DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM EDUCAÇÃO SEXUAL ONLINE: DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA DE EDUCAÇÃO SEXUAL A DISTÂNCIA DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL Por: Poliana Guerra Canzian Orientador Profª. Fabiane Muniz São Paulo 2012

2 2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM EDUCAÇÃO SEXUAL ONLINE: DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA DE EDUCAÇÃO SEXUAL A DISTÂNCIA Apresentação de monografia à Universidade Candido Mendes como requisito parcial para obtenção do grau de especialista em Sexualidade. Por: Poliana Guerra Canzian

3 3 AGRADECIMENTOS...a todos os professores que me influenciaram positivamente e que fizeram diferença na minha vida, em especial: - À Profª. Dra. Mara Dias Pires por me motivar com seu avançado conhecimento em Fisiologia Sexual, por seu incentivo à criação de engenhocas e à experimentação científica. - À Profª. Dra. Victoria Secaf por sua amizade, simpatia e por me ensinar a escrever trabalhos científicos. - Ao Prof. Ms. Carlos Manuel de Oliveira Nascimento por me inspirar com sua excelência no ensino, seu rigoroso raciocínio científico e grande carisma.

4 4 DEDICATÓRIA...amigos, parentes e a todos que torceram por mim.

5 5 RESUMO Educação sexual é o ensino do funcionamento sexual normal e patológico, e do comportamento e de atitudes sexuais responsáveis. A educação a distância acompanhou o desenvolvimento dos meios de transportes e da comunicação; e de geração em geração tem sido desenvolvida. O ensino da sexualidade vem acompanhando o avanço tecnológico, e iniciativas pioneiras surgem a cada dia no Brasil e no mundo. Os objetivos desse trabalho foram: verificar de que forma a área da informática pode auxiliar a educação sexual, definir quais ferramentas da alta tecnologia podem auxiliar o educador sexual e descrever o processo de desenvolvimento dessa plataforma. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com objetivos exploratórios/descritivos e de uma pesquisa ação, quanto aos procedimentos técnicos. Adaptou-se o referencial teórico de RADFAHRER, que divide o processo em quatro fases: planejamento e desenvolvimento do design estrutural, desenvolvimento do design visual e produção de conteúdo, programação de códigos e hospedagem num servidor. Foi desenvolvido um ambiente virtual denominado de Plataforma de Educação Sexual Online, que foi hospedado no endereço: Considera-se ser necessário testar a Plataforma na prática do ensino da sexualidade, para que aprimoramentos possam ser feitos. Assim como, considera-se ser necessário o uso de metodologias de ensino adequadas aos recursos educacionais da Plataforma.

6 6

7 7 METODOLOGIA Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com objetivos exploratórios/descritivos e de uma pesquisa ação, quanto aos procedimentos técnicos (THIOLLENT, 2000, 2009, 2011). Para o desenvolvimento do trabalho adaptou-se o referencial teórico de RADFAHRER, que propõe o seguinte processo para a produção de um Web site: planejamento e desenvolvimento do design estrutural, desenvolvimento do design visual e produção de conteúdo, programação de códigos e hospedagem num servidor (RADFAHRER [2003?], p.171). Foram realizados levantamentos bibliográficos nas bases de dados: Biblioteca Virtual em Saúde BVS, Biblioteca Regional de Medicina BIREME e no Banco de Dados Bibliográficos da USP DEDALUS, com os seguintes descritores: educação sexual, sex education, educação sexual a distancia e sex education at a distance; e nos sistemas de buscas: Google e Google acadêmico, com os seguintes descritores: educação sexual online e sex education online. Assim como, foram realizados levantamentos nas bibliotecas: Abguar Bastos do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas FMU, Wanda de Aguiar Horta da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP), Central da Faculdade de Medicina da USP e da Faculdade de Educação da USP. Para a coleta de dados foram realizadas leituras exploratórias, seletivas, analíticas e interpretativas das informações. As informações selecionadas foram armazenadas num banco de dados informatizado utilizando-se a técnica de fichamento.

8 8 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I EDUCAÇÃO SEXUAL O que é educação sexual? Formas de educação sexual Parâmetros Curriculares Nacionais do Brasil Educação sexual na prática CAPÍTULO II EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA O que é educação a distância? Denominações da educação a distância Vantagens da educação a distância História da educação a distância Gerações da educação a distância Tecnologias utilizadas na educação a distância Educação via internet CAPÍTULO III EDUCAÇÃO SEXUAL ONLINE Trabalhos realizados no Brasil e no mundo Contribuições da informática para a educação sexual Criação da Plataforma Educação Sexual Online CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA WEBGRAFIA... 46

9 GLOSSÁRIO

10 10 INTRODUÇÃO O homem desde os tempos primórdios já se comunicava a distância, seja naturalmente pela atração do macho pela fêmea através dos ferormônios, que regulam a distância o mecanismo neuroendócrino dos receptores ; assim como por meio da fumaça e do correio por pássaros e/ou homens mensageiros. A comunicação a distância parece ser uma necessidade que acompanha a humanidade desde os tempos mais remotos. E a Educação a distância (EaD) parece ser uma consequência dessa necessidade de se comunicar a distância, neste caso, com a finalidade de ensinar algo ao receptor da mensagem. A EaD acompanhou o desenvolvimento dos meios de transportes e da comunicação, e de geração em geração foi sendo desenvolvida com os recursos tecnológicos disponíveis: material impresso enviado pelo correio, televisão, rádio, telefone, fitas de áudio e vídeo, teleconferência por satélite, CD ou DVD e assim por diante (LUZZI, 2007). A partir da criação da internet, ocorreu uma ruptura na EaD, pois a distância física passou a ser substituída pela aproximação virtual (MÁTTAR NETO, 2003). A EaD via internet possui muitos recursos, tais como: correio eletrônico, chat, lista de discussão, fórum, web site, blog, wiki, podcast, TV web, rádio web, web conferência, jogo online, redes sociais, ambientes virtuais de aprendizagem, entre outros. O ensino da sexualidade e a orientação sexual vêm acompanhando o avanço tecnológico, e iniciativas pioneiras relacionadas com o tema surgem a cada dia no Brasil e no mundo. Assim, a Educação Sexual Online tornou-se uma realidade. No entanto, ao se buscar na internet cursos visando a educação sexual online, desenvolvidos por especialistas em sexualidade, e nos moldes dos cursos oferecidos por instituições de ensino, percebe-se uma área com

11 11 escassez de ofertas, e que precisa se desenvolver e ser melhor aproveitada pelos especialistas em sexualidade. A realização desta pesquisa foi motivada justamente pela necessidade de iniciativas nesta área. E tendo como pressuposto que os recursos utilizados na EaD pela internet podem ser usados para promover a educação sexual online, sendo os mesmos adequados e úteis para essa finalidade, realizou-se esta pesquisa que teve como questão central a seguinte indagação: Como a área da informática pode contribuir para a educação sexual? Os objetivos estabelecidos para a realização da pesquisa foram: verificar de que forma a área da informática pode auxiliar a educação sexual, definir quais ferramentas da alta tecnologia podem auxiliar o educador sexual e descrever o processo de desenvolvimento dessa plataforma.

12 12 CAPÍTULO I EDUCAÇÃO SEXUAL "Se a Educação Sexual presente nos relacionamentos cotidianos evoluir cada vez mais, tornando-se positiva e o mais construtiva possível, certamente teremos, no futuro, menos jovens e adultos necessitados de terapia sexual" (Mary Neide Damico Figueiró) Educação sexual é o ensino do funcionamento sexual normal e patológico, assim como do comportamento e de atitudes sexuais responsáveis, feita de maneira formal ou informal dentro da sociedade O que é educação sexual? Para VITIELLO (1995, p. 20-1), educação sexual é "[...] a parte do processo educativo especificamente voltada para a formação de atitudes referentes à maneira de viver a sexualidade", ou seja, "a educação sexual é a preparação do indivíduo para a vida sexual". Segundo o Programa Multirio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Orientação Sexual é "um conjunto de orientações desenvolvidas de forma assistemática sobre sexualidade", e este processo "é global, não intencional, e envolve toda a ação exercida sobre o indivíduo, no seu cotidiano, desde o nascimento, com repercussão direta e indireta sobre a sua vida sexual, ao longo da vida" (BIBLIOMED, 2012). Educação sexual é pois abrir possibilidades, dar informações sobre os aspectos fisiológicos da sexualidade, mas principalmente informar sobre as suas interpretações culturais e suas possibilidades significativas, permitindo uma tomada lúdica de consciência. É dar condições para o desenvolvimento contínuo de uma sensibilidade criativa em seu relacionamento pessoal. Uma aula de educação sexual deixaria então de ser apenas um aglomerado de noções estabelecidas de biologia, de psicologia e de moral, que não apanham a sexualidade humana naquilo que lhe pode dar significado e vivência autêntica: a procura mesmo da beleza interpessoal, a criação

13 13 de um erotismo significativo do amor (VASCONCELOS, 1971, p. 111). Com relação à diferença dos termos "educação sexual" e "orientação sexual", segundo o psicólogo Ricardo Castro e Silva, membro do Grupo de Trabalho e Pesquisa em Orientação Sexual (GTPOS), mais do que diferenças teóricas entre ambos, são na verdade disputas políticas dentro do campo da sexologia educacional. O psicólogo relata que (RUSSO, 2011, p. 41): Na verdade, na verdade, ficou uma marca política, porque ficou assim: o grupo da Marta é 'orientação' e o grupo da Sbrash que, naquele momento centrava muito na figura do Nelson Vitiello (...), 'educação sexual'. O que é um jogo político de delimitação de espaço: esse aqui é o meu espaço, esse aqui é o seu espaço Formas de educação sexual As duas formas de ensinar a sexualidade estabelecidas por WEREBE e indicadas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) do Brasil, são (WEREBE apud FIGUEIRÓ, 2009): - Educação sexual formal: que faz parte do programa de uma instituição de ensino, desenvolvido através de um planejamento prévio; - Educação sexual informal: que ocorre de forma espontânea através de uma pergunta ou de uma situação ocorrida; ocorrendo no seio da família e através dos meios de comunicação de massa, como: jornais, revistas, TV, rádio, internet, entre outros. Ainda conforme os PCNs, FIGUEIRÓ (1999, p. 66) esclarece que as duas formas de educação sexual podem ser abordadas da 1ª a 8ª série: a) "de forma transversal": é quando o conteúdo de sexualidade proposto para cada série é organizado, planejado e dividido entre os professores, para ver quem vai ensinar o que. Pode ser que numa série, sejam professores de Português, História e Ciências que se sentem capazes e querem ensinar sobre sexualidade. Então ensinarão o conteúdo de sexualidade dentro de suas

14 14 próprias aulas. [...] Quando a professora é a única da sala, como acontece nas séries iniciais, deve organizar-se para ensinar os conteúdos estipulados para aquela série, dentro de algumas matérias [...]. b) como "extra-progamação": é quando todo e qualquer professor, sem ter planejado, aproveita uma situação, um fato que acontece espontaneamente, para, a partir daí, ensinar sobre sexualidade, ou passar uma mensagem positiva sobre a sexualidade; aproveita, enfim para educar sexualmente. Existem segundo a MULTIRIO apud BIBLIOMED (2012): [...] dois novos conceitos de educação sexual, segundo outros autores: o primeiro se denomina intelectual e preocupa-se com conceitos e clarezas de definições. O outro é mais combativo e procura recrutar para as lutas mundiais de transformação dos padrões de relacionamento sexual Parâmetros Curriculares Nacionais do Brasil Para os PCNs a orientação sexual: Constitui um processo formal e sistematizado que acontece dentro da instituição escolar, exige planejamento e propõe uma intervenção por parte dos profissionais da educação. O trabalho de Orientação Sexual na escola é entendido como problematizar, levantar questionamentos e ampliar o leque de conhecimentos e de opções para que o aluno, ele próprio, escolha o seu caminho. A Orientação Sexual não-diretiva aqui proposta será circunscrita ao âmbito pedagógico e coletivo, não tendo portanto caráter de aconselhamento individual de tipo psicoterapêutico (BRASIL, 1997, p. 121). Os PCNs estabelecem três eixos a serem trabalhados sobre a sexualidade nas escolas: - O corpo: A abordagem sobre o corpo deve ir além das informações sobre sua anatomia e funcionamento, pois os órgãos não existiriam fora de um corpo que pulsa e sente. O corpo é concebido como um todo integrado, de sistemas interligadas e inclui emoções, sentimentos, sensações de prazer/desprazer, assim como transformações nele ocorridas ao longo do tempo. Há que se considerar, portanto, os fatores culturais que

15 15 - As relações de gênero: intervêm na construção da percepção do corpo, esse todo que inclui as dimensões biológica, psicológica e social (BRASIL, 1997, p. 140). "[...] tem por objetivo combater relações autoritárias, questionar a rigidez dos padrões de conduta estabelecidos para homens e mulheres e apontar para a sua transformação" (BRASIL, 1997, p. 144). - As Doenças Sexualmente Transmissíveis, com ênfase dada a AIDS: As informações sobre as doenças devem ter sempre como foco a promoção de condutas preventivas, enfatizando-se a distinção entre as formas de contato que propiciam risco de contágio daquelas que, na vida cotidiana, não envolvem risco algum (BRASIL, 1997, p. 147) Educação sexual na prática A Organização Mundial da Saúde (OMS) conceituou a sexualidade de uma forma ampla e holística (PORTUGAL, 2012): A sexualidade é uma energia que nos motiva para encontrar amor, contacto, ternura e intimidade; ela integra-se no modo como sentimos, movemos, tocamos e somos tocados, é ser-se sensual e ao mesmo tempo ser-se sexual. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, acções e interacções e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental. Mas a educação sexual promovida nas escolas do Brasil passa longe deste conceito, pois conforme (MOREIRA, 2008, p. 112): Nas escolas bem intencionadas, ainda hoje, palestras esporádicas sobre sexualidade resumem-se em estudar o corpo reprodutivo e estimular a prevenção à gravidez indesejada. O prazer é assunto negado, ou quando muito, mascarado numa linguagem subliminar de que o corpo feminino é um espaço sem muitos direitos. O Dr. Malcolm Montgomery, ginecologista e obstetra, também compartilha da mesma ideia acrescentando que "é mais fácil falar em fecundação, ovulação do que em desejo". E defende que os pais e professores

16 16 normalmente não estão preparados para educar sexualmente as crianças e jovens (MONTGOMERY, 2012). A Bióloga e professora do Departamento de Biologia Geral da Universidade Estadual de Londrina UEL, Vera Lucia Bahl de Oliveira, defende que "há necessidade urgente de cursos de formação continuada de Professores para a orientação sexual na escola" (OLIVEIRA, 2009, p. 181). E a Pesquisadora e Psicóloga, Dra. Mary Neide Damico Figueiró, diz que (FIGUEIRÓ, 2009, p. 98): A Educação Sexual é uma tarefa complexa, que envolve dificuldades e requer planejamento e preparo do educador. A formação de professores voltada para o ensino da sexualidade requer um investimento em sua formação continuada, de forma sistemática, prolongada e com assessoria para o momento em que eles se envolverem na prática efetiva. A opinião destes três profissionais demonstra a necessidade e um campo de atuação para os especialistas em sexualidade desenvolverem cursos de formação continuada em sexualidade. O próprio MEC orienta que (BRASIL, 2012, p. 303 ² ): É necessário que o educador tenha acesso à formação específica para tratar de sexualidade com crianças e jovens na escola, possibilitando a construção de uma postura profissional e consciente no trato desse tema. Os professores necessitam entrar em contato com suas próprias dificuldades diante do tema, com questões teóricas, leituras e discussões referentes à sexualidade e suas diferentes abordagens; preparar-se para a intervenção prática junto aos alunos e ter acesso a um espaço grupal de produção de conhecimento a partir dessa prática, se possível contando com assessoria especializada. A formação deve ocorrer de forma continuada e sistemática, propiciando a reflexão sobre valores e preconceitos dos próprios educadores envolvidos no trabalho de Orientação Sexual.

17 17 CAPÍTULO II EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA "Todo sistema de educação é uma maneira política de manter ou de modificar a apropriação dos discursos, com os saberes e os poderes que eles trazem consigo" (Michel Foucault) A EaD acompanhou o desenvolvimento dos meios de transportes e da comunicação; e de geração em geração está sendo desenvolvida através dos recursos tecnológicos disponíveis O que é educação a distância? A EaD é conceituada de diferentes maneiras, em cada conceito é dada ênfase a alguma característica em especial, no entanto todas as maneiras de conceituá-la convergem em pontos comuns, como segue abaixo: Autor(es)/ano Conceito Ênfase Educação a distância (Ferstudium) é uma forma sistematicamente organizada de autoestudo onde o aluno se instrui a partir do material de estudo que é apresentado, o acompanhamento e a supervisão Dohmem (1967) do sucesso do estudante são levados a cabo por um grupo de professores. Isto é possível através da Forma de estudo aplicação de meios de comunicação capazes de vencer longas distâncias (BERNARDO, 2009). Educação/ensino a distância (Fernunterricht) é um método racional de partilhar conhecimento, Peters (1973) habilidades e atitudes, através da aplicação da divisão do trabalho e de princípios organizacionais, tanto quanto pelo uso extensivo de meios de comunicação, especialmente para o propósito de Metodologia reproduzir materiais técnicos de alta qualidade, os quais tornam possível instruir um grande número de estudantes ao mesmo tempo, enquanto esses materiais durarem. É uma forma industrializada de ensinar e aprender (BERNARDO, 2009). Ensino a distância pode ser definido como a família de métodos instrucionais onde as ações dos professores são executadas a parte das ações dos Nas ações do alunos, incluindo aquelas situações continuadas professor e na Moore (1973) que podem ser feitas na presença dos estudantes. comunicação Porém, a comunicação entre o professor e o aluno entre professor e deve ser facilitada por meios impressos, aluno eletrônicos, mecânicos ou outros (BERNARDO, 2009). O termo educação a distância esconde-se sob várias formas de estudo, nos vários níveis que não

18 18 Holmberg (1977) Keegan (1991) estão sob a contínua e imediata supervisão de tutores presentes com seus alunos nas salas de leitura ou no mesmo local. A educação a distância se beneficia do planejamento, direção e instrução da organização do ensino (BERNARDO, 2009). Ele resume os elementos centrais da EAD (BERNARDO, 2009): Separação física entre professor e aluno, que a distingue do ensino presencial; Influência da organização educacional (planejamento, sistematização, plano, organização dirigida etc.), que a diferencia da educação individual; Utilização de meios técnicos de comunicação para unir o professor ao aluno e transmitir os conteúdos educativos; Previsão de uma comunicação de mão dupla, onde o estudante se beneficia de um diálogo e da possibilidade de iniciativas de dupla via; Possibilidade de encontros ocasionais com propósitos didáticos e de socialização. Formas de estudo Separação física entre professor e aluno e a possibilidade de encontros presenciais Llamas (1996) Chaves (1999) Alves, Zambalde e Figueiredo A Educação a Distância é uma estratégia educativa baseada na aplicação da tecnologia na aprendizagem, sem limitação de lugar, tempo, ocupação ou idade dos estudantes. Implica novos papéis, novas atitudes e novos enfoques metodológicos para estudantes e professores (LLAMAS apud ALVES; ZAMBALDE; FIGUEIREDO, 2004). A EaD, no sentido fundamental da expressão, é o ensino que ocorre quando o ensinante e o aprendente estão separados (no tempo ou no espaço). No sentido que a expressão assume hoje, enfatiza-se mais a distância no espaço e se propõe que ela seja contornada através do uso de tecnologias de telecomunicação e de transmissão de dados, voz e imagens (incluindo dinâmicas, isto é, televisão ou vídeo). Não é preciso ressaltar que todas essas tecnologias, hoje, convergem para o computador (BERNARDO, 2009). Uma atividade de ensino e aprendizado sem que haja proximidade entre professor e alunos, em que a comunicação biodirecional entre os vários sujeitos do Processo (professor, alunos, monitores, administração seja realizada por meio de algum recurso tecnológico intermediário, como cartas, textos impressos, televisão, radiodifusão ou ambientes computacionais) (ALVES; ZAMBALDE; FIGUEIREDO, 2004, p.6). Uso de tecnologias na educação e os novos paradigmas Separação física entre professor e aluno e o uso das tecnologias da comunicação Separação física entre professor e aluno e recursos tecnológicos

19 19 BRASIL (2005) MOORE & KEARLEY (2008) Ministério da Educação do Brasil O conceito de Educação a Distância no Brasil foi definido oficialmente no Decreto nº de 19 de dezembro de 2005 (BRASIL, 2012 ³ ): Art. 1º - Para os fins deste Decreto, caracteriza-se a Educação a Distância como modalidade educacional na qual a mediação didáticopedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos. 1º - A Educação a Distância organiza-se segundo metodologia, gestão e avaliação peculiares, para as quais deverá estar prevista a obrigatoriedade de momentos presenciais para: I avaliações de estudantes; II estágios obrigatórios, quando previstos na legislação pertinente; III defesa de trabalhos de conclusão de curso, quando previstos na legislação pertinente e IV atividades relacionadas a laboratórios de ensino, quando for o caso. Educação a distância é o aprendizado planejado que ocorre normalmente em um lugar diferente do local de ensino, exigindo técnicas especiais de criação do curso e de instrução, comunicação por meio de várias tecnologias e disposições organizacionais e administrativas especiais (MOORE & KEARLEY, 2008, p. 2). Educação a distância é a modalidade educacional na quais alunos e professores estão separados, física ou temporalmente e, por isso, faz-se necessária a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação (BRASIL, ). Tabela 2.1: Conceitos de Educação a distância. Modalidade educacional e o uso de meios e das tecnologias da comunicação Planejamento e execução da EAD Separação física entre professor e aluno e o uso das tecnologias de informação e comunicação 2.2 Denominações da educação a distância A EaD implica na manipulação do espaço e do tempo em favor da educação, e ela recebeu diferentes denominações pelo mundo (MÁTTAR NETO, 2003, p ): - Estudo ou educação por correspondência (Reino Unido); - Estudo em casa e estudo independente (Estados Unidos); - Estudos externos (Austrália);

20 20 - Teleensino ou ensino a distância (França); - Estudo ou ensino a distância (Alemanha); - Educação a distância (Espanha); - Teleeducação (Portugal); Vantagens da educação a distância A EaD possui muitas vantagens (ALVES, 2011; MORAN, 2012): Flexibilidade de horários; Conciliação do trabalho com o estudo; Ritmo do estudo definido pelo aluno; Maior autonomia do aluno; Permanência do aluno em seu ambiente familiar; Formação continuada; Educação personalizada; Economia de recursos financeiros; Materiais didáticos já inclusos no valor; Apoio dado por materiais digitais complementares; Pedagogia inovadora; Conteúdos desenvolvidos com orientação de aplicabilidade; Interatividade entre alunos, professores e técnicos de apoio; Diversificação da população escolar; Possibilidade de atender um grande contingente de alunos; Modalidade de educação democrática; Acesso ao ensino para os alunos geograficamente distantes dos grandes centros urbanos, fator este de grande relevância social;

21 21 Modalidade de ensino sem riscos de reduzir a qualidade dos serviços oferecidos se clientela atendida aumentar drasticamente; Instrumento de promoção de oportunidades, tanto estudantis, como profissionais. dizendo que: Por isso, ALVES (2011, p. 91) conclui muito bem sua pesquisa [...] a Educação a Distância oferece oportunidades que pelo modelo presencial seria difícil ou impossível de atingir, pois possui uma ampla abrangência e grandiosa magnitude não somente no nosso país, mas em todo o mundo História da educação a distância A EaD tem sua origem no final do século XVIII e a partir dessa época tem se desenvolvido tanto quantitativamente, quanto qualitativamente, conforme segue abaixo (GOLVÊA & OLIVEIRA, 2006; VASCONCELOS, 2010): Local e ano Iniciativa relacionada a EaD Algumas obras citam as epístolas de São Ásia Menor (século I) Paulo às comunidades cristãs da Ásia Menor, registradas na Bíblia, como a origem histórica da EaD. Curso promovido pela Gazeta de Boston, Boston - Estados Unidos da América (1728) onde o Prof. Caleb Philipps, de Short Hand, oferecia material para ensino e tutoria por correspondência. Foi inaugurado o Instituto Líber Hermondes, Suécia (1829) que possibilitou a mais de pessoas realizarem cursos através da EaD. Foi inaugurada a primeira escola por Reino Unido (1840) correspondência na Europa, na Faculdade Sir Isaac Pitman. Reino Unido (1843) Foi criada a Phonografic Corresponding Society. A Sociedade de Línguas Modernas patrocina Berlim Alemanha (1856) os professores Charles Toussaine e Gustav Laugenschied para ensinarem Francês por correspondência. É criada a Divisão de Ensino por Chicago - Estados Unidos da América (1892) Correspondência para preparação de docentes no Departamento de Extensão da Universidade de Chicago. União Soviética (1922) Há o início de cursos por correspondência. Programas escolares pelo rádio são desenvolvidos como complemento e Japão (1935) enriquecimento da escola oficial pelo

22 22 Paris França (1947) Noruega (1948) África (1951) Chicago - Estados Unidos da América (1956) Argentina (1960) Países da Oceania (1968) Reino Unido (1969) Reino Unido (1971) Espanha (1972) México (1972) Paquistão (1974) Venezuela (1977) Costa Rica (1978) Sri Lanka (1980) Colômbia (1983) Holanda (1984) Indonésia (1984) Europa (1985) Índia (1985) Europa (1987) Europa (1987) Portugal (1988) Japanese National Public Broadcasting Service. Aulas de quase todas as disciplinas literárias da Faculdade de Letras e Ciências Humanas de Paris passaram a ser transmitidas por meio da Rádio Sorbonne. Foi criada a primeira legislação para escolas por correspondência da Noruega. É fundada a Universidade de Sudáfrica, atualmente a única universidade a distância da África e que se dedica exclusivamente a esta modalidade. A Chicago TV College começou a transmitir programas educativos pela televisão, esta iniciativa fez surgir unidades de ensino a distância em outras universidades do país. Surge a Tele Escola Primária do Ministério da Cultura e Educação, que integrava os materiais impressos à televisão e à tutoria. Foi fundada a Universidade do Pacífico Sul, uma universidade regional que pertence a 12 países-ilhas da Oceania. Foi criada a Fundação da Universidade Aberta do Reino Unido. Foi fundada a Universidade Aberta Britânica. Foi fundada a Universidade Nacional de Educação a Distância da Espanha. O Programa Universidade Aberta foi inserido na Universidade Autônoma do México. A Universidade Aberta Allma Iqbal passou a formar docentes através da EaD. Foi criada a Fundação da Universidade Nacional Aberta da Venezuela. Foi fundada a Universidade Estadual a Distância da Costa Rica. A Universidade Aberta passou a investir nas profissões tecnológicas e na formação docente, setores estes importantes para o desenvolvimento do país. Foi fundada a Universidade Estatal Aberta da Colômbia. Foi fundada a Universidade Aberta da Holanda. Foi fundada a Universidade de Terbuka. Foi criada a Fundação da Associação Europeia das Escolas por Correspondência. Foi fundada a Universidade Nacional Aberta Indira Gandh. Foi divulgada a resolução do Parlamento Europeu sobre Universidades Abertas na Comunidade Europeia. Foi criada a Fundação da Associação Europeia de Universidades de Ensino a Distância. Foi criada a Fundação da Universidade Aberta de Portugal. Foi implantada a rede Europeia de Educação

23 23 a Distância, baseada na declaração de Europa (1990) Budapeste e no relatório da Comissão sobre educação aberta e a distância na Comunidade Europeia. Tabela 2.2: História da EaD no mundo. A EaD no Brasil foi normatizada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96). Essa modalidade é regulada pelo Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005; pelo Decreto nº 5.773, de maio de 2006; pelo Decreto nº 6.303, de 12 de dezembro de 2007, e pela Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007 (BRASIL, ). Consta no art. 80 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional que, o Poder Público incentivará o desenvolvimento e a veiculação de programas de ensino a distância, em todos os níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada (MÁTTAR NETO, 2003, p. 127). Tabela 2.1: O surgimento das ferrovias no Brasil (CAMMAROTA, 2003, p. 9). A criação da EaD no mundo e no Brasil foi possível com o desenvolvimento dos meios de transportes (trens) e de comunicação (correio) (LITWIN, 2001; MÁTTAR NETO, 2003) O Jornal do Brasil registra, na primeira edição da seção de classificados, anúncio que oferece profissionalização por correspondência para datilógrafo. Foi criada a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, por um grupo liderado por Henrique Morize e Edgard Roquette-Pinto, e que

a) As características sob a forma de Ensino à Distância:

a) As características sob a forma de Ensino à Distância: Guia do curso EaD O parecer do Conselho Nacional de Educação, homologado pelo Ministro da Educação por meio de Portaria publicada no Diário Oficial, pode ser encontrado nos termos da Lei 9.394/96 (LDB),

Leia mais

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época.

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época. Educação a distância (EaD, também chamada de teleducação), por vezes designada erradamente por ensino à distância, é a modalidade de ensino que permite que o aprendiz não esteja fisicamente presente em

Leia mais

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE Mayara Teles Viveiros de Lira (UFAL) Maria Helena de Melo Aragão (UFAL) Luis Paulo Leopoldo Mercado (UFAL) Resumo Este estudo analisa

Leia mais

Prática Docente em EAD

Prática Docente em EAD Prática Docente em EAD Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 1 Prática Docente em EAD Apresentação da Disciplina Sobre o professor Marco A. F. Pozam Profissional: +20 anos de experiência em gerenciamento

Leia mais

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Projeto de Implantação do Núcleo Tecnológico de Educação Aberta - NTEA Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Ourinhos - 2012 2 1- DADOS GERAIS 1.1 UNIDADE EXECUTORA FIO - FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS

Leia mais

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Pedagógica Pós-graduação Epidemiologia Como surgiu a EAD O

Leia mais

Educação à Distância Vantagens e Desvantagens

Educação à Distância Vantagens e Desvantagens Educação à Distância Vantagens e Desvantagens Helena Pinto Nonato 1, Ernerstina Nonato Pinto 2 1 Instituto de Informática Universidade Federal de Goiás (UFG) Caixa Postal 131 CEP 74001-970 Goiânia Go Brasil

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

Fundamentos da Educação a Distancia, Legislação e Organização

Fundamentos da Educação a Distancia, Legislação e Organização Fundamentos da Educação a Distancia, Legislação e Organização Autores: Elisabete Péres Queiroz de Paiva e Lays Batista Fitaroni Coordenação: Beatriz Stransky e Sílvia Dotta Introdução Neste texto iremos

Leia mais

7Artigo. Educação a distância: conceitos e história no Brasil e no mundo Distance learning: concepts and history in Brazil and in the world RESUMO

7Artigo. Educação a distância: conceitos e história no Brasil e no mundo Distance learning: concepts and history in Brazil and in the world RESUMO 7Artigo Educação a distância: conceitos e história no Brasil e no mundo Distance learning: concepts and history in Brazil and in the world Lucineia Alves 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro lucineia@histo.ufrj.br

Leia mais

Ambientação ao Moodle. João Vicente Cegato Bertomeu

Ambientação ao Moodle. João Vicente Cegato Bertomeu Ambientação ao Moodle João Vicente Cegato Bertomeu AMBIENTAÇÃO A O MOODLE E S P E C I A L I Z A Ç Ã O E M SAUDE da FAMILIA Sumário Ambientação ao Moodle 21 1. Introdução 25 2. Histórico da EaD 25 3. Utilizando

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM Edivan Claudino Soares da Silva RESUMO O presente trabalho é fruto de uma adaptação do seminário de uma disciplina do Mestrado em Educação Brasileira

Leia mais

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO Porto Velho - RO - 03/2010 Sara Luize Oliveira Duarte, Universidade de Taubaté, saralod@msn.com Walace

Leia mais

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância 128-TC-B5 Maio/2005 Marcio Vieira de Souza, Dr. Universidade do Vale do Itajai-UNIVALI-SC e-mail: mvsouza@univali.br Fernando Spanhol,

Leia mais

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação 2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

FAQ Estude Sem Dúvidas

FAQ Estude Sem Dúvidas FAQ Estude Sem Dúvidas Núcleo de Educação a Distância Faculdade Flamingo São Paulo Atualizado em: Outubro/2015 2 Estude sem dúvidas FAQ para os alunos de Pedagogia Presencial Caros alunos e alunas do curso

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DOS RECURSOS DISPONÍVEIS EM AMBIENTES VIRTUAIS DE ENSINO PARA A PRÁTICA AVALIATIVA. Recife, 05/2009.

CONTRIBUIÇÕES DOS RECURSOS DISPONÍVEIS EM AMBIENTES VIRTUAIS DE ENSINO PARA A PRÁTICA AVALIATIVA. Recife, 05/2009. 1 CONTRIBUIÇÕES DOS RECURSOS DISPONÍVEIS EM AMBIENTES VIRTUAIS DE ENSINO PARA A PRÁTICA AVALIATIVA Recife, 05/2009. Sandra da Silva Santos UFPE sandrinhasss@uol.com.br Categoria: Pesquisa e Avaliação Setor

Leia mais

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O TRABALHO DO TUTOR COMO MEDIADOR DO CONHECIMENTO SOEK, Ana Maria (asoek@bol.com.br) Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Brasil HARACEMIV,

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos PERSPECTIVAS PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA A DISTÂNCIA 15 Cristina Alves de Brito crisalbri@filologia.org.br O foco em que tem estado a Educação a Distância dá a falsa ideia de que tal modalidade

Leia mais

A TUTORIA PRESENCIAL NA EAD

A TUTORIA PRESENCIAL NA EAD A TUTORIA PRESENCIAL NA EAD Goiânia GO - Abril 2010 Lia Camila dos Reis Figueiredo - Colégio Meta - Goiânia GO liacamila19@hotmail.com Danuza Janne Ribeiro de Almeida - Polo Goiânia I SEPC / UNOPAR danuzajan@hotmail.com

Leia mais

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 Elaine Turk Faria 1 O site do Ministério de Educação (MEC) informa quantas instituições já estão credenciadas para a Educação

Leia mais

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA

PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA 11 PVANET: PRINCIPAIS FERRAMENTAS E UTILIZAÇÃO DIDÁTICA O PVANet é o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) de uso exclusivo da UFV. Os AVAs apresentam diferenças de layout, forma de acesso, funcionamento,

Leia mais

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013)

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Questionamentos que devem ser enfrentados 1. Como você descreveria esse ambiente

Leia mais

O CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UFPB VIRTUAL E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

O CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UFPB VIRTUAL E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO O CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UFPB VIRTUAL E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO Clebiana Dantas Calixto clebianageo@hotmail.com (Autora e professora da Educação Básica)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Portaria/MEC nº 2.689, publicada no Diário Oficial da União de 02/08/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Associação de Ensino Versalhes UF:

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Aline Passos Amanda Antunes Ana Gabriela Gomes da Cruz Natália Neves Nathalie Resende Vanessa de Morais EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Trabalho apresentado à disciplina online Oficina

Leia mais

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO PRESENCIAL: estudos preliminares e proposta de uma metodologia de implantação no CEFET-Bambuí Christiane dos Santos

Leia mais

Projeto do Curso de Especialização em Informática na Educação

Projeto do Curso de Especialização em Informática na Educação Projeto do Curso de Especialização em Informática na Educação - Modalidade a Distância Coordenação FACULDADE DE INFORMÁTICA - FACIN Profa. Dr. Adriana Beiler FACULDADE DE EDUCAÇÃO FACED Profa. Msc. Sônia

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES

WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES ISSN 2316-7785 WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: O FACEBOOK COMO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES Arlam Dielcio Pontes da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco arllan_dielcio@hotmail.com

Leia mais

O que é educação a distância (*)

O que é educação a distância (*) O que é educação a distância (*) José Manuel Moran Professor da Universidade Bandeirante e das Faculdades Sumaré-SP Assessor do Ministério de Educação para avaliação de cursos a distância jmmoran@usp.br

Leia mais

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD.

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. 2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer a opinião

Leia mais

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO Gustavo Cançado de Azevedo O autor relaciona educação e tecnologia, tomando como ponto de partida a maneira com que os avanços

Leia mais

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA Ronaldo Vieira Cabral Abdias de Brito Aguiar Júnior José Sidney Nunes de Araújo Resumo: A parte das

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS)

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS) A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE HISTÓRIA E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TICS) Isléia Rössler Streit Universidade de Passo Fundo istreit@upf.br Resumo: A evolução tecnológica das últimas duas

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 27/05/2004 (*) Portaria/MEC nº 1.502, publicada no Diário Oficial da União de 27/05/2004 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Portaria/MEC nº 2.690, publicada no Diário Oficial da União de 02/08/2005

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Portaria/MEC nº 2.690, publicada no Diário Oficial da União de 02/08/2005 PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Portaria/MEC nº 2.690, publicada no Diário Oficial da União de 02/08/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Fundação Universidade do Vale do Itajaí

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Recife PE - Abril 2010 Ivanda Maria Martins Silva - UFRPE martins.ivanda@gmail.com Categoria (Conteúdos e Habilidades) Setor Educacional (Educação

Leia mais

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line 1 2 A HIPOCAMPUS é uma empresa de consultoria em comunicação e ensino digital com foco nos profissionais de saúde. Estamos prontos a auxiliar empresas dos diferentes segmentos da área de saúde a estabelecer

Leia mais

Um modo de ser. em educação a distância. dinâmica do meio educacional

Um modo de ser. em educação a distância. dinâmica do meio educacional dinâmica do meio educacional 1 :: marilú fontoura de medeiros professora doutora em Educação/UFRGS Um modo de ser em educação a distância Percorrer o atual contexto da Educação a Distância é trilhar um

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ABORDAGEM HISTÓRICA E CONTRIBUIÇÕES DO NEAD/UFMA AO ESTADO DO MARANHÃO

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ABORDAGEM HISTÓRICA E CONTRIBUIÇÕES DO NEAD/UFMA AO ESTADO DO MARANHÃO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ABORDAGEM HISTÓRICA E CONTRIBUIÇÕES DO NEAD/UFMA AO ESTADO DO MARANHÃO São Luís MA, 05/2012 Categoria: F - Pesquisa e Avaliação Setor Educacional: 3 - Educação Universitária Classificação

Leia mais

4. CURSO DE EDUCAÇÃO NA DIVERSIDADE E CIDADANIA. 4.1. Apresentação

4. CURSO DE EDUCAÇÃO NA DIVERSIDADE E CIDADANIA. 4.1. Apresentação 4. CURSO DE EDUCAÇÃO NA DIVERSIDADE E CIDADANIA 4.1. Apresentação O Curso de Educação na Diversidade e Cidadania é um curso de formação continuada de professores de educação básica, com carga horária de

Leia mais

ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Isabelle Maria Lima de Souza 1, Maria Lúcia Serafim 2 1 Departamento de Educação a Distância, Instituto Brasileiro de Desenho Instrucional,

Leia mais

Introdução. múltiplas interferências (SILVA, 2006).

Introdução. múltiplas interferências (SILVA, 2006). 1 FORMAÇÃO E AÇÃO DO DOCENTE ONLINE RODRIGUES, Tatiana Claro dos Santos UNESA taticlaro@globo.com GT-16: Educação e Comunicação Agência Financiadora: CAPES Introdução As tecnologias da informação e comunicação

Leia mais

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg.

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg. CURSO DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS ON-LINE: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

fundamentos teóricos e práticos necessários ao processo de inclusão do aluno com Deficiência Visual.

fundamentos teóricos e práticos necessários ao processo de inclusão do aluno com Deficiência Visual. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Sistema de Gestão de Aulas

Sistema de Gestão de Aulas Sistema de Gestão de Aulas criando cultura para o Ensino a Distância e melhorando o processo ensino-aprendizagem pela internet RICARDO CREPALDE* RESUMO O objetivo deste artigo é apresentar a experiência

Leia mais

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO Carlos Eduardo Rocha dos Santos Universidade Bandeirante Anhanguera carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia.

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia. 1 O PAPEL DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: Um Estudo de Caso no pólo UNOPAR, Machadinho do Oeste - RO Izaqueu Chaves de Oliveira 1 RESUMO O presente artigo tem por objetivo compreender a importância

Leia mais

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Maio/2010 AMARAL, Rita de Cássia Borges de Magalhães

Leia mais

PRONTO EDUCAÇÃO PLANO DE GESTÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

PRONTO EDUCAÇÃO PLANO DE GESTÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI LAUREATE INTERNACIONAL EDUCATION Klaibert Miranda Jacqueline Cícera Florêncio dos Santos Valter Garoli Mariana Estima do Nascimento PRONTO EDUCAÇÃO PLANO DE GESTÃO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

INTERAÇÃO: PILAR DA EAD CONTEMPORÂNEA

INTERAÇÃO: PILAR DA EAD CONTEMPORÂNEA INTERAÇÃO: PILAR DA EAD CONTEMPORÂNEA Autor(a): Carmem Lúcia de Oliveira Marinho Coautor(es): Bernadete Cordeiro Moreira Pessanha Email: carmemmarinho@yahoo.com.br Introdução O ser humano é um ser social

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

ESCOLA ALFREDO JOSÉ DA SILVA ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - EMIEP CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

ESCOLA ALFREDO JOSÉ DA SILVA ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - EMIEP CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA ESCOLA ALFREDO JOSÉ DA SILVA ENSINO MÉDIO INTEGRADO A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL - EMIEP CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA Iandra Franciny Miranda Malaquias ¹ Marcela Cristina Linhares Pereira ² EDUCAÇÃO A DISTANCIA:

Leia mais

XLV PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO FNCE Belém do Pará

XLV PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO FNCE Belém do Pará XLV PLENÁRIA NACIONAL DO FÓRUM DOS CONSELHOS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO FNCE Belém do Pará Educação Profissional em EAD; soluções para o Brasil remoto Francisco Aparecido Cordão facordao@uol.com.br EAD: dispositivos

Leia mais

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO 2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO Maria do Rozario Gomes da Mota Silva 1 Secretaria de Educação do

Leia mais

Papel da SBIS na Educação

Papel da SBIS na Educação I Ciclo de Seminários de Tecnologias de Informação em Saúde Educação Continuada, Certificação Profissional e Título de Especialista: o Projeto da SBIS Prof. Renato M.E. Sabbatini Diretor de Educação e

Leia mais

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE ¹C. J. F. Souza (ID); ¹M. Y. S. Costa (ID); ²A. M. Macêdo (CA)

Leia mais

WEBCONFERÊNCIA: ASSEGURANDO A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DO SPC BRASIL

WEBCONFERÊNCIA: ASSEGURANDO A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DO SPC BRASIL 1 WEBCONFERÊNCIA: ASSEGURANDO A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DO SPC BRASIL São Paulo - SP - 05/2015 Silvana Denise Guimarães - SPC Brasil - silvana.guimaraes@spcbrasil.org.br Experiência Inovadora: Estudo de

Leia mais

1923 Fundação da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. 1936 Doação da Radio Sociedade do Rio de Janeiro ao Ministério da Educação e Saúde.

1923 Fundação da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. 1936 Doação da Radio Sociedade do Rio de Janeiro ao Ministério da Educação e Saúde. BREVE HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO BRASIL 1923 Fundação da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. 1936 Doação da Radio Sociedade do Rio de Janeiro ao Ministério da Educação e Saúde. 1937 Criação do

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO

A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 624 A TERCEIRA GERAÇÃO DA EAD E SUA INFLUÊNCIA NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO Fabiane Carniel 1,

Leia mais

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTA LMS EM CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA. Campina Grande maio 2011

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTA LMS EM CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA. Campina Grande maio 2011 ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTA LMS EM CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA Campina Grande maio 2011 Filomena Maria G. da Silva C. Moita UEPB - filomena_moita@hotmail.com Rodrigo

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD EDITAL 02/2015 - PROCESSO DE SELEÇÃO DE PROFESSORES TUTORES A Vice-Reitoria de Graduação e o Centro de Educação a Distância (CEAD/UCB),

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família. Apresentar a história da EAD, principalmente com foco nos principais marcos no contexto Brasileiro.

Curso de Especialização em Saúde da Família. Apresentar a história da EAD, principalmente com foco nos principais marcos no contexto Brasileiro. MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 01 - CONCEITOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1.1. Objetivos Prof. Msc Rômulo Martins Apresentar a história da EAD, principalmente com foco nos principais marcos

Leia mais

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM AVINIO, Carina de S.¹; ENDERLE, Mariana G.²; VISENTINI, Lucas³. 1 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação

Leia mais

O MUNDO MUDOU. #fato

O MUNDO MUDOU. #fato DO GIZ AO BYTE O MUNDO MUDOU #fato Sociedade da Informação Informação como recurso estratégico Uso intensivo das TIC Interação digital Diversas formas de fazer as mesmas, ou novas coisas Qual é a sua?

Leia mais

Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB

Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB Unidade 2 Unidade 2 Educação a Distância no Ensino Superior no Brasil: contexto da UAB Nesta Unidade, será apresentada a legislação brasileira de EaD e suas implicações institucionais no sistema da Universidade

Leia mais

Dados Pessoais. Resende/RJ - Fone/Fax: (024) 3383-9000. Formação Acadêmica

Dados Pessoais. Resende/RJ - Fone/Fax: (024) 3383-9000. Formação Acadêmica C U R R I C U L U M V I T A E Dados Pessoais Nome: E-mail: Site: Currículo Lattes: End. profissional: Miguel Carlos Damasco dos Santos contato@profdamasco.site.br.com http://www.profdamasco.site.br.com

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

Licenciatura em Matemática a Distância e a Formação de Professores para/com o uso das TIC RESUMO

Licenciatura em Matemática a Distância e a Formação de Professores para/com o uso das TIC RESUMO Licenciatura em Matemática a Distância e a Formação de Professores para/com o uso das TIC Daiane dos Santos Pereira Corrêa 1 Suely Scherer 2 RESUMO Este artigo trata de uma pesquisa de mestrado que está

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul ANEXO I MANUAL DE ALTERAÇÃO DE PPCs DE CURSOS SUPERIORES

Leia mais

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD 1 FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD Elisangela Lunas Soares UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar elisangela.soares@unicesumar.edu.br Alvaro Martins Fernandes Junior UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar

Leia mais

FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ

FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ FATORES DE QUALIDADE: PONTOS POSITIVOS DO EMPREGO DA TECNOLOGIA EAD NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CONSÓRCIO CEDERJ - UFRRJ Rio de Janeiro, RJ, 02/05/2010 Silvestre Prado de Souza Neto UFRRJ silvestrenet0@uol.com.br

Leia mais

A MODALIDADE SEMIPRESENCIAL NA PERCECPÇÃO DOS ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR

A MODALIDADE SEMIPRESENCIAL NA PERCECPÇÃO DOS ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR Revista Digital Simonsen 174 Como citar: SERPA, Joyce. A modalidade semipresencial na percecpção dos alunos do ensino superior. In: Revista Digital Simonsen. Rio de Janeiro, n.3, Nov. 2015. Disponível

Leia mais

PROJETO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 2014.2

PROJETO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 2014.2 PROJETO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 2014.2 APRESENTAÇÃO A Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e tem como finalidade o desenvolvimento integral

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá GABINETE DA REITORIA

Universidade Estadual de Maringá GABINETE DA REITORIA R E S O L U Ç Ã O N o 119/2005-CEP CERTIDÃO Certifico que a presente Resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria, no dia 1º/9/2005. Esmeralda Alves Moro, Secretária. Aprova normas para organização

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E SEU PLANEJAMENTO

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E SEU PLANEJAMENTO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E SEU PLANEJAMENTO Curso de Formação de Profissionais para Atuarem no Ensino a Distância Autor: Marilaine Oliveira Casonatti Porto Alegre, Fevereiro de 2012. Introdução Veremos que

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: BREVE DIAGNÓSTICO. Prof. RUBENS A. OLIVEIRA

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: BREVE DIAGNÓSTICO. Prof. RUBENS A. OLIVEIRA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: BREVE DIAGNÓSTICO Prof. RUBENS A. OLIVEIRA Evolução EAD no mundo: Séc. XVIII: experiência em Boston (USA) curso de correspondência. Séc. XIX (1830-40): concentração maior na Europa

Leia mais

Dados Pessoais. Resende/RJ - Fone/Fax: (024) 3383-9000. Formação Acadêmica

Dados Pessoais. Resende/RJ - Fone/Fax: (024) 3383-9000. Formação Acadêmica C U R R I C U L U M V I T A E Dados Pessoais Nome: E-mail: Site: Currículo Lattes: End. profissional: Miguel Carlos Damasco dos Santos contato@profdamasco.site.br.com http://www.profdamasco.site.br.com

Leia mais

OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS

OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS São Luís MA maio de 2012 Categoria: C Setor Educacional: 3 Classificação das áreas de pesquisa em EAD Macro: C / Meso: J /

Leia mais

A Implementação do Ambiente Moodle na Educação de Jovens e Adultos a Distância

A Implementação do Ambiente Moodle na Educação de Jovens e Adultos a Distância A Implementação do Ambiente Moodle na Educação de Jovens e Adultos a Distância Maria Vandete de Almeida Especialista em Desenvolvimento de Sistemas para Web Aluna não-regular Programa de Pós-graduação

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

O USO DAS FERRAMENTAS DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PELOS ACADÊMICOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PROCESSOS GERENCIAIS DO NEAD-CESUMAR

O USO DAS FERRAMENTAS DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PELOS ACADÊMICOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PROCESSOS GERENCIAIS DO NEAD-CESUMAR O USO DAS FERRAMENTAS DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM PELOS ACADÊMICOS DOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO E PROCESSOS GERENCIAIS DO NEAD-CESUMAR Maringá PR Abril 2011 Adriana Maria Pavezi CESUMAR adriana.pavezi@ead.cesumar.br

Leia mais

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE)

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE) PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE (SÍNTESE) Ao longo de mais de cinco décadas, a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) estruturou um ambiente acadêmico intelectualmente rico

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações Comunidades de Prática Experiências e Contribuições da Tecnologia para a Educação Profissional Lane Primo Senac Ceará 2012 Sumário 1. Introdução 2. Conceitos 3. Metodologia 4. Resultados 5. Considerações

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Temos literatura abundante sobre comunidades de aprendizagem, sobre a aprendizagem em rede, principalmente na aprendizagem informal. A sociedade conectada

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS

CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS Nilton Silveira Domingues Universidade Estadual Paulista (UNESP - Campus de Rio Claro) Instituto de Geociências e Ciências

Leia mais

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 70 A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O USO DE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Rita de Cássia Viegas dos Santos

Leia mais

A DISCIPLINA DE LIBRAS NA EAD NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UFJF: O MOODLE COMO RECURSO DIDÁTICO* 1

A DISCIPLINA DE LIBRAS NA EAD NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UFJF: O MOODLE COMO RECURSO DIDÁTICO* 1 A DISCIPLINA DE LIBRAS NA EAD NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UFJF: O MOODLE COMO RECURSO DIDÁTICO* 1 Camila Ribeiro Lisboa Ferreira Universidade Federal de Juiz de Fora RESUMO: Neste trabalho, apresentamos como

Leia mais