Palavras-chave: terceirização; relações de trabalho; administração pública.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras-chave: terceirização; relações de trabalho; administração pública."

Transcrição

1 TERCEIRIZAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO DO SERPRO Daniely Gouvêa Monteiro Rocha 1 Resumo A contratação de terceiros é vista pelas organizações, públicas e privadas, como sinal de modernidade, flexibilidade, eficiência e lucratividade. Porém, recentes estudos demonstram como as novas relações de trabalho do capitalismo global afetaram de forma subjetiva e objetiva toda a gama de trabalhadores. Atualmente, a maioria dos órgãos públicos contrata diferentes funcionários através de empresas privadas de terceirização, o que em muitos casos, está associado a irregularidades licitatórias e degradação das condições da mão de obra. Assim, este projeto de pesquisa fará um estudo de caso da empresa pública SERPRO (Serviço Federal de Processamento de Dados), vinculada ao Ministério da Fazenda, cujo negócio é a prestação de serviços em Tecnologia da Informação e comunicação para o setor público, buscando avaliar sua experiência na terceirização de mão-de-obra para organismos federais. Para delimitar o estudo, será avaliada a terceirização de funcionários do SERPRO para a Receita Federal. É digno de nota que este projeto de pesquisa não pretende propor soluções para a terceirização no setor privado. A questão central consiste em avaliar, na administração pública, a utilização da terceirização como estratégia de redução de custos, as conseqüências na relação. Palavras-chave: terceirização; relações de trabalho; administração pública. 1. Introdução A partir dos anos 80, a maior abertura do mercado brasileiro à concorrência externa fez com que uma parcela significativa das empresas brasileiras passasse a adotar novos padrões organizacionais importados dos países desenvolvidos. Os principais objetivos residiam na redução dos custos, focalização da empresa em sua atividade fim e busca desenfreada de aumento da eficiência e da produtividade. O outsourcing ou terceirização foi um dos procedimentos mais adotados. A grave crise fiscal dos anos 80 e a conseqüente redefinição do papel do Estado, fez com que a terceirização passasse a ser mais freqüente na Administração Pública. Convém ressaltar que o setor público não tem o mesmo objetivo de lucratividade e competitividade que o setor privado. Neste contexto, diversas atividades foram sendo progressivamente terceirizadas, principalmente as que envolvem trabalho simples e repetitivo, como os de limpeza, segurança, 1 Aluna do Mestrado Acadêmico em Administração da Universidade Federal Fluminense Rua Mário Santos Braga, 30-7º andar Sala 701 Centro Niterói- RJ Tel: (21) ;

2 2 serviços de informática, virando, de tal modo, sinônimo de modernização, eficiência, competitividade, lucratividade e flexibilidade. O tema da terceirização (outsorcing) tem motivado pesquisas de administradores, economistas, advogados, cientistas políticos, sociólogos, psicólogos, tecnólogos da informação, profissionais do Serviço Social, dentre outros campos de atuação profissional, demonstrando um caráter nitidamente transdiciplinar. Em uma breve revisão da literatura, diversos pesquisadores defendem que o trabalhador está em desvantagem dentro desse processo, sendo alvo de diversas situações que fragilizam e afrontam a sua saúde e a sua condição de força de trabalho. Enquanto esta corrente coloca a condição do trabalhador no cerne da análise do processo de terceirização, outros pesquisadores defendem uma corrente mais ortodoxa e utilitarista, centrada na lógica de redução de custos e maximização dos retornos para as firmas contratantes. A precarização do trabalho terceirizado está associada ao fato dos contratos de terceirização, na maioria das vezes, não serem estruturados levando-se em conta a qualidade nas relações de trabalho. A decisão pela terceirização pauta-se, sobretudo, pela ênfase na redução dos custos financeiros para as empresas. Esta redução, diretamente reversível aos acionistas, se dá às custas da pauperização das condições de trabalho. Na Administração Pública Brasileira, as conseqüências negativas da terceirização são ainda maiores. Podemos perceber que sua utilização pode gerar diversas distorções, tais como: nepotismo (participações cruzadas dos governantes e familiares em firmas prestadoras de serviços contratadas por suas administrações), desrespeito as leis relativas ao Concurso Público, fraudes e corrupção nos processos licitatórios (o que pode ser demonstrado pelos levantamentos feitos pelo TCU e CGU), corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, dentre outras. Devido aos males ocasionados, há uma necessidade imediata de se estudar e repensar essa prática de gestão flexível adotada pelas modernas organizações com o intuito de ajudar a diminuir os danos causados na vida do trabalhador e da sociedade. 2. Objetivos 2.1 Objetivo Geral Atualmente, a maioria dos órgãos públicos contrata diversos funcionários através de empresas terceirizadas, o que em muitos casos, está associado a irregularidades licitatórias e

3 3 degradação das condições da mão de obra (sobretudo em decorrência das condutas predatórias dos leilões reversos). O presente trabalho fará uma análise detalhada da empresa pública SERPRO (Serviço Federal de Processamento de Dados), vinculada ao Ministério da Fazenda, cujo negócio é a prestação de serviços em Tecnologia da Informação e comunicação para o setor público, buscando avaliar sua larga experiência na terceirização de mão-de-obra para organismos federais. O presente projeto de pesquisa pretende analisar a utilização da terceirização na administração pública, buscando identificar suas conseqüências como estratégia de redução de custos e suas implicações sobre as relações de trabalho e a vida dos trabalhadores. Cabe frisar que o modelo utilizado pelo SERPRO parece ser substancialmente diferente dos processos usuais de terceirização contratados pelo setor público, o que corrobora a pertinência deste estudo de caso. 2.2 Objetivos Específicos A empresa pública SERPRO foi criada em dezembro de 1964, pela Lei nº4.516, com o objetivo de modernizar e dar agilidade a setores estratégicos da administração pública brasileira. Seu negócio é a prestação de serviços de tecnologia da informação e comunicação, onde desenvolve programas e serviços que permitem dar maior controle e transparência sobre a receita e os gastos públicos. O SERPRO atende os órgãos da Administração Pública Federal, Estadual e Municipal. Alguns dos seus principais serviços desenvolvidos são: declaração do Imposto de Renda, os sistemas que controlam o comércio exterior brasileiro (Siscomex), Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), Portal de Compras do Governo Federal (ComprasNet) e Cadastro de Pessoa Física (CPF). A empresa está sediada em Brasília e possuí Escritórios Regionais em 11 capitais. Nos demais estados a empresa mantém Escritórios de Serviços. O SERPRO conta com mais de 11 mil empregados e o acesso aos quadros da empresa acontece via concurso público, conforme prevê a Constituição Federal de Assim, o presente trabalho buscará atingir aos seguintes objetivos específicos: Apresentar um panorama teórico e prático (estudo de caso) da condição do trabalhador frente à flexibilização do capitalismo moderno e seus impactos sobre as relações de trabalho na administração pública;

4 4 Analisar a construção do discurso econômico que dá embasamento a prática da terceirização, assim como as correntes críticas em relação a esta questão; Comparar o peso atribuído a lógica econômica e aos aspectos subjetivos da relação de trabalho nos contratos de terceirização que a Administração Pública tem celebrado com a iniciativa privada; Examinar mais profundamente a estrutura e como se dão as relações de trabalho no SERPRO; Verificar as vantagens e desvantagens do modo de condução da prestação de serviços do SERPRO em relação aos padrões usuais dos contratos de terceirização (via licitação); Examinar uma amostra de contratos de prestação de serviços do SERPRO. 3. Delimitação do Tema A contratação de terceiros é vista pelas organizações, públicas e privadas, como sinal de modernidade, flexibilidade, eficiência e lucratividade. Porém, diversos estudos mostram como as novas relações de trabalho do capitalismo global afetaram de forma subjetiva e objetiva toda a gama de trabalhadores. De forma objetiva, podemos constatar que a terceirização precarizou as condições de trabalho, diminuiu os salários, aumentou a carga de trabalho e responsabilidade sobre o trabalhador, diminuiu benefícios, garantias trabalhistas e aumentou a rotatividade no emprego. De forma subjetiva, podemos perceber que o trabalhador ficou mais inseguro com o seu futuro, aumentou o número de doenças físicas e psíquicas como estresse, depressão, ansiedade, além do aumento do sofrimento subjetivo. Há uma ampla produção acadêmica que analisa estes efeitos. Assim, o presente trabalho analisará as atuais formas de precarização do trabalho e a utilização da terceirização como estratégia de redução de custos na administração pública e buscará responder ao seguinte problema: Quais são as vantagens e desvantagens do modo de operação de uma empresa pública de prestação de serviços? Para delimitar o estudo, será avaliada a terceirização de funcionários do SERPRO para a Receita Federal. É digno de nota que este projeto não pretende propor soluções para a terceirização praticada no setor privado. A questão central consiste em fazer um diagnóstico da

5 5 terceirização que ocorre na Administração Pública Federal. O SERPRO pode ser utilizado como microcosmo para se avaliar a pertinência deste tipo de terceirização praticado na Administração Pública e as possibilidades de uso em outras esferas, tais como empresas de economia mista (controladas pela União), instituições sem fins lucrativos que recebem uma grande quantia de transferências governamentais (como por exemplo, o Sistema S Sebrae, SESI, SENAC) e outros órgãos da administração direta. 4. Hipóteses e Suposições O pressuposto é de que os processos de terceirização na administração pública brasileira estão sendo pautados demasiadamente pela lógica econômica, deixando de lado, diversos aspectos subjetivos referentes a dimensão humana do trabalhador. Dessa forma, a terceirização no setor público vem gerando um aumento do número de postos de trabalho precários, ausência de direitos trabalhistas e superexploração da força de trabalho. Outra suposição é que o modelo de prestação de serviços adotado no SERPRO é mais benéfico para a sociedade e para o trabalhador quando comparadas com empresas privadas que prestam serviços para a administração pública. Entre os benefícios, estão: maior estabilidade, maior dignidade para o trabalhador, menor fragmentação da classe trabalhadora e garantia de todos os direitos trabalhistas. 5. Metodologia Tendo em vista o caráter multidisciplinar do tema, a contemporaneidade e a vasta gama de informações sobre o assunto, a pesquisa qualitativa se tornou a mais apropriada. Dessa forma, será realizado um estudo de caso sobre a empresa pública SERPRO, cujo negócio é a prestação de serviços na área de TI. O presente estudo de caso servirá para descrever as peculiaridades, o modelo de gestão, a estrutura organizacional e o perfil de uma empresa pública de prestação de serviços que existe de fato. Serão feitas, também, entrevistas com alguns funcionários do SERPRO para esclarecer a forma como a terceirização é vista pela empresa. A escolha da empresa pública SERPRO levou em consideração o fato de sua atividade ser a prestação de serviços para o setor público, o seu porte e sua abrangência nacional.

6 6 Segundo Yin (2010, p.39), a utilização de estudo de caso se dá quando desejamos entender um fenômeno da vida real em profundidade, mas esse entendimento engloba importantes condições contextuais. A escolha do estudo de caso se justifica, pois servirá para esclarecer e evidenciar como a terceirização de mão-de-obra está sendo empregada e administrada por uma empresa pública de prestação de serviços. A pesquisa fará levantamento bibliográfico de reflexões teóricas sobre os efeitos da terceirização em relação à condição física e psíquica da classe trabalhadora para compreender melhor os custos sociais decorrentes desta prática administrativa, além de contextualizar a terceirização dentro da lógica do capitalismo global. Para avaliar a importância dos fatores econômicos nas decisões de terceirização, será feito uma pesquisa exploratória em alguns contratos de terceirização do SERPRO, assim como entrevistas com uma amostra de funcionários e gestores do SERPRO. 6. Referencial Teórico Os estudos sobre terceirização estão presentes em diversas áreas do conhecimento. Os estudos realizados por consultores de empresas e adeptos de uma linha mais liberal adotam um enfoque técnico e centrado na delimitação dos procedimentos e critérios necessários para que a opção pela terceirização seja bem sucedida e sem problemas judiciais para as empresas. (DRUCK, 2008). Chama atenção que estudos que privilegiam uma abordagem empírica, sobretudo nos campos da sociologia, administração e psicologia, têm demonstrado que a prática da terceirização, como política de gestão flexível do trabalho, é a responsável pela precarização das condições de trabalho, do emprego e da saúde. (DRUCK, 2008). Dentro dessa linha crítica de pensamento se encontra Antunes (2010). O autor enaltece que a crise estrutural do capital, ocorrida em fins dos anos 60 e início dos anos 70, fez com que o mundo produtivo se reestruturasse e reorganizasse, através da eliminação, transferência, terceirização e enxugamento das unidades produtivas, com vistas a retomada do seu patamar de acumulação e ao seu projeto global de dominação. De acordo com o autor, essa nova estrutura produtiva mais flexível, passou a requerer um trabalhador polivalente, multifuncional, qualificado e com "envolvimento participativo". Em verdade, este discurso de participação está concatenado com os anseios de dominação

7 7 sobre o trabalhador, reforçando a sua condição de trabalho alienado e estranhado. Este processo intensifica as condições de exploração do trabalhador. As mudanças no processos produtivos tem reflexo imediato no mundo do trabalho, tais como: enorme desregulamentação dos direitos do trabalho, aumento da fragmentação no interior da classe trabalhadora (competição predatória), precarização e terceirização da força humana que trabalha, destruição do sindicalismo de classe e sua conversão num sindicalismo dócil, de parceria, ou mesmo em um "sindicalismo de empresa". (ANTUNES, 2009). Sennett (2005) argumenta que o novo capitalismo, ao atacar a burocracia rígida e enfatizar o risco, diz que a flexibilidade dá às pessoas mais liberdade para moldar suas vidas. Porém, na verdade, essa nova ordem impõe novos controles difíceis de entender, em vez de simplesmente abolir as regras do passado. Assim, é exigido do trabalhador maior flexibilidade e adaptação as mudanças; resultados ágeis e de curto prazo e maior comprometimento e dedicação, tornando a instabilidade como algo normal de suas vidas. Essa nova configuração do trabalho com grande flexibilização e ênfase nos trabalhos e projetos de curto prazo, tem impactado negativamente a formação do caráter pessoal. Para Sennett (2005), caráter são os nossos traços pessoais positivos que desejamos que os outros valorizem em nós. Ele é construído no longo prazo através de nossa experiência emocional e é expresso pela lealdade e o compromisso mútuo, pela busca de metas de longa duração, ou adiamento da satisfação em troca de um objetivo futuro. Assim, numa sociedade impaciente, movida no curto prazo, sem compromisso mútuo e lealdade, fica difícil decidir o que tem valor duradouro em nós, ocasionando uma corrosão do nosso caráter. O trabalhador moderno incorporou diversas forma de comportamento flexível, como o autocontrole, aceitação da incerteza e do risco, capacidade de negociação e fragilização dos laços de solidariedade entre os colegas de trabalho. Porém, as qualidades positivas do bom funcionário não são as mesmas qualidades atribuídas ao bom caráter, gerando assim seres humanos mais individualistas, egoístas, sem capacidade de se solidarizar com outros seres humanos e com constante medo de perder o controle sobre suas vidas (Sennet, 2005). Dejours (2003) aponta que o mundo flexível do trabalho condiciona os indivíduos a uma maior aceitação da injustiça social, pois alguns trabalhadores passam por cima de diversos princípios para continuar empregado. Os conflitos do dia-a-dia laboral fazem com que o trabalhador ao longo do tempo acabe perdendo a esperança de obter a satisfação no seu trabalho e, dessa forma, o sofrimento advindo do trabalho acabam repercutindo tanto na saúde física quanto psiquica do

8 8 trabalhador, gerando assim uma deteriorização na sua produtividade e nos relacionamentos interpessoais no trabalho e na família (Dejours, 2003). Alves (2009) observa que a nova estrutura legal dos contratos de trabalho flexível que o jovem operário encontra, perfaz um menu de opções para a exploração da sua força de trabalho. A compreensão de todo esse arcabouço teórico, é importante, para a sociedade e o trabalhador, pois ele explica, em parte, a aceitação da terceirização e dos contratos temporários e flexíveis como algo natural e irreversível dentro das organizações. A constatação empírica de que a gestão flexível gerou uma precarização do trabalho e aumento dos problemas psicossociais e de saúde do trabalhador, não é suficiente para romper com o projeto global de dominação do capital. Druck (2008) chama a atenção que existe um grande esforço de diversos atores sociais e políticos na denúncia, apuração, fiscalização e na punição dos responsáveis pelo grau de precarização do trabalho, da vida e da saúde dos trabalhadores, mostrando que não há um consenso sobre a inevitabilidade da terceirização. No Brasil, a partir da reforma do estado ocorrida na década de 90, a terceirização passou a ser amplamente utilizada dentro dos órgãos públicos. Segundo o Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado (1995), somente mudando de uma cultura e gestão burocrática e passando para uma cultural gerencial com suas práticas flexíveis de gestão é que seríamos capazes de permitir as diversas formas de parceria e cooperação com a sociedade e outros diferentes atores. Oliveira (1994) nos diz, que o termo "terceirização" não pode ser confundido com o termo "parceria", pois a parceria não é uma prerrogativa dos contratos com terceiros, ou seja, a idéia de parceria pode ou não estar presentes nos acordos que uma empresa faz com prestadores de serviços que assumem atividades que antes eram executadas pela própria empresa. Assim, a administração pública ao assumir contratos com terceiros não pode se pautar somente pela lógica econômica, pois acabaria dessa forma assumindo a mesma lógica do capital, ou seja, aumentando seu patamar de acumulação através da intensificação das condições de exploração da força de trabalho. Segundo Silva (1997), para se terceirizar de forma responsável é necessário ter tratamento digno e respeito ao ser humano. Porém, o que vemos em muitos contratos de terceirização são a busca exclusiva de baixos custos. Os diversos contratos da administração pública efetuados através de licitações ou os chamados leilões reversos são exemplos de como

9 9 os custos e o prazo de entrega são mais importantes do que a maneira de como o serviço foi executado ou em que condições de trabalho foi realizado. Atualmente, existem empresas que já estão pensando em abolir a terceirização de algumas de suas atividades, porém o que as motivam nessa atitude não é o bem estar do trabalhador e sim os menores custos decorrentes dessa reintegração. Segundo, Lima Neto (2008), a Caraíba Metais, adotou no final da década de 80 a terceirização em diversas atividades e teve como grande motivador a redução de seus custos imediatos. Com o passar do tempo, foram surgindo problemas de precarização do trabalho, aumento de acidentes, baixa qualificação e menor comprometimento do trabalhador, além de outros fatores. Dessa forma, a empresa passou a ser mais exigente nos seus contratos de terceirização, o que acabou acarretando no aumento dos custos do serviço terceirizado. Nesse momento, a reintegração dos funcionários ao quadro efetivo da empresa tornou-se mais vantajosa financeiramente e por isso foi colocada em prática. Segundo Lima Neto, ficou comprovado que a "primeirização" na Caraíba Metais reduziria os custos em 38,6% e que um dos fatores que contribuiu com essa diminuição foi a redução do números de funcionários próprios que seriam contratados em relação a equipe terceirizada. Assim, ao analisar os contratos de terceirização da administração pública com a iniciativa privada será possível identificar os principais fatores que são considerados importantes ao se optar pela terceirização. 7. Conclusão Devido a multiplicidade de temas que envolvem os processos de terceirização, o presente projeto de pesquisa focará na experiência do SERPRO na terceirização de mão-deobra para o setor público, buscando descrever os pontos positivos e negativos de uma empresa pública de prestação de serviços. O estudo permitirá comparar o caso do SERPRO com os padrões usuais de contratação de serviços de terceirização firmados entre entes públicos e empresas privadas. Além disso, avaliará, na administração pública, a utilização da terceirização como estratégia de redução de custos e as conseqüências na relação de trabalho.

10 10 REFERÊNCIAS ALVES, Giovanni. Trabalho, subjetividade e capitalismo manipulatório O novo metabolismo social do trabalho e a precarização do homem que trabalha. Londrina: Práxis, ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho. Boitempo editorial. São Paulo, ANTUNES, Ricardo. As formas diferenciadas da reestruturação produtiva e o mundo do trabalho no Brasil. Revista Latinoamericana de Estudios del Trabajo. Nº 21. Ano BRASIL. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Ministério da Administração e da Reforma do Estado. Brasília, DEJOURS, Christophe. A banalização da injustiça social. 5.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, DRUCK. Graça. Flexibilização e Precarização: formas contemporâneas de dominação do trabalho. Cadernos CRH, Salvador, n. 37, p , jul/dez DRUCK. Graça; FRANCO, Tânia. A precarização do trabalho no Brasil: um estudo da evolução da terceirização no Brasil e na indústria da Bahia na última década. Revista Latinoamericana de Estudios del Trabajo. Nº 19. Ano SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. 10º Ed. Rio de Janeiro: Record, LIMA NETO, Walmir Maia Rocha. Quando a terceirização não funciona: A primeirização das atividades de manutenção industrial na Caraíba Metais. Dissertação de Mestrado profissional Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia, Salvador. OLIVEIRA, Marco A (org). Terceirização: estruturas e processos em xeque nas empresas. São Paulo: Nobel, (Gerência no Brasil). SILVA, Ciro Pereira. A Terceirização Responsável: modernidade e modismo. São Paulo. LTr, YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010.

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST -

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - (4 e 5 de outubro de 2011) PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Administrador de Empresas com Pós Graduação em Business Administration pela New York University

Leia mais

Concorrência Conjunta nº 03/2007. Perguntas e Respostas

Concorrência Conjunta nº 03/2007. Perguntas e Respostas Brasília, 02/08/2007 Concorrência Conjunta nº 03/2007 Perguntas e Respostas A Comissão Permanente de Licitação (CPL) registra a seguir perguntas de empresas interessadas em participar do certame em referência

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO - Esclarecimentos Necessários

TERCEIRIZAÇÃO - Esclarecimentos Necessários TERCEIRIZAÇÃO - Esclarecimentos Necessários CONTEXTUALIZAÇÃO O cenário produtivo e de negócios vem sofrendo contínuas transformações que ampliam o grau de competição entre as organizações, especialmente

Leia mais

O IMPACTO DAS MUDANÇAS NO MUNDO DO TRABALHO E OS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM

O IMPACTO DAS MUDANÇAS NO MUNDO DO TRABALHO E OS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM O IMPACTO DAS MUDANÇAS NO MUNDO DO TRABALHO E OS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM Salete Beatriz Scheid 1 Neide Tiemi Murofuse 2 INTRODUÇÃO: Vivemos atualmente numa sociedade marcada pelas intensas e rápidas

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

CONDIÇÕES DE TRABALHO E ASSÉDIO MORAL

CONDIÇÕES DE TRABALHO E ASSÉDIO MORAL CONDIÇÕES DE TRABALHO E ASSÉDIO MORAL DATA: 03, 04 e 05 de Setembro de 2014 LOCAL: Centro de Formação 18 de Agosto: Rua Barão de Itapetininga, 163-2º andar Centro de São Paulo. O QUE É ORGANIZACIONAL NA

Leia mais

Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br

Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br abraman Congresso de Manutenção - 2001 EFEITOS DA TERCEIRIZAÇÃO SOBRE A MANUTENÇÃO Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br Terceirização é a transferência para terceiros de atividades que

Leia mais

Privatização, terceirização e parceria nos serviços públicos: conceitos e tendências

Privatização, terceirização e parceria nos serviços públicos: conceitos e tendências Privatização, terceirização e parceria nos serviços públicos: conceitos e tendências Por Agnaldo dos Santos* Publicado em: 05/01/2009 Longe de esgotar o assunto, o artigo Privatização, Terceirização e

Leia mais

TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Refere-se ao conjunto de atividades desenvolvidas pelo professor/pesquisador no âmbito das relações estabelecidas com a instituição de ensino, considerando seus fins

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3 METODOLOGIA DA PESQUISA 3 METODOLOGIA DA PESQUISA O objetivo principal deste estudo, conforme mencionado anteriormente, é identificar, por meio da percepção de consultores, os fatores críticos de sucesso para a implementação

Leia mais

Os interesses da ação cooperada e não cooperada na economia do artesanato.

Os interesses da ação cooperada e não cooperada na economia do artesanato. Os interesses da ação cooperada e não cooperada na economia do artesanato. Luciany Fusco Sereno** Introdução O trabalho tem por objetivo apresentar um estudo de caso realizado na cidade de Barreirinhas-MA

Leia mais

Modelos de Gestão no setor público e intervenção política

Modelos de Gestão no setor público e intervenção política Modelos de Gestão no setor público e intervenção política Agnaldo dos Santos Observatório dos Direitos do Cidadão Participação Cidadã (Instituto Pólis) Apresentação O Observatório dos Direitos do Cidadão,

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br Apresentação preparada para: I Congresso de Captação de Recursos e Sustentabilidade. Promovido

Leia mais

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema 1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema O papel do líder é muito relevante numa pequena empresa familiar. Isso se dá devido a vários fatores, dentre outros, deve-se enfatizar a dificuldade de criação

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS VI.1. Introdução A avaliação de riscos inclui um amplo espectro de disciplinas e perspectivas que vão desde as preocupações

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

A DESVIRTUALIZAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO

A DESVIRTUALIZAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO A DESVIRTUALIZAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO A essência da terceirização visa trazer às empresas contratantes desenvolvimento econômico, especialização dos serviços, competitividade, busca de qualidade, controles

Leia mais

aa Opportune é uma empresa que trabalha em diversas áreas da gestão organizacional, com uma visão contemporânea da prestação de serviços de

aa Opportune é uma empresa que trabalha em diversas áreas da gestão organizacional, com uma visão contemporânea da prestação de serviços de aa Opportune é uma empresa que trabalha em diversas áreas da gestão organizacional, com uma visão contemporânea da prestação de serviços de auditoria, assessoria e consultoria, oferecendo completo portifólio

Leia mais

GESTÃO PÚBLICA E CONTROLE SOCIAL: Um diagnóstico sobre a administração municipal e a sociedade piauiense.

GESTÃO PÚBLICA E CONTROLE SOCIAL: Um diagnóstico sobre a administração municipal e a sociedade piauiense. GESTÃO PÚBLICA E CONTROLE SOCIAL: Um diagnóstico sobre a administração municipal e a sociedade piauiense. Jefferson Ricardo do Amaral Melo 1 RESUMO A participação popular e a ação coletiva na gestão e

Leia mais

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC

CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC CESTEC- CENTRO DE SERVIÇOS EM TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 11/2010 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DE EMPRESAS DE MICRO, PEQUENO

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Contratação de serviços de Limpeza

Contratação de serviços de Limpeza 19º Jornada de Controle de Infecção Hospitalar de Ribeirão Preto 1º Jornada de Inovação da Prática em Enfermagem Contratação de serviços de Limpeza próprio terceirizado Vantagens e desvantagens e como

Leia mais

Organização e a Terceirização da área de TI. Profa. Reane Franco Goulart

Organização e a Terceirização da área de TI. Profa. Reane Franco Goulart Organização e a Terceirização da área de TI Profa. Reane Franco Goulart Como surgiu? A terceirização é uma ideia consolidada logo após a Segunda Guerra Mundial, com as indústrias bélicas americanas, as

Leia mais

Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização

Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização São Paulo, 28 de Abril de 2015 Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização Objetivos da Terceirização Aumentar a produtividade e reduzir custos. Aumento de qualidade em razão da especialização das empresas

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO CONTEÚDO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO PROMOVIDO PELA www.administrabrasil.com.br - CONCEITO DE PREÇO NOS SERVIÇOS - FATORES DETERMINANTES DOS PREÇOS - ESTRATÉGIAS E ASPECTOS IMPORTANTES PARA

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos. 1. OBJETIVO Os objetivos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO

CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO Este Código de Ética é público e reúne diretrizes que norteiam o comportamento dos Conselheiros, Dirigentes e Colaboradores

Leia mais

Private Equity ADVISORY

Private Equity ADVISORY Private Equity ADVISORY Private Equity Excelentes profissionais que trabalham em equipe, transformando conhecimento em valor, em benefício de nossos clientes. Private Equity 1 Qualidade e integridade são

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

gestão das Instâncias de Governança nas regiões turísticas prioritárias do país.

gestão das Instâncias de Governança nas regiões turísticas prioritárias do país. OBJETIVO GERAL Estabelecer cooperação técnica para desenvolver e implementar ações que visem a fortalecer o ciclo da gestão das Instâncias de Governança nas regiões turísticas prioritárias do país. IMPORTANTE:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas. Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br

O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas. Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br O modelo OS do Espírito Santo e a gestão e controle das organizações qualificadas Flávio Alcoforado f.alcoforado@uol.com.br ORGANIZAÇÃO SOCIAL Modelo: Pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS: A MODERNA ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA GESTÃO ORGANIZACIONAL

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS: A MODERNA ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA GESTÃO ORGANIZACIONAL TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS: A MODERNA ESTRATÉGIA EMPRESARIAL NA GESTÃO ORGANIZACIONAL Aline Aparecida de Oliveira, Ana Carolina da Silva, Christian Roberto de Godoy, Natália Sayuri Suzuki, Thais Rubia Ferreira

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercício 1: Leia o texto abaixo e identifique o seguinte: 2 frases com ações estratégicas (dê o nome de cada ação) 2 frases com características

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

A ATENÇÃO EM SAÚDE BUCAL E OS NOVOS MODELOS DE GESTÃO

A ATENÇÃO EM SAÚDE BUCAL E OS NOVOS MODELOS DE GESTÃO A ATENÇÃO EM SAÚDE BUCAL E OS NOVOS MODELOS DE GESTÃO Christian Mendez Alcantara UFPR GESTÃO EM SAÚDE PÚBLICA Sistema Único de Saúde (SUS) Gestão tripartite: União, Estados, DF, Municípios Constituição

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda.

CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda. CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda. 1 Objetivo Descrever e comunicar os princípios que norteiam o relacionamento do Laboratório Weinmann Ltda. com as suas partes interessadas

Leia mais

As Organizações e o Processo de Inclusão

As Organizações e o Processo de Inclusão As Organizações e o Processo de Inclusão Introdução Não há nada permanente, exceto a mudança. Heráclito, filósofo grego (544-483 a.c.). Mudança é o processo no qual o futuro invade nossas vidas. Alvin

Leia mais

Parceria de sucesso para sua empresa

Parceria de sucesso para sua empresa Parceria de sucesso para sua empresa A Empresa O Grupo Espaço Solução atua no mercado de assessoria e consultoria empresarial há 14 anos, sempre realizando trabalhos extremamente profissionais, pautados

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Auditoria no Terceiro Setor

Auditoria no Terceiro Setor Auditoria no Terceiro Setor Percepções e Resultados da Pesquisa 2006 AUDIT 1 Introdução O Terceiro Setor vem em crescente processo de evolução porém, nos últimos anos, um das principais missões das entidades

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 INDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2 3. implementação...2 4. Referência...2 5. Conceitos...2 6. Políticas...3

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução Nossos Valores Artigo 1º Premissa Artigo 2º Objetivos e Valores Artigo 3º Sistema de Controle Interno Artigo 4º Relação com os Stakeholders / Partes Interessadas 4.1 Acionistas

Leia mais

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS REDES DE PEQUENAS EMPRESAS As micro, pequenas e médias empresas, em decorrência da globalização e suas imposições,vêm buscando alcançar vantagem competitiva para sua sobrevivência no mercado. CONTEXTO

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Licitação segundo a Lei n. 8.666/93 Leila Lima da Silva* *Acadêmica do 6º período do Curso de Direito das Faculdades Integradas Curitiba - Faculdade de Direito de Curitiba terça-feira,

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I 1 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I Administração é a maneira de governar organizações ou parte delas. É o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00 Páginas 1/8 1. OBJETIVO O Código de Ética é um conjunto de diretrizes e regras de atuação, que define como os empregados e contratados da AQCES devem agir em diferentes situações no que diz respeito à

Leia mais

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos Desde Junho do ano 2000, trabalhamos muito e buscamos crescer, em nossa sede e em capital. Mas todo nosso crescimento só foi e é possível porque nunca deixamos de lado o desenvolvimento, o crescimento

Leia mais

LABORE CONSULTORIA & TREINAMENTO

LABORE CONSULTORIA & TREINAMENTO LABORE CONSULTORIA & TREINAMENTO A EMPRESA Desde a sua fundação, a LABORE CONSULTORIA & TREINAMENTO atua nas áreas de Recrutamento & Seleção, Gestão de Cargos e Salários, Gestão de Desempenho, Levantamento

Leia mais

Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento)

Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento) Brasil em Ação (Investimentos Básicos para o Desenvolvimento) Nos dois últimos anos, vimos construindo as bases de um crescimento sustentável e socialmente benéfico para a grande maioria dos brasileiros.

Leia mais

INTRODUÇÃO. Apresentação

INTRODUÇÃO. Apresentação ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO ATRICON 09/2014 DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO ATRICON 3207/2014: OS TRIBUNAIS DE CONTAS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL: CONTROLE DO TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS

Leia mais

Prof. Fabiano Geremia

Prof. Fabiano Geremia PLANEJAMENTO ESTRÁTEGICO PARA ARRANJOS PRODUTIVOS CURSO INTERMEDIÁRIO PARA FORMULADORES DE POLÍTICAS Prof. Fabiano Geremia Planejamento Estratégico ementa da disciplina Planejamento estratégico e seus

Leia mais

CONTROLE DA GESTÃO HOSPITALAR: UMA RESPOSTA À SOCIEDADE. GIL PINTO LOJA NETO AUDITOR GERAL EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - MEC

CONTROLE DA GESTÃO HOSPITALAR: UMA RESPOSTA À SOCIEDADE. GIL PINTO LOJA NETO AUDITOR GERAL EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - MEC CONTROLE DA GESTÃO HOSPITALAR: UMA RESPOSTA À SOCIEDADE. GIL PINTO LOJA NETO AUDITOR GERAL EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - MEC SUMÁRIO O ESTADO BRASILEIRO E AS ESTATAIS; A EBSERH: CARACTERIZAÇÃO,

Leia mais

REFORMA OU DESMONTE? Análise crítica acerca do Plano Diretor da Reforma do Estado

REFORMA OU DESMONTE? Análise crítica acerca do Plano Diretor da Reforma do Estado REFORMA OU DESMONTE? Análise crítica acerca do Plano Diretor da Reforma do Estado Ana Carolyna Muniz Estrela 1 Andreza de Souza Véras 2 Flávia Lustosa Nogueira 3 Jainara Castro da Silva 4 Talita Cabral

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

EMPREENDEDORISMO BIBLIOGRAFIA CORPORATIVO

EMPREENDEDORISMO BIBLIOGRAFIA CORPORATIVO EMPREENDEDORISMO BIBLIOGRAFIA CORPORATIVO EMPREENDEDORISMO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Os negócios não serão mais os mesmos em poucos anos Velocidade Custo X Receita cenário mudou Novos Concorrentes competição

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

Por que Projetos Sociais?

Por que Projetos Sociais? PROJETOS SOCIAIS Por que Projetos Sociais? Projetos são resultado de uma nova relação entre Estado e Sociedade Civil; Mudanças no que se relaciona à implantação de políticas sociais; Projetos se constroem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

::PORTFOLIO PORTFOLIO

::PORTFOLIO PORTFOLIO PORTFOLIO ::PORTFOLIO :: A EMPRESA Cesar e Cesar Sociedade de Advogados, é um escritório de advocacia e de assessoria jurídica formado por uma equipe de profissionais com experiência nas áreas relacionadas

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DE PESSOAS E SUAS RELAÇÕES COM A ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATIVO

18º Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DE PESSOAS E SUAS RELAÇÕES COM A ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATIVO 18º Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DE PESSOAS E SUAS RELAÇÕES COM A ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATIVO Autor(es) ALINE MOREIRA Orientador(es) ARSÊNIO FIRMINO DE NOVAES NETTO Apoio

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Objetivos da aula: Estudar a remuneração por habilidades; Sistematizar habilidades e contrato de desenvolvimento contínuo.

Leia mais

Ranking das 100 Melhores Universidades Jovens da Terra: versão 2013

Ranking das 100 Melhores Universidades Jovens da Terra: versão 2013 1 Ranking das 100 Melhores Universidades Jovens da Terra: versão 2013 Clóvis Pereira UFPR Recentemente foi divulgado por Times Higher Education THE, da Thomson Reuters, a versão 2013 de seu Ranking com

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em 1 Introdução Não é recente a preocupação das empresas em buscar uma vantagem competitiva, de forma a gerar mais valor para os seus clientes do que os concorrentes por meio da oferta de produtos ou serviços

Leia mais

AUTONOMIA GERENCIAL PARA UNIDADES PÚBLICAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DO SUS: OPORTUNIDADE E NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO

AUTONOMIA GERENCIAL PARA UNIDADES PÚBLICAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DO SUS: OPORTUNIDADE E NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO AUTONOMIA GERENCIAL PARA UNIDADES PÚBLICAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DO SUS: OPORTUNIDADE E NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO Subsidio à Reunião de Planejamento do CEBES de 26 e27/fev/2010 Elaborado com base

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

MANUTENÇÃO: VANTAGENS E DESVANTAGENS

MANUTENÇÃO: VANTAGENS E DESVANTAGENS 45º SEMINÁRIO DE ACIARIA -ABM PRIMARIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Cléverson Stocco Moreira PORTO ALEGRE - MAIO/2014 CONCEITO DE MANUTENÇÃO: INTRODUÇÃO Garantir a confiabilidade e a disponibilidade

Leia mais

O Princípio da Eficiência na Administração Pública

O Princípio da Eficiência na Administração Pública O Princípio da Eficiência na Administração Pública Cristiane Fortes Nunes Martins 1 1. Introdução A Administração Pública é regida por princípios que se encontram discriminados na Constituição Federal

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO 001858/2011 ORIGEM Prefeitura Municipal de Umbaúba NATUREZA Consulta INTERESSADO Anderson Fontes Farias RELATOR Conselheiro REINALDO MOURA FERREIRA AUDITOR Parecer nº 204/2011 Alexandre Lessa

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade II GOVERNANÇA DE TI Estratégia e governança em TI Estratégia empresarial A palavra estratégia vem do grego strategus = "o general superior ou "generalíssimo. Strategia

Leia mais

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Agnaldo dos Santos Pesquisador do Observatório dos Direitos do Cidadão/Equipe de Participação Cidadã Apresentação O Observatório dos Direitos

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

PREVENIR É A MELHOR ESTRATÉGIA!

PREVENIR É A MELHOR ESTRATÉGIA! APRESENTAÇÃO PREVENIR É A MELHOR ESTRATÉGIA! O desconhecimento do universo de leis vigentes no País e a falta de orientação técnica são as principais causas de problemas que atingem os empresários, impedindo

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa tem como finalidade reorganizar a área de Tecnologia da Informação TI do TJMG, sob o ponto de vista de gestão e infraestrutura, baseados em sua estrutura

Leia mais

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S

A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO MULTI-CASOS COM OS FUNCIONÁRIOS DAS EMPRESAS DO SISTEMA S Marcos Henrique Pazini (Pós-Graduado da UNICENTRO), Sílvio Roberto Stefano (Orientador),

Leia mais

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica)

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) No decorrer da execução do Projeto, e tão logo sejam definidos os perfis dos consultores necessários para a consecução dos produtos

Leia mais

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial Programa 0393 PROPRIEDADE INTELECTUAL Objetivo Garantir a propriedade intelectual e promover a disseminação de informações, visando estimular e diversificar a produção e o surgimento de novas tecnologias.

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social

Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social Decisão do STF permite contratação de professores federais por Organização Social Na mesma semana em que os trabalhadores brasileiros tomaram as ruas e conseguiram suspender a votação do Projeto de Lei

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II REESTRUTURAÇÃO FINANCEIRA NAS ORGANIZAÇÕES Neste módulo, estudaremos como ocorre a reestruturação financeira nas empresas, apresentando um modelo de planejamento de revitalização, com suas características

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais