UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO DISCIPLINA: Logística em Agronegócio CÓDIGO: DP 0092 PROFESSOR: Nelson de Mello AULA 10 09/06/2016 Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 1

2 Variações do Modelo LEC (Lote Econômico de compra) LEF (lote econômico de fabricação) Custo de pedido é substituido por: C prep = custo de preparação das máquinas Q 2CprepD Cm Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 2

3 Entrega contínua (concomitante) de mercadoria estoque quantidade produzida por período (Q) Estoque médio 0 tempo produção produção produção x = taxa de produção / entrega da mercadoria y = taxa de consumo da mercadoria LEF 2 C C m prep D x y x Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 3

4 x = taxa de produção / entrega da mercadoria y = taxa de consumo da mercadoria t = tempo em que coexistem produção e consumo Quantidade produzida por período: Q f = tx Quantidade consumida por período: ty Incremento no estoque: Qf (t(x-y)/(tx)) Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 4

5 SISTEMAS DE CONTROLE DE ESTOQUE: LOTE ECONÔMICO DE COMPRA/FABRICAÇÃO REVISÃO CONTÍNUA REPOSIÇÃO PERIÓDICA Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 5

6 SISTEMA DE REVISÃO CONTÍNUA O estoque é monitorado continuamente Quando o estoque atingem uma quantidade fixa (Ponto de Ressuprimento) emite-se um novo pedido A quantidade do pedido é constante (pode ser o LEC) O Ponto de Ressuprimento deve ser uma quantidade suficiente para atender a demanda até a chegada do pedido Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 6

7 SISTEMA DE REVISÃO CONTÍNUA estoque Q Q Q Q Ponto de Ressuprimento 0 tempo Tempo de Tempo de Tempo de Tempo de resposta resposta resposta resposta P 1 P 2 P 3 Pedidos com periodicidade diferente Quantidades pedidas iguais Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 7

8 SISTEMA DE REPOSIÇÃO PERIÓDICA A posição de estoque é revisada a intervalos fixos No momento da revisão se faz um pedido suficiente para atingir uma quantidade fixa (Nível de Referência) O Nível de Referência deve cobrir a demanda até a próxima revisão de estoque mais o tempo de espera do pedido. Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 8

9 Q 1 Q 2 Q 3 SISTEMA DE REPOSIÇÃO PERIÓDICA estoque Nível de Referência 0 tempo Tempo de Tempo de Tempo de resposta resposta resposta P P P P Pedidos com a mesma periodicidade Quantidades pedidas diferentes Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 9

10 Comparação dos métodos Revisão contínua: maior custo administrativo: justifica-se para itens de alto valor unitário, ou considerados críticos para o negócio Reposição periódica: para itens de baixo valor, não requerem acompanhamento detalhado. Possibilita melhor negociação dos pedidos, em particular com fornecedores de vários itens de estoque (negociação de data de entrega, descontos por volume de compra) Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 10

11 Formas de reduzir custos unitários de estoques: Parcerias entre empresas da cadeia Redução de custos de compra por eliminação de atividades que não agregam valor (controle de qualidade no recebimento, licitações e cotações de preços, etc) Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 11

12 Formas de reduzir custos unitários de estoques: Operadores logísticos Contratação de empresas com know-how, economias de escala, foco em operações integradas de logística, Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 12

13 Formas de reduzir custos unitários de estoques: Tecnologias de informação Códigos de barras, RFID, automação, internet, etc. Maior grau de precisão nas tarefas e pontualidade Economia em processamento de pedidos, eliminação de erros e retrabalhos Redução de incertezas de demanda, agilidade em comunicação entre elos da cadeia Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 13

14 ESTOQUE DE SEGURANÇA Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 14

15 Modelo LEC (Lote Econômico de compra) Não se permite falta de estoque Taxa constante de demanda Os custos relevantes são de pedido e manutenção de estoque GRÁFICO DE DENTE DE SERRA : estoque quantidade pedida Estoque médio tempo Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 15

16 estoque ESTOQUE COM INCERTEZA PP tempo Stock-out Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 16

17 estoque Estoque de segurança tempo Stock-out Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 17

18 INCERTEZA NA GESTÃO DE ESTOQUES Como evitar a ocorrência de faltas de estoque? Estoques de segurança: parte de estoque destinada a cobrir variações de curto prazo da demanda e do tempo de ressuprimento É usado somente no fim dos ciclos de ressuprimento, nos casos que a demanda é maior que a estimada pela empresa, ou os períodos de ressuprimento são mais longos do que o esperado Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 18

19 INCERTEZA NA GESTÃO DE ESTOQUES Como evitar a ocorrência de faltas de estoque? Estoques de segurança: parte de estoque destinada a cobrir variações de curto prazo da demanda e do tempo de ressuprimento Dois tipos de incerteza: Incerteza de demanda Incerteza de ressuprimento Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 19

20 Se a demanda e o tempo de ressuprimento são perfeitamente previsíveis, o estoque de segurança pode ser igual a zero Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 20

21 INCERTEZA DO RESSUPRIMENTO Falta de uniformidade nas entregas por parte dos fornecedores Ciclo de atividade de estoque: combinação dos tempos despendidos em comunicação, processamento de pedidos e transporte Políticas baseadas em menor valor (dias) do ciclo oferece proteção inadequada par falta de estoques Políticas baseadas em maior valor do ciclo resulta em estoques de segurança excessivos Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 21

22 INCERTEZA DE DEMANDA Demanda pode superar ou ser menor do que o previsto pela firma. perdas por falta de estoque perdas por custos não necessários de estoque Três estágios no planejamento do estoque de segurança: Avaliar a possibilidade de ocorrência da falta Estimação do potencial de demanda durante a falta Adotar uma política a respeito do grau de proteção a ser incorporado no sistema Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 22

23 Calculo de estoque de segurança considerando tempo de resposta do fornecedor e variabilidade de demanda: ES k d TR ES = estoque de segurança k = constante (nível de serviço) σ d = desvio padrão da demanda TR = tempo de resposta Exemplo: TR =10 dias Nível de serviço desejado = 90 % de probabilidade de que não falte estoque Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 23

24 Probabilidade k 50% 0,00 60 % 0,25 70 % 0,53 80 % 0,84 85% 1,04 90 % 1,28 95 % 1,65 98 % 2,06 99 % 2,33 99,99 % 3,62 Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 24

25 demanda diária do produto unidades vendidas Frequência (F i ) s = 55/11 = 5 n = 28 Em 28 observações, demanda diária média de 5 unidades, com máximo de 10 unidades vendidas y mínimo de 0 unidades vendidas Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 25

26 Distribuição de freqüência da demanda diária frequência unidades vendidas Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 26

27 Distribuição normal Média Mediana Moda Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 27

28 Desvio Padrão ( ): medida de dispersão de eventos na área da curva normal. Eventos: quantidades de vendas diárias Dispersão: variação nos níveis de vendas F D n 2 i i = desvio padrão F i = frequência do evento i D i = desvio do evento da média da distribuição n = total de eventos observado Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 28

29 Distribuição normal 68,27 95,45 99, Média Mediana Moda Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 29

30 Cálculo de Desvio Padrão da demanda diária unidades vendidas Freqüência (F i ) Desvio da média (D i ) Quadrado do desvio (D i2 ) F i D i s = 55/11 = 5 n = 28 F i D 2 i = 181 Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 30

31 F i D n i 2,54 ES ES k d TR 1,28 2,54 10 ES = 1,28 x 2,54 x 3,16 = 10,27 unidades Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 31

32 POLITICAS DE ATENDIMENTO AO CLIENTE Formas alternativas de posicionamento da empresa, na procura de vantagens competitivas sustentáveis no longo prazo Escolha da política de atendimento que minimize o custo logístico total de manutenção de estoques, armazenagem, e transporte para um determinado nível de serviço ao cliente. Duas formas básicas de posicionamento: Resposta rápida Antecipação de demanda Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 32

33 RESPOSTA RÁPIDA Maior centralização de estoques Utilização intensiva de transporte expresso Pouca dependência de previsões de demanda Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 33

34 ANTECIPAÇÃO DE DEMANDA Descentralização de estoques Utilização de transporte consolidado Alta dependência de previsões de demanda Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 34

35 Exemplos típicos das duas políticas Antecipação de demanda: Indústria do Petróleo Estoques derivados das refinarias para bases primárias, secundárias e finalmente para postos de combustíveis perto dos consumidores. Transporte por cargas consolidadas em caminhões ou vagõestanque, segundo previsões de demanda em cada etapa da cadeia. Características do produto: Baixo valor agregado Baixos riscos de obsolescência Demanda estável Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 35

36 Exemplos típicos das duas políticas Resposta rápida: Indústria da Informática Estoques centralizados em uma única instalação (normalmente a fábrica) Transporte expresso, normalmente aéreo, a partir de pedidos dos clientes. Características do produto: Alto valor agregado Altos riscos de obsolescência Demanda variável Curto ciclo de vida do produto Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 36

37 REFERÊNCIAS: BOWESOX, D.; CLOSS, D. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimentos. São Paulo, Atlas, CHRISTOPHER, M. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. São Paulo, CENGAGE Learning, KRAJEWSKI, L. ET AL. Administração da produção e operações. São Paulo, Pearson, 2009 LACERDA, L. Armazenagem estratégica: analisando novos conceitos. Em: FLEURY, P.; WANKE, P. FIGUEIREDO, K. (org.) Logística Empresarial. A perspectiva brasileira. São Paulo, Atlas (Coleção COPPEAD de Administração), LACERDA, L. Considerações sobre o estudo de localização de instalações. Em: FLEURY, P.; WANKE, P. FIGUEIREDO, K. (org.) Logística Empresarial. A perspectiva brasileira. São Paulo, Atlas (Coleção COPPEAD de Administração), MOREIRA, D. Administração da Produção e Operações. São Paulo, CENGAGE Learning, WANKE, P. Gestão de estoques na cadeia de suprimento. Decisões e modelos quantitativos. São Paulo, Atlas (Coleção COPPEAD de Administração), Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 37

38 Nelson de Mello Prof. Adjunto UNIPAMPA Dom Pedrito Logística em Agronegócio Prof. Nelson de Mello 38

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO DISCIPLINA: Logística em Agronegócio CÓDIGO: DP 0092 PROFESSOR: Nelson de Mello AULA 1 03/03/2016 Logística

Leia mais

Artigo publicado. na edição 18. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. setembro e outobro de 2011

Artigo publicado. na edição 18. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. setembro e outobro de 2011 Artigo publicado na edição 18 Assine a revista através do nosso site setembro e outobro de 2011 www.revistamundologistica.com.br :: artigo Cálculo do estoque de segurança as suas diferentes abordagens

Leia mais

GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA

GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA Eduardo Saggioro Garcia Leonardo Salgado Lacerda Rodrigo Arozo Benício Erros de previsão de demanda, atrasos no ressuprimento

Leia mais

Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos

Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos Aspectos Fundamentais da Gestão de Estoques na Cadeia de Suprimentos Peter Wanke Introdução Este texto é o primeiro de dois artigos dedicados à análise da gestão de estoques, a partir de uma perspectiva

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Objetivos da aula: - Explorar as principais motivações para a redução dos níveis de estoque e as armadilhas presentes na visão tradicional, quando é focada apenas uma empresa em vez de toda a cadeia de

Leia mais

Método: aulas expositivas, transparências e Estudo de Casos. Exercícios estruturados; Provas e trabalhos em grupo.

Método: aulas expositivas, transparências e Estudo de Casos. Exercícios estruturados; Provas e trabalhos em grupo. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CCJE Departamento de Administração Prof. Marcos Paulo Valadares de Oliveira marcos.p.oliveira@ufes.br ADM 2179 - Administração de Materiais - Programa 1 Semestre

Leia mais

3 CONTEÚDO PROGRMÁTICO

3 CONTEÚDO PROGRMÁTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas Departamento de Administração Curso de Administração Av. Fernando Ferrari, 514 - Campus Universitário - Goiabeiras CEP.

Leia mais

Logistica e Distribuição

Logistica e Distribuição Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição A Atividade de Gestão de Estoque Primárias Apoio 1 2 3 4 Conceitulizando Estoque ESTOQUES são grandes volumes de matérias

Leia mais

ANÁLISE E SELEÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CONTROLE DE ESTOQUES COM BASE EM FERRAMENTAS E MÉTODOS DA GESTÃO DE ESTOQUES.

ANÁLISE E SELEÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CONTROLE DE ESTOQUES COM BASE EM FERRAMENTAS E MÉTODOS DA GESTÃO DE ESTOQUES. ANÁLISE E SELEÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CONTROLE DE ESTOQUES COM BASE EM FERRAMENTAS E MÉTODOS DA GESTÃO DE ESTOQUES. Osmar Possamai (UFSC ) osmarpossamai@gmail.com Emerson Cleister Lima Muniz (UFSC ) eng.prod.emerson@gmail.com

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES: APLICAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO PARA MEDIR OS NÍVEIS DE ESTOQUES

GESTÃO DE ESTOQUES: APLICAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO PARA MEDIR OS NÍVEIS DE ESTOQUES GESTÃO DE ESTOQUES: APLICAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO PARA MEDIR OS NÍVEIS DE ESTOQUES Michelle Santos do Nascimento, FATEC- Carapicuíba, mi_mkk@yahoo.com.br Aline de Souza Custodio, FATEC- Carapicuíba,

Leia mais

Palavras-Chave: Controle de Estoque, Análise ABC e Gestão de Estoque.

Palavras-Chave: Controle de Estoque, Análise ABC e Gestão de Estoque. IMPLANTAÇÃO DE FERRAMENTAS PARA CONTROLE DE ESTOQUE Estudo de caso em uma Fábrica de Ração Wemerson de Freitas Borges 1 Prof. Ms. Jordânia Louse Silva Alves 2 RESUMO No Brasil, a gestão de estoques é um

Leia mais

MÓDULO 2 PLANEJAMENTO LOGÍSTICO ASSOCIADO AO TRANSPORTE

MÓDULO 2 PLANEJAMENTO LOGÍSTICO ASSOCIADO AO TRANSPORTE MÓDULO 2 PLANEJAMENTO LOGÍSTICO ASSOCIADO AO TRANSPORTE 2.1 - Níveis de Planejamento O planejamento logístico tenta responder aos questionamentos de: O QUE? QUANDO? COMO? Nos níveis estratégico, tático

Leia mais

Sistemas de Gestão de Estoques

Sistemas de Gestão de Estoques CONCEITOS BÁSICOSB Prof. João Carlos Gabriel - Aula 3 1 CONCEITOS BÁSICOSB PP = Ponto de pedido ou ponto de ressuprimento ou ponto de reposição é o instante (a quantidade) no qual se faz um pedido de compra

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS GESTÃO DE ESTOQUES

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS GESTÃO DE ESTOQUES GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS GESTÃO DE ESTOQUES Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-1 Objetivos Conhecer a terminologia usada na gestão de estoques Conhecer os métodos e procedimentos básicos de planejamento

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Prof. Rafael Roesler Aula 5 Sumário Classificação ABC Previsão de estoque Custos

Leia mais

Decisões de Estoque. Custos de Estoque. Custos de Estoque 27/05/2015. Custos de Estoque. Custos de Estoque. Custos diretamente proporcionais

Decisões de Estoque. Custos de Estoque. Custos de Estoque 27/05/2015. Custos de Estoque. Custos de Estoque. Custos diretamente proporcionais $ crescem com o tamanho do pedido $ crescem com o tamanho do pedido $ crescem com o tamanho do pedido 27/05/2015 Decisões de Estoque Quanto Pedir Custos de estoques Lote econômico Quando Pedir Revisões

Leia mais

LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS

LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS Sandra Mara Matuisk Mattos (DECON/UNICENTRO) smattos@unicentro.br, Juliane Sachser Angnes (DESEC/UNICENTRO), Julianeangnes@gmail.com

Leia mais

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques ! " # ) % & $ % & ' (

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques !  # ) % & $ % & ' ( Gestão de Estoques Motivos para surgimento de estoques % &! $ % & " # " ) % & * $ % & ' ( 1 Decisões sobre volumes. TV() = Total annual variable costs and * + $, - " 2 Custos totais de um sistema simplificado

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068. Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira

Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068. Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira Logística e gestão de Redes de Surprimentos ADM 068 Professor Marcos Gilberto Dos-Santos Faculdade Anísio Teixeira Programa da Disciplina I Unidade II Unidade Logística Visão geral e funções Suprimentos

Leia mais

POSICIONAMENTO LOGÍSTICO E A DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS CLIENTES

POSICIONAMENTO LOGÍSTICO E A DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS CLIENTES POSICIONAMENTO LOGÍSTICO E A DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS CLIENTES 10/06/2000/em Artigos /por Peter Wanke Definir a política mais apropriada para atendimento aos clientes constitui um dos fatores

Leia mais

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque.

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. RAZÕES PARA MANTER ESTOQUES A armazenagem de mercadorias prevendo seu uso futuro exige investimento por parte da organização. O ideal seria

Leia mais

Armazenagem e movimentação de materiais

Armazenagem e movimentação de materiais V I R T U A L Armazenagem e movimentação de materiais Lote econômico e estoque de segurança GESTÃO DE LOGÍSTICA Professor: Wilson Luigi Silva Mestre em Administração Apresentação da unidade Uma vez determinada

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Administração de Empresas 6º Período Resumo Introdução ao Conceito de Logística Logística Empresarial (ótica acadêmica e empresarial) Globalização e Comércio Internacional Infra-Estrutura

Leia mais

Controle de estoque Aula 03. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Controle de estoque Aula 03. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Controle de estoque Aula 03 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Estoque e sua finalidade Estoque representa uma armazenagem de mercadoria com previsão de uso futuro; Assegurar disponibilidade

Leia mais

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS Gestão Estratégica de Estoques/Materiais Prof. Msc. Marco Aurélio C. da Silva Data: 22/08/2011 O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS 2 1 GESTÃO DE ESTOQUE Demanda Adequação do Estoque Investimento Série de ações

Leia mais

ORÇAMENTO DE DESPESAS ADMINISTRATIVAS E DESPESAS DE VENDAS. Jéssica Pacheco Kayro Felix

ORÇAMENTO DE DESPESAS ADMINISTRATIVAS E DESPESAS DE VENDAS. Jéssica Pacheco Kayro Felix ORÇAMENTO DE DESPESAS ADMINISTRATIVAS E DESPESAS DE VENDAS Jéssica Pacheco Kayro Felix Orçamento de Despesas Operacionais Orçamento das Despesas Administrativas Orçamento das Despesas Comerciais / Vendas

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

MOG-45 - GESTÃO DE OPERAÇÕES LISTA DE EXERCÍCIOS 2

MOG-45 - GESTÃO DE OPERAÇÕES LISTA DE EXERCÍCIOS 2 MOG-45 - GESTÃO DE OPERAÇÕES LISTA DE EXERCÍCIOS 2 1. Questões teóricas de sistemas de planejamento da produção: a. Defina e descreva planejamento agregado. b. Relacione as vantagens e desvantagens dos

Leia mais

Crise econômica: oportunidades e desafios para o supply chain management

Crise econômica: oportunidades e desafios para o supply chain management Crise econômica: oportunidades e desafios para o supply chain management Parte 1 Marcos Benzecry e Paulo Nazário Introdução Desde o início de 2008 o mundo vive a mais grave crise dos últimos 80 anos, uma

Leia mais

2. Revisão bibliográfica

2. Revisão bibliográfica 17 2. Revisão bibliográfica 2.1. Logística de transportes A Logística recebeu diversas denominações ao longo dos anos: distribuição física, distribuição, engenharia de distribuição, logística empresarial,

Leia mais

Curso de Administração de Empresas. Cap.IV Estoques de Segurança (Capítulo 11 Livro adotado) Prof.º Eng.º MSc. João Carlos de Campos Unilins - SP

Curso de Administração de Empresas. Cap.IV Estoques de Segurança (Capítulo 11 Livro adotado) Prof.º Eng.º MSc. João Carlos de Campos Unilins - SP Disciplina: 500.030 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Curso de Administração de Empresas Cap.IV Estoques de Segurança (Capítulo 11 Livro adotado) Prof.º Eng.º MSc. João Carlos de Campos

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade Operacional AULA 04 Gestão

Leia mais

Recursos Materiais 1

Recursos Materiais 1 Recursos Materiais 1 FCC - 2008 No processo de gestão de materiais, a classificação ABC é uma ordenação dos itens consumidos em função de um valor financeiro. São considerados classe A os itens de estoque

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES. George Paulus Pereira Dias

GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES. George Paulus Pereira Dias GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES George Paulus Pereira Dias Agenda 1. Apresentação MRP 2. Estudo de Caso 3. Apresentação da Planilha 4. Primeira rodada de tomada de decisões 5. Próximos passos MRP - Planejamento

Leia mais

FORMALIZANDO UMA POLÍTICA DE ESTOQUES PARA A CADEIA DE SUPRIMENTOS

FORMALIZANDO UMA POLÍTICA DE ESTOQUES PARA A CADEIA DE SUPRIMENTOS FORMALIZANDO UMA POLÍTICA DE ESTOQUES PARA A CADEIA DE SUPRIMENTOS INTRODUÇÃO Este texto é o segundo de dois artigos dedicados à análise da gestão de estoques, a partir de uma perspectiva diferente da

Leia mais

6. Estrutura de Custos Logísticos

6. Estrutura de Custos Logísticos 6. Estrutura de Custos Logísticos Os custos logísticos na atividade de distribuição de combustíveis líquidos no Brasil podem ser classificados como: custo de aquisição dos combustíveis suprimentos custo

Leia mais

POLÍTICAS PARA O GERENCIAMENTO DE ESTOQUES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DO RAMO METAL- MECÂNICO DE MÉDIO PORTE

POLÍTICAS PARA O GERENCIAMENTO DE ESTOQUES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DO RAMO METAL- MECÂNICO DE MÉDIO PORTE POLÍTICAS PARA O GERENCIAMENTO DE ESTOQUES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DO RAMO METAL- MECÂNICO DE MÉDIO PORTE Taise Dalla Costa (ULBRA) taise.dcosta@hotmail.com Igor Roberto Borges (ULBRA) gfinanceiraead@ulbra.br

Leia mais

A LOGÍSTICA COMO INSTRUMENTO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO EM EMPRESAS FORNECEDORAS DE BENS DE CONSUMO NÃO DURÁVEIS.

A LOGÍSTICA COMO INSTRUMENTO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO EM EMPRESAS FORNECEDORAS DE BENS DE CONSUMO NÃO DURÁVEIS. A LOGÍSTICA COMO INSTRUMENTO DE DIFERENCIAL COMPETITIVO EM EMPRESAS FORNECEDORAS DE BENS DE CONSUMO NÃO DURÁVEIS. Carolina Salem de OLIVEIRA 1 Cristiane Tarifa NÉSPOLIS 2 Jamile Machado GEA 3 Mayara Meliso

Leia mais

A LOGÍSTICA EMPRESARIAL E OS FATORES PARA A OBTENÇÃO DE VANTAGEM COMPETITIVA

A LOGÍSTICA EMPRESARIAL E OS FATORES PARA A OBTENÇÃO DE VANTAGEM COMPETITIVA A LOGÍSTICA EMPRESARIAL E OS FATORES PARA A OBTENÇÃO DE VANTAGEM COMPETITIVA Douglas Prates Magalhães 1 Resumo Uma revisão teórica e rápida conceituação da Logística e Vantagem competitiva. Foco em vantagem

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação O aumento da competitividade global, trouxe consigo a grande desenvolvimento da Tecnologia da informação. Os processos enxutos e sem erros, os grandes estoques, as decisões que

Leia mais

A LOGÍSTICA NO CENÁRIO EMPRESARIAL

A LOGÍSTICA NO CENÁRIO EMPRESARIAL A LOGÍSTICA NO CENÁRIO EMPRESARIAL MOREIRA, Fabiano Greter (FANOVA) BORGHI, Wagner (FANOVA) INTRODUÇÃO Quando pensamos em produtos para consumo ou matéria prima para industrialização, não importando sua

Leia mais

Gestão de Projetos. Análises Quantitativas

Gestão de Projetos. Análises Quantitativas Gestão de Projetos Análises Quantitativas Por: João Lucas e Rosana Duarte Revisão: Prof. Dr. Sérgio Alves www.profsergio.net Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (PMI) 1- Dadas as ferramentas

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Plano Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO EXTENSÃO EE ESTERINA PLACCO Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico Nível

Leia mais

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa

A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma empresa Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Engenharia de Custos e Orçamentos Turma 01 10 de outubro de 2012 A Análise dos Custos Logísticos: Fatores complementares na composição dos custos de uma

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇAO TECNOLÓGICA PÓS GRADUAÇAO LATU SENSU 15 a. Turma Gestão da Logística Logística Empresarial Elenilce Lopes Coelis Belo Horizonte MG Julho - 2006 2 SUMÁRIO INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA...PÁGINA

Leia mais

DECISÕES SOBRE POLÍTICA DE ESTOQUES. Mayara Condé Rocha Murça TRA-53 Logística e Transportes

DECISÕES SOBRE POLÍTICA DE ESTOQUES. Mayara Condé Rocha Murça TRA-53 Logística e Transportes DECISÕES SOBRE POLÍTICA DE ESTOQUES Mayara Condé Rocha Murça TRA-53 Logística e Transportes Setembro/2013 Introdução Estoques são acumulações de matérias-primas, de materiais em processo e de produtos

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT Antonio Evangelino de Carvalho Soares Cintia Silvia Victor dos Santos Claudinei Candido Vieira Érica Natália Martins Silva Kátia Ribeiro dos Santos Marco Túlio

Leia mais

Controle de Estoques

Controle de Estoques Controle de Estoques Valores em torno de um Negócio Forma Produção Marketing Posse Negócio Tempo Lugar Logística Atividades Primárias da Logística Transportes Estoques Processamento dos pedidos. Sumário

Leia mais

O PRODUTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS. Mayara Condé R. Murça TRA-53 Logística e Transportes

O PRODUTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS. Mayara Condé R. Murça TRA-53 Logística e Transportes O PRODUTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Mayara Condé R. Murça TRA-53 Logística e Transportes Agosto/2013 Natureza do produto logístico Parte física Peso Volume Forma Desempenho Durabilidade Parte intangível

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO DISCIPLINA: Administração Financeira PROFESSOR: Nelson de Mello AULA 2 9/08/205 Administração Financeira Prof.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Plano de Curso Disciplina: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Professor responsável: FRANCISCO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO DISCIPLINA: Administração Financeira PROFESSOR: Nelson de Mello AULA 3 26/08/2015 Administração Financeira Prof.

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA DE USINAGEM

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA DE USINAGEM IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA DE USINAGEM Roberto Nilton Machado de Oliveira (UNA ) robertonmo@outlook.com SHEILA APARECIDA GONCALVES (UNA ) sheila18goncalves@yahoo.com.br LARISSA FRANCO

Leia mais

Variabilidade do processo

Variabilidade do processo Variabilidade do processo Em todo processo é natural encontrar certa quantidade de variabilidade. Processo sob controle estatístico: variabilidade natural por causas aleatórias Processo fora de controle:

Leia mais

COMUNICADO CEM/CP 1/2016

COMUNICADO CEM/CP 1/2016 COMUNICADO CEM/CP 1/2016 DIVULGA RELAÇÃO DE DISCIPLINAS RECOMENDADAS COMO OPTATIVAS PARA O 2º SEMESTRE LETIVO DE 2016 DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DO CAMPUS CAMPINAS DA UNIVERSIDADE SÃO

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO TÍTULO: LOGISTICA INTEGRADA COM FOCO EM DISTRIBUIÇÃO: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR PRESIDENTE

Leia mais

Logística e Valor para o Cliente 1

Logística e Valor para o Cliente 1 1 Objetivo da aula Esta aula se propõe a atingir os seguintes objetivos: 1. Discutir a importância do gerenciamento da interface entre marketing e logística. 2. Reconhecer a necessidade de entender os

Leia mais

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes ARMAZENAGEM E T.I. Pós-Graduação em Gestão Integrada da Logística Turma: GIL131M - 2013 Universidade São Judas Tadeu Prof.: Ms. Maurício Pimentel Disciplina: Tecnologia da Informação Aplicada a Logística

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DOM PEDRITO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO DISCIPLINA: Administração Financeira PROFESSOR: Nelson de Mello AULA 1 12/08/2015 Administração Financeira Prof.

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO GESTÃO DE ESTOQUE - 1 - Jéssica Taiani do Amaral - jessicataiani@hotmail.com Laurinda Oliveira Dourado - RESUMO A gestão de estoques é um assunto vital e, freqüentemente, absorve parte substancial do orçamento

Leia mais

DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA - EDITAL Nº08/2013.2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO Conteúdo Programático: UNIDADE I: O Universo Organizacional

Leia mais

APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM

APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM APLICAÇÃO DE CONCEITOS DA GESTÃO DE ESTOQUES PARA MELHORIA EM SISTEMA ERP APPLYING INVENTORY CONTROL CONCEPTS TO IMPROVE THE ERP SYSTEM José Henrique Garrido de Lima 1 Ronaldo Ribeiro de Campos 2 Nas últimas

Leia mais

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques

Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Capítulo 1 Conceitos e Gestão de Estoques Celso Ferreira Alves Júnior eng.alvesjr@gmail.com 1. GESTÃO DE ESTOQUE 1.1 Conceito de Gestão de estoques Refere-se a decisões sobre quando e quanto ressuprir

Leia mais

Dimensionamento de estoques em ambiente de demanda intermitente

Dimensionamento de estoques em ambiente de demanda intermitente Dimensionamento de estoques em ambiente de demanda intermitente Roberto Ramos de Morais Engenheiro mecânico pela FEI, mestre em Engenharia de Produção e doutorando em Engenharia Naval pela Escola Politécnica

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU AVM FACULDADE INTEGRADA A LOGÍSTICA COMO FORMA DE SATISFAÇÃO DO CLIENTE Ivan Vandui de Araujo Orientador: Prof. Nelsom Magalhães RIO DE JANEIRO 2012

Leia mais

Conceitos Básicos de Gestão de Estoques

Conceitos Básicos de Gestão de Estoques Conceitos Básicos de Gestão de Estoques 45 Conceitos básicos de estoque Estoques: acúmulo de de recursos materiais em em um um sistema de de transformação Fase 1 estoque Fase 2 chuvas sazonais máquina

Leia mais

Gerenciamento de Estoques em Farmácia Hospitalar. Naraiana Agapito naraagapito@yahoo.com.br

Gerenciamento de Estoques em Farmácia Hospitalar. Naraiana Agapito naraagapito@yahoo.com.br Gerenciamento de Estoques em Farmácia Hospitalar Naraiana Agapito naraagapito@yahoo.com.br 1 Introdução Inicialmente, como os hospitais não visavam resultados econômicos as técnicas de gerenciamento de

Leia mais

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Desempenho de Operações EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Agenda da aula 1 Desempenho de operações 2 Estudo de caso Capítulo 2- Desempenho de Operações Desempenho de operações Como avaliar

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2014.2

PLANO DE ENSINO 2014.2 Gestão de Estoque Semestre: 2º Ementa Conteúdo Bibliografia Básica: Bibliografia Complementar: Critério de Avaliação PLANO DE ENSINO 2014.2 Carga Horária: 50h Introdução ao conceito, objetivos e controles

Leia mais

Prof. Clesio Landini Jr. Unidade III PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO

Prof. Clesio Landini Jr. Unidade III PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO Prof. Clesio Landini Jr. Unidade III PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO Planejamento e operação por categoria de produto Nesta unidade veremos o Planejamento e Operação por Categoria de Produto

Leia mais

Principais desafios do administrador de materiais na empresa atual Problema de manutenção do estoque:

Principais desafios do administrador de materiais na empresa atual Problema de manutenção do estoque: ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS A logística e a administração de materiais Logística é uma operação integrada para cuidar de suprimentos e distribuição de produtos de forma racionalizada, o que significa planejar,

Leia mais

Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do Curso de Bacharelado em Administração da AJES

Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do Curso de Bacharelado em Administração da AJES Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do da AJES A - APRESENTAÇÃO 1. A empresa 1.1. Aspectos Gerais 1.1.1. História da empresa (da fundação a atualidade) 1.1.2. Visão, Missão e

Leia mais

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Operações Terminais Armazéns AULA 3 PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. A Gestão de Estoques Definição» Os estoques são acúmulos de matériasprimas,

Leia mais

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade III MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Compras, abastecimento e distribuição de mercadorias Os varejistas: Precisam garantir o abastecimento de acordo com as decisões relacionadas

Leia mais

Módulo 3 Custo e nível dos Estoques

Módulo 3 Custo e nível dos Estoques Módulo 3 Custo e nível dos Estoques O armazenamento de produtos produz basicamente quatro tipos de custos. 1. Custos de capital (juros, depreciação) 2. Custos com pessoal (salários, encargos sociais) 3.

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações II

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações II Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações II 8º Encontro - 28/08/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA - CONTROLE DE ESTOQUE e SCM. - PLANO MESTRE

Leia mais

MODELOS DE NÍVEL DE SERVIÇO E OTIMIZAÇÃO DOS ESTOQUES NA CADEIA DE SUPRIMENTOS

MODELOS DE NÍVEL DE SERVIÇO E OTIMIZAÇÃO DOS ESTOQUES NA CADEIA DE SUPRIMENTOS MODELOS DE NÍVEL DE SERVIÇO E OTIMIZAÇÃO DOS ESTOQUES NA CADEIA DE SUPRIMENTOS 10/07/2006/em Artigos /por Peter Wanke É universalmente reconhecida a grande importância do conceito nível de serviço no desenho

Leia mais

Curso Superior de tecnologia em Logística

Curso Superior de tecnologia em Logística Curso Superior de tecnologia em Logística Prof. Rodolpho W. Ruiz Tema: Arranjos Operacionais Logísticos e Tipos de Modais Agenda da tele-aula Instalações Locais ou Centralizadas. Cross-Docking. Sistemas

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Evolução da Disciplina. Programação e Controle. Conteúdo da Aula. Contextualização. Sinergia. Prof. Me. John Jackson Buettgen Aula 6.

Evolução da Disciplina. Programação e Controle. Conteúdo da Aula. Contextualização. Sinergia. Prof. Me. John Jackson Buettgen Aula 6. Programação e Controle da Produção Evolução da Disciplina Aula 1 Aula 1 Conceitos gerais de planejamento Aula 2 Planejamento de produção Aula 3 Planejamento de recursos Prof. Me. John Jackson Buettgen

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE. Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS

GESTÃO DE ESTOQUE. Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS GESTÃO DE ESTOQUE Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Higino José Pereira Neto Graduando em Administração Faculdades Integradas de Três

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise -

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise - RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - Janeiro de 1998 RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - As empresas, principalmente

Leia mais

Administração Financeira - Profs. Nelson Antonio Vascon e Marisa Gomes da Costa 42

Administração Financeira - Profs. Nelson Antonio Vascon e Marisa Gomes da Costa 42 Administração Financeira - Profs. Nelson Antonio Vascon e Marisa Gomes da Costa 42 2.8. GESTÃO DE DUPLICATAS A RECEBER Entre os objetivos do gestor financeiro destaca-se como principal a maximização do

Leia mais

AVALIAÇÃO DO INDICADOR PONTUALIDADE DE ENTREGAS DE FORNECEDORES EM EMPRESA DO SEGMENTO ESPORTIVO

AVALIAÇÃO DO INDICADOR PONTUALIDADE DE ENTREGAS DE FORNECEDORES EM EMPRESA DO SEGMENTO ESPORTIVO ISSN 1984-9354 AVALIAÇÃO DO INDICADOR PONTUALIDADE DE ENTREGAS DE FORNECEDORES EM EMPRESA DO SEGMENTO ESPORTIVO Priscila Pereira Suzart de Carvalho (Univerdade Federal da Bahia) Ricardo de Araujo Kalid

Leia mais

3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO

3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO 3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO O capítulo 3 apresenta o conceito de distribuição física, com enfoque nos centros de distribuição. São incluídos os processos de distribuição Cross docking, Merge in Transit e

Leia mais

OPERADORES LOGÍSTICOS. Realidade, Perspectivas e Expectativas no Brasil!

OPERADORES LOGÍSTICOS. Realidade, Perspectivas e Expectativas no Brasil! OPERADORES LOGÍSTICOS Realidade, Perspectivas e Expectativas no Brasil! OPERADOR LOGÍSTICO PROVEDOR DE SERVIÇOS LOGÍSTICOS TERCEIRIZADOS QUE, COM BASE EM CONTRATO, ATENDE A VÁRIAS OU TODAS AS NECESSIDADES

Leia mais

Gestão de Estoques. Prof. José Roberto Dale Luche Prof. Fernando Augusto Silva Marins DPD-FEG-UNESP

Gestão de Estoques. Prof. José Roberto Dale Luche Prof. Fernando Augusto Silva Marins DPD-FEG-UNESP Gestão de Estoques Prof. José Roberto Dale Luche Prof. Fernando Augusto Silva Marins DPD-FEG-UNESP Sumário Introdução A arte da segmentação Políticas Diferenciadas Aspectos Fundamentais Políticas de Estoques

Leia mais

A GESTÃO LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS: UMA CONTRIBUIÇÃO AO PLANEJAMENTO E GESTÃO DE ESTOQUES E COMPRAS EM UMA INDÚSTRIA DO SETOR DE GRÁFICAS DO RN

A GESTÃO LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS: UMA CONTRIBUIÇÃO AO PLANEJAMENTO E GESTÃO DE ESTOQUES E COMPRAS EM UMA INDÚSTRIA DO SETOR DE GRÁFICAS DO RN A GESTÃO LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS: UMA CONTRIBUIÇÃO AO PLANEJAMENTO E GESTÃO DE ESTOQUES E COMPRAS EM UMA INDÚSTRIA DO SETOR DE GRÁFICAS DO RN Francisco Domingos de Paula Junior (UFRN) engepjunior@yahoo.com.br

Leia mais

UFCD 8 Controlo e armazenagem de mercadorias Carga horária 50 horas ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS

UFCD 8 Controlo e armazenagem de mercadorias Carga horária 50 horas ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS O que é a armazenagem? A armazenagem é constituída por um conjunto de funções: - de recepção, - descarga, - carregamento, matérias-primas, - arrumação produtos acabados ou semi-acabados

Leia mais

Modelos de Nível de Serviço e Otimização dos Estoques na Cadeia de Suprimentos Probabilidade de Não Faltar Produto e Vendas Perdidas

Modelos de Nível de Serviço e Otimização dos Estoques na Cadeia de Suprimentos Probabilidade de Não Faltar Produto e Vendas Perdidas Modelos de Nível de Serviço e Otimização dos Estoques na Cadeia de Suprimentos Probabilidade de Não Faltar Produto e Vendas Perdidas Peter Wanke, D.Sc. 1. Introdução É universalmente reconhecida a grande

Leia mais

GESTÃO DE MATERIAIS: ALMOXARIFADO HOSPITALAR

GESTÃO DE MATERIAIS: ALMOXARIFADO HOSPITALAR José Neto Aristides da Silva Graduando em Logística pelo Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), Rio de Janeiro, RJ, Brasil jneto12@gmail.com José Claudio de Souza Lima Mestre em Engenharia de Produção

Leia mais

'$($')!$!"& (*+!,-$+& +."*/$& !"#$%!$& DEPS Departamento de Engenharia de Produção PCP Planejamento e Controle da Produção Prof. Dra.

'$($')!$!& (*+!,-$+& +.*/$& !#$%!$& DEPS Departamento de Engenharia de Produção PCP Planejamento e Controle da Produção Prof. Dra. DEPS Departamento de Engenharia de Produção PCP Planejamento e Controle da Produção Prof. Dra. Silene Seibel A variável Estoque Texto base da disciplina PCP da Udesc Introdução No planejamento e controle

Leia mais

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE *Envie o nome de seu grupo, dos integrantes e um telefone de contato junto com as respostas do questionário abaixo para o e-mail COMMUNICATIONS.SLA@SCANIA.COM*

Leia mais

Gestão de Estoques - Premissas. Pleno atendimento Máxima eficiência Menor custo Maior giro possível para o capital investido

Gestão de Estoques - Premissas. Pleno atendimento Máxima eficiência Menor custo Maior giro possível para o capital investido Gestão de Estoques - Premissas Pleno atendimento Máxima eficiência Menor custo Maior giro possível para o capital investido EQUILÍBRIO ENTRE ESTOQUE E CONSUMO Paulo Gadas JUNHO-14 1 Gestão de Estoques

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso SUPERIOR DE TECNOLOGIA

Leia mais

Gestão Empresarial para Logística, com duração de 220 horas.

Gestão Empresarial para Logística, com duração de 220 horas. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO O presente curso é composto de quatro módulos, a saber: MÓDULO I MÓDULO II MÓDULO III MÓDULO IV Gestão de Pessoas para Logística, com duração de 220 horas. Gestão Empresarial

Leia mais

APLICAÇÃO DE MÉTODOS QUANTITATIVOS NA GESTÃO DE ESTOQUES NO SETOR ATACADISTA: ESTUDO DE CASO NA EMPRESA XYZ

APLICAÇÃO DE MÉTODOS QUANTITATIVOS NA GESTÃO DE ESTOQUES NO SETOR ATACADISTA: ESTUDO DE CASO NA EMPRESA XYZ APLICAÇÃO DE MÉTODOS QUANTITATIVOS NA GESTÃO DE ESTOQUES NO SETOR ATACADISTA: ESTUDO DE CASO NA EMPRESA XYZ MARCELO RABELO HENRIQUE (UNINOVE) marcelo@mrhenriqueconsult.com.br Jose Abel de Andrade Baptista

Leia mais