Política de uso de recursos tecnológicos, serviços de infraestrutura de rede de computadores e sistemas de apoio acadêmico do UniCEUB

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Política de uso de recursos tecnológicos, serviços de infraestrutura de rede de computadores e sistemas de apoio acadêmico do UniCEUB"

Transcrição

1 Política de uso de recursos tecnológicos, serviços de infraestrutura de rede de computadores e sistemas de apoio acadêmico do UniCEUB Com o objetivo de prover a segurança, a disponibilidade e a integridade dos dados e das informações institucionais em meios eletrônicos e aprimorar o uso dos recursos de informática no desenvolvimento exclusivo de atividades acadêmicas, além de garantir a continuidade dos serviços de tecnologia da informação, o UniCEUB estabelece as seguintes diretrizes de uso de recursos tecnológicos, acesso interno ou externo aos serviços de infraestrutura de rede de computadores, à Internet e aos sistemas de apoio acadêmico disponíveis aos alunos e aos professores, denominados usuários. 1. CREDENCIAIS DE ACESSO O acesso à rede de computadores e a qualquer recurso computacional do UniCEUB (computadores, rede, sistemas de informação, , entre outros) é monitorado por um sistema de gestão e controle com a exigência de identificação do usuário por meio de conta (login) e senha de uso restrito, intransferível e individual. As contas de usuários para acesso à rede de computadores são criadas de forma automática pela Instituição, no momento em que o aluno é matriculado e, manualmente, no momento da contratação do professor. A senha é pessoal e intransferível e não pode ser compartilhada com terceiros ou outros usuários da rede. Ao criar uma senha o usuário deve priorizar senhas complexas intercalando letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos e não utilizar datas ou dados pessoais nomes, sobrenomes, contas de usuário, números de documentos, placas de carros, números de telefones), sequências de teclado ("123456", "1qaz2wsx" e "QwerTAsdfG") ou palavras conhecidas (nomes de times, musicas, personagens de filmes, entre outras). O acesso à rede de computadores do UniCEUB é monitorado, e as ações executadas são auditadas a critério da instituição. É responsabilidade do usuário o cuidado e o sigilo de suas credenciais de acesso, e nenhum colaborador está orientado a solicitar a sua senha. Ao acessar um sistema com suas credenciais, o usuário é responsável por todas as ações executadas e deve finalizar, adequadamente, a sessão aberta, principalmente em máquinas de uso comum, como laboratórios, quiosques ou outros equipamentos utilizados por terceiros. O usuário deverá informar à Central de Atendimento do UniCEUB caso perceba que a segurança de sua credencial de acesso tenha sido comprometida. 2. ACESSO À INTERNET A oferta de Internet pela Instituição destina-se ao desenvolvimento de atividades exclusivamente acadêmicas. No entanto, para garantir o desempenho adequado da rede, poderão ser impostas limitações de uso de certos serviços. Por questões de segurança e para evitar a ineficiência ou o esgotamento dos recursos na rede, é expressamente vetado o uso da Internet e dos demais recursos 1

2 computacionais do UniCEUB para qualquer fim indevido ou em desacordo com os bons costumes, tais como: a) acesso a sites com conteúdos impróprios ou ofensivos, abrangendo preconceito, invasão de privacidade, que firam direitos da mulher, da criança ou do adolescente, pornografia, pedofilia, racismo, apologia a drogas e à violência e pirataria de software; b) acesso ou transmissão de qualquer material que possa transgredir os direitos do autor ou do provedor de serviço; c) uso para fins comerciais, políticos ou religiosos, tais como, acesso a VPN, envio de mala direta ou disparo de s; d) acesso a sites de proxy ou outros que tenham o objetivo de burlar os mecanismos de segurança existentes; e) prática de atos ilícitos, proibidos pela lei ou pelo presente instrumento, lesivos aos direitos e aos interesses do UniCEUB ou de terceiros. É proibido desenvolver, manter, utilizar ou divulgar dispositivos que possam causar danos aos sistemas e às informações armazenadas, tais como, criação e propagação de vírus e worms, criação e utilização de sistemas que causem ou tentem causar a indisponibilidade dos serviços e/ou destruição de dados, além de engajar-se em ações que possam ser caracterizadas como violação da segurança computacional. Caso tenha necessidade de acessar alguma página na Internet ou serviço que julgue ter sido bloqueado indevidamente ou que seja necessário para o desenvolvimento da atividade acadêmica prevista no Plano de Ensino da Disciplina, o aluno ou o professor poderá solicitar a liberação daquele recurso ao coordenador de curso, que irá analisar e encaminhar a solicitação à Gerência Executiva de Tecnologia da Informação GETI, a qual procederá à liberação caso entenda que o recurso não acarrete risco ou desvio desta política. Lembramos que o uso da Internet será monitorado, e o usuário, questionado em casos de auditoria. 3. ACESSO À REDE SEM FIO Wi-Fi A rede sem fio disponibilizada pelo UniCEUB aos alunos e aos professores ativos visa oferecer acesso à Internet a um equipamento do usuário que suporte conexão sem fio nos padrões IEEE g/n/ac ou superior e WPA2-Enterprise como forma de autenticação. A velocidade de transmissão de dados para todos os usuários é limitada, e as taxas de transferência poderão sofrer alterações ou oscilações de velocidade causadas por picos de tráfego, deslocamento, distância do usuário para o ponto de acesso, etc. Por tratar-se de rede com o objetivo de apoiar o desenvolvimento de atividades acadêmicas durante as aulas, mesmo com acesso amplo mediante o uso de equipamentos pessoais, a rede Wi-Fi prioriza o acesso à Internet para navegação em páginas web (HTTP e HTTPS), com foco no desenvolvimento acadêmico, não garantindo outras formas de acesso. Deve ser evitado o uso desse recurso para transmissão de imagens ou vídeos impróprios, piadas, correntes e outros conteúdos sem finalidade acadêmica. O uso indevido de recursos disponíveis na Internet ou que não tenham conotação acadêmica poderá ser bloqueado ou terá a velocidade de acesso limitada, para garantir o desempenho adequado da rede, entre eles: sites de 2

3 relacionamento e redes sociais (Facebook, Instagram, Whatsapp), sites de mídia (Youtube, Vimeo), download e streaming de músicas e filmes, , jogos, atualizações de aplicativos ou qualquer outra forma de acesso que prejudique o desempenho da Internet para uso da comunidade acadêmica. A configuração do equipamento utilizado para acessar a rede sem fio disponibilizada pelo UniCEUB é responsabilidade do usuário, que poderá contar com o apoio da equipe técnica da instituição. O UniCEUB não se responsabiliza por danos de software ou hardware causados em qualquer equipamento que utiliza o serviço de rede Wi-Fi ou em casos de perda de dados, acesso indevido a informações pessoais, violação de acesso, problemas em software, sistema operacional, queima de dispositivo, entre outros fatores que impossibilitem o uso parcial ou total do equipamento do usuário. O UniCEUB reserva o direito de suspender o acesso do usuário que consumir, excessivamente, o link de Internet ou cujo uso esteja em desacordo com as regras estabelecidas nesta política. Não é aconselhável o uso da rede sem fio para transmissão de palestras, videoconferências, apresentações de vídeos em formato streaming ou qualquer evento que necessite de acesso estável a Internet. Para esse fim, utilize local onde a rede cabeada esteja disponível. As políticas de acesso da rede Wifi aplicam-se a todos os campi da Instituição e não podem ser alteradas por bloco, sala ou turma. 4. ACESSO À REDE CABEADA A rede cabeada do UniCEUB está disponível em todos os laboratórios e parte das salas multimídia da Instituição, visando oferecer acesso à Internet e aos aplicativos de uso exclusivo para o desenvolvimento das atividades acadêmicas. Oferece alta velocidade de transmissão de dados de forma estável e contínua, com redundância de links de Internet e é indicada para transmissão de palestras, videoconferências, apresentações de vídeos em formato streaming ou qualquer evento que necessite de acesso estável a Internet. Para garantir a qualidade e a segurança da rede cabeada, é vetado conectar qualquer tipo de equipamento não autorizado, incluindo os pessoais, como notebooks, pontos de acesso Wi-fi (APs), switches, modens, impressoras e outros periféricos ou ferramentas. Além das regras gerais quanto ao acesso à Internet oferecida pela Instituição (cf. item 2), nesta rede, é vetado o acesso a: a) sites de relacionamento ou redes sociais (Facebook e assemelhados) quando não previamente previstos no contexto acadêmico; b) jogos de computador locais ou online quando não previamente previstos no contexto acadêmico; c) acesso a conteúdo de mídia quando não relacionado à atividade acadêmica ou às demandas vinculadas ao ensino, à pesquisa ou à extensão. d) execução de programas com o propósito de interferir no funcionamento correto da rede cabeada ou de ter acesso a informações de terceiros. 3

4 5. ARMAZENAMENTO DAS INFORMAÇÕES COLETIVAS E INDIVIDUAIS O UniCEUB disponibiliza ao aluno e ao professor uma área de armazenamento pessoal de arquivos em rede, que poderá ser utilizada durante o período de vínculo com a Instituição. Alunos e professores podem utilizar, temporariamente, o armazenamento local dos computadores para o desenvolvimento de suas atividades desde que os arquivos não infrinjam legislação ou norma vigente. Para armazenar arquivos de forma definitiva, o usuário poderá salvar o conteúdo trabalhado na área de armazenamento pessoal disponível em rede, em mídias removíveis ou em outras áreas remotas de armazenamento na Internet. O UniCEUB não acessa, não copia ou não se responsabiliza por qualquer arquivo salvo nos computadores da Instituição e são exclusiva responsabilidade dos usuários dados, fotos, imagens e documentos armazenados, relacionados ou não à instituição. Periodicamente, todas as informações armazenadas localmente nos computadores de laboratório e nas salas multimídia são apagadas, para garantir a segurança e o desempenho do equipamento. Após 1 (um) ano sem vínculo com a instituição, os dados dos usuários armazenados em rede serão removidos e destruídos sem aviso prévio. As áreas de armazenamento não possuem backup de dados, e é responsabilidade do usuário manter as cópias de segurança de suas informações. 6. PROIBIÇÃO DE ACESSO, INSTALAÇÃO E USO DE SOFTWARES E DADOS INDEVIDOS É vetado o uso dos recursos computacionais da Instituição para obtenção, armazenamento ou uso de softwares e arquivos que infrinjam a legislação sobre direitos autorais ou outra legislação ou norma em vigor. É vetado o acesso à execução de arquivos, ou a links, ou a páginas da Internet de origens desconhecidas, como e mídia de armazenamento. Não é permitida a instalação de qualquer programa de computador, softwares e outros recursos de informática nos equipamentos de laboratórios, salas de aula ou administrativos sem a análise prévia da Gerência Executiva de Tecnologia da Informação - GETI. Em caso de dúvida quanto à segurança, ou à origem do arquivo ou do link, ou à existência de vírus ou softwares mal-intencionados, o usuário deve encaminhá-la à GETI para análise. Não é permitido o uso de ferramentas ou softwares de controle e acesso remoto do computador (TeamViewer e assemelhados). 7. VÍRUS, CÓDIGOS E APLICAÇÕES MALICIOSAS O antivírus é a ferramenta corporativa com ações automatizadas para proteção dos equipamentos e evita a instalação de vírus ou aplicações maliciosas nos computadores do UniCEUB. A equipe técnica administra a atualização e a ativação do 4

5 antivírus em todos os computadores da instituição, porém é responsabilidade do usuário o devido cuidado no uso dos aplicativos. Evite o uso de CD ou pendrives desconhecidos ou de terceiros. Não execute aplicativos cujo nome ou origem não sejam reconhecidos e não permita que páginas da Internet alterem configurações do navegador ou no sistema operacional. Quando necessário, faça a verificação de vírus e, se tiver dúvidas, solicite o apoio de um técnico. O UniCEUB não se responsabiliza por qualquer contaminação por vírus que ocorra em computadores pessoais conectados à rede sem fio, e é responsabilidade do usuário manter seu antivírus e um firewall pessoal ativos e atualizados, para proteger, adequadamente, seu equipamento. 8. USO DE INSTITUCIONAL Todos os professores deverão utilizar apenas o institucional para o envio e o recebimento de mensagens com conteúdo referente às atividades que exercem na Instituição. É vetado o uso deste para mensagens de cunho particular, como piadas, correntes, anúncios, conteúdo religioso ou que possam ser considerados ofensivos, ou constrangedores, ou em desacordo com os bons costumes. O usuário do institucional deverá incluir, na assinatura do , sua identificação com, pelo menos, as seguintes informações: nome do professor, nome do curso, faculdade e nome da mantida à qual está vinculado. Caso tenha dificuldade em acessar o seu , entre em contato com a GETI. Os alunos que concordarem com os termos de uso do Office 365 terão acesso ao institucional disponível pela Microsoft e aos demais benefícios oferecidos pela parceria entre o UniCEUB e a Microsoft (saiba mais no Espaço Aluno, no item Comunicação ). Por tratar-se de benefício oferecido pela Microsoft a estudantes, a instituição não faz cópia de segurança e não tem responsabilidade sobre arquivos, s ou qualquer informação salva nos servidores da Microsoft que suportam o Office 365. Além disso, este benefício pode ser suspenso pela Microsoft ou pelo UniCEUB a qualquer tempo, sem qualquer direito à indenização. 9. USO DE COMPUTADORES PARTICULARES É expressamente vetada a inclusão de computadores particulares na rede cabeada administrativa ou acadêmica. Essa medida tem o fim de evitar riscos de contaminação da rede por vírus, possibilidade de invasão aos dados institucionais, distribuição indevida de software, entre outros problemas. Se o fizer, o usuário será responsabilizado por qualquer prejuízo imposto à instituição ou a terceiros. Havendo necessidade de acesso à Internet nestes equipamentos, o aluno ou o professor poderá utilizar a rede sem fio WiFi disponibilizada pela Instituição. Medidas de segurança no equipamento, como a instalação e a atualização de antivírus, firewall, anti-spyware, são responsabilidade dos usuários. Em nenhum caso, o UniCEUB responsabiliza-se por qualquer dano e/ou prejuízo que o usuário possa sofrer, ao utilizar o serviço. 5

6 O ingresso no UniCEUB de qualquer equipamento não portátil, como monitores ou desktops, deve ser devidamente registrado por agente patrimonial ou vigilante no momento de entrada no campus. 10. PENALIDADES E SANÇÕES O aluno e o professor são responsáveis por quaisquer atividades e por seus atos no uso dos recursos computacionais oferecidos pela Instituição. Assim, responderão por qualquer ação legal apresentada ao UniCEUB e que os envolva. O descumprimento de qualquer um dos itens desta regra sujeita o infrator às penalidades previstas na Lei e no Regimento do UniCEUB, além da suspensão temporária ou permanente de seu acesso às redes e aos sistemas da instituição. 11. APOIO TÉCNICO A equipe da Gerência Executiva de Tecnologia da Informação - GETI é responsável pela manutenção desta política e está inteiramente à disposição para sanar dúvidas ou oferecer auxílio técnico, para garantir a sua aplicação. Esta política será revisada e republicada sempre que se fizer necessário. Compete à GETI implementar mecanismos que assegurem estas diretrizes, atender às dúvidas dos usuários, fazer a manutenção nos equipamentos da instituição e a instalação de qualquer software, analisando as solicitações conforme as regras citadas, cabendo-lhe encaminhar à Assessoria Jurídica da Instituição situações que suscitem dúvidas. Todos os contatos e dúvidas podem ser encaminhados por ou por telefone /1271. Brasília DF, 12 de maio de 2016 GETÚLIO AMÉRICO MOREIRA LOPES Reitor do UniCEUB 6

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais,

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais, DECRETO Nº 012, de 05 de agosto de 2009. DISPÕE SOBRE O USO DOS SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET AOS ÓRGÃOS E DEPARTAMENTOS QUE INTEGRAM A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE PICUÍ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comissão de Segurança da Informação Núcleo de Governança Corporativa de TIC Setor de Segurança da Informação Revisão: 1.1 Vigência: 12/02/2016 Classificação:

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Janeiro 2016 O NÃO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL PODERÁ RESULTAR EM AÇÕES DISCIPLINARES APROPRIADAS, INCLUINDO ADVERTÊNCIAS, QUE PODERÃO

Leia mais

Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará Agenda Projeto Realizado Política de Segurança da ALCE Próximos passos Projeto realizado Definição/Revisão da Política de

Leia mais

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações

TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações T TI - Política de Segurança da Informação FSB Comunicações Versão 1.2 24/08/2015 1 1. Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a FSB Comunicações, devendo ser adequadamente utilizada

Leia mais

PORTARIA Nº 1.063, DE 04 DE MARÇO DE 2016.

PORTARIA Nº 1.063, DE 04 DE MARÇO DE 2016. PORTARIA Nº 1.063, DE 04 DE MARÇO DE 2016. Altera os Anexos 1 e 3 da Portaria nº 4.772/2008, a qual institui a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região.

Leia mais

Política de TI. 1 - Direitos do Colaborador

Política de TI. 1 - Direitos do Colaborador Política de TI A Política de segurança da informação da OPERARIO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO aplica-se a todos os colaboradores e prestadores de serviços, incluindo trabalhos executados externamente ou por

Leia mais

Manual de SQUI Uso da Internet

Manual de SQUI Uso da Internet PE Manual de SQUI Uso da Internet Conteúdo Introdução...3 Finalidade... 3 Internet...4 Regras e Normas... 4 Monitoramento.....9 Causas à Desrespeito das Regras...10 Declaração de Acordo...11 Copyright

Leia mais

PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015

PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015 PORTARIA Nº 056, DE 30 DE JUNHO DE 2015 O DIRETOR DO CENTRO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO RENATO ARCHER CTI, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, nomeado por meio da Portaria

Leia mais

CÂMARA DE VEREADORES DE ITAQUI - RS PALÁCIO RINCÃO DA CRUZ

CÂMARA DE VEREADORES DE ITAQUI - RS PALÁCIO RINCÃO DA CRUZ ORDEM DE SERVIÇO Nº 01-2012 O Presidente,Vereador LAURO LUIZ HENDGES, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 35, inciso V do Regimento Interno, Considerando a necessidade de regulamentar a utilização

Leia mais

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado.

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado. TERMOS DE USO 1. O acesso ao(s) curso(s) contratado(s) só será efetivado com o correto preenchimento do cadastro de inscrição e após a confirmação do pagamento, conforme especificações no item 4 5, abaixo.

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal de Sergipe Universidade Federal de Sergipe Centro de Processamento de Dados Coordenação de Redes Regras de Acesso à Rede Sem Fio da UFS 1. DESCRIÇÃO A rede sem fio do projeto Wi-Fi UFS foi concebida para complementar

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP

REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 - O presente regulamento tem por finalidade facilitar e democratizar

Leia mais

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE

TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE TERMO DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE A Organex Serviços de Software LTDA ( Organex ) estabelece nestes Termos de Uso e Política de Privacidade as condições para utilização do site www.organex.com.br

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015 REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015 Os laboratórios de informática utilizados pelos alunos das Faculdades Integradas Camões se encontram nas duas sedes: Treze de Maio e Muricy, funcionando

Leia mais

PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015

PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015 PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Dispõe sobre as normas para utilização dos laboratórios de informática do Campus São Sebastião. O DIRETOR GERAL DO CAMPUS SÃO SEBASTIÃO DO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 CAPÍTULO III 5 DA INFRAESTRUTURA 5 Seção I 6 Das Dependências 6 Seção II 6 Do Hardware e Software 6 Seção III 7 Das Manutenções 7

Leia mais

versão 1.0 26/02/2010

versão 1.0 26/02/2010 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Espírito Santo POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO versão 1.0 26/02/2010 Pró-Reitoria

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre critérios de uso e segurança dos recursos de Tecnologia da Informação do Conselho Nacional

Leia mais

Plano de Segurança da Informação

Plano de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia SENAC - Goiás Projeto Integrador Governança da Tecnologia da Informação Plano de Segurança da Informação Diego Miranda José Rodrigues Neto Romário Sena Warley Gabriel Plano de Segurança

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA Sumário 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Documentos de Referência 4. Definições 5. Condições gerais 6. Condições de Acesso aos Recursos 7. Autenticação de Usuários 8. Recursos de Hardware e Software

Leia mais

Cartilha de Segurança da Informação Boas práticas para usuários

Cartilha de Segurança da Informação Boas práticas para usuários Cartilha de Segurança da Informação Boas práticas para usuários Tribunal Regional do Trabalho 13 a Região Núcleo de Tecnologia e Suporte Técnico NTST suporte@trt13.gov.br Versão 1.0 Autor: Rodrigo Mafra

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DATA: 25/01/2016 VERSÃO 2.0 VERSÃO 2 25/01/2016 ÁLVARO BARBOSA SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 3 II. PAPÉIS E RESPONSABILIDADES... 4 II.1 - COMITÊ EXECUTIVO... 4 II.2 - CONTROLES

Leia mais

TERMOS DE USO. Decathlon.com.br

TERMOS DE USO. Decathlon.com.br TERMOS DE USO Decathlon.com.br INTRODUÇÃO 1 - RECURSOS OFERECIDOS PELO SITE 2 - CONDIÇÕES DE USO 3 - DEPÓSITO DE CONTEÚDO NO SITE 4 - CONDUTA NO SITE 5 - DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL 6 - RESPONSABILIDADE

Leia mais

Estado do Piauí Tribunal de Contas

Estado do Piauí Tribunal de Contas RESOLUÇÃO TCE N O 08/2015, de 12 de março de 2015. Disciplina a utilização dos recursos de Tecnologia da Informação no Tribunal de Contas do Estado do Piauí O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ, no

Leia mais

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO O objetivo desta política de uso é prestar esclarecimentos sobre os recursos disponíveis na rede local UFAL.MACEIO e no servidor SAMBA-MACEIO, informando

Leia mais

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP

Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP Portaria UNESP - 385, de 25-06-2012 Baixa o Regulamento Geral para Uso e Administração de Recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na UNESP O Vice-Reitor no Exercício da Reitoria da Universidade

Leia mais

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições,

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, flas RESOLUÇÃO 01 05 NORMAS DE USO ACEITÁVEL DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO INPE IMEDIATA O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, RESOLVE Estabelecer

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia Política de Segurança da Informação Alunos: Anderson Mota, André Luiz Misael Bezerra Rodrigo Damasceno. GTI 5 Noturno Segurança da Informação Prof. Dinailton Junho 2015 Goiânia

Leia mais

FACULDADE CARLOS GOMES

FACULDADE CARLOS GOMES FACULDADE CARLOS GOMES MANTIDA PELA ARTE E MÚSICA LTDA. POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE CARLOS GOMES POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA REDE Artigo 1º. Artigo 2º.

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FACULDADE DE ARARAQUARA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA O Laboratório de Informática é um espaço destinado ao acesso de usuários, estando aberto para livre utilização pelo público interno da Faculdade. O Laboratório oferece espaço e equipamento de informática

Leia mais

Orientações de uso da rede na Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas

Orientações de uso da rede na Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Orientações de uso da rede na Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas 1. OBJETIVO Esta cartilha define normas para preservar a confidencialidade, integridade e a disponibilidade das informações e recursos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 006/2014 EMENTA: Aprova Normas da Política de

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014 Página 1 de 9 Portaria nº 05/2014 Estabelece e Regulamenta a Política de Uso dos Computadores, Laboratórios de Informática e Equipamentos Eletrônicos da Faculdade de Tecnologia de Barueri. O Diretor da

Leia mais

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO Departamento de Tecnologia da Informação Públicado em julho de 2014 Cachoeiro de Itapemirim ES Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Objetivos A política de utilização da rede wireless tem como objetivo estabelecer regras e normas de utilização e ao mesmo tempo desenvolver

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ POSIC

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ POSIC POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ POSIC Julho/2012 ORIGEM Diretoria de Tecnologia da Informação REFERÊNCIAS ABNT NBR ISO/IEC

Leia mais

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI)

Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Departamento de Dermatologia da Universidade Federal de São Paulo Núcleo detecnologia da Informação (NUTI) Coordenador: Paulo Celso Budri Freire Aprovada pelo Conselho do Departamento de Dermatologia da

Leia mais

Política de segurança da INFORMAÇÃO

Política de segurança da INFORMAÇÃO Política de segurança da INFORMAÇÃO 1 - VISÃO GERAL Esse documento apoia o SGSI e se aplica a todos os empregados, estagiários e terceiros que utilizam as informações da Montreal de forma a atender: As

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI TERMOS E CONDIÇÕES DE USO CLARO WI-FI O presente termo tem a finalidade de regular as relações entre a CLARO S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 40.432.544/0001-47,

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO-GRANDENSE REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA O Campus Passo Fundo do Instituto Federal Sul-rio-grandense, através do Centro de Informática,

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE NAVEGANTES NAVEGANTESPREV

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE NAVEGANTES NAVEGANTESPREV INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE NAVEGANTES NAVEGANTESPREV POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO - PSI INSTITUTO DE PREVIDENCIA SOCIAL DO MUNICIPIO DE NAVEGANTES NAVEGANTESPREV Resolução 01/2016

Leia mais

LEIA AS INFORMAÇÕES E O TERMO DE USO ABAIXO COM ATENÇÃO. AO CLICAR NO BOTÃO "CONCORDO" VOCÊ, ESTARÁ ADERINDO INTEGRALMENTE AOS SEUS TERMOS.

LEIA AS INFORMAÇÕES E O TERMO DE USO ABAIXO COM ATENÇÃO. AO CLICAR NO BOTÃO CONCORDO VOCÊ, ESTARÁ ADERINDO INTEGRALMENTE AOS SEUS TERMOS. TERMOS E CONDIÇÕES DE USO APLICATIVO OMNI CARTÕES LEIA AS INFORMAÇÕES E O TERMO DE USO ABAIXO COM ATENÇÃO. AO CLICAR NO BOTÃO "CONCORDO" VOCÊ, ESTARÁ ADERINDO INTEGRALMENTE AOS SEUS TERMOS. A OMNI CARTÕES

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO Normas para uso dos Laboratórios de Informática vinculados a Coordenação do Curso de Informática e ao Departamento de Tecnologia da Informação do IF Goiano Câmpus Posse GO. POSSE GO 2015 Sumário TÍTULO

Leia mais

PLASAC POLÍTICA PARA UTILIZAÇÃO DA INTERNET Versão 1.0

PLASAC POLÍTICA PARA UTILIZAÇÃO DA INTERNET Versão 1.0 PLASAC - POLÍTICA PARA UTILIZAÇÃO DA INTERNET PLASAC POLÍTICA PARA UTILIZAÇÃO DA INTERNET Versão 1.0 Tecnologia da Informação. Índice: 1. Introdução 2. Objetivos da política 3. Princípios da política 4.

Leia mais

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 195/2011 Institui a Norma de Segurança dos Recursos de Tecnologia da Informação - NSRTI, do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATANTE: Aqui designado apenas como a empresa que fez o cadastro pelo sistema de vendas online no site www.netflexfidelidade.com.br CONTRATADA: Openhaus Soluções Tecnológicas

Leia mais

COMITÊ DE TECNOLOGIA DA. INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso. Versão 1.0

COMITÊ DE TECNOLOGIA DA. INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso. Versão 1.0 COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso Versão 1.0 Florianopolis, maio de 2014. 1 Apresentação a) A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), conforme

Leia mais

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA Dos Laboratórios Art 1º O objetivo dos laboratórios de informática é suprir necessidades laboratoriais, de informática, nas áreas de ensino, pesquisa, extensão,

Leia mais

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14 ANEXO I PSI Índice 1. FINALIDADE... 4 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. FREQUÊNCIA DE REVISÃO... 4 4. PORTAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 4 5. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 5.1. Segurança da Informação... 4 5.2. Confidencialidade...

Leia mais

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Capítulo I Do regimento e seus objetivos O presente regimento, elaborado pela Central de Processamento de dados da UFV- CRP, visa disciplinar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 Normatiza a utilização dos recursos de tecnologia da informação e comunicação da Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB, na forma do Anexo. O PRESIDENTE

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL DE CABECEIRAS DE BASTO INTRODUÇÃO O presente Regulamento tem como objetivo estabelecer diretrizes e regular a utilização dos

Leia mais

PORTARIA N. TC 347/2007

PORTARIA N. TC 347/2007 PORTARIA N. TC 347/2007 Dispõe sobre a política de segurança e utilização dos recursos de tecnologia da informação e cria o Comitê de Assunto de Informática do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina

Leia mais

Regulamento do Laboratório de Controle Operacional - LCO TÍTULO I DOS OBJETIVOS E USUÁRIOS. CAPÍTULO I Dos Objetivos

Regulamento do Laboratório de Controle Operacional - LCO TÍTULO I DOS OBJETIVOS E USUÁRIOS. CAPÍTULO I Dos Objetivos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL CATALÃO UNIDADE ACADÊMICA ESPECIAL DE MATEMÁTICA E TECNOLOGIA Regulamento do Laboratório de Controle Operacional - LCO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO SISTEMA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - STI Nº 001/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO SISTEMA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - STI Nº 001/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA DO SISTEMA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - STI Nº 001/2015 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A SEGURANÇA FÍSICA E LÓGICA DOS EQUIPAMENTOS, SISTEMAS, DADOS E INFORMAÇÕES Versão: 01 Aprovação

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica REGULAMENTO LABORATÓRIO DE SIMULAÇÃO E VISUALIZAÇÃO (LSIVI) Este regulamento visa melhorar o aproveitamento dos recursos computacionais do Laboratório de Simulação e Visualização da Engenharia Naval, satisfazendo

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO Bem-vindo ao website do O Não-Monstro/The Not-Monster. Este Site, o livro virtual O Não-Monstro/The Not-Monster e todo seu conteúdo (o Site ) são controlados e operados por CAROLINE

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO LEIA COM ATENÇÃO ESTES TERMOS DE USO ANTES DE FAZER USO DOS SERVIÇOS OFERECIDOS PELO BLAH. SE VOCÊ NÃO CONCORDAR COM QUALQUER CONDIÇÃO DESTES TERMOS DE USO, NÃO USE O BLAH OU

Leia mais

TERMO DE USO. A prévia compreensão e aceitação destes termos são indispensáveis para a utilização do site e de todos os seus serviços.

TERMO DE USO. A prévia compreensão e aceitação destes termos são indispensáveis para a utilização do site e de todos os seus serviços. TERMO DE USO Este Termo de Uso aplica-se ao uso dos serviços oferecidos pelo website www.bairroalto.com.br, doravante denominada Portal do Bairro Alto. Qualquer pessoa física, doravante denominada USUÁRIO,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação Núcleo de Segurança da Informação Revisão: 00 Vigência:20/04/2012 Classificação:

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação Documento Política de Segurança da Informação Data Revisão Responsável Área 14/07/2008 1.0 Thiago Lima da Silva Suporte Interno ÍNDICE Introdução...4 1.Pessoal...4 1.1.Prestadores

Leia mais

Estado do Piauí Tribunal de Contas

Estado do Piauí Tribunal de Contas RESOLUÇÃO TCE N O 09/2015, de 12 de março de 2015. Dispõe sobre a Política de Segurança da Informação do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ PSI/TCE-PI. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ, no uso

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DA REDE DE COMPUTADORES DA FACULDADE CENECISTA DE OSÓRIO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores da Faculdade Cenecista

Leia mais

NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi

NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi NORMAS PARA ACESSO À REDE SEM FIO EMERJ WiFi 1. FINALIDADES E OBJETIVOS 1.1. Esta política tem a finalidade de estabelecer as regras e orientar as ações e procedimentos na utilização da rede sem fio da

Leia mais

CONTRATO DE ASSINATURA ENTRE O SITE PAPRIKA E ASSINANTE

CONTRATO DE ASSINATURA ENTRE O SITE PAPRIKA E ASSINANTE CONTRATO DE ASSINATURA ENTRE O SITE PAPRIKA E ASSINANTE Agência Thinkers Comunicação Ltda, pessoa jurídica, com sede em São Paulo, inscrita no CNPJ sob o n 15.587.615/0001 33, doravante denominada simplesmente

Leia mais

21/IN01/DSIC/GSIPR 00 08/OUT/14 1/12

21/IN01/DSIC/GSIPR 00 08/OUT/14 1/12 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações ORIGEM N ú m e r o da N o r m a C o m p l e m e n t a r R e v i s ã o E m i s s ã o F

Leia mais

1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de Informática têm como objetivo atender às seguintes necessidades da IES:

1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de Informática têm como objetivo atender às seguintes necessidades da IES: REGULAMENTO PARA USO DOS LABORATORIOS DE INFORMATICA E DA INTERNET NA FACULDADE REDENTOR POR PARTE DE PROFESSORES E ALUNOS 1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de

Leia mais

Política de Privacidade do Serviço OurSound para Estabelecimentos

Política de Privacidade do Serviço OurSound para Estabelecimentos Política de Privacidade do Serviço OurSound para Estabelecimentos Esta Política de privacidade explica a política do OurSound no que tange a coleta, utilização, divulgação e transferência de informações,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO PORTARIA Nº 018/DIAT/ASTEC/SEMAD Porto Velho, 17 de dezembro de 2007. Normatiza os procedimentos e critérios para uso e segurança dos equipamentos de informática e banco de dados da Prefeitura de Porto

Leia mais

FACULDADE DA ALDEIA DE CARAPICUÍBA - FALC REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FACULDADE DA ALDEIA DE CARAPICUÍBA - FALC REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE DA ALDEIA DE CARAPICUÍBA - FALC REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA O Laboratório de Informática oferece espaço e equipamento de informática para as atividades de ensino e pesquisa.

Leia mais

MENINO JESUS Educando para a Paz e o respei t o à vi da

MENINO JESUS Educando para a Paz e o respei t o à vi da Centro Educacional MENINO JESUS Educando para a Paz e o respei t o à vi da Rua Esteves Júnior, 696 CEP: 88015-130 Fone/Fax: (48) 3251-1900 Centro - Florianópolis - SC www.meninojesus.com.br P O L Í T I

Leia mais

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista.

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista. DECRETO nº 1784, de 13 de fevereiro de 2012 Disciplina a criação de e-mail institucional para todos os servidores da Administração Direta do Poder Executivo do Município de Contagem. A PREFEITA DO MUNICÍPIO

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 29 DE JANEIRO DE 2014. Regulamenta o uso do correio eletrônico institucional e normatiza as regras

Leia mais

Política de Segurança. Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório

Política de Segurança. Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório Política de Segurança Aldair Chaves, Alan Messias, Fábio Maia, Naiane Reis, Raul Libório Salvador, Novembro de 2007 NECESSIDADE DA IMPLEMENTAÇÃO DE SEGURANÇA NA EMPRESA Gerencia de recursos e funcionários,

Leia mais

CONTRATO DE ASSINATURA, CESSÃO DE DIREITO DE USO, LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS.

CONTRATO DE ASSINATURA, CESSÃO DE DIREITO DE USO, LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS. CONTRATO DE ASSINATURA, CESSÃO DE DIREITO DE USO, LICENÇA DE USO DE SOFTWARE E OUTRAS AVENÇAS. MÓDULO SISTEMAS DE GESTÃO LTDA, com sede na cidade de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, na Rua Amapá, 309

Leia mais

Procedimento. Departamento de Tecnologia e Infraestrutura. Descritivo de acesso a rede wireless NOVO HotSpot Pinheiros.

Procedimento. Departamento de Tecnologia e Infraestrutura. Descritivo de acesso a rede wireless NOVO HotSpot Pinheiros. Procedimento Descritivo de acesso a rede wireless NOVO Departamento de Tecnologia e Infraestrutura 2015 1) Este procedimento tem por objetivo descrever passo a - passo para conectar-se no NOVO HotSpot

Leia mais

ÁLAMO ENGENHARIA POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMÁTICA

ÁLAMO ENGENHARIA POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMÁTICA ELABORAÇÃO / REVISÃO APROVAÇÃO Marcelo Costa 16/05/2013 Fernando Matias 16/05/2013 NOME DATA NOME DATA Introdução: A segurança é um dos assuntos mais importantes dentre as preocupações de nossa empresa.

Leia mais

4. COMO PARTICIPAR - Mecânica da promoção

4. COMO PARTICIPAR - Mecânica da promoção REGULAMENTO PROMOÇÃO DECLARE SEU AMOR 1. REALIZAÇÃO 1.1. A promoção participe e ganhe Declare seu amor será realizada pela Associação Dos Lojistas Do Condomínio Criciúma Shopping Center, pessoa jurídica

Leia mais

Termos de responsabilidade para uso de site

Termos de responsabilidade para uso de site Termos de responsabilidade para uso de site Este documento contém os Termos de Uso do site oficial da Secretaria Municipal de Educação de Três Rios, estado do Rio de Janeiro, com o seguinte domínio: www.educacaotresrios.rj.gov.br.

Leia mais

FACULDADE ALDETE MARIA ALVES Instituição Ituramense de Ensino Superior

FACULDADE ALDETE MARIA ALVES Instituição Ituramense de Ensino Superior REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA 1 CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º - Os Laboratórios de Informática da FAMA são destinados exclusivamente aos docentes, discentes e corpo técnico-administrativo,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A. CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A. Versão: Maio 2013 Página 1 Introdução Alinhado com o disposto na Instrução CVM nº 497/11 ( ICVM 497/11 ), o Banco

Leia mais

Perguntas Frequentes.

Perguntas Frequentes. O presente documento estabelece um conjunto de ações e condições gerais sobre o uso do FideliZii incluindo aqui o sistema, hardware e site da marca de propriedade da ViZii Comunicação Ltda. aqui determinada

Leia mais

4. DEFINIÇÕES As definições estão no documento Política de Utilização da Rede Local CELEPAR, disponível em www.cooseg.celepar.parana.

4. DEFINIÇÕES As definições estão no documento Política de Utilização da Rede Local CELEPAR, disponível em www.cooseg.celepar.parana. Páginas 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para a utilização da Internet. 2. ÂMBITO DA APLICAÇÃO Aplica-se a todos os usuários da Rede Local CELEPAR. 3. PALAVRAS-CHAVES Rede Local, Internet, Intranet.

Leia mais

TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO. 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet

TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO. 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet TERMO DE PARCERIA e POLÍTICA DE USO 1. Considerações preliminares do Portal e aplicativos Vets4Vet 1.1 O Portal Vets4Vet, encontrado na internet sob o domínio www.vets4vet.com.br, tem por objetivo aproximar

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA CAPITULO I Dos Princípios Gerais DA DEFINIIÇÃO Art. 1º Entende-se por laboratório de informática toda e qualquer sala equipada com microcomputadores com fins exclusivamente acadêmicos e que estejam, formalmente,

Leia mais

regras - Companytec Automação e Controle Ltda. Automação de Postos de Combustíveis

regras - Companytec Automação e Controle Ltda. Automação de Postos de Combustíveis COMPANYTEC AUTOMAÇÃO E CONTROLE LTDA. REGRAS GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SITE COMPANYTEC A navegação e/ou utilização do Site implica na aceitação tácita, sem quaisquer restrições, das referidas normas. A aceitação

Leia mais

PORTARIA Nº 234, DE 30 DE JULHO DE 2015.

PORTARIA Nº 234, DE 30 DE JULHO DE 2015. PORTARIA Nº 234, DE 30 DE JULHO DE 2015. Define a Política de Segurança da Informação do Instituto de Previdência Social do Município de Betim. O Diretor-Executivo do Instituto de Previdência Social do

Leia mais

[Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ

[Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ [Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ Coordenadoria de Tecnologia da Informação 2013 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

Segurança da Informação. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Segurança da Informação. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Segurança da Informação Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Cenário Atual Era da Informação e da Globalização: Avanços da Tecnologia da Informação; Avanços

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES. Compatibilidade com uso da linha na rede móvel. Recebimento de chamadas a cobrar Sim Não -

TERMOS E CONDIÇÕES. Compatibilidade com uso da linha na rede móvel. Recebimento de chamadas a cobrar Sim Não - TERMOS E CONDIÇÕES 1. Definições e compatibilidade 1.1 O serviço TU Go está disponível para clientes Vivo Móvel pessoa física e pessoa jurídica (com exceção de clientes que possuam o serviço Vivo Gestão).

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO I - Aspectos Gerais... 2 II - Proteção da Informação... 2 III - Responsabilidades... 3 IV - Informações Confidenciais... 3 V - Informações Privilegiadas... 4

Leia mais

Faculdade AlfaCastelo

Faculdade AlfaCastelo Faculdade AlfaCastelo REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA BARUERI - 2015 REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA A Faculdade AlfaCastelo possui dois laboratórios de informática composto por uma

Leia mais

II.1. O presente TERMO DE USO é parte integrante do CADASTRO do SERVIÇO.

II.1. O presente TERMO DE USO é parte integrante do CADASTRO do SERVIÇO. Termos e Condições de Uso do Serviço Star Wars As disposições abaixo regulam a utilização do serviço STAR WARS ( SERVIÇO ), comercializado por NEXTEL, doravante denominada "NEXTEL" ao CLIENTE, o qual,

Leia mais

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0

POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE. Versão 1.0 POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE Versão 1.0 Versão 1.0 Pág. 1 Considerações Gerais 1 - A Tecnologia da Informação fica definida como a responsável pela gestão dos Sistemas de Informação e dos Recursos de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA PBPREV/GINF Nº 01/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA PBPREV/GINF Nº 01/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA PBPREV/GINF Nº 01/2013 Versão: 01 Aprovação em: 09/05/2013 Disciplina procedimentos relativos à utilização de e-mails, navegação na rede mundial de computadores - internet e navegação

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DO SITE ATLETASPELOBRASIL.ORG.BR

POLÍTICA DE PRIVACIDADE DO SITE ATLETASPELOBRASIL.ORG.BR POLÍTICA DE PRIVACIDADE DO SITE ATLETASPELOBRASIL.ORG.BR 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES 1.1. Nossa política de privacidade, às vezes, poderá ser modificada para atender eventuais necessidades. Verifique esta

Leia mais

Privacidade e Segurança

Privacidade e Segurança UM GUIA PARA SOBREVIVENTES DE ABUSO Privacidade e Segurança no Facebook índice Í D I C E S Introdução 1 A primeira linha de defesa: gerencie quem vê seu conteúdo 2 Recupere o controle: analise as suas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 1/59 São José do Rio Preto 2009 1 INTRODUÇÃO...4 1.1 DECLARAÇÃO DE COMPROMETIMENTO DA DIREÇÃO...4 1.2 TERMOS E DEFINIÇÕES...5 1.3

Leia mais