ESiT - Uma Estrutura Tecnológica para Informação Ambiental via Dados Abertos, Painéis Dinâmicos e Redes Sociais das Coisas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESiT - Uma Estrutura Tecnológica para Informação Ambiental via Dados Abertos, Painéis Dinâmicos e Redes Sociais das Coisas"

Transcrição

1 ESiT - Uma Estrutura Tecnológica para Informação Ambiental via Dados Abertos, Painéis Dinâmicos e Redes Sociais das Coisas André Peres 1, Evandro Miletto 1, Simone Kapusta 1, Gutierre Bessauer 1, Fábio Miranda 1, João Flach 1, Telmo Ojeda 1, Martin Circé 2, Antoine Lacasse 2 1 IFRS - Campus Porto Alegre, Porto Alegre, Brasil 2 CÉGEP de Sherbrooke, Sherbrooke, Canadá Abstract Este artigo apresenta uma estrutura tecnológica de rede desenvolvida no contexto de um projeto de cooperação internacional, com o objetivo de coletar, processar e apresentar informações ambientais relativas à qualidade da água, em tempo real e de forma automatizada via Internet, para diferentes perfis de usuários. A disponibilização de informações ambientais, em tempo real, é ainda incipiente no Brasil, devido principalmente ao custo dos equipamentos multiparâmetros. A disponibilização das informações utilizando conceito de Dados Abertos, Painéis Dinâmicos e Rede Social das Coisas, permite que esta estrutura seja utilizada para consultas remotas com finalidades didáticas, suporte a pesquisas e disseminação de informações de interesse social. Para atingir este objetivo, foi criado um portal de publicação de dados abertos, um sistema web de painéis (dashboards) configuráveis, além de perfis de uma fonte de água em redes sociais alimentados automaticamente pelo sistema. As características desta estrutura tecnológica são apresentadas e experimentos preliminares no contexto educacional demonstram a possibilidade da utilização de dados ambientais online monitorados remotamente e em tempo real, na sala de aula. Index Terms environmental information, social web of things, open knowledge. I. INTRODUÇÃO O monitoramento ambiental, como subsídio para a gestão de recursos hídricos, prevê a obtenção de informações de variáveis ambientais da água tais como o ph, condutividade, oxigênio dissolvido, turbidez e temperatura, entre outras. Geralmente o monitoramento de ambientes aquáticos é custoso em termos de infraestrutura necessária e tempo. Estes dados são obtidos in loco com equipamentos portáteis e manipulados por profissionais, que atuam tanto na calibração, como na obtenção dos dados.. Por outro lado, uma rede com sensores ambientais, com capacidade automática de coleta, envio e manipulação de dados abertos pode contribuir consideravelmente para a informação de dados ambientais à (a) pesquisa científica, (b) busca de soluções ambientais em atividades de ensino e (3) à população em geral visando à conscientização ambiental. Um exemplo de utilização de equipamentos portáteis para a avaliação da qualidade da água pode ser verificado no trabalho de Falleiro & Kapusta [1]. Na pesquisa citada, os dados ambientais de algumas variáveis foram obtidos através do uso de equipamentos de medição manual acoplados a sensores. O uso destes equipamentos é essencial para a realização de medições pontuais, não sendo possível sua utilização em medições constantes (acompanhamento 24 horas por dia, sete dias por semana) devido à necessidade da presença de profissional para calibração e manuseio do equipamento no momento da amostragem. Outros trabalhos recentes abordados neste texto tratam de sensores para monitorar a qualidade da água em situações diversas, porém não correlacionam dados para gerar informação sobre a qualidade da água. Para que se possa realizar a obtenção de dados ambientais a qualquer tempo, é necessário que algum tipo de equipamento permaneça no ambiente, sem a necessidade de acompanhamento humano e que seja capaz de transmitir os dados obtidos para um sistema remoto. O desafio desta pesquisa é, a partir de dados ambientais que podem ser obtidos de forma sistemática e online, disponibilizar informações ambientais confiáveis, considerando a heterogeneidade de conhecimento dos diferentes usuários do pesquisador especialista ao consumidor de informações ambientais leigo. Para fornecer informações ambientais nestes diferentes formatos, foi desenvolvido um conjunto de soluções tecnológicas tendo como base uma rede de sensores de monitoramento e um sistema computacional especialista, denominado ESiT (acrônimo de Environmental Sensors on Internet of Things). Este sistema é responsável pela aquisição dos dados dos equipamentos sensores, armazenamento, tratamento dos dados e disponibilização de informações em diferentes interfaces. Estas interfaces devem abranger desde a disponibilização dos dados brutos obtidos pelos sensores, até a divulgação da tradução destes dados de forma coloquial. Este artigo descreve o estado atual do Projeto ESiT, sua estrutura tecnológica construída e do sistema computacional desenvolvido, assim como os resultados obtidos até o momento. O texto está organizado com uma introdução ao tema, nesta seção. Relaciona trabalhos recentes nesta área na seção II, apresenta estruturas e características da solução desenvolvida na seção III, discute os resultados preliminares que inclui o seu uso em situações de ensino, Page 136

2 na seção IV, e na seção V conclui o texto apontando trabalhos prospectivos. II. REDES DE SENSORES E O MONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA Avanços recentes que convergem microeletrônica, eletrônica digital e a comunicação sem fio têm proporcionado o desenvolvimento de dispositivos conhecidos como nodos multifuncionais de sensores que se caracterizam pelo baixo custo, baixa potência, tamanho reduzido, com capacidade de se comunicar sem restrições em curtas distâncias. As redes de sensores sem fios ou RSSF consistem de diferentes tipos de sensores como: térmicos; sísmicos; visuais; infravermelhos; acústicos e radares, capazes de monitorar uma ampla variedade de condições ambientais como temperatura, umidade, movimento veicular, luminosidade, pressão, formação do solo, ruído, presença de objetos, estresse mecânico, velocidade, direção, entre outros [2]. O objetivo destes equipamentos é a criação de um conjunto de dispositivos sem fios contendo um ou mais sensores (denominados nodos sensores) distribuídos em um ambiente. Estes nodos devem cooperar de forma a repassar os dados obtidos através da rede para um nodo central denominado gateway. Este nodo central coordena a comunicação entre os nodos sensores e um sistema computacional através de uma conexão direta entre ele e um computador ou, caso possua uma interface de comunicação de rede, utilizando uma rede de dados. A Figura 1 representa a estrutura de uma RSSF. Figura 1: Redes de Sensores sem Fios Uma rede de nodos contendo sensores capazes de obter dados de variáveis da qualidade da água, que permita a transferência destes dados em tempo real, possibilita aos pesquisadores o entendimento das variações e interações destas variáveis ao longo do dia e ao longo do tempo. Além disso, torna viável a previsão e adoção de medidas a serem implementadas para a manutenção da qualidade da água. O monitoramento da qualidade da água através do uso de redes de sensores sem fios não é algo inédito. Diversos trabalhos descrevendo a aplicação de RSSF para esta finalidade podem ser encontrados na literatura. Ramanathan et al [3], por exemplo, apresenta um estudo realizado em 2006 sobre duas RSSF com esta finalidade: uma implantada em Bangladesh com o objetivo de identificar a presença de arsênico em água subterrânea; e outra na Califórnia para o monitoramento da propagação de nitrato também em água subterrânea. Fiona Regan et. al. [4], relata o projeto SmartCoast do ano de 2007, o qual objetiva o monitoramento da qualidade da água em lagos, rios e estuários. Além de apresentar a estrutura e os dados coletados no rio Lee na cidade de Cork (Irlanda) este projeto possui como contribuição o desenvolvimento de novos sensores para obtenção de dados sobre oxigênio dissolvido e fosfato na água. Zulhani [5] apresenta uma solução de RSSF para o monitoramento da poluição das fontes de água na Malásia, no ano de Para este trabalho, foram utilizados sensores para ph, turbidez e oxigênio dissolvido. Destacase neste trabalho a preocupação com o consumo de energia nos nodos sensores, tendo em vista a necessidade de alimentação dos mesmos através de baterias. Também publicado no ano de 2009, o trabalho de Marco Zenaro et al [6] apresenta uma implementação de RSSF para monitoramento da qualidade da água na República do Malawi. Este trabalho aprofunda mais as questões de consumo de energia, analisando o mesmo com o uso de diferentes arranjos de sensores. São avaliados sensores de oxigênio dissolvido, condutividade, turbidez e ph. Em relação às RSSF, Dwivedi e Vyas [7] apresentam um levantamento realizado em 2011 sobre dispositivos (hardware), sistema operacional, topologias de redes, arquiteturas e principais aplicações deste tipo de rede. Os autores destacam o monitoramento da qualidade da água como sendo uma das aplicações da RSSF. Na presente pesquisa, além da obtenção de dados demonstrada nestes trabalhos recentes, um sistema foi desenvolvido para aquisição, tratamento e publicação de dados relativos à qualidade da água. Este sistema é capaz de correlacionar os diferentes dados obtidos pelos sensores, gerando informação sobre a qualidade da água monitorada. O monitoramento de dados é o ponto de partida para a criação de diferentes mecanismos de publicação. É através desta publicação que se pode despertar a curiosidade em relação às questões ambientais e consequentemente trabalhar a pesquisa e educação ambiental. Para o compartilhamento dos dados obtidos pela rede de sensores, de acordo com o usuário final (público-alvo), foram definidas três formas de publicação: 1. Publicação dos dados brutos obtidos pelos sensores de forma com que outras pesquisas envolvendo o mesmo ambiente possam aproveitá-los; 2. Criação de uma interface dinâmica e configurável de visualização de dados, permitindo o acompanhamento da situação atual dos dados e/ou histórico de cada variável ambiental coletada. Da mesma forma, permitir que nesta interface seja possível efetuar a correlação de diferentes variáveis, gerando novas formas de visualização do ambiente (relacionando variáveis ambientais em um gráfico definido pelo usuário do sistema); 3. Publicação do estado atual do ambiente através de perfil em rede social (permitindo uma análise mais subjetiva da situação do ambiente). III. SISTEMA DESENVOLVIDO O sistema computacional desenvolvido tem o objetivo de criar uma solução tecnológica capaz de monitorar as variáveis relacionadas com a qualidade da água em tempo real, analisar, compilar e publicar os dados coletados e informações obtidas a partir destes dados. A forma com a qual o sistema realiza a publicação destas informações possibilita a sua utilização em práticas de ensino ambiental para diferentes grupos de alunos. Page 137

3 A figura 2 apresenta uma visão geral do sistema desenvolvido, na qual se pode visualizar a integração dos diversos módulos que compõem a solução. construção de um nodo sem fios autônomo. Fazem parte deste kit: alimentador via cabo USB para testes e carga de bateria; bateria recarregável; caixa plástica para hospedagem do nodo; placa padrão BEE para conexão de controlador e sensor; célula solar para carga da bateria; fios para conexão dos sensores. Figura 2: Visão Geral do Sistema Periodicamente os dados são coletados pelos sensores e enviados a um sistema web. A partir da disponibilização dos dados neste sistema, são fornecidos mecanismos de visualização dos mesmos. Do ponto de vista da RSSF, a solução implementada é composta por nodos sensores, nodo gateway e sistema de apresentação de dados via web. A comunicação entre os nodos sensores e nodo gateway é feita através de sinais de radiofreqüência para que os sensores possam ficar distribuídos no ambiente sem a necessidade de infraestrutura de fios. Para a construção do nodo sensor e nodo gateway utilizou-se a solução de hardware aberto Arduino [8]. O Arduino, por ser uma plataforma de hardware aberta possibilita a criação de cópias e adaptações do projeto inicial (que está disponível na internet) sem a necessidade de pagamento de direitos autorais. Este novo modelo de hardware permitiu a construção de diferentes soluções de equipamentos com modificações específicas para cada implementação. Optou-se então pela aquisição de um circuito composto por microcontrolador e rádio transmissor/receptor. Esta solução foi encontrada em um circuito único denominado Radiuino [9]. O Radiuino (padrão BE900) possui um controlador capaz de executar código compatível com o Arduino e um circuito transceptor CC1101 para comunicação via rádio. O Radiuino é apresentado na figura 3. Figura 3 - Módulo BE9000 radiuino Foram utilizados kits de nodos sensores sem fios alimentados por baterias recarregáveis via energia solar. O kit (figura 4) possui toda a estrutura necessária para a Figura 4 - Kit de alimentação de nodo via energia solar O nodo sensor sem fios desenvolvido para testes da RSSF contendo um sensor de temperatura é apresentado na figura 5. Figura 5 - Nodo sensor sem fios Para a obtenção dos dados do nodo sensor, o nodo gateway foi implementado utilizando-se um controlador Radiuino e um Arduino Mega O Radiuino é responsável por enviar o comando de obtenção de dados ao nodo sensor através do transceptor sem fios e receber como resposta o valor obtido pelo sensor. Após receber este valor, o controlador Radiuino o repassa ao Arduino através de uma interface de comunicação serial. O Arduino, por sua vez, possui uma placa de expansão capaz de comunicar-se com a internet. Ao receber o valor via interface serial, o Arduino conecta-se em um sistema web para o envio e publicação do valor obtido pelo nodo sensor. A figura 6 apresenta o nodo gateway implementado. Para o ambiente real de monitoramento, a implementação desta RSSF foi construída utilizando uma placa Arduino alimentada por energia solar, conectada a um sensor de ph e uma interface de comunicação via rede de telefonia celular, ao contrário do ambiente de testes onde foi utilizada uma placa ethernet para comunicação com a Internet. Page 138

4 mesmos sejam disponibilizados através de uma interface padronizada e de fácil entendimento. Figura 6 - Nodo gateway com interface ethernet A placa Arduino obtém os dados da água e os envia para o sistema web. Para hospedagem do equipamento, utilizou-se uma caixa plástica hermética. A figura 7 apresenta o equipamento sendo utilizado no momento dos testes do sistema. Figura 8 - Dados de ph disponíveis em tempo real em xively.com O sistema web padrão para publicação de dados abertos é o sistema CKAN. Este sistema permite a publicação dos dados em um portal web em conjunto com uma descrição padronizada de como utilizá-los. Pode-se utilizar o CKAN para publicação de qualquer tipo de dado, sendo que os usuários do sistema terão informações sobre seu formato, tamanho, possibilidades de uso, exemplos de interfaces para importação dos dados, obtenção dos dados brutos em diferentes formatos de arquivo, entre outras facilidades. A licença para reutilização dos dados também está incluída no sistema. Para que se mantenha a padronização da publicação dos dados em uma estrutura de dados abertos, optou-se pela criação de um portal com o sistema CKAN que referencia os dados do sistema Xively, ou seja, um pesquisador que deseja utilizar os dados da presente pesquisa obtém no CKAN a descrição destes dados, como utilizá-los e em qual repositório obtê-los. A figura 9 apresenta o CKAN publicando os dados disponíveis no xively. Figura 7 - Equipamento sensor em uso Os dados obtidos são enviados para o sistema Xively.com [10], o qual possui o objetivo de armazenamento e disponibilização de dados na web. Este sistema objetiva a criação de um repositório central de dados para a Internet das Coisas. Para este projeto, o sistema disponível no site xively.com foi utilizado para disponibilização dos dados do sensor implementado no nodo sem fios. A figura 8 apresenta a interface do sistema com os dados obtidos pelo nodo sensor. Estes dados ficam imediatamente disponíveis, sendo que a publicação desta base de dados de forma aberta a outros pesquisadores está de acordo com os princípios de conhecimento aberto (open knowledge). Considera-se que os dados obtidos pelos sensores possuem aplicabilidade em outras pesquisas e, portanto, é importante que estas informações possam ser livremente usadas, reutilizadas e redistribuídas. Essas três premissas são aplicadas ao conceito de Dados Abertos (Open Data). Dados abertos são dados que podem ser livremente usados, reutilizados e redistribuídos por qualquer pessoa sujeitos, no máximo, à exigência de atribuição da fonte e compartilhamento pelas mesmas regras [11]. Para que se possa tirar proveito destes dados, é importante que os Figura 9 Dados brutos de ph no CKAN via Xively Tanto o xively quanto o CKAN são interfaces para obtenção dos dados brutos diretamente da RSSF. O público-alvo para a utilização destas interfaces são pesquisadores interessados em desenvolver pesquisas com as variáveis monitoradas e alunos com conhecimento suficiente para interpretação dos dados brutos. A segunda forma de publicação dos dados é realizada através de um sistema web, desenvolvido para esta pesquisa, no qual o usuário é capaz de criar dinamicamente painéis para visualização de dados dinâmicos (dashboard). Neste sistema, cabe ao usuário Page 139

5 especificar quais são as fontes de dados que deseja visualizar (podendo especificar inclusive fontes externas ao projeto) para criação do seu painel. Cada usuário pode criar diferentes painéis. Cada painel é formado por dados a serem visualizados e objetos de visualização, sendo: Dados composto por qualquer valor passível de ser obtido através da internet. Inicialmente as variáveis sobre a qualidade da água obtida pelos sensores estão disponíveis, porém o usuário pode incluir fontes externas, tais como a temperatura atual na cidade, previsão do tempo, ou qualquer outra informação que considere relevante e esteja disponível na web. No próprio sistema, o usuário cadastra uma fonte de dados externa; Objetos um objeto é um elemento de visualização capaz de apresentar um dado ou uma relação entre dados. O usuário pode criar, por exemplo, a visualização de um dado sobre a qualidade da água em um objeto do tipo gráfico de pizza ou barras ou tipo relógio, etc. O usuário também pode criar uma relação entre dois dados (uma fórmula) e representar o resultado dessa relação em um objeto. Tanto os dados, quanto os objetos são modulares e dinâmicos, podendo ser otimizados pelo usuário. Cada usuário pode criar o seu painel com os seus dados e objetos. Na figura 10 é apresentada a interface atual do sistema (em fase de desenvolvimento durante a escrita deste artigo) contendo a visualização do valor de ph disponível no sistema xively e um histórico de temperatura gerado na fase de testes. Figura 10 - Painéis de visualização A posição do ponteiro na figura 10 é atualizada dinamicamente de acordo com os valores obtidos pelo nodo sensor e enviados ao xively. Da mesma forma, a alteração do valor no xively estará disponível no CKAN. Este sistema de visualização possui como público-alvo, pessoas capazes de analisar e identificar as fontes de dados que desejam utilizar e, a partir destas fontes, criar um conjunto de objetos de visualização para facilitar a geração de informações e permitir a sua interpretação. Essa ferramenta também pode ser utilizada por pesquisadores e alunos para facilitar a visualização dos dados. A partir do momento em que um usuário cria seu painel é possível o compartilhamento com outros usuários. Um professor, por exemplo, é capaz de criar um painel contendo dados dinâmicos sobre o meio ambiente e fornecer esta visualização aos alunos em sala de aula. Em relação à publicação de informações para o público considerado leigo na análise da qualidade da água a partir de variáveis ambientais (dados brutos), pesquisaram-se as formas que propiciassem a comunicação (a transferência de conhecimento) entre uma entidade abstrata (uma fonte de água) e a sociedade, utilizando a rede de sensores como fornecedora de dados. Imaginando a Internet como a mais abrangente disseminadora de conhecimento e a tecnologia das RSSF como a origem de dados, chegou-se a dois conceitos chave para realizar esta integração: Internet das Coisas e Redes Sociais das Coisas. A conexão da fonte de água com a internet é realizada aproveitando o conceito de Internet das Coisas, ou IoT (Internet Of Things). A IoT caracteriza-se pela troca de informações entre dispositivos sem a intervenção humana, utilizando a internet. Cria-se então uma rede de troca de informações das mais diferentes "coisas" [12]. Para que um elemento seja capaz de realizar esta ação precisa estar conectado de alguma forma à internet e possuir um sensor e/ou atuador. No momento em que diversos elementos do cotidiano passam a trocar informações através da internet, torna-se possível (e natural) que se crie uma rede de contatos entre as pessoas e suas "coisas". Esta rede de contatos permite que uma pessoa possa receber e enviar mensagens às suas coisas criando uma interação similar às redes sociais. Uma Rede Social das Coisas é integrada às redes sociais (como o Facebook), porém cada usuário possui seus contatos humanos e, em uma área privativa, seus contatos com "coisas"[13]. Nas redes sociais das coisas, existe troca de informações entre pares humanos, humano com uma coisa e até mesmo entre coisas. Considerando esses conceitos foi desenvolvida a estrutura na qual uma aplicação consulta os dados do sistema xively, realiza a análise dos dados de forma a obter o estado da qualidade da água e, periodicamente, realiza a divulgação desta análise em postagens de linguagem coloquial em um perfil de rede social, criado especificamente para a fonte de água. O servidor de dados irá postar suas informações diariamente neste perfil. A definição da informação a ser publicada é feita através dos dados obtidos pelos sensores, que irão refletir um "estado", considerando os valores das variáveis ambientais coletadas. Foi criado um perfil para a fonte de água na rede social Twitter e outro perfil na rede social Facebook. Estes perfis foram configurados de forma a compartilhar as mensagens postadas, ou seja, uma mensagem postada no perfil do Twitter será automaticamente postada no Facebook. A figura 11 apresenta a página da rede social Twitter na qual foram postadas informações relativas ao valor de ph obtido pela RSSF. Figura 11 - Qualidade da água na rede social twitter Page 140

6 O perfil criado na rede social Twitter foi sincronizado com outro perfil na rede social Facebbok. Na figura 12, as mesmas postagens publicadas no twitter aparecem na página do Facebook. Figura 12 - Qualidade da água na rede social facebook Atualmente são publicados os dados obtidos diretamente da RSSF sem tratamento. Está em desenvolvimento a criação de um mecanismo para interpretação dos dados e postagem de informações de forma mais acessível à sociedade. O sistema é capaz de informar as condições do ambiente monitorado para todos os usuários de redes sociais interessados naquele ambiente, a partir de dados obtidos por redes de sensores remotas. A interação entre sistema e usuários das redes sociais se dá da mesma forma que entre dois usuários quaisquer desta rede. IV. SITUAÇÕES DE ENSINO A presente estrutura tecnológica ESiT considera a coleta de dados ambientais capturados em tempo real e possível de ser apresentado em três níveis de detalhamento: a) um nível original (dados elementares e brutos normalmente utilizados por pesquisadores e técnicos da área), b) nível intermediário (dados tratados para uso por estudantes da área ambiental) e c) nível resumido (para ser divulgado em redes sociais, acessível a usuários comuns). O processo de coleta de dados e o manuseio de equipamentos portáteis são essenciais para a formação do aluno e futuro profissional da área ambiental, sendo uma experiência insubstituível para o aprendizado. No entanto, estas práticas demandam uma infraestrutura necessária, e envolvem tempo e custo considerável. Ainda, as práticas efetuadas em campo, são geralmente pontuais, não sendo usual a coleta de dados por um período maior de tempo. Assim, a coleta de dados em tempo real, formando um banco de dados, não é uma prática constante no ensino. Este projeto favorece positivamente neste aspecto, pois disponibilizará dados coletados ao longo do tempo, fornecendo subsídios para o desenvolvimento de experimentos e simulações com dados reais em tempo real, que até então não era possível, vindo a preencher uma grande lacuna pedagógica para a área ambiental. Em ambiente de ensino, o projeto ESiT irá proporcionar alternativas e experiências importantes às aulas que envolvem as questões ambientais relacionadas aos ambientes aquáticos. Com a capacidade de analisar o histórico do comportamento de uma determinada variável ambiental ou ainda acompanhar um índice de qualidade ambiental do ambiente, onde os sensores forem instalados, os alunos serão expostos a situações reais e problemas cotidianos do trabalho de um técnico em meio ambiente ou um gestor ambiental, tendo que encontrar soluções rápidas durante as aulas. Ainda, as práticas em laboratório, com a utilização dos sensores, permitirão extrapolar, simular e criar condições de ensino de maneira rápida e dinâmica que não seriam possíveis por processos manuais. Nesse contexto, grupos de estudantes trabalham normalmente fazendo a análise dos dados e a aplicação do índice de qualidade da água. Com a utilização do projeto, é possível, por exemplo, verificar como o ambiente receptor responde ao receber diversas contribuições de efluentes, bem como estimar volume e concentração de determinadas substâncias. Essa estrutura favorece ao professor o exercício das habilidades dos alunos, comparando soluções de grupos e proporcionado uma rica e produtiva discussão sobre as ações propostas para a resolução de problemas ambientais. Em resumo, a disponibilização dos dados de forma online, em tempo real, permite a construção de mecanismos aplicáveis à educação que subsidiem: Ações de pesquisa, através da utilização dos dados obtidos por sensores para o desenvolvimento de pesquisas científicas; Ações de ensino, através do uso dos dados em laboratórios, para simulações de alterações ambientais, provocadas pela introdução de substâncias e/ou modificações de origem antropogênica, visando o treinamento de alunos de cursos relacionados à área ambiental, tais como os cursos de gestão ambiental, meio ambiente e química, entre outros; e Ações de extensão, com a publicação e disponibilização de informações sobre o ambiente monitorado utilizando forma e linguagem acessíveis à sociedade. V. CONCLUSÕES A consciência das condições ambientais de onde vivemos, atualmente é intermediada por centros de pesquisa, órgãos governamentais e ONGs, os quais são responsáveis pela aquisição e interpretação dos dados coletados; e pela imprensa que divulga estes dados sempre que considera conveniente. O acompanhamento de dados ambientais em tempo real, normalmente só é possível para informações sobre as condições meteorológicas e sobre a poluição do ar (em poucas localidades). A partir da operacionalização do projeto, abre-se um leque para que diversas áreas do conhecimento possam usufruir seus dados e interfaces, tendo como resultado um produto de utilidade acadêmica e social com considerável impacto regional. A ampliação de sensores, com a inclusão de outras variáveis ambientais, a verificação do tempo de permanência em campo, sem a necessidade de calibração dos sensores, a ampliação do número de nodos sensores, em diferentes arroios urbanos, bem como o Page 141

7 aprimoramento do sistema de interface com os usuários, entre outros, são alguns dos trabalhos que podem ser implementados, a partir desta experiência. REFERÊNCIAS [1] Falleiro, A. M. ; Kapusta, S. C.. Caracterização da Qualidade da Água dos arroios Dilúvio e Salso no município de Porto Alegre, RS, na estação de primavera. In: 11º Mostra de Trabalhos de Iniciação Técnico-Científica, 2010, Porto Alegre. [2] Akyildiz I.F., Su W., Sankarasubramaniam Y., Cayirci E. Wireless sensor networks: a survey. Computer Networks, 38. Elsevier. p [3] Ramanathan, Nithya; et al. Designing Wireless Sensor Networks as a Shared Resource for Sustainable Development International Conference on Information and Communication Technologies and Development. IEEE [4] Regan, Fiona; et. al. SmartCoast Project: Smart Water Quality Monitoring System: (AT ): Synthesis Report. Environmental Protection Agency, Marine Institute (Dublin, Ireland). Environmental Protection Agency [5] Rasin, Zulhani; Abdullah, Mohd Rizal. Water Quality Monitoring System Using Zigbee Based Wireless Sensor Network. Pages: IJET: INTERNATIONAL JOURNAL OF ENGINEERING & TECHNOLOGY Vol: 09 Issue: [6] Zennaro, Marco; et al. On the design of a Water Quality Wireless Sensor Network (WQWSN): an Application to Water Quality Monitoring in Malawi. Proceedings of the 2009 International Conference on Parallel Processing Workshops. IEEE Computer Society, [7] A.K. Dwivedi and O.P. Vyas. Wireless Sensor Network: At a Glance, Recent Advances in Wireless Communications and Networks, Prof. Jia-Chin Lin (Ed.), ISBN: , InTech, Available from: [8] Arduino home page. Available from: [9] Radiuino home page. Available from: [10] Xively home page. Available from: https://xively.com [11] Dietrich, Daniel et al. Open Data Handbook. Available at: [12] Horsager, Jan; et. al. Inspiring the Internet of Things. Alexandra Institute, Disponível por _Comic_Book.pdf [13] MacManus, Richard. Social Network for Things. ReadWrite, Disponível por AUTORES A. Peres is with IFRS - Campus Porto Alegre, Rua Cel. E. Miletto is with IFRS - Campus Porto Alegre, Rua Cel. S. Kapusta is with IFRS - Campus Porto Alegre, Rua Cel. G. Bessauer is with IFRS - Campus Porto Alegre, Rua Cel. Vicente, 281, Bairro Centro, Porto Alegre/RS, Brasil ( F. Miranda is with IFRS - Campus Porto Alegre, Rua Cel. Vicente, 281, Bairro Centro, Porto Alegre/RS, Brasil ( J. Flach is with IFRS - Campus Porto Alegre, Rua Cel. T. Ojeda is with IFRS - Campus Porto Alegre, Rua Cel. M. Circé is with CÉGEP de Sherbrooke, 475, rue du Cégep Sherbrooke (Québec), Canadá ( A. Lacasse is with CÉGEP de Sherbrooke, 475, rue du Cégep Sherbrooke (Québec), Canadá ( AGRADECIMENTOS Os autores agradecem à Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul - FAPERGS, IFRS campus Porto Alegre e Cégep de Sherbrooke por todo o suporte e apoio recebido para o desenvolvimento deste trabalho. Page 142

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS SUMÁRIO 1 Introdução...5 2 Sistema de monitoramento climático Ressonare...7 2.1 A rede de monitoramento...8 2.2 A coleta, o armazenamento e o acesso aos

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE Roland Yuri Schreiber 1 ; Tiago Andrade Camacho 2 ; Tiago Boechel 3 ; Vinicio Alexandre Bogo Nagel 4 INTRODUÇÃO Nos últimos anos, a área de Sistemas

Leia mais

Gerenciamento Inteligente do Sensor na Fabricação de Cerveja

Gerenciamento Inteligente do Sensor na Fabricação de Cerveja Gerenciamento Inteligente do Sensor na Fabricação de Cerveja Gerenciamento Inteligente do Sensor O Gerenciamento Inteligente do Sensor, ou simplesmente ISM, é uma tecnologia digital para sistemas analíticos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

Automação de Locais Distantes

Automação de Locais Distantes Automação de Locais Distantes Adaptação do texto Improving Automation at Remote Sites da GE Fanuc/ Water por Peter Sowmy e Márcia Campos, Gerentes de Contas da. Nova tecnologia reduz custos no tratamento

Leia mais

Palavras chave: Extensão universitária, Aquisição de dados, Observação; Tempo, Serie histórica

Palavras chave: Extensão universitária, Aquisição de dados, Observação; Tempo, Serie histórica MONITORAMENTO DO TEMPO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO E USO DE DADOS METEOROLÓGICOS DA ESTAÇÃO AGROMETEOROLÓGICA DO CAV/UDESC LAGES, SC Célio Orli Cardoso, Centro de Ciências

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

Desenvolva Sistemas de Medições Distribuídos e Portáteis

Desenvolva Sistemas de Medições Distribuídos e Portáteis Desenvolva Sistemas de Medições Distribuídos e Portáteis Henrique Tinelli Engenheiro de Marketing Técnico NI Nesta apresentação, iremos explorar: Plataforma NI CompactDAQ Distribuída Sistemas de Medição

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação (do latim Automatus, que significa mover-se por si) ; Uso de máquinas para controlar e executar suas tarefas quase sem interferência humana, empregando

Leia mais

7 Utilização do Mobile Social Gateway

7 Utilização do Mobile Social Gateway 7 Utilização do Mobile Social Gateway Existem três atores envolvidos na arquitetura do Mobile Social Gateway: desenvolvedor do framework MoSoGw: é o responsável pelo desenvolvimento de novas features,

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos

Tipos de Sistemas Distribuídos (Sistemas de Informação Distribuída e Pervasivos) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM Rogério Schueroff Vandresen¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense(UNIPAR) Paranavaí-PR-Brasil rogeriovandresen@gmail.com, wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento. Descrição e Uso. Boletim Técnico de Produto

InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento. Descrição e Uso. Boletim Técnico de Produto Boletim Técnico de Produto InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento As aplicações de água e processo geram ou afetam diretamente grandes quantidades de dados operacionais, que podem ser de natureza

Leia mais

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01 Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01-1 - Rev01 1. INTRODUÇÃO Aplicações com redes sem fio vêm se tornando bastante comuns. De aplicações industriais a projetos específicos, criou-se

Leia mais

O futuro da educação já começou

O futuro da educação já começou O futuro da educação já começou Sua conexão com o futuro A 10 Escola Digital é uma solução inovadora para transformar a sua escola. A LeYa traz para a sua escola o que há de mais moderno em educação, a

Leia mais

Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth

Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth João Paulo Santos¹, Wyllian Fressaty¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Jpsantos1511@gmail.com,

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO Wilker Luiz Machado Barros¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil wilkermachado1@hotmail.com,

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE

APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE APLICATIVO MOBILE CATÁLOGO DE PÁSSAROS - PLATAFORMA ANDROID/MYSQL/WEBSERVICE MARCOS LEÃO 1, DAVID PRATA 2 1 Aluno do Curso de Ciência da Computação; Campus de Palmas; e-mail: leão@uft.edu.br PIBIC/UFT

Leia mais

Utilização da Internet das Coisas para o desenvolvimento de miniestação de baixo custo para monitoramento de condições do tempo em áreas agrícolas

Utilização da Internet das Coisas para o desenvolvimento de miniestação de baixo custo para monitoramento de condições do tempo em áreas agrícolas Utilização da Internet das Coisas para o desenvolvimento de miniestação de baixo custo para monitoramento de condições do tempo em áreas agrícolas Bruno Silva Afonso 1, Roberto Benedito de O. Pereira 1,

Leia mais

DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1

DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1 DEFINIÇÃO DE UMA REDE DE SENSORES SEM FIO PARA A ARQUITETURA AGROMOBILE 1 Marcos Sulzbach Morgenstern 2, Roger Victor Alves 3, Vinicius Maran 4. 1 Projeto de Pesquisa Agromobile - Uma Arquitetura de Auxílio

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação (MEC) em seus processos de formulação, implantação e

Leia mais

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS Descrição As necessidades de telemedição (ou telemetria) e telecomando têm sido cada vez mais utilizadas nas mais variadas aplicações, principalmente onde o volume

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Roteiro de Estudos Redes PAN IV O Portal Teleco apresenta periodicamente Roteiros de Estudo sobre os principais temas das Telecomunicações. Os roteiros apresentam uma sugestão de tutoriais publicados para

Leia mais

perspectivas e abordagens típicas de campos de investigação (Senra & Camargo, 2010).

perspectivas e abordagens típicas de campos de investigação (Senra & Camargo, 2010). 1 Introdução Os avanços na tecnologia da informação, bem como o crescimento da sociedade da informação através do uso da Internet, obrigaram os governos de inúmeros países, em seus mais variados níveis,

Leia mais

Projetos I Resumo de TCC. Luiz Rogério Batista De Pieri Mat: 0413829 5

Projetos I Resumo de TCC. Luiz Rogério Batista De Pieri Mat: 0413829 5 Projetos I Resumo de TCC Luiz Rogério Batista De Pieri Mat: 0413829 5 MAD RSSF: Uma Infra estrutura de Monitoração Integrando Redes de Sensores Ad Hoc e uma Configuração de Cluster Computacional (Denise

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Roteiro de Estudos Redes PAN II O Portal Teleco apresenta periodicamente Roteiros de Estudo sobre os principais temas das Telecomunicações. Os roteiros apresentam uma sugestão de tutoriais publicados para

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012

COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012 COMUNICADO n o 001/2012 ÁREA DE ENSINO ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Ensino PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO DESTE DOCUMENTO:

Leia mais

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais.

Projeto OBAA. Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias. Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais. Edital MCT/FINEP/MC/FUNTTEL Plataformas para Conteúdos Digitais 01/2007 Projeto OBAA Relatório Técnico RT-OBAA-07 Grupo Agentes e Ontologias Proposta de Federação de Repositórios de Objetos Educacionais

Leia mais

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14:

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Senhores, A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Questionamento 1: 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMCAS No que diz respeito ao subitem 2.1.2, temos a seguinte

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com. 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.br RESUMO A tele-medição de

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 FileMaker Pro 13 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 2007-2013 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Tutorial de Utilização do CellControl SMS I/O em rede DXNET com CLP Dexter µdx série 200

Tutorial de Utilização do CellControl SMS I/O em rede DXNET com CLP Dexter µdx série 200 Tutorial de Utilização do CellControl SMS I/O em rede DXNET com CLP Dexter µdx série 200 julho/2010 GSControl Automação Ltda. Rua Washington Luiz, 675 ITC Conjunto 1101 Centro Porto Alegre RS CEP 90010-460

Leia mais

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL Manoel Theodoro Fagundes Cunha Sergio Scheer Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Centro de Estudos de Engenharia

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 FileMaker Pro 14 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 2007-2015 FileMaker, Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS

ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS Ana Beatriz Mesquita (CPTEC/INPE) ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS Metodologia do trabalho realizado referente a gravação e expansão dos vídeos

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Visão geral das redes sem fio

Visão geral das redes sem fio Visão geral das redes sem fio 1 - Introdução O termo redes de dados sem fio pode ser utilizado para referenciar desde dispositivos de curto alcance como o Bluetooth à sistemas de altas taxas de transmissão

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 8 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014 Disciplina a implantação e a gestão da Identidade Padrão de Comunicação Digital das

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics:

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015. Big Data Analytics: Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 20/03/2015 Big Data Analytics: Como melhorar a experiência do seu cliente Anderson Adriano de Freitas RESUMO

Leia mais

PROPOSTA PARA APLICAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA EM REALIDADE VIRTUAL

PROPOSTA PARA APLICAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA EM REALIDADE VIRTUAL PROPOSTA PARA APLICAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA EM REALIDADE VIRTUAL Cássio David Borralho Pinheiro cassio@stm.ufpa.br cdbpinheiro@zipmail.com.br Universidade Federal do Pará - Campus de Santarém Resumo.

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Maycon Cirilo dos Santos¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil mayconsi2012@gmail.com, wyllian@unipar.br

Leia mais

Introdução a computação móvel. Middlewares para Rede de Sensores sem Fio. Uma avaliação na ótica de Adaptação ao Contexto

Introdução a computação móvel. Middlewares para Rede de Sensores sem Fio. Uma avaliação na ótica de Adaptação ao Contexto Introdução a computação móvel Monografia: Middlewares para Rede de Sensores sem Fio Uma avaliação na ótica de Adaptação ao Contexto Adriano Branco Agenda Objetivo do trabalho O que é uma WSN Middlewares

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Monsenhor Antônio Magliano. Código: 088 Município: Garça. Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais. Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Fóruns / Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias e experiências que

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

Análise e Projeto Orientados por Objetos

Análise e Projeto Orientados por Objetos Análise e Projeto Orientados por Objetos Aula 02 Análise e Projeto OO Edirlei Soares de Lima Análise A análise modela o problema e consiste das atividades necessárias para entender

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br DIGIMAN MANDADO JUDICIAL ELETRÔNICO Arquitetura WTB Tecnologia 2009 www.wtb.com.br Arquitetura de Software O sistema DIGIMAN é implementado em três camadas (apresentação, regras de negócio e armazém de

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva.

O TRAFip é uma poderosa ferramenta de coleta e caracterização de tráfego de rede IP, que vem resolver esse problema de forma definitiva. Não há dúvida de que o ambiente de rede está cada vez mais complexo e que sua gestão é um grande desafio. Nesse cenário, saber o que está passando por essa importante infraestrutura é um ponto crítico

Leia mais

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Janeiro de 2011 p2 Usuários comerciais e organizações precisam

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP

Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP Paulo Fernando da Silva psilva@senior.com.br Sérgio Stringari stringari@furb.br Resumo. Este artigo apresenta o desenvolvimento de um driver NDIS 1 para

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico. David Scaquetti

Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico. David Scaquetti Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico David Scaquetti Introdução Importância dos transformadores no sistema de potência Evolução do monitoramento: - Medição

Leia mais

CONTROLADORES ELETRÔNICOS SICES. Linha de Produtos

CONTROLADORES ELETRÔNICOS SICES. Linha de Produtos CONTROLADORES ELETRÔNICOS SICES Linha de Produtos FAMÍLIA GC XXX GC 310: Controlador Simples AMF-ATS-SPM Emergência, falha dos canos principais, comutação GC 350: Controlador Avançado AMF-ATS-SPM Emergência,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Introdução Fabricio Breve Onde estão as redes? Caixa Eletrônico Terminais conectados a um computador central Supermercados, farmácias, etc... Vendas Caixa Estoque Etc... Por que Redes?

Leia mais

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP 6. Procedimento de gerenciamento de risco O fabricante ou prestador de serviço deve estabelecer e manter um processo para identificar

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS A Internet global A World Wide Web Máquinas de busca Surgiram no início da década de 1990 como programas de software relativamente simples que usavam índices de palavras-chave.

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Trabalho Interdisciplinar Semestral 3º semestre - 2012.1 Trabalho Semestral 3º Semestre Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Apresentação

Leia mais

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL RESOLUÇÃO SEPLAG no. xx/xxxx Disciplina o funcionamento das Comunidades de Prática CoPs no âmbito do Poder Executivo Estadual, vinculadas

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA COMPETÊNCIA DE TI ATRAVÉS DE UM ABRANGENTE PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE E MODELAGEM DE CARGAS DE TRABALHO

UTILIZAÇÃO DA COMPETÊNCIA DE TI ATRAVÉS DE UM ABRANGENTE PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE E MODELAGEM DE CARGAS DE TRABALHO S Y S T E M S ASG-PERFMAN 2020 UTILIZAÇÃO DA COMPETÊNCIA DE TI ATRAVÉS DE UM ABRANGENTE PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE E MODELAGEM DE CARGAS DE TRABALHO ASG ASG-PERFMAN 2020: Visão Global A sua capacidade

Leia mais

Moodle como ferramenta de apoio pedagógico Estudo de caso da Faculdade da Serra Gaúcha

Moodle como ferramenta de apoio pedagógico Estudo de caso da Faculdade da Serra Gaúcha Moodle como ferramenta de apoio pedagógico Estudo de caso da Faculdade da Serra Gaúcha Vianei Roberto Mayolo Adriano Pistore Estrutura da apresentação Apresentação da FSG Ensino Integrado Implantação do

Leia mais

Resolução CC-52, de 23-6-2004

Resolução CC-52, de 23-6-2004 Resolução CC-52, de 23-6-2004 ANEXO I Institui a Política e o Plano Estratégico de Uso de Software na Administração Pública Estadual O Secretário-Chefe da Casa Civil, na qualidade de Presidente do Comitê

Leia mais

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 2007 2012 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais