PROGRAMA DE PREVENÇÃO DO CANCER CERVICAL DE MANITOBA PAPA NICOLAU. Entenda os resultados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE PREVENÇÃO DO CANCER CERVICAL DE MANITOBA PAPA NICOLAU. Entenda os resultados"

Transcrição

1 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DO CANCER CERVICAL DE MANITOBA PAPA NICOLAU Entenda os resultados The Manitoba Cervical Cancer Screening Program is a program of Manitoba Health, managed by CancerCare Manitoba All translated materials completed in partnership with Sexuality Education Resource Centre

2 O que é o exame Papa Nicolau? O Papa Nicolau é um exame que pode encontrar mudanças na cérvix. Durante um exame Papa Nicolau, células são retiradas da cérvix feminina, colocadas em lâminas e enviadas para o laboratório onde serão examinadas. Em muitos casos estas células são normais e em certas ocasiões elas poderão ser anormais. Geralmente, estas células anormais, denominadas displasia cervical, não são cancerosas. Na maioria dos casos elas nunca se transformam em cancro. Algumas vezes com o passar do tempo estas células podem crescer e se tornar cancerosas. Um exame Papa Nicolau detecta a displasia cervical e alerta o seu médico antes disso acontecer. Se o laboratório encontrar células anormais, o seu médico vai ser notificado. Você será contactada se o resultado for anormal. Quando fizer o exame Papa Nicolau, é muito importante perguntar como e quando você será notificada. Fazer exames Papa Nicolau regularmente e acompanhar as mudanças anormais evita muitos casos de cancro da cérvix. A maioria das mulhers com cancro cervical não foram examinadas nos últimos 5 anos ou nunca fizeram este exame. Com que frequência devo fazer o exame Papa Nicolau? A maioria das mulheres precisam fazer o exame Papa Nicolau uma vez por ano durante três anos. Se estes resultados são normais então o exame é feito somente de dois em dois anos. Consulte o médico ou enfermeira sobre o que é melhor no seu caso. Onde faço o exame Papa Nicolau? Para fazer um exame Papa Nicolau você precisa ir ao médico, enfermeira ou clínica comunitária. Verifique com eles se precisa marcar consulta.

3 O que é a cérvix e onde ela está localizada? O útero é constituído de duas partes. A parte superior é o local onde o feto cresce. A cérvix é a parte inferior e ela une o útero à vagina. Células anormais (displasia cervical) podem se desenvolver nesta abertura do útero. TROMPAS DE FALÓPIO ÚTERO OVÁRIO CANAL CERVICAL VAGINA CÉRVIX Se o meu exame Papa Nicolau é anormal, então eu tenho cancro? Não, nem sempre esta anormalidade é cancro Em vários casos, o resultado anormal do exame Papa Nicolau não significa cancro. O motivo mais comum é uma infecção na vagina ou na cérvix. Quase sempre as células anormais detectadas por um exame Papa Nicolau desaparecem sem tratamento. Mas em alguns casos elas precisam ser tratadas. A maioria das mulheres que recebem resultados anormais e fazem exames subsequentes e/ou tratamento, nunca terão cancro na cérvix. Atenda todas as consultas se receber resultado anormal do exame Papa Nicolau. A maioria do cancro cervical é prevenido quando as mulheres fazem regularmente os exames Papa Nicolau e acompanham as mudanças anormais.

4 O exame Papa Nicolau é exato? O exame Papa Nicolau é o modo de avaliação existente mais efectivo para descobrir as células anormais que podem levar ao cancro cervical. Mas este exame não é perfeito! Um único exame Papa Nicolau não é considerado 100% exato por várias razões, incluindo: 1. Células anormais podem ser removidas antes do exame por duches, lubrificantes ou atividade sexual antes do teste. 2. Pode acontecer o extravio de algumas células quando se faz o exame. 3. No laboratório, células anormais não foram vistas nas lâminas. 4. Células normais foram vistas como se elas fossem anormais. A maioria dos cancros cervicais crescem devagar. Fazer o exame Papa Nicolau a cada dois anos reduz a possibilidade de não encontrar as células anormais e aumenta a oportunidade de encontrar e tratar com sucesso as células anormais.

5 O que o resultado do meu exame Papa Nicolau significa realmente? A maioria dos exames Papa Nicolau voltam com resultado normal, apenas cerca de um em cada dez é anormal. São descritos a seguir os termos usados para explicar resultados de exames Papa Nicolau. Termos usados para explicar a qualificação geral das amostras de células retiradas da sua cérvix: Palavras O que significam O que você encontradas deve fazer Satisfatório Para Avaliação Presença de Transformação da Zona Celular O laboratório analisou as células do seu exame Papa Nicolau. A presença de transformação da zona celular simplesmente descreve a área da cérvix de onde as células foram retiradas. Transformação da zona celular nem sempre é visível mas mesmo assim o diagnóstico pode ser feito. Insatisfatório Algumas vezes existem Faça outro exame para Avaliação problemas relacionados com Papa Nicolau a análise das células do depois de 3 meses. seu exame Papa Nicolau. Pode ser que as células A repetição deste retiradas para a amostra exame é necessária não foram suficientes, devido a havia sangue misturado dificuldade com as células, ou por encontrada em muitas outras razões. analisar as células e não é por causa de anormalidade encontrada.

6 Termos usados para descrever os tipos de células analisadas nas lâminas: Palavras encontradas O que significam Negativo para Lesão Intraepitelial ou Maligna Células anormais não foram vistas. Organismos e/ou Inflamação Reparação Reativa de Organismos Células endometriais ASC-US (células escamosas atípicas - significado desconhecido) Provavelmente você tem uma infecção ou algum tipo de irritatação na sua cérvix. Consulte o seu médico se encontrar as palavras: trichnomonas, actinomyces, chlamydia ou herpes virus effects. Células endometriais podem ser insignificantes mas podem indicar que mais exames precisam ser feitos. Células anormais na cérvix não podem ser identificadas claramente como anormal ou normal. LSIL (lesão intraepitelial escamosa de baixo teor) HSIL (lesão intraepitelial escamosa de alto teor) ASC-H (células escamosas atípicas não exclui HSIL) O laboratório detectou displasia moderada na sua cérvix. Moderada ou severa displasia foi encontrada. Este resultado é mais sério que o LSIL, mas é importante lembrar que em muitos casos isso é uma displasia e não é cancro. Células anormais foram encontradas e são possivelmente HSIL. Carcinoma Escamoso Você pode ser portadora de cancro. AGC (células glandulares atípicas) Pode haver anormalidade nas células glandulares da cérvix, útero ou ovário. Visite o seu médico ou enfermeira se tiver sangramento anormal, secreção de líquido ou dor. Não espere o seu próximo exame Papa Nicolau.

7 O que você deve fazer Faça três testes com este diagnóstico, uma vez por ano durante três anos. Depois faça o exame Papa Nicolau de dois em dois anos. É importante lembrar que o exame Papa Nicolau não é usado para encontrar Infecção Transmitida Sexualmente ITS, (STI). Se você pensa que está com STI, converse com o seu médico ou enfermeira a respeito de ser indicada para fazer outros exames. Consulte o seu médico ou enfermeira, porque pode ser necessário fazer mais exames. O exame PAPA NICOLAU precisa ser repetido. Se o resultado for ASC- US novamente, você deve fazer um exame mais sensitivo chamado colposcopia. Provavelmente o exame PAPA NICOLAU precisa ser repetido dentro de seis meses. Se o LSIL persistir, você precisa fazer uma colposcopia. O seu médico marca uma visita para você fazer uma colposcopia. O seu médico marca uma visita para você fazer uma colposcopia. O seu médico marca uma visita para você fazer uma colposcopia e uma biopsia. O seu médico marca uma visita para você fazer uma colposcopia. É importante seguir estas instruções mesmo que recentemente tenha feito um exame Papa Nicolau o qual foi negativo referente a lesão intraepitelial ou maligno.

8 O que são amostras de lâminas rejeitadas? O laboratório rejeita lâminas quebradas ou que não estão bem identificadas. Se as lâminas são rejeitadas, elas serão destruídas pelo laboratório e não haverá portanto um resultado disponível. Você deve repetir o exame Papa Nicolau depois de 3 meses. Esta repetição de exame é devido a problemas com a lâmina: amostra insuficiente ou informação incompleta entre a lâmina e a requisição. E não é devido à descoberta de anormalidades. E se eu precisar repetir o exame Papa Nicolau? Se precisar repetir o exame Papa Nicolau, espere no minímo 3 meses para permitir que as células da cérvix se multipliquem. Haverá então células disponíveis, suficiente para outra amostra. Marque outro exame Papa Nicolau logo que: Qualquer infecção vaginal ou cervical, corrimento ou STD - Doença Sexualmente Transmitida (DST) for tratada (espere 2 semanas depois da última dose do remédio). A sua menstruação parar completamente. Também: 1. Não use tampão, duches, cremes e/ou pulverizador por 48 horas antes do seu exame Papa Nicolau. 2. Não tenha relações sexuais por 24 horas antes do seu exame. 3. Informe o seu médico se tiver qualquer problema de saúde ou alergias.

9 Células cervicais anormais. O que acontece em seguida? O que é uma colposcopia? Uma colposcopia é um exame da cérvix e da vagina que utiliza um instrumento magnificador de baixa-voltagem conhecido como colposcópio. Isso é feito para avaliar qualquer anormalidade na sua cérvix e determinar se tratamento é necessário. Um(a) ginecologista especializado(a) em colposcopia performa o exame. Você deve: - marcar a visita para o exame para quando não estiver menstruada - informar o médico ou enfermeira se você tem alergia a iodo ou a marisco antes do exame Mesmo durante a gravidez você pode fazer o exame colposcópico.

10 Você deita-se numa mesa de exame e coloca os seus pés em estribos (pedal para colocar os pés, como os usados no exame pélvico) exatamente como foi feito no seu exame Papa Nicolau. O especialista gentilmente coloca um refletor dentro da sua vagina separando os dois lados e desta forma a sua cérvix pode ser vista mais claramente. O colposcópio é então colocado perto da abertura da sua vagina. Por causa da lente magnificadora o médico tem uma visão melhor da sua cérvix. Em certos consultórios, existe um pequeno monitor ao lado da mesa de exame no qual você pode ver a sua cérvix, se desejar. O médico tinge a cérvix com uma solução colorante. Esta solução muda de cor quando entra em contacto com as células doentes, permitindo assim, que o médico veja a diferença entre as células saudáveis e anormais. Se houver células anormais uma biopsia pode então ser feita neste momento. O exame colposcópico completo demora entre minutos e normalmente não é dolorido.

11 Cérvix saudável através da colposcopia

12 Quais são os tratamentos para células anormais? Os tratamentos para células anormais são: cirurgia de raio laser, LEEP ou LLETZ e biopsia conífera. Se vai fazer qualquer um destes tratamentos, antes do exame informe o médico ou enfermeira: -se pensa que está grávida -se tem alergia a iodo ou a mariscos. O que é a cirurgia de raio laser? Cirurgia de raio laser é um tratamento que usa um intenso, raio de luz estreito (chamado raio laser) para remover células anormais. Porque o raio laser pode ser focalizado precisamente em uma pequena área, ele é usado frequentemente como tratamento para displasia cervical. O tratamento dura cerca de 10 minutos. Você é posicionada como se fosse fazer o exame Papa Nicolau e um refletor é colocado dentro da sua vagina. Soluções de vinagre e iodo serão colocadas na cérvix. Anestesia local é então usada. O raio laser é apontado para a área da sua cérvix que precisa do tratamento. Um efeito colateral comum da cirurgia de raio laser é uma secreção aquosa que pode durar até duas semanas. Traga um tampão para usar depois do tratamento.

13 O que é LEEP? LEEP é uma abreviação para o método de excisão elétrico-cirúrgico por conexão. Geralmente é feita pelo mesmo médico que fez a colposcopia. É feita no consultório do colposcopista. O tratamento dura cerca de 10 minutos. Você é posicionada como se fosse fazer o exame Papa Nicolau e um refletor é colocado dentro da sua vagina. Soluções de vinagre e iodo serão colocadas na cérvix. Depois de congelar a área com anestesia local (congelamento) um fio, em forma de lupa, com circuito eléctrico é colocado dentro da vagina e todo tecido anormal é removido. Você deve sentir uma breve sensação morna. Espere uma secreção de cor castanha/preta durante mais ou menos duas semanas. Traga um tampão para usar depois do tratamento.

14 O que é uma biopsia conífera? Uma biopsia conífera é a remoção de uma amostra de tecido no formato de um cone. O tecido removido fornece uma amostra maior para o diagnóstico, do que em uma simples biopsia. Uma biopsia conífera é feita geralmente no método de cirurgia onde os doentes voltam para casa no mesmo dia. Se foram encontradas células cancerosas, a biopsia conífera também determina se estas células se espalharam ou não para os outros orgãos. Algumas vezes a biopsia conífera é também o tratamento, se o médico, de facto, removeu todas as células anormais que estavam presentes.

15 Como obtenho meus resultados? Você pode obter os resultados sobre qualquer exame feito para a prevenção do cancer cervical com: Seu médico, enfermeira (profissional da área médica) ou Telefone para o Registro do Cancer Cervical de Manitoba no número ou chamada gratuita de longa distancia , para receber pelo correio uma cópia grátis dos seus resultados. Por favor veja a Brochura: Registro - Factos e Informação Fachbezogene Informationen verfügbar durch:

16 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DO CANCER CERVICAL DE MANITOBA Informação relacionada disponível: Program de Prevenção do Cancer Cervical de Manitoba 5-25 Rua Sherbrook Winnipeg, MB R3C 2B1 Chamada gratuita: Marcador de Página Toda mulher precisa saber a respeito do exame Papa Nicolau Brochuras Registro Factos e Informação HPV O que todas as pessoas precisam saber a respeito do HPV genital Vídeos Exame Papa Nicolau Colposcopia O que toda mulher precisa saber *Nota os vídeos estão disponíveis nas bibliotecas públicas de Manitoba* Portugese 08/07

REGISTRO FACTOS & INFORMAÇÃO. The Manitoba Cervical Cancer Screening Program is a program of Manitoba Health, managed by CancerCare Manitoba

REGISTRO FACTOS & INFORMAÇÃO. The Manitoba Cervical Cancer Screening Program is a program of Manitoba Health, managed by CancerCare Manitoba PROGRAMA DE PREVENÇÃO DO CANCER CERVICAL DE MANITOBA REGISTRO FACTOS & INFORMAÇÃO The Manitoba Cervical Cancer Screening Program is a program of Manitoba Health, managed by CancerCare Manitoba All translated

Leia mais

RASTREIO COLOPOCITOLÓGICO: NOVAS RECOMENDAÇÕES

RASTREIO COLOPOCITOLÓGICO: NOVAS RECOMENDAÇÕES Fórum Unimed-Rio de Ginecologia RASTREIO COLOPOCITOLÓGICO: NOVAS RECOMENDAÇÕES VERA FONSECA Diretora Administrativa da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) Presidente

Leia mais

CANCER DE COLO DE UTERO FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE COLO DE UTERO FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE COLO DE UTERO FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE COLO DE UTERO O câncer de colo uterino é o câncer mais comum entre as mulheres no Brasil, correspondendo a, aproximadamente,

Leia mais

Despiste de cancro do colo do útero: O exame colposcópico. Orientações atualizadas

Despiste de cancro do colo do útero: O exame colposcópico. Orientações atualizadas Despiste de cancro do colo do útero: O exame colposcópico Orientações atualizadas Page 2 Porque tenho eu de ir à consulta colposcópica? Foi-lhe pedido que fizesse um exame complementar devido ao seu exame

Leia mais

PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO SENADO FEDERAL PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Previna o câncer do colo do útero apresentação O câncer do colo do útero continua matando muitas mulheres. Especialmente no Brasil,

Leia mais

Nomenclatura Brasileira. Norma Imperio DIPAT

Nomenclatura Brasileira. Norma Imperio DIPAT Nomenclatura Brasileira Norma Imperio DIPAT O momento mais eletrizante de minha carreira foi quando descobri que era capaz de observar células cancerosas num colo do útero através do esfregaço George Nicholas

Leia mais

Despiste de cancro do colo do útero: É melhor fazer o exame. Orientações atualizadas

Despiste de cancro do colo do útero: É melhor fazer o exame. Orientações atualizadas Despiste de cancro do colo do útero: É melhor fazer o exame Orientações atualizadas Page 2 Este folheto contém informação sobre o cancro do colo do útero na Irlanda do Norte e irá ajudá-la a compreender

Leia mais

Desdobrável de informação ao paciente

Desdobrável de informação ao paciente Desdobrável de informação ao paciente Cancro do colo do útero Secções para este tópico: Introdução Sintomas Causas Diagnóstico Tratamento Prevenção Bibliografia Parceiros de informações Introdução O cancro

Leia mais

Exame de despiste de cancro do colo do útero: Explicação dos seus resultados. Orientações atualizadas

Exame de despiste de cancro do colo do útero: Explicação dos seus resultados. Orientações atualizadas Exame de despiste de cancro do colo do útero: Explicação dos seus resultados Orientações atualizadas Page 2 Este folheto explicar-lhe-á os resultados do seu exame ao colo do útero, que visa detetar quaisquer

Leia mais

BETHESDA 2001 Versão portuguesa

BETHESDA 2001 Versão portuguesa Citologia ginecológica em meio líquido BETHESDA 2001 Versão portuguesa Exemplos de Relatório Satisfatória, com representação da zona de transformação Anomalias de células epiteliais pavimentosas Interpretação

Leia mais

Cancer de Colo do Útero

Cancer de Colo do Útero Cancer de Colo do Útero Câncer de colo do útero são alterações celulares que tem uma progressão gradativa e é por isto que esta é uma doença curável quando descoberta no início. Esta é a razão do exame

Leia mais

No interior do corpo de uma mulher

No interior do corpo de uma mulher No interior do corpo de uma mulher Estas são as trompas de Falópio. Elas conectam os ovários ao útero. Esta é a vagina. Ela conecta o útero com a parte exterior do corpo de uma mulher. Se olhar entre as

Leia mais

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015

DIAGNÓSTICO MÉDICO DADOS EPIDEMIOLÓGICOS FATORES DE RISCO FATORES DE RISCO 01/05/2015 01/05/2015 CÂNCER UTERINO É o câncer que se forma no colo do útero. Nessa parte, há células que podem CÂNCER CERVICAL se modificar produzindo um câncer. Em geral, é um câncer de crescimento lento, e pode

Leia mais

Citologia oncótica pela Colpocitologia

Citologia oncótica pela Colpocitologia ALTERAÇÕES ESCAMOSAS NÃO-REATIVAS NILM = negativo p/ lesão intra-epitelial cervical ASCUS e ASCH = células escamosas atípicas de significado indeterminado SIL = lesão intra-epitelial escamosa LSIL e HSIL

Leia mais

CONDUTA APÓS CITOLOGIA LESÃO INTRA-EPITELIAL DE ALTO GRAU MARIA INES DE MIRANDA LIMA

CONDUTA APÓS CITOLOGIA LESÃO INTRA-EPITELIAL DE ALTO GRAU MARIA INES DE MIRANDA LIMA IVX CONGRESSO PAULISTA DE GINECOLOGIA E OBSTETRICIA CONDUTA APÓS CITOLOGIA LESÃO INTRA-EPITELIAL DE ALTO GRAU MARIA INES DE MIRANDA LIMA Lesão intra-epitelial de alto grau:hsil: Qual o significado? NIC

Leia mais

ATIPIAS DE SIGNIFICADO INDETERMINADO

ATIPIAS DE SIGNIFICADO INDETERMINADO ATIPIAS DE SIGNIFICADO INDETERMINADO COMO CONDUZIR O SEU DIAGNÓSTICO RODRIGUES M. ATIPIA DE SIGNIFICADO INDETERMINADO O QUE SIGNIFICA? RODRIGUES M. ATIPIA DE SIGNICADO INDETERMINADO POR QUE? AS ALTERAÇÕES

Leia mais

Os cientistas da Cancer Research UK estimam que até 4.500 vidas serão salvas anualmente em Inglaterra pelo rastreio cervical.

Os cientistas da Cancer Research UK estimam que até 4.500 vidas serão salvas anualmente em Inglaterra pelo rastreio cervical. CERVICAL SCREENING PORTUGUESE Os Factos RASTREIO CERVICAL (TESTE DE PAP) PORTUGUÊS Os Factos O que é o rastreio cervical (Teste de Pap)? O rastreio cervical não é um exame de diagnóstico do cancro cervical.

Leia mais

Principais formas de cancro na idade adulta

Principais formas de cancro na idade adulta Rastreio do cancro na idade adulta Principais formas de cancro na idade adulta Cancro do colo do útero Cancro da mama Cancro do cólon Cancro testicular Cancro da próstata SINAIS DE ALERTA O aparecimento

Leia mais

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis SLIDE 1 Introdução do trabalho: Bom dia, estamos aqui para falar a cerca das infeções sexualmente transmissíveis, os problemas associados e o modo

Leia mais

AGC sem especificação e AGC favorece neoplasia O que fazer? Yara Furtado

AGC sem especificação e AGC favorece neoplasia O que fazer? Yara Furtado AGC sem especificação e AGC favorece neoplasia Yara Furtado Atipias de Células Glandulares Bethesda 1991 Bethesda 2001 Células Glandulares *Células endometriais, benignas, em mulheres na pós-menopausa

Leia mais

O perfil do Citotecnologista em Angola

O perfil do Citotecnologista em Angola HOSPITAL MILITAR PRINCIPAL/ INSTITUTO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE ANATOMIA PATOLÓGICA O perfil do Citotecnologista em Angola Elaborado pela Alice Soares da Silva, Chefe técnica de citologia do Departamento

Leia mais

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae.

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Chamado de HPV, aparece na forma de doenças como condiloma acuminado, verruga genital ou crista de galo. -Há mais de 200 subtipos do

Leia mais

ATLAS DE CITOLOGIA GINECOLÓGICA. José Eleutério Junior 2008

ATLAS DE CITOLOGIA GINECOLÓGICA. José Eleutério Junior 2008 ATLAS DE CITOLOGIA GINECOLÓGICA José Eleutério Junior 2008 1 ATLAS DE CITOLOGIA GINECOLÓGICA 1ª Edição Todos direitos reservados ao autor Eleutério Jr J. ATLAS DE CITOLOGIA GINECOLÓGICA Assunto: Ciências

Leia mais

Atualização das Diretrizes Brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero

Atualização das Diretrizes Brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero Atualização das Diretrizes Brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero CERVICOLP 2011 - XXII CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PTGI E COLPOSCOPIA 29/9 a 01/10/2011 Fábio Russomano Possíveis conflitos

Leia mais

Prevenção do Câncer do Colo do Útero. Profissionais de Saúde

Prevenção do Câncer do Colo do Útero. Profissionais de Saúde Prevenção do Câncer do Colo do Útero Manual Técnico Profissionais de Saúde Ministério da Saúde Brasília, 2002 Apresentação No Brasil existem cerca de seis milhões de mulheres entre 35 a 49 anos que nunca

Leia mais

CITOLOGIA ONCÓTICA CÂNCER

CITOLOGIA ONCÓTICA CÂNCER CITOLOGIA ONCÓTICA Neoplasia: crescimento desordenado de células, originando um tumor (massa de células) Tumor benigno: massa localizada de células que se multiplicam vagarosamente e se assemelham ao seu

Leia mais

QUAIS OS TIPOS DE HPV MAIS COMUNS QUE PODEM CAUSAR CÂNCER?

QUAIS OS TIPOS DE HPV MAIS COMUNS QUE PODEM CAUSAR CÂNCER? O QUE É O HPV? Sigla para Papilomavírus Humano, são vírus capazes de infectar a pele ou a mucosa. Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV, dos quais 40 podem infectar o trato genital e, destes, 12

Leia mais

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozoides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e ocorrer a fecundação. Espermicidas

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Exame Papanicolaou. Câncer do Colo do Útero. Resultados.

PALAVRAS-CHAVE Exame Papanicolaou. Câncer do Colo do Útero. Resultados. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X) SAÚDE

Leia mais

25 de Abril Quinta-feira RASTREIO DO CANCRO DO COLO DO ÚTERO E IMUNOPROFILAXIA PARA O HPV. Joaquim Neves

25 de Abril Quinta-feira RASTREIO DO CANCRO DO COLO DO ÚTERO E IMUNOPROFILAXIA PARA O HPV. Joaquim Neves 2013 25 de Abril Quinta-feira RASTREIO DO CANCRO DO COLO DO ÚTERO E IMUNOPROFILAXIA PARA O HPV Joaquim Neves Material de colheita de amostras para colpocitologia JOAQUIM NEVES Exocervix - espátula; escova;

Leia mais

DA MULHER Manual prático para viver com saúde os melhores anos da vida

DA MULHER Manual prático para viver com saúde os melhores anos da vida Dr. JOSÉ BENTO Médico ginecologista e obstetra A MELHOR IDADE DA MULHER Manual prático para viver com saúde os melhores anos da vida Sumário Apresentação... 7 Introdução... 11 Capítulo 1 Um corpo de mudanças...

Leia mais

Prevenção do cancro do colo do útero

Prevenção do cancro do colo do útero Prevenção do cancro do colo do útero TERESA ALVES* *Assistente Graduada de Clínica Geral. CS da Venda Nova INTRODUÇÃO EDITORIAIS E m todo o mundo o cancro do colo do útero é a terceira causa de morte por

Leia mais

CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Maria da Conceição Muniz Ribeiro

CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Maria da Conceição Muniz Ribeiro CÂNCER DO COLO DO ÚTERO Maria da Conceição Muniz Ribeiro O câncer do colo do útero, também chamado de cervical, demora muitos anos para se desenvolver. As alterações das células que podem desencadear o

Leia mais

Minha filha está ficando uma moça!

Minha filha está ficando uma moça! Minha filha está ficando uma moça! A UU L AL A O que faz as meninas se transformarem em mulheres? O que acontece com seu corpo? Em geral, todos nós, homens e mulheres, somos capazes de lembrar muito bem

Leia mais

detecção do cancro do cólon

detecção do cancro do cólon Um guia sobre a detecção do cancro do cólon Por que motivo devo fazer o exame de rastreio?...because...porque I have todos a eles lot dependem of cooking to do. de mim....because...porque I have as minhas

Leia mais

Simone Maia, CMIAC ANACITO / SLAC sevaristo@uol.com.br

Simone Maia, CMIAC ANACITO / SLAC sevaristo@uol.com.br Simone Maia, CMIAC ANACITO / SLAC sevaristo@uol.com.br Coleta do Canal Endocervical As células da endocérvice são um componente chave do esfregaço, o qual indica que a zona de transformação está representada.

Leia mais

Rastreio em situações especiais Diretrizes Brasileiras, 2011

Rastreio em situações especiais Diretrizes Brasileiras, 2011 Gestantes; Pós-menopausa; Histerectomizadas; Mulheres sem história de atividade sexual; Imunossuprimidas. Gestantes Mesmo risco que não gestantes de apresentarem câncer do colo do útero ou seus precursores.

Leia mais

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozóides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e de haver fecundação. Espermicidas (sob a forma de óvulos,

Leia mais

DST/HIV PASSATEMPOS. Conhecer para prevenir. Bom pra cabeça. l CAÇA-PALAVRAS l DIRETOX l DOMINOX

DST/HIV PASSATEMPOS. Conhecer para prevenir. Bom pra cabeça. l CAÇA-PALAVRAS l DIRETOX l DOMINOX DST/HIV Conhecer para prevenir Bom pra cabeça PASSATEMPOS l CAÇA-PALAVRAS l DIRETOX l DOMINOX l código secreto E MUITO MAIS! 2 coquetel Uma das grandes preocupações do Ministério da Saúde é a prevenção

Leia mais

avaliar : como Prof Simone Maia Presidente ANACITO presidente@anacito.org.br

avaliar : como Prof Simone Maia Presidente ANACITO presidente@anacito.org.br avaliar : como Prof Simone Maia Presidente ANACITO presidente@anacito.org.br Alteracoes pos radioterapia e quimioterapia: como avaliar Os efeitos iatrogênicos causados na morfologia do epitélio pela radioterapia

Leia mais

Radioterapia no Cancro do Pulmão

Radioterapia no Cancro do Pulmão Editado em: Novembro de 2006 Apoio: Radioterapia no Cancro do Pulmão Comissão de Pneumologia Oncológica Sociedade Portuguesa de Pneumologia ÍNDICE A Comissão de Pneumologia Oncológica agradece ao autor

Leia mais

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata O Câncer de Próstata O câncer de próstata é o segundo tumor mais comum no sexo masculino, acometendo um em cada seis homens. Se descoberto no início, as chances de cura são de 95%. O que é a Próstata A

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs VAMOS FALAR SOBRE AIDS + DSTs AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

06/02/2012. Sinais e Sintomas SINAIS E SINTOMAS APARELHO REPRODUTOR FEMININO SEMIOLOGIA. Anamnese Sistema Genital Feminino

06/02/2012. Sinais e Sintomas SINAIS E SINTOMAS APARELHO REPRODUTOR FEMININO SEMIOLOGIA. Anamnese Sistema Genital Feminino CENTRO UNIVERSITÁRIO - UNA CURSO: ENFERMAGEM APARELHO REPRODUTOR FEMININO SEMIOLOGIA Anamnese Sistema Genital Feminino Idade da menarca Duração do fluxo Periodicidade ou intervalo entre as menstruações.

Leia mais

GUIA PARA PACIENTES. Anotações

GUIA PARA PACIENTES. Anotações Anotações ENTENDENDO DO OS MIOMAS MAS UTERINOS GUIA PARA PACIENTES 1620641 - Produzido em maio/2010 AstraZeneca do Brasil Ltda. Rodovia Raposo Tavares, km 26,9 CEP 06707-000 - Cotia/SP ACCESS net/sac 0800

Leia mais

Papilomavírus Humanos (HPV) Virologia MIP Instituto Biomédico Universidade Federal Fluminense

Papilomavírus Humanos (HPV) Virologia MIP Instituto Biomédico Universidade Federal Fluminense Papilomavírus Humanos (HPV) Virologia MIP Instituto Biomédico Universidade Federal Fluminense Características principais Agente etiológico das verrugas (tumores epiteliais benignos) Infectam epitélio de

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes Este módulo tem por objectivo ensinar aos alunos o modo como a actividade sexual pode levar à transmissão de micróbios e doenças. O Capítulo 2.3, Infecções Sexualmente Transmissíveis, ensina aos alunos

Leia mais

E R BO SRA AL F S s O TS M D + A S V DIA

E R BO SRA AL F S s O TS M D + A S V DIA VAMOS FALAR SOBRE AIDS + DSTs AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

Meus amigos... A saúde tem pressa! da sua amiga, Flávia Morais

Meus amigos... A saúde tem pressa! da sua amiga, Flávia Morais 4ª Edição Meus amigos... Quando surgiu a ideia de criar o programa Saúde em Movimento, em parceria com o Lions Club e a LBV, acreditávamos que conseguiríamos reduzir em parte a distância que separa as

Leia mais

Para compreender como os cistos se formam nos ovários é preciso conhecer um pouco sobre o ciclo menstrual da mulher.

Para compreender como os cistos se formam nos ovários é preciso conhecer um pouco sobre o ciclo menstrual da mulher. Cistos de Ovário Os ovários são dois pequenos órgãos, um em cada lado do útero. É normal o desenvolvimento de pequenos cistos (bolsas contendo líquidos) nos ovários. Estes cistos são inofensivos e na maioria

Leia mais

vacina papilomavírus humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante)

vacina papilomavírus humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO vacina papilomavírus humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante) APRESENTAÇÕES A vacina papilomavírus humano 6, 11, 16 e 18 (recombinante) é uma suspensão injetável estéril para administração

Leia mais

fundação portuguesa de cardiologia Nº. 12 Dr. João Albuquerque e Castro REVISÃO CIENTÍFICA: [CIRURGIA VASCULAR DO CENTRO HOSPITALAR LISBOA CENTRAL]

fundação portuguesa de cardiologia Nº. 12 Dr. João Albuquerque e Castro REVISÃO CIENTÍFICA: [CIRURGIA VASCULAR DO CENTRO HOSPITALAR LISBOA CENTRAL] fundação portuguesa de cardiologia TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE ANEURISMAS DA AORTA ABDOMINAL Nº. 12 REVISÃO CIENTÍFICA: Dr. João Albuquerque e Castro [CIRURGIA VASCULAR DO CENTRO HOSPITALAR LISBOA CENTRAL]

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Doenças Sexualmente Transmissíveis são aquelas que são mais comumente transmitidas através da relação sexual. PRINCIPAIS DOENÇAS SEXUALMENTE

Leia mais

ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM OBSTÉTRICA TAÍS GONZAGA TAVARES

ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM OBSTÉTRICA TAÍS GONZAGA TAVARES ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM OBSTÉTRICA TAÍS GONZAGA TAVARES IMPORTÂNCIA DA ASSISTÊNCIA DO ENFERMEIRO NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DE COLO UTERINO. SALVADOR BAHIA 2012 TAÍS GONZAGA TAVARES IMPORTÂNCIA

Leia mais

DIRETRIZES PARA O DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO HPV NA REDE MUNICIPAL ESPECIALIZADA EM DST/AIDS SMS/SP

DIRETRIZES PARA O DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO HPV NA REDE MUNICIPAL ESPECIALIZADA EM DST/AIDS SMS/SP DIRETRIZES PARA O DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO HPV NA REDE MUNICIPAL ESPECIALIZADA EM DST/AIDS SMS/SP Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo Setor de Assistência Núcleo de Doenças Sexualmente Transmissíveis

Leia mais

Câncer. Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável. Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama

Câncer. Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável. Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama Câncer Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama A prevenção e a única maneira fácil, segura e acessível de combater ao câncer Apoio: Liga Bahiana Contra o Câncer -

Leia mais

Infecções sexualmente transmissíveis

Infecções sexualmente transmissíveis Escola secundária com 2º e 3º ciclos Anselmo de Andrade Infecções sexualmente transmissíveis 9ºD Ciências Naturais 2011/2012 Professora: Isabel Marques Trabalho realizado por: Inês Pinto nº9 Mariana Cantiga

Leia mais

A vacina contra o HPV - perguntas e respostas para pais de raparigas no 9º ano a partir de setembro de 2014

A vacina contra o HPV - perguntas e respostas para pais de raparigas no 9º ano a partir de setembro de 2014 Portuguese translation of Beating cervical cancer The HPV vaccine questions and answers for parents of girls in Year 9 from September 2014 Combater o cancro do colo do útero A vacina contra o HPV - perguntas

Leia mais

O QUE É? O HEPATOBLASTOMA

O QUE É? O HEPATOBLASTOMA O QUE É? O HEPATOBLASTOMA Fígado O HEPATOBLASTOMA O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O HEPATOBLASTOMA? O hepatoblastoma é o tipo de tumor maligno do fígado mais frequente na criança; na maioria dos casos

Leia mais

XVI TROCANDO IDÉIAS CÂNCER DO COLO UTERINO

XVI TROCANDO IDÉIAS CÂNCER DO COLO UTERINO XVI TROCANDO IDÉIAS CÂNCER DO COLO UTERINO ESTRATÉGIAS DE RASTREIO Gutemberg Almeida Instituto de Ginecologia da UFRJ OBJETIVO DO RASTREAMENTO Além de detectar o câncer cervical em um estágio inicial,

Leia mais

01 Nos casos de histerectomia é necessário fazer a citologia do colo do útero?

01 Nos casos de histerectomia é necessário fazer a citologia do colo do útero? 01 Nos casos de histerectomia é necessário fazer a citologia do colo do útero? R. Conforme Diretrizes Brasileiras para Rastreamento do Câncer do Colo do Útero de 2001, na página 36, a recomendação é que:

Leia mais

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS 1 O que são ITS? São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios, que se transmitem de pessoas infectadas para outras, através das relações

Leia mais

Derrotar o cancro do útero

Derrotar o cancro do útero Portuguese translation of Beating cervical cancer The HPV vaccine questions and answers for parents of girls in Year 9 Derrotar o cancro do útero A vacina HPV perguntas e respostas para os pais de jovens

Leia mais

CURSO BÁSICO DE COLPOSCOPIA

CURSO BÁSICO DE COLPOSCOPIA CURSO BÁSICO DE COLPOSCOPIA 20 e 21 de outubro de 2016 Centro de Formação Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca Amadora PROGRAMA CURSO BÁSICO DE COLPOSCOPIA 20 e 21 de outubro de 2016 Centro de Formação

Leia mais

AIDS & DST s. Prevenção e controle para uma vida sexual segura.

AIDS & DST s. Prevenção e controle para uma vida sexual segura. AIDS & DST s Prevenção e controle para uma vida sexual segura. aids A aids é uma doença causada pelo HIV, vírus da imu-nodeficiência humana que destrói o sistema imunológico responsável pela defesa do

Leia mais

A NIC é categorizada nos graus 1, 2 e 3, dependendo da proporção da espessura do epitélio que apresenta células maduras e diferenciadas.

A NIC é categorizada nos graus 1, 2 e 3, dependendo da proporção da espessura do epitélio que apresenta células maduras e diferenciadas. Introdução à neoplasia intra-epitelial cervical (NIC) As neoplasias invasivas do colo uterino de células escamosas são precedidas por uma longa fase de doença pré-invasiva, conjuntamente denominada de

Leia mais

Vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18)

Vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) APRESENTAÇÕES A vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6,

Leia mais

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com

Estudo quantitativo. Fevereiro 2012. Em parceria com Estudo quantitativo Duarte Vilar Fevereiro 2012 Em parceria com CARACTERIZAÇÃO GERAL CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA 40 35 44,6 Masculino 30 25 55,0 Feminino 20 15 10 5 0 19 E MENOS 20-29 MAIS DE 30 35,0 30,0

Leia mais

Neoplasia intra epitelial cervical

Neoplasia intra epitelial cervical Neoplasia intra epitelial cervical NIC A citologia é o método mais rápido e econômico para detectar as lesões induzidas pelo HPV. Sua acurácia é controversa na literatura, provavelmente seu valor seja

Leia mais

EZT- Histórico, indicações, resultados e complicações

EZT- Histórico, indicações, resultados e complicações EZT- Histórico, indicações, resultados e complicações Trocando Idéias XV Junho de 2010 Fábio Russomano 29 de agosto de 2008 Eletrocirurgia? cauterização de feridas e tumores 1847 1a exérese de tumor por

Leia mais

Truvada: o medicamento que pode revolucionar a história da AIDS e está causando processos contra o SUS

Truvada: o medicamento que pode revolucionar a história da AIDS e está causando processos contra o SUS Truvada: o medicamento que pode revolucionar a história da AIDS e está causando processos contra o SUS Você já deve ter ouvido falar que mulheres grávidas portadoras do HIV, ao fazerem o tratamento antirretroviral

Leia mais

NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 15 - Novembro/2010

NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 15 - Novembro/2010 NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 15 - Novembro/2010 Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia - Capítulo I - Prof. Dr. Flávio Zucchi - Formação médica: Universidade de Mogi das

Leia mais

www.bowelscreeningwales.org.uk

www.bowelscreeningwales.org.uk Rastreio Screening ao per intestino i tumori intestinali Mais Ulteriori análises investigazioni 4 www.bowelscreeningwales.org.uk Rastreio ao intestino - Mais análises O resultado do seu teste mostra vestígios

Leia mais

4. COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO MIELOIDE CRÔNICA (LMC)? E MONITORAMENTO DE LMC? É uma doença relativamente rara, que ocorre

4. COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO MIELOIDE CRÔNICA (LMC)? E MONITORAMENTO DE LMC? É uma doença relativamente rara, que ocorre ÍNDICE 1. O que é Leucemia Mieloide Crônica (LMC)?... pág 4 2. Quais são os sinais e sintomas?... pág 4 3. Como a LMC evolui?... pág 5 4. Quais são os tratamentos disponíveis para a LMC?... pág 5 5. Como

Leia mais

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO 1 O que quer dizer sexo seguro? Sexo seguro quer dizer, práticas sexuais responsáveis sem riscos de engravidar, ou de contrair uma infecção transmitida sexualmente,

Leia mais

Palavras chave para indexação: 2014_10_07_Mem.Reun.Saúde _ Barracão_ Associação_Comunidade _Vila Isabel_Anapu

Palavras chave para indexação: 2014_10_07_Mem.Reun.Saúde _ Barracão_ Associação_Comunidade _Vila Isabel_Anapu Assunto: Reunião/Palestra sobre saúde para orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as ações preventivas na área da saúde pública em virtude da construção da UHE Bo Monte. Redator: Maurício

Leia mais

HPV em mulheres infectadas pelo HIV Goldman ARNP, MPH

HPV em mulheres infectadas pelo HIV Goldman ARNP, MPH Welcome to I-TECH HIV/AIDS Clinical Seminar Series 30 de Agosto de 2012 HPV em mulheres infectadas pelo HIV Goldman ARNP, MPH Objectivos 1. Discutir a epidemiologia do HPV entre mulheres infectadas pelo

Leia mais

Explicação sobre o processo de rastreio do cancro do intestino

Explicação sobre o processo de rastreio do cancro do intestino Explicação sobre o processo de rastreio do cancro do intestino 1 www.bowelscreeningwales.org.uk Explicação sobre o processo de rastreio do cancro do intestino Este folheto dá-lhe informações sobre o rastreio

Leia mais

Curso básico de Colposcopia

Curso básico de Colposcopia Curso básico de Colposcopia IV Curso Teórico-Prático de Colposcopia da UPColo Chalgarve Unidade Faro 5 e 6 de novembro de 2015 Universidade do Algarve Campus de Gambelas Programa Científico Caros(as) Colegas,

Leia mais

Podemos definir NIC II como lesão pré-neoplásica de colo?

Podemos definir NIC II como lesão pré-neoplásica de colo? IX S impós io de Atualização em Ginecologia Oncológica III S impós io de Genitos copia do DF ABPTGIC Capítulo DF 12-14 de Maio de 2011 Podemos definir NIC II como lesão pré-neoplásica de colo? Fábio Russomano

Leia mais

Cartilha. pela Saúde da Mulher

Cartilha. pela Saúde da Mulher Cartilha pela Saúde da Mulher Cólica Menstrual Excesso de Gorduras no Sangue A cólica menstrual ou dismenorreia é uma dor abdominal provocada pelas contrações uterinas que ocorrem durante a menstruação.

Leia mais

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal O QUE É? O NEUROBLASTOMA Coluna Vertebral Glândula supra-renal O NEUROBLASTOMA O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O NEUROBLASTOMA? O neuroblastoma é um tumor sólido maligno, o mais frequente em Pediatria

Leia mais

Câncer de Colo de Útero: Prevenir é o melhor remédio!

Câncer de Colo de Útero: Prevenir é o melhor remédio! Câncer de Colo de Útero: Prevenir é o melhor remédio! PASSATEMPOS BOM PRA CABEÇA Dominox a caça-palavr eto código secr s e muito mai 2 caça-palavra coquetel Procure e marque, no diagrama de letras, as

Leia mais

TRATAMENTO DAS DOENÇAS DA PRÓSTATA

TRATAMENTO DAS DOENÇAS DA PRÓSTATA TRATAMENTO DAS DOENÇAS DA PRÓSTATA.com.br Dr. Miguel Srougi é médico, professor de Urologia na Universidade Federal de São Paulo e autor do livro Próstata: Isso É Com Você..com.br Drauzio Varella Vamos

Leia mais

Perpetuando a vida - 2

Perpetuando a vida - 2 A U A UL LA Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Perpetuando a vida - 2 Atenção - Maria, olhe só o resultado do exame: positivo para gonadotrofina coriônica! Alberto e Maria olharam um para o outro, sem

Leia mais