DEMANDA POR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE CARGAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEMANDA POR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE CARGAS"

Transcrição

1

2 Relatório DEMANDA POR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE CARGAS Instituto do Desenvolvimento do Transporte IDT Escola do Transporte 26 a 28 de Março de

3 Elaboração Coordenação de Desenvolvimento de Cursos Diretoria Executiva do IDT Tabulação dos dados Coordenação de Desenvolvimento de Cursos Instituto de Desenvolvimento do Transporte IDT Escola do Transporte Apoio ao Levantamento dos Dados FETECESP Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo Contato Instituto de Desenvolvimento do Transporte - IDT SAS Quadra 06 Lote 03 Bloco J Edifício Camilo Cola 2º andar Fone: (0xx61) Brasília DF Site: Fale com o sistema CNT

4 SUMÁRIO DADOS TÉCNICOS 5 APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVO 8 UNIVERSO E ABRANGÊNCIA DA PESQUISA 9 METODOLOGIA 10 RESULTADOS 11 PARTE I CARACTERIZAÇÃO DO PERFIL DAS EMPRESAS PESQUISADAS Número de Clientes Quantidade de Motoristas de Veículos de Transporte de Cargas Frota de Veículos Padronização da Marca dos Veículos Composição da Frota Idade Média da Frota Tecnologia Embarcada Tipos de Cargas Transportadas Abrangência Geográfica Distância Média Percorrida por Dia 15 PARTE II LEVANTAMENTO DOS DADOS RELACIONADOS AO MOTORISTA Visão do Empresário Visão da Chefia de Recursos Humanos Visão da Chefia Operacional Visão do Motorista de Veículo de Transporte de Cargas 41 PARTE III COMPETÊNCIAS, HABILIDADES E ATITUDES RELACIONADAS AO CONDUTOR DE VEÍCULO DE TRANSPORTE DE CARGAS Chefia Operacional Motorista Visão Integrada dos Motoristas e Chefia Operacional 57 CONCLUSÃO 63 ANEXOS 65 4

5 DADOS TÉCNICOS Pesquisa Demanda por Qualificação Profissional para os Condutores de Veículos de Transporte de Cargas Entrevistas 51 entrevistas realizadas com profissionais de empresas de transporte de cargas Amostra 15 empresas de transporte de carga da região de São Paulo Campo 26 a 28 de março de 2007 Rechecagem 93% da Amostra. 5

6 APRESENTAÇÃO No ambiente de negócios, temas relacionados à redução de custos e melhoria de produtividade são vitais para o desenvolvimento de toda empresa privada. No setor de transporte, em especial no transporte rodoviário de cargas, esta premissa não é diferente, pois este é o elo entre a matriz produtiva e os mercados consumidores. A importância do transporte rodoviário no Brasil é demonstrada pela participação na matriz energética, na qual o modal rodoviário representa 58% (ANTT, 2005). Além da distribuição dos bens, o transporte é propulsor econômico que integra as regiões do país. Neste contexto, os condutores de veículos de transporte de cargas possuem um papel importante no processo de aumento da produtividade do setor de transportes, uma vez que são eles, em última instância, os responsáveis pelo transporte das cargas com segurança e de forma econômica, além de serem o cartão de visita da empresa para a qual transportam. Por isto, observase a importância da qualificação destes profissionais para o melhor desempenho do setor. Diversos cursos específicos para motoristas de veículos de transporte de cargas, sejam eles de caráter legal ou não, são oferecidos por diversas instituições no País, porém são poucas as que desenvolvem programas de treinamento diferenciado que contemplem uma formação ampla, abordando conteúdos técnicos, comportamentais e práticos sem seus programas pedagógicos. Diante deste cenário, o Instituto de Desenvolvimento do Transporte IDT, por meio da Escola do Transporte, com o apoio da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo FETECESP, e por solicitação de empresários do Transporte de Cargas do Estado de São Paulo, realizou pesquisa para levantamento das necessidades de treinamento dos motoristas, com o objetivo de mapear as competências necessárias à construção de curso para condutores de veículos de transporte de carga, que contemple os novos requerimentos da demanda por este profissional, além de coletar diversos dados importantes para reforçar a tese de que a qualificação para o exercício da atividade de motorista é indispensável. Assim, este relatório traz o resultado da pesquisa realizada pelo IDT, na qual são identificadas as demandas por Qualificação Profissional para os Condutores de Veículos de 6

7 Transporte de Cargas. Este irá servir de base para a construção de cursos de qualificação, formação e aperfeiçoamento de condutores de transporte de cargas. Como resultado, a primeira parte deste relatório de pesquisa trata da caracterização do perfil das empresas pesquisadas com relação à localização, número de clientes, frota de veículos, padronização da marca dos veículos, composição da frota de veículos, idade média da frota, identificação da tecnologia embarcada nos veículos, identificação dos produtos transportados, abrangência geográfica da empresa e distância média percorrida diariamente pelos condutores de veículos de transporte de cargas. Na segunda parte da pesquisa, as empresas foram avaliadas por meio dos profissionais que ocupam cargos em níveis estratégicos da empresa: empresário, chefia operacional, chefia de recursos humanos e motorista nos quais foram coletados os dados referentes ao tempo de trabalho na empresa e escolaridade dos profissionais entrevistados, além de questões relativas aos motoristas, tais como: características do motorista ideal, pré-requisitos ideais e reais para contratação, perfil comportamental, exames médicos admissionais, cursos específicos necessários à contratação, dificuldades na contratação, processo seletivo, remuneração, benefícios, turn-over, realização de treinamento após contratação, cursos preparatórios para assumir a função, importância do treinamento para o desempenho do motorista, cursos pós-admissionais oferecidos pela empresa, carga horária anual de treinamento, valor investido em cursos, horários de realização dos treinamentos, percepção dos motoristas com relação ao treinamento, carga horária de treinamento prevista para o ano de 2007, competências que podem ser desenvolvidas por meio de treinamento, efetividade dos treinamentos para motoristas, metodologia adequada aos treinamentos e indicadores de desempenho pré e pós-treinamentos. Por último, na terceira parte deste relatório, são apresentados os resultados referentes à importância e à prioridade de desenvolvimento dos conhecimentos, habilidades e atitudes relativos à atividade dos condutores de veículos de transporte de cargas que foram previamente identificadas nos instrumentos de pesquisa. 7

8 OBJETIVO O objetivo geral desta pesquisa é quantificar e qualificar os elementos que retratam a demanda por qualificação para os condutores de veículos de transporte de cargas, levantando as necessidades de treinamento por meio do desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes específicas para o desempenho da profissão de condutor de veículos de transporte de cargas, oferecendo subsídios para propor novos cursos para esta ocupação. 8

9 UNIVERSO E ABRANGÊNCIA DA PESQUISA Foram indicadas pela Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo - FETECSEP, quinze empresas que atuam no transporte de cargas, todas situadas na região de São Paulo, para que participassem da pesquisa proposta. Os questionários foram aplicados in loco, na semana de 26 a 28 de março de 2007, pelos técnicos da Coordenação de Desenvolvimento de Cursos do IDT. Foram entrevistados 51 profissionais de quatro níveis estratégicos da empresa: empresário, chefia operacional, chefia de RH e motoristas, visando obter uma visão integrada dos dados pesquisados. 9

10 METODOLOGIA Ao se considerar o objetivo geral de conhecer a demanda por qualificação para condutores de veículos de transporte rodoviário de cargas, foi estabelecido que o método da pesquisa seria exploratório descritivo, desenvolvido em campo. A pesquisa foi desenvolvida por meio de instrumento do tipo questionário, dividido em três etapas, sendo que o primeiro foi utilizado para caracterizar a empresa (Anexo I), o segundo para caracterizar o profissional entrevistado e para a coleta de dados referentes à atuação do motorista (Anexo II) e o terceiro para priorizar a importância e o domínio dos conhecimentos, habilidades e atitudes pré-identificados para a ocupação de condutores de veículos de transporte de cargas (Anexo III). As análises dos dados obtidos da terceira etapa da pesquisa, que foi aplicada apenas nos profissionais da chefia operacional e no motorista, foi realizada por meio da seguinte fórmula P = [I(3-D)]/n, para cada uma das competências listadas, onde: P= prioridade da competência, em escala de 0 a 3; I= importância da competência julgada pelos respondentes, numa escala de 0 a 3; D= domínio da competência julgada pelos respondentes, numa escala de 0 a 3; n= número de respondentes. Esta técnica de análise contribui para desenvolver a proposta pedagógica e o plano de curso para motoristas por estabelecer a prioridade das competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) que são necessárias serem desenvolvidas nos condutores de veículos de transporte de cargas para o melhor desempenho da profissão. A pesquisa baseou-se em dados quantitativos e qualitativos que foram tratados por meio de análise estatística descritiva e de conteúdo. A seguir, apresentam-se os resultados da pesquisa, organizados por temas de estudo. 10

11 RESULTADOS PARTE I CARACTERIZAÇÃO DO PERFIL DAS EMPRESAS PESQUISADAS 1. Número de Clientes O número de clientes atendidos pelas empresas pesquisadas varia de 25 a usuários dos serviços de transporte de cargas. 2. Quantidade de Motoristas de Veículos de Transporte de Cargas O número de motoristas contratados nas empresas varia de 23 a 900, com média de 289. O número de motoristas terceirizados varia 5 a 853, com média de 214. Uma empresa não possui motorista terceirizado. 3. Frota de Veículos Todas as empresas pesquisadas possuem frota própria que varia de 20 a 1200 veículos de transporte de cargas. Detectou-se que 1 empresa não trabalha com frota terceirizada. Em todas as outras, a quantidade de veículos terceirizados varia de 04 a 807. Todas as empresas possuem veículo tipo carreta em sua frota que varia de 23 a 584 veículos deste tipo. 4. Padronização da Marca dos Veículos Em relação à marca dos veículos, 3 empresas têm a sua frota padronizada. As outras empresas trabalham com várias marcas de veículos, de acordo com a necessidade da empresa e especificidade do transporte. 5. Composição da Frota A composição da frota de veículos varia do caminhão leve (Toco) ao Extra-pesado (Bi-Trem/ Treminhão 7 eixos). O caminhão médio (Truck), o pesado (carreta 3 eixos) e o leve (Toco) são os mais utilizados nas empresas pesquisadas. Todas as empresas pesquisadas possuem mais de um tipo de caminhão em sua frota. 11

12 Quatorze empresas utilizam o caminhão médio (Truck), 12 possuem em sua frota o caminhão Pesado (Carreta 2 eixos e Baú) e 13 empresas possuem caminhão Leve (Toco) e Pesado (Carreta 3 eixos). Constatou-se, ainda, que 8 empresas possuem caminhão Pesado (Carreta Cavalo Truckado), 5 empresas possuem veículo pesado (Carreta Cavalo Truckado Baú) e 3 empresas possuem o caminhão extra-pesado (Bi-Trem/ Treminhão 7 eixos). Leve (Toco) 13 Médio (Truck) 14 Pesado (Carreta 2 eixos) 12 Pesado (Carreta Baú) 12 Pesado (Carreta 3 eixos) 13 Pesado (Carreta Cavalo Truckado) 8 Pesado (Carreta Cavalo Truckado Baú) 5 Extra-pesado (Bi-trem / Treminhão - 7 eixos) 3 Figura 1: Número de empresas por tipo de Veículos utilizados. anos. 6. Idade Média da Frota A idade média da frota pesquisada nas empresas varia de 3 a 13 anos com média geral de 5,8 7. Tecnologia Embarcada Treze das 14 empresas pesquisadas possuem Tacógrafo em seus veículos. Uma empresa não respondeu a esta questão. Uma empresa não possui sistema de rastreamento em seus veículos. Todas as outras empresas utilizam-se desta tecnologia. No que diz respeito à utilização de rádio PX ou similares em seus veículos, 3 empresas fazem uso deste recurso. 12

13 Das 14 empresas, 10 possuem computador de bordo em seus veículos e 4 não apresentam este recurso. Já com relação à quantidade de veículos com motores eletrônicos, duas empresas não possuem caminhões com esta tecnologia, sendo a frota de caminhões mecânicos. Sete empresas apresentam sistema de freios ABS em seus veículos e 5 possuem sistema de controle de tração (EPS). Rádio PX ou similar 3 Controle de tração (EPS) 5 ABS 7 Computador de bordo 10 Motor eletrônico 12 Sistema de rastreamento 13 Tacógrafo digital 13 Figura 2: número de empresas por utilização da tecnologia embarcada 8. Tipos de Cargas Transportadas No que diz respeito a carga transportada, 5 empresas transportam granel sólido, 12 transportam carga seca fracionada, 3 transportam granel líquido, 8 transportam químicos ou perigosos, 2 transporta carga frigorificada e 1 transporta hortaliças. Nenhuma das empresas transporta carga viva e/ou madeira. Verificou-se, ainda, que 9 empresas transportam mais de um dos tipos de carga relacionados acima. Uma empresa declarou transportar outros produtos que não os listados no instrumento de pesquisa. São eles: produtos pesados e remoções industriais. 13

14 Carga seca fracionada 12 Químicos ou perigosos 8 Granel sólido 5 Granel líquido 3 Carga frigorificada 2 Hortaliças 1 Carga viva 0 Madeira 0 Figura 3: número de empresas por tipo de carga transportada 9. Abrangência Geográfica Todas as empresas pesquisadas têm abrangência geográfica interestadual. Doze empresas realizam transporte de cargas intermunicipalmente e 11 empresas fazem transporte municipal. Cinco empresas atuam na rota internacional. Internacional 5 Interestadual 14 Intermunicipal 12 Municipal 11 Figura 4: número de empresas por abrangência geográfica 14

15 10. Distância Média Percorrida por Dia A distância média percorrida varia de empresa para empresa. Nesta variação, 2 empresas percorrem diariamente de 201 a 500 km, 2 empresas percorrem de 501 a 750 km, 1 percorre entre 751 a 1000 km e 9 percorrem acima de 1000 km. Nenhuma das empresas pesquisadas fazem percursos menores que 250 Km. > <250 0 Figura 5: número de empresas por distância média percorrida por dia em Km 15

16 PARTE II LEVANTAMENTO DOS DADOS RELACIONADOS AO MOTORISTA 1. Visão do Empresário 1.1 Caracterização do Perfil dos Entrevistados Dos 11 empresários entrevistados, 9 responderam sobre o tempo de atuação em transporte e declararam a escolaridade. O tempo de atuação dos empresários no setor varia de 5 a 55 anos. Dois dos entrevistados atuam há mais de 55 anos, no setor de transporte. A escolaridade varia de curso médio completo a pós-graduação completa, com representatividade de 5 empresários que concluíram o curso superior, 2 empresários que possuem o curso médio completo, 1 empresário com o curso superior incompleto, e 1 pós-graduado, conforme representado na figura abaixo. 11% 33% 11% 45% Curso de Pós-Graduação Curso Superior Incompleto Curso Superior Completo Curso Médio Completo Figura 6: representatividade do grau de escolaridade dos empresários 1.2 As Atividades do Motorista x Empresa Ao se tratar da questão sobre como a atividade do motorista afeta a empresa, percebe-se que, de maneira geral, os empresários avaliam que a atividade do motorista afeta a empresa em relação a todos os quesitos levantados: carga, clientes, custos operacionais e multas. No que diz respeito ao 16

17 quesito cargas, 6 empresários afirmam que há impacto direto sobre o manuseio das mercadorias e sua arrumação no veículo, podendo acarretar em prejuízos para a empresa. Ao se tratar de clientes, os empresários destacam o quanto a atividade do motorista é relevante, pois, de acordo com a pesquisa, para os 11 empresários, o motorista é o cartão de visitas e a imagem da empresa e, ainda, interfere na produtividade e nos resultados operacionais e financeiros. Afirmam, também, que o comportamento inadequado do motorista poderá prejudicar a relação cliente empresa, pois os clientes encontram-se cada vez mais exigentes em relação à melhor apresentação, postura e atendimento por parte do condutor. Sobre os custos operacionais, 7 empresários abordam questões relacionadas a este item, tais como: manutenção do veículo e consumo de combustível. Afirmam que a diminuição ou aumento dos custos dependerá do desempenho do motorista na operação do veículo. De forma geral, os empresários afirmam que o motorista faz a empresa ganhar ou perder dinheiro, pois percebem o motorista como sendo a essência do negócio e um dos principais colaboradores de uma empresa de transporte. Afirmam ainda, que sem um motorista comprometido, capacitado, respeitador das leis de trânsito, disposto atender as necessidades dos clientes, a empresa não têm o resultado esperado. 1.3 Características do Motorista Ideal De acordo com os dados levantados nesta questão, consideram-se características dos motoristas ideais as relacionadas a seguir e que tiveram freqüência maior que 1 nas respostas obtidas: Que tenha conhecimentos técnicos e operacionais (5) Respeitador e conhecedor das leis e regras internas e externas (3) Que seja íntegro e que tenha moral (3) Que tenha família (3) Que seja honesto (3) Que possua grau de escolaridade médio (3) Que tenha hábitos saudáveis (2) Prestativo (2) Aquele que se vê como dono do próprio negócio (2) 17

18 Boa apresentação (2) Idade acima de 35 anos (2) Que dirija defensiva e economicamente (2) Que tenha equilíbrio emocional e que saiba lidar com situações estressantes do trânsito e horário de entrega da carga para o cliente (2) Pró-ativo (2) Foram ainda, levantadas outras 18 características necessárias ao motorista ideal que tiveram freqüência 1 nas respostas coletadas. A relação completa das características está listada no Anexo IV deste documento. 1.4 Importância do Treinamento para o desempenho do motorista De acordo com os dados levantados nesta questão, foram listados os aspectos fundamentais que podem ser obtidos por meio de treinamento que tiveram freqüência maior que 1 nas respostas obtidas: Formação sistêmica do profissional nas áreas sócio-familiar (9) Imagem perante o cliente (9) Condução da carga e da descarga (9) Otimização de custos (economia de combustível, manutenção do caminhão, diminuição de multas) (9) Contribuição para representação da empresa (3) Assumir maiores responsabilidades com a manutenção do veículo e documentação da carga (3) Cidadania no trânsito diminuição de acidentes (3) Melhor desempenho na direção defensiva (2) Maior comprometimento com a Saúde (2) Foram, ainda, levantados outros fatores relevantes aos treinamentos que tiveram freqüência 1 nas respostas coletadas. A relação completa destes fatores está listada no Anexo V deste relatório. 18

19 2. Visão da Chefia de Recursos Humanos 2.1 Caracterização do Perfil dos Entrevistados O tempo médio de trabalho dos 14 profissionais de RH das empresas pesquisadas, varia de 3 semanas a 23 anos. Seis profissionais trabalham há mais de 8 anos na empresa e o restante há menos de 3 anos. Em relação à escolaridade, 11 profissionais possuem curso superior e 3 são pósgraduados, conforme figura 7. 21% 79% Pós-Graduação Curso Superior Figura 7: representatividade do grau de escolaridade dos profissionais de RH 2.2 Características do Motorista Ideal De acordo com os dados levantados nesta questão, consideram-se características dos motoristas ideais as relacionadas a seguir e que tiveram freqüência maior que 1 nas respostas obtidas: Que tenha hábitos saudáveis (6) Que seja responsável (5) Que tenha experiência compatível com o trabalho (5) Que conheça mecânica (4) Que tenha conhecimento das estradas (3) Ético (3) Comunicativo (3) Pro-ativo (3) 19

20 Que tenha conhecimentos de condução econômica (3) Que tenha conhecimentos de direção defensiva (2) Que tenha conhecimentos de segurança (2) Que tenha conhecimentos da operação do veículo (2) Que saiba relacionar-se com os outros (2) Que represente a empresa (2) Que tenha nível médio de escolaridade (2) Que tenha controle emocional (2) Que saiba seguir regras (2) Que seja concentrado (2) Foram levantadas ainda, outras características necessárias ao motorista ideal que tiveram freqüência 1 nas respostas coletadas. A relação completa das características está listada no Anexo VI deste documento. 2.3 Pré-requisitos Ideais Para Contratação do Motorista Os levantamentos dos pré-requisitos ideais para a contratação do motorista se dividem em: I. Escolaridade Das empresas pesquisadas 11 responderam que o nível ideal de escolaridade seria o médio completo. Uma empresa respondeu que seria o fundamental incompleto e 2 acreditam ser o fundamental completo. II. Idade Segundo as respostas, a idade mínima para contratação dos motoristas varia de 25 a 30 anos, e a máxima, de 35 a 60 anos. Cinco empresas acreditam não haver idade máxima para contratação. III. Tempo de Experiência A exigência do tempo de experiência para contratação dos motoristas varia de 1 a 5 anos. Uma empresa não exige tempo de experiência comprovada como pré-requisito de contratação. A média 20

21 de tempo de experiência para contratação é de 3 anos, de acordo com os profissionais das empresas pesquisadas. IV. Cursos Específicos Foi levantada a necessidade de aprovação em cursos específicos como pré-requisito para a contratação dos motoristas. Seguem, abaixo, os cursos exigidos que tiveram freqüência acima de 1 nas reposta obtidas: Curso para Condutores de Veículos de Transporte de Produtos Perigosos - MOPP (10) Direção Defensiva (9) Condução Econômica (5) Relacionamento Interpessoal (2) Mecânica (2) Atendimento ao Cliente (2) Foram levantados, ainda, mais 15 cursos exigidos para contratação que tiveram freqüência 1 nas respostas e que se encontram relacionadas no Anexo VII. V. Perfil Comportamental Algumas características do perfil comportamental que é exigido para a contratação do motorista foram evidenciadas no levantamento dos dados. Encontram-se relacionados a seguir as que tiveram freqüência acima de 1: Calmo/ Tranqüilo (7) Pro-ativo (6) Comunicativo (4) Que apresente auto-controle (4) Concentrado (3) Que tenha bom relacionamento interpessoal (3) Disciplinado (2) Seguro (2) 21

22 Dinâmico (2) Paciente (2) Atencioso (2) Responsável (2) Foram levantadas, ainda, mais 12 características referentes ao perfil comportamental exigido para contratação dos motoristas que tiveram freqüência 1 nas respostas e que se encontram relacionadas no Anexo VIII. Evidenciou-se, também, que é exigido dos motoristas que tenham bons antecedentes e referências pessoais quando da exigência da seguradora/ gerenciadora de risco. VI. Saúde/ Exames Médicos Admissionais Em todas as empresas pesquisadas, são solicitados exames médicos admissionais. Vários são os exames exigidos pelas empresas durante o processo de contratação dos motoristas. A seguir encontram-se relacionados os que tiveram fre quência acima de 1: Exame para detectar álcool e drogas no organismo (5) IMC/ Obesidade (4) Eletrocardiograma - ECG (4) Eletroencefalograma EEG (4) Acuidade visual/ Oftalmologista (4) Audiometria (3) Hemograma (3) Diabetes (3) Urina (2) Detectaram-se, ainda, mais 8 exames que são exigidos nas empresas e que tiveram freqüência 1 nas respostas. Esta lista encontra-se no Anexo IX deste relatório. 22

23 2.4 Dificuldades na Contratação de Motoristas Foram várias as dificuldades relatadas para a contratação dos motoristas. Dentre elas, podemos evidenciar a questão da escolaridade, do perfil comportamental, da qualificação, os relacionados à saúde, tempo de experiência e os vícios de trabalho. Das empresas pesquisadas, 10 responderam que a falta de escolaridade ideal (nível médio) é problema para a contratação, 9 empresas responderam que a falta de qualificação dos profissionais atrapalham o processo de admissão, 9 descrevem que os problemas de saúde e o tempo de experiência interferem, 8 empresas acreditam que o perfil comportamental é impedimento para a contratação, e 7 empresas responderam que os vícios de trabalho são impedimento para admitir novos motoristas. 71% 64% 64% 64% 57% 50% Grau de Escolaridade Qualificação Profissional Saúde Tempo de Experiência Perfil Comportamental Vícios de trabalho Figura 8: representatividade das empresas por dificuldades encontradas na contratação de motoristas Alguns comentários que reforçam a dificuldade de contratação destes motoristas foram registrados. Dentre eles, que não há fidelidade do motorista à empresa, pois a oferta de emprego para a categoria é grande, devido o mercado encontrar-se carente de profissionais qualificados. Outro ponto evidenciado é que os motoristas pedem demissão das empresas em que estão contratados por pequeno aumento de remuneração dada por outras empresas. 23

24 Levantou-se, ainda, a dificuldade de contratação de motoristas carreteiros e de profissionais que tenham permanecido por até dois anos na empresa anterior. 2.5 Processo Seletivo para Motoristas Das 14 empresas pesquisadas, 10 recrutam os profissionais motoristas por meio de indicação, 7 recorrem a agências de emprego, 5 empresas tem abertura constante para recebimento de currículos em suas portarias, 3 empresas publicam anúncios em jornais e 1 utiliza-se dos sindicatos e sistema de panfletagem dos anúncios de recrutamento. 71% 50% 36% 21% 7% 7% Indicação Agência de Emprego Entrega de currículos nas portarias das empresas Jornal Sondicatos Panfletagem Figura 9: representatividade das empresas por formas de recrutamento de motoristas Com relação ao processo seletivo, 14 empresas responderam que fazem prova prática de direção, 12 utilizam-se de testes escritos, 12 realizam testes psicológicos, 12 praticam entrevista com o RH, 11 praticam entrevistas com a chefia operacional, 4 realizam entrevistas em pares (RH e chefia) e 3 selecionam com a ajuda de dinâmicas de grupo, conforme representado na figura abaixo. Seis empresas realizam a avaliação da seguradora e fazem consulta de antecedentes. 24

25 100% 86% 86% 86% 79% 43% 29% Testes Escritos Prova Prática de Direção Testes Psicológicos Entrevista com o RH Entrevista com a Chefia Avaliação da Seguradora/ Consulta de Antecedentes Entrevista em Pares Figura 10: representatividade das empresas por formas de seleção de motoristas 2.6. Remuneração do Motorista Composição salarial A remuneração do motorista varia de acordo com a categoria de motorista de caminhão (truck) e de carreta. Além disso, várias outras formas de remuneração são praticadas nas empresas, conforme composição a seguir: Parte Fixa Parte variável Benefícios Prêmio (5) Auxílio Farmácia (2) Salário Base fixo por tipo de veículo(9) ou + Horas extras (4) Periculosidade (2) Adicional (2) + Cesta Básica (1) Plano de saúde (2) Salário Base Diferenciado por experiência (1) Pernoite (1) Plano de Saúde Odontológico (1) Seguro de vida (1) Produção (1) Auxílio Funeral (1) Hora-extra (4) Figura 11: variações salariais dos motoristas 25

26 2.7 Turnover do Motorista A média de rotatividade do motorista é de 9%. Oito empresas não declararam o índice de turnover a ocupação de motorista. 2.8 Treinamento dos Motoristas Após a Contratação Sobre a realização de treinamentos após a contratação do motorista antes de assumir a função, 13 empresas responderam que realizam treinamento teórico e prático, e 1 empresa declarou que não realiza treinamentos após a contratação. Não realizam Treinamento após a Contratação 7% Realizam Treinamento após Contratação 93% Figura 12: representatividade das empresas por realização de treinamentos após contratação A carga horária destes treinamentos varia de 5 a 240 horas de treinamento que são ministrados entre meio dia e 1 mês. Relacionado à metodologia, 2 profissionais responderam que utilizam como recurso didático apostilas com conteúdos das aulas ministradas, 2 declararam utilizar vídeos e 1 empresa pratica simulados nos treinamentos realizados. As demais empresas não responderam a esta questão. Dentre os cursos que as empresas declararam realizar, destacamos os que tiveram freqüência acima de 1: Prática de direção (5) Integração com as áreas da empresa (5) Direção econômica e defensiva (4) 26

27 Rastreamento/ Autotrack/ Gerenciamento de Risco (4) Manutenção/ Mecânica (3) Tacógrafo (3) Documentação fiscal (2) Segurança no Trabalho (2) Detectaram-se, ainda, mais 17 cursos que são oferecidos aos motoristas após a contratação que tiveram freqüência 1 nas respostas e que estão listados no Anexo X deste relatório. 2.9 Importância do Treinamento para o Desempenho do Motorista Das empresas pesquisadas, 13 declararam melhoria na atuação do profissional no que se refere ao relacionamento/ atendimento ao cliente, 11 empresas citaram que há impacto nos custos operacionais, 8 encontram resultados de melhoria relacionados à carga transportada e 5 empresas dizem haver impacto na freqüência de multas e infrações Clientes Custos operacionais Carga Multas Figura 13: representatividade das empresas por impacto dos treinamentos em áreas específicas Dentre os comentários adicionais registrados, destacam-se a importância e o impacto dos treinamentos com relação ao aumento da percepção sobre a concorrência, redução de acidentes, aumento da auto-estima do profissional, aumento do desempenho dos veículos, diminuição do retrabalho, aumento da produtividade, aumento das possibilidades de crescimento profissional e fortalecimento do relacionamento interpessoal. 27

28 2.10 Cursos Oferecidos aos Motoristas em 2006 Para o levantamento dos dados referentes aos cursos oferecidos aos motoristas no ano de 2006, dividimos em duas categorias, a saber: cursos exigidos por lei e outros cursos. Em referência aos cursos legais, 7 empresas responderam que realizaram o Curso para Condutores de Veículos de Transporte de Produtos Perigosos (MOPP) e a referida reciclagem deste curso. Em relação aos outros cursos oferecidos aos motoristas, segue lista dos que tiveram freqüência superior a 1: Direção defensiva (7) Direção econômica (3) Segurança nas estradas (3) Código de Trânsito Brasileiro (2) Higiene e saúde (2) Cursos motivacionais (2) Gerenciamento de risco (2) Programa Olho Vivo¹ (2) Atendimento ao cliente (2) Pneus (2) Autotrack/ Rastreamento (2) Procedimentos operacionais específicos Existem, ainda, mais 25 cursos que foram ministrados aos motoristas em 2006 e que tiveram freqüência 1 nas respostas coletadas. A relação dos cursos encontra-se no Anexo XI deste documento. Em relação aos métodos de ensino, 9 empresas responderam que o curso foi teórico, prático e comportamental. Duas empresas afirmaram que os cursos oferecidos foram teóricos e práticos e 1 empresa afirmou que se utilizou da técnica de ensino teórica e comportamental nos cursos, conforme ilustrado a seguir. ¹ Programa da ABIQUIM Associação Brasileira das Indústrias Químicas sobre Segurança nas Estradas 28

RRelevância do curso. OObjetivo do curso. FFundamentação Teórica: ATENDIMENTO E POSTURA NO AMBIENTE DE TRABALHO. Público-alvo

RRelevância do curso. OObjetivo do curso. FFundamentação Teórica: ATENDIMENTO E POSTURA NO AMBIENTE DE TRABALHO. Público-alvo Vigilantes, vigias, porteiros ou interessados em ingressar nessas funções. A empresa que presta serviços de vigilância tem a grande preocupação de manter a segurança de seu cliente, mas também de não receber

Leia mais

Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas

Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Gestão de Custos X Gastos; 3. Custo Direto, Indireto, Fixo e Variável; 4. Custo Marginal, Histórico, Orçado. 5. Etapas do Custeio;

Leia mais

Preços de Frete Rodoviário no Brasil

Preços de Frete Rodoviário no Brasil Preços de Frete Rodoviário no Brasil Maria Fernanda Hijjar O Brasil é um país fortemente voltado para o uso do modal rodoviário, conseqüência das baixas restrições para operação e dos longos anos de priorização

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS PROJETO BARUERI O Plano de Cargos e Salários aqui apresentado é resultado do entendimento e alinhamento dos direcionadores do Modelo de Organização e Gestão e das Políticas e

Leia mais

índice A Empresa Nossa Infra Estrutura Porque utilizar Simulação Benefícios do Treinamento Metodologia de Ensino Simuladores Sistema de Treinamento

índice A Empresa Nossa Infra Estrutura Porque utilizar Simulação Benefícios do Treinamento Metodologia de Ensino Simuladores Sistema de Treinamento índice A Empresa Nossa Infra Estrutura Porque utilizar Simulação Benefícios do Treinamento Metodologia de Ensino Simuladores Sistema de Treinamento Modalidades de Treinamento Avaliação Profissional Nossos

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos?

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos? Lei 12.619 1 - A lei já está em vigor ou entrará em qual data? R Sim. A lei está em vigor desde o dia 17/06/2012. 2 - O motorista profissional conforme artigo 67C, do CTB, na condição de condutor, é responsável

Leia mais

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC J uiz de Fora, 04 de Março de 2015. Prezado Associado: ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC O SETCJ F informa as principais alterações introduzidas na Lei 12.619/12 (Lei do Motorista), na Lei 11.442/07

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

Transporte. Passageiros. Fretamento. Concurso. Motorista.

Transporte. Passageiros. Fretamento. Concurso. Motorista. Concurso Motorista Padrão. Autora: Rosa Maria Júlio Landin SINFRECAR Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Por Fretamento de Campinas e Região Rua Dr. Silva Mendes, nº. 266 Vila Industrial

Leia mais

O que você encontrará nesse e-book? Sumário

O que você encontrará nesse e-book? Sumário [ E-BOOK] Sumário O que você encontrará nesse e-book? Lei N.º 13.103/15 Lei dos Motoristas...03 Como fazer controle de jornada...07 Controle de Jornada...09 Portaria Nº 373...17 Conclusão...20 Material

Leia mais

Nova geração do FleetBoard reduz custos operacionais e assegura maior controle sobre os veículos

Nova geração do FleetBoard reduz custos operacionais e assegura maior controle sobre os veículos Veículos comerciais Nova geração do FleetBoard reduz custos operacionais e assegura maior controle sobre os veículos Informação à imprensa 27 de janeiro de 2015 Agora disponível para toda a linha de caminhões

Leia mais

5. Mapeamento da oferta de transportes (RFI)

5. Mapeamento da oferta de transportes (RFI) 52 5. Mapeamento da oferta de transportes (RFI) Para mapear a oferta, uma Request for Information (RFI) foi lançada no mercado, pela empresa pesquisada, com o objetivo de levantar informações adicionais

Leia mais

Aux. Farmácia - Chapecó/SC Tipo de contrato: Remuneração: Benefícios: Descrição: Turno: Requisitos:

Aux. Farmácia - Chapecó/SC Tipo de contrato: Remuneração: Benefícios: Descrição: Turno: Requisitos: Aux. Farmácia - Chapecó/SC Remuneração: R$ 500,00 até 1000,000 Plano de Saúde Restaurante Próprio Seguro de vida em grupo Vale transporte: somente para o Descrição: Conhecimento em atendimento ao cliente;

Leia mais

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS OBJETIVO DOS PROGRAMAS PREVENIR ATITUDES INSEGURAS NO TRANSPORTE POR MEIO DA CONSCIENTIZAÇÃO DOS MOTORISTAS. META ATINGIR O NÍVEL ZERO EM ACIDENTES SÉRIOS. PRINCIPAL

Leia mais

DECOPE Possíveis Impactos da Lei 12.619

DECOPE Possíveis Impactos da Lei 12.619 Possíveis Impactos da Lei 12.619 Introdução Custos do TRC Comportamento dos Custos Produtividade no TRC Exemplos COMPLEXIDADE da escolha de um Preço FRETE $ FRETE x Qtde Vendida CUSTOS RECEITA Concorrentes

Leia mais

Oportunidades para Sucesso! Tel.: (49) 3323 5804

Oportunidades para Sucesso! Tel.: (49) 3323 5804 Oportunidades para Sucesso! Tel.: (49) 3323 5804 Aux. Almoxarifado Remuneração: R$ 1500,00 até 2000,00 Plano Médico e Odontológico, Refeitório na Empresa, Transporte. Descrição: Principais Atividades:

Leia mais

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados?

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados? Gestão de Transporte Que fatores a serem considerados? A Atividade de Transporte: Sua Gestão Barco Trem Caminhão Peso Morto por T transportada 350 kg 800kg 700 kg Força de Tração 4.000 kg 500 kg 150 kg

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER

MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER Manual Técnico MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER Versão 1.0 Agosto de 2011 ÍNDICE MEMORIAL DESCRITIVO TREINAMENTO TÉCNICO ATENDENTES CALL CENTER 2 1 INTRODUÇÃO 4 1.1 HISTÓRICO

Leia mais

IMAGEM DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL

IMAGEM DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL IMAGEM DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL PESQUISA QUANTITATIVA APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS PÚBLICOS-ALVO: POPULAÇÃO e FORMADORES DE OPINIÃO FÓRUM VOLVO DE SEGURANÇA NO TRÂNSITO 24 DE SETEMBRO

Leia mais

Modelo de Questionário de Desligamento

Modelo de Questionário de Desligamento RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Planejamento Recrutamento Seleção Integração 1ª Etapa Surgimento de uma vaga - Dispensas do empregador (demissões); - Pedidos de demissão (saídas voluntárias demissionários); - Mortes;

Leia mais

Oportunidades para Sucesso! Tel.: (49) 3323 5804

Oportunidades para Sucesso! Tel.: (49) 3323 5804 Tele Vendas - Chapecó/SC Remuneração: R$ 951.00 Plano Básico de Saúde, para o colaborador, sem custo de mensalidade; Seguro de vida em grupo, sem custo para o colaborador; Convenio Médico que proporciona

Leia mais

Visão, Missão e Valores do Grupo Bravante

Visão, Missão e Valores do Grupo Bravante CÓDIGO DE ÉTICA O Grupo Bravante apresenta a todos os seus colaboradores o seu Código de Ética. O objetivo deste é definir com clareza os princípios e valores éticos que norteiam todos os procedimentos

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade

Relatório de Sustentabilidade Relatório de Sustentabilidade Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes A Rodorei Transportes adota, há dez anos, uma política agressiva de

Leia mais

6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos

6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos 6 Benefícios operacionais e financeiros atingidos após implantação do roteirizador de veículos 6.1 Introdução Esse capítulo tem o objetivo de descrever todos os ganhos observados após a implantação do

Leia mais

MANUAL DO COLABORADOR

MANUAL DO COLABORADOR MANUAL DO COLABORADOR 2 SUMÁRIO 1. Apresentação ---------------------------------------------------------- 3 2. Histórico da empresa ----------------------------------------------- 4 3. Serviços prestados

Leia mais

Estel Serviços Industriais Ltda Av. Presidente Castelo Branco, S/N Centro Empresarial - Aracruz - ES CEP: 29192-503 www.estel.com.br / Tel.

Estel Serviços Industriais Ltda Av. Presidente Castelo Branco, S/N Centro Empresarial - Aracruz - ES CEP: 29192-503 www.estel.com.br / Tel. Estel Serviços Industriais Ltda Av. Presidente Castelo Branco, S/N Centro Empresarial - Aracruz - ES CEP: 29192-503 www.estel.com.br / Tel.: (27) 3256 9393 1 - Objetivo 2 - Documentos de Referência 3 -

Leia mais

PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO PROFISSIONAIS DE RECURSOS HUMANOS: EXPECTATIVAS E PERCEPÇÕES SOBRE A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO 2014 APRESENTAÇÃO Já faz tempo que as empresas estão trabalhando com o desafio

Leia mais

SASSMAQ Sistema de Avaliação em Saúde, Segurança e Meio. 3.a Edição 2014

SASSMAQ Sistema de Avaliação em Saúde, Segurança e Meio. 3.a Edição 2014 SASSMAQ Sistema de Avaliação em Saúde, Segurança e Meio Ambiente e Qualidade 3.a Edição 2014 Apresentação : Eva Cancissu Moraes, especialista em logística de produtos químicos. Consultora ABIQUIM para

Leia mais

TNT Cargas e Encomendas Expressas

TNT Cargas e Encomendas Expressas TNT Cargas e Encomendas Expressas Introdução Ação: Programa Road Safety Período: outubro de 2011 - atual Responsável pela ação: Setor de Treinamento de Motoristas E-mail: emerson.lima@tntbrasil.com.br

Leia mais

Inovando para crescer

Inovando para crescer Histórico da Empresa A TRC teve sua fundação em 25 de maio de 1970 na cidade de Caçador, com o objetivo de prestar serviço de transportes para a região do meiooeste. O início das atividades ocorreu com

Leia mais

MD CONSULTORIA EM RECURSOS HUMANOS SITE WWW.MDRH.COM.BR E-MAIL MDRH@MDRH.COM.BR TELEFONE 49 3323 5804 CADASTRO TOTALMENTE GRATUITO

MD CONSULTORIA EM RECURSOS HUMANOS SITE WWW.MDRH.COM.BR E-MAIL MDRH@MDRH.COM.BR TELEFONE 49 3323 5804 CADASTRO TOTALMENTE GRATUITO SELECIONA: Farmacêutico Descrição: Para responder tecnicamente pela distribuição dos medicamentos, auxiliar os representantes nas orientações necessárias, auxiliar os clientes, fornecer treinamentos quanto

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira As necessidades de seleção de pessoal na organização são inúmeras e vão exigir diferentes ações da área de Gestão de Pessoas para cada uma delas. A demanda de seleção de pessoal

Leia mais

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos )

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) DECOPE/NTC A planilha referencial de granéis sólidos foi elaborada pelo DECOPE/NTC&LOGÍSTICA sob supervisão

Leia mais

Caminhoneiros no Brasil RELATÓRIO SÍNTESE DE INFORMAÇÕES AMBIENTAIS. Autônomos e Empregados de Frota

Caminhoneiros no Brasil RELATÓRIO SÍNTESE DE INFORMAÇÕES AMBIENTAIS. Autônomos e Empregados de Frota Caminhoneiros no Brasil RELATÓRIO SÍNTESE DE INFORMAÇÕES AMBIENTAIS e Empregados de Frota Relatório síntese de informações ambientais ÍNDICE Apresentação... 1. Dados da Pesquisa... 3. Perfil do Caminhoneiro.1

Leia mais

Vendedor Externo - Chapecó/SC Tipo de contrato: Remuneração: Benefícios: Descrição: Turno: Requisitos: Ref.:

Vendedor Externo - Chapecó/SC Tipo de contrato: Remuneração: Benefícios: Descrição: Turno: Requisitos: Ref.: Vendedor Externo - Chapecó/SC Fixo de 900,00, ajuda de custo, comissão de 8% sobre as vendas, diária de 70,00. Descrição: Vendedor externo. Fará viagens para o interior de São Paulo e interior de Minas

Leia mais

Treinamento - Como avaliar sua eficácia? FÁTIMA TAHIRA COLMAN

Treinamento - Como avaliar sua eficácia? FÁTIMA TAHIRA COLMAN Treinamento - Como avaliar sua eficácia? FÁTIMA TAHIRA COLMAN Objetivos Apresentar os fundamentos da avaliação de treinamento Apresentar os tipos de indicadores para mensurar a eficácia do treinamento

Leia mais

Operador II Remuneração: Benefícios: Descrição: Requisitos: Ref.: Assistente Administrativo Remuneração: Descrição: Requisitos: Ref.

Operador II Remuneração: Benefícios: Descrição: Requisitos: Ref.: Assistente Administrativo Remuneração: Descrição: Requisitos: Ref. Operador II Remuneração: R$ 1212.00 Ticket alimentação mensal 367,00 (Unimed + saúde Bradesco + Funcional Card) + Convênio com Farmácia, remuneração variável semestral Descrição: Atuar no setor produtivo

Leia mais

Sistema de Gestão de Pneus Baseado em Tecnologia RFID

Sistema de Gestão de Pneus Baseado em Tecnologia RFID V1.6 Sistema de Gestão de Pneus Baseado em Tecnologia RFID Apresentação Comercial Mai. 2015 Estrutura leve e enxuta; Equipe multidisciplinar; SaveID Veichle Cadeia de fornecedores nacional; Parcerias estratégicas

Leia mais

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA.

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA. Manual de Uso de Veículo Respeito a Vida! TERMO DE RECEBIMENTO R ecebi da Cooperativa de Trabalho dos P r o f i s s i o n a i s d e A g r o n o m i a L t d a. UNICAMPO, o MANUAL DE USO DO VEÍCULO e após

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

LIDERANÇA EMPREENDEDORA

LIDERANÇA EMPREENDEDORA LIDERANÇA EMPREENDEDORA Este curso está estruturado dentro dos moldes de um Curso de Pós-Graduação e seu desenvolvimento poderá ser feito de forma completa ou parcial, dependendo do interesse da organização.

Leia mais

1.1 RECRUTAMENTO E MÓDULO 1 ADMISSÃO

1.1 RECRUTAMENTO E MÓDULO 1 ADMISSÃO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.1 RECRUTAMENTO E SELEÇÃO ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO, PARA EVITAR

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SGA Nº. 002/2011 DISPÕE SOBRE AS NORMAS E PROCEDIMENTOS REFERENTES AO USO, GUARDA, CONSERVAÇÃO, MANUTENÇÃO E ABASTECIMENTO DOS VEÍCULOS DA CAMÂRA MUNICIPAL DE CUIABÁ DO ESTADO DE MATO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga

Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga Lucro e Sustentabilidade no Transporte Rodoviário de Carga Comportamento dos Custos Resumo Lei 12.619 Produtividade no TRC Possíveis Impactos da Lei Sustentabilidade uma forma de aumentar os Lucros contribuindo

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão em Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

Caracterização das ferramentas de gestão utilizadas por transportadores rodoviários de cargas da cidade de Chapecó/SC

Caracterização das ferramentas de gestão utilizadas por transportadores rodoviários de cargas da cidade de Chapecó/SC 1 Caracterização das ferramentas de gestão utilizadas por transportadores rodoviários de cargas da cidade de Chapecó/SC RESUMO Moacir Francisco Deimling Giuvani Paulo Carraro Universidade Comunitária Regional

Leia mais

REQUALIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO TRANSPORTE URBANO

REQUALIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO TRANSPORTE URBANO REQUALIFICAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO TRANSPORTE URBANO PROPOSTA DO PROJETO A profissão de motorista exige uma qualificação contínua, visando reciclar seus conhecimentos e se adaptar às novas leis relacionadas

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas ANEXO IV Referente ao Edital de Pregão nº. 010/2015 Especificações Técnicas 1. OBJETIVO 1.1. A presente licitação tem como objeto a prestação de serviços para realização de cursos para os colaboradores

Leia mais

PROGRAMA: AP A R P E R N E D N E D N E D N O D O LO L G O Í G ST S I T CA C

PROGRAMA: AP A R P E R N E D N E D N E D N O D O LO L G O Í G ST S I T CA C PROGRAMA: APRENDENDO LOGÍSTICA APRESENTAÇÃO A proposta foi construída a partir do Programa de Qualificação Técnica Profissional - SEDU. Os empresários do Conselho de Logística concordam que a grade curricular

Leia mais

REGULAMENTO. Ao ler e concordar com os termos deste Regulamento, o candidato se compromete a:

REGULAMENTO. Ao ler e concordar com os termos deste Regulamento, o candidato se compromete a: Juntos pela Excelência REGULAMENTO Este instrumento tem por objetivo regulamentar o processo de seleção e desenvolvimento de Trainees Técnicos do Laboratório Leme, de acordo com os termos e condições adiante

Leia mais

PROCESSOS PARA REDUÇÃO DO CUSTO

PROCESSOS PARA REDUÇÃO DO CUSTO PROCESSOS PARA REDUÇÃO DO CUSTO A BgmRodotec Empresa de tecnologia que desenvolve, implanta e presta consultoria ao Software de gestão Globus. Atuamos exclusivamente no mercado de transportes há 30 anos;

Leia mais

DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM.

DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM. DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM. Leonardo Silva Figueredo (UNAMA) leonardosfigueredo@hotmail.com

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Frotas. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Frotas. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O permite efetuar o controle sobre o consumo de combustível de cada veículo ou máquina permitindo o seu total monitoramento no

Leia mais

Ajustar, reparar e instalar peças e equipamentos em conjuntos mecânicos e dispositivos de usinagem e controle de precisão.

Ajustar, reparar e instalar peças e equipamentos em conjuntos mecânicos e dispositivos de usinagem e controle de precisão. CatÁlogo de cursos Eixo tecnológico - Controle e Processos Industriais Ajustador Mecânico Ajustar, reparar e instalar peças e equipamentos em conjuntos mecânicos e dispositivos de usinagem e controle de

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Turma 02 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas,

Leia mais

COPASA Águas Minerais de Minas S/A

COPASA Águas Minerais de Minas S/A ANEXO I EDITAL 001/2009 CÓDIGOS/DETALHES DE ESPECIALIDADE DO CARGO DE AGENTE INDUSTRIAL Código: 01 Detalhe de Especialidade: Ajudante de Serviços Faixa Salarial: 1 Salário Base (R$): 465,00 Requisitos

Leia mais

Pesquisa sobre o transporte escolar oferecido aos alunos do Instituto Federal Farroupilha Câmpus Alegrete

Pesquisa sobre o transporte escolar oferecido aos alunos do Instituto Federal Farroupilha Câmpus Alegrete 0 Pesquisa sobre o transporte escolar oferecido aos alunos do Instituto Federal Farroupilha Câmpus Alegrete Autores: Alunos da Turma 201 da Licenciatura em Matemática Orientador: Professor Mauricio Lutz

Leia mais

Grupo Security Forçan

Grupo Security Forçan 1 - APRESENTAÇÃO DA EMPRESA O Grupo Forçan é uma das empresas com maior aceitação no mercado de terceirização de serviços atuando de forma eficaz e oferecendo serviços de alta qualidade através de mão

Leia mais

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br Transporte de Carga Vol. IX Manual de Segurança Apresentação A tualmente, cerca de 63% das cargas que circulam pelo País são transportadas por vias rodoviárias.

Leia mais

Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta -

Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta - Setores químico e petroquímico: as características dos produtos determinam a logística correta - Setores onde um erro pode acarretar sérios danos ao meio ambiente, às pessoas e as próprias instalações

Leia mais

GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E TRANSPORTES GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS Disciplina: Logística

Leia mais

APRESENTAÇÃO MINAS GERAIS SÃO PAULO RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO

APRESENTAÇÃO MINAS GERAIS SÃO PAULO RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO APRESENTAÇÃO No transporte rodoviário desde 1953, a Empresa de Transportes Martins oferece um sistema de prestação de serviços de carga geral industrial e comercial, possuindo atualmente a seguinte composição

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: CST em Gestão em Recursos Humanos MISSÃO DO CURSO A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da ESTÁCIO EUROPAN consiste em formar

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 7.191, DE 2010 (Apensados PL nº 7.895, de 2010, e nº 611, de 2011)

PROJETO DE LEI N o 7.191, DE 2010 (Apensados PL nº 7.895, de 2010, e nº 611, de 2011) COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 7.191, DE 2010 (Apensados PL nº 7.895, de 2010, e nº 611, de 2011) Regula o exercício da atividade de condução de veículos de

Leia mais

Uma empresa especializada em empresas.

Uma empresa especializada em empresas. Sua equipe tem colaborado para que a empresa seja uma das mais competitivas i no mercado? Para avaliar quanto a sua equipe atual está dimensionada, preparada e motivada para os desafios do mercado, você

Leia mais

Capacitando Profissionais

Capacitando Profissionais Capacitando Profissionais 2014 Setup Treinamentos & Soluções em TI www.setuptreinamentos.com APRE SENTA ÇÃ O A atual realidade do mercado de trabalho, que cada dia intensifica a busca por mão-de-obra qualificada,

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS 1 PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS Porto Alegre RS Março 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

F r a n c h i s i n g

F r a n c h i s i n g F r a n c h i s i n g F r a n c h i s i n g www.ambientec.com franchising@ambientec.com Fone: 41 3352 5352 Franchising Com 20 anos de experiência na prestação de consultoria e serviços de Engenharia de

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

Sistema Gestão de Gente

Sistema Gestão de Gente Sistema Gestão de Gente Uma organização moderna requer ferramentas de gestão modernas, que incorpore as melhores práticas de mercado em gestão de recursos humanos, que seja fácil de usar e que permita

Leia mais

Analista de RH Cursando superior em área afins. Conhecimento em folha de pagamento, rescisões e cartão ponto. Horário comercial Salário 1.

Analista de RH Cursando superior em área afins. Conhecimento em folha de pagamento, rescisões e cartão ponto. Horário comercial Salário 1. SELECIONA: Analista de RH Cursando superior em área afins. Conhecimento em folha de pagamento, rescisões e cartão ponto. Horário comercial Salário 1.300,00 Auxiliar Administrativo Imobiliária Profissional

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista 1. Introdução Este documento tem por objetivo apresentar a solução de software e serviço que atenderá a Lei nº 12.619 de 30 de abril de 2012,publicada no Diário

Leia mais

Remuneração: R$ 1500,00 até 2000,00

Remuneração: R$ 1500,00 até 2000,00 TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO (4 HORAS) - CHAPECÓ/SC Benefícios: Refeitório Transporte Plano de Saúde da Unimed Descrição: Treinamentos (de acordo com a necessidade da empresa). 2- Verificação de elaboração

Leia mais

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema

Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Mais de 100 mil km percorridos Maior parte da extensão de rodovias avaliadas tem problema Estudo da CNT mostra que 57,3% têm alguma deficiência no estado geral; 86,5% dos trechos são de pista simples e

Leia mais

Help RentaVision FRETE - NTC

Help RentaVision FRETE - NTC Help RentaVision FRETE - NTC Introdução O RentaVision foi desenvolvido com o intuito de ser uma ferramenta precisa para ser utilizada na montagem de Tabelas de Preços de transporte rodoviário de forma

Leia mais

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho L DE PESSOAS IDERANÇA E GESTÃO Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho Coordenadores e Chefias Intermédias Adquirir técnicas de Liderança, de

Leia mais

Vantagens e desvantagens de se utilizar carreteiros

Vantagens e desvantagens de se utilizar carreteiros CUSTOS Vantagens e desvantagens de se utilizar carreteiros O modelo de cálculo da NTC&Logística parte do pressuposto de que a transportadora usa apenas veículos próprios. L F = ( A + Bp + DI)(1 + ) 100

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA PARA INSTRUTORES E CONSULTORES DO INSTITUTO MAYTENUS PREÂMBULO

CÓDIGO DE CONDUTA PARA INSTRUTORES E CONSULTORES DO INSTITUTO MAYTENUS PREÂMBULO Página 1 de 7 CÓDIGO DE CONDUTA PARA INSTRUTORES E CONSULTORES DO INSTITUTO MAYTENUS PREÂMBULO O INSTITUTO MAYTENUS possui Missão (Promover o Desenvolvimento Sustentável Através de Ações que Valorizem

Leia mais

Fórum Gestão e Eficiência de Frotas. Programa TransFormar. Desenvolvimento Comportamental de motoristas. Essencial na gestão dos negócios!

Fórum Gestão e Eficiência de Frotas. Programa TransFormar. Desenvolvimento Comportamental de motoristas. Essencial na gestão dos negócios! Fórum Gestão e Eficiência de Frotas Programa TransFormar Desenvolvimento Comportamental de motoristas. Essencial na gestão dos negócios! Nereide Tolentino Consultora Programa Volvo de Segurança no Trânsito

Leia mais

AÇOUGUE 01 Com experiência de no mínimo 01 ano de AA11 experiência na função. AÇOUGUEIRO 06 Com experiência mínima de 01 ano. AA15

AÇOUGUE 01 Com experiência de no mínimo 01 ano de AA11 experiência na função. AÇOUGUEIRO 06 Com experiência mínima de 01 ano. AA15 AÇOUGUE 01 Com experiência de no mínimo 01 ano de AA11 experiência na função. AÇOUGUEIRO 06 Com experiência mínima de 01 ano. AA15 AÇOUGUEIRO 01 Desejável ser morador de Cariacica, AA105 disponibilidade,

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/17 1 - DOS OBJETIVOS a) Regulamentar procedimentos de controle da frota de veículos leves e pesados da Prefeitura, visando otimizar o uso dos mesmos e reduzir custos de manutenção. 2- DOS ASPECTOS CONCEITUAIS

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

Projeto de Norma Atendente que atua em Agências de Viagens Texto para discussão.

Projeto de Norma Atendente que atua em Agências de Viagens Texto para discussão. Projeto de Norma Atendente que atua em Agências de Viagens Texto para discussão. Prefácio A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo

Leia mais

Recomendações para as Empresas Transportadoras de Medicamentos (Produtos Farmacêuticos)

Recomendações para as Empresas Transportadoras de Medicamentos (Produtos Farmacêuticos) Recomendações para as Empresas Transportadoras de Medicamentos (Produtos Farmacêuticos) Estudo da NTC juntamente com a empresa Jogsolutions indica que o transporte de medicamentos no Brasil sofreu grandes

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Artigo

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 1 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM TRANSPORTES 2 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL 3 SEGURO DE TRANSPORTES NO BRASIL POUCAS SEGURADORAS OPERANDO POUCOS CORRETORES ESPECIALIZADOS SINISTRALIDADE ALTA TAXAS CADA

Leia mais

Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1)

Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1) Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1) Rachel Fanti Coelho Lima O objetivo deste artigo é apresentar algumas práticas e decisões gerenciais que vêm sendo adotadas

Leia mais

APÊNDICE IX PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO

APÊNDICE IX PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO APÊNDICE IX PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO 1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 DIRETRIZES GERAIS... 3 3 PROGRAMA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO NA IMPLANTAÇÃO DAS UNIDADES... 4 3.1 Módulo Conceitual - Diretrizes

Leia mais

Caminhões Mercedes-Benz oferecem elevado padrão de segurança

Caminhões Mercedes-Benz oferecem elevado padrão de segurança Segurança nas estradas Caminhões Mercedes-Benz oferecem elevado padrão de segurança Informação à imprensa 21 de novembro de 2012 Solução integrada da Mercedes-Benz inclui a oferta de itens de avançada

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL ANEXO 4 R E G U L A M E N T O DE RECURSOS HUMANOS

ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL ANEXO 4 R E G U L A M E N T O DE RECURSOS HUMANOS ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL ANEXO 4 R E G U L A M E N T O DE RECURSOS HUMANOS SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. FINALIDADE 3 2. APLICAÇÃO 3 3. PRINCÍPIOS BÁSICOS 3 4.

Leia mais

Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação Profº Dr. Raul Amaral

Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação Profº Dr. Raul Amaral Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação Profº Dr. Raul Amaral Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação. 1. Formação e manutenção da equipe de trabalho. 2. Pesquisa

Leia mais

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO GRATUITAMENTE EM NOSSO SITE WWW.MDRH.COM.BR MAIS INFORMAÇÕES TELEFONE 49-3323 5804

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO GRATUITAMENTE EM NOSSO SITE WWW.MDRH.COM.BR MAIS INFORMAÇÕES TELEFONE 49-3323 5804 Gerente Administrativo - Chapecó/SC Tipo de contrato: Indiferente Descrição: Atuará na área administrativa/ financeira na negociação com bancos, controle de contas, liberação de pagamentos,financiamentos.

Leia mais