Campanha Anti-bullying. JMJ na luta de uma escola respeitosa e humanizada

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Campanha Anti-bullying. JMJ na luta de uma escola respeitosa e humanizada"

Transcrição

1 Campanha Anti-bullying JMJ na luta de uma escola respeitosa e humanizada Se o mal é contagioso o bem também é. Deixemos-no contagiar pelo bem. Papa Francisco

2 Caro jovem, família e educadores, Este material foi elaborado com o intuito de prevenir e combater o Bullying dentro do ambiente escolar, apresentar a legislação vigente como também orientar a todos a cerca deste assunto que vem trazendo sofrimento para muitas crianças, adolescentes e suas famílias. Pesquisa realizada pelo IBGE apontou Brasília como a capital do Bullying e qual será nossa posição frente a essa realidade? É importante entender esse fenômeno e buscar estratégias para que o Bullying seja combatido. Assim voltamos à fala do Papa Francisco para iniciarmos nossa reflexão Se o mal é contagioso o bem também é. Deixemos-no contagiar pelo bem. Vivemos em uma sociedade onde valores como respeito, solidariedade, cordialidade e gentileza muitas vezes passam longe do nosso dia a dia. Esse tem sido um dos desafios que a sociedade vem enfrentando. Se faz necessário nesse momento discutir princípios e valores morais com nossas crianças, nossos jovens e adultos, para que sejam mais respeitosos e mais humanos uns com os outros. O excesso da falta de compromisso e brincadeiras entre colegas na escola, muitas vezes são vistas como situações típicas da idade, porém para aqueles que recebem essas ações têm se mostrado uma face cruel de tantas ofensas. Na verdade, lidamos com crianças e jovens que estão sempre preparados para ganhar e ser supervalorizados naquilo que fazem, muitos estão voltados ao consumismo, a competição, ao poder de compra e ao estereótipo de beleza imposto pela sociedade e acabam esquecendo que nada disso tem valor, se não formos pessoas que sabem contribuir para uma sociedade mais humana, então acabamos por criar uma sociedade que se torna cada vez menos preocupada com o bem comum. Eis o desafio de estarmos em uma escola cristã que valoriza o respeito, as relações humanas, a diversidade, o caráter e a cooperação. Parte daí, a necessidade de estabelecer e construir vínculos, onde o diálogo passa ser a porta de entrada para uma mudança na sociedade. Como bem colocado pelo Papa Francisco Apenas os que dialogam podem construir pontes e vínculos. Por esse motivo cabe aqui fazer uma reflexão sobre essas dificuldades vividas por nossa sociedade, dentre elas o Bullying que tem causado tanta inquietação. Algumas perguntas ficam sem resposta. Será que a pessoa ao meu lado tem problemas em casa? Será que tem problemas de saúde? Será que está passando por alguma dificuldade? Esquecemos de tudo isso e simplesmente brincamos, brincamos e brincamos e acabamos nos divertindo com o sofrimento do outro. E o que de fato significa a palavra brincar? Brincar refere-se ao ato de divertir-se, contar piada e não de causar sofrimento a alguém. Por isso, o bullying

3 não é brincadeira. Só existe brincadeira quando todos os envolvidos na brincadeira se divertem. E quando uns se divertem e o outro vira o motivo da brincadeira isso não é brincadeira e sim violência. Muitas vezes, tememos que nossos filhos sejam alvo de alguém, porém o que estamos fazendo para que nossos filhos não sejam os causadores desse tipo de sofrimento? Precisamos enfrentar isso com seriedade. Difícil é encontrar quem não tenha presenciado ou escutado alguém falar sobre o bullying. Aqui neste manual, vamos buscar explicar como ele acontece, quais são os deveres de nossos adolescentes para que possamos juntos combater tal ação. É importante lembrarmos que quando presenciamos as situações e não buscamos fazer nada para ajudar, acabamos sendo coniventes e tão culpados quanto aqueles que o praticam. Esse é um grande problema social e que deve ser combatido pela nossa sociedade e cada um de nós temos um papel fundamental nessa missão.

4 E o que é então o Bullying? 1. CONCEITO DE BULLYING Compreende todas as formas e atitudes agressivas, realizadas de forma voluntária e repetitiva, que ocorre sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia e realizada dentro de uma relação desigual de poder. Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à infância e à Adolescência Abrapia. 2. O QUE É BULLYING? O bullying é um termo de origem inglesa e sem tradução ainda no Brasil, é utilizado para qualificar comportamentos agressivos no âmbito escolar, praticados tanto por meninos quanto por meninas. Os atos de violência (física ou não) ocorrem de forma intencional e repetitiva contra um ou mais alunos que se encontram impossibilitados de fazer algo frente às agressões sofridas. Tais comportamentos não apresentam motivações específicas ou justificáveis. Em última instância, significa dizer que, de forma natural, os mais fortes utilizam os mais frágeis como meros objetos de diversão, prazer e poder, com o intuito de maltratar, intimidar, humilhar e amedrontar suas vítimas. 3. QUAIS SÃO AS FORMAS DE BULLYING? A legislação vigente aponta com clareza em diversos documentos o que é considerado Bullying e quais são as formas que ele pode acontecer. Vejamos: No que se diz a lei Nº DE 6 DE NOVEMBRO DE 2015 O bullying pode ser: Art. 1 o Fica instituído o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying) em todo o território nacional. 1 o No contexto e para os fins desta Lei, considera-se intimidação sistemática (bullying) todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.

5 A legislação tem por objetivo, prevenir e combater o Bullying, capacitar e orientar a sociedade como um todo, implementar e disseminar campanhas de educação, conscientização e informação, instituir práticas de conduta e orientação de pais, familiares e responsáveis diante da identificação de vítimas e agressores, promover a cidadania, a capacidade empática e o respeito a terceiros, nos marcos de uma cultura de paz e tolerância mútua, mudança do comportamento hostil. Art. 2 o Caracteriza-se a intimidação sistemática (bullying) quando há violência física ou psicológica em atos de intimidação, humilhação ou discriminação e, ainda: I - ataques físicos; II - insultos pessoais; III - comentários sistemáticos e apelidos pejorativos; IV - ameaças por quaisquer meios; V - grafites depreciativos; VI - expressões preconceituosas; VII - isolamento social consciente e premeditado; VIII - pilhérias. Parágrafo único. Há intimidação sistemática na rede mundial de computadores (cyberbullying), quando se usarem os instrumentos que lhe são próprios para depreciar, incitar a violência, adulterar fotos e dados pessoais com o intuito de criar meios de constrangimento psicossocial. Art. 3 o A intimidação sistemática (bullying) pode ser classificada, conforme as ações praticadas, como: I - verbal: insultar, xingar e apelidar pejorativamente; II - moral: difamar, caluniar, disseminar rumores; III - sexual: assediar, induzir e/ou abusar; IV - social: ignorar, isolar e excluir; V - psicológica: perseguir, amedrontar, aterrorizar, intimidar, dominar, manipular, chantagear e infernizar; VI - físico: socar, chutar, bater;

6 VII - material: furtar, roubar, destruir pertences de outrem; VIII - virtual: depreciar, enviar mensagens intrusivas da intimidade, enviar ou adulterar fotos e dados pessoais que resultem em sofrimento ou com o intuito de criar meios de constrangimento psicológico e social. Art. 6 o Serão produzidos e publicados relatórios bimestrais das ocorrências de intimidação sistemática (bullying) nos Estados e Municípios para planejamento das ações. ARTIGO 146 DO CÓDIGO PENAL Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, ou depois de lhe haver reduzido, por qualquer outro meio, a capacidade de resistência, é crime de constrangimento ilegal. ARTIGO 147 DO CÓDIGO PENAL Ameaçar alguém, por palavra, escrita ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, também é crime e o autor deverá responder na justiça. ARTIGO 5º - LEI 8069/90 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais. ARTIGO 17 - LEI 8069/90 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais. 4. QUEM SÃO OS ENVOLVIDOS? Os que sofrem o bullying, os que praticam e os expectadores sejam eles passivos, ativos ou neutros e que convivem num ambiente onde isso acontece e acabam sendo coniventes com a situação ou até mesmo com seu comportamento reforçam para que a violência permaneça acontecendo. 5. SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DO BULLYING? O bullying pode provocar danos morais e/ou físicos nas vítimas. Levar a depressão, ao isolamento social entre outros. Isso depende da história de vida de cada indivíduo e como supera suas dificuldades, por isso o respeito é a base de qualquer relacionamento.

7 É importante refletirmos sobre algumas ações que podem contribuir para que esse comportamento seja extinguido. É fundamental que cada uma faça sua parte e juntos faremos a mudança que a sociedade necessita. PENSE NISSO A base de qualquer relacionamento é o respeito, trate as pessoas como você gostaria de ser tratado. Não seja conivente com o bullying DENUNCIE, seja você a pessoa quem sofre a ação ou aquele que presencia. Tenha sua consciência tranquila. Você tem seus direitos assegurados. Procure o Serviço de Orientação Educacional, Disciplinar, Coordenação e a Direção estamos prontos para ajudá-los. Temos também os s que podem auxiliar nesse processo de denúncia: Lembre-se de que a escola não será conivente com situações como essa! É importante que todos saibam que hoje nossa legislação tem punições para aqueles que praticam qualquer forma de Bullying. Mantenha-se sempre informado sobre o assunto, assim te ajuda a buscar ajuda mais rapidamente. Para evitar que o Bullying aconteça cuide de suas ações. Não ponha apelido nas pessoas. Não faça piadas de mau gosto. Respeite sempre as pessoas independente de qualquer coisa. Não julgue as pessoas sem antes conhecê-la. Mantenha sempre a harmonia do ambiente escolar. Colabore com a disciplina na escola.

8 DENUNCIE. EXIJA QUE ALGO SEJA FEITO. EXPLIQUE O QUE ACONTECE. LUTE CONTRA. INFORME-SE. TENHA LIMITES. BUSQUE AJUDA. DEFENDA. TENHA CORAGEM. FAÇA SUA PARTE. Bibliografia JUNTOS SOMOS MAIS FORTES! BARROS, Nazaré. Violência na escola Bullying. Equipe Educadora Jesus Maria José MIDDELTON e LEE, Jane e Mary. Bullying estratégia de sobrevivência. SILVA, Ana Beatriz Barbosa. Bullying mentes perigosas nas escolas.

LEI Nº 2.619, DE 19 DE MARÇO DE 2010.

LEI Nº 2.619, DE 19 DE MARÇO DE 2010. LEI Nº 2.619, DE 19 DE MARÇO DE 2010. CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- / / Dispõe sobre o programa de combate ao bullyng nas escolas públicas e privadas

Leia mais

ANO XIII N. 168 09/11/2015

ANO XIII N. 168 09/11/2015 ANO XIII N. 168 09/11/2015 1) LEI N. 13.185, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2015 - Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). 2) SÚMULA N. 552 DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSITÇA A Corte Especial

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 5.369, DE 2009 Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). Autor: Deputado VIEIRA DA CUNHA Relator: Deputado

Leia mais

Atenção: Revista em desenvolvimento

Atenção: Revista em desenvolvimento Editorial Atenção: Revista em desenvolvimento Estamos iniciando nossa primeira edição, de um produto até agora novo, não na tecnologia empregada que já é sucesso na Europa, e sim em seu conteúdo. As revistas

Leia mais

Bullying não é brincadeira!

Bullying não é brincadeira! Bullying não é brincadeira! Nunca se discutiu tanto, nos meios de comunicação, nas escolas e universidades, a violência física e verbal que ocorre nas escolas. O bullying, popular inclusive entre os alunos,

Leia mais

BULLYNG NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: A HOMOSSEXUALIDADE EM FOCO

BULLYNG NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: A HOMOSSEXUALIDADE EM FOCO BULLYNG NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: A HOMOSSEXUALIDADE EM FOCO Ana Patrícia da Silva 1 José Guilherme de Oliveira Freitas 2 Michele Pereira de Souza da Fonseca 3 Que espécie de valores sociais interiorizará

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 6.504-A, DE 2013 (Do Sr. Dimas Fabiano)

PROJETO DE LEI N.º 6.504-A, DE 2013 (Do Sr. Dimas Fabiano) *C0049758A* C0049758A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 6.504-A, DE 2013 (Do Sr. Dimas Fabiano) Institui e estabelece a criação da campanha anti- bullying nas escolas públicas e privadas de todo

Leia mais

Fenômeno Bullying: a prevenção começa pelo conhecimento. Cleo Fante. Educadora

Fenômeno Bullying: a prevenção começa pelo conhecimento. Cleo Fante. Educadora Fenômeno Bullying: a prevenção começa pelo conhecimento Cleo Fante Educadora 1 A Escola Escola é... o lugar onde se faz amigos não se trata só de prédios, salas, quadros, programas, horários, conceitos...

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI N o 6.504, DE 2013 Institui e estabelece a criação da campanha anti-bullying nas escolas públicas e privadas de todo país, com validade em todo Território Nacional.

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE SUMARÉ PROJETO DE LEI Nº, de 03 de Agosto de 2010 "Dispõe sobre a implementação de medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying escolar no projeto pedagógico elaborado pelas escolas públicas de

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 7.457, DE 2010

PROJETO DE LEI N.º 7.457, DE 2010 CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 7.457, DE 2010 (Da Sra. Sueli Vidigal) Dispõe sobre o desenvolvimento de política "antibullying" por instituições de ensino e de educação infantil, públicas ou privadas,

Leia mais

Ficha técnica. COEDUCAR Cooperativa dos Trabalhadores de Educação Recanto do Fazer de Nova Iguaçu

Ficha técnica. COEDUCAR Cooperativa dos Trabalhadores de Educação Recanto do Fazer de Nova Iguaçu Ficha técnica COEDUCAR Cooperativa dos Trabalhadores de Educação Recanto do Fazer de Nova Iguaçu ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA: Luiz Câmara Maria de Fátima B. Barbosa REALIZAÇÃO E ORGANIZAÇÃO: Professores: Maria

Leia mais

Módulo 1: Consciencialização do fenómeno de bullying Atividades

Módulo 1: Consciencialização do fenómeno de bullying Atividades Módulo 1: Consciencialização do fenómeno de bullying Atividades Sub-módulo 1.1 Bullying no local de trabalho Atividade 1.1.1 Discussão de vídeo Breve descrição: Introdução ao bullying no local de trabalho

Leia mais

problema seu Comportamento Problema antigo por Luciana Zenti

problema seu Comportamento Problema antigo por Luciana Zenti Comportamento por Luciana Zenti Isto é problema seu O bullying é a mais perversa face da violência escolar. Saber reconhecer e combater esse tipo de ação é uma tarefa de todos: professores, pais, funcionários

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Apoio O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens

Leia mais

Bullying Escolar: a prevenção começa pelo conhecimento. Profa.Cléo Fante 1

Bullying Escolar: a prevenção começa pelo conhecimento. Profa.Cléo Fante 1 Bullying Escolar: a prevenção começa pelo conhecimento Profa.Cléo Fante 1 Abril de 1999 Columbine - EUA 2 Dylan Klebold,17 anos Eric Harris, 18 anos Resultado: 15 mortos dezenas de feridos 3 Janeiro de

Leia mais

BULLYING É COISA SÉRIA! Margarete Barreto Floriano Pesaro

BULLYING É COISA SÉRIA! Margarete Barreto Floriano Pesaro BULLYING É COISA SÉRIA! Margarete Barreto Floriano Pesaro O QUE É BULLYING Bullying é um termo da língua inglesa (bully = valentão ) que se refere a todas as formas de atitudes agressivas, verbais ou físicas,

Leia mais

VIII envio de mensagens, fotos ou vídeos por meio de computador, celular ou assemelhado, bem como sua postagem em blogs ou sites, cujo conteúdo

VIII envio de mensagens, fotos ou vídeos por meio de computador, celular ou assemelhado, bem como sua postagem em blogs ou sites, cujo conteúdo PROJETO DE LEI Nº Dispõe sobre o desenvolvimento de política antibullying por instituições de ensino e de educação infantil, públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos. Art. 1º. As instituições de

Leia mais

Lutando contra o bullying escolar Jovens e adolescentes

Lutando contra o bullying escolar Jovens e adolescentes Lutando contra o bullying escolar Jovens e adolescentes Falar aos jovens e adolescentes é sempre mais complicado, porque vocês possuem uma linguagem própria, muito especial, que infelizmente nós, mais

Leia mais

Pequeno Histórico do Bullying

Pequeno Histórico do Bullying Pequeno Histórico do Bullying A definição universal de bullying é compreendida como um subconjunto de comportamentos agressivos, intencionais e repetitivos que ocorrem sem motivação evidente, adotado por

Leia mais

Dicas de Segurança para Redes Sociais

Dicas de Segurança para Redes Sociais Segurança na Internet para as Crianças e sua Família Dicas de Segurança para Redes Sociais Por ser uma mídia social, a Internet permite aos jovens manter contato com os amigos fisicamente distantes e,

Leia mais

BULLYING NÃO É BRINCADEIRA.

BULLYING NÃO É BRINCADEIRA. BULLYING NÃO É BRINCADEIRA. BULLYING NÃO É BRINCADEIRA. PESQUISA E REDAÇÃO FINAL Soraya Soares da Nóbrega Escorel Promotora de Justiça da Infância e Juventude João Pessoa/PB Alley Borges Escorel Promotor

Leia mais

Módulo 4 Eventos que influenciam na segurança do ambiente escolar

Módulo 4 Eventos que influenciam na segurança do ambiente escolar 1 Módulo 4 Eventos que influenciam na segurança do ambiente escolar Apresentação do Módulo Neste módulo você estudará os principais eventos ou ocorrências que podem influenciar diretamente na segurança

Leia mais

BULLYING NA ESCOLA: INTERVENÇÃO E PREVENÇÃO

BULLYING NA ESCOLA: INTERVENÇÃO E PREVENÇÃO BULLYING NA ESCOLA: INTERVENÇÃO E PREVENÇÃO Alex Sandro Lucas dos Santos (G CLCA- UENP/CJ) Luiz Antonio Xavier Dias (Orientador CLCA-UENP/CJ) As brincadeiras de mau gosto figuraram entre alunos nas mais

Leia mais

BULLYING A Síndrome da Humilhação

BULLYING A Síndrome da Humilhação BULLYING A Síndrome da Humilhação Giovanna Carneiro Chaves Psicóloga Clínica, Psicopedagoga Clínica e Institucional, Terapeuta Holística, Bacharela em Artes Plásticas Formação em Educação Especial, Testes

Leia mais

BULLYING NO AMBIENTE ESCOLAR

BULLYING NO AMBIENTE ESCOLAR BULLYING NO AMBIENTE ESCOLAR Cléo Fante O bullying é hoje, sem dúvida, um dos temas mais discutidos em todo o mundo, o que desperta crescente interesse nas diversas ciências e esferas sociais. Em meio

Leia mais

Zoação e violência não são brincadeiras.

Zoação e violência não são brincadeiras. Zoação e violência não são brincadeiras. Ministério Público do Estado de Minas Gerais Expediente Ministério Público do Estado de Minas Gerais Procurador-Geral de Justiça Corregedor-Geral do Ministério

Leia mais

PROJETO BULLYING NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE LORENA

PROJETO BULLYING NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE LORENA PROJETO BULLYING NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE LORENA Resumo BREZOLIN. Ligia Maria Teixeira de Faria PUCSP 1 ligia@lo.unisal.br MATTA. Claudia Eliane - UNISAL 2 claudia@lo.unisal.br Área Temática: Violências

Leia mais

Concurso Público. 011. Prova de Redação. www.estrategiaconcursos.com.br

Concurso Público. 011. Prova de Redação. www.estrategiaconcursos.com.br Concurso Público 011. Prova de Redação Orientador Pedagógico Assinatura do Candidato Instruções Você recebeu seu caderno de redação contendo um tema a ser desenvolvido. Confira seu nome e número de inscrição

Leia mais

Curso de Capacitação em Bullying

Curso de Capacitação em Bullying Curso de Capacitação em Bullying Segundo pesquisa do Instituto Cidadania e da Fundação Perseu Abramo, a violência é o tema que mais preocupa os brasileiros entre 15 e 24 anos (55% do total), à frente de

Leia mais

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro

70% 500.000. De acordo com a nova lei, são crianças e adolescentes. 1. de estupro O QUE É VIOLÊNCIA SEXUAL Todos os anos, estima-se que 500.000 70% Mulheres das vítimas sejam vítimas de estupro no Brasil, e que outros tantos milhões sofram com abusos e violências sexuais. de estupro

Leia mais

PROJETO. BULLYING Vamos mudar de atitude!

PROJETO. BULLYING Vamos mudar de atitude! PROJETO BULLYING Vamos mudar de atitude! Noovha América Editora Distribuidora de Livros Ltda. Rua Lincoln Albuquerque, 319 Perdizes São Paulo/SP CEP 05004-010 Telefax: (0xx11) 3675-5488 www.noovhaamerica.com.br

Leia mais

INTERNET COM EDUCAÇÃO RISCOS JURÍDICOS

INTERNET COM EDUCAÇÃO RISCOS JURÍDICOS INTERNET COM EDUCAÇÃO RISCOS JURÍDICOS Cristina Sleiman Advogada, pedagoga, mestre em sistemas eletrônicos. Especialista em Direito Digital e sócia do escritório Patrícia Peck Pinheiro Advogados. 1. Cenário

Leia mais

Apresentação / 7. Introdução / 11

Apresentação / 7. Introdução / 11 3 Apresentação / 7 Introdução / 11 1) Onde tudo começa: conceito e história / 15 - Origem do termo / 15 - Conceituando o fenômeno / 17 - Contextualização do fenômeno / 18 - Reflexos da cultura no ambiente

Leia mais

PARTE ESPECIAL TÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A VIDA

PARTE ESPECIAL TÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A VIDA Homicídio simples Art 121. Matar alguém: PARTE ESPECIAL TÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A VIDA Pena - reclusão, de seis a vinte anos. Caso de diminuição de pena 1º Se o

Leia mais

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: DIREITOS, DEVERES, OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADES

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: DIREITOS, DEVERES, OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADES PALESTRA NO COLÉGIO NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO PÚBLICO-ALVO: ALUNOS DO ENSINO MÉDIO 3º ANO DO SEGUNDO GRAU PROJETO DESVÍNCULO ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: DIREITOS, DEVERES, OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

(COORDENADORA SANDRA STELLA).

(COORDENADORA SANDRA STELLA). Ao analisar o fenômeno da violência, vemo-nos diante de uma série de dificuldades, não apenas porque o fenômeno é complexo, mas, principalmente, porque nos faz refletir sobre nós mesmos, sobre nossos pensamentos,

Leia mais

Aula 28.2 Conteúdos: A estrutura de construção de um texto argumentativo Características do gênero Artigo de opinião LÍNGUA PORTUGUESA

Aula 28.2 Conteúdos: A estrutura de construção de um texto argumentativo Características do gênero Artigo de opinião LÍNGUA PORTUGUESA 2 Aula 28.2 Conteúdos: A estrutura de construção de um texto argumentativo Características do gênero Artigo de opinião 3 Habilidades: Apreender a estruturação de um Artigo de opinião 4 Artigo de opinião

Leia mais

ALMEIDA GUILHERME Advogados Associados

ALMEIDA GUILHERME Advogados Associados Bullying por Jacqueline Gottschalk Membro de Almeida Guilherme Advogados As crianças são capazes de cometer desde pequenas até grandes perversões. Elas são capazes de ofender umas às outras, criar os mais

Leia mais

USO RESPONSÁVEL DA INTERNET ELABORADO PELOS ALUNOS DO 6º ANO

USO RESPONSÁVEL DA INTERNET ELABORADO PELOS ALUNOS DO 6º ANO USO RESPONSÁVEL DA INTERNET ELABORADO PELOS ALUNOS DO 6º ANO USO RESPONSÁVEL DA INTERNET ELABORADO PELOS ALUNOS DO 6º ANO 2 Fique atento! Não acredite em tudo o que lê A internet é segura? Você não deve

Leia mais

SOE Serviço de Orientação Educacional

SOE Serviço de Orientação Educacional SOE Serviço de Orientação Educacional Projeto: Aprendendo a Ser para Aprender a Conviver Tema: Bullying não é brincadeira Turma: 2º AT Marise Miranda Gomes - Orientadora Educacional - Psicopedagoga Clínica

Leia mais

4º texto elaborado pelo prof. Luiz Ant. Burim. APRESENTADO PARA A ORIENTADORA NO DIA 01 DE DEZEMBRO DE 2010 quarta feira. 10h.30min UEL LONDRINA..

4º texto elaborado pelo prof. Luiz Ant. Burim. APRESENTADO PARA A ORIENTADORA NO DIA 01 DE DEZEMBRO DE 2010 quarta feira. 10h.30min UEL LONDRINA.. 4º texto elaborado pelo prof. Luiz Ant. Burim APRESENTADO PARA A ORIENTADORA NO DIA 01 DE DEZEMBRO DE 2010 quarta feira. 10h.30min UEL LONDRINA.. 5º ENCONTRO. O AMBIENTE ESCOLAR E O BULLYING, RELACIONADO

Leia mais

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 25 de novembro de 2014

Núcleo de Pesquisa e Extensão do Curso de Direito NUPEDIR VII MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (MIC) 25 de novembro de 2014 DESMISTIFICANDO O BULLYING: RELEVÂNCIA E IMPACTO SOCIAL Tainá Cauita Henkes Albernaz 1 Cláudia Taís Siqueira Cagliari 2 SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO. 2 BREVE HISTÓRICO. 3 CAUSADORES E CONSEQUÊNCIAS. 4 DA LEGISLAÇÃO

Leia mais

Conselho Nacional de Educação/ MEC Brasília, 07/10/2010. Bullying no Ambiente Escolar

Conselho Nacional de Educação/ MEC Brasília, 07/10/2010. Bullying no Ambiente Escolar Conselho Nacional de Educação/ MEC Brasília, 07/10/2010 Bullying no Ambiente Escolar Brincadeiras Indisciplina Conflitos Expressões anti-autoridade Incivilidades /Microviolências B U L L Y I N G Equívocos

Leia mais

BULLYING NÃO É BRINCADEIRA.

BULLYING NÃO É BRINCADEIRA. BULLY ING NÃO É BRINC ADEIRA. BULLYING NÃO É BRINCADEIRA. PESQUISA E REDAÇÃO FINAL Soraya Soares da Nóbrega Escorel Promotora de Justiça da Infância e Juventude João Pessoa/PB Ellen Emanuelle de França

Leia mais

[CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL] Ensaio analítico de aspectos ético-profissional de sistemas de informação

[CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL] Ensaio analítico de aspectos ético-profissional de sistemas de informação 2011 UNIPAR UNIVERSIDADE PARANAENSE Prof. Antonio Babeto Spinelli [CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL] Ensaio analítico de aspectos ético-profissional de sistemas de informação CÓDIGO DE ÉTICA - ANÁLISE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: IFCS, violência, bullying escolar.

RESUMO. Palavras-chave: IFCS, violência, bullying escolar. RESUMO O presente estudo objetivou constatar do fenômeno do bullying no Instituto Federal Catarinense, Campus Sombrio (IFCS), bem como compreender o fenômeno do bullying escolar mediante realização de

Leia mais

BULLYING - DO MAU COMPORTAMENTO AO CRIME

BULLYING - DO MAU COMPORTAMENTO AO CRIME BULLYING - DO MAU COMPORTAMENTO AO CRIME Gracy Guilherme Amarante ** Professora Ms.Vânia Maria Benfica Guimarães Pinto Coelho*** Resumo: Este artigo se pauta na realização de estudos exploratórios através

Leia mais

Código de Ética de Enfermagem Princípios Fundamentais

Código de Ética de Enfermagem Princípios Fundamentais Código de Ética de Enfermagem Princípios Fundamentais 1 1. (CNEN/IDECAN/2014) A Resolução COFEN nº 311/2007 aprova a reformulação do Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. São considerados princípios

Leia mais

LEI DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR Lei n. 11.340/06

LEI DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR Lei n. 11.340/06 LEI DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR Lei n. 11.340/06 PREVISÃO CONSTITUCIONAL 1) O art. 226, 8º CF, dispões que: O Estado assegurará a assistência à família na pessoa de cada um dos que a integram, criando

Leia mais

Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo. Você Sabia

Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo. Você Sabia Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo Você Sabia Que o sexo de uma pessoa é dado pela natureza e por isso nascemos macho ou fêmea? Que o gênero é construído pelas regras da sociedade para definir, a

Leia mais

Indice. Bullying O acaso... 11

Indice. Bullying O acaso... 11 Indice Bullying O acaso... 11 Brincadeira de mau gosto. Chega! A história... 21 O dia seguinte... 47 A paixão... 53 O reencontro... 61 O bullying... 69 9 Agosto/2010 O acaso Terça-feira. O sol fazia um

Leia mais

Bully. Projeto Gráfico: Jonas Barros de Souza Demes de Aguiar Panta. Colaboração: IES - Instituto de Ensino de Sapé

Bully. Projeto Gráfico: Jonas Barros de Souza Demes de Aguiar Panta. Colaboração: IES - Instituto de Ensino de Sapé A presente cartilha é o resultado do trabalho empreendido pelos alunos do Curso de Formação de Políticas e Planejamento Contra o Bullying, promovido pela ESPEP (Escola de Serviço Público do Estado da Paraíba),

Leia mais

ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET

ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET A internet está cada vez mais presente na vida de crianças e adolescentes Atualmente, milhões de usuários estão conectados à internet em todo o mundo,

Leia mais

BULLYING: conceituação e combate a este fenômeno.

BULLYING: conceituação e combate a este fenômeno. BULLYING: conceituação e combate a este fenômeno. LIMA, Ana Gláucia Paulino 1 CLESKI, Ana Carolina da Costa 1 VIANA, Rosana de Fátima 1 MARCELINO, Rosana 1 ARAÚJO, Roberta Cristina Silva 1 NASCIMENTO,

Leia mais

O BULLYING EM PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

O BULLYING EM PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA O BULLYING EM PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Patrícia Borges Ferreira Ms. Roosevelt Leão Júnior Fundação de Ensino Superior de Goiatuba FESG Faculdade de Filosofia

Leia mais

1º Seminário Goiano de Bullying Escolar Como os diversos segmentos sociais podem contribuir para o rompimento da dinâmica Bullying?

1º Seminário Goiano de Bullying Escolar Como os diversos segmentos sociais podem contribuir para o rompimento da dinâmica Bullying? 1º Seminário Goiano de Bullying Escolar Como os diversos segmentos sociais podem contribuir para o rompimento da dinâmica Bullying? Ministério Público contra o Bullying Conceituação: O termo Bullying,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE PSICOLOGIA CONSELHO DO DA UnB SE POSICIONA CONTRA A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL O Conselho do (CIP/UnB) da, instância máxima do Curso de Psicologia (graduação e pós-graduação), em Reunião Ordinária de 23 de junho

Leia mais

Barómetro APAV INTERCAMPUS Perceção da População Portuguesa sobre Stalking, Cyberstalking, Bullying e Cyberbullying Preparado para: Associação

Barómetro APAV INTERCAMPUS Perceção da População Portuguesa sobre Stalking, Cyberstalking, Bullying e Cyberbullying Preparado para: Associação 1 Barómetro APAV Perceção da População Portuguesa sobre Stalking, Cyberstalking, Bullying e Cyberbullying Preparado para: Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) Junho de 2013 2 Índice 2 Metodologia

Leia mais

BULLYING: novo desafio para as escolas

BULLYING: novo desafio para as escolas BULLYING: novo desafio para as escolas Hielma Nunes de Sousa 1 Débora Suzane Gomes Mendes 2 Mylena Coelho Jorge 3 Raphaela Christina Silva Mourão 4 Jéssyca Adiene Souza Silva 5 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Projeto Gráfico e Editoração Coordenadoria de Comunicação Social. Revisão gramatical Lucia Anilda Miguel

Projeto Gráfico e Editoração Coordenadoria de Comunicação Social. Revisão gramatical Lucia Anilda Miguel Elaboração Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude e Coordenadoria de Comunicação Social do Ministério Público do Estado de Santa Catarina. Contato Rua Bocaiúva, 1.750, 4º andar - Centro -

Leia mais

Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br

Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br Profa. Dra. Ana Maria Klein UNESP/São José do Rio Preto anaklein@ibilce.unesp.br 3º Seminário de Proteção Escolar / Secretaria da Educação 20 e 21 de agosto de 2014 / Serra Negra 1 Diferenças culturais

Leia mais

Carlo José Napolitano Clodoaldo Meneguello Cardoso. PRECONCEITO NÃO É LEGAL: a intolerância e a lei

Carlo José Napolitano Clodoaldo Meneguello Cardoso. PRECONCEITO NÃO É LEGAL: a intolerância e a lei Carlo José Napolitano Clodoaldo Meneguello Cardoso PRECONCEITO NÃO É LEGAL: a intolerância e a lei Bauru - 2007 APRESENTAÇÃO O preconceito é uma idéia ou uma opinião negativa sobre um grupo de pessoas

Leia mais

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a

Lei Maria da Penha. Pelo fim da violência. ulher. contra a Lei Maria da Penha Pelo fim da violência ulher contra a Ligação gratuita, 24 horas, para informações sobre a Lei Maria da Penha e os serviços para o atendimento às mulheres em situação de violência. Lei

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. 098/2011 A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA:

PROJETO DE LEI Nº. 098/2011 A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA: PROJETO DE LEI Nº. 098/2011 Dispõe sobre a inclusão de medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying escolar no projeto pedagógico elaborado pelas escolas públicas estaduais e dá outras providências.

Leia mais

Modelo de Intervenção Contra Práticas de Bullyin g

Modelo de Intervenção Contra Práticas de Bullyin g Modelo de Intervenção Contra Práticas de Bullyin g Iniciativa do curso de orientação pedagógica Delta Aulas no combate a praticas de Bullying nas escolas Sumário 1. Caracterização... 3 O que é o Bullying?...

Leia mais

Adolescentes no Brasil Um olhar desde o Direito

Adolescentes no Brasil Um olhar desde o Direito PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Adolescentes no Brasil Um olhar desde o Direito Novembro / 2013 Art. 227/CF

Leia mais

BULLYING: UM DESAFIO PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES

BULLYING: UM DESAFIO PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES BULLYING: UM DESAFIO PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES Maria Lourdes Gisi PUCPR Fabiana Andrea Barbosa Vaz PUCPR Cristina Crescêncio Nabosne Valter- PUCPR Resumo Este estudo tem como objeto de investigação

Leia mais

XV ENCONTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO NORTE E NORDESTE e PRÉ- ALAS BRASIL. 04 a 07 de setembro de 2012, UFPI, Teresina PI.

XV ENCONTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO NORTE E NORDESTE e PRÉ- ALAS BRASIL. 04 a 07 de setembro de 2012, UFPI, Teresina PI. XV ENCONTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO NORTE E NORDESTE e PRÉ- ALAS BRASIL. 04 a 07 de setembro de 2012, UFPI, Teresina PI. Grupo de Trabalho: Educação, Cultura e Sociedade. GT 04. Título do Trabalho: EU E

Leia mais

Proteja- se dos Prejuízos do Cyberbullying

Proteja- se dos Prejuízos do Cyberbullying Proteja- se dos Prejuízos do Cyberbullying O Que Veremos Neste Encontro? Quais são as consequências legais do bullying ou cyberbullying e como lidar com os alunos, nos mesmos moldes dos critérios para

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA 1 Objetivo O Código de Conduta Ética da CSP tem como objetivo refletir os princípios e valores organizacionais que devem balizar e orientar as atitudes e os comportamentos de todos

Leia mais

Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes

Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes Vamos Combater o Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes A violência sexual contra crianças e adolescentes acontece em todo o mundo, em diversas famílias e classes sociais. O QUE É A

Leia mais

Resenha de Matérias Técnicas Nº. 852, de 12 11 2015

Resenha de Matérias Técnicas Nº. 852, de 12 11 2015 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Presidente: Claudio Avelino Mac-Knight Filippi Gestão: 2014-2015 Resenha de Matérias Técnicas Nº. 852, de 12 11 2015 Veículos pesquisados no período

Leia mais

BULLYING NAS ESCOLAS: UM DEBATE COM A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE

BULLYING NAS ESCOLAS: UM DEBATE COM A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE BULLYING NAS ESCOLAS: UM DEBATE COM A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE PAZIO, ELIZABETE SEED/PR. elizabetepazio@yahoo.com.br epazio@seed.pr.gov.br Eixo Temático: Violências na escola Agência Financiadora: Resumo

Leia mais

Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental

Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental Introdução Antes de mais nada, temos que ter claro que não existe uma receita pronta para a inserção da dimensão ambiental no currículo escolar,

Leia mais

25 NOVEMBRO DIA INTERNACIONAL PARA A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

25 NOVEMBRO DIA INTERNACIONAL PARA A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES 25 NOVEMBRO DIA INTERNACIONAL PARA A ELIMINAÇÃO DE TODAS AS FORMAS DE VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES Porquê a VIOLÊNCIA DOMÉSTICA? A violência doméstica não é, infelizmente, um problema dos nossos dias,

Leia mais

Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.002

Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.002 Policy 5.002 - Portuguese version NORMAS DO DISTRITO ESCOLAR DO CONDADO DE PALM BEACH, FLÓRIDA Título 6Gx50 Capítulo 5. Do Corpo Discente Seção 5.002 Regulamento 5.002 Proibição de Intimidação (bullying)

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PREVENÇÃO E COMBATE DE SITUAÇÕES DE ASSÉDIO NO LOCAL DE TRABALHO: UM INSTRUMENTO DE APOIO À AUTORREGULAÇÃO

GUIA INFORMATIVO PREVENÇÃO E COMBATE DE SITUAÇÕES DE ASSÉDIO NO LOCAL DE TRABALHO: UM INSTRUMENTO DE APOIO À AUTORREGULAÇÃO GUIA INFORMATIVO PREVENÇÃO E COMBATE DE SITUAÇÕES DE ASSÉDIO NO LOCAL DE TRABALHO: UM INSTRUMENTO DE APOIO À AUTORREGULAÇÃO Assédio no trabalho: conhecer, prevenir, combater FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia informativo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/ProEn/ProPPEC/2005

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/ProEn/ProPPEC/2005 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/ProEn/ProPPEC/2005 REGULAMENTA A REALIZAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA, EXTENSÃO, TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO, DISSERTAÇÕES E TESES DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS COM SERES HUMANOS.

Leia mais

Lei Maria da Penha Lei 11.340/06

Lei Maria da Penha Lei 11.340/06 Legislação Penal Especial Aula 02 Professor Sandro Caldeira Lei Maria da Penha Lei 11.340/06 Art. 1 o Esta Lei cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher, nos

Leia mais

Limites do relacionamento entre servidores

Limites do relacionamento entre servidores Limites do relacionamento entre servidores Por Bruno Mendes Dias Servidor da Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento A história da civilização evidenciou que trabalhar em equipe conduz a resultados

Leia mais

SÍNTESE DOS RESULTADOS DAS CONSULTAS

SÍNTESE DOS RESULTADOS DAS CONSULTAS Plataforma dos Centros Urbanos SÍNTESE DOS RESULTADOS DAS CONSULTAS PARTICIPATIVAS DE SÃO PAULO INTRODUÇÃO Este relatório sintetiza os dados consolidados do processo de consulta participativa, realizado

Leia mais

ESCOLA, JUVENTUDES E VIOLÊNCIA: REFLEXÕES SOBRE O FENÔMENO DO BULLYING

ESCOLA, JUVENTUDES E VIOLÊNCIA: REFLEXÕES SOBRE O FENÔMENO DO BULLYING ESCOLA, JUVENTUDES E VIOLÊNCIA: REFLEXÕES SOBRE O FENÔMENO DO BULLYING Maria Alda de Sousa 1 1. INTRODUÇÃO A violência manifesta no ambiente escolar através de práticas como o bullying vem, paulatinamente,

Leia mais

Local: Escola Nossa Senhora do Carmo

Local: Escola Nossa Senhora do Carmo Assunto: Reunião/Palestra sobre saúde para orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as ações preventivas na área da saúde pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Eliane

Leia mais

BULLYING: UMA AGRESSIVIDADE PRECONCEITUOSA. PALAVRAS CHAVE: Ambiente Escolar; Apelidação; Bullying Escolar.

BULLYING: UMA AGRESSIVIDADE PRECONCEITUOSA. PALAVRAS CHAVE: Ambiente Escolar; Apelidação; Bullying Escolar. BULLYING: UMA AGRESSIVIDADE PRECONCEITUOSA Fernando Martins da Silva 1 RESUMO Esta pesquisa tem por objetivo investigar as consequências para o desempenho escolar dos alunos que podem ser vitimas de bullying,

Leia mais

Aluno(a):... 17/07/2014

Aluno(a):... 17/07/2014 Caderno de Redação Exame Ensino Fundamental Aluno(a):... 17/07/2014 Este Caderno de Redação segue as novas diretrizes estabelecidas pela portaria nº 109, emitida em 27/05/2009, no Diário Oficial da União,

Leia mais

Quais os riscos? criminoso pode roubar o dinheiro que estiver na conta.

Quais os riscos? criminoso pode roubar o dinheiro que estiver na conta. Quais os riscos? o Cyberbullying - Usar a internet (através de comunidades, redes sociais, e-mails, torpedos, blogs e fotologs) para humilhar e ofender alguém de forma constante. o Happy Slapping - Evolução

Leia mais

Código de Conduta. www.observeseguranca.com.br

Código de Conduta. www.observeseguranca.com.br Código de Conduta www.observeseguranca.com.br Carta de Apresentacao A OBSERVE nasceu com o desafio de preparar profissionais com plena atenção no seu trabalho, com correta compreensão da realidade e com

Leia mais

Abaixo trazemos alguns dados que mostram a opinião de parte da comunidade da EMEF Governador Ildo Meneghetti sobre a violência contra a mulher.

Abaixo trazemos alguns dados que mostram a opinião de parte da comunidade da EMEF Governador Ildo Meneghetti sobre a violência contra a mulher. Abaixo trazemos alguns dados que mostram a opinião de parte da comunidade da EMEF Governador Ildo Meneghetti sobre a violência contra a mulher. Discordo totalmente 69,4% Discordo em parte 5,6% NS 5,6%

Leia mais

CODIGO PENAL PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO

CODIGO PENAL PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO Homicídio simples Art 121. Matar alguém: Pena - reclusão, de seis a vinte anos. TÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA A VIDA Caso de diminuição de pena 1º Se o agente comete

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº de de 2015.

PROJETO DE LEI Nº de de 2015. PROJETO DE LEI Nº de de 2015. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL PARA O SISTEMA INTEGRADO DE INFORMAÇÕES DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO NO ESTADO DE GOIÁS, DENOMINADO OBSERVATÓRIO ESTADUAL DA VIOLÊNCIA CONTRA O

Leia mais

Boas Práticas. Meus Direitos são Importantes NUYATALIL (idioma K iché) WOKLENA (idioma Mam) GUATEMALA. Catholic Relief Services CRS Guatemala

Boas Práticas. Meus Direitos são Importantes NUYATALIL (idioma K iché) WOKLENA (idioma Mam) GUATEMALA. Catholic Relief Services CRS Guatemala Meus Direitos são Importantes NUYATALIL (idioma K iché) WOKLENA (idioma Mam) Catholic Relief Services CRS Guatemala GUATEMALA Índice Antecedentes... 2 Linhas estratégicas... 2 Ação... 2 Êxitos... 3 Sustentabilidade...

Leia mais

Assédio Moral e Sexual no Trabalho

Assédio Moral e Sexual no Trabalho A MISSÃO DA SCHIMITD Zelar pela proteção e bem estar de nossos clientes, oferecendo sempre soluções inovadoras para atender suas necessidades, visando aliar soluções qualidadeà preçoscompetitivos. de Assédio

Leia mais

Profª Iris do Céu Clara Costa - UFRN iris_odontoufrn@yahoo.com.br

Profª Iris do Céu Clara Costa - UFRN iris_odontoufrn@yahoo.com.br HUMANIZAÇÃO NO SERVIÇO ODONTOLÓGICO Profª Iris do Céu Clara Costa - UFRN iris_odontoufrn@yahoo.com.br É a proposta de uma nova relação entre usuário, os profissionais que o atendem e os serviços. Todos

Leia mais

O PODER E O RISCO DAS REDES SOCIAIS. Advª. Cláudia Bressler e Prof. Ms. Carolina Müller

O PODER E O RISCO DAS REDES SOCIAIS. Advª. Cláudia Bressler e Prof. Ms. Carolina Müller O PODER E O RISCO DAS REDES SOCIAIS Advª. Cláudia Bressler e Prof. Ms. Carolina Müller Rede Social é um grupo de pessoas/empresas conectadas através da internet e de interesses em comum. Esse grupo forma

Leia mais

OMISSÃO E PRÁTICA DE BULLYING NO CONTEXTO ESCOLAR

OMISSÃO E PRÁTICA DE BULLYING NO CONTEXTO ESCOLAR OMISSÃO E PRÁTICA DE BULLYING NO CONTEXTO ESCOLAR Peterson da Paz RESUMO Este trabalho propõe estudar a relação dos professores com o fenômeno chamado bullying que está cada vez mais presente nos meios

Leia mais

Violência escolar e o fenômeno 'bullying'. A responsabilidade social diante do comportamento agressivo entre estudantes

Violência escolar e o fenômeno 'bullying'. A responsabilidade social diante do comportamento agressivo entre estudantes Violência escolar e o fenômeno 'bullying'. A responsabilidade social diante do comportamento agressivo entre estudantes por Janaína Rosa Guimarães Tem-se por princípios norteadores do caráter e formação

Leia mais

A LINGUAGEM DO BULLYING: A VIOLÊNCIA REFLETINDO NA FALA E ESCRITA DOS ADOLESCENTES

A LINGUAGEM DO BULLYING: A VIOLÊNCIA REFLETINDO NA FALA E ESCRITA DOS ADOLESCENTES A LINGUAGEM DO BULLYING: A VIOLÊNCIA REFLETINDO NA FALA E ESCRITA DOS ADOLESCENTES Resumo GONÇALVES, Silvia Regina SEED/PR silregon@gmail.com GONÇALVES, Margarete Virginia SEED/PR margaretevg@gmail.com

Leia mais

O IMPACTO SOCIAL DA INTERNET

O IMPACTO SOCIAL DA INTERNET O IMPACTO SOCIAL DA Miguel Gomes da Costa Junior Rede de milhões de computadores de todo o mundo interligados por linhas telefônicas, fibra ótica e satélites. Poderosa fonte de informação e comunicação

Leia mais

O PROBLEMA DO BULLYING ESCOLAR

O PROBLEMA DO BULLYING ESCOLAR O PROBLEMA DO BULLYING ESCOLAR BRANDÃO, Érika Januzzi: Aluno 3º ano diurno, FADIVA RESUMO: O termo bullying (do inglês bully, tirano ou valentão), numa acepção genérica, descreve atos de violência física

Leia mais