($*;$%%," < - PDF">

! "# $%% & ' -. & / " 0 1 ' $%%)$%%2- " $%%$ $%%+ 0 1 " 3 4 5" " 8 9 (8, 98 "81 94(8 '9, - 7 " " -8 /=9> ($*;$%%," <

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "! "# $%% & ' -. & / " 0 1 ' $%%)$%%2- " $%%$ $%%+ 0 1 " 3 4 5" 6 4 78.1 " 8 9 (8, 98 "81 94(8 '9, - 7 " 8 9 14 9" -8 /=9> ($*;$%%," < - 4 9 8 1"
($*;$%%," < - 4 9 8 1.pdf" class="btn bg-purple-seance" href="#" target="_blank" style="margin-top: 10px; display: none;"> Download Document

Transcrição

1 !! # $%% & ' '()*+, -. & / 0 1 ' $%%)$%%2- $%%$ $%% (8, (8 '9, ' - : -8 $%%)$%% ;2;< -8 /=9> ($*;$%%, < $*; ; = 8 & AB A'1 0 7 C -< ' ' ' *2; <

2 <' 4 ' = D01 -D1 D 0 D - ' E $%% # & '()* 6L#?. 8 C OH'!? 2+ = B8 EJ(Q<, 6 P0 C 4 / E 1 E A- F ' A (A 6 #, -G 4 6 ( # B1,- 8 F D ' - 1 D ( - =, # FH6!67 (D 1, # 1 H & -<' 1 '1 =.?I 8 C?I J 1 K F- 1 - A L -1? M # B1 ' 6 6)+'0NO 'A P L4 ' / / 1 O

3 =/8 9 = 1 4 KE B(B, - '&J 60< 8 K(<, 9 & =? 8 # KJ B F 4 / - K- Q / 6 P0 (6P, 0 A H P0 Q A- 0 + # 4 & H!? 0 4 A - '8 0- (1A 1'4 E6 6J/# 'Q6/ A ' Q, 6? & =?1 7 6 H / C '<' 0. EH(61/P,? 1 (#- 69/K?, 1 P9(B F/Q, 6 K? (Q8/KA, 3 H A 6D (Q/P<,E6P(60 /,Q= (P/, # - C? = K? = 6? D& H ' 60 D 6 ' & H 6 / -D ' 44-4=9 K (, = &9' = =9 )R B89181: H' E &H'

4 ,( ('$%% :: Proposições dos alunos Pela primeira vez, o relatório-síntese incorpora textualmente as proposições dos educandos participantes do Eneja. Além de reivindicarem melhorias no ensino (com ações como, por exemplo, oferta de classes em todos os turnos, transporte, merenda, livros didáticos e salas de informática também para os alunos jovens e adultos), os delegados deste segmento também defenderam a necessidade de oferecer ensino médio na modalidade de educação de jovens e adultos, a garantia de que pelo menos um delegado de cada Fórum seja aluno e a maior divulgação e participação dos alunos nas atividades dos Fóruns estaduais e regionais. -'(.# & 1 = =9)$ - D 6-7 C 60 # D - < =44)R A = 6? #8 9 1-KB!KD B? D E/ / ($%%% < H ' 1 K (, & 1 1 '8 / & C 19 8 < - =9 ' 97 = E8&=/8 (!0 8 9 & 1 - / ' 1 67 A 6#8 4 & - ) B8

5 67 6 P0 (6P,- 0 L 8 4 OD < ' 4- '- ' 16 6 A (A 6 #, 1 - K1 $%%+0= 6 67 < &. '($% ' (2 $%%* 2 (4 8 4,I '-97/ KS$2R0& < P0 K A P(AP,- C 676P AP - ' - & 9 8 <'-. / J E8 B A D 1 2?? 1/9 6 74L' C J O 6 6 A <= : C A #8 F ' - 0 D < 6-4 ' 4 QC H 8 9 < K4 A =9 ) 0 = ' C 8 & 8 0 ' - A ' L18 1 1/O# )2 0& = )RR$ B 620&=L 0- )0 = - KS $+ 0& J O

6 4-8 6'4$%%* A 6. ' 8 '1 < & 6 < / - 8 E4)%- 89 ( 3!( <-L? O-C- C & (? K QJ = H= B F K? A, -'1 <04 6-(60 # 68 P =, ( D - A,# & 1 8 8A(3A,A4F(36/A, / & K197 ' C = (A6, A: B (3 A6, E: A K HJ (3 Q, ' 4 BFK?< 1(3,-? (?, A < '? 4 < E (3B, K Q A?- # H(3 KQA, - 6 P0 A 7 B6 ( A 4, 1! # 1-0(3 Q, - 8? 8QJ ' - A4 F(36/A, 6 < 8(3A, Q0-A4F ' A 63P - 8 $%%* C ''1 ' -4&9 8 ' (,- 4 0 & C ' 8 ' 8 = 4#3 ' / (& 4 (

7 ( -, 1 0$K)*)R 69(Q,<QP)!? T3 B K (3K?, < 0 & 0? K(6 P = U8!K?,- 0</ QP6 (3 Q,1 1 ' :: 4# (#54 6 <(VW0, ' D 3 8A#< '.L0O=97 K<KAPTA< 9/ - C AP--1 - &- 4 :-9- '&= AP- ' = <0 '44 Q K E(V, D3 APJ /B - 0? / ' 1 = 7 ' < =K?)R- H' & 0 < = / 7 =)) 3K? 6.($), 'V'XXX/'T' < =< 14 )20 = 67 P 36.(), $$)/222$+/)++V VW0

8 $ 4 = 9 A B0 1 A1 5 3B P9 <- =- H ' & 6. V ( 6, < =C2%D)+0= 3 Q < 1 0 =? 4-1 C H?6.'V/ (2),2$*2/$+*)+0D)0 P4 C ' = C/ $$ < 41 = = - & 7 < = $R ) H? Y? Y<' & '? A1 < XV ) *( & ( (( Em Santa Catarina, a pesquisa Juventude, escolarização e poder local investigou as políticas de educação de jovens e adultos em quatro município (Biguaçu, Palhoça, São José e Florianópolis) e a política municipal de Florianópolis foi escolhida na atual etapa de estudo de casos porque, na visão dos pesquisadores, apresenta uma proposta inovadora e é bem aceita por parte de alunos e pesquisadores. O Projeto de Educação de Jovens e Adultos, desenvolvido na rede municipal entre 1997 a 2004 durante as duas gestões da prefeita Ângela Amin (PPB), caracterizou-se pela intencionalidade em dialogar com a sociedade. No conjunto das práticas desenvolvidas pelo governo municipal essa experiência parece deslocada, uma vez que é um governo com características conservadoras em que a participação política dos munícipes, em muitas ocasiões, gerou conflitos de grandes proporções, diz Sônia Beltrane, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Santa Catarina e coordenadora local da pesquisa. O maior diferencial foi a adoção de uma metodologia referendada no estudo de temas levantados pelos alunos, que se viam estimulados a perceber questões relacionadas às suas experiências pessoais e coletivas. O projeto atende o primeiro e o segundo segmento do ensino fundamental e trabalha numa perspectiva metodológica que não supõe a seriação. Na percepção dos alunos, o processo de ensinoaprendizagem baseado em pesquisas realizadas fora da escola parece representar a possibilidade de lidar com o conhecimento de uma maneira mais agradável. Fora da sala de aula, a participação dos alunos também era incentivada, por exemplo, na avaliação dos resultados do projeto com a realização de plenárias deliberativas em conjunto com os professores. Ainda que o processo resulte em um protagonismo mais forte dos alunos e elevação da auto-estima, a

9 pesquisadora ressalta que a apreensão do conhecimento pode ficar restrita ao que o aluno gosta e comprometer o acesso a um saber mais crítico e universal. Em Florianópolis, os índices de analfabetismo da população de 15 anos ou mais, segundo o Censo 2000 do IBGE, situavam-se em torno de 3,2% para homens e 3,7% para mulheres, colocando o município bem abaixo da média nacional. A porcentagem de analfabetos funcionais (com menos de quatro anos de estudo/séries concluídas) dessa mesma faixa etária, também estava abaixo da média nacional, em torno de 10,46%. É preciso destacar que a maioria (52%) dos alunos atendidos pelo projeto em 2004 tinha idade entre 15 e 24 anos. Mas esse dado não parece ter recebido muita atenção por parte dos gestores pois, segundo a pesquisadora, as práticas propostas pelo programa não mencionam atividades destinadas exclusivamente ao público jovem. Por outro lado, constatou-se que o Departamento de Educação Continuada conseguia atender certas demandas dos alunos ao fazer de maneira eficiente a articulação do projeto com os demais programas da Secretaria de Educação e também com outros órgãos da Prefeitura como, por exemplo, a Secretaria de Saúde para a obtenção de óculos para os estudantes que apresentam problemas de visão. 6.A:B.(+,22)/R$+.V # <' P0(P, BF(Q, )% 97 1 Y<?. ' Y- ' 197?9 8< A A< 3 61(36, & 67 EF- 54 <'?12% ' D?D '4 - ' ' 4 $% = ( Q?**% HB-A,)+04 ' & &.()), 2))/$222 )+* )*$ D -9)%0D)0/ ' V <C?3 Q9/ # 1 (, = )R0&.(2),2+RR2)R'V

10 ! )$% +P? A 3 B8 3 < 4 L8. O & 4 2% KS)KS2% < 4 B8 & <HT6 B < <H-P C 6 9 C - / $% C &. 0.TT V Coletâneas de artigos e material didático para alfabetização 3 4 P 6. & D ' C Z6KB/KDB<$ & C &= 97 1 '= 8 C '80 ' 1 1?1 E 6E/ 60 4 E 4 E.1-8 '=8 & C-- 4 E#H' &8 = 0D C - 1 H ( / Q, 0 ' D P D ' H / ' < ' 4 & =9- & 9 1 & 4 1 B /C 1 - C. V

11 7-%8 Q 1 /6EH=1 6<A4F HK 1 JQ 4 #.1A4P0?466.# 449 9% # V

Desafios da EJA: flexibilidade, diversidade e profissionalização PNLD 2014

Desafios da EJA: flexibilidade, diversidade e profissionalização PNLD 2014 Desafios da EJA: flexibilidade, diversidade e profissionalização Levantamento das questões de interesse Perfil dos alunos, suas necessidades e expectativas; Condições de trabalho e expectativas dos professores;

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria Políticas de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos maio 2015 PANORAMA DA EDUCAÇÃO DE JOVENS

Leia mais

SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO SANTA CATARINA CHAPECÓ, 28 A 30 DE AGOSTO DE 2013 CARTA ABERTA À SOCIEDADE CATARINENSE E BRASILEIRA

SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO SANTA CATARINA CHAPECÓ, 28 A 30 DE AGOSTO DE 2013 CARTA ABERTA À SOCIEDADE CATARINENSE E BRASILEIRA SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO SANTA CATARINA CHAPECÓ, 28 A 30 DE AGOSTO DE 2013 CARTA ABERTA À SOCIEDADE CATARINENSE E BRASILEIRA 1. Nós, 350 educadores e educadoras das escolas públicas do campo,

Leia mais

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA

PROJETO ESCOLA E CIDADANIA PROJETO DE AQUISIÇÃO DE KIT ESCOLAR PROJETO ESCOLA E CIDADANIA 1. HISTÓRICO A preocupação com a causa da criança e do adolescente em situação de risco, faz nascer instituições proféticas espalhadas pelo

Leia mais

O QUE JÁ FOI FEITO EM EJA NO PAÍS

O QUE JÁ FOI FEITO EM EJA NO PAÍS O QUE JÁ FOI FEITO EM EJA NO PAÍS Experiência de 1928 no Distrito Federal Cursos Populares Noturnos ; Década de 1930 Votar é Fundamental; Década de 1940 e 1950 O Caminho para o trabalho na fábrica: Congresso

Leia mais

Formulário de inscrição para Unidades Escolares:

Formulário de inscrição para Unidades Escolares: Presidência da República Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Políticas de Ações Afirmativas 1. Contextualização: Formulário de inscrição para Unidades Escolares: a) Descreva

Leia mais

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal.

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal. Educação Não-Formal Todos os cidadãos estão em permanente processo de reflexão e aprendizado. Este ocorre durante toda a vida, pois a aquisição de conhecimento não acontece somente nas escolas e universidades,

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais

Plano Municipal de Educação

Plano Municipal de Educação Plano Municipal de Educação Denise Carreira I Encontro Educação para uma Outra São Paulo 30 de novembro de 2007 O Plano Municipal de Educação e as reivindicações dos movimentos e organizações da cidade

Leia mais

COMISSÃO ESTADUAL DA AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE ALFABETIZAÇÃO E DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ESPÍRITO SANTO

COMISSÃO ESTADUAL DA AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE ALFABETIZAÇÃO E DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ESPÍRITO SANTO COMISSÃO ESTADUAL DA AGENDA TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE ALFABETIZAÇÃO E DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ESPÍRITO SANTO REGIMENTO INTERNO SUMÁRIO CAPITULO I Do fundamento legal CAPITULO

Leia mais

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB Introdução Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal

Leia mais

PLANO DE ENSINO. CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização

PLANO DE ENSINO. CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização PLANO DE ENSINO CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização CARGA HORÁRIA: 90h PROFESSOR: Lourival José Martins Filho 1 EMENTA

Leia mais

Realização. Estados Vizinhos Convidados

Realização. Estados Vizinhos Convidados Relatório-síntese do III Seminário de Articulação Nacional e Construção de Diretrizes para a Educação no Sistema Penitenciário Regional Sul Centro Administrativo Porto Alegre - RS 6 e 7 de março de 2006

Leia mais

II SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Faculdade de Educação da USP, 11 e 12 de agosto de 2000

II SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Faculdade de Educação da USP, 11 e 12 de agosto de 2000 II SEMINÁRIO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Faculdade de Educação da USP, 11 e 12 de agosto de 2000 O mundo de constantes transformações em que vivemos tornou obsoleta a idéia de que a educação

Leia mais

POR UMA POLÍTICA PÚBLICA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM ECONOMIA SOLIDÁRIA PPNFES

POR UMA POLÍTICA PÚBLICA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM ECONOMIA SOLIDÁRIA PPNFES SECRETARIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA MTE/SENAES FÓRUM BRASILEIRO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO/EDUCAÇÃO EM ECONOMIA SOLIDÁRIA POR UMA POLÍTICA PÚBLICA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

REALIDADES, POSSIBILIDADES E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

REALIDADES, POSSIBILIDADES E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS REALIDADES, POSSIBILIDADES E PERSPECTIVAS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS MEC/SECADI/DPAEJA Insira O Brasil tem uma população de 42,3 milhões de pessoas com 15 anos ou mais de idade que não frequentam

Leia mais

Agenda Territorial de São Paulo. Linhas de ação propostas durante o Seminário da Agenda Territorial de EJA São Paulo

Agenda Territorial de São Paulo. Linhas de ação propostas durante o Seminário da Agenda Territorial de EJA São Paulo Agenda Territorial de São Paulo Linhas de ação propostas durante o Seminário da Agenda Territorial de EJA São Paulo Mobilização da demanda Criação de uma chamada pública mais efetiva. Visitar casas, realizar

Leia mais

Educação Integral no Brasil: Avaliação da Implementação do Programa Federal Mais Educação em uma Unidade de Ensino

Educação Integral no Brasil: Avaliação da Implementação do Programa Federal Mais Educação em uma Unidade de Ensino Educação Integral no Brasil: Avaliação da Implementação do Programa Federal Mais Educação em uma Unidade de Ensino ÁREA TEÓRICA: Psicologia EIXO TEMÁTICO: Lo institucional - análisis/intervención FORMA

Leia mais

Educação de Jovens e Adultos: Fórum Goiano de EJA e GEAJA. Palavras-chave: Educação; Analfabetismo; Educação de Jovens e Adultos; Fórum Goiano de EJA

Educação de Jovens e Adultos: Fórum Goiano de EJA e GEAJA. Palavras-chave: Educação; Analfabetismo; Educação de Jovens e Adultos; Fórum Goiano de EJA Educação de Jovens e Adultos: Fórum Goiano de EJA e GEAJA OLIVEIRA, L. F. S. i RODRIGUES, M. E. C. ii Palavras-chave: Educação; Analfabetismo; Educação de Jovens e Adultos; Fórum Goiano de EJA Apresentação

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional 08/09/2010-10h00 Pesquisa visitou mais de 150 mil domicílios em 2009 Do UOL Notícias A edição 2009 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA COORDENAÇÃO ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA Ministério Público - Procuradoria Regional dos Direitos

Leia mais

EJA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

EJA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE COLINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E.M.E.F. CEL. JOSÉ VENÂNCIO DIAS EJA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Ninguém educa ninguém. Ninguém se educa sozinho. Os homens se educam em

Leia mais

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS 1. Natureza e Finalidade O Fórum Regional de Educação Infantil do Alto Vale do Itajaí - FREIAVI é um espaço

Leia mais

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos

Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO As Agendas Estaduais de Desenvolvimento Integrado de Alfabetização e Educação

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012. Dezembro de 2012

CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012. Dezembro de 2012 CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012 Dezembro de 2012 Censo Escolar da Educação Básica Realizado em regime de colaboração das secretarias estaduais (27) e municipais (5.565) de educação, com a participação de

Leia mais

Metas e estratégias equalizadoras ao PNE II Educação de Jovens e Adultos EJA Analise da Silva Coordenação Nacional dos Fóruns de EJA do Brasil

Metas e estratégias equalizadoras ao PNE II Educação de Jovens e Adultos EJA Analise da Silva Coordenação Nacional dos Fóruns de EJA do Brasil Metas e estratégias equalizadoras ao PNE II Educação de Jovens e Adultos EJA Analise da Silva Coordenação Nacional dos Fóruns de EJA do Brasil Analise Da Silva analiseforummineiro@gmail.com www.forumeja.org.br

Leia mais

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas PSICOPEDAGOGIA DISCIPLINA: Fundamentos da Psicopedagogia EMENTA: Introdução e fundamentos da Psicopedagogia. O objeto de estudo. Visão histórica e atual. Concepções que sustentam a Psicopedagogia. O papel

Leia mais

Profª Ms. Ana Paula de Aguiar 1 Profª Esp. Ana Cristina Pereira Diniz 2 Diálogos Abertos sobre a Educação Básica. Relato de experiência.

Profª Ms. Ana Paula de Aguiar 1 Profª Esp. Ana Cristina Pereira Diniz 2 Diálogos Abertos sobre a Educação Básica. Relato de experiência. PROEJA FIC/PRONATEC: RELATO DO DIAGNÓSTICO DO PERFIL SÓCIO- CULTURAL DO EDUCANDO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DE DUAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL DE GOIÂNIA Profª Ms. Ana Paula de Aguiar 1 Profª Esp.

Leia mais

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música

FUNK CONSCIENTIZA. VAI 1 - música PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, fevereiro de 2010 FUNK CONSCIENTIZA VAI 1 - música Proponente Nome RG: CPF: Endereço Fone: E-mail: DADOS

Leia mais

Índice. Grupo 5.3 - Módulo 2

Índice. Grupo 5.3 - Módulo 2 GRUPO 5.3 MÓDULO 2 Índice 1. Sistemas de Ensino...3 2. Sistema Federal de Ensino...4 3. Sistema Estadual de Ensino...5 4. Diretoria Regional de Ensino no Sistema Estadual de Ensino...5 2 1. SISTEMAS DE

Leia mais

Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis

Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis IV Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI Coordenação Geral

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

MOVIMENTO ESTUDANTIL E ATENÇÃO BÁSICA PROMOVENDO MUDANÇAS EM SAÚDE: AVANÇOS NO CONTROLE SOCIAL DO SUS

MOVIMENTO ESTUDANTIL E ATENÇÃO BÁSICA PROMOVENDO MUDANÇAS EM SAÚDE: AVANÇOS NO CONTROLE SOCIAL DO SUS MOVIMENTO ESTUDANTIL E ATENÇÃO BÁSICA PROMOVENDO MUDANÇAS EM SAÚDE: AVANÇOS NO CONTROLE SOCIAL DO SUS INTRODUÇÃO Marcelo Machado Sassi 1 Indiara Sartori Dalmolin 2 Priscila de Oliveira Rodrigues 3 Fabiane

Leia mais

Perfil Educacional SEADE 72

Perfil Educacional SEADE 72 Perfil Educacional A análise da situação educacional do Estado de Santa Catarina fundamentase nos indicadores de instrução da população (taxa de analfabetismo para 1991), de escolarização (taxa líquida

Leia mais

Experiências de Orçamento Participativo (OP) no Brasil: democratização da gestão pública e controle social. Por Ana Claudia Teixeira Instituto Pólis

Experiências de Orçamento Participativo (OP) no Brasil: democratização da gestão pública e controle social. Por Ana Claudia Teixeira Instituto Pólis Experiências de Orçamento Participativo (OP) no Brasil: democratização da gestão pública e controle social Por Ana Claudia Teixeira Instituto Pólis O que é? Um mecanismo (ou processo) pelo qual a população

Leia mais

1. Dados básicos sobre a educação básica escolar de jovens e adultos

1. Dados básicos sobre a educação básica escolar de jovens e adultos Conferência Nacional de Educação Básica Eixo II: Democratização da Gestão e Qualidade Social da Educação Colóquio: Educação de Jovens e Adultos Brasília DF: 16/04/2008 Maria Clara Di Pierro (FEUSP) 1.

Leia mais

JUVENTUDE: ESCOLARIZAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS

JUVENTUDE: ESCOLARIZAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS JUVENTUDE: ESCOLARIZAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS Olga Celestina da Silva Durand Dóris Regina Marroni Furini UNISUL Francisco Canella UDESC Donizeti José de Lima ONG Antonio Munarin Sonia Aparecida B. Beltrame

Leia mais

Agenda dos Adolescentes Brasileiros 1

Agenda dos Adolescentes Brasileiros 1 DECLARAÇÃO NACIONAL DO PARLAMENTO JUVENIL DO MERCOSUL Brasília, Brasil 14-16 setembro de 2010 Grupos 1 e 2 Tema: Inclusão Educativa Agenda dos Adolescentes Brasileiros 1 Exclusão de estudantes com deficiência

Leia mais

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL 1) INTRODUÇÃO SUGESTÕES Ao longo dos seus vinte e oito anos e com a experiência de centenas de administrações que

Leia mais

A OFERTA DE EJA EM SANTA CATARINA: UM OLHAR PARA A CONSTRUÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS

A OFERTA DE EJA EM SANTA CATARINA: UM OLHAR PARA A CONSTRUÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO/ MET. DE ENSINO AGENDA TERRITORIAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A OFERTA DE EJA EM SANTA CATARINA: UM OLHAR PARA A CONSTRUÇÃO DE

Leia mais

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR 1 Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR A Definição e organização do sistema: 1 O Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial

Leia mais

Comissão de Ensino Médio, Modalidades e Normas Gerais Indicação nº. 006/2012 Processo nº. 001.047780.11.8

Comissão de Ensino Médio, Modalidades e Normas Gerais Indicação nº. 006/2012 Processo nº. 001.047780.11.8 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Comissão de Ensino Médio, Modalidades e Normas Gerais Indicação nº. 006/2012 Processo nº. 001.047780.11.8

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN

PL 8035/2010 UMA POLÍTICA DE ESTADO. Plano Nacional de Educação 2011/2020. Maria de Fátima Bezerra. Deputada Federal PT/RN PL 8035/2010 Plano Nacional de Educação 2011/2020 UMA POLÍTICA DE ESTADO Maria de Fátima Bezerra Deputada Federal PT/RN Presidente da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal O PNE foi construído

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS-SC

REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS-SC JUVENTUDE, ESCOLARIZAÇÃO E PODER LOCAL SEGUNDO RELATÓRIO CIENTÍFICO REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS-SC PERÍODO: Fevereiro de 2004 a Fevereiro de 2005 Coordenadoras da Pesquisa: Olga Celestina da

Leia mais

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Andrelisa Goulart de Mello Universidade Federal de Santa Maria andrelaizes@gmail.com Ticiane

Leia mais

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Rachel de Souza Melo 1 - rachelmelo2@hotmail.com; Romário Roberto Xavier de Araújo 2 - romarioaraujo124@gmai.com; Catarina de Medeiros

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA E SUAS IMPLICAÇÕES NO AMBIENTE EDUCACIONAL

GESTÃO DEMOCRÁTICA E SUAS IMPLICAÇÕES NO AMBIENTE EDUCACIONAL GESTÃO DEMOCRÁTICA E SUAS IMPLICAÇÕES NO AMBIENTE EDUCACIONAL Camila Petrucci dos Santos Rosa. Eliana Marques Zanata. Antônio Francisco Marques. UNESP/Bauru. CAPES/PIBID. camilinha_rosa@hotmail.com. eliana@fc.unesp.br.

Leia mais

VI ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO

VI ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO REFLEXÕES SOBRE O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE ACERCA DA EDUCAÇÃO Cristiane Silva Melo - UEM 1 Rosileide S. M. Florindo - UEM 2 Rosilene de Lima - UEM 3 RESUMO: Esta comunicação apresenta discussões acerca

Leia mais

Compreensão de escalas representadas em gráficos por alunos adultos pouco escolarizados

Compreensão de escalas representadas em gráficos por alunos adultos pouco escolarizados Compreensão de escalas representadas em gráficos por alunos adultos pouco escolarizados Bezerra, Lucicleide 1; Guimarães, Gilda 2 UFPE Resumo Este estudo investigou a compreensão de alunos da Educação

Leia mais

ISSN 1982-8632 Revista @mbienteeducação Universidade Cidade de São Paulo Vol. 7 nº 3 set/dez, 2014 Editorial. Editorial

ISSN 1982-8632 Revista @mbienteeducação Universidade Cidade de São Paulo Vol. 7 nº 3 set/dez, 2014 Editorial. Editorial Revista @mbienteeducação Universidade Cidade de São Paulo Vol. 7 nº 3 set/dez, 2014 Editorial Editorial Gestão de sistemas e de instituições de ensino, políticas e práticas profissionais Neste número,

Leia mais

Plano de Mobilização o Social pela pela Educação Garantir a todos e a cada um dos brasileiros o direito de aprender linda.goulart@mec.gov.

Plano de Mobilização o Social pela pela Educação Garantir a todos e a cada um dos brasileiros o direito de aprender linda.goulart@mec.gov. Plano de Mobilizaçã Social pela Educaçã Foto: João Bittar Garantir a todos e a cada um dos brasileiros o direito de aprender linda.goulart goulart@mec.gov.br Desafios da Educa Brasileira Altas taxas de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL AO ENSINO MÉDIO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PROEJA Síntese dos

Leia mais

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 Ação Educativa Organização não governamental fundada por um

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001, 10 de março de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR Dispõe sobre a Política de uso de Softwares Livres no âmbito da UDESC O REITOR da FUNDAÇÃO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REDAÇÃO DO PROJETO DE LEI Aprova o Plano Municipal de Educação - PME e dá outras providências. O Prefeito do Município de vereadores decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Faço

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

Nome do GT 06: Políticas Educacionais para Educação Inclusiva. Resumo:

Nome do GT 06: Políticas Educacionais para Educação Inclusiva. Resumo: POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA, EM SISTEMAS PÚBLICOS MUNICIPAIS: EXPERIÊNCIA DE TOLEDO, NO OESTE DO PARANÁ. Nome do GT 06: Políticas Educacionais

Leia mais

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios?

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? O que prevê a legislação e qual tem sido a participação estadual, municipal e privada na oferta de educação básica no RJ? Nicholas Davies, prof.

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Censo Demográfico 2010 Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Rio de Janeiro, 29 de junho de 2012 A presente publicação dá continuidade à divulgação dos resultados do Censo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professores - Alfabetização - Resolução de problemas (PNAIC)

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professores - Alfabetização - Resolução de problemas (PNAIC) PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - PNAIC: NOVOS OLHARES SOBRE O CICLO ALFABETIZADOR NO MUNICÍPIO DE ARMAZÉM, REGIÃO ADMINISTRATIVA DA AMUREL, SC. Rita de Cassia Cardoso Mendes RESUMO: A

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR DECRETO Nº 4.059, DE 1º DE OUTUBRO DE 2008 CRIA OS NÚCLEOS DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO ÂMBITO DA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes Financiamento e apoio técnico Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o Conselho Nacional dos Direitos

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo é a alfabetização em Língua Portuguesa e Matemática, até o

Leia mais

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3;

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3; COMO ESTUDAR SE NÃO TENHO COM QUEM DEIXAR MEUS FILHOS? UM ESTUDO SOBRE AS SALAS DE ACOLHIMENTO DO PROJOVEM URBANO Rosilaine Gonçalves da Fonseca Ferreira UNIRIO Direcionado ao atendimento de parcela significativa

Leia mais

9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA 9. EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA 9.1 ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO INDÍGENA 9.1.1 Objetivos gerais A Constituição Federal assegura às comunidades indígenas o direito de uma educação escolar diferenciada e a utilização

Leia mais

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA e AÇÕES DO PACTO Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa É um compromisso formal assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados

Leia mais

RESENHA PRIMEIRAS LETRAS, PRIMEIRA LEITURA: PRÁTICAS DE ALFABETIZADORES DE JOVENS E ADULTOS

RESENHA PRIMEIRAS LETRAS, PRIMEIRA LEITURA: PRÁTICAS DE ALFABETIZADORES DE JOVENS E ADULTOS RESENHA PRIMEIRAS LETRAS, PRIMEIRA LEITURA: PRÁTICAS DE ALFABETIZADORES DE JOVENS E ADULTOS CARVALHO, Marlene. Primeiras letras: alfabetização de jovens e adultos em espaços populares. São Paulo: Ática,

Leia mais

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA Ms. Jeferson Fernando de Souza Wolff RESUMO O computador, como ferramenta pedagógica para ensino e aprendizagem

Leia mais

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG

O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG O PERFIL DOS ALUNOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG Juliana Diniz Gutierres FURG Stephany Sieczka Ely FURG Maria Renata Alonso Mota FURG Suzane da Rocha Vieira FURG Resumo: Esse estudo apresenta parte dos

Leia mais

Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C.

Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C. Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C. Declaração de Princípios Quem Somos Somos uma organização não-governamental dedicada à promoção da liderança juvenil e da participação da cultura da juventude

Leia mais

CADERNOS DA EJA: DESAFIOS DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NO VALE DO JARI José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br

CADERNOS DA EJA: DESAFIOS DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NO VALE DO JARI José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br CADERNOS DA EJA: DESAFIOS DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NO VALE DO JARI José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br 1. Introdução O trabalho traz uma reflexão sobre as atividades que se encontram

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

PARTICIPAÇÃO NA VELHICE: POLÍTICAS PÚBLICAS E CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES ENTRE IDOSOS INSERIDOS EM GRUPOS E ASSOCIAÇÕES

PARTICIPAÇÃO NA VELHICE: POLÍTICAS PÚBLICAS E CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES ENTRE IDOSOS INSERIDOS EM GRUPOS E ASSOCIAÇÕES PARTICIPAÇÃO NA VELHICE: POLÍTICAS PÚBLICAS E CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES ENTRE IDOSOS INSERIDOS EM GRUPOS E ASSOCIAÇÕES Kátia Ramos Silva (Doutoranda PPGS/UFPB) E-mail: katya6@gmail.com I. INTRODUÇÃO A

Leia mais

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República Participação Social como Método de Governo Secretaria-Geral da Presidência da República ... é importante lembrar que o destino de um país não se resume à ação de seu governo. Ele é o resultado do trabalho

Leia mais

Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites

Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites Projeto RI-VIDA Rede de Integração para a Vida Projeto de prevenção de DST s, HIV/AIDS e Hepatites Apoio: Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS Secretaria de Estado da Saúde VULNERABILIDADE DA POPULAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

1ª Conferência Livre da Juventude em Meio Ambiente Foco em Recursos Hídricos

1ª Conferência Livre da Juventude em Meio Ambiente Foco em Recursos Hídricos 1ª Conferência Livre da Juventude em Meio Ambiente Foco em Recursos Hídricos Realização: Instituto Terrazul Parceria: Coordenadoria da Juventude da PMRJ Comitê da Bacia Hidrográfica da Baía de Guanabara

Leia mais

CRIATIVIDADE, AMBIENTE LÚDICO E ENSINO DE FÍSICA: UMA REFLEXÃO EM BUSCA DO ESTIMULO PARA O APRENDIZADO

CRIATIVIDADE, AMBIENTE LÚDICO E ENSINO DE FÍSICA: UMA REFLEXÃO EM BUSCA DO ESTIMULO PARA O APRENDIZADO CRIATIVIDADE, AMBIENTE LÚDICO E ENSINO DE FÍSICA: UMA REFLEXÃO EM BUSCA DO ESTIMULO PARA O APRENDIZADO L. L. A. Veiga 1 ; A. C. L. Dias 2 ; F. A. O. Cruz 3 1 Mestrado Profissional em Educação em Ciências

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO PNE REALIDADE MUNICIPAL AÇÕES

ESTRATÉGIAS DO PNE REALIDADE MUNICIPAL AÇÕES META NACIONAL 9: elevar a taxa de alfabetização da população com 15 (quinze) anos ou mais para 93,5% (noventa e três inteiros e cinco décimos por cento) até 2015 e, até o final da vigência deste PNE, erradicar

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 06/07/2012 (nº 130, Seção 1, pág.

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 06/07/2012 (nº 130, Seção 1, pág. PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 06/07/2012 (nº 130, Seção 1, pág. 24) Dispõe sobre a IV Conferência Nacional Infantojuvenil pelo

Leia mais

TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR

TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR TÍTULO: PERCEPÇÃO DE MÃES EM RELAÇÃO À INCLUSÃO ESCOLAR DE SEUS FILHOS DIAGNOSTICADOS COM AUTISMO EM ESCOLA REGULAR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE MODALIDADES E TEMÁTICAS

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE MODALIDADES E TEMÁTICAS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE MODALIDADES E TEMÁTICAS ESPECIAIS DE ENSINO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL A Política

Leia mais

O ENSINO DE FUNÇÕES AFINS E QUADRÁTICAS COM O AUXÍLIO DO COMPUTADOR E DO SOFTWARE GEOGEBRA

O ENSINO DE FUNÇÕES AFINS E QUADRÁTICAS COM O AUXÍLIO DO COMPUTADOR E DO SOFTWARE GEOGEBRA O ENSINO DE FUNÇÕES AFINS E QUADRÁTICAS COM O AUXÍLIO DO COMPUTADOR E DO SOFTWARE GEOGEBRA 1 Samara Araújo Melo; 2 Arthur Gilzeph Farias Almeida; 3 Maria Lúcia Serafim 1 E.E.E.F.M Professor Raul Córdula,

Leia mais

Jovens e adultos IFFarroupilha- Câmpus São Borja

Jovens e adultos IFFarroupilha- Câmpus São Borja 1 Entre a elevação da escolaridade e a qualificação profissional: Uma experiência com os RESUMO: Jovens e adultos IFFarroupilha- Câmpus São Borja KAEFER, Verle. Maria Teresinha 1 DUTRA, Paim. Isolete 2

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 Redação do vencido, para o turno suplementar, do Substitutivo do Senado ao Projeto de Lei da Câmara nº 90, de 2013 (nº 757, de 2011, na Casa de origem). A Comissão

Leia mais

Marilia Pontes Sposito Raquel Souza

Marilia Pontes Sposito Raquel Souza 33 Desafios da reflexão sociológica PARA análise Do ensino médio no BRASil* Marilia Pontes Sposito Raquel Souza O ensino médio se constitui em uma etapa da educação básica brasileira que tem mobilizado

Leia mais

Participação Social no Governo Federal

Participação Social no Governo Federal PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL Participação Social no Governo Federal Gerson Luiz de Almeida Silva Secretário Nacional de Articulação Social 1. Visões

Leia mais

PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB

PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB PROEJA: UMA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO NA EEEFM PROFESSOR GETÚLIO GUEDES EM PEDRAS DE FOGO PB INTRODUÇÃO ARAGÃO, Wellington Alves Secretaria Estadual de Educação- PB welledu@yahoo.com.br

Leia mais

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR

O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR O mundo como escola Texto Isis Lima Soares, Richele Manoel, Marcílio Ramos e Juliana Rocha Fotos Luciney Martins/Rede Rua Site 5HYLVWD9LUDomR Já pensou um bairro inteirinho se transformando em escola a

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA Avaliação Da Prática Docente A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA PRÁTICA DOCENTE Autora: Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Estadual

Leia mais

O que é? Objetivos. FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1993, p. 68.

O que é? Objetivos. FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1993, p. 68. O que é? Inspirado no Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos (MOVA), criado pelo educador Paulo Freire (1921 1997), o Projeto MOVA Brasil é desenvolvido pelo Instituto Paulo Freire (IPF) em parceria

Leia mais

Valorizando ideias e experiências participativas que promovam o direito humano à educação REGULAMENTO

Valorizando ideias e experiências participativas que promovam o direito humano à educação REGULAMENTO REGULAMENTO 1. O RECONHECIMENTO PÚBLICO DE OLHO NOS PLANOS 1.1. O Reconhecimento Público é uma ação da iniciativa De Olho nos Planos, composta pelos seguintes parceiros: Ação Educativa, UNICEF, Campanha

Leia mais

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo.

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo. Capítulo II DA EDUCAÇÃO Art. 182. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada pelo Município, com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento

Leia mais