POS-GRADUACAO LATO SENSU

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POS-GRADUACAO LATO SENSU"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES POS-GRADUACAO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO CORPORATIVA PARA A EMPRESA Elaine Basílio Costa de Araujo Orientador Prof. Luiz Cláudio Lopes Alves D. Sc. Rio de Janeiro 2008

2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO CORPORATIVA PARA A EMPRESA Apresentação de monografia à Universidade Candido Mendes como condição prévia para a conclusão do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Pedagogia Empresarial. Por Elaine Basílio Costa de Araujo.

3 AGRADECIMENTOS À todos os colegas e professores com os quais dividi as noites de terça-feira, nos últimos meses. À todos os meus amigos, desde os mais antigos, do tempo de escola aos mais recentes e à minha família pelo apoio e compreensão.

4 DEDICATÓRIA Aos meus pais, às minhas irmãs, à minha avó e ao meu namorado que estiveram presentes neste e em tantos outros momentos da minha vida.

5 RESUMO Diante das mudanças ocorridas no mercado, impulsionadas por um ambiente de crecsente competitividade, as grandes e pequenas empresas formaram grupos para ensinar aos trabalhadores profissionais como fazer o seu trabalho melhor. Com a proposta de desenvolver um espaço que privilegie o desenvolvimento e a educação de funcionários, clientes e fornecedores, com o objetivo de atender às estratégias empresariais da organização. Já que o treinamento não oferecia nada mais além do que algumas qualificações. Havia ainda a necessidade de investir na formação de profissionais, ampliando os níveis de conhecimento técnico/operacional, afinal, observa-se que as empresas somente se desenvolvem quando as pessoas que as compõem se desenvolvem também. Este trabalho apresenta a Educação Corporativa, que busca a melhoria da capacitação da mão-de-obra, através de treinamento e desenvolvimento, e no alinhamento dos objetivos e planos de Recursos Humanos com as metas estratégicas das empresas.

6 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 08 CAPÍTULO I O QUE É EDUCAÇÃO CORPORATIVA A Era do Conhecimento 12 CAPITULO II A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Treinamento e Educação Educação Continuada 17 CAPÍTULO III UNIVERSIDADES CORPORATIVAS Universidade Correios 21 CONCLUSÃO 27 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 29 ANEXOS 30 ÍNDICE 31

7 Flexibilização é a palavra chave, Recursos humanos é o instrumento estratégico, e a educação o norte e o sul, o principio e o fim (...). (NISKIER e NATHANAEL, 2006)

8 INTRODUÇÃO Em momentos de grandes mudanças na sociedade, na educação e na busca de qualificação profissional, surgem as Universidades Corporativas. Nos anos 50, 60, 70, nos Estados Unidos, as grandes e pequenas empresas formaram grupos para ensinar aos trabalhadores profissionais como fazer o seu trabalho melhor. Essas infraestruturas educacionais dentro das organizações proliferaram em todo o país e ficaram conhecidas como universidades, institutos ou faculdades corporativas. A meta era que os profissionais estivessem a par ou diante de todos os acontecimentos. Ao contrário do que ainda se vê nos dias de hoje, uma aprendizagem basicamente tradicional, onde alguém fala para muitos. Atualmente, a busca é desenvolver competências dentro de uma tendência pedagógica progressista, em que a autonomia das pessoas será zelada visando o auto-aprendizado, o autodesenvolvimento, o auto-conhecimento e a formação de líderes em prol da coletividade. O que se quer com isso, é uma empresa com formação continuada de todos os colaboradores, desenvolvendo líderes com autonomia, criatividade, comprometimento e espírito de equipe, que contribuirão para a formação de novos líderes. Serão líderes formando líderes. Todos estes encaminhamentos têm como principais objetivos humanizar o ser, a empresa, a sociedade e o meio ambiente, indo além da formação técnica. A proposta é desenvolver um espaço que privilegie o desenvolvimento e a educação de funcionários, clientes e fornecedores, com o objetivo de atender às estratégias empresariais da organização. Dessa forma, criaram-se programas com as mais diversas opções: centenas de cursos de administração, marketing e princípios financeiros. Os programas mais sofisticados evoluíram mais em empresas com grandes investimentos em tecnologia.

9 Diante de tais mudanças ocorridas no mercado, pode-se afirmar que, atualmente, ter somente o conhecimento técnico não é suficiente para o trabalhador. As empresas perceberam que é necessário investir em educação. O presente trabalho tem por objetivo estudar a importância da educação continuada no contexto corporativo, daí a importância de se conhecer a educação corporativa, sua concepção, seus princípios, seus objetivos que serão alguns dos assuntos tratados no primeiro capítulo. No segundo capítulo, é apresentado o processo de evolução pelo qual vem passando a educação nas organizações, não esquecendo de mencionar o treinamento e a educação continuada. Já o terceiro capitulo, ainda falando sobre esse processo de transformação do treinamento em educação, traz a Universidade Corporativa e apresenta um modelo que vem dando certo: a Universidade Correios.

10 CAPITULO I O QUE É EDUCAÇÃO CORPORATIVA Vivemos um momento bastante paradoxal e complexo no mundo dos negócios, em busca de competitividade e lucratividade, as estratégias de gestão estão sendo revistas. Essa revisão está sendo feita tanto pelas organizações, quanto pelas pessoas que as compõem. As organizações percebem que para se atingir a vantagem competitiva, necessitam investir na formação de profissionais, ampliando os níveis de conhecimento técnico/operacional para o conhecimento do negócio das empresas. As pessoas compreendem que adquirir conhecimento é fundamental para seu desenvolvimento profissional. Desta forma, segundo Chiavenato (2004), pode-se dizer que a Educação Corporativa põe o foco no desenvolvimento do quadro de pessoas, visando a obtenção de resultados nos negócios. Contudo, para chegar a esse conhecimento, as empresas devem ter ciência da necessidade de um planejamento baseado na melhoria da capacitação da mão-deobra, por meio de treinamento e desenvolvimento. Para Teixeira (2001), essa visão estratégica organizacional voltada para o ser humano se dá propositalmente paralela à nova era em que estamos entrando: a quinta onda denominada Era do Conhecimento, na qual se diz que as pessoas buscam o saber mais. É a partir daí que as áreas de Treinamento e Desenvolvimento, deverão deixar de lado o tradicionalismo, partindo para um ambiente interno de centros efetivos de resultado.

11 Desta forma, a Educação Corporativa surge como um modelo diferente do treinamento tradicional feito para transmitir conhecimentos específicos do assunto em que a pessoa apresenta alguma deficiência por trazer uma visão mais ampla e de longo prazo. (CHIAVENATO, 356, 2004) O homem passa a ser considerado, a partir de sua existência individual, como um ser pleno de possibilidades a ser trabalhadas e postas em prática em seu benefício. Seus atributos e habilidades serão plenamente exercidos depois de haver a certeza da realidade e continuidade de um meio ambiente em que essas potencialidades possam ser desenvolvidas com um mínimo de bloqueios. O que pode resultar em um desenvolvimento harmônico, no qual, constantemente, as pessoas se sentirão parte do todo, sem perder sua individualidade. Tratando-se do contexto corporativo, as empresas somente se desenvolvem quando as pessoas que as compõem se desenvolvem também. As pessoas são o verdadeiro diferencial competitivo para as empresas, pois elas mudam e aceleram o seu processo de aprendizagem e desenvolvimento, em função da necessidade da empresa de estar inserida nesse mercado globalizado e competitivo. A mudança cultural é um fenômeno de aprendizagem coletiva, exclusivo de cada empresa, pois quem aprende não é ela, e sim as pessoas individualmente e em grupo. E é através do crescimento contínuo que se tem garantia quanto à competitividade global de uma organização. Portanto, para buscar esse crescimento é fundamental que as empresas estejam conscientes de que as mudanças só serão efetivas se houver alinhamento inteligente entre suas intenções estratégicas, sua estrutura organizacional, seus processos, sua cultura e o planejamento de seus recursos humanos. Esse planejamento atualmente está sendo concentrado na melhoria da capacitação da mão-de-obra, através de treinamento e desenvolvimento, e no alinhamento dos objetivos e planos de Recursos Humanos com as metas estratégicas das empresas.

12 O desenvolvimento do ser humano se dá de forma ampla, a fim de preparar as pessoas para esse novo contexto organizacional. É através da busca do aprimoramento contínuo que as corporações ficarão cada vez mais competitivas e flexíveis. Para entender melhor sobre o processo de absorção do conhecimento, será demonstrado o conceito da economia do conhecimento, sua escala de sabedoria e seu desenvolvimento, segundo Teixeira (2001) A Economia do Conhecimento Nos últimos tempos, uma das mudanças de paradigmas mais importantes que ocorreram foi a entrada da humanidade na fase da Sociedade do Conhecimento. Mas para que se entenda sobre esse assunto, é importante que se compreenda o conceito da Escala da Sabedoria degraus de uma escala sobre como se dá o processo de retenção dos conhecimentos. É importante perceber que a escala é abordada para que não se confundam dados com informação, e muito menos com cultura ou erudição. A escala de Teixeira (2001), se configura da seguinte forma: Primeiro degrau: Coleta de dados. Normalmente de origem quantitativa. Considera-se apenas como o primeiro degrau do aprendizado. Segundo degrau: A informação. Não importa saber tudo e não agir. Ter o poder da informação e ficar para si não trará plenitude nenhuma de ação. Terceiro degrau: A cultura. Significa a retenção da informação dentro do binômio mente-cérebro, permitindo que o processo decisório do dia-a-dia seja embasado por um nível de conhecimento mais consistente. Quarto degrau: Erudição. É a criação de fatos novos em cada negócio. É a sinergia da informação e cognição através dos diversos focos culturais. Quinto degrau: A Sabedoria. É a capacidade do ser humano de criar idéias novas e vanguarda, interagir a informação.

13 Esses são os cinco degraus da sabedoria, que podem ser identificados com o momento de cada ser humano ou equipe dentro da empresa. O ideal é que se consiga subir os degraus e chegar ao topo, ao último degrau do processo. É no degrau da Sabedoria que o ser humano tem a capacidade de criar novas idéias e colocá-las em prática; e efetivar os fatores de diferenciação competitiva de cada organização. A Economia do Conhecimento em essência tem a ver com o modo como gerenciamos a informação no trabalho. Pode-se dizer que nessa nova fase do conhecimento, tanto os empregados quanto os empregadores estão desenvolvendo, cada qual com suas particularidades, a busca de qualificação profissional. (Teixeira, 07, 2001) Desta Forma, é possível identificar algumas das novas competências que empregados e gestores devem ter, de acordo com esta autora, nesse ambiente competitivo, são elas: Aprender a aprender; Comunicacao e Colaboração; Raciocínio Criativo e Resolução de Problemas; Conhecimento Tecnológico; Conhecimento de Negócios Globais; Desenvolvimento de Liderança; e Autogerenciamento de Carreira. Essas competências podem ser desenvolvidas a partir do momento em que for iniciado o processo de ensino e aprendizagem dentro da organização, e é isso o que será discutido no próximo capítulo.

14 CAPÍTULO II A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES A educação nas organizações traz a discussão a busca de mudanças por meio da educação, tendo como pano de fundo a competitividade do mercado, ou seja, devido a essa competitividade, viu-se a necessidade de melhorar a sua forma de atuar no mercado, e percebeu-se que a educação (continuada) é o melhor meio para atingir os resultados desejados pela empresa. Desta forma, é possível afirmar que as organizações estão cada vez mais se orientando para o aprendizado, o que se convencionou chamar de Learning Organization, ou a organização que aprende orientada para resultados (Teixeira, 17, 2001). Este conceito de Learning Organization envolve os funcionários em uma mudança contínua e enfoca o conhecimento organizacional, que é a capacidade de executar em equipe tarefas que não conseguem fazer individualmente, lembrando Vygotsky que afirma: A Zona de Desenvolvimento Proximal é a distância entre o que a pessoa pode realizar sozinha e aquilo que ela realiza com a orientação do professor ou a colaboração de colegas (...) O aprendizado desperta processos de desenvolvimento que entram em ação quando a criança interage com outras pessoas em seu ambiente e com a cooperação de seus pares.(...) Assim, deve-se incentivar ações educativas que privilegiem atividades diferenciadas como trabalhos em grupo, em dupla e individual, que possibilitem trocas de experiências, vivencias e pontos de vista, envolvendo funcionários da empresa, independente da sua função. (Vygotsky, 38, 1998 )

15 Assim, confirma-se a importância da interação entre os pares na aprendizagem, aperfeiçoando a compreensão do mundo e do outro. Independente da forma de educação, é possível perceber que ela se dará através dos grupos, pois desta forma ela estará visando ao melhor entendimento da organização e também da possível resistência à mudança por parte de alguns integrantes. A partir disso são identificadas algumas características das organizações que aprendem, segundo Teixeira (2001): Aprendizado é intencional, vinculado a estratégia da organização; Aprendizado não reage simplesmente a crises, mas prevê os desafios que virão, estando preparado para combatê-las; Aprendizado flexível e ágil; Como o foco são as pessoas, elas se consideram capazes de criar as formas de resultado que desejam. 2.1 Treinamento e Educação Atualmente é possível identificar várias causas que levaram o treinamento em direção a uma abordagem continua, tais como a alta concorrência e o momento de instabilidade mundial, quando se tem muitas informações sobre o mercado, devido à globalização. Diante disso, as organizações perceberam que precisam apresentar vantagens competitivas para obter resultados satisfatórios, pois o treinamento é uma fonte de lucro, ele enriquece o patrimônio humano da organização. Treinamento é um processo sistemático de melhoria do comportamento das pessoas no alcance dos objetivos organizacionais.

16 Segundo Chiavenato (2004), o treinamento é composto de quatro etapas: diagnóstico, desenho, implementação e avaliação. Diagnóstico é o levantamento das necessidades de treinamento através da análise organizacional, análise do RH, análise da estrutura de cargos e análise do treinamento. Desenho é o esboço do programa, quem deve ser treinado, como treinar, em que treinar, por quem, onde, quando e para quem treinar. Implementação é a condução do programa por meio de técnicas que privilegiem a disseminação da informação, tais como leituras e instrução programada, treinamento no cargo e em classe. Avaliação é baseada em medidas de resultados, economias de custo, melhoria da qualidade ou economia de tempo, e pode ser feita em três níveis: organizacional, recursos humanos e cargos. É importante destacar o papel do líder, que deve desenvolver um perfil empreendedor no desenvolvimento e atualização de seus subordinados, pois somente com a busca permanente de oportunidades de crescimento é que ambos irão crescer profissionalmente. A utilização da tecnologia nos treinamentos, trouxe algumas inovações, como o e-learning, a educação a distância, a videoconferência, todas com o objetivo de permitir maior alcance da educação.

17 Com isso, o processo de ensino, chamado também de aprendizagem, passa a ser muito mais contínuo, planejado, conforme as necessidades das pessoas. A educação, preocupa-se em integrar, produtivamente o homem na sociedade, preparando-o para seu desenvolvimento. (Teixeira, 19, 2001) Finalizando, tradicionalmente, a utilização do termo treinamento, quase sempre quer dizer adestramento, isto é, o fornecimento de métodos e técnicas isoladamente, com objetivos isolados, em busca de resultados breves, o que vai contra a educação corporativa que preconiza ensinamentos visando ao aperfeiçoamento do homem pessoal e profissionalmente. 2.2 Educação Continuada A educação continuada abrange a totalidade da empresa, uma vez que ela tem uma abordagem de desenvolvimento, bem diferente do treinamento, como foi visto no item anterior. Observa-se nas empresas que a implantaram, que seus efeitos são mais visíveis e duradouros, bem como os resultados que serão percebidos a longo prazo. Com isso pode-se dizer que a educação continuada estimula a competitividade entre pessoas competentes, visto que gera ganhos para toda a organização. A partir do quadro abaixo, é possível observar a mudança de paradigma do treinamento para a aprendizagem.

18 Elemento Treinamento Aprendizagem Conteúdo Melhora as competências técnicas Constrói um núcleo de competências organizacionais Metodologia Aprendendo ouvindo Aprendendo fazendo e ouvindo Público Cada empregado Empregados, clientes, fornecedores e sociedade Docentes Professores externos e consultores Gerentes, professores externos e consultores Frequência Eventual Contínuo e sempre inovando Objetivos Desenvolver competências individuais Desenvolver competências críticas para a empresa Ênfase Reativa, aprendizado individual Pró-ativa, aprendizado organizacional Organização Staff, fragmentada e descentralizada Unidade de negócio, integrada e centralizada Escopo Tático Estratégico Recursos Internos Pouco ou nenhum Gerentes e empregados Produto Padrão e conduzido por instrutor Orientado para as estratégias e baseado em experiência e tecnologias Responsável Diretor de treinamento Gerentes da unidade de negócios Resultado Aumento das habilidades pessoais Aumento do desempenho no trabalho Local Espaço físico real Espaço físico real e virtual Imagem Vá e faça um treinamento Processo contínuo de aprendizagem Fonte: Rodriguez, 2004.

19 CAPÍTULO III UNIVERSIDADE CORPORATIVA O surgimento das Universidades Corporativas no Brasil, aconteceu na década de 90, quando o treinamento não oferecia nada mais além do que algumas qualificações. A Universidade tem como uma de suas preocupações não somente qualificar, mas também a apresentação de uma nova maneira de pensar e trabalhar para que os colaboradores das organizações possam desempenhar papéis mais amplos no seu ambiente de trabalho. Conforme afirma Teixeira (2001), o que há de comum entre as empresas que adotaram a Universidade Corporativa é sustentar a vantagem competitiva inspirando um aprendizado permanente e um desempenho excepcional. Além disso, elas passam por todo um processo de transformação da sua infra-estrutura, de modo a alavancar a aprendizagem corporativa. Pode-se dizer que a Universidade Corporativa é uma nova visão de desenvolvimento de pessoas, que envolve não somente a área de treinamento das empresas, mas todos os níveis da empresa envolvidos na aprendizagem, incentivando a participação de instrutores, do alto escalão, firmando convênios com instituições de ensino, consultorias e todos aqueles que possam contribuir com a formação profissional. Também se vê a Universidade Corporativa como uma grande quebra de paradigma, pois permite o envolvimento das pessoas que rodeiam a empresa, tanto no âmbito interno como externo, envolvendo toda uma cadeia de valor, composta por colaboradores, clientes, fornecedores e a comunidade. Um fator que é considerado primordial pela Universidade Corporativa é que todos os processos devem estar ligados ao plano estratégico da empresa objetivos e metas para que realmente haja comprometimento de todos. E um dos maiores

20 objetivos desse modelo de educação é unir treinamento com metas empresariais na busca de resultados a médio e longo prazo, envolvendo muito mais o negócio da empresa. O uso das possibilidades trazidas pela tecnologia de informação cria novos canais de comunicação e transmissão de conhecimento. Pela mesma infra-estrutura que movimenta a internet, também podem funcionar outros serviços que ajudam as empresas a ganhar tempo, economizar e aumentar produtividade. Usufruindo deste mesmo espaço tecnológico, estão a videoconferência, a webconferência, o e-learning ou ensino a distância e evoluções com a televisão. Os programas de educação a distância baseados nas TIC s favorecem: a formação de redes de conhecimento; a troca colaborativa entre seus usuários; a distribuição de conteúdos a um número maior de participantes; alcance territorial em diferentes pontos; maior possibilidade de interatividade; auto-gestão do estudo e controle do próprio ritmo de aprendizagem e otimização da difusão da cultura de aprendizagem na corporação. As organizações estão cada vez mais se orientando para o aprendizado, o que se convencionou chamar de Learning Organization que se encontra em franca expansão no mundo inteiro. No Brasil, o e-learning cresceu 33% em 2002, passando de um movimento de US$ 60 milhões em 2001 para US$ 80 milhões, de acordo com a divulgação do Congresso e-learning Brasil No mesmo congresso divulgou-se que 250 grandes corporações que atuam no Brasil já utilizam a tecnologia para o treinamento dos funcionários, especialmente nas áreas de Vendas, Marketing e Tecnologia da Informação.

21 Tanto na educação a distância acadêmica como na corporativa é importante organizar processos de ensino-aprendizagem adaptados a cada tipo de curso e de aluno. No Brasil é possível verificar a presença de Universidade Corporativa em algumas empresas tais como: Brahma, Souza Cruz, Mc Donald s, Losango, contudo, tomaremos como exemplo os Correios. 3.1 A Universidade Correios Histórico Desde a sua fundação, em 1969, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) sempre investiu em recursos humanos, visando a formação de pessoal especializado e a melhoria da qualidade operacional. No final da década de 70, os Correios passaram a dispor de dois órgãos para treinamento e desenvolvimento de seus empregados: a Escola Superior de Administração Postal (ESAP), localizada em Brasília, voltada ao ensino do pessoal de nível superior; e o Departamento de Recursos Humanos (DRH), com representações regionais para treinar empregados de nível básico, médio e técnico. Nos anos seguintes, em virtude da concorrência ter se tornado mais agressiva, a ECT aumentou a receita operacional destinada às atividades de treinamento. Entretanto, sua política de treinamento e desenvolvimento parecia não explorar todas as variantes possíveis. Assim, apurou-se a necessidade de uma orientação única para o setor de ensino empresarial, à qual caberia a função de preencher as lacunas deixadas pelo então sistema vigente. Em termos práticos, era preciso alinhar os programas educacionais com as estratégias da Empresa e também ampliar o público alvo desses programas.

22 A essas necessidades somou-se o fato de que nos últimos dez anos tomou lugar uma verdadeira multiplicação de universidades corporativas, sistema adotado por grandes empresas estrangeiras como a Disney, Xerox, Motorola, entre outras. É nesse cenário que surge a Universidade Correios, cujo intuito é unificar as ações que vinham sendo desenvolvidas pelo Deted e pela Esap. Baseada no conceito de learning organization empresa que aprende a Universidade pretende firmar-se como referência em termos de formação e acompanhamento de profissionais do segmento postal. Missão A missão define as razões atuais e potenciais de existência da Empresa. Declara, desse modo, o que a mesma deve ser e onde deve atuar. A Universidade Correios existe para: Praticar a educação permanente como diferencial competitivo para o negócio da Empresa Premissas educacionais Desenvolvimento profissional não é mais visto como elemento técnico, e sim estratégico; Foco em resultados Gestão centralizada Auto-sustentação Interatividade Múltiplas formas de ensino, com ênfase na educação a distância Parcerias pedagógicas e tecnológicas Criação de comunidades de conhecimento e aprendizagem Valorização das ações de cidadania Orçamento descentralizado para as áreas sistêmicas e projetos

23 Inserção do Museu Postal no sistema de educação Ensino acessível a toda a cadeia de valor da Empresa Conselho de Educação Empresarial Educação continuada e autodesenvolvimento Programa de prestígio Trabalho em equipe Carta de princípios Carta de Princípios Correios. Esta Carta contém os princípios éticos que norteiam a atuação da Universidade Seu objetivo é tornar claro como a Universidade pensa, define as suas atitudes e como se compromete a realizar seus interesses de forma compatível com os seus valores, buscando a educação permanente do seu público-alvo. Princípios Fundamentais 1. Constituem princípios éticos fundamentais da Universidade Correios: a igualdade, a cidadania, a integridade, o profissionalismo, o equilíbrio, a tolerância e o comprometimento com resultados. 2. É dever da Universidade valorizar a diversidade cultural, defender o pluralismo de idéias, incentivar a pesquisa e a criatividade, de modo a criar condições à educação permanente do seu público-alvo. 3. A atuação da Universidade deve ser transparente e manter compromisso com a verdade. 4. Cabe a todos os que freqüentam a Universidade atuarem com profissionalismo, dando provas de competência e de comprometimento com os resultados pretendidos.

24 5. As ações da Universidade pautam-se pela absoluta sintonia entre discurso e ação. 6. É dever da Universidade trabalhar permanentemente na construção e aprimoramento de instrumentos legítimos de educação que propiciem o aperfeiçoamento contínuo do seu público-alvo. 7. É preceito da Universidade empreender suas ações de modo a ajudar a preservar e a respeitar o meio ambiente como condição de sobrevivência das gerações atuais e futuras. 8. A atuação da Universidade baseia-se na reflexão permanente sobre o que deve ser preservado e o que deve ser transformado em busca do equilíbrio entre tradição e renovação, como alicerce da educação. Diretrizes Desenvolver um sistema integrado de educação com foco no resultado do negócio; Educar para novos desafios; Integrar toda a cadeia de valor no esforço de educação empresarial; Catalizar e difundir a cultura dos Correios; Estimular ações de formação de cidadania; Permitir a melhoria contínua dos processos da Empresa; Utilizar novas tecnologias; Transformar o Museu Correios em instrumento de educação empresarial. Modelo Educacional O modelo educacional da Universidade Correios é dividido em dois grandes blocos: capacitação profissional e elevação da escolaridade. Ambos atendem não só ao público interno, mas a toda cadeia de valor da Empresa. Seus objetivos concentram-se em capacitar pessoal, elevar a imagem da marca da ECT e em facilitar os contatos com os diversos parceiros.

25 Capacitação profissional Cursos tutoriais, de acesso e de apoio: Apresentam o contexto empresarial em que se inserem os Correios; o ensino é feito de maneira autônoma e a distância; dão noções introdutórias ao curso almejado; permitem o acesso à educação formal. Novo modelo de capacitação profissional: Treina as pessoas nos diversos procedimentos técnicos e operacionais; oferece uma visão estratégica; transmite a cultura e os valores empresariais. Confere maior ênfase à educação a distância. Elevação de escolaridade Serve de base para o desenvolvimento de toda a educação formal (com diplomação outorgada por instituição de ensino superior) que a Universidade oferece. Privilegia o ensino a distância, oferece oportunidades iguais em todo o território nacional e facilita a atuação da Universidade Correios além das fronteiras do País, contribuindo para trabalhos de consultoria de técnicos brasileiros no exterior. Cursos pós-secundários: especialização do pessoal de nível básico. Cursos seqüenciais, de graduação e de extensão: elevação da escolaridade do pessoal de nível técnico e superior. Pós-graduação: para o pessoal de nível superior, incluindo o que se denomina, na linguagem acadêmica, stricto sensu (mestrado e doutorado) e lato sensu (especialização, MBA, etc.) Modelo Pedagógico Modelo Pedagógico é um conjunto de parâmetros que delimitam o funcionamento do sistema de ensino e norteiam a engenharia de cursos, de disciplinas e o desenho do próprio sistema de aprendizado. Permite a identificação desse sistema,

26 como uma carteira de identidade, e está integrado à missão e à visão de futuro da universidade. O modelo pedagógico da Universidade Correios é baseado nos seguintes princípios: Aprendizagem colaborativa. Material impresso como matriz didática. Alcance mundial. Dinâmica acadêmica centralizada. Gestores de equipes responsáveis pela educação. Público-alvo O sistema engloba todo o esforço de educação da Empresa, em todos os níveis hierárquicos. Porém, seu público-alvo não se restringe aos empregados dos Correios. Parte-se do princípio que as pessoas compram expectativas de desempenho e serviço. Por isso, há necessidade de buscar a qualidade em toda a cadeia de valor da Empresa, difundindo sua cultura e seus valores como reforço de marca. Integram a cadeia de valor dos Correios: Colaboradores diretos e terceirizados Outros operadores postais, nacionais e estrangeiros Parceiros Reguladores postais Fornecedores Clientes Associações de Classe Organismos internacionais Comunidade Consumidores do futuro

27 CONCLUSÃO Ao iniciar a pesquisa sobre o tema, tinha-se a idéia da Educação corporativa apenas como uma forma de aperfeiçoar a mão-de-obra, em virtude da mudança de conceito treinamento/educação continuada. Entretanto, constata-se que a educação continuada trouxe outras contribuições para a empresa, dentre as quais é possível destacar a melhoria no trabalho de equipe, incentivado pelo aprendizado originado na convivência entre as pessoas, sejam elas chefes, funcionários, fornecedores, etc. Com isso, favorece ainda ao estabelecimento de uma melhor e mais efetiva comunicação, pois verifica-se também o desenvolvimento de habilidades interpessoais, como ouvir, comunicar e colaborar com a equipe. Outro ponto positivo é a disseminação do uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), a partir de softwares e ferramentas de comunicação, tais como video-conferência, e-learning, , favorecendo a agilidade de contato entre os funcionários, clientes e fornecedores da organização. Uma outra contribuição é a ampliação da noção de negócios com o desenvolvimento daqueles envolvidos com a educação corporativa, pois ela amplia os conhecimento em relação à organização, dando uma visão estratégica da empresa, permitindo compreender não só o seu trabalho, mas o dos colegas, possibilitando ações que visem a melhoria do trabalho. Desta forma, é possível perceber que a base desse desenvolvimento pretendido na organização, tem como base o ser humano e seu conhecimento, mas para isso é necessário que cada vez mais empresas tenham essa consciência de valorização do homem através da educação.

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES KOWALCZUK, Lidiane Mendes Ferreira - PUCPR lidianemendesf@gmail.com VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski - PUCPR alboni@alboni.com Eixo Temático: Formação de Professores

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Unidades de negócio 55 Postos de serviços 7132 Exploração de petróleo 59 sondas, sendo 49 marítimas 9,8 bilhões de barris de óleo e gás equivalentes

Unidades de negócio 55 Postos de serviços 7132 Exploração de petróleo 59 sondas, sendo 49 marítimas 9,8 bilhões de barris de óleo e gás equivalentes UNIVERSIDADES CORPORATIVAS: UM ESTUDO DE CASO Murillo César de Mello Brandão PETROBRAS/UC Jorge Luiz Pereira Borges PETROBRAS/UC Martius V. Rodriguez y Rodriguez PETROBRAS/UC RESUMO Dentro de um ambiente

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME Felipe Barbetta Soares da Silva 1, Vilma da Silva Santos 2, Paulo

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Plano de Desenvolvimento Relação Ergonomia e Moda e Educação Corporativa Ilca Maria Moya de Oliveira Segundo Dutra (2004), a preparação para o futuro exige investimentos simultâneos: um na modernização

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA UNIVERSIDADE COOPERATIVA Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA Educação Empresarial - Treinamento

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Objetivos da aula: Nesta aula o objetivo será Apresentar uma visão diferenciada sobre como as ações integradas de planejamento estratégico de Recursos Humanos (RH)

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Projetos 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que apontam a

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Participantes: Bruna, Luize e Tatiane. Apresentação para o Grupo de Estudos de T&D 1º Semestre da ABRH RS.

Participantes: Bruna, Luize e Tatiane. Apresentação para o Grupo de Estudos de T&D 1º Semestre da ABRH RS. Participantes: Bruna, Luize e Tatiane Apresentação para o Grupo de Estudos de T&D 1º Semestre da ABRH RS. Apresentação Queremos apresentar e promover uma discussão acerca de temas relevantes do contexto

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL MBA e Pós-Graduação Cursos inovadores e alinhados às tendências globais Nossos cursos seguem modelos globais e inovadores de educação. Os professores

Leia mais

MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores

MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores Coordenação Acadêmica: Prof. Edmarson Bacelar Mota, M. A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 432 horras/aulla Coordenação Geral: Eng. Jacob Gribbler 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais

Leia mais

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA 2012.1 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS É uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, fundada em 20 de dezembro de 1944, com o objetivo de ser um centro voltado

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br /rogeriolemeoficial PUBLICAÇÕES ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES SETOR PÚBLICO SERVIÇOS

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES Cassia Uhler FOLTRAN 1 RGM: 079313 Helen C. Alves LOURENÇO¹ RGM: 085342 Jêissi Sabta GAVIOLLI¹ RGM: 079312 Rogério Bueno ROSA¹ RGM:

Leia mais

A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE

A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE Ana Paula Moura da Silva (UNEAL / SENAI-AL) Israel Silva de Macêdo (SENAI-AL, UNIAFRA, FRM) Resumo Esta pesquisa apresenta uma reflexão sobre

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em

Leia mais

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA 1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA SIGA: PMBAIE*08/00 Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA As grandes questões emergentes que permeiam o cenário organizacional exigem

Leia mais

A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada RESUMO

A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada RESUMO A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada Wesley Antônio Gonçalves 1 RESUMO O MEC, ao apontar padrões de qualidade da função de coordenador de

Leia mais

MBA Executivo em Gestão de Pessoas

MBA Executivo em Gestão de Pessoas ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Gestão de Pessoas www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX: (11) 3711-1000 MBA

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Ribeirão Preto, Franca, São Carlos e Araraquara GESTÃO DE PESSOAS. COORDENAÇÃO: Profª Drª Ana Ligia Nunes Finamor

Ribeirão Preto, Franca, São Carlos e Araraquara GESTÃO DE PESSOAS. COORDENAÇÃO: Profª Drª Ana Ligia Nunes Finamor Ribeirão Preto, Franca, São Carlos e Araraquara GESTÃO DE PESSOAS COORDENAÇÃO: Profª Drª Ana Ligia Nunes Finamor OBJETIVO: A Gestão de Pessoas vem passando por inúmeras transformações nestes últimos anos.

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão Estratégica Empresarial

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão Estratégica Empresarial DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão Estratégica Empresarial 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL.

TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL. TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL. André Murilo de Souza Cavalcante Resumo: Este artigo estuda as etapas do treinamento e suas características, Desta maneira, o

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA. Contrato por Produto - Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA. Contrato por Produto - Nacional Número e Título do Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA Contrato por Produto - Nacional BRA/09/004 Fortalecimento das Capacidades da CAIXA para seu processo de

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

Pós-graduação lato sensu.

Pós-graduação lato sensu. MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Pós-graduação lato sensu 1 MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL

XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL XIII ENCONTRO ANUAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL TEMA: INOVAÇÕES E INVESTIMENTOS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL COMUNICAÇÃO SUBTEMA: QUESTÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS A MATEMÁTICA

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Novos Caminhos Grupo JCA Uma estratégia de transformação organizacional a partir da cultura e dos valores.

Novos Caminhos Grupo JCA Uma estratégia de transformação organizacional a partir da cultura e dos valores. Novos Caminhos Grupo JCA Uma estratégia de transformação organizacional a partir da cultura e dos valores. Período: Março 2010 a junho 2011 Categoria: Adesão dos Colaboradores Sumário: O trabalho relata

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Marketing e Vendas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO 2009 Renata Araújo Volpe Estudante do curso de Engenharia de Produção (Brasil) Docente orientadora Carla Bittencourt Lorusso Email: revolpe@pop.com.br

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

AGENDA. Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing. 02 de Julho. Hotel Intercontinental São Paulo/SP 5ª EDIÇÃO.

AGENDA. Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing. 02 de Julho. Hotel Intercontinental São Paulo/SP 5ª EDIÇÃO. AGENDA Interação entre comunicação interna corporativa e endomarketing 5ª EDIÇÃO D 02 de Julho? Hotel Intercontinental São Paulo/SP Realização: www.corpbusiness.com.br Patrocínio Bronze Apoio Realização:

Leia mais

USO DA COMUNICAÇÃO ALINHADA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO

USO DA COMUNICAÇÃO ALINHADA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO USO DA COMUNICAÇÃO ALINHADA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO Alexandra Lemos Ferraz 1 Evandro Oliveira da Silva 2 Edimar Luiz Bevilaqua 3 Fernando Nobre gomes da silva 4 Matheus Trindade

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal MBA Recursos Humanos Inscrições Abertas Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal Carga horária: 600 Horas Duração: 24 meses *As informações podem sofrer

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Marketing Apresentação Em uma economia globalizada e extremamente competitiva, torna-se cada vez mais imprescindível a visão estratégica

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Filomena Maria Lobo Neiva Santos Flora Maria Carneiro Teles Patrícia Dibe Veríssimo. Escola de gestão pública do Estado Do Ceará

Filomena Maria Lobo Neiva Santos Flora Maria Carneiro Teles Patrícia Dibe Veríssimo. Escola de gestão pública do Estado Do Ceará IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA GOVERNAMENTAL (@NEDGOV) DA ESCOLA DE GESTÃO PÚBLICA DO ESTADO DO CEARÁ: POSSIBILITANDO A ELEVAÇÃO DO NÍVEL DAS COMPETÊNCIAS DOS SERVIDORES PÚBLICOS Filomena

Leia mais

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO O programa irá desenvolver no aluno competências sobre planejamento e força de Vendas, bem como habilidades para liderar, trabalhar em equipe, negociar

Leia mais

desenvolvimento dos profissionais e atingimento dos resultados.

desenvolvimento dos profissionais e atingimento dos resultados. 1- OFICINAS DE FEEDBACK Aprofundar a reflexão e abordagem de Feedback como processo, fluxo e ferramenta indispensável no desenvolvimento dos profissionais, bem como elementos fundamentais de comunicação

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE SAÚDE CÓDIGO: SAU532 DISCIPLINA: GESTÃO EMPRESARIAL EM ORGANIZAÇÕES NA ÁREA DA SAÚDE CARGA HORÁRIA: 45h EMENTA: Abordagens contemporâneas

Leia mais

Seminário Telecentros Brasil

Seminário Telecentros Brasil Seminário Telecentros Brasil Inclusão Digital e Sustentabilidade A Capacitação dos Operadores de Telecentros Brasília, 14 de maio de 2009 TELECENTROS DE INFORMAÇÃO E NEGÓCIOS COMO VEÍCULO DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

Autor: Ricardo José Pereira Monteiro Professora Responsável: Prof. Dra. Nilda Maria de Clodoaldo Pinto Guerra Leone Número de Páginas: 6

Autor: Ricardo José Pereira Monteiro Professora Responsável: Prof. Dra. Nilda Maria de Clodoaldo Pinto Guerra Leone Número de Páginas: 6 Arquivo Título: A Influência da Cultura Organizacional nos Processos de Fusão e Aquisição Empresarial Autor: Ricardo José Pereira Monteiro Professora Responsável: Prof. Dra. Nilda Maria de Clodoaldo

Leia mais