*Os pontos de vista expressados aqui são meus e não necessariamente representam aqueles do FDIC.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "*Os pontos de vista expressados aqui são meus e não necessariamente representam aqueles do FDIC."

Transcrição

1 Orientação Geral para Mandatos de Seguro de Depósito Eficazes Considerações importantes no Projeto de um Mandato Eficaz Disponibilidade de Recursos para um Sistema Eficaz de Seguro de Depósitos: Financiamentos, Recursos Humanos, Tecnologia da Informação Richard J. Osterman, Jr.* Diretor Jurídico Assistente Corporação Federal de Seguros de Depósitos, USA Apresentada na Quinta Conferência Anual do IADI, Novembro de 2006 Vou focalizar minhas observações em uma das importantes considerações no projeto de um mandato eficaz de seguro de depósitos: Disponibilidade de Recursos. Especificamente, Financiamentos, Recursos Humanos e Tecnologia da Informação (TI) Objetivos da Política de Sistemas de Seguros de Depósitos Os objetivos principais da política de todos os três tipos de sistemas de seguro de depósitos são para proteger os depositantes e contribuir para estabilidade financeira. Os objetivos da política pública dos sistemas de seguros sobre depósitos variam com a amplitude do mandato do sistema individual. Em geral, os objetivos da política pública de sistemas paybox são estreitos, enquanto aqueles dos sistemas paybox com poderes e riscos ampliados, minimizando os sistemas são mais abrangentes. Como o Dr. Al-Jafari observa, os recursos necessários para um sistema eficaz de seguros de depósitos variam de acordo com os três tipos de sistemas de seguro sobre depósitos, paybox, paybox com poderes ampliados, ou sistema de minimização de riscos, que um País escolhe adotar para suas necessidades. 1 *Os pontos de vista expressados aqui são meus e não necessariamente representam aqueles do FDIC. 1 As notas texto de discussão que pesquisam resultados, indicam os seguintes objetivos e papéis para os diferentes sistemas de depósitos: Objetivos da política pública dos sistemas paybox 1. Pagamento de depositantes de uma instituição financeira falida (11 em 13 sistemas) 2. Promover confiança no sistema bancário (4 em 13) 3. Promover estabilidade no sistema financeiro (2 em 13) Papel: cobrança de prêmio, gestão de financiamentos, reembolsar depositantes Objetivos da política pública de sistemas paybox ampliados 1. Pagamento de depositantes de uma instituição falida (12 em 12) 2. Manter a estabilidade financeira (12 em 12) 3. Promover poupança (2 em 12) 4. Manter o equilíbrio da economia e evitar benefícios injustificáveis aos acionistas e administradores da instituição falida (1 em 12) Papel: cobrança de prêmio, gestão de financiamentos, reembolsar depositantes, resolução de falência 1

2 Disponibilidade necessária de recursos Financiamentos Um sistema de seguro de depósito eficaz deveria incluir os mecanismos necessários para assegurar que os financiamentos adequados estejam disponíveis para reembolsar imediatamente e cobrir as despesas de operação do sistema. O custo que os membros e/ou autoridades locais estejam prontos para absorver é um fator principal na determinação do tipo de seguro de depósito, se ele deveria ter um mandato estreito ( paybox ) ou amplo (minimizador de risco). o O mandato de alguns sistemas de seguro de depósitos existentes foi rebaixado de um mandato amplo para um estreito, apenas devido a uma economia de custos. o Quando as condições financeiras parecem estar estáveis, os participantes da indústria podem fazer pressão nas autoridades regulatórias ou legislativas que tenham supervisão sobre o segurador de depósitos para limitar o papel e financiamentos do segurador. Se um método tem preferência sobre outro vai depender, em parte, em como as vantagens e desvantagens associadas com cada abordagem são vistas no contexto do projeto e objetivos da política pública do sistema de seguro de depósitos. Os financiamentos para um sistema de seguro de depósitos podem ser obtidos em bases ex-ante ou ex-post, ou através da combinação dessas abordagens. Financiamentos inadequados podem atrasar a resolução de instituições falidas e aumentar significantemente os custos. As fontes de financiamentos são fornecidas de diversas formas, incluindo: o Avaliação de prêmios das instituições dos membros, o Imposição de taxas, e o Através de apropriações governamentais, e o Através do investimento desses financiamentos em títulos do governo que pagam juros. A avaliação do prêmio poderá ser em base única ou numa escala diferencial de avaliação baseada em risco A independência da agência está ligada ao financiamento Experiência do FDIC: Objetivos da política pública dos sistemas de minimização de riscos. 1. Pagamento de depositantes ou uma instituição financeira falida (4 em 4) 2. Promover a estabilidade do sistema financeiro (4 em 4) 3. Atuar como o regulador primário de alguns bancos que assegure 4. Servir como um recebedor e liquidante das instituições falidas seguradas Papel: cobrança de prêmio, gestão de financiamentos, reembolsar depositantes, resolução de falência, supervisão (Administrar os riscos através do ciclo de vida da instituição) 2

3 o FDICIA (1991) forneceu prêmios baseados em risco -Prêmios baseados em níveis de capital e taxas de supervisão -Taxa de Reserva Designada de 1.25% dos depósitos de seguro estimados -DIFA (1996) exclui o FDIC da cobrança da maioria dos bancos quando o investimento for de 1.25% -Velho sistema contracíclico o FDIRA (2006) elimina o hard cap de 1.25% -Nova lei permite ao FDIC, gerir financiamentos numa faixa de % -Fornece dividendos de 50% acima de 1.35% e todos acima de 1.5% -Novo sistema baseado em risco: Grandes e pequenos bancos -Taxas: 2-40 pontos base, com ajustes de 3 pontos base para cima ou para baixo -Fundo Atual do FDIC em aproximadamente $ 50 bilhões Disponibilidade Necessária de Recursos Recursos Humanos Todos os tipos de sistema de seguro de depósitos precisam de autoridade para empregar e reter sua força de trabalho em bases permanentes ou temporárias, a fim de ser capaz de operar um sistema de seguro eficaz e ajustar os requerimentos dos funcionários às necessidades de mudança. A capacidade de terceirização também é importante. Um dos pré-requisitos principais de um bom funcionamento do sistema de seguro de depósitos é uma força de trabalho habilitada, honesta e dedicada. o Padrões de conduta: posição de credibilidade pública, sem conflito de interesses o Manter a confidencialidade das informações fornecidas aos empregados Para reter pessoas qualificadas a longo prazo, a força de trabalho da organização deve ser estável, tem um pacote de compensação justa e incentivos para encorajar a criatividade e progresso do local de trabalho. o Salários competitivos e outros benefícios devem estar alinhados com pacotes comparáveis, oferecidos pela indústria de serviços financeiros. 2 O segurador de depósito deve ser capaz de garantir que seus empregados recebam proteção legal e indenização contra ações legais referentes a atos cometidos pelos empregados do segurador no decurso normal das atividades de negócio da organização. O número e habilidades dos empregados de um sistema de seguro de depósitos variam com as responsabilidades do sistema. o Os sistemas "paybox precisam e empregam um número significativo menor de empregados do que os sistemas de minimização de risco ou sistemas paybox com poderes ampliados. Os empregados do sistema típico de paybox, variando de 2 a 10, e se o sistema opera em uma autarquia existente, como o Banco 2 As respostas às pesquisas indicadas, mostraram que apenas uma pequena maioria acreditou que a compensação e incentivos dados a eles pelos empregadores do segurador de depósitos são competitivas e suficientes para atrair e reter Pessoal qualificado. 3

4 Central, os empregados do Banco podem ser transferidos para o segurador de depósitos, visando auxiliar nas atividades do segurador. Custos fixos mais baixos o Sistemas de minimização de riscos ou sistemas paybox com poderes ampliados poderão empregar centenas ou mesmo milhares de funcionários, dependendo de seu mandato. Experiência do FDIC o Atualmente o FDIC tem aproximadamente 4600 empregados para realizar o seu mandato como segurador, supervisor e liquidante. o Em 1991, no auge da crise bancária e da poupança, o FDIC tinha mais de empregados, incluindo RTC. o Em 1991 a função de liquidação do FDIC, incluindo os empregados do RTC, foi suportada por mais de empregados. o Atualmente a função de liquidação do FDIC é suportada por menos de 500 pessoas. o Atualmente mais de 2500, aproximadamente, dos 4600 funcionários trabalham na Divisão de Supervisão e Proteção ao Consumo. Terceirização: Os sistemas de seguro de depósito poderão optar por manter sua força de trabalho em níveis mínimos necessários, utilizando prestadores de serviços contratados externos. O modelo de terceirização também poderá ser utilizado pelo segurador quando confrontado por uma situação de crise, na qual a necessidade do segurador por um número significativo de empregados com aptidões especializadas poderá ser esmagadora, porém temporária, até que a crise amaine. O modelo foi empregado com sucesso por diversos seguradores de depósitos, incluindo o FDIC, quando foram confrontados por um trabalho de resolução extenso que, muito embora, temporário, exigia uma atenção imediata devido a um significativo número de falências bancárias. o Em 1991, o FDIC pagou $ 700 milhões para advogados externos. o Em 2005, os honorários dos advogados externos eram de aproximadamente $6 milhões. A terceirização poderá ser utilizada pelo segurador de forma permanente para to cuidar das funções administrativas em andamento (por exemplo, contabilidade, funções de RH) ou funções de suporte técnico, como TI. Mais de dois terços dos sistemas de seguros de depósito empregam funcionários dedicados, e apenas uma parte desses sistemas utiliza empregados do setor privado para resolver as necessidades de Pessoal. o Vantagens da terceirização: flexibilidade na alocação de Pessoal em períodos ociosos. obter serviços especializados Economia significante em custos fixos o Desvantagens da terceirização: manter a qualidade do serviço a preços razoáveis de contrato perda de especialistas internos 4

5 O segurador deve ter acordos cuidadosamente redigidos com o provedor de serviço externo, relativos às questões de desempenho de qualidade a tempo hábil e custos controlados. Uma equipe de supervisão bem treinada, capaz de monitorar de forma eficaz o trabalho do provedor do serviço com relação à garantia de qualidade. O segurador de depósitos poderá manter alguns funcionários aptos e dedicados para cada função central e pessoal de supervisão aptos para supervisionar o trabalho dos contratados externos. Treinamento: Um elemento chave na manutenção de uma força de trabalho especializada é o segurador depósitos fornecer cursos de treinamento, de forma regular, para os funcionários da organização. Cursos de treinamento bem planejados e executados, possibilitam aos empregados aprofundar e atualizar seus níveis de habilidades em suas áreas de especialização e também expandir seu escopo de interesses ou habilidades para outras funções significativas da organização. Organização do treinamento: o Na instituição, o treinamento poderá ser em base coerente ou conforme as necessidades o Poderá ter como alvo audiências menores, desta forma fazendo-o uma ferramenta eficaz o Fora da instituição: os cursos poderão ser desenvolvidos e apresentados a outros participantes da rede de segurança, dividindo problemas similares e procurando soluções integradas. Devido ao papel crescente de questões de inter-relacionamento a nível internacional, aumentando as exposições de risco multinacionais e as preocupações pela estabilidade financeira regional, os seguradores de depósitos precisam de cursos de treinamento para os empregados para aumentar seu conhecimento especializado em monitorar atividades internacionais e suas repercussões no risco de seguro. Muito embora, o treinamento e desenvolvimento de Pessoal de forma contínua,devesse ser uma prática rotineira pelos seguradores de depósito, esse não é o caso o Mais de 40% dos sistemas pesquisados, não treinam seu Pessoal absolutamente. Essa falta de treinamento e desenvolvimento do empregado prevalece nos sistemas paybox, que poderá ser devido aos orçamentos apertados, poucos funcionários e terceirizados e funções centrais limitadas. o Ao contrário, os sistemas paybox com poderes ampliados e sistemas de minimização de riscos, reservam amplos orçamentos para treinamento e desenvolvimento de empregados, devido às funções e desafios mais complicados que esses sistemas enfrentam e sendo-lhes exigido estar atualizados com o conhecimento e práticas atuais. 5

6 Experiência do FDIC: o Universidade Corporativa: o treinamento e desenvolvimento da agência auxiliam na missão e objetivos de negócio do FDIC através de alta qualidade, aprendizado e desenvolvimentos contínuos com eficácia de custos. Três universidades: Negócios Corporativos, Desenvolvimento da Liderança, Operações Corporativas Oferece salas de aula e cursos no computador Reguladores estaduais, estrangeiros e federais participam das aulas Universidade Corporativa Outras oportunidades de treinamento externo o Programa CEP: mobilidade e experiência inter-organizacional o FFIEC: treinamento conjunto para reguladores financeiros federais o Orçamento de Treinamento para 2005, aproximadamente 2.4% do orçamento total Disponibilidade de recursos necessários - Tecnologia da Informação A tecnologia da informação (aplicações de hardware e software) precisa estar implantada em todos os sistemas de seguro de depósitos. Os sistemas de seguro de depósitos precisam do suporte de TI em todas as áreas funcionais. A qualidade da tecnologia da informação é um elemento crucial no atendimento bem sucedido no mandato do sistema.. A função mais importante e básica de todos os sistemas de seguro de depósitos é de reembolsar os depositantes imediatamente, no caso de uma falência bancária, então as autoridades devem reservar um orçamento suficiente e adequado para o suporte de TI dessa função. Um segurador de depósito deve instalar um sistema de TI, tão complexo quanto o mandato do sistema de segurança exigir. Deve conhecer os sistemas de TI dos bancos que estão segurados e ser capaz de fazer interface com esses sistemas. Sistemas de seguro com funções paybox" ampliadas ou minimização de riscos precisam de suporte de TI maior e mais complexo, de acordo com o escopo de suas funções. A monitoração das funções de gestão de ativos, liquidação ou concordatas, assim como risco do empreendimento. Para um sistema a tempo hábil, preciso e bem sucedido, o dinheiro a ser investido nas capacidades técnicas de TI, não pode ser economizado para um momento de crise, para a disponibilidade do sistema técnico de TI, visando auxiliar no mandato do segurador é tão importante atualmente, quanto reter recursos humanos especializados. A terceirização de sistemas de TI completos, incluindo os dispositivos de hardware, pode ser vantajoso para manter os custos operacionais em níveis otimizados, especialmente para esquemas que tenham funções amplas e grande quantidade de funcionários, como os sistemas paybox ampliados e minimizadores de riscos. 6

7 Sistemas de seguro de depósitos, especialmente os sistemas de minimização de riscos, devem construir plataformas avançadas de dados de comunicação para dividir informações e dados entre o segurador de depósitos e os supervisores do banco. A porcentagem de quanto um orçamento de sistema de seguro é dedicado ao TI depende das funções e mandato do sistema. o Em geral os sistemas paybox gastam de 1-2% de seu orçamento operacional anual com TI. o Paibox com poderes ampliados aloca 5-6% do orçamento operacional anual para TI, o Sistemas de minimização de riscos gastam de 6-10% de seu orçamento anual com TI. o No FDIC, TI compõe aproximadamente 18% do orçamento. Manter a infra-estrutura e a arquitetura que sejam confiáveis, adaptáveis e orientadas pelas exigências de mudança da tecnologia do negócio. Promover a segurança da TI, assegurando integridade, confidencialidade e disponibilidade das informações corporativas. Fornecer meios eficazes de custos para alcançar os resultados de negócios e melhorar a eficiência. Relatórios trimestrais das condições arquivadas eletronicamente por todas as instituições financeiras federais seguradas, incluindo dados do depósito, outras informações financeiras Proposta para dados de depósito padronizados para instituições de grande porte. CONCLUSÃO Quanto maior os objetivos ou mandatos, mais recursos serão exigidos. Os financiamentos devem ser adequados para pagar os depositantes e as operações. o Financiamentos inadequados podem atrasar a resolução de instituições falidas e aumentar significativamente os custos. Um grupo de funcionários dedicados e competentes é essencial, mesmo que a terceirização seja utilizada. o O segurador de depósitos poderá desejar manter alguns funcionários dedicados e especializados para cada função central e pessoal habilitado de supervisão, supervisionando o trabalho dos contratados externos. o Treinamento é um elemento chave na manutenção de trabalho especializado. TI é fundamental para dar suporte ao mandato do segurador. 7

A Reforma no Seguro de Depósitos nos Estados Unidos

A Reforma no Seguro de Depósitos nos Estados Unidos Comentários de Martin J. Gruemberg, Vice Presidente, FDIC Quinta Conferência Anual da Associação Internacional de Seguradores de Depósito Rio de Janeiro, Brasil 16 de novembro de 2006 Boa tarde. Obrigado

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Pesquisa de Remuneração

Pesquisa de Remuneração Pesquisa de Remuneração Por OD&M BÓSNIA BRASIL BULGÁRIA CROÁCIA ITÁLIA LITUÂNIA MACEDÔNIA MONTENEGRO SÉRVIA ESLOVÊNIA www.odmconsulting.com.br 02 GI GROUP APRESENTA OD&M CONSULTING NOVAS SOLUÇÕES A MESMA

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

A mudança na aquisição de soluções de tecnologia da informação. O que significa para a TI e a linha de negócios (LOB)

A mudança na aquisição de soluções de tecnologia da informação. O que significa para a TI e a linha de negócios (LOB) A mudança na aquisição de soluções de tecnologia da informação Maio de 2014 O novo comprador de tecnologia e a mentalidade de aquisição Existe hoje um novo comprador de tecnologia da informação Esse comprador

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios

Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios IBM Global Technology Services White Paper Novembro de 2010 Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios Ajudando os negócios a permanecerem competitivos 2 Serviços IBM de Resiliência e Continuidade

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL A Sytel Reply foi comissionada por uma grande operadora global de Telecom para o fornecimento de um Service Assurance de qualidade.

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 02 Áreas e Profissionais de TI Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos

Leia mais

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança.

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança. EMC Consulting Estratégia visionária, resultados práticos Quando a informação se reúne, seu mundo avança. Alinhando TI aos objetivos de negócios. As decisões de TI de hoje devem basear-se em critérios

Leia mais

Análise do Ambiente estudo aprofundado

Análise do Ambiente estudo aprofundado Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Análise do Ambiente estudo aprofundado Agenda: ANÁLISE DO AMBIENTE Fundamentos Ambientes

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente;

ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente; ITIL ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente; ITIL Mas o que gerenciar? Gerenciamento de Serviço de TI. Infra-estrutura

Leia mais

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos APTRA PASSPORT DA NCR Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos Uma maneira melhor para os seus clientes depositarem cheques Bancos e instituições financeiras continuam a enfrentar os desafios

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

MBA: Master in Project Management

MBA: Master in Project Management Desde 1968 MBA: Master in Project Management Projetos e Tecnologia da Informação FMU Professor: Marcos A.Cabral Projetos e Tecnologia da Informação Professor Marcos A. Cabral 2 Conceito É um conjunto de

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

Sugestões do FGC para uma Orientação Internacional de Seguro Depósito

Sugestões do FGC para uma Orientação Internacional de Seguro Depósito Sugestões do FGC para uma Orientação Internacional de Seguro Depósito (Abril, 2002) Ana Carla Abraão Costa Economista Os sistemas de seguro depósito, a par dos problemas de perigo moral e seleção adversa

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem

Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem White paper Para provedores de nuvem Uma abordagem estratégica para atender à demanda de Nuvem Introdução: os novos desafios dos clientes estimulam a adoção da nuvem Em um ambiente de negócios dinâmico,

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

10 Minutos sobre o desempenho da função financeira

10 Minutos sobre o desempenho da função financeira 10Minutos Conquistando vantagem competitiva 10 Minutos sobre o desempenho da função financeira Fevereiro 2013 O segredo está em investir mais em pessoas, sistemas e estruturas, não em gastar menos O papel

Leia mais

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Nilson de Lima Barboza, MBA Valdir Jorge Mompean, MS, MBA Malcolm McLelland, Ph.D. 23 June

Leia mais

ITIL. Information Technology Infrastructure Library

ITIL. Information Technology Infrastructure Library Information Technology Infrastructure Library 34929 - Daniel Aquere de Oliveira 34771 - Daniel Tornieri 34490 - Edson Gonçalves Rodrigues 34831 - Fernando Túlio 34908 - Luiz Gustavo de Mendonça Janjacomo

Leia mais

3º ENCONTRO ANUAL DA AACE

3º ENCONTRO ANUAL DA AACE 3º ENCONTRO ANUAL DA AACE 1 Empresas de Construção: Seleção de Projetos, Gestão e Controles para Atingir as Metas de Desempenho Patricia Atallah Gestão e Planejamento Estratégico são Cruciais para uma

Leia mais

Como os sistemas de informação afetarão as carreiras relacionadas a negócios. Administração de Sistema de Informação I

Como os sistemas de informação afetarão as carreiras relacionadas a negócios. Administração de Sistema de Informação I Como os sistemas de informação afetarão as carreiras relacionadas a negócios Administração de Sistema de Informação I Contabilidade Os contadores contam cada vez mais com os sistemas de informação para

Leia mais

INFO Network: Abordagens eficazes a princípios fundamentais

INFO Network: Abordagens eficazes a princípios fundamentais INFO Network: Abordagens eficazes a princípios fundamentais Setembro de 2014 A International Network of Financial Services Ombudsman Schemes (a INFO Network) é a associação mundial de ouvidores/ombudsmen

Leia mais

Sumário. Gerenciamento de serviços de TI terceirizados usando ITIL e ITSM. Boletim técnico

Sumário. Gerenciamento de serviços de TI terceirizados usando ITIL e ITSM. Boletim técnico Gerenciamento de serviços de TI terceirizados usando ITIL e ITSM Boletim técnico Sumário Resumo executivo...................................................2 A oportunidade do Gerenciamento de Serviços

Leia mais

Capítulo 1. Os sistemas de informação empresariais na sua carreira. 1.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall

Capítulo 1. Os sistemas de informação empresariais na sua carreira. 1.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Capítulo 1 Os sistemas de informação empresariais na sua carreira slide 1 1.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Como os sistemas de informação estão

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

Análise das Necessidades do Cliente da SKF. Energia e Sustentabilidade

Análise das Necessidades do Cliente da SKF. Energia e Sustentabilidade Análise das Necessidades do Cliente da SKF Energia e Sustentabilidade Análise das Necessidades do Cliente da SKF Energia e Sustentabilidade A indústria responde por um terço de todo o consumo de energia.

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA Permissão obtida junto ao proprietário dos direitos autorais, The Institute of Internal Auditors, 247 Maitland Avenue, Altamonte Springs, Florida 32701-4201, USA, para publicar esta tradução, a qual reflete

Leia mais

Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador

Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador Faça mais, com menos: Como crescer em um mercado de trabalho desafiador Investir em pessoal com um programa de gestão de desempenho permite que uma operação de abastecimento não só sobreviva, mas cresça

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS I. Introdução Este Manual de Gestão de Cargos e Salários contempla todas as Áreas e Equipamentos da POIESIS e visa a orientar todos os níveis de gestão, quanto às

Leia mais

IBM Software IBM Business Process Manager Simples e Poderoso

IBM Software IBM Business Process Manager Simples e Poderoso IBM Software IBM Business Process Manager Simples e Poderoso Uma única plataforma BPM que oferece total visibilidade e gerenciamento de seus processos de negócios 2 IBM Business Process Manager Simples

Leia mais

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Malcolm McLelland, Ph.D. Nilson de Lima Barboza, MBA Valdir Jorge Mompean, MS, MBA 16 October

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Por Maria Luiza Panchihak Este artigo apresenta os benefícios do gerenciamento de projetos e mostra a importância desse processo, dentro de uma organização, para

Leia mais

A Estrutura do FGC Vis-à-vis o Documento Básico do Grupo de Estudos em Seguro Depósito

A Estrutura do FGC Vis-à-vis o Documento Básico do Grupo de Estudos em Seguro Depósito A Estrutura do FGC Vis-à-vis o Documento Básico do Grupo de Estudos em Seguro Depósito (Abril 2002) Ana Carla Abraão Costa Economista I Introdução O Grupo de Estudos de Seguro Depósito identificou algumas

Leia mais

Manual Administrativo. A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009

Manual Administrativo. A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009 Manual Administrativo A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009 Teresina 07/10/2009 SUMÁRIO Empresa Júnior ICF 03 Áreas de atuação da A.D.M Consultoria Jr. 04 Organograma 08 Competências 09 Das Atribuições do

Leia mais

Fábrica de Software Fatores motivadores, restrições e tendências

Fábrica de Software Fatores motivadores, restrições e tendências Fábrica de Software Fatores motivadores, restrições e tendências Aguinaldo Aragon Fernandes Agenda Revisitando o conceito e escopo da fábrica de software Implicações do uso do conceito de Fábrica de Software

Leia mais

www.portaldoaluno.info GERENCIAMENTO EM TI Professor: André Dutton

www.portaldoaluno.info GERENCIAMENTO EM TI Professor: André Dutton GERENCIAMENTO EM TI Professor: André Dutton 1 BASES TECNOLÓGICAS Direcionadores do uso de tecnologia da informação. Uso de Tecnologia da Informação nas organizações. Benefícios do uso de Tecnologia de

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE Ética para viver Ética para viver MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro colaborador, A Bandeirante possui missão, visão e valores definidos. Eles estão discriminados em um documento amplamente difundido dentro e

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI GUIA PARA MELHORAR O SEU Principais Práticas para a Proteção de PI PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI 2013 Centro para Empreendimento e Comércio Responsáveis TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 1: Introdução à Proteção

Leia mais

Alavancando a segurança a partir da nuvem

Alavancando a segurança a partir da nuvem Serviços Globais de Tecnologia IBM White Paper de Liderança em Pensamento Serviços de Segurança IBM Alavancando a segurança a partir da nuvem O quem, o que, quando, por que e como dos serviços de segurança

Leia mais

Papel da Auditoria Interna na Gestão de Riscos para as Sociedades Cooperativas

Papel da Auditoria Interna na Gestão de Riscos para as Sociedades Cooperativas Papel da Auditoria Interna na Gestão de Riscos para as Sociedades Cooperativas Dario Fonseca Junior TITULAÇÃO MBA Controladoria, Auditoria e Tributos pela Fundação Getúlio Vargas MBA Gestão Empresarial

Leia mais

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com 1 Information Technology Infrastructure Library 2 O que é o? Information Technology Infrastructure Library é uma biblioteca composta por sete livros

Leia mais

Práticas recomendadas para o sucesso da migração de dados

Práticas recomendadas para o sucesso da migração de dados Documento técnico Práticas recomendadas para o sucesso da migração de dados Embora a transição para o software CAD 3D aumente significativamente o desempenho dos negócios, o investimento levanta questões

Leia mais

TI como serviço: Iniciativa em andamento

TI como serviço: Iniciativa em andamento TI como serviço: Iniciativa em andamento Resumo executivo Computação em nuvem, virtualização, mobilidade: Individualmente, essas tendências tecnológicas vêm trazendo mudanças enormes para as organizações

Leia mais

Metodologia de Auditoria com Foco em Riscos.

Metodologia de Auditoria com Foco em Riscos. Metodologia de Auditoria com Foco em Riscos. 28 de Novembro de 2003 Dados do Projeto Colaboradores: Bancos ABN Amro Real Banco Ficsa Banco Itaú Banco Nossa Caixa Bradesco Caixa Econômica Federal HSBC Febraban

Leia mais

2 nd Regulatory Summit

2 nd Regulatory Summit 2 nd Regulatory Summit Gestão de Riscos - a avaliação e estratégias para mitigá-los, como processo essencial da boa Governança e de vantagem competitiva Setembro de 2014 Contexto Global A crise de 2008

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Prof.: Gilberto Onodera

Prof.: Gilberto Onodera Automação de Sistemas Prof.: Gilberto Onodera Aula 21-maio maio-2007 Revisão Conceitos de Macro-economia: Globalização Objetivo: Entender os principais drivers de mercado Economia de escala Paradigma da

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS Finanças DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

Soluções de Output LRS

Soluções de Output LRS Soluções de Output LRS Enormes economias de custo estão aguardando L O G O A B A I X O D A S U P E R F Í C I E Organizações de todos os tamanhos enfrentam um desafio singular: reduzir dramaticamente os

Leia mais

TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIA-BRASIL S.A

TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIA-BRASIL S.A TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIABRASIL S.A. TBG PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO Edital PSPGEPE01/2007 De 16/10/2007 A

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO CA IT Asset Manager como gerenciar o ciclo de vida de ativos, maximizar o valor dos investimentos em TI e obter uma exibição do portfólio de todos os meus ativos? agility made possible

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Guia de Estudo Vamos utilizar para a nossa disciplina de Modelagem de Processos com BPM o guia

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Professor Samuel Graeff prof.samuel@uniuv.edu.br COBIT O que e? COBIT significa Control Objectives for Information and related Technology - Objetivos

Leia mais

Gestão da Inovação SEMINÁRIO Strategic Management of Technology and Innovation Maidique, Burguelman e Wheelwright

Gestão da Inovação SEMINÁRIO Strategic Management of Technology and Innovation Maidique, Burguelman e Wheelwright Gestão da Inovação SEMINÁRIO Strategic Management of Technology and Innovation Maidique, Burguelman e Wheelwright Ambiente Organizacional voltado a inovação As 6 chaves para o Sucesso Foco Flexibilidade

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

Horizons. O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Cisco IBSG Horizons Study. Introdução

Horizons. O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Cisco IBSG Horizons Study. Introdução O impacto financeiro da consumerização de TI As 10 principais percepções do Study Jeff Loucks/Richard Medcalf Lauren Buckalew/Fabio Faria O número de dispositivos de consumerização de TI nos seis países

Leia mais

Gerenciamento inteligente em assistência médica

Gerenciamento inteligente em assistência médica Honeywell Building Solutions (unidade de negócio de automação predial) TECNOLOGIA INOVADORA ALCANÇA RESULTADOS MENSURÁVEIS Gerenciamento inteligente em assistência médica Como líder do setor e especialista

Leia mais

Segurança do governo eletrônico

Segurança do governo eletrônico 1. Introdução O governo está empenhado em fornecer programas e serviços de modo que atenda às necessidades de empresas e cidadãos que necessitam desses recursos. Para aumentar a demanda desses serviços,

Leia mais

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES JANEIRO 2013 ÍNDICE DE CONTEÚDOS Introdução...1 Antes das Três Linhas: Supervisão do Gerenciamento

Leia mais

Liderança e tecnologia: insights sobre mobilidade e BYOD (bring-your-own-device, traga seu próprio dispositivo) para empresas de médio porte

Liderança e tecnologia: insights sobre mobilidade e BYOD (bring-your-own-device, traga seu próprio dispositivo) para empresas de médio porte WHITE PAPER Liderança e tecnologia: insights sobre mobilidade e BYOD (bring-your-own-device, traga seu próprio dispositivo) para empresas de médio porte Patrocinado pela Cisco Systems, Inc julho de 2013

Leia mais

Governança de TIC. CobiT 4.1

Governança de TIC. CobiT 4.1 Governança de TIC CobiT 4.1 Conceitos Governança: A expressão governar tem origem na expressão navegar... E o que quem navega faz? Ele faz um mapa, dá a direção, faz as regras de convivência. Tomáz de

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS Treinamento ISO 20000 Foundation Presencial ou EAD O Gerenciamento de Serviços de TI tem como foco o fornecimento eficiente e eficaz de serviços que assegura a satisfação

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual

Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual Nossa Visão e Nossos Valores Compartilhar uma única ambição é a chave para a história de sucesso do BTG Pactual. Ela só poderá ser atingida através

Leia mais

POL 004 Rev. A POP, Código de Conduta

POL 004 Rev. A POP, Código de Conduta Página 1 de 7 A LDR é uma empresa de equipamentos médicos comprometida com o desenvolvimento, marketing, distribuição e venda de implantes vertebrais para implantação em seres humanos no tratamento de

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Compreendendo o Papel do Conselho Diretor nas Organizações Sem Fins Lucrativos

Compreendendo o Papel do Conselho Diretor nas Organizações Sem Fins Lucrativos Compreendendo o Papel do Conselho Diretor nas Organizações Sem Fins Lucrativos Entrevista com Marla Bobowick - BoardSource* A Revista IntegrAção realizou em primeira mão uma entrevista com Marla Bobowick,

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA PORTO SEGURO INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DESCRITIVO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA PORTO SEGURO INVESTIMENTOS RELATÓRIO DESCRITIVO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA PORTO SEGURO INVESTIMENTOS 1. CONTEXTO A Porto Seguro Investimentos é uma Instituição Financeira privada, constituída em 8 de abril de 1991,

Leia mais

Agenda. Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI

Agenda. Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI Governança de TI Agenda Visão Geral Alinhamento Estratégico de TI Princípios de TI Plano de TI Portfolio de TI Operações de Serviços de TI Desempenho da área de TI Modelo de Governança de TI Uso do modelo

Leia mais

EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000

EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000 Exame simulado EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

Alta performance: a base para os nossos clientes, a base para o seu futuro.

Alta performance: a base para os nossos clientes, a base para o seu futuro. Alta performance: a base para os nossos clientes, a base para o seu futuro. www.accenture.com.br/carreiras www.facebook.com/accenturecarreiras www.twitter.com/accenture_vagas Quem somos A Accenture é uma

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais 2 www.nbs.com.br Soluções eficazes em Gestão de Negócios. Nossa Visão Ser referência em consultoria de desenvolvimento e implementação de estratégias, governança, melhoria

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Introdução A GOVERNANÇA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Introdução A GOVERNANÇA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Introdução A GOVERNANÇA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Referências Gerenciamento Estratégico da Informação. Aumente a Competitividade e a eficiência de sua empresa utilizando a informação como ferramenta

Leia mais

LEI Nº176, DE 9 de DEZEMBRO DE 1949. Capítulo _ I Da organização, Fins e Jurisdição

LEI Nº176, DE 9 de DEZEMBRO DE 1949. Capítulo _ I Da organização, Fins e Jurisdição LEI Nº176, DE 9 de DEZEMBRO DE 1949. REGULA O BANCO MUNICIPAL DA PRODUÇÃO DE ANÁPOLIS. A CÂMARA MUNICIPAL decreta e eu PREFEITO MUNICIPAL sanciono a seguinte lei: Capítulo _ I Da organização, Fins e Jurisdição

Leia mais