Parte I Princípios básicos do Microsoft.NET Framework

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parte I Princípios básicos do Microsoft.NET Framework"

Transcrição

1 Sumário Parte I Princípios básicos do Microsoft.NET Framework Capítulo 1 A arquitetura da plataforma de desenvolvimento.net Framework Compilando código-fonte em módulos gerenciados Combinando módulos gerenciados em assemblies Carregando o Common Language Runtime Executando seu código assembly IL e verificação A.NET Framework Class Library O Common Type System A Common Language Specification Interoperabilidade com código não-gerenciado Capítulo 2 Construindo, empacotando, implantando e administrando aplicações e tipos Objetivos de implantação do.net Framework Compilando tipos em um módulo Combinando módulos para formar um assembly Adicionando assemblies a um projeto através do IDE do Visual Studio.NET Utilizando o Assembly Linker Incluindo arquivos de recurso no assembly Informações sobre recursos de versão do assembly Números de versão Cultura

2 14 Sumário Implantação de aplicações descomplicada (assemblies distribuídos privadamente) Controle administrativo descomplicado (configuração) Capítulo 3 Assemblies compartilhados Dois tipos de assemblies, dois tipos de implantação Criando um nome forte para um assembly O Global Assembly Cache A estrutura interna do GAC Compilando um assembly que referencia um assembly fortemente nomeado Assemblies fortemente nomeados são imunes à adulteração Assinatura tardia Implantando privadamente assemblies fortemente nomeados Execução lado a lado Como o runtime soluciona referências a tipos Controle administrativo avançado (configuração) Controle de diretivas do publicador Reparando uma aplicação defeituosa Parte II Trabalhando com tipos e o Common Language Runtime Capítulo 4 Fundamentos de tipos Todos os tipos são derivados de System.Object Conversão (casting) entre tipos Realizando conversão com os operadores is e as do C# Os namespaces e os assemblies Capítulo 5 Tipos primitivos, tipos-referência e tipos-valor Tipos primitivos das linguagens de programação Operações de tipos primitivos verificadas e não-verificadas Tipos-referência e tipos-valor Boxing e unboxing de tipos-valor Capítulo 6 Operações comuns aos objetos Igualdade e identidade de objetos Implementando Equals para um tipo-referência cujas classes base não sobrescrevem Equals de Object Implementando Equals para um tipo-referência quando uma ou mais de suas classes base sobrescrevem Equals de Object Implementando Equals para um tipo-valor Resumo da implementação de Equals e dos operadores ==/!= Identidade Códigos hash de objetos Clonagem de objetos

3 Sumário 15 Parte III Projetando tipos Capítulo 7 Membros de tipos e sua acessibilidade Membros de tipo Modificadores de acessibilidade e atributos predefinidos Atributos de tipo predefinidos Atributos de campo predefinidos Atributos de método predefinidos Capítulo 8 Constantes e campos Constantes Campos Capítulo 9 Métodos Construtores de instância Construtores de tipo Métodos de sobrecarga de operadores Operadores e interoperabilidade das linguagens de programação Métodos de operadores de conversão Passando parâmetros por referência para um método Passando um número variável de parâmetros para um método Como os métodos virtuais são chamados Controle de versão de métodos virtuais Capítulo 10 Propriedades Propriedades sem parâmetros Propriedades com parâmetros Capítulo 11 Eventos Projetando um tipo que expõe um evento Projetando um tipo que escuta um evento Controlando explicitamente o registro de eventos Projetando um tipo que define muitos eventos Projetando o tipo EventHandlerSet Parte IV Tipos básicos Capítulo 12 Trabalhando com texto Caracteres O tipo System.String Construindo strings Strings são imutáveis Comparando strings Internalização de strings Pools de strings Examinando os caracteres de uma string Outras operações com strings

4 16 Sumário Construindo uma string de maneira dinâmica e eficiente Construindo um objeto StringBuilder Membros de StringBuilder Obtendo uma representação de string para um objeto Formatos e culturas específicos Formatando múltiplos objetos em uma única string Fornecendo seu próprio formatador personalizado Analisando sintaticamente uma string para obter um objeto Codificações: convertendo entre caracteres e bytes Codificação/decodificação de fluxos de caracteres e bytes Codificação e decodificação de strings de base Capítulo 13 Tipos enumerados e flags de bits Tipos enumerados Flags de bits Capítulo 14 Arrays Todos os arrays são implicitamente derivados de System.Array Conversão (casting) de arrays Passando e retornando arrays Criando arrays que têm um limite inferior diferente de zero Acesso rápido a array Redimensionando um array Capítulo 15 Interfaces Interfaces e herança Projetando uma aplicação que suporta componentes plug-in Alterando campos em um tipo-valor na forma boxed utilizando interfaces Implementando múltiplas interfaces que têm o mesmo método Implementações explícitas de membros de interface Capítulo 16 Atributos personalizados Utilizando atributos personalizados Definindo seu próprio atributo Construtor de atributos e tipos de dados de campo/propriedade Detectando a utilização de um atributo personalizado Confrontando duas instâncias de atributo Atributos pseudopersonalizados Capítulo 17 Delegates Uma primeira análise sobre delegates Utilizando delegates para métodos de retorno de chamada estáticos Utilizando delegates para métodos de retorno de chamada de instância Desmistificando os delegates

5 Sumário 17 Parte V Gerenciando tipos Um pouco da história dos delegates: System.Delegate e System.MulticastDelegate Comparando delegates quanto à igualdade Cadeias de delegates Suporte do C# a cadeias de delegates Obtendo maior controle sobre a chamada de uma cadeia de delegates Delegates e reflexão Capítulo 18 Exceções A evolução do tratamento de exceções A mecânica do tratamento de exceções O bloco try O bloco catch O bloco finally O que é exatamente uma exceção? A classe System.Exception Classes de exceção definidas pela FCL Definindo sua própria classe de exceção Como utilizar exceções adequadamente Você não pode ter muitos blocos finally Não capture tudo Recuperando-se satisfatoriamente de uma exceção Desfazendo uma operação parcialmente completada quando uma exceção irrecuperável ocorre Ocultando um detalhe de implementação O que há de errado com a FCL Considerações de desempenho Filtros de captura Exceções não-tratadas Controlando o que o CLR faz quando uma exceção não-tratada ocorre Exceções não-tratadas e Windows Forms Exceções não-tratadas e Web Forms ASP.NET Exceções não-tratadas e Web Services XML ASP.NET Rastreamentos de pilhas de exceções Rastreamentos remotos de pilhas Depurando exceções Informando ao Visual Studio que tipo de código depurar Capítulo 19 Gerenciamento automático de memória (coleta de lixo) Entendendo os princípios básicos de trabalhar em uma plataforma com coleta de lixo O algoritmo de coleta de lixo Finalização

6 18 Sumário O que faz com que os métodos Finalize sejam chamados. 450 Como funciona a finalização O padrão Dispose: forçando a limpeza de um objeto Utilizando um tipo que implementa o padrão Dispose Instrução using do C# Uma interessante questão de dependência Referências fracas Como funciona uma referência fraca Ressurreição Projetando um pool de objetos utilizando ressurreição Gerações Controle programático do coletor de lixo Outras questões sobre o desempenho do coletor de lixo Alocações sem sincronização Coletas paralelas escalonáveis Coletas concorrentes Objetos grandes Monitorando coletas de lixo Capítulo 20 Hospedagem do CLR, AppDomains e reflexão Metadados: a pedra fundamental do.net Framework Hospedagem do CLR AppDomains Acessando objetos fora dos limites de um AppDomain Eventos de AppDomain Aplicações e como elas hospedam o CLR e gerenciam AppDomains Yukon A essência da reflexão Realizando reflexão sobre os tipos de um assembly Realizando reflexão sobre os assemblies de um AppDomain Realizando reflexão sobre os membros de um tipo: Vinculação Carregando assemblies explicitamente Carregando assemblies como arquivos de dados Construindo uma hierarquia de tipos derivados de Exception. 506 Descarregando assemblies explicitamente: descarregando um AppDomain Obtendo uma referência para um objeto System.Type Realizando reflexão sobre os membros de um tipo Criando uma instância de um tipo Chamando um método de um tipo Vincule uma vez, chame múltiplas vezes Realizando reflexão sobre as interfaces de um tipo Desempenho da reflexão Índice

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas

Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I. Carga horária: 32 Horas Treinar - Cursos e Treinamentos C# Módulo I Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework

Introdução ao C# . Visão geral do.net Framework Introdução ao C# Microsoft.NET (comumente conhecido por.net Framework - em inglês: dotnet) é uma iniciativa da empresa Microsoft, que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas

Leia mais

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda

Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III. Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br. Agenda Informática para Gestão de Negócios Linguagem de Programação III Prof. Me. Henrique Dezani dezani@fatecriopreto.edu.br Professor Apresentação Agenda Ementa, Objetivo, Conteúdo Programático, Bibliografia,

Leia mais

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes Ambiente de Programação Visual Framework.NET Prof. Mauro Lopes 1-31 13 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net. Ao final desta aula, o aluno terá compreendido a Arquitetura de uma aplicação.net.

Leia mais

ASP.NET. Guia do Desenvolvedor. Felipe Cembranelli. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

ASP.NET. Guia do Desenvolvedor. Felipe Cembranelli. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br ASP.NET Guia do Desenvolvedor Felipe Cembranelli Novatec Editora www.novateceditora.com.br 1 Introdução à plataforma.net A plataforma Microsoft.NET.NET é uma nova plataforma de software para desenvolvimento

Leia mais

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes

Ambiente de Programação Visual. Framework.NET. Prof. Mauro Lopes. Ambiente de Programação Visual Prof. Mauro Lopes Ambiente de Programação Visual Framework.NET Prof. Mauro Lopes 1-31 16 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net. Ao final desta aula, o aluno terá compreendido a Arquitetura de uma aplicação.net.

Leia mais

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C#

Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Linguagem de Programação 3 Framework.NET, Microsoft Visual C# 2010 Express e Elementos da Linguagem C# Prof. Mauro Lopes 1-31 35 Objetivos Nesta aula iremos apresentar a tecnologia.net, o ambiente de desenvolvimento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE AULA 1 CAMPUS SANTO ANDRÉ CELSO CANDIDO SEMESTRE 2014 1 Características da Plataforma.NET A plataforma.net Framework 4.0 (.NET 4.0) é uma plataforma de softwares que fornece

Leia mais

A interface do Microsoft Visual Studio 2005

A interface do Microsoft Visual Studio 2005 Tarefa Orientada 1 A interface do Microsoft Visual Studio 2005 Objectivos: Introdução à framework.net Iniciar o Visual Studio 2005. Criar um novo projecto de Windows Forms em Visual Basic Introdução à

Leia mais

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi

Fundament n os s da platafo f rm r a. NE N T André Menegassi Fundamentos da plataforma.net André Menegassi O que é o.net Framework?.NET é uma plataforma de software para desenvolvimento de aplicações que conecta informações, sistemas, pessoas e dispositivos através

Leia mais

Guia do Programador Joel Saade

Guia do Programador Joel Saade C# Guia do Programador Joel Saade Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial,

Leia mais

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C#

FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# FERRAMENTAS NECESSÁRIAS PARA O DESENVOLVIMENTO EM C# Camila Sanches Navarro 1,2, Willian Magalhães 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sanchesnavarro@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

PARTE I A Linguagem C#

PARTE I A Linguagem C# PARTE I A Linguagem C# Capítulo 1, C# 3.0 e o.net 3.5 Capítulo 2, Iniciando: Hello World Capítulo 3, Fundamentos da Linguagem C# Capítulo 4, Classes e Objetos Capítulo 5, Herança e Polimorfismo Capítulo

Leia mais

Como acompanhar a evolução dos aplicativos? Console >> Desktop >> Web >> Mobile >> Cloud. Como aproveitar o melhor de cada programador?

Como acompanhar a evolução dos aplicativos? Console >> Desktop >> Web >> Mobile >> Cloud. Como aproveitar o melhor de cada programador? Como acompanhar a evolução dos aplicativos? Console >> Desktop >> Web >> Mobile >> Cloud Como aproveitar o melhor de cada programador? Clientes querem tudo pra ontem. Como atender essa necessidade? Microsoft.NET

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Tratamento de Exceções

Programação Estruturada e Orientada a Objetos. Tratamento de Exceções Programação Estruturada e Orientada a Objetos Tratamento de Exceções 2013 O que veremos hoje? Introdução Tratamento de exceções Exercícios Transparências baseadas no material do Prof. Gilbert Azevedo Referencias

Leia mais

PROGRAMAÇÃODE COMPUTADORES I:C# LuizHenriqueC.Corêa

PROGRAMAÇÃODE COMPUTADORES I:C# LuizHenriqueC.Corêa PROGRAMAÇÃODE COMPUTADORES I:C# LuizHenriqueC.Corêa INFORMAÇÃOECOMUNICAÇÃO PROGRAMAÇÃODE COMPUTADORES I:C# LuizHenriqueC.Corêa INFORMAÇÃOECOMUNICAÇÃO Autor Luiz Henrique C. Corrêa Profissional com mais

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

Esta dissertação apresentou duas abordagens para integração entre a linguagem Lua e o Common Language Runtime. O objetivo principal da integração foi

Esta dissertação apresentou duas abordagens para integração entre a linguagem Lua e o Common Language Runtime. O objetivo principal da integração foi 5 Conclusão Esta dissertação apresentou duas abordagens para integração entre a linguagem Lua e o Common Language Runtime. O objetivo principal da integração foi permitir que scripts Lua instanciem e usem

Leia mais

1. INTRODUÇÃO AO WINDOWS MOBILE... 7. 1.1 Primeiros computadores portáteis 10. 1.2 Personal Digital Assistant 12

1. INTRODUÇÃO AO WINDOWS MOBILE... 7. 1.1 Primeiros computadores portáteis 10. 1.2 Personal Digital Assistant 12 ~ INDICE o. CONSIDERAÇÕES PRÉVIAS............ 1 0.1 Domínio do livro 1 0.2 Requisitos 2 0.3 Público-alvo 2 0.4 Código fonte 2 0.5 Convenções 3 0.6 Organização do livro 3 0.7 Suporte 5 1. INTRODUÇÃO AO

Leia mais

Protótipo de um sistema para licenciamento de aplicativos Microsoft.NET baseado em assinatura digital XML

Protótipo de um sistema para licenciamento de aplicativos Microsoft.NET baseado em assinatura digital XML Protótipo de um sistema para licenciamento de aplicativos Microsoft.NET baseado em assinatura digital XML Acadêmico: Leonardo Chagas D Ippolito Orientador: Prof. Marcel Hugo Blumenau, Dezembro de 2004

Leia mais

Sumário. Parte I Introdução 21. 1 Introdução 15 1.1 O Rails é ágil... 17 1.2 Explorando o conteúdo... 18 1.3 Agradecimentos... 19

Sumário. Parte I Introdução 21. 1 Introdução 15 1.1 O Rails é ágil... 17 1.2 Explorando o conteúdo... 18 1.3 Agradecimentos... 19 Sumário 1 Introdução 15 1.1 O Rails é ágil.......................................................... 17 1.2 Explorando o conteúdo................................................... 18 1.3 Agradecimentos........................................................

Leia mais

Guia do Programador Joel Saade

Guia do Programador Joel Saade C# Guia do Programador Joel Saade Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial,

Leia mais

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ

08/04/2013. Agenda. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ. O Sistema CACHÉ Agenda Caché Server Pages Uma Aplicação Banco de Dados Fernando Fonseca Ana Carolina Salgado Mestrado Profissional 2 SGBD de alto desempenho e escalabilidade Servidor de dados multidimensional Arquitetura

Leia mais

Principais características

Principais características .Net Framework O que é.net? Proprietário da Microsoft Versão simplificada para Linux Versão compacta para dispositivos móveis Plataforma de desenvolvimento e execução Interface com usuário, conectividade

Leia mais

Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB

Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB Linguagem de Programação Procedural (VB) Prof. MSc Eng Marcelo Bianchi AULA 01 - INTRODUÇÃO AO VB Visão Geral do Visual Basic.NET Conceitos Básicos Antes de codificar um programa dentro do Visual Studio

Leia mais

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo

Seminário - C# DSO II. Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2. Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Seminário - C# DSO II Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos 2 Equipe: Diorges, Leonardo, Luís Fernando, Ronaldo Roteiro Breve Histórico Plataforma.NET Características da Linguagem Sintaxe Versões

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO C# C# (C Sharp) Básico Carga horária: 24 horas CONTEÚDO PROGRAMÁTICO TreinaWeb Tecnologia LTDA CNPJ: 06.156.637/0001-58 Av. Paulista, 1765 - Conj 71 e 72 São Paulo - SP 1 - Conhecendo

Leia mais

19/05/2009. Módulo 1

19/05/2009. Módulo 1 ASP.NET Módulo 1 Objetivo Mostrar os conceitos fundamentais da plataforma Microsoft.Net e suas ferramentas; Apresentar os conceitos fundamentais de aplicações web e seus elementos; Demonstrar de forma

Leia mais

Alfamídia Programação: Desenvolvendo com C#

Alfamídia Programação: Desenvolvendo com C# Alfamídia Programação: Desenvolvendo com C# Todos os direitos reservados para Alfamídia Prow AVISO DE RESPONSABILIDADE As informações contidas neste material de treinamento são distribuídas NO ESTADO EM

Leia mais

Visual Basic.NET. Universidade Federal da Bahia. Departamento de Ciência da Computação. Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial.

Visual Basic.NET. Universidade Federal da Bahia. Departamento de Ciência da Computação. Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial. Universidade Federal da Bahia Departamento de Ciência da Computação Disciplina MATA76 Linguagens para Aplicação comercial. Aluno: Nailton Gonzaga dos Santos. Visual Basic.NET Salvador, setembro de 2008.

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

ASP.NET MVC em Ação. Jeffrey Palermo Ben Scheirman Jimmy Bogard. Novatec. Prefácio de Phil Haack

ASP.NET MVC em Ação. Jeffrey Palermo Ben Scheirman Jimmy Bogard. Novatec. Prefácio de Phil Haack ASP.NET MVC em Ação Jeffrey Palermo Ben Scheirman Jimmy Bogard Prefácio de Phil Haack Novatec Sumário Prólogo...11 Prefácio...13 Agradecimentos...17 Sobre este livro...20 Sobre os autores...26 Sobre a

Leia mais

Desenvolvimento ASP.net

Desenvolvimento ASP.net Desenvolvimento ASP.net Desenvolvimento ASP.net Framework.net Common Language Runtime Assembly Garbage Collection Conceitos de C# Características da Linguagem Operadores e estruturas 1 Framework.net Visão.net

Leia mais

Sumário. 1 Introdução à administração do Windows Vista...27. 2 Gerenciando sistemas Windows Vista...51

Sumário. 1 Introdução à administração do Windows Vista...27. 2 Gerenciando sistemas Windows Vista...51 Sumário 1 Introdução à administração do Windows Vista...27 Começando a usar o Windows Vista... 28 Instalando e executando o Windows Vista... 30 Instalando o Windows Vista...30 Utilizando o Centro de Boas-vindas

Leia mais

Como melhorar a performance de websites.net

Como melhorar a performance de websites.net Como melhorar a performance de websites.net Os segredos dos sites de alto desempenho Alfredo Lotar Novatec Novatec Editora Ltda. [2013]. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998.

Leia mais

Plugins TerraView. Versão TerraLib/TerraView: 3.2.0RC2. Código fonte completo da TerraLib na estrutura de diretórios sugerida no site da TerraLib 1.

Plugins TerraView. Versão TerraLib/TerraView: 3.2.0RC2. Código fonte completo da TerraLib na estrutura de diretórios sugerida no site da TerraLib 1. Plugins TerraView Versão TerraLib/TerraView: 3.2.0RC2 Requisitos Código fonte completo da TerraLib na estrutura de diretórios sugerida no site da TerraLib 1. Código completo do TerraView na estrutura de

Leia mais

Tratamento de Exceções. Alberto Costa Neto DComp - UFS

Tratamento de Exceções. Alberto Costa Neto DComp - UFS Tratamento de Exceções Alberto Costa Neto DComp - UFS [ Conteúdo ] Introdução Hierarquia de Erros e Exceções Erros e Exceções predefinidos Bloco try Bloco finally Cláusula throws Lançando exceções Capturando

Leia mais

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB)

Uma Introdução à Arquitetura CORBA. O Object Request Broker (ORB) Uma Introdução à Arquitetura Francisco C. R. Reverbel 1 Copyright 1998-2006 Francisco Reverbel O Object Request Broker (ORB) Via de comunicação entre objetos (object bus), na arquitetura do OMG Definido

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 5 CONJUNTO DE INSTRUÇÕES Prof. Luiz Gustavo A. Martins Introdução O que é um conjunto de instruções? Coleção completa das instruções que a CPU é capaz de executar (entende).

Leia mais

Organização de Computadores 1. Prof. Luiz Gustavo A. Martins

Organização de Computadores 1. Prof. Luiz Gustavo A. Martins Organização de Computadores 1 1 - INTRODUÇÃO Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura Define os elementos que impactuam diretamente na execução lógica do programa. Corresponde aos atributos visíveis veis

Leia mais

GRUPO: Igor de Oliveira Nunes Mateus Tassinari Ferreira Renan Sarcinelli

GRUPO: Igor de Oliveira Nunes Mateus Tassinari Ferreira Renan Sarcinelli GRUPO: Igor de Oliveira Nunes Mateus Tassinari Ferreira Renan Sarcinelli Surgimento do C# No final de 1990 a Microsoft tinha diversas tecnologias e linguagens de programação. Toda vez que um programador

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express

Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Aula 01: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express EMENTA: Introdução ao Visual C#. Fundamentos da Linguagem. Estruturas de decisão e repetição. Modularização de Programas: Funções. Arrays

Leia mais

Visão Geral do Word 2007. Crie conteúdo com aparência profissional

Visão Geral do Word 2007. Crie conteúdo com aparência profissional Visão Geral do Word 2007 Bem-vindo ao Microsoft Office Word 2007, incluído na versão 2007 do Microsoft Office system. O Office Word 2007 é um poderoso programa de criação de documentos que dá a você a

Leia mais

Programação Java. com Ênfase em Orientação a Objetos. Douglas Rocha Mendes. Novatec

Programação Java. com Ênfase em Orientação a Objetos. Douglas Rocha Mendes. Novatec Programação Java com Ênfase em Orientação a Objetos Douglas Rocha Mendes Novatec Sumário Agradecimentos... 13 Sobre o autor... 14 Prefácio... 15 Capítulo 1 Introdução à linguagem Java... 16 1.1 Histórico

Leia mais

1.6. Tratamento de Exceções

1.6. Tratamento de Exceções Paradigmas de Linguagens I 1 1.6. Tratamento de Exceções Uma exceção denota um comportamento anormal, indesejado, que ocorre raramente e requer alguma ação imediata em uma parte do programa [GHE 97, DER

Leia mais

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções

Escola Superior de Gestão e Tecnologia. Tratamento de Exceções Escola Superior de Gestão e Tecnologia Tratamento de Exceções Objetivos Compreender como o tratamento de exceção e de erro funciona. Como u4lizar try, throw e catch para detectar, indicar e tratar exceções,

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas Operacionais Um sistema operacional fornece o ambiente no qual os programas são executados. Internamente,

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

Marco Aurélio malbarbo@din.uem.br. Uma Visão Geral Sobre Plataforma Java

Marco Aurélio malbarbo@din.uem.br. Uma Visão Geral Sobre Plataforma Java RedFoot J Dukes Uma Visão Geral Sobre Plataforma Java Marco Aurélio malbarbo@din.uem.br 1 Roteiro Objetivos Plataforma Java Linguagem de Programação Maquina Virtual Tecnologias Conclusão 2 Objetivos Geral

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento.NET Paulo Sousa

Introdução ao Desenvolvimento.NET Paulo Sousa Introdução ao Desenvolvimento.NET Paulo Sousa Instituto Superior de Engenharia do Porto Instituto Politécnico do Porto Índice Plataforma.net C# Desenvolvimento Plataforma.net Introdução ao desenvolvimento.net

Leia mais

Tabela de Símbolos. Análise Semântica A Tabela de Símbolos. Principais Operações. Estrutura da Tabela de Símbolos. Declarações 11/6/2008

Tabela de Símbolos. Análise Semântica A Tabela de Símbolos. Principais Operações. Estrutura da Tabela de Símbolos. Declarações 11/6/2008 Tabela de Símbolos Análise Semântica A Tabela de Símbolos Fabiano Baldo Após a árvore de derivação, a tabela de símbolos é o principal atributo herdado em um compilador. É possível, mas não necessário,

Leia mais

UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS

UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS UM ESTUDO PARA A EVOLUÇÃO DO PHP COM A LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS Jean Henrique Zenzeluk* Sérgio Ribeiro** Resumo. Este artigo descreve os conceitos de Orientação a Objetos na linguagem de programação

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS SOBRE PROGRAMAÇÃO Programação Orientada a Objetos (POO)

CONCEITOS BÁSICOS SOBRE PROGRAMAÇÃO Programação Orientada a Objetos (POO) CONCEITOS BÁSICOS SOBRE PROGRAMAÇÃO Programação Orientada a Objetos (POO) Profa. Vania V. Estrela, Profa. Albany E. Herrmann 1. Programação Programação requer o uso de uma linguagem, cuja sintaxe geralmente

Leia mais

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento PHP Profissional APRENDA A DESENVOLVER SISTEMAS PROFISSIONAIS ORIENTADOS A OBJETOS COM PADRÕES DE PROJETO Alexandre Altair de Melo Mauricio G. F. Nascimento Novatec Sumário Agradecimentos...13 Sobre os

Leia mais

Bancos de Dados Orientados a Objetos e Objeto/Relacional

Bancos de Dados Orientados a Objetos e Objeto/Relacional UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Bancos de Dados Orientados a Objetos e Objeto/Relacional

Leia mais

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli Objetivo; Roteiro da Apresentação Visão Geral sobre Internet,

Leia mais

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Alexandro Deschamps (Ápice) alexandro@apicesoft.com Everaldo Artur Grahl (FURB/DSC) egrahl@furb.br Resumo. Uma das grandes

Leia mais

Professor Leo Larback Esta apresentação pode ser baixada livremente no site

Professor Leo Larback Esta apresentação pode ser baixada livremente no site C# Professor Leo Larback Esta apresentação pode ser baixada livremente no site www.larback.com.br C# - Definições C# é uma linguagem orientada a objeto que permite aos desenvolvedores construírem uma variedade

Leia mais

Introdução a lógica de programação. Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express

Introdução a lógica de programação. Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Introdução a lógica de programação Aula 02: Linguagens de Programação e Introdução ao Visual C# Express Roteiro da aula Linguagem de Programação Visual C#: Introdução a C# através de comandos de entrada

Leia mais

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares

Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas. Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Especialização em desenvolvimento para web com interfaces ricas Tratamento de exceções em Java Prof. Fabrízzio A. A. M. N. Soares Objetivos Conceito de exceções Tratar exceções pelo uso de try, catch e

Leia mais

Formação Inicial em Programação. Sobre o curso. Destinatários. Programação e Bases de Dados. Nível: Iniciado Duração: 217h

Formação Inicial em Programação. Sobre o curso. Destinatários. Programação e Bases de Dados. Nível: Iniciado Duração: 217h Formação Inicial em Programação Programação e Bases de Dados Nível: Iniciado Duração: 217h Sobre o curso A GALILEU incluiu no seu portfólio o Percurso de Formação Inicial em Programação permitindo às empresas

Leia mais

Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação

Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação Linguagem de Programação C# Professor: Douglas Sousa Cursos de Computação Agenda Conceitos Básicos; Principais Características; Visual Studio; Meu Primeiro Programa; A Linguagem C#; Sistemas de Tipos;

Leia mais

REGRAS DE CODIFICAÇÃO PARA O SMARTSHARE

REGRAS DE CODIFICAÇÃO PARA O SMARTSHARE REGRAS DE CODIFICAÇÃO PARA O SMARTSHARE 1. Como nomear variáveis, classes métodos e etc... Métodos descrevem ações, portanto todos os métodos DEVEM conter no mínimo um verbo SEMPRE no infinitivo. Toda

Leia mais

E/S CPU. Memória (Instruções e dados) 2 PARADIGMA IMPERATIVO. Instruções e dados. Resultados das operações. Unidade lógica e aritmética

E/S CPU. Memória (Instruções e dados) 2 PARADIGMA IMPERATIVO. Instruções e dados. Resultados das operações. Unidade lógica e aritmética 2 PARADIGMA IMPERATIVO 2.1 CONCEITO As linguagens que pertencem ao paradigma imperativo tomam por base a perspectiva da máquina. Ou seja, no modo como o computador executa programas em linguagem de máquina.

Leia mais

Framework.NET. Linguagem de Programação III. Mauro Lopes Carvalho Silva. Professor EBTT DAI Departamento Acadêmico de Informática Campus Monte Castelo

Framework.NET. Linguagem de Programação III. Mauro Lopes Carvalho Silva. Professor EBTT DAI Departamento Acadêmico de Informática Campus Monte Castelo Linguagem de Programação III Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento Acadêmico de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Linguagem

Leia mais

ESUS SAMU V. 1.3 - INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO

ESUS SAMU V. 1.3 - INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO ESUS SAMU V. 1.3 - INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO O sistema Esus-SAMU, é o sistema que permite a regulação de solicitantes/pacientes, gravando históricos de procedimentos médicos tomados, veículos enviados

Leia mais

FileMaker. Guia de instalação e novos recursos. do FileMaker Pro 15 e FileMaker Pro 15 Advanced

FileMaker. Guia de instalação e novos recursos. do FileMaker Pro 15 e FileMaker Pro 15 Advanced FileMaker Guia de instalação e novos recursos do FileMaker Pro 15 e FileMaker Pro 15 Advanced 2007-2016 FileMaker, Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Laboratório de Programação I

Laboratório de Programação I Laboratório de Programação I Introdução Visual Studio Fabricio Breve O que é o Visual Studio? Conjunto de ferramentas de desenvolvimento para construir: Aplicativos Web ASP.NET XML Web Services Aplicativos

Leia mais

Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web. 2005 by Pearson Education do Brasil

Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web. 2005 by Pearson Education do Brasil 1 Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web OBJETIVOS Neste capítulo, você aprenderá: Conceitos básicos de hardware e software. Conceitos básicos de tecnologia de objeto, como classes,

Leia mais

Capítulo 2. Processos de Software. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. slide 1

Capítulo 2. Processos de Software. 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. slide 1 Capítulo 2 Processos de Software slide 1 Tópicos apresentados Modelos de processo de software. Atividades de processo. Lidando com mudanças. Rational Unified Process (RUP). Um exemplo de um processo de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 14 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 01 de Novembro de 2013. Revisão aula passada Projeto de Arquitetura Decisões de projeto de Arquitetura

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2.1 Capítulo 2 QUALIDADE DE SOFTWARE 1. INTRODUÇÃO Como foi mencionado no capítulo anterior, o papel da Engenharia de Software é, principalmente, fornecer métodos e ferramentas para

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROGRAMAÇÃO Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROGRAMAÇÃO Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular PROGRAMAÇÃO Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

3. Faça uma breve descrição sobre a topologia da rede e o Active Directory-AD DISCIPLINA DE ARQUITETURA FECHADA WINDOWS SERVER

3. Faça uma breve descrição sobre a topologia da rede e o Active Directory-AD
 DISCIPLINA DE ARQUITETURA FECHADA WINDOWS SERVER Lista de Exercícios-01 1. Faça uma breve descrição sobre o Active Directory-AD O Active Directory-AD é uma implementaçao de serviço de diretório no protocolo LDAP que armazena informaçoes sobre objetos

Leia mais

Apresentação. Rio de Janeiro, 19 de fevereiro de 2002 Waldemar Celes

Apresentação. Rio de Janeiro, 19 de fevereiro de 2002 Waldemar Celes Apresentação A disciplina de Estruturas de Dados (ED) está sendo ministrada em sua nova versão desde o segundo semestre de 1998. Trata-se da segunda disciplina de informática oferecida no curso de Engenharia

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 6 Polimorfismo Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof.

Leia mais

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ...

Programação Na Web. Linguagem Java Parte II. break com o nome do bloco. Sintaxe. Nome do bloco. Termina o bloco. António Gonçalves ... Programação Na Web Linguagem Java Parte II Sintaxe António Gonçalves break com o nome do bloco Nome do bloco Termina o bloco class class Matrix Matrix { private private int[][] int[][] mat; mat; public

Leia mais

Segurança na Plataforma Microsoft.Net

Segurança na Plataforma Microsoft.Net Segurança na Plataforma Microsoft.Net João Garcia IST - INESC ID www.gsd.inesc-id.pt/~jog Sumário Segurança de Acessos por Código (Code Access) Políticas de Segurança Tópicos não abordados: Mecanismos

Leia mais

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 1 UML Introdução Fases de Desenvolvimento Notação Visões Análise de Requisitos Casos de Uso StarUML Criando Casos de Uso Orientação a Objetos Diagrama de Classes

Leia mais

Construindo Aplicações com ASP.NET MVC 2.0 Aula 01 Luiz Alberto Ferreira Gomes. Ciência da Computação da PUC Minas

Construindo Aplicações com ASP.NET MVC 2.0 Aula 01 Luiz Alberto Ferreira Gomes. Ciência da Computação da PUC Minas Construindo Aplicações com ASP.NET MVC 2.0 Aula 01 Luiz Alberto Ferreira Gomes Ciência da Computação da PUC Minas Microsoft Web Plataform 2 Código Dados IIS Express Hospedagem www.microsoft.com/web/downloads/platform.aspx

Leia mais

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Engenharia de Software e Gerência de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana

Leia mais

Linguagens de Programação

Linguagens de Programação Linguagens de Programação Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel Parte IV Introdução à Programação em C++ (Continuação) Relembrando da Última Aula... Funções Classes de armazenamento

Leia mais

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos

Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Java 2 Standard Edition Como criar classes e objetos Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Assuntos abordados Este módulo explora detalhes da construção de classes e objetos Construtores Implicações da

Leia mais

enbsp - NBioBSP NITGEN Biometric Service Provider SDK Manual do Desenvolvedor SDK version 4.xx

enbsp - NBioBSP NITGEN Biometric Service Provider SDK Manual do Desenvolvedor SDK version 4.xx Índice: CAPÍTULO 1. INTRODUÇÃO... 3 Módulo NBioBSP COM... 3 Módulo NBioBSP Class Library... 3 Módulo Data Conversion... 3 Módulo Image Conversion... 3 1.1 CARACTERÍSTICAS... 4 Interface Gráfica para o

Leia mais

Elementos da Linguagem C#

Elementos da Linguagem C# Linguagem de Programação III Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento Acadêmico de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Linguagem

Leia mais

Programação Orientada a Objetos OOP. IFES Campus Vitória Engenharia Elétrica 2015-2 Professor: Danilo A. Silva

Programação Orientada a Objetos OOP. IFES Campus Vitória Engenharia Elétrica 2015-2 Professor: Danilo A. Silva Programação Orientada a Objetos OOP IFES Campus Vitória Engenharia Elétrica 2015-2 Professor: Danilo A. Silva Sobre a disciplina Carga horária : 60 horas (30 teóricas e 30 práticas) Material do curso estará

Leia mais

1- ASP.NET - HTML Server Controls

1- ASP.NET - HTML Server Controls 1- ASP.NET - HTML Server Controls Os controles de servidor - Server Controls - HTML são tags HTML padrão, com exceção de possuirem o atributo : runat="server". Vejamos um código que ilustra isto: O atributo

Leia mais

Infracontrol versão 1.0

Infracontrol versão 1.0 Infracontrol versão 1.0 ¹Rafael Victória Chevarria ¹Tecnologia em Redes de Computadores - Faculdade de Tecnologia SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) Rua Gonçalves Chaves 602-A Centro 96015-560

Leia mais

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware)

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware) Computador Digital SIS17 - Arquitetura de Computadores (Parte I) Máquina que pode resolver problemas executando uma série de instruções que lhe são fornecidas. Executa Programas conjunto de instruções

Leia mais

Capítulo 4 Gerenciamento de Memória

Capítulo 4 Gerenciamento de Memória Capítulo 4 Gerenciamento de Memória 4.1 Gerenciamento básico de memória 4.2 Troca de processos 4.3 Memória virtual 4.4 Algoritmos de substituição de páginas 4.5 Modelagem de algoritmos de substituição

Leia mais

Conheça mais da Caelum. Cursos Online www.caelum.com.br/online. Casa do Código. Blog Caelum blog.caelum.com.br

Conheça mais da Caelum. Cursos Online www.caelum.com.br/online. Casa do Código. Blog Caelum blog.caelum.com.br Conheça mais da Caelum. Cursos Online www.caelum.com.br/online Casa do Código Livros para o programador www.casadocodigo.com.br Blog Caelum blog.caelum.com.br Newsletter www.caelum.com.br/newsletter Facebook

Leia mais