1't.lMICIPAL DE. Diego De Nadai. Prefeito Municipal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1't.lMICIPAL DE. Diego De Nadai. Prefeito Municipal"

Transcrição

1 1't.lMICIPAL DE FWÍOOÍ.0 Q6-A9O ! Í/2 1 ao GABINETE DO PREFEITO Americana, 05 de agosto de OF. 783/GP/08/2013 Prot /2013 Senhor Presidente, REF. OF. 737/ REQ. 83/ VER. OSWALDO NOGUEIRA ASSUNTO: Requer informações da Administração Municipal sobre o acesso ao controle de capivaras no Município. Reitera Requerimento n. 940/2011. Complementando nosso OF. 231, datado de 27 de março, seguem anexas as informações prestadas pelas Secretarias de Saúde (itens 1, 2 e 4) e de Meio Ambiente (item 3). Respeitosamente, Diego De Nadai Prefeito Municipal Exmo. Sr. Vereador Paulo Sérgio Vieira Neves Presidente da Câmara Municipal AMERICANA - SP /gkcf Câmara Municipal de Americana RESPOSTA DE REQUERIMENTO Req 83/2013 Data: 08/08/2013 Hora 12:34 Interessado PODER EXECUTIVO Interessado Avenida Brasil, n 85 - Centro - Tel. (19) Fax (19) CEP AMERICANA - SP

2 7 Q/vlwmci/icUae âüuto de Q/ao c? atda SECRETARIA DE SAÚDE Americana, 04 de abril de Protocolo n /2013 Requerimento n 83/2013 Autor: Vereador Oswaldo Nogueira Em atenção ao expediente em referência, vimos informar o seguinte: 1 - Conforme informado no laudo elaborado por técnicos do PVCC (Programa de Vigilância de Controle de Carrapatos) às fls. 12 deste verificou-se desde 2006, ao longo da mata ciliar do Ribeirão Quilombo, sete grupos sociais familiares de capivaras em uma população total de 71 indivíduos; 2 - A proposta de dedetização nas margens de qualquer rio, visando controle de carrapatos deve ser avaliada quanto aos impactos ambientais derivados para o ecossistema de espécie de outros animais invertebrados em matas ciliares e para o próprio ecossistema aquático, além de exigir expressa autorização das Secretarias de Meio Ambiente (estadual e municipal) e DEPRN - Departamento Estadual de Proteção dos Recursos Naturais que atua no licenciamento e fiscalização das atividades e empreendimentos que impliquem a supressão e/ou exploração de vegetação nativa e intervenções em áreas de preservação permanente do Estado de São Paulo; 3 - Verificar junto à Secretaria de Meio Ambiente; 4 - Conforme relatório fls. 12 à 14. Atenciosamente ínizeti Borges Subs^cretáíl^Vigilância em Saúde Av. Bandeirantes, 2.390, Jardim da Colina- Tel. (19) CEP AMERICANA-SP -

3 \ Laudo sobre a Situação Epidemiológica do Ribeirão Quilombo para Febre Maculosa Brasileira De acordo com os critérios preconizados pela SUCEN, a classificação desta área epidemiológica em trabalhos de vigilância da FMB foi estabelecida como "Área de Infestação de Alerta para Febre Maculosa", por se apresentar sem notificação de casos confirmados ou compatíveis de FMB, com uma pesquisa de campo positiva para carrapatos do gênero Amblyomma e associada a condições ambientais favoráveis para a proliferação deste vetor, com a presença de hospedeiros primários (capivaras, que são hospedeiros amplificadores de rickéttsias) e com uma freqüência humana significativa. Esta região está situada em zona urbana do município de Americana, caracterizada por áreas de mata ciliar (Figura 3) em toda a extensão de metros do Ribeirão Quilombo. Existe uma população residente em áreas limítrofes ao Ribeirão Quilombo, em torno de moradores, nos bairros de Nova Americana, Residencial Guaicurus, Conserva, Chácara Machadinho, Jardim Colina e Vila Cordenonsi. Nunca houve registro de caso de FMB nestas áreas nos últimos sete anos. Si-. Figura 1 -Trecho do Ribeirão Quilombo em área urbana tle Americana. Desde 2006, como monitoramento epidemiológico estabelecido pelo Programa de Vigilância e Controle de Carrapatos (PVCC) da Secretaria de Saúde de Americana, foram distribuídas 200 armadilhas de CO2, através de 25 pesquisas acarológicas, com periodicidade mensal e registro de dados de termohigrometria e de coordenadas geográficas. Durante nossas atividades, observamos a presença de capivaras, cães e pássaros silvestres nas áreas de pesquisa. Foram observados e identificados, ao longo da mata ciliar do Ribeirão Quilombo, sete grupos sociais familiares de capivaras (Figura 2), em uma população total de 71 indivíduos (03 machos adultos, 20 fêmeas adultas, 20 fêmeas jovens e 28 filhotes). O parasitismo humano por carrapatos é de registro freqüente em moradores desta área.

4 V P O parasitismo humano foi observado ativamente por adultos, ninfas e larvas de Amblyomma cajenmnse e Amblyomma dubitatum, na equipe de capturadores, em todas as pesquisas acarológicas realizadas nesta área. Figura 2 - Grupos de capivaras dispersos ao longo do Ribeirão Quilombo. Como estratégia de vigilância laboratorial estabelecida pelo programa nesta área de alerta do Ribeirão Quilombo, a presença de Rickeitsia spp. em amostras de carrapatos coletadas foi pesquisada através da Reação em Cadeia da Polimerase (PCR), com índice de 4 2 % (24/568) de amostras positivas para glía-pck. Em segunda análise, as amostras procedentes foram negativas para ompa2-?cr, não sendo possível indicar infectividade para rickéttsias do grupo da Febre Maculosa. Apesar de sua caracterização epidemiológica, os resultados de análises moleculares das áreas estudadas do Ribeirão Quilombo, em amostras de carrapatos vetores da FMB, não elucidaram a presença de rickéttsias do grupo da Febre Maculosa, configurando assim um diagnóstico epidemiológico negativo de infectividade para Rickeitsia rickettsii em Amblyomma spp., nesta área do município de Americana. Tais estudos devem ser continuados, visando sempre contribuir para a confirmação de protocolos de atenção médica básica, mais adequados nos aspectos da vigilância sindrômica e indicar ações em vigilância em saúde mais efetivas nas áreas de maior risco epidemiológico. A possibilidade de riscos de transmissão da FMB, em razão de elevada mobilidade da população humana em muitas destas áreas, recomenda a adoção rigorosa de ações preventivas

5 > < em vigilância em saúde, com ênfase na sinalização de áreas de risco com placas de advertência e adoção de medidas educativas junto à população residente nestas áreas. Destacamos ainda que sugerimos como medida preventiva, em 16/06/2008, a instalação de barreiras físicas (telas de alambrado) nos trechos marginais ao Ribeirão Quilombo, visando dificultar a dispersão de grupos de capivaras, na forma de corredores de acesso aos seus recursos alimentares, e a colonização de novos habitats dentro de áreas urbanas do município. Ao mesmo tempo, devemos incentivar práticas de preservação de toda a mata ciliar do Ribeirão Quilombo, coibindo processos de desflorestamento e poluição desta importante hidrografia municipal. Dr. José Brites Neto, M.Sc. Médico Veterinário CRMV/SP Vigilância Epidemiológica/PVCC Secretaria de Saúde de Americana

6 plò PREFEITURA MUNICIPAL DE AMERICANA C SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE Processo Administrativo: n /2013 Requerimento N 83/13 Assunto: requer informações da Administração Municipal sobre o acesso ao controle de capivaras no Município. Em atenção ao expediente em tela informamos: Item 3 - A Secretaria de Meio Ambiente desenvolveu projeto de desassoreamento dos bancos de sedimentos existentes, reconstituição da calha e recuperação edáfica às margens do curso hídrico superficial Ribeirão Quilombo, no trecho que compreende o Município de Americana. Posteriormente será efetuado o manejo das espécies arbóreas exóticas invasoras "Leucenas" e serão introduzidas espécies arbóreas nativas da flora regional com vistas a conectividade ecológica, propiciando condições de fluxo gênico da flora e da fauna, pretendendo - se implantar um cercamento apropriado nas APPs, dificultando ações antrópicas que poderiam interferir no corredor ecológico, ao mesmo tempo induzindo e criando condições adequadas para o fortalecimento dos nichos ecológicos, condicionando os elementos da fauna terrestre à atuarem dentro de seus habitats natural, dificultando o contato com a população humana, observando que tal projeto encontra-se em andamento com início dos serviços de desassoreamento já programados. 1/2 Rua Florindo Cibin, n Jd. São Paulo - Tel. (19) CEP Americana - SP http.7ywww.arnericana.sp.gov.br

7 PREFEITURA MUNICIPAL DE AMERICANA SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE Manifestamos na ocasião, nossos protestos de elevada estima e distinta consideração. Americana, 26 de Abril de ícercra^.tfóura de Jtjyus Subsecretário UFL CREA: 506!' 0 )4 íir Dias - --'' Secretario de Meio Ambiente 2/2 Rua Florindo Cibin, n., Jd. São Paulo - Tel. (19) 347i CEP Americana - SP

ASSUNTO: Requer informações sobre a Campanha Outubro Rosa realizada em Americana.

ASSUNTO: Requer informações sobre a Campanha Outubro Rosa realizada em Americana. CAf-ftRA MJHICIPAL E AifKlCAi* fhjtucolq GABINETE DO PREFEITO Americana, 20 de novembro de 2013. OF. 1347/GP/11/2013 Prot. 64.480/2013 Senhor Presidente, REF. OF. 5522/2013 - REQ. 810/2013 - VER. ANTÔNIO

Leia mais

SUMÁRIO: Projeto de recuperação de áreas degradadas. Instrução Normativa Nº. 08

SUMÁRIO: Projeto de recuperação de áreas degradadas. Instrução Normativa Nº. 08 SUMÁRIO: OBJETIVOS:... 2 I DAS DEFINIÇÕES:... 3 II DOS PROCEDIMENTOS:... 3 III INSTRUÇÕES:... 4 ANEXO 1... 6 EXEMPLO DE CROQUI DE REPRESENTAÇÃO DA ÁREA A SER RECUPERADA... 6 ANEXO 2... 7 ENDEREÇO DO DEPARTAMENTO

Leia mais

Fauna Silvestre no Ambiente Urbano: licenciamento ambiental. Dra. Renata Cardoso Vieira

Fauna Silvestre no Ambiente Urbano: licenciamento ambiental. Dra. Renata Cardoso Vieira Fauna Silvestre no Ambiente Urbano: licenciamento ambiental Dra. Renata Cardoso Vieira Tipologia de Estudos EIA /RIMA laudo de fauna monitoramento de fauna resgate de fauna IN 146/2007 IBAMA Licenciamento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PROGRAMA Nº - 034 Recuperação Geológica de Áreas de Risco Contenção de Encostas SUB-FUNÇÃO: 543 RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADAS Identificar áreas de risco; desenvolver projetos

Leia mais

Oficina sobre gestão de fauna no estado da Bahia. Salvador, 13 de julho de 2015.

Oficina sobre gestão de fauna no estado da Bahia. Salvador, 13 de julho de 2015. Oficina sobre gestão de fauna no estado da Bahia Salvador, 13 de julho de 2015. Gestão da fauna no estado da Bahia Lei Estadual Nº 10.431/2006 Lei Complementar Nº 140/2011 Termo de Cooperação Técnica Nº

Leia mais

IRRIGAÇÃO. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax:

IRRIGAÇÃO. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: IRRIGAÇÃO 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato: Cargo/Função:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

RELATÓRIO SEMESTRAL PCH JARARACA JULHO A DEZEMBRO 2013

RELATÓRIO SEMESTRAL PCH JARARACA JULHO A DEZEMBRO 2013 RELATÓRIO SEMESTRAL PCH JARARACA JULHO A DEZEMBRO 2013 Porto Alegre, março de 2014 APRESENTAÇÃO Este documento visa atender a condicionante 8.5 das Licenças de Operação LO LO 7961/2012, concedida a Vêneto

Leia mais

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Fórum sobre Área de Preservação Permanente e Reserva Legal na Paisagem e Propriedade Rural Piracicaba,

Leia mais

... Promotor(a) de Justiça

... Promotor(a) de Justiça Ofício... nº.../2011. Cidade, de de 2011. SENHOR(A) PREFEITO(A), A par de cumprimentá-lo(a), servimo-nos do presente para, na forma do artigo 47, inciso I, alínea b, da Lei Complementar Estadual n.º 25/98

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL GABINETE DO DEPUTADO RODRIGO DELMASSO REQUERIMENTO N.º 04/2015. (Do Sr. Deputado RODRIGO DELMASSO)

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL GABINETE DO DEPUTADO RODRIGO DELMASSO REQUERIMENTO N.º 04/2015. (Do Sr. Deputado RODRIGO DELMASSO) REQUERIMENTO N.º 04/2015 (Do Sr. Deputado RODRIGO DELMASSO) Requer à Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Turismo CDESCTMAT o encaminhamento de solicitação

Leia mais

Recursos Naturais e Biodiversidade

Recursos Naturais e Biodiversidade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 Florestas Gestão dos Recursos Hídricos Qualidade e Ocupação do Solo Proteção da Atmosfera e Qualidade

Leia mais

2.7. Informar se há reserva particular na propriedade com registro em órgão ambiental (IBAMA/IPAAM/Secretaria Municipal

2.7. Informar se há reserva particular na propriedade com registro em órgão ambiental (IBAMA/IPAAM/Secretaria Municipal TERMO DE REFERÊNCIA TR PARA PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL (PCA) P/ A ATIVIDADE DE AQUICULTURA (Este TR aplica-se a empreendimentos desenvolvidos em viveiros escavados a partir de 10,00 ha) O Instituto de

Leia mais

~Dec-2011-15l()9-(X.OOJIj-J./2. P?~~de~ 0dcu1o de drão P?auIo

~Dec-2011-15l()9-(X.OOJIj-J./2. P?~~de~ 0dcu1o de drão P?auIo ',.." ),~-"'~'1 1-...;/ ~,...:, \fo'v1..~ I'lNICIF'1'J... IX: À'ERI C~ mmmjj ~Dec-2011-15l()9-(X.OOJIj-J./2 ~ ',' P?~~de~ GABINETE DO PREFEITO 0dcu1o de drão P?auIo Americana, 06 de dezembro de 2011. 1

Leia mais

?. / / Og, ft7) / alado de QJao- cs aula REF. OF. 3306/ REQ. 451/ VER. CELSO ZOPPI

?. / / Og, ft7) / alado de QJao- cs aula REF. OF. 3306/ REQ. 451/ VER. CELSO ZOPPI ?. / / Og, ft7) / alado de QJao- cs aula GABINETE DO PREFEITO Americana, 17 de julho de 2013. OF. 690/GP/07/2013 Prot. 38.655/2013 Senhor Presidente, REF. OF. 3306/2013 - REQ. 451/2013 - VER. CELSO ZOPPI

Leia mais

Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital

Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital Em atendimento ao ofício CETESB 578/15/IE, de 24/07/2015, a Sabesp apresenta,

Leia mais

Secretaria do Meio Ambiente

Secretaria do Meio Ambiente Secretaria do Meio Ambiente PORTARIA SEMA n 79 de 31 de outubro de 2013. Reconhece a Lista de Espécies Exóticas Invasoras do Estado do Rio Grande do Sul e demais classificações, estabelece normas de controle

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA) Atividades Florestais

Termo de Referência para Elaboração do Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA) Atividades Florestais Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Termo de Referência para Elaboração do Estudo de Viabilidade Ambiental (EVA) Atividades Florestais

Leia mais

Município de Colíder MT

Município de Colíder MT Diagnóstico da Cobertura e Uso do Solo e das Áreas de Preservação Permanente Município de Colíder MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Julho de 2008 Introdução O município de Colíder está localizado

Leia mais

LEI Nº 1.931, DE 12 DE JUNHO 2.001.

LEI Nº 1.931, DE 12 DE JUNHO 2.001. LEI Nº 1.931, DE 12 DE JUNHO 2.001. Cria a Área de Proteção Ambiental (APA) da Pedra Gaforina e define o seu Zoneamento Ambiental (Ecológico-Econômico), no Município de GUANHÃES-MG. Faço saber que a Câmara

Leia mais

11- FAV,1auk

11- FAV,1<f!1 r ( ~ J. pjj~4w)t4~tk~nma. ~dado tk ~ão r?j>auk 11- FAV,1auk GABINETE DO PREFEITO Americana, 11 de fevereiro de 2011 OF.177/GP/0212011 Protoc. 7.059/2011 Senhor Presidente, REF. OF. 02112011- REQ. 02612011-

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza Eng. Agr. M.Sc. Manejo Ambiental / Coordenador Técnico / Meio Ambiente Gestão do Produto

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROMOTOR DA PROMOTORIA DE JUSTIÇA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DA CAPITAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROMOTOR DA PROMOTORIA DE JUSTIÇA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DA CAPITAL 1 EXCELENTÍSSIMO SENHOR PROMOTOR DA PROMOTORIA DE JUSTIÇA DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DA CAPITAL REF.: Implantação de Ciclovias e de Ciclofaixas pela Prefeitura do Município de São Paulo em desacordo com a Lei

Leia mais

América Latina Logística Malha Sul ALL

América Latina Logística Malha Sul ALL América Latina Logística Malha Sul ALL Capítulo 25 Programa de Auditoria Ambiental Rio Grande do Sul Junho/2010 Revisão 0 25.1 INTRODUÇÃO O presente programa consolida-se como instrumento para aferição

Leia mais

Estado de Mato Grosso CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS

Estado de Mato Grosso CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS 66ª Sessão Ordinária da 15ª Legislatura 04 de junho de 2014, com início às 13:30 horas Local: Plenario da Câmara de Rondonópolis-MT I - Parte Expediente: Para Leitura: I - REGIME DE URGÊNCIA: II - FORMA

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS Nome da organização: Conservation Strategy Fund Título do projeto: Economics of the Conservation of Corridors in the Atlantic Forest Parceiros que contribuíram

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ponta Porã

Prefeitura Municipal de Ponta Porã Lei Complementar nº 38, de 28 de Novembro de 2006. Acresce o cargo efetivo de Farmacêutico à Lei Complementar nº 028, de 04 de janeiro de 2006, que dispõe sobre o Plano de Cargos e Remuneração dos Servidores

Leia mais

DECRETO Nº 16.366 DE 16 DE OUTUBRO DE 2015

DECRETO Nº 16.366 DE 16 DE OUTUBRO DE 2015 DECRETO Nº 16.366 DE 16 DE OUTUBRO DE 2015 Altera o Regulamento da Lei nº 10.431, de 20 de dezembro de 2006 e da Lei nº 11.612, de 08 de outubro de 2009, aprovado pelo Decreto nº 14.024, de 06 de junho

Leia mais

PROGRAMA ADOÇÃO DE PRAÇAS E ÁREAS VERDES

PROGRAMA ADOÇÃO DE PRAÇAS E ÁREAS VERDES PROGRAMA ADOÇÃO DE PRAÇAS E ÁREAS VERDES A Prefeitura de Fortaleza coloca à disposição das entidades da iniciativa privada e da sociedade civil organizada termos de cooperação, a fim de promover melhorias

Leia mais

MÓDULO II - DIAGNÓSTICO

MÓDULO II - DIAGNÓSTICO MÓDULO II - DIAGNÓSTICO Etapas do PMMA Organização do processo de elaboração do Plano Municipal da Mata Atlântica MOBILIZAÇÃO QUE CO SO ANÁLISE PRON CO VO Definição da Visão de Futuro DIAGNÓSTICO QUE CO

Leia mais

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE PUBLICADA NO DOE DE 19-09-2013 SEÇÃO I PÁG 76-77 RESOLUÇÃO SMA Nº 89, DE 18 DE SETEMBRO DE 2013 Institui as diretrizes para a execução do Projeto de Pagamento por Serviços Ambientais para as Reservas Particulares

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Histórico 1989 - Plataforma Ambiental Mínima para Candidatos à Presidência 1990 - Plataforma Ambiental Mínima para os Candidatos ao Governo do Estado de São Paulo 1998 - Plataforma Ambiental Mínima para

Leia mais

Ampliar os serviços prestados pelas bibliotecas públicas à comunidade. Integrar a biblioteca pública com sua comunidade.

Ampliar os serviços prestados pelas bibliotecas públicas à comunidade. Integrar a biblioteca pública com sua comunidade. CHAMAMENTO PARA AS BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS PARA PARTICIPAREM DO PROJETO AGENDA CIDADÃ NAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO SISEB A Secretaria de Estado da Cultura torna público

Leia mais

CAPÍTULO II DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS NATURAIS E DO SANEAMENTO SEÇÃO I DO MEIO AMBIENTE

CAPÍTULO II DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS NATURAIS E DO SANEAMENTO SEÇÃO I DO MEIO AMBIENTE CAPÍTULO II DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS NATURAIS E DO SANEAMENTO SEÇÃO I DO MEIO AMBIENTE ARTIGO 242 Todos tem direito ao meio ambiente saudável e ecologicamente equilibrado, impondo-se a todos, e em

Leia mais

5.6. Programa de Vigilância Epidemiológica e Atenção a Saúde. Revisão 00 NOV/2013

5.6. Programa de Vigilância Epidemiológica e Atenção a Saúde. Revisão 00 NOV/2013 PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.6 Programa de Vigilância Epidemiológica e Atenção a Saúde Revisão 00 NOV/2013 Coordenador da Equipe Carlos Eduardo Alencar

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00. 1. Conceitos Básicos UNIDADES DE CONSERVAÇÃO lei 9.985/00 1. Conceitos Básicos a) unidade de conservação: espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes,

Leia mais

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE PREFEITURA DE BELO HORIZONTE DADOS DA CIDADE Data de fundação: 12 de dezembro de 1897 Área: 331 km 2 Latitude y Longitude 19 55'S, 43 56'W Minas Gerais BH INDICADORES DEMOGRÁFICOS População: 2.375.151

Leia mais

INFORME TÉCNICO FEBRE MACULOSA BRASILEIRA

INFORME TÉCNICO FEBRE MACULOSA BRASILEIRA SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVISÃO DE TRANSMISSÍVEIS E IMUNOPREVINÍVEIS GERENCIA DE DOENÇAS

Leia mais

FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS. Nome da organização: Instituto Floresta Viva

FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS. Nome da organização: Instituto Floresta Viva FUNDO DE PARCERIA PARA ECOSSISTEMAS CRÍTICOS RELATÓRIO FINAL DO PROJETO I. DADOS BÁSICOS Nome da organização: Instituto Floresta Viva Título do projeto: Creation and Implementation of Protected Areas in

Leia mais

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo:

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo: Oficina em Ilhabela Relatoria da Plenária Final Esta oficina, realizada no dia 28 de março de 2012, no Hotel Ilhabela, na sede do município, faz parte do processo de escuta comunitária no âmbito do projeto

Leia mais

16/4/2010. Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil. Itens constantes do edital MPOG 2010

16/4/2010. Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil. Itens constantes do edital MPOG 2010 CONCURSO MPOG 2010 ANALISTA DE INFRA-ESTRUTURA ÁREA I Marcelo Orlandi Ribeiro Auditor Federal de Controle Externo - TCU Engenheiro Civil Aula 1 de 4 Itens constantes do edital MPOG 2010 Conhecimentos gerais

Leia mais

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO FORMULÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário, não sendo permitida rasura e qualquer inclusão, exclusão ou alteração de campos, sob pena

Leia mais

Projeto de lei no. 440/2011 Audiência Pública. Mercedes Bustamante Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento

Projeto de lei no. 440/2011 Audiência Pública. Mercedes Bustamante Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento Projeto de lei no. 440/2011 Audiência Pública Mercedes Bustamante Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento Inovação com base na Biodiversidade CAPITAL NATURAL BRASIL PAÍS MEGADIVERSO

Leia mais

CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL CARTILHA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL Realização PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE AÇÕES E RECURSOS AMBIENTAIS Bauru, maio 2007. SUMÁRIO 01 - OBJETIVO 02 O QUE É O

Leia mais

3.3 Infra-estrutura 3.3.1 Saneamento básico água e esgoto A existência de condições mínimas de infra-estrutura de saneamento básico é um fator

3.3 Infra-estrutura 3.3.1 Saneamento básico água e esgoto A existência de condições mínimas de infra-estrutura de saneamento básico é um fator 3.3 Infra-estrutura 3.3.1 Saneamento básico água e esgoto A existência de condições mínimas de infra-estrutura de saneamento básico é um fator primordial para o desenvolvimento do turismo sustentável.

Leia mais

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais DIRUR Eixo Temático: Sustentabilidade

Leia mais

ATA DA SESSÃO PÚBLICA DO PREGÃO

ATA DA SESSÃO PÚBLICA DO PREGÃO ATA DA SESSÃO PÚBLICA DO PREGÃO Dependência: MUNICIPIO DE PORTO VELHO - PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VELHO - (RO) Licitação: (Ano: 2015/ MUNICIPIO DE PORTO VELHO / Nº Processo: 02.00311/2014) Às 11:03:50

Leia mais

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo

Leia mais

Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto

Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto Autores: Emílio Rodrigues Versiani Junior 1 Geraldo Aristides Rabelo Nuzzi Andréa Rodrigues Fróes Resumo O Projeto

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental Capítulo 6 - Conservação ambiental 71 72 6.1 Unidades de Conservação As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) constituem espaços territoriais e mari- 46 55' 46 50' 46 45' nhos detentores de atributos

Leia mais

Jardins Paulistano e das Bandeiras são beneficiados com importantes obras

Jardins Paulistano e das Bandeiras são beneficiados com importantes obras DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Município de Salto de Pirapora Órgão Oficial da Prefeitura Municipal de Salto de Pirapora Criado pela Lei Municipal Nº 1122/2005, de 3 de março de 2005 Ano 4 Edição 42 Salto de Pirapora,

Leia mais

LEI Nº 3.739, DE 07/11/2013.

LEI Nº 3.739, DE 07/11/2013. LEI Nº 3.739, DE 07/11/2013. ALTERA A CATEGORIA DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO RESERVA ECOLÓGICA DOS MANGUEZAIS PIRAQUÊ-AÇU E PIRAQUÊ- MIRIM PARA RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MUNICIPAL PIRAQUÊ-AÇU

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO BOSQUE DOS ITALIANOS (PRAÇA SAMUEL WAINER)

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO BOSQUE DOS ITALIANOS (PRAÇA SAMUEL WAINER) PROPOSTA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA BIBLIOTECA INFANTIL MONTEIRO LOBATO BOSQUE DOS ITALIANOS CAMPINAS I) Informações sobre a entidade proponente A Associação dos Amigos do Bosque dos Italianos é uma associação

Leia mais

Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008.

Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008. Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008. Dispõe sobre parâmetros de caracterização e uniformização dos

Leia mais

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.4 Programa de Comunicação Social NOV/2013 CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 2 2. Justificativa... 3 3. Objetivos... 4 4. Área de Abrangência... 4

Leia mais

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental

UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental UFBA Escola Politécnica DEA Departamento de Engenharia Ambiental MARINHO, Márcia Mara de Oliveira; AGRA FILHO, Severino Soares; MACHADO, Luane Borges; CUNHA, Mateus Almeida; CARDOSO, Vanessa Britto Silveira;

Leia mais

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga.

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga. O desmatamento, ao longo dos anos, no município de Araras, contribuiu para a redução no suprimento de água potável, devido à formação geológica local, que resulta nos aqüíferos do grupo Passa Dois e Basalto

Leia mais

Informações para Licenciamento Ambiental Municipal de DEPÓSITO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) CLASSES I E II (CODRAM 4.750,10 Depósito de GLP)

Informações para Licenciamento Ambiental Municipal de DEPÓSITO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) CLASSES I E II (CODRAM 4.750,10 Depósito de GLP) DEPÓSITO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) CLASSES I E II (CODRAM 4.750,10 Depósito de GLP) 1 - IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR Nome ou Razão Social: CNPJ: CPF: CGC/TE: Endereço (Rua/Av.) : nº: Bairro:

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Biólogos Regulamentação das Atividades Orientador Empresarial RESOLUÇÃO CFBio nº 227/2010 DOU: 19.08.2010 Dispõe sobre a regulamentação

Leia mais

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS VITÓRIA Avenida Vitória, 1729 Bairro Jucutuquara 29040-780 Vitória ES 27 3331-2110 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PARTICIPANTES DO CURSO DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

DECRETO Nº 17.683, DE 6 DE MARÇO DE 2012.

DECRETO Nº 17.683, DE 6 DE MARÇO DE 2012. DECRETO Nº 17.683, DE 6 DE MARÇO DE 2012. Regulamenta o art. 26 da Lei Complementar nº 679, de 29 de Agosto de 2011, que institui o Sistema Municipal de Unidades de Conservação da Natureza de Porto Alegre

Leia mais

PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. Paulo Nobukuni

PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. Paulo Nobukuni 1 PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1 Paulo Nobukuni RESUMO: O objetivo foi tratar sobre elementos da perícia ambiental como mobilizadores sociais, ocorrendo o estudo em trechos inundáveis da bacia

Leia mais

OUTORGA DE DRENAGEM E FISCALIZAÇÃO COMO MECANISMOS DE GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS

OUTORGA DE DRENAGEM E FISCALIZAÇÃO COMO MECANISMOS DE GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS OUTORGA DE DRENAGEM E FISCALIZAÇÃO COMO MECANISMOS DE GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS Carolinne Isabella Dias Gomes (1) Possui Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília (UnB)

Leia mais

EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA. Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2

EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA. Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2 37 EXTINÇÃO DA FAUNA BRASILEIRA Djenicer Alves Guilherme 1, Douglas Luiz 2 Resumo: Com a urbanização, o tráfico nacional e internacional de espécies e exploração dos recursos naturais de maneira mal planejada

Leia mais

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem.

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem. INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO Daniela Aparecida Correa Aline Gritti Rodrigues Resumo: O presente artigo terá como objetivo abordar a incidência de Febre Maculosa na cidade de Amparo

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O

A P R E S E N T A Ç Ã O Com o objetivo de informar as empresas de Tecnologia da Informação sobre o procedimento para obtenção do desconto no Imposto Sobre Serviço é que foi elaborada a Cartilha ISS. Composto por três seções:

Leia mais

Nós, servidores do sistema SEMA, aqui representados pela Associação de Servidores do

Nós, servidores do sistema SEMA, aqui representados pela Associação de Servidores do Salvador, 02 de dezembro de 2011. Senhoras e senhores, Nós, servidores do sistema SEMA, aqui representados pela Associação de Servidores do Centro de Recursos Ambientais (ASCRA) e pela Associação dos Especialistas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DE SAÚDE GABINETE DO COORDENADOR

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DE SAÚDE GABINETE DO COORDENADOR SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DE SAÚDE GABINETE DO COORDENADOR Ofício Circular CCTIES nºg484/2012 São Paulo, 16 de maio de 2012. Caros Colegas,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Formulário referente ao Fator de Qualidade

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Formulário referente ao Fator de Qualidade GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Formulário referente ao Fator de Qualidade Reserva de Fauna Âmbito: Federal Estadual Municipal DADOS

Leia mais

DISPOSIÇÕES PERMANENTES

DISPOSIÇÕES PERMANENTES Revista RG Móvel - Edição 31 DISPOSIÇÕES PERMANENTES CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR): O novo Código Florestal determina a criação do CAR (Cadastro Ambiental Rural) e torna obrigatório o registro para todos

Leia mais

REQUEIRO, nos termos regimentais, ao Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Finanças e

REQUEIRO, nos termos regimentais, ao Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Finanças e 25 - Requerimento Vereador Aurélio Nomura OFICIO SGP12 n 78/2013 - INFORMAÇÕES REQUEIRO, nos termos regimentais, ao Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento que sejam solicitadas ao Secretário

Leia mais

QUEM FAZ O QUÊ? DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS

QUEM FAZ O QUÊ? DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS QUEM FAZ O QUÊ? SETTRAN - SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO E TRANSPORTES CTA ESTATÍSTICAS CTA - CONTROLE DE TRÁFEGO EM ÁREA AUTOR: AÍLTON BORGES SETTRAN- - Transporte coletivo na cidade... Quem faz o quê?

Leia mais

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO Trabalho de pesquisa em andamento Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus Universidade Federal do Tocantins pissarra1@yahoo.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Em geral as estatísticas sobre a economia brasileira nesse início de ano não têm sido animadoras

Leia mais

Relação de documentos necessários para requerer o CEBAS?

Relação de documentos necessários para requerer o CEBAS? Relação de documentos necessários para requerer o CEBAS? DOCUMENTO DESCRIÇÃO DO DOCUMENTO SOLICTADO Requerimento assinado pelo O modelo do requerimento pode ser obtido no anexo I desta relação representante

Leia mais

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA INFORMAÇÃO TÉCNICA N. 04/2012 NLA/SUPES-SP/IBAMA Ao: Sr. João de Munno

Leia mais

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e ALTERADA PELO DECRETO SP N 48.919/2004 DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) Regulamenta dispositivos da Lei Estadual nº 9.509, de 20 de março de 1997, referentes ao licenciamento ambiental,

Leia mais

1- Já foi contratada a nova Construtora' JÊjÊ CSMflRA fimericfinfl DE

1- Já foi contratada a nova Construtora' JÊjÊ CSMflRA fimericfinfl DE CÂMARA WMICIPAL DE AilRICANA Câmara Municipal de Americana REQUERIMENTO N _ 3//2015. Autores: Assunto: "Requer informações sobre a paralisação das obras do Condomínio Residencial Vida Nova I e II (Programa

Leia mais

Destaque CONQUISTAS NO CONGRESSO DA SZB 2015

Destaque CONQUISTAS NO CONGRESSO DA SZB 2015 INFORMATIVO OFICIAL DA FUNDAÇÃO HERMANN WEEGE ZOOLÓGICO POMERODE ANO 2 5ª EDIÇÃO: JAN/FEV/MAR 2015 Destaque CONQUISTAS NO CONGRESSO DA SZB 2015 Claudio Maas (atual presidente) e Yara Barros (diretora de

Leia mais

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE Parecer Técnico GEDAM 054/2007 Processo COPAM: 0099/85/40/2007 Processos DNPM: 830.241/80 Fase DNPM: Título de Lavra PARECER TÉCNICO Empreendedor: RIO PARACATU MINERAÇÃO

Leia mais

ATE XXII. Índice. 12 - Conclusões... 1. LT 500 kv Marimbondo II - Campinas e Subestações Associadas Conclusões do Empreendimento 1/1

ATE XXII. Índice. 12 - Conclusões... 1. LT 500 kv Marimbondo II - Campinas e Subestações Associadas Conclusões do Empreendimento 1/1 Índice 12 - Conclusões... 1 Índice 1/1 12 - ATE XXII A Linha de Transmissão (LT) 500 kv Marimbondo II Campinas e Subestações Associadas é um empreendimento da ATE XXII Transmissora de Energia S.A a ser

Leia mais

JACARÉ RIBEIRÃO VIVO - ASSOCIAÇÃO PARA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL J A P P A - N E W S. Relatório de Atividades SETEMBRO/2015

JACARÉ RIBEIRÃO VIVO - ASSOCIAÇÃO PARA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL J A P P A - N E W S. Relatório de Atividades SETEMBRO/2015 J A P P A - N E W S Relatório de Atividades SETEMBRO/2015 01/09/2015: Participação em reunião do CMSB (Conselho Municipal de Saneamento Básico). 02/09/2015: Participação em reunião (3ª) realizada na Paróquia

Leia mais

IPPtJ.T Workflow Vfi032 8 92, RECEBEMOS EIVia, ~ / )()'`) FUNDAÇÃO IppUJ

IPPtJ.T Workflow Vfi032 8 92, RECEBEMOS EIVia, ~ / )()'`) FUNDAÇÃO IppUJ ASSOCIAÇÃO VIVA O BAIRRO SANTO ANTONIO- entidade sem fins lucrativos o blog: vivaobairrosantoantonioille.blogspot.com; twitter: @vivaobairrosant; email: vivaobairrosantoantoniojlle@gmail.com Ofício 03/2015

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) Dispõe sobre a recuperação e conservação de mananciais por empresas nacionais ou estrangeiras especializadas em recursos hídricos ou que oferecem serviços

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS REGIÃO MET ROPOLIT ANA DE S ALVADOR -ESTADO DA BAHIA Desde 1963 garantindo Cidadania.

CÂMARA MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS REGIÃO MET ROPOLIT ANA DE S ALVADOR -ESTADO DA BAHIA Desde 1963 garantindo Cidadania. CÂMARA MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS REGIÃO MET ROPOLIT ANA DE S ALVADOR -ESTADO DA BAHIA Desde 1963 garantindo Cidadania. GABINETE DA 1ª SECRETARIA 13ª LEGISLATURA, 3 ª E 4ª SESSÕES LEGISLATIVAS - BIÊNIO

Leia mais

SCHUMANN. São Gonçalo, novembro de 2007 1/4

SCHUMANN. São Gonçalo, novembro de 2007 1/4 Laudo sobre os resultados analíticos da água da Fonte da Gameleira, situada no Centro de São Gonçalo dos Campos, Bahia. A coleta e o laudo foram elaborados por profissionais da empresa Schumann Consultoria

Leia mais

DESPACHO. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Renata Martins de Carvalho Alves VISTOS.

DESPACHO. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Renata Martins de Carvalho Alves VISTOS. DESPACHO Processo nº: 579.10.000546-6 Classe - Assunto: Ação Civil Pública - Obrigações Requerente: Defensoria Pública do Estado de São Paulo- Defensoria Regional de Taubaté Requerido: Município de São

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM TRECHOS DO ARROIO CANDÓI, LARANJEIRAS DO SUL, REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO PARANÁ

ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM TRECHOS DO ARROIO CANDÓI, LARANJEIRAS DO SUL, REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO PARANÁ ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM TRECHOS DO ARROIO CANDÓI, LARANJEIRAS DO SUL, REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO PARANÁ Aline da Silva Rodrigues de Oliveira Graduanda em Geografia Licenciatura e Bolsista Voluntária

Leia mais

PARCERIAS ENTRE O DAAE E INSTITUIÇÕES DE ARARAQUARA VISANDO A RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TEMA V AUTORES

PARCERIAS ENTRE O DAAE E INSTITUIÇÕES DE ARARAQUARA VISANDO A RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TEMA V AUTORES PARCERIAS ENTRE O DAAE E INSTITUIÇÕES DE ARARAQUARA VISANDO A RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TEMA V AUTORES Paulo Sergio Scalize (1) Biomédico formado pela Faculdade Barão de Mauá. Engenheiro Civil formado

Leia mais

GABINETE DE GESTÃO INTEGRADA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Criado pela LM 5255/09

GABINETE DE GESTÃO INTEGRADA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Criado pela LM 5255/09 GABINETE DE GESTÃO INTEGRADA MUNICIPAL DE SANTA MARIA Criado pela LM 5255/09 AÇÕES DA PREFEITURA INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE VIDEOMONITORAMENTO NA CIDADE CRIAÇÃO DA GUARDA MUNICIPAL PRONASCI/MJ PROGRAMA NACIONAL

Leia mais

PROJETO DE PAISAGISMO. Prefeitura inicia projeto de paisagismoem Canavieiras

PROJETO DE PAISAGISMO. Prefeitura inicia projeto de paisagismoem Canavieiras Diário Oficial Ano: 2 Edição: 291 Páginas: 20 PROJETO DE PAISAGISMO Prefeitura inicia projeto de paisagismoem Canavieiras A Prefeitura de Canavieiras, por meio da Secretaria da Agricultura, iniciou nesta

Leia mais

EDITAL 01/2015 PROCESSO DE SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS CENTRO DE EMPREENDEDORISMO E INCUBAÇÃO BEETECH

EDITAL 01/2015 PROCESSO DE SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS CENTRO DE EMPREENDEDORISMO E INCUBAÇÃO BEETECH A Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí, no uso de suas atribuições legais, com a cooperação da Prefeitura municipal de Jataí e do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE RESOLUÇÃO INEA Nº 89 DE 03 DE JUNHO DE 2014 DISPÕE SOBRE AS PROPORÇÕES MÍNIMAS APLICÁVEIS PARA REPOSIÇÃO

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL DE ÁREA IRREGULAR: CONHECENDO O AMBIENTE DA COMUNIDADE DA VILA KEPHAS EM NOVO HAMBURGO - RS

DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL DE ÁREA IRREGULAR: CONHECENDO O AMBIENTE DA COMUNIDADE DA VILA KEPHAS EM NOVO HAMBURGO - RS Salvador/BA 25 a 28/11/2013 DIAGNÓSTICO SOCIOAMBIENTAL DE ÁREA IRREGULAR: CONHECENDO O AMBIENTE DA COMUNIDADE DA VILA KEPHAS EM NOVO HAMBURGO - RS Danielle Paula Martins (*) * Universidade Feevale - daniellepm@feevale.br

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE Unidade de Gestão Local UGL Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável Microbacias II

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE Unidade de Gestão Local UGL Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável Microbacias II TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA REALIZAR LEVANTAMENTO DE FLORA E FAUNA, ANALISAR A ADEQUABILIDADE À SOLTURA DE ANIMAIS SILVESTRES E DEFINIÇÃO DE PROTOCOLOS PARA SUBSIDIAR O ESTABELECIMENTO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO BLAIRO BORGES MAGGI Governador SECRETARIA DE ESTADO DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO, MINAS E ENERGIA

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO BLAIRO BORGES MAGGI Governador SECRETARIA DE ESTADO DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO, MINAS E ENERGIA GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO BLAIRO BORGES MAGGI Governador SECRETARIA DE ESTADO DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO, MINAS E ENERGIA ALEXANDRE FURLAN Secretário de Estado JOSÉ EPAMINONDAS MATTOS CONCEIÇÃO Secretário

Leia mais

Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional ESPII. Ocorrências de casos humanos na América do Norte Informe do dia 27.04.

Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional ESPII. Ocorrências de casos humanos na América do Norte Informe do dia 27.04. I. Informações gerais Ministério da Saúde Gabinete Permanente de Emergências de Saúde Pública Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional ESPII Ocorrências de casos humanos na América do Norte

Leia mais

PROGRAMA PARCERIA CIDADÃ PROJETO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS

PROGRAMA PARCERIA CIDADÃ PROJETO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS PROGRAMA PARCERIA CIDADÃ PROJETO ATENDIMENTO SISTÊMICO A REDES SOCIAIS SISTEMA DETERMINADO PELO PROBLEMA SDP DE GOIANIRA SITUAÇÃO PROBLEMA (P): Degradação da área de preservação permanente - APP - no loteamento

Leia mais

Estudo de Viabilidade de Transporte Aquaviário no Canal de Marapendi

Estudo de Viabilidade de Transporte Aquaviário no Canal de Marapendi Estudo de Viabilidade de Transporte Aquaviário no Canal de Marapendi CIV1730 Estágio de Campo 2 2013.1 Professor José Araruna - Rodrigo Gaudie-Ley - Phillipe Senez - Victor Costa - Denise Torres - Ana

Leia mais

www.grancursosonline.com.br

www.grancursosonline.com.br ARGUMENTAÇÃO PARA RECURSO PROFESSOR MARCELO ARAGÃO PROVA DE AUDITORIA AFT 2013 COMENTADA PROF. MARCELO ARAGÃO Prezados (as) alunos (s), Após examinar a prova de auditoria do concurso de Auditor Fiscal

Leia mais