Belo Horizonte - MG, Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Belo Horizonte - MG, Brasil"

Transcrição

1 Belo Horizonte - MG, Brasil No caminho do sol os passos de Belo Horizonte rumo à lei solar Os governos locais são centrais na promoção de políticas públicas sustentáveis, tendo à sua disposição uma variedade de ferramentas administrativas e regulatórias que podem auxiliar na implementação de políticas de sustentabilidade. Somado a isso, a criação de programas-modelo municipais sustentáveis no âmbito dos projetos do ICLEI constitui um excelente caminho para dar o exemplo, envolver todos os atores relevantes no processo e replicar as experiências bem sucedidas em outras localidades. A experiência de Belo Horizonte - MG sobre a formulação de leis a respeito do uso de aquecedores solares e sua participação no Projeto PoliCS ilustram esse processo, que pode ser replicado em outras localidades. 122 Portuguese Estudos de Caso ICLEI Junho 2010 Resumo Belo Horizonte tornou-se referência nacional na aplicação do coletor solar para aquecimento de água e destaque mundial em números de edificações multifamiliares existentes com a aplicação da tecnologia. Essa visibilidade trouxe à cidade o título de Capital Nacional de Energia Solar. O Grupo de Trabalho de Energia (GT Energia), no âmbito do projeto PoliCS Políticas de Construção Sustentável e o Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência da Prefeitura de Belo Horizonte elaborou uma proposição de lei que dispõe sobre a instalação de sistema de aquecimento de água por energia solar nas edificações de propriedade pública e particular do município. Essa proposição de lei é um dos principais produtos resultantes da sinergia entre o Comitê e o ICLEI, principalmente através do GT Energia e sua articulação com atores relevantes. A criação de programas-modelo municipais sustentáveis como esse é um excelente caminho para dar o exemplo, envolver todos os atores relevantes no processo e replicar as experiências bem sucedidas em outras localidades. A Importância da Energia Solar Devido ao alto nível de consumo energético e emissões de gases de efeito estufa, cidades são consideradas um dos principais epicentros das mudanças ambientais globais. Cerca de 80 por cento de toda energia é consumida em cidades, que geram cerca de dois terços das emissões mundiais de CO 2, com tendência ao aumento. O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) estimou que cerca de 30 por cento das emissões de CO 2 das edificações, projetadas para 2020, poderiam ser mitigadas globalmente de maneira economicamente eficiente, adequando projetos ao clima local e com introdução de tecnologias, como sistemas de aquecimento solar. Dessa forma, as cidades não são apenas parte do problema, mas também da solução. Nesse contexto, o projeto PoliCS, uma iniciativa ICLEI, visa estabelecer o compromisso de governos locais na América do Sul para o desenvolvimento e implementação de políticas de construção sustentável, com foco em eficiência energética e fomento às tecnologias de baixa emissão de carbono. População / Área Belo Horizonte Aprox. 2,45 milhões / 331 km 2 [IBGE 2009] Orçamento Municipal Aprox. 6,5 bilhões BRL Belo Horizonte aderiu ao ICLEI em Junho Esse estudo de caso foi desenvolvido no âmbito do Projeto PoliCS - Políticas de Construção Sustentável, que integra a campanha global do ICLEI Cidades pela Proteção do Clima TM (CCP), visando explorar soluções para a redução de gases de efeito estufa no setor da construção civil na América do Sul.

2 Estudo de caso O Contexto de Belo Horizonte Belo Horizonte, a capital do Estado de Minas Gerais e centro de uma região metropolitana, é responsável por 1,4 por cento do PIB nacional e abriga o principal pólo de serviços, conhecimento e tecnologia do Estado. Seu parque produtivo é um dos cinco maiores da América do Sul, com destaque para a indústria automobilística e de autopeças, siderurgia, eletroeletrônica e construção civil. A cidade possui uma expressão econômica comparável à das maiores metrópoles latino-americanas. Em relação aos problemas urbanos, o município tem adotado uma abordagem pró-ativa. Um exemplo é o Plano de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos da Construção Civil, em vigor desde 1995, sendo que a Resolução Conama nº 307, que regulamenta o assunto, foi instituída apenas em Além disso, Belo Horizonte é uma das poucas cidades brasileiras que realizou seu inventário de gases de efeito estufa (em 2009). A capital da energia solar no Brasil tem se articulado junto aos demais atores para estabelecer a lei de uso de aquecimento solar em Belo Horizonte. Este estudo de caso foi desenvolvido no âmbito do Projeto PoliCS - Políticas de Construção Sustentável, que integra a campanha global do ICLEI Cidades pela Proteção do Clima TM (CCP), visando explorar soluções para a redução de gases de efeito estufa no setor da construção civil na América do Sul. O projeto foi desenvolvido em Belo Horizonte (Brasil), Buenos Aires (Argentina) e Montevidéu (Uruguai) e contou com a participação de Porto Alegre e São Paulo (Brasil) como cidades satélites. Iniciativas Solares em Belo Horizonte Belo Horizonte tornou-se referência nacional na aplicação do coletor solar para aquecimento de água e destaque mundial para seu alto número de edificações multifamiliares existentes com a aplicação da tecnologia. Essa visibilidade trouxe à cidade o título de Capital Nacional de Energia Solar. A experiência de Belo Horizonte surgiu em 1990, da sinergia entre a Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG - concessionária de energia elétrica local), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) e fabricantes instalados na cidade, com o intuito de pesquisar as potencialidades e perspectivas da aplicação da tecnologia solar na construção civil. Os resultados das pesquisas desenvolvidas pela CEMIG mostraram que a economia com gastos de chuveiro elétrico nos prédios que possuíam placas solares chegava a 80 por cento. Atualmente, aproximadamente edificações existentes na cidade de Belo Horizonte possuem a tecnologia, com 800 mil m² de coletores solares instalados. Com isso, alcança-se uma redução anual de mais de toneladas de CO 2, se comparados com o consumo de energia elétrica que deixou de ser consumida. Mesmo sendo uma referência no cenário nacional no uso de aquecimento solar, no município de Belo Horizonte ainda não existem exigências legais para regulamentar a obrigatoriedade desse item em construções. É importante ressaltar que Belo Horizonte será uma das cidades-sede dos jogos da Copa do Mundo de 2014, sendo este um momento propício para aprovação de uma lei de obrigatoriedade do uso de aquecedores solares em novas edificações. É uma oportunidade única para a cidade se consolidar como Capital Nacional 2 Estudo de Caso ICLEI # , Belo Horizonte, Brasil

3 BH Solar Instalação de Aquecedores Solares em Conjunto Habitacional de Energia Solar, pois o evento esportivo deve atrair cerca de 30 novos hotéis, além de outros projetos nas áreas de infraestrutura esportiva, mobilidade urbana, turismo, comunicação e utilidade pública. Parcerias e Projetos A preocupação com fontes renováveis de energia se materializou na criação do Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência (CMMCE), pela Prefeitura de Belo Horizonte, em O Comitê foi instituído com o intuito de discutir e implementar ações que visem entre elas a: Redução de emissões de gases do efeito estufa; Uso de fontes renováveis de energia; Melhoria da eficiência energética e uso racional da energia. O Comitê tem um caráter de aconselhamento e articulação das políticas públicas e da iniciativa privada para a diminuição de gases poluentes na atmosfera e na conscientização ambiental da sociedade. É formado por representantes da Prefeitura, Câmara Municipal, Governo Estadual, universidades, ONGs e entidades representativas da indústria e do comércio. O CMMCE foi o principal executor do projeto PoliCS em Belo Horizonte e traçou como um de seus objetivos o desenvolvimento de uma legislação obrigando o uso de energia solar. Um dos primeiros passos foi a realização de uma oficina do projeto em agosto 2009, onde foram criados dois grupos de trabalho: Energia e Saneamento. Estes grupos multidisciplinares, que contam com a presença de atores governamentais e da sociedade civil como um todo, têm como objetivo desenvolver políticas de construção sustentável ligados aos dois temas identificados por Belo Horizonte e o ICLEI como os mais importantes para a cidade. Desde então, os dois grupos que são coordenados por representantes governamentais, têm se reunido ao menos uma vez por mês. Os frutos destas reuniões são uma série de atividades de capacitação, sensibilização e desenvolvimento de políticas públicas. Estudo de Caso ICLEI # , Belo Horizonte, Brasil 3

4 Rumo à lei solar O GT Energia tem trabalhado intensamente na implementação da lei solar em Belo Horizonte, que dispõe sobre a instalação de sistema de aquecimento de água por energia solar nas edificações de propriedade pública e particular do município. A primeira minuta de lei foi encaminhada diretamente para a Secretaria de Governo, que enviou para a Secretaria de Políticas Urbanas, por estar no âmbito das suas competências. Esta por sua vez, consultou as suas Secretarias Adjuntas de Habitação e Regulação Urbana, onde a proposta encaminhada sofreu algumas considerações. Então, o Comitê adequou o texto da proposição de lei de acordo com as recomendações das Secretarias Adjuntas para poder reenviar à Secretaria de Governo, onde a proposição encontra-se atualmente. Se aprovada, a proposição será encaminhada para a Câmara dos Vereadores para votação e sendo aprovada, deverá ser sancionada pelo Prefeito. Então, a lei deverá ser regulamentada através de um decreto, pelo Poder Executivo. Durante este processo o Comitê e o GT Energia estão atuando para sensibilizar a liderança política sobre a importância da lei para garantir o apoio necessário e sua aprovação. Belo Horizonte optou por uma proposição de lei enxuta, deixando os parâmetros de regulamentação para serem incluídos no decreto. Dessa forma, o processo de regulamentação passa a ser uma decisão executiva, podendo contar com técnicos da prefeitura e demais atores para sua implementação. De acordo com o projeto de lei, o sistema de aquecimento de água por energia solar deverá ser dimensionado para atender a uma contribuição solar mínima de 51 por cento da demanda de energia anual utilizada para o aquecimento de água. Além disso, os equipamentos que irão compor o sistema de aquecimento deverão apresentar a etiqueta do INMETRO. Resultados Essa proposição de lei sobre sistema de aquecimento de água por energia solar é um dos principais produtos resultantes da sinergia entre o Comitê e o ICLEI, principalmente através do GT Energia do PoliCS e sua articulação com atores relevantes para o processo. Dessa forma, toda a trajetória percorrida até culminar no projeto de lei foi acompanhada pelo fortalecimento institucional do governo e de capacidades para a implementação de políticas de construção sustentável como essa. Esse processo possibilitou, por diversos momentos, a capacitação de gestores públicos, da equipe técnica dos governos e do setor privado. O GT Energia que, efetivamente, trabalhou nesta proposta foi composto por, aproximadamente, 20 pessoas. Dentre as secretarias municipais envolvidas nesse processo destacam-se as Secretarias de Meio Ambiente, de Governo, Adjunta de Regulação Urbana, Adjunta de Habitação, Superintendência de Desenvolvimento da Capital (SUDECAP). Houve também o fortalecimento de parcerias entre o governo de Belo Horizonte e outros atores importantes no processo de implementação da lei. Destaca-se ainda o contato e a troca de experiências entre Belo Horizonte e outros governos participantes do projeto PoliCS, através do apoio do ICLEI, como Buenos Aires e Montevidéu, governos-piloto do projeto e demais governos participantes, como Betim-MG, Porto Alegre-RS e São Paulo-SP 4 Estudo de Caso ICLEI # , Belo Horizonte, Brasil

5 Lições Aprendidas Foram destacados os seguintes aspectos como lições aprendidas na trajetória percorrida por Belo Horizonte na implementação da lei sobre aquecimento solar: A existência de um órgão interno na Prefeitura de Belo Horizonte, como o Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência foi um ponto fundamental do processo. Através do Comitê foi possível agregar informações relevantes, promover a participação ampla de atores importantes e conjugar ações entre eles. A participação de Belo Horizonte em projetos do ICLEI como a Rede Elo e sobretudo o PoliCS impulsionou a proposição da lei solar. O processo de elaboração de uma lei não é simples. Para tanto, deve contar com a participação de diversos segmentos relevantes da sociedade e especialistas no tema. Por exemplo, o Comitê contou com o apoio do Comitê de Normas Técnicas da Secretaria Municipal de Meio Ambiente para formatar a proposta em termos de lei, o que garantiu os aspectos legais do texto; e outros atores Energia solar no Brasil e em Minas Gerais O setor de energia solar térmica no Brasil cresce a uma taxa de 20 por cento ao ano, tendo crescido 120 por cento somente em Em termos de metragem de placas solares instaladas por habitante, tem-se a seguinte configuração: BH = 326 m² por 1000 habitantes. MG = 98,6 m² por 1000 habitantes. Brasil = 27,4 m² por 1000 habitantes Total em Minas Gerais: 1,98 milhões de m² de coletores, dos quais mais de 800 mil de m² encontram-se em Belo Horizonte. Um sistema de aquecimento solar pode proporcionar economia anual de 30 a 60 por cento na conta mensal de energia, dependendo do tamanho e dimensionamento, em qualquer região do Brasil. A Resolução Normativa 300/2008 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) obrigou as concessionárias de energia a destinarem, no mínimo, 0,5 por cento de sua receita operacional líquida, a cada ano, em programas que envolvam ações e projetos de eficiência energética. Em Minas Gerais, a CEMIG tem aplicado boa parte desses recursos em aquecedores solares para conjuntos habitacionais. Em 2009, a CEMIG instalou sistemas de aquecimento solar em habitações populares no Estado de Minas Gerais, com previsão de instalação de mais em 2010 (já licitados). Outros estudos de caso sobre eficiência energética e energias renováveis na Índia, Brasil e Europa, estão disponívels no site do projeto ICLEI, Rede Elo: importantes no processo, como a Agência Energia, que contribuiu com os aspectos técnicos, em relação à energia solar. É importante discutir o projeto de lei internamente num primeiro momento, com os principais órgãos municipais envolvidos no assunto. Concomitantemente à elaboração da proposição de lei, é importante investir na capacitação e formação de pessoal para realização de projetos, visando bons projetos, quando a lei for regulamentada. Maus projetos trazem ineficiência e desestímulo, dificultando a implementação da lei. As proposições de lei podem ser elaboradas pelo poder executivo (governo local) ou legislativo (Câmara de Vereadores). Quando há na lei previsão de regulamentação, após sua aprovação a mesma deve ser regulamentada pelo poder executivo através de um decreto, com o objetivo de detalhar a norma Estudo de Caso ICLEI # , Belo Horizonte, Brasil 5

6 contida na lei, estabelecendo procedimentos a serem realizados para que a lei seja cumprida. A colaboração de especialistas da área é importante para evitar incoerências ou inviabilidades na lei. A atuação do ICLEI coordenando o projeto PoliCS, facilitando as capacitações, fornecendo informações, promovendo parcerias e intercâmbio entre as cidades do projeto e outros governos locais constitui uma parte fundamental do processo. Por exemplo, representantes do GT Energia participam do grupo consultivo do Centro de Referência em Energias Renováveis em Betim MG, que também estava elaborando a lei solar de Betim durante a mesma época e ambas as cidades compartilham informações e conhecimento sobre o assunto. Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Replicabilidade Reunião do Comitê Municipal de Mudanças Climáticas e Ecoeficiência em 2010 As políticas de aquecimento solar têm crescido sobretudo a partir de 2008, seguindo o exemplo da Espanha, o primeiro país a aprovar sua política de aquecimento solar em nível nacional e local, na cidade de Barcelona. A experiência da cidade é emblemática, ao providenciar as bases para as leis brasileiras, no modelo da cidade de São Paulo, que sancionou sua lei em 3 julho A partir da experiência de Belo Horizonte, alguns passos são sugeridos para aqueles embarcando em processo similar: Criação de um órgão governamental para convergir ações de sustentabilidade: apesar da importância do CMMCE de Belo Horizonte, pouquíssimas cidades brasileiras dispõem de um organismo municipal semelhante. Por meio dos projetos do ICLEI, como a Rede Elo, outras cidades como Betim-MG e Porto Alegre-RS também estão percorrendo esse caminho, concentrando ações de sustentabilidade energética através dos Centros de Referência em Energias Renováveis (CRERs). Fomento às parcerias multidisciplinares: através de órgãos como o CMMCE e o CRER é possível promover a participação de diferentes segmentos da 6 Estudo de Caso ICLEI # , Belo Horizonte, Brasil

7 ICLEI LACS Reunião do Grupo de Energia sociedade em torno do desenvolvimento e implementação de políticas públicas de sustentabilidade. Orçamento e Finanças O Projeto PoliCS contou com a participação de técnicos da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. A participação de outros atores no CMMCE e GT Energia se deu através de parcerias, sem ônus para Prefeitura. Estudo de Caso ICLEI # , Belo Horizonte, Brasil 7

8 Contatos Secretaria Municipal de Meio Ambiente / PBH Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência Anna Maria Louzada Drummond Secretária Executiva Tel: +55/ ICLEI Secretariado para América Latina e Caribe (LACS) Escritório de Projetos Avenida Quarto Centenário, 1268 Sala 215 Portão 7A do Parque Ibirapuera São Paulo, SP Brazil Tel: +55/ Fax: +55/ ICLEI World Secretariat (WS) Capacity Center Kaiser-Friedrich Strasse 7 D Bonn, Germany Tel: / Fax: / Fontes Agradecemos o apoio de Secretaria Municipal de Meio Ambiente Secretário Nívio Tadeu Lasmar Pereira Weber Coutinho Anna Maria Louzada Drummond Júnia Márcia Bueno Neves Sérgio Cançado Salles Sônia Mara Miranda Knauer Antônio Godinho (apoio administrativo) Companhia Energética de Minas Gerais CEMIG Cidades Solares Centro Universitário Una Elizabeth Marques Pereira Superintendência de Desenvolvimento da Capital SUDECAP Augusto César Santiago e Silva Pirassinunga Sindicato de Engenheiros de MG SENGE/MG Autoria Autoria: Fabiana Barbi (ICLEI LACS). Edição: Paula Gabriela Freitas (ICLEI LACS), Giorgia Rambelli (ICLEI European Secretariat) and Rüdiger von Krosigk (ICLEI WS). O ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade é uma associação internacional de governos locais comprometidos com o desenvolvimento sustentável. A missão do ICLEI é construir e servir um movimento global de governos locais por melhorias tangíveis na sustentabilidade global através de ações cumulativas, com foco principal em condições ambientais. Este estudo de caso é parte de uma série focada nas atividades dos membros ICLEI ao redor do mundo. ICLEI Secretariado Mundial por ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade. Todos os direitos reservados. Junho 2010

Betim e Porto Alegre, Brasil

Betim e Porto Alegre, Brasil Betim e Porto Alegre, Brasil Processo participativo nos Centros de Referência em Energias Renováveis e Eficiência Energética no Brasil e a promoção de políticas públicas em energias sustentáveis Os Centros

Leia mais

Painel Energias Limpas

Painel Energias Limpas Painel Energias Limpas Délio Malheiros Secretário Municipal de Meio Ambiente Vice Prefeito Prefeitura de Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil Santa Fé, 11 a 13 de setembro de 2013. 1 Energia Solar no

Leia mais

Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte

Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte Sustentabilidade Ambiental na Cidade de Belo Horizonte Vasco de Oliveira Araujo Secretário Municipal Adjunto de Meio Ambiente Prefeitura de Belo Horizonte Abril 2013 A Construção de uma Cidade Sustentável

Leia mais

INTRODUÇÃO A AÇÃO LOCAL PELA PROTEÇÃO DO CLIMA 19 ANOS DO ICLEI CONTEÚDO

INTRODUÇÃO A AÇÃO LOCAL PELA PROTEÇÃO DO CLIMA 19 ANOS DO ICLEI CONTEÚDO INTRODUÇÃO A AÇÃO LOCAL PELA PROTEÇÃO DO CLIMA 19 ANOS DO ICLEI Laura Valente S. de Macedo Diretora Regional, ICLEI Governos Locais pela Sustentabilidade laura.valente@iclei.org www.iclei.org/lacs/portugues

Leia mais

KIT DE TREINAMENTO SWITCH Gestão Integrada das Águas Urbanas na Cidade do Futuro. 12 th ICUD Porto Alegre Rio Grande do Sul 15 de setembro de 2011

KIT DE TREINAMENTO SWITCH Gestão Integrada das Águas Urbanas na Cidade do Futuro. 12 th ICUD Porto Alegre Rio Grande do Sul 15 de setembro de 2011 KIT DE TREINAMENTO SWITCH Gestão Integrada das Águas Urbanas na Cidade do Futuro 12 th ICUD Porto Alegre Rio Grande do Sul 15 de setembro de 2011 Sophia Picarelli ICLEI LACS - Secretariado para América

Leia mais

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília.

Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília. Infraestrutura Turística. Magaeventos Esportivos e a Promoção da Imagem do Brasil no Exterior 16 e 17 de agosto Brasília Mobilidade Urbana Renato Boareto 1 Organização Não Governamental fundada em 2006

Leia mais

Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe

Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe Tercera Reunión de Expertos de Gobierno sobre Consumo y Producción Sustentables de America Latina y el Caribe Managua, Nicaragua, 3 5 de agosto de 2005 Ministério do Meio ambiente Agosto/2005 helio.lobo@mma.gov.br

Leia mais

Legislação Municipal e Mudanças Climáticas

Legislação Municipal e Mudanças Climáticas Legislação Municipal e Mudanças Climáticas Ronaldo Vasconcellos Vice-Prefeito de Belo Horizonte Coordenador do Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência Legislação Municipal e Mudanças

Leia mais

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS:

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: CIDADES SUSTENTÁVEIS OU COLAPSO ANUNCIADO? Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Cidades são parte do Problema Atividades

Leia mais

A experiência de Belo Horizonte:

A experiência de Belo Horizonte: A experiência de Belo Horizonte: a construção de uma capital sustentável Vasco de Oliveira Araujo Secretário Municipal de Meio Ambiente Prefeitura de Belo Horizonte Junho 2012 Belo Horizonte e RMBH (34

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2013 Ford Nome fantasia: Ford - CNPJ: 03.470.727/0001-20 Tipo da empresa: Matriz Setor econômico: C. Indústrias de transformação

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Boas Práticas de Gestão Internacional dos Governos Subnacionais Brasileiros

Boas Práticas de Gestão Internacional dos Governos Subnacionais Brasileiros Encontro Cooperação Internacional Descentralizada do Brasil Boas Práticas de Gestão Internacional dos Governos Subnacionais Brasileiros Prefeitura de Belo Horizonte Histórico das Relações Internacionais

Leia mais

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte

Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Fomento à Inovação e Negócios em Ciências da Vida em Belo Horizonte Atração de Investimentos, Promoção Comercial e Projeção Internacional Eduardo Bernis Secretaria Municipal de Desenvolvimento Belo Horizonte

Leia mais

Políticas Públicas em Mudanças Climáticas no Brasil e no Mundo. Rachel Biderman Furriela Centro de Estudos em Sustentabilidade EAESP-FGV

Políticas Públicas em Mudanças Climáticas no Brasil e no Mundo. Rachel Biderman Furriela Centro de Estudos em Sustentabilidade EAESP-FGV Políticas Públicas em Mudanças Climáticas no Brasil e no Mundo Rachel Biderman Furriela Centro de Estudos em Sustentabilidade EAESP-FGV Concentração de CO 2 na Atmosfera 1 DADOS GLOBAIS A emissão anual

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável das Cidades

Desenvolvimento Sustentável das Cidades Sustentabilidade: Os Desafios do Desenvolvimento Desenvolvimento Sustentável das Cidades Valor Econômico São Paulo 22 de setembro de 2011 Florence Karine Laloë Florence.laloe@iclei.org Diretora Regional

Leia mais

Marcio Halla marcio.halla@fgv.br

Marcio Halla marcio.halla@fgv.br Marcio Halla marcio.halla@fgv.br POLÍTICAS PARA O COMBATE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA AMAZÔNIA Programa de Sustentabilidade Global Centro de Estudos em Sustentabilidade Fundação Getúlio Vargas Programa de

Leia mais

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil São Paulo, 5 de dezembro de 2013 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL Principais Programas e Resultados Lei de

Leia mais

DECRETO Nº 27.343 DE 06 DE SETEMBRO DE 2013

DECRETO Nº 27.343 DE 06 DE SETEMBRO DE 2013 DECRETO Nº 27.343 DE 06 DE SETEMBRO DE 2013 Ementa: Institui o Comitê de Sustentabilidade e Mudanças Climáticas do Recife - COMCLIMA e o Grupo de Sustentabilidade e Mudanças Climáticas - GECLIMA e dá outras

Leia mais

ENERGIA E MEIO AMBIENTE Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 2001

ENERGIA E MEIO AMBIENTE Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 2001 Seminário ENERGIA E MEIO AMBIENTE Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 2001 PROJETOS DE CONSERVAÇÃO E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Eletrobrás Saulo José Nascimento Cisneiros Diretor de Projetos Especiais da Eletrobrás

Leia mais

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região.

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região. Agenda 21 Comperj Iniciativa voluntária de relacionamento da Petrobras para contribuir para que o investimento na região retorne para a população, fomentando a formação de capital social e participação

Leia mais

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA

COORDENAÇÃO. ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA COORDENAÇÃO ABES-SP, Instituto PÓLIS, CAIXA, ANAMMA, UNICAMP, Projeto Pares(Poli-USP), OAF, Sindicato dos Engenheiros, Fórum Recicla São Paulo, CRUMA Ministério Público - Procuradoria Regional dos Direitos

Leia mais

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA Em 22 e 23 de outubro de 2015, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano SEDU, por meio da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba COMEC,

Leia mais

METODOLOGIAS A CAMPANHA INTERNACIONAL DO ICLEI - CIDADES PELA PROTEÇÃO DO CLIMA TM - CCP. Ação Local. Ação Local

METODOLOGIAS A CAMPANHA INTERNACIONAL DO ICLEI - CIDADES PELA PROTEÇÃO DO CLIMA TM - CCP. Ação Local. Ação Local METODOLOGIAS A CAMPANHA INTERNACIONAL DO ICLEI - CIDADES PELA PROTEÇÃO DO CLIMA TM - CCP Laura Valente S. de Macedo Diretora Regional, ICLEI Governos Locais pela Sustentabilidade laura.valente@iclei.org

Leia mais

Promovendo Políticas de Construção Sustentável na América do Sul

Promovendo Políticas de Construção Sustentável na América do Sul Promovendo Políticas de Construção Sustentável na América do Sul Regional Policies for Greening the Building Sector Lisboa Portugal Museu do Fado, 28 de fevereiro de 2012 Florence Karine Laloë Secretária

Leia mais

Seminário sobre Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa em Cidades

Seminário sobre Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa em Cidades Seminário sobre Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa em Cidades 23 de Maio 2013 Igor Reis de Albuquerque Gerente de Mudanças Climáticas ICLEI Governos Locais pela Sustentabilidade Secretariado

Leia mais

Workshop de Aquecimento Solar em habitações de interesse social

Workshop de Aquecimento Solar em habitações de interesse social Workshop de Aquecimento Solar em habitações de interesse social Carlos Faria Café Coordenador da iniciativa cidades solares brasil Diretor Executivo do Depto Nacional de Aquecimento solar da ABRAVA Instalações

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono. Fórum Permanente "Meio Ambiente e Sociedade"

Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono. Fórum Permanente Meio Ambiente e Sociedade Recuperação energética de gás de aterro & Créditos de carbono Fórum Permanente "Meio Ambiente e Sociedade" São Paulo, Brasil 15 de Outubro de 2013 Sumário MDL & Créditos de Carbono Panorama do Mercado

Leia mais

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Thayne Garcia, Assessora-Chefe de Comércio e Investimentos (tgarcia@casacivil.rj.gov.br) Luciana Benamor, Assessora de Comércio e Investimentos

Leia mais

Belo Horizonte Responsabilidades do Setor Turístico na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Belo Horizonte Responsabilidades do Setor Turístico na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Belo Horizonte Responsabilidades do Setor Turístico na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Responsabilidade Multiplicadores* CMDCA, CEDCA, Minist. do Trabalho, Gestor de Política (SETUR

Leia mais

RENEX SOUTH AMERICA 2014

RENEX SOUTH AMERICA 2014 RENEX SOUTH AMERICA 2014 O mercado sul-americano de energia renovável em um só lugar 26a 28 Novembro 2014 Porto Alegre - 14h às 20h no Centro de Eventos FIERGS Entre em contato e acompanhe a RENEX pelas

Leia mais

Eficiência energética em construções na cidade de SP 15.04.2010

Eficiência energética em construções na cidade de SP 15.04.2010 Eficiência energética em construções na cidade de SP 15.04.2010 Estado de São Paulo Fonte: SSE SP Potencial de redução: 7,9% energia elétrica Potencial de redução: 6,6% petróleo & gás Estado de São Paulo

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS ILUMEXPO 2015 4ª Exposição e Fórum de Gestão de Iluminação Pública Luciana Hamada / Junho 2015 IBAM, MUNICÍPIO E

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL EM SANEAMENTO - PEAMSS

PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL EM SANEAMENTO - PEAMSS PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL EM SANEAMENTO - PEAMSS Anja Meder Steinbach Bióloga Mestre em Desenvolvimento Regional Fundação Agência de água do Vale do Itajaí Camila Schreiber

Leia mais

Estratégias Empresariais de Adaptação

Estratégias Empresariais de Adaptação Estratégias Empresariais de Adaptação Seminário: Cenários Corporativos de Riscos Climáticos no Brasil e a Inovação Regulatória da Administração Barack Obama 29 de setembro, 2015 MISSÃO Expandir continuamente

Leia mais

EXPO 2010 2a. Feira Internacional de Equipamentos e Soluções para Meio Ambiente

EXPO 2010 2a. Feira Internacional de Equipamentos e Soluções para Meio Ambiente Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano EXPO 2010 2a. Feira Internacional de Equipamentos e Soluções para Meio Ambiente A Lei e Políticas Públicas de de Resíduos Sólidos

Leia mais

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela Planejamento Estratégico de Estrela 2015 2035 O planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão

Leia mais

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

PLANOS DE MOBILIDADE URBANA IMPLANTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA: PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília, 28 de novembro de 2012 Organização Não Governamental fundada em 2006 com a missão de apoiar a

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura SISTEMA NACIONAL DE CULTURA Processo de articulação, gestão, comunicação e de promoção conjunta de políticas públicas de cultura, mediante a pactuação federativa. Objetivo Geral do SNC Implementar políticas

Leia mais

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 RME Rio Minas Energia Participações S.A Luce Brasil Fundo de Investimentos - LUCE Missão da Light: Ser uma grande empresa

Leia mais

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são:

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são: 24/2010 1. Identificação do Contratante Nº termo de referência: TdR nº 24/2010 Plano de aquisições: Linha 173 Título: consultor para desenvolvimento e venda de produtos e serviços Convênio: ATN/ME-10541-BR

Leia mais

Contextos da Educação Ambiental frente aos desafios impostos. Núcleo de Educação Ambiental Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Contextos da Educação Ambiental frente aos desafios impostos. Núcleo de Educação Ambiental Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro Contextos da Educação Ambiental frente aos desafios impostos pelas mudanças climáticas Maria Teresa de Jesus Gouveia Núcleo de Educação Ambiental Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Leia mais

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030

Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 Gestão Pública em BH Programa BH Metas e Resultados e BH 2030 5º Congresso de Gerenciamento de Projetos 10 de novembro de 2010 Belo Horizonte Planejamento Estratégico Longo Prazo período 2010-2030 - planejamento

Leia mais

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 ATENÇÃO: ANTES DE ASSINAR ESTA CARTA, LEIA O CONTEÚDO ATÉ O FINAL E CLIQUE NO LINK. FÓRUM DE AÇÃO EMPRESARIAL PELO CLIMA CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 O desafio da mudança do clima

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Perspectivas/oportunidades para o

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Perspectivas/oportunidades para o Política Nacional de Resíduos Sólidos Perspectivas/oportunidades para o CATA AÇÃO e as cooperativas. RESÍDUOS SÓLIDOS: UM PROBLEMA DE CARÁTER SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS

Leia mais

Política Ambiental janeiro 2010

Política Ambiental janeiro 2010 janeiro 2010 5 Objetivo Orientar o tratamento das questões ambientais nas empresas Eletrobras em consonância com os princípios da sustentabilidade. A Política Ambiental deve: estar em conformidade com

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Penna) Dispõe sobre a criação do Plano de Desenvolvimento Energético Integrado e do Fundo de Energia Alternativa. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Ficam instituídos

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Setorial de Transporte e de Mobilidade Urbana para Mitigação da Mudança do Clima PSTM - Parte 2: Mobilidade Urbana /

Leia mais

Fórum do CB27 em Natal Medidas para a redução do efeito estufa

Fórum do CB27 em Natal Medidas para a redução do efeito estufa 11 Fórum do CB27 em Natal Medidas para a redução do efeito estufa Alex Régis Ana Lúcia Araújo Assessora de Comunicação da SEMURB Considerado um dos mais participativos, desde a sua criação, o VI Encontro

Leia mais

O valor da natureza para o desenvolvimento local: uma oportunidade econômica real a ser aproveitada

O valor da natureza para o desenvolvimento local: uma oportunidade econômica real a ser aproveitada O valor da natureza para o desenvolvimento local: uma oportunidade econômica real a ser aproveitada Simpósio Internacional para Formuladores de Políticas Públicas Sediado pela Cidade de Curitiba Curitiba,

Leia mais

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Sobre a WayCarbon 7 anos no mercado sul-americano de consultoria em mudanças climáticas Portifólio de projetos

Leia mais

Carta de Princípios do Comitê das Agendas 21 Locais na Região do Conleste (ComARC)

Carta de Princípios do Comitê das Agendas 21 Locais na Região do Conleste (ComARC) Carta de Princípios do Comitê das Agendas 21 Locais na Região do Conleste (ComARC) Apresentação Em 2007, a Petrobras criou o Projeto Agenda 21 Comperj, como parte de seu Programa de Relacionamento nos

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS MARCO LEGAL Diálogo do Governo Federal com Sociedade Civil (Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis MNCR). Código Brasileiro de Ocupações - 2002 Reconhecimento a Categoria profissional

Leia mais

POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM ESTAR NO TRABALHO

POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM ESTAR NO TRABALHO POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM ESTAR NO TRABALHO Política da QUALIDADE A satisfação do cliente está na base das operações do Grupo Volvo. A Qualidade é um pré

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

PROC. Nº 0268/09 PR Nº 001/09 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PROC. Nº 0268/09 PR Nº 001/09 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A criação da Comissão Especial de Acompanhamento e Apoio à Copa do Mundo de 2014 em Porto Alegre faz-se necessária, tendo em vista a grande mobilização e investimentos que deverão

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Contexto Perfil de emissões MCTI Ministério do Meio Ambiente Objetivos Ampliar e aprimorar a participação

Leia mais

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013.

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 4, DE 2013. Institui a Política de Responsabilidade Socioambiental do Senado Federal. A COMISSÃO DIRETORA DO SENADO FEDERAL, no uso da competência que lhe foi conferida pelo

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais VANTAGES PROJETO PEGASUS E RECICLAGEM ENERGÉTICA O problema do lixo é extremamente grave em nosso país. Estimativas baseadas nos dados do IBGE mostram que no País são geradas diariamente cerca de 140 mil

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Setorial de Transporte e de Mobilidade Urbana para Mitigação da Mudança do Clima PSTM - Parte 2: Mobilidade Urbana /

Leia mais

Maior eficiência energética e participação de fontes renováveis

Maior eficiência energética e participação de fontes renováveis Cidades Solares: iniciativa Campinas Campinas, 22 de novembro de 2007 Maior eficiência energética e participação de fontes renováveis Um estudo para a WWF do Brasil Rodolfo Dourado Maia Gomes International

Leia mais

internacionais, desafios e iniciativas locais Greenpeace

internacionais, desafios e iniciativas locais Greenpeace Mudanças as Climáticas: negociações internacionais, desafios e iniciativas locais Propostas de combate ao aquecimento global e a importância das articulações regionais Greenpeace Arctic Sunrise Recife,

Leia mais

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras Emilio Lèbre La Rovere Coordenador, CentroClima/LIMA/PPE/COPPE/UFRJ 2º Encontro dos Secretários

Leia mais

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ

Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ Mobilidade Urbana: Esse Problema tem Solução? Ronaldo Balassiano Programa de Engenharia de Transportes PET/COPPE/UFRJ 1 1 Introdução Sustentabilidade Mudança nos atuais modelos de produção e consumo Alternativas

Leia mais

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Projeto: Geração de eletricidade a partir de fontes

Leia mais

Mudança do Clima. Luiz Gylvan Meira Filho

Mudança do Clima. Luiz Gylvan Meira Filho SABESP São Paulo, 12 de novembro de 2008 Mudança do Clima Luiz Gylvan Meira Filho Pesquisador Visitante Instituto de Estudos Avançados Universidade de São Paulo A terra recebe energia do sol na forma de

Leia mais

Tratados internacionais sobre o meio ambiente

Tratados internacionais sobre o meio ambiente Tratados internacionais sobre o meio ambiente Conferência de Estocolmo 1972 Preservação ambiental X Crescimento econômico Desencadeou outras conferências e tratados Criou o Programa das Nações Unidas para

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO Política de SEGURANÇA Política de SEGURANÇA A visão do Grupo Volvo é tornar-se líder

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Indústria

CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Indústria CONSULTA PÚBLICA Planos Setoriais de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima Plano Indústria Processo de Construção do Plano Indústria O art. 11 da Lei 12.187/2009 determinou realização de Planos setoriais

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL

PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL PROGRAMA MUNICIPAL DE VOLUNTARIADO INTERNACIONAL SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE RECURSOS HUMANOS O PROGRAMA O Programa Municipal de Voluntariado

Leia mais

Agenda Elétrica Sustentável 2020

Agenda Elétrica Sustentável 2020 Congresso Eficiência Energética Casa Alemã A Casa Ecoeficiente São Paulo, 14 de Abril de 2010 Agenda Elétrica Sustentável 2020 Estudo de Cenários para um Setor Elétrico Brasileiro Eficiente, Seguro e Competitivo

Leia mais

Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais

Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais Agenda 1 2 3 4 5 Panorama sobre eficiência energética Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais Políticas brasileiras de eficiência energética Eficiência energética na

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

Regulamento do projeto "50 Telhados"

Regulamento do projeto 50 Telhados Regulamento do projeto "50 Telhados" Iniciativa Novembro de 2013 Sumário 1. Contextualização... 3 2. Missão do projeto 50 Telhados... 3 3. Objetivo... 3 4. Benefícios para empresas/clientes/cidades participantes...

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Contexto

Leia mais

Cidades: O Que Fazer? Competitividade e Desenvolvimento Sustentável no Brasil Senado Federal Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Rio+20 e do

Cidades: O Que Fazer? Competitividade e Desenvolvimento Sustentável no Brasil Senado Federal Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Rio+20 e do Cidades: O Que Fazer? Competitividade e Desenvolvimento Sustentável no Brasil Senado Federal Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Rio+20 e do regime internacional sobre mudanças climáticas Brasília,

Leia mais

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram 10 Sumário executivo Conclusões coordenadas pela Deloitte, em articulação com os membros do Grupo de Trabalho da AÇÃO 7 Sumário executivo Em conjunto, as empresas que implementaram estes 17 projetos representam

Leia mais

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação Cartilha para Conselhos Municipais de Educação Sistemas de ensino são o conjunto de campos de competências e atribuições voltadas para o desenvolvimento da educação escolar que se materializam em instituições,

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Política Ambiental do Sistema Eletrobrás

Política Ambiental do Sistema Eletrobrás Política Ambiental do Sistema Eletrobrás POLÍTICA AMBIENTAL DO SISTEMA ELETROBRÁS 5 OBJETIVO Orientar o tratamento das questões ambientais nas empresas do Sistema Eletrobrás em consonância com os princípios

Leia mais

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Code-P0 Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Encontro Nacional - Abracen Eventos Esportivos e os Impactos para o país São Paulo, 7 de março de 2012 Code-P1 O Brasil

Leia mais

M ERCADO DE C A R. de captação de investimentos para os países em desenvolvimento.

M ERCADO DE C A R. de captação de investimentos para os países em desenvolvimento. MERCADO DE CARBONO M ERCADO DE C A R O mercado de carbono representa uma alternativa para os países que têm a obrigação de reduzir suas emissões de gases causadores do efeito estufa e uma oportunidade

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

POLITICAS PARA AS MUDANÇAS CLIMATICAS

POLITICAS PARA AS MUDANÇAS CLIMATICAS IV FORUM DA TERRA POLITICAS PARA AS MUDANÇAS CLIMATICAS Denise de Mattos Gaudard SABER GLOBAL / IIDEL FIRJAN Rio de Janeiro Novembro 2011 O QUE ESTA ACONTECENDO COM NOSSO PLANETA? Demanda de Consumo de

Leia mais

Inventário de emissões de gases de efeito estufa. Elaboração e uso como ferramenta de gestão

Inventário de emissões de gases de efeito estufa. Elaboração e uso como ferramenta de gestão Inventário de emissões de gases de efeito estufa Elaboração e uso como ferramenta de gestão 25 de agosto de 2011 Programa Brasileiro GHG Protocol Origens Metodologia mais utilizada mundialmente para a

Leia mais

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004)

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004) 1 Segurança Alimentar e Nutricional Segurança alimentar é a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a

Leia mais

Apresentação do projeto CiViA Ciclo de Vida Aplicado

Apresentação do projeto CiViA Ciclo de Vida Aplicado Apresentação do projeto CiViA Ciclo de Vida Aplicado Agenda Sobre o GVces CiViA Contexto: ACV e o GVces Objetivos Atividades Cronograma Formas de adesão ciclo 2015 Evento de lançamento CiViA Centro de

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Viajeo Plus City Showcase in Latin America Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Nívea Oppermann Peixoto, Ms Diretora de Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil EMBARQ Brasil auxilia governos e empresas

Leia mais

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007.

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007. PROGRAMA LATINO-AMERICANO E CARIBENHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ACORDOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PLACEA: 2005-2007 1 (DOCUMENTO EM VERSÃO PRELIMINAR) Introdução: Os especialistas em Gestão Pública

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador INÁCIO ARRUDA

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador INÁCIO ARRUDA PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA, sobre o Ofício S nº 9, de 2011 (Ofício GS nº 2.097, de 22 de novembro de 2010, na origem), da Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado

Leia mais

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE Lei nº 4791/2008 Data da Lei 02/04/2008 O Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nos termos do art. 79, 7º, da Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro, de 5 de abril de 1990, não exercida

Leia mais