Criação de galinha caipira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Criação de galinha caipira"

Transcrição

1 Criação de galinha caipira

2 CRIAÇÃO DE GALINHA CAIPIRA 1 Introdução A criação de galinhas caipiras sempre foi para os pequenos produtores uma importante fonte de produção de alimentos proteicos (carne e ovos), o que melhorou substancialmente sua alimentação. Todavia a criação das aves domésticas, ditas caipiras, nos terreiros das pequenas propriedades, não acompanhou a evolução tecnológica e, por isso, apresenta baixa produtividade e alta mortalidade, em função da pouca qualidade genética, da falta de cuidados higiênico-sanitários e da deficiência alimentar. Este quadro impossibilita os pequenos produtores de terem uma produção uniforme e constante durante o ano todo. Entretanto a atividade nas pequenas propriedades rurais persiste e é tão presente quanto o cultivo de milho, arroz e feijão. 2 - Manejo de pintinhos A alta mortalidade de pintinhos na criação caipira está relacionada com o manejo e a alimentação inadequados e com a não-observância dos aspectos de higiene e sanidade. É preciso que os pintinhos produzidos na propriedade ou os adquiridos com um dia de vida em encubadoras recebam cuidados, para que se desenvolvam saudavelmente, aumentando assim a produtividade da criação. Os pintinhos devem ser criados em pinteiros pelo menos até 4 semanas de idade. No pinteiro, eles receberão mais atenção, como: água, aquecimento, ração de melhor qualidade, vacinas e medicamentos. Além disto estarão afastados das aves adultas que podem transmitir doenças. Assim a mortalidade diminuirá sensivelmente, e o desempenho melhorará substancialmente. Uma área de 1 metro quadrado será suficiente para 40 a 50 pintinhos. Os pinteiros podem ser construídos na própria propriedade ou comprados no comércio (criadeiras teladas). As instalações devem ser simples. Os pinteiros suspensos são interessantes do ponto de vista sanitário, para evitar várias doenças, como a coccidiose, por exemplo. 3 - Equipamentos necessários É essencial que nos primeiros 10 dias de criação, os pintinhos possam contar com uma fonte de calor, fornecida por uma lâmpada de 60 watts, colocada em uma campânula adaptada, que pode ser uma bacia velha ou uma caixa de papelão. A campânula

3 será regulada, podendo suspender ou baixar, conforme comportamento dos pintinhos. É importante que haja um círculo de proteção em torno do pinteiro para agrupar os pintinhos nos primeiros dias junto da fonte de calor e evitar o esmagamento deles, fator de mortalidade. Nos primeiros 10 dias, dois bebedouros tipo copo pressão de um litro são suficientes para 50 pintinhos. Os bebedouros podem ser construídos na propriedade com latas de goiabada e de óleo ou similares. Os bebedouros devem ser colocados em cima de estrados de madeira ou outro material para impedir que a cama dos pintinhos seja molhada. Após 10 dias estes bebedouros devem ser trocados por outros maiores, podendo ser feitos de bambu, PVC, etc. Um bebedouro com um metro de comprimento é suficiente para 50 pintinhos. Um comedouro tipo bandeja de 30 x 50 x 3 cm é suficiente para 50 pintinhos nos primeiros 10 dias. Após este tempo, devem-se colocar comedouros tipo calha, de bambu, folha de flandres, madeira ou outro material apropriado. Cada ave vai necessitar neste período de 7 a 10 cm de espaço de comedouro. Portanto um comedouro de um metro será suficiente para 20 aves, pois elas comem de ambos os lados. É importante que os pinteiros sejam revestidos por uma cama que pode ser de diversos materiais, como: cepilho de madeira, sabugo de milho triturado, casca de arroz, etc. Nos primeiros dias esta cama deve ser recoberta por papel ou jornal, para evitar que os pintinhos se alimentem da cama. Nos períodos de frio intenso é conveniente o uso de cortinas no pinteiro, que poderão ser feitas de sacos de plástico de ração ou mesmo de sacos de papel ou outro material apropriado. No primeiro dia de criação, a água é o alimento mais importante. Adicionar de 1 a 2% de açúcar à água, principalmente se os pintinhos foram adquiridos de incubadoras distantes. A água deve ser de boa qualidade e ser trocada várias vezes ao dia. Lavar bem os bebedouros. A alimentação dos pintinhos nas primeiras quatro semanas deve ser à base de ração balanceada, adquirida de firma idônea. 4 - Vacinação Os pintinhos adquiridos de incubadoras idôneas já vêm vacinados contra marek, newcastle e gumboro e, às vezes, bouba aviária. Os pintinhos não vacinados devem receber a 1ª dose de vacina contra newcastle de 10 a 12 dias por via ocular ou na água. A vacinação contra bouba deverá ser feita em todos os pintinhos, comprados de incubadoras ou não, entre a 3ª e 4ª semana de criação. Após 4 semanas, os pintinhos

4 serão colocados com as demais aves adultas, devendo ser criados no sistema de semiconfinamento. O pinteiro deverá ser devidamente desinfetado, com retirada da cama, que poderá ser usada na adubação de culturas. Ela não deve ser colocada na área do parque destinado às aves. Pintinhos encontrados mortos no interior do pinteiro devem ser enterrados de preferência em fossas, para essa finalidade. 5 - Manejo das aves adultas Neste sistema de semiconfinamento recomendado, as aves serão recolhidas ao galinheiro às 5 horas da tarde e soltas às 8 horas da manhã. Para isso, há necessidade de um galinheiro fechado. A área de parque deverá ser de 3 m 2 por ave. Para um rebanho de 30 aves, será necessária uma área de 90 m 2. Na área do parque, as aves deverão ter à disposição água de boa qualidade. Uma solução é fazer bebedouros utilizando bambu-gigante ou garrafas PET de refrigerante. Os bebedouros devem ser colocados em pontos estratégicos no parque, à sombra, e a água deve ser trocada diariamente. Comedouros com farinha de ossos calcinada também poderão estar disponíveis para as aves. Sempre que possível, evitar que animais mortos fiquem na área do parque, pois podem provocar o aparecimento do botulismo, doença que acarreta alta mortalidade. A criação conjunta de perus, patos e galinhas sempre apresenta problemas, pois doenças poderão ser transmitidas. Dentro da possibilidade de cada produtor, será interessante ter áreas separadas para estas aves. Como a grande maioria das criações envolve frangos e galinhas poedeiras, sugere-se que todas as aves sejam presas à tardinha e, na manhã seguinte, após receberem uma ração suplementar, sejam soltos as frangas e frangos, deixando as galinhas criadeiras e as prestes a entrarem em postura presas até 10 horas da manhã. Este manejo permitirá mais atenção às aves, quando serão ofertados melhor alimentação, tratamento com vermífugos, vacinas e outros medicamentos, se necessário, e melhor observação da postura das aves. É também na parte da manhã que as galinhas botam mais ovos. 6 - Alimentação Alimentos que podem ser fornecidos às aves à solta na criação Grãos: milho, girassol, soja, feijão-guandu, arroz quebradinho, sorgo, etc. Verde: folhas de couve, repolho, alface, chicória, mostarda, mamão, goiaba, banana, mandioca, abóbora, inhame, capins, etc. As frutas e os legumes fornecem vitaminas e sais mine-

5 rais às aves, além de aumentar a pigmentação (cor) da gema. Sais minerais: manter os comedouros com calcário calcítico. Cascas de ovos moídas servem também como fonte de cálcio Rações de menor custo que podem ser preparadas na propriedade Ração A Fubá de milho 73 Farelo de soja 22 Fosfato Bicálcico 5 Ração B Fubá de milho 43 Farelo de soja 22 Quirera de arroz 30 Fosfato Bicálcico 5 Ração C Esterco de suínos 80 Ração para aves Sugestão de mistura mineral Fosfato Bicálcico 21,0 Calcário 28,5 Sal comum 0,5 7 Sanidade, Higiene e Profilaxia A alta mortalidade nos plantéis avícolas está relacionada com a falta de cuidados higiênicos e de profilaxia adequada à criação. Algumas dessas doenças podem ser prevenidas com a vacinação, como são os casos da newcastle e da bouba aviária. As demais devem ser prevenidas com as práticas higiênico-sanitárias. (Quadro Doenças e Vacinações). 8 - Práticas higiênico-sanitárias desejáveis Manter limpos e desinfetados os equipamentos e as instalações na criação: Bebedouros lavar diariamente com água e sabão e, eventualmente, desinfetar com solução de água sanitária. Comedouros retirar as crostas de fezes, no mínimo uma vez por mês, e periodicamente desinfetá-los com solução de água sanitária. Não deixar comida velha e mofada nos comedouros. Ninhos pulverizar contra piolhos com produtos apropriados, observando as recomendações dos fabricantes. Trocar a cama sempre que necessário. Piso do galinheiro se for de chão ou tijolos, retirar a cama e pulverizar com solução de creolina ou benzocreol de 3 em 3 meses. Se for de cimen-

6 Doenças e vacinações Doença Característica Vacinação Newcastle Bouba aviária É uma doença de alta mortalidade. Não há remédio para a cura. Previne-se com vacinação que pode ser feita na água, no olho ou na narina. É a chamada pipoca. A doença é transmitida pela picada de mosquitos. Pintinhos: - 1.ª dose: 8 a 12 dias de idade (1 gota no olho ou no nariz) - 2.ª dose: 30 a 35 dias - 3.ª dose: 80 a 90 dias Galos e galinhas poedeiras: - vacinar a cada 4 meses (1 gota no olho ou no nariz). - Vacinar os pintinhos entre 20 e 30 dias e repetir aos 70 a 80 dias de idade. Arrancar 3 a 4 penas da coxa e esfregar a vacina com uma escova ou pincel de pelos duros no local. Pode ser feita também na membrana da asa. Com uma agulha tipo máquina de costura, molha-se na vacina e perfura-se a membrana da asa. to, após a retirada da cama, pulverizar com solução de cal e creolina. Poleiros raspar periodicamente os poleiros para retirar as crostas de fezes e pincelar com solução de cal e creolina, periodicamente. Pulverizar com esta solução as laterais do galinheiro, se for de madeira, bambu ou alvenaria. Água deve ser de boa qualidade. Animais mortos não deixá-los na área do parque ou dentro do galinheiro. Devem ser queimados ou enterrados em fossas apropriadas. Área do parque mantê-la sem a presença de lixo e com muito material orgânico. Vermífugos fornecer vermífugos às aves pelo menos de 90 em 90 dias ou cascas de sementes de abóbora, regularmente. Médico Veterinário Dirceu Alves Ferreira Zootecnista João Ricardo Albanez Zootecnista Luiz Fernando Chaves Mendes Departamento Técnico da Emater MG Foto da capa: Alexandre Soares Agosto de 2012 Série Tema Área Ciências Agrárias Pecuária Avicultura

CRIAÇÃO E MANEJO DE AVES POEDEIRAS

CRIAÇÃO E MANEJO DE AVES POEDEIRAS CRIAÇÃO E MANEJO DE AVES POEDEIRAS INTRODUÇÃO Galinhas poedeiras ou de postura são aquelas destinadas à produção de ovos, sendo este considerado de alto valor nutricional, podendo a sua qualidade ser influenciada

Leia mais

CRIAÇÃO DE GALINHAS CAIPIRAS EM SISTEMA ORGÂNICO

CRIAÇÃO DE GALINHAS CAIPIRAS EM SISTEMA ORGÂNICO CRIAÇÃO DE GALINHAS CAIPIRAS EM SISTEMA ORGÂNICO INTRODUÇÃO José Sávio Muruci Vieira A criação de galinhas caipiras deve obedecer a alguns requisitos básicos, afinal, as aves estão sujeitas a problemas

Leia mais

Mai/2010. Cama de Aviário. shaping tomorrow s nutrition

Mai/2010. Cama de Aviário. shaping tomorrow s nutrition Mai/2010 Cama de Aviário Cama de Aviário Introdução O objetivo do uso da cama de aviário é evitar o contato direto da ave com o piso, servir de substrato para a absorção da água, incorporação das fezes

Leia mais

PALESTRA: Projetos de Inclusão Social e Mercado Alternativo

PALESTRA: Projetos de Inclusão Social e Mercado Alternativo PALESTRA: Projetos de Inclusão Social e Mercado Alternativo PROJETO: CRIAÇÃO DE FRANGOS E GALINHAS CAIPIRAS NO COMPLEXO CASTANHÃO RECURSO DO PROJETO: Proveniente do Governo Federal através do DNOCS em

Leia mais

PALESTRA: Criação, Manejo e Comercialização de Galinhas Caipiras e Ovos. Bons motivos para criar Frangos e Galinhas Caipiras

PALESTRA: Criação, Manejo e Comercialização de Galinhas Caipiras e Ovos. Bons motivos para criar Frangos e Galinhas Caipiras PALESTRA: Criação, Manejo e Comercialização de Galinhas Caipiras e Ovos INTRODUÇÃO: Bons motivos para criar Frangos e Galinhas Caipiras A criação de frangos e galinhas caipiras hoje é uma atividade produtiva

Leia mais

Comunicado Técnico 01

Comunicado Técnico 01 Comunicado Técnico 01 Sistema Intensivo de Suínos Criados ao Ar Livre (Siscal) Instruções Técnicas para Implantação. Responsável: Evandro José Rigo Zootecnista; MSc. Produção Animal; Professor FAZU evandro@fazu.br

Leia mais

Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar.

Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar. Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar. Prove as receitas, veja como está gostoso e, o mais importante, nutritivo! A Prefeitura de Ipatinga elaborou para você este livro com receitas que

Leia mais

Componente curricular: Zootecnia II. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli

Componente curricular: Zootecnia II. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Componente curricular: Zootecnia II Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Sistema de produção, instalações e manejo da avicultura. 1. Introdução. Avicultura: criação de

Leia mais

Livros Grátis. http://www.livrosgratis.com.br. Milhares de livros grátis para download.

Livros Grátis. http://www.livrosgratis.com.br. Milhares de livros grátis para download. Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. MEC/SESG/SETC Manual de Orientação ZOOTECNIA I MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO DE ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE Rio de Janeiro

Leia mais

MANUAL DA PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS

MANUAL DA PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS MANUAL DA PRODUÇÃO DE AVES CAIPIRAS Rosemeire Kishibe 1 Luciana Cardoso Cancherini 1 Veruska Santos Goulart 1 Antonio Gilberto Bertechini 2 Édison José Fassani 3 INTRODUÇÃO Até 1960 a avicultura no Brasil

Leia mais

Galinhas Saudáveis Pessoas Saudáveis

Galinhas Saudáveis Pessoas Saudáveis Galinhas Saudáveis Pessoas Saudáveis Projecto Celeiro da Vida Album Seriado Manual de Facilitação de Práticas Agrárias e de Habilidades para a Vida Para os Facilitadores das Jffls Galinhas saudáveis

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011 1 - PRODUTO: Acrílico Standard mais rendimento Natrielli. 2 - DESCRIÇÃO: É uma tinta acrílica de alto rendimento apresenta um excelente acabamento em superfícies externas e internas de alvenaria, reboco,

Leia mais

PRINCIPAIS DOENÇAS DAS AVES (fonte: U.F.de Viçosa)

PRINCIPAIS DOENÇAS DAS AVES (fonte: U.F.de Viçosa) Principais VIROSES: PRINCIPAIS DOENÇAS DAS AVES (fonte: U.F.de Viçosa) Doença de Newcastle: Altamente contagiosa, afeta aves em qualquer idade. O vírus pode pode afetar e causar lesões no sistema digestivo,

Leia mais

TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL

TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL Este folheto indica a maneira de preparar uma solução imunizadora para tratamento de madeira roliça de Eucalipto e

Leia mais

CRIAÇÃO DE GALINHA CAIPIRA INTEGRADA ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS - Brasil Sem Miséria (BSM) e Programa de Aquisição de Alimento (PAA): A EXPERIÊNCIA DE UMA

CRIAÇÃO DE GALINHA CAIPIRA INTEGRADA ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS - Brasil Sem Miséria (BSM) e Programa de Aquisição de Alimento (PAA): A EXPERIÊNCIA DE UMA CRIAÇÃO DE GALINHA CAIPIRA INTEGRADA ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS - Brasil Sem Miséria (BSM) e Programa de Aquisição de Alimento (PAA): A EXPERIÊNCIA DE UMA FAMÍLIA SERRATALHADENSE. Serra Talhada, 2014 CRIAÇÃO

Leia mais

Lípidios (g) (g) MODO DE PREPARO. Vitamina C (mg) Açúcar g 7 27,09 6,97 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 R$ 0,01

Lípidios (g) (g) MODO DE PREPARO. Vitamina C (mg) Açúcar g 7 27,09 6,97 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 R$ 0,01 Cardápio nº 2455 - BISCOITO CASEIRO DE NATA E SUCO DE POLPA DE FRUTA os C Ca Mg Fe Zn Custo Açúcar g 8 30,96 7,97 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 R$ 0,01 Açúcar (suco) g 10 38,70 9,96 0,00

Leia mais

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Sebastião Florêncio Pereira Neto CRMV-SP 20766 Itabom - SP Pontos Primordiais para a Produção de Frangos

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 14 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO NOBILIS MG 6/85 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Substâncias ativas: Por dose de vacina reconstituída:

Leia mais

D O S S I Ê T É C N I C O

D O S S I Ê T É C N I C O D O S S I Ê T É C N I C O Avicultura de postura Karime Cruz França Instituto de Tecnologia do Paraná Setembro 2007 DOSSIÊ TÉCNICO Sumário 1 INTRODUÇÃO...3 2 SISTEMAS DE PRODUÇÃO...4 2.1 Pinteiro...4 2.2

Leia mais

AVICULTURA ALTERNATIVA

AVICULTURA ALTERNATIVA AVICULTURA ALTERNATIVA Principais doenças e métodos de prevenção São várias as doenças que atacam as aves, a maioria são doenças respiratórias. Aspergilose é uma infecção que ataca as aves, sendo provocada

Leia mais

COMPORTAMENTO DE FRANGOS DE CORTE EM SISTEMAS DE AQUECIMENTO

COMPORTAMENTO DE FRANGOS DE CORTE EM SISTEMAS DE AQUECIMENTO ISSN 0100-8862 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Suínos e Aves Ministerio da Agricultura e do Abastecimento Caixa Postal 21, 89700-000, Concórdia, SC Telefone:

Leia mais

Arroz e Feijão Maravilha

Arroz e Feijão Maravilha Arroz e Feijão Maravilha 40 g de abóbora picada 40 g de arroz 40 g de carne bovina picadinha 30 g de cenoura picada 40 g de chuchu picado 40 g de couve picada 30 g de feijão 30 g de repolho 10 g de cebola

Leia mais

ALIMENTOS EXTENSAMENTE AQUECIDOS

ALIMENTOS EXTENSAMENTE AQUECIDOS ALIMENTOS EXTENSAMENTE AQUECIDOS RECEITAS SALGADAS WAFFLE/PANQUECA SALGADO Ingredientes 1 xícara chá de Farinha de Trigo 1 xícara chá de leite de vaca integral 1 ovo de galinha inteiro 1 colher chá de

Leia mais

21/9/2012. Produção de ovos no Brasil. Consumo mundial de ovos. Estados brasileiros produtores de ovos em 2011 PRODUÇÃO DE AVES NO BRASIL

21/9/2012. Produção de ovos no Brasil. Consumo mundial de ovos. Estados brasileiros produtores de ovos em 2011 PRODUÇÃO DE AVES NO BRASIL BEM-ESTAR ESTAR NA PRODUÇÃO DE AVES DE POSTURA PRODUÇÃO DE AVES NO BRASIL 1930-1960 Período comercial Piracicaba/SP Setembro de 2012 Dra. Aérica Cirqueira Nazareno Pesquisadora - NUPEA A criação de aves

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS

BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS SÉRIE: SEGURANÇA ALIMENTAR e NUTRICIONAL Autora: Faustina Maria de Oliveira - Economista Doméstica DETEC Revisão: Dóris Florêncio Ferreira Alvarenga Pedagoga Departamento

Leia mais

Vestiários - Obrigatoriedade ( armários individuais - separação de sexos )

Vestiários - Obrigatoriedade ( armários individuais - separação de sexos ) Vestiários - Obrigatoriedade ( armários individuais - separação de sexos ) ONDE: Estabelecimentos industriais Se exige troca de roupa; Seja imposto o uso de uniforme ou guarda-pó. A localização do vestiário,

Leia mais

Secretaria de Agricultura

Secretaria de Agricultura Curso: CRIAÇÃO DE FRANGO CAIPIRA Instrutor: Julio César Zechinatto CRIAÇÃO DE FRANGO CAIPIRA 1) Aves Mais Indicadas O mercado de aves apresenta algumas linhagens para a criação de frangos caipira. A escolha

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Rosalba Ciarlini Rosado Governadora

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Rosalba Ciarlini Rosado Governadora GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Rosalba Ciarlini Rosado Governadora SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA DA PECUÁRIA E DA PESCA Tarcísio Bezerra Dantas Secretário EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA

Leia mais

MANUAL INFORMATIVO PARA ORDENHA MECÂNICA BPA 34 3818-1300 34 9684-3150. bpa@cemil.com.br REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

MANUAL INFORMATIVO PARA ORDENHA MECÂNICA BPA 34 3818-1300 34 9684-3150. bpa@cemil.com.br REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ilustra BPA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Normativa nº 51 18/09/2002. Regulamentos Técnicos de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, do Leite tipo B, do Leite tipo C, do Leite Pasteurizado e do

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE CRIAÇÃO

MANUAL PRÁTICO DE CRIAÇÃO MANUAL PRÁTICO DE CRIAÇÃO Legítimo Frango Caipira Brasileiro Paraiso Pedrês Pescoço Pelado Pedrês- Rubro Mista Tropical 1 O legítimo frango caipira brasileiro Paraiso Pedrês apresenta qualidade e rusticidade

Leia mais

1. De um Estabelecimento Produtor de Ovos e Aves SPF e Produtor de Ovos Controlados a:

1. De um Estabelecimento Produtor de Ovos e Aves SPF e Produtor de Ovos Controlados a: ANEXO NORMAS TÉCNICAS PARA REGISTRO E FISCALIZAÇÃO DOS ESTABELECIMENTOS AVÍCOLAS, PRODUTORES DE OVOS E AVES LIVRES DE PATÓGENOS ESPECIFICOS (SPF) E DE OVOS CONTROLADOS E DOS ESTABELECIMENTOS AVÍCOLAS DE

Leia mais

Receitas colesterol. Pizza marguerita de berinjela - Mariana e Priscila Ingredientes

Receitas colesterol. Pizza marguerita de berinjela - Mariana e Priscila Ingredientes Receitas colesterol Pizza marguerita de berinjela - Mariana e Priscila Ingredientes 2 berinjelas grandes (870g); 6 claras levemente batidas (180g); 2 dentes de alho grandes (15g); 12 colheres (sopa) de

Leia mais

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS (ALUNOS) Público Alvo: 6ºs E 7ºs ANOS (DISCIPLINA) Área de Conhecimento: MATEMÁTICA e LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORES: JANAINA ROSEMBERG

Leia mais

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov.

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov. Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA 08 de abril de 05 Orientações à população para uso da Água Diante da atual situação de desabastecimento

Leia mais

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS LOTES 0- PERECÍVEIS FRIOS 3 4 5 Lingüiça, do tipo calabresa, resfriada, industrialmente embalada, com SIF, embalagem plástica transparente atóxica não reciclada, contendo informações sobre o fabricante

Leia mais

CONSUMO CONSCIENTE DE ALIMENTOS Conteúdo desenvolvido pelo Instituto Akatu.

CONSUMO CONSCIENTE DE ALIMENTOS Conteúdo desenvolvido pelo Instituto Akatu. CONSUMO CONSCIENTE DE ALIMENTOS Conteúdo desenvolvido pelo Instituto Akatu. Os impactos do desperdício de alimentos. Pense em um prato de comida à sua frente. Imagine-o sendo jogado no lixo, sem piedade.

Leia mais

Criação de Porco Caipira

Criação de Porco Caipira Criação de Porco Caipira CRIAÇÃO DE PORCO CAIPIRA 1 - INTRODUÇÃO A criação de porco caipira, também chamada criação extensiva de suínos, criação tradicional de porcos ou criação de porco-banha, está presente

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS

IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NO DESEMPENHO DAS AVES POEDEIRAS ALEXANDRE DA SILVA SECHINATO Médico veterinário Pesquisador Tortuga Cia Zootecnica Agrária INTRODUÇÃO Ovo é um excelente alimento Alimento completo

Leia mais

Comida suficiente e nutritiva. 25 Introdução. Comida 25 - Introdução

Comida suficiente e nutritiva. 25 Introdução. Comida 25 - Introdução Comida 25 - Introdução 63 4 Comida suficiente e nutritiva 25 Introdução Existem vários sistemas simples e de baixo custo que podem melhorar a segurança alimentar e a nutrição. Estes incluem, por exemplo,

Leia mais

No Brasil, as frutas e

No Brasil, as frutas e FRUTAS E HORTALIÇAS: FONTE DE PRAZER E SAÚDE No Brasil, as frutas e hortaliças frescas são produzidas, em diferentes épocas do ano, por milhares de pequenos produtores, distribuídos por todo o país. A

Leia mais

Manual Básico para os Manipuladores de Alimentos

Manual Básico para os Manipuladores de Alimentos Secretaria Municipal de Saúde VISA Ponte Nova Manual Básico para os Manipuladores de Alimentos Elaborado pela Equipe da Vigilância Sanitária de Ponte Nova Índice: 1. Manipulador de Alimentos e Segurança

Leia mais

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov.

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov. Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA 08 de abril de 05 Orientações à população para uso da Água Diante da atual situação de desabastecimento

Leia mais

NHE-375E BOLETIM TÉCNICO. Condutivo Epóxi

NHE-375E BOLETIM TÉCNICO. Condutivo Epóxi BOLETIM TÉCNICO Revestimento Condutivo Epóxi Bicomponente Cinza Piso com Revestimento Condutivo Epóxi Cinza Claro Resina epóxi + catalisador O Revestimento Condutivo foi desenvolvido para ter uma ótima

Leia mais

A COUVE-FLOR NA ESCOLA DO SABOR

A COUVE-FLOR NA ESCOLA DO SABOR ESCOLA DO SABOR Os alimentos são fonte de energia e garantia de sobrevivência. Sem uma alimentação adequada à criança não pode se desenvolver ou crescer. O bom desenvolvimento corporal e intelectual exige

Leia mais

Tratamento de cama de aves para sua reutilização

Tratamento de cama de aves para sua reutilização Tratamento de cama de aves para sua reutilização Valéria M. N. Abreu Cuiabá, 04 de maio 2010 Introdução evitar o contato direto das aves com o piso; servir de substrato para a absorção da umidade do ambiente;

Leia mais

ABC. da Agricultura Familiar. Criação de galinhas caipiras

ABC. da Agricultura Familiar. Criação de galinhas caipiras ABC da Agricultura Familiar Criação de galinhas caipiras Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Informação Tecnológica Embrapa Meio-Norte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Instalações para Bovinos de Corte. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti

Instalações para Bovinos de Corte. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Instalações para Bovinos de Corte Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Aspectos gerais As instalações adequadas facilitam o bom manejo do rebanho, devendo ser bem planejadas, projetadas e construídas,

Leia mais

Apostila. Apostila. Criação de Aves Orgânicas. Dra. Onice Souza Gauglitz Médica Veterinária

Apostila. Apostila. Criação de Aves Orgânicas. Dra. Onice Souza Gauglitz Médica Veterinária Apostila Apostila Criação de Aves Orgânicas Dra. Onice Souza Gauglitz Médica Veterinária A Criação Orgânica de Aves Introdução Nas últimas décadas, temos visto uma evolução significativa de modelos de

Leia mais

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão http://portaldaindustria.com.br/agenciacni/ 03 FEV 2014 Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão Já pensou em tomar sorvete de mandioca? E doce de casca de maracujá?

Leia mais

CONTROLE INTEGRADO DE MOSCAS NO MEIO RURAL (VÍDEO) GUIA PEDAGÓGICO DO INSTRUTOR

CONTROLE INTEGRADO DE MOSCAS NO MEIO RURAL (VÍDEO) GUIA PEDAGÓGICO DO INSTRUTOR CONTROLE INTEGRADO DE MOSCAS NO MEIO RURAL (VÍDEO) GUIA PEDAGÓGICO DO INSTRUTOR CONTROLE INTEGRADO DE MOSCAS NO MEIO RURAL (VÍDEO) GUIA PEDAGÓGICO DO INSTRUTOR Doralice Pedroso de Paiva Rosali Salette

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE DEPARTAMENTO NACIONAL DE ENDEMIAS RURAIS

MINISTÉRIO DA SAÚDE DEPARTAMENTO NACIONAL DE ENDEMIAS RURAIS MINISTÉRIO DA SAÚDE DEPARTAMENTO NACIONAL DE ENDEMIAS RURAIS Publicado sob os auspícios do Ministério da Saúde sendo ministro o prof. MAURÍCIO DE MEDEIROS e Diretor-Geral do D.N.E.Ru. o Dr. MÁRIO PINOTTI.

Leia mais

Centro de Saúde Escola do Butantã/FMUSP. Saúde da Criança. Receitas para as primeiras papinhas do seu bebê

Centro de Saúde Escola do Butantã/FMUSP. Saúde da Criança. Receitas para as primeiras papinhas do seu bebê Centro de Saúde Escola do Butantã/FMUSP Saúde da Criança Receitas para as primeiras papinhas do seu bebê Receita básica para PAPA SALGADA Não podem faltar estes alimentos no preparo do papa para a criança

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Fernando S. Alves ABRIL 1992 Revisado JANEIRO

Leia mais

Avaliação de desempenho de poedeiras Isa Brown criadas no IFMG campus Bambuí em comparação aos dados de desempenho descritos no Manual da Linhagem 1.

Avaliação de desempenho de poedeiras Isa Brown criadas no IFMG campus Bambuí em comparação aos dados de desempenho descritos no Manual da Linhagem 1. Avaliação de desempenho de poedeiras Isa Brown criadas no IFMG campus Bambuí em comparação aos dados de desempenho descritos no Manual da Linhagem 1. Tiago Antônio dos SANTOS 2 ; Adriano GERALDO 3 ; Karina

Leia mais

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO 1.1. Tarefa: Limpeza de MÓVEIS E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA - limpar com pano úmido e remover pó e manchas das mesas, armários,

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS. Aplique revestimento liso e impermeável em piso, paredes e teto;

ORIENTAÇÕES GERAIS. Aplique revestimento liso e impermeável em piso, paredes e teto; PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE MACEIÓ DIRETORIA DE VIGILÂNCIA À SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE VIGILÄNCIA SANITÁRIA INSPETORIA DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL ORIENTAÇÕES GERAIS

Leia mais

CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS

CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS CRIAÇÃO DE CABRAS LEITEIRAS PRINCIPIOS E RECOMENDAÇÕES ATIVIDADE CAPRINOCULTURA LEITEIRA É UM DOS RAMOS QUE MAIS TEM SE DESENVOLVIDO NO PAÍS, SENDO UMA OPÇÃO VIÁVEL AO PEQUENO PRODUTOR DE LEITE DE VACA,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPALIDADE DE BIGUAÇU FUNDAÇÃO MUN. DE MEIO AMBIENTE DE BIGUAÇU

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPALIDADE DE BIGUAÇU FUNDAÇÃO MUN. DE MEIO AMBIENTE DE BIGUAÇU IN-16 AVICULTURA Última atualização: 18/06/2014 INSTRUÇÕES GERAIS: A FAMABI coloca-se a disposição dos interessados para dirimir possíveis dúvidas sobre esta Instrução Normativa. Sempre que julgar necessário

Leia mais

COMIDA DE ESCOLA NA COZINHA. O que é?

COMIDA DE ESCOLA NA COZINHA. O que é? Receitas COMIDA DE ESCOLA O que é? Comida de Escola é um conjunto de vídeos de culinária gravados no ambiente real da escola e destinados às merendeiras. Neles, um chefe e duas cozinheiras compartilham

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO 2010 Questão 1 PROVA DE CIÊNCIAS 4 ANO Boa alimentação

Leia mais

Local Ideal Para Uma Criação de Galinha Caipira

Local Ideal Para Uma Criação de Galinha Caipira GALINHA CAIPIRA GALINHA CAIPIRA A criação de galinha caipira, apesar de ser relativamente mais simples do que as de galinhas de granja, especialmente por elas serem mais resistentes a doenças e menos sensíveis

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Alimentação saudável É saborosa, variada, colorida e com harmonia entre quantidades e qualidade! Sempre que possível faça as refeições junto à família,

Leia mais

Gripe H1N1 ou Influenza A

Gripe H1N1 ou Influenza A Gripe H1N1 ou Influenza A A gripe H1N1 é uma doença causada por vírus, que é uma combinação dos vírus da gripe normal, da aviária e da suína. Essa gripe é diferente da gripe normal por ser altamente contagiosa

Leia mais

FERRAMENTAS E PRÁTICAS DE BAIXO CUSTO PARA MELHORAR O BEM-ESTAR DE ANIMAIS DE PRODUÇÃO. Irenilza de Alencar Nääs

FERRAMENTAS E PRÁTICAS DE BAIXO CUSTO PARA MELHORAR O BEM-ESTAR DE ANIMAIS DE PRODUÇÃO. Irenilza de Alencar Nääs FERRAMENTAS E PRÁTICAS DE BAIXO CUSTO PARA MELHORAR O BEM-ESTAR DE ANIMAIS DE PRODUÇÃO Irenilza de Alencar Nääs 1 O Brasil é um dos maiores produtores de aves no mundo. Crescimento mundial do consumo Preocupação

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE COMUNIDADES RURAIS NO ESTADO DA PARAÍBA EM MANEJO DE PEQUENAS AVES

CAPACITAÇÃO DE COMUNIDADES RURAIS NO ESTADO DA PARAÍBA EM MANEJO DE PEQUENAS AVES Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior- ABEAS - v.22, n.2,p.18-22, 2007 CAPACITAÇÃO DE COMUNIDADES RURAIS NO ESTADO DA PARAÍBA EM MANEJO DE PEQUENAS AVES

Leia mais

ALDEIA TERPEN EVITA A GRIPE AVIÁ RIA

ALDEIA TERPEN EVITA A GRIPE AVIÁ RIA ALDEIA TERPEN EVITA A GRIPE AVIÁ RIA Português ALDEIA TERPEN EVITA A GRIPE AVIÁRIA Autores: Di Mathews, MD Drh.lndarto Revisado por: Luciene Burgess Carmen Pereira Mary Daniel Helen Cutler Ilustrado por:

Leia mais

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Concreto O preparo do concreto é uma série de operações executadas de modo a obter, á partir de um determinado número de componentes previamente conhecidos, um

Leia mais

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Cozinha Industrial Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Serviços de alimentação Este tipo de trabalho aparenta não ter riscos, mas não é bem assim, veja alguns exemplos: Cortes

Leia mais

Como fazer uma Armadilha para Aedes Aegypti caseira e com garrafa Pet reciclada

Como fazer uma Armadilha para Aedes Aegypti caseira e com garrafa Pet reciclada Como fazer uma Armadilha para Aedes Aegypti caseira e com garrafa Pet reciclada 1 pegue uma garrafa PET de 2 litros e corte-a ao meio, para transformá-la em um funil e um copo. 2 Retire o anel da ponta

Leia mais

3. AMOSTRAGEM DO SOLO

3. AMOSTRAGEM DO SOLO 3. AMOSTRAGEM DO SOLO Reinaldo Bertola Cantarutti 1 Victor Hugo Alvarez V. 2 Antônio Carlos Ribeiro 3 3.1. Introdução A amostragem do solo é a primeira e principal etapa de um programa de avaliação da

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

COMIDA DE ESCOLA NA COZINHA. O que é?

COMIDA DE ESCOLA NA COZINHA. O que é? Receitas COMIDA DE ESCOLA O que é? Comida de Escola é um conjunto de vídeos de culinária gravados no ambiente real da escola e destinados às merendeiras. Neles, um chefe e duas cozinheiras compartilham

Leia mais

Kit Embrapa de Ordenha Manual para Caprinos Leiteiros. Instruções de montagem e utilização

Kit Embrapa de Ordenha Manual para Caprinos Leiteiros. Instruções de montagem e utilização Kit Embrapa de Ordenha Manual para Caprinos Leiteiros Instruções de montagem e utilização Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Caprinos e Ovinos Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP LAJE As lajes são estruturas destinadas a servirem de cobertura, forro ou piso para uma edificação.

Leia mais

Ingredientes para a massa 1 xíc farinha de trigo integral 1 xíc farinha de trigo 1 col chá sal 1 col chá fermento 100 ml água

Ingredientes para a massa 1 xíc farinha de trigo integral 1 xíc farinha de trigo 1 col chá sal 1 col chá fermento 100 ml água Pastel de legumes 10 unidades 2 Ingredientes para o recheio 2 col sopa óleo 2 xic couve flor em buque ¼ xi pimentão vermelho em cubinhos 1/3 xíc milho verde ½ cebola 1 col chá curry Sal a gosto Ingredientes

Leia mais

ZONA DE CONFEÇÃO PRODUTO A UTILIZAR E RESPETIVA AÇÃO MÉTODO DE HIGIENIZAÇÃO DOSAGEM. Lavagem: De acordo com a rotulagem

ZONA DE CONFEÇÃO PRODUTO A UTILIZAR E RESPETIVA AÇÃO MÉTODO DE HIGIENIZAÇÃO DOSAGEM. Lavagem: De acordo com a rotulagem ZONA DE CONFEÇÃO ÁREA/EQUIPAMENTO PERIDIOCIDADE PRODUTO A UTILIZAR E RESPETIVA AÇÃO DOSAGEM MÉTODO DE HIGIENIZAÇÃO Bancadas, superfícies de laboração e cubas Após cada utilização - Aplicar a solução de

Leia mais

Assentar pisos e azulejos em áreas internas.

Assentar pisos e azulejos em áreas internas. CAMPO DE APLICAÇÃO Direto sobre alvenaria de blocos bem acabados, contrapiso ou emboço desempenado e seco, isento de graxa, poeira e areia solta, para não comprometer a aderência do produto. Indicado apenas

Leia mais

20 Receitas Econômicas e Nutritivas

20 Receitas Econômicas e Nutritivas 20 Receitas Econômicas e Nutritivas 1. ALMEIRÃO COM SOBRAS DE ARROZ 1 maço de almeirão 1 cebola picada 1 dente de alho 2 xícaras (chá) de arroz cozido 1 e 1/2 colher (sopa) de óleo Escolha e lave bem o

Leia mais

Nota: Se preparado na véspera, deve retirar-se do congelador uma hora antes de servir.

Nota: Se preparado na véspera, deve retirar-se do congelador uma hora antes de servir. Gelado de Doce de Leite 1 Pacote de Bolacha-Maria (200gr) 1 lata de Doce de Leite Condensado Cozido NESTLÉ 4 dl Natas LONGA VIDA 1.Bater as natas até obter ponto 'chantilly' (sem adicionar açúcar). 2.Juntar

Leia mais

PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS AVES DE POSTURA EMBRAPA SUÍNOS E AVES

PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS AVES DE POSTURA EMBRAPA SUÍNOS E AVES PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS AVES DE POSTURA EMBRAPA SUÍNOS E AVES Pablo Zotti AMADOR 1 ; Maribel Barbosa da CUNHA 2 1 Instituto Federal Catarinense, Concórdia/SC; 2 Instituto Federal Catarinense, Concórdia/SC

Leia mais

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CHOCADEIRA GC 660

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CHOCADEIRA GC 660 MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CHOCADEIRA GC 660 APRESENTAÇÃO Ao mesmo tempo em que expressamos nossos agradecimentos pela aquisição desse produto fabricado com tanto orgulho, lembramos também que não basta

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE EXECUÇÃO: 1. Condições para o início dos serviços A alvenaria deve estar concluída e verificada. As superfícies

Leia mais

Dietas Caseiras para Cães e Gatos

Dietas Caseiras para Cães e Gatos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIA AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA CAMPUS DE JABOTICABAL SERVIÇO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA Prof. Dr. Aulus Cavalieri Carciofi

Leia mais

AQUECEDOR CADENCE DILLETA AQC 412 LIGADO

AQUECEDOR CADENCE DILLETA AQC 412 LIGADO AQUECEDOR CADENCE DILLETA AQC 412 LIGADO Obrigado por adquirir o Aquecedor Cadence Dilleta, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É muito importante ler atentamente este manual de instruções,

Leia mais

Obrigado por escolher um aparelho da gama KRUPS exclusivamente previsto para a preparação de alimentos e para uma utilização doméstica apenas.

Obrigado por escolher um aparelho da gama KRUPS exclusivamente previsto para a preparação de alimentos e para uma utilização doméstica apenas. Obrigado por escolher um aparelho da gama KRUPS exclusivamente previsto para a preparação de alimentos e para uma utilização doméstica apenas. DESCRIÇÃO a Bloco motor a1 Selector electrónico de velocidade

Leia mais

Química na cozinha: www.interaulaclube.com.br

Química na cozinha: www.interaulaclube.com.br Química na cozinha: funções químicas Na Aula 43, você estudou um processo chamado fermentação, que determinados seres vivos promovem para sobreviver. Você aprendeu qual a importância da fermentação para

Leia mais

Conforme veremos a seguir, no item manejo, as gaiolas de criação receberão dois tipos distintos de empoleiramento.

Conforme veremos a seguir, no item manejo, as gaiolas de criação receberão dois tipos distintos de empoleiramento. 3.1- Prateleira A prateleira para a prática da poligamia deve situar-se a uma altura de 1.40m do chão, para proporcionar aos poleiros (em número de dois) fixados sobre a primeira travessa da gaiola criadeira

Leia mais

A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR

A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR ESCOLA DO SABOR O alimento é a nossa fonte de energia, a nossa garantia de sobrevivência. Sem uma alimentação adequada a criança não pode se desenvolver ou crescer. A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR Uma

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO NUTRICHEF CSD

EDITAL DO CONCURSO NUTRICHEF CSD EDITAL DO CONCURSO NUTRICHEF CSD 1. DO OBJETO O presente instrumento tem por objetivo selecionar receitas que priorizem a utilização de ingredientes naturais e nutritivos que assegurem pratos saudáveis,

Leia mais

COMIDA DE ESCOLA NA COZINHA. O que é?

COMIDA DE ESCOLA NA COZINHA. O que é? Receitas COMIDA DE ESCOLA O que é? Comida de Escola é um conjunto de vídeos de culinária gravados no ambiente real da escola e destinados às merendeiras. Neles, um chefe e duas cozinheiras compartilham

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 12:11 horas do dia 27 de fevereiro de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Cerro Corá, designado pela portaria 002/2012-GP após analise da documentação do Pregão

Leia mais

Manual básico para oficina de compostagem

Manual básico para oficina de compostagem Manual básico para oficina de compostagem Adaptação do Manual Básico de Compostagem USP RECICLA Henrique Cerqueira Souza MSc Engenheiro Agronomia Agricultor Agroflorestal Nelson Araujo Filho Técnico Ambiental

Leia mais

Notas de Aula de ENT 110 Sericicultura

Notas de Aula de ENT 110 Sericicultura 1 MANEJO DA CRIAÇÃO DO BICHO-DA-SEDA A criação do bicho-da-seda é dividida em duas fases: a jovem e a adulta. A fase jovem do bicho-da-seda compreende o 1 o e o 2 o estádio larval. Nessa, as lagartas são

Leia mais

O QUE PRECISAMOS DE SABER SOBRE A GRIPE DAS AVES

O QUE PRECISAMOS DE SABER SOBRE A GRIPE DAS AVES F ICHA T ÉCNICA S OBRE A G RIPE AVIÁRIA O QUE PRECISAMOS DE SABER SOBRE A GRIPE DAS AVES 1. O que é a gripe das aves? Como se propaga? A gripe das aves é basicamente uma doença das aves que vivem e se

Leia mais

Passo a Passo Para Pequenos Produtores Produzirem Mudas Com Qualidade

Passo a Passo Para Pequenos Produtores Produzirem Mudas Com Qualidade PRODUÇÃO E PLANTIO DE MUDAS NATIVAS DA CAATINGA (através de sementes) ELABORAÇÃO MAGNUM DE SOUSA PEREIRA Engº Agrônomo Coordenador de Projetos da Associação Caatinga FUAD PEREIRA NOGUEIRA FILHO Graduando

Leia mais

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada

Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada Escolha sua melhor opção e estude para concursos sem gastar nada 06. Observe o quadrinho. Para responder às questões de números 08 a 12, leia o texto. (Folha de S.Paulo, 14.06.2013. Adaptado) Assinale

Leia mais

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome:

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome: Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: 1- A alimentação é uma necessidade de todas as pessoas. Para termos uma alimentação saudável, é preciso comer alimentos variados e em quantidades adequadas.

Leia mais

Avicultura Frango de Corte Nome Frango de Corte Informação Produto Tecnológica Data Agosto Preço - Linha Avicultura Informações.

Avicultura Frango de Corte Nome Frango de Corte Informação Produto Tecnológica Data Agosto Preço - Linha Avicultura Informações. 1 de 5 10/16/aaaa 10:59 Avicultura Nome Informação Produto Tecnológica Data Agosto -2000 Preço - Linha Avicultura Informações Resenha resumidas sobre Autor(es) João Ricardo Albanez - Zootecnista Avicultura

Leia mais