MANCAIS 24/09/13. Depto. Eng. Mecânica / UFPE - Elementos de Máquinas- Prof. José Maria Barbosa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANCAIS 24/09/13. Depto. Eng. Mecânica / UFPE - Elementos de Máquinas- Prof. José Maria Barbosa"

Transcrição

1 MANCAIS 1

2 Mancais de Rolamentos Nomenclatura Definição: tipo de mancal em que a carga principal é transferida por meio de elementos em contato por rolamento. 2

3 Mancais de Rolamentos - Objetivos 1. Identificar os tipos de rolamentos que são comercialmente usados 2. selecionar o tipo de rolamento apropriado para uma aplicação (considerando condições de carga e instalação); 3. Determinar os fatores críticos de seleção a partir das relações de forças e expectativa de vida para os rolamentos; 4. Calcular a carga equivalente sobre um rolamento correspondente a combinação de carga radial e axial aplicada sobre ele. 5. Usar dados de fabricantes pra especificar o rolamento adequado para uma dada aplicação; 3

4 Mancais de Rolamentos Exemplos 4

5 Mancais de Rolamentos Maior roda gigante do Mundo Fica na China. Tem capacidade para acomodar pessoas e tem uma altura de 208 metros. Uma volta completa durará 20 minutos e a vista sobre a cidade de Pequim proporcionada pela roda panorâmica será deslumbrante. E acompanhando estes grandiosos números estão os dois rolamentos gigantes fornecidos pelo Grupo Schaeffler (FAG). Na realidade, trata-se de dois rolamentos autocompensadores de rolos "normais",porém suas dimensões não são nada comuns: diâmetro externo mm, furo do anel interno mm, largura do anel mm. Cada rolamento incorpora 118 rolos que pesam cerca de 20kg por peça. No total, há mais de onze toneladas de aço em cada um destes rolamentos. (Fonte: Marketing Comunicações e Relações Públicas - América do Sul - Schaeffler Brasil Ltda.) 5

6 Mancais de Rolamentos Nomenclatura Rolamento versus Baixo atrito na partida; Deslizamento Grandes rotações com cargas de impacto e de curta duração; 6

7 Mancais de Rolamentos Nomenclatura 7

8 Rolamentos - Tipos 8

9 Rolamentos de esferas 9

10 Rolamentos de rolos 10

11 Rolamentos de agulhas 11

12 Mancais de Rolamentos Exemplos de gaiolas 12

13 Rolamentos Especiais - Plásticos SÃO UTILIZADOS ONDE SEUS EQUIVALENTES METÁLICOS NÃO SUPORTARIAM AS CONDIÇÕES DE AGRESSÃO QUÍMICA, E SERIAM ATACADOS. OBVIAMENTE AS CARGAS E TEMPERATURAS SUPORTADOS PELOS ROLAMENTOS PLÁSTICOS SÃO MENORES QUE OS EQUIVALENTES METÁLICOS, MAS A UTILIZAÇÃO CORRETA E O DIMENSIONAMENTO ADEQUADO ACABAM POR OFERECER REAIS VANTAGENS EM TERMOS DE DURABILIDADE. SÃO UTILIZADOS EM INDÚSTRIAS DE ALIMENTOS E BEBIDAS, FARMACEUTICAS, FOTOGRÁFICAS, MECÂNICA LEVE, USINAS DE ALCOOL E AÇUCAR, CELULOSE E PAPEL ENTRE OUTRAS. TAMBÉM SÃO OFERECIDOS RODÍZIOS COM O PERFIL ADEQUADO TANTO PARA TRANSPORTADORES AÉREOS QUANTO PARA MONTAGEM DE ROLETES TRANPORTADORES Fonte: Pneumotronics, fev09 13

14 Rolamentos Especiais - Magnéticos Alguns dispositivos de velocidade muito alta, como avançados sistemas de armazenamento de energia em volantes, usam rolamentos magnéticos. Estes rolamentos permitem que o volante flutue sobre um campo magnético criado pelo rolamento. Alguns desses volantes giram a velocidades que excedem 50 mil rotações por minuto (rpm). Rolamentos normais com roletes ou esferas podem fundir-se ou explodir a essas velocidades. Os rolamentos magnéticos não possuem partes móveis, de modo que podem suportar velocidades incríveis (Fonte: How StuffWorks, fev09) Fonte: Principais vantagens: Dispensam lubrificação; Limpos e livres de contaminação; Confiabilidade; Baixa vibração; Alta velocidade superficial; Baixo consumo de energia; Trabalham submersos; Monitoramento de condições incorporado; Sem contato. 14

15 Falhas em rolamentos (NSK, Doctor Bearing,) Escamamento (Flaking) Anel interno de rolamento contato angular / dasalinhamento na montagem. Anel interno de rolamento contato angular / lubrificação deficiente gerada por entrada de fluido de corte no interior do rolamento. Anel interno de rolamento fixo de uma carreira e esferas / impactos na montagem. 15

16 Falhas em rolamentos (NSK, Doctor Bearing,) Descascamento (Peeling) Anel interno de rolamento autocompensador de rolos / lubrificação deficiente 16

17 Falhas em rolamentos (NSK, Doctor Bearing,) Fratura (Cracking) Anel interno de um rolamento de dupla carreira de rolos cilíndricos / carga excessiva durante a instalação Anel interno de rolamento axial autocompensador de rolos / Fratura do rebordo devido a cargas repetitivas Anel externo de rolamentom de dupla carreira de rolos cilindricos / desgaste plano e geração de calor devido a não rotação do anel externo. 17

18 Rolamentos - montagem 18

19 Vida do Rolamento Vida do rolamento Número total de revoluções do anel interno ou horas de operações do rolamento necessárias pra desenvolver um certo critério de falha (por exemplo, por fadiga) a determinada velocidade constante de rotação.. Vida nominal (Rating Life, Designado pela American Bearing Manufacturers Association ABMA): O número de revoluções do anel interno ou horas de operação de um grupo de mancais de rolamentos idênticos para a qual 90% (confiabilidade) deles conseguirão chegar ou ultrapassar o critério de falha. É designada de L10. Vida Mediana: É a vida percentual de 50% de um grupo de rolamentos. A vida mediana (com confiabilidade de 0,5), tem um valor entre 4 e 5 vezes a vida nominal. 19

20 Curva de Vida Nominal de um Rolamento 20

21 Curva de Vida Nominal do Rolamento Carga dinâmica básica, Carga nominal Básica (Catalog load rating), C10 Horas Ciclos 21

22 Carga Nominal do Rolamento Carga dinâmica básica, Carga nominal Básica (Catalog load rating) Carga que um certo grupo de rolamento idênticos é capaz de suportar tal que 90% deles ultrapassem r um certo número ciclos previamente especificados pelo fabricante sem falhar. TIMKEM => 60 nr LR = ciclos SKF => 60 nr LR = 106 ciclos 22

23 Carga Nominal do Rolamento Carga estática básica, Carga estática nominal Básica (Basic static load rating), C0 Carga em que o mancal estado estático não deve ultrapassar. 23

24 Tabela de rolamentos de esferas da série 02 pista profunda e contato angular 24

25 Dimensões do eixo e e mancal - nomenclatura 25

26 Tabela de rolamentos de rolos cilindricos da série 02 e 03 26

27 Vida do Rolamento - Exemplo 27

28 Seleção de Rolamentos - Código de Dimensões (ABMA e ISO) Código: XY ZW XY => série das dimensões; X : séries das larguras Y : série dos diâmetros Séries mais utilizadas 02 e 03. ZW => Diâmetro / 5 ( para diâmetros acima de 20 mm); 28

29 Rolamentos- Código de Dimensões Exemplo NSK 29

30 Rolamentos- Código de Dimensões Exemplo NSK 30

31 Rolamentos- Código de Dimensões Exemplo NSK 31

32 Rolamentos rígidos de esferas SKF 32

33 Rolamentos rígidos de esferas SKF 33

34 Rolamentos de Esferas FAG 34

35 Carga Radial e Axial combinadas Carga radial equivalente: Carga radial que provocaria o mesmo dano que as cargas radial e axial juntas. Fe / VFr Fa / VFr > e Fa / VFr e 1 Fe = 1 e Fa / VFr 35

36 Carga Radial e Axial combinadas Carga radial equivalente: Carga radial que provocaria o mesmo dano que as cargas radial e axial juntas. 36

37 Carga Radial e Axial combinadas para mancais de esferas 37

38 Carga Radial e Axial combinadas 38

39 Carga Radial e Axial combinadas 39

40 Fator de aplicação de carga FD = k s Fe ks 40

41 Vida sugerida para projeto Vida Sugerida L 41

42 Exemplo 1 42

43 Exemplo 43

44 Exemplo 44

45 Exemplo 2 45

46 Exemplo 2 Confiabilidade global R = R1*R

47 Exemplo 2 47

48 Exemplo 2

49 Exemplo 2 Confiabilidade global R = R1*R R = R0*RA = 0,92 ks = 1,2 RA =R0=

50 Exemplo 2

51 Confiabilidade - Vida do Rolamento E se queremos aumentar a confiabilidade do nosso rolamento? Por exemplo: Um rolamento que dure 3000 horas suportando uma carga radial de 2 KN com uma confiabilidade de 0,99 ( 99% dos rolamentos atingem este tempo sem falhar). 51

52 Vida do Rolamento 52

53 Vida do Rolamento 53

54 Distribuição de Weibull para Confiabilidade x x 0 R( x) = exp θ x0 R x x θ b : Confiabilidade correspondente a vida L; : Medida de vida adimensional = L/L ; : Valor de referência ou limite mínimo para x; x<= x <=0; : Parâmetro característico ou fator de escala ( >= x ). Corresponde ao valor de x abaixo do qual tem 63,21% das observações; L : Vida nominal de projeto (R= 0,9); b : Fator de forma. Coeficiente de Weibull; Falha: F(x) = 1 - R(x); 54

55 Distribuição de Weibull para Confiabilidade Características: Distribuição assimétrica com diferentes valores para média e mediana; Boa concordância com a distribuição normal e exata representação da distribuição expoencial; Muita usada em ensaios de laboratório por obter bons resultado mesmo com poucos dados de amostragem; 55

56 Distribuição de Weibull para Confiabilidade Efeito do expoente b na função de probabilidade - Distorção b =1 : Distribuição expoencial; 3,3 < b < 3,5 : Aproximada Simetria. Boa aproximação com distribuição Normal Função de probabilidade: 56

57 Vida do Rolamento 57

58 Vida do Rolamento 58

59 Vida do Rolamento xb 59

60 Vida do Rolamento 60

61 Exemplo 61

62 Carga Variável Dano acumulado O aconteceria se a carga aplicada variasse? Por exemplo: Um rolamento sofre uma carga de 20 kn por 1000 horas depois a carga sobe para 30 kn por mais 2000 horas. Considere: Carga constante por partes em padrão cíclico; Dano proporcional a equação de vida; Regra de acumulo de dano de Palmgren-Miner. 62

63 Vida do Rolamento Dano acumulado em carregamento variável Teoria Dano linear D : Dano na carga F1 e vida LA 63

64 Vida do Rolamento Dano acumulado em carregamento variável Regra de acumulo de dano de Palmgren-Miner. DA = F1aLA ; K = C10aLB D = Fe1a l1 +;Fe2a l2 + Fe3a l3 = Feqa Σ li li : número de ciclos na carga Fei 64

65 Vida do Rolamento Dano acumulado em carregamento variável ni : rotação no tempo ti; fi : fração de revolução girando sob a carga Fei; afi : Fator de aplicação de carga do carregamento Fei; 65

66 Vida do Rolamento Dano acumulado em carregamento variável Fe1a l1 +;Fe2a l2 + Fe3a l3 = Feqa Σ li = Feqa Leq K = Fe1aL1 = Fe2a L2= Fe3a L3 = Fe1al1 + Fe2a l2 + Fe3a l3 => Σl i / Li = 1 Palmgen Miner!! 66

67 Exemplo / Exercício Um mancal radial de esferas de contato angular da série 02 com 30mm de diametro, gira revoluções a 18 kn. Estime a vida remanescente se agora o mancal é submetido a uma carga de 30kN. 67

68 Exemplo / Exercício 68

69 Exemplo / Exercício 69

70 Exemplo / Exercício Um mancal radial de esferas de contato angular da Timkem número 207 (C10 = 8,5 kn), gira a 1000 rpm. É aplicada uma carga variável de modo que para 50%, 30% e 20% do tempo as cargas são 3, 5, e 7 kn respectivamente. Considere as cargas uniformes de modo que fator de aplicação de carga é ks = 1. Estime a vida L10 e a vida média do mancal. 70

71 Exemplo / Exercício Resposta: L = 8741 horas; Vida Média ~= 5*L = horas; 71

72 Exemplo / Exercício 72

73 Exemplo / Exercício 73

74 Exemplo / Exercício 74

75 Exemplo / Exercício Em C: 75

76 Exemplo / Exercício 76

77 Exemplo / Exercício 77

78 Exemplo / Exercício 78

79 Exemplo / Exercício 79

80 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Rolamentos de rolos cônicos suportam carga axial e diferem em alguns aspectos dos de rolos cilíndricos e de esferas. O anel interno é denominado de cone e o externo de copo ou anel de rolamento. Em um rolamento cônico mesmo só com carga radial presente, existe uma componente axial no mancal. Deve-se usar pelo menos dois rolamentos cônicos em um mesmo eixo. Seja com as costas opostas em montagem indireta ou com as frentes em oposição em montagem direta. 80

81 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 81

82 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 82

83 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) A Timken desenvolveu fórmulas para calculo da componente axial de do efeito de uma carga puramente radial. K : Fator de geometria específico. É a razão de capacidade nominal radial e axial. Preliminarmente podem ser adotados os seguintes valores que devem ser corrigidos depois com os valores do catálogo, K = 1,5 => Mancais radiais; K = 0,75 => Mancais de angulos elevados. Grande deflexão; O ângulo alfa é a metade do ângulo do copo. 83

84 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Catalogo Timkem de mancal de rolos conicos. 84

85 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Catalogo Timkem de mancal de rolos conicos. 85

86 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Parâmetros de Weibull para mancal de rolos cônicos Timkem. 86

87 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) A timkem trabalha com a seguinte equação, 87

88 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 88

89 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 89

90 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 90

91 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 91

92 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Exemplo: 92

93 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Exemplo: Tentativa: 93

94 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Exemplo: 94

95 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Exemplo: Rolamento A 95

96 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Exemplo: Rolamento B Usando o mesmo rolamento de A (ficando superdimensionado) Corrigindo os fatores e repetindo o processo 96

97 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 97

98 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) 98

99 Rolamentos de Rolos Cônicos (Tapered Roller Bearings) Exercicio 99

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Mancais De modo geral, os elementos de apoio consistem em acessórios para o bom funcionamento de máquinas. Desde quando o homem passou a

Leia mais

MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção.

MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção. MANCAIS DE ROLAMENTOS. 1. Introdução 2- Classificação. 3. Designação de rolamentos. 4. Defeitos comuns dos rolamentos. 5. Critérios de seleção. Os mancais em geral têm como finalidade servir de apóio às

Leia mais

Mancais. TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas. Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br

Mancais. TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas. Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br Mancais TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA Elementos de Máquinas Professor: André Kühl andre.kuhl@ifsc.edu.br Introdução à Mancais O mancal pode ser definido como suporte ou guia em que se apóia o eixo; No ponto

Leia mais

MANUTENÇÃO EM MANCAIS E ROLAMENTOS Atrito É o contato existente entre duas superfícies sólidas que executam movimentos relativos. O atrito provoca calor e desgaste entre as partes móveis. O atrito depende

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Buchas Guias Mancais de Deslizamento e Rolamento Buchas Redução de Atrito Anel metálico entre eixos e rodas Eixo desliza dentro da bucha, deve-se utilizar lubrificação.

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Curso de Engenharia de Produção Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Mancais: São elementos de máquinas que suportam eixo girante, deslizante ou oscilante. São classificados em mancais de: Deslizamento

Leia mais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais Seleção do 2. Seleção do Os s e de estão disponíveis numa variedade de tipos, formas e dimensões. Quando se faz a correta seleção do para a sua aplicação, é importante considerar diversos fatores, e analisar

Leia mais

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol

Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos e Serviços para o Mercado de Açúcar e Etanol Rolamentos para Todas as Necessidades da Sua Usina A Solução Perfeita para Qualquer Aplicação Com suas duas fortes marcas, INA e FAG, a qualidade

Leia mais

Classificação e Características dos Rolamentos

Classificação e Características dos Rolamentos Classificação e Características dos 1. Classificação e Características dos 1.1 dos rolamentos A maioria dos rolamentos é constituída de anéis com pistas (um anel e um anel ), corpos rolantes (tanto esferas

Leia mais

Conceitos essenciais sobre mancais de rolamento e de deslizamento

Conceitos essenciais sobre mancais de rolamento e de deslizamento Conceitos essenciais sobre mancais de rolamento e de deslizamento Débora Ariana Correa da Silva Érika Barbosa dos Santos Prof. Dr. Ulysses de Barros Fernandes Tecnologia em Mecatrônica Industrial Faculdade

Leia mais

Fundamentos dos rolamentos A-1

Fundamentos dos rolamentos A-1 Fundamentos dos rolamentos A-1 Fundamentos dos rolamentos Fundamentos dos rolamentos Índice Seleção de rolamentos... página A-3 Capacidades de carga e vida útil... página A-11 Lubrificação... página A-17

Leia mais

Toleranciamento Geométrico João Manuel R. S. Tavares

Toleranciamento Geométrico João Manuel R. S. Tavares CFAC Concepção e Fabrico Assistidos por Computador Toleranciamento Geométrico João Manuel R. S. Tavares Bibliografia Simões Morais, José Almacinha, Texto de Apoio à Disciplina de Desenho de Construção

Leia mais

Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA

Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA Rolamento autocompensador de rolos esféricos de alta performance com maior capacidade de carga Rolamento Autocompensador de Rolos Esféricos SÉRIE EA

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO ESTUDO DE METODOLOGIAS DE MONTAGEM DE ROLAMENTOS EM EIXOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO ESTUDO DE METODOLOGIAS DE MONTAGEM DE ROLAMENTOS EM EIXOS CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO ESTUDO DE METODOLOGIAS DE MONTAGEM DE ROLAMENTOS EM EIXOS CURITIBA 2007 ALBERTO CASTANHEIRA SANTOS JEFFERSON MARQUES LEANDRO EVER DA COSTA TERRA ESTUDO DE METODOLOGIAS DE

Leia mais

Rolamentos de rolos cônicos

Rolamentos de rolos cônicos Rolamentos de rolos cônicos Rolamentos de rolos cônicos 314 Definições e aptidões 314 Séries 315 Variantes 315 Tolerâncias e jogos 316 Elementos de cálculo 318 Elementos de montagem 320 Prefixos e sufixos

Leia mais

ÍNDICE 1. ROTEIRO PARA SELEÇÃO DE ROLAMENTOS...2

ÍNDICE 1. ROTEIRO PARA SELEÇÃO DE ROLAMENTOS...2 ÍNDICE 1. ROTEIRO PARA SELEÇÃO DE ROLAMENTOS...2 1.1. NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DO ROLAMENTO.... 2 1.1.1. Séries Dimensionais:... 2 1.1.2. Símbolos das Séries de Rolamentos... 2 1.1.3. Símbolos de Furo...

Leia mais

Batentes. Batente de esferas 378. Batentes autocompensadores de rolos 384

Batentes. Batente de esferas 378. Batentes autocompensadores de rolos 384 Batente de esferas 378 Definições e aptidões 378 Séries 378 Tolerâncias 379 Elementos de cálculo 379 Elementos de montagem 379 Características 380 Batente de esferas de efeito simples 380 Batentes autocompensadores

Leia mais

Mancais e Rolamentos BRM

Mancais e Rolamentos BRM 7 - Seleção de Rolamentos O tamanho do rolamento a ser utilizado em uma determinada aplicação é selecionado a princípio com base em sua capacidade de carga em relação às cargas a serem aplicadas e as necessidades

Leia mais

Mancais de Rolamento. Prof. Alan Christie da Silva Dantas

Mancais de Rolamento. Prof. Alan Christie da Silva Dantas Mancais de Rolamento Prof. Alan Christie da Silva Dantas O que são? Mancais de apoio onde o esforço principal é transmitido através de um elemento de contato rolante, O atrito inicial e o atrito de serviço

Leia mais

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA

DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I (SEM0564) AULA 10 - ELEMENTOS DE MÁQUINA (APOIO, ELÁSTICO E VEDAÇÃO) Notas de Aulas v.2015 ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS Radial Axial Cônica ELEMENTOS DE APOIO BUCHAS ELEMENTOS DE

Leia mais

Rolamentos para a Indústria de Mineração

Rolamentos para a Indústria de Mineração Rolamentos para a Indústria de Mineração Tecnologia NSK líder de mercado para aplicações em mineração para prolongar a vida do rolamento e reduzir custos de manutenção e tempo de parada. Aumento da Produção

Leia mais

Aula 17 Projetos de Melhorias

Aula 17 Projetos de Melhorias Projetos de Melhorias de Equipamentos e Instalações: A competitividade crescente dos últimos anos do desenvolvimento industrial foi marcada pela grande evolução dos processos produtivos das indústrias.

Leia mais

1. Estruturas e tipos de rolamentos

1. Estruturas e tipos de rolamentos 1. Estruturas e tipos de rolamentos 1-1 Estrutura Os rolamentos normalmente consistem de anéis de rolamento, elementos de rolagem e uma gaiola (veja Fig. 1-1). Os elementos de rolagem são dispostos entre

Leia mais

Rolamentos de Rolos Cônicos

Rolamentos de Rolos Cônicos Rolamento de rolos Rolamento de duas carreiras de rolos cônicos Rolamento de quatro carreiras de rolos cônicos 1. Tipos, qualidades e características Os rolamentos de rolos cônicos são construídos de tal

Leia mais

TÉCNICO EM MECÂNICA NOME: Nº INSC.: PRRH. Pró-Reitoria de Recursos Humanos

TÉCNICO EM MECÂNICA NOME: Nº INSC.: PRRH. Pró-Reitoria de Recursos Humanos TÉNIO M MÂNI NOM: Nº INS.: PRRH Pró-Reitoria de Recursos Humanos Para a usinagem de uma engrenagem de 55 dentes, de módulo 2 mm, foi utilizada uma barra de seção circular de 5". onsiderando a necessidade

Leia mais

Ferramentas de manutenção

Ferramentas de manutenção Ferramentas de manutenção Menos atrito. Mais soluções. Com mais de 100 anos de experiência em tecnologia de rolamentos, a Timken compreende a importância dos procedimentos de manutenção adequados para

Leia mais

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos

Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos Rolamentos para Siderurgia Guia de Produtos CAT. No. 9211 P NTN NTN Produtos que trazem benefícios em várias aplicações Equipamentos de siderurgia pertencem a grandes linhas que operam 24 horas por dia,

Leia mais

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice Índice 1.Características Gerais... 2 2.Seleção do Tamanho do Acoplamento... 2 2.1- Dimensionamento dos acoplamentos Henflex HXP para regime de funcionamento contínuo... 2 2.2 Seleção do Acoplamento...

Leia mais

Dimensões 01深溝玉.indd 138 01深溝玉.indd 138 2007/08/22 16:27:39 2007/08/22 16:27:39

Dimensões 01深溝玉.indd 138 01深溝玉.indd 138 2007/08/22 16:27:39 2007/08/22 16:27:39 Dimensões Rolamento Fixo de Esferas Precisão Página 52 Folga interna Página 64 Dimensões de anel de retenção Página 45 Devido à sua versatilidade, o Rolamento Fixo de Esferas de Uma Carreira é o tipo

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM...

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM... Motores H-Compact COMPACTO, REFRIGERAÇÃO EFICIENTE A importância crescente da economia de energia, dos requerimentos ambientais, da procura por dimensões menores e das imposições dos mercados nacionais

Leia mais

Curriculum de Mecânica dos Fluidos

Curriculum de Mecânica dos Fluidos Curriculum de Mecânica dos Fluidos A Nível I Introdução à Mecânica dos Fluidos (30 horas) A.1 - Princípios e grandezas físicas em Mecânica dos Fluidos A1.1 Conceitos físico-matemáticos elementares A.1.1.1

Leia mais

Industry. SNR, a solução concreta para suas aplicações

Industry. SNR, a solução concreta para suas aplicações Industry SNR, a solução concreta para suas aplicações Suas exigências e nosso savoir-faire: uma mistura homogênea O cimento, na forma de concreto, está presente em todos os lugares. Todo nosso ambiente

Leia mais

TREINAMENTOS TÉCNICOS

TREINAMENTOS TÉCNICOS 0000 TREINAMENTOS TÉCNICOS TEÓRICOS E PRÁTICOS CONHECIMENTO.TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA SUA EMPRESA A Empresa Ao longo dos 19 anos de sua existência, a PRIMEIRA LINHA COMERCIAL DE ROLAMENTOS LTDA, tem direcionado

Leia mais

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO

USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO USO, MANUTENÇÃO E REGULAGEM DE CASSETES PARA ÁREA DE TREFILAÇÃO Cassetes Os cassetes laminadores são micro cadeiras de laminação, que substituem as fieiras nas máquinas de trefilação. Seu surgimento no

Leia mais

Cálculo da carga aplicada

Cálculo da carga aplicada 508-BR O guia linear é capaz de receber cargas e momentos em todas as direções que sejam gerados em função da posição de montagem, do alinhamento, da posição do centro de gravidade de um objeto móvel,

Leia mais

Propriedades Mecânicas. Prof. Hamilton M. Viana

Propriedades Mecânicas. Prof. Hamilton M. Viana Propriedades Mecânicas Prof. Hamilton M. Viana Propriedades Mecânicas Propriedades Mecânicas Definem a resposta do material à aplicação de forças (solicitação mecânica). Força (tensão) Deformação Principais

Leia mais

Corte com jato de água

Corte com jato de água A U A UL LA Corte com jato de água Você certamente já ouviu o ditado água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Então, furar pedra usando água você já sabe que dá, não é mesmo? Basta um pouco de

Leia mais

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1 1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1.1 - Introdução As correntes fazem parte das transmissões flexíveis, conjuntamente com as correias. Apresentam menor capacidade de absorção de choques em virtude de sua

Leia mais

Todos nós temos muito em comum, independentemente de vermos isso ou não. Práticas de Papel e Celulose da SKF

Todos nós temos muito em comum, independentemente de vermos isso ou não. Práticas de Papel e Celulose da SKF SKF Communication Segmento Global de Papel Support e Celulose Centre da SKF Volume 2 Nº 6 Setembro de 2012 Práticas de Papel e Celulose da SKF Todos nós temos muito em comum, independentemente de vermos

Leia mais

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos

Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Aula 12: Rolamentos Mancais Rolamentos Mancal é um suporte de apoio de eixos e rolamentos que são elementos girantes de máquinas. Os mancais classificam-se em duas categorias: mancais de deslizamento mancais

Leia mais

Rolamentos de Triplo Anel

Rolamentos de Triplo Anel Rolamentos NSK para a Indústria Papeleira Padronizados para melhor qualidade, preços competitivos e melhor prazo de entrega Rolamentos NSK para a Indústria Papeleira A NSK tem mais de 80 anos de experiência

Leia mais

Em qualquer processo produtivo, deve-se garantir que as

Em qualquer processo produtivo, deve-se garantir que as Confiabilidade, calibração e definições importantes para os instrumentos de medir Os instrumentos de medição são os dispositivos utilizados para realizar uma medição e no âmbito da metrologia legal são

Leia mais

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia O Poder do Conhecimento em Engenharia A única coisa mais intensa que o calor é a sua concorrência Poucos ambientes industriais têm condições

Leia mais

Um especialista em manutenção preditiva

Um especialista em manutenção preditiva Análise de vibrações A UU L AL A Um especialista em manutenção preditiva foi chamado para monitorar uma máquina em uma empresa. Ele colocou sensores em pontos estratégicos da máquina e coletou, em um registrador,

Leia mais

Descrição B. Cilindro sensor PD 40..

Descrição B. Cilindro sensor PD 40.. Descrição B Cilindro sensor PD 40.. PT 1. Segurança 2 2. unção 3 3. Transporte 8 4. Montagem 8 5. Instalação 9 6. Comissionamento 10 7. uncionamento/operação 10 8. Eliminação de falhas / Reparação 11 9.

Leia mais

Engrenagens cilíndricas de dentes retos. Alan Christie da Silva Dantas

Engrenagens cilíndricas de dentes retos. Alan Christie da Silva Dantas Engrenagens cilíndricas de dentes retos Alan Christie da Silva Dantas Motivação Extensamente usadas para transmissão de movimento em maquinas industriais; Rotativo rotativo; Rotativo linear. Caixas de

Leia mais

Caixas SNH. www.fcm.ind.br VE-001-SNH. Copyright FCM 2001

Caixas SNH. www.fcm.ind.br VE-001-SNH. Copyright FCM 2001 Catálogo Eletrônico VE-001-SNH www.fcm.ind.br Caixas SNH Copyright FCM 2001 O conteúdo deste catálogo é de propriedade da empresa FCM - Fábrica de Mancais Curitiba Ltda., sendo proibida a reprodução parcial

Leia mais

Tecnologias de Moagem Outotec

Tecnologias de Moagem Outotec Tecnologias de Moagem Outotec Com mais de 100 anos de experiência em tecnologia de moagem, a Outotec é um dos maiores fornecedores de moinhos do mundo. A equipe de especialistas em moagem da Outotec fornece

Leia mais

Transmissor de Vazão Mod. RTVG

Transmissor de Vazão Mod. RTVG 1. Introdução O Medidor de vazão tipo turbina é um instrumento de medição de vazão volumétrico. O elemento sensível à vazão é um rotor com um sistema de palhetas fixas, suspenso livremente sobre um eixo

Leia mais

Transmissões de Potência

Transmissões de Potência Transmissões de Potência PMR 2201 Transmissões O emprego de transmissões torna-se necessário para compatibilizar a velocidade angular ou conjugado da máquina motriz com a necessidade da máquina acionada,

Leia mais

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Anel de Fixação Série RFN 8006

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Anel de Fixação Série RFN 8006 Para conexões eixo-cubo extremamente tensionadas a união por encolhimento é insuperável. Nenhum outro tipo de fixação pode oferecer qualidades semelhantes, no que diz respeito à resistência à fadiga sob

Leia mais

Manual de montagem e operação para EAS -dutytorque Tipo 404_. 400 Tamanho 2 9

Manual de montagem e operação para EAS -dutytorque Tipo 404_. 400 Tamanho 2 9 Ler atentamente e respeitar o manual de operação. A inobservância pode causar avarias de funcionamento ou a falha do limitador de torque, bem como os danos associados. Índice Página 1: - Índice - Símbolos

Leia mais

Rolamentos Autocompensadores de Rolos

Rolamentos Autocompensadores de Rolos Rolamentos Autocompensadores de Rolos HPS, redefinindo padrões. Diagnóstico Rápido de Falhas de Rolamentos Obtenga un desempeño máximo. red Maior vida útil Tecn de D Exclusivo através d analítica Tecnologia

Leia mais

NSK Bearing Doctor. Diagnóstico Rápido de Ocorrências em Rolamentos. Obtenha a máxima performance. Diagnóstico Rápido de Falhas de Rolamentos

NSK Bearing Doctor. Diagnóstico Rápido de Ocorrências em Rolamentos. Obtenha a máxima performance. Diagnóstico Rápido de Falhas de Rolamentos NSK Bearing Doctor Diagnóstico Rápido de s em Rolamentos Diagnóstico Rápido de Falhas de Rolamentos Obtenha a máxima performance. Este catálogo contém informações sobre o correto manuseio de rolamentos,

Leia mais

GSR-R. Tipo separado de guia linear (radial) modelo GSR-R

GSR-R. Tipo separado de guia linear (radial) modelo GSR-R Tipo separado de guia linear (radial) modelo Trilho com cremalheira Recirculador Raspador Bloco Diagrama de Seleção A Posições de montagem Opcionais Codificação Precauções de uso Acessórios para lubrificação

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. ESTRUTURA E BLINDAGEM DOS MODULOS 1.1 - Estruturas Laterais Externas Deverão ser confeccionadas em chapa de aço SAE1010 #18, com varias dobras formando colunas, sem quinas ou

Leia mais

PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS

PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 INFORMATIVO TÉCNICO PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS 1/21 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 O PRINCIPAL COMPONENTE DE

Leia mais

Chaves e soquetes. Ajuste fixo: eixos cônicos. Chaves de gancho série HN da SKF. O raio exato da chave reduz o risco de danos à porca

Chaves e soquetes. Ajuste fixo: eixos cônicos. Chaves de gancho série HN da SKF. O raio exato da chave reduz o risco de danos à porca Chaves e soquetes Chaves e soquetes Ajuste fixo: eixos cônicos Os rolamentos montados em eixos cônicos obtêm o ajuste fixo quando atingem o local certo de fixação no eixo cônico. Deve-se tomar muito cuidado

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 10 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÃO 31 A principal diferença entre um ferro fundido e um aço (aço carbono) é o teor de carbono. Portanto os percentuais de carbono nestes elementos são: Ferro

Leia mais

AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS

AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS AULA 34 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS 265 34. PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: SELEÇÃO E CUIDADOS 34.1. Introdução Para obter uma boa operação de usinagem em retificação, alguns cuidados devem ser

Leia mais

Bombas centrífugas de acionamento magnético em aço inox eficientes robustas seguras

Bombas centrífugas de acionamento magnético em aço inox eficientes robustas seguras Bombas centrífugas de acionamento magnético em aço inox eficientes robustas seguras MKP Bombas de acionamento magnético para processos químicos MKP-S Bomba auto escorvante de acionamento magnético para

Leia mais

Megabloc Manual Técnico

Megabloc Manual Técnico Bomba Padronizada Monobloco Manual Técnico Ficha técnica Manual Técnico Todos os direitos reservados. Os conteúdos não podem ser divulgados, reproduzidos, editados nem transmitidos a terceiros sem autorização

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO. Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A

MANUAL DE INSTRUÇÃO. Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A MANUAL DE INSTRUÇÃO Mesa Hidráulica de Elevação Manual Capacidade 300 kg LT30A APRESENTAÇÃO PARABÉNS! Você acaba de adquirir um produto Lycos. Desenvolvido e fabricado para atender todos os requisitos

Leia mais

Rolamentos de esferas Rolamentos de rolos Caixas Acessórios. Rolamentos. Rolamentos FAG Ltda.

Rolamentos de esferas Rolamentos de rolos Caixas Acessórios. Rolamentos. Rolamentos FAG Ltda. Rolamentos FAG Rolamentos de esferas Rolamentos de rolos Caixas Acessórios Rolamentos Rolamentos FAG Ltda. Catálogo WL 41 520/3 P Designações, iniciadas com números Página 10 Rolamento autocompensador

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHAS TAMBOR DE DESCARGA DO TR-117K-06

RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHAS TAMBOR DE DESCARGA DO TR-117K-06 RELATÓRIO DE ANÁLISE DE FALHAS TAMBOR DE DESCARGA DO TR-117K-06 José Cleber Rodrigues da Silva, VALE JOSÉ CLÉBER RODRIGUES DA SILVA VALE 0UTUBRO - 2010 Sumário Introdução Visão Geral Desenvolvimento Analise

Leia mais

Calibradores de Minerais

Calibradores de Minerais uma Companhia Astec Industries Calibradores de Minerais Calibradores de Minerais/Calibradores de Rolos para Aplicações Primárias/Secundárias e Terciárias A gama Osborn de Calibradores de Rolos de Eixo

Leia mais

ENG1200 Mecânica Geral Semestre 2013.2 Lista de Exercícios 3 Equilíbrio de Corpos Rígidos

ENG1200 Mecânica Geral Semestre 2013.2 Lista de Exercícios 3 Equilíbrio de Corpos Rígidos ENG1200 Mecânica Geral Semestre 2013.2 Lista de Exercícios 3 Equilíbrio de Corpos Rígidos Questão 1 Prova P2-2013.1 A estrutura ilustrada na figura é sustentada por três cabos (BD, CD e EF) e uma rótula

Leia mais

Alta Performance no Controle de Vazão e Pressão de Óleo dos Mancais dos Ventiladores. Círculo de controle de qualidade Usinas de Pelotização I a IV

Alta Performance no Controle de Vazão e Pressão de Óleo dos Mancais dos Ventiladores. Círculo de controle de qualidade Usinas de Pelotização I a IV Alta Performance no Controle de Vazão e Pressão de Óleo dos Mancais dos Ventiladores. Círculo de controle de qualidade Usinas de Pelotização I a IV Vitória Espirito Santo. USINA DE PELOTIZAÇÃO FORNO DE

Leia mais

Prêmio AEA 2012 - Projetos de Meio Ambiente NOVA BRONZINA COM COBERTURA POLIMÉRICA PARA REDUÇÃO DE ATRITO E EMISSÃO DE CO 2

Prêmio AEA 2012 - Projetos de Meio Ambiente NOVA BRONZINA COM COBERTURA POLIMÉRICA PARA REDUÇÃO DE ATRITO E EMISSÃO DE CO 2 Prêmio AEA 2012 - Projetos de Meio Ambiente NOVA BRONZINA COM COBERTURA POLIMÉRICA PARA REDUÇÃO DE ATRITO E EMISSÃO DE CO 2 Matheus dos Santos Ferreira, Mário Sérgio da Silva Praça, Samantha Uehara, Sandra

Leia mais

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ Soluções das Questões de Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ º Exame de Qualificação 011 Questão 6 Vestibular 011 No interior de um avião que se desloca horizontalmente em relação ao

Leia mais

Rolamentos de Rolos Cilíndricos

Rolamentos de Rolos Cilíndricos Rolamentos de Rolos Cilíndricos Tolerância Página 52 Folga interna Página 64 axial Página 34 Modelos e Formatos Os Rolamentos de Rolos Cilíndricos NACHI são produzidos em uma larga variedade de projetos

Leia mais

Polias, Correias e Transmissão de Potência

Polias, Correias e Transmissão de Potência Polias, Correias e Transmissão de Potência Blog Fatos Matemáticos Prof. Paulo Sérgio Costa Lino Maio de 2013 Introdução Figura 1: Esquema de duas polias acopladas através de uma correia As polias são peças

Leia mais

Tolerância geométrica de forma

Tolerância geométrica de forma Tolerância geométrica de forma A UU L AL A Apesar do alto nível de desenvolvimento tecnológico, ainda é impossível obter superfícies perfeitamente exatas. Por isso, sempre se mantém um limite de tolerância

Leia mais

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 24/2015 ENGENHARIA MECÂNICA Campus Santos Dumont

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 24/2015 ENGENHARIA MECÂNICA Campus Santos Dumont Questão 01 O registro representado na Figura 1 é composto por vários componentes mecânicos, muitos deles, internamente à caraça. Peças com essa característica são difíceis de representar em desenhos técnicos,

Leia mais

EVERYWHERE YOU TURN TM

EVERYWHERE YOU TURN TM EVERYWHERE YOU TURN Proposta de valor Vida útil prolongada* Lubrificação em áreas múltiplas Recurso dinâmico de alinhamento Livre de manutenção sem necessidade de relubrificação diária Economize tempo

Leia mais

Fábrica de Mancais Curitiba Ltda

Fábrica de Mancais Curitiba Ltda Caixas SNH e SN30 Fábrica de Mancais Curitiba Ltda SNH As caixas de rolamentos com base SNH foram projetadas para possibilitar maior flexibilidade na escolha do rolamento, vedação e lubrificação. Foram

Leia mais

Elementos de Fixação uma nova visão. Roberto Garcia 11 Agôsto 2011

Elementos de Fixação uma nova visão. Roberto Garcia 11 Agôsto 2011 Roberto Garcia 11 Agôsto 2011 A N A L O G I A S U M Á R I O CLASSIFICAÇÃO DO ELEMENTO DE FIXAÇÃO CAPACIDADE ( Força Tensora ) DO ELEMENTO DE FIXAÇÃO FORÇA DE UNIÃO T O R Q U E PROCESSO DE TORQUE C O N

Leia mais

TEORIA UNIDIMENSIONAL DAS

TEORIA UNIDIMENSIONAL DAS Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS HIDRÁULICAS AT-087 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br INTRODUÇÃO: O conhecimento das velocidades do fluxo de

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM 82 CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM 83 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM Nas operações de soldagem, principalmente as que envolvem a fusão dos materiais, temos uma variação não uniforme e

Leia mais

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado

Lubrificação IV. Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança. Sistema selado A U A UL LA Lubrificação IV Introdução Notou-se excessivo ruído no sistema de mudança da caixa de câmbio de um automóvel. Um mecânico verificou que a caixa de câmbio estava com problemas por falta de óleo.

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2015 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Uma mola comprimida por uma deformação x está em contato com um corpo de massa m, que se encontra

Leia mais

Serras circulares. A forma dos dentes, bem como os ângulos de corte, variam com o tipo de operação e com a natureza do material que vai ser serrado.

Serras circulares. A forma dos dentes, bem como os ângulos de corte, variam com o tipo de operação e com a natureza do material que vai ser serrado. Serras circulares Serras circulares são discos dentados que trabalham em máquinas muito solicitadas em marcenarias, carpintarias e serrarias. Estas serras efetuam cortes longitudinais, paralelos, transversais

Leia mais

TECNOLOGIA MECÂNICA. Aula 04. Carregamento Axial Tensão Normal

TECNOLOGIA MECÂNICA. Aula 04. Carregamento Axial Tensão Normal FACULDADE DE TECNOLOGIA SHUNJI NISHIMURA POMPÉIA TECNOLOGIA MECÂNICA Aula 04 Carregamento Axial Tensão Normal Prof. Me. Dario de Almeida Jané Mecânica dos Sólidos - Revisão do conceito de Tensão - Carregamento

Leia mais

Plantadeira de Micro-Trator 1 Linha - Plantio Direto e Convencional Instruções do Operador

Plantadeira de Micro-Trator 1 Linha - Plantio Direto e Convencional Instruções do Operador R Plantadeira de Micro-Trator 1 Linha - Plantio Direto e Convencional Instruções do Operador INDÚSTRIA MECÂNICA KNAPIK LTDA. Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 - CEP 89400-000 - Porto União - SC Site: www.knapik.com.br

Leia mais

Pedro Rocha 2015-10-15

Pedro Rocha 2015-10-15 Pedro Rocha 2015-10-15 Circulação O veiculo não pode sair do centro para se posicionar nas linhas ou áreas de inspeção Via de fuga Evitar o cruzamento de veículos 2 As linhas devem ser estruturadas para

Leia mais

5 Estações elevatórias (EE)

5 Estações elevatórias (EE) 5 Estações elevatórias (EE) Esgotamento por gravidade mais econômico Estudo prévio comparativo outras soluções Todavia, são necessárias EE nos casos de: Terrenos planos e extensos Esgotamento de áreas

Leia mais

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD

Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dados técnicos Guindaste sobre esteiras HS 895 HD Dimensões Máquina básica com carro inferior R 9760 3650 10000 5480 3675 2445 1810 3950 1610 1700 7945 9360 3975 1720 R 6360 1100 6800 620 17380 Peso operacional

Leia mais

Qu e f a z j u s a o s e u n o m e

Qu e f a z j u s a o s e u n o m e Ma n c a i s Co m p l e t o s ISN Do d g e Ma n c a i s Completos ISN DODGE Conjuntos Montados com Rolamentos Autocompensadores de Rolos Qu e f a z j u s a o s e u n o m e Há mais de 125 anos, a marca

Leia mais

Bomba Multestágio Bipartida Axialmente

Bomba Multestágio Bipartida Axialmente Linha BCI Alta Pressão Bomba Multestágio Bipartida Axialmente A IMBIL amplia sua linha de bombas engenheradas, disponibilizando ao mercado uma linha de bomba multiestagio bi-partida axialmente com o que

Leia mais

Válvula da ilustração: MONOVAR DN2000 (80 )

Válvula da ilustração: MONOVAR DN2000 (80 ) SAPAG MONOVAR é a válvula de dissipação de energia. Características Design extremamente simples (patenteado) Características de cavitação excelentes Regulação de caudal ou de pressão muito precisos Controlo

Leia mais

Terceira Lista de Exercícios

Terceira Lista de Exercícios Universidade Católica de Petrópolis Disciplina: Resitência dos Materiais I Prof.: Paulo César Ferreira Terceira Lista de Exercícios 1. Calcular o diâmetro de uma barra de aço sujeita a ação de uma carga

Leia mais

Alimentação de Caldeiras Alcooldutos Pipe Line. Bomba Multestágio Bipartida Axialmente. Soluções em Bombeamento

Alimentação de Caldeiras Alcooldutos Pipe Line. Bomba Multestágio Bipartida Axialmente. Soluções em Bombeamento Linha Alimentação de Caldeiras Alcooldutos Pipe Line Bomba Multestágio Bipartida Axialmente Soluções em Bombeamento Soluções em Bombeamento A IMBIL amplia sua linha de bombas engenheradas, disponibilizando

Leia mais

UNICAMP - 2006. 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UNICAMP - 2006. 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UNICAMP - 2006 2ª Fase FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Um corredor de 100 metros rasos percorre os 20 primeiros metros da corrida em 4,0 s com aceleração constante. A velocidade

Leia mais

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1 4 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Os acoplamentos ACRIFLEX AG são compostos por dois cubos simétricos de ferro fundido cinzento, e um elemento elástico alojado entre eles, de borracha sintética de elevada resistência

Leia mais

Manual de Instalação e Operação

Manual de Instalação e Operação Manual de Instalação e Operação Suporte para amostras de pequeno porte e engastadas modelo SB-AP ATCP Engenharia Física Rua Lêda Vassimon, n 735-A - Ribeirão Preto - SP / Brasil CEP 14026-567 Telefone:

Leia mais

AULA 33 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE

AULA 33 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE AULA 33 PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE 257 33. PROCESSO DE RETIFICAÇÃO: OPERAÇÕES DE CORTE 33.1. Introdução As peças que serão retificadas, normalmente, chegam à retificadora com um sobremetal

Leia mais

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens A UU L AL A Um conjunto de engrenagens cônicas pertencente a uma máquina começou a apresentar ruídos estranhos. O operador da máquina ficou

Leia mais

KISSsoft 03/2014 Tutorial 6

KISSsoft 03/2014 Tutorial 6 KISSsoft 03/2014 Tutorial 6 Editor de Eixos-Árvore KISSsoft AG Rosengartenstrasse 4 8608 Bubikon Suiça Telefone: +41 55 254 20 50 Fax: +41 55 254 20 51 info@kisssoft.ag www.kisssoft.ag Índice 1 Começando

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 115, de 29 de junho de 1998 O Presidente do Instituto Nacional

Leia mais

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências:

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências: Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Os elevadores de correias a caçambas são os equipamentos mais comuns e econômicos para o movimento vertical de materiais

Leia mais