QUALIDADE DE SERVIÇOS HOTELEIROS E ESTRATÉGIAS DO MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO NOS HOTÉIS DE CLASSIFICAÇÃO QUATRO ESTRELAS DE BELO HORIZONTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUALIDADE DE SERVIÇOS HOTELEIROS E ESTRATÉGIAS DO MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO NOS HOTÉIS DE CLASSIFICAÇÃO QUATRO ESTRELAS DE BELO HORIZONTE"

Transcrição

1 QUALIDADE DE SERVIÇOS HOTELEIROS E ESTRATÉGIAS DO MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO NOS HOTÉIS DE CLASSIFICAÇÃO QUATRO ESTRELAS DE BELO HORIZONTE Dra. Marlusa Gosling (CEPEAD - UFMG) Marcos Areas (FEAD Minas) - Caissa Veloso e Sousa(FEAD Minas) - Erika Cordeiro Pinheiro (FEAD Minas) - Resumo Na última década o setor hoteleiro praticamente dobrou o número de leitos na cidade de Belo Horizonte. Tal crescimento foi acompanhado por uma expressiva concorrência, uma vez que o crescimento do parque hoteleiro teve como marco a entrada de grandes redes internacionais. O presente estudo avalia, por meio de ferramentas estatísticas quantitativas, se os hotéis de classificação quatro estrelas têm utilizado as ferramentas do marketing de relacionamento junto aos seus clientes. Para a presente pesquisa foram avaliados gerentes, clientes internos e clientes externos. Palavras-chave: Qualidade de serviços, marketing, relacionamento. 1. Introdução O setor hoteleiro apresentou crescimento expressivo na cidade de Belo Horizonte se considerada a última década, dobrando o número de leitos. Atualmente, Belo Horizonte oferece um dos melhores parques hoteleiros do Brasil, com padrão internacional. Como acontece em outros grandes centros na região Sudeste, como Rio de Janeiro e São Paulo, a demanda de hóspedes não acompanhou o ritmo de modernização e oferta crescentes de leitos que dobrou de 1994 a Abaixo, tabela com evolução da rede hoteleira em Belo Horizonte em UHS (unidades habitacionais): Ano Valor (UHS) Tabela 1 - Crescimento da oferta hoteleira em Belo Horizonte Fonte: Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais ABIH-MG Percebe-se que a demanda de mercado não acompanhou o crescimento do setor, sendo este explicado, em parte, pela especulação imobiliária, uma vez que não houve um crescimento no número de turistas que visitavam a capital mineira em número suficiente para acompanhar o referido crescimento. Como conseqüência, pode-se citar o fechamento de empreendimentos mais antigos, principalmente de empresas familiares devido à concorrência com a chegada de grandes redes de hotéis. 1

2 Em 2005, com a reabertura do Aeroporto de Confins e com um esforço conjunto dos Governos Estadual e Municipal e da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais ABIH-MG em conquistar eventos para a cidade, verificou-se um aumento de 15% na ocupação dos hotéis, o que é considerado um percentual expressivo para o setor, levando-se em consideração que parcela importante dos turistas que visitam Belo Horizonte são provenientes de eventos e negócios. Belo Horizonte tem despontado como destino para realização de eventos nacionais e internacionais como congressos, seminários e feiras, de vários setores econômicos, conseguindo assim aumentar significativamente a ocupação hoteleira da cidade. Dado o potencial, infra-estrutura e qualidade de serviços para receber ainda mais turistas de eventos, negócios e lazer, o trade de Belo Horizonte vive um momento especial e de transição no que se refere a ações estratégicas para evoluir com o turismo nos próximos anos. Para que o crescimento da ocupação hoteleira continue são necessários investimentos em marketing, planejamento, pesquisa. Dentre essas necessidades destaca-se o marketing de relacionamento como uma ferramenta que vem sendo utilizada por várias empresas e conseguindo um fortalecimento no relacionamento direto com seus clientes, obtendo a fidelidade e a satisfação dos mesmos. Diante do cenário de concorrência acirrada na cidade e partindo do pressuposto que a hotelaria sobrevive de relacionamento com pessoas, este trabalho se justifica pela importância de melhor entender como as principais redes hoteleiras estão utilizando as ferramentas de marketing em Belo Horizonte. O presente trabalho está divido em cinco sessões, além desta. A segunda sessão apresenta os objetivos a serem atingidos, a terceira sessão discorre sobre o embasamento teórico a respeito dos principais autores que tratam de marketing de relacionamento. Nas sessões quatro e cinco são apresentados os procedimentos metodológicos e apresentação dos resultados e a sexta sessão apresenta as conclusões e possíveis sugestões para futuros estudos. 2. Objetivo Geral Verificar a aplicação de princípios básicos do marketing de relacionamento, em termos de dimensões subjacentes às estratégias de qualidade de serviços,.nas principais redes hoteleiras da cidade de Belo Horizonte. 3. Objetivos Específicos a) Identificar se a rede hoteleira na cidade de Belo Horizonte aplica os princípios de marketing de relacionamento de acordo com a visão dos clientes internos; b) Identificar os atributos mais importantes na escolha de um hotel pelos clientes externos; c) Identificar o público-alvo que freqüenta a rede hoteleira de Belo Horizonte; d) Caracterizar as principais estratégias de marketing aplicadas de acordo com a visão gerencial. 4. Embasamento Teórico A partir de 1970, e principalmente na década de 80, o mercado passa por uma mudança de percepção em função do desenvolvimento tecnológico. Para Castells (1999) trata-se de uma reestruturação do capitalismo, onde as empresas ganham maior flexibilidade de gerenciamento. Com o desenvolvimento tecnológico, a troca de informações entre os mercados passa a ocorrer a uma velocidade muito maior, e, por conseqüência, os consumidores tornam-se mais exigentes. As empresas ficam mais expostas a concorrência externa, participando de uma política de competitividade. 2

3 Com a facilidade de comunicação, torna-se mais fácil encontrar um concorrente que atenda as necessidades desejadas. Para as empresas, não é apenas o ambiente caracterizado por mudanças constantes que preocupa, mas também, a velocidade com que as mudanças ocorrem. A Globalização intensificando a concorrência com a facilidade de entrada de empresas estrangeiras, e o desenvolvimento de novas tecnologias potencializando a velocidade do fluxo de informações e criando novas formas de fazer negócios, são as duas forças principais que caracterizam o novo contexto da competitividade. McKenna (1996) compartilha destas idéias quando comenta sobre a necessidade das empresas estabelecerem estratégias fortes, para sobreviver as turbulências no mercado. Para McKenna (1996) as organizações precisam ter estratégias de marketing que representem um conjunto de esforços para manter um relacionamento comercial duradouro e estável com seus clientes. Essas estratégias têm sido denominadas de marketing de relacionamento. O marketing de relacionamento, segundo Morgan e Hunt (1994), representa um refinamento na teoria e prática do marketing. Gordon (2000) endossa esse pensamento ao afirmar que o marketing de relacionamento é derivado do marketing tradicional. Para ele, o marketing de relacionamento se desenvolve desses princípios básicos, mas tem outras dimensões que transformam toda a visão da empresa. São essas dimensões: a) Procura criar novo valor para os clientes; b) Reconhece o papel fundamental que os clientes individuais têm não apenas como compradores, mas como definidores do valor que desejam; c) Exige que a empresa planeje e alinhe toda sua estratégia para manter o valor que o cliente deseja; d) É um esforço colaborativo entre comprador e vendedor e, portanto, acontece em tempo real; e) Reconhece o valor dos clientes por seu período de vida de consumo e não como clientes ou organizações individuais que são abordados em cada compra; f) Procura construir uma cadeia de relacionamento dentro das organizações para criar valor desejado pelos clientes. Num cenário de rápidas transformações, concorrência acirrada, estratégias competitivas, mudanças, impactos políticos, econômicos e sociais, o marketing tem o papel fundamental na interação das organizações com a sociedade. Hooley, Saunders e Piercy (2001) exemplificam este pensamento quando afirmam que o ambiente de marketing também é competitivo e mutável. O marketing tem um papel fundamental neste contexto: fazer com que as empresas que estão atentas para estas mudanças desenvolvam ferramentas de gerar valor aos seus clientes, mantendo-se vivas no ambiente competitivo. A alteração de foco do marketing, saindo das transações para o relacionamento, é denominada por Zethalm e Bitner (2003) como marketing de relacionamento, ou seja, manter e aperfeiçoar clientes atuais. Esta idéia é compartilhada por Kotler (1999) quando comenta sobre a importância de manter os clientes atuais, desenvolvendo cada vez mais o relacionamento existente. Na visão de Gordon (2000) o marketing de relacionamento pode possibilitar aos profissionais de marketing recuperar o status condutores estratégicos da empresa. Para Zeithalm e Bitner (2003), o principal objetivo do marketing de relacionamento é permitir com que a organização construa uma base sólida de clientes rentáveis, por meio da atração e retenção dos principais clientes, fortificando relacionamentos. Segundo Griffin (1998) existem três tipos de valores que as empresas podem adotar para 3

4 estreitar o relacionamento com o cliente, são eles: excelência operacional, oferecendo produtos confiáveis a preços competitivos e com um mínimo de dificuldade para aquisição; a intimidade com os clientes, segmentando e visando com precisão aos mercados segmentados, personalizando-se em seguida as ofertas, de forma a atender às exigências destes nichos; e por fim a liderança de produto, quando a empresa reforça o valor transferido oferecendo produtos e serviços de última geração que tornam obsoletos os da concorrência. Cristopher (1999) defende a idéia de que o marketing de relacionamento não substitui o marketing convencional. Para o autor, o marketing de relacionamento é uma ampliação e uma adaptação do conceito de marketing, enfatizando as estratégias relacionadas ao aumento de retenção e fidelidade dos clientes. Para Christopher (1999), o bem mais valioso que qualquer organização empresarial tem é a força do seu relacionamento com os clientes. Relacionamentos duradouros são a base para o aumento da lucratividade. Conquistar e manter clientes requer uma compreensão do que eles valorizam e uma atenção especial aos processos pelos quais esse valor pode ser constantemente fornecido. Ainda para o autor, o serviço ao cliente abrange todos os pontos de contato entre um fornecedor e um comprador, incluindo elementos tangíveis e intangíveis e as estratégias de marketing podem ser traçadas e os sistemas desenvolvidos para atender ou, de preferência, superar as expectativas do cliente. A função dos profissionais de marketing é trabalhar no sentido de fazer com que as percepções de benefícios sejam sempre maiores que o custo total de propriedade, pois assim estariam cumprindo sua tarefa de encontrar meios de aumentar o valor do produto para o cliente. Ao descrever o objetivo do marketing de relacionamento, Griffin (1998) afirma que este deve partir de um relacionamento recentemente estabelecido e consolidar a fidelidade do cliente por meio de serviços que criam um vínculo pessoal. Um dos marcos da década de 90 é a disposição das empresas para desenvolver formas diferentes de realizar o marketing em função do relacionamento com os clientes. O segredo está em estudar e perceber antes as necessidades reais e intrínsecas do cliente, determinando, em seguida, a maneira de fornecer os produtos e serviços que atenderão a essas necessidades. Em muitos setores, esse desafio exige uma mudança de paradigmas, desde o produto até o cliente. As empresas devem levar em conta também que cada consumidor tem seu estilo de comportamento que pode variar de uma compra para outra. Atualmente os consumidores têm mais acessos a fontes globais de informação e suprimento de grande quantidade de produtos. E, naturalmente, o comportamento de consumo depende também das circunstâncias particulares de cada consumidor, pois segundo Nunes (2003) a personalidade do comprador muda de acordo com a ocasião e cada um tem diferentes procedimentos nas várias etapas do processo de compra. Lovelock e Wright (2003) afirmam que clientes irritados ou insatisfeitos são problemáticos porque podem passar para a concorrência e disseminar um boca a boca negativo enquanto clientes satisfeitos são mais propensos a permanecer fieis a despeito de ofertas competitivas e atraentes. Verifica-se também que a satisfação do cliente desempenha um papel particularmente crítico em ramos altamente competitivos, onde há uma grande diferença entre fidelidade de clientes meramente satisfeitos e a de clientes completamente satisfeitos. Os custos para uma empresa atrair um novo cliente são, em média, cinco a seis vezes maiores do que os custos para a manutenção de um cliente atual (LOVELOCK e WRIGHT, 2003). Neste ponto, o marketing de relacionamento trabalha na manutenção dos clientes atuais, 4

5 empenhando-se em diminuir os níveis de dispêndio. O marketing de relacionamento envolve atividades destinadas a desenvolver ligações economicamente eficazes de longo prazo entre uma organização e seus clientes para o benefício mútuo de ambas as partes. As empresas podem usar diversas estratégias para manter e melhorar as relações, como tratamento justo aos clientes, oferta de ampliações nos serviços e tratamento de cada cliente como se ele fosse um segmento de um só cliente, pois os serviços adicionais muitas vezes desempenham papel fundamental na formação e sustentação de relações entre vendedores e compradores. Para que a empresa implemente ações efetivas de pós-marketing, esta deve contar com o auxílio de um banco de dados eficiente. No caso das empresas de serviços, normalmente os formulários são uma boa oportunidade para que o cliente responda a perguntas de uma forma natural. Outras formas podem ser através de ligações DDG (discagem direta gratuita) e pesquisa sobre o nível de satisfação (VAVRA, 1993). Para Lovelock e Wright (2003), da qualidade do relacionamento entre empresa e cliente é que nasce a fidelidade, que é a vontade de um cliente de continuar prestigiando uma empresa durante um período prolongado de tempo, comprando e utilizando seus bens e serviços em uma base repetida e preferivelmente exclusiva, e recomendando voluntariamente os produtos da empresa a amigos e colegas. Essa fidelidade, porém, não pode ser tomada como certa, pois ela só continuará enquanto o cliente achar que está recebendo valor melhor (inclusiva qualidade superior em relação ao preço) do que poderia ser obtido pela troca para outro fornecedor. As empresas que trabalham o marketing de relacionamento conseguem se aproximar mais dos clientes e levá-los a fidelização. Isso acontece com maior facilidade em relação à empresa focada no cliente, que busca produtos para o consumo, diferentemente da empresa focada no produto, que busca clientes para seus produtos. Bretzke (2005) afirma que os clientes desejam fazer negócios com empresas que ofereçam serviços agregados a seus produtos, antes, durante e após a venda. As empresas podem disponibilizar para os clientes canais de comunicação que auxiliarão no relacionamento com os clientes, tais como: tele marketing (centrais de atendimento), Internet (sites de venda ou relacionamento) entre outros. Carvalho (2004), destaca as mudanças no curso da hotelaria no Brasil, enfatizando a transição do caráter independente para as grandes redes, o que apenas na cidade de Belo Horizonte, em estatísticas colhidas no ano de 2004, representam 11% da participação do mercado. Esta transição levou diversos hotéis independentes a investirem na melhoria de seus produtos e serviços para acompanhar o novo padrão de competição. 5. Procedimentos Metodológicos Foi realizada uma pesquisa descritiva quantitativa com clientes internos e externos de quatro hotéis na região metropolitana de Belo Horizonte. A pesquisa ficou restrita a hotéis com classificação de quatro estrelas, para maior homogeneidade entre o público entrevistado. Quando pesquisados os clientes internos, dois questionários foram elaborados, um para aplicação ao cargo gerencial e outro aos demais funcionários. O questionário aplicado ao cargo gerencial procurou abordar aspectos tangíveis à política do estabelecimento quanto à aplicação de estratégias de pós-marketing e o questionário aplicado aos demais colaboradores procurou abordar a visão destes quanto à aplicação destas políticas. Tanto para os clientes internos quanto externos, os questionários foram elaborados, utilizando-se as escalas nominal, Likert e numérica. 5

6 A analise dos resultados se dará por meio do software SPSS (for Windows) versão 12.0, com técnicas de análise fatorial e estatística descritiva. 6 Caracterízação da Amostra A amostra total entrevistada foi de 227 pessoas, sendo assim dividida: 4 gerentes, 97 clientes internos e 130 clientes externos. Dentre os clientes internos, a amostra ficou dividida nas seguintes áreas: administração 15,10%; recepção 24,70%; alimentos e bebidas 20,40%; governança 23,70% e 16,10% de outros setores. Os colaboradores do sexo feminino representaram 49,50% e os do sexo masculino 50,50% da amostra. Quando se trata da escolaridade da amostra dos clientes internos, 38,70% possuem o 2º grau completo, 26,90% possuem o 3º grau incompleto, seguidos por 18,30% com o 3º grau completo, o que perfazem o total de 83,90%. A grande maioria dos entrevistados entre os clientes internos está na faixa etária até os 40 anos de idade, sendo que estes somam 89,20% do total. A amostra de clientes externos possui predominância do sexo masculino, com 60% dos entrevistados. Observação importante referente aos clientes externos também é percebida quanto a escolaridade, onde 42,30% possuem o 3º grau completo e 33,80% possuem pósgraduação. 7. Apresentação dos resultados As pesquisas mostraram que as hospedagens em função de negócios predominam neste universo, representando 43,10%. Em segundo lugar estão as hospedagens por eventos com 26,90%, lazer com 20,0%, saúde com 5,40% e outros motivos com 4,60%. Todos os gerentes afirmaram que os respectivos hotéis possuem ferramentas para medir a satisfação dos hóspedes. Dos quatro hotéis pesquisados, apenas um não possui área de marketing própria. Três hotéis afirmaram que as informações obtidas por meio dos hóspedes são auditadas e um afirmou que não executa tal procedimento, porém possui área de marketing própria.todos afirmaram que suas políticas são voltadas tanto para captação de novos clientes quanto para retenção de clientes antigos.quando perguntado aos hóspedes o número de hospedagens já realizada no estabelecimento, constatou-se que 61,50% deles já havia se hospedado anteriormente no referido hotel, o que pode sugerir uma relação de fidelidade. Foi realizada uma análise fatorial que permitiu identificar que os clientes externos atribuem importância semelhante aos atributos preço, conforto, convênio com a empresa na qual trabalha, cordialidade dos funcionários, limpeza, serviço de governança, área de lazer e fitness center, agilidade no chek in e check out, tratamento personalizado, serviços de alimentos e bebidas, reconhecimento em uma futura hospedagem e opiniões de terceiros sobre o hotel. O KMO encontrado foi de 0,787 quando analisado com a inclusão do atributo serviços de business center e 0,816 após a exclusão deste atributo, conforme sugestão da matriz de antiimagem.foram gerados dois fatores, o primeiro, que será chamado de Luxo, agrupou as variáveis preço, conforto, cordialidade dos funcionários, serviço de governança. O segundo fator que será chamado de Comodidade agrupou as variáveis convênio com a empresa que trabalha, área de lazer e fitness center, opinião de terceiros, tratamento personalizado e 6

7 reconhecimento no futuro. O teste do coeficiente alfa de cronbach para os dois fatores mostrou consistência na análise das variáveis, ficando em 0,777 para o primeiro fator e em 0,746 para o segundo fator. A observação do Scree Plot indica que os clientes externos dão importância semelhante para todos os atributos apresentados. Entre os clientes internos, 96,80% tem conhecimento da realização de pesquisas com hóspedes, porém apenas 73,10 disseram que o hotel em que trabalham repassa as informações. Este fato confirma a informação do gerente de um dos hotéis ao dizer que realiza pesquisa com hóspedes, porém não as utiliza para auditoria. A maioria dos funcionários, 98,9% acredita ser importante saber se o hóspede já se hospedou anteriormente no hotel. Quando realizada a análise fatorial para os clientes internos, com as mesmas variáveis analisadas para os clientes externos, os fatores foram separados de forma distinta, ficando divididos em três fatores que podem assim ser chamados: Fator 1: Praticidade: agilidade no check out e check in, tratamento personalizado, serviço de alimentos e bebidas, reconhecimento em futuras hospedagens, business center Fator 2: Status: preço, conforto, opinião de terceiros. Fator 3: Funcionários: cordialidade, limpeza, governança. O KMO encontrado foi de 0,766 e ao se testar o coeficiente alfa de cronbach para os três fatores mostrou consistência na análise das variáveis, ficando em 0,815 para o primeiro, 0,662 para o segundo e 0,632 para o terceiro fator. 8. Conclusões O estudo não permite concluir que existe a homogeneidade quanto à aplicação das estratégias de marketing de relacionamento nos hotéis de classificação quatro estrelas na cidade de Belo Horizonte. Clientes externos e internos têm conceitos diferentes sobre a satisfação, apesar de ambos concordarem sobre o conjunto de variáveis que podem levar à satisfação. Tal fato pode ser melhor explicado uma vez que existe a probabilidade de que cada funcionário conheça melhor o setor em que trabalha e, desta forma dispense a este maior atenção e importância dentro do contexto total. Todos os hotéis afirmaram possuir ferramentas que medem a satisfação dos hóspedes, porém, não são todos os clientes internos que têm conhecimento destas informações, o que indica a sub utilização das mesmas. Sendo fato que todas as unidades pesquisadas possuem área de marketing, própria ou terceirizada, a expansão do relacionamento com os clientes ou pós-marketing ainda se mostra como um segmento do marketing a ser explorado. Para tanto, vale ressaltar que a rede hoteleira foi analisada em conjunto para manter maior confidencialidade quanto às informações obtidas. Para um futuro estudo seria pertinente a expansão do número de hotéis analisados dentro da categoria. Referências BRETZKE, Mirian. Comportamento do cliente. In: administração de marketing, São Paulo, Ed. Saraiva, CARVALHO, Caio L. O futuro da hotelaria independente no Brasil. Parte 1. Brasilturis Jornal. Disponível em Acesso em 03 de jan. de CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. 2ª edição. São Paulo, Ed. Paz e Terra,

8 CRISTOPHER, Martin. A Logística do marketing. São Paulo, Ed. Futura, GORDON, Ian. Marketing de relacionamento; estratégias, técnicas e tecnologias para conquistar clientes e mantê-los para sempre. São Paulo, Ed. Futura, GRAZIADEI, Tânia M. Turismo de negócios alavancando o desenvolvimento de cidades no interior paulista: Case Bauru. INTERCOM Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação BH/MG 2 a 6 set/2003. Disponível em Acesso em 03 de jan de GRIFFIN, Jill. Como conquistar e manter o cliente fiel. São Paulo, Ed. Futura, Hooley, GJ; Saunders, JA; e Piercy, N. Estratégia de Marketing e Posicionamento Competitivo. São Paulo, Ed. Pearson, KOTLER, Philip. Marketing para o século XXI: como criar, conquistar e dominar mercados. São Paulo, Ed. Futura, LOVELOCK, Cristopher; WRIGHT, Lauren. Serviços, marketing e gestão. São Paulo, Ed. Saraiva, MCKENNA, Regis. Marketing de relacionamento: Estratégias bem sucedidas para era do cliente. Rio de Janeiro, Ed. Campus, MORGAN, Robert M., HUNT, Shelby D. The commitment- trust theory of relationship marketing. Journal of marketing, V.58, p , jul NUNES, Paul F.; CESPEDES, Frank V. O consumidor escapou. In: Harvard Buseness Review, Nov VAVRA, Terry G. Marketing de relacionamento; aftermarketing. São Paulo, Ed. Atlas, 1993 ZEITHALM, Valerie A., BITNER, Mary J. O. Marketing de services: a empresa com foco no cliente. Porto Alegre, Ed.Bookman, ANEXO Questionários Aplicados QUESTIONÁRIO APLICADO À GERÊNCIA Este instrumento integra uma pesquisa de cunho estritamente acadêmico, que visa verificar a existência de práticas e procedimentos de marketing de relacionamento neste hotel. Antecipadamente agradecemos a sua contribuição. 1. Data de início das atividades: 2. Número de Funcionários: 3. Número de terceirizados que atuam continuamente nas dependências do hotel: 4. O hotel tem área de marketing própria? ( ) Sim ( )Não 5. O hotel possui alguma ferramenta para medir a satisfação dos clientes?( ) Sim ( ) Não 6. O hotel adota instrumentos/políticas de fidelização de clientes? ( ) Sim ( ) Não 7. O hotel adota políticas e instrumentos voltados para: ( ) Captação de novos clientes ( ) Retenção dos clientes antigos ( ) Ambos 8. Os registros dos hóspedes são auditados para localizar os clientes habituais que não estão retornando? ( ) Sim ( ) Não PARTE DO QUESTIONÁRIO APLICADO AOS CLIENTES EXTERNOS A existência dos serviços e atributos abaixo são importantes na escolha de um hotel? Marque um X, na escala de 1 a 7, sendo que 1 é Pouco Importante e 7 é Muito Importante. SERVIÇOS E ATRIBUTOS a) Preço. b) Conforto. c) Convênio com a empresa na qual trabalha. d) Cordialidade dos funcionários. e) Limpeza. f) Serviço de governança. g) Área de lazer e fitness center. h) Agilidade no check in e check out. i) Tratamento personalizado. 8

9 j) Serviços de Alimentos e Bebidas. k) Ser reconhecido em uma futura hospedagem. l) Opiniões de terceiros sobre o hotel. m) Serviços de business center PARTE DO QUESTIONÁRIO APLICADO AOS CLIENTES INTERNOS: o questionário aplicado aos clientes internos teve as mesmas variáveis presentes no questionário de clientes externos, mas a pergunta principal foi modificada para a seguinte: Qual a sua percepção quanto a satisfação dos hóspedes em relação aos serviços e atributos abaixo? Marque um X na escala de 1 a 7, sendo que 1 é Insatisfeito e 7 é Muito Satisfeito. 9

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO

A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE RELACIONAMENTO PARA AS ORGANIZAÇÕES: FOCO NO CLIENTE EXTERNO 1 GOLVEIA, Francielli José Primo. 2 DA ROSA, MsC. Wanderlan Barreto. RESUMO Nesta pesquisa, será abordada a importância

Leia mais

Somente com estratégia, varejo consegue reter clientes

Somente com estratégia, varejo consegue reter clientes Somente com estratégia, varejo consegue reter clientes Márcia Sola O mercado varejista no Brasil tem experimentado uma série de mudanças nos últimos anos. A estabilização da economia, o desenvolvimento

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 15 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO E DA INSATISFAÇÃO DOS CLIENTES Objetivo: Ao final desta aula, você deverá saber (1) sobre os fatores que causam a satisfação

Leia mais

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Percepção da Pesquisa no Brasil Congresso Brasileiro de Pesquisa Mercado h Opinião h Mídia Nelsom Marangoni Ney Luiz Silva Mudanças, muitas mudanças... e mudanças

Leia mais

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz Marcelo Rabelo Henrique marcelo@mrhenriqueconsult.com.br Unicastelo José Abel

Leia mais

O marketing de relacionamento e sua influência para o profissional de secretariado executivo

O marketing de relacionamento e sua influência para o profissional de secretariado executivo O marketing de relacionamento e sua influência para o profissional de secretariado executivo Ruth de Souza M. Silva 1 Kenia Bauermann Gubert 2 RESUMO Frente à crescente concorrência global, o marketing

Leia mais

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita Menezes Coutinho

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

Qualidade no atendimento: uma avaliação dos serviços hoteleiros em Belém do Pará

Qualidade no atendimento: uma avaliação dos serviços hoteleiros em Belém do Pará Qualidade no atendimento: uma avaliação dos serviços hoteleiros em Belém do Pará Patrícia Espírito Santo Morais 1, Trícia Gomes Quaresma 2, Jean Michel Bandeira Cunha 3 Glenda Maria Braga Abud 4 Orientador

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita M. Coutinho 2 RESUMO Este artigo científico tem

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

Unidade: A era da informação O Balanced Scordecard - BSC

Unidade: A era da informação O Balanced Scordecard - BSC Unidade: A era da informação O Balanced Scordecard - BSC 0 Unidade: A era da informação O Balanced Scordecard BSC 1. INTRODUÇÃO: O MUNDO DO TRABALHO CONTEMPORÂNEO O mundo do trabalho vem passando por constantes

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso.

Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. 1 Nível de Satisfação dos Clientes da Empresa Visual Mídia Formação Profissional: Um Estudo de Caso. Daiane Maria ALONGE 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 Resumo Com a atual concorrência, entender os desejos

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DE RACIONALIZAÇAO DOS PROCESSOS DA GOVERNANÇA HOTELEIRA

TÍTULO: ESTUDO DE RACIONALIZAÇAO DOS PROCESSOS DA GOVERNANÇA HOTELEIRA TÍTULO: ESTUDO DE RACIONALIZAÇAO DOS PROCESSOS DA GOVERNANÇA HOTELEIRA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DO INSTITUTO MAUÁ DE

Leia mais

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Claudineia Lima de MOURA¹ RGM 081712 claudineia_18@yahoo.com.br Dayane Cristina da SILVA¹ RGM 080225 day_4791@hotmail.com

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

QUALIDADE E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO: UM ESTUDO PARA AS EMPRESAS DE BELEZA E ESTÉTICA

QUALIDADE E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO: UM ESTUDO PARA AS EMPRESAS DE BELEZA E ESTÉTICA QUALIDADE E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO: UM ESTUDO PARA AS EMPRESAS DE BELEZA E ESTÉTICA Ana Carolina Cordeiro 1 - Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, Florianópolis,

Leia mais

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo.

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. Cristian Carlos Vicari (UNIOESTE) viccari@certto.com.br Rua Engenharia, 450 Jd. Universitário C.E.P. 85.819-190 Cascavel Paraná

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM.

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM. ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E O SISTEMA OFICIAL DE CLASSIFICAÇÃO DE MEIOS DE HOSPEDAGEM. Gerson Luís Russo Moysés, M. Sc. SENAC-SP, Av. Frei Orestes Girardi-3549,

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

MARKETING COMO FERRAMENTA GERENCIAL PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE TATUÍ E REGIÃO.

MARKETING COMO FERRAMENTA GERENCIAL PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE TATUÍ E REGIÃO. MARKETING COMO FERRAMENTA GERENCIAL PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES: UM ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE TATUÍ E REGIÃO. PAOLA JAEKEL 1, PHILLIP GALINDO DE QUEIROZ LIRA 2, FERNANDA LOUISE PASQUATI PONTAROLLI

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE CURITIBA ABRIL - 2000 ODILIO SEPULCRI TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA

Leia mais

Os cursos oferecidos, em sua estrutura, apresentam objetivos e público-alvo especificados abaixo:

Os cursos oferecidos, em sua estrutura, apresentam objetivos e público-alvo especificados abaixo: Janela do Cliente-Aluno nos Cursos de Pós-Graduação Susana Taulé Piñol * Resumo Entender para atender o consumidor é a base para qualquer estratégia de marketing. Este artigo utiliza a ferramenta Janela

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Relacionamento com o Cliente

Relacionamento com o Cliente Unidade de Projetos Grupo Temático de Termo de Referência para ações de Relacionamento com o Agosto de 2009 Elaborado em: 27/7/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 9 EQUIPE DO GRUPO TEMÁTICO

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

MARKETING E A FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES RESUMO. Palavras-Chave: valor satisfação - fidelização INTRODUÇÃO

MARKETING E A FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES RESUMO. Palavras-Chave: valor satisfação - fidelização INTRODUÇÃO MARKETING E A FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES Lais Patrícia Faccin 1 Leandro José Kremer 2 Paulo Jolci Reiter 3 Raísa Julai Secchi 4 Prof. Adm. Marcos Gregory 5 RESUMO Atualmente as organizações não podem preocupar-se

Leia mais

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC)

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC) Título (Limite de 250 caracteres incluindo os espaços) Título: Relações Públicas e Ferramentas de Comunicação um estudo abordando à realidade de Ibitinga A capital nacional do bordado 1 Autores (Incluir

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Daniela Valdez Rodrigues A RELAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO COM RELAÇÕES PÚBLICAS São Leopoldo

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas, ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor 2 Atendemos às necessidades

Leia mais

Introdução Ao Marketing

Introdução Ao Marketing Introdução Ao Marketing O que é Marketing? Isso não é Marketing Muitas pessoas pensam em marketing apenas como vendas e propaganda e isso não causa nenhuma surpresa; Entretanto, vendas e propaganda constituem

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS 190 O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS Douglas Fernandes, Josélia Galiciano Pedro, Daryane dos Santos Coutinho, Diego Trevisan de Vasconcelos, Regiane

Leia mais

2 DESENVOLVIMENTO DO PLANO 2.1 MISSÃO:

2 DESENVOLVIMENTO DO PLANO 2.1 MISSÃO: RESUMO O presente trabalho constitui em uma elaboração de um Plano de Marketing para a empresa Ateliê Delivery da Cerveja com o objetivo de facilitar a compra de bebidas para os consumidores trazendo conforto

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Alexandra Cardoso da Rosa Bittencourt 1 ; Rogério

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE HOTELARIA E HOSPITALIDADE TURÍSTICA ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE PONTA GROSSA PARANÁ.

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE HOTELARIA E HOSPITALIDADE TURÍSTICA ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE PONTA GROSSA PARANÁ. FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE HOTELARIA E HOSPITALIDADE TURÍSTICA ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE PONTA GROSSA PARANÁ. SILVA, Isiele Mello - Faculdade Santa Amélia 1 SILVA, Nivaldo Pereira

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

Expectativas dos Pequenos Negócios para 2015

Expectativas dos Pequenos Negócios para 2015 Expectativas dos Pequenos Negócios para 2015 Relatório Final Brasília, Novembro/2014 Método Objetivo geral: Levantar as expectativas para 2015 dos pequenos negócios atendidos pelo SEBRAE Método: Pesquisa

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Faculdade AIEC, mantida pela Associação Internacional de Educação Continuada AIEC, iniciou, em 2002, o curso de Bacharelado em Administração, na metodologia semipresencial. Foi pioneira e até hoje é

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS A administração eficiente de qualquer negócio requer alguns requisitos básicos: domínio da tecnologia, uma equipe de trabalho competente, rigoroso controle de qualidade, sistema

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki

Leia mais

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Cruzeiro SP 2008 FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Projeto de trabalho de formatura como requisito

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS FINANCEIROS. Lucia Dinnies Santos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS FINANCEIROS. Lucia Dinnies Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS FINANCEIROS Lucia Dinnies Santos MARKETING DE RELACIONAMENTO E SUA APLICAÇÃO NA CARTEIRA

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO: UM ESTUDO DE CASO EM UM ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS

QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO: UM ESTUDO DE CASO EM UM ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS 1 QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO: UM ESTUDO DE CASO EM UM ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS ADEMIR HENRIQUE Discente do Curso de Administração das

Leia mais

1 Introdução 2 Comportamento do Consumidor e Diferenciação para Estratégia e para o Marketing

1 Introdução  2 Comportamento do Consumidor e Diferenciação para Estratégia e para o Marketing Diferenciação Informada: um Estudo sobre os Efeitos da Informação sobre a Disposição a Pagar João Roberto Lo Turco Martinez joaoadm01@yahoo.com.br UFG Lorena Estrela Peixoto lorenapeixoto18@yahoo.com.br

Leia mais

Invista no hotel certo

Invista no hotel certo Invista no hotel certo O QUE VOCÊ PROCURA EM UM INVESTIMENTO HOTELEIRO ESTÁ AQUI. A economia de minas gerais cresce acima da média nacional: 5,15% no 1º trim./2011. Fonte: Informativo CEI-PIB MG _Fundação

Leia mais

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE Debora Barbosa Guedes (UEPB ) deborabguedes@yahoo.com.br Anna Cristina

Leia mais

TIPOS DE LIDERANÇA ADOTADOS POR GESTORES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

TIPOS DE LIDERANÇA ADOTADOS POR GESTORES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA TIPOS DE LIDERANÇA ADOTADOS POR GESTORES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Anápolis GO - 05 2015 Marcos Wesley da Silva - Unievangélica marcos.wesley@unievangelica.edu.br Gustavo Ferreira Gomes - Unievangélica -

Leia mais

PINTON GERALDINO DAOLIO 3

PINTON GERALDINO DAOLIO 3 MARKETING CULTURAL COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO LUIZ FABIANO FERREIRA¹, PAULO ALEXANDRE PINHEIRO SOARES 2, RAQUEL PINTON GERALDINO DAOLIO 3 1 Aluno do 3º semestre do curso Superior de Tecnologia de Gestão

Leia mais

Pesquisa de Percepção de Qualidade dos Serviços e Perfil do Hóspede na Hotelaria de Porto Alegre

Pesquisa de Percepção de Qualidade dos Serviços e Perfil do Hóspede na Hotelaria de Porto Alegre Pesquisa de Percepção de Qualidade dos Serviços e Perfil do Hóspede na Hotelaria de Porto Alegre Apresentação da Pesquisa Realizada através da parceria entre a UFRGS, SINDPOA E SETUR Objetivos: Identificar

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

PESQUISA DE AVALIAÇÃO COM SÓCIOS

PESQUISA DE AVALIAÇÃO COM SÓCIOS PESQUISA DE AVALIAÇÃO COM SÓCIOS Pesquisa desenvolvida com exclusividade para JOCKEY CLUB Outubro /2012 Para falar com a H2R contate: lmorrone@h2r.com.br /rubenshannun@h2r.com.br Tel(011)2654-0424 www.h2r.com.br

Leia mais

MODELO DE CRM PARA EMPRESAS FAMILIARES PRESTADORAS DE SERVIÇOS

MODELO DE CRM PARA EMPRESAS FAMILIARES PRESTADORAS DE SERVIÇOS MODELO DE CRM PARA EMPRESAS FAMILIARES PRESTADORAS DE SERVIÇOS Roni Antonio Garcia da Silva (GPACI/CNPq-UNICENTRO), Antonio Costa Gomes Filho (GPACI/CNPq-UNICENTRO), Cesar Augusto Zimmermann (GPACI/CNPq-UNICENTRO)

Leia mais

A SIMBIOSE ENTRE COLABORADORES E CLIENTES: UM NOVO MODELO DE GESTÃO EM EMPRESAS TURÍSTICAS

A SIMBIOSE ENTRE COLABORADORES E CLIENTES: UM NOVO MODELO DE GESTÃO EM EMPRESAS TURÍSTICAS A SIMBIOSE ENTRE COLABORADORES E CLIENTES: UM NOVO MODELO DE GESTÃO EM EMPRESAS TURÍSTICAS Ms. Edna Leite Dias RESUMO: A proposta aqui exposta tem como temática central mostrar a importância que deve ser

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado do Turismo

ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado do Turismo ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado do Turismo MEIOS DE HOSPEDAGEM DO PARANÁ 2000 2007 HOTELARIA O segmento hoteleiro provoca no turismo um efeito multiplicador na geração de empregos (diretos e indiretos)

Leia mais

Uso da tecnologia da informação e de sistemas de apoio gerencial em instituições bancárias: um estudo em agências do Banco Alfa

Uso da tecnologia da informação e de sistemas de apoio gerencial em instituições bancárias: um estudo em agências do Banco Alfa Uso da tecnologia da informação e de sistemas de apoio gerencial em instituições bancárias: um estudo em agências do Banco Alfa Maria Nailma Marques Pereira (UECE) nailmapereira@terra.com.br João Adamor

Leia mais

O USO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO EM SERVIÇOS HOTELEIROS RESUMO

O USO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO EM SERVIÇOS HOTELEIROS RESUMO O USO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO EM SERVIÇOS HOTELEIROS CHEHADE, Michelle Bellintani Docente do curso de Turismo da Faculdade de Ciências Humanas FAHU/ACEG e-mail: michellebc@faef.br RESUMO O presente

Leia mais

Uma fonte inédita de informação

Uma fonte inédita de informação Mensagem do Presidente Uma fonte inédita de informação Este trabalho, patrocinado pelo Sincor-SP, corresponde a uma expectativa do setor quanto aos dados relativos às corretoras de seguros, em um momento

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER PESQUISA DA OFERTA DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM NO MUNICÍPIO DE ITAPEMA Janeiro UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ

Leia mais

PROF. LÍVIO GIOSA PRESIDENTE DO CENAM CENTRO NACIONAL DE MODERNIZAÇÃO EMPRESARIAL (OUTUBRO/ 2010)

PROF. LÍVIO GIOSA PRESIDENTE DO CENAM CENTRO NACIONAL DE MODERNIZAÇÃO EMPRESARIAL (OUTUBRO/ 2010) PROF. LÍVIO GIOSA PRESIDENTE DO CENAM CENTRO NACIONAL DE MODERNIZAÇÃO EMPRESARIAL (OUTUBRO/ 2010) METODOLOGIA DA PESQUISA PESQUISA QUANTITATIVA POR AMOSTRAGEM. PROTEÇÃO E PRESERVAÇÃO DO SIGILO Dados para

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO

LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO LIDERANÇA & GESTÃO DE PESSOAS 12 DESAFIOS, 3 FERRAMENTAS E UMA DECISÃO INTRODUÇÃO O setor de RH deve ser extinto. Ram Charan em artigo na Harvard Business Review Você concorda? OBJETIVOS DESTE WORKSHOP

Leia mais

Conceituação e Entendimento da Gestão Estratégica Parte 02

Conceituação e Entendimento da Gestão Estratégica Parte 02 Conceituação e Entendimento da Gestão Estratégica Parte 02 Agenda: Organização X Empresa Empresas de Serviços Classificação Tipos de Clientes Ciclo de Vida Por que gerenciar estrategicamente uma empresa

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

ANÁLISE DOS DETERMINANTES DE ESCOLHA DOS SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM PELOS CLIENTES: UM ESTUDO UTILIZANDO A SERVQUAL

ANÁLISE DOS DETERMINANTES DE ESCOLHA DOS SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM PELOS CLIENTES: UM ESTUDO UTILIZANDO A SERVQUAL ANÁLISE DOS DETERMINANTES DE ESCOLHA DOS SERVIÇOS DE HOSPEDAGEM PELOS CLIENTES: UM ESTUDO UTILIZANDO A SERVQUAL Marconi Freitas da Costa (FASETE) marconi_costa@hotmail.com Adeilza Andrade Santos (FASETE)

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso?

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? i n o v a ç ã o 8 Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? Carla Conti de Freitas Yara Fonseca de Oliveira e Silva Julia Paranhos Lia Hasenclever Renata

Leia mais

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES MARKETING Mercado Atual Competitivo Produtos / Serviços equivalentes Globalizado Conseqüências Infidelidade dos clientes Consumidores mais exigentes Desafio Conquistar clientes fiéis MARKETING TRADICIONAL

Leia mais

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE.

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. Jander Neves 1 Resumo: Este artigo foi realizado na empresa Comercial Alkinda, tendo como objetivo

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Ana Clara Rosado Silva (1) ; Daiane Oliveira Borges (2) ; Tatiana Morais Leite (3) ; Vanessa Oliveira Couto (4) ; Patrícia Carvalho

Leia mais

ESTRATÉGIAS: A BUSCA DO MELHOR DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS HOTELEIROS. Roslaine Kovalczuk de Oliveira Garcia 1 Centro Universitário Feevale.

ESTRATÉGIAS: A BUSCA DO MELHOR DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS HOTELEIROS. Roslaine Kovalczuk de Oliveira Garcia 1 Centro Universitário Feevale. ESTRATÉGIAS: A BUSCA DO MELHOR DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS HOTELEIROS. Roslaine Kovalczuk de Oliveira Garcia 1 Centro Universitário Feevale. RESUMO O presente artigo aborda o papel do desenvolvimento

Leia mais

TEMA: A INCLUSÃO DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO NO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE 1- INTRODUCAO 1.1- PROBLEMA

TEMA: A INCLUSÃO DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO NO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE 1- INTRODUCAO 1.1- PROBLEMA TEMA: A INCLUSÃO DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO NO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE 1- INTRODUCAO 1.1- PROBLEMA Com a globalização e o aumento da concorrência, as grandes empresas se voltaram para os clientes

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL

A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL 1 A IMPORTÂNCIA DO E - COMMERCE UM ESTUDO DE CASO NA LOJASMEL Jaqueline Kelly Stipp 1 Jéssica Galindo de Souza 2 Luana Alves dos Santos Lemos 3 Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Esse artigo tem como objetivo

Leia mais

Mais um passo. Indicadores de desempenho e seu uso no benchmarking. nº 16 janeiro / 2006. Gestão Estratégica em Medicina Laboratorial - 1

Mais um passo. Indicadores de desempenho e seu uso no benchmarking. nº 16 janeiro / 2006. Gestão Estratégica em Medicina Laboratorial - 1 nº 16 janeiro / 2006 Mais um passo Indicadores de desempenho e seu uso no benchmarking Estudos mostram que as organizações que se mantêm na liderança em seus setores durante períodos prolongados medem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA E O SISTEMA DE INFORMAÇÃO NA COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA E O SISTEMA DE INFORMAÇÃO NA COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA E O SISTEMA DE INFORMAÇÃO NA COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL Antônio Donizete Lemes 1 Gleise Cardoso Fálico 2 Raniane de Pádua Souza 3 PALAVRAS-CHAVE RESUMO Novas tecnologias estão

Leia mais

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho Pesquisa Semesp A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho 2008 Ensino superior é um forte alavancador da carreira profissional A terceira Pesquisa Semesp sobre a formação acadêmica dos profissionais

Leia mais

FATORES INFLUENTES NA LEALDADE DOS CLIENTES DO BANCO SANTANDER AGÊNCIA FARRAPOS RESUMO

FATORES INFLUENTES NA LEALDADE DOS CLIENTES DO BANCO SANTANDER AGÊNCIA FARRAPOS RESUMO 1 FATORES INFLUENTES NA LEALDADE DOS CLIENTES DO BANCO SANTANDER AGÊNCIA FARRAPOS Cristiane Sábio Rebelo 1 João Antonio Jardim Silveira 2 RESUMO O presente artigo apresenta os fatores influentes na lealdade

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

ANAIS O MARKETING DE RELACIONAMENTO COMO ESTRATÉGIA PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES UM ESTUDO DE CASO COM A OFICINA THOMAZ AUTO SERVICE

ANAIS O MARKETING DE RELACIONAMENTO COMO ESTRATÉGIA PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES UM ESTUDO DE CASO COM A OFICINA THOMAZ AUTO SERVICE O MARKETING DE RELACIONAMENTO COMO ESTRATÉGIA PARA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES UM ESTUDO DE CASO COM A OFICINA THOMAZ AUTO SERVICE CAMILA MOREIRA ALMEIDA DE MIRANDA ( cmoreira_on@yahoo.com.br ) UNIVERSIDADE

Leia mais