($*;$%%," <">

! "# $%% & ' -. & / " 0 1 ' $%%)$%%2- " $%%$ $%%+ 0 1 " 3 4 5" " 8 9 (8, 98 "81 94(8 '9, - 7 " " -8 /=9> ($*;$%%," <

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "! "# $%% & ' -. & / " 0 1 ' $%%)$%%2- " $%%$ $%%+ 0 1 " 3 4 5" 6 4 78.1 " 8 9 (8, 98 "81 94(8 '9, - 7 " 8 9 14 9" -8 /=9> ($*;$%%," < - 4 9 8 1"
($*;$%%," < - 4 9 8 1.pdf" class="btn bg-purple-seance" href="#" target="_blank" style="margin-top: 10px; display: none;"> Download Document

Transcrição

1 !! # $%% & ' '()*+, -. & / 0 1 ' $%%)$%%2- $%%$ $%% (8, (8 '9, ' - : -8 $%%)$%% ;2;< -8 /=9> ($*;$%%, < $*; ; = 8 & AB A'1 0 7 C -< ' ' ' *2; <

2 <' 4 ' = D01 -D1 D 0 D - ' E $%% # & '()* 6L#?. 8 C OH'!? 2+ = B8 EJ(Q<, 6 P0 C 4 / E 1 E A- F ' A (A 6 #, -G 4 6 ( # B1,- 8 F D ' - 1 D ( - =, # FH6!67 (D 1, # 1 H & -<' 1 '1 =.?I 8 C?I J 1 K F- 1 - A L -1? M # B1 ' 6 6)+'0NO 'A P L4 ' / / 1 O

3 =/8 9 = 1 4 KE B(B, - '&J 60< 8 K(<, 9 & =? 8 # KJ B F 4 / - K- Q / 6 P0 (6P, 0 A H P0 Q A- 0 + # 4 & H!? 0 4 A - '8 0- (1A 1'4 E6 6J/# 'Q6/ A ' Q, 6? & =?1 7 6 H / C '<' 0. EH(61/P,? 1 (#- 69/K?, 1 P9(B F/Q, 6 K? (Q8/KA, 3 H A 6D (Q/P<,E6P(60 /,Q= (P/, # - C? = K? = 6? D& H ' 60 D 6 ' & H 6 / -D ' 44-4=9 K (, = &9' = =9 )R B89181: H' E &H'

4 ,( ('$%% :: Proposições dos alunos Pela primeira vez, o relatório-síntese incorpora textualmente as proposições dos educandos participantes do Eneja. Além de reivindicarem melhorias no ensino (com ações como, por exemplo, oferta de classes em todos os turnos, transporte, merenda, livros didáticos e salas de informática também para os alunos jovens e adultos), os delegados deste segmento também defenderam a necessidade de oferecer ensino médio na modalidade de educação de jovens e adultos, a garantia de que pelo menos um delegado de cada Fórum seja aluno e a maior divulgação e participação dos alunos nas atividades dos Fóruns estaduais e regionais. -'(.# & 1 = =9)$ - D 6-7 C 60 # D - < =44)R A = 6? #8 9 1-KB!KD B? D E/ / ($%%% < H ' 1 K (, & 1 1 '8 / & C 19 8 < - =9 ' 97 = E8&=/8 (!0 8 9 & 1 - / ' 1 67 A 6#8 4 & - ) B8

5 67 6 P0 (6P,- 0 L 8 4 OD < ' 4- '- ' 16 6 A (A 6 #, 1 - K1 $%%+0= 6 67 < &. '($% ' (2 $%%* 2 (4 8 4,I '-97/ KS$2R0& < P0 K A P(AP,- C 676P AP - ' - & 9 8 <'-. / J E8 B A D 1 2?? 1/9 6 74L' C J O 6 6 A <= : C A #8 F ' - 0 D < 6-4 ' 4 QC H 8 9 < K4 A =9 ) 0 = ' C 8 & 8 0 ' - A ' L18 1 1/O# )2 0& = )RR$ B 620&=L 0- )0 = - KS $+ 0& J O

6 4-8 6'4$%%* A 6. ' 8 '1 < & 6 < / - 8 E4)%- 89 ( 3!( <-L? O-C- C & (? K QJ = H= B F K? A, -'1 <04 6-(60 # 68 P =, ( D - A,# & 1 8 8A(3A,A4F(36/A, / & K197 ' C = (A6, A: B (3 A6, E: A K HJ (3 Q, ' 4 BFK?< 1(3,-? (?, A < '? 4 < E (3B, K Q A?- # H(3 KQA, - 6 P0 A 7 B6 ( A 4, 1! # 1-0(3 Q, - 8? 8QJ ' - A4 F(36/A, 6 < 8(3A, Q0-A4F ' A 63P - 8 $%%* C ''1 ' -4&9 8 ' (,- 4 0 & C ' 8 ' 8 = 4#3 ' / (& 4 (

7 ( -, 1 0$K)*)R 69(Q,<QP)!? T3 B K (3K?, < 0 & 0? K(6 P = U8!K?,- 0</ QP6 (3 Q,1 1 ' :: 4# (#54 6 <(VW0, ' D 3 8A#< '.L0O=97 K<KAPTA< 9/ - C AP--1 - &- 4 :-9- '&= AP- ' = <0 '44 Q K E(V, D3 APJ /B - 0? / ' 1 = 7 ' < =K?)R- H' & 0 < = / 7 =)) 3K? 6.($), 'V'XXX/'T' < =< 14 )20 = 67 P 36.(), $$)/222$+/)++V VW0

8 $ 4 = 9 A B0 1 A1 5 3B P9 <- =- H ' & 6. V ( 6, < =C2%D)+0= 3 Q < 1 0 =? 4-1 C H?6.'V/ (2),2$*2/$+*)+0D)0 P4 C ' = C/ $$ < 41 = = - & 7 < = $R ) H? Y? Y<' & '? A1 < XV ) *( & ( (( Em Santa Catarina, a pesquisa Juventude, escolarização e poder local investigou as políticas de educação de jovens e adultos em quatro município (Biguaçu, Palhoça, São José e Florianópolis) e a política municipal de Florianópolis foi escolhida na atual etapa de estudo de casos porque, na visão dos pesquisadores, apresenta uma proposta inovadora e é bem aceita por parte de alunos e pesquisadores. O Projeto de Educação de Jovens e Adultos, desenvolvido na rede municipal entre 1997 a 2004 durante as duas gestões da prefeita Ângela Amin (PPB), caracterizou-se pela intencionalidade em dialogar com a sociedade. No conjunto das práticas desenvolvidas pelo governo municipal essa experiência parece deslocada, uma vez que é um governo com características conservadoras em que a participação política dos munícipes, em muitas ocasiões, gerou conflitos de grandes proporções, diz Sônia Beltrane, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Santa Catarina e coordenadora local da pesquisa. O maior diferencial foi a adoção de uma metodologia referendada no estudo de temas levantados pelos alunos, que se viam estimulados a perceber questões relacionadas às suas experiências pessoais e coletivas. O projeto atende o primeiro e o segundo segmento do ensino fundamental e trabalha numa perspectiva metodológica que não supõe a seriação. Na percepção dos alunos, o processo de ensinoaprendizagem baseado em pesquisas realizadas fora da escola parece representar a possibilidade de lidar com o conhecimento de uma maneira mais agradável. Fora da sala de aula, a participação dos alunos também era incentivada, por exemplo, na avaliação dos resultados do projeto com a realização de plenárias deliberativas em conjunto com os professores. Ainda que o processo resulte em um protagonismo mais forte dos alunos e elevação da auto-estima, a

9 pesquisadora ressalta que a apreensão do conhecimento pode ficar restrita ao que o aluno gosta e comprometer o acesso a um saber mais crítico e universal. Em Florianópolis, os índices de analfabetismo da população de 15 anos ou mais, segundo o Censo 2000 do IBGE, situavam-se em torno de 3,2% para homens e 3,7% para mulheres, colocando o município bem abaixo da média nacional. A porcentagem de analfabetos funcionais (com menos de quatro anos de estudo/séries concluídas) dessa mesma faixa etária, também estava abaixo da média nacional, em torno de 10,46%. É preciso destacar que a maioria (52%) dos alunos atendidos pelo projeto em 2004 tinha idade entre 15 e 24 anos. Mas esse dado não parece ter recebido muita atenção por parte dos gestores pois, segundo a pesquisadora, as práticas propostas pelo programa não mencionam atividades destinadas exclusivamente ao público jovem. Por outro lado, constatou-se que o Departamento de Educação Continuada conseguia atender certas demandas dos alunos ao fazer de maneira eficiente a articulação do projeto com os demais programas da Secretaria de Educação e também com outros órgãos da Prefeitura como, por exemplo, a Secretaria de Saúde para a obtenção de óculos para os estudantes que apresentam problemas de visão. 6.A:B.(+,22)/R$+.V # <' P0(P, BF(Q, )% 97 1 Y<?. ' Y- ' 197?9 8< A A< 3 61(36, & 67 EF- 54 <'?12% ' D?D '4 - ' ' 4 $% = ( Q?**% HB-A,)+04 ' & &.()), 2))/$222 )+* )*$ D -9)%0D)0/ ' V <C?3 Q9/ # 1 (, = )R0&.(2),2+RR2)R'V

10 ! )$% +P? A 3 B8 3 < 4 L8. O & 4 2% KS)KS2% < 4 B8 & <HT6 B < <H-P C 6 9 C - / $% C &. 0.TT V Coletâneas de artigos e material didático para alfabetização 3 4 P 6. & D ' C Z6KB/KDB<$ & C &= 97 1 '= 8 C '80 ' 1 1?1 E 6E/ 60 4 E 4 E.1-8 '=8 & C-- 4 E#H' &8 = 0D C - 1 H ( / Q, 0 ' D P D ' H / ' < ' 4 & =9- & 9 1 & 4 1 B /C 1 - C. V

11 7-%8 Q 1 /6EH=1 6<A4F HK 1 JQ 4 #.1A4P0?466.# 449 9% # V

Desafios da EJA: flexibilidade, diversidade e profissionalização PNLD 2014

Desafios da EJA: flexibilidade, diversidade e profissionalização PNLD 2014 Desafios da EJA: flexibilidade, diversidade e profissionalização Levantamento das questões de interesse Perfil dos alunos, suas necessidades e expectativas; Condições de trabalho e expectativas dos professores;

Leia mais

Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis

Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis IV Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI Coordenação Geral

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria Políticas de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos maio 2015 PANORAMA DA EDUCAÇÃO DE JOVENS

Leia mais

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS 1. Natureza e Finalidade O Fórum Regional de Educação Infantil do Alto Vale do Itajaí - FREIAVI é um espaço

Leia mais

SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO SANTA CATARINA CHAPECÓ, 28 A 30 DE AGOSTO DE 2013 CARTA ABERTA À SOCIEDADE CATARINENSE E BRASILEIRA

SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO SANTA CATARINA CHAPECÓ, 28 A 30 DE AGOSTO DE 2013 CARTA ABERTA À SOCIEDADE CATARINENSE E BRASILEIRA SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO SANTA CATARINA CHAPECÓ, 28 A 30 DE AGOSTO DE 2013 CARTA ABERTA À SOCIEDADE CATARINENSE E BRASILEIRA 1. Nós, 350 educadores e educadoras das escolas públicas do campo,

Leia mais

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA PROJETO DE AQUISIÇÃO DE KIT ESCOLAR PROJETO ESCOLA E CIDADANIA 1. HISTÓRICO A preocupação com a causa da criança e do adolescente em situação de risco, faz nascer instituições proféticas espalhadas pelo

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS-SC

REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS-SC JUVENTUDE, ESCOLARIZAÇÃO E PODER LOCAL SEGUNDO RELATÓRIO CIENTÍFICO REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS-SC PERÍODO: Fevereiro de 2004 a Fevereiro de 2005 Coordenadoras da Pesquisa: Olga Celestina da

Leia mais

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN PL 8035/2010 Plano Nacional de Educação 2011/2020 UMA POLÍTICA DE ESTADO Maria de Fátima Bezerra Deputada Federal PT/RN Presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal O PNE foi construído

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais

O QUE JÁ FOI FEITO EM EJA NO PAÍS

O QUE JÁ FOI FEITO EM EJA NO PAÍS O QUE JÁ FOI FEITO EM EJA NO PAÍS Experiência de 1928 no Distrito Federal Cursos Populares Noturnos ; Década de 1930 Votar é Fundamental; Década de 1940 e 1950 O Caminho para o trabalho na fábrica: Congresso

Leia mais

1ª Conferência Livre da Juventude em Meio Ambiente Foco em Recursos Hídricos

1ª Conferência Livre da Juventude em Meio Ambiente Foco em Recursos Hídricos 1ª Conferência Livre da Juventude em Meio Ambiente Foco em Recursos Hídricos Realização: Instituto Terrazul Parceria: Coordenadoria da Juventude da PMRJ Comitê da Bacia Hidrográfica da Baía de Guanabara

Leia mais

Metas e estratégias equalizadoras ao PNE II Educação de Jovens e Adultos EJA Analise da Silva Coordenação Nacional dos Fóruns de EJA do Brasil

Metas e estratégias equalizadoras ao PNE II Educação de Jovens e Adultos EJA Analise da Silva Coordenação Nacional dos Fóruns de EJA do Brasil Metas e estratégias equalizadoras ao PNE II Educação de Jovens e Adultos EJA Analise da Silva Coordenação Nacional dos Fóruns de EJA do Brasil Analise Da Silva analiseforummineiro@gmail.com www.forumeja.org.br

Leia mais

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo.

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo. Capítulo II DA EDUCAÇÃO Art. 182. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada pelo Município, com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento

Leia mais

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB Introdução Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal

Leia mais

Base Populacional do Território

Base Populacional do Território ORGÃO GESTOR - Sistema de Educação Ambiental Pesquisas Projetos EA Órgão Gestor / Comitê Assessor CIEAs / Redes de EA Fomento a projetos SIBEA PNE Coletivos Educadores Com-vida Comunicação CNIJMA Coletivos

Leia mais

ANEXO X - Indicadores para monitoramento e avaliação da evolução das metas do PME

ANEXO X - Indicadores para monitoramento e avaliação da evolução das metas do PME ANEXO X - Indicadores para monitoramento e avaliação da evolução das metas do PME Observação: no presente documento, são listados os indicadores básicos que poderão ser utilizados para monitoramento e

Leia mais

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO As Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e Educação

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

II SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Faculdade de Educação da USP, 11 e 12 de agosto de 2000

II SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Faculdade de Educação da USP, 11 e 12 de agosto de 2000 II SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Faculdade de Educação da USP, 11 e 12 de agosto de 2000 O mundo de constantes transformações em que vivemos tornou obsoleta a idéia de que a educação

Leia mais

TABELA PARA 3 BENEFICIÁRIOS (A PARTIR DE 1 TITULAR) AMIL 60. de 03/06/98 ANS 326.305

TABELA PARA 3 BENEFICIÁRIOS (A PARTIR DE 1 TITULAR) AMIL 60. de 03/06/98 ANS 326.305 TABELA PARA 3 BENEFICIÁRIOS (A PARTIR DE 1 TITULAR) Tabela de Vendas PME AMIL 60 FAIXA ETÁRIA AMIL 60 101 QP AMIL 60 102 QP 0 a 18 268.88 376.23 19 a 23 365.67 511.67 24 a 28 402.24 562.84 29 a 33 442.46

Leia mais

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Rachel de Souza Melo 1 - rachelmelo2@hotmail.com; Romário Roberto Xavier de Araújo 2 - romarioaraujo124@gmai.com; Catarina de Medeiros

Leia mais

1. Dados básicos sobre a educação básica escolar de jovens e adultos

1. Dados básicos sobre a educação básica escolar de jovens e adultos Conferência Nacional de Educação Básica Eixo II: Democratização da Gestão e Qualidade Social da Educação Colóquio: Educação de Jovens e Adultos Brasília DF: 16/04/2008 Maria Clara Di Pierro (FEUSP) 1.

Leia mais

Comissão de Ensino Médio, Modalidades e Normas Gerais Indicação nº. 006/2012 Processo nº. 001.047780.11.8

Comissão de Ensino Médio, Modalidades e Normas Gerais Indicação nº. 006/2012 Processo nº. 001.047780.11.8 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Comissão de Ensino Médio, Modalidades e Normas Gerais Indicação nº. 006/2012 Processo nº. 001.047780.11.8

Leia mais

Art. 3º. O Plano Municipal Decenal de Educação observará os seguintes elementos e princípios: I diagnóstico e realidade sócio-educacional e história;

Art. 3º. O Plano Municipal Decenal de Educação observará os seguintes elementos e princípios: I diagnóstico e realidade sócio-educacional e história; Lei nº 1.315, de 25 de agosto de 2003. Dispõe sobre o Plano Municipal Decenal de Educação e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE CODÓ, ESTADO DO MARANHÃO: Faço saber que a Câmara Municipal de

Leia mais

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO PARA ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL NOS MUNICÍPIOS DE CORUMBÁ-MS E LADÁRIO-MS

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO PARA ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL NOS MUNICÍPIOS DE CORUMBÁ-MS E LADÁRIO-MS O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO PARA ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL NOS MUNICÍPIOS DE CORUMBÁ-MS E LADÁRIO-MS Rafael Verão Françozo PPGE UFMS/CPAN 1 Vânia Lima de Almeida PPGE UFMS/CPAN 2 RESUMO:

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REDAÇÃO DO PROJETO DE LEI Aprova o Plano Municipal de Educação - PME e dá outras providências. O Prefeito do Município de vereadores decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Faço

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

Todos Pela Educação. Alice Andrés Ribeiro. I Seminário Nacional de Controle Social Brasília, 26 de setembro de 2009

Todos Pela Educação. Alice Andrés Ribeiro. I Seminário Nacional de Controle Social Brasília, 26 de setembro de 2009 Todos Pela Educação Alice Andrés Ribeiro I Seminário Nacional de Controle Social Brasília, 26 de setembro de 2009 Panorama da educação básica no País Acesso: Idade % Atendimento 4 a 6 anos 81,60% 7 a 14

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios?

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? O que prevê a legislação e qual tem sido a participação estadual, municipal e privada na oferta de educação básica no RJ? Nicholas Davies, prof.

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012. Dezembro de 2012

CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012. Dezembro de 2012 CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012 Dezembro de 2012 Censo Escolar da Educação Básica Realizado em regime de colaboração das secretarias estaduais (27) e municipais (5.565) de educação, com a participação de

Leia mais

Plano Nacional de Educação. Senador José Pimentel (PT-CE) Relator

Plano Nacional de Educação. Senador José Pimentel (PT-CE) Relator Plano Nacional de Educação Senador José Pimentel (PT-CE) Relator Fortaleza, 30 de novembro de 2012 Meta 1 PNE: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 a 5 anos

Leia mais

Realização. Estados Vizinhos Convidados

Realização. Estados Vizinhos Convidados Relatório-síntese do III Seminário de Articulação Nacional e Construção de Diretrizes para a Educação no Sistema Penitenciário Regional Sul Centro Administrativo Porto Alegre - RS 6 e 7 de março de 2006

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professores - Alfabetização - Resolução de problemas (PNAIC)

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professores - Alfabetização - Resolução de problemas (PNAIC) PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - PNAIC: NOVOS OLHARES SOBRE O CICLO ALFABETIZADOR NO MUNICÍPIO DE ARMAZÉM, REGIÃO ADMINISTRATIVA DA AMUREL, SC. Rita de Cassia Cardoso Mendes RESUMO: A

Leia mais

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA COORDENAÇÃO ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA Ministério Público - Procuradoria Regional dos Direitos

Leia mais

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014

Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Tema 2 CONAE 2014 Diretrizes gerais para intervenção do PROIFES-Federação na CONAE 2014 Eixo I O plano Nacional de Educação e o Sistema Nacional de Educação: organização e regulação. Instituir, em cooperação

Leia mais

Carta de Princípios do Comitê das Agendas 21 Locais na Região do Conleste (ComARC)

Carta de Princípios do Comitê das Agendas 21 Locais na Região do Conleste (ComARC) Carta de Princípios do Comitê das Agendas 21 Locais na Região do Conleste (ComARC) Apresentação Em 2007, a Petrobras criou o Projeto Agenda 21 Comperj, como parte de seu Programa de Relacionamento nos

Leia mais

I Fórum Políticas Públicas do Idoso"

I Fórum Políticas Públicas do Idoso I Fórum Políticas Públicas do Idoso" O idoso no mundo Em 2050, a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 30% da população mundial será de idosos; 2 bilhões dos habitantes do planeta terão mais de

Leia mais

Roberto Requião de Mello e Silva. Orlando Pessuti. Secretário de Estado. Gilberto Berguio Martin

Roberto Requião de Mello e Silva. Orlando Pessuti. Secretário de Estado. Gilberto Berguio Martin PARTICIPASUS POLITICA NACIONAL DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NO SUS Plano de Ação de Aplicação do Incentivo Financeiro para Gestão Participativa no SUS ano II Estado do Paraná JULHO 2009 GOVERNO

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: ARTICULAÇÃO E CONTRIBUIÇÃO

ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: ARTICULAÇÃO E CONTRIBUIÇÃO ALFABETIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: ARTICULAÇÃO E CONTRIBUIÇÃO BORGES, Irlanda Aglae Correa Lima 1 - UCB LIMA, Denise Maria Soares 2 - UCB Grupo de Trabalho - Políticas Públicas, Avaliação e

Leia mais

Regimento Interno do Fórum de Economia Solidária do Distrito Federal e Entorno - FDES. CAPÍTULO I - Da Natureza

Regimento Interno do Fórum de Economia Solidária do Distrito Federal e Entorno - FDES. CAPÍTULO I - Da Natureza Regimento Interno do Fórum de Economia Solidária do Distrito Federal e Entorno - FDES CAPÍTULO I - Da Natureza Art. 1º. O Fórum de Economia Solidária do Distrito Federal e Entorno,órgão colegiado de deliberação

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

!"#$%& '!!!(!)!"#*+&,$!+!)!!% -"#'.!$ ' &/-+!'!&$!"#

!#$%& '!!!(!)!#*+&,$!+!)!!% -#'.!$ ' &/-+!'!&$!# !"#$%& '!!!(!)!"#*+&,$!+!)!!% -"#'.!$ ' &/-+!'!&$!"# 011+!' $.$ '!$2 -!' ).*'2&%'34431 3 5 6 - +78*-! -!-' ). &!! +-!&- ' 9)$)! & +$ : -! -!-' - +781 5 ).;'!*34431 1;)1!"#?&!'@5-('!''!)'!-' ' $)1.!&!

Leia mais

COMISSÃO ESTADUAL DA AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE ALFABETIZAÇÃO E DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ESPÍRITO SANTO

COMISSÃO ESTADUAL DA AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE ALFABETIZAÇÃO E DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ESPÍRITO SANTO COMISSÃO ESTADUAL DA AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE ALFABETIZAÇÃO E DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ESPÍRITO SANTO REGIMENTO INTERNO SUMÁRIO CAPITULO I Do fundamento legal CAPITULO

Leia mais

RELEMBRANDO OS FÓRUNS DE EJA RJ: PERSPECTIVAS ATUAIS

RELEMBRANDO OS FÓRUNS DE EJA RJ: PERSPECTIVAS ATUAIS RELEMBRANDO OS FÓRUNS DE EJA RJ: PERSPECTIVAS ATUAIS PRISCILA NUNES FRANÇA DE OLIVEIRA (UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO), CARLA TATIANA MUNIZ SOUTO MAIOR (UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO).

Leia mais

JUVENTUDE: ESCOLARIZAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS

JUVENTUDE: ESCOLARIZAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS JUVENTUDE: ESCOLARIZAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS Olga Celestina da Silva Durand Dóris Regina Marroni Furini UNISUL Francisco Canella UDESC Donizeti José de Lima ONG Antonio Munarin Sonia Aparecida B. Beltrame

Leia mais

POLO 19 POLO 17 POLO 18 POLO 22 POLO 24 POLO 21 POLO 25. E.M. Nilcelina S. Ferreira

POLO 19 POLO 17 POLO 18 POLO 22 POLO 24 POLO 21 POLO 25. E.M. Nilcelina S. Ferreira 17 19 18 E.M. Nilcelina S. Ferreira 20 22 21 23 24 25 5 Metas para a Gestão Democrática META 1 a. garantir a autonomia políticod i d á t i c o - p e d a g ó g i c a e administrativa às instituições educacionais

Leia mais

CARTA DE FERRAZ DE VASCONCELOS

CARTA DE FERRAZ DE VASCONCELOS CARTA DE FERRAZ DE VASCONCELOS O Fórum de Inovação Tecnológica, Inclusão Social e Redes de Cooperação realizou-se nas dependências do Complexo Poli Esportivo Gothard Kaesemodel Junior Ferraz de Vasconcelos

Leia mais

2A educação é o principal catalisador para

2A educação é o principal catalisador para objetivo 2. atingir o ensino básico universal O Estado da Amazônia: Indicadores A Amazônia e os Objetivos do Milênio 2010 o desenvolvimento humano e para a construção de uma sociedade mais justa (Unesco,

Leia mais

E AÇÕES PARA AS DIRETRIZES DO PLANO DE GOVERNO DO PT 2013 A 2016

E AÇÕES PARA AS DIRETRIZES DO PLANO DE GOVERNO DO PT 2013 A 2016 E AÇÕES PARA AS DIRETRIZES DO PLANO DE GOVERNO DO PT 2013 A 2016 1-ORÇAMENTO PARTICIPATIVO; PLANEJAMENTO DE CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO COM PARTICIPAÇÃO DIRETA DA POPULAÇÃO PARA DEFINIR AS PRIORIDADES DAS

Leia mais

FNTSUAS CARTA DE PRINCÍPIOS

FNTSUAS CARTA DE PRINCÍPIOS CARTA DE PRINCÍPIOS (versão rascunho em análise) I DA ORIGEM O Fórum Nacional de Trabalhadores/as do Sistema Único de Assistência Social foi concebido durante a VII Conferência Nacional de Assistência

Leia mais

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal.

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal. Educação Não-Formal Todos os cidadãos estão em permanente processo de reflexão e aprendizado. Este ocorre durante toda a vida, pois a aquisição de conhecimento não acontece somente nas escolas e universidades,

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

É com imensa satisfação que iniciamos nossas atividades das aulas 1 e 2 do Módulo IV do Curso, em que iremos tratar dos seguintes assuntos:

É com imensa satisfação que iniciamos nossas atividades das aulas 1 e 2 do Módulo IV do Curso, em que iremos tratar dos seguintes assuntos: EXERCÍCIO ANTECIPADO PARA O ESTUDO DIRIGIDO Módulo IV Aspectos Contemporâneos do Marco legal Profa. Maria José Lacerda Xavier Prezado (a) Aluno (a), É com imensa satisfação que iniciamos nossas atividades

Leia mais

SISTEMA DE PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ

SISTEMA DE PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ SISTEMA DE PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ 1 1. Participação regular dos cidadãos no processo de definição das políticas públicas e definição das diretrizes para o desenvolvimento. 2. Deslocamento das prioridades

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas PSICOPEDAGOGIA DISCIPLINA: Fundamentos da Psicopedagogia EMENTA: Introdução e fundamentos da Psicopedagogia. O objeto de estudo. Visão histórica e atual. Concepções que sustentam a Psicopedagogia. O papel

Leia mais

Orientações Operacionais para a Educação

Orientações Operacionais para a Educação PREFEITURA MUNICIPAL DE CABEDELO Secretaria de Educação Gabinete da Secretária Orientações Operacionais para a Educação Ano Letivo de 2014 Prefeitura Municipal de Cabedelo Secretaria de Educação Rua Pastor

Leia mais

PUBLICADO DOC 27/09/2012, PÁG 85

PUBLICADO DOC 27/09/2012, PÁG 85 PUBLICADO DOC 27/09/2012, PÁG 85 PROJETO DE LEI 01-00415/2012 do Executivo (Encaminhado à Câmara pelo Sr. Prefeito com o ofício ATL 96/12). Aprova o Plano Municipal de Educação da Cidade de São Paulo para

Leia mais

FÓRUM EJA/ES E POLÍTICAS PÚBLICAS LOCAIS

FÓRUM EJA/ES E POLÍTICAS PÚBLICAS LOCAIS FÓRUM EJA/ES E POLÍTICAS PÚBLICAS LOCAIS Joelma dos Santos Rocha - UFES jhoelmarocha@hotmail.com Resumo: O objetivo deste trabalho é explicitar o papel do Fórum de EJA/ES num contexto de formulação e acompanhamento

Leia mais

Alfabetização. Cleuza Repulho Dirigente Municipal de Educação de São Bernardo do Campo/ SP Presidenta da Undime

Alfabetização. Cleuza Repulho Dirigente Municipal de Educação de São Bernardo do Campo/ SP Presidenta da Undime Alfabetização Cleuza Repulho Dirigente Municipal de Educação de São Bernardo do Campo/ SP Presidenta da Undime Cleuza Repulho Dirigente Municipal de Educação de São Bernardo do Campo/ SP Presidenta da

Leia mais

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza

Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza Comunidade Solidária: parcerias contra a pobreza OConselho da Comunidade Solidária foi criado em 1995 com base na constatação de que a sociedade civil contemporânea se apresenta como parceira indispensável

Leia mais

3Apesar dos direitos adquiridos pelas

3Apesar dos direitos adquiridos pelas objetivo. promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres mulheres ao longo do século 20, ainda há considerável desigualdade entre os gêneros no mundo. Em geral, as mulheres sofrem com a

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013.

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME MINAS GERAIS Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE SECRETARIA DE ARTICULAÇÃO

Leia mais

ANEXO A 1º TRIMESTRE ATIVIDADE OBJETIVO RESULTADO ESPERADO PÚBLICO ALVO QTDE PARTICIPANTES PREVISTA DISSEMINAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS

ANEXO A 1º TRIMESTRE ATIVIDADE OBJETIVO RESULTADO ESPERADO PÚBLICO ALVO QTDE PARTICIPANTES PREVISTA DISSEMINAÇÃO DOS ODM NOS MUNICÍPIOS ANEXO A 1º TRIMESTRE TEMA: MUNICIPALIZAÇÃO OBJETIVO: REALIZAR AÇÕES PARA ENGAJAR O PODER PÚBLICO, O SETOR PRIVADO E A SOCIEDADE CIVIL EM PROL DOS OBJETIVOS DO MILÊNIO. ATIVIDADE OBJETIVO RESULTADO ESPERADO

Leia mais

PLANO DE ENSINO. CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização

PLANO DE ENSINO. CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização PLANO DE ENSINO CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização CARGA HORÁRIA: 90h PROFESSOR: Lourival José Martins Filho 1 EMENTA

Leia mais

Coord. Estde Educação do Campo Valdivino Souza Coordenação Estadual de EJA Cremilda Martins B.Macedo

Coord. Estde Educação do Campo Valdivino Souza Coordenação Estadual de EJA Cremilda Martins B.Macedo Relatos da participação de representantes do Estado de Goiás na Reunião de Trabalho Agenda Territorial de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos - Semana de EJA Natal

Leia mais

POR UMA POLÍTICA PÚBLICA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM ECONOMIA SOLIDÁRIA PPNFES

POR UMA POLÍTICA PÚBLICA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM ECONOMIA SOLIDÁRIA PPNFES SECRETARIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA MTE/SENAES FÓRUM BRASILEIRO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO/EDUCAÇÃO EM ECONOMIA SOLIDÁRIA POR UMA POLÍTICA PÚBLICA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM

Leia mais

CADERNOS DA EJA: DESAFIOS DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NO VALE DO JARI José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br

CADERNOS DA EJA: DESAFIOS DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NO VALE DO JARI José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br CADERNOS DA EJA: DESAFIOS DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NO VALE DO JARI José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br 1. Introdução O trabalho traz uma reflexão sobre as atividades que se encontram

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

PROTAGONISMO E ORGANIZAÇÃO JUVENIL OBJETIVOS E METAS

PROTAGONISMO E ORGANIZAÇÃO JUVENIL OBJETIVOS E METAS PROTAGONISMO E ORGANIZAÇÃO JUVENIL OBJETIVOS E METAS 1. Abrir espaços aos jovens para que os mesmos possam participar da formação de políticas que concernem à juventude, estimulando-se o chamado protagonismo

Leia mais

Formulário de inscrição para Unidades Escolares:

Formulário de inscrição para Unidades Escolares: Presidência da República Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Políticas de Ações Afirmativas 1. Contextualização: Formulário de inscrição para Unidades Escolares: a) Descreva

Leia mais

Índice. Grupo 5.3 - Módulo 2

Índice. Grupo 5.3 - Módulo 2 GRUPO 5.3 MÓDULO 2 Índice 1. Sistemas de Ensino...3 2. Sistema Federal de Ensino...4 3. Sistema Estadual de Ensino...5 4. Diretoria Regional de Ensino no Sistema Estadual de Ensino...5 2 1. SISTEMAS DE

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo é a alfabetização em Língua Portuguesa e Matemática, até o

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 867, DE 4 DE JULHO DE 2012 Institui o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e as ações do Pacto e define suas diretrizes gerais. O MINISTRO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA 5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES

REGIMENTO INTERNO DA 5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES REGIMENTO INTERNO DA 5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1º São objetivos da 5ª Conferência Estadual das Cidades: I - propor a interlocução entre autoridades

Leia mais

Educação de qualidade: base para o desenvolvimento do Brasil

Educação de qualidade: base para o desenvolvimento do Brasil Educação de qualidade: base para o desenvolvimento do Brasil Grupo de Líderes Empresariais (LIDE) Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 19 de março de 2012 Educação Infantil Meta

Leia mais

Avanços da Educação no Brasil. Brasília, 29 de janeiro

Avanços da Educação no Brasil. Brasília, 29 de janeiro Avanços da Educação no Brasil Brasília, 29 de janeiro Objetivos Objetivo 1 - Cuidados na primeira infância e educação; Objetivo 2 - Educação primária universal (EPU); Objetivo 3 - Habilidades para jovens

Leia mais

Marcos Legais / Normatização da/para EJA

Marcos Legais / Normatização da/para EJA Marcos Legais / Normatização da/para EJA Constituição Federal de 1988 Lei 5692/71: Ensino Supletivo cursos e exames LDBEN nº 9394/96: Educação de Jovens e Adultos cursos e exames Substitutivo Jorge Hage/1990:

Leia mais

Fornecimento de Óculos para Alunos Portadores de Deficiência Visual

Fornecimento de Óculos para Alunos Portadores de Deficiência Visual Programa 1060 Brasil Alfabetizado Objetivo Criar oportunidade de alfabetização a todos os jovens e adultos Justificativa De acordo com o Censo de 2000 do IBGE, 13,6% da população de 15 anos e mais é analfabeta.

Leia mais

METODOLOGIA & PERFIL

METODOLOGIA & PERFIL Maio2010 JOB 100283 METODOLOGIA & PERFIL Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar um conjunto de informações

Leia mais

Plano Municipal de Educação

Plano Municipal de Educação Plano Municipal de Educação Denise Carreira I Encontro Educação para uma Outra São Paulo 30 de novembro de 2007 O Plano Municipal de Educação e as reivindicações dos movimentos e organizações da cidade

Leia mais

Esta síntese apresenta a linha de base dos indicadores referentes às metas do PNE. O documento consiste em análises descritivas das séries históricas

Esta síntese apresenta a linha de base dos indicadores referentes às metas do PNE. O documento consiste em análises descritivas das séries históricas Esta síntese apresenta a linha de base dos indicadores referentes às metas do PNE. O documento consiste em análises descritivas das séries históricas dos indicadores selecionados pelo Ministério da Educação

Leia mais

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional 08/09/2010-10h00 Pesquisa visitou mais de 150 mil domicílios em 2009 Do UOL Notícias A edição 2009 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

Perfil Educacional SEADE 72

Perfil Educacional SEADE 72 Perfil Educacional A análise da situação educacional do Estado de Santa Catarina fundamentase nos indicadores de instrução da população (taxa de analfabetismo para 1991), de escolarização (taxa líquida

Leia mais

AGENDA MINEIRA DO TRABALHO DECENTE

AGENDA MINEIRA DO TRABALHO DECENTE AGENDA MINEIRA DO TRABALHO DECENTE É considerado trabalho decente aquele adequadamente remunerado, exercido em condições de liberdade, equidade e segurança, capaz de garantir uma vida digna. Cenário do

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação Infantil Taxas de atendimento Creches 36,3 23,6 9,4 12,2 Brasil Carinhoso: 2,8 milhões de

Leia mais

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina

Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa 2012: análise dos principais resultados de Santa Catarina A 5ª edição do Anuário do Trabalho na Micro e Pequena Empresa é um dos produtos elaborados por meio

Leia mais

15 SENTIDOS BUFFET DE GALA 30.12.2013. FOUR VIEWS BAÍA 20h 02h VER MENU

15 SENTIDOS BUFFET DE GALA 30.12.2013. FOUR VIEWS BAÍA 20h 02h VER MENU 15 BFF G 30.12.2013 F VW BÍ 20h 02h V ua das aravilhas, 74 lha da adeira, ortugal el: (+351) 291 700 200 15 BFF G 30.12.2013 F VW BÍ 20h 02h Í 1 2 ÁV HF Õ BÇ 3 ÇÃ G 5 7 F 4 6 B À H 9 Z 8 VV FH V V B FÂ

Leia mais

7 * ": ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P " 7 "! M * : : # M

7 * : ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P  7 ! M * : : # M 7 ": ) : : I 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O P " 7 "! M : : # M # Q 7 97 8 ! # # I ) H3"K # : R : : 9 M ) # 9# Q ; : 9 : IM Q ; 9M O H8 7B3B K : 9 ) 4 4; 9 < : ) 9 # : M :!# ; : N : " 3 S T! S U # I T S # H3"K

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES Programa Brasil Acessível Arq. Augusto Valiengo Valeri FÓRUM NACIONAL DE TRAVESSIA ACESSÍVEL CET / CPA - SP 06 de novembro de 2007 São Paulo - SP Estrutura

Leia mais

Módulo: Indicadores Sintéticos: IPRS e IPVS Parte 2 Palestrante: Maria Paula Ferreira

Módulo: Indicadores Sintéticos: IPRS e IPVS Parte 2 Palestrante: Maria Paula Ferreira Módulo: Indicadores Sintéticos: IPRS e IPVS Parte 2 Palestrante: Maria Paula Ferreira Roteiro da Apresentação Nova Forma de Atuação do Setor Público O papel das Estatísticas e Indicadores Indicadores O

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR Dispõe sobre a Política de uso de Softwares Livres no âmbito da UDESC O REITOR da FUNDAÇÃO

Leia mais