TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO. Email: fujio.yamada@mackenzie.br"

Transcrição

1 II SIMPOSIO INTERNACIONAL SOBRE NOVAS COMPETENCIAS EM TECNOLOGIA DIGITAL INTERATIVAS NA EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE TV DIGITAL DR. PROF. FUJIO YAMADA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 1

2 Convenio ABERT e MINICOM Objetivo- Estudo das TV Digitais existentes Escopo Analise teórico e pratico Histórico Mackenzie Trabalho- Analise em laboratório e teste de campo Estrutura montada Laboratório e estação de transmissão Analise de desempenho do ATSC, DVB-T e ISDB-T Resultado Relatório

3 2003-Apresentação de estrutura viável de TV Digital para o Brasil Mackenzie- USP- Unicamp 2004 Decreto 4901 Chamada à comunidade científica participar do estudo para o Sistema Brasileiro de TV Digital Objetivo Modelo de referencia Padrão a ser adotado Modelo de negocio e forma de exploração de serviço Período de transição 3

4 Laboratório de Radio e TV Digital Baseado do sistema ISDB-T japonês Codificador H264-AVC e H264-AAC Definido Filtro de transmissão mais severo Midleware Ginga Uso do canal 7 ao 69 FI de 44 MHz Outras mudanças para absorver o legado 4

5 5

6 Fórum da TV Digital 6

7 PRINCIPIO BASICO: SEGMENTAÇÃO DE BANDA : 13 SEGMENTOS Modulação OFDM : Multiplas portadoras Espaçamento entre portadoras Portadoras por segmento Portadora Total Modo Modo Modo

8 Permite no mesmo canal HDTV + SDTV + Portátil Portátil SDTV HDTV 8

9 Tipo Versão Mbps Nº Seg FEC Mod. Modo HDTV Full 19, /4 64QAM 3 HDTV Robusta 17, /3 64QAM 3 HDTV + Celular HDTV + Movel Hierarquica Hierarquica Exemplo de configuração 17, /4 64QAM 3 0,44 1 2/3 QPSK 3 16, /4 64QAM 3 1,76 2 2/3 16QAM 3 HDTV + 16, /4 64QAM 3 SDTV Hierarquica 3,30 2 3/4 64QAM 3 4xSDTV Hierarquica 4x 4,56 4 x 3 3/4 64QAM 3 9

10 Laboratório de Radio e TV Digital LABORATORIO DE RADIO E TV DIGITAL DO MACKENZIE Participou da definição do SBTVD transmissão e recepção ATUOU ATUA Executou os testes de laboratório e de campo Elaborou a Norma de transmissão Estuda novas aplicações e produtos Executa testes de laboratório Executa testes de campo Participa dos trabalhos de divulgação do ISDB-TB no exterior 10

11 Avaliação e análise de sistemas e dispositivos No laboratório Analise em laboratório Novas aplicações No campo -Medições - condições estáticas com antena externa -Medições - condições estáticas com antena indoor -Medições - com receptor instalado em veículo em deslocamento -Medições - o receptor portátil -Analise de rede SFN Possui transmissor digital no canal 60 Fins cietíficos e experimentais 11

12 TV DIGITAL APLICADA À EDUCAÇÃO Cabine de Faraday 12

13 TV DIGITAL APLICADA À EDUCAÇÃO Laboratório de Radio e TV Digital Gerador de padrões ATSC, DVB-T, ISDB-T e ISDB-T B Gerador sinal TV analógico Gerador de multipercurso para 6 vias e 12 vias Cabine de Faraday Gerador de Ruído Gaussiano Gerador de ruído impulsivo Analisador de espectro (baixo ruído de fundo) Network analyzer (medir as características do circuito) Receptor de TV Digital e analógico Codificadores, multiplexadores e moduladores 13

14 TV DIGITAL APLICADA À EDUCAÇÃO Laboratório de Radio e TV Digital Bancada de Pesquisa 14

15 TV DIGITAL APLICADA À EDUCAÇÃO Laboratório de Radio e TV Digital Analisador de espectro (diversos tipos) Analisador de qualidade objetiva de imagem Exemplo de recursos Gerador de padrões de TV digital e analógico Gerador de freqüências Codificadores de fonte (HD, SD ou one seg) Multiplexadores (até 8 entradas) Receptor de GPS Gerador de ruído branco 15

16 Exemplo de Pesquisa: Receptor de U$100,00 16

17 Laboratório de Radio e TV Digital Exemplo de produtos desenvolvidos Receptor de TV Digital de U$100,00 Antena de recepção de polarização horizontal, vertical, circular Aparelho para medição de recepção em velocidade. Sistema de transmissão de TV Digital via satélite Software para analise de delay profile. Antena adaptativa para quatro canais 17

18 18

19 VIATURA DE TESTE MÓVEL PARA MEDIÇÕES DE CAMPO É um laboratório móvel instalado em veículo, equipado com mastro retrátil de até 10m de altura que pode girar 360º, antena Bilog, gerador Laboratório de Radio e TV Digital comunicação. VIATURA DE TESTE MÓVEL PARA MEDIÇÕES DE CAMPO É um laboratório móvel instalado em veículo, Mastro retratil até 10m altura gira 360º Antena Bilog + antena omni Veículo Gerador de energia + retificador Nobrake + Banco de baterias Camera no topo do mastro Receptor GPS 19

20 Interior do veículo 20

21 RF Capture: captura, digitaliza e grava em disco de 80Gbps Recursos para Medida em pontos fixos Analisador de espectro: analisa o espectro do sinal Receptor de TV Digital: observar a qualidade da imagem Receptor analógico: observar a presença de ruído impulsivo Antena padrão Bilog: ganho conhecido para cada faixa Notebook: com interface para registro de informações relevantes. 21

22 Medida em pontos fixos 22

23 RF Capture Analisador Anritsu 23

24 Exemplo de Medida em pontos fixos 24

25 Medida em deslocamento 25

26 Equipamento de teste em deslocamento 26

27 Coordenadas Velocidade Registra Intensidade do sinal Taxa de erro por intervalo de tempo Relação sinal ruído Qualidade da imagem 27

28 Laboratório de Radio e TV Digital Exemplo de gráfico da medida em deslocamento 28

29 MEDIDA INDOOR Recursos transportável RF Capture portátil Analisador portátil Set Top Box Antena Omni RF Capture portátil 29

30 Necessidade de permissão do morador 30

31 TRANSMISSOR Autorização da ANATEL para Canal 60 e Canal 12 Objetivo: Fins Científicos e Experimentais Instalado no Campus da Universidade Mackenzie Compõe de recursos para pesquisa 31

32 Antena Superturstile Pouca arrasto ao vento Ganho 8dB 32

33 TRANSMISSOR Rohde Schwartz NV 8304 Filtro de transmissão tipo Critico Principais módulos duplicados Característica Valor Modo 1, 2 ou 3 Convolucional code 1/2, 2/3, 3/4, 5/6 ou 7/8 Intervalo de guarda 1/4, 1/8, 1/16, 1/32 Modulação QPSK, 16QAM, 64QAM Time interleaving 0, 0,2s, 04s 33

34 Facilidades para compor Qualquer Configuração 34

35 CONCLUSÃO O Laboratório de Radio e TV Digital da Universidade Presbiteriana Mackenzie está preparado para grandes desafios, com recursos humanos e facilidade tecnológicas. Aceita colaborar com as instituições de pesquisa prestando apoio técnico e recursos. 35

36 PAISES QUE ADOTAM ISDB-T JAPÃO BRASIL ARGENTINA CHILE PERU EQUADOR VENEZUELA CUBA BOLIVIA PARAGUAI MACKENZIE PARTICIPA NO PROCESSO DE CONVENCIMENTO Reuniões Palestras Demonstrações Testes 36

37 MUITO OBRIGADO PELA ATENÇÃO Prof. Dr. Fujio Yamada 37

5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO

5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO 5 VIATURA DE MEDIDAS, PLANEJAMENTO E OS TESTES DE CAMPO A viatura de medidas é equipada para o levantamento com mastro retrátil de até 10 m de altura, um conjunto de instrumentos de medida e de armazenamento

Leia mais

4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição

4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição 4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição Neste capítulo são descritos o sistema de transmissão, recepção e aquisição de dados utilizados no experimento. São descritas, ainda, a metodologia utilizada

Leia mais

TV Dig ital - S ocial

TV Dig ital - S ocial Edson Luiz Castilhos Gerente Célula Software Livre - RS Marco Antonio Munhoz da Silva Gestor Projeto TV Digital Social 1 AGENDA O que é TV Digital? Histórico TV Analógica x TV Digital Sistema de TV Digital

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil

ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil ATSC - O melhor padrão para a TV DIGITAL do Brasil Câmara dos Deputados Seminário Internacional TV Digital obstáculos e desafios para uma nova comunicação Sávio Pinheiro Brasília-DF 16 de Maio de 2006

Leia mais

Capítulo III Descrição geral dos testes de campo

Capítulo III Descrição geral dos testes de campo Capítulo III Descrição geral dos testes de campo A) Teste de Campo de Cobertura para Comparação de Desempenho dos Sistemas ATSC, DVB-T e ISDB-T A1. Objetivo Este teste tem como objetivo comparar o desempenho

Leia mais

O Uso Racional do Espectro em beneficio da sociedade: a utilização da faixa dos 700 MHz Fiesp

O Uso Racional do Espectro em beneficio da sociedade: a utilização da faixa dos 700 MHz Fiesp O Uso Racional do Espectro em beneficio da sociedade: a utilização da faixa dos 700 MHz Fiesp 7-8-2013 Agenda Atribuições e missão da SET Grupos SET de Trabalho Testes e estudos no Japão Proposta de consulta

Leia mais

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos TV Digital Me Engº Leonardo Ortolan Me Engº Thiago L. S. Santos Sumário Introdução Desenvolvimento TV Digital: O que é? Padrões de TV Digital TV Digital Brasileira Participação da PUCRS no SBTVD Conclusão

Leia mais

TV Digital. Cristiano Akamine

TV Digital. Cristiano Akamine TV Digital O objetivo deste tutorial é fornecer ao leitor os subsídios básicos necessários para entender o princípio de funcionamento dos três sistemas de TV digital existentes no mundo: sistema americano,

Leia mais

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br Jornalismo Multiplataforma Tecnologias Redes e Convergência eduardo.barrere@ice.ufjf.br Panorama Em 2011, a TV atingiu 96,9% (http://www.teleco.com.br/nrtv.asp) TV Digital Uma novidade???? TV Digital Resolve

Leia mais

Testes SET interferências 4G/LTE em 700MHz sobre a recepção de TV Digital

Testes SET interferências 4G/LTE em 700MHz sobre a recepção de TV Digital Testes SET interferências 4G/LTE em 700MHz sobre a recepção de TV Digital Coletiva de imprensa 13-2-2014 São Paulo SP Brasil Agenda Grupos de Estudos SET Estudos, Testes e Procedimentos no Japão Grupo

Leia mais

4 CARACTERÍSTICA DE DESEMPENHO DE RECEPÇÃO

4 CARACTERÍSTICA DE DESEMPENHO DE RECEPÇÃO 4 CARACTERÍSTICA DE DESEMPENHO DE RECEPÇÃO Este bloco de ensaios visa a avaliar as características dos sistemas de TV Digital ATSC, DVB-T e ISDB-T para recepção dos sinais. 4.1 Limiar da relação portadora

Leia mais

Conceitos Inovadores na Operação da Rede Nacional de TV Pública Digital RNTPD

Conceitos Inovadores na Operação da Rede Nacional de TV Pública Digital RNTPD Conceitos Inovadores na Operação da Rede Nacional de TV Pública Digital RNTPD Rio de Janeiro, 10 de dezembro 2009 Rede Nacional de TV Pública Digital Cobertura em todos os municípios com mais de 100 mil

Leia mais

Testes de Interferências do LTE na TV Digital

Testes de Interferências do LTE na TV Digital Testes de Interferências do LTE na TV Digital Prof. Gunnar Bedicks Laboratório de Pesquisas em TV Digital Universidade Presbiteriana Mackenzie São Paulo, 13.02.2014 Metodologia dos Estudos de Interferência

Leia mais

Teste de interferência de equipamentos WiMax em recepção de satélite banda C

Teste de interferência de equipamentos WiMax em recepção de satélite banda C Teste de interferência de equipamentos WiMax em recepção de satélite banda C Antonio Vivaldi Rodrigues Diretor de Engenharia CelPlan 2/32 Í N D I C E 1. SUMÁRIO EXECUTIVO... 5 2. INTRODUÇÃO... 6 3. SETUP

Leia mais

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Sobral da Abelheira Mafra

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Sobral da Abelheira Mafra ESTUDO DE COBERTURA TDT Sobral da Abelheira Mafra DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro xxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxx 11 de janeiro de 2012 1 Índice 1 Índice... 1 2 Descrição Sumária do

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT NAS LOCALIDADES DE. PRAIA DE QUIAOS E MURTINHEIRA (Concelho de Figueira da Foz)

AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT NAS LOCALIDADES DE. PRAIA DE QUIAOS E MURTINHEIRA (Concelho de Figueira da Foz) AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT NAS LOCALIDADES DE PRAIA DE QUIAOS E MURTINHEIRA (Concelho de Figueira da Foz) Centro de Monitorização e Controlo do Espectro 03 de Agosto de 2011 No dia 3 de Agosto

Leia mais

O Panorama da TV Digital no Brasil. Leandro Miller Leonardo Jardim

O Panorama da TV Digital no Brasil. Leandro Miller Leonardo Jardim O Panorama da TV Digital no Brasil Leandro Miller Leonardo Jardim Tópicos Abordados TV Aberta no Brasil Vantagens da TV Digital Padrões de TV Digital Sistema Brasileiro de TV Digital Oportunidades na TV

Leia mais

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital 6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital Neste capítulo, os modelos desenvolvidos serão utilizados para a avaliação da cobertura de sistemas de TV digital na cidade de São Paulo. Partindo dos limiares

Leia mais

6 Simulação do Canal de TV Digital

6 Simulação do Canal de TV Digital 6 Simulação do Canal de TV Digital 6.1. Simulação com os Programas SIRCIM e SMRSIM O Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) irá operar basicamente em duas configurações: - Antena transmissora externa

Leia mais

Modulação COFDM Uma proposta atrativa para os padrões de TV Digital

Modulação COFDM Uma proposta atrativa para os padrões de TV Digital Modulação COFDM Uma proposta atrativa para os padrões de TV Digital ANA LUIZA RODRIGUES REGINA MISSIAS GOMES Instituto de Ensino Superior de Brasília - IESB analurr@hotmail.com.br regina_missias@pop.com.br

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

SET2012. Distribuição do BTS na Interiorização TVD Cases e Desafios

SET2012. Distribuição do BTS na Interiorização TVD Cases e Desafios SET2012 Distribuição do na Interiorização TVD Cases e Desafios DEMANDAS MODELOS, EQUIPAMENTOS ENVOLVIDOS E MODELO HÍBRIDO PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DESENVOLVIMENTO, NOVAS DEMANDAS REDES SFN IMPLANTADAS

Leia mais

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Serra de St.º Antonio, Minde e Mira de Aire

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Serra de St.º Antonio, Minde e Mira de Aire ESTUDO DE COBERTURA TDT Serra de St.º Antonio, Minde e Mira de Aire DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro xxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxx 05 a 06 de dezembro de 2011 1 Índice 1

Leia mais

AS CONSEQUÊNCIAS DA DESTINAÇÃO DA FAIXA DE 700 MHz, NO BRASIL, ATUALMENTE OCUPADA PELA TV ABERTA, PARA SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G

AS CONSEQUÊNCIAS DA DESTINAÇÃO DA FAIXA DE 700 MHz, NO BRASIL, ATUALMENTE OCUPADA PELA TV ABERTA, PARA SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G SENADO FEDERAL AS CONSEQUÊNCIAS DA DESTINAÇÃO DA FAIXA DE 700 MHz, NO BRASIL, ATUALMENTE OCUPADA PELA TV ABERTA, PARA SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G Brasília DF, 19 de novembro de 2013 HISTÓRICO: CONSULTA

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social Desenvolvimento de Aplicações Interativas GINGA NCL e LUA Projeto TV Digital Social Marco Antonio Munhoz da Silva DATAPREV Gestor do Proejeto TV Digital Social AGENDA Divisão dos assuntos em quatro partes

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 35, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 35, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 35, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2013 * Publicada no DOE em 19/12/13 Altera a Instrução Normativa n.º 04, de 31 de janeiro de 2013, que lista os produtos de informática de que tratam a alínea

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT Praia da Vieira e Praia de Pedrógão (CONCELHO DE LEIRIA)

AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT Praia da Vieira e Praia de Pedrógão (CONCELHO DE LEIRIA) AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT Praia da Vieira e Praia de Pedrógão (CONCELHO DE LEIRIA) DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro XXXXXXX XXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXX XXXXXXXXXX XXXXXXXXXXX

Leia mais

Segurança em redes sem fio Freqüências

Segurança em redes sem fio Freqüências Segurança em redes sem fio Freqüências Carlos Lamb Fausto Levandoski Juliano Johann Berlitz Vagner Dias Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) 16/08/2011 AGENDA INTRODUÇÃO ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO

Leia mais

Qualidade. Confiança. Inovação.

Qualidade. Confiança. Inovação. Qualidade. Confiança. Inovação. Soluções em Radiodifusão, Vídeo e Comunicação do Brasil para o mundo. Transmissores Excitadores Multiplexadores Encoders Gap-fillers Micro-ondas Rádio Digital Câmeras Broadcast

Leia mais

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Novas Tecnologias para aplicações RF Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Agenda Espectro de frequência As últimas tecnologias de rádio Algumas coisas para ficar de olho 2 ESPECTRO DE FREQUÊNCIA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410. Revisão C

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410. Revisão C ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410 Revisão C SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA - TI GERÊNCIA DE SUPORTE EM INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

Entretenimento e Interatividade para TV Digital

Entretenimento e Interatividade para TV Digital Entretenimento e Interatividade para TV Digital Desenvolvimento de Aplicativos para TV Digital Interativa Rodrigo Cascão Araújo Diretor Comercial Apresentação da Empresa A EITV desenvolve software e provê

Leia mais

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital Middleware GINGA Desenvolvimento de Aplicações Interativas Linguagem NCL (Nested Context Language) Trabalhos em andamento 1 2 3 4 Maior resolução de imagem Melhor

Leia mais

Redes sem Fio 2016.1. WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio 2016.1. WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 WMANs (IEEE 802.16) Wi-MAX Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Redes sem Fio Onde Estamos? Sistemas de comunicação wireless Redes locais wireless

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSMISSÃO PARA TV DIGITAL

SISTEMAS DE TRANSMISSÃO PARA TV DIGITAL 9 SISTEMAS DE TRANSMISSÃO PARA TV DIGITAL PTC2547 PRINCÍPIOS DE TELEVISÃO DIGITAL Guido Stolfi EPUSP 11 / 2015 1. Introdução A transmissão de TV digital deve contemplar uma série de alternativas, correspondentes

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA APLICAÇÃO: 14/9/2014

PADRÃO DE RESPOSTA APLICAÇÃO: 14/9/2014 DISSERTAÇÃO Espera-se que o candidato redija texto dissertativo acerca da evolução das redes de comunicação e da infraestrutura destinada para a provisão de novos serviços, abordando, necessariamente,

Leia mais

5 Setup de Medidas. 5.1. Introdução

5 Setup de Medidas. 5.1. Introdução 5 Setup de Medidas 5.1. Introdução Para realização desse trabalho foi montada uma configuração de setup de medidas em UHF, mais precisamente no canal 42, freqüência central de 641 MHz em acordo com o Plano

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Fundamentos de Sistemas Multimídia Padrões de Rádio Digital Agosto/2006 Jailton Neves Padrões de Rádio Digital Agenda - IBOC In

Leia mais

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Charneca de Alvorge - Alvorge (Ansião)

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Charneca de Alvorge - Alvorge (Ansião) ESTUDO DE COBERTURA TDT Charneca de Alvorge - Alvorge (Ansião) DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro xxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxx 25 de janeiro de 2012 1 Índice

Leia mais

ISDB-T BRASIL Versão: 1.1.1

ISDB-T BRASIL Versão: 1.1.1 DIGIAIR PRO ISDB-T MANUAL DO USUÁRIO ISDB-T BRASIL Versão: 1.1.1 Conteúdo: DIGIAIR PRO ISDB-T Descrição. 3 1 INTRODUÇÃO 4 1.1 LIGAR E DESLIGAR (ON/OFF) 4 1.2 FONTE DE ALIMENTAÇÃO E BATERIA 4 1.3 COMO USAR

Leia mais

Sistemas de Televisão Avançada. O Sinal de RF em sistemas ATV. Sistemas Radiantes para DTV

Sistemas de Televisão Avançada. O Sinal de RF em sistemas ATV. Sistemas Radiantes para DTV Sistemas Radiantes para DTV Sistemas de Televisão Avançada Revolucionária concepção para a geração, produção, transmissão e recepção de conteúdo multimídia com qualidade vídeo película 35mm e áudio surround

Leia mais

DESTINAÇÃO E LICITAÇÃO DA FAIXA DE 700MHZ

DESTINAÇÃO E LICITAÇÃO DA FAIXA DE 700MHZ DESTINAÇÃO E LICITAÇÃO DA FAIXA DE 700MHZ Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática CCT Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Brasília/DF Julho/2013 CENÁRIO ATUAL

Leia mais

SET 2017 PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DO LABORATÓRIO DE PESQUISAS EM TV DIGITAL DO MACKENZIE

SET 2017 PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DO LABORATÓRIO DE PESQUISAS EM TV DIGITAL DO MACKENZIE SET 2017 PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DO LABORATÓRIO DE PESQUISAS EM TV DIGITAL DO MACKENZIE Apresentador: JULIO OMI 24/08/2017 Laboratório de Pesquisas em TV Digital - LPTVD Universidade Presbiteriana Mackenzie

Leia mais

3 PROCESSOS DE COMPRESSÃO

3 PROCESSOS DE COMPRESSÃO Revista Mackenzie de Engenharia e Computação, Ano 5, n. 5, p. 13-96 Neste ponto existem duas possibilidades. Se o receptor for do tipo Digital o sinal de TV digitalizado oriundo do decompressor MPEG2 vai

Leia mais

As outorgas de TV Digital no Brasil

As outorgas de TV Digital no Brasil As outorgas de TV Digital no Brasil Eng.Jayme Marques de Carvalho Neto Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica Jayme.carvalho@mc.gov.br Santiago- Chile Setembro de 2010 A Secretaria de Serviços

Leia mais

ANEXO 2. Fundamentos e Padrões de TV Digital Distribuição de Vídeo em Redes IP

ANEXO 2. Fundamentos e Padrões de TV Digital Distribuição de Vídeo em Redes IP ANEXO 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS DE TV DIGITAL E IPTV A2.1. ORGANIZAÇÃO E MÓDULOS O curso de Pós-graduação em Engenharia de Sistemas de TV Digital tem 368 horas de atividades presenciais

Leia mais

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA STV 18 ABR 2008 1 TRANSMISSÃO DE TV método de se transmitir o sinal de imagem modulado em amplitude a amplitude de uma portadora de RF varia de acordo com uma tensão moduladora a modulação é o sinal de

Leia mais

Pesquisas na Recepção de TV Digital em VHF

Pesquisas na Recepção de TV Digital em VHF Universidade Presbiteriana Mackenzie Laboratório de TV Digital Pesquisas na Recepção de TV Digital em VHF Congresso SET Sessão: P&D em Radiodifusão Eng. Renato Maroja (rmmaroja@ieee.org) 21/08/ Pesquisas

Leia mais

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES MONOCANAIS ANALÓGICOS AM

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES MONOCANAIS ANALÓGICOS AM ANEXO À RESOLUÇÃO N o 370, DE 13 DE MAIO DE 2004. NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES MONOCANAIS ANALÓGICOS AM 1. Objetivo Esta norma estabelece os requisitos técnicos

Leia mais

Televisão Digital Fundamentos e Padrões

Televisão Digital Fundamentos e Padrões Televisão Digital Fundamentos e Padrões Sandro Adriano Fasolo 1 e Luciano Leonel Mendes 2 Resumo O objetivo deste artigo é descrever as técnicas de modulação para a transmissão de televisão digital que

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS. Centro de Monitorização e Controlo do Espectro

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS. Centro de Monitorização e Controlo do Espectro AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS Centro de Monitorização e Controlo do Espectro 12 de Julho de 2011 Em 2011-07-12, e em complemento à análise de cobertura TDT solicitada para efeitos de

Leia mais

2.8. Interferência Simultânea de Canal Digital e Ruído em Canal Digital

2.8. Interferência Simultânea de Canal Digital e Ruído em Canal Digital 2.8. Interferência Simultânea de Canal Digital e Ruído em Canal Digital 2.8.1 Objetivo Este método de medida tem por objetivo avaliar a degradação produzida em um sinal digital, interferido simultaneamente

Leia mais

802.11n + NV2 TDMA. Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS

802.11n + NV2 TDMA. Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS 802.11n + NV2 TDMA Desempenho e Acesso Múltiplo em Redes Wireless com RouterOS Nicola Sanchez Engenheiro de Telecomunicações Mikrotik Certified Trainer CENTRO DE TREINAMENTO OFICIAL MIKROTIK CENTRO DE

Leia mais

APÊNDICE B. Critérios para Avaliação do Sistema de Rádio Digital FM IBOC

APÊNDICE B. Critérios para Avaliação do Sistema de Rádio Digital FM IBOC APÊNDICE B Critérios para Avaliação do Sistema de Rádio Digital FM IBOC Junho de 2007 Sumário Lista de Figuras...ii Lista de Tabelas... iii 1 INTRODUÇÃO...1 2 CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA FM IBOC HÍBRIDO...1

Leia mais

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television TV Digital : Convergência e Interatividade. A TELEVISÃO. A Televisão... o mais subversivo instrumento da comunicação deste século!" Assis Chateaubriand (1950). A Televisão Sem TV é duro de dizer quando

Leia mais

PCTV HD PRO Stick - Guia de Instalação Rápida:

PCTV HD PRO Stick - Guia de Instalação Rápida: 1 PCTV HD PRO Stick - Guia de Instalação Rápida: I Conteúdo do Pacote: Sintonizador PCTV USB Antena Telescópica CD Instalação PCTV Cabo extensor USB CD Studio 10 Quickstart Adaptador de Entrada A/V Controle

Leia mais

TESTES DE INTERFERÊNCIA DO SINAL LTE NA RECEPÇÃO DE TV DIGITAL NA FAIXA DE UHF

TESTES DE INTERFERÊNCIA DO SINAL LTE NA RECEPÇÃO DE TV DIGITAL NA FAIXA DE UHF TESTES DE INTERFERÊNCIA DO SINAL NA RECEPÇÃO DE TV DIGITAL NA FAIXA DE UHF As preocupações com a interferência da na TV digital operando em faixas adjacentes vêm crescendo nos últimos anos, com o desenvolvimento

Leia mais

Ações do Ministério das Comunicações

Ações do Ministério das Comunicações Ações do Ministério das Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Brasília, março de 2012. Crescimento do setor alguns destaques Serviço Número de Acessos Taxa de Crescimento

Leia mais

Multiplexação FDM. Amplamente utilizada de forma conjunta às modulações AM, FM, QAM, PSK Usada na comunicação de sinais analógicos e digitais

Multiplexação FDM. Amplamente utilizada de forma conjunta às modulações AM, FM, QAM, PSK Usada na comunicação de sinais analógicos e digitais Multiplexação FDM Multiplexação por Divisão de Frequência A multiplexação não é em si uma técnica de modulação de sinais, mas é frequentemente utilizada de forma complementar Possibilita o envio simultâneo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT. Mealhada (Aveiro)

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT. Mealhada (Aveiro) AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT Mealhada (Aveiro) DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro xxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxx 12 de janeiro de 2012 1 Índice 1 Índice... 1 2 Descrição

Leia mais

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00. COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS Especificações Técnicas Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.058 Cod.

Leia mais

Obtenha medidas de potência de um sinal de fluxo abaixo DOCSIS usando um analisador de espectro

Obtenha medidas de potência de um sinal de fluxo abaixo DOCSIS usando um analisador de espectro Obtenha medidas de potência de um sinal de fluxo abaixo DOCSIS usando um analisador de espectro Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Negação Convenções Compreendendo o monte

Leia mais

Geraldo Neto Gerente de relações governamentais 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital

Geraldo Neto Gerente de relações governamentais 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital Geraldo Neto Gerente de relações governamentais 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital 1 A faixa de 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital Teste encomendado pela Abinee e patrocinado por Alcatel-Lucent,

Leia mais

4 PADRÕES DE TV DIGITAL

4 PADRÕES DE TV DIGITAL MPEG 2 Áudio Camada 3: o mapeamento tempo-freqüência usa banco de filtros polifásicos para a divisão nas 32 bandas principais, seguida de uma filtragem usando Modified Discret Coseno Transformer (MDCT)

Leia mais

PARTE II PROCEDIMENTO DE MEDIDAS

PARTE II PROCEDIMENTO DE MEDIDAS PARTE II PROCEDIMENTO DE MEDIDAS Procedimento de Medidas 1 INTRODUÇÃO Na primeira parte deste compêndio foi apresentado o aspecto conceitual do sistema de televisão com enfoque maior na TV Digital expondo

Leia mais

Seu e u a c a e c s e s s o s a p r a a r a n ov o a v s a s t ec e n c o n l oog o i g as

Seu e u a c a e c s e s s o s a p r a a r a n ov o a v s a s t ec e n c o n l oog o i g as !!" #$# %& '!!(&!!)* ESTRUTURA PARA O PROJETO SBTVD - T PROJETO SBTVD Presidente da República Lula Conselho Consultivo (22 Instituições da sociedade Brasileira) Decreto 4901 de 26 de Novembro de 2003 Comitê

Leia mais

O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO

O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática Brasília, 20 de outubro de 2009 O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO Prof.

Leia mais

Medidor de campo para sinais de TV digital HD padrão Brasileiro ISDB-T

Medidor de campo para sinais de TV digital HD padrão Brasileiro ISDB-T Medidor de campo para sinais de TV digital HD padrão Brasileiro ISDB-T LCD 3.5 : Colorido de Alta Resolução Monitor: Sintoniza o canal selecionado com áudio e vídeo Leituras de: Pre BER, Post BER, MER,

Leia mais

Códigos concatenados. Entrelaçamento. entrelaçadores de blocos. entrelaçadores convolucionais. Exemplos de códigos concatenados e entrelaçados

Códigos concatenados. Entrelaçamento. entrelaçadores de blocos. entrelaçadores convolucionais. Exemplos de códigos concatenados e entrelaçados 2.6. Códigos concatenados e entrelaçados Códigos concatenados Entrelaçamento entrelaçadores de blocos entrelaçadores convolucionais Exemplos de códigos concatenados e entrelaçados Entrelaçamento A maior

Leia mais

Sistema de Transmissão no Padrão Brasileiro de TV Digital

Sistema de Transmissão no Padrão Brasileiro de TV Digital Sistema de Transmissão no Padrão Brasileiro de TV Digital Departamento de Engenharia de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense Helio Coelho Junior helio@compuland.net.br Dezembro 2008 Introdução

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE VALDEREZ DE ALMEIDA DONZELLI POLARIZAÇÃO ELÍPTICA: INFLUÊNCIA NO DESEMPENHO DE COBERTURA DA TV DIGITAL

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE VALDEREZ DE ALMEIDA DONZELLI POLARIZAÇÃO ELÍPTICA: INFLUÊNCIA NO DESEMPENHO DE COBERTURA DA TV DIGITAL UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE VALDEREZ DE ALMEIDA DONZELLI POLARIZAÇÃO ELÍPTICA: INFLUÊNCIA NO DESEMPENHO DE COBERTURA DA TV DIGITAL São Paulo 2011 Valderez de Almeida Donzelli Polarização Elíptica:

Leia mais

Redes de Freqüência Única Microrregionais Renato de Melo Faria e Maurício Silveira

Redes de Freqüência Única Microrregionais Renato de Melo Faria e Maurício Silveira XXV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES - SBrT 2007, 03-06 DE SETEMBRO DE 2007, RECIFE, PE 1 Redes de Freqüência Única Microrregionais Renato de Melo Faria e Maurício Silveira Resumo O uso de redes

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE COMPOSIÇÃO DA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25 A estação repetidora digital P25 será composta pelos seguintes equipamentos:

Leia mais

Qualidade. Confiança. Inovação.

Qualidade. Confiança. Inovação. Qualidade. Confiança. Inovação. Soluções em Radiodifusão, Vídeo e Comunicação do Brasil para o mundo. Transmissores Excitadores Multiplexadores Encoders Gap-fillers Micro-ondas Rádio Digital Câmeras Broadcast

Leia mais

Capa. Redes de Acesso à Internet Móvel. Perspectiva dos operadores FWA

Capa. Redes de Acesso à Internet Móvel. Perspectiva dos operadores FWA Capa Redes de Acesso à Internet Móvel Perspectiva dos operadores FWA Sonaecom Engenharia de Acesso Rádio Tecnologias Wireless Leiria, 3 de Maio de 2006 Sonaecom EAR / TW I David Antunes I 03/Maio/2006

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA. 15/Maio/2014

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA. 15/Maio/2014 COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL 15/Maio/2014 Posição da Abinee em relação ao leilão de 700 MHz Que aconteça de acordo com o cronograma da Anatel, ainda

Leia mais

Espectro de Radiofreqüências TV Digital

Espectro de Radiofreqüências TV Digital QUESTÕES REGULATÓRIAS Espectro de Radiofreqüências TV Câmara dos Deputados Seminário Internacional TV - obstáculos e desafios para uma nova comunicação Brasília - 16/05/2006 Regulamentação Pertinente LGT

Leia mais

TRANSMISSOR DE TV DIGITAL. Francisco Januário Bacharel em Engenharia de Telecomunicações Mestrando em Engenharia Elétrica

TRANSMISSOR DE TV DIGITAL. Francisco Januário Bacharel em Engenharia de Telecomunicações Mestrando em Engenharia Elétrica TRANSMISSOR DE TV DIGITAL Francisco Januário Bacharel em Engenharia de Telecomunicações Mestrando em Engenharia Elétrica Vídeo Áudio Novos serviços e aplicações interativas Transmissor de TV Digital Diagrama

Leia mais

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Introdução às Telecomunicações 2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Elementos de um Sistemas de Telecomunicações Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Telecomunicações 2 1 A Fonte Equipamento que origina

Leia mais

SBTVD x 4G LTE. Regulamento de Convivência. Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro

SBTVD x 4G LTE. Regulamento de Convivência. Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro Regulamento de Convivência SBTVD x 4G LTE Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro Agência Nacional de Telecomunicações 737ª Reunião do Conselho Diretor Brasília, 09/04/2014 Atribuição e Destinação Condições

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 Sabará, 11 de setembro de 2014 RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 A Prefeitura Municipal de Sabará, por meio da Secretaria Municipal de Administração, resolve, por questões administrativas, retificar

Leia mais

Rede PLC Power Line Conection

Rede PLC Power Line Conection Rede PLC Power Line Conection Por: Luiz Fernando Laguardia Campos Semana do Técnico Colégio PioXII Outubro 2008 Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Rede PLC - Tópicos

Leia mais

Radiodifusão Sonora Digital

Radiodifusão Sonora Digital 1 Radiodifusão Sonora Digital Lúcio Martins da Silva AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL ASSUNTO: A ADOÇÃO DE UMA NOVA TECNOLOGIA PARA

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Relatório Final da Subcomissão Especial de Rádio Digital destinada a estudar e avaliar o modelo de rádio digital a ser adotado no Brasil.

Relatório Final da Subcomissão Especial de Rádio Digital destinada a estudar e avaliar o modelo de rádio digital a ser adotado no Brasil. COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA Relatório Final da Subcomissão Especial de Rádio Digital destinada a estudar e avaliar o modelo de rádio digital a ser adotado no Brasil. Presidente:

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 16, DE 04 DE ABRIL DE 2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 16, DE 04 DE ABRIL DE 2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 16, DE 04 DE ABRIL DE 2013 * Publicado no DOE em 10/04/2013 Altera a Instrução Normativa n.º 04, de 31 de janeiro de 2013, que lista os produtos de informática de que tratam a alínea

Leia mais

Cenário Globosat de Distribuição de Conteúdo

Cenário Globosat de Distribuição de Conteúdo Cenário Globosat de Distribuição de Conteúdo 16 de Junho de 2009 Marcio Albernaz A Globosat Sede no Rio Comprido, Rio de Janeiro. Fundada em 1991 04 canais e nenhum assinante. Maior Programadora do Brasil.

Leia mais

Comunicação de Dados. Aula 5 Transmissão Analógica

Comunicação de Dados. Aula 5 Transmissão Analógica Comunicação de Dados Aula 5 Transmissão Analógica Sumário Modulação de sinais digitais Tipos de Modulação Taxa de transmissão x Taxa de modulação Modulação por amplitude Modulação por freqüência Modulação

Leia mais

Transmissão de TV Digital

Transmissão de TV Digital Transmissão de TV Digital Transmissão de TV Digital Modulações Digitais Padrão ISDB Modulador Estrutura Sistema TV Cultura Modulações Digitais Modulações Digitais Uma portadora modulada de forma digital

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO V DA COMUNICAÇÃO SOCIAL Art. 223. Compete ao Poder Executivo outorgar e renovar concessão, permissão e autorização

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

IGIP 2011 MÉTODO DE AVALIAÇÃO DA RECEPÇÃO DO SISTEMA ISDB-TB EM AMBIENTE INDOOR. Prof. Dr. Fujio Yamada. Valderez de Almeida Donzelli

IGIP 2011 MÉTODO DE AVALIAÇÃO DA RECEPÇÃO DO SISTEMA ISDB-TB EM AMBIENTE INDOOR. Prof. Dr. Fujio Yamada. Valderez de Almeida Donzelli Prof. Dr. Fujio Yamada Rodrigo Eiji Motoyama 1 Introdução 2 Metodologia de Testes 3 Planejamento de testes 4 Resultados 5 Conclusão Agradecimento Março2011 1 Introdução Este trabalho apresenta os resultados

Leia mais

Considerações sobre o relatório final da SET/ABERT para definição do padrão de televisão digital no Brasil. 1. Introdução

Considerações sobre o relatório final da SET/ABERT para definição do padrão de televisão digital no Brasil. 1. Introdução Consulta Pública N 237 Submetido à Anatel em 31/07/00. Considerações sobre o relatório final da SET/ABERT para definição do padrão de televisão digital no Brasil José G. Chiquito, Dalton S. Arantes e Max

Leia mais

Evolução Telefonia Móvel

Evolução Telefonia Móvel 1 Evolução Telefonia Móvel RESUMO De modo geral o artigo visa esclarecer formas de comunicações utilizadas no passado e atualmente em celulares, tablets, modens portáteis entre outras aparelhos de comunicação

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N o 492, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008

ANEXO À RESOLUÇÃO N o 492, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008 ANEXO À RESOLUÇÃO N o 492, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008 NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DIGITAIS PARA O SERVIÇO FIXO EM APLICAÇÕES PONTO- MULTIPONTO NAS FAIXAS DE FREQUÊNCIAS

Leia mais

16/24 Portas Comutador de Ethernet Rápida montável em Computador de Secretária & Prateleira

16/24 Portas Comutador de Ethernet Rápida montável em Computador de Secretária & Prateleira 16/24 Portas Comutador de Ethernet Rápida montável em Computador de Secretária & Prateleira Manual de Utilizador Certificação Declaração FCC Este equipamento foi testado e comprovado estar em conformidade

Leia mais