Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell).

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell)."

Transcrição

1 Dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata vell). Oscar José Smiderle 1 ; Moises Mourão Jr 1 ; Francisco Joaci de Freitas Luz 1. 1 Pesquisador Embrapa Roraima CP 133 CEP Boa Vista - RR. RESUMO O trabalho foi realizado no Laboratório de Análise de Sementes da Embrapa Roraima, com o objetivo de estudar métodos para a superação da dormência de sementes de pata de vaca. O delineamento experimental foi o inteiramente ao acaso com 4 repetições de sementes. Os tratamentos foram: escarificação por imersão em ácido sulfúrico (PA) por 5; 1 e 15 minutos; imersão em álcool etílico por 5; 1 e 15 minutos e testemunha, sem tratamento prévio nas sementes. As sementes foram incubadas a 25 o C no interior de placas plásticas gerbox, com papel germitest umedecido. Através de avaliações regulares, verificou-se os parâmetros germinação, embebição, velocidade de germinação e plântulas normais ao final de 89 dias. A contagem diária das sementes germinadas foi feita durante 89 dias. Os resultados demonstraram que os tratamentos pré-germinativos promoveram a germinação da pata-de-vaca, sendo que a escarificação com ácido sulfúrico (15 minutos), revelou ser o método mais efetivo para a superação da dormência desta espécie. Palavras-chave: Bauhinia angulata, germinação, escarificação, permeabilidade do tegumento ABSTRACT Seed dormence of pata de vaca tree (Bauhinia angulata Vell). This work was carried out at Seed laboratory of Embrapa Roraima, with the objetive to study the superation of seed dormence of Pata de vaca tree. The experimental design was a completely randomized design with four replicates of seeds each. The treataments were: sulfuric acid PA (5, 1 and 15 minutes), etílic alcohol (5, 1 and 15 minutes) and control. The seeds were disposed in plastic boxes over humidified paper and incubated at 25 o C in a germinator. The parameters obtained were germination, embebition, speed of germination, normal seedlings at 89 days after sowing. The germinated seeds were counted daily during 89 days. Chemical scarification with sulfuric acid for 15 minutes, showed to be the most appropriate method for superation of this species dormence. Keywords: Bauhinia angulata, germination, dormancy, scarification, tegument permeability

2 Em laboratório, foram desenvolvidos diversos métodos, visando à superação da dormência por impedimento a entrada de água, como a escarificação mecânica e química, a embebição das sementes em água e tratamentos com altas temperaturas, sob condição úmida ou seca (Perez & Prado, 1993). A impermeabilidade do tegumento à água é um tipo de dormência bastante comum em sementes da família Leguminosae (Villiers, 1972). A busca de metodologias para análise de sementes florestais desempenha papel fundamental dentro da pesquisa científica e de interesse diversificado. O conhecimento dos principais processos envolvidos na germinação de sementes de espécies nativas é de vital importância para a preservação daquelas espécies ameaçadas, e multiplicação dessas e das demais em programas de reflorestamento. Levando-se em conta as características aparentes das sementes dessa espécie no que diz respeito à espessura do tegumento e sua dureza, o presente trabalho teve como objetivo selecionar tratamentos pré-germinativos em laboratório, que permitissem abreviar, aumentar e uniformizar a germinação das sementes de pata de vaca. MATERIAL E MÉTODOS O trabalho foi realizado no Laboratório de Análises de Sementes da Embrapa Roraima. As sementes foram colhidas e beneficiadas manualmente e armazenadas no laboratório em temperatura de 25 o C e umidade relativa de 65%. Os tratamentos realizados foram: escarificação por imersão em H 2 SO 4 PA por 5 ; 1 e 15 ; imersão em Álcool etílico por 5 ; 1 e 15 ; testemunha (sem tratamento). Os parâmetros avaliados foram: 1) embebição, com contagens diárias das sementes embebidas; 2) germinação, com sementes que depois de tratadas foram semeadas em caixas plásticas (gerbox) contendo papel germitest umedecido 2,5 vezes seu peso com água destilada, e incubadas a 25 o C no interior de germinador (Brasil, 1992), sendo as contagens diárias realizadas durante dias, e após esse período a cada 4 dias até completar 89 dias, considerando-se germinada a semente que apresentava comprimento radicular maior do que 2 mm; e 3) velocidade de germinação, que foi obtida junto ao teste de germinação, sendo o número de sementes germinadas em cada dia após a instalação do teste dividido pelo respectivo número de dias; e 4) porcentagem de sementes duras, avaliadas ao final de 89 dias através do número de sementes que não embeberam em água. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, com 4 repetições de sementes por parcela. Os dados obtidos foram transformados em arc sen (x/1),5. As

3 análises de variância foram realizadas com auxilio do software SAS (SAS Institute Inc., 1985). RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados obtidos das análises realizadas mostram significativas diferenças, pelo teste F (5%), na embebição de sementes, germinação e vigor entre os tratamentos aplicados (Tabela 1). Os tratamentos com H 2 SO 4 apresentaram rápida embebição (Figura 1) e também germinação (Tabela 1), diferindo do observado para as sementes tratadas com álcool e para a testemunha. Estes resultados supõem que a escarificação com ácido sulfúrico tem maior efetividade em romper o tegumento das sementes de pata de vaca. Assim, a água foi absorvida pelas sementes, e iniciou o processo de germinação e emergência. Tabela 1. Valores médios de embebição (%) e germinação (%) das sementes de pata de vaca em função dos tratamentos e tempo de aplicação dos tratamentos Testemunha Álcool H 2 SO Dias E (%) G (%) E (%) G (%) E (%) G (%) E (%) G (%) E (%) G (%) E (%) G (%) E (%) G (%),,,,,,,,,,,,,, 1 1,,,8 12,4 47,5 17,8 71,3 24,8 91,1 2,5 99, 9,9 1, 43,6 2 6,9 2,5 35,7 28,3 67,3, 77,3 6, 1, 24,8 1, 38,1 1, 89,6 4 11,8 4,9 38,7 32,2 7,3 66,4 79,3 71,5 1, 49, 1, 61,4 1, 93,5 5 11,8 4,9 39,7 33,2 7,3 69,3 79,3 72,9 1, 53,5 1, 68,3 1, 95, 7 11,8 5,4 39,7 35,2 71,3 7,8 79,3 74,4 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 9 12,8 6,4 41,7 37,2 72,3 71,3 79,3 75,9 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 11 13,8 8,3 42,7 4,7 72,3 72,3 79,3 77,8 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 14 14,8 1,3 42,7 44,6 72,3 73,7 81,3 8,3 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 19 17,8 11,3 48,5 46,1 74,2 74,2 84,2 81,3 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 26 18,8 11,8 49,5 47,6 74,2 75,2 85,2 82,3 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 33 19,7 12,3 51,5 48,6 76,2 76,7 86,2 83,8 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 36 19,7 12,8 52,5,6 76,2 77,7 88,2 84,3 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 4,7 13,3 53,5 53,5 77,2 78,7 88,2 84,8 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 46,7 13,8 57,4 55,5 79,2 8,2 89,2 85,3 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 54,7 14,8 59,4 58, 8,2 81,7 89,2 85,3 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 6,7 15,8 62,3 61,4 82,2 83,2 89,2 86,3 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 67,7 17,7 64,3 66,9 83,2 85,2 89,2 88,2 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 75 22,7 19,7 68,3 7,3 86,2 86,2 91,2 89,2 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, 82 24,7 75,2 86,2 92,2 1, 1, 1, 89 26,6 75,3 86,3 92,3 1, 1, 1, Dia (%) N N Dia (75%) N N 82 N N 1 N 1 2 Dia (9%) N N N N N N 75 N 1 N 1 N 1 4 Máximo 26,6 19,7 75,3 7,3 86,3 86,2 92,3 89,2 1, 53,5 1, 7,3 1, 95, Dia (Máximo) Onde: E (%) Embebição (%); G (%) Germinação (%); N Valor não assinalado As taxas diárias de embebição para sementes tratadas com álcool foram de,85%, enquanto com H 2 SO 4 de %. A germinação igualmente apresentou taxas menores para álcool (1 1,% ao dia), enquanto para H 2 SO 4 de 1 a %. A

4 escarificação com H 2 SO 4 apresentou melhores respostas em embebição e germinação e 15 minutos foi o melhor tempo. Resultados semelhantes foram obtidos, com H 2 SO 4, por Camargo & Ferronato (1999) ao estudarem métodos de superação de dormência. O tempo para germinação máxima das sementes reduziu para 5 dias após o tratamento químico. A escarificação com H 2 SO 4 e com álcool nos maiores tempos foram efetivos no aumento da germinação das sementes desta espécie. Os resultados obtidos neste estudo indicam que a escarificação com H 2 SO 4 (15 minutos), revelou ser o método mais apropriado para a superação da dormência de pata de vaca. Álcool H 2 SO Emergência (%) 6 4 Embebição Controle 5 " 1 " 15 " Germinação 6 4 Germinação (%) Emergência (%) 6 4 Controle 5 " 1 " 15 " Embebição Germinação 6 4 Germinação (%) Dias Dias Figura 1. Taxas de embebição e germinação dos tratamentos aplicados durante o experimento LITERATURA CITADA BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Brasília, SNDA/DNDV/CLAV, p. CAMARGO, I.P.; FERRONATO, A. Comparação de métodos de superação da dormência em sementes de sucupira-preta (Bowdichia virgilioides H.B.K. Fabaceae- Papilionidae). Curitiba: Informativo ABRATES, v.9, n.1/ p.17. PEREZ, S.C.J.G.; PRADO, C.H.B.A. Efeitos de diferentes tratamentos pré-germinativos e da concentração de alumínio no processo germinativo de sementes de Copaifera langsdorffii Desf. Revista Brasileira de Sementes, v.15, p , SAS INSTITUTE INC. SAS User s Guide: Statistics Version 5. Cary: NC, p.

5 VILLIERS, T.A. Seed dormancy. In: KOZLOWSKY, T.T. (Ed.). Seed biology. New York: Academic Press, v.2, p

Superação da dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata Vell)

Superação da dormência em sementes de pata-de-vaca (Bauhinia angulata Vell) Revista Agro@mbiente On-line, v. 4, n. 2, p. 80-85, jul-dez, 2010 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal de Roraima, Boa Vista, RR www.agroambiente.ufrr.br Artigo Científico ISSN 1982-8470

Leia mais

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão

Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão Eficiência da Terra de Diatomácea no Controle do Caruncho do Feijão Acanthoscelides obtectus e o Efeito na Germinação do Feijão The Efficiency of Diatomaceous Earth in Control of Bean Weevil Acanthoscelides

Leia mais

Tratamentos pré-germinativos para superação de dormência em sementes de Angico

Tratamentos pré-germinativos para superação de dormência em sementes de Angico CERRADO AGROCIÊNCIAS Revista do Centro Universitário de Patos de Minas. ISSN 2178-7662 Patos de Minas, UNIPAM, (4):27 34, nov. 2013 Tratamentos pré-germinativos para superação de dormência em sementes

Leia mais

Germinação das Sementes de Soja Contaminadas com Ferrugem Asiática e sem Contaminação

Germinação das Sementes de Soja Contaminadas com Ferrugem Asiática e sem Contaminação das Sementes de Soja Contaminadas com Ferrugem Asiática e sem Contaminação Colli, A. M. T 1 1 Faculdades Integradas Fafibe Bebedouro SP aureacolli@linkway.com.br Basso, L. P. 2 2 Graduação - Faculdades

Leia mais

Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local

Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local Avaliação da germinação de sementes de fragmentos florestais receptadas em redes visando recomposição da flora local Juliana Leite Ribeiro 1, Sâmmara Emiliana Fonseca Carvalho 2, Marielle Aparecida de

Leia mais

MÉTODOS DE SUPERAR A DORMÊNCIA DE SEMENTES DE BRACATINGA PARA PLANTIO COM MÁQUINA RESUMO

MÉTODOS DE SUPERAR A DORMÊNCIA DE SEMENTES DE BRACATINGA PARA PLANTIO COM MÁQUINA RESUMO MÉTODOS DE SUPERAR A DORMÊNCIA DE SEMENTES DE BRACATINGA PARA PLANTIO COM MÁQUINA Ayrton Zanon * RESUMO Dentre os métodos pré-germinativos já determinados para superar a dormência de sementes de bracatinga

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 6 a 0 de Agosto de 0 Qualidade de Sementes Híbridas de Milho Processadas em Separador por Cor Cibele Aparecida Teixeira da Silva, João Almir

Leia mais

TRATAMENTOS PARA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Adenanthera pavonina L. 1. TREATMENTS FOR Adenanthera pavonina L. SEED DORMANCY OVERCOMING

TRATAMENTOS PARA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Adenanthera pavonina L. 1. TREATMENTS FOR Adenanthera pavonina L. SEED DORMANCY OVERCOMING 617 TRATAMENTOS PARA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Adenanthera pavonina L. 1 Adriana Paula D Agostini Contreiras Rodrigues 2, Ademir Kleber Morbeck de Oliveira 3, Valdemir Antônio Laura 4, Cristina

Leia mais

TEMPO DE GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL NA PRODUÇÃO DE MUDAS Tamarindus indica L.

TEMPO DE GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL NA PRODUÇÃO DE MUDAS Tamarindus indica L. TEMPO DE GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL NA PRODUÇÃO DE MUDAS Tamarindus indica L. Gerarda Beatriz Pinto da Silva Graduanda em Agronomia/UFERSA. Mossoró- RN. E-mail: gerardabeatriz@hotmail.com Geovânio

Leia mais

SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Crotalaria retusa L.

SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Crotalaria retusa L. SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Crotalaria retusa L. Lima, V.C.S. (1) ; Monteiro, C.C. (1) ; Sousa L.A. (1) ; Guimarães L.L. (1) ; Rodrigues, J.V.F. (1) ; Bonilla, O.H. (1) valerialimanovetres@gmail.com.

Leia mais

MÉTODOS PARA A SUPERAÇÃO ALBUQUERQUE, DA DORMÊNCIA K. S. et al. EM SEMENTES DE SUCUPIRA-PRETA (Bowdichia virgilioides KUNTH.)

MÉTODOS PARA A SUPERAÇÃO ALBUQUERQUE, DA DORMÊNCIA K. S. et al. EM SEMENTES DE SUCUPIRA-PRETA (Bowdichia virgilioides KUNTH.) 1716 MÉTODOS PARA A SUPERAÇÃO ALBUQUERQUE, DA DORMÊNCIA K. S. et al. EM SEMENTES DE SUCUPIRA-PRETA (Bowdichia virgilioides KUNTH.) Methods for dormancy overcoming of black sucupira (Bowdichia virgilioides

Leia mais

Qualidade fisiológica de sementes de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae) envelhecidas artificialmente 1

Qualidade fisiológica de sementes de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae) envelhecidas artificialmente 1 Qualidade fisiológica de sementes de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae) envelhecidas artificialmente 1 Physiological seed quality of Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae Caesalpinioideae)

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Influência de Temperaturas de Secagem no Vigor de Sementes de Milho Geneticamente Modificadas Patrícia Marluci da

Leia mais

Germinação e viabilidade de sementes de pupunha em diferentes ambientes e tipos de embalagens

Germinação e viabilidade de sementes de pupunha em diferentes ambientes e tipos de embalagens Germinação e viabilidade de sementes de pupunha em diferentes ambientes e tipos de embalagens Maria das Graças Conceição Parada Costa Silva 1, José Roberto Vieira da Melo 2 1 Engª Agrônoma, MSc, Centro

Leia mais

Ciência Florestal, Santa Maria, v.9, n.1, p. 71-77 71 ISSN 0103-9954

Ciência Florestal, Santa Maria, v.9, n.1, p. 71-77 71 ISSN 0103-9954 Ciência Florestal, Santa Maria, v.9, n.1, p. 71-77 71 ISSN 0103-9954 FOTOPERIODISMO E QUEBRA DE DORMÊNCIA EM SEMENTES DE ACÁCIA- NEGRA (Acacia mearnsii De Wild.) PHOTOPERIODISM AND DORMANCY BREAKAGE OF

Leia mais

Superação de Dormência em Sementes da Liana Abrus precatorius L.

Superação de Dormência em Sementes da Liana Abrus precatorius L. Floresta e Ambiente 2010 jul./dez.; 17(2):98-103 doi 10.4322/floram.2011.012 ISSN 1415-0980 (impresso) ISSN 2179-8087 (online) Artigo de Pesquisa Superação de Dormência em Sementes da Liana Abrus precatorius

Leia mais

Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam.

Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam. Tratamento Térmico na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Lolium multiflorum Lam. Heat Treatment on the Physiological and Sanitary Quality of Lolium multiflorum Lam. Seeds GIRARDI, Leonita

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.)

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.) Iniciação Científi ca CESUMAR Jan./Jun. 2009, v. 11, n. 1, p. 23-27 INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO GIRASSOL (Helianthus annuus L.) Gessé Almeida Santos* Patricia da Costa

Leia mais

EFICIÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS NA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Apuleia leiocarpa (Vogel) J.F.Macbr

EFICIÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS NA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Apuleia leiocarpa (Vogel) J.F.Macbr EFICIÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS NA SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Apuleia leiocarpa (Vogel) J.F.Macbr Rudinei De Marco 1, Bruno Conte 1, Talita Baldin 1, Anderson Pertuzatti 1, Edison Bisognin

Leia mais

PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO CRESCIMENTO INICIAL DE ALFACE

PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO CRESCIMENTO INICIAL DE ALFACE V Fórum Regional de Agroecologia e VIII Semana do Meio Ambiente Pensar Globalmente, Agir localmente e utilizar ecologicamente 08 a 10 de novembro de 2012 PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO

Leia mais

METODOLOGIA DE QUEBRA DE DORMÊNCIA EM SEMENTES DE SUCUPIRA-BRANCA

METODOLOGIA DE QUEBRA DE DORMÊNCIA EM SEMENTES DE SUCUPIRA-BRANCA METODOLOGIA DE QUEBRA DE DORMÊNCIA EM SEMENTES DE SUCUPIRA-BRANCA Débora Verônica Leal Tavares Técnico em Agropecuária - ETEC Sebastiana Augusta de Moraes Nilvania Paniago Martins Técnico em Agropecuária

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO HÍBRIDO COMERCIAL E DE PROGRAMA TROCA-TROCA

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO HÍBRIDO COMERCIAL E DE PROGRAMA TROCA-TROCA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO HÍBRIDO COMERCIAL E DE PROGRAMA TROCA-TROCA Mateus Tonini Eitelwein 1, Stela Maris Kulczynski 2, Antônio Luis Santi 2, Maurício Roberto Cherubin

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Germinação e Vigor de Sementes de Sorgo Forrageiro Submetidas a Estresse Salino Rosane Borges Mendes 1, Juliana Leite

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 2139

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 2139 Página 2139 QUIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) ARMAZENADAS 1 Givanildo Zildo da Silva¹; Joel Martins Braga Júnior¹; Riselane de Alcântara Bruno¹; Cibele dos Santos Ferrari¹;

Leia mais

Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E Vigor De Sementes De Ipê-Roxo Tabebuia impetiginosa (Mart. Ex DC) Standl.

Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E Vigor De Sementes De Ipê-Roxo Tabebuia impetiginosa (Mart. Ex DC) Standl. Anais do VIII Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 10 a 12 de novembro de 2010 Influência Do Envelhecimento Acelerado Na Germinação E

Leia mais

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho.

Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. Eficiência dos Dessecantes Paraquat e Diquat na Antecipação da Colheita do Milho. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC Magalhães, P. C.1, Durães,

Leia mais

EFEITO DO ESTRESSE HÍDRICO E DA PROFUNDIDADE DE SEMEADURA NA EMERGÊNCIA DE BRACHIARIA BRIZANTHA CV. MG-5

EFEITO DO ESTRESSE HÍDRICO E DA PROFUNDIDADE DE SEMEADURA NA EMERGÊNCIA DE BRACHIARIA BRIZANTHA CV. MG-5 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954. DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD

Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954. DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954 DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD DESINFESTATION AND BREAK OF DORMANCY OF SEEDS OF Acacia mearnsii

Leia mais

Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal.

Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal. Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal. Flávia M. V. Teixeira Clemente, Francisco V. Resende, Jairo V. Vieira Embrapa Hortaliças, C. Postal 218, 70.359-970,

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA E DA ÁGUA SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE IPÊ-ROXO

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA E DA ÁGUA SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE IPÊ-ROXO INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA E DA ÁGUA SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE IPÊ-ROXO Joana Souza Fernandes 1, Cinara Libéria Pereira Neves 1, Clarissa Loura Gontijo 1, Iracema Clara Alves Luz 1, Drucylla Guerra

Leia mais

Efeitos da Aeração Resfriada na Qualidade Fisiológica de Sementes de Soja (Glycine max (L.) Merrill)

Efeitos da Aeração Resfriada na Qualidade Fisiológica de Sementes de Soja (Glycine max (L.) Merrill) Efeitos da Aeração Resfriada na Qualidade Fisiológica de Sementes de Soja (Glycine max (L.) Merrill) 84 Zirvaldo Zenid Virgolino, Osvaldo Resende 1, Douglas Nascimento Gonçalves 1, Kaique Alves Ferreira

Leia mais

A1-206 Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho variedade (Zea mays) armazenadas em garrafas PET.

A1-206 Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho variedade (Zea mays) armazenadas em garrafas PET. A1-206 Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho variedade (Zea mays) armazenadas em garrafas PET. Previero, Conceição Aparecida, CEULP/ULBRA, conceicaopreviero@gmail.com, Moraes, Eriel Dantas

Leia mais

Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde

Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde Microbial Biomass In Lettuce Culture Under Different Organic Fertilizers And Management Of Green Manure

Leia mais

Recebido em: 30/09/2013 Aprovado em: 08/11/2013 Publicado em: 01/12/2013 RESUMO

Recebido em: 30/09/2013 Aprovado em: 08/11/2013 Publicado em: 01/12/2013 RESUMO MÉTODOS DE SUPERAÇÃO DE DORMÊNCIA PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. Ariana Veras de Araújo 1, Clarissa Soares Freire 1, Monalisa Alves Diniz da Silva Camargo Pinto 2, Vanessa

Leia mais

Metodologia alternativa do teste de envelhecimento acelerado para sementes de cenoura

Metodologia alternativa do teste de envelhecimento acelerado para sementes de cenoura Metodologia alternativa do teste de envelhecimento acelerado para sementes de cenoura Angelica Brod Rodo 1,3 *; Maristela Panobianco 1,4 ; Júlio Marcos Filho 2,4 1 Pós-Graduando do Depto. de Produção Vegetal

Leia mais

GERMINAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DAS ESPÉCIES SUCUPIRA BRANCA

GERMINAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DAS ESPÉCIES SUCUPIRA BRANCA 1 GERMINAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DAS ESPÉCIES SUCUPIRA BRANCA (Pterodon pubescens. BENTH) OLHO DE BOI (Ormosia arboreal (Vell) Harms), E JATOBÁ DO CERRADO (Hymenaea stigonocarpa Mart.) COSTA, Bárbara

Leia mais

TRATAMENTO QUÍMICO E NATURAL SOBRE A QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA EM SEMENTES DE FEIJÃO (Phaseolus vulgaris L.) ARMAZENADAS

TRATAMENTO QUÍMICO E NATURAL SOBRE A QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA EM SEMENTES DE FEIJÃO (Phaseolus vulgaris L.) ARMAZENADAS Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004 For Evaluation Only. TRATAMENTO QUÍMICO E NATURAL SOBRE A QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA EM SEMENTES DE FEIJÃO (Phaseolus vulgaris

Leia mais

Potencial Germinativo De Sementes De Moringa oleifeira Em Diferentes Condições De Armazenamento

Potencial Germinativo De Sementes De Moringa oleifeira Em Diferentes Condições De Armazenamento Potencial Germinativo De Sementes De Moringa oleifeira Em Diferentes Condições De Armazenamento Kyvia Pontes Teixeira das Chagas (1) ; Ciro de Oliveira Ribeiro (2) ; Hanieri Alves da Silva (3) ; Luan Henrique

Leia mais

INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ

INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ Andredy Murilo Trindade Amorim¹, Oriel Filgueira de Lemos², Camila Beatriz Lima de Souza ³,Dávia Rosane Rodrigues Leite 3

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE

CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE CAFÉ ROBUSTA (Coffea canephora) CULTIVAR APOATÃ IAC 2258 EM FUNÇÃO DO GRAU DE UMIDADE E DO AMBIENTE R. M. Torres Faculdade de Agronomia e Engenharia Floresta - FAEF A. C. S.

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ENVELHECIMENTO ACELERADO NO VIGOR DE SEMENTES DE

INFLUÊNCIA DO ENVELHECIMENTO ACELERADO NO VIGOR DE SEMENTES DE Ciência Florestal, Santa Maria, v. 14, n. 1, p. 85-90 85 ISSN 0103-9954 INFLUÊNCIA DO ENVELHECIMENTO ACELERADO NO VIGOR DE SEMENTES DE Anadenanthera colubrina (Vellozo) Brenan Mimosaceae ACCELERATED AGING

Leia mais

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 RESTRIÇÃO HÍDRICA EM GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA 77 CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 JOSÉ DA CRUZ MACHADO 2 ; JOÃO ALMIR DE OLIVEIRA 3

Leia mais

15032 - Efeito alelopático de extratos vegetais sobre a germinação de espécies olerícolas

15032 - Efeito alelopático de extratos vegetais sobre a germinação de espécies olerícolas 15032 - Efeito alelopático de extratos vegetais sobre a germinação de espécies olerícolas Allelopathic effect on germination percentagen in the three vegetable crops LUCHMANN, Jhony Alex 1 ; RIBEIRO, Raquel

Leia mais

A DIFERENTES MÉTODOS DE ARMAZENAMENTO. PHISYOLOGICAL QUALITY OF Pinus elliotti Engelm. SEEDS SUBJECTED TO DIFFERENTS STORAGE METHODS

A DIFERENTES MÉTODOS DE ARMAZENAMENTO. PHISYOLOGICAL QUALITY OF Pinus elliotti Engelm. SEEDS SUBJECTED TO DIFFERENTS STORAGE METHODS Qualidade QUALIDADE fisiológica de FISIOLÓGICA sementes de Pinus DE elliotti SEMENTES... DE Pinus elliotti Engelm. SUBMETIDAS A DIFERENTES MÉTODOS DE ARMAZENAMENTO 457 Adriano Geraldo Fonseca 1, José Jhones

Leia mais

PRODUÇÃO DE ETANOL COM CANA CRUA ARMAZENADA NO INÍCIO DE SAFRA ETHANOL PRODUCTION BY GREEN CANE IN BEGINNING OF THE SEASON

PRODUÇÃO DE ETANOL COM CANA CRUA ARMAZENADA NO INÍCIO DE SAFRA ETHANOL PRODUCTION BY GREEN CANE IN BEGINNING OF THE SEASON PRODUÇÃO DE ETANOL COM CANA CRUA ARMAZENADA NO INÍCIO DE SAFRA ETHANOL PRODUCTION BY GREEN CANE IN BEGINNING OF THE SEASON Resumo Bruna Nayara Jorge Viola () Josiene Rocha Teixeira () Rodrigo Vezzani Franzé

Leia mais

Influência da profundidade e da posição de semeadura na emergência e desenvolvimento de plântulas de moringa.

Influência da profundidade e da posição de semeadura na emergência e desenvolvimento de plântulas de moringa. Influência da profundidade e da posição de semeadura na emergência e desenvolvimento de plântulas de moringa. Adalberto Hipólito de Sousa¹; Victor Hugo de Carvalho Mendes¹; Daniel Medeiros da Costa¹; Aurélio

Leia mais

Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil

Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil Scientia Agraria ISSN: 1519-1125 sciagr@ufpr.br Universidade Federal do Paraná Brasil ALVES, Antonio Carlos; Shong LIN, Hiow TIPO DE EMBALAGEM, UMIDADE INICIAL E PERÍODO DE ARMAZENAMENTO EM SEMENTES DE

Leia mais

Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia.

Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia. Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia. Marli A. Ranal 2 ; Silése T M Rosa Guimarães 1 ; Pedro Carlos Pereira 1 ; Marcio Hedilberto Cunha Borges 1 1 Agrônomo (a), mestrando em

Leia mais

EFEITO DO TRATAMENTO QUÍMICO NA SANIDADE DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS

EFEITO DO TRATAMENTO QUÍMICO NA SANIDADE DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 3, p. 473-478, jul.-set., 2011 ISSN 0103-9954 EFEITO DO TRATAMENTO QUÍMICO NA SANIDADE DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS 473 EFFECT OF CHEMICAL CONTROL ON THE

Leia mais

Daniele Aparecida COSTA. Associação Cultural e Educacional de Garça Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal. Carlos Eduardo de Mendonça OTOBONI

Daniele Aparecida COSTA. Associação Cultural e Educacional de Garça Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal. Carlos Eduardo de Mendonça OTOBONI REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO I EDIÇÃO NÚMERO 2 DEZEMBRO DE 2002 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas Considerações Finais Todos os tratamentos testados apresentaram teores foliares de N inferiores ao recomendado para a cultura da soja. As aplicações isoladas de BIOMOL (0,3 L/ha), KALIBRE (1,5 L/ha) e

Leia mais

Eficiência do tratamento sementes com produtos alternativos no controle do gorgulho do milho

Eficiência do tratamento sementes com produtos alternativos no controle do gorgulho do milho Eficiência do tratamento sementes com produtos alternativos no controle do gorgulho do milho Efficiency of seed treatment with alternative control of the corn weevil AHRENS, Dirk Claudio 1 ; SILVA, Danilo

Leia mais

EFEITOS DO ENVELHECIMENTO PRECOCE NO VIGOR DE SEMENTES DE Chorisia speciosa St. Hil. BOMBACACEAE 1

EFEITOS DO ENVELHECIMENTO PRECOCE NO VIGOR DE SEMENTES DE Chorisia speciosa St. Hil. BOMBACACEAE 1 345 EFEITOS DO ENVELHECIMENTO PRECOCE NO VIGOR DE SEMENTES DE Chorisia speciosa St. Hil. BOMBACACEAE 1 Silmara Cristina Fanti 2 e Sonia Cristina Juliano Gualtieri de Andrade Perez 3 RESUMO O objetivo deste

Leia mais

Capacidade de Expansão do Milho Pipoca Crioulo cultivado no Cerrado Goiano em Sistema Agroecológico.

Capacidade de Expansão do Milho Pipoca Crioulo cultivado no Cerrado Goiano em Sistema Agroecológico. Capacidade de Expansão do Milho Pipoca Crioulo cultivado no Cerrado Goiano em Sistema Agroecológico. Teixeira, W. G. (1), Matteucci, M. B. A. (2), Malta, C. G. (1), Barbosa, S. C. (1) e Leandro, W. M.

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Utilização de dejetos e resíduos de origem animal como alternativa na adubação de feijão irrigado Lilian Christian Domingues de Souza 1, Alício

Leia mais

Luciana Magda de Oliveira 2, Maria Laene Moreira de Carvalho 3, Tanismare Tatiana de Almeida Silva 4, Daniela Inês Borges 4

Luciana Magda de Oliveira 2, Maria Laene Moreira de Carvalho 3, Tanismare Tatiana de Almeida Silva 4, Daniela Inês Borges 4 TEMPERATURA E REGIME DE LUZ NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Tabebuia impetiginosa (Martius ex A. P. de Candolle) Standley e T. serratifolia Vahl Nich. Bignoniaceae 1 Temperature and light in germination of

Leia mais

J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS

J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS J2CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM CISTERNAS RURAIS Nilton de Brito Cavalcanti 1 ; Luiza Teixeira de Lima Brito 2 RESUMO - No semi-árido do Nordeste brasileiro, a cisterna tem sido uma das principais formas

Leia mais

INFLUÊNCIA DO TAMANHO DA SEMENTE E TIPO DE RECIPIENTE NA GERMINAÇÃO DE Schizolobium amazonicum (Herb) Ducke

INFLUÊNCIA DO TAMANHO DA SEMENTE E TIPO DE RECIPIENTE NA GERMINAÇÃO DE Schizolobium amazonicum (Herb) Ducke REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1678-3867 PUBLICAÇÃO CI ENTÍFICA DA FACULDADE DE AGRONOMIA E ENGENHARIA FLORESTAL DE GARÇA/FAEF ANO V, NÚMERO, 09, JUNHO DE 2006. PERIODICIDADE: SEMESTRAL

Leia mais

GERMINAÇÃO DE SEMENTES E DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE JATOBÁ

GERMINAÇÃO DE SEMENTES E DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE JATOBÁ 16 GERMINAÇÃO DE SEMENTES E DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE JATOBÁ ELIS MARINA DA SILVA CABRAL 1 REGINA MARIA M. DE CASTILHO 2 MAXIMILIANO KAWAHATA PAGLIARINI 3 RESUMO O processo de produção de mudas é muito

Leia mais

Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica.

Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica. BRITO, T.D.; RODRIGUES, C.D.S.; MACHADO, C.A. Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica. Horticultura Brasileira, v. 20, n.2, julho, 2002. Suplemento

Leia mais

Armazenamento Sob Atmosfera Modificada de Melão Cantaloupe Cultivado em Solo Arenoso com Diferentes Coberturas e Lâminas de Irrigação.

Armazenamento Sob Atmosfera Modificada de Melão Cantaloupe Cultivado em Solo Arenoso com Diferentes Coberturas e Lâminas de Irrigação. Armazenamento Sob Atmosfera Modificada de Melão Cantaloupe Cultivado em Solo Arenoso com Diferentes Coberturas e Lâminas de Irrigação. Manoella Ingrid de O. Freitas; Maria Zuleide de Negreiros; Josivan

Leia mais

Influência do Impulso de Ascendência e Descendência Lunar e do Tamanho da Semente na Emergência de Plântulas Murici

Influência do Impulso de Ascendência e Descendência Lunar e do Tamanho da Semente na Emergência de Plântulas Murici Influência do Impulso de Ascendência e Descendência Lunar e do Tamanho da Semente na Emergência de Plântulas Murici Influence of impulse ascendence and offspring lunar and seed size on Emergence Seedlings

Leia mais

Influência da lignina na germinação de sementes de soja. Gláucia Cristina Moreira¹, Thales Sperger ¹, Ariberto Simon Sperger², Celso Ari Palagi³

Influência da lignina na germinação de sementes de soja. Gláucia Cristina Moreira¹, Thales Sperger ¹, Ariberto Simon Sperger², Celso Ari Palagi³ 175 Influência da lignina na germinação de sementes de soja Gláucia Cristina Moreira¹, Thales Sperger ¹, Ariberto Simon Sperger², Celso Ari Palagi³ ¹Faculdade Assis Gurgacz FAG, Curso de Agronomia. Avenida

Leia mais

INFLUÊNCIA DE TRATAMENTOS QUÍMICOS E FÍSICOS NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES CRAMBE

INFLUÊNCIA DE TRATAMENTOS QUÍMICOS E FÍSICOS NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES CRAMBE INFLUÊNCIA DE TRATAMENTOS QUÍMICOS E FÍSICOS NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES CRAMBE Felipe Pianna Costa, Lima Deleon Martins, Jose Carlos Lopes Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Espírito

Leia mais

Caramuru Alimentos Ltda Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO, e-mail: zeronaldo@ caramuru.com

Caramuru Alimentos Ltda Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO, e-mail: zeronaldo@ caramuru.com Perfil de ácidos graxos em grãos de soja, com diferentes manejos de percevejo, da colheita ao armazenamento, utilizando a cromatografia gasosa 57 Marcelo Alvares de Oliveira 1 ; Irineu Lorini 1 ; José

Leia mais

Helem Fernandes Naves Peixoto 1,3 Severino de Paiva Sobrinho 2,3 Mariane de Carvalho Vidal 2,4. Voluntário Iniciação Científica PVIC/UEG

Helem Fernandes Naves Peixoto 1,3 Severino de Paiva Sobrinho 2,3 Mariane de Carvalho Vidal 2,4. Voluntário Iniciação Científica PVIC/UEG 1 AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ALELOPÁTICO DO ADUBO VERDE (CROTALARIA SPECTABILIS) SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE TOMATE (LYCOPERSICON ESCULENTUM MILL) E POSTERIOR DESENVOLVIMENTO EM CAMPO Helem Fernandes Naves

Leia mais

FABIANNY JOANNY BEZERRA CABRAL DA SILVA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE TRÊS ESPÉCIES DA CAATINGA

FABIANNY JOANNY BEZERRA CABRAL DA SILVA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE TRÊS ESPÉCIES DA CAATINGA FABIANNY JOANNY BEZERRA CABRAL DA SILVA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE TRÊS ESPÉCIES DA CAATINGA RECIFE Pernambuco Brasil Fevereiro 2007 FABIANNY JOANNY BEZERRA CABRAL DA SILVA GERMINAÇÃO E VIGOR DE

Leia mais

ENSAIOS EM CÂMARAS DE COMBUSTÃO DE TURBINAS A GÁS

ENSAIOS EM CÂMARAS DE COMBUSTÃO DE TURBINAS A GÁS ENSAIOS EM CÂMARAS DE COMBUSTÃO DE TURBINAS A GÁS João Vitor Fontenele Romero- IC Aluno de graduação do curso de Engenharia Aeronáutica do Instituto Tecnológico de Aeronáutica Bolsista PIBIC-CNPQ; Brasil;

Leia mais

SUBSTRATO E TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Phytolacca dioica L. (UMBU) EM CONDIÇÕES DE LABORATÓRIO

SUBSTRATO E TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Phytolacca dioica L. (UMBU) EM CONDIÇÕES DE LABORATÓRIO SUBSTRATO E TEMPERATURA NA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Phytolacca dioica L. (UMBU) EM CONDIÇÕES DE LABORATÓRIO Denis Borges Tomio 1 ; Elaine Cosma Fiorelli²; Sérgio Roberto Garcia dos Santos³ Resumo Phytolacca

Leia mais

Avaliação dos Parâmetros Morfológicos de Mudas de Eucalipto Utilizando Zeolita na Composição de Substrato.

Avaliação dos Parâmetros Morfológicos de Mudas de Eucalipto Utilizando Zeolita na Composição de Substrato. III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2014 115 Avaliação dos Parâmetros Morfológicos de Mudas de Eucalipto Utilizando Zeolita na Composição de Substrato. H. B. Totola 1,*, M. Zibell 2,

Leia mais

Atividade alelopática de espécies oleaginosas na germinação de sementes Glycine max

Atividade alelopática de espécies oleaginosas na germinação de sementes Glycine max 118 Atividade alelopática de espécies oleaginosas na germinação de sementes Glycine max Rosane Krohling Lira 1, Antônio Marcos Camozzato 2 1 Universidade Paranaense, Curso de Ciências Biológicas. Rua Rui

Leia mais

Ensaios para Avaliação das Estruturas

Ensaios para Avaliação das Estruturas ENSAIOS PARA INSPEÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO Prof. Eliana Barreto Monteiro Ensaios para Avaliação das Estruturas Inspeção visual Ensaios não destrutivos Ensaios destrutivos Ensaios para Avaliação das

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica Casca de café carbonizada para produção de mudas de alface Jakeline Aparecida Greiver Ribeiro Ferreira (1), Fábio Pereira

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE VÁCUO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DOS PRODUTOS DE CERÂMICA VERMELHA.

A INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE VÁCUO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DOS PRODUTOS DE CERÂMICA VERMELHA. 28 de junho a 1º de julho de 2004 Curitiba-PR 1 A INFLUÊNCIA DO SISTEMA DE VÁCUO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DOS PRODUTOS DE CERÂMICA VERMELHA. Mello, Roberta Monteiro de (1) ; Oliveira, Amando Alves de (1)

Leia mais

USO DO HIPOCLORITO DE SÓDIO PARA DEGRADAÇÃO DO ENDOCARPO DE SEMENTES DE CAFEEIRO COM DIFERENTES GRAUS DE UMIDADE 1

USO DO HIPOCLORITO DE SÓDIO PARA DEGRADAÇÃO DO ENDOCARPO DE SEMENTES DE CAFEEIRO COM DIFERENTES GRAUS DE UMIDADE 1 10 USO DO HIPOCLORITO DE SÓDIO PARA DEGRADAÇÃO DO ENDOCARPO DE SEMENTES DE CAFEEIRO COM DIFERENTES GRAUS DE UMIDADE 1 VALDINEI SOFIATTI 2, EDUARDO FONTES ARAUJO, ROBERTO FONTES ARAUJO, Múcio Silva Reis,

Leia mais

ÍNDICE. 12.2.2 - Programa de Coleta de Germoplasma e Resgate de Epífitas... 1/10. 2619-00-EIA-RL-0001-00 Outubro de 2013 Rev.

ÍNDICE. 12.2.2 - Programa de Coleta de Germoplasma e Resgate de Epífitas... 1/10. 2619-00-EIA-RL-0001-00 Outubro de 2013 Rev. 2619-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV MIRACEMA - SAPEAÇU E SUBESTAÇÕES ASSOCIADAS ÍNDICE... 1/10 Índice 1/1 2619-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV MIRACEMA - SAPEAÇU E SUBESTAÇÕES ASSOCIADAS O Programa de Coleta

Leia mais

CRESCIMENTO INICIAL DO GIRASSOL cv. Embrapa 122 / V 2000 SUBMETIDO A ESTRESSE SALINO NA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO

CRESCIMENTO INICIAL DO GIRASSOL cv. Embrapa 122 / V 2000 SUBMETIDO A ESTRESSE SALINO NA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO CRESCIMENTO INICIAL DO GIRASSOL cv. Embrapa 122 / V 2000 SUBMETIDO A ESTRESSE SALINO NA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO Magaly Morgana Lopes da COSTA 1 ; Guilherme de Freitas FURTADO 1 ; Elysson Marcks Gonçalves ANDRADE

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO

UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO RESUMO ABSTRACT Juliano Tadeu Vilela de Resende 1 Elisabete Domingues Salvador 1 Marcos Ventura Faria 1 Nicolau Mallmann

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO- CRIOULO SOB ESTRESSE CAUSADO POR BAIXO NÍVEL DE NITROGÊNIO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO- CRIOULO SOB ESTRESSE CAUSADO POR BAIXO NÍVEL DE NITROGÊNIO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MILHO- CRIOULO SOB RESUMO Tânia Cristina de Oliveira Gondim 1 Valterley Soares Rocha 1 Manoel Mota dos Santos 1 Glauco Vieira Miranda 1 Este trabalho teve

Leia mais

COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO

COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO COMPORTAMENTO GERMINATIVO DE DIFERENTES CULTIVARES DE GIRASSOL SUBMETIDAS NO REGIME DE SEQUEIRO Autor 1 Renata Fernandes de Matos Autor 2 Edilza Maria Felipe Vásquez Autor 3 Leonardo Lenin Marquez de Brito

Leia mais

TRATAMENTO DAS SEMENTES COM INSETICIDAS, VISANDO AO CONTROLE DE PRAGAS EM CULTURAS DE ARROZ-DE-SEQUEIRO ( 1 )

TRATAMENTO DAS SEMENTES COM INSETICIDAS, VISANDO AO CONTROLE DE PRAGAS EM CULTURAS DE ARROZ-DE-SEQUEIRO ( 1 ) TRATAMENTO DAS SEMENTES COM INSETICIDAS, VISANDO AO CONTROLE DE PRAGAS EM CULTURAS DE ARROZ-DE-SEQUEIRO ( 1 ) DERLY MACHADO DE SOUZA, engenheiro-agrônomo, Seção de Arroz e Cereais de Inverno, Instituto

Leia mais

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem.

Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. Influência do Espaçamento de Plantio de Milho na Produtividade de Silagem. DAMASCENO, T. M. 1, WINDER, A. R. da S. 2, NOGUEIRA, J. C. M. 3, DAMASCENO, M. M. 2, MENDES, J. C. da F. 2, e DALLAPORTA, L. N.

Leia mais

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO

DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA RESUMO DESSECAÇÃO DE BRAQUIÁRIA COM GLYPHOSATE SOB DIFERENTES VOLUMES DE CALDA Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Zélio de Lima Vieira 1 ; Tiago Trevizam de Freitas 1 ; Edgar Rodrigues Marques 1 ; Paulo César

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO HIDRÁULICA DE MICRO ASPERSOR

CARACTERIZAÇÃO HIDRÁULICA DE MICRO ASPERSOR CARACTERIZAÇÃO HIDRÁULICA DE MICRO ASPERSOR M. A. D. Marques 1 ; L. F. S. M. Campeche 2 RESUMO: O propósito deste trabalho foi avaliar hidraulicamente o emissor da marca Agropolo de um sistema de irrigação

Leia mais

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP.

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Roberto Andreani Junior 1 Pedro Galbiati Neto 1 UNICASTELO-Faculdade de Ciências

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Desempenho de Híbridos Simples de Milho no Estado do Maranhão na Safra de 2010 1 Cinthia Souza Rodrigues 1, Hélio

Leia mais

051 - Efeito de diferentes substratos na germinação de amora-brava (Maclura tinctoria (L.) D.Don ex Steud. Moraceae)

051 - Efeito de diferentes substratos na germinação de amora-brava (Maclura tinctoria (L.) D.Don ex Steud. Moraceae) 051 - Efeito de diferentes substratos na germinação de amora-brava (Maclura tinctoria (L.) D.Don ex Steud. Moraceae) Effect of different substrates on germination of Maclura tinctoria (L.) D.Don ex Steud.

Leia mais

USO DE GRAUS-DIA PARA DETERMINAR O PONTO DE SILAGEM DO MILHO

USO DE GRAUS-DIA PARA DETERMINAR O PONTO DE SILAGEM DO MILHO USO DE GRAUS-DIA PARA DETERMINAR O PONTO DE SILAGEM DO MILHO Jackson Silva e Oliveira 1, Emerson José Dornelas de Almeida 2, Fausto de Souza Sobrinho 3, Éder Cristian Malta de Lanes 4, Sarita Gonçalves

Leia mais

GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE MILHO-PIPOCA SUBMETIDAS AO ESTRESSE TÉRMICO E HÍDRICO

GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE MILHO-PIPOCA SUBMETIDAS AO ESTRESSE TÉRMICO E HÍDRICO Original Article 687 GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE MILHO-PIPOCA SUBMETIDAS AO ESTRESSE TÉRMICO E HÍDRICO GERMINATION AND VIGOR OF POPCORN SEEDS SUBMITTED TO THERMAL AND WATER STRESS Aurélio VAZ-DE-MELO

Leia mais

EFEITO DO ENVELHECIMENTO MAIA, A. ACELERADO R. et al. NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TRIGO 1

EFEITO DO ENVELHECIMENTO MAIA, A. ACELERADO R. et al. NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TRIGO 1 678 EFEITO DO ENVELHECIMENTO MAIA, A. ACELERADO R. et al. NA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE TRIGO 1 Effect of the accelerated aging in the evaluation of the physiological quality in

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE FATORES QUE AFETAM A GERMINAÇÃO DE TECA (Tectona grandis): TEMPERATURA E ESCARIFICAÇÃO 1

CARACTERIZAÇÃO DE FATORES QUE AFETAM A GERMINAÇÃO DE TECA (Tectona grandis): TEMPERATURA E ESCARIFICAÇÃO 1 Caracterização de fatores que adetam a... 205 CARACTERIZAÇÃO DE FATORES QUE AFETAM A GERMINAÇÃO DE TECA (Tectona grandis): TEMPERATURA E ESCARIFICAÇÃO 1 Rodrigo Barros Rocha 2, Abadio Hermes Vieira 2,

Leia mais

098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface

098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface 098-Efeito alelopático de plantas de cobertura na germinação de sementes de alface Allelopathic effect of cover crops on the germination of seeds of lettuce MEINERZ, Cristiane Cláudia. UNIOESTE, crismeinerz@hotmail.com;

Leia mais

EFEITO DA EXPOSIÇÃO DA MADEIRA DE PUPUNHA A ÁGUA E A PRODUTOS QUÍMICOS: ANÁLISE TERMO- MECÂNICA

EFEITO DA EXPOSIÇÃO DA MADEIRA DE PUPUNHA A ÁGUA E A PRODUTOS QUÍMICOS: ANÁLISE TERMO- MECÂNICA EFEITO DA EXPOSIÇÃO DA MADEIRA DE PUPUNHA A ÁGUA E A PRODUTOS QUÍMICOS: ANÁLISE TERMO- MECÂNICA Ana L. F. S. d Almeida 1, José R. M. d Almeida 2 * 1 Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal

Leia mais

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com Teores de óleo e proteína em grãos de soja, com diferentes manejos de percevejo, da colheita ao armazenamento, utilizando a espectroscopia no infravermelho próximo (NIR) 59 Marcelo Alvares de Oliveira

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO AMARELO UTILIZANDO FERTIRRIGAÇÃO POR CAPILARIDADE

PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO AMARELO UTILIZANDO FERTIRRIGAÇÃO POR CAPILARIDADE PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO AMARELO UTILIZANDO FERTIRRIGAÇÃO POR CAPILARIDADE J. P. B. M. COSTA, 1, R. L. SILVA 1, R. A. A. GUEDES 1, F. M. S. BEZERRA 1, R. C. CUNHA, M. W. L. SOUZA 1, F. A. OLIVEIRA

Leia mais

João Vitor Scaff Gonçalves 1, Joana Maria Ferreira Albrecht 2, Thelma Shirlen Soares 3, Miranda Titon 3

João Vitor Scaff Gonçalves 1, Joana Maria Ferreira Albrecht 2, Thelma Shirlen Soares 3, Miranda Titon 3 330CARACTERIZAÇÃO FÍSICA E AVALIAÇÃO DA PRÉ-EMBEBIÇÃO NA GERMINAÇÃO GONÇALVES, DE SEMENTES J. V. S. et al. DE SUCUPIRA-PRETA (Bowdichia virgilioides KUNTH) João Vitor Scaff Gonçalves 1, Joana Maria Ferreira

Leia mais

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1677-0293 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE A GRONOMIA E E NGENHARIA F LORESTAL DE G ARÇA/FAEF A NO IV, NÚMERO 08, DEZEMBRO DE 2005. PERIODICIDADE:

Leia mais

Qualidade de Grãos de Soja, com Diferentes Teores de Água, Aerados com Ar Natural e Ar Esfriado Artificialmente

Qualidade de Grãos de Soja, com Diferentes Teores de Água, Aerados com Ar Natural e Ar Esfriado Artificialmente Qualidade de Grãos de Soja, com Diferentes Teores de Água, Aerados com Ar Natural e Ar Esfriado Artificialmente 05 Adilio Flauzino de Lacerda Filho 1 ; Roberta Jimenez de Alameida Rigueira 2 ; Kaio Kauê

Leia mais