Debian 7. O Manual do Administrador Debian. Debian Wheezy - Edição 1 - Português (BR) Informações iniciais de apresentação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Debian 7. O Manual do Administrador Debian. Debian Wheezy - Edição 1 - Português (BR) Informações iniciais de apresentação"

Transcrição

1

2 Debian 7 O Manual do Administrador Debian Debian Wheezy - Edição 1 - Português (BR) Informações iniciais de apresentação Esta versão do Manual do Administrador Debian no idioma português brasileiro, tem como conteúdo a obra original constante no Debian Handbook (http://debianhandbook.info/browse/pt-br/stable/). Esta versão do referido manual é uma contribuição voluntária efetuada por J.F.Salles (NetHell) Garliene Paiva e Ruan Valente Neste trabalho procuramos concluir o saldo restante da tradução já existente, realizando ajustes na apresentação do texto para melhor adaptação a um formato de impressão; novas capturas de tela em nosso idioma foram realizadas para substituir as originais em inglês. No entanto, nos preocupamos em não modificar o conteúdo original de formatação de quadros e exemplos para permitir a perfeita compreensão explicitada pelo autor original. O conteúdo das traduções realizadas bem como as novas imagens foram disponibilizadas aos membros da lista de tradutores debian-l10n-portuguese para sua inserção na documentação original, pois somos cientes que, apesar de nosso ímpeto de liberar com certa brevidade este manual para usuários novos em ascenção de conhecimento, é importante manter todo a conteúdo documentado oficialmente para que possa ser aproveitado para a tradução de novas edições deste manual e ampliar as fontes de obtenção do mesmo para todos os usuários da lingua portuguesa. Dezembro de 2014

3 Debian 7 O Manual do Administrador Debian Debian Wheezy, da descoberta à maestria Edição 1 Raphaël Hertzog Roland Mas Copyright 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013 Raphaël Hertzog Copyright 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013 Roland Mas Copyright 2012, 2013 Freexian SARL

4 Nota Legal ISBN: (brochura em inglês) ISBN: (ebook em inglês) Este livro está disponível sob os termos de duas licenças compatíveis com as Diretrizes de Software Livre Debian. Nota da Licença Creative Commons: Este livro está licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported. Nota da Licença Pública Geral da GNU: Este livro é documentação livre; você pode redistribuí-lo e/ou modificá-lo dentro dos termos da Licença Pública Geral GNU como publicada pela Fundação do Software Livre, na versão 2 da Licença, ou (na sua opinião) qualquer versão. Este livro é distribuído na esperança de que ele seja útil, mas SEM QUALQUER GARANTIA; sem ao menos a garantia implícita de COMERCIALIZAÇÃO ou ADEQUAÇÃO PARA UM PROPÓSITO PARTICULAR. Veja a Licença Pública Geral GNU para mais detalhes. Você deve ter recebido uma cópia da Licença Pública Geral GNU junto com este programa. Se não, veja Mostre sua apreciação Este livro é publicado sob uma licença livre porque queremos que todos se beneficiem dele. Dito isto, mantê-lo requer tempo e muito esforço, e nós gostamos de ser agradecidos por isso. Se você achar este livro valioso, por favor, considere contribuir para sua contínua manutenção, seja através da compra do livro ou fazendo uma doação através do site oficial do livro: Resumo Um livro de referência apresentando a distribuição Debian, da instalação inicial até a configuração de serviços. Prefácio 1. Por que este Livro? 2. Para quem é este Livro? 3. Abordagem Geral 4. Estrutura do Livro 5. Agradecimentos 5.1. Um pouco de História 5.2. O nascimento do livro em inglês 5.3. A liberação do livro em francês 5.4. Um Especial Agradecimento aos Colaboradores

5 5.5. Agradecimentos pessoais de Raphaël 5.6. Agradecimentos pessoais de Roland 1. O Projeto Debian 1.1. O que é Debian? Um Sistema Operacional Multi-Plataforma A Qualidade do Software Livre O Arranjo Legal: Uma Organização Não-Lucrativa 1.2. Os Documentos da fundação O Compromisso dos Usuários As Orientações de Software Livre Debian 1.3. O Funcionamento interno do Projeto Debian Os Desenvolvedores Debian O Papel Ativo dos Usuários Equipes e Sub-Projetos 1.4. Siga as notícias do Debian 1.5. O Papel das Distribuições O Instalador: debian-installer A Biblioteca de Software 1.6. Ciclo de vida de um Lançamento O Estado Experimental O Estado Instável Migração para Teste A Promoção de Teste para Estável 2. Apresentando o Estudo de Caso 2.1. Crescimento Rápidos das Necessidades de TI 2.2. Plano Estratégico 2.3. Por que uma Distribuição GNU/Linux? 2.4. Por que a Distribuição Debian? Distribuições Dirigidas Comercialmente e por uma Comunidade 2.5. Por que Debian Wheezy? 3. Analisando a Configuração Existente e Migrando 3.1. Coexistência em Ambientes Heterogêneos Integração com Máquinas Windows Integration with OS X machines Integração com Outras Máquinas Linux/Unix 3.2. Como Migrar Pesquisar e Identificar Serviços Fazendo Backup da Configuração Assumindo um servidor Debian existente Instalando o Debian Instalando e Configurando os Serviços Selecionados 4. Instalação

6 4.1. Métodos de Instalação Instalando a partir do CD-ROM/DVD-ROM Iniciando a partir de um pendrive Instalando via inicialização pela rede Outros métodos de instalação 4.2. Instalando, Passo a Passo Ligando e iniciando o Instalador Selecionando o idioma Selecionando o país Selecionando o padrão do teclado Detectando o Hardware Carregando componentes Detectando Dispositivos de Rede Configurando a Rede Configurando o relógio Senha do administrador Criando o Primeiro Usuário Detectando Discos e Outros Dispositivos Iniciando a Ferramenta de Partição Instalando o Sistema Básico Configurando o Gerenciador de Pacote (apt) Concurso de Popularidade de Pacotes Debian Selecionando Pacotes para a Instalação Instalando o carregador de boot GRUB Finalizando a instalação e reiniciando 4.3. Depois do primeiro Boot Instalando Software adicional Atualizando o sistema 5. Sistema de Pacotes: Ferramentas e Princípios Fundamentais 5.1. Estrutura de um Pacote Binário 5.2. Metainformação do Pacote Descrição: O arquivo control Scripts de Configuração Checksums, Lista de arquivos de configuração 5.3. Estrutura de um Pacote Fonte Formato Uso no Debian 5.4. Manipulando Pacotes com o dpkg Instalando pacotes Remoção de pacote Consultando o banco de dados do dpkg e inspecionando os arquivos.deb Arquivo de log do dpkg Suporte Multi-Arqu 5.5. Coexistencia com outros sistemas de pacotes

7 6. Manutenções e atualizações: As ferramentas APT 6.1. Preenchendo no arquivo sources.list Arquivo Sintaxe Repositórios para usuários Estáveis Repositórios para usuários Testing/Unstable Users Recursos não oficial: apt-get.org e mentors.debian.net Proxy Cache para os pacotes Debian 6.2. Comandos aptitude e apt-get Initialização Instalação e remoção Atualização do sistema Opções de configuração Gerenciar prioridades de pacote Trabalhando com Distribuições Diversas Rastreando Pacotes Instalados Automaticamente 6.3. O Comando apt-cache 6.4. Interfaces: aptitude, synaptic aptitude synaptic 6.5. Verificando Autenticidade do Pacote 6.6. Atualizando de uma Versão Estável para a Próxima Procedimento Recomendado Lidando com Problemas após uma Atualização 6.7. Mantendo um Sistema Atualizado 6.8. Atualizações Automáticas Configurando dpkg Configurando APT Configurando debconf Lidando com Interações Via Linha de Comando A Combinação Miraculosa 6.9. Buscando por Pacotes 7. Resolvendo Problemas e Encontrando Informações Relevantes 7.1. Fontes de documentação Páginas de Manual Documentos de info Documentação Específica Paginas da Internet Tutoriais (HOWTO) 7.2. Procedimentos comuns Configurando um Programa Monitorando o que o Daemons esta fazendo Pedindo ajuda em uma lista Reportando um Bug Quando um Problema É Muito Dificil

8 8. Configuração Básica: Rede, Contas, Impressão Configurando o Sistema para Outra Língua Definindo a Língua Padrão Configurando o Teclado Migrando para UTF Configurando a Rede Interface de Rede Conectando com PPP através de um modem PSTN Conectando através de um modem ADSL Configuração Automática de Rede para Usuários em Roaming 8.3. Ajustando o Nome de Host e Configurando o Serviço de Nomes Resolução de Nome 8.4. Usuário e grupo bancos de dados Lista de Usuários: /etc/passwd O Oculto e Criptografo Arquivo de Senhas: /etc/shadow Modificando uma Conta de Usuário Existente ou Senha Desabilitando uma Conta Lista de Grupo: /etc/group 8.5. Criação de Contas 8.6. Ambiente Shell 8.7. Configuração da Impressora 8.8. Configurando o carregador de boot (bootloader) Identificando os Discos Configurando o LILO Configuração do GRUB Para Computadores Macintosh (PowerPC): Configurando Yaboot 8.9. Outras Configurações: Sincronização de Tempo, Logs, Acesso Remoto Região Sincronização de Tempo Rotação de Arquivos de Log Compartilhando Direitos Administrativos Lista de Pontos de Montagem locate e updatedb Compilando o Kernel Introdução e Pré-requisitos Pegando os Fontes Configurando o kernel Compilando e Construindo um Pacote Compilando Módulos Externos Aplicando um Patch ao kernel Instalando o Kernel Características do Pacote de Kernel do Debian Instalando com dpkg 9. Serviços Unix

9 9.1. Inicialização do Sistema 9.2. Login remoto Login remoto seguro: SSH Usando Ambientes Gráficos Remotamente 9.3. Gerenciando Direitos 9.4. Interfaces Administrativas Administrando por uma Interface Web: webmin Configurando Pacotes: debconf 9.5. syslog Eventos de Sistema Princípio e Mecanismo O Arquivo de Configuração 9.6. O super servidor inetd 9.7. Agendando Tarefas com cron e atd Formato do Arquivo crontab Usando o Comando at 9.8. Agendando Tarefas Assíncronas: anacron 9.9. Cotas Backup Cópias de segurança com rsync Restaurando Máquinas sem Cópias de Segurança Hot Plugging: hotplug Introdução O problema do nome Como o udev trabalha Um exemplo concreto Gerenciamento de Energia: Configuração Avançada e Interface de Energia (ACPI) 10. Infraestrutura de Rede Gateway Rede Privada Virtual OpenVPN Rede Privada Virtual com SSH IPsec PPTP Qualidade do Serviço Princípio e Mecanismo Configurando e implementando Roteamento Dinâmico IPv Túneis Servidores de nomes de domínio (DNS) Princípio e Mecanismo

10 Configurando DHCP Configurando DHCP e DNS Ferramentas de Diagnóstico de Rede Diagnóstico Local: netstat Diagnóstico Remoto: nmap Sniffers: tcpdump e wireshark 11. Serviços de Rede: Postfix, Apache, NFS, Samba, Squid, LDAP Servidor de Correio Eletrônico Instalando o Postfix Configurando Domínios Virtuais Restrições para Recebimento e Envio Configurando "listas cinzas" (greylisting) Personalização de filtros baseados no destinatário Integração com um antivírus SMTP autenticado Servidor web (HTTP) Instalação do Apache Configuração de servidores virtuais Diretivas comuns Analisadores de Log Servidor de Arquivos FTP Servidor de Arquivos NFS Proteção do NFS Servidor NFS Cliente NFS Configurando um Compartilhamento Windows com o Samba Servidor Samba Cliente Samba Proxy HTTP/FTP Instalando Configurando um Cache Configurando um Filtro Diretório LDAP Instalando Preenchendo o Diretório Gerenciando Contas com LDAP 12. Administração Avançada RAID e LVM RAID Por Software LVM RAID ou LVM?

11 12.2. Virtualização Xen LXC Virtualização com KVM Instalação Automatizada Instalador Completamente Automático (FAI) Preseeding Debian-Installer Simple-CDD: A Solução Tudo Em Um Monitoramento Configurando o Munin Configurando o Nagios 13. Estação de trabalho Configurando o servidor X Customizando a Interface Gráfica Escolhendo um Gerenciador de Exibição Escolhendo um Gerenciador de Janelas Gerenciamento de Menu Ambientes Gráficos GNOME KDE Xfce e Outros Evolution KMail Thunderbird e Icedove Navegadores Web Desenvolvimento Ferramentas para GTK+ no GNOME Ferramentas para Qt no KDE Trabalho Colaborativo Trabalhando em Grupo: groupware Sistemas de Mensagem Instantânea Trabalho Colaborativo Com FusionForge Suítes de Escritório Emulando o Windows: Wine 14. Segurança Definindo uma Política de Segurança Firewall ou Filtragem de pacotes Funcionamento do Netfilter Sintaxe do iptables e do ip6tables Criando Regras Instalando as Regras em cada inicializacao

12 14.3. Supervisão: Prevenção, Detecção, Desencorajamento Monitoramento de Logs com logcheck Monitorando Atividades Detectando Modificações Detectando Intrusoes (IDS/NIDS) Introducao ao SELinux Principios Configurando o SELinux Gerenciando um Sistema SELinux Adaptando as Regras Outras Consideracoes Relacionadas a Seguranca Riscos Inerentes a Aplicações Web Sabendo O Que Esperar Escolhendo o Software Sabiamente Gerenciando uma Máquina como um Todo Os Usuários São Jogadores Seguranca Fisica Responsabilidade legal Lidando com uma máquina comprometida Detectando e Visualizando a Intrusão do cracker Colocando o servidor Off-Line Mantendo Tudo que Poderia Ser Usado como Evidência Reinstalando Analise Fonrense Reconstituindo o Cenário do Ataque 15. Criando um Pacote Debian Reconstruindo um Pacote a partir de suas Fontes Pegando os Fontes Fazendo Alterações Começando a Reconstrução Construindo seu Primeiro Pacote Meta-pacotes ou falsos pacotes Depósito Simples de Arquivos Criando um Repositório de Pacotes para o APT Tornando-se um Mantenedor de Pacotes Aprendendo a Fazer Pacotes Processo de Aceitação 16. Conclusão: O Futuro do Debian Desenvolvimentos futuros Futuro do Debian O Futuro deste Livro A. Distribuições Derivadas A.1. Censo e Cooperação A.2. Ubuntu

13 A.3. Knoppix A.4. Linux Mint A.5. SimplyMEPIS A.6. Aptosid (Anteriormente Sidux) A.7. Grml A.8. DoudouLinux A.9. E Muito Mais B. Curso Rápido de Reparação B.1. Shell e Comandos Básicos B.1.1. Navegando na Árvore de Diretórios e Gestão de Arquivos B.1.2. Mostrando e Modificando Arquivos Texto B.1.3. Procurando por e nos Arquivos B.1.4. Gerenciamento de Processos B.1.5. Informações do Sistema: Memória, Espaço em Disco, Identidade B.2. Organização do Sistema de Arquivos Hierárquico B.2.1. O Diretório Raiz B.2.2. O Diretório Origem do Usuário B.3. Funcionamento Interno de um Computador: as Diferentes Camadas Envolvidas B.3.1. A Camada mais Profunda: o Hardware B.3.2. O Inicializador: BIOS B.3.3. O Núcleo B.3.4. O Espaço de Usuário B.4. Algumas Tarefas Manejadas pelo Núcleo B.4.1. Controlando o Hardware B.4.2. Sistema de Arquivos B.4.3. Funções Compartilhadas B.4.4. Gerenciamento de Processos B.4.5. Gerenciamento de Direitos B.5. O Espaço de Usuário B.5.1. Processo B.5.2. Daemons B.5.3. Comunicação Entre Processos B.5.4. Bibliotecas

14 Prefácio Debian é um sistema operacional muito bem sucedido, que penetra nas nossas vidas digitais muito mais do que a maioria das pessoas imagina. Uns poucos dados são o suficiente para mostrar isto. No momento em que este texto foi escrito, o Debian era a variante GNU/Linux mais popular entre servidores web: de acordo com W3Techs, mais de 10% da web roda sobre Debian. Pense nisso, quantos sítios da web parariam se o Debian sumisse hoje? Em ambientes mais fascinantes, Debian é o sistema operacional escolhido na Estação Orbital Internacional (International Space Station). Você tem acompanhado o trabalho dos astronautas da ISS, talvez via NASA nas redes sociais ou outras organizações internacionais? Tanto o trabalho em si quanto as postagens sobre o trabalho são possíveis graças ao Debian. Inúmeras companhias, universidades e administrações públicas se baseiam no Debian para suas operações, fornecendo serviços a milhões de usuários ao redor do planeta... e em órbita! Mas o Debian é muito mais que um sistema operacional, independente de quão complexo, funcional e confiável tal sistema possa ser. O Debian é uma visão das liberdades que as pessoas devem curtir num mundo onde mais e mais de nossas atividades diárias depende de software. O Debian nasceu da relevente ideia do mundo do software livre de que as pessoas devem estar no controle dos seus computadores, e não o contrário. Pessoas com suficiente conhecimento de software devem ser capazes de desmontar, modificar, remontar e compartilhar com outros todo o software importante para elas. Não importa se o software é usado para atividades triviais como postar fotos de gatinhos na rede ou para tarefas que envolvam risco de vida como dirigir nossos carros ou controlar os dispositivos médicos que nos curam; você deve controlar isto. Pessoas sem conhecimento profundo de software, elas também, devem aproveitar esta liberdade: eles devem poder delegar para pessoas que eles escolham, que eles confiem, a auditoria ou modificação de dispositivos baseados em software para seu próprio benefício. Na missão de trazer o controle das máquinas para as pessoas, sistemas operacionais livres desempenham um papel fundamental: você não pode estar no controle total de um dispositivo computacional se você não controla seu sistema operacional. É daí que vem a principal ambição do Debian: produzir o melhor sistema operacional completamente livre. Por mais de 20 anos, o Debian desenvolveu um sistema operacional livre e promoveu uma visão de software livre a partir dele. Desta forma, o Debian manteve um padrão bastante alto para protetores da liberdade de software o redor do mundo. As decisões do Debian em matéria de licenciamento de software, por exemplo, são normalmente observadas por instituições de padronização internacionais, governos e outros projetos de software livre, quando decidem se algo deve ser considerado livre o suficiente ou não. Mas esta visão política não é o suficiente para explicar por que o Debian é único. O Debian é também um experimento social bastante particular, fortemente ligado à sua independência. pense num momento em outras distribuições de software livre importantes, ou mesmo em sistemas operacionais proprietários populares. Há uma boa chance de você associar cada um dele a uma grande companhia que é ou a grande força de desenvolvimento por trás do projeto, ou pelo menos o responsável de toda a atividade que não seja desenvolvimento. No Debian é diferente. Dentro do projeto Debian os voluntários tomam para si a responsabilidade de todas as atividades que são necessárias para manter o Debian vivo e andando. A variedade destas atividades é impressionante: de traduções a administração de sistemas, de marketing a gestão, de organização de eventos a projeto gráfico, de contabilidade a questões legais,... sem

15 mencionar o empacotamento de software e o desenvolvimento! Contribuidores Debian cuidam de tudo isto. Como uma primeira consequência desta forma radical de independencia, o Debian precisa e se apóia em uma comunidade muito variada de voluntários. Qualquer habilidade em qualquer uma das áreas acima, ou outras que você possa imaginar, pode ser feita no Debian e será usada para melhorar o projeto. Uma segunda consequência da independência do Debian é que pode-se confiar que as escolhas do Debian não são voltadas a interesses comerciais de companhias específicas interesses que não podemos garantir que estarão sempre alinhados com o objetivo de promover a causa das pessoas controlarem as máquinas, assim como muitos exemplos recentes nas notícias de tecnologia atestam. Um último aspecto contribui para a unicidade do Debian: a forma na qual o experimento social é tocado. Apesar do que se diz sobre ser burocrático, a tomada de decisões no Debian é de fato altamente desestruturada, quase anárquica. Existem áreas bem definidas de responsabilidade dentro do projeto. Pessoas responsáveis por estas áreas são livres para guiarem seus próprios barcos. Assim que alcançam os requisitos de qualidade com os quais a comunidade concorda, ninguém pode dizer o que fazer ou como fazer seu trabalho. Se você quer dar uma olhada em como algo é feito no Debian, você precisa meter a mão na massa e assumir o trabalho. Esta forma peculiar de meritocracia que às vezes chamados de fazer-cracia é muito "empowering" para contribuidores. qualquer um com as habilidades necessárias, tempo e motivação pode ter um impacto real na direção que o projeto toma. Isto é verificado pela população de cerca de 1000 membros oficiais do projeto Debian, e várias centenas de contribuidores ao redor do mundo. Não é estranho que o Debian seja frequentemente creditado como o maior projeto de software livre liderado pela comunidade em existência. Portanto o Debian é bastante único. Apenas nós percebemos isto? Certamente que não. de acordo com a DistroWatch existem cerca de 300 distribuições de Software Livre ativas por aí. Metade delas (cerca de 140) são derivadas do Debian. Isto significa que elas iniciaram no Debian, adaptaram para as necessidades de seus usuários normalmente adicionando, modificando ou reconstruindo pacotes e lançaram o produto resultante. Basicamente, derivados aplicam as liberdade do Software Livre de modificar e redistribuir cópias não apenas de partes incividuais do software, mas da distribuição como um todo. O potencial de alcançar novos usuários e colaboradores de Software Livre através de distribuições derivadas é imenso. Acreditamos que é principalmente por causa deste próspero ecossistema que o Software Livre está atualmente finalmente rivalizando com o software proprietário em campos considerados historicamente difíceis de conquistar, como grandes instalações de computadores de mesa. O Debian está na raíz deste grande ecossistema de distribuições de Software Livre existentes: mesmo se você não está usando o Debian diretamente, e mesmo se seu fornecedor não te disse, existe uma chance de você estar neste exato momento se beneficiando do trabalho da comunidade Debian. Mas a unicidade do Debian vem às vezes com consequencias inesperadas. Uma consequencia da visão do Debian sobre liberdades digitais foi a necessidade de redefinir o que entendemos por software. O projeto Debian a muito percebeu que, junto com um sistema operacional, você precisa distribuir um monte de material que não é programa (software): música, imagens, documentação, dados brutos, firmware, etc. Mas como aplicar liberdade de software a este material? Devemos ter requisitos diferentes ou todo o material deve seguir o mesmo critério rigoroso de liberdade? O

16 Projeto Debian decidiu pela última opção: todo material disponível como parte do Debian deve oferecer as mesmas liberdades a seus usuários. Tal posição filosófica radical teve efeitos amplos. Significa que não podemos distribuir firmware não-livre, ou arte que não possa ser usada para fins comerciais, ou livros que não podem ser modificados para evitar macular (segundo as lendas das editoras) a reputação do(a) autor(a). O livro que tens nas suas mãos é diferente. Ele é um livro "free" como em liberdade, um livro que segue os padrões de liberdade do Debian para cada aspecto de sua vida digital. Por um tempo muito longo, a disponibilidade escassa de livros como este tem sido uma grande limitação do Debian. Significava que exisita pouco material de leitura que ajudasse a difundir o Debian e seus valores, ao mesmo tempo que encorporava seus valores e mostrava suas vantagens. Mas também significava, ironicamente, que tínhamos pouco material que pudéssemos distribuir como parte do Debian em si. Este é o primeiro livro respeitável para suprir essa limitação. Você pode apt-get install este livro, pode redistribuí-lo, pode derivá-lo ou, melhor, enviar reportes de erros e correções para ele, de forma que outros possam se beneficiar de suas contribuições no futuro. Os "mantenedores" deste livro - quem são também os autores - são membros de longa data do Projeto Debian, quem assimilaram e foram assimilados pela ethos livre que permeia cada aspecto do Debian e conhecem de primeira mão o que significa assumir responsabilidades de grandes partes do Debian. Ao lançar este livro livre eles realizam, uma vez mais, um fantástico serviço para toda a comunidade Debian. Esperamos que você curta esta pedra angular do Debian lendo Liberdade tanto como nós. Novembro de 2013 Stefano Zacchiroli (líder do Projeto Debian ) e Lucas Nussbaum (líder do Projeto Debian 2013-atualidade)

17 Prefacio O Linux foi ganhando força nos últimos anos, e sua popularidade crescente leva mais e mais usuários a dar o salto. O primeiro passo nesse caminho é escolher uma distribuição. Esta é uma decisão importante, porque cada distribuição tem suas próprias peculiaridades, e os futuros custos de migração podem ser evitados se a escolha certa é feita desde o início. DE VOLTA AO BÁSICO distribuicao Linux, kernel Linux Estritamente falando, Linux é apenas um núcleo, a parte essencial do software que fica entre o hardware e as aplicações. Uma "distribuição Linux" é um sistema operacional completo, que normalmente inclui o kernel do Linux, um programa de instalação e, o mais importante, aplicativos e outros softwares necessários para transformar um computador em uma ferramenta realmente útil. O Debian GNU/Linux é uma distribuição Linux "genérica" que serve à maioria dos usuários. O propósito deste livro é mostrar seus muitos aspectos para que você possa tomar uma decisão fundamentada ao escolher. 1. Por que este Livro? CULTURA Distribuições Comerciais A maioria das distribuições Linux são suportadas por uma empresa com fins lucrativos que as desenvolve e vende sob algum tipo de esquema comercial. Exemplos incluem Ubuntu, desenvolvida principalmente pela Canonical Ltd.; Mandriva Linux, pela companhia francesa Mandriva SA; e Suse Linux, mantida e disponibilizada comercialmente pela Novell. No outro extremo do espectro encontram-se nomes como Debian e a Apache Software Foundation (que hospeda o desenvolvimento para o servidor web Apache). Debian é, acima de tudo, um projeto no mundo do Software Livre, implementado por voluntários que trabalham em conjunto através da Internet. Enquanto alguns deles trabalham no Debian como parte de seu trabalho pago, em várias companhias, o projeto como um todo não é vinculado a nenhuma companhia em particular, nem deixa que uma única companhia tenha muito mais voz nos negócios do projeto que os contribuidores puramente voluntários tenham. O Linux reuniu um volume considerável de cobertura da mídia ao longo dos anos; isto beneficia principalmente as distribuições apoiadas por um departamento de marketing real - em outras palavras, para distribuições baseadas em empresas (Ubuntu, Red Hat, SUSE, Mandriva, e assim por diante). Mas o Debian está longe de ser uma distribuição marginal; múltiplos estudos mostram ao longo dos anos que o Debian é amplamente usado em servidores e desktops, isto é particularmente verdade entre servidores web onde o Debian é a distribuição Linux líder. /debian_ubuntu_extend_the_dominance_in_the_linux_web_server_market_at_the_expense_of_red_hat_centos O propósito deste livro é ajudar você a descobrir esta distribuição. Nós esperamos compartilhar a experiência que tivemos desde 1998 (Rafaël) e 2000 (Roland) quando nos juntamos ao projeto como desenvolvedores e colaboradores. Com alguma sorte, nosso entusiasmo vai ser comunicativo, e talvez você se junte a nós em algum momento A primeira edição deste livro (de 2004) serviu para preencher uma lacuna: era o primeiro livro de língua francesa focado exclusivamente no Debian. Naquele tempo, muitos outros livros foram escritos sobre o tema para os leitores de francês e inglês. Infelizmente quase nenhum deles foi atualizado, e ao longo do tempo a situação foi piorando até o momento em que temos uns poucos bons livros sobre Debian. Nós esperamos que este livro, que iniciou uma nova vida com sua tradução para o inglês (e várias traduções de inglês para outras línguas), preencha a lacuna e ajude muitos usuários.

18 2. Para quem é este Livro? Tentamos fazer com que este livro fosse útil para muitas categorias de leitores. Primeiro, os administradores de sistemas (novatos e experientes) encontrarão explicações sobre a instalação e implementação do Debian em muitos computadores. Eles também terão uma idéia da maioria dos serviços disponíveis no Debian, juntamente com instruções de configuração correspondentes e uma descrição das especificidades provenientes da distribuição. Compreender os mecanismos envolvidos no desenvolvimento do Debian irá capacitá-los à lidar com problemas imprevistos, sabendo que podem sempre encontrar ajuda dentro da comunidade. Os usuários de outra distribuição Linux, ou de outra variante Unix, descobrirão as especificidades do Debian, e deverão estar operacionais muito rapidamente enquanto se beneficiam plenamente das vantagens únicas desta distribuição. Finalmente, os leitores que já têm algum conhecimento do Debian e querem saber mais sobre a comunidade por trás dele deve ver suas expectativas cumpridas. Este livro deve deixá-los muito mais próximo de se juntar a nós, como colaboradores. 3. Abordagem Geral Toda a documentação genérica que você possa encontrar sobre GNU/Linux também se aplica ao Debian, já que o Debian inclui os softwares livres mais comuns. No entanto, a distribuição traz muitas melhorias, razão pela qual optou-se primeiramente descrever o "modo do Debian" de fazer as coisas. É interessante seguir as recomendações do Debian, mas é ainda melhor compreender a sua lógica. Portanto, não nos restringiremos a explicações práticas apenas; também vamos descrever o funcionamento do projeto, de modo a proporcionar-lhe um conhecimento abrangente e consistente. 4. Estrutura do Livro Este livro tem suas origens na série "Guia do Administrador" da editora francesa Eyrolles, e mantém a mesma abordagem de resoluções em torno de um estudo de caso fornecendo apoio e ilustração para todos os tópicos tratados. NOTA Página Web, dos autores Este livro tem o seu próprio site, que hospeda elementos que podem torná-lo mais útil. Em particular, inclui uma versão online do livro com links clicáveis, e possíveis erratas. Sinta-se a vontade para navegar nele e deixar-nos um comentário. Teremos o maior prazer de ler seus comentários ou mensagens de apoio. Pode enviar por para e O Capitulo 1 se concentra em uma apresentação não-técnica do projeto Debian e descreve seus objetivos e organização. Estes aspectos são importantes porque definem um quadro geral que irá completar outros capítulos com informações mais

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel?

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel? O que é o GNU/LINUX? Muita gente confunde Linux com sistema operacional. Digamos que parcialmente não esteja errado. O Linux(núcleo, coração do sistema), ele e responsável pelo funcionamento do computador,

Leia mais

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4

Librix...3. Software Livre...3. Manual Eletrônico...3. Opções de Suporte...3. Configuração de Dispositivos Básicos...4 Índice Introdução Librix...3 Software Livre...3 Manual Eletrônico...3 Opções de Suporte...3 Dicas para a Instalação Configuração de Dispositivos Básicos...4 Teclado...4 Mouse...5 Vídeo...5 Rede...6 Configuração

Leia mais

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre 16:21:50 Introdução à Informática com Software Livre 1 16:21:50 Hardware & Software 2 16:21:50 Hardware Hardware é a parte física de um computador, é formado pelos componentes eletrônicos, como por exemplo,

Leia mais

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional Curso de Linux Básico com o Felipe Buarque de Queiroz felipe.buarque@gmail.com Unidade Gestora de Tecnologia da Informação - UGTI Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Alagoas - FAPEAL Maio de 2009

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Universidade Federal de Goiás Ubuntu Desktop Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Conpeex / 2010 Agenda Introdução Conceitos Categorias de Software História do Linux Arquitetura do Linux Ubuntu Projeto

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Curso Técnico em Redes de Computadores Disciplina de Sistemas Operacionais Livres SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Professora: Juliana Cristina dos Santos E-mail: professora@julianacristina.com Site:

Leia mais

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 NOVELL CARTÃO DE INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Use os seguintes procedimentos para instalar uma nova versão do SUSE Linux Enterprise 11. Este documento

Leia mais

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre 22:59:36 Introdução à Informática com Software Livre 1 22:59:36 O Debian é uma distribuição GNU/Linux desenvolvida abertamente por um grupo mundial de voluntários, no esforço de se produzir um sistema

Leia mais

Curso de Linux Básico

Curso de Linux Básico Curso de Linux Básico Oficina TecnoJovem Outubro/2013 Instalação de Programas Introdução Pacotes Gerenciamento de Pacotes Exemplos Material baseado na Documentação Ubuntu, disponível na Internet (WIKI)

Leia mais

Fundamentos de Administração de Sistemas

Fundamentos de Administração de Sistemas Fundamentos de Administração de Sistemas Este curso tem como objetivo ensinar aos alunos conceitos de administração de um sistema Linux. Isto inclui o gerenciamento de contas de usuários, automação de

Leia mais

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Server 11 SP1 CARTÃO DE INICIALIZAÇÃO RÁPIDA NOVELL Use os seguintes procedimentos

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Manual do KSystemLog. Nicolas Ternisien

Manual do KSystemLog. Nicolas Ternisien Nicolas Ternisien 2 Conteúdo 1 Usando o KSystemLog 5 1.1 Introdução.......................................... 5 1.1.1 O que é KSystemLog?............................... 5 1.1.2 Recursos.......................................

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Aula 01. Introdução ao Linux

Aula 01. Introdução ao Linux Aula 01 Introdução ao Linux Introdução Objetivos aprender a usar um novo sistema aprender a usar uma nova interface Como no Windows navegar pela internet (e-mails, facebook, etc) criar pastas e arquivos

Leia mais

História. Sistema Operacional

História. Sistema Operacional História Linux é o termo geralmente usado para designar qualquer sistema operacional que utilize o núcleo Linux. Foi desenvolvido pelo Finlandês Linus Torvalds, inspirado no sistema Minix. O seu código

Leia mais

Mandriva Pulse - Especificações e recursos

Mandriva Pulse - Especificações e recursos Mandriva Pulse - Especificações e recursos Mandriva Brasil 2 de abril de 2015 Lista de Tabelas 1 Tabela resumo dos diferenciais do Pulse....................... 9 Lista de Figuras 1 Interface web do Mandriva

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes?

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores Módulo LPI Aula 5 Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? 1 [1] NEVES, Júlio César Gerenciamento de Pacotes Por que

Leia mais

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Aula 34 Software livre e código aberto Aula 34 2 Gestão em Sistemas

Leia mais

Software Livre. para concursos. Questões comentadas

Software Livre. para concursos. Questões comentadas Software Livre para concursos Questões comentadas Prefácio Hoje, qualquer instituição, seja ela pública ou privada, necessita utilizar programas de computadores para auxiliar os seus processos, gerando

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Linux: Introdução Fabricio Breve Introdução O que é Linux? Uma versão do UNIX (re-implementação do padrão POSIX) Principais diferenciais: Gratuito

Leia mais

Software de sistema Software aplicativo

Software de sistema Software aplicativo SOFTWARE O que é Software? Software, logicial ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redireccionamento ou modificação de um dado/informação

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0

Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 2007 Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 Por: Rafael Nink de Carvalho Web site: 2 Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 Por: Rafael Nink de Carvalho Machadinho D Oeste RO Agosto 2007

Leia mais

Salvando arquivos em PDF nos Sistemas Mainframes, utilizando emuladores de terminal

Salvando arquivos em PDF nos Sistemas Mainframes, utilizando emuladores de terminal DIRETORIA DE OPERAÇÕES DO GERÊNCIA DE GESTÃO DE AMBIENTES GGA Salvando arquivos em PDF nos Sistemas Mainframes, utilizando emuladores de terminal Documento Versão 1.0.1 Adaptado por Coordenação Data de

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux. Prof. Jefferson Santiago

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux. Prof. Jefferson Santiago Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux Prof. Jefferson Santiago Apresentação Qual seu nome? Já possui experiência na área? Questionário avaliativo Acesse: http://goo.gl/forms/4rfaomufim

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES

MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES www.lanuniversity.com.br MANDRIVA CONECTIVA LINUX - ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS E REDES Preparatório para certificações Mandriva Systems Administrator, Mandriva Network Administrator, e exames do LPI Nível

Leia mais

Sistemas operacionais de rede: Windows e Linux

Sistemas operacionais de rede: Windows e Linux Sistemas operacionais de rede: Windows e Linux Introdução Um sistema operacional de rede é simplesmente um sistema operacional com serviços de rede, que chamamos de um modo geral de servidor. Dependendo

Leia mais

Serviço HP Carregamento de Imagem e Aplicações

Serviço HP Carregamento de Imagem e Aplicações Especificações técnicas Serviço HP Carregamento de Imagem e Aplicações Serviços HP de Configuração Deixe a HP gerenciar sua imagem de PC para que você possa se concentrar nos negócios Visão geral dos serviços

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 1 Introdução aos Sistemas Operacionais GNU/Linux. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 1 Introdução aos Sistemas Operacionais GNU/Linux. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 1 Introdução aos Sistemas Operacionais GNU/Linux Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS... 3 Monousuário x Multiusuário...

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

Sistemas operativos unix

Sistemas operativos unix Sistemas operativos unix Escola Eça de Queirós Trabalho realizado por: Dimas Marques e-mail :dmarques@ecaredes6.net Paulo silva e-mail: psilva@ecaredes6.net Turma :S12 Ano Lectivo : 2009/2010 1-caixa mágica

Leia mais

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR $8',725,$'$7(&12/2*,$'$,1)250$d 2 &\QDUD&DUYDOKR F\QDUDFDUYDOKR#\DKRRFRPEU

Leia mais

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS I N F O R M Á T I C A Sistemas Operacionais Campus Itaqui-RS Sistemas Operacionais É o software que gerencia o computador! Entre suas funções temos: inicializa o hardware do computador fornece rotinas

Leia mais

Introdução ao Sistema Operacional GNU/Linux

Introdução ao Sistema Operacional GNU/Linux Altamir Dias (altamir@emc.ufsc.br), Antonio Carlos Ribeiro Nogueira (nogueira13@gmail.com) Samuel Andrade Segatto (segatto.samuel@gmail.com) Departamento de Engenharia Mecânica Universidade Federal de

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Manual. Configuração do. Samba. Compartilhamento e Servidor Samba Linux. Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre

Manual. Configuração do. Samba. Compartilhamento e Servidor Samba Linux. Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração do Samba Compartilhamento e Servidor Samba Linux Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração do Samba Compartilhamento e Servidor Samba

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002 Liberdade Manual de instalação Liberdade Manual de instalação Versão 1.0.0-31/10/2002 Versão 1.0.0-31/10/2002 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com.br

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Informática. Aula 03 Sistema Operacional Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos

Informática. Aula 03 Sistema Operacional Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Prof. Diego Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Informática Aula 03 Sistema Operacional Linux Objetivos Entender

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CRIAÇÃO DA MÁQUINA VIRTUAL... 3 Mas o que é virtualização?... 3 Instalando o VirtualBox...

Leia mais

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação.

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. 1.Todo software livre deve ser desenvolvido para uso por pessoa física em ambiente com sistema

Leia mais

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA Você deve ter em mente que este tutorial não vai te gerar dinheiro apenas por você estar lendo, o que você deve fazer e seguir todos os passos

Leia mais

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica.

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica. Google App Inventor: o criador de apps para Android para quem não sabe programar Por Alexandre Guiss Fonte: www.tecmundo.com.br/11458-google-app-inventor-o-criador-de-apps-para-android-para-quem-naosabe-programar.htm

Leia mais

12 Razões Para Usar. Lightroom. André Nery

12 Razões Para Usar. Lightroom. André Nery 12 Razões Para Usar Lightroom André Nery André Nery é fotógrafo em Porto Alegre. Arquitetura e fotografia outdoor, como natureza, esportes e viagens, são sua área de atuação. Há dez anos começou a ministrar

Leia mais

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02 Manual de Instalação Instalação via apt-get SIGA-ADM versão 12.02 Índice de capítulos 1 - Pré-requisitos para instalação..................................................... 05 2 - Instalando o SIGA-ADM..............................................................

Leia mais

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Software Livre Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) - A liberdade de executar

Leia mais

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com. Curso Introdução ao Linux Desmistificando o Software Livre Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.br Índice 1 O que é Software Livre? 2 A história por trás do Software Livre.

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO LINUX ESSENTIALS Presencial (40h) - À distância (48h) Conhecendo um Novo Mundo Introdução ao GNU/Linux Distribuições GNU/Linux Linux Inside: Instalação Desktop Debian e CentOS Primeiros

Leia mais

Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0

Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0 Como Configurar Catálogos de Correio Eletrônico com o MDaemon 6.0 Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N Technologies. Todos os Direitos

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização

arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização arcserve Unified Data Protection Resumo da solução de virtualização Hoje a virtualização de servidores e desktops é uma realidade não só nas empresas, mas em todos os tipos de negócios. Todos concordam

Leia mais

Qlik Sense Desktop. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Desktop. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Desktop Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes

ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Latest update New and revised ISO 14001:2015 Revisão Perguntas Frequentes Introdução A ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, a primeira norma ambiental internacional do mundo tem ajudado milhares de

Leia mais

Circuito Curitibano de Software Livre

Circuito Curitibano de Software Livre Circuito Curitibano de Software Livre 1ª etapa: UniBrasil Software Livre e a Paulo Henrique de Lima Santana 19 de maio de 2015 Paulo Henrique de Lima Santana Bacharel em Ciência da Computação na UFPR.

Leia mais

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação.

INICIALIZAÇÃO RÁPIDA. 1 Insira o CD 1 ou DVD do Novell Linux Desktop na unidade e reinicialize o computador para iniciar o programa de instalação. Novell Linux Desktop www.novell.com 27 de setembro de 2004 INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Bem-vindo(a) ao Novell Linux Desktop O Novell Linux* Desktop (NLD) oferece um ambiente de trabalho estável e seguro equipado

Leia mais

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Projecto SDAC 2010 Sistema Operativo Open Source Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Disciplina: Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores Professores: Catarina Santos/Paulo Guimarães

Leia mais

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Aviso de Isenção de Responsabilidade e Direitos Autorais As informações contidas neste documento representam a visão atual da Microsoft

Leia mais

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual Maria Augusta Sakis Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma Máquina Virtual Máquinas virtuais são muito úteis no dia-a-dia, permitindo ao usuário rodar outros sistemas operacionais dentro de uma

Leia mais

UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO

UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO www.origy.com.br UM NOVO CONCEITO EM HOSPEDAGEM DE DOMÍNIO CARACTERÍSTICAS: E-MAIL IMAP * Acesso simultâneo e centralizado, via aplicativo, webmail e celular/smartphone * Alta capacidade de armazenamento

Leia mais

O que um Servidor Samba faz?

O que um Servidor Samba faz? O que é o Samba? O Samba é um "software servidor" para Linux (e outros sistemas baseados em Unix) que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows

Leia mais

Manual do aplicativo Conexão ao telefone

Manual do aplicativo Conexão ao telefone Manual do aplicativo Conexão ao telefone Copyright 2003 Palm, Inc. Todos os direitos reservados. O logotipo da Palm e HotSync são marcas registradas da Palm, Inc. O logotipo da HotSync e Palm são marcas

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Sobre O SOAC. 2. Histórico. 3. Contato. 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências

SUMÁRIO. 1. Sobre O SOAC. 2. Histórico. 3. Contato. 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências SUMÁRIO 1. Sobre O SOAC 2. Histórico 3. Contato 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências 4.1 Página Capa Localizada no Menu Horizontal Principal 4.2 Página Sobre Localizada

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Construindo sítios profissionais com Mambo

Construindo sítios profissionais com Mambo 23/09/06 Construindo sítios profissionais com Mambo Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Software Livre Conceitos de CMS Mambo Configuração do Mambo Novidades Referências 2 O que é software

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO NComputing Brasil - #110502 Instalando o Oracle Virtualbox 4.0.2 e Criando uma VM Windows Server 2008 no Virtualbox O que é virtualbox? O virtualbox é um aplicativo de virtualização multi-plataforma

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com OBJETIVOS Descrever os serviços que um sistema operacional oferece aos usuários e outros sistemas

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Junho de 2013 Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos Jacob Ukelson Entrega de aplicativos Sumário Resumo executivo 3 Seção 1: 4 Mudando o cenário de automação

Leia mais

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL LINUX Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL Para que o computador funcione e possibilite a execução

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP)

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) teste 1 Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) Rafael Fernando Diorio www.diorio.com.br Tópicos - Atualizações e segurança do sistema - Gerenciamento do computador -

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 3 Virtualização de Sistemas 1. Conceito Virtualização pode ser definida

Leia mais

Como é o desenvolvimento de Software?

Como é o desenvolvimento de Software? Como é o desenvolvimento de Software? Fases do Desenvolvimento Modelo Cascata Define atividades seqüenciais Outras abordagens são baseadas nesta idéia Especificação de Requisitos Projeto Implementação

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

Metas de um Sistema Distribuído

Metas de um Sistema Distribuído Metas de um Sistema Distribuído Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC O AMBIENTE OPERACIONAL QUE AGREGA A CONFIABILIDADE E O SUPORTE DA ITAUTEC À SEGURANÇA E À PERFORMANCE DO LINUX O LIBRIX É UMA DISTRIBUIÇÃO PROFISSIONAL LINUX

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA

MANUAL PARA USO DO SISTEMA Clínicas Odontológicas MANUAL PARA USO DO SISTEMA (GCO) GERENCIADOR CLÍNICO ODONTOLÓGICO SmilePrev Versão 2.0 SmilePrev Clínicas Odontológicas www.smilepev.com 2008 REQUISITOS BÁSICOS DO SISTEMA HARDWARE

Leia mais

Tutorial de instalação do Debian Rudson Ribeiro Alves

Tutorial de instalação do Debian Rudson Ribeiro Alves Tutorial de instalação do Debian Rudson Ribeiro Alves UVV/2007 Sep 24, 2007 Opções de Boot Tela inicial do CD de instalação do Debian. Escolha F2 para ver mais opções de boot. 2 Opções de Boot Tela com

Leia mais

São programas de computador com a função de interagir a maquina com o usuário. Licenciados Livres - Gratuitos ou uso limitados 18/10/2010 1

São programas de computador com a função de interagir a maquina com o usuário. Licenciados Livres - Gratuitos ou uso limitados 18/10/2010 1 Softwares São programas de computador com a função de interagir a maquina com o usuário Tipos : Licenciados Livres - Gratuitos ou uso limitados 18/10/2010 1 Licenciados São software autorizados, cedidos

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre O que é software livre Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 17:12. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] por Augusto Campos Este artigo responde a diversas dúvidas comuns de novos

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Desktop 11

Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Desktop 11 Inicialização rápida da instalação SUSE Linux Enterprise Desktop 11 NOVELL CARTÃO DE INICIALIZAÇÃO RÁPIDA Use os seguintes procedimentos para instalar uma nova versão do SUSE Linux Enterprise Desktop 11.

Leia mais

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos Plano de Testes Versão DeltaInfo Soluções para web Soluções para o mundo DeltaInfo 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores

Leia mais

O que é uma distribuição de Linux

O que é uma distribuição de Linux O que é uma distribuição de Linux Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 20:02. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] por Augusto Campos Este artigo responde a diversas dúvidas comuns

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

CSF Designer Intuition SOLUÇÕES DE OUTPUT FIS

CSF Designer Intuition SOLUÇÕES DE OUTPUT FIS SOLUÇÕES DE OUTPUT FIS O CSF Designer Intuition TM da FIS ajuda organizações que lidam com o cliente a criar, de forma instantânea e interativa, documentos comerciais respeitando as regulações vigentes,

Leia mais

ATIVIDADE 1 MÁQUINAS VIRTUAIS. 1.1 Arquiteturas não virtualizadas

ATIVIDADE 1 MÁQUINAS VIRTUAIS. 1.1 Arquiteturas não virtualizadas ATIVIDADE 1 MÁQUINAS VIRTUAIS Existem hoje diversas tecnologias e produtos para virtualização de computadores e ambientes de execução, o que pode gerar uma certa confusão de conceitos. Apesar disso, cada

Leia mais