BANRISUL PERFORMANCE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF / EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BANRISUL PERFORMANCE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF 97.261.093/0001-40 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA"

Transcrição

1 CNPJ/MF / EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA Convocamos os Srs. Condôminos do Fundo para, reunidos em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, a realizar-se na Rua Siqueira Campos, 736, 3º andar, Porto Alegre, RS, no dia 16 de julho de 2012, em primeira convocação às 15 horas e 30 minutos e em segunda convocação às 15 horas e 45 minutos, deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1. As demonstrações contábeis apresentadas pelo administrador. 2. Alteração da política de investimento do Fundo. 3. Alterações e adequações do Regulamento ao que estabelece a Instrução CVM 522, de Consolidação do novo Regulamento do Fundo. As demonstrações contábeis relativas ao exercício social encerrado em , bem como as alterações e adequações propostas pelo Administrador no Regulamento, marcadas na cor vermelha, estão consolidadas como minuta de Regulamento, estão disponíveis para consulta no site > Investimentos > Fundos de Investimento > Fundo Performance. Porto Alegre, 25 de junho de Banco do Estado do Rio Grande do Sul S. A. CNPJ /

2 REGULAMENTO DO CNPJ/MF / Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. CNPJ/MF / CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º. O, doravante designado abreviadamente FUNDO, é um fundo de investimento constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, regido pelo presente Regulamento e pelas disposições legais e regulamentares que lhe forem aplicáveis. CAPÍTULO II - DO PÚBLICO ALVO Art. 2º. O FUNDO destina-se a pessoas físicas e/ou jurídicas em geral, inclusive investidores qualificados, dispostos a aceitar os riscos decorrentes da política de investimento do FUNDO. CAPÍTULO III- DA ADMINISTRAÇÃO Art. 3º. A administração do FUNDO compreende o conjunto de serviços relacionados direta ou indiretamente ao funcionamento e à manutenção do FUNDO, que podem ser prestadas pelo próprio ADMINISTRADOR, abaixo nominado, ou por terceiros por ele contratados em nome do FUNDO. Art. 4º. O FUNDO é administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A., com sede na Cidade de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, à Rua Capitãoldas MontanhaJúnior, nº , 4º andar, inscrito no CNPJ sob o nº / , doravante designado simplesmente ADMINISTRADOR. Parágrafo Único. A gestão profissional da carteira do FUNDO compete ao ADMINISTRADOR, que terá poderes para negociar, em nome do FUNDO, os títulos e valores mobiliáriosativos financeiros dela integrantes. Art. 5º. Os serviços de custódia do FUNDO serão prestados pelo próprio ADMINISTRADOR, instituição financeira devidamente credenciada pela CVM para 2

3 prestar tais serviços, a quem compete manter os títulos e valores mobiliários e demais ativos financeiros devidamente registrados em contas de depósitos específicas, abertas diretamente em nome do FUNDO, em sistemas de registro e de liquidação financeira de ativos financeiros autorizados pelo Banco Central do Brasil ou em instituições autorizadas à prestação de serviços de custódia pela CVM. Art. 6º. As atividades de tesouraria, de controle e processamento dos títulos e valores mobiliáriosativos financeiros e a escrituração da emissão e de resgate de cotas são executadas pelo ADMINISTRADOR. Art. 7º. São obrigações do ADMINISTRADOR: I diligenciar para que sejam mantidos, às suas expensas, atualizados e em perfeita ordem: a) o registro de cotistas; b) o livro de atas das assembleias gerais; c) o livro ou lista de presença de cotistas; d) os pareceres do auditor independente; e) os registros contábeis referentes às operações e ao patrimônio do FUNDO; e f) a documentação relativa às operações do FUNDO, pelo prazo de cinco anos. II no caso de instauração de procedimento administrativo pela CVM, manter a documentação referida no inciso anterior até o término do mesmo; III pagar a multa cominatória, nos termos da legislação vigente, por cada dia de atraso no cumprimento dos prazos previstos na regulamentação vigente; IV elaborar e divulgar as informações do FUNDO de acordo com a regulamentação vigente; V manter atualizado junto à CVM a lista de prestadores de serviços contratados pelo FUNDO; VI custear as despesas com propaganda do FUNDO, inclusive com a elaboração do Prospecto elaboração e distribuição do material de divulgação do FUNDO, inclusive do prospecto e da lâmina; VII - manter serviço de atendimento ao cotista, responsável pelo esclarecimento de dúvidas e pelo recebimento de reclamações, conforme definido no Prospecto do FUNDO; VIII observar as disposições constantes deste Regulamento e do Prospecto; IX cumprir as deliberações da assembleia geral; X fiscalizar os serviços prestados por terceiros contratados pelo FUNDO. 3

4 Art. 8º. É vedado ao ADMINISTRADOR praticar os seguintes atos em nome do FUNDO: I receber depósito em conta corrente; II contrair ou efetuar empréstimos, salvo em modalidade autorizada pela CVM; III prestar fiança, aval, aceite ou coobrigar-se sob qualquer outra forma; IV vender cotas à prestação, sem prejuízo da integralização a prazo de cotas subscritas; V prometer rendimento predeterminado aos cotistas; VI realizar operações com ações fora de bolsa de valores ou de mercado de balcão organizado por entidade autorizada pela CVM, ressalvadas as hipóteses de distribuições públicas, de exercício de direito de preferência e de conversão de debêntures em ações, exercício de bônus de subscrição e nos casos em que a CVM tenha concedido prévia e expressa autorização; VII utilizar recursos do FUNDO para pagamento de seguro de perdas financeiras de cotistas; e VIII praticar qualquer ato de liberalidade. Parágrafo Único. O FUNDO pode utilizar seus ativos financeiros para prestação de garantias de operações próprias realizadas em bolsas, bem como emprestar e tomar títulos e valores mobiliários em empréstimoativos financeiros, desde que tais operações de empréstimo sejam cursadas exclusivamente por meio de serviço autorizado pela CVM ou pelo Banco Central do Brasil. Art. 9º. O ADMINISTRADOR é obrigado a adotar as seguintes normas de conduta: I exercer suas atividades buscando sempre as melhores condições para o FUNDO, empregando o cuidado e a diligência que todo homem ativo e probo costuma dispensar à administração de seus próprios negócios, atuando com lealdade em relação aos interesses dos cotistas e do FUNDO, evitando práticas que possam ferir a relação fiduciária com eles mantida, e respondendo por quaisquer infrações ou irregularidades que venham a ser cometidas sob sua administração ou gestão; II exercer ou diligenciar para que sejam exercidos, todos os direitos decorrentes do patrimônio e das atividades do FUNDO; III empregar, na defesa dos direitos do cotista, a diligência exigida pelas circunstâncias, praticando todos os atos necessários para assegurá-los, e adotando as medidas judiciais cabíveis. 4

5 CAPÍTULO IV - DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E DA CARTEIRA Art. 9º10. Para efeito da regulamentação em vigor, o FUNDO classifica-se como Fundo em Ações, devendo ter como principal fator de risco a variação de preços de ações admitidas à negociação no mercado à vista de bolsa de valores ou entidade do balcão organizado.. Art O objetivo do FUNDO é proporcionar aos cotistas, rentabilidade superior ao IBrX- Índice Brasil, por meio de investimentos em ativos financeiros negociados no mercado à vista de bolsa de valores ou entidade do balcão organizado títulos e valores mobiliários negociados em Bolsa de Valores. Parágrafo Único. O FUNDO possui como meta de rentabilidade, atingir desempenho superior ao apresentado pelo IBrX, por períodos iguais ou superiores a vinte e quatro meses. Art Os recursos do FUNDO serão direcionados prioritariamente para investimentos em companhias cujas ações se encontram-se com seus preços subavaliados e, ao mesmo tempo, demonstrem demonstram capacidade de gerar lucros futuros crescentes, selecionadas com base em análise técnica e fundamentalista efetuada pelo ADMINISTRADOR. 1ºParágrafo Único. A gestão do FUNDO será ativa, com diversificação constante da carteira, visando maximizar a rentabilidade dos cotistas e atingir o objetivo referido no Artigo 10 deste Regulamento. Art A carteira doo FUNDO deverá manter aplicado, no mínimo, 67% (sessenta e sete por cento) de seu patrimônio líquido emos seguintes percentuais em relação a seu patrimônio líquido: a) Iações de companhias admitidas à negociação em bolsa de valores ou entidade do mercado de balcão organizado; b) bônus ou recibos de subscrição e certificados de depósitos de ações, das companhias referidas na alínea a, admitidos à negociação em bolsa de valores ou entidade do emrcadomercado de balcão organizado, 5

6 Parágrafo Único: As aplicações do FUNDO nos ativos financeiros listados nas alíneas a e b do caput deste artigo não estão sujeitos a limites de concentração por emissor. Assim, o FUNDO poderá estar exposto à significativa concentração em ativos financeiros de poucos emissores, com riscos daí decorrentes. Art.143. O patrimônio líquido do FUNDO que exceder o percentual fixado no Artigo 12 poderá ser aplicado, isolada ou cumulativamente, em títulos públicos federais e operações compromissadas nestes títulos, 1º. A atuação do FUNDO nos mercados de derivativos está restrita a realização de operações na modalidade com garantia, com o objetivo de proteger posições detidas à vista, e referenciadas em ações ou índices de ações e em taxas de juros. 2º. O limite máximo em relação ao patrimônio líquido do FUNDO que pode ser utilizado em empréstimos de ações, tendo o FUNDO como doador, é de 20% (vinte por cento).. no mínimo 67% (sessenta e sete por cento) em ações de emissão de companhias com registro na CVM - Comissão de Valores Mobiliários; II. no máximo 20% (vinte por cento) em valores mobiliários cuja distribuição tenha sido objeto de registro na CVM; III. no máximo 10% (dez por cento) em certificados ou recibos de depósito de valores mobiliários, regulados pelo Conselho Monetário Nacional - CMN ou pela CVM; IV. no máximo 33% (trinta e três por cento) em títulos públicos de emissão do Tesouro Nacional ou do Banco Central do Brasil. V. no máximo 10% (dez por cento) em títulos de renda fixa de emissão de instituições financeiras; VI. no máximo 10% (dez por cento) em cotas de fundos de investimento; VII. no máximo 30% (trinta por cento) em operações com derivativos, envolvendo contratos referenciados em ações ou índices de ações e em taxas de juros, que 6

7 podem ser realizadas tanto naqueles administrados por bolsas de valores ou bolsas de mercadorias e de futuros, quanto nos de balcão, neste caso desde que devidamente registradas em sistemas de registro e de liquidação financeira de ativos autorizados pelo Banco Central do Brasil ou pela CVM. VIII. a política de utilização de instrumentos derivativos, definida no item VII acima, objetivam somente a proteção da carteira; IX. no máximo 5% (cinco por cento) em operações de empréstimo de ações, na forma regulada pela CVM; X. no máximo 33% (trinta e três por cento) em operações compromissadas, de acordo com a regulamentação do CMN; e XI. no máximo 10% (dez por cento) em títulos de renda fixa de emissão de instituições não financeiras. 1º. O FUNDO poderá manter no máximo 30% (trinta por cento) de seu patrimônio líquido aplicado em valores mobiliários de um mesmo emissor. O fundo pode estar exposto a significativa concentração em ativos de renda variável de poucos emissores, apresentando os riscos daí decorrentes. 2ºArt, O FUNDO não poderá aplicar á no máximo 10% (dez por cento) de seu patrimônio líquido em títulos e valores mobiliáriosativos financeiros de emissão do ADMINISTRADOR ou de empresas a ela ligada, bem como s. em cotas de fundos de investimento sob administração do ADMINISTRADOR ou empresa a ele ligada. 3º. Incluem-se no limite disposto no 2º acima, as aplicações em cotas de fundos de investimento sob administração do ADMINISTRADOR ou empresa a ele ligada. 4º. Considera-se empresa ligada aquela em que o ADMINISTRADOR, seus controladores, administradores ou respectivos cônjuges, companheiros ou parentes até segundo grau, participem em percentagem superior a 10% (dez por cento) do capital social, direta ou indiretamente, individualmente ou em conjunto, ou na qual ocupem cargo de administração, ressalvado o exercício, pelos administradores, de cargos obtidos em função do exercício dos direitos relativos aos valores mobiliários 7

8 integrantes de carteiras por eles administradas na qualidade de administradores de terceiros. 5º. O limite máximo admitido para a compra de uma determinada emissão de valores mobiliários pelo FUNDO é de 3% (três por cento) e de 5% (cinco por cento) para o conjunto de fundos e carteiras administradas pelo ADMINISTRADOR. Art O ADMINISTRADOR deverá acompanhar diariamente o enquadramento aos limites estabelecidos, de forma a manter a classe adotada neste regulamento e a política de investimento do FUNDO. Art O ADMINISTRADOR, bem como os fundos de investimento e carteiras por este administrado ou por pessoas ligadas, poderão atuar como contraparte em operações realizadas pelo FUNDO. CAPÍTULO V - DOS RISCOS E DA POLÍTICA DE ADMINISTRAÇÃO DE RISCOS Art Não obstante a diligência do ADMINISTRADOR em selecionar as melhores opções de investimento, de acordo com a política de investimento do FUNDO, os títulos e valores mobiliáriosativos financeiros que compõem a carteira do FUNDO, por sua própria natureza, estão sujeitos às flutuações típicas de mercado, incluindo, mas não limitado, aos riscos de mercado, de crédito, de liquidez e de derivativos, que podem acarretar redução do valor das cotas. Art As aplicações realizadas no FUNDO não contam com a garantia do ADMINISTRADOR ou por qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, pelo Fundo Garantidor de Créditos - FGC. Art Para o gerenciamento dos riscos a que o FUNDO se encontra sujeito, o ADMINISTRADOR observa os seguintes métodosos métodos utilizados pelo Administrador para gerenciar os riscos a que o Fundo está sujeito são: I - Para o monitoramento gerenciamento do risco de mercado, o ADMINISTRADOR utiliza o instrumento de cálculo do Value at Risk com grau de confiança de 95%, que sintetiza a maior perda esperada da carteira do FUNDO, em condições normais de mercado. Adicionalmente, o ADMINISTRADOR utiliza o modelo de Stress Testing para a simulação da perda financeira em um 8

9 cenário econômico-financeiro adverso, por meio de variações bruscas de preços dos ativos que compõem a carteira. II - O risco de crédito é controlado pela diversificação da carteira, do estabelecimento de um limite de crédito para as emissões privadas que levaem em consideração a classificação de risco das emissões ou dos emissores realizadas por agências classificadoras de risco e pelo monitoramento da exposição ao risco, por meio do cumprimento diário da política de investimento. A administração da liquidez é diária e considera a concentração de investidores no Fundo e a liquidez dos negócios com os ativos financeiros na carteira. III - A administração da liquidez contempla os seguintes monitoramentos: do volume/percentual de ativos que podem ser transformados em caixa em prazos diferenciados; das operações compromissadas com vistas a manter níveis de liquidez compatíveis com o perfil do passivo do FUNDO; do prazo médio dos ativos de emissão privada em função do perfil do passivo; do fluxo de caixa dos ativos das carteira do Fundo; do histórico da movimentações dos clientes (aplicações/resgates), identificando as maiores oscilações em valores absolutos e percentuais; e da concentração de cotistas frente ao patrimônio líquido do FUNDO. III - IV - O gerenciamento de exposição ao risco de derivativos é englobado pela sistemática utilizada para o monitoramento do risco de mercado e de liquidez. CAPÍTULO VI - TAXA DE ADMINISTRAÇÃO Art Pelos serviços de administração, o ADMINISTRADOR receberá taxa de administração fixa de 4,0% (quatro por cento) ao ano sobre o patrimônio líquido do FUNDO. 1º. A taxa de administração prevista no caput será calculada e provisionada diariamente como despesa do FUNDO, à base 252 (duzentos e cinquenta e dois) dias úteis, de forma linear, sobre o valor diário do patrimônio líquido do FUNDO, e será paga, mensalmente, até o quinto dia útil do mês subsequente a sua vigência. 2º. O ADMINISTRADOR não cobrará remuneração baseada no resultado do FUNDO (taxa de performance), bem como taxa de ingresso ou taxa de saída do FUNDO. 9

10 3º. Na taxa de administração estão incluídos os serviços de gestão da carteira do fundo, de consultoria de investimento, de tesouraria, de controle e processamento dos títulos e valores mobiliáriosativos financeiros, de distribuição de cotas e de escrituração da emissão e resgate de cotas. 4º. Cumpre ao ADMINISTRADOR zelar para que as despesas com a contratação de terceiros prestadores de serviços não excedam o montante total da taxa de administração fixada neste Regulamento. Caso venham a ocorrer, deverá ser suportado pelo ADMINISTRADOR. 5º. A taxa prevista no caput não pode ser aumentada sem prévia aprovação da assembleia geral, mas pode ser reduzida unilateralmente pelo ADMINISTRADOR, que deve comunicar este fato, de imediato, à CVM e aos cotistas, promovendo a devida alteração no regulamento, na lâmina e, se for o caso, no prospecto. CAPÍTULO VII - DOS ENCARGOS DO FUNDO Art Constituem encargos do FUNDO as seguintes despesas, que lhe podem ser debitadas diretamente: I taxas, impostos ou contribuições federais, estaduais, municipais ou autárquicas, que recaiam ou venham a recair sobre os bens, direitos e obrigações do FUNDO; II despesas com o registro de documentos em cartório, impressão, expedição e publicação de relatórios e informações periódicas previstas neste Regulamento; III despesas com correspondência de interesse do FUNDO, inclusive comunicações aos cotistas; IV honorários e despesas do auditor independente; V emolumentos e comissões pagas por operações do FUNDO; VI honorários de advogado, custas e despesas processuais correlatas, incorridas em razão de defesa dos interesses do FUNDO, em juízo ou fora dele, inclusive o valor da condenação imputada ao FUNDO, se for o caso; VII parcela de prejuízos não coberta por apólices de seguro e não decorrente diretamente de culpa ou dolo dos prestadores dos serviços de administração no exercício de suas respectivas funções; VIII despesas relacionadas, direta ou indiretamente, ao exercício de direito de voto do FUNDO pelo ADMINISTRADOR ou por seus representantes legalmente 10

11 constituídos, em assembleias gerais das companhias nas quais o FUNDO detenha participação decorrente de ativos financeiros do FUNDO; IX despesas com custódia e liquidação de operações com títulos e valores mobiliários e demais ativos financeiros; X despesas com fechamento de câmbio, vinculadas às suas operações ou com certificados ou recibos de depósito de valores mobiliários; e XI as taxas de administração. Art Quaisquer despesas não previstas como encargos do FUNDO, inclusive as relativas à elaboração do prospecto e lâmina, correm por conta do ADMINISTRADOR, devendo ser por ele contratados. CAPÍTULO VIII - DAS COTAS, DA EMISSÃO E DO RESGATE DE COTAS Art As cotas do FUNDO correspondem a frações ideais de seu patrimônio, e serão escriturais e nominativas, conferindo iguais direitos e obrigações aos cotistas. Parágrafo Único. O valor da cota do dia é resultante da divisão do patrimônio líquido pelo número de cotas do FUNDO, apurados, ambos, no encerramento do dia, assim entendido o horário de fechamento dos mercados em que o FUNDO atue. Art O valor da cota é calculado por dia útil, independente de feriado de âmbito estadual ou municipal na sede do ADMINISTRADOR, com base em avaliação patrimonial que considere o valor de mercado dos títulos e valores mobiliáriosativos financeiros integrantes da carteira do FUNDO. Art A qualidade de cotista caracteriza-se pela inscrição do nome do titular no registro de cotistas do FUNDO, sendo que nenhum cotista poderá deter mais de 20% (vinte por cento) das cotas emitidas pelo FUNDO.. Art A cota do FUNDO não pode ser objeto de cessão ou transferência, salvo por decisão judicial, execução de garantia ou sucessão universal. 11

12 Art Na emissão das cotas do FUNDO será utilizado o valor da cota do dia seguinte ao da efetiva disponibilidade dos recursos confiados pelo investidor ao ADMINISTRADOR, em sua sede ou dependências, obedecido o horário máximo estabelecido pelo ADMINISTRADOR, definido no Prospecto do FUNDO. Parágrafo Único. A integralização do valor das cotas do FUNDO deve ser realizada em moeda corrente nacional, por meio de débito em conta corrente do cotista do FUNDO. Art A data da apuração do valor da cota para efeito do pagamento do resgate será o dia seguinte ao da efetiva solicitação pelo cotista ao ADMINISTRADOR, em sua sede ou dependências, obedecido o horário máximo estabelecido pelo ADMINISTRADOR, definido no Prospecto do FUNDO, pelo valor da cota de encerramento do FUNDO daquele dia. Art O pagamento do resgate das cotas do FUNDO será efetuado no quarto dia útil, contado a partir do dia seguinte do recebimento do pedido de resgate na sede ou dependências do ADMINISTRADOR. Art O pagamento do resgate será efetuado por meio de crédito em conta corrente do cotista do FUNDO. Art Para fins de resgate, as cotas do FUNDO não estão sujeitas a prazo de carência. Art Salvo na hipótese de que trata o artigo 340, será devida ao cotista uma multa de 0,50% (cinquenta centésimos por cento) do valor do resgate, a ser paga pelo ADMINISTRADOR do FUNDO, por dia de atraso no pagamento do resgate de cotas. Art Em casos de iliquidez dos ativos financeiros componentes da carteira do FUNDO, inclusive em decorrência de pedidos de resgates incompatíveis com a liquidez existente, ou que possam implicar alteração do tratamento tributário do FUNDO ou do conjunto dos cotistas, em prejuízo destes últimos, o ADMINISTRADOR poderá declarar o fechamento do FUNDO para a realização de resgates, sendo obrigatória a convocação de Assembleia Geral Extraordinária, no prazo máximo de 1 (um) dia, para deliberar, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da data do fechamento para resgate, sobre as seguintes possibilidades: 12

13 I substituição do administrador; II reabertura ou manutenção do fechamento do FUNDO para resgate; III possibilidade do pagamento de resgate em títulos e valores mobiliáriosativos financeiros; IV cisão do FUNDO; e V liquidação do FUNDO. 1º. O ADMINISTRADOR responderá aos cotistas remanescentes pelos prejuízos que lhe tenham sido causados em decorrência da não utilização dos poderes conferidos no caput deste artigo. 2º. O fechamento do FUNDO para resgate deverá, em qualquer caso, ser imediatamente comunicado à CVM. 3º. A assembleia de que trata o caput deverá ser realizada mesmo que o ADMINISTRADOR delibere reabrir o FUNDO antes da data marcada para sua realização. 4º. O ADMINISTRADOR poderá solicitar à CVM autorização específica para proceder à cisão do FUNDO antes da reabertura para resgates, ficando neste caso vedadas novas aplicações no FUNDO resultantes da cisão, e devendo, de qualquer modo, realizar-se a assembleia. Art É facultado ao ADMINISTRADOR, suspender a qualquer momento, novas aplicações no FUNDO, desde que tal suspensão se aplique indistintamente a novos investidores e cotistas atuais. 1º. A suspensão do recebimento de novas aplicações em um dia não impede a reabertura posterior do FUNDO para aplicações. 2º. O FUNDO deve permanecer fechado para aplicações enquanto perdurar o período de suspensão de resgates. Art Os feriados de âmbito estadual ou municipal na praça sede do ADMINISTRADOR em nada afetarão as aplicações e os resgates solicitados nas demais praças em que houver expediente bancário normal. 13

14 Art Todo cotista ao ingressar no FUNDO deve atestar, mediante termo próprio, que recebeu o regulamento e o prospectoa lâmina e que tomou ciência dos riscos envolvidos e da política de investimento do FUNDO. CAPÍTULO IX - DA ASSEMBLEIA GERAL Art Compete privativamente à assembleia geral de cotistas deliberar sobre: I as demonstrações contábeis apresentadas pelo ADMINISTRADOR; II a substituição do ADMINISTRADOR ou do custodiante do FUNDO; III a fusão, a incorporação, a cisão, a transformação ou a liquidação do fundo; IV o aumento da taxa de administração; V a alteração da política de investimento do fundo; VI a amortização de cotas, caso não esteja prevista no regulamento; e VII a alteração do regulamento. Art A convocação da assembleia geral deve ser feita por correspondência encaminhada a cada cotista. 1º. A convocação de assembleia geral deverá enumerar, expressamente, na ordem do dia, todas as matérias a serem deliberadas, não se admitindo que sob a rubrica de assuntos gerais haja matérias que dependam de deliberação da assembleia. 2º. A convocação da assembleia geral deve ser feita com 10 (dez) dias de antecedência, no mínimo, da data de sua realização. 3 o. Da convocação devem constar, obrigatoriamente, dia, hora e local em que será realizada a assembleia geral. 4 o. O aviso de convocação deve indicar o local onde o cotista pode examinar os documentos pertinentes à proposta a ser submetida à apreciação da assembleia. 5º. A presença da totalidade dos cotistas supre a falta de convocação. Art Anualmente a assembleia geral deverá deliberar sobre as demonstrações contábeis do fundo, fazendo-o até 120 (cento e vinte) dias após o término do exercício social. 14

15 1º. A assembleia geral a que se refere o caput somente pode ser realizada no mínimo 30 (trinta) dias após estarem disponíveis aos cotistas as demonstrações contábeis auditadas relativas ao exercício encerrado. 2º. A assembleia geral a que comparecerem todos os cotistas poderá dispensar a observância do prazo estabelecido no parágrafo anterior, desde que o faça por unanimidade. Art Além da assembleia prevista no artigo anterior, o administrador ou cotista ou grupo de cotistas que detenham, no mínimo, 5% (cinco por cento) do total de cotas emitidas, poderão convocar a qualquer tempo assembleia geral de cotistas, para deliberar sobre ordem do dia de interesse do FUNDO ou dos cotistas. Parágrafo Único. A convocação por iniciativa de cotistas será dirigida ao ADMINISTRADOR, que deverá, no prazo máximo de 30 (trinta) dias contados do recebimento, realizar a convocação da assembleia geral às espessas dos requerentes, salvo se a assembleia geral assim convocada deliberar em contrário. Art A Assembleia Geral se instalará com a presença de qualquer número de cotistas, sendo que as deliberações serão tomadas por maioria de votos, cabendo a cada cota 1 (um) voto. Art Somente podem votar na assembleia geral os cotistas do fundo inscritos no registro de cotistas na data da convocação da assembleia, seus representantes legais ou procuradores legalmente constituídos há menos de 1 (um) ano. 1º. Os cotistas também poderão votar por meio de comunicação escrita ou eletrônica, sempre que na convocação estiver indicada essa possibilidade. 2º. Na hipótese do 1º supra, o ADMINISTRADOR estabelecerá na própria convocação enviada aos cotistas, de acordo com o artigo. 395 deste Regulamento, os critérios que serão adotados para o recebimento dos votos. Art Conforme facultado pela regulamentação em vigor, o ADMINISTRADOR, a seu critério, poderá adotar o processo de consulta formal para as deliberações de competência da assembleia geral de cotistas, sem a necessidade de reunião dos cotistas. 15

16 1º. O processo de consulta formal será formalizado pelo ADMINISTRADOR por meio de correspondência a todos os cotistas, que deverá conter as informações necessárias para as deliberações, às orientações e os critérios para o exercício do voto, inclusive quanto ao prazo para recebimento da resposta. 2º. Na hipótese da utilização do processo de consulta formal pelo ADMINISTRADOR, o quorum de deliberações será o da maioria dos votos recebidos dos cotistas, no prazo estabelecido pelo ADMINISTRADOR, cabendo a cada cota 1 (um) voto, independente da matéria. Art Não podem votar nas assembleias gerais do FUNDO: I. seu ADMINISTRADOR; II. os sócios, diretores e funcionários do administrador; III. empresas ligadas ao administrador, seus sócios, diretores, funcionários; e IV. os prestadores de serviços do fundo, seus sócios, diretores e funcionários. Art O resumo das decisões da assembleia geral deverá ser enviado a cada cotista no prazo de até 30 (trinta) dias após a data de sua realização, podendo ser utilizado para tal finalidade o extrato de conta mensal. Parágrafo Único. Caso a assembleia geral seja realizada nos últimos dez dias do mês, a comunicação de que trata o caput poderá ser efetuada no extrato de conta relativo ao mês seguinte. CAPÍTULO X - DA POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES Art O ADMINISTRADOR do FUNDO é obrigado a: I - divulgar, diariamente, o valor da cota e do patrimônio líquido do FUNDO; II - remeter, mensalmente, aos cotistas, extrato de conta contendo: a) nome e o número do registro do FUNDO no CNPJ; b) nome, endereço e número do registro do ADMINISTRADOR no CNPJ; c) nome do cotista; d) saldo e valor das cotas no início e no final do período e a movimentação ocorrida ao longo do mesmo; e) rentabilidade do FUNDO auferida entre o último dia útil do mês anterior e o último dia útil do mês de referência do extrato; 16

17 f) data de emissão do extrato da conta; e g) o telefone, o correio eletrônico e o endereço para correspondência do serviço de atendimento ao cotista. III - disponibilizar as informações do FUNDO, inclusive as relativas à composição da carteira, de forma equânime entre todos os cotistas. IV remeter aos cotistas do FUNDO a demonstração de desempenho do FUNDO, até o último dia útil de fevereiro de cada ano; V divulgar, em lugar de destaque no site do ADMINISTRADOR e sem proteção de senha, as despesas do FUNDO relativo: a) aos 12 (doze) meses findos em 31 de dezembro, até o último dia útil de fevereiro de cada ano; b) aos 12 (doze) meses findos em 30 de junho, até o último dia útil de agosto de cada ano. 1º O demonstrativo da composição da carteira do FUNDO, contendo a identificação, a quantidade, o valor e sua percentagem sobre o total da carteira, será disponibilizada para os cotistas até 10 (dez) dias após o encerramento do mês a que se referirem. 2º Caso o ADMINISTRADOR divulgue a terceiros informações referentes à composição da carteira, a mesma informação deve ser colocada à disposição dos cotistas na mesma periodicidade, ressalvadas as hipóteses de divulgação de informações pelo ADMINISTRADOR aos prestadores de serviços do fundo, necessárias para a execução de suas atividades, bem aos órgãos reguladores, autorreguladores e entidades de classes, quanto aos seus associados, no atendimento a solicitações legais, regulamentares e estatutárias por eles formuladas. 3º O ADMINISTRADOR não está obrigado a cumprir o disposto no inciso II do caput nos casos em que o cotista, por meio de assinatura em documento específico, expressamente optar pelo não recebimento do extrato. Art A política de divulgação de informações será idêntica para todos os consultores de investimento, agências classificadoras e demais interessadas, sendo 17

18 certo que a alteração da política de divulgação deverá ser divulgada como fato relevante. Art O ADMINISTRADOR do FUNDO é obrigado a divulgar imediatamente, por correspondência a todos os cotistas, bem como comunicar a CVM, qualquer ato ou fato relevante ocorrido ou relacionado ao funcionamento do FUNDO, de modo a garantir a todos os cotistas o acesso a informações que possam, direta ou indiretamente, influenciar suas decisões quanto à permanência no FUNDO ou, no caso de outros investidores, quanto à aquisição das cotas. Art As demonstrações contábeis devem ser colocadas à disposição de qualquer interessado que as solicitar ao ADMINISTRADOR, no prazo de 90 (noventa) dias após o encerramento do exercício social. Art Todas as informações relativas ao FUNDO estarão disponíveis no site do ADMINISTRADOR, no endereço no item investimentos, bem como na sede e dependências do ADMINISTRADOR. CAPÍTULO XI - DO EXERCÍCIO SOCIAL Art O exercício social do FUNDO tem duração de 1 (um) ano, com início em 1º de abril de cada ano e término em 31 de março do ano subsequente. CAPÍTULO XII - DA DISTRIBUIÇÃO DOS RESULTADOS DO FUNDO Art Os valores atribuídos ao FUNDO a título de dividendos, juros de capital ou outros rendimentos advindos de ativos financeiros que integram sua carteira, inclusive os eventuais lucros apurados na compra e venda destes, serão, em sua totalidade, incorporados ao patrimônio do FUNDO. CAPÍTULO XIII - DA POLÍTICA RELATIVA AO EXERCÍCIO DO DIREITO DE VOTO Art O FUNDO adota política de exercício de direito de voto decorrente dos ativos financeiros nos quais detenha participação, com o objetivo de proteger os interesses dos cotistas do FUNDO. 18

19 1º. É obrigatório o exercício da política de voto em relação às seguintes matérias relevantes obrigatórias: I - em relação a ações, seus direitos e desdobramentos: a) Eleição de representantes de minoritários nos Conselho de Administração; e b) - aquisição, fusão, incorporação, cisão, alterações de controle, reorganizações societárias, alterações ou conversões de ações e demais mudanças de estatuto social, caso, no entendimento do GESTOR, possam gerar impacto relevante no valor do ativo detido pelo FUNDO. II - exceto nos seguintes casos: a) fundos de investimento exclusivos ou restritos, desde que aprovada, em assembleia, a inclusão de cláusula no regulamento destacando que o gestor não adota a política de voto para este FUNDO; b) ativos financeiros de emissor com sede social fora do Brasil; c) para Certificados de Depósito de Valores Mobiliários - BDRs. 2º. O FUNDO no cumprimento das disposições desta política de voto exercerá o direito de voto em assembleias adotando as seguintes normas de condutas, não excluídas outras que porventura tenham como objetivo proteger os interesses dos cotistas do FUNDO: I. exercer suas atividades buscando sempre as melhores condições para o FUNDO, empregando o cuidado e a diligência que todo homem ativo e probo costuma dispensar à administração de seus próprios negócios, atuando com lealdade em relação aos interesses dos cotistas e do FUNDO, evitando práticas que possam ferir a relação fiduciária com eles mantida, e respondendo por quaisquer infrações ou irregularidades que venham a ser cometidas sob sua administração ou gestão; II. exercer ou diligenciar para que sejam exercidos, todos os direitos decorrentes do patrimônio e das atividades do FUNDO, ressalvado o que dispuser o regulamento sobre a política relativa ao exercício de direito de voto do fundo; e 19

20 I. empregar, na defesa dos direitos do cotista, a diligência exigida pelas circunstâncias, praticando todos os atos necessários para assegurá-los, e adotando as medidas judiciais cabíveis. 3º. O exercício da política de voto será facultado, a exclusivo critério do ADMINISTRADOR, nos seguintes casos: I. Quando a Assembleia ocorrer em cidade diferente da sede do ADMINISTRADOR e não seja possível voto à distância; II. Se o custo relacionado com o exercício do voto não for compatível com a participação do Ativo no FUNDO; III. quando a participação total do FUNDO, sujeitos à política de voto, na fração votante na matéria, for inferior a 5% (cinco por cento) e nenhum FUNDO possuir mais do que 10% (dez por cento) de seu patrimônio líquido no ativo em questão; ou IV. se o ADMINISTRADOR julgar que a pauta da assembleia não é relevante aos interesses dos cotistas. 4º. Na possibilidade de existência de situações de potencial conflito de interesse o ADMINISTRADOR analisará, caso a caso, a conveniência de exercer o direito ao voto, desde que sejam mantidos os interesses dos cotistas do Fundo. 5º. Os votos proferidos nas assembleias, bem como a íntegra da política de exercício de direito de voto em assembleias adotado pelo ADMINISTRADOR,.serão disponibilizados aos cotistas no site O ADMINISTRADOR, ou seu representante legalmente constituído, com o objetivo de proteger os interesses dos cotistas do FUNDO, adota política de exercício de direito de voto em assembleias gerais de ativos financeiros que contemplem o direito de voto, disponível, na íntegra, na sede e nas dependências do ADMINISTRADOR, bem como no site A política de exercício de direito de voto disciplina os princípios gerais que nortearão o ADMINISTRADOR, especificamente na análise das matérias relevantes obrigatórias, os procedimentos que devem ser adotados em situações de potencial conflito de interesses e o processo decisório de voto e sua formalização. CAPÍTULO XIV - DA TRIBUTAÇÃO 20

21 Art Os rendimentos auferidos pelos cotistas do FUNDO estão sujeitos ao Imposto de Renda - IR exclusivamente no resgate de cotas à alíquota de 15% (quinze por cento). Parágrafo Único. O disposto no caput não se aplica aos cotistas sujeitos a regras de tributação específica, na forma da legislação vigente. Art Conforme legislação vigente, a carteira do FUNDO está sujeita ao seguinte tratamento tributário: (i) não há incidência de IR sobre os rendimentos auferidos pela carteira do FUNDO, e (ii) está sujeito à alíquota zero de IOF. CAPÍTULO XV - DISPOSIÇÕES GERAIS Art Fica eleito o foro da Cidade de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, com expressa renúncia de qualquer outro, o mais privilegiado que possa ser, para quaisquer ações nos processos judiciais relativos ao FUNDO ou as questões decorrentes deste Regulamento. Art. 58. Este regulamento terá vigência a partir de 02 de janeiro de Porto Alegre, 15 xx de agosto julho de Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. 21

REGULAMENTO DO BANRISUL FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

REGULAMENTO DO BANRISUL FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES REGULAMENTO DO CNPJ/MF 88.198.056/0001-43 Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. CNPJ/MF 92.702.067/0001-96 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º. O, doravante designado abreviadamente FUNDO,

Leia mais

REGULAMENTO DO BANRISUL PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA DE LONGO PRAZO

REGULAMENTO DO BANRISUL PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA DE LONGO PRAZO REGULAMENTO DO BANRISUL PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA DE LONGO PRAZO Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. CNPJ/MF 92.702.067/0001-96 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1. O BANRISUL

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM NÃO O SUBSTITUI.

Leia mais

REGULAMENTO DO DAYCOVAL MULTIFUNDS FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO DAYCOVAL MULTIFUNDS FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CAPÍTULO I - DO FUNDO Este Regulamento integra a ata da Assembleia Geral Extraordinária do DAYCOVAL MULTIFUNDS FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO de 16 de janeiro de 2015. REGULAMENTO DO

Leia mais

SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE CNPJ 11.087.074/0001-23 REGULAMENTO

SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE CNPJ 11.087.074/0001-23 REGULAMENTO SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE CNPJ 11.087.074/0001-23 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1. O SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VALE, doravante designado FUNDO, constituído sob a

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IRF-M TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ: 14.508.605/0001-00

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IRF-M TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ: 14.508.605/0001-00 DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IRF-M Artigo 1º - O Fundo de Investimento CAIXA Brasil IRF-M Títulos Públicos Renda Fixa Longo Prazo, doravante designado, abreviadamente, FUNDO,

Leia mais

FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 00.828.371/0001-66 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, CARACTERÍSTICAS, OBJETIVOS E PÚBLICO-ALVO

FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 00.828.371/0001-66 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, CARACTERÍSTICAS, OBJETIVOS E PÚBLICO-ALVO FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 00.828.371/0001-66 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, CARACTERÍSTICAS, OBJETIVOS E PÚBLICO-ALVO ARTIGO 1º - O FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA

Leia mais

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO.

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO. FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento CAIXA Cambial Dólar, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento

Leia mais

Artigo 2º - O FUNDO destina-se a acolher investimentos de pessoas físicas e pessoas jurídicas privadas e públicas, doravante designados, Cotista.

Artigo 2º - O FUNDO destina-se a acolher investimentos de pessoas físicas e pessoas jurídicas privadas e públicas, doravante designados, Cotista. FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento CAIXA Premium Renda Fixa Referenciado DI Longo Prazo, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento

Leia mais

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO.

Artigo 5º - A relação completa dos prestadores de serviços pode ser consultada no Formulário de Informações Complementares do FUNDO. FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Ações CAIXA Brasil Ibovespa, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo

Leia mais

INVEST CLUBE RIO PRETO CNPJ/MF 07.959.303/0001-85 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

INVEST CLUBE RIO PRETO CNPJ/MF 07.959.303/0001-85 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA INVEST CLUBE RIO PRETO CNPJ/MF 07.959.303/0001-85 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA O Banco Cooperativo Sicredi S.A. ( Administrador ), inscrito no CNPJ sob o nº 01.181.521/0001-55,

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA PETROBRAS PRÉ-SAL CNPJ: 11.060.594/0001-42 DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA PETROBRAS PRÉ-SAL CNPJ: 11.060.594/0001-42 DO FUNDO DO FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Ações CAIXA Petrobras Pré-Sal, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo

Leia mais

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES REGULAMENTO DO FUNDO O BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, regido pelas disposições do presente Regulamento, e regulado pelas Instruções CVM nº 302

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA IBOVESPA ATIVO CNPJ: 08.046.355/0001-23 DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CAIXA IBOVESPA ATIVO CNPJ: 08.046.355/0001-23 DO FUNDO DO FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Ações CAIXA Ibovespa Ativo, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo

Leia mais

DA CONSTITUIÇÃO E DAS CARACTERÍSTICAS

DA CONSTITUIÇÃO E DAS CARACTERÍSTICAS MB SUPER REFERENCIADO DI LONGO PRAZO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO CNPJ: 03.420.190/0001-94 ALTERADO PELA AGO DO DIA 30/04/2015 REGULAMENTO DA CONSTITUIÇÃO E DAS CARACTERÍSTICAS

Leia mais

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL RJ. CNPJ n.º 07.038.766/0001-04 REGULAMENTO

FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL RJ. CNPJ n.º 07.038.766/0001-04 REGULAMENTO FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL RJ CNPJ n.º 07.038.766/0001-04 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1. O FUNDO DE INVESTIMENTO DE RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO UNICRED CENTRAL

Leia mais

ESTE FUNDO PODE ESTAR EXPOSTO A SIGNIFICATIVA CONCENTRAÇÃO EM ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL DE POUCOS EMISSORES, APRESENTANDO OS RISCOS DAÍ DECORRENTES.

ESTE FUNDO PODE ESTAR EXPOSTO A SIGNIFICATIVA CONCENTRAÇÃO EM ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL DE POUCOS EMISSORES, APRESENTANDO OS RISCOS DAÍ DECORRENTES. ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO, BEM COMO ÀS NORMAS EMANADAS

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004.

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004 Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

REGULAMENTO DO BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ: 00.071.477/0001-68 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ: 00.071.477/0001-68 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ: 00.071.477/0001-68 CAPÍTULO I DO FUNDO Artigo 1º - O BB CURTO PRAZO AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO

BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO BANPARÁ FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ 00.857.364/0001-92 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM

Leia mais

3 - AVISOS E ADVERTÊNCIAS:

3 - AVISOS E ADVERTÊNCIAS: MB ESPECIAL RENDA FIXA LONGO PRAZO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 01.605.448/0001-00 DATA DO PROSPECTO 30/04/2015 1 - DAS CARACTERÍSTICAS DO FUNDO: O MB ESPECIAL RENDA FIXA

Leia mais

REGULAMENTO DO BB AÇÕES BB SEGURIDADE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 17.593.934/0001-87 CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO BB AÇÕES BB SEGURIDADE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 17.593.934/0001-87 CAPÍTULO I - DO FUNDO REGULAMENTO DO BB AÇÕES BB SEGURIDADE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 17.593.934/0001-87 CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O BB AÇÕES BB SEGURIDADE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, abreviadamente designado

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL 2024 I TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA CNPJ: 18.598.288/0001-03

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL 2024 I TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA CNPJ: 18.598.288/0001-03 DO FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento CAIXA Brasil 2024 I Títulos Públicos Renda Fixa, doravante designado, abreviadamente FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL 2018 I TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA CNPJ: 18.598.256/0001-08

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL 2018 I TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA CNPJ: 18.598.256/0001-08 DO FUNDO Artigo 1º - O Fundo de Investimento CAIXA Brasil 2018 I Títulos Públicos Renda Fixa, doravante designado, abreviadamente FUNDO, é um Fundo de Investimento constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

REGULAMENTO DO BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ nº 03.879.385/0001-05. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ nº 03.879.385/0001-05. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ nº 03.879.385/0001-05 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O BNY MELLON ARX CASH FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO

Leia mais

ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO

ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO

Leia mais

REGULAMENTO DO SANTANDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO INTELIGENTE RENDA FIXA CURTO PRAZO CNPJ/MF n.º 02.908.

REGULAMENTO DO SANTANDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO INTELIGENTE RENDA FIXA CURTO PRAZO CNPJ/MF n.º 02.908. O presente Regulamento é parte integrante da Ata de Assembleia Geral de Cotistas do Santander Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Inteligente Curto Prazo, realizada em 29 de abril

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO DO BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 03.308.312/0001-55 CAPÍTULO I - DO FUNDO

MINUTA REGULAMENTO DO BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 03.308.312/0001-55 CAPÍTULO I - DO FUNDO MINUTA REGULAMENTO DO BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 03.308.312/0001-55 CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O BB REFERENCIADO DI 500 FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO MAGLIANO FUNDO DE INVESTIMENTOS EM AÇÕES CEPE INVEST CNPJ/MF. Nº 07.404.959/0001-31

REGULAMENTO DO MAGLIANO FUNDO DE INVESTIMENTOS EM AÇÕES CEPE INVEST CNPJ/MF. Nº 07.404.959/0001-31 REGULAMENTO DO MAGLIANO FUNDO DE INVESTIMENTOS EM AÇÕES CEPE INVEST CNPJ/MF. Nº 07.404.959/0001-31 ÍNDICE I IDENTIFICAÇÃO II ADMINISTRAÇÃO III PÚBLICO ALVO IV POLÍTICA DE INVESTIMENTOS V RISCOS VI MONITORAMENTO

Leia mais

Regulamento do Fundo de Investimento em Ações Vokin K2 Dividendos CNPJ n o 13.962.941/0001-58 Alteração 3.12.2012

Regulamento do Fundo de Investimento em Ações Vokin K2 Dividendos CNPJ n o 13.962.941/0001-58 Alteração 3.12.2012 Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o O FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES VOKIN K2 DIVIDENDOS, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, é regido

Leia mais

BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA - FIA CNPJ: 07.913.438/0001-00

BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA - FIA CNPJ: 07.913.438/0001-00 BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BI INVEST PREVIDÊNCIA IBOVESPA - FIA CNPJ: 07.913.438/0001-00 Características Público Alvo O FUNDO destina-se ao público em geral, inclusive

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO PRAZO. CNPJ n.º: 21.170.347/0001-52 REGULAMENTO

FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO PRAZO. CNPJ n.º: 21.170.347/0001-52 REGULAMENTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO PRAZO CNPJ n.º: 21.170.347/0001-52 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1. O FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO EXECUTIVE LONGO

Leia mais

ALFA ORBIS DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO LONGO PRAZO. CNPJ nº 02.733.802/0001-36 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO

ALFA ORBIS DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO LONGO PRAZO. CNPJ nº 02.733.802/0001-36 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO CNPJ nº 02.733.802/0001-36 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA ORBIS DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO LONGO PRAZO ( FUNDO ), é um fundo de investimento constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

PROSPECTO CAIXA FI SEBRAE RF LONGO PRAZO

PROSPECTO CAIXA FI SEBRAE RF LONGO PRAZO PROSPECTO CAIXA FI SEBRAE RF LONGO PRAZO CLASSIFICAÇÃO DO FUNDO ANBIMA RENDA FIXA ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO

Leia mais

ITAÚ FAPI RENDA FIXA - Fundo de Aposentadoria Programada Individual CNPJ - 02.177.812/0001-32 REGULAMENTO

ITAÚ FAPI RENDA FIXA - Fundo de Aposentadoria Programada Individual CNPJ - 02.177.812/0001-32 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1 - O ITAÚ FAPI RENDA FIXA - FUNDO DE APOSENTADORIA PROGRAMADA INDIVIDUAL, designado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, é regido

Leia mais

SICREDI FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M LONGO PRAZO

SICREDI FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M LONGO PRAZO Porto Alegre, 21 de maio de 2013 SICREDI FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M LONGO PRAZO ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO

Leia mais

Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Do Público-Alvo

Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Do Público-Alvo Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o - O NEO BBDC FEEDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com

Leia mais

REGULAMENTO DO NEST AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 08.912.577/0001-81

REGULAMENTO DO NEST AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 08.912.577/0001-81 REGULAMENTO DO NEST AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 08.912.577/0001-81 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O NEST AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO BANCO DO NORDESTE FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ: 00.812.433/0001-41 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO BANCO DO NORDESTE FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ: 00.812.433/0001-41 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO BANCO DO NORDESTE FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ: 00.812.433/0001-41 CAPÍTULO I DO FUNDO Art. 1º - O BANCO DO NORDESTE FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO, doravante designado abreviadamente

Leia mais

REGULAMENTO DO MÁXIMA PLUS FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 04.288.802/0001-08. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO MÁXIMA PLUS FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 04.288.802/0001-08. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO MÁXIMA PLUS FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ nº 04.288.802/0001-08 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O MÁXIMA PLUS FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA (doravante designado

Leia mais

REGULAMENTO DO MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O MODAL LION FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (doravante designado FUNDO), constituído

Leia mais

REGULAMENTO DO TOKYO-MITSUBISHI UFJ JUMP FUNDO DE INVESTIMENTO CAMBIAL DÓLAR CNPJ nº 01.789.845/0001-70 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO TOKYO-MITSUBISHI UFJ JUMP FUNDO DE INVESTIMENTO CAMBIAL DÓLAR CNPJ nº 01.789.845/0001-70 CAPÍTULO I DO FUNDO CAPÍTULO I DO FUNDO ARTIGO 1º - O TOKYO-MITSUBISHI UFJ JUMP, com o nome fantasia de BTMU JUMP FI CAMBIAL DÓLAR, doravante designado FUNDO, é um fundo de investimento, constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

Safra SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ Nº 18.766.

Safra SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ Nº 18.766. SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ Nº 18.766.488/0001-28 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1.1 O SAFRA BOLSA AMERICANA FUNDO

Leia mais

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Multi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

REGULAMENTO DO TRX REALTY I FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 07.279.439/0001-44

REGULAMENTO DO TRX REALTY I FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 07.279.439/0001-44 REGULAMENTO DO TRX REALTY I FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 07.279.439/0001-44 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O TRX REALTY I FUNDO DE

Leia mais

REGULAMENTO DO NEST MILE HIGH 30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 08.139.641/0001-33

REGULAMENTO DO NEST MILE HIGH 30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 08.139.641/0001-33 REGULAMENTO DO NEST MILE HIGH 30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 08.139.641/0001-33 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O NEST MILE HIGH 30

Leia mais

REGULAMENTO DO BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 05.786.931/0001-80 CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 05.786.931/0001-80 CAPÍTULO I - DO FUNDO REGULAMENTO DO BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 05.786.931/0001-80 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º - O BRASILPREV TOP ATUARIAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA, doravante designado

Leia mais

REGULAMENTO DO BANCO DO NORDESTE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO

REGULAMENTO DO BANCO DO NORDESTE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO REGULAMENTO DO BANCO DO NORDESTE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO O Banco do Nordeste Fundo de Investimento Renda Fixa Crédito Privado Longo Prazo, doravante designado abreviadamente

Leia mais

SAFRA PORTFOLIO DI - FUNDO DE APLICAÇÃO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO FINANCEIRO CNPJ Nº 00.832.124/0001-33

SAFRA PORTFOLIO DI - FUNDO DE APLICAÇÃO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO FINANCEIRO CNPJ Nº 00.832.124/0001-33 REGULAMENTO DO SAFRA PORTFOLIO DI - FUNDO DE APLICAÇÃO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO FINANCEIRO CNPJ Nº 00.832.124/0001-33 ADMINISTRADO PELO BANCO SAFRA S/A CNPJ Nº 58.160.789/0001-28 CAPÍTULO I

Leia mais

ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF 11.039.

ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF 11.039. ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF 11.039.121/0001-63 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ N 04.787.992/0001-08 CAPÍTULO I DO FUNDO E PÚBLICO ALVO

REGULAMENTO DO ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ N 04.787.992/0001-08 CAPÍTULO I DO FUNDO E PÚBLICO ALVO REGULAMENTO DO ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ N 04.787.992/0001-08 CAPÍTULO I DO FUNDO E PÚBLICO ALVO Artigo 1 O ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, doravante designado simplesmente ZENITH

Leia mais

REGULAMENTO DO BNB BTG PACTUAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO AÇÕES DIVIDENDOS CNPJ: 18.098.502/0001-62 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO BNB BTG PACTUAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO AÇÕES DIVIDENDOS CNPJ: 18.098.502/0001-62 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO BNB BTG PACTUAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO AÇÕES DIVIDENDOS CNPJ: 18.098.502/0001-62 CAPÍTULO I DO FUNDO Art. 1º - O BNB BTG PACTUAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO PREVIDENCIÁRIO CAIXA RENDA FIXA 200 CNPJ: 03.737.

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO PREVIDENCIÁRIO CAIXA RENDA FIXA 200 CNPJ: 03.737. DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS Artigo 1º - O Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Previdenciário CAIXA Renda Fixa 200, doravante designado, abreviadamente,

Leia mais

REGULAMENTO DO CRPC MAURITSSTAD FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 05.964.067/0001-60. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO CRPC MAURITSSTAD FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 05.964.067/0001-60. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO CRPC MAURITSSTAD FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 05.964.067/0001-60 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O CRPC MAURITSSTAD FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES (doravante

Leia mais

REGULAMENTO DO MAUÁ PARTICIPAÇÕES II INSTITUCIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES - CNPJ/MF 21.290.

REGULAMENTO DO MAUÁ PARTICIPAÇÕES II INSTITUCIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE AÇÕES - CNPJ/MF 21.290. Contatos do Administrador SAC: 0800 772 28 27 Ouvidoria: 0800 722 00 48 www.btgpactual.com.br REGULAMENTO DO MAUÁ PARTICIPAÇÕES II INSTITUCIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA CNPJ 05.107.310/0001-23 CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA CNPJ 05.107.310/0001-23 CAPÍTULO I - DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA CNPJ 05.107.310/0001-23 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º - O FUNDO DE INVESTIMENTO PREV FIX RENDA FIXA, doravante designado abreviadamente FUNDO, constituído

Leia mais

PROSPECTO. Administrado por: Taquari Administradora de Carteira de Valores Mobiliários Ltda.

PROSPECTO. Administrado por: Taquari Administradora de Carteira de Valores Mobiliários Ltda. PROSPECTO CSN INVEST FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ Nº. 68.670.512/0001-07 Prospecto elaborado em 26 de agosto de 2013. Em vigor a partir de 02 de setembro de 2013. Administrado por: Taquari Administradora

Leia mais

ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. CNPJ nº 00.575.922/0001-27 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO

ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. CNPJ nº 00.575.922/0001-27 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ nº 00.575.922/0001-27 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA SPECIAL - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES ( FUNDO ), é um fundo de investimento constituído

Leia mais

Safra SAFRA ANS RENDA FIXA - FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA

Safra SAFRA ANS RENDA FIXA - FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA SAFRA ANS RENDA FIXA - FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ Nº 09.137.330/0001-06 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1.1. O SAFRA ANS RENDA FIXA - FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA ( FUNDO ) é uma comunhão

Leia mais

PROSPECTO VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ Nº 05.384841/0001-63. Administradora SOLIDUS S/A CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS

PROSPECTO VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ Nº 05.384841/0001-63. Administradora SOLIDUS S/A CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO, BEM COMO ÀS NORMAS EMANADAS

Leia mais

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º O CAIXA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRAS IV CAIXA FMP FGTS PETROBRAS IV, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é uma comunhão de recursos, constituído sob

Leia mais

3) Ações, bônus ou recibos de subscrição e certificados de depósito de 0% 100%

3) Ações, bônus ou recibos de subscrição e certificados de depósito de 0% 100% CAPÍTULO I DO FUNDO Artigo 1 - O BLUE SKY FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO INVESTIMENTO NO EXTERIOR, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio fechado, com prazo

Leia mais

SUL AMÉRICA PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº. 13.017.933/0001-33 REGULAMENTO. Capítulo I - Do Fundo

SUL AMÉRICA PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº. 13.017.933/0001-33 REGULAMENTO. Capítulo I - Do Fundo SUL AMÉRICA PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº. 13.017.933/0001-33 REGULAMENTO Capítulo I - Do Fundo Artigo 1º - O SUL AMÉRICA PREMIUM FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA, doravante designado

Leia mais

Novembro/2011 BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO BTG PACTUAL HIGH YIELD PROSPECTO

Novembro/2011 BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO BTG PACTUAL HIGH YIELD PROSPECTO Novembro/2011 BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO BTG PACTUAL HIGH YIELD PROSPECTO CNPJ nº. 06.190.203/0001-74 Cidade de Deus, Prédio Prata, 4º andar,

Leia mais

REGULAMENTO ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF Nº 20.155.991/0001-99

REGULAMENTO ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF Nº 20.155.991/0001-99 REGULAMENTO ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF Nº 20.155.991/0001-99 CAPÍTULO I - FUNDO Artigo 1º O ICATU SEG APOSENTADORIA US INDEX FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

Leia mais

CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO, GESTÃO E OUTROS SERVIÇOS

CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO, GESTÃO E OUTROS SERVIÇOS CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO Artigo 1º - O HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO EM PIBB AÇÕES IBrX-50, doravante designado abreviadamente FUNDO, é uma comunhão de recursos, constituída sob a forma de

Leia mais

Safra MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

Safra MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ Nº 13.667.539/0001-40 REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO 1.1. O MANAGER APEX EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO BNB MAIS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ: 11.074.758/0001-90 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO BNB MAIS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ: 11.074.758/0001-90 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO BNB MAIS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ: 11.074.758/0001-90 CAPÍTULO I DO FUNDO Art. 1º - O BNB MAIS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE

Leia mais

Regulamento do Kevlar Fundo de Investimento Renda Fixa CNPJ n o 97.519.502/0001-65. Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Do Público-Alvo

Regulamento do Kevlar Fundo de Investimento Renda Fixa CNPJ n o 97.519.502/0001-65. Capítulo I - Do Fundo. Capítulo II - Do Público-Alvo Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o - O KEVLAR FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA, doravante designado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração, é regido por este

Leia mais

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES SMALL CAPS ATIVO

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES SMALL CAPS ATIVO PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES SMALL CAPS ATIVO CLASSIFICAÇÃO DO FUNDO ANBIMA: AÇÕES SMALL CAPS ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE

Leia mais

ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ N 04.787.992/0001-08

ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ N 04.787.992/0001-08 ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OS FUNDOS DE INVESTIMENTO, BEM COMO ÀS NORMAS EMANADAS

Leia mais

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES PETROBRAS PRÉ-SAL

PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES PETROBRAS PRÉ-SAL PROSPECTO CAIXA FI AÇÕES PETROBRAS PRÉ-SAL CLASSIFICAÇÃO DO FUNDO ANBIMA: AÇÕES SETORIAIS FOCO DE ATUAÇÃO: PETROBRAS ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO

REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO Artigo 1º - O, doravante designado abreviadamente FUNDO, é uma comunhão de recursos, constituída sob a forma de condomínio aberto, com prazo indeterminado de duração,

Leia mais

REGULAMENTO DO PÁTRIA DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO CNPJ nº 07.967.090/0001-33. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO PÁTRIA DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO CNPJ nº 07.967.090/0001-33. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO PÁTRIA DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO CNPJ nº 07.967.090/0001-33 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O PÁTRIA DI FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO (doravante designado

Leia mais

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Ações - Índice de Sustentabilidade Empresarial CNPJ n o 07.192.379/0001-28 - 4 a AGC - 17.3.

Regulamento do Bradesco Fundo de Investimento em Ações - Índice de Sustentabilidade Empresarial CNPJ n o 07.192.379/0001-28 - 4 a AGC - 17.3. Capítulo I - Do Fundo Artigo 1 o - O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES - ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto, com prazo

Leia mais

Porto Alegre, 06 de fevereiro de 2014 SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M 1

Porto Alegre, 06 de fevereiro de 2014 SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M 1 Porto Alegre, 06 de fevereiro de 2014 SICREDI - FUNDO DE INVESTIMENTO INSTITUCIONAL RENDA FIXA IRF-M 1 ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO DAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO

Leia mais

REGULAMENTO DO GWI CLASSIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ nº 03.362.624/0001-47. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO GWI CLASSIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ nº 03.362.624/0001-47. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO GWI CLASSIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ nº 03.362.624/0001-47 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º O GWI CLASSIC FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES (doravante designado

Leia mais

REGULAMENTO DO BTGP ACCESS SPX NIMITZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - CNPJ/MF 17.408.

REGULAMENTO DO BTGP ACCESS SPX NIMITZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - CNPJ/MF 17.408. Contatos do Administrador SAC: 0800 772 28 27 Ouvidoria: 0800 722 00 48 www.btgpactual.com.br REGULAMENTO DO BTGP ACCESS SPX NIMITZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM QUOTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI LONDRES. CNPJ/MF n º 07.938.843/0001-82 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI LONDRES. CNPJ/MF n º 07.938.843/0001-82 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI LONDRES CNPJ/MF n º 07.938.843/0001-82 CAPÍTULO I DO FUNDO ARTIGO 1 - O FUNDO DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI LONDRES doravante designado, abreviadamente,

Leia mais

Safra PROSPECTO SAFRA SIMPLES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE CURTO PRAZO. CNPJ/MF n.º 09.531.

Safra PROSPECTO SAFRA SIMPLES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE CURTO PRAZO. CNPJ/MF n.º 09.531. PROSPECTO SAFRA SIMPLES FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DE CURTO PRAZO CNPJ/MF n.º 09.531.731/0001-38 ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO ROMA AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ/MF Nº 11.357.758/0001-06. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO ROMA AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ/MF Nº 11.357.758/0001-06. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO ROMA AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ/MF Nº 11.357.758/0001-06 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º. O ROMA AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES ( FUNDO ), constituído

Leia mais

BB AÇÕES IBOVESPA INDEXADO ESTILO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 09.005.823/0001-84 PROSPECTO (*)

BB AÇÕES IBOVESPA INDEXADO ESTILO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 09.005.823/0001-84 PROSPECTO (*) BB AÇÕES IBOVESPA INDEXADO ESTILO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 09.005.823/0001-84 PROSPECTO (*) AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO JMALUCELLI SMALL CAPS FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF n.º 09.550.197/0001-07 CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E CARACTERÍSTICAS

REGULAMENTO DO JMALUCELLI SMALL CAPS FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF n.º 09.550.197/0001-07 CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E CARACTERÍSTICAS REGULAMENTO DO JMALUCELLI SMALL CAPS FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF n.º 09.550.197/0001-07 CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E CARACTERÍSTICAS Artigo 1º - O JMALUCELLI SMALL CAPS FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO BRASILPREV RT FIX X FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 14.099.145/0001-04 CAPÍTULO I - DO FUNDO

REGULAMENTO DO BRASILPREV RT FIX X FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 14.099.145/0001-04 CAPÍTULO I - DO FUNDO REGULAMENTO DO BRASILPREV RT FIX X FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ 14.099.145/0001-04 CAPÍTULO I - DO FUNDO Art. 1º - O BRASILPREV RT FIX X FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.894/0001-36 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96)

Leia mais

REGULAMENTO DO BNB RPPS PREVIDÊNCIA FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ: 08.266.261/0001-60 CAPÍTULO I DO FUNDO

REGULAMENTO DO BNB RPPS PREVIDÊNCIA FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ: 08.266.261/0001-60 CAPÍTULO I DO FUNDO REGULAMENTO DO BNB RPPS PREVIDÊNCIA FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ: 08.266.261/0001-60 CAPÍTULO I DO FUNDO Art. 1º - O BNB RPPS PREVIDÊNCIA FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA, doravante designado

Leia mais

REGULAMENTO DO SCHRODER PREVIDENCIÁRIO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBRX-50 CNPJ Nº 07.936.595/0001-30 CAPÍTULO II ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO

REGULAMENTO DO SCHRODER PREVIDENCIÁRIO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBRX-50 CNPJ Nº 07.936.595/0001-30 CAPÍTULO II ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO REGULAMENTO DO SCHRODER PREVIDENCIÁRIO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBRX-50 CNPJ Nº 07.936.595/0001-30 CAPÍTULO I FUNDO, PRAZO DE DURAÇÃO E EXERCÍCIO SOCIAL Artigo 1 - O SCHRODER PREVIDENCIÁRIO FUNDO

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO

REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO REGULAMENTO DO FUNDO: ALFAPREV RF PRIVATE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PREVIDENCIÁRIO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O ALFAPREV RF PRIVATE - Fundo de Investimento

Leia mais

SUL AMÉRICA EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF nº. 03.132.484/0001-10 REGULAMENTO. Capítulo I - Do Fundo

SUL AMÉRICA EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF nº. 03.132.484/0001-10 REGULAMENTO. Capítulo I - Do Fundo SUL AMÉRICA EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF nº. 03.132.484/0001-10 REGULAMENTO Capítulo I - Do Fundo Artigo 1º - O SUL AMÉRICA EQUITY HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO, doravante

Leia mais

Bradesco Private Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado Commodities CNPJ 15.675.393/0001-00 1 a Alteração- 31.10.

Bradesco Private Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado Commodities CNPJ 15.675.393/0001-00 1 a Alteração- 31.10. Capítulo I Do Fundo Artigo 1º - O BRADESCO PRIVATE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO COMMODITIES, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto,

Leia mais

PGBL VGBL DINÂMICO CNPJ

PGBL VGBL DINÂMICO CNPJ Capítulo I Do Fundo Artigo 1º - O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PGBL VGBL DINÂMICO, doravante denominado FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto,

Leia mais

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO BRB FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM RENDA FIXA DI LONGO PRAZO 500 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Competência: 19/01/2016 CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES PLATINA CNPJ/MF nº. 15.176.580/0001-40 CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO

FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES PLATINA CNPJ/MF nº. 15.176.580/0001-40 CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO CAPÍTULO I DO FUNDO E DE SEU PÚBLICO ALVO Artigo 1º - O FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, doravante designado abreviadamente FUNDO, é uma comunhão de recursos, constituída

Leia mais

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM 391, DE 16 DE JULHO DE 2003, COM ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº435/06, 450/07, 453/07, 496/11 E

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM 391, DE 16 DE JULHO DE 2003, COM ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº435/06, 450/07, 453/07, 496/11 E TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM N o 391, DE 16 DE JULHO DE 2003, COM ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº435/06, 450/07, 453/07, 496/11 E 498/11. Dispõe sobre a constituição, o funcionamento

Leia mais

REGULAMENTO DO LANCASTER FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES ( FUNDO ) CNPJ nº 21.620.429/0001-51. Capítulo I Constituição e Características

REGULAMENTO DO LANCASTER FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES ( FUNDO ) CNPJ nº 21.620.429/0001-51. Capítulo I Constituição e Características REGULAMENTO DO LANCASTER FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES ( FUNDO ) CNPJ nº 21.620.429/0001-51 Capítulo I Constituição e Características Artigo 1º - LANCASTER FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES (doravante designado

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Fundo de Aposentadoria Programada Individual Banrisul Conservador CNPJ 04.785.314/0001-06 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ 92.702.067/0001-96)

Leia mais

PROSPECTO DO FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA

PROSPECTO DO FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA PROSPECTO DO FUNDO PAULISTA DE INVESTIMENTO RENDA FIXA Este prospecto foi preparado com as informações necessárias ao atendimento das disposições do Código de Auto-Regulação da ANBID para a Indústria de

Leia mais