Corporates. Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) e subsidiária Furnas Centrais Elétricas S.A. Energia Elétrica / Brasil

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Corporates. Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) e subsidiária Furnas Centrais Elétricas S.A. Energia Elétrica / Brasil"

Transcrição

1 e subsidiária Furnas Centrais Elétricas S.A. Relatório Analítico Corporates Energia Elétrica / Brasil Ratings Eletrobras Moeda Estrangeira (ME) IDR de Longo Prazo Notas Seniores sem Garantia Moeda Local (ML) IDR de Longo Prazo Rating Nacional Longo Prazo Furnas Moeda Estrangeira (ME) IDR de Longo Prazo Moeda Local (ML) IDR de Longo Prazo Rating Nacional Longo Prazo BB BB BB AA-(bra) BB BB AA-(bra) IDR Issuer default rating - Rating de Probabilidade de Inadimplência do Emissor. Perspectiva dos Ratings IDR de Longo Prazo ME IDR de Longo Prazo ML Rating Nacional de Longo Prazo Dados Financeiros Centrais Eletricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) LTM Estável Estável Estável BRL Mi. 30/9/ /12/2014 Receita EBITDA Margem de EBITDA (%) 5,3 8,1 FFO (1.976) (4.008) FCF (4.438) (3.793) Caixa Dívida Total Aj Dívida Total Ajustada/EBITDAR 28,0 17,5 Alavancagem Ajustada Pelo FFO 28,7 (30,9) EBITDA/Despesa Bruta com Juros 0,4 0,7 Pesquisa Relacionada Fitch Afirma IDRs da Eletrobras e de Furnas em BB / AA-(bra) ; Perspectiva Estável (30 de novembro de 2015) Analistas Adriane Silva Mauro Storino Principais Fundamentos dos Ratings Suporte do Governo Federal: Os IDRs (Issuer Default Ratings - Ratings de Probabilidade de Inadimplência do Emissor) da continuam refletindo o vínculo da empresa com o rating soberano da República Federativa do Brasil ( BB+ ;Perspectiva Negativa). O soberano detinha 51% do capital votante da companhia e garantia 15% de sua dívida consolidada no final de setembro de A Eletrobras é estratégica para o país, devido a sua destacada posição no setor brasileiro de energia, em função de sua relevante participação de mercado em geração, transmissão e distribuição de eletricidade. IDRs Individuais Mais Baixos: Em bases individuais, os IDRs da Eletrobras seriam mais baixos, dados o elevado programa de investimentos, a ainda fraca geração consolidada de caixa operacional e a deterioração dos indicadores de crédito para a atual categoria de rating. A decisão de aceitar a renovação antecipada de todas as suas concessões de geração e transmissão de energia que expiravam entre 2015 e 2017 afetou severamente o perfil de crédito consolidado da companhia. Geração de Caixa Deve Melhorar: A Fitch Ratings estima que a geração de EBITDA média anual da Eletrobras será de BRL2,8 bilhões em A geração de caixa operacional deve se beneficiar de aumentos de tarifas, compensações adicionais pelas concessões de transmissão renovadas, ganhos de eficiência e da venda dos negócios de distribuição de energia. Investimentos Devem Pressionar FCF: A geração de fluxo de caixa livre (FCF) da Eletrobras deve continuar negativa, embora o capex e os investimentos tenham sido revisados e reduzidos, como parte de uma nova estratégia de negócios. A Fitch considera positivo o fato de as subsidiárias da companhia não terem participado das recentes licitações de transmissão e geração promovidas pelo governo. O Plano Estratégico da Eletrobras para considera BRL37,1 bilhões de investimentos e aportes de capital em subsidiárias. Administrável Perfil de Vencimento da Dívida: O perfil de risco consolidado da Eletrobras é beneficiado pelo alongado cronograma de vencimento de sua dívida e pela manutenção de forte posição de liquidez. No fim do terceiro trimestre de 2015, a liquidez da Eletrobras era de BRL9 bilhões, ante uma dívida de curto prazo de BRL6,1 bilhões. Risco Político: A Eletrobras está exposta a riscos de interferência política por ser controlada pela União. O governo pode usar a companhia para atingir objetivos macroeconômicos e sociais, por intermédio de controles de preços e/ou de subsídios e como gestora de recursos setoriais. O risco regulatório do setor é moderado, e o risco hidrológico atualmente está acima da média. Sensibilidades dos Ratings Ação Negativa de Rating: O rebaixamento do soberano; o enfraquecimento do suporte do governo brasileiro; a impossibilidade de concluir a venda das companhias de distribuição; e/ou a deterioração da posição de liquidez podem pressionar negativamente os IDRs da Eletrobras. Ação Positiva de Rating: Os IDRs podem ser beneficiados pela recuperação sustentada da geração de fluxo de caixa operacional do grupo e por indicadores de crédito mais robustos. O contínuo suporte do governo brasileiro também pode fortalecer o vínculo entre o grupo e o Brasil e levar a uma ação de rating positiva de

2 Thousands Corporates Eventos Recentes Aprovação dos Valores de Indenização pela Renovação A Fitch considera positivo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ter aprovado o pagamento das indenizações pleiteadas pela Eletrobras pelos ativos não amortizados construídos antes de 2000, após a renovação de suas concessões. A empresa reivindica BRL20,3 bilhões para suas subsidiárias de transmissão, e a Aneel aprovou BRL10 bilhões em A Eletrobras espera que a agência reguladora aprove um total de BRL17 bilhões a BRL19 bilhões. As reivindicações pelos ativos de geração, de BRL6 bilhões, poderão ser aprovadas só após Venda das Companhias de Distribuição é Positivo A Fitch acredita que a venda das companhias de distribuição da Eletrobras é positiva para a geração de fluxo de caixa da empresa. A privatização da Celg Distribuidora S.A. (Celg D) foi aprovada pelo Conselho de Administração da Eletrobras em 28 de dezembro de A venda deve ocorrer no primeiro semestre de A Eletrobras espera vender outras seis distribuidoras no curto prazo. A companhia espera alienar sua participação/controle na Celg D por ao menos BRL1,4 bilhão. Embora a privatização das demais seis subsidiárias possa não trazer montante significativo de caixa para a Eletrobras, evitará aproximadamente BRL2 bilhões de desembolsos de caixa por ano em despesas operacionais e investimentos. Panorama Financeiro Liquidez e Estrutura da Dívida Historicamente, a Eletrobras mantém forte posição de liquidez. Em 30 de setembro de 2015, os índices consolidados de liquidez, medidos por caixa/dívida de curto prazo e caixa mais CFFO/dívida de curto prazo, eram robustos, em 1,5 vez e em 2,2 vezes, respectivamente, enquanto a alavancagem líquida estava negativa. A liquidez, de BRL9 bilhões no final do terceiro trimestre de 2015, ante BRL6,1 bilhões de dívida de curto prazo, pode ser reforçada por até BRL19 bilhões de indenização complementar pela renovação antecipada das concessões de transmissão (já parcialmente aprovada pela Aneel) e por BRL1,4 bilhão da venda da Celg D. Vencimento da Dívida e Liquidez (Em 30 de setembro de 2015) BRL 000 Curto Prazo Dois Anos Três Anos Quatro Anos Cinco Anos Após cinco anos CFFO Caixa Fonte: Dados da Companhia Dívida Total e Alavancagem (USD Mi.) Fonte: dados da companhia Dívida Total Dívida/EBITDA Dívida Líquida/EBITDA (x) 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 (10,0) (20,0) Metodologia Aplicada Metodologia de Ratings Corporativos - Incluindo Ratings de Curto Prazo e Vínculo Controladora e Subsidiária (17 de agosto de 2015) O perfil de risco consolidado da Eletrobras é beneficiado pelo alongado cronograma de vencimento de sua dívida. A dívida total ajustada, excluindo a Reserva Global de Reversão (RGR), aumentou para BRL44,8 bilhões, em setembro de As obrigações financeiras consolidadas da companhia são compostas por emissões internacionais (28%), créditos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES, 17%), empréstimos junto a agências multilaterais internacionais (7%) e a bancos do governo federal (BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal; 33%) e outros. O governo federal apoia a companhia por meio de garantias prestadas a parte de suas dívidas, o que reduz o custo da dívida e beneficia o fluxo de caixa da empresa. Em setembro de 2015, a Eletrobras garantia BRL405 milhões da dívida de suas subsidiárias. 2

3 Análise do Fluxo de Caixa A geração de EBITDA média anual da Eletrobras atingirá BRL2,8 bilhões nos próximos três anos, de acordo com as projeções da Fitch. A geração de caixa operacional da companhia deve se beneficiar do aumento de tarifas para incorporar investimentos que estão sendo feitos nas concessões renovadas, por indenizações adicionais pelas concessões de transmissão renovadas, ganhos de eficiência e venda do negócio de distribuição. A atualmente fraca geração de caixa operacional continua refletindo o impacto altamente negativo da renovação antecipada de suas concessões de geração e transmissão de energia. No período de 12 meses encerrado em 30 de setembro de 2015, o EBITDA recorrente foi de BRL1,8 bilhão e exclui uma provisão não-recorrente por impairment na subsidiária Eletrobras Termonuclear S.A. (Eletronuclear). O fluxo de caixa das operações (CFFO) consolidado da companhia, de BRL4,3 bilhões no período de 12 meses encerrado em 30 de setembro de 2015, foi insuficiente para cobrir os BRL8,7 bilhões de investimentos e os BRL24 milhões de dividendos, o que gerou um FCF negativo de BRL4,4 bilhões. No quarto trimestre de 2014, um crédito de BRL7,2 bilhões na conta de fornecedores da Amazonas Distribuidora de Energia S.A. (Amazonas Energia) com a Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras) pelo fornecimento de combustível impactou positivamente o CFFO. A geração de FCF da Eletrobras deve continuar negativa, embora o capex e os investimentos tenham sido revistos e reduzidos, como parte de uma nova estratégia de negócios. A Fitch considera positivo o fato de as subsidiárias da companhia não terem participado das recentes licitações de transmissão e geração promovidas pelo governo. O Plano Estratégico da Eletrobras para considera BRL37,1 bilhões de investimentos e aportes de capital em subsidiárias. Os planos de expansão representam um desafio e precisarão ser financiados por meio de nova dívida e geração de caixa. A Fitch não espera que a Eletrobras pague dividendos até Desempenho do Fluxo de Caixa (BRL 000) (5.000) FFO CFFO Investimentos no Imobilizado Dividendos FCF (10.000) Fonte: dados da companhia FX Screener O screener de risco cambial apresenta as estimativas da Fitch sobre o desdobramento em moeda estrangeira e moeda local da dívida, vendas e custos operacionais da Eletrobras. O gráfico abaixo ilustra as proporções relativas, mais do que os números específicos, com isso reconhecendo as limitações para cálculo dos desdobramentos de moeda com relação a um determinado ano financeiro. Os analistas da Fitch efetuam as estimativas, algumas vezes com informações da administração, quanto aos recebimentos reais ou à receita ligada a moeda estrangeira em relação aos custos. Nas colunas do gráfico relativas a dívida, a de curto prazo em moeda estrangeira (normalmente em dólares) é destacada, uma vez que, em um mercado volátil em termos de moeda, esta dívida tem que ser amortizada fisicamente com moeda estrangeira, utilizando caixa ou o refinanciamento acomodativo no mercado de títulos ou bancário. 3

4 Fitch FX Screener (Eletrobras BB/Estável, em 30 de Setembro de 2015) Curto Prazo em USD USD 1 ano Curto Prazo em Moeda Local Moeda Local 1 ano (% das Receitas) (x) ,0 a a , , , ,0 0 5,0 (35) Dívida Total Caixa Total (USD e BRL) Dívida Líquida e (Caixa) Vendas Custos Totais Totais (USD e BRL) (USD e BRL) EBITDA Dívida Total / EBITDA (dir.) 0,0 a Moeda Local representada com o equivalente em USD. Fonte: Fitch Ratings. A Fitch acredita que a Eletrobras esteja significativamente exposta a flutuações da taxa de câmbio, devido à relevante parcela da sua dívida (BRL17 bilhões, ou 38% da sua dívida total, fora a RGR, até o final de setembro de 2015) em moeda estrangeira. A companhia só tem receitas em reais e não carrega nenhum instrumento de hedge, o que pode gerar pressão negativa sobre seus indicadores de crédito e covenants financeiros, dada a significativa desvalorização do real. Em 30 de setembro de 2015, a companhia registrava BRL2,6 bilhões de dívida vencendo até 2016 exposta à volatilidade cambial, o que representa riscos adicionais. Grupo de Pares Emissor Centrais Elétricas Brasileiras S.A. - Eletrobras Cia Energética de Minas Gerais - Cemig Emgesa S.A. Interconexión Electrica S.A. - ISA Fonte: Fitch País Brasil Brasil Colômbia Colômbia Histórico de Ratings do Emissor Data Perspectiva/ IDR LP ME Observação Nov. 30, 2015 BB Estável Dez. 5, 2014 BB Estável Dez. 6, 2013 BB Negativa Dez. 7, 2012 BB Negativa Set. 6, 2012 BBB Estável Set. 12, 2011 BBB Estável Abr. 6, 2011 BBB Estável Jun. 29, 2010 BBB Positiva Jun. 29, 2009 BBB Estável IDR LP Issuer Default Rating - Rating de Probabilidade de Inadimplência do Emissor de Longo Prazo. ME Moeda Estrangeira. Fonte: Fitch. Análise entre Pares USD mi. Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) Emgesa S.A. E.S.P Interconexión Eléctrica S.A. E.S.P. - ISA Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) LTM 30/9/15 30/9/15 30/9/15 30/9/15 IDR de Longo Prazo BB BBB BBB - Perspectiva Estável Estável Estável Negativa Estatísticas financeiras Receita Líquida Variação de Receita (%) 31 (28) EBITDA Margem do EBITDA (%) Fluxo de Caixa Livre (1.117) Dívida Total Ajustada Caixa e Aplicações Financeiras Recursos das Operações (497) Investimentos Métricas de crédito (x) EBITDA/Despesa Bruta com Juros 0,4 6,1 1,6 4,3 (FCF+Disponibilidades)/Serviço da Dívida 0,9 9,8 1,7 0,8 Dívida Ajustada/EBITDAR 28,0 4,2 3,5 Cob. de Juros por Recursos das Operações IDR Issuer Default Rating - Rating de Probabilidade de Inadimplência do Emissor Fonte: Fitch. 4

5 Perfil da Companhia A Eletrobras é a maior holding de concessionárias de eletricidade no Brasil. Suas subsidiárias consolidadas, Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. (Eletronorte), Eletrobras Termonuclear S.A., Eletrosul Centrais Elétricas S.A. (Eletrosul), Furnas Centrais Elétricas S.A., Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica e Itaipu Binacional S.A. (Itaipu, BB+ / AAA(bra) /Negativa) são responsáveis por aproximadamente 32% da capacidade instalada de geração e 49% das linhas de transmissão iguais e acima de 230 kilovolts (kv) no país. A Eletrobras também participa do segmento brasileiro de distribuição através de sete companhias, inclusive a Celg D. A companhia e suas subsidiárias também detêm uma carteira de investimentos minoritários em empresas de geração, transmissão e distribuição no Brasil, muitas das quais antes controladas pela Eletrobras e depois privatizadas. O grupo ainda possui participações que não envolvem controle, na forma de sociedades de propósito específico, com companhias privadas em todo o país. Operações Geração A geração de energia é a principal atividade operacional da Eletrobras, responsável por aproximadamente 48% das receitas brutas no período de 12 meses encerrado em 30 de setembro de 2015 redução de 20% frente a A queda se deve principalmente ao menor volume de energia vendida no mercado spot, além da redução dos preços à vista em Em setembro, a Eletrobras controlava aproximadamente 32% da capacidade total instalada de geração do Brasil, por intermédio de suas subsidiárias consolidadas e de sua participação em Itaipu. A capacidade instalada encerrou 2015 em 44,5 gigawatts (GW), com 0,5 GW de capacidade adicionada durante o ano. Das usinas da Eletrobras, 91,7% operam com fontes não poluentes, sendo 85,9% hidrelétricas, 4,5% nucleares e 1,3% solar+eólica. O restante opera com 8,3% de fontes térmicas. A companhia também está presente nos principais projetos de geração atualmente desenvolvidos no país, que somarão aproximadamente 15 GW a esta capacidade até Os investimentos da companhia também incluem 49,98% de participação no projeto hidrelétrico de Belo Monte, que terá um total de MW de capacidade instalada. A Eletrobras é responsável pela comercialização da eletricidade gerada por Itaipu pelo Programa de Incentivo a Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa). Itaipu é uma das maiores hidrelétricas do mundo, com capacidade instalada total de MW. É controlada pela Eletrobras e pela Administración Nacional de Electricidad, entidade governamental paraguaia. Segundo tratado assinado entre os dois países, a Eletrobras vende aproximadamente 95% da produção da usina, incluindo seus 50% de participação e a parcela de eletricidade do Paraguai não utilizada pelo país. O Proinfa é um programa do governo federal de estímulo a fontes alternativas de energia elétrica (eólica, biomassa e pequenas centrais hidrelétricas), limitadas a uma capacidade instalada total de MW no primeiro estágio do programa. A produção de Itaipu e a relacionada ao Proinfa não estão sujeitas a licitação pública para abastecimento de energia no mercado regulado. A produção de Itaipu, líquida da demanda paraguaia, é comprada diretamente pelas concessionárias de distribuição do sistema interligado de energia das regiões sul/sudeste, conforme determinado pelo governo brasileiro, por intermédio da Aneel. A produção do Proinfa é vendida diretamente às distribuidoras e aos consumidores livres. Em ambos os casos, há tarifas especiais (feed-in), definidas para cobrir todos os custos de Itaipu e do Proinfa, estabelecidos anualmente pela Aneel e repassados às contas de energia. A tarifa especial de Itaipu é denominada em dólares e, por isso, está sujeita a flutuações cambiais. 5

6 Transmissão A Eletrobras é beneficiada pela estável geração de fluxo de caixa do segmento de transmissão. As subsidiárias operam como monopólios naturais e as receitas são isentas de risco volumétrico. Em vez de estarem relacionadas ao volume de eletricidade transmitido, as receitas anuais permitidas (RAPs) para um determinado período tarifário se baseiam nos ativos de transmissão disponíveis. As RAPs relativas à rede básica (linhas de transmissão com voltagens iguais ou maiores do que 230 kv) são ajustadas anualmente de modo a considerar a inflação, medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), sem necessidade de aprovação prévia pela Aneel. As receitas brutas de transmissão de energia representaram em torno de 12% da receita total da Eletrobras no período de 12 meses encerrado em 30 de setembro de Nessa data, a Eletrobras controlava aproximadamente 49% das linhas de transmissão acima de 230 kv do Brasil, num total de km. Os projetos de transmissão em desenvolvimento adicionarão km, um aumento de BRL1,3 bilhão de RAP, nos próximos três a quatro anos. Estes projetos devem demandar investimentos em torno de BRL12,9 bilhões, dos quais BRL2,2 bilhões virão de contribuições de capital da Eletrobras. A empresa, como outras que aceitaram renovar antecipadamente suas concessões, espera que o governo aprove a indenização pelos investimentos efetuados nos ativos de transmissão antes de maio de Em dezembro de 2015, duas de suas subsidiárias, Furnas e Eletrosul, receberam aprovação regulatória para os seus pleitos, que totalizavam BRL10 bilhões (originalmente contabilizado como BRL5 bilhões). O governo ainda precisa determinar termos e condições para pagamento destes montantes. Distribuição A Eletrobras participa do segmento de distribuição por meio de seis concessionárias federais nas regiões norte/nordeste e 51% de participação na Celg D, adicionada a este portfólio em O segmento respondeu por 36% das receitas brutas no período de 12 meses encerrado em 30 de setembro de 2015, com contribuição negativa para o EBITDA. As distribuidoras da Eletrobras vêm apresentando fraco desempenho operacional, com baixa qualidade de serviço e perdas de energia acima dos parâmetros máximos estabelecidos pela Aneel, o que afeta negativamente o fluxo de caixa operacional e os indicadores financeiros da controladora. Em julho de 2015, 41 concessões (que representam 65% das empresas do setor), incluindo sete da Eletrobras, expiraram. Até dezembro de 2015, a maior parte das 41 concessões foi renovada, incluindo a Celg D. As seis concessões restantes da Eletrobras deverão ser renovadas até julho de A Fitch considera positiva a estratégia da Eletrobras de vender todas as concessões de distribuição. A Celg D deve ser a primeira a ser privatizada. A alienação foi aprovada pelo Conselho da Eletrobras no final de 2015, e o leilão de licitação deve ocorrer no primeiro semestre de O preço mínimo pelas ações da Eletrobras (50,93% do capital total da Celg D), é de BRL1,4 bilhão. A empresa espera privatizar as seis distribuidoras restantes no curto prazo. O setor elétrico brasileiro apresenta menor risco de racionamento no início de 2016, em comparação com o mesmo período de A recuperação dos níveis dos reservatórios das hidrelétricas localizadas no subsistema sudeste/centro-oeste, o maior e mais importante do país, é fundamental para superar o problema. A capacidade de armazenamento destas usinas estava em 29,82% em dezembro de 2015, frente a 19,36% em dezembro de Associado a esta recuperação, um cenário de redução do consumo de energia em 2016, devido às fracas condições macroeconômicas, sustenta a redução do risco de racionamento de energia. Em paralelo, a introdução do mecanismo de bandeira tarifária, no início de 2015, foi positiva para o segmento, pois reduziu significativamente a volatilidade do fluxo de caixa operacional. O mecanismo de bandeiras tarifárias compreende três cores (verde, amarela e vermelha), em 6

7 referência as cores da sinalização de trânsito, para que os consumidores o compreenda mais facilmente. As bandeiras sinalizam aos consumidores o preço real da energia no país e as condições do sistema de abastecimento. A preocupação da Fitch é o comportamento das perdas e da inadimplência em 2016, à medida que a taxa de desemprego aumenta, o desempenho dos setores industrial e comercial se deteriora e o caixa das entidades públicas aperta. Outras Atividades A Eletrobras atua como agente financeiro do setor, administrando uma carteira de recursos setoriais. Estes recursos são encargos setoriais (RGR, Conta de Desenvolvimento Energético - CDE, Uso do Bem Público - UBP e Conta de Consumo de Combustíveis Fósseis dos Sistemas Isolados - CCC-Isol), cobrados de todos os participantes do mercado e usados para financiar investimentos no setor. Os recursos do RGR e da CDE financiam três programas federais: Luz para Todos que visa a universalização do acesso à eletricidade; Programa Nacional de Iluminação Pública Eficiente (ReLuz) e Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). A CDE atua como subsídio do governo, enquanto os empréstimos da RGR carregam baixas taxas de juros, subsidiadas. A Eletrobras paga juros de 5% ao contrair empréstimo da RGR e cobra taxa de administração média de 1% - 2% no repasse a subsidiárias e outros participantes do mercado. O resultado líquido é nulo, uma vez que a remuneração se destina apenas a cobrir os custos dessas atividades. Estratégia Após a renovação antecipada das concessões em 2013, o principal foco da Eletrobras é melhorar seu desempenho econômico e financeiro, operando com crescimento sustentável e eficiência operacional. A companhia implementou um programa de demissões voluntárias em 2012 que reduziu aproximadamente postos de trabalho, gerando uma economia de BRL1 bilhão por ano. A participação em projetos de infraestrutura locais e no exterior deve ser estritamente orientada por viabilidade técnica, econômica e financeira. Em consequência, a companhia não participou dos recentes leilões de concessões e está dedicada ao desinvestimento de seus negócios de distribuição, como o leilão da Celg D, programado para o primeiro semestre de

8 Organograma Centrais Eletricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) (BRL Mi., Eletrobras em 30 de setembro de 2015 e Itaipu em 30 de junho de 2015) Governo Federal BNDESPAR BNDES Outros 41% 11,9% 6,9% 40,3% Eletrobras LTM IDR BB/Estável Escala Nacional AA-(bra) Consolidadado Holding Caixa Dívida Total EBITDA (5.417) Dívida/EBITDA 27,8 (5,9) EBITDA/Despesa com Juros 0,4 3,4 7,6 Bi. BNDES 17 Bi. Dívida em Moeda Estrangeira 6,9 Bi. Caixa Econômica Federal 6,3 Bi. Banco do Brasil 0,6 Bi. Debêntures 6,9 Bi. Outros Geração e Transmissão Distribuição Outros 99,56% Furnas IDR Estável Escala Nacional AA-(bra) 99,48% Eletronorte 99,88% 99,58% 100% 96,71% Chesf 99,99% Roraima 100% Acre 100% Eletronuclear Piauí Amazonas Energia 99,91% 100% 100% 50,93% Celg D Escala Nacional B-(bra)/Estável Caixa 98 Dívida Total EBITDA 221 Dívida /EBITDA 15,3 EBITDA/Despesa com Juros 0,8 Eletrosul CGTEE Rondônia Alagoas 50.00% Itaipu IDR BB+/Negativa Escala Nacional AAA(bra) Caixa 289 Dívida Total EBITDA Dívida/EBITDA 6,0 EBITDA/Despesa com Juros 2,4 IDR Issuer Default Rating Rating de Probabilidade de Inadimplência do Emissor Fonte: Eletrobras, Fitch. 8

9 Tendências dos Negócios Tendências das Receitas Tendências do EBITDA (BRL 000) Receitas Crescimento da Receita (%) (%) 60,0 (BRL 000) EBITDAR Margem do EBITDAR (%) (%) 24, , , ,0 0 0, ,0 ( ) (12,0) ,0 ( ) (24,0) (15,0) ( ) (36,0) 0 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 (30,0) ( ) 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 (48,0) Fonte: dados da companhia Fonte: dados da companhia Resumo das Dívidas e Covenants Visão Geral Emissor Descrição da Dívida Garantia Real Classificação Garantia Liberação da Garantia Equity Clawback: Opção de Recompra Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Emissão Data de Emissão Data de Vencimento Emissão Original/ Em Circulação Data do Contrato Notas seniores sem garantia, com vencimento em 2015 e cupom de 7,750% 30/11/ /11/2015 USD300 milhões/usd300 milhões 30/11/2005 Notas seniores sem garantia, com vencimento em 2019 e cupom de 6,875% 30/07/ /07/2019 USD1 bilhão/usd1 bilhão 30/07/2009 Notas seniores sem garantia, com vencimento em 2021 e cupom de 5,750% 27/10/ /10/2021 USD1,75 bilhão/usd1,75 bilhão 27/10/2011 Notas seniores sem garantia; juros serão pagos semestralmente. Sem Garantia Sênior Nenhum As notas podem ser resgatadas, a critério do emissor, na íntegra e em qualquer momento, pelo valor principal acrescido dos juros acumulados, caso o emissor seja ou torne-se obrigado a pagar valores adicionais, além dos montantes extras que é obrigado a pagar se os pagamentos estiverem sujeitos a retenção na fonte ou dedução de taxa de 15%. Covenants Financeiros Alavancagem Consolidada (Máxima) Alavancagem Sênior com Garantias (Máxima) Cobertura de Juros (Mínima) Aquisições/Alienações Provisão para Mudança de Controle (CoC) O Governo Federal do Brasil deve, de forma direta ou indireta, pelo menos 51% do capital votante. Restrição à Venda de Ativos A Eletrobras não pode dispor de qualquer parte material de seus ativos ou receitas, determinadas em bases consolidadas, exceto no caso de tal disposição ser feita em condições normais de mercado e não haja nenhuma mudança substancial na natureza de seu negócio. Limitações a Aquisições/Investimentos Consolidações ou fusões estão limitadas, exceto (1) se a empresa formada for organizada e exista sob as leis brasileiras, devendo assumir o pagamento do principal e dos juros das notas, além de observar o desempenho e o cumprimento de todas as cláusulas e condições do contrato fiduciário; e (2) se a Eletrobras ou a empresa sucessora não se torne imediatamente inadimplente no pagamento das notas ou do contrato fiduciário. Restrições a Dívidas Restrições a Dívidas Novas Limitação a Alienações Restrições a Pagamentos Outros Cross-Default A cláusula de cross-default é acionada pela falha no pagamento do capital ou dos juros quando devidos, pelo menos, USD100 milhões da dívida. Cross-Acceleration A aceleração da dívida, maior ou igual a USD100 milhões, constitui evento de inadimplência e permite que os detentores de títulos invoquem a aceleração simultânea destas notas. Cláusula MAC Restrições a Investimentos Aplicabilidade e Suspensão dos Covenants MAC Material adverse change - Mudança Material Adversa. Nota: Aviso Legal - Os resumos dos covenants refletem a interpretação da Fitch e o sumário das informações que constam nos documentos disponíveis, publicamente identificados na seção Data e Local do Documento de cada um dos quadros de resumo de covenants. A Fitch não pode assegurar que as informações constantes desses documentos sejam precisas ou completas, ou que os resumos dos covenants, ou qualquer resumo de covenant em particular, reflitam de forma precisa e completa os principais termos de cada um desses documentos. As informações apresentadas nos resumos dos covenants são fornecidas nas condições em que se encontram, sem nenhuma representação ou garantia e não substituem informações prestadas aos investidores por um emissor e seus agentes com respeito à venda de títulos. Fonte: Empresa e Fitch Ratings. 9

10 Principais Premissas das Projeções: -- Recebimento de BRL17 bilhões como indenização pela renovação dos ativos de transmissão, a partir de 2016; -- Recebimento de BRL1,4 bilhão da venda da Celg D em 2016; -- Capex (incluindo aporte de capital em subsidiárias) de BRL26 bilhões de 2016 a 2019; -- Ausência de pagamento de dividendos em 2015 e 2016; 25% do lucro líquido a partir de 2017; -- Ausência de aporte de capital pelo governo. Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Histórico Projeções da Fitch 31/12/12 31/12/13 31/12/14 31/12/15 31/12/16 31/12/17 BRL Mi. Resumo da Demonstração dos Resultados Receita Líquida Crescimento da Receita (%) (0,8%) (29,2%) 26,9% 10,7% 5,5% 6,5% EBITDA Operacional ( ) ( ) Margem de EBITDA Operacional (%) (19,4%) (9,7%) 8,1% 5,0% 6,0% 7,5% EBITDAR Operacional ( ) ( ) Margem de EBITDAR Operacional (%) (19,4%) (9,7%) 8,1% 5,0% 6,0% 7,5% Lucro Operacional ( ) ( ) ( ) ( ) Margem do Lucro Operacional (%) (28,9%) (22,5%) (2,4%) (0,5%) 0,3% 1,8% Despesa Bruta com Juros ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Lucro Antes dos Impostos ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Resumo do Balanço Patrimonial Caixa e Equivalentes Dívida Total com Capital Híbrido Dívida Total Ajustada com Capital Híbrido Dívida Líquida Resumo do Fluxo de Caixa EBITDA Operacional ( ) ( ) Despesa Bruta com Juros ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Custo Financeiro Implícito (%) 6,2% 6,0% 9,3% 9,4% 10,1% 10,7% Despesa com Impostos Dividendos Recebidos Menos Dividendos Distribuídos Não Contr Outros Itens Antes dos Recursos das Operações ( ) Recursos das Operações ( ) ( ) ( ) ( ) Margem dos Recursos das Operações (%) 24,9% 25,9% (13,3%) (5,8%) (6,5%) (7,3%) Variação no Capital de Giro ( ) Fluxo de Caixa das Operações (Definido pela Fitch) ( ) ( ) ( ) Fluxo de Caixa Não-Operacional/Não-Recorrente Investimentos no Imobilizado ( ) ( ) ( ) Intensidade de Capital (Investimentos no Imobilizado/ Receita) (%) 21,4% 24,0% 20,4% Dividendos ( ) ( ) ( ) Aquisições e Desinvestimentos, Líquido ( ) ( ) Investimentos, Dividendos, Aquisições & Outros Itens ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Antes do FCF Fluxo de Caixa Livre Após Aquisições & Desinvestimentos ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Margem do Fluxo de Caixa Livre (Após Aquisições Líquidas) (%) (9,1%) (18,3%) (25,4%) (15,5%) (23,6%) (20,9%) Outros Itens do Fluxo de Caixa de Investimento e Financiamento ( ) ( ) Recursos de Dívida, Líquido Recursos de Capital, Líquido Variação do Saldo de Caixa ( ) ( ) (38.426) Índices de Cobertura (x) Cobertura dos Juros pelos Recursos das Operações 4,7 3,8 (0,4) 0,4 0,4 0,4 Cobertura das Cobranças Fixas pelos Recursos das Operações 4,7 3,8 (0,4) 0,4 0,4 0,4 EBITDAR Operacional/(Despesa Bruta com Juros + Despesa com Aluguel) (3,6) (1,2) 0,7 0,4 0,4 0,4 EBITDA Operacional/Despesa Bruta com Juros (3,6) (1,2) 0,7 0,4 0,4 0,4 Índices de Alavancagem (x) Dívida Total Ajustada/EBITDAR Operacional (4,6) (15,8) 17,5 28,5 26,5 22,7 Dívida Líquida Ajustada/EBITDAR Operacional (3,2) (11,6) 15,4 24,4 23,2 20,2 Dívida Total com Capital Híbrido/EBITDA Operacional (4,5) (15,6) 17,4 28,5 26,5 22,7 Alavancagem Ajustada pelos Recursos das Operações 3,4 4,8 (30,9) 28,5 26,5 22,7 Alavancagem Líquida Ajustada pelos Recursos das Operações 2,0 3,0 (104,0) 24,3 23,2 20,2 COMO INTERPRETAR AS PROJEÇÕES APRESENTADAS: As projeções apresentadas se baseiam nas projeções do cenário de rating conservador produzidas internamente na agência. As projeções não representam as estimativas dos emissores classificados. As projeções publicadas acima são apenas um componente utilizado pela Fitch para atribuir um rating ou determinar uma perspectiva de rating. As informações presentes na projeção refletem elementos significativos, porém não totais, das premissas de rating da Fitch para o desempenho financeiro do emissor. Assim, não podem ser usadas para estabelecer um rating e não devem se apoiar neste propósito. As projeções da Fitch são elaboradas com uma ferramenta de propriedade interna, que utiliza as premissas da agência sobre desempenho financeiro e operacional, que podem não refletir as premissas que o leitor faria. As definições próprias da Fitch de termos financeiros, como EBITDA, dívida ou fluxo de caixa livre, podem diferir das do leitor. A Fitch pode obter acesso, periodicamente, a informações confidenciais de elementos de planejamento futuro do emissor. Alguns elementos podem ter sido omitidos destas projeções, mesmo quando incluídos nas deliberações internas da agência, sempre que a Fitch, a seu critério, considerar que os dados possam ser sensíveis em contextos comerciais, legais ou regulatórios. As projeções (assim como a íntegra deste relatório) são produzidas estritamente de acordo com os disclaimers presentes no final deste documento. A Fitch pode atualizar as projeções em relatórios futuros, mas não assume responsabilidade em fazê-lo. Fonte: Dados da companhia, Fitch Ratings. 10

11 A presente publicação não é um relatório de classificação de risco de crédito para os efeitos do artigo 16 da Instrução CVM no 521/12. Os ratings acima foram solicitados pelo, ou em nome do, emissor, e, portanto, a Fitch foi compensada pela avaliação dos ratings. Os ratings de Furnas Centrais Elétricas S.A. não foram solicitados pelo emissor e são fornecidos pela Fitch como um serviço aos investidores. TODOS OS RATINGS DE CRÉDITO DA FITCH ESTÃO SUJEITOS A ALGUMAS LIMITAÇÕES E TERMOS DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE. POR FAVOR, VEJA NO LINK A SEGUIR ESSAS LIMITAÇÕES E TERMOS DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: AS DEFINIÇÕES E TERMOS DE USO DOS RATINGS ESTÃO DISPONÍVEIS NO SITE PÚBLICO DA AGÊNCIA, EM OS RATINGS PÙBLICOS, CRITÉRIOS E METODOLOGIAS PUBLICADOS ESTÃO PERMANENTEMENTE DISPONÍVEIS NESTE SITE. O CÓDIGO DE CONDUTA DA FITCH E POLÍTICAS DE CONFIDENCIALIDADE, CONFLITOS DE INTERESSE; SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO (FIREWALL) DE AFILIADAS, COMPLIANCE E OUTRAS POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS RELEVANTES TAMBÉM ESTÃO DISPONÍVEIS NESTE SITE, NA SEÇÃO "CÓDIGO DE CONDUTA". Copyright 2016 da Fitch, Inc., Fitch Ratings Ltd. e suas subsidiárias. One State Street Plaza, NY, NY Telefone: (para chamadas efetuadas nos Estados Unidos), ou (001212) (chamadas fora dos Estados Unidos). Fax: (212) Proibida a reprodução ou retransmissão, integral ou parcial, exceto quando autorizada. Todos os direitos reservados. Ao atribuir e manter seus ratings, a Fitch conta com informações factuais que recebe de emissores e underwriters e de outras fontes que a agência considera confiáveis. A Fitch executa uma pesquisa razoável das informações factuais de que dispõe, de acordo com suas metodologias de rating, e obtém razoável verificação destas informações de fontes independentes, na medida em que estas fontes estejam disponíveis com determinado patamar de segurança, ou em determinada jurisdição. A forma como é conduzida a investigação factual da Fitch e o escopo da verificação de terceiros que a agência obtém poderão variar, dependendo da natureza do título analisado e do seu emissor, das exigências e práticas na jurisdição em que o título analisado é oferecido e vendido e/ou em que o emitente esteja localizado, da disponibilidade e natureza da informação pública envolvida, do acesso à administração do emissor e seus consultores, da disponibilidade de verificações pré-existentes de terceiros, como relatórios de auditoria, cartas de procedimentos acordadas, avaliações, relatórios atuariais, relatórios de engenharia, pareceres legais e outros relatórios fornecidos por terceiros, disponibilidade de fontes independentes e competentes de verificação, com respeito ao título em particular, ou na jurisdição do emissor, em especial, e a diversos outros fatores. Os usuários dos ratings da Fitch devem estar cientes de que nem uma investigação factual aprofundada, nem qualquer verificação de terceiros poderá assegurar que todas as informações de que a Fitch dispõe com respeito a um rating serão precisas e completas. Em última instância, o emissor e seus consultores são responsáveis pela precisão das informações fornecidas à Fitch e ao mercado ao disponibilizar documentos e outros relatórios. Ao emitir seus ratings, a Fitch é obrigada a confiar no trabalho de especialistas, incluindo auditores independentes, com respeito às demonstrações financeiras, e advogados, com referência a assuntos legais e tributários. Além disso, os ratings são naturalmente prospectivos e incorporam hipóteses e predições sobre eventos futuros que, por sua natureza, não podem ser confirmados como fatos. Como resultado, apesar de qualquer verificação sobre fatos atuais, os ratings podem ser afetados por condições ou eventos futuros não previstos na ocasião em que um rating foi emitido ou afirmado. As informações neste relatório são fornecidas "tal como se apresentam", sem que ofereçam qualquer tipo de garantia. Um rating da Fitch constitui opinião sobre o perfil de crédito de um título. Esta opinião se apoia em critérios e metodologias existentes, que são constantemente avaliados e atualizados pela Fitch. Os ratings são, portanto, resultado de um trabalho de equipe na Fitch, e nenhuma classificação é de responsabilidade exclusiva de um indivíduo, ou de um grupo de indivíduos. O rating não cobre o risco de perdas em função de outros riscos que não sejam o de crédito, a menos que tal risco esteja especificamente mencionado. A Fitch não participa da oferta ou venda de qualquer título. Todos os relatórios da Fitch são de autoria compartilhada. Os profissionais identificados em um relatório da Fitch participaram de sua elaboração, mas não são isoladamente responsáveis pelas opiniões expressas no texto. Os nomes são divulgados apenas para fins de contato. Um relatório que contenha um rating atribuído pela Fitch não constitui um prospecto, nem substitui as informações reunidas, verificadas e apresentadas aos investidores pelo emissor e seus agentes com respeito à venda dos títulos. Os ratings podem ser modificados ou retirados a qualquer tempo, por qualquer razão, a critério exclusivo da Fitch. A agência não oferece aconselhamento de investimentos de qualquer espécie. Os ratings não constituem recomendação de compra, venda ou retenção de qualquer título. Os ratings não comentam a correção dos preços de mercado, a adequação de qualquer título a determinado investidor ou a natureza de isenção de impostos ou taxação sobre pagamentos efetuados com respeito a qualquer título. A Fitch recebe honorários de emissores, seguradores, garantidores, outros coobrigados e underwriters para avaliar os títulos. Estes honorários geralmente variam entre USD1.000 e USD (ou o equivalente em moeda local aplicável) por emissão. Em certos casos, a Fitch analisará todas ou determinado número de emissões efetuadas por um emissor em particular ou seguradas ou garantidas por determinada seguradora ou garantidor, mediante o pagamento de uma única taxa anual. Tais honorários podem variar de USD a USD (ou o equivalente em moeda local aplicável). A atribuição, publicação ou disseminação de um rating pela Fitch não implicará consentimento da Fitch para a utilização de seu nome como especialista, com respeito a qualquer declaração de registro submetida mediante a legislação referente a títulos em vigor nos Estados Unidos da América, a Lei de Serviços Financeiros e Mercados, de 2000, da Grã-Bretanha ou a legislação referente a títulos de qualquer outra jurisdição, em particular. Devido à relativa eficiência da publicação e distribuição por meios eletrônicos, a pesquisa da Fitch poderá ser disponibilizada para os assinantes eletrônicos até três dias antes do acesso para os assinantes dos impressos. 11

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva 13 Fev 2015 17h00 Fitch Ratings - Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2015: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo

Leia mais

FITCH AFIRMA RATINGS DA CPFL ENERGIA E DE SUAS SUBSIDIÁRIAS EM AA(BRA) ; PERSPECTIVA NEGATIVA

FITCH AFIRMA RATINGS DA CPFL ENERGIA E DE SUAS SUBSIDIÁRIAS EM AA(BRA) ; PERSPECTIVA NEGATIVA FITCH AFIRMA RATINGS DA CPFL ENERGIA E DE SUAS SUBSIDIÁRIAS EM AA(BRA) ; PERSPECTIVA NEGATIVA Fitch Ratings-Sao Paulo-17 June 2016: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)'

Leia mais

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Ratings - Rio de Janeiro, xx de outubro de 2015: A Fitch Ratings publicou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo A-(bra) (A menos(bra))

Leia mais

Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável

Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável Fitch Ratings Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2014: A Fitch Ratings rebaixou, hoje, o Rating Nacional de Longo

Leia mais

Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva 27 Jan 2014 17h04 São Paulo/Rio de Janeiro, 27 de Janeiro de 2014 A Fitch Ratings afirmou os ratings do Banco BTG Pactual S.A.

Leia mais

Finanças Estruturadas

Finanças Estruturadas z Finanças Estruturadas ABS / Brasil Séries 2011-10 e 2011-11 Relatório de Rating Preliminar Conteúdo Sumário da Transação 1 Fundamentos do Rating 1 Sensibilidade do Rating 2 Análise de Dados 2 Transação

Leia mais

Finanças Estruturadas

Finanças Estruturadas z Finanças Estruturadas ABS / Brasil Séries 2012-19 e 2012-20 Relatório de Rating Preliminar Conteúdo Estrutura de Capital 1 Resumo da Transação 1 Fundamentos do Rating 1 Sensibilidade do Rating 2 Análise

Leia mais

Fundamentos do Rating. Fatores de Evolução do Rating. www.fitchratings.com.br 13 de Outubro de 2009

Fundamentos do Rating. Fatores de Evolução do Rating. www.fitchratings.com.br 13 de Outubro de 2009 Brasil Relatório Sintético Ratings Ratings Atuais Moeda Estrangeira IDR de Longo Prazo - IDR de Curto Prazo - Moeda Local IDR de Longo Prazo - IDR de Curto Prazo - Nacional Longo Prazo Curto Prazo Individual

Leia mais

Corporates. Contax Participações S.A. Contact Center/Brasill. Relatório Analítico. Principais Fundamentos dos Ratings. Sensibilidade dos Ratings

Corporates. Contax Participações S.A. Contact Center/Brasill. Relatório Analítico. Principais Fundamentos dos Ratings. Sensibilidade dos Ratings Contact Center/Brasill Relatório Analítico Ratings Nacional Rating de Longo Prazo AA(bra) 1ª Emissão de Debêntures AA(bra) Perspectiva Rating Nacional de Longo Prazo Estável Dados Financeiros Contax Participacoes

Leia mais

Analista principal: Alejandro Gomez Abente, São Paulo, 55 (11) 3039-9741, alejandro.gomez.abente@standardandpoors.com

Analista principal: Alejandro Gomez Abente, São Paulo, 55 (11) 3039-9741, alejandro.gomez.abente@standardandpoors.com Data de Publicação: 14 de novembro de 2013 Comunicado à Imprensa Ratings da Cemig elevados para 'BB+' na escala global e para 'braa+' na Escala Nacional Brasil por perfil de risco de negócios mais forte;

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Global Infrastructure & Project Finance

Global Infrastructure & Project Finance Relatório de Pré-Distribuição Energia / Brasil Ratings Novas Emissões BRL211.500.000 3ª Emissão de Debêntures AA+(bra) Perspectiva Estável Pesquisa Relacionada Completion Risk in Project Finance (16 de

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

Ratings 'braaa' da Elektro Eletricidade e Serviços S.A. reafirmados refletindo sua forte performance financeira e operacional; Perspectiva estável

Ratings 'braaa' da Elektro Eletricidade e Serviços S.A. reafirmados refletindo sua forte performance financeira e operacional; Perspectiva estável Data de Publicação: 3 de julho de 2014 Comunicado à Imprensa Ratings 'braaa' da Elektro Eletricidade e Serviços S.A. reafirmados refletindo sua forte performance financeira e operacional; Perspectiva estável

Leia mais

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox Vice Presidente de Finanças e Diretor de Relações com Investidores jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores

Leia mais

Ratings 'bra' da Companhia de Locação das Américas S.A. reafirmados; perspectiva estável

Ratings 'bra' da Companhia de Locação das Américas S.A. reafirmados; perspectiva estável Data de Publicação: 2 de abril de 2015 Comunicado à Imprensa Ratings 'bra' da Companhia de Locação das Américas S.A. reafirmados; perspectiva estável Analista principal: Marcus Fernandes, São Paulo, 55

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL

Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL 6ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. - ENERSUL 6ª

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T14

Apresentação de Resultados 3T14 Apresentação de Resultados 3T14 Destaques do Período Início da operação comercial dos parques do LER 2009 Maior complexo de energia eólica da América Latina: 14 parques, 184 aerogeradores, 294,4 MW de

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos, constituída sob a forma de condomínio que reúne recursos de vários investidores para aplicar em uma carteira diversificada de ativos financeiros. Ao aplicarem

Leia mais

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A.

Eólica Faísa V Geração e Comercialização de Energia Elétrica S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2012 2011 Passivo e patrimônio líquido 2012 2011 (Não auditado) (Não auditado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 415 7 Fornecedores

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

Política de Gestão de Risco Financeiro

Política de Gestão de Risco Financeiro Política de Gestão de Risco Financeiro Índice Introdução... 2 Objetivos... 2 Atribuições... 3 Descrição dos riscos financeiros... 4 Exposição às flutuações das taxas de juros... 4 Exposição às variações

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios da Companhia Pernambucana de Saneamento - Compesa Data

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento Ações Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de 2014 com Relatório dos Auditores

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 KPMG Auditores Independentes Agosto de 2013 Relatório dos auditores

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 534, DE 29 DE JANEIRO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 02 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES Introdução Em abril de 2009, a Fitch Ratings modificou a estrutura dos demonstrativos sintéticos que acompanham os relatórios dos bancos analisados, adotando um novo

Leia mais

Ratings 'BBB-' e 'braaa' da Localiza Rent a Car S.A. reafirmados por fortes métricas de crédito; Perspectiva estável

Ratings 'BBB-' e 'braaa' da Localiza Rent a Car S.A. reafirmados por fortes métricas de crédito; Perspectiva estável Data de Publicação: 10 de maio de 2013 Comunicado à Imprensa Ratings 'BBB-' e 'braaa' da Localiza Rent a Car S.A. reafirmados por fortes métricas de crédito; Perspectiva estável Analista principal: Marcus

Leia mais

Finanças Estruturadas

Finanças Estruturadas FOR DISTRIBUTION ONLY Finanças Estruturadas Editor: XXX RB Capital Companhia de Securitização Séries 2012-69 Relatório de Rating Preliminar Neste Relatório Página Resumo da Transação 1 Fundamentos dos

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015

RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 RESULTADOS 1T15 Teleconferência 8 de maio de 2015 Aviso Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Global Infrastructure & Project Finance. Termelétrica Pernambuco III S.A. Relatório de Pré-distribuição. Estrutura da Dívida. Resumo da Transação

Global Infrastructure & Project Finance. Termelétrica Pernambuco III S.A. Relatório de Pré-distribuição. Estrutura da Dívida. Resumo da Transação Termelétrica Pernambuco III S.A. Energia / Brasil Relatório de Pré-distribuição Ratings Novas Emissões BRL300.000.000 1ª Emissão de Debêntures AA+(exp)(bra) Perspectiva Estável Estrutura da Dívida Espécie

Leia mais

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012 Índice Página Relatório dos auditores

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 80 Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Parecer dos Auditores Independentes 81 Aos Acionistas da Inepar Telecomunicações S.A Curitiba - PR 1. Examinamos

Leia mais

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO Uberlândia MG, Maio de 2013 A Algar Telecom, Companhia completa e integrada de telecomunicações e TI, detentora da marca CTBC, divulga seus resultados do 1º Trimestre

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO Explicativas CIRCULANTE 63.224 47.422 Disponibilidades 423 429 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 31.991 23.380 Relações Interdependências

Leia mais

Destaques do 3º trimestre de 2015

Destaques do 3º trimestre de 2015 Destaques do 3º trimestre Principais Destaques Manutenção dos níveis de EBITDA consolidado e de margem EBITDA, apesar da sobreoferta de aço mundial e das adversidades econômicas no Brasil. Redução de 5,9%

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

Mensagem da Administradora

Mensagem da Administradora Mensagem da Administradora Prezados Cotistas: Submetemos à apreciação de V.S.as. a demonstração da composição e diversificação das aplicações da CSN Invest Fundo de Investimento em Ações, em 31 de dezembro

Leia mais

Análise Setorial. Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3)

Análise Setorial. Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3) Análise Setorial Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3) A Sabesp divulgou ontem (09/05/2013, após o encerramento do mercado, seus números referentes ao primeiro trimestre de 2013. O

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2010 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. ÍNDICE 1. Relatório dos Auditores Independentes 03

Leia mais

Contato RI. Teleconferência de Resultados do 2T06

Contato RI. Teleconferência de Resultados do 2T06 29 de Agosto de 2006 - GP Investments, Ltd ( GP Investments ou Companhia ) [BOVESPA: GPIV11], um dos líderes no mercado de private equity no Brasil anuncia um lucro líquido de US$4,9 milhões e receitas

Leia mais

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores Resultados do 2T08 Uberlândia MG, Agosto de 2008 A CTBC Companhia de Telecomunicações do Brasil Central S.A, empresa integrada de telecomunicações com um portfólio completo de serviços, divulga seus resultados

Leia mais

Política de Investimentos 2015 a 2019 Plano DE GESTÃO AdministrativA

Política de Investimentos 2015 a 2019 Plano DE GESTÃO AdministrativA Sociedade Previdenciária DuPont do Brasil Política de Investimentos 2015 a 2019 Plano DE GESTÃO AdministrativA 1 Sociedade Previdenciária DuPont do Brasil 2 Regulamento do Plano Administrativo Duprev ÍNDICE

Leia mais

INFORME INFRA-ESTRUTURA

INFORME INFRA-ESTRUTURA INFORME INFRA-ESTRUTURA BNDES FINAME BNDESPAR ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA AGOSTO/01 Nº 57 O Apoio do BNDES ao Setor Elétrico Ao longo da década de 90, o volume de recursos do BNDES destinados ao

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040 Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040 ALERTA GRÁFICO Entidade Gestora: T-Vida, Companhia de Seguros,

Leia mais

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5

Relatório dos Auditores Independentes... 3. Relatório do Comitê de Auditoria... 4. Demonstração Consolidada do Resultado... 5 Demonstrações Contábeis Consolidadas de acordo com as Normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB 2014 Bradesco 1 Sumário oação de

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA

Leia mais

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045 Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045 ALERTA GRÁFICO Entidade Gestora: T-Vida, Companhia

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 19.098 15.444 Disponibilidades 98 90 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 13.053 9.797 Operações de Crédito 6 5.760 5.518 Outros

Leia mais

Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial

Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Associado à Fundação Armando Alvares Penteado Rua Ceará 2 São Paulo, Brasil 01243-010 Fones 3824-9633/826-0103/214-4454 Fax 825-2637/ngall@uol.com.br O Acordo

Leia mais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais

OER Caçu Energia S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais . Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo 2013 Passivo e patrimônio líquido (passivo a descoberto) 2013 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 200 Empréstimos e

Leia mais

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Companhia de Bebidas das Américas - AMBEV 1ª Emissão de Debêntures Relatório

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21

Data-Base - 31/03/1999 01763-9 TELE CELULAR SUL PARTICIPAÇÕES S.A. 02.558.115/0001-21 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Data-Base - 31/3/1999 Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA,

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D

EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D EARNINGS RELEASE 2008 e 4T08 Cemig D (Em milhões de reais, exceto se indicado de outra forma) --------- Lucro do Período A Cemig Distribuição apresentou, no exercício de 2008, um lucro líquido de R$709

Leia mais

Standard & Poor's reafirma rating 'braa+f' do Fundo Safra Executive FIC FI Renda Fixa (antigo Safra Executive FI Renda Fixa)

Standard & Poor's reafirma rating 'braa+f' do Fundo Safra Executive FIC FI Renda Fixa (antigo Safra Executive FI Renda Fixa) Data de Publicação: 25 de novembro de 2013 Comunicado à Imprensa Standard & Poor's reafirma rating 'braa+f' do Fundo Safra Executive FIC FI Renda Fixa (antigo Safra Executive FI Renda Fixa) Analista principal:

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento DI Institucional Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20)

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS. 31 de dezembro de 2013 e de 2012.

Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS. 31 de dezembro de 2013 e de 2012. Demonstrações Financeiras Consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2013 e de 2012. 1 Índice Balanço Patrimonial...3 Demonstração dos resultados dos exercícios...4 Demonstração das mutações do patrimônio

Leia mais

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015

Demonstrações financeiras intermediárias em 30 de junho de 2015 Demonstrações financeiras intermediárias em KPDS 134230 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras intermediárias 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações dos resultados

Leia mais

Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime Longo Prazo (CNPJ n 08.252.576/0001-58) (Administrado pelo Banco

Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime Longo Prazo (CNPJ n 08.252.576/0001-58) (Administrado pelo Banco Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime (CNPJ n 08.252.576/0001-58) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e de 2011 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO BRB FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM RENDA FIXA DI LONGO PRAZO 500 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Competência: 19/01/2016 CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures BROFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Brookfield Incorporações S.A. 3ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2015 está demonstrando ser muito desafiador, apresentando um cenário macroeconômico incerto, onde as expectativas do mercado preveem redução do PIB, aumento da inflação e da taxa

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 15 Rendimentos a distribuir 412 366 Aplicações financeiras de renda fixa 28 8

Leia mais

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro

Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro Faculdade Atenas Maranhense - FAMA Professor: Esp. CLEIDIANA SACCHETTO Curso: Ciências Contábeis. Disciplina: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Entrega dia 30 de Novembro DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DA OCDE

MELHORES PRÁTICAS DA OCDE MELHORES PRÁTICAS DA OCDE PARA A TRANSPARÊNCIA ORÇAMENTÁRIA INTRODUÇÃO A relação entre a boa governança e melhores resultados econômicos e sociais é cada vez mais reconhecida. A transparência abertura

Leia mais

Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil

Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil Sumário Executivo Este documento oferece uma análise factual sobre a composição da tarifa de energia elétrica, os fatores que levam à variação de cada

Leia mais

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões.

Outras Receitas (Despesas) Operacionais A tabela a seguir detalha os principais itens desta rubrica, em R$ milhões. Desempenho Operacional e Financeiro Consolidado As informações contidas neste comunicado são apresentadas em Reais e foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem

Leia mais

Sustentabilidade da Dívida Brasileira (Parte 2)

Sustentabilidade da Dívida Brasileira (Parte 2) 36 temas de economia aplicada Sustentabilidade da Dívida Brasileira (Parte 2) Raí Chicoli (*) Este é o segundo de uma série de três artigos que tratarão do tema da sustentabilidade da dívida brasileira.

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 11.363 8.987 Disponibilidades 30 37 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 8.069 6.136 Operações de Crédito

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício 2008 1 RELATÓRIO ANUAL

Leia mais

Resultados 2014 Fevereiro, 2015

Resultados 2014 Fevereiro, 2015 Resultados Fevereiro, 2015 Destaques do e Afluência na região SE/CO em de 69% da MLT 1 (vs. 102% em ) Hidrologia Nível de reservatórios das usinas da AES Tietê encerraram em 34,7% vs. 51,1% em Rebaixamento

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII Data de Publicação: 29 de novembro de 2013 Relatório de Monitoramento Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Omni Veículos - VII Perfil Ativos subjacentes: financiamentos de veículos novos ou usados

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de julho de 2014 KPDS 96085

Demonstrações financeiras em 31 de julho de 2014 KPDS 96085 Brasil Plural BBDC Feeder Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento CNPJ nº 18.602.310/0001-41 (Administrado pela BEM Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.) Demonstrações

Leia mais

FATOR PORTFOLIO VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

FATOR PORTFOLIO VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FATOR PORTFOLIO VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO Data da Competência: Mai/16 ESTE FORMULÁRIO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2015 - DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais