62&,$/'(%(/2+25,=217(

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "62&,$/'(%(/2+25,=217("

Transcrição

1 $7$'$6(*81'$5(81, 225',1È5,$'2&216(/+2'(35(9,'Ç1&,$ 62&,$/'(%(/2+25,=217( '$7$GHPDUoRGH /2&$/6XSHULQWHQGrQFLDGR,166HP0LQDV*HUDLV,±35(6(1d$6 5HSUHVHQWDomRGR*RYHUQR INSS Superintendente do INSS em Minas Gerais, Marcos Barbonaglia da Silva - Titular INSS Assessora de Informações Institucionais e Acompanhamento de Resultados da Superintendência do INSS em Minas Gerais, Maria Madalena Vieira - Suplente INSS Pitágoras Tadeu Miranda de Almeida - Titular INSS Reinaldo Aguilar Peixoto Titular INSS Mário Borges do Amaral - Suplente INSS Rosália Urbano de Souza - Titular 5HSUHVHQWDomRGRVDSRVHQWDGRVHSHQVLRQLVWDV FAP/MG Hermélio Soares Campos Titular FAP/MG Júlia Maria Vieira - Suplente ASAS/MG Raimundo Pereira Titular ASAS/MG Maria Machado Cota - Suplente 5HSUHVHQWDomRGRVWUDEDOKDGRUHVHPDWLYLGDGH CUT Lúcio Célio Guterres Titular FETAEMG Delza Amaral Novais Suplente Força Sindical Paulo Roberto Titular 5HSUHVHQWDomRGRVHPSUHJDGRUHV FAEMG Marcos de Abreu e Silva Suplente FECOMERCIO Marcos Bicalho Santos Titular FEDERAMINAS Hudson Lídio Navarro - Suplente $XVrQFLDV FIEMG SINDIFISCO $XVrQFLDVMXVWLILFDGDV $ $%25'$'26 5HJLPHQWR,QWHUQRGR&RQVHOKRGH3UHYLGrQFLD6RFLDO $WHQGLPHQWRGR,166HP%HOR+RUL]RQWH 5HFXSHUDomRGH&UpGLWR3UHYLGHQFLiULR 1

2 ,,$%(5785$ Aberta a reunião pelo presidente do CPS/BH, Marcos Barbonaglia da Silva, com a proposta de realização das próximas reuniões nas terceiras quintas feiras de cada mês, o que possibilitará a apresentação de dados consolidados e atualizados do mês anterior por parte dos representantes do governo. Ficou decidido que as reuniões do CPS/BH acontecerão nas terceiras quintas-feiras de cada mês com início às 14:00h e término às 18:00h e que no caso da reunião recair em feriado a mesma será antecipada para o primeiro dia útil anterior sem alteração de horário. Questionada a necessidade da presença às reuniões dos conselheiros suplentes o presidente do conselho esclareceu que é de fundamental importância a presença de todos, titulares e suplentes, por pertencerem a entidades distintas. Foi esclarecido entretanto que a presença do suplente é facultativa, exceto no caso em que o mesmo for convocado em razão da ausência do titular. Realizada a leitura da ata da reunião anterior e após os ajustes de consenso dos presentes a mesma foi aprovada e assinada.,,±5(*,0(172,17(512'2&216(/+2'(35(9,'ç1&,$62&,$/ Lido o regimento interno foi sugerida a seguinte alteração: Seção III, do Funcionamento, Art. 10, caput onde se lê assembléia extraordinária mudar para reunião extraordinária.,,,±$7(1',0(172'2,166(0%(/2+25,=217( O conselheiro Hermélio Soares Campos pede explicações sobre o termo inclusão previdenciária. O presidente explica o projeto de governo de conscientizar as pessoas da importância da cobertura da previdência pública e instituir um regime especial para facilitar a inscrição, tema a ser discutido posteriormente. O conselheiro Lucio Célio Guterres propõe ações de informação e formação para que os conselheiros possam atuar bem. O presidente concorda e fala da proposta de um curso de formação que será ministrado pelo INSS. Lucio Guterres considera importante os conselheiros conhecerem a estrutura e funcionamento da Gerência Executiva de BH. Hermélio reivindica melhoria urgente no atendimento lembrando a venda de lugares na fila, fala da necessidade do curso de formação também para os servidores se conscientizarem que devem atender bem à população. A conselheira Julia Maria Vieira diz que mesmo os representantes do governo no conselho têm que estudar as questões da Previdência a cada dia, defende os servidores que vivem uma situação difícil em termos de condições de trabalho. O conselheiro Paulo Roberto afirma que mudanças freqüentes na legislação impedem o conhecimento atualizado das normas previdenciárias. O conselheiro Marcos de Abreu e Silva acredita que a participação dos conselheiros independe do conhecimento técnico e que os conselheiros devem trazer para as reuniões os anseios da sociedade. Afirma ainda que os conselheiros precisam saber o geral e não os detalhes, afirmou também, na qualidade de administrador, que filas existem por incompetência, podendo o conselho provocar e pedir soluções, que a complexidade da legislação 2

3 leva à desatualização muito rápida e que a participação em cursos de formação deve ser facultativa. A conselheira Maria Machado Cota diz que a imagem da Previdência está muito desgastada, que a Previdência é um espaço do trabalhador e este trabalhador tem que ser bem atendido, afirmou ainda que precisamos melhorar as condições de trabalho dos servidores, uma vez que o trabalho acima das condições físicas leva ao mau atendimento e que a impaciência do segurado dificulta o relacionamento com o servidor. Maria Machado diz que o conselheiro precisa conhecer para saber orientar os segurados nas entidades. A conselheira Delza Amaral Novais pede um diagnóstico das agências para que todos conheçam as dificuldades e deficiências. A conselheira Rosália Urbano fala sobre o funcionamento do INSS, prometendo para a próxima reunião um diagnóstico bem elaborado. O conselheiro Hudson Lídio Navarro pede informações sobre a Dataprev. A gerente do escritório da Dataprev em Minas Gerais, Vânia da Costa Val, diz que a questão tecnológica é séria. Não aconteceu nenhum investimento na Dataprev nos últimos 8 anos; com a inversão do ônus da prova o trabalho nas agências aumentou e conseqüentemente a utilização dos equipamentos de informática, sendo o acesso ao CNIS Cadastro Nacional de Informações Sociais, realizado ao mesmo tempo em todo Brasil, fato que exige grande capacidade tecnológica e operacional e que os equipamentos defasados refletem diretamente no atendimento. Sobre terceirização na DATAPREV Vânia informa que esta forma de recrutamento de pessoal não é mais utilizada na empresa e que os equipamentos de pequeno porte são do INSS ou alugados, sendo os de grande porte locados. O conselheiro Reinaldo Aguilar Peixoto faz um diagnóstico das dificuldades enfrentadas pelo INSS com impressoras paradas por falta de cartucho. Reinaldo fala ainda sobre a falta de condições de trabalho, de papel, de gasolina, de fitas de impressoras matriciais, de água, dentre outros pontos. Julia fala da felicidade de participar do conselho e lembra da extinção dos conselhos anteriores devido ao excesso de reclamações. Hudson diz que é muito bom haver transparência nas colocações, referindo-se às condições de trabalho dos servidores. O presidente coloca que o problema das filas deve ser trabalhado levando-se em conta o segurado e o servidor. Esclarece que no último concurso inicialmente foram destinadas a BH quatro vagas. Com a disponibilização em dezembro de mais sessenta vagas para o estado foram utilizadas todas em BH e região metropolitana, visando um impacto positivo no atendimento. Marcos afirmou que esses novos servidores já foram nomeados e encontram-se em processo de treinamento, disse ainda que o atendimento foi colocado em discussão porque precisa realmente ser melhorado. Hudson diz que o tema atendimento deve ser permanente em todas as reuniões. Hermélio cobra a aprovação de propostas de solução dos problemas do atendimento. Lúcio acha que é necessário que todos tenham conhecimento do diagnóstico para depois arriscar propostas. Hermélio diz que está segurando o Estatuto do Idoso para não aplicá-lo no INSS. O presidente afirma que numa construção não podemos ser afoitos e pede paciência. Lúcio diz que vamos ter sensibilidade quanto às filas, quanto aos idosos mas não podemos esquecer que, como todo o serviço público, a Previdência Social está há mais de 10 anos sem nenhum investimento. O conselheiro Raimundo sugere uma triagem e agendamento do atendimento como forma de eliminar as filas. Pitágoras afirma que vai haver uma mudança no perfil do atendimento, que o conselho vai respaldar as mudanças dentro e fora da Previdência e que o papel do conselho será fundamental. 3

4 ,9±5(&83(5$d 2'(&5e',7235(9,'(1&,È5,2 Com a palavra Dra. Doriana, Procuradora-Chefe da Divisão de Cobrança de Grandes Devedores de Belo Horizonte. Doriana informou que a Divisão foi criada em 1998, subordinada diretamente a Brasília, o que evita interferências políticas. Doriana afirmou que no Brasil temos oito Divisões de Cobrança de Grandes Devedores e que as condições de trabalho são precárias devido à falta de servidores administrativos e procuradores, materiais e excesso de ações, entretanto dentro da procuradoria é o setor que tem as melhores condições, esclareceu ainda que cada procurador acompanha uma vara na Justiça e tem acontecido de uma mesma empresa ter processos em várias varas com os mesmos bens apresentados como garantia, o que reforça a necessidade da existência da Divisão. A ação conjunta com a APE Assessoria de Pesquisas Estratégicas do Ministério proporciona maior eficácia ao trabalho do procurador, facilita a identificação dos bens das empresas. A Divisão tem também parceria com a Receita Federal e fiscalização previdenciária. Convênios com o Detran e Junta Comercial também auxiliariam o trabalho. Existe um intercâmbio com os procuradores de outros estados. A seleção por débitos maiores mas de empresas sem bens torna a cobrança ineficaz. São monitorados R$1,5 bilhão (hum bilhão e quinhentos milhões), mas boa parte deste montante é irrecuperável. As falências estão sendo devolvidas para a dívida ativa e estão mudando os critérios de seleção das empresas. O conselheiro Hudson pede esclarecimentos e pergunta qual o valor dos débitos das empresas públicas dentro do valor apresentado, a procuradora não soube precisar, entretanto afirma ser relevante a participação das empresas públicas neste total de débito. A conselheira Julia pergunta qual o perfil dos grandes devedores, a procuradora explica que não há segmentação. O conselheiro Hudson diz que deveria haver uma solução preventiva com uma atuação mais ágil do governo. A conselheira Madalena coloca que nos últimos anos o governo caminhou no sentido contrário, pois o número de auditores fiscais da Previdência foi reduzido no governo Sarney quase pela metade e até hoje não ocorreu uma recomposição compatível com a necessidade. O procurador Rafael, chefe da Dívida Ativa da Procuradoria, diz que o INSS é um dos órgãos que mais demoram em executar as dívidas. São quatro procuradores para (vinte mil) processos. A volta ao processo acontece depois de um ano quando muitas vezes já aconteceu uma diluição do patrimônio do devedor, informa ainda que o INSS vence a maioria das causas e que nas execuções trabalhistas os juízes executam de ofício. Rafael diz ainda que o INSS recupera mensalmente R$ ,00 (dois milhões e quinhentos mil) por mês com os créditos trabalhistas e caso tivéssemos mais procuradores poderíamos aumentar esse recolhimento em 70%. O conselheiro Hudson pergunta sobre a questão da responsabilidade fiscal perante a dívida do INSS e o conselheiro Reinaldo respondeu informando que existem vários optantes pelo regime próprio em situação irregular e questionamentos sobre estes regimes no período anterior antes e depois da Emenda 20. O procurador Rafael explica que, após o levantamento da parcela do INSS no acordo trabalhista, a 4

5 empresa é intimada a promover o respectivo deposito, e caso o contribuinte não deposite o juiz determina a penhora de bens. Esclarece ainda o procurador que por falta de pessoal o INSS, em muitos casos, não tem como atuar, sendo o processo arquivado. Informou ainda Rafael que na Justiça Federal são ajuizados 350 créditos/mês por apenas dois funcionários. É urgente a contratação de mais procuradores, auditores fiscais e servidores qualificados em informática. O conselheiro Marcos, da Federação do Comércio, argumentou que o perdão de multas e juros pode facilitar a vida da empresas. O conselheiro Lúcio fala que, na avaliação custo x benefício, não tem dúvidas quanto à necessidade de se contratar mais funcionários. Lúcio argumenta ainda que o número de cidadãos excluídos da Previdência em Belo Horizonte é assustador e pede a apresentação pela gerência de um diagnóstico bem elaborado na próxima reunião, visando oferecer aos conselheiros melhor condição de opinar e fazer propostas. O presidente diz que esse assunto será pauta da próxima reunião. A conselheira Julia diz que nas ações de interesse dos servidores os procuradores não perdem os prazos. Dr. Rafael explica que legalmente não pode ser de outra forma pois eles são obrigados a recorrer. A conselheira Maria Machado pede informações sobre o contrato com a Febraban e propõe parceria para a fiscalização dos serviços prestados pelos bancos. Sem mais a relatar, eu, Maria Madalena Vieira, lavrei a presente ata que será assinada por mim e demais conselheiros presentes. Belo Horizonte, 04 de março de Marcos Barbonaglia da Silva Pitágoras Tadeu Miranda de Almeida Reinaldo Aguilar Peixoto Rosália Urbano Souza Maria Madalena Vieira Mário Borges do Amaral Lúcio Célio Guterres Delza Amaral Novais Paulo Roberto Hermélio Soares Campos Júlia Maria Vieira Raimundo Pereira Maria Machado Cota Marcos de Abreu e Silva Marcos Bicalho Santos Hudson Lidio Navarro 5

6 6

Representação do Governo INSS Márcio Cunha INSS Pitágoras Tadeu Miranda de Almeida Titular INSS Maria dos Anjos Silva Souza Titular

Representação do Governo INSS Márcio Cunha INSS Pitágoras Tadeu Miranda de Almeida Titular INSS Maria dos Anjos Silva Souza Titular ATA DA NONA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE BELO HORIZONTE DATA: 17 de dezembro de 2004. LOCAL: Superintendência do INSS em Minas Gerais I PRESENÇAS Representação do Governo INSS

Leia mais

CARTILHA DO CONTRIBUINTE

CARTILHA DO CONTRIBUINTE CARTILHA DO CONTRIBUINTE André Emmanuel Batista Barreto Campello Procurador da Fazenda Nacional Luiz Mário Nascimento Nogueira Chefe da Dívida Ativa da União/PFN/MA Introdução Trata-se de um pequeno guia

Leia mais

ATA DA 48ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS NO DISTRITO FEDERAL.

ATA DA 48ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS NO DISTRITO FEDERAL. ATA DA 48ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS NO DISTRITO FEDERAL. Aos vinte e nove dias do mês de janeiro de dois mil e quatorze, as dez horas e trinta minutos deu-se a última chamada

Leia mais

ATA DA 1ª REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL PIRACICABA - SP

ATA DA 1ª REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL PIRACICABA - SP ATA DA 1ª REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL PIRACICABA - SP Aos dezoito dias do mês de Novembro, do ano de dois mil, e quatro, às quatorze horas e trinta minutos, no Auditório da Câmara de Vereadores

Leia mais

ATA N. º 042 QUADRAGÉSIMA SEGUNDA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO

ATA N. º 042 QUADRAGÉSIMA SEGUNDA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO 1 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL GERÊNCIA-EXECUTIVA PORTO ALEGRE CONSELHO ALEGREALEGRE DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Porto Alegre ATA N. º 042 QUADRAGÉSIMA SEGUNDA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA PUBLICADO NO DOU DE 06/02 SEÇÃO 1, PÁG. 53 Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 Disciplina o parcelamento do valor correspondente à

Leia mais

ATA DA PRIMEIRA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURIDIÇÃO NO ANO DE 2005

ATA DA PRIMEIRA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURIDIÇÃO NO ANO DE 2005 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SUPERINTENDÊNCIA DO INSS/RS CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Porto Alegre ATA DA PRIMEIRA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURIDIÇÃO NO ANO DE

Leia mais

ATA DA 32ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM RIBEIRÃO PRETO.

ATA DA 32ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM RIBEIRÃO PRETO. INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA 32ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM RIBEIRÃO PRETO. Data : 06.06.2014 Horário: 09h Local : Auditório GEX

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3681 - ANTAQ, DE 6 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 3681 - ANTAQ, DE 6 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 3681 - ANTAQ, DE 6 DE OUTUBRO DE 2014. APROVA A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E OS PROCEDIMENTOS DE ASSESSORAMENTO E CONSULTORIA JURÍDICA DA PROCURADORIA FEDERAL JUNTO À AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES

Leia mais

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS ESTAS CONDIÇÕES GERAIS REGEM O CONTRATO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO MEDIANTE

Leia mais

PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS

PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS 1 Os débitos de qualquer natureza para com a Fazenda Nacional podem ser parcelados em até 60 (sessenta) prestações

Leia mais

Cristiane da Costa Nery Procuradora-Geral do Município de Porto Alegre

Cristiane da Costa Nery Procuradora-Geral do Município de Porto Alegre Cristiane da Costa Nery Procuradora-Geral do Município de Porto Alegre PROCURADORIA-GERAL ADJUNTA DE ASSUNTOS FISCAIS PGA-AF PROCURADORIA DA DÍVIDA ATIVA - PDA PROCURADORIA TRIBUTÁRIA - PTR GERÊNCIA DE

Leia mais

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Regulamenta o oferecimento e a aceitação do seguro garantia judicial para execução fiscal e seguro garantia parcelamento administrativo fiscal para

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAUCAIA

MUNICÍPIO DE CAUCAIA LEI N 1765, DE 25 DE AGOSTO 2006. Institui o Programa de Recuperação Fiscal - REFIS no Município de Caucaia, e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE CAUCAIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

ATA DA 36ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL EM MANAUS

ATA DA 36ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL EM MANAUS ATA DA 36ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL EM MANAUS DATA: 30/05/2012 HORA: 15h00 LOCAL: Sala de Reuniões do Gabinete da Gerência-Executiva do INSS/AM I. PRESENÇAS/AUSÊNCIAS Presentes

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, ESTADO DO PIAUÍ

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, ESTADO DO PIAUÍ 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 4.448, DE 17 DE SETEMBRO DE 2013. Publicado no DOM n 1.555, de 18.09.2013. Institui o Programa de Recuperação de Créditos Tributários e não Tributários do Município de Teresina RETRIMT

Leia mais

ATA DA 19ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM MONTES CLAROS/MG

ATA DA 19ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM MONTES CLAROS/MG INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA 19ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM MONTES CLAROS/MG Data : 14/02/2007 Horário: 16h Local : Gerência Executiva

Leia mais

Legalização de Empresa (Plano Platinum) MEI (Micro Empreendedor Individual) Plano Platinum. Contabilidade (Plano Silver) Valor com desconto

Legalização de Empresa (Plano Platinum) MEI (Micro Empreendedor Individual) Plano Platinum. Contabilidade (Plano Silver) Valor com desconto Descrição Prazo Valor Integral Valor com desconto Legalização de Empresa (Plano Platinum) Até 30 dias corridos 1.200 850,00 Abertura Completa de sua empresa: Contrato Social, CNPJ, Alvará, Inscrição Estadual).

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA 16ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM VARGINHA/MG. Data: 28/02/2007 Horário:14:30hs Local: Gerência Executiva

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II

Leia mais

Parcelamento de Débitos FGTS. Breve histórico

Parcelamento de Débitos FGTS. Breve histórico Parcelamento de Débitos FGTS Breve histórico Parcelamento de Débitos FGTS RCC TIPO DEBITO PRAZO MAX FORMA DE CALCULO 287/98 INS/JUD 140 Qtde comp. Em atraso 325/99 ADM 180 Qtde comp. Em atraso 466/04 ADM

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009.

ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009. ORDEM DE SERVIÇO PRFN 3ª REGIÃO Nº 004 de 16 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o procedimento a ser adotado para a formalização e controle dos processos de parcelamentos de arrematação ocorrida nas hastas

Leia mais

Data : 23.08.2012 Horário: 09:00 Local : Sala de reuniões da Gex-Chapecó/SC Rua Condá, 600D Bairro Santa Maria- Chapecó-SC

Data : 23.08.2012 Horário: 09:00 Local : Sala de reuniões da Gex-Chapecó/SC Rua Condá, 600D Bairro Santa Maria- Chapecó-SC INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA QUINQUAGÉSIMA OITAVA (58ª) REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM CHAPECÓ-SC Data : 23.08.2012 Horário: 09:00 Local

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA XII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM DIAMANTINA/MG

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA XII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM DIAMANTINA/MG INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA XII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM DIAMANTINA/MG Data: 18/06/2015 Horário: 10h às 12h. Local: Gerência Executiva

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA OCTOGÉSIMA OITAVA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM OSASCO/SP Data : 14 de Junho de 2012 Horário: 9:00 horas

Leia mais

Boletim Mensal - Setembro/2015

Boletim Mensal - Setembro/2015 Boletim Mensal - Setembro/2015 Fiscal Contábil RH Notícias Calendário Obrigações Fiscal Estado quer recuperar até R$ 1,3 bilhão com parcelamento de dívidas. Para aumentar a cobrança de créditos tributários

Leia mais

PARCELAMENTO ESPECIAL DO ICMS

PARCELAMENTO ESPECIAL DO ICMS PARCELAMENTO ESPECIAL DO ICMS A Resolução da Secretária da Fazenda nº 108, publicada do DOE de hoje, institui o parcelamento especial dos débitos fiscais relativos ao ICMS decorrentes de fatos geradores

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA PARCELAMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS REFIS DA COPA INTRODUÇÃO Após a mobilização de vários setores da economia juntamente com as proposições formuladas pelo Congresso Nacional, foi publicada a Lei 12.996/2014,

Leia mais

Conselho da Previdência Social da Gerência Executiva em Ponta Grossa Rua Marquês do Paraná 799 Ronda Ponta Grossa/PR ATA

Conselho da Previdência Social da Gerência Executiva em Ponta Grossa Rua Marquês do Paraná 799 Ronda Ponta Grossa/PR ATA ATA 47ª Reunião Ordinária do Conselho da Previdência Social - CPS Ponta Grossa, 10 de Dezembro de 2013. ATA DA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVI- DÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO LEI N.º 2.178, DE 02 DE JUNHO DE 2.014. *VERSÃO IMPRESSA ASSINADA Dispõe sobre o Programa de Recuperação e Estímulo à Quitação de Débitos Fiscais REFIS PORTO 2014 e dá outras providências. Eu, PREFEITO

Leia mais

ATA N.º 77 SEPTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIAO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO

ATA N.º 77 SEPTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIAO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL GERÊNCIA-EXECUTIVA PORTO ALEGRE CONSELHO DEPREVIDÊNCIA SOCIAL Porto Alegre ATA N.º 77 SEPTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIAO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE UNIMED JUIZ DE FORA CAP. I - DA COOPERATIVA

REGIMENTO INTERNO DE UNIMED JUIZ DE FORA CAP. I - DA COOPERATIVA REGIMENTO INTERNO DE UNIMED JUIZ DE FORA CAP. I - DA COOPERATIVA Art. 01: A união das singulares de um estado constitui uma Federação e, a união destas a Confederação, que constituem o SISTEMA DE SAÚDE

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA LEI Nº 2913, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2012. PUBLICADA NO DOE Nº 2110, DE 03.12.2012. Consolidada, alterada pela Lei nº: 3212, de 03.10.13 DOE nº 2312, DE 03.10.13. Autoriza a Procuradoria Geral do Estado de

Leia mais

Vila Hortência Sorocaba/SP

Vila Hortência Sorocaba/SP INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA 24ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM SOROCABA/SP Data : 09.11.2007 Horário: 09 h às 12 h Local : Auditório

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013 Altera a Resolução Normativa - RN 4, de 19 de abril de 2002, que dispõe sobre o parcelamento de débitos tributários e não tributários para com a

Leia mais

equipe; V elucidar as dúvidas relativas às normas de trabalho e ao desenvolvimento das atividades programada;

equipe; V elucidar as dúvidas relativas às normas de trabalho e ao desenvolvimento das atividades programada; LEI COMPLEMENTAR Nº 207 DE 1º DE FEVEREIRO DE 2013. Altera a Lei Complementar nº 71, de 18 de dezembro de 2003, que institui a Lei Orgânica da - Geral do Estado de Roraima, nos dispositivos que menciona

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA 20ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA-EXECUTIVA DO INSS EM SOROCABA/SP Data : 13.02.2007 Horário: 09:00 às 12:00 h Local : Auditório

Leia mais

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE Referente ao Projeto de Lei Complementar n. º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE 2007. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4073, de 20.08.07 Autor: Deputado Jorge Amanajás Autoriza

Leia mais

ATA N.º 87 OCTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO

ATA N.º 87 OCTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL ATA N.º 87 OCTAGÉSIMA SÉTIMA REUNIÃO DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE PORTO ALEGRE E JURISDIÇÃO DATA: 17 de DEZEMBRO de 2013, às 10h30min. LOCAL: Gabinete da Gerência

Leia mais

"Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social"

Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social "Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social" 1 Gestão por processos 2 Previdência Social: em números e histórico Estrutura: Administração Direta, 2 Autarquias e 1 Empresa

Leia mais

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF)

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-15/FCC/2013): 57. Quanto à relação entre empresas estatais e as

Leia mais

Curso de Direito Previdenciário

Curso de Direito Previdenciário Curso de Direito Previdenciário dias 04, 08 e 10/07 Professora: Rita de Cássia Samyn Teixeira Sumário 1. Programa 2. Currículo da ministrante 3. Informações gerais 1. Programa: 1.1. Visão panorâmica do

Leia mais

ATA DA VIGÉSIMA QUARTA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM MACEIÓ

ATA DA VIGÉSIMA QUARTA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM MACEIÓ INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ATA DA VIGÉSIMA QUARTA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM MACEIÓ DATA: 6 de junho de 2007 HORÁRIO: 14:30 h LOCAL: Sala

Leia mais

ANEXO I CONTRATO DE MÚTUO (EMPRÉSTIMO) COM DESTINAÇÃO ESPECÍFICA

ANEXO I CONTRATO DE MÚTUO (EMPRÉSTIMO) COM DESTINAÇÃO ESPECÍFICA ANEXO I CONTRATO DE MÚTUO (EMPRÉSTIMO) COM DESTINAÇÃO ESPECÍFICA O, autarquia criada pela Lei n. 1079, de 5 de novembro de 1987, e mantido pela Lei n. 3.344, de 28 de dezembro de 2001, com sede nesta cidade,

Leia mais

Diretrizes e Procedimentos de Auditoria do TCE-RS RESOLUÇÃO N. 987/2013

Diretrizes e Procedimentos de Auditoria do TCE-RS RESOLUÇÃO N. 987/2013 Diretrizes e Procedimentos de Auditoria do TCE-RS RESOLUÇÃO N. 987/2013 Dispõe sobre as diretrizes e os procedimentos de auditoria a serem adotados pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul,

Leia mais

CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE OSASCO/SP ASSEMBLÉIA DEZESSEIS

CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE OSASCO/SP ASSEMBLÉIA DEZESSEIS ASSEMBLÉIA DEZESSEIS Aos dois dias do mês de junho do ano de dois mil e cinco, auditório do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, em Osasco-São Paulo, com quorum, considerando a presença dos conselheiros,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013 ESTABELECE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA O PAGAMENTO DE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA, EM CARÁTER EVENTUAL, POR MEIO DE RECIBO DE PAGAMENTO A CONTRIBUINTE INDIVIDUAL

Leia mais

REGIMENTO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA SEÇÃO BAHIA

REGIMENTO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA SEÇÃO BAHIA REGIMENTO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA SEÇÃO BAHIA TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FORO E SEDE Art. 1º A Associação Nacional de História Seção Bahia, reorganizada na Assembléia Geral de Associados realizada

Leia mais

POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO - CREDIAFAM

POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO - CREDIAFAM POLÍTICA DE CRÉDITO DA COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA SEGURANÇA DAS DEFINIÇÕES 1. A política de crédito da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Servidores da Segurança Pública de São Paulo

Leia mais

Gestão e Administração do Programa

Gestão e Administração do Programa Programa 0084 Arrecadação de Receitas Previdenciárias Objetivo Aumentar a arrecadação da Previdência Social, mediante ação eficaz de controle, fiscalização e cobrança de créditos previdenciários Indicador(es)

Leia mais

ANOTAÇÕES SOBRE COMO OS HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS SÃO REGISTRADOS E QUANTIFICADOS NO ÂMBITO DAS ATIVIDADES FINANCEIRAS DA UNIÃO

ANOTAÇÕES SOBRE COMO OS HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS SÃO REGISTRADOS E QUANTIFICADOS NO ÂMBITO DAS ATIVIDADES FINANCEIRAS DA UNIÃO ANOTAÇÕES SOBRE COMO OS HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS SÃO REGISTRADOS E QUANTIFICADOS NO ÂMBITO DAS ATIVIDADES FINANCEIRAS DA UNIÃO Aldemario Araujo Castro Mestre em Direito Procurador da Fazenda Nacional Professor

Leia mais

DO PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL DE CRÉDITOS FISCAIS DOS CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE FARMÁCIA PRF/CFF-CRF

DO PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL DE CRÉDITOS FISCAIS DOS CONSELHOS FEDERAL E REGIONAIS DE FARMÁCIA PRF/CFF-CRF PORTARIA Nº 1907 Ementa: Regulamenta no âmbito do CRF/SC o Programa de Recuperação Judicial e Extrajudicial de Créditos Fiscais dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia PRF/CFF-CRF. A Presidente do

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 REGULAMENTO PARA ARRECADAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA O FUNDO DE UNIVERSALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015. APROVA A PROPOSTA DE NORMA QUE DISPÕE SOBRE O PARCELAMENTO E A RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS ADMINISTRADOS PELA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS ANTAQ.

Leia mais

A MANTOVANI tem investido constantemente em instalações e qualificação pessoal, visando sempre uma excelência no atendimento ao cliente.

A MANTOVANI tem investido constantemente em instalações e qualificação pessoal, visando sempre uma excelência no atendimento ao cliente. A MANTOVANI conta com instalações próprias e modernas, equipamentos de informática de última geração em todos os seus departamentos, desde o saguão de recepção até o auditório para treinamento e palestras.

Leia mais

Resolução nº 24, de 30 de janeiro de 2002 (publicada no Diário Oficial da União de 4.2.2002)

Resolução nº 24, de 30 de janeiro de 2002 (publicada no Diário Oficial da União de 4.2.2002) Ministério da Justiça Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE SCN Quadra 2 Projeção C, Brasília, DF CEP 70712-902 Tel.: (61) 426-8599 Fax: (61) 328-5523 cade@cade.gov.br Resolução nº 24, de 30

Leia mais

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO ESTATUTO DA FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA JURÍDICA, SEDE E FORO Artigo 1º - A FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA, cuja instituição foi autorizada pela Lei Complementar nº

Leia mais

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO.

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO. CAPÍTULO II DO PARCELAMENTO DE DÉBITO Art. 163. O débito decorrente da falta de recolhimento de tributos municipais poderá ser pago em até 96 (noventa e seis) parcelas mensais e sucessivas, observado o

Leia mais

Ata da 8ª Reunião do CONFAZ-M/SC

Ata da 8ª Reunião do CONFAZ-M/SC Ata da 8ª Reunião do CONFAZ-M/SC Aos vinte e oito dias do mês de julho de dois mil e nove, reuniram-se no auditório da Junta Comercial do Estado de Santa Catarina (JUCESC), na cidade de Florianópolis,

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO Curso DIREITO PREVIDENCIÁRIO Turma 4 Local: Santa Maria - RS Dias 28 e 29 de agosto de 2008 (quinta e sexta-feira) SUMÁRIO: 1. Informações Gerais 2. Programa 3. Currículo da Ministrante 1. Informações

Leia mais

COMUNICADO LEGISLATIVO Nº 1/2013. Projetos de Lei e Trâmites 1ª quinzena de novembro/2013

COMUNICADO LEGISLATIVO Nº 1/2013. Projetos de Lei e Trâmites 1ª quinzena de novembro/2013 Matérias na Câmara PEC 185/2012 Acrescenta parágrafos ao art. 37 da Constituição Federal para estabelecer data certa para a revisão geral anual da remuneração dos servidores públicos e dá outras providências.

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA LEI Nº 3.256, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2003 Institui o programa de recuperação de créditos tributários da fazenda pública municipal REFIM e dá outras providências. Piauí Lei: O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA,

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU Secretaria Municipal de Governo LEI COMPLEMENTAR N.º 64/2003 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ARACAJU Secretaria Municipal de Governo LEI COMPLEMENTAR N.º 64/2003 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003 Institui a Segunda Etapa do Programa de Recuperação de Créditos Fiscais do Município REFIS II e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACAJU. Faço saber que a Câmara Municipal de Aracaju aprovou

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

PORTARIA Nº 21, DE 23 DE AGOSTO DE 2011

PORTARIA Nº 21, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 PORTARIA Nº 21, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 Estabelece a organização e funcionamento das Secretarias Sindicais SESIN e Delegados Sindicais nas Unidades Federadas. O PRESIDENTE DO SINDICATO NACIONAL DOS SERVIDORES

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI COMPLEMENTAR Nº 11.977, DE 07 DE OUTUBRO DE 2003. (publicada no DOE nº 195, de 08 de outubro de 2003) Introduz

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FEPISA

REGIMENTO INTERNO DA FEPISA REGIMENTO INTERNO DA FEPISA Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DE ILHA SOLTEIRA - FEPISA, além das disposições constantes de seu Estatuto, fica sujeita às determinações deste Regimento

Leia mais

P L A N O P L U R I A N U A L 2 0 10-2 013

P L A N O P L U R I A N U A L 2 0 10-2 013 OBJETIVO ESTRATÉGICO INDICADORES DO OBJETIVO ESTRATÉGICO ESTRATÉGIA PROGRAMA 02 FUNÇÃO 3,14 OBJETIVO DO PROGRAMA de Metas Alcançadas Essencial à Justiça / Direitos a Cidadania P L A N O P L U R I A N U

Leia mais

Áreas de Atuação Societário

Áreas de Atuação Societário SC Advogados Apresentação A Salomão Cateb Advogados foi fundada em 1963 na cidade de Belo Horizonte por Salomão de Araújo Cateb. Os mais de 40 anos de atividade conferiram à empresa o reconhecimento e

Leia mais

DO PARCELAMENTO DO DÉBITO TRIBUTÁRIO DO DEVEDOR EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL

DO PARCELAMENTO DO DÉBITO TRIBUTÁRIO DO DEVEDOR EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL DO PARCELAMENTO DO DÉBITO TRIBUTÁRIO DO DEVEDOR EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL José da Silva Pacheco SUMÁRIO: 1. Introdução. 2. Do projeto sobre parcelamento dos créditos tributários de devedores em recuperação

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

Foram eleitos os seguintes pontos relevantes: 1. Delegacias Sindicais, 2. Diretoria, 3. Diretoria Provisória, 4. Questões patrimoniais,

Foram eleitos os seguintes pontos relevantes: 1. Delegacias Sindicais, 2. Diretoria, 3. Diretoria Provisória, 4. Questões patrimoniais, Registro da segunda reunião Ordinária da Comissão de Sistematização e Elaboração de Propostas de Estatuto para a entidade resultante da unificação da FENAFISP E Unafisco Sindical. Presentes pela FENAFISP:

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

Ministério da Previdência Social

Ministério da Previdência Social Ministério da Previdência Social Secretaria Executiva Assessoria de Cadastros Corporativos CNIS Cadastro Nacional de Informações Sociais Fundamentação Legal Criado pelo Decreto 97.936, de 10 de julho de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

Por isso a Estrela do Mar executa, com esmero, serviços contábeis, administrativos, consultoria jurídica, cobranças e contratação de pessoal.

Por isso a Estrela do Mar executa, com esmero, serviços contábeis, administrativos, consultoria jurídica, cobranças e contratação de pessoal. Nossa Empresa Criada em, a Estrela do Mar administra condomínios baseada em diretrizes humanas e modernas. Trata, de forma diferenciada, questões administrativas, contábeis e jurídicas, para maior tranqüilidade

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 17 DE 24 DE ABRIL DE 2013.

LEI COMPLEMENTAR Nº 17 DE 24 DE ABRIL DE 2013. LEI COMPLEMENTAR Nº 17 DE 24 DE ABRIL DE 2013. Dispõe sobre a criação e extinção de cargos no quadro de pessoal do Município de Turvolândia e dá outras providências. O Povo do Município de Turvolândia,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015 Publicado no DOE (Pa) de 08.09.15. Revogada pela IN 17/15, efeitos a partir de 11.09.15. Estabelece procedimentos para a fruição do benefício fiscal

Leia mais

TÍTULO I DAS CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS DO RECLAMANTE

TÍTULO I DAS CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS DO RECLAMANTE Insubsistente pelo advento da Lei 10.035, de 25.10.2000, DOU de 26.10.2000. PROVIMENTO Nº 208 (*) Dispõe sobre os procedimentos relativos à execução de contribuições sociais a teor do disposto no artigo

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 Aprova o Regulamento de Parcelamento de Créditos Não Tributários Administrados pela Agência Nacional de Telecomunicações Anatel

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS PREVIDENCIÁRIOS: INDISPONIBILIDADE DE BENS DO SUJEITO PASSIVO.

RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS PREVIDENCIÁRIOS: INDISPONIBILIDADE DE BENS DO SUJEITO PASSIVO. ESTUDO RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS PREVIDENCIÁRIOS: INDISPONIBILIDADE DE BENS DO SUJEITO PASSIVO. Verônica Rocha Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO NOVEMBRO/2003

Leia mais

DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010.

DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010. DECRETO Nº 3.008, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2010. Disciplina as consignações em folha de pagamento no âmbito da Administração Pública Direta, Autárquica e Fundacional do Poder Executivo do Estado de Mato Grosso.

Leia mais

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores.

b - O sócio Institucional terá anuidade correspondente a dez vezes a dos sócios efetivos e colaboradores. Regimento Interno da Sociedade dos Zoológicos do Brasil - SZB Da Sociedade Artigo 1º - A sociedade dos Zoológicos do Brasil SZB, fundada em 23 de setembro de 1977, funciona conforme o disposto nos seus

Leia mais

DATA: 22 de Março de 2012 HORÁRIO : 09:00 as 11:00 hs Local: SEAC - Rua Deodoro, 226 - quarto andar - Ed. Marco Polo - Centro Fpolis/SC

DATA: 22 de Março de 2012 HORÁRIO : 09:00 as 11:00 hs Local: SEAC - Rua Deodoro, 226 - quarto andar - Ed. Marco Polo - Centro Fpolis/SC CONSELHO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DE FLORIANÓPOLIS Ata da Septuagésima Quarta Reunião Ordinária do Conselho de Previdência Social de Florianópolis (CPS Fpolis), vinculado à Gerência Executiva do INSS em Florianópolis.

Leia mais

Na mesma data, também foi publicada a Instrução Normativa RFB nº 1.576/2015, que alterou a Instrução Normativa nº 1.491/2014.

Na mesma data, também foi publicada a Instrução Normativa RFB nº 1.576/2015, que alterou a Instrução Normativa nº 1.491/2014. TRIBUTÁRIO 07/08/2015 PORTARIA CONJUNTA Nº 1.064/2015 E INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1.576/2015 No dia 03 de agosto de 2015 foi publicada a Portaria Conjunta nº 1.064/2015, regulamentando os procedimentos

Leia mais

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC 1 Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC Capítulo I Da Natureza, Finalidade e Composição Art. 1 - O Conselho Fiscal é o

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ASSESSORIA TÉCNICO-LEGISLATIVA DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ASSESSORIA TÉCNICO-LEGISLATIVA DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 PUBLICADO EM PLACAR Em / / Dispõe sobre a regulamentação da Lei Complementar nº 187, de 12 de agosto de 2009, que autoriza a transação tributária para fins de

Leia mais

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA.

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. Índice Capítulo I Da Carteira de Empréstimo Simples... 3 Capítulo II Dos Recursos

Leia mais

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE 1 A - PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS 1 Em regra, os créditos tributários junto à Fazenda Municipal de Porto Alegre podem ser pagos em até 24 (vinte e

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SETOR JURÍDICO DA ASSEMP

REGIMENTO INTERNO DO SETOR JURÍDICO DA ASSEMP REGIMENTO INTERNO DO DA ASSEMP O Setor Jurídico da ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DA PREFEITURA DE BELO HORIZONTE, doravante denominado Jurídico-ASSEMP, será regido de acordo com este regimento e

Leia mais

Cooperativismo - Forma ideal de organização

Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo é modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática,

Leia mais

OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU

OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU Rua Ingo Hering 20 8º andar Neumarkt Trade & financial Center 89.010-909 Blumenau SC Fone 47 3326 1230 osblu@acib.net www.acib.net/osblu OBSERVATÓRIO SOCIAL DE BLUMENAU Regimento Interno CAPÍTULO I DA

Leia mais

GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO

GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO Dr. Erlanderson de O. Teixeira Planejamento Tributário Teses tributárias Gerenciamento de Passivos Parcelamento www.erlandeson.com.br GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO Carga Tributária Brasileira Porque pagar os

Leia mais

ANEXO 9 Condições Mínimas do BNDES para Aprovação do Plano

ANEXO 9 Condições Mínimas do BNDES para Aprovação do Plano ANEXO 9 Condições Mínimas do BNDES para Aprovação do Plano A - PRÉVIAS: 1. Apresentação de petição conjunta formulada pelos Interessados e pelo BNDES, com a anuência do Administrador Judicial, protocolizada

Leia mais

GOVERNO FEDERAL COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS

GOVERNO FEDERAL COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS GOVERNO FEDERAL COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS 2011 GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

CONVOCAÇÃO. Estância Turística de Santa Fé do Sul, 19 de Setembro de 2014. Luiz Antonio Peres Trivelato Junior Presidente do Conselho Administrativo

CONVOCAÇÃO. Estância Turística de Santa Fé do Sul, 19 de Setembro de 2014. Luiz Antonio Peres Trivelato Junior Presidente do Conselho Administrativo CONVOCAÇÃO O Presidente do Conselho de Administração do SANTAFÉPREV Instituto Municipal de Previdência de Santa Fé do Sul, com base na Lei Municipal n 3.104 de 14/08/2013, CONVOCA, para o Dia 23/09/2014,

Leia mais