ANÁLISE DE PROCESSOS DO PMBOK EM UMA UNIDADE DO SENAI - PB RELATO DE EXPERIÊNCIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE DE PROCESSOS DO PMBOK EM UMA UNIDADE DO SENAI - PB RELATO DE EXPERIÊNCIA"

Transcrição

1 ANÁLISE DE PROCESSOS DO PMBOK EM UMA UNIDADE DO SENAI - PB RELATO DE EXPERIÊNCIA Nisston Moraes Tavares de Melo 1 Abstract. This article presents an experience report on the implementation of the Time Management processes in a unit of the SENAI of João Pessoa, Vocational Training unit medium size technology, which had as students enrollment targets 17,458 for 2014, with an influx of students in 2013 around 1,200 in three shifts (morning, afternoon and evening) for various modes, detailed throughout the article. Also featuring about 107 instructors, divided into nine (9 areas). The use of IT resources tied to processes according to the PMBOK can contribute to better management and monitoring indicators that are critical to the proper functioning of the processes of education sector. Resumo. Esse artigo apresenta um relato de experiência na implantação de processos da Gestão do Tempo em uma unidade do SENAI de João Pessoa, unidade de Formação Profissional Técnica de tamanho médio, que apresentava como metas de matrículas de alunos para 2014, com um fluxo de alunos em 2013 em torno de nos três turnos (manhã, tarde e noite), para as diversas modalidades, detalhada no decorrer do artigo. Apresentando também cerca de 107 instrutores, divididos em 9 (nove áreas). A utilização de recursos de TI atrelados aos processos segundo o PMBOK pode contribuir para uma melhor gestão e acompanhamento de indicadores que são fundamentais para o funcionamento adequado dos processos do setor de Educação. Palavra-chave: Gerenciamento do Tempo; PMBOK; Sistema de Informação 1. Introdução O Centro de Ensino Profissional Odilon Ribeiro Coutinho, ou simplesmente CEP-ORC, é uma unidade de ensino profissionalizando, localizado na Avenida das Indústrias s/n, Distrito Industrial de João Pessoa, unidade operativa do SENAI, inscrita no Cadastro de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda (CNPJ) sob nº / oferece cerca de 90 cursos nas mais diversas modalidades, aprendizagem, qualificação, aperfeiçoamento, técnica e EaD. Apresentando um quadro de instrutores na ordem de 1 Mestre em Computação - Professor titular da Faculdade DeVry João Pessoa João Pessoa PB Brazil

2 107, distribuídos nas áreas de: Alimentos, elétrica, gestão, gráfica/informática, mecânica automotiva, metalomecânica, segurança do trabalho e vestuário. Também fazendo parte as Coordenações por área, uma psicóloga, coordenação pedagógica, coordenação de estágio, secretaria acadêmica, biblioteca e uma coordenação para os cursos técnicos. Estes números colocam a unidade como a segunda maior do estado, com um fluxo de alunos em torno de 1500 nos três turnos. A unidade apresenta no seu organograma uma estrutura com uma direção administrativa geral, seguida por três gerências, uma de educação, uma de STI Serviços Técnicos de Inovação e uma terceira de Mercado. A necessidade de controle e organização das ações dentro de uma unidade com essa estrutura de cursos e pessoal é fundamental para o bom funcionamento e que possa otimizar o tempo e o espaço como um todo. As empresas atuais devem se prepara para o grande desafio que são as freqüentes mudanças e adaptações que a TI e as novas demandas são requisitadas pelo novo modelo de mercado, onde são elementos fundamentais e fazem toda a diferença, como os prazos, os custos, a qualidade, segundo Cleland e Ireland (2000), uma excelente ferramenta para administrar e controlar esses elementos podem ser encontradas na gerência de projetos, por apresentar um conjunto de processos que podem ser aplicados de maneira prática e direta para lidar com as mudanças nas organizações contemporâneas. A necessidade de se adaptar é essencial para as empresas identificando as oportunidades e os processos devem se adaptar o mais rápido possível com a criação ou reformulação dos processos de gerenciamento de projetos via implantação de práticas de processos reconhecidos e eficientes. Para Vargas (2003) é importante ressaltar que os ambientes complexos e dinâmicos que pode ser encontrado nas empresas é um campo fértil que pode oferecer um conjunto de propostas para estabelecer um processo lógico e estruturado, capaz de otimizar os eventos que são diários para as tarefas do dia a dia da empresa. Diante do exposta, o presente artigo pretende responder a seguinte pergunta: Como aplicar as principais técnicas e ferramentas do gerenciamento do tempo nas atividades de maior fluxo dos setores de responsabilidade da Gerencia de Educação, a fim de permitir um maior controle, organização, mensurar e fomentar o planejamento estratégico da unidade?

3 Dessa forma, os objetivos específicos da pesquisa são: realizar um levantamento dos principais processos que demandam maior tempo do setor de Educação, além da classificação das prioridades entre esses processos; apresentar uma estrutura gráfica do fluxo da informação dos principais processos; analisar os processos do módulo do gerenciamento do tempo numa aplicação direta aos processos identificados no item a). Para alcançar os objetivos específicos, (i) conhecimento da estrutura organizacional, dos seus setores/departamentos, dos atores e do contexto que se pretende aperfeiçoar; (ii) capacidade para estruturar e avaliar as dimensões consideradas relevantes por estes atores, dando mais confiabilidade nos resultados, segundo Cáñez e Garcias, (2006); (iii) capacidade de disseminar o conhecimento gerado; (iv) potencialidade para fundamentar o processo decisório. Tomando como base o PMBOK (Project Management Body of Knowledge) e considerando a importância do gerenciamento de projetos o presente artigo realiza uma análise da metodologia aplicada na gerencia do tempo com o objetivo de implantar alguns processos e técnicas nas atividades de maior fluxo e demanda do setor de Educação da Unidade CEP - ORC. Este artigo está dividido em cinco seções. A seção 2 faz o levantamento dos principais processos que são demandados pelo setor de Educação, apresenta, também uma estrutura gráfica, em formato de fluxo de informação dos processos e faz a análise dos processos do módulo do gerenciamento do tempo aplicados dentro dos processos identificados do setor de Gerência de Educação - GE. As questões e o método da pesquisa utilizados são detalhados na seção 3; A seção 4 apresenta e discute os resultados obtidos. Na seção 5 encerra o artigo com as conclusões da pesquisa. 2. Os processos do setor da Gerência de Educação Nesta seção é apresentado o mapeamento dos processos de planejamento e controle realizados na Gerência de Educação do CEP-ORC, que tem em seu organograma um Diretor e três gerências, com perfis bem definidos, porém trabalhando de maneira integradas, Figura 1.

4 Figura 1 - Organograma do CEP-ORC Pegando apenas a Gerência de Educação, vamos encontrar em sua estrutura um conjunto de departamentos que estão interligados e com níveis de complexidades variáveis, apresentando processos definidos e alguns a definir, além de muito pouca implementação de informatização nos fluxos dos processos, a Educação Superior, encontra-se em processo de autorização junto ao MEC Ministério da Educação. Figura 2 Organograma da Gerência de Educação Foram realizadas diversas reuniões com a equipe de Educação e as coordenações, até apresentar um grupo de processos que são de responsabilidade da Gerência para atender as demandas e necessidades do setor, na Tabela 1, estão relacionadas os Processos da GE em planejamento e acompanhamento que o setor necessita para manter de maneira otimizadas os seus 107 instrutores, distribuídos nos cerca de 45 cursos dos três turnos. Tabela 1 - Relação dos Processos da Gerência de Educação Seq. Descrição dos Processos 1 Planejamento do orçamento para educação

5 2 Planejamento de novos projetos de cursos 3 Planejamento das metas para o próximo ano 4 Acompanhamento das metas da unidade 5 Planejamento e acompanhamento das ações acadêmicas junto aos instrutores 6 Prospecção de parcerias em educação 7 Articular com as demais gerências as ações de divulgação e promoção da educação 8 Planejamento de cursos de capacitação para os instrutores 9 Planejamento do uso das oficinas com a Gerência de Tecnologia 10 Planejamento dos eventos de formatura para as turmas do técnico Fonte: Autoria própria O setor de Educação apresenta mais de um Sistema de Informação que operam de maneira independente e não estão interconectados, uma grande dificuldade e ponto de constante reclamações, já que os sistemas existentes não compartilham suas bases de dados, sendo necessário em várias situações a digitação de dados de maneira redundante e com muito retrabalho. Sendo motivo para constantes programas de realinhamento e promessas de integração e unificação das bases de dados durante muito tempo pelo setor de TI, responsável pelo desenvolvimento dos sistemas. No Gráfico 1, é possível dimensionar como estão distribuídos os mais de 45 cursos que são oferecidos pela gerência de educação, nas diversas áreas, cerca de 10 (dez) e com os seus 107 (cento e sete) instrutores, nos três turnos de funcionamento.

6 ALIMENTOS 2 5 COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO EAD ELÉTRICA GESTÃO GRÁFICA/INFORMÁTICA MECÂNICA AUTOMOTIVA METALMECÂNICA SEGURANÇA DO TRABALHO VESTUÁRIO Gráfico 1 - Gráfico da quantidade de instrutores por área 3. Metodologia aplicada Este tópico irá abordar os conceitos utilizados para o desenvolvimento do trabalho, adotando o modelo do PMBOK, com a definição dos grupos de processos e das áreas de conhecimento Os grupos e áreas de conhecimento É importante identificar os principais grupos de processos que fazem parte da estrutura central do modelo adotado pelo PMBOK (2004) são eles: os processos de iniciação, processos de planejamento, processos de execução, processos de monitoramento e controle e processos de encerramento (Figura 3). Além dos grupos de processos, é importante ressaltar que eles estão divididos em áreas, onde para Vargas (2003) comenta as áreas do gerenciamento de projetos, detalhando em gerência em função dos seus processos componentes. No agrupamento dos processos em áreas de conhecimento é feito o levantamento da sua natureza e das características de cada processo, para que ele possa estar alinhado com a área. No PMBOK (2004), a divisão das áreas de conhecimento da gerência de projetos, estão assim classificadas: Gerenciamento de Integração do projeto Gerenciamento do Escopo do projeto Gerenciamento de Tempo do projeto

7 Gerenciamento de Custos do projeto Gerenciamento da Qualidade do projeto Gerenciamento de Recursos Humanos do projeto Gerenciamento das Comunicações do projeto Gerenciamento de Riscos do projeto Gerenciamento de Aquisições do Projeto Iniciação Execução Planejamento Monitoramento e Controle Encerramento Figura 3 Principais áreas 3.2. Gerenciamento de Tempo do Projeto No Gerenciamento do tempo, vamos encontrar os processos para um controle maior sobre o término de um projeto, na Figura 1 é possível identificar os principais processos: Figura 4 - Conjunto de Processos do Gerenciamento do Tempo Dentre os processos que compõe o gerenciamento do tempo, que estão inter-relacionados e trabalham em conjunto com uma variedade de ferramentas para o desenvolvimento do chamado Plano de Gerenciamento do Projeto, que produz um sistema de gerenciamento do cronograma que seleciona uma metodologia e uma ferramenta de elaboração de

8 cronograma, como também o controle e seu monitoramento, vamos aqui abordar apenas algumas ferramentas de identificação e controle e do método do caminho crítico, também chamada de CPM critical path method. São normalmente caracterizados por uma folga total igual a zero. Aplicando a CPM nos processos que são de responsabilidade da GE é possível relacionar quais as atividades fazem parte deste caminho e verificar como essas atividades estão relacionadas em outras ou podem interferir dentro do processo das demais, a Figura 5, traz uma pequena representação do que foi dito, onde é identificada os Diagramas de Rede de cada processo, em seguida você consegue visualizar o caminho crítico e a próxima análise é mapear as atividades que estão nos caminhos críticos e que são comuns em mais de um processo. Figura 5 - Caminho Crítico e a identificação das atividades que são em comum Com a identificação das atividades que são comuns aos processos e estão inseridas dentro do caminho crítico é possível relacionar e montar um planejamento mais adequado para essas atividades, criando um Planejamento de Risco e um Planejamento de Contingência específicos.

9 3.3. Mapeamento dos Processos da Gerencia de Educação Vamos agora apresentar o mapeamento das atividades que foram encontradas dentro dos caminhos críticos dos processos da GE, foram realizadas as etapas necessárias para definir as atividades, sequenciar as atividades e estimar os recursos da atividade realizadas, por último a construção e desenvolvimento do cronograma de tempo para cada processo, dentro de diversas reuniões com a equipe e a gerência da unidade (em alguns momentos, para apresentar o andamento), até definir todos os caminhos críticos de cada processo. A elaboração do processo de desenvolver o cronograma, para em seguida aplica da CPM, teve alguns ajustes na documentação que é necessária como elemento de entrada, tais como: a) lista das atividades, b) atributos das atividades, c) diagrama de rede do cronograma do projeto, d) requisito dos recursos da atividade, e) calendário dos recursos, f) estimativas da duração da atividade, g) declaração do escopo do projeto, h) fatores ambientais da empresa e i) ativos de processos organizacionais. Os itens, a), b), c) d), e) e f), foram construídos pela GE e equipe, outros não foram aplicados, como h) e i). Um destaque especial foi concedido ao cronograma do projeto como um todo, já que nele estão inseridos todos os processos da GE, e vão dar uma visão macro das ações e atividades que estão fazendo parte do caminho crítico. No cronograma as atividades foram detalhadas com seu respectivo tempo e recurso para execução. As entrega deverão estar sinalizados no cronograma com marco, com as respectivas datas de entrega, para que o GE possa fazer o acompanhamento de cada atividade, além de identificar as atividades que são comuns para mais de um processo. Tabela 2 - Relação das Atividades em comum Seq. Descrição dos Processos 1 Reuniões de alinhamento com a Direção Regional 2 Alimentar sistema de informação das turmas 3 Digitação das frequências e súmulas dos professores 4 Alimentar sistema de informação das metas físicas 5 Reuniões com a equipe de instrutores 6 Matricula dos alunos nas turmas

10 7 Contratação de novos instrutores 8 Capacitação dos instrutores 9 Regulação de novos cursos 10 Processo de auditoria interna Na Tabela 2 é mostrada algumas atividades que são comuns em alguns processos e estão inseridas num CPM do cronograma do tempo. Na fase de acompanhamento e controle o GE pode identificar o andamento e os resultados das atividades, quando necessário alterar a rota de determinada atividade para suprir a perda de tempo ou uma outra eventualidade. 4. Resultados Com o mapeamento dos processos e cruzamento com as informações da CPM, alguns indicadores foram definidos considerando-se as fases de planejamento e acompanhamento do cronograma, tais como: Quantidade de recursos nos processos administrativos da GE; Percentual geral de todos os recursos de cada processo da GE; Quantidade de recursos superalocados, ultrapassando o limite de tempo disponível; Identificar as atividades sem recurso; Média de atividade por recurso de RH (Recurso Humano); Desempenho dos instrutores por curso; Número de matriculas por modalidade; Número de pessoas envolvidas por processo e atividade; Número de inclusões e exclusões no escopo; Percentual de erro na previsão de conclusão dos cursos; Indicadores de matrículas realizadas; Percentual entre matrículas realizadas e planejada;

11 Com a identificação dos indicadores foi possível a criação e implementação de pequenos sistemas e melhoria de alguns processos para que pudessem ter um maior controle e acompanhamento desses números. Sendo indicadores que estão inseridos no CPM é necessário estar fazendo um levantamento com periodicidade cada vez menor além de estar sempre fazendo apresentações desses valores em reuniões de alinhamento e de desempenho, como também oferecer o acesso aos números para as áreas subsequentes quase que on-line. Foi também disponibilizado via intranet um painel com os indicadores para a direção, através de TV com o smart TV. A seguir estão relacionados alguns desses sistemas de informação, alguns criados e outros foram acrescentadas as funcionalidades, como também planilhas e documentos automatizados para acompanhamento e monitoramento dos indicadores. Figura 6 - Sistema de Consulta e Acompanhamento Na Figura 6 é apresentando uma das telas do Sistema de Consulta e Acompanhamento, no Módulo de Consulta Acadêmica, onde é possível ter acesso às informações do Percentual geral de todos os recursos de cada processo da GE como também da quantidade de recursos superalocados, o sistema estava disponível apenas na intranet da unidade e foi apresentado a todos os supervisores e chefe que setores que tinham que acompanhar os indicadores de suas áreas.

12 Figura 7 - Indicadores de matrículas realizadas Na Figura 7 é possível visualizar uma tela onde estão apresentados os indicadores de matriculas, tanto realizados como o que foi planejado, numa representação por mês e com os dados no acumulado, é possível ser como anda o desempenho em termos percentuais e em valores absolutos. Neste instrumento o setor de educação podia avaliar o seu desempenho e montar um plano de ação com medidas práticas e objetivas, já que o acompanhamento também se dava com uma apresentação formal dos números para a direção da unidade e a cada bimestre uma apresentação para a direção regional. Figura 8 - Número de matriculas por modalidade Na Figura 8 é apresentada um modelo de planilha onde é possível identificar os números consolidados dos cursos por modalidades, esses números serviam para mensurar e dimensionar tanto no RH o número de instrutores por especialização como também a infraestrutura mínima para atender a todas as turmas. As informações disponíveis na

13 planilha estavam em um servidor de arquivo onde todos tinham acesso para consulta e acompanhamento dos números de cada modalidade de ensino. Um outro instrumento que também era utilizado em formato de planilha era o planejamento das atividades por professor, onde era possível identificar as ações que cada professor estava alocado, dentro da semana, no referido mês e até mesmo em que curso, num modelo simples de planilha, como pode ser visto na Figura 9, este modelo também estava disponível em um servidor de arquivo com acesso a todos os coordenadores, o gerente de educação e a diretoria da unidade. O acompanhamento também servia para dar suporte a outros setores da unidade, como o de RH, para verificação de disponibilidade para capacitação e viagens, para o pedagógico, no planejamento de ações macros e solicitações de pesquisa e avaliação das turmas, entre outros setores. Figura 9 - Acompanhamento das atividades dos professores 5. Discussão A necessidade do mapeamento dos processos foi fundamental para dar uma visão mais ampla e sistêmica das ações que a gerência de Educação é responsável, além de auxiliar nos processos de planejamento e controle de indicadores que são cobrados pela direção administrativa. Após o mapeamento e detalhamento dos processos foi realizado um estudo de caso para identificar a prioridade e o real fluxo de informação que são gerados pelos processos. Com a implementação de algumas técnicas e ferramentas de trabalho, através do mapeamento dos processos e pela aplicabilidade do PMO, em especial com os processos do Gerenciamento do Tempo, ficou claro que a unidade educacional está elevando seu nível de maturidade, com maior atenção e dedicação para o planejamento,

14 acompanhamento e a execução dos processos. Antes da implantação das técnicas do Gerenciamento do Tempo, não eram conhecidos os motivos de atrasos e não cumprimentos dos prazos, além de problemas recorrente e inúmeras reclamações e desperdício de tempo e RH. Com a implantação foi possível identificar e priorizar as necessidades, controlar melhor o RH e otimizar a infraestrutura da unidade, além de estimular uma busca constante da equipe de Educação na melhoria de todo ambiente de trabalho. É importante ressaltar que a constante evolução das pessoas e dos processos dentro da organização deve ser de forma contínua. 6. Conclusões Com os resultados obtidos após a implementação do trabalho, é possível identificar uma gama de possíveis trabalhos futuros, reavaliando os indicadores em outras perspectivas, além da criação de novos, devido ao aumento físico da unidade e ao aumento de novas necessidade de cursos e outras atividades proveniente do mercado. 7. Referencias CLELAND, D. I. & IRELAND, L. R. Project Manager s Portable Handbook. New York: McGraw-Hill, CÁÑEZ, L. & GARFIAS, M. Prortfolio Management at the Mexican Petroleum Institute. Research Technology Management, v. 49, n. 4, p , CRAWFORD, J. K. The Strategic Project Office A Guide to Improving Organizational Performance. New York: Marcel Dekker,2002. GHISOLFI, A. S. Projeto com início, meio e fim Disponível em Acessado em 10/09/2006. KERZNER, H. Using the Project Management Maturity Model: Strategic Planning for ndproject Management. 2 edição.new York: John Wiley & Sons Inc VARGAR, R. V. Gerenciamento de projetos: Estabelecendo diferenciais competitivos. 5.edição. Rio de Janeiro : Brasport, PMBOK. Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ). Project Management Institute, Four Campus Boulevard, Newton Square, Pensylvannia, USA, Third Edition, 2004.

15 HELDMAN, Kim. Gerência de Projetos: Guia para o exame de certificação. Rio de Janeiro: CAMPUS, p. STANDARD, Pmi. Project Management Body of Knowledge. Newtown Square: PMI, p PERRELLI, Hermano. Gerência de Projetos: O Modelo PMBOK, Tutorial, SBES KERZNER, Harold. Project Management: A Systems Approach to Planning, Scheduling, and Controlling. New York: John Wiley & Sons, Inc, p.

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

Escritório de Projetos

Escritório de Projetos 1 Escritório de Projetos Módulo 3 Gestão de Projetos Aluno: Humberto Rocha de Almeida Neto hran@cin.ufpe.br Professores: Hermano Perrelli e Alexandre Vasconcelos 19 de outubro de 2009 Agenda Índice do

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO Aula 0 Olá, pessoal! Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS E GESTÃO SOCIAL para o concurso de ANALISTA DE POLÍTICAS SOCIAIS do MPOG. Esta é uma carreira nova,

Leia mais

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos Aperfeiçoamento/GPPP1301 T132 09 de outubro de 2013 Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de s em pequenas empresas Heinrich

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETO

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETO GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETO PLANO DE AULAS TURMA GRPA04 EMENTA DA DISCIPLINA - Riscos definição e histórico. - Planejamento do gerenciamento de riscos. - Fontes, Identificação e Categorização de

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Motivações Gerenciamento de projetos, vem sendo desenvolvido como disciplina desde a década de 60; Nasceu na indústria bélica

Leia mais

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Débora Noronha¹; Jasmin Lemke¹; Carolina Vergnano¹ ¹Concremat Engenharia e Tecnologia S/A, Diretoria Técnica de Estudos, Projetos

Leia mais

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam tratar da identificação bem como do estabelecimento de uma estrutura organizacional apropriada ao

Leia mais

Planejamento e Gestão de Projetos

Planejamento e Gestão de Projetos MBA em EXCELÊNCIA EM GESTÃO DE PROJETOS E PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Planejamento e Gestão de s Planejamento e Gestão de s Prof. Msc. Maria C Lage Prof. Newman Serrano, PMP Visão geral da disciplina Objetivos

Leia mais

Uma Abordagem para Gerência Estratégica de Portfólio com Foco na Seleção de Projetos

Uma Abordagem para Gerência Estratégica de Portfólio com Foco na Seleção de Projetos Uma Abordagem para Gerência Estratégica de Portfólio com Foco na Seleção de Projetos Adler Diniz de Souza 1,2, Ana Regina Rocha 1, Gleison Santos 1, Tiago Vinícius Paiva do Carmo 2, Douglas Batista Alexandre

Leia mais

As principais novidades encontradas no PMBOK quarta edição

As principais novidades encontradas no PMBOK quarta edição Page 1 of 5 As principais novidades encontradas no PMBOK quarta edição Por Rossano Tavares ( rossano.tavares@dm2tavares.com.br) Novas edições ou versões de manuais, programas, sistemas operacionais, livros,

Leia mais

Tutorial de Gerenciamento de Projetos. Erika Yamagishi Semana de Qualidade e Gestão Unicamp/FT 13 de maio de 2011

Tutorial de Gerenciamento de Projetos. Erika Yamagishi Semana de Qualidade e Gestão Unicamp/FT 13 de maio de 2011 Tutorial de Gerenciamento de Projetos Erika Yamagishi Semana de Qualidade e Gestão Unicamp/FT 13 de maio de 2011 Apresentação Erika Yamagishi Engenheira de Computação pela UNICAMP Consultora associada

Leia mais

Produto 06: Divulgação do Planejamento Estratégico

Produto 06: Divulgação do Planejamento Estratégico Produto 06: Divulgação do Planejamento Estratégico IFES Instituto Federal do Espírito Santo Vitória-ES, maio de 2014. 1. APRESENTAÇÃO O presente documento corresponde ao produto06 Evento de Divulgação

Leia mais

Introdução. Escritório de projetos

Introdução. Escritório de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é um documento formal que descreve normas,

Leia mais

A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde

A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde Luis Augusto dos Santos 1, Heimar de Fátima Marin 2 1 Engenheiro Eletricista, membro do NIEn e pós-graduando pela

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

Novidades do Guia PMBOK 5ª edição

Novidades do Guia PMBOK 5ª edição Novidades do Guia PMBOK 5ª edição Mauro Sotille, PMP O Guia PMBOK 5 a edição (A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK Guide) Fifth Edition), em Inglês, foi lançado oficialmente pelo

Leia mais

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 RESUMO Diversos profissionais relatam dificuldades em coordenar adequadamente projetos sob sua responsabilidade. Muitos fatores que influenciam

Leia mais

mascarenhas@jacarei.sp.gov.br ramalho@vdr.cta.br gladis@directnet.com.br TÓPICOS DE PLANEJAMENTO DE PROJETOS EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RESUMO ABSTRACT

mascarenhas@jacarei.sp.gov.br ramalho@vdr.cta.br gladis@directnet.com.br TÓPICOS DE PLANEJAMENTO DE PROJETOS EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RESUMO ABSTRACT Mestrando CARLOS C. MASCARENHAS - PG Mestrando ANTONIO RAMALHO DE S. CARVALHO - PG Orientadora Profa. Dra. GLADIS CAMARINI mascarenhas@jacarei.sp.gov.br ramalho@vdr.cta.br gladis@directnet.com.br UNIVERSIDADE

Leia mais

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br)

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br) Obrigado por acessar esta pesquisa. Sei como é escasso o seu tempo, mas tenha a certeza que você estará contribuindo não somente para uma tese de doutorado, mas também para a melhoria das práticas da Comunidade

Leia mais

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS Emerson Augusto Priamo Moraes (UFF) Resumo Os projetos fazem parte do cotidiano de diversas organizações, públicas e privadas, dos mais diversos

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo VIII Riscos

Gerenciamento de Projetos Modulo VIII Riscos Gerenciamento de Projetos Modulo VIII Riscos Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS Eduardo Christófaro de Andrade Eng. Agrônomo Juliana Maria Mota

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com 1. Introdução Após décadas de incontáveis promessas sobre como aumentar à produtividade e qualidade de software,

Leia mais

Prova de qualidade. Sistema de gestão do SESI Por um Brasil Alfabetizado faz a diferença EDUCAÇÃO

Prova de qualidade. Sistema de gestão do SESI Por um Brasil Alfabetizado faz a diferença EDUCAÇÃO Prova de qualidade Sistema de gestão do SESI Por um Brasil Alfabetizado faz a diferença Algumas ações simples, mas de grande eficiência, podem explicar por que alunos do SESI Por um Brasil Alfabetizado

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Identificação ÁREA: Tecnologia SEMESTRE/ANO: 1º/2007 MÓDULO: FT REGIME: SM CARGA HORÁRIA: 40 HORAS BLOCO: 14/05/2007 a 08/06/2007 DISCIPLINA:

Leia mais

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT Disciplina: Gerenciamento de Projetos / 2012_1 Carga horária: 68h Curso/Semestre: 6 ( x ) ADM ( x ) ADM COMEX ( x ) ADM MKT Data de atualização: janeiro 2012 Núcleo: Operações e Logística Nucleador: Giovanni

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação ANÁLISE PRELIMINAR DE PDTI

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação ANÁLISE PRELIMINAR DE PDTI MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação ANÁLISE PRELIMINAR DE PDTI Órgão: UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIA E SAÚDE DE PORTO ALEGRE - UFCSPA Objeto:

Leia mais

Escritório de Gerenciamento de Projetos ( Project Management Office PMO)

Escritório de Gerenciamento de Projetos ( Project Management Office PMO) MBA em Gestão de Projetos Escritório de Gerenciamento de Projetos ( Project Management Office PMO) Flávio Feitosa Costa, MSc. PMP (flaviopmp@gmail.com) MBA em Gerência de Projetos Escritório de Gerenciamento

Leia mais

Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto

Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto Amaury Bordallo Cruz (PEP/UFRJ) bordalo@ugf.br Elton Fernandes - (Coppe-UFRJ) - elton@pep.ufrj.br Solange Lima (PEP/UFRJ) solangelima@petrobras.com.br

Leia mais

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DO SOFTWARE DE GESTÃO DE PROJETOS DOTPROJECT NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS MULTIMÍDIA PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DO SOFTWARE DE GESTÃO DE PROJETOS DOTPROJECT NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS MULTIMÍDIA PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD 1 UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DO SOFTWARE DE GESTÃO DE PROJETOS DOTPROJECT NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS MULTIMÍDIA PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EAD Serra, 05/2009 Saymon Castro de Souza Ifes saymon@ifes.edu.br

Leia mais

Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project

Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project Guia Fundamental para Gestão de Projetos com a utilização do MS Project Objetivo Os projetos fazem parte de nossas vidas e das organizações, contudo a

Leia mais

Gerenciamento de custos do projeto

Gerenciamento de custos do projeto PMBOK Visão Geral O PMBOK (Project Management Body of Knowledge) é um guia do Conjunto de Conhecimentos em de Projetos, o qual inclui práticas comprovadas que são amplamente aplicadas na gestão de s, além

Leia mais

Gestão de Riscos em Projetos de Software

Gestão de Riscos em Projetos de Software Gestão de Riscos em Projetos de Software Júlio Venâncio jvmj@cin.ufpe.br 2 Roteiro Conceitos Iniciais Abordagens de Gestão de Riscos PMBOK CMMI RUP 3 Risco - Definição Evento ou condição incerta que, se

Leia mais

Planejamento de Projeto Gestão de Projetos

Planejamento de Projeto Gestão de Projetos Planejamento de Projeto Gestão de Projetos O gerenciamento de projetos consiste na aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas adequadas às atividades do projeto, a fim de cumprir seus

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GOVERNANÇA DE TI 11ª Turma A DISTÂNCIA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GOVERNANÇA DE TI 11ª Turma A DISTÂNCIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GOVERNANÇA DE TI 11ª Turma A DISTÂNCIA Promovido pelo CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIEURO BRASÍLIA, em parceria com o CENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO UNICEUMA PARCERIA

Leia mais

Simulações em Aplicativos

Simulações em Aplicativos Simulações em Aplicativos Uso Avançado de Aplicativos Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 1 Simulações em Aplicativos Uso Avançado de Aplicativos Apresentação da Disciplina Sobre o professor Marco

Leia mais

Devo fazer uma certificação em Gerenciamento de Projetos? CAPM PMP PgMP PMI-ACP SM PMI-RMP PMI-SP. http://brasil.pmi.org

Devo fazer uma certificação em Gerenciamento de Projetos? CAPM PMP PgMP PMI-ACP SM PMI-RMP PMI-SP. http://brasil.pmi.org Devo fazer uma certificação em Gerenciamento de Projetos? CAPM PMP PgMP PMI-ACP SM PMI-RMP PMI-SP http://brasil.pmi.org Em todo o mundo há uma grande demanda por gerentes de projetos qualificados. Uma

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO UNIFICADO: FORMAÇÕES SIG. Identificação

PROJETO PEDAGÓGICO UNIFICADO: FORMAÇÕES SIG. Identificação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PROJETO PEDAGÓGICO UNIFICADO: FORMAÇÕES SIG Campus: Reitoria

Leia mais

Gerência de Projetos. Aula 3 SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS

Gerência de Projetos. Aula 3 SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Gerência de Projetos Aula 3 SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS EAP - Estrutura Analítica de Projetos WBS - Work Breakdown Structure o Agrupamento e decomposição

Leia mais

Indicadores de desempenho essenciais para projetos

Indicadores de desempenho essenciais para projetos Indicadores de desempenho essenciais para projetos Sérgio Fernando, SCJA, PMP Gerente de Projetos Memora Processos Inovadores Ltda Distrito Federal, Brasil E-mail: sergio.muniz@memora.com.br RESUMO Como

Leia mais

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Estratégico Previsão do Negócio Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Mercados e demandas de longo prazo. Competidores. Fatores econômicos,

Leia mais

OBJETIVO PÚBLICO ALVO

OBJETIVO PÚBLICO ALVO PMO Implantação e Operação do Escritório de Projetos. n Instrutor Luis Claudio, M.Sc. PMP, ITIL, COBIT DIFERENCIAIS Avaliação prévia das necessidades de cada participante para customização do conteúdo;

Leia mais

Resumo Gestão de Pessoas por Competências

Resumo Gestão de Pessoas por Competências Resumo Gestão de Pessoas por Competências A coordenação técnica e acompanhamento especializado para a realização do projeto são realizados pela consultora e professora Sonia Goulart, da SG Educação Empresarial.

Leia mais

TI - GESTÃO DE PROJETOS

TI - GESTÃO DE PROJETOS TI - GESTÃO DE PROJETOS BISCAIA, R RESUMO: Atualmente o mercado competitivo faz com que empresas busquem constantemente inovações para se manterem competitivas, e nesse cenário tempo, custo e qualidade,

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 Semana de Tecnologia Gerenciamento de Projetos Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 ferreiradasilva.celio@gmail.com O que é um Projeto? Projeto é um "esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 RELATÓRIO TÉCNICO CONCLUSIVO

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008

Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Informação Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 REVISTA TELECOMUNICAÇÕES, VOL. 15, Nº01, JUNHO DE 2013 1 Um Modelo de Sistema de Gestão da Segurança da Baseado nas Normas ABNT NBR ISO/IEC 27001:2006, 27002:2005 e 27005:2008 Valdeci Otacilio dos Santos

Leia mais

Ano IV - Número 19. Versões 5.0.1 e 5.1

Ano IV - Número 19. Versões 5.0.1 e 5.1 Versões 5.0.1 e 5.1 Quarta-feira, 07 de janeiro de 2009 ÍNDICE 3 EDITORIAL 4 VERSÃO 5.1 4 Dashboard 5 Plano de Comunicação 6 Configurações Pessoais 6 Priorização de Demandas 7 Agendamento de Demandas 8

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações PROCESSO 026-2013 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

1. Evolução da técnicas de gerenciamento

1. Evolução da técnicas de gerenciamento Gestão de Projetos Evolução das técnicas de gerenciamento; A história do gerenciamento de projetos; Características dos projetos; Causas de fracasso em projetos; Ciclo de vida de um projeto e suas fases;

Leia mais

INTRODUÇÃO A PROJETOS

INTRODUÇÃO A PROJETOS INTRODUÇÃO A PROJETOS Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GESTÃO DE PROJETOS Gestão Ágil de projetos Gestão de projetos com PMBOK GESTÃO ÁGIL DE PROJETOS GESTÃO ÁGIL

Leia mais

Escritório de Projetos e Escritório de Processos: Diferenças e Tendências ELO Group

Escritório de Projetos e Escritório de Processos: Diferenças e Tendências ELO Group Escritório de Projetos e Escritório de Processos: Diferenças e Tendências ELO Group contato@elogroup.com.br tel: 21 2561-5619 Agenda Algumas confusões práticas As funções básicas do(s) escritório(s) de

Leia mais

UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR A UTILIZAÇÃO DO PROJECT MODEL CANVAS

UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR A UTILIZAÇÃO DO PROJECT MODEL CANVAS ISSN 1984-9354 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR A UTILIZAÇÃO DO PROJECT MODEL CANVAS Área temática: Gestão pela Qualidade Simone Vasconcelos Silva simonevsinfo@gmail.com Leonardo Barroso da Silva leo.barroso.silva@gmail.com

Leia mais

Implantação de Escritórios de Projetos. Em organizações públicas

Implantação de Escritórios de Projetos. Em organizações públicas Implantação de Escritórios de Projetos Em organizações públicas Programação Projetos na instituição Implantação Escritório de Projetos Sucesso, maturidade & excelência Tipos & Funções Histórico 1. Projetos

Leia mais

Organização da Aula Gestão de Projetos

Organização da Aula Gestão de Projetos Organização da Aula Gestão de Projetos Aula 6 Profa. Me. Carla Patricia S. Souza Gestão de processos do projeto Integração, comunicações, recursos humanos, escopo, tempo, custos, aquisições, qualidade

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A Aplicação do Gerenciamento de Risco nos Projetos de Implantação de ERP - Protheus. Por: Gisele Santos Ribeiro Orientador

Leia mais

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Aula 1 Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Introdução Independentemente do nível de experiência da proponente na elaboração de projetos, o Instituto Cooperforte empresta apoio, orientação e subsídios às Instituições

Leia mais

MGP Manual de Gerenciamento de Projetos

MGP Manual de Gerenciamento de Projetos MGP Manual de Gerenciamento de Projetos v. 1.2 Diretorias: DT / DE / DA DTPE Superintendência Planejamento de Empreendimentos 1 Sumário 1. Introdução 2. Ciclo de Vida dos Projetos 3. 4. Ciclo de Vida do

Leia mais

10 o Congresso Brasileiro de Gestão da Inovação e Desenvolvimento de Produtos Itajubá - MG, 8 a 10 de setembro de 2015

10 o Congresso Brasileiro de Gestão da Inovação e Desenvolvimento de Produtos Itajubá - MG, 8 a 10 de setembro de 2015 ANÁLISE COMPARATIVA DA APLICABILIDADE DAS METODOLOGIAS SCRUM E TRADICIONAL AO GERENCIALMENTO DE PRODUTOS ALTAMENTE COMPLEXOS ESTUDO DE CASO INDÚSTRIA AERONÁUTICA Marcelo Junio dos Santos (marcelo.santos@embraer.com.br)

Leia mais

PROJECT MANAGEMENT PMI AND PMBOK. PMI e PMBOK Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

PROJECT MANAGEMENT PMI AND PMBOK. PMI e PMBOK Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos PROJECT MANAGEMENT PMI AND PMBOK PMI e PMBOK Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos Gerência de Projeto PMI PMBOK PMP Gerenciamento de Projetos É a aplicação de conhecimento, habilidades,

Leia mais

"Caminho Crítico é um termo criado para designar um conjunto de tarefas vinculadas a uma ou mais tarefas que não têm margem de atraso.

Caminho Crítico é um termo criado para designar um conjunto de tarefas vinculadas a uma ou mais tarefas que não têm margem de atraso. Conceituação básica: Caminho Crítico x Corrente Crítica Publicado originalmente em 08/2008 em http://www.spiderproject.com.br/exemplos/problemabasico01.htm Caminho crítico Origem: Wikipédia, a enciclopédia

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS IS-CGMI-02/2005 Aprovada pela Portaria nº 1494 de 22/11/2005 Histórico de Versões Data Versão Descrição Autor

Leia mais

PMBOK 4ª Edição III. O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto

PMBOK 4ª Edição III. O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto PMBOK 4ª Edição III O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto 1 PMBOK 4ª Edição III Processos de gerenciamento de projetos de um projeto 2 Processos de gerenciamento de projetos de um projeto

Leia mais

Project Management Body of Knowledge

Project Management Body of Knowledge PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS PUCMINAS (UNIDADE BARREIRO) CURSOS: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS / LOGÍSTICA Project Management Body of Knowledge Definição Também conhecido como PMBOK é um

Leia mais

Gerenciamento de Projetos no Âmbito do Controle Externo: Estudo de Caso no Tribunal de Contas do Estado do Ceará

Gerenciamento de Projetos no Âmbito do Controle Externo: Estudo de Caso no Tribunal de Contas do Estado do Ceará REVISTA Gerenciamento de Projetos no Âmbito do Controle Externo: Estudo de Caso no Tribunal de Contas do Estado do Ceará Project management in the External Control scope: a case study at the Court of Accounts

Leia mais

GESTAO DE PROJETOS. Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br

GESTAO DE PROJETOS. Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br Planejamento de Tempo e Escopo do Projeto Faculdade Pitágoras Faculdade Pitágoras Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br 1 Templates de Documentos http://www.projectmanagementdocs.com

Leia mais

Gerenciamento de integração de projeto

Gerenciamento de integração de projeto Objetivos do Conteúdo Gerenciamento de integração de projeto Sergio Scheer / DCC / UFPR TC045 Gerenciamento de Projetos Prover capacitação para: - Identificar os processos de Gerenciamento de Projetos;

Leia mais

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório Primeiro Relatório 62473 Pedro Vasconcelos 63563 Francisco Ferreira 73440 Filipe Correia 74211 Carolina Ferreirinha 82665 Nkusu Quivuna Sumário Este documento é o primeiro relatório de um projeto de análise

Leia mais

ANÁLISE DE VALOR AGREGADO EM PROJETOS (EARNED VALUE)

ANÁLISE DE VALOR AGREGADO EM PROJETOS (EARNED VALUE) ANÁLISE DE VALOR AGREGADO EM PROJETOS (EARNED VALUE) TREINAMENTO OBJETIVO Capacitar os alunos em uma das mais poderosas ferramentas de controle de projetos disponível no mercado. A análise de valor agregado

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Profa Msc Lidiane Reis -lreis@radial.br Plano de Ensino / Aula Inaugural Onde você quer chegar??? Por quê estudar Gestão de Projetos??? O que vamos estudar? (Ementa) O aluno aprenderá

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC 1. CONCEITOS E DEFINIÇÕES 1.1 Políticas de Gestão de Pessoas são o conjunto de estratégias ou políticas específicas

Leia mais

Escritório de Projetos

Escritório de Projetos Escritório de Projetos Agenda Conceito de Escritório de Projetos Por que implementar um Escritório de Projetos? Implementando um Escritório de Projetos Funções do Escritório de Projetos Modelo de Maturizade

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441 Introdução Com o crescimento acelerado do setor de construção e o surgimento de grandes projetos no Brasil, o mercado profissional de engenharia apresenta uma elevada demanda de profissionais, principalmente

Leia mais

A ESTRUTURA DA GESTÃO DE

A ESTRUTURA DA GESTÃO DE A ESTRUTURA DA GESTÃO DE PROJETOS Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br SUMÁRIO Importância do Gerenciamento de Projetos. Benefícios do Gerenciamento de Projetos Gerenciamento

Leia mais

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACIPLAC

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACIPLAC PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACIPLAC GAMA/DF - 2015 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3. 2. OBJETIVOS... 4. 2.1. Geral... 4. 2.2.Específicos... 4. 3. EIOS AVALIATIVOS... 5. 3.1. Eixos de Avaliação Institucional

Leia mais

Título da apresentação Curso Gestão de Projetos II (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS

Título da apresentação Curso Gestão de Projetos II (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS Título da apresentação Curso Gestão de Projetos II (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS Prof. Instrutor Elton Siqueira (a) (Arial Moura preto) CURSO DE GESTÃO DE PROJETOS

Leia mais

Leslier Soares Corrêa Estácio de Sá / Facitec Abril/Maio 2015

Leslier Soares Corrêa Estácio de Sá / Facitec Abril/Maio 2015 Leslier Soares Corrêa Estácio de Sá / Facitec Abril/Maio 2015 Prover capacitação para: - Identificar os processos de Gerenciamento de Projetos; - Desenvolver o Plano de Gerenciamento; - Construir um sistema

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO Documento 7.1 RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIPIOS DO ESTADO DA BAHIA TCM-BA SALVADOR BAHIA MARÇO / 2010 1/10 1. Introdução Este documento faz parte do escopo do

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR. República Federativa do Brasil e o Banco Interamericano de Desenvolvimento

Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR. República Federativa do Brasil e o Banco Interamericano de Desenvolvimento TERMO DE REFERÊNCIA Projeto BRA/97/032 Coordenação do Programa de Modernização Fiscal dos Estados Brasileiros - PNAFE Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR entre a República Federativa do Brasil e o Banco

Leia mais

FERRAMENTA DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO NO PROJETO FORMAÇÃO GESAC DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES

FERRAMENTA DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO NO PROJETO FORMAÇÃO GESAC DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES FERRAMENTA DE GESTÃO - UM ESTUDO DE CASO NO PROJETO FORMAÇÃO GESAC DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES Leonardo Barroso da Silva Pós-Graduando em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas de Informação/IFF/RJ

Leia mais

Renata Miranda Pires Boente

Renata Miranda Pires Boente Uso do Modelo Qualitativo de Análise de Risco (Karolak) na Gestão de Projetos de TI: Um estudo de caso na Justiça Federal de Primeiro Grau Seção Judiciária do Rio de Janeiro Renata Miranda Pires Boente

Leia mais

Boas práticas, vedações e orientações para contratação de serviços de desenvolvimento e manutenção de software (Fábrica de Software)

Boas práticas, vedações e orientações para contratação de serviços de desenvolvimento e manutenção de software (Fábrica de Software) MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Tecnologia da Informação Departamento de Infraestrutura e Serviços de Tecnologia da Informação Departamento de Governança e Sistemas de Informação

Leia mais

Processo de Descentralização da Educação a Distância no Instituto Federal do Espírito Santo - Ifes: desafios e avanços. Vitória ES - 05/2012

Processo de Descentralização da Educação a Distância no Instituto Federal do Espírito Santo - Ifes: desafios e avanços. Vitória ES - 05/2012 1 Processo de Descentralização da Educação a Distância no Instituto Federal do Espírito Santo - Ifes: desafios e avanços Vitória ES - 05/2012 Categoria: Estratégias e Políticas Setor Educacional: Educação

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos

INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES. Inatel Competence Center. Business School. Gestão de Projetos INSTITUTO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Inatel Competence Center Business School Gestão de Projetos Projeto Pedagógico de Curso de Extensão Curricular Aprovado no dia 15/05/2013 Pró diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Termo de Referência. Prestação de Serviços de Treinamento na área de Gerenciamento de Projetos

Termo de Referência. Prestação de Serviços de Treinamento na área de Gerenciamento de Projetos Termo de Referência Prestação de Serviços de Treinamento na área de Gerenciamento de Projetos Maio/2012 Índice 1. OBJETO... 3 2. ESCOPO... 3 3. PRAZO... 7 4. LOCAL DE TREINAMENTO... 7 5. HORÁRIO DE TREINAMENTO...

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília AVALIAÇÃO DA ADOÇÃO DE BPM NO BRASIL: ERROS, APRENDIZADOS E BOAS PRÁTICAS Leandro Jesus INVESTIR EM PROCESSOS:

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NAI É preciso avaliar para aprimorar CONSIDERAÇÕES INICIAIS A UNISANTA desenvolveu,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS Atualizado em 21/12/2015 GESTÃO DE PROCESSOS Um processo é um conjunto ou sequência de atividades interligadas, com começo, meio e fim. Por meio de processos, a

Leia mais

Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento de Projetos

Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento de Projetos Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento de Projetos por Ricardo Vargas em Ricardo-Vargas.com Ricardo Diante da natural velocidade e do dinamismo do mundo, a agilidade e o senso de urgência têm se tornado

Leia mais

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento MBA em Sistemas de Informação CobiT Conteúdo 1. Sumário Executivo 2. Estrutura 3. Objetivos de Controle 4. Diretrizes de Gerenciamento 5. Modelo de Maturidade 6. Guia de Certificação de TI 7. Implementação

Leia mais

RELATÓRIO EXECUTIVO O USO DE TECNOLOGIAS MÓVEIS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS EVERTON ROBERTO COMIN

RELATÓRIO EXECUTIVO O USO DE TECNOLOGIAS MÓVEIS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS EVERTON ROBERTO COMIN RELATÓRIO EXECUTIVO O USO DE TECNOLOGIAS MÓVEIS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS EVERTON ROBERTO COMIN SÃO LEOPOLDO 2014 Introdução Este relatório apresenta os resultados da pesquisa O uso de tecnologias móveis

Leia mais