Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PLHIS CUBATÃO AUDIÊNCIA PÚBLICAP MAIO

2 O Processo de Elaboração do PLHIS ETAPA ETAPA I - Proposta Metodológica Novembro de 2008 EXEMPLOS DE PRODUTOS E ATIVIDADES - CHAVES Oficina de Capacitações e pactuação da metodologia com técnicos da administração (1 Oficina) Atividade com representantes da população para discutir/construir/aprovar proposta metodológicas (Conselho de Habitação) Elaboração Texto da Proposta Metodológica ETAPA II - Diagnóstico do Setor Habitacional Dezembro de 2008 a Abril de 2009 Levantamento e sistematização de dados Atividade com agentes da administração acerca dos dados e formulação do Diagnóstico (1 Oficina) Atividades Abertas com a população: 2 Debates Temáticos Atividade com representantes da população para discutir/construir Diagnóstico Compartilhado (1º Fórum) Texto com Diagnóstico contendo avaliação de dados e indicadores sobre a questão habitacional ETAPA III Plano de Ação Maio a Julho de 2009 Atividades Técnicas com agentes da administração acerca das propostas e orçamento e formulação do Plano (2 Oficinas) Atividades com representantes da população para discutir/construir Plano de Ação (2º e 3º Fórum) Texto com Plano Local de Habitação de Interesse Social

3 Déficit Habitacional (Quantitativo) Cubatão - Dez 2008 Déficit Habitacional Nº de domicílios(1) Fonte: IBGE, Censo 2000 e PMC 2006/2007 e Cobrape 2008 (1) Atualizado para 2008 pelo crescimento geométrico anual 2000 a 2007 = 1,53 aa (2) 3,29 pessoas por domicílio (Contagem Censo 2007 para Cubatão) População(2) 1. Domicílios com construção precária Domicílios com coabitação Domicílios improvisados Domicílios a serem repostos por depreciação Incremento pelo crescimento demográfico vegetativo Incremento pelo crescimento demográfico migratório SUB-TOTAL DÉFICIT NÃO VINCULADO A ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS ( 6) Domicílios a serem relocados por estar em áreas ou situação de risco (PMRR) Risco físico mapeado pelo PMRR Risco Estimado de 15% em todas as outras áreas, exceto as que tem projeto em andamento Domicílios a serem relocados por determinação legal ou por desadensamento de áreas a serem urbanizadas SUB-TOTAL DÉFICIT/ VINCULADO A ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS (7 e 8 - REMOÇÕES) Total Geral Déficit Quantitativo em Cubatão ( 8):

4 Inadequação Habitacional Cubatão - Dez 2008 Inadequação Habitacional Nº de domicílios(*) População(**) 1. Domicílios sem abastecimento de água e rede interna Domicílios sem esgotamento sanitário, rede geral ou fossa séptica Domicílios sem unidade sanitária interna Domicílios sem energia elétrica Domicílios sem coleta de lixo domiciliar Domicílios com adensamento excessivo Domicílios com inadequação fundiária urbana a) Loteamento irregular (2007) a) Conjunto habitacional irregular (2007) b) Favelas (***) (2009) c) Domicílios irregulares em loteamentos regulares (****) (2007) 8. Domicílios com depreciação Fonte: IBGE, Censo de 2000 PMC e Cobrape (*) Estimativa de domicílios em 2006, aplicando-se o incremento de 3,2565 ao ano (**) Número obtido a partir da média de moradores por domicílio para Cubatão (igual a 3,29) da Contagem do Censo de 2007 (IBGE). (***) Número de moradias obtido a partir dos dados da PMC/Cobrape para áreas subnormais. (****) DCIM Divisão de Cadastro Imobiliário/PMC Dez lançamentos de IPTU residenciais

5 Programas Públicos em Andamento em Fevereiro 2009 Previsão de início da obra OIS em Junho Nome Habitar Brasil- BID - Bolsão IX Bolsão IX/Vila Esperança Vila dos Pescadores Vila Esperança/ CAIC Jardim Casqueiro Bairro Cota/Bolsão IX/ Bolsão VII/ Casquerio n.º de unida des habita cionais 160 apartamentos 940 apartamentos (*) (*) Tipologia Agente Promotor Fase atual Urbanização e apartamentos Urbanização e construção/ relocação interna 660 apartamentos Apartamentos, e moradias unifamiliares PMC Governo Federal/Habitar BID PMC/MCidadesPrograma FNHIS 2006 PMC/Mcidades/BIRD PMC/MCidades/Programa PAC Habitação CDHU/MCidades/PAC Habitação Programa Serra do Mar PMC/ CDHU /MCidades /PAC Habitação/ Caixa Econômica Federal Obras executadas Obras em execução Desenvolvendo projetos Projetos Terceira e Quarta Etapas em elaboração pela PMC (Primeira Etapa em Licitação e Segunda Etapa em aprovação) Projeto em elaboração pela CDHU Projetos em elaboração pela CDHU 2008 Bairros Cota (Cota 95/100, Cota 200, Pinhal do Miranda) Urbanização Programa Serra do Mar CDHU/ Secretaria de Meio Ambiente/ MCidades/PAC Habitação Projetos em elaboração pela CDHU (*) O número se refere ao número de moradias estimado nos núcleos e não ao de unidades habitacionais a serem geradas

6 Recursos Habitação - CUBATÃO Programas Agente Promotor uhs n Famílias beneficiadas urbanização e reass. na própria área Total Investimento Governo do Estado de São Paulo Governo Federal SH/CDHU SABESP PAC FNHIS Prefeitura Municipal de Cubatão BIRD Outras Fontes (Concessio ( CPFL nár.: 2436 Recuperação Socioambiental da Serra do Mar SH/ CDHU , Vila Esperança PM CUBATÃO , , Projeto Guará- Vermelho PM CUBATÃO , Totais % Participação nos recursos por agente Total de famílias beneficiadas , % 0,5% 25,7% 1,9% 7,9% 7,1% 0,1%

7 Com a urbanização/reassentamento das populações da: Cota 200 Cota 400/500 Cota 95/100 Pinhal do Miranda/Grotão Fábrica de Sardinha/Pilões Sítio dos Queiróz Água Fria Vila Esperança/CAIC Vila dos Pescadores Ficam solucionadas moradias em favelas, 91% do total de moradias em favelas Resta solucionar o problema das outras irregularidades (conjuntos, loteamentos, construções) além das moradias restantes em favelas e garantir oferta de moradia para população de baixa e média renda

8 Necessidade de Terrenos Ação Atendimento n.º de unidades(*) M² (***) Corretiva Assentamentos Desordenados Prioridade 1 Vila Esperança, Vila CAIC, Vila dos Pescadores, Papelão/São Marcos (**) Assentamentos Desordenados Prioridade 2 Cota 500, Cota 400, Cota 200, Cota 95/100, Pinhal do Miranda e Grotão e Sítio dos Queirozes, Assentamentos Desordenados Prioridade 3 Água Fria, Fábrica de Sardinha (**) (computado no anterior) (**) Assentamentos Desordenados Prioridade 4 Costa Moniz, Pista Ascendente, Vila Noel, Mantiqueira, Hospital Ana Costa Assentamentos Desordenados prioridade não definida Vila São José, Bolsão VII, Invasões Caraguatá, Pista Descendente, Varandas, Posto Paulínia TOTAL 1 Poder Público De Provisão Setor Público e Privado (déficit) TOTAL 2 (assentamentos precários + déficit) (*) Para esse cálculo foram computadas as unidades a serem removidas em assentamentos com diretriz de remoção integral e 20% das unidades relocadas por motivos de desadensamento ou melhoria habitacional, estimando-se que as restantes 80% serão relocadas no assentamento. (**) Considerou-se que nesses assentamentos o terreno já está disponibilizado Elaboração: Política Municipal de Habitação PMC/Multisetorial, 2007 Atualizado para Urbis (***)Considerando-se que cada moradia utilizará 72 m² do território, que como já dissemos, é um cálculo que parte da experiência do Conjunto Habitacional Imigrantes/Vila Esperança.

9 Custos Médios M Unitários das Alternativas Habitacionais PLANHAB Custos médios por família/tipo de intervenção: Construção de Uhs no local: RS ,00 Unidades verticalizadas: RS ,00 Urbanização complexa: RS ,00 Urbanização simples: RS 5.500,00 Lotes urbanizados: RS 7.000,00/RS 9.000,00 Regularização Fundiária: RS 300,00 Trabalho social: RS 300,00 PLANHAB Padrão de Referência de Custo (*) (*) : Lote Urbanizado: R$ ,47 Lote+Mat.Construção+Ass.Técnica (32m 2 ) R$ ,33 Mat. Construção+Ass. Técnica (32m 2 ) R$ 6.060,86 Unidade Pronta (apto 45,8 m 2 ) R$ ,16 ( de2006 (*) Para Municípios Tipo A Alto Custo Tabela 1 Produto 5 Página (R$ de (*)

10 Custos Unitários de Obras e Ações A por Tipologia de Intervenção - CUBATÃO

11 Custos Unitários de Obras e Ações A por Tipologia de Produção Habitacional CUBATÃO PRODUÇÃO HABITACIONAL Tipologia Embrião Edificação da Unidade Habitacional R$ ,00 Obras de Infra-estrutura (por unidade) R$ 6.000,00 Trabalho Social R$ 800,00 Regularização Fundiária R$ 300,00 Subtotal Tipologia Embrião (desconsiderando valor do ( terreno R$ ,00 Tipologia 2 Pavimentos sobreposta 50m² Edificação da Unidade Habitacional R$ ,00 Obras de Infra-estrutura (por unidade) R$ ,00 Trabalho Social R$ 800,00 Regularização Fundiária R$ 300,00 Subtotal Tipologia 2 Pavimentos (desconsiderando valor do ( terreno R$ ,00 Tipologia Verticalizada 50m² Edificação da Unidade Habitacional R$ ,00 Obras de Infra-estrutura (por unidade) R$ ,00 Trabalho Social R$ 800,00 Regularização Fundiária R$ 300,00 Subtotal Tipologia 2 Pavimentos (desconsiderando valor do ( terreno R$ ,00 REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA ESPECÍFICA (urbanística, fundiária e ( jurídico-cartorial Estudos e Levantamentos de Regularização Urbanístico-Fundiária R$ 400,00 Despesas de Regularização jurídico-cartorial R$ 300,00 Trabalho Social R$ 300,00 Subtotal Regularização Fundiária Específica R$ 1.000,00

12 Projeção de Demanda Futura Número de Domicílios no Município* Em 2010: Em 2030: Crescimento ( ): 49,43% Novas moradias por ano/média: ** Número de Domicílios Deficit *** * Revisão e Atualização Plano Diretor de Abastecimento de Água Região Metropolitana ( Sabesp Baixada Santista (Superintendência Regional da ** Dados quadro Deficit Habitacional ***Percentual de 8,38% do numero de domicílios. Percentual calculo pela relação de déficit e ( domicílios domicilio em 2008 ( 3101 e

13 Recursos Necessários para Atendimento das Necessidades Habitacionais PROGRAMA Valor Estimado por Família no Programa LPA Programa de Urbanização de Assentamentos Precários e Irregulares e Reassentamento de Moradias localizadas em áreas de Risco e de Preservação Permanente Promover a urbanização dos 91% domicílios (famílias) localizados nos Assentamentos Precários e Irregulares e Reassentamento de Moradias localizadas em áreas de Risco e de Preservação Permanente em 6 anos (até 2015) Promover a urbanização e dos 100% -09% restante - domicílios localizados nos Assentamentos Precários e Irregulares e Reassentamento de Moradias localizadas em áreas de Risco e de Preservação Permanente em 3 anos (até 2018) No. de Família no Programa R$ ,00 (Sem Produção Habitacional) / Urbanização Complexa (2.436 S. do Mar) (5.037 V. Esperança) (3.800 Guará Vermelho) (1.622 que restam em favela menos 244 domicílios) Valor Total para o Programa Contemplado pelos projetos FNHIS, PAC e Guará Vermelho R$ ,00

14 Recursos Necessários para Atendimento das Necessidades Habitacionais PROGRAMA LPA Programa de Oferta de Alternativas de Moradia para o atendimento da demanda Parceria com o Setor Público Atender 96% do déficit vinculado a reassentamento em 6 anos (até 2015) Atender 100% - 04% restante - do déficit vinculado a reassentamento em 3 anos (até 2018) Valor Estimado por Família no Programa R$ ,00 Tipologia Embrião ( terreno 40 m² (sem R$ ,00 Tipologia sobreposta No. de Família no Programa Valor Total para o Programa Contemplado pelos projetos FNHIS,PAC e Guará Vermelho 244 R$ , R$ ,00 ( terreno 50 m² (sem R$ , R$ ,00 Tipologia Verticalizada ( terreno 50 m² (sem

15 Recursos Necessários para Atendimento das Necessidades Habitacionais PROGRAMA LPA Programa de Oferta de Alternativas de Moradia para o atendimento da demanda Parceria Comunidade/ Autogestão Atender 50% do déficit não vinculado a assentamento precário atendido por autogestão em 8 anos (até 2017) Atender 100% - 50% restante - do déficit não vinculado a assentamento precário atendido por autogestão em 8 anos (até 2025) Valor Estimado por Família no Programa R$ ,00 Tipologia Embrião No. de Família no Programa Valor Total para o Programa 388 R$ ,00 ( terreno 40m² (sem R$ , R$ ,00 Tipologia sobreposta ( terreno 50m² (sem R$ , R$ ,00 Tipologia Verticalizada ( terreno 50m² (sem R$ , R$ ,00 R$ , R$ ,00 R$ , R$ ,00 Déficit Não Vinculado a Assentamento Precário (Quadro Déficit Habitacional ) em 2008 = Solução por autogestão: 25%, correspondendo a 775, onde 50% = 388 domicílios

16 Recursos Necessários para Atendimento das Necessidades Habitacionais PROGRAMA Valor Estimado por Família no Programa No. de Família no Programa Valor Total para o Programa LPA Programa de Oferta de Alternativas de Moradia para o atendimento da demanda Parceria Setor Privado Atender 25% do déficit não vinculado a assentamento precário atendido pelo setor privado (PMCMV) em 2 anos (até 2011) Atender 100% - 75% restante- do déficit não vinculado a assentamento precário atendido pelo setor privado em 8 anos (até 2019) Atendimento % futuraprojeção (até 2025) R$ ,00 Tipologia sobreposta ( terreno 50 m² (sem R$58.100,00 Tipologia Verticalizada ( terreno 50 m² (sem R$ ,00 Habitação de mercado de cerca de 60m2 R$ ,00 Habitação de mercado de cerca de 60m2 600 R$ , R$ , R$ , R$ ,00 Déficit Não Vinculado a Assentamento Precário (Quadro Déficit Habitacional ) em 2008 = Solução por setor privado: 75% correspondendo a 2.326, onde 25% =600 domicílios (Programa minha Casa minha Vida) e 75% = domicílios Projeção do déficit não vinculado a assentamento precário (2025) = domicílios = 1490

17 LPA 1 - Linha Programática e de Atendimento para Integração Urbana de Assentamentos Precários e Informais LPA Programa de Urbanização de Assentamentos Precários e Irregulares e Reassentamento de Moradias localizadas em áreas de Risco e de Preservação Permanente Promover a urbanização dos 91% domicílios (famílias) localizados nos Assentamentos Precários e Irregulares e Reassentamento de Moradias localizadas em áreas de Risco e de Preservação Permanente em 6 anos (até 2015) Promover a urbanização e dos 100% - 09% restante -domicílios localizados nos Assentamentos Precários e Irregulares e Reassentamento de Moradias localizadas em áreas de Risco e de Preservação Permanente em 3 anos (até 2018) X Número de domicílios urbanizados X Número de domicílios urbanizados

18 LPA 1 - Linha Programática e de Atendimento para Integração Urbana de Assentamentos Precários e Informais LPA Programa de Regularização Fundiária de Assentamentos Irregulares Consolidáveis e Loteamentos e Conjuntos Habitacionais Públicos Promover a Regularização Fundiária de 30% dos domicílios localizados em Assentamentos Irregulares Consolidáveis em 06 anos (até 2015) Promover a Regularização Fundiária de 100% - 70% restante- dos domicílios localizados em Assentamentos Irregulares Consolidáveis e Loteamentos em 10 anos ( até 2025) Promover a Regularização Fundiária de 100% - dos domicílios localizados em Conjuntos Habitacionais Públicos em em 03 anos (até 2012) X Número de domicílios regularizados X Número de domicílios regularizados X Número de domicílios regularizados

19 LPA 1 - Linha Programática e de Atendimento para Integração Urbana de Assentamentos Precários e Informais LPA Plano Municipal de Redução de Risco (2007) Eliminar a situação de risco de 50% das famílias que habitam nas áreas de risco em 6 anos (até 2015) Eliminar a situação de risco de 100% - 50% restante - das famílias que habitam nas áreas de risco em 10 anos (até 2025) X Número de domicílios fora da situação risco X Número de domicílios fora da situação risco

20 LPA 1 - Linha Programática e de Atendimento para Integração Urbana de Assentamentos Precários e Informais LPA Programa de Ampliação de Infra-estrutura de Saneamento Básico em Loteamentos, Bairros e Assentamentos Irregulares Consolidáveis Ampliar em 50% a infra-estrutura de Saneamento Básico em Loteamentos, Bairros e Assentamentos Irregulares Consolidáveis em 6 anos (até 2015) Ampliar em 100% - 50% restante - a infra-estrutura de Saneamento Básico em Loteamentos, Bairros e Assentamentos Irregulares Consolidáveis em 10 anos (até 2025) Infra-estrutura ampliada Infra-estrutura ampliada

21 LPA 1 - Linha Programática e de Atendimento para Integração Urbana de Assentamentos Precários e Informais LPA Programa de Atendimento a Situações de Emergências Regulamentar e Implementar 100% do Programa em 2 anos( até 2011) Programa Permanente Programa implantado com aplicação eficiente e eficaz.

22 LPA 2 - Linha Programática e de Atendimento para Produção e Aquisição da Habitação LPA Programa de Oferta de Alternativas de Moradia para o atendimento da demanda Parceria com o Setor Público Atender 96% do déficit vinculado a reassentamento em 6 anos (até 2015) X Número vinculado a reassentamento atendido Atender 100% - 04% restante - do déficit vinculado a reassentamento em 3 anos (até 2018) X Número vinculado a reassentamento atendido

23 LPA 2 - Linha Programática e de Atendimento para Produção e Aquisição da Habitação LPA Programa de Oferta de Alternativas de Moradia para o atendimento da demanda Parceria Comunidade/Autogestão Atender 50% do déficit não vinculado a assentamento precário atendido por autogestão em 8 anos (até 2017) Atender 100% - 50% restante - do déficit não vinculado a assentamento precário atendido por autogestão em 8 anos (até 2025) X Número não vinculado a assentamento precário atendido X Número não vinculado assentamento precário

24 LPA 2 - Linha Programática e de Atendimento para Produção e Aquisição da Habitação LPA Programa de Oferta de Alternativas de Moradia para o atendimento da demanda Parceria Setor Privado Atender 25% do déficit não vinculado a assentamento precário atendido pelo setor privado (PMCMV) em 2 anos (até 2011) Atender 100% - 75% restante- do déficit não vinculado a assentamento precário atendido pelo setor privado em 8 anos (até 2019) Atendimento demanda futuraprojeção (até 2025) X Número não vinculado a assentamento precário atendido X Número não vinculado a assentamento precário atendido X Número não vinculado a assentamento precário atendido.

25 LPA 3 - Linha Programática e de Atendimento para Melhoria Habitacional LPA Programa de Melhorias Habitacionais Regulamentar e Implementar 100% do Programa em 4 anos (até 2013) Programa implementado com aplicação eficiente e eficaz

26 LPA 4 - Linha Programática e de Atendimento para Assistência Técnica LPA Programa de Assistência Técnica e Jurídica à Reg. de Construções e à Moradia Econômica/ Autoconstrução Regulamentar e Implementar 100% do Programa em 1 ano (até 2010) Programa Permanente Programa implementado com aplicação eficiente e eficaz

27 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA Estruturação e Aparelhamento do Setor Responsável pela Habitação Estruturar plenamente o setor em 3 anos (até 2012) Parcial: Estruturar Equipe Técnica em 01 ano (até 2010) Setor estruturado

28 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA Programa Integrado de Fiscalização de Uso e Ocupação do Solo e Controle de Áreas Ocupadas e passíveis de Ocupação Elaborar o Programa e seus normativos em 2 anos (até 2011) Estruturar plenamente a equipe e implementar o Programa em 3 anos ( até 2012) Programa Permanente Programa elaborado Equipe estruturada e Programa implementado

29 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA 5.3 Funcionamento do Conselho Municipal de Habitação e da Sistemática de Participação Direta (Encontros/ Conferências) Implementar a Sistemática de participação em 01 ano (até 2010) Programa Permanente Sistemática implementada

30 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA Implantação e Acompanhamento do Fundo Municipal de Habitação e Proposição de Política de Financiamento e Subsídio Implementar o funcionamento e gestão do Fundo Municipal de Habitação em 01 ano (até 2010). Programa Permanente Elaborar e Implementar a Política de Financiamento e Subsídio em 02 anos (até 2011). Programa Permanente Sistemática implementada. Política implementada.

31 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA Estruturação do Sistema de Informação Municipal e Dados de Habitação Estruturar o Sistema em 02 anos (até 2011). Programa Permanente. Sistema Estruturado.

32 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA 5.6 Implantação de Cadastro Único Estruturar o Cadastro Único em 02 anos (até 2011). Programa Permanente. Cadastro estruturado.

33 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA Desenvolvimento e Capacitação de Pessoal Elaborar o Programa em 01 ano (até 2010). Programa elaborado. Implementar o Programa em 02 anos (até 2011). Programa Permanente Programa implementado.

34 LPA 5 - Linha Programática e de Atendimento para o Desenvolvimento Institucional LPA Programa Constituição e Gestão do Banco de Terras Elaborar o Programa em 01 ano (até 2010). Programa elaborado. Implementar o Programa em 02 anos (até 2011). Programa implementado.

35 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA Revisão do Plano Diretor PD Revisar e Aprovar o Plano Diretor na Câmara em 06 meses ( 2009 (até dezembro Regulamentar os instrumentos do Estatuto da Cidade em 01 ano (até 2010). Plano Diretor aprovado e em vigor Instrumentos regulamentados e em vigor

36 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA Revisão da Lei de Zoneamento e Parcelamento Elaborar a Lei em 01 ano (até 2010) Aprovar a Lei em 02 anos (até 2011) Lei elaborada Lei aprovada e em vigor

37 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA Revisão do Código de Obras Elaborar a Lei em 01 ano (até 2010) Aprovar a Lei em 02 anos (até 2011) Lei elaborada Lei aprovada e em vigor

38 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA Aprovação do Código de Postura Elaborar a Lei em 01 anos (até 2010) Aprovar a Lei em 02 anos (até 2011) Lei elaborada Lei aprovada e em vigor

39 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA 6.5 -Elaboração de Lei de ZEIS Revisar e Aprovar a Lei de ZEIS na Câmara em 06 meses (até dezembro 2009). Lei aprovada e em vigor

40 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA Elaboração do Código Ambiental Elaborar a Lei em 03 anos (até 2012) Aprovar a Lei em 04 anos (até 2013) Lei elaborada Lei elaborada e em vigor

41 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA Elaborar Lei de Assistência Técnica Aprovar a Lei na Câmara em 06 meses (até 2009) Lei aprovada e em vigor

42 LPA 6 - Linha Programática e de Atendimento das Condições Normativas LPA Programa de Ampliação de Áreas com Destinação Habitacional e Ampliação de Potencial construtivo em áreas ocupadas Aprovar o Plano Diretor na Câmara em 06 meses (até dezembro 2009). Regulamentar os instrumentos do Estatuto da Cidade em 01 ano (até 2010) Plano Diretor aprovado e em vigor. Instrumentos regulamentados e em vigor

43 Fontes de Financiamento: Programas Federais e do Estado de São PauloP PROGRAMAS GOVERNO FEDERAL PAC Programa Minha Casa, Minha Vida FNHIS Programa Urbanização, Regularização e Integração de Assentamentos Precários Habitação de Interesse Social - HIS Ação Provisão Habitacional de Interesse Social Ação Provisão Habitacional de Interesse Social - Modalidade: Assistência Técnica Ação Apoio à elaboração de Planos Habitacionais de Interesse Social PLHIS Ação de Apoio àprodução Social da Moradia OGU Habitar Brasil BID -HBB Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat - PBQP-H Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social PSH FGTS Carta de Crédito Individual Carta de Crédito Associativo Programa de Atendimento Habitacional através do Poder Público - Pró-Moradia FAR Programa de Arrendamento Residencial PAR FDS Programa Crédito Solidário FAT PMI - Projetos Multissetoriais Integrados PROGRAMAS SH/CDHU PRODUÇÃO DE UNIDADES HABITACIONAIS Parceria com Municípios Administração Direta AD e Autoconstrução AC Empreitada Parceria com Associações e Cooperativas Gestão Compartilhada Crédito Associado AQUISIÇÃO DE UNIDADES HABITACIONAIS PHAI Programa Habitacional de Integração ATUAÇÃO EM CORTIÇOS URBANIZAÇÃO DE FAVELAS REASSENTAMENTO HABITACIONAL Repasse aos Municípios Produção CDHU RECUPERAÇÃO SOCIOAMBIENTAL DA SERRA DO MAR PROGRAMA CIDADE LEGAL - Regularização Fundiária de Interesse Habitacional - PEM -PROGRAMA ESPECIAL DE MELHORIAS - Requalificação de Moradias -

44 MINUTA DO PROJETO DE LEI QUE INSTITUI O PLHIS CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS DA POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇAO CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS E DIRETRIZES DO PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL CAPÍTULO III DOS PROGRAMAS CAPÍTULO IV INSTRUMENTOS DE GESTÃO CAPÍTULO V DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS

45 PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PLHIS Cubatão

46 PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PLHIS CUBATÃO SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO Wagner Moura dos Santos - Secretário rio Cleiton Jordão Santos Diretor Ana Carolina Correia Rosa Técnica Jurídica Ana Paula Torres Soares Assistente Social Anna Bárbara B S. Honeaux Assistente Social Lizandra R. M. N. Freire Assistente Social Luiz Carlos C. Mendonça Engenheiro Maria Aparecida dos Santos Analista Mário Sérgio S Mathias - Engenheiro Mário Soares Bizerra Arquiteto Priscilla Turella Venâncio Administrativo Valdir Cosme de Souza - Fiscal

FÓRUM NACIONAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL Prêmio Selo Mérito 2013

FÓRUM NACIONAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL Prêmio Selo Mérito 2013 FÓRUM NACIONAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL Prêmio Selo Mérito 2013 Programa de Regularização Fundiária Sustentável de São Bernardo do Campo: Cidadania e Inclusão Social Urbana ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS SÃO BERNARDO DO CAMPO

Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS SÃO BERNARDO DO CAMPO Plano ESTADUAL DE HABITAÇÃO PEH - SP 8 º Encontro Regional Região Metropolitana de São Paulo Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS SÃO BERNARDO DO CAMPO ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1- O planejamento

Leia mais

Etapas do PLHIS PROPOSTAS

Etapas do PLHIS PROPOSTAS Plano Local de Habitação de Interesse Social de Boituva Seminário de Homologação do PLHIS de Boituva 25 de Fevereiro de 2010 Etapas do PLHIS etapa 1 etapa 2 etapa 3 METODOLOGIA DIAGNÓSTICO PROPOSTAS Princípios

Leia mais

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal.

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. Em resumo, o programa fornece, mediante convênio de cooperação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE FUNDO COMUNITÁRIO DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE FUNDO COMUNITÁRIO DE VOLTA REDONDA Casas Populares SUB-FUNÇÃO: PROGRAMA Nº - 244 482 HABITAÇÃO URBANA Reduzir do déficit habitacional e a melhoria dos padrões locais de moradia, contemplar a transferencia de moradias e de população localizadas

Leia mais

12.1. Tipologia atual dos imóveis habitacionais no município de

12.1. Tipologia atual dos imóveis habitacionais no município de 86 12 - HABITAÇÃO Bela Vista de Goiás 12.1. Tipologia atual dos imóveis habitacionais no município de Na região central da Zona Urbana a heterogeneidade está evidente em suas edificações. Existem alguns

Leia mais

SEMINÁRIOS TEMÁTICOS. Mesa 1: Produção Habitacional : programas de financiamento da habitação de interesse social

SEMINÁRIOS TEMÁTICOS. Mesa 1: Produção Habitacional : programas de financiamento da habitação de interesse social SEMINÁRIOS TEMÁTICOS Mesa 1: Produção Habitacional : programas de financiamento da habitação de interesse social Maria do Carmo Avesani Diretora do Departamento de Produção Habitacional Secretaria Nacional

Leia mais

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios Desafios do PMCMV Sustentabilidade, Perenidade e Imagem O sucesso do PMCMV depende da produção de moradias bem localizadas, servidas de infraestrutura,

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 2.750/12 - DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012

LEI MUNICIPAL Nº 2.750/12 - DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012 LEI MUNICIPAL Nº 2.750/12 - DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012 Institui o Plano Municipal de Habitação de Interesse Social - PMHIS, e dá outras providências A CÂMARA MANICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, APROVOU

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA A produção de Habitação de Interesse Social na promoção do desenvolvimento urbano

PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA A produção de Habitação de Interesse Social na promoção do desenvolvimento urbano PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA A produção de Habitação de Interesse Social na promoção do desenvolvimento urbano Maria do Carmo Avesani Diretora do Departamento de Produção Habitacional Secretaria Nacional

Leia mais

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros.

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Data: 05/12/2008 -Local: Instituto Pólis MORADIA É CENTRAL

Leia mais

PLHIS - Plano Local de Habitação de Interesse Social

PLHIS - Plano Local de Habitação de Interesse Social SÃO VICENTE PLHIS - Plano Local de Habitação de Interesse Social Encontro Regional Discussão Pública do Plano Estadual de Habitação (PEH-SP) SEHAB - SECRETARIA DE HABITAÇÃO Prefeitura Municipal de São

Leia mais

Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social - FNHIS -

Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social - FNHIS - MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social - FNHIS - Programa: Habitação de Interesse Social Ação: Apoio à elaboração de Planos Habitacionais

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

Câmara Municipal de Pinheiral

Câmara Municipal de Pinheiral LEI Nº 753, de 05 de maio de 2014. Cria o Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social FHIS e institui o Conselho Gestor do FHIS. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PINHEIRAL; Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

ESTRATÉGIA DE AÇÃO. Coordenador Geral - Wladimir Fernandes de Rezende - Assessor Especial de Projetos e Convênios

ESTRATÉGIA DE AÇÃO. Coordenador Geral - Wladimir Fernandes de Rezende - Assessor Especial de Projetos e Convênios PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL ESTRATÉGIA DE AÇÃO Uberlândia 2010 1 ESTRATÉGIA DE AÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE UBERLÂNDIA Prefeito: Odelmo Leão Carneiro Vice-Prefeito: Aristides de Freitas

Leia mais

Reunião de Instalação do Conselho Consultivo do Ramo Habitacional

Reunião de Instalação do Conselho Consultivo do Ramo Habitacional Organização das Cooperativas Brasileiras Reunião de Instalação do Conselho Consultivo do Ramo Habitacional Brasilia, 26 de Agosto de 2009 Premissas: - Implementação do Plano Nacional de Habitação; - Aumento

Leia mais

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ Setembro/2010 APRESENTAÇÃO Este documento denominado Metodologia é o primeiro produto apresentado

Leia mais

DECRETO Nº 34522 DE 3 DE OUTUBRO DE 2011.

DECRETO Nº 34522 DE 3 DE OUTUBRO DE 2011. DECRETO Nº 34522 DE 3 DE OUTUBRO DE 2011. Aprova as diretrizes para a demolição de edificações e relocação de moradores em assentamentos populares O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO

ATOS DO PODER EXECUTIVO ATOS DO PODER EXECUTIVO Decreto nº 7.499, de 16 de junho de 2011 Regulamenta dispositivos da Lei no 11.977, de 7 de julho de 2009, que dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida, e dá outras providências.

Leia mais

REVISÃO E ATUALIZAÇÃO

REVISÃO E ATUALIZAÇÃO PREFEITURA DE SOROCABA 1ª AUDIÊNCIA PÚBLICA REVISÃO E ATUALIZAÇÃO PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO FÍSICOTERRITORIAL 1 OBJETIVO 1ª Audiência Pública APRESENTAÇÃO DAS PRINCIPAIS PROPOSTAS DE REVISÃO E ATUALIZAÇÃO

Leia mais

Processo nº 37758/2014. ML-27/2015 Encaminha Projeto de Lei.

Processo nº 37758/2014. ML-27/2015 Encaminha Projeto de Lei. ML-27/2015 Encaminha Projeto de Lei. São Bernardo do Campo, 15 de setembro de 2015. PROJETO DE LEI N. 33/15 PROTOCOLO GERAL N. 4.325/15 Senhor Presidente: Encaminhamos a Vossa Excelência, para apreciação

Leia mais

PLANO HABITACIONAL FRANCA PLHIS PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

PLANO HABITACIONAL FRANCA PLHIS PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PLANO HABITACIONAL FRANCA PLHIS PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL HABITAÇÃO: COMO NECESSIDADE HUMANA ABRIGO As pessoas precisam de proteção para si e suas famílias contra as intempéries da natureza.

Leia mais

A Aliança de Cidades e a política habitacional de São Paulo

A Aliança de Cidades e a política habitacional de São Paulo Capítulo 4 A Aliança de Cidades e a política habitacional de São Paulo Ações de planejamento estratégico combinadas a estudos no âmbito deste projeto contribuíram, como já apresentado, para a elaboração

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

Respostas ao Questionário sobre Segurança da Posse, apresentado pela Relatora Especial sobre Moradia Adequada, Raquel Rolnik.

Respostas ao Questionário sobre Segurança da Posse, apresentado pela Relatora Especial sobre Moradia Adequada, Raquel Rolnik. Permanent Mission of Brazil to the United Nations Office and other International Organizations in Geneva Chemin Louis-Dunant 15 1202 Geneva- Switzerland Phone: (+41) (0)22 332 50 00 / Fax: (+41) (0)22

Leia mais

LIMITES E POSSIBILIDADES DO PLANO DIRETOR DO RIO DE JANEIRO PARA O ACESSO À MORADIA E A TERRA URBANIZADA

LIMITES E POSSIBILIDADES DO PLANO DIRETOR DO RIO DE JANEIRO PARA O ACESSO À MORADIA E A TERRA URBANIZADA Curso de Capacitação e formação de agentes sociais, lideranças comunitárias e conselheiros(as) municipais de habitação para a elaboração, monitoramento e acompanhamento do PLHIS LIMITES E POSSIBILIDADES

Leia mais

Crédito Imobiliário: Ação Governamental no Brasil

Crédito Imobiliário: Ação Governamental no Brasil Crédito Imobiliário: Ação Governamental no Brasil Secretaria Nacional de Habitação Ministério das Cidades II Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Fortaleza 17 de março de 2010 CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO PROJETO DE LEI N o 103, DE 2015 Altera dispositivo da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 Estatuto do Idoso. Autor: Deputado ALCEU MOREIRA Relator: Deputado HEULER

Leia mais

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS De acordo com o Plano Diretor as ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL ZEIS são porções do território destinadas, prioritariamente, à recuperação urbanística, à regularização

Leia mais

Novo Decreto de HIS. Apresentação ao Conselho Municipal de Habitação São Paulo - 27/08/2015. Secretaria Municipal de Licenciamento

Novo Decreto de HIS. Apresentação ao Conselho Municipal de Habitação São Paulo - 27/08/2015. Secretaria Municipal de Licenciamento Novo Decreto de HIS Apresentação ao Conselho Municipal de Habitação São Paulo - 27/08/2015 Novo Decreto de HIS EHIS, EHMP, EZEIS, HIS e HMP Adequação à Lei nº 16.050/14 Sistematiza, Consolida e Revoga

Leia mais

Recursos e Fontes de Financiamento

Recursos e Fontes de Financiamento Recursos e Fontes de Financiamento Recursos e Fontes de Financiamento A disponibilidade de recursos financeiros para a implementação do Plano Local de HIS é fundamental para a concretização dos objetivos

Leia mais

O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS?

O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS? O que é o PLHIS? Quais são os beneficiários do PLHIS? Quais são as exigências do PLHIS? Planejamento Planejamento é uma das condições para a prática profissional dos Assistente Social (BARBOSA, 1991).

Leia mais

Painel OBRAS PÚBLICAS: NOVO PATAMAR DE QUALIDADE PLANEJAMENTO E PROJETO

Painel OBRAS PÚBLICAS: NOVO PATAMAR DE QUALIDADE PLANEJAMENTO E PROJETO Painel OBRAS PÚBLICAS: NOVO PATAMAR DE QUALIDADE PLANEJAMENTO E PROJETO 83º ENIC Encontro Nacional da Indústria da Construção SP, 11 de agosto de 2011 CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO URBANO De 1986 a 2003,

Leia mais

PLANO LOCAL DE HABITAÇAO DE INTERESSE SOCIAL - PLHIS

PLANO LOCAL DE HABITAÇAO DE INTERESSE SOCIAL - PLHIS PLANO LOCAL DE HABITAÇAO DE INTERESSE SOCIAL - PLHIS MAIO de 2011 Art. 3.º O Plano Diretor abrange a totalidade do território do Município, definindo: I - A política e as estratégias de expansão urbana

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE HABITAÇÃO POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE HABITAÇÃO POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE HABITAÇÃO POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO Carlos Henrique Cardoso Medeiros Secretário POLÍTICA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO Orçamento Participativo da Habitação participaçãopopular

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES Reunião Presencial com Municípios do Grupo 3

PERGUNTAS FREQUENTES Reunião Presencial com Municípios do Grupo 3 PERGUNTAS FREQUENTES Reunião Presencial com Municípios do Grupo 3 PERGUNTAS FREQUENTES 1. Quanto será a contrapartida mínima dos municípios? R: A contrapartida de OGU será zero. 2. Haverá liberação de

Leia mais

MUDANÇAS NA DEMOGRAFIA E DEMANDA HABITACIONAL: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

MUDANÇAS NA DEMOGRAFIA E DEMANDA HABITACIONAL: DESAFIOS E OPORTUNIDADES MUDANÇAS NA DEMOGRAFIA E DEMANDA HABITACIONAL: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ALESSANDRA D AVILA Diretora do Departamento de Urbanização de Assentamentos Precários Rio de Janeiro/RJ, 03 de Setembro de 2015 AVANÇOS

Leia mais

DEPARTAMENTO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DEPARTAMENTO DE TRABALHO SOCIAL. Seminário Internacional de Trabalho Social em Habitação

DEPARTAMENTO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DEPARTAMENTO DE TRABALHO SOCIAL. Seminário Internacional de Trabalho Social em Habitação DEPARTAMENTO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DEPARTAMENTO DE TRABALHO SOCIAL Seminário Internacional de Trabalho Social em Habitação Agentes públicos, normativos e a direção do trabalho social 15 DE MARÇO

Leia mais

Ministério das Cidades Planejamento Urbano

Ministério das Cidades Planejamento Urbano Ministério das Cidades Planejamento Urbano Workshop Financiamento de Municípios - ABDE Rio de Janeiro 18 de julho de 2013 Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos Departamento de Políticas

Leia mais

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife.

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Data: dia 29 de abril de 2009 Local: sede da ONG Etapas no Recife PROGRAMA REABILITAÇÃO

Leia mais

SECRETARIA DA HABITAÇÃO Casa Paulista Agência Paulista de Habitação Social

SECRETARIA DA HABITAÇÃO Casa Paulista Agência Paulista de Habitação Social CONSELHO GESTOR DO FUNDO PAULISTA DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL CGFPHIS DELIBERAÇÃO NORMATIVA CGFPHIS Nº 005, DE 20 DE MARÇO DE 2012. Aprova a implantação do Programa de Apoio Financeiro Complementar

Leia mais

"ANEXO I PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA PROGRAMA NACIONAL DE HABITAÇÃO URBANA RECURSOS DO FAR DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE UNIDADES HABITACIONAIS

ANEXO I PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA PROGRAMA NACIONAL DE HABITAÇÃO URBANA RECURSOS DO FAR DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE UNIDADES HABITACIONAIS PORTARIA N 518, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2013, (D.O.U. DE 11.11.2013) Dá nova redação à Portaria nº 168, de 12 de abril de 2013, do Ministério das Cidades, que dispõe sobre as diretrizes gerais para aquisição,

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO LESTE

PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO LESTE PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO PLANO DE AÇÃO REGIONAL LESTE Legenda: Subprefeitura Vias Principais de acesso Linha de Metrô / CPTM Região Leste 08 Subprefeituras: Penha, Ermelino Matarazzo, São Miguel Paulista,

Leia mais

PROGRAMAS HABITACIONAIS DE INTERESSE SOCIAL

PROGRAMAS HABITACIONAIS DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMAS HABITACIONAIS DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMAS HABITACIONAIS URBANOS IMPLEMENTADOS PELA COHAPAR A REALIDADE PROGRAMAS HABITACIONAIS URBANOS 1. PMCMV com recursos do OGU/OGE 1.1. FAR PMCMV FAR 1.2

Leia mais

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS. Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS. Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DE ÁREAS PÚBLICAS Cartilha de orientação sobre o Programa de Regularização Urbanística e Fundiária APRESENTAÇÃO Esta Cartilha foi desenvolvida como suporte ao trabalho da Prefeitura

Leia mais

Subsecretaria de Captação de Recursos SUCAP/SEPLAN Secretaria de Planejamento e Orçamento do Distrito Federal SEPLAN Governo do Distrito Federal

Subsecretaria de Captação de Recursos SUCAP/SEPLAN Secretaria de Planejamento e Orçamento do Distrito Federal SEPLAN Governo do Distrito Federal Subsecretaria de Captação de Recursos SUCAP/SEPLAN Secretaria de Planejamento e Orçamento do Distrito Federal SEPLAN Governo do Distrito Federal TERMO DE REFERÊNCIA À SECRETARIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS

Leia mais

Mecanismos de Financiamento

Mecanismos de Financiamento Mecanismos de Financiamento Parauapebas, 14 de novembro de 2014. Apoio: Realização: Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Mecanismos de Financiamento PAC: principal

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG Coordenadoria Geral de Pesquisa CGP Campus Universitário Ministro Petrônio Portela,

Leia mais

Riscos de deslizamentos de encostas em áreas urbanas

Riscos de deslizamentos de encostas em áreas urbanas Riscos de deslizamentos de encostas em áreas urbanas Thiago Galvão Geógrafo Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Celso Carvalho Frederico Seabra Leonardo Ferreira Thiago Galvão A resposta necessária

Leia mais

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros.

-Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante a Oficina 3 - Financiamento para habitação social em Centros. -Data: 05/12/2008 -Local: Instituto Pólis MORADIA É CENTRAL

Leia mais

GIDURSP Gerência de Filial de Desenvolvimento Urbano e Rural de São Paulo

GIDURSP Gerência de Filial de Desenvolvimento Urbano e Rural de São Paulo . GIDURSP Gerência de Filial de Desenvolvimento Urbano e Rural de São Paulo Seminário Regional: Planejamento Habitacional Metropolitano: Perspectivas e Desafios Para o Estado de São Paulo MESA 01 - Planos

Leia mais

937 HABITAÇÃO PARA ALÉM DA METRÓPOLE: A DESCENTRALIZAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA NA BAHIA (2009-2010)

937 HABITAÇÃO PARA ALÉM DA METRÓPOLE: A DESCENTRALIZAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA NA BAHIA (2009-2010) 937 HABITAÇÃO PARA ALÉM DA METRÓPOLE: A DESCENTRALIZAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA NA BAHIA (2009-2010) Eleonora Lisboa Mascia Resumo A análise aborda a descentralização da produção de Habitação

Leia mais

PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU

PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU EIXO 1 PARTE 1 - A PARTICIPAÇÃO E O CONTROLE SOCIAL NO SNDU DEVERÃO SER EXERCIDOS: (i) no âmbito federal, pelo Conselho

Leia mais

INÊS MAGALHÃES. Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades

INÊS MAGALHÃES. Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades INÊS MAGALHÃES Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA OBJETIVOS Estimular a provisão de habitação de interesse social em larga escala e em todo o território;

Leia mais

Trabalho Social em Programas de Habitação e Desenvolvimento Urbano: Entre o Ideal e o Concreto

Trabalho Social em Programas de Habitação e Desenvolvimento Urbano: Entre o Ideal e o Concreto Trabalho Social em Programas de Habitação e Desenvolvimento Urbano: Entre o Ideal e o Concreto INÊS MAGALHÃES Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades Seminário Trabalho Social em Programas

Leia mais

SOLUÇÕES CAIXA EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. Residencial Jacinta Andrade Teresina - PI

SOLUÇÕES CAIXA EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. Residencial Jacinta Andrade Teresina - PI SOLUÇÕES CAIXA EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL Residencial Jacinta Andrade Teresina - PI SOLUÇÕES EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL A CAIXA tem um importante papel de contribuir na redução do déficit habitacional

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013 P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Curso Gestão Administrativa e Captação de Recursos Módulo III - Junho - 2013 Planejamento Estratégico Municipal Atividade prática Pensar em problemas e soluções.

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS

Programa de Requalificação de UBS Programa de Requalificação de UBS PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Programa instituído no ano de 2011 para estabelecer mecanismos de repasse de recursos financeiros para as Unidades Básicas de Saúde.

Leia mais

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis Universidade Metodista Recuperação Ambiental de Áreas Degradadas Impactos gerados pelo uso e ocupação do solo no meio urbano Final século XVIII Revolução Industrial Migração do homem do campo objetivo

Leia mais

JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul.

JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. JOÃO DOMINGOS RODRIGUES DA SILVA, Prefeito Municipal de Almirante Tamandaré do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. Faço saber que o Legislativo aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte lei: LEI MUNICIPAL

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Minha Casa Minha Vida 2 Eng. Mário de Almeida, MBA em Real Estate pelo NRE Prof.Dr. Fernando Bontorim Amato, pesquisador do NRE A primeira

Leia mais

Perfil CAIXA 70,2. 65 Mil. 97,9 Empregados 5.564. Milhões de clientes. Anos de existência. Pontos de Atendimento

Perfil CAIXA 70,2. 65 Mil. 97,9 Empregados 5.564. Milhões de clientes. Anos de existência. Pontos de Atendimento Perfil CAIXA 152 Anos de existência 70,2 Milhões de clientes 65 Mil Pontos de Atendimento 5.564 Presente em todos os municípios brasileiros Mil 97,9 Empregados Eixos de Trabalho BANCO COMERCIAL PENHOR

Leia mais

Curso de Formação para a Elaboração, Monitoramento e Acompanhamento do PLHIS

Curso de Formação para a Elaboração, Monitoramento e Acompanhamento do PLHIS Curso de Formação para a Elaboração, Monitoramento e Acompanhamento do PLHIS Módulo IV Política Habitacional e as políticas urbanas Política Habitacional: o papel dos estados e municípios Regina Fátima

Leia mais

Moradia e Meio Ambiente: a construção do diálogo na urbanização do assentamento Pilarzinho ILHA

Moradia e Meio Ambiente: a construção do diálogo na urbanização do assentamento Pilarzinho ILHA Moradia e Meio Ambiente: a construção do diálogo na urbanização do assentamento Pilarzinho ILHA O que é? É um projeto de extensão universitária do curso de Arquitetura e Urbanismo, da Universidade Tecnológica

Leia mais

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014.

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) FINANCIAMENTO PARA A AMPLIAÇÃO DO ACESSO AO TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS (TCTH) ALOGÊNICO NÃO APARENTADO

Leia mais

CÂMARA TÉCNICA DE ARQUITETURA E URBANISMO HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL LEI ASSISTÊNCIA TÉCNICA PÚBLICA E GRATUITA

CÂMARA TÉCNICA DE ARQUITETURA E URBANISMO HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL LEI ASSISTÊNCIA TÉCNICA PÚBLICA E GRATUITA CÂMARA TÉCNICA DE ARQUITETURA E URBANISMO HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL LEI ASSISTÊNCIA TÉCNICA PÚBLICA E GRATUITA 2015 PROGRAMA Com base na car,lha elaborado em MG. 1. Contextualização 2. Legislação 3.

Leia mais

PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PROPOSTA METODOLÓGICA PROGRAMA DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL AÇÃO DE APOIO À ELABORAÇÃO DE PLANOS HABITACIONAIS DE INTERESSE SOCIAL NOVA LIMA/MG ABRIL DE

Leia mais

FGTS 45 ANOS DE DESENVOLVIMENTO O BRASIL E PROMOVENDO A CIDADANIA

FGTS 45 ANOS DE DESENVOLVIMENTO O BRASIL E PROMOVENDO A CIDADANIA FGTS 45 ANOS DE DESENVOLVIMENTO O BRASIL E PROMOVENDO A CIDADANIA Inês Magalhães Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades Brasília, 24 de novembro de 2011 Política Nacional de Habitação

Leia mais

Rua Correia Dias, 184 Paraíso - São Paulo SP CEP: 04104-000. Promorar-constru@bol.com.br l www.promorar-constru.com

Rua Correia Dias, 184 Paraíso - São Paulo SP CEP: 04104-000. Promorar-constru@bol.com.br l www.promorar-constru.com O objetivo do programa PROMORAR é reforçar a importância da sustentabilidade social para projetos habitacionais. A proposta nasce, em um momento muito propício e favorável, a oferta de unidades de interesse

Leia mais

MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei,

MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, DECRETO Nº 44.667, DE 26 DE ABRIL DE 2004 Regulamenta as disposições da Lei nº 13.430, de 13 de setembro de 2002, que institui o Plano Diretor Estratégico, relativas às Zonas Especiais de Interesse Social

Leia mais

CONSTRUINDO CIDADES E CIDADANIA

CONSTRUINDO CIDADES E CIDADANIA UCLG Congress Parallel Session: CONSTRUINDO CIDADES E CIDADANIA Inês da Silva Magalhães Secretária Nacional de Habitação - Brasil Cidade do México 18 de novembro de 2010 PRINCIPAIS MARCOS INSTITUCIONAIS

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro. Secretaria Municipal de Planejamento Urbano

Estado do Rio de Janeiro. Secretaria Municipal de Planejamento Urbano UMA BARRA MANSA: DUAS CIDADES A CIDADE FORMAL: Regularizada, com infraestrutura completa, usufruindo do melhor que a comunidade pode ter em comércio, serviços, cultura e lazer. É a parte da cidade que

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 636, DE 13 DE JANEIRO DE 2010.

LEI COMPLEMENTAR Nº 636, DE 13 DE JANEIRO DE 2010. DIÁRIO OFICIAL DE PORTO ALEGRE Edição 3683 Quinta-feira, 14 de Janeiro de 2010 LEI COMPLEMENTAR Nº 636, DE 13 DE JANEIRO DE 2010. Institui o Programa Minha Casa, Minha Vida Porto Alegre altera o parágrafo

Leia mais

Propostas Mobiliza Curitiba para a revisão do Plano Diretor 2014

Propostas Mobiliza Curitiba para a revisão do Plano Diretor 2014 s Mobiliza Curitiba para a revisão do Plano Diretor 2014 A seguir, relacionamos as propostas elaboradas até o momento pelos integrantes da Frente Mobiliza Curitiba para a revisão do Plano Diretor de Curitiba,

Leia mais

Lei Municipal N.º 1414

Lei Municipal N.º 1414 Câmara Municipal de Volta Redonda Estado do Rio de Janeiro Lei Municipal N.º 1414 Art. 126 - Para que seja concedido habite-se parcial ou total é necessário o registro prévio de declaração do autor do

Leia mais

Gestão social da valorização fundiária urbana

Gestão social da valorização fundiária urbana Gestão social da valorização fundiária urbana Audiência Pública PL n 5.015/2013 Ministério das Cidades Brasília, 20 de novembro de 2013 O que é a gestão social da valorização fundiária urbana? Ações e

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE GOVERNO

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE GOVERNO Programa de Fortalecimento da Gestão do Setor Público e do Desenvolvimento Territorial Integrado Rio Metrópole PROGESTÃO II - Contrato de Empréstimo 8327- BR TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR

Leia mais

DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015

DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 56.089, DE 30 DE ABRIL DE 2015 Regulamenta dispositivos da Lei nº 16.050, de 31 de julho de 2014,

Leia mais

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados DEAP/SNAPU/MCIDADES Maio/2015 Contexto brasileiro Necessidade de obras públicas para requalificação e reabilitação

Leia mais

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS 1 Sumário 1. Equilíbrio econômico-financeiro metropolitano...3 2. Proposta econômico-financeira

Leia mais

Seminário de Locação Social Mesa 2: Utilização de imóveis vazios. Gestão da Terra Urbanizada e o Programa de Locação Social S.

Seminário de Locação Social Mesa 2: Utilização de imóveis vazios. Gestão da Terra Urbanizada e o Programa de Locação Social S. Seminário de Locação Social Mesa 2: Utilização de imóveis vazios Gestão da Terra Urbanizada e o Programa de Locação Social S.Paulo Arq. Margareth Matiko Uemura Dez/2008 GESTÃO TERRITORIAL Objetivos Reverter

Leia mais

Processo nº 28609/2012. ML-46/2012 Encaminha Projeto de Lei.

Processo nº 28609/2012. ML-46/2012 Encaminha Projeto de Lei. ML-46/2012 Encaminha Projeto de Lei. Senhor Presidente: São Bernardo do Campo, 11 de dezembro de 2012. PROJETO DE LEI N.º 85/12 PROTOCOLO GERAL N.º 8.147/12 Encaminhamos a Vossa Excelência, para apreciação

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE VICENTE DUTRA/RS

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE VICENTE DUTRA/RS TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SÃO SEPÉ

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SÃO SEPÉ TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB

PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB Implementação do Marco Regulatório do Saneamento Ambiental PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB Ernani Ciríaco de Miranda Diretor da DARIN/SNSA/MCIDADES Belo Horizonte, 20 de março de 2013 Art.

Leia mais

XI Encuentro Red ULACAV Rosário Argentina, setembro de 2005

XI Encuentro Red ULACAV Rosário Argentina, setembro de 2005 XI Encuentro Red ULACAV Rosário Argentina, setembro de 2005 Universidade Federal de Pelotas Pelotas Brasil Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Profa. Nirce Saffer Medvedovski Prof. Rogério Gutierrez Profa.

Leia mais

CONJUNTO HABITACIONAL DE INTERESSE SOCIAL BOM RETIRO

CONJUNTO HABITACIONAL DE INTERESSE SOCIAL BOM RETIRO CONJUNTO HABITACIONAL DE INTERESSE SOCIAL BOM RETIRO PROCEDIMENTOS E CRITÉRIOS PARA CADASTRAMENTO E APROVAÇÃO DE ANÁLISE O Prefeito de Paulínia anunciou no último dia 11 de Novembro de 2015, a construção

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DIRETRIZES E PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTOS NO MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Nov 2012 DIAGNÓSTICO DO DESTINO

Leia mais

PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária

PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária PROGRAMA PARAISÓPOLIS Regularização Fundiária POLÍTICA HABITACIONAL DA CIDADE DE SÃO PAULO Plano Diretor Estratégico do Município (Lei 13.430/02, art. 79): Moradia digna é aquela que garante ao morador

Leia mais

MINHA CASA MINHA VIDA ENTIDADES: A AUTOGESTÃO COLETIVA NA PRODUÇÃO DA MORADIA POPULAR

MINHA CASA MINHA VIDA ENTIDADES: A AUTOGESTÃO COLETIVA NA PRODUÇÃO DA MORADIA POPULAR MINHA CASA MINHA VIDA ENTIDADES: A AUTOGESTÃO COLETIVA NA PRODUÇÃO DA MORADIA POPULAR Evaniza Rodrigues Jul/2011 Curso de Capacitação e formação de agentes sociais, lideranças comunitárias e conselheiros(as)

Leia mais

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA Secretaria de 1 Produtivo 1. Ampliar a oferta de infraestrutura adequada para promover a segurança no consumo de gêneros alimentícios em mercados municipais 1. Oferecer espaços adequados para comercialização

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

Plano Local de Habitação de Interesse Social

Plano Local de Habitação de Interesse Social Ação 4: Diretrizes e Estratégias Plano Local de Habitação de Interesse Social Outubro de 2011 Rev 01- Junho 2012 URBES INSTITUTO DE POLÍTICAS PÚBLICAS URBANAS EQUIPE TÉCNICA: 1 Eloy Machiutte Maria Gabriela

Leia mais

Política Habitacional no Orçamento Participativo de Porto Alegre

Política Habitacional no Orçamento Participativo de Porto Alegre Política Habitacional no Orçamento Participativo de Porto Alegre Nadia Andréa Hilgert 1 Introdução O Orçamento Participativo de Porto Alegre é um dos exemplos mais importantes de espaços públicos participativos

Leia mais

Estatuto da Cidade 22/05/2015. Lei Nº 10.257, de 10/07/2001. Medida Provisória Nº 2.220, de 04/09/2001. MP Nº 103, de 01/01/2003. Conselho das Cidades

Estatuto da Cidade 22/05/2015. Lei Nº 10.257, de 10/07/2001. Medida Provisória Nº 2.220, de 04/09/2001. MP Nº 103, de 01/01/2003. Conselho das Cidades Estatuto Estatuto da da Cidade Cidade Referencia : Conhecendo o Estatuto das Cidades, Manual do Instituto Polis, autor(es): Caixa Economica Federal, FASE - Federação de Órgãos para Assistência Social e

Leia mais

SECRETARIA DE HABITAÇÃO

SECRETARIA DE HABITAÇÃO SECRETARIA DE HABITAÇÃO 179 Secretaria de Habitação CNPJ: 02.150.482-0001/91 Endereço completo da sede: Marechal Deodoro, 138 América Endereço da página institucional na internet: não possui. Organização

Leia mais

PRESIDENTE DA COOPERHAF,

PRESIDENTE DA COOPERHAF, EDITAL N 01/2013 Dispõe sobre os critérios para inscrição dos beneficiários no Programa Minha Casa, Minha Vida Entidades PMCMV E modalidade construção de unidade habitacional em terreno do beneficiário,

Leia mais

PAC Urbanização de assentamentos precários ALESSANDRA D AVILA VIEIRA Diretora de Urbanização de Assentamentos Precários

PAC Urbanização de assentamentos precários ALESSANDRA D AVILA VIEIRA Diretora de Urbanização de Assentamentos Precários PAC Urbanização de assentamentos precários ALESSANDRA D AVILA VIEIRA Diretora de Urbanização de Assentamentos Precários Porto Alegre, outubro de 2015 AVANÇOS SOCIAIS NO BRASIL COMPARAÇÃO 2005-2014 (1)

Leia mais