11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade no Poder Judiciário Gestão de Pessoas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade no Poder Judiciário Gestão de Pessoas"

Transcrição

1 11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade no Poder Judiciário Gestão de Pessoas Introdução Identificação do órgão: Supremo Tribunal Federal STF Unidade: Seção de Gestão de Desempenho para contato: Nome do Projeto: Pesquisa de diagnóstico do índice de bem-estar dos servidores do STF Nome do Responsável e Equipe: Responsável: Beatris Bravo Ramos (Chefe da Seção de Gestão de Desempenho da Secretaria de Recursos Humanos). Equipe: Beatris Bravo Ramos; Renata Menezes de Oliveira; Michele Rigonato da Silva Barrense; Ana Valéria Cantão; Sandra Regina Ayres Rocha Carisio - (Secretaria de Recursos Humanos). Delimitação da Ação: Realizar diagnóstico para verificar como os servidores percebem as relações socioprofissionais, o reconhecimento e o crescimento profissional, o elo trabalhovida social, as condições e a organização do trabalho no STF, bem como, averiguar o impacto dessas variáveis sobre o bem-estar dos servidores. Elaborar Política de Bem-Estar. Objetivos e Metas: - Identificar índices de vivências de bem-estar e mal-estar no trabalho dos servidores do STF; - Apresentar os indicadores críticos presentes no STF em termos de condições de trabalho, organização do trabalho, relações socioprofissionais, reconhecimento e crescimento profissional e elo trabalho-vida social; - Gerar subsídios para implementar ações que resgatem o bem-estar nas unidades em que essa vivência não alcançou índice satisfatório; - Elaborar Política de Bem-Estar. 1

2 Ementa O Supremo Tribunal Federal, sempre atento à percepção que os servidores têm sobre o contexto organizacional no qual estão inseridos, tem como um dos seus valores Valorizar o capital humano. Um caminho para contemplar esse valor é investigar a avaliação que os servidores fazem das diversas variáveis organizacionais e como se sentem em relação a elas. Somente a partir dessa coleta de dados é possível sugerir ações que fomentem o respeito e o comprometimento no trabalho. Foi proposta, então, a realização de uma pesquisa sobre as vivências de bem-estar e mal-estar no trabalho. As vivências de bem-estar incidem em avaliações positivas que os trabalhadores fazem sobre seu estado físico, psicológico e social no contato com o seu ambiente de trabalho (Ferreira, Ferreira, Bergamaschi & Antloga, 2009). Em contrapartida, as vivências de mal-estar expressam avaliações negativas. A premissa básica é que não existe foco em resultados, que se traduz em efetividade organizacional, sem considerar o bem-estar do trabalhador. Diante do exposto, a orientação é que se investigasse não apenas as sensações positivas ou negativas dos servidores, mas também as variáveis que lhes são associadas para que se possa adotar uma atuação preventiva amparada em ações de melhoria do contexto de produção, em que se privilegie o respeito e a valorização do servidor. No STF já existem iniciativas que se relacionam direta ou indiretamente ao bem-estar, como o Programa Viva Bem e o Acompanhamento Funcional. No entanto, esses programas requerem um diagnóstico para embasar as ações preventivas propostas a fim de evitar o comprometimento da saúde, do desempenho ou das relações socioprofissionais dos seus servidores. Com o intuito de cumprir o objetivo estabelecido no Planejamento Estratégico e de integrar ações que já são desenvolvidas no Tribunal, foi realizada uma investigação científica sobre como os servidores percebem o bem-estar no trabalho no contexto organizacional do STF. A pesquisa de diagnóstico do índice de bem-estar no trabalho foi executada nas seguintes etapas: 1ª Etapa: Contratação de consultoria para dar suporte técnico aos servidores da Coordenadoria de Desenvolvimento de Pessoal na execução do projeto de pesquisa; 2ª Etapa: Sensibilização dos servidores; 3ª Etapa: Aplicação do Instrumento de pesquisa; 4ª Etapa: Análise dos resultados e confecção do relatório técnico; 5ª Etapa: Divulgação dos resultados para a Administração e para os servidores da Casa. O grupo de estudos ErgoPublic da Universidade de Brasília (Grupo de Estudos e Pesquisas em Ergonomia Aplicada ao Setor Público) foi contratado para dar apoio técnico à equipe responsável pela Pesquisa, e o questionário foi desenvolvido pelo Prof. Dr. Mário César Ferreira. O instrumento utilizado constitui-se de 5 fatores divididos em itens: condições de trabalho (12 itens), organização do trabalho (9 itens), relações socioprofissionais (16 itens), reconhecimento e crescimento profissional (14 itens) e elo trabalho vida-social (10 itens). Além das questões fechadas, havia 4 questões abertas para identificar: fontes de bem-estar no trabalho, 2

3 fontes de mal-estar no trabalho, qualidade de vida no trabalho e espaço para comentários e sugestões à Pesquisa. Para a análise das questões fechadas foi utilizada a escala do tipo Likert de 10 pontos, na qual as respostas estão localizadas nas zonas de mal-estar, zona de transição e zona de bem-estar. As respostas entre 0 a 3,9 estão localizadas na zona de mal-estar, indicando resultado negativo que evidencia a predominância de representações de mal-estar no trabalho que devem ser transformadas no ambiente organizacional. As respostas entre 4 a 5,9 estão localizadas na zona de transição, indicando resultado mediano de situação-limite, na qual há coexistência de malestar e bem-estar no trabalho. Por fim, as respostas entre 6 a 10 estão localizadas na zona de bem-estar indicando resultado positivo, que evidencia a predominância de representações de bem-estar no trabalho, que devem ser mantidas e consolidadas no ambiente organizacional. A campanha de divulgação da Pesquisa, sob responsabilidade do Núcleo de Programação Visual do Tribunal, baseou-se em três peças publicitárias: cartazes - campanha publicitária do tipo teaser, folder contendo informações sobre a Pesquisa e um lembrete em forma de humormômetro. Os cartazes foram divulgados em lugares estratégicos da Corte, na 1º semana de sensibilização da Pesquisa, com o objetivo de despertar a curiosidade dos servidores. Na 2º semana de sensibilização foram divulgados novos cartazes que revelaram a Pesquisa aos transeuntes informando: período de realização, site da Pesquisa, ramais e para contato. Além das peças publicitárias, foram divulgadas duas matérias no Supremo em Dia. A primeira tratava da divulgação da pesquisa, da sua importância para os servidores do Tribunal, além de entrevista com a servidora Sandra Regina Ayres Rocha Carisio, que faz parte da equipe responsável pela Pesquisa. A segunda matéria publicada no Supremo em Dia coincidiu com o 1º dia de acesso para responder ao questionário. A matéria trouxe uma entrevista do Prof. Mário César elucidando aspectos sobre a Pesquisa de Bem-Estar. Também foi encaminhado memorando do Diretor-Geral do STF para todos os Secretários, Assessores-Chefe e Chefes de Gabinete desta Casa informando sobre a realização da Pesquisa de Bem-Estar. O documento falava da importância desta iniciativa e sua vinculação ao valor institucional Valorização do Capital Humano, pois tinha como objetivo identificar como os servidores se sentem em relação a diversos aspectos do trabalho. Além disso, o documento trazia como perspectiva a utilização dos resultados apurados na pesquisa para proposição de ações de melhoria que ajustem o contexto de trabalho aos anseios dos servidores e integrem o bem-estar, a eficiência e a eficácia das atividades desenvolvidas. A equipe responsável realizou também visitas às unidades do Tribunal para reforçar a divulgação da Pesquisa e entregar, aos servidores, folders explicativos contendo os cartões de acesso ao questionário. Foram dadas explicações sobre o projeto, tais como: objetivos e acesso à pesquisa, período de realização, s e ramais para contato, importância da participação dos servidores e divulgação dos resultados. Além das estratégias de sensibilização da campanha, foi disponibilizado um computador na sala de reuniões da Coordenadoria de Desenvolvimento de Pessoal com o objetivo de atrair o maior número de respondentes. Essa medida visava solucionar eventuais dificuldades de acesso à internet fora do Tribunal, além de possibilitar a participação de servidores que não possuem estação de trabalho ou que quisessem responder à pesquisa com mais privacidade. 3

4 Durante a 2º semana de realização do evento foram entregues em todas as unidades do STF lembretes da campanha para atrair os participantes que ainda não haviam respondido ao questionário. A adesão dos servidores à Pesquisa foi massiva, pois, do quantitativo de servidores presentes à época, cerca de 1.101, participaram 672 pessoas, o que corresponde a 61,03% do total. Nas variáveis demográficas, o perfil dos participantes observado foi o seguinte: equilíbrio entre os gêneros masculino e feminino, maioria de pessoas casadas, grau de escolaridade especialização, e faixa etária entre 30 a 39 anos de idade. Com relação às variáveis profissiográficas, a maioria dos respondentes era do cargo de Analista Judiciário, lotados nos Gabinetes de Ministros, com tempo de lotação e de STF de no máximo 5 anos. Os resultados apontados foram bastante positivos e a média geral da Pesquisa ficou localizada na zona de bem-estar. Os fatores melhor avaliados pelos servidores foram, nessa ordem: relações socioprofissionais, elo trabalho-vida social e condições de trabalho, todos com a média na zona de bem-estar. Já os fatores pior avaliados foram, nessa ordem: reconhecimento e crescimento profissional e organização do trabalho, com médias enquadradas na zona de transição. A próxima etapa de trabalho prevista é a elaboração e a aprovação de uma Política de Bem-Estar. Nessa etapa do projeto, buscam-se estabelecer objetivos direcionadores do comportamento da organização para alteração do contexto de trabalho e formação de um ambiente promotor da saúde ocupacional. Em suma, a Política de Bem-Estar deverá ser um conjunto de orientações, baseadas nos valores e princípios do STF, que nortearão as relações de trabalho, fornecendo sustentação à missão, à visão e ao planejamento estratégico, de forma dinâmica e duradoura, com o intuito de assegurar a oferta de servidores qualificados, saudáveis, motivados e satisfeitos, que agreguem valor para o Tribunal na prestação jurisdicional. A Política será elaborada em 3 etapas: 1º - Elaboração de modelo orientador da Política de Bem-Estar; 2º - Realização de oficina com os representantes de grupos focais do STF que desenvolvem atividades ligadas diretamente e indiretamente à qualidade de vida no trabalho; 3º - Consulta pública aos servidores para aprovação da Política de Bem-Estar do STF; Pela impossibilidade de discussão com todos os membros da organização, apenas serão convidados a participar da oficina as pessoas diretamente envolvidas nos grupos de trabalho da área de Qualidade de Vida no Trabalho do STF. Nessa etapa, de realização da oficina com os grupos focais, será utilizada uma técnica conhecida como grupo focal, na qual pessoas com determinadas características são divididas em uma série de grupos, para a produção de dados qualitativos sobre uma discussão focalizada. Na 3º etapa será disponibilizada aos servidores, via Intranet, a versão preliminar da Política, para que, por meio de consulta pública, seja garantido o direito de aprovação ou não do texto proposto, assim como a manifestação de sugestões para a sua melhoria. A Pesquisa de Bem-Estar surgiu como uma demanda da alta administração do STF, que tem apoiado o projeto em todas as suas fases. É notável também a ampla adesão dos servidores à Pesquisa, tendo em vista o alto número de respondentes interessados em propor mudanças para o Tribunal quanto aos fatores tratados no questionário. 4

5 Os resultados da Pesquisa demonstraram que a percepção da alta Administração em relação às necessidades de melhoria está alinhada aos anseios dos servidores, uma vez que alguns aspectos levantados como críticos na Pesquisa já estavam sendo objeto de projetos pelo Tribunal. Além disso, a Pesquisa possibilitou um espaço de fala aos servidores, o que já proporciona em alguma medida a melhoria do bem-estar. Desse modo, a mais alta Corte do país destaca-se por fomentar um projeto que tem como foco principal a preocupação com o bemestar dos seus servidores no alcance de sua missão institucional. Próxima etapa... Com a Política de Bem-Estar aprovada, a equipe responsável pela Pesquisa pretende elaborar um Plano de Ações para delimitar as atividades que serão realizadas para minimizar os aspectos apontados pelos servidores como causadores de mal-estar no trabalho, bem como os responsáveis pela execução dessas ações. As ações previstas no Plano serão acompanhadas e avaliadas pela equipe responsável pela Pesquisa. A previsão inicial é de que a Pesquisa seja reaplicada a cada dois anos para comparação com os resultados pregressos, melhoria dos aspectos reincidentes de mal-estar, entre outros fins específicos. 5

6 Informações Adicionais A seguir materiais de divulgação da Pesquisa de Bem-Estar e reportagens vinculadas ao tema. Cartazes de divulgação da Pesquisa: Folder explicativo: 6

7 Cartão raspadinha para acesso ao questionário da pesquisa frente e verso: Teaser da campanha: Humormômetro : Convite apresentação dos resultados: 7

8 Reportagens sobre o projeto: 8

9 1) Reportagem com Psicóloga: Sandra Regina Ayres Rocha Carisio. 9

10 2) Reportagem com o Prof. Mário César Ferreira: 10

11 3) Reportagem de divulgação taxa de participação 11

12 4) Reportagem sobre a apresentação dos resultados da Pesquisa: 12

13 13

14 5) Reportagem Política de bem-estar 14

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - DIDES ipea

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - DIDES ipea ipea \ \ Setembro 2011 ;' /" Contexto../ Portaria SRH n 1.261, de 5 de maio de 2010, prevê em seu art. 2 diversas ações vinculadas à Qualidade de Vida a fim melhorar as condições e relações de trabalho../

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO FÓRUM CLÓVIS BEVILÁQUA

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO FÓRUM CLÓVIS BEVILÁQUA ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO FÓRUM CLÓVIS BEVILÁQUA APRESENTAÇÃO E-mail para contato: ctifor@tjce.jus.br Nome do trabalho: Projeto Qualidade de Vida: celebrando o equilíbrio mente/corpo no ambiente

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Supremo Tribunal Federal Secretaria de Recursos Humanos Coordenadoria de Desenvolvimento de Pessoal Seção de Programas Institucionais de Desenvolvimento Obrigatoriedade: - Lei nº 11.416/2006: instituiu

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2010 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU)

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2010 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU) Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2010 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU) Alan Rodrigues da Silva Iuri Frederico de Oliveira Santos

Leia mais

11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade do Judiciário Gestão de Pessoas

11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade do Judiciário Gestão de Pessoas Apresentação 11ª Mostra Nacional de Trabalhos de Qualidade do Judiciário Gestão de Pessoas Identificação do órgão: Supremo Tribunal Federal Unidade: Secretaria de Recursos Humanos / Coordenadoria de Desenvolvimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual para Implantação do Programa Peso Saudável. (Versão preliminar - em fase de diagramação)

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual para Implantação do Programa Peso Saudável. (Versão preliminar - em fase de diagramação) MINISTÉRIO DA SAÚDE Manual para Implantação do Programa Peso Saudável (Versão preliminar - em fase de diagramação) Brasília DF 2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO

Leia mais

PORTARIA Nº 6.137, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 6.137, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. PORTARIA Nº 6.137, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. Altera a Portaria nº 4.772/2008, a qual instituiu a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. A PRESIDENTE

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA RELATÓRIO SINTÉTICO - CLIMA ORGANIZACIONAL 2014

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA RELATÓRIO SINTÉTICO - CLIMA ORGANIZACIONAL 2014 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA RELATÓRIO SINTÉTICO - CLIMA ORGANIZACIONAL 2014 Natal, outubro de 2014 DESEMBARGADOR PRESIDENTE ADERSON SILVINO JUÍZES RESPONSÁVEIS

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

PORTARIA PGR Nº 198 DE 15 DE ABRIL DE 2011. Regulamenta o Programa de Treinamento, Desenvolvimento e Educação do Ministério Público da União.

PORTARIA PGR Nº 198 DE 15 DE ABRIL DE 2011. Regulamenta o Programa de Treinamento, Desenvolvimento e Educação do Ministério Público da União. PORTARIA PGR Nº 198 DE 15 DE ABRIL DE 2011 Regulamenta o Programa de Treinamento, Desenvolvimento e Educação do Ministério Público da União. O PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, no uso de suas atribuições,

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S Marcos Henrique Pazini (Pós-Graduado da UNICENTRO), Sílvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais

Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) e Fontes de Bem-Estar e Mal-Estar no Trabalho no TRT-MG: O que Pensam os Trabalhadores?

Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) e Fontes de Bem-Estar e Mal-Estar no Trabalho no TRT-MG: O que Pensam os Trabalhadores? Devolutiva dos Resultados Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) e Fontes de Bem-Estar e Mal-Estar no Trabalho no TRT-MG: O que Pensam os Trabalhadores? Prof. Dr. Mário César Ferreira Profa. Dra. Carla Antloga

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Brasília, Maio de 2014

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Brasília, Maio de 2014 Programa de Desenvolvimento Gerencial Brasília, Maio de 2014 A Embrapa Missão Viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura em benefício da sociedade

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME APRESENTAÇÃO Este projeto trata do Planejamento de Comunicação da Estratégia da Justiça Militar do Estado do

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

1. Documento: 20026-2015-2

1. Documento: 20026-2015-2 1. Documento: 20026-2015-2 1.1. Dados do Protocolo Número: 20026/2015 Situação: Ativo Tipo Documento: Comunicação Interna - CI Assunto: Planejamento estratégico - Metas Unidade Protocoladora: SES - Secretaria

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher

PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher PARÁ: O histórico do Ministério Público Paraense no enfrentamento à Violência contra a mulher Lucinery Helena Resende Ferreira do Nascimento Túlio Carlos Souza Ortiz Desde o nascimento da Lei 11.340, em

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

I. FASE DE INICIAÇÃO objetiva formalizar a autorização de um projeto, ou fase de um projeto.

I. FASE DE INICIAÇÃO objetiva formalizar a autorização de um projeto, ou fase de um projeto. 1. FASES DA METODOLOGIA I. FASE DE INICIAÇÃO objetiva formalizar a autorização de um projeto, ou fase de um projeto. Esta fase inicial serve para detalhar os benefícios e os resultados esperados que este

Leia mais

RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL

RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 16ª REGIÃO SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E ESTATÍSTICA RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2011 1 - INTRODUÇÃO O Tribunal Regional do Trabalho

Leia mais

Experiência: MUDANÇA ORGANIZACIONAL EM BUSCA DA EXCELÊNCIA

Experiência: MUDANÇA ORGANIZACIONAL EM BUSCA DA EXCELÊNCIA Experiência: MUDANÇA ORGANIZACIONAL EM BUSCA DA EXCELÊNCIA Comissão Nacional de Energia Nuclear Instituto de Engenharia Nuclear Ministério da Ciência e Tecnologia Responsável: Isaac José Obadia - Coordenador-Geral

Leia mais

Analisado por: (DGPES) Pessoas (SEAPE) ATENÇÃO: A cópia impressa a partir da intranet é cópia não controlada.

Analisado por: (DGPES) Pessoas (SEAPE) ATENÇÃO: A cópia impressa a partir da intranet é cópia não controlada. Proposto por: Analisado por: Aprovado por: Equipe do Serviço de Diretor do Departamento de Diretor-Geral da Diretoria- Ambientação e Desenvolvimento de Pessoas Geral de Gestão de Pessoas Acompanhamento

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E PERCEPÇÕES DE BEM-ESTAR E MAL-ESTAR NO TRABALHO

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E PERCEPÇÕES DE BEM-ESTAR E MAL-ESTAR NO TRABALHO ISSN 1984-9354 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E PERCEPÇÕES DE BEM-ESTAR E MAL-ESTAR NO TRABALHO Veruska Albuquerque Pacheco, Polyanna Peres Andrade, Patrícia Emanuele da Cruz Dias Ribeiro, Marina Maia do

Leia mais

Política de. [ comunicação] Forluz

Política de. [ comunicação] Forluz Política de [ comunicação] Forluz Índice Apresentação...4 Missão da Forluz...5 Condições para aplicação deste documento...6 Objetivos da Política de Comunicação...7 Diretrizes da Política de Comunicação...8

Leia mais

Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento PNQS. Inovação da Gestão em Saneamento IGS 2013

Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento PNQS. Inovação da Gestão em Saneamento IGS 2013 Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento PNQS Inovação da Gestão em Saneamento IGS 2013 RELATÓRIO DE DESCRIÇÃO DE PRÁTICA DE GESTÃO: FROTA AZUL Setembro/2013 1 Estrutura Organizacional da OC 2 A Organização

Leia mais

MRedPN tt : Metodologia para Redesenho de Processos de Negócios com Transferência Tecnológica - Versão 1.1

MRedPN tt : Metodologia para Redesenho de Processos de Negócios com Transferência Tecnológica - Versão 1.1 MRedPN tt : Metodologia para Redesenho de Processos de Negócios com Transferência Tecnológica - Versão 1.1 Prof. Dr. Jorge Henrique Cabral Fernandes (jhcf@cic.unb.br) Departamento de Ciência da Computação

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22 ÍNDICE Introdução 2 Missão 4 Visão de Futuro 5 Objetivos Estratégicos 6 Mapa Estratégico 7 Metas, Indicadores e Ações 8 Considerações Finais 22 1 INTRODUÇÃO O Plano Estratégico do Supremo Tribunal de Federal,

Leia mais

Quitéria Amâncio Carvalho Vera Cristina Gomes Calado

Quitéria Amâncio Carvalho Vera Cristina Gomes Calado CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Estruturação da Seção de Qualidade de Vida do Trabalha no HGE Novos Desafios Quitéria Amâncio Carvalho Vera Cristina

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Relatório de Informações Gerenciais Setorial do 1º Semestre de 2013 DIRETORIA GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO DGTEC RELATÓRIO DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1º

Leia mais

Gestão de Projetos para o alcance das Metas Estratégicas

Gestão de Projetos para o alcance das Metas Estratégicas Gestão de Projetos para o alcance das Metas Estratégicas Rosângela Gomes Yamada Diretora da Secretaria de Planejamento e Gestão - SEPLAN TRT 12ª Região - SC 16.09.2010 TÓPICOS A SEREM ABORDADOS Conhecendo

Leia mais

PROJETO-PILOTO: GERENCIAMENTO DE ESTRESSE NA AGÊNCIA REGIONAL DE FLORIANÓPOLIS

PROJETO-PILOTO: GERENCIAMENTO DE ESTRESSE NA AGÊNCIA REGIONAL DE FLORIANÓPOLIS PROJETO-PILOTO: GERENCIAMENTO DE ESTRESSE NA AGÊNCIA REGIONAL DE FLORIANÓPOLIS Cibele Regina Willms 04/09/2013 Situação atual -> empregado Trabalho Individuo OBJETIVOS Disponibilizar técnicas psicológicas

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2014/00093 de 20 de fevereiro de 2014

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº CJF-POR-2014/00093 de 20 de fevereiro de 2014 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL PORTARIA Nº CJF-POR-2014/00093 de 20 de fevereiro de 2014 Dispõe sobre a aprovação do Documento Acessório Comum Política de Gestão de Riscos,

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

Balanço da Campanha. Felgueiras, 4 de março de 2015

Balanço da Campanha. Felgueiras, 4 de março de 2015 Balanço da Campanha Felgueiras, 4 de março de 2015 Preparação da Campanha Envolvimento dos parceiros sociais APICCAPS, CTCP, FESETE, SINDEQ e Academia do Design e Calçado Compromisso de apoio à Campanha

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) REGIMENTO DA AUDITORIA INTERNA (Audin) CAPÍTULO I DA ORIGEM E FINALIDADE Art. 1º A Auditoria Interna da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Leia mais

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5 2 Para acessar cada item do Sumário, clique nele. Para retornar ao sumário, clique na logo do ecolega em qualquer página. Sumário 1. Visão Geral do EcoLega 3 2. Alinhamento Estratégico 3 3. Orientações

Leia mais

Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018

Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018 Belo Horizonte, 07 de agosto de 2013. Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018 Documento elaborado pela designada pela Portaria 398/2013 Descrição 1. Realização de

Leia mais

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA Introdução É importante ressaltar que um plano de comunicação tem a finalidade de tornar conhecida

Leia mais

Florianópolis, 2012. Expedito Michels. Mestrado Profissional em Administração Universitária (PPGAU/UFSC)

Florianópolis, 2012. Expedito Michels. Mestrado Profissional em Administração Universitária (PPGAU/UFSC) O PAPEL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PARA A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ADMINISTRAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO Florianópolis, 2012 Expedito Michels Mestrado Profissional

Leia mais

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 1 de 30 16/11/2015 15:16 Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 Prezado(a) Como o OBJETIVO de apurar o nível de maturidade em governança da Justiça Federal, foi desenvolvido instrumento

Leia mais

GESTÃO DAS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS NOS GOVERNOS ESTADUAIS BRASILEIROS

GESTÃO DAS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS NOS GOVERNOS ESTADUAIS BRASILEIROS Inter-American Development Bank Banco Interamericano de Desarrollo Banco Interamericano de desenvolvimento Banque interámericaine de développment BR-P1051 Departamento de Países do Cone Sul (CSC) Rascunho

Leia mais

Construção do Plano Estratégico 2015-2020. Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014

Construção do Plano Estratégico 2015-2020. Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014 Construção do Plano Estratégico 2015-2020 Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014 2 Objetivo da Reunião Apresentar a contribuição institucional, discutir propostas

Leia mais

A Conciliação. A Campanha 2015. Objetivos da Campanha

A Conciliação. A Campanha 2015. Objetivos da Campanha A Conciliação A Semana Nacional da Conciliação é uma ação institucional do CNJ que ocorre desde 2008. Essa iniciativa, já consolidada, conta com a participação de demais tribunais brasileiros e terá logomarca

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO MINUTA DE RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO MINUTA DE RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA MINUTA DE RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Regulamenta o teletrabalho no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO TST, no uso de suas atribuições

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL Novembro, 2014 Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares CCS Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares Setor Comercial Sul - SCS, Quadra 09, Lote C, Ed. Parque

Leia mais

PROTOCOLO DE SOLUÇÕES Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho SOLUÇÕES SOCIAIS

PROTOCOLO DE SOLUÇÕES Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho SOLUÇÕES SOCIAIS 1 PROTOCOLO DE SOLUÇÕES Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho Serviço Social da Indústria de Santa Catarina SOLUÇÕES SOCIAIS 2 Programa: Inclusão da Pessoa com Deficiência

Leia mais

Programa Gestão Viva

Programa Gestão Viva Programa Gestão Viva Subprograma: Gestão de Gente Título: Gestão de Pessoas Objetivo: Proporcionar alternativas que levem os profissionais a atingirem o ápice de seu desempenho profissional, visando, que

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO 2014 APRESENTAÇÃO Já faz tempo que as empresas estão trabalhando com o desafio

Leia mais

REPRODUÇÃO PROIBIDA. Relatório Sintético

REPRODUÇÃO PROIBIDA. Relatório Sintético REPRODUÇÃO PROIBIDA Relatório Sintético Agosto 2011 REPRODUÇÃO PROIBIDA 1. Objetivo 2. Metodologia 3. Perfil e Formação 4. Atuação Profissional 5. Forma de Atuação 6. Remuneração do Consultor e adicionais

Leia mais

Pesquisa de Opinião sobre a Imagem do Ministério Público Federal Sumário Executivo.

Pesquisa de Opinião sobre a Imagem do Ministério Público Federal Sumário Executivo. Pesquisa de Opinião sobre a Imagem do Ministério Público Federal Sumário Executivo. Equipe técnica: Salete Da Dalt: Marco Aurélio Oliveira da Alcântara: Victor Hugo de Carvalho Gouvêa: Rogério Cappelli:

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 135/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 135/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 135/2013/TCE-RO Institui a Política de Comunicação Social e Marketing do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso

Leia mais

1- Objetivo da contratação

1- Objetivo da contratação 1- Objetivo da contratação Contratação de Consultor Pessoa Física para elaboração da Política Integrada de Comunicação do Tesouro Nacional, tendo como objetivos a promoção da transparência e o aperfeiçoamento

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. 02/01/2013 rev. 00

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. 02/01/2013 rev. 00 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 02/01/2013 rev. 00 PAUTA INSTITUCIONAL Sobre a Harpia OUTRAS INFORMAÇÕES Clientes Parceiros SERVIÇOS Responsabilidade Social Consultoria & Gestão Empresarial Planejamento Estratégico

Leia mais

PAF Programa de Acompanhamento Funcional

PAF Programa de Acompanhamento Funcional PAF Programa de Acompanhamento Funcional MINISTÉRIO PÚBLICO MILITAR Márcio de Moura Pereira Motivação do Projeto SITUAÇÃO PROBLEMA Necessidade de atender a demandas já existentes de servidores e membros

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho PUBLICIDADE IT. 40 09 1 / 4 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a execução das atividades de publicidade do Crea GO. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PO. 08 Avaliação da satisfação do cliente 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS:

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: Implantação do sistema de Avaliação de Desempenho com Foco em Competências no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região Belém PA 2013 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010

RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010 RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010 Autoria: Prof. Dr. Introdução Entre os dias 08 e 10 de dezembro de 2010 ocorreu na sede da Etec-Cepam a primeira edição do curso de

Leia mais

PERFIL DA VAGA: GERENTE DE CONTEÚDOS E METODOLOGIAS

PERFIL DA VAGA: GERENTE DE CONTEÚDOS E METODOLOGIAS O Instituto Akatu é uma organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o Consumo Consciente. PERFIL DA VAGA: PERFIL GERAL DA FUNÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 4ª REGIÃO PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 4ª REGIÃO PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011. Institui o Programa de Gestão Ambiental e Sustentabilidade e cria a Comissão de Gestão Ambiental e Sustentabilidade no âmbito da Procuradoria Regional da

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Estruturar e implantar uma unidade administrativa para assessorar a alta administração do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais em relação à elaboração e ao

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Análise do contexto da organização A Pirelli é a quinta maior empresa do mundo no mercado de

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor

Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor Unidade: Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas segti@tre-am.gov.br Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor Gestão de Pessoas Jander Assis Valente, Msc Analista Judiciário/Secretário

Leia mais

Plano de Ação da CPA

Plano de Ação da CPA Centro Universitário do Estado do Pará - CESUPA Plano de Ação da CPA Ano 2014 CPA/CESUPA 2014 C o m i s s ã o P r ó p r i a d e A v a l i a ç ã o C P A / C E S U P A APRESENTAÇÃO O plano de ações da CPA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO CUNI Nº 085, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2011. O Conselho Universitário da Universidade Federal de Lavras, no uso de suas atribuições regimentais, e tendo em vista o que foi deliberado

Leia mais

Portaria nº 3156, de 5 de dezembro de 2013.

Portaria nº 3156, de 5 de dezembro de 2013. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, CONSIDERANDO o Planejamento Estratégico Participativo em execução (2009/2014), aprovado pela Resolução Administrativa

Leia mais

Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05

Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05 Histórico das ações sobre Carga Horária de psicólogos no município do Rio de Janeiro pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP/05 Dezembro/2003 - A discussão sobre carga horária para

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Relatório de Gestão Setorial 2010

Relatório de Gestão Setorial 2010 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial 2010 Cruz das Almas BA 2010 ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES Período: Janeiro

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 50, DE 24 DE MAIO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 50, DE 24 DE MAIO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 50, DE 24 DE MAIO DE 2007 Regulamenta as atividades de instrutoria interna no âmbito do Supremo Tribunal Federal. O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES

GESTÃO DE RISCOS DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES Número da Norma Complementar Revisão Emissão Folha ICMBio Instituto Chico Mendes De Conservação da Biodiversidade Diretoria de Planejamento, Administração e Logística ORIGEM COTEC - Coordenação de Tecnologia

Leia mais

2.10 Um Framework para Avaliação da Implantação do MR MPS em Grupos Cooperados de Empresas

2.10 Um Framework para Avaliação da Implantação do MR MPS em Grupos Cooperados de Empresas 2.10 Um Framework para Avaliação da mplantação do MR MPS em Grupos Cooperados de Empresas Rafael Prikladnicki (PUCRS) rafaelp@pucrs.br Odisnei Galarraga odisnei@swprocess.com.br Agenda 1. Contexto, objetivos

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 14/TST.CSJT.GP, DE 30 DE MAIO DE 2012

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 14/TST.CSJT.GP, DE 30 DE MAIO DE 2012 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO CONJUNTO Nº 14/TST.CSJT.GP, DE 30 DE MAIO DE 2012 Disciplina a aplicação dos recursos destinados ao custeio das atividades do programa Trabalho Seguro. A VICE-PRESIDENTE

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 066/2011 Dispõe sobre a estrutura da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região e dá outras providências. O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

SUPREMO É ESTUDAR EM CASA

SUPREMO É ESTUDAR EM CASA 1 Supremo Tribunal Federal Secretaria de Recursos Humanos Coordenadoria de Desenvolvimento de Pessoal Seção de Ações de Capacitação Continuada SUPREMO É ESTUDAR EM CASA Tema: Gestão de Pessoas Equipe:

Leia mais

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014 Câmpus Restinga Maio, 2013 Desenvolvimento Institucional APRESENTAÇÃO Ao iniciar uma conversa sobre planejamento, planos de ação e instrumentos afins,

Leia mais

Diagnóstico da Governança da JF. Manual de Aplicação da Pesquisa

Diagnóstico da Governança da JF. Manual de Aplicação da Pesquisa Diagnóstico da Governança da JF Manual de Aplicação da Pesquisa 1. Modelo de Governança da Justiça Federal Ao que se pôde demonstrar, há três funções básicas que se extraem dos momentos pelos quais passou

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 33/2012 Autoriza a criação do Comitê de Gestão e Tecnologia da Informação (CGTI), da Universidade Federal da

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO 2009

PESQUISA DE SATISFAÇÃO 2009 PESQUISA DE SATISFAÇÃO 2009 Realização: Elaboração: Premissas A Percepção do Cliente Qualidade do e das instalações, Acesso Relacionamento com o Setor (expectativas) Apoio do SindusCon-SP Objetivos Explicitar

Leia mais

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher A Defensoria Pública do Estado de São Paulo, através de seu Núcleo Especializado de Promoção e Defesa, vem por meio deste, apresentar os projetos apresentados por conta da assinatura do Termo de Cooperação

Leia mais

1 APRESENTAÇÃO. Página 3 de 16

1 APRESENTAÇÃO. Página 3 de 16 Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 4 3 PÚBLICO-ALVO DA GESTÃO ESTRATÉGICA... 4 4 INFORMAÇÕES SOBRE O MODELO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DO TCE/RN... 5 4.1 DIRECIONADORES ESTRATÉGICOS... 5 4.2 OBJETIVOS

Leia mais

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2014 APRESENTAÇÃO O Plano de Ação ora apresentado planeja o processo da Autoavaliação Institucional, que vem se consolidando na Faculdade Norte Capixaba de São

Leia mais

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Oficina : CUSTOS 2 Orçamento sem financeiro (Cronograma X Desembolso) Comunicação quanto ao Risco de não execução do projeto Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Negociação com SPOA/Secr.

Leia mais

PODERJUD1CIÂRIO TRIBUNAL DEJUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS TERMO DE REFERÊNCIA

PODERJUD1CIÂRIO TRIBUNAL DEJUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS TERMO DE REFERÊNCIA PODERJUD1CIÂRIO TRIBUNAL DEJUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO TERMO DE REFERÊNCIA l. DO OBJETO CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA EM CLIMA ORGANIZACIONAL PARA ATUAR EM TODAS AS UNIDADES DO PODER JUDICIÁRIO

Leia mais

Grupo de Apoio ao Planejamento Institucional. Projeto de Governança do Planejamento Estratégico do Ministério Público do Estado do Pará

Grupo de Apoio ao Planejamento Institucional. Projeto de Governança do Planejamento Estratégico do Ministério Público do Estado do Pará ESTADO DO PARÁ MINISTERIO PÚBLICO Grupo de Apoio ao Planejamento Institucional Projeto de Governança do Planejamento Estratégico do Ministério Público do Estado do Pará Abril/2014 PROJETO DE GOVERNANÇA

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros

UNIÃO HOMOAFETIVA. Tâmara Barros UNIÃO HOMOAFETIVA Tâmara Barros O relacionamento entre pessoas do mesmo sexo ainda é uma questão controversa para a maior parte da população da Grande Vitória, conforme pode ser averiguado através de pesquisa

Leia mais

PROJETO MELHORES PRÁTICAS NA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO CAMPANHA

PROJETO MELHORES PRÁTICAS NA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO CAMPANHA PROJETO MELHORES PRÁTICAS NA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO CAMPANHA Curitiba 2010 Dados da Instituição: Nome da instituição: Hospital de Clínicas da UFPR Unidade administrativa responsável pela prática: Assessoria

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH Pesquisa de Clima Organizacional PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2012 DGC/SPRH/DVRH Pesquisa de Clima Organizacional Objetivo da Pesquisa de Clima Organizacional: Conhecer de forma sistematizada o clima

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca definir ações e diretrizes que atendam aos requisitos de infraestrutura e gestão apropriadas às atividades administrativas e judiciais, de forma

Leia mais