do que o ar. Curso n 4 Aeronaves Curso n 4 Aeronaves Aeronaves são quaisquer máquinas capazes de sustentar vôo, e a grande maioria deles também são capazes de alçar vôo por meios próprios. Índice 1 Classificação o Mais leve do que o ar

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE LOGÌSTICA NA GUERRA DO PARAGUAI. O Brasil do segundo reinado teve uma história recheada de atividades militares de

CONSIDERAÇÕES SOBRE LOGÌSTICA NA GUERRA DO PARAGUAI. O Brasil do segundo reinado teve uma história recheada de atividades militares de CONSIDERAÇÕES SOBRE LOGÌSTICA NA GUERRA DO PARAGUAI Braz Batista VAS 1 - UFT O Brasil do segundo reinado teve uma história recheada de atividades militares de grande ou pequena expressão. Vários episódios

Leia mais

Regulamento para Seletiva de Arco Composto Campeonato das Américas 2014 de Tiro com Arco, Rosário - Argentina

Regulamento para Seletiva de Arco Composto Campeonato das Américas 2014 de Tiro com Arco, Rosário - Argentina Regulamento para Seletiva de Arco Composto Campeonato das Américas 2014 de Tiro com Arco, Rosário - Argentina Local: Centro de Treinamento CBTARCO Maricá, RJ Data: 30 e 31 de agosto de 2014. A seletiva

Leia mais

Informações de segurança e conformidade do Cisco TelePresence MCU 5300 Series

Informações de segurança e conformidade do Cisco TelePresence MCU 5300 Series Informações de segurança e conformidade do Cisco TelePresence MCU 5300 Series Nesta página: Símbolos de informações de segurança Diretrizes operacionais Avisos de segurança Especificação técnica Informações

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Nível II Módulo II Aula 05 1. Introdução A mecânica dos gases é a parte da Mecânica que estuda as propriedades dos gases. Na Física existem três estados da matéria

Leia mais

LEGISLAÇÃO MODELO RELACIONADA COM 12 janeiro 2006 PROJETO DE PROPOSTA DE LEGISLAÇÃO MODELO SOBRE MARCAÇÃO E RASTREAMENTO DE ARMAS DE FOGO E MUNIÇÕES

LEGISLAÇÃO MODELO RELACIONADA COM 12 janeiro 2006 PROJETO DE PROPOSTA DE LEGISLAÇÃO MODELO SOBRE MARCAÇÃO E RASTREAMENTO DE ARMAS DE FOGO E MUNIÇÕES PRIMEIRA REUNIÃO DO GRUPO DE PERITOS OEA/Ser.L/XXII.6.1 CIFTA-CICAD PARA A ELABORAÇÃO DE GE/CIFTA-CICAD/doc.3/06 LEGISLAÇÃO MODELO RELACIONADA COM 12 janeiro 2006 AS ÁREAS A QUE SE REFERE A CIFTA Original:

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO FEDERAL Nº 171, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO FEDERAL Nº 171, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO FEDERAL Nº 171, DE 2011 Altera a Lei nº 10.826 de 22 de dezembro de 2003 (Estatuto do Desarmamento) para estabelecer o sistema de controle de munições, obrigando-se

Leia mais