ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS"

Transcrição

1 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS MAIO DE 2016

2 PRODUTOS

3 CADEIA DE ELETROELETRÔNICOS Matérias-primas Básicas Aço Motores Componentes Outros insumos Tintas Plástico Embalagens Linhas de Produtos Linha Branca Linha Marrom Portáteis Bens de Capital Máquinas Equipamentos Componentes Varejo Mercado Exportações ELABORAÇÃO BRADESCO

4 CADEIA DE ELETROELETRÔNICOS Linha Branca Geladeira Fogão Máquinas de lavar Freezer Condicionador de ar Microondas Linha Marrom Televisão DVD player Rádio e rádio gravador Amplificador Portáteis Batedeira Ferro de passar Aspirador de pó Liquidificador Espremedor de frutas Ventilador de mesa ELABORAÇÃO BRADESCO

5 SAZONALIDADE

6 HÁ MAIOR CONCENTRAÇÃO DE VENDAS NOS SEGUINTES PERÍODOS: 2º trimestre do ano (dia das mães e maior incidência de casamentos); 4º trimestre (Natal e recebimento do 13º salário). POR ISSO, A INDÚSTRIA ANTECIPA A PRODUÇÃO.

7 SAZONALIDADE DA PRODUÇÃO DE LINHA BRANCA, LINHA MARROM E ELETROPORTÁTEIS INDÚSTRIA TOTAL 10,0% 9,5% 9,6% 9,5% 9,0% 8,6% 8,7% 8,6% 8,5% 8,4% 8,3% 8,0% 7,5% 7,5% 7,6% 7,8% 7,7% 7,5% 7,0% 6,5% 6,0% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

8 LINHA BRANCA SAZONALIDADE DA PRODUÇÃO DA LINHA BRANCA ,5% 9,0% 9,2% 9,0% 8,5% 8,0% 8,0% 7,8% 8,5% 8,2% 8,5% 8,0% 8,4% 8,3% 8,4% 7,6% 7,5% 7,0% 6,5% 6,0% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

9 SAZONALIDADE DA PRODUÇÃO DA LINHA MARROM SOM E IMAGEM 11,0% 10,0% 10,1% 9,9% 9,2% 9,1% 9,0% 8,0% 8,1% 8,4% 8,7% 8,2% 8,7% 7,0% 6,6% 7,0% 6,0% 5,9% 5,0% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

10 SAZONALIDADE DA PRODUÇÃO DE ELETROPORTÁTEIS PORTÁTEIS 10,5% 10,0% 9,5% 9,6% 9,8% 9,7% 9,0% 8,5% 8,0% 7,5% 7,8% 8,1% 8,8% 7,5% 8,7% 8,5% 7,9% 7,0% 6,5% 6,7% 6,9% 6,0% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

11 EM ANO DE COPA DO MUNDO: As vendas de eletroeletrônicos podem ficar entre 3% e 5% acima de um ano normal; A sazonalidade é alterada, com as vendas do comércio concentradas no 1º semestre do ano.

12 CUSTOS DE PRODUÇÃO

13 ESTRUTURA DOS CUSTOS DA INDÚSTRIA DE ELETRODOMÉSTICOS 2011 Composição dos Custos Outros custos 4,5% Mercadorias para revenda 3,2% Serviços de terceiros 1,4% Depreciação 8,6% Matéria-prima 47,3% Pessoal 16,4% Demais custos operacionais 18,6% FONTE: IBGE - PIA ELABORAÇÃO BRADESCO

14 No Pólo Industrial de Manaus, mais de 70% das matérias-primas adquiridas pelas fabricantes de eletroeletrônicos é importada; O preço do aço responde por 18% do preço final do fogão e por 10% do preço final da geladeira.

15 FORNECEDORES

16 O BRASIL IMPORTA QUASE 20% DOS ELETROELETRÔNICOS CONSUMIDOS NO MERCADO INTERNO, SENDO QUE 68% SÃO PROVENIENTES DA CHINA. OS PRODUTOS PORTÁTEIS RESPONDEM POR 38% DAS IMPORTAÇÕES (NOTADAMENTE PANELAS E FERRAMENTAS ELÉTRICAS).

17 PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS Part % das importações NO MERCADO no consumo interno INTERNO - Fonte: Abinee 2013 Importações 19,8% Mercado interno 80,2% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

18 IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS POR BLOCO ECONÔMICO/PAÍS Importações (EM de VALOR) eletroeletrônicos 2013 por país - Fonte: Abinee Argentina 1,2% Aladi ex-argentina 3,5% Estados Unidos 4,2% Outros 1,0% União Européia 8,2% Ásia ex-china 15,7% China 66,2% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

19 IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE IMPORTAÇÕES ELETROELETRÔNICOS POR SEGMENTO (EM VALOR) 2013 Linha Branca 25,0% Portáteis 38,2% Imagem e Som 36,8% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

20 IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS DA LINHA BRANCA POR PRODUTO (EM VALOR) 2013 Ventiladores exceto de mesa Freezers 2,9% 4,3% Secadoras de Roupa 1,1% Fogões 6,1% Máquinas de Lavar Louça 2,7% Máquinas de Costura 5,4% Ar Condicionado 27,0% Coifas 8,5% Refrigeradores 13,5% Máquinas de Lavar Roupa 5,8% Forno Microondas FONTE: ABINEE 6,1% ELABORAÇÃO BRADESCO Fornos 16,6%

21 IMPORTAÇÕES DA LINHA MARROM POR PRODUTO IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS DA LINHA MARROM POR PRODUTO (EM VALOR) 2013 Televisores 2,6% Aparelhos de áudio 6,8% Equipamentos de Áudio e Video 19,6% Auto-rádios 43,3% Aparelhos de som e vídeo 27,7% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

22 IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA IMPORTAÇÕES DE DE PORTÁTEIS ELETROELETRÔNICOS POR PRODUTO PORTÁTEIS POR PRODUTO (EM VALOR) 2013 Batedeiras Liquidificadores 1,6% 2,0% Lanternas 2,8% Trituradores de Alimentos 6,7% Balanças Extratores de suco 1,2% 0,7% Outros 1,4% Panelas Elétricas 23,5% Aspiradores de pó 7,2% Cafeteiras 10,8% Outros eletrodomésticos portáteis 20,7% Ferramentas elétricas manuais 21,5% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

23 REGIONALIZAÇÃO

24 NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS HÁ CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS QUE ATUAM NA PRODUÇÃO DE LINHA MARROM, E EM SÃO PAULO HÁ MAIOR CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS QUE ATUAM EM LINHA BRANCA.

25 NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS DA FABRICAÇÃO DE ELETRODOMÉSTICOS POR REGIÃO Centro-Oeste 2,4% Norte 0,8% Nordeste 10,5% Sul 28,8% Sudeste 57,4% FONTE: RAIS ELABORAÇÃO BRADESCO

26 NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS DA FABRICAÇÃO DE ELETRODOMÉSTICOS SP PR RS SC MG BA RJ CE PE ES MS GO MT PI AM DF SE AL PB MA PA FONTE: RAIS ELABORAÇÃO BRADESCO

27 A CONCENTRAÇÃO DA RECEITA LÍQUIDA NO AMAZONAS OCORRE EM RAZÃO DOS INCENTIVOS FISCAIS CONCEDIDOS AO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PIM.

28 ISENÇÃO FISCAL NO PIM Redução de até 88% do Imposto de Importação sobre os insumos destinados à industrialização; Isenção do IPI; Isenção da contribuição para PIS/PASEP e da Cofins nas operações dentro da Zona Franca de Manaus; Restituição entre 55% e 100% do ICMS; Isenção do Imposto sobre o IPTU.

29 RANKING

30 Whirlpool marcas Consul e Brastemp; Mabe marcas GE, Mabe, Dako, Bosch e Continental.

31 CONSUMIDORES

32 O BRASIL EXPORTA 4% DOS ELETROELETRÔNICOS PRODUZIDOS. MAIS DE 80% É DESTINADO AOS PAÍSES DA ALADI*. OS PRODUTOS DA LINHA BRANCA RESPONDEM POR 60% DAS EXPORTAÇÕES, NOTADAMENTE DE REFRIGERADORES E FOGÕES (JUNTOS ESSES PRODUTOS REPRESENTAM 70% DAS EXPORTAÇÕES DA LINHA BRANCA). * ALADI: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela

33 PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS NO FATURAMENTO 2013 Exportações 3,9% Mercado interno 96,1% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

34 EXPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS POR BLOCO ECONÔMICO/PAÍS (EM VALOR) 2013 Exportações de eletroeletrônicos por país - Fonte: Abinee União Européia 0,8% Estados Unidos 2,9% Ásia 0,6% China 0,1% Outros 8,8% Argentina 31,7% Aladi ex-argentina 55,0% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

35 EXPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS POR SEGMENTO (EM VALOR) EXPORTAÇÕES Portáteis 16,0% Imagem e Som 24,5% Linha Branca 59,6% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

36 EXPORTAÇÕES EXPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DA LINHA BRANCA DE ELETROELETRÔNICOS POR PRODUTO DA LINHA BRANCA POR PRODUTO (EM VALOR) Máquinas de Costura 2,1% Máquinas de Lavar Roupa 6,7% Ar Condicionado 1,4% Fornos 6,0% Outros 2,4% Freezers 12,6% Refrigeradores 39,3% Fogões 29,4% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

37 EXPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS DA LINHA MARROM POR PRODUTO (EM VALOR) 2013 EXPORTAÇÕES DA LINHA MARROM POR PRODUTO Aparelhos de som e vídeo 6,1% Aparelhos de áudio 3,2% Equipamentos de Áudio e Video 0,7% Televisores 21,2% Auto-rádios 68,8% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

38 EXPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE ELETROELETRÔNICOS PORTÁTEIS POR PRODUTO (EM VALOR) 2013 EXPORTAÇÕES DE PORTÁTEIS POR PRODUTO Aspiradores de pó 4,1% Extratores de suco 1,7% Panelas Elétricas 4,1% Cafeteiras 1,7% Outros 3,3% Batedeiras 5,8% Liquidificadores 9,6% Outros eletrodomésticos portáteis 9,9% Ferramentas elétricas manuais 59,8% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

39 FATORES DE RISCO

40 Setor dependente de componentes eletrônicos importados. As empresas têm aumentos de custos em caso de desvalorização do câmbio ou então com a alta dos preços de produtos como o aço, alumínio e plástico; A concorrência na indústria é bastante acirrada, o que exige dos fabricantes constantes lançamentos com novidades nos produtos e investimentos em pesquisa e desenvolvimento tecnológico; A concorrência ilegal (contrabando e falsificações) também é bastante acirrada, principalmente nos produtos de menor valor agregado linha marrom e portáteis.

41 Os canais de venda de eletroeletrônicos (hipermercados e lojas de departamento e de utilidades domésticas) são bastante concentrados, o que limita repasses acentuados de custos e mantém a margem de lucros comprimida nos períodos de desaquecimento da demanda, notadamente nas empresas de menor porte; A demanda do setor é influenciada pelo nível de renda, emprego e condições de financiamento (disponibilidade de crédito e prazo para o pagamento); Para os produtos de linha branca, a demanda depende do número de residências e da quantidade de pessoas no domicílio.

42 No segmento de linha branca, alguns produtos possuem grau de saturação de mercado elevado, como é o caso de fogões, com grau de saturação de 98%. Neste caso, somente a demanda de reposição pode influenciar no aumento das vendas internas; A renovação de produtos da linha branca (demanda de reposição) ocorre em média a cada 8 anos. Na linha marrom esse período é bem mais curto, em até 6 anos.

43 EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL Fogão DE DOMICÍLIOS COM FOGÃO NO BRASIL**, ,0% 98,8% 98,7% 98,8% 98,8% 98,6% 98,5% 98,4% 98,3% 98,2% 98,2% 98,0% 97,8% 97,7% 97,6% 97,4% 97,6% 97,6% 97,2% * FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO * Nestes anos a PNAD não foi a campo, dados interpolados ** Excluindo as áreas rurais de RO, AC, AM, RR, PA e AP

44 Geladeira EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM GELADEIRA NO BRASIL**, % 96% 96,3% 96,7% 97,2% 94% 93,9% 92% 91,3% 90% 88% 88,6% 86,6% 86% 84% 85,1% * FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO * Nestes anos a PNAD não foi a campo, dados interpolados ** Excluindo as áreas rurais de RO, AC, AM, RR, PA e AP

45 EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM FREEZER NO Freezer BRASIL**, % 18,7% 19% 18,4% 18% 18% 17,6% 17% 17% 16,7% 16,3% 16,7% 17,0% 16% 16,0% 16% 15% * ,2% FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO * Nestes anos a PNAD não foi a campo, dados interpolados ** Excluindo as áreas rurais de RO, AC, AM, RR, PA e AP

46 EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM MÁQUINA DE Máquina de lavar roupa LAVAR ROUPA NO BRASIL**, % 58% 55,2% 57,5% 53% 51,6% 48% 44,9% 43% 39,7% 38% 34,7% 33% 33,6% 28% * FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO * Nestes anos a PNAD não foi a campo, dados interpolados ** Excluindo as áreas rurais de RO, AC, AM, RR, PA e AP

47 EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL Televisão DE DOMICÍLIOS COM TELEVISÃO NO BRASIL**, % 97% 96,0% 97,2% 97,2% 97,2% 95% 94,8% 93% 91,9% 91% 89,9% 90,0% 89% 89,0% 87% * FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO * Nestes anos a PNAD não foi a campo, dados interpolados ** Excluindo as áreas rurais de RO, AC, AM, RR, PA e AP

48 EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM Microcomputador MICROCOMPUTADOR NO BRASIL**, % 50% 46,4% 48,9% 45% 43,5% 40% 39,4% 35% 30% 31,6% 25% 20% 18,7% 15% 14,2% 12,6% 10% * FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO ** Excluindo as áreas rurais de RO, AC, AM, RR, PA e AP

49 EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL DE DOMICÍLIOS COM MICROCOMPUTADOR COM Com ACESSO acesso a Internet À INTERNET NO BRASIL**, % 40% 37,1% 40,3% 42,4% 35% 30% 27,8% 25% 20% 20,4% 15% 13,8% 10% 8,5% 11,4% 5% * FONTE: PNAD/IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO ** Excluindo as áreas rurais de RO, AC, AM, RR, PA e AP

50 CENÁRIO ATUAL E TENDÊNCIAS

51 FATURAMENTO DA INDÚSTRIA DE UTILIDADES DOMÉSTICAS R$ MILHÕES * FONTE E PROJEÇÃO: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

52 Fonte: Abinee FATURAMENTO DE UTILIDADES DOMÉSTICAS - var % VARIAÇÃO % DO DA INDÚSTRIA DE UTILIDADES DOMÉSTICAS % 25,0% 23,5% 20% 10% 3,8% 14,3% 10,0% 5,5% 2,3% 14,0% 5,2% 10,8% 4,5% 8,0% 0% -10% -10,5% -4,8% -6,7% -8,7% -14,1% -20% -30% -25,2% * FONTE E PROJEÇÃO: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

53 Exportação Fonte:Abinee Elaboração: Bradesco EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE UTILIDADES Exportação e Importação de Utilidades Domésticas DOMÉSTICAS US$ milhões Importação US$ MILHÕES Exportação Importação FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

54 Fonte:Abinee Exportação e Importação de Utilidades Domésticas - VAR % Exportação Importação VARIAÇÃO % DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE UTILIDADES DOMÉSTICAS % 60% Exportação Importação 46,4% 53,2% 58,8% 40% 30,6% 37,5% 20% 0% -20% 16,2% 7,8% -5,7% -9,8% -8,4% -20,5% 10,3% 20,4% 7,4% -4,6% -1,2% 1,2% -7,1% 13,4% -24,2% 20,4% 10,8% 2,0% -3,5% -7,1% -18,5% -20,5% -40% -38,2% -60% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

55 EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE UTILIDADES DOMÉSTICAS 2012 E 2013 (1) US$ FOB MIL Exportações Importações Part. % Var. % Linha Branca ,0% ,0% Fogões ,4% ,1% Forno Microondas ,0% ,1% Fornos ,0% ,6% Freezers ,6% ,3% Máquinas de Lavar Roupa ,7% ,8% Refrigeradores ,3% ,5% Secadoras de Roupa ,8% ,1% Coifas ,3% ,5% Ar Condicionado ,4% ,0% Máquinas de Costura ,1% ,4% Máquinas de Lavar Louça 8-0,0% ,7% Ventiladores exceto de mesa ,3% ,9% Imagem e Som ,0% ,0% Aparelhos de áudio ,2% ,8% Aparelhos de som e vídeo ,1% ,7% Auto-rádios ,8% ,3% Equipamentos de Áudio e Video ,7% ,6% Televisores ,2% ,6% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

56 EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES DA INDÚSTRIA DE UTILIDADES DOMÉSTICAS 2012 E 2013 (2) US$ FOB MIL Exportações Importações Part. % Var. % Portáteis ,0% ,0% Aspiradores de pó ,1% ,2% Balanças ,2% ,2% Barbeadores Elétricos 3 4 0,0% ,7% Batedeiras ,8% ,6% Cafeteiras ,7% ,8% Enceradeiras ,0% ,1% Extratores de suco ,7% ,7% Ferramentas elétricas manuais ,8% ,5% Lanternas ,2% ,8% Liquidificadores ,6% ,0% Outros eletrodomésticos portáteis ,9% ,7% Panelas Elétricas ,1% ,5% Torradeiras ,1% ,6% Trituradores de Alimentos ,0% ,7% Ventiladores Portáteis ,8% ,0% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

57 PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES NO FATURAMENTO DA INDÚSTRIA PARTICIPAÇÃO DAS IMPORTAÇÕES DE UTILIDADES DOMÉSTICAS NO FATURAMENTO DO DE UTILIDADES DOMÉSTICAS SETOR (FONTE: ABINEE) 25,0% 20,0% 19,8% 18,8% 18,5% 18,6% 15,0% 15,0% 16,6% 15,9% 10,0% 6,5% 7,9% 9,6% 7,4% 11,5% 10,4% 9,9% 9,6% 9,5% 11,0% 5,0% 4,5% 0,0% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

58 10,9% 10,3% 9,7% PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DE UTILIDADES DOMÉSTICAS NO FATURAMENTO DO SETOR (FONTE: ABINEE) PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES NO FATURAMENTO DA INDÚSTRIA DE UTILIDADES DOMÉSTICAS ,0% 18,0% 16,0% 14,0% 12,0% 18,0% 16,7% 16,7% 15,9% 14,9% 14,5% 12,6% 10,0% 9,2% 8,0% 7,6% 7,0% 6,5% 6,0% 4,0% 5,8% 4,8% 4,0% 3,9% 2,0% FONTE: ABINEE ELABORAÇÃO BRADESCO

59 PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS

60 PRODUÇÃO DE MÁQUINA FOTOGRÁFICA Câmera Fotográfica Digital DIGITAL NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS EM UNIDADES FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

61 PRODUÇÃO DE DVD PLAYER NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS DVD Player EM UNIDADES FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

62 PRODUÇÃO DE FORNO DE MICROONDAS NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS Forno de Microondas EM UNIDADES FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

63 PRODUÇÃO DE TV EM CORES NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS TV em cores EM UNIDADES FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

64 TV com tela de LCD PRODUÇÃO DE TV DE LCD NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS EM UNIDADES FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

65 PRODUÇÃO DE TV DE PLASMA NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS TV com tela de Plasma EM UNIDADES FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

66 PRODUÇÃO DE AUTO RÁDIO Auto Rádio E e APARELHOS Aparelhos Reprodutores de REPRODUTORES Áudio DE ÁUDIO NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS EM UNIDADES FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

67 FATURAMENTO DA INDÚSTRIA DE Eletroeletrônico ELETROELETRÔNICOS NO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS R$ milhões FONTE: SUFRAMA ELABORAÇÃO BRADESCO

68 PRODUÇÃO INDUSTRIAL

69 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 dez/15 mar/16 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE ELETRODOMÉSTICOS POR SEGMENTO VAR. % DA MÉDIA MÓVEL DE 12 MESES ,0% Linha Marrom Linha Branca Portáteis 30,0% 25,8% 30,9% 24,4% 20,0% 17,5% 10,0% 9,9% 4,6% 0,0% -2,6% -10,0% -20,0% -30,0% -24,8% -22,3% -6,9% -10,0% -13,5% -13,3% -18,1% -27,5% -40,0% -50,0% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO BRADESCO

70 em m ilhões US$ * Linha Branca VAR. % DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL DA LINHA BRANCA (ACUMULADO 12 MESES ATÉ FEV/2016) 20,0% 16,7% 16,5% 15,0% 10,0% 11,5% 9,4% 6,2% 5,0% 3,6% 1,9% 3,7% 0,0% -5,0% -3,5% -0,2% -2,0% -3,7% -10,0% -15,0% -13,2% -20,0% -16,2% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

71 em m ilhões US$ * VAR. % DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL DA LINHA MARROM 2003 Linha Marrom 2015 (ACUMULADO 12 MESES ATÉ FEV/2016) 40,0% 30,0% 27,7% 26,7% 20,0% 10,0% 5,1% 11,3% 13,0% 0,0% -10,0% -7,6% -11,8% -8,7% -4,0% -2,5% -4,7% -20,0% -20,3% -30,0% -28,5% -28,1% -40,0% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 71

72 em m ilhões US$ * VAR. % DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE PORTÁTEIS Portáteis (ACUMULADO 12 MESES ATÉ FEV/2016) 20,0% 15,0% 13,6% 12,0% 10,0% 5,0% 0,0% 7,6% 2,4% 5,7% 0,5% -5,0% -10,0% -3,2% -4,6% -7,7% -3,9% -6,0% -4,7% -10,4% -15,0% -20,0% -25,0% -22,3% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO 72

73 COMÉRCIO VAREJISTA

74 PMC VARIAÇÃO ACUMULADA EM 12 MESES (%) MÓVEIS E ELETRODOMÉSTICOS set/06 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 mar/09 jun/09 set/09 dez/09 mar/10 jun/10 set/10 dez/10 mar/11 jun/11 set/11 dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 dez/14 mar/15 jun/15 set/15 dez/15 mar/16 18,0 14,0 10,0 6,0 2,0-2,0-6,0-10,0-14,0-18,0 17,1 18,5 15,6 16,3 13,4 12,7 12,7 8,6 8,3 6,1 5,0 0,3-0,2-7,1-16,6 FONTE: IBGE ELABORAÇÃO: BRADESCO

75 VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA MÓVEIS E ELETRODOMÉSTICOS PMC Móveis VARIAÇÃO e eletrodomésticos ANUAL ,0% 25,0% 26,4% 20,0% 15,0% 10,0% 16,0% 10,2% 15,4% 15,1% 18,3% 16,6% 12,2% 5,0% 0,0% 2,1% 4,9% 0,6% -1,2% -0,6% -0,8% -5,0% -10,0% -15,0% ,8% FONTE: IBGE ELABORAÇÃO E (*) PROJEÇÃO: BRADESCO 75

76 Depec-Bradesco O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações e projeções. Todos os dados ou opiniões dos informativos aqui presentes são rigorosamente apurados e elaborados por profissionais plenamente qualificados, mas não devem ser tomados, em nenhuma hipótese, como base, balizamento, guia ou norma para qualquer documento, avaliações, julgamentos ou tomadas de decisões, sejam de natureza formal ou informal. Desse modo, ressaltamos que todas as consequências ou responsabilidades pelo uso de quaisquer dados ou análises desta publicação são assumidas exclusivamente pelo usuário, eximindo o BRADESCO de todas as ações decorrentes do uso deste material. Lembramos ainda que o acesso a essas informações implica a total aceitação deste termo de responsabilidade e uso.

ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS

ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS

ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ELETRODOMÉSTICOS E ELETROELETRÔNICOS JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NO BRASIL 2012 EXPORTAÇÕES US$ 43 Bilhões (23%) 23% Ásia 22% União Europeia FATURAMENTO

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 CALENDÁRIO AGRÍCOLA - FEIJÃO Safra 1ª - Safra das Águas 2ª - Safra da Seca 3ª - Safra de Inverno Principais Regiões Sul, Sudeste,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA MARÇO DE 2010

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA MARÇO DE 2010 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA MARÇO DE 2010 1 2 PRODUTOS CADEIA PRODUTIVA DO SETOR DE INFORMÁTICA - 2007 Hardware Software Serviços 38,2% 11,8% 50,0% Computadores Gerenciamento

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE MÓVEIS Importação 3,3% Residenciais 67,7% Mercado interno 96,4% Escritório 16,6% INDÚSTRIA

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 Borracha Natural Consumo Interno 300 mil toneladas/ano 64% Importação 262 mil toneladas/ano 36% Produção

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUPERMERCADOS ABRIL DE 2016 1 PRODUTOS 2 SUPERMERCADOS SÃO ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS CLASSIFICADOS COMO AUTO- SERVIÇO: CONSUMIDORES COMPRAM OS PRODUTOS

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PLANTA DE TELEFONIA NO BRASIL 2011 Acessos fixos 14,4% Acessos móveis 85,6% FONTE: ANATEL dez/10 PLANTA

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos HIGIENE PESSOAL ABRIL DE 2014 PRODUTOS HIGIENE PESSOAL 61% Sabonetes Higiene Oral Desodorantes Talcos Higiene Capilar Produtos para Barbear Fraldas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Página 1 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009

Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Regina Parizi Diretora Executiva MAIO/2009 Estrutura e Distribuição Geográfica Estrutura Estatutária A GEAP GEAP é administrada por por um um Conselho Deliberativo responsável pela pela definição da da

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL

IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL IMPACTOS DAS DISTORÇÕES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Brasília, Novembro/ 2013 Unidade de Políticas Públicas NOTA TÉCNICA IMPACTOS DAS DISTORÇOES DO ICMS NOS ESTADOS E DISTRITO FEDERAL Este estudo

Leia mais

I - Resultado mensal: 60,82%, acum. ano: 66,55% acum. 12 meses: 68,50%

I - Resultado mensal: 60,82%, acum. ano: 66,55% acum. 12 meses: 68,50% dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13 dez/12 fev/13 abr/13 jun/13 ago/13 out/13-870 -953-919 -937-1.015-601 -623-714 -780-780 -860-266 Novembro de edição n. 28 I - Resultado mensal: 60,82%, acum. ano:

Leia mais

Diagnóstico da realidade médica no país

Diagnóstico da realidade médica no país Diagnóstico da realidade médica no país Médicos por mil habitantes Peru 0,9 Chile 1,0 Paraguai 1,1* Bolívia 1,2* Colômbia 1,4* Equador 1,7 Brasil 1,8 Venezuela 1,9* México 2,0 Canadá 2,0 Estados Unidos

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011

Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional. Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Guerra Fiscal e Desenvolvimento Regional Audiência Pública Senado Federal 18 de outubro de 2011 Quem ganha com a Guerra Fiscal? O país perde Porque grande parte dos incentivos é concedido a importações

Leia mais

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS OUTUBRO DE 2015 1 PRODUTOS 2 Os tratores e máquinas agrícolas são movidos a diesel. São fabricados os seguintes tipos

Leia mais

Apresentação para Investidores 1S10

Apresentação para Investidores 1S10 Apresentação para Investidores 1S10 1 Agenda 1. Visão Geral e Desempenho Consolidado 2. Livraria Saraiva 3. Editora Saraiva 2 Governança Corporativa Nível 2 de Governança Corporativa da Bovespa Primeira

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015

Programa de Requalificação de UBS. Março/2015 Programa de Requalificação de UBS Março/2015 PROGRAMA DE REQUALIFICAÇÃO DE UBS Instituído no ano de 2011 OBJETIVOS: Criar incentivo financeiro para as UBS Contribuir para estruturação e o fortalecimento

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA JANEIRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA JANEIRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INFORMÁTICA JANEIRO DE 2016 PRODUTOS MERCADO NACIONAL DE INFORMÁTICA - 2012 35% Aladi ex-argentina 1,7% exportação 34% Argentina Informática Faturamento

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

A agenda que está na mesa: A agenda do ICMS e do PIS-Cofins

A agenda que está na mesa: A agenda do ICMS e do PIS-Cofins A agenda que está na mesa: A agenda do ICMS e do PIS-Cofins Fórum Estadão Brasil Competitivo Bernard Appy outubro de 2012 Relevância da agenda PIS e Cofins ICMS Relevância da agenda PIS e Cofins ICMS Relevância

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE

CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE Riscos e potenciais benefícios para usuários e prestadores José Cechin FGV/RJ, 13 novembro 2008 Agenda HISTÓRICO DA SAÚDE SUPLEMENTAR CONSOLIDAÇÃO E MODERNIZAÇÃO CONCENTRAÇÃO E CONCORRÊNCIA

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA Relatório Estatístico Preliminar de Resultados da Lei de Informática 8.248/91 e suas Alterações Dados dos Relatórios Demonstrativos

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL APRESENTA RETRAÇÃO NAS VENDAS EM FEVEREIRO A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

Desvio de Finalidade Papel Imune

Desvio de Finalidade Papel Imune Desvio de Finalidade Papel Imune Compliance com as Leis de Defesa da Concorrência ALERTA: Evitar quaisquer discussões ou conversações sobre temas sensíveis à livre competição entre as empresas associadas,

Leia mais

AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1

AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 AGENDA DE SEMINÁRIOS CALENDÁRIO 2016/1 >> INFORMAÇÕES GERAIS Os treinamentos são realizados no Centro de Treinamento, nas instalações da Ciber Equipamentos Rodoviários

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAMINHÕES JANEIRO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Junho/2015 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares Simplificada - POF Simplificada

Pesquisa de Orçamentos Familiares Simplificada - POF Simplificada Pesquisa de Orçamentos Familiares Simplificada - POF Simplificada 5º Fórum SIPD Rio de Janeiro 15 de dezembro de 2008 Conteúdo da apresentação Aspectos Gerais da POF Simplificada: - Objetivos da pesquisa

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015

Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 Expectativas da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Verão 2014-2015 PRESIDENTE: Marciano Gianerini Freire EQUIPE TÉCNICA: Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: Heike Duske César Melo

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil

ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil ESPORTE E UNIVERSIDADE: a reestruturação do esporte universitário no Brasil Wadson Ribeiro Secretário Nacional de Esporte Educacional Ministério do Esporte A DÉCADA DO ESPORTE BRASILEIRO Criação do Ministério

Leia mais

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 1 SEGURO RISCOS RURAIS Esse estudo tomou por base dados oficiais gerados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, IBGE e pela SUSEP (Superintendência

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ÔNIBUS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003

Objetivos. 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010. 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 Objetivos 1. Fazer o diagnóstico das condições de saúde bucal da população brasileira em 2010 2. Traçar comparativo com a pesquisa SB Brasil 2003 3. Avaliar o impacto do Programa Brasil Sorridente 4. Planejar

Leia mais

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR)

O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) O que muda com a Lei Geral (para maiores informações acessar WWW.LEIGERAL.COM.BR) Pontos Lei Geral Como é hoje 1 Alcance da Lei A lei do Simples está voltada para os tributos federais. Os sistemas de tributação

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais. Flávio Bitter

Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais. Flávio Bitter Ações e Experiências de Operadoras na Gestão de suas Redes Assistenciais Flávio Bitter outubro 2015 Destaques Presença Nacional Beneficiários (Mil) Operadora líder no mercado brasileiro de Saúde suplementar,

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

PANORAMA DO SETOR. Evolução do setor 2. Crescimento do setor x crescimento da economia 3. Comparativo de índices de preços 4. Comércio Exterior 5

PANORAMA DO SETOR. Evolução do setor 2. Crescimento do setor x crescimento da economia 3. Comparativo de índices de preços 4. Comércio Exterior 5 PANORAMA DO SETOR Evolução do setor 2 Crescimento do setor x crescimento da economia 3 Comparativo de índices de preços 4 Comércio Exterior 5 Perfil Empresarial 8 Mercado Brasileiro 11 Canais de distribuição

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia

Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia Vantagens do uso do Selo da Agricultura Familiar para os empreendimentos da Bahia Guilherme Cerqueira Mateus e Souza 1 Daniel Costa Ferreira 2 Jeandro L. Ribeiro 3 1 Economista (UFBA), Consultor do PNUD/MDA/

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE

SONDAGEM INDUSTRIAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2004 RESULTADOS DE RIO BRANCO - ACRE O QUE É A SONDAGEM INDUSTRIAL A Sondagem é uma pesquisa qualitativa realizada trimestralmente pela CNI e pelas Federações das s de 19 estados do país (AC, AL, AM, BA, CE, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PB, PE,

Leia mais

Art. 208... O dever do Estado com a Educação será efetivado mediante a garantia de:

Art. 208... O dever do Estado com a Educação será efetivado mediante a garantia de: CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 208... O dever do Estado com a Educação será efetivado mediante a garantia de: VII -... programas suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência

Leia mais

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados

Resultados do 2T09. Teleconferência de Resultados Resultados do 2T09 Teleconferência de Resultados Destaques do 2T09 2 Destaques do 2T09 em linha com a estratégia geral da Companhia Nossas conquistas do 2T09 são refletidas nos resultados da Companhia

Leia mais

OS POSSÍVEIS EFEITOS DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 683/2015

OS POSSÍVEIS EFEITOS DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 683/2015 OS POSSÍVEIS EFEITOS DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 683/2015 SÓCRATES ARANTES TEIXEIRA FILHO Consultor Legislativo da Área IV Finanças Públicas AGOSTO/2015 Sócrates Arantes Teixeira Filho 2 SUMÁRIO 1. Introdução...

Leia mais

Espírito Santo Governador Renato Casagrande

Espírito Santo Governador Renato Casagrande Espírito Santo Governador Renato Casagrande Parte I O Comércio Internacional no Espírito Santo Parte II Ranking Federativo Parte III Propostas Comércio Internacional no Espírito Santo Ranking Nacional

Leia mais

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág.

ÍNDICE RELATÓRIO SIOR 2012. Pág. 02 NOTÍCIAS 2011/2012. Pág. 03 ANÁLISE DAS DEMANDAS. Pág. 04 GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO. Pág. RELATÓRIO SIOR 2012 ÍNDICE NOTÍCIAS 2011/2012 ANÁLISE DAS DEMANDAS GRÁFICO DE DEMANDAS POR ESTADO TEMPO DE ATENDIMENTO DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES MAPA DAS PRINCIPAIS DEMANDAS CONSIDERADAS PROCEDENTES

Leia mais

Para atender a essa necessidade foi necessário alterar ou criar alguns novos processos. A seguir será detalhada cada uma dessas alterações.

Para atender a essa necessidade foi necessário alterar ou criar alguns novos processos. A seguir será detalhada cada uma dessas alterações. Base ICMS Reduzida no Desconto Zona Franca Produto : Datasul, MFT, Faturamento, 12 Chamado : TQWBOD Data da criação : 09/01/2015 Data da revisão : 09/01/2015 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Injetoras Sopradoras. Máquinas para. plástico Romi

Injetoras Sopradoras. Máquinas para. plástico Romi Máquinas para plástico Romi Unidades fabris da ROMI em Santa Bárbara d Oeste - SP INOVAÇÃO + QUALIDADE ROMI: Desde 1930 produzindo tecnologia. Desde a sua fundação, a companhia é reconhecida pelo foco

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo Pesquisa 2014 APRESENTAÇÃO Pelo terceiro ano consecutivo, o CBCA Centro Brasileiro da Construção em Aço e a ABCEM Associação Brasileira da Construção

Leia mais

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano

Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Seminário de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos Mesa Redonda I Exposição humana a agrotóxicos: ações em desenvolvimento Monitoramento de agrotóxicos em água para consumo humano Coordenação

Leia mais

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011

Geração de Emprego Formal no NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2011 Geração de Emprego Formal no RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JULHO DE 211 1 211 O crescimento da economia fluminense nos últimos

Leia mais

Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015

Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015 Hábitos de Consumo Dia dos Namorados 2015 3 de junho de 2015 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: a sondagem ter por objetivo identificar os hábitos de compras

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011

MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011 MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO JANEIRO / ABRIL -2011 1 MERCADO DE CAPITALIZAÇÃO: O Mercado de títulos de capitalização vem mantendo crescimentos fortes e retornos robustos. Nesse período o volume de vendas atingiu

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Por dentro do Fisco On-line. São Paulo 12/02/2009

Por dentro do Fisco On-line. São Paulo 12/02/2009 Por dentro do Fisco On-line São Paulo 12/02/2009 Situação Atual Base 31/12/08 15.800 empresas emitindo NF-e, atingindo, em média, 35% da arrecadação das UF); 70 milhões NF-e autorizadas: Média 700.000

Leia mais

Treinamentos Siscomex Carga e Sistema Mercante

Treinamentos Siscomex Carga e Sistema Mercante Objetivo Treinar os participantes para o efetivo uso dos sistemas Siscomex Carga e Mercante. Público Alvo Profissionais que atuam nas seguintes áreas: - Agência Marítima; - Empresa de Navegação; - Agente

Leia mais

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS: Repartição das responsabilidades entre União, Estados e Municípios; Vinculação de impostos; Definição de Manutenção e Desenvolvimento do

Leia mais

2ª Reunião Grupo Técnico de Sistematização de Informações Contábeis e Fiscais

2ª Reunião Grupo Técnico de Sistematização de Informações Contábeis e Fiscais Subsecretaria de Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação 2ª Reunião Grupo Técnico de Sistematização de Informações Contábeis e Fiscais SICONFI 2014 OBJETIVOS

Leia mais

SISMAMA INDICADORES DE QUALIDADE

SISMAMA INDICADORES DE QUALIDADE SISMAMA INDICADORES DE QUALIDADE Encontro Nacional de Coordenadores Maio/2011 SISMAMA Portaria SAS 779/08 Subsistema do sistema de faturamento ambulatorial do (SIA-SUS) Faturamento dos serviços de mamografia,

Leia mais

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir?

Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? EXPOSIBRAM 2011 14º Congresso Brasileiro de Mineração Painel 5 Políticas de garantia de acesso aos recursos naturais: como evoluir? Márcio Pereira Meio Ambiente e Sustentabilidade Belo Horizonte, 28.9.2011

Leia mais

Propostas do Governo para o ICMS

Propostas do Governo para o ICMS Propostas do Governo para o ICMS Audiência pública da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 11 de março de 2013 Avaliação geral Proposta do Governo vai na direção correta em termos

Leia mais

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Pesquisa da 10ª Semana de Museus Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Panorama geral - Pesquisa da 10ª Semana Nº entradas

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Maio de 2015 Benefício do câmbio mais depreciado sobre as exportações de carnes será limitado pela queda da demanda de mercados relevantes Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Agricultura Familiar no Mundo São 500 milhões de estabelecimentos da agricultura familiar

Leia mais

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% nos últimos 16 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2011

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

Impacto do Custo Brasil na competitividade sistêmica e FEVEREIRO DE 2010

Impacto do Custo Brasil na competitividade sistêmica e FEVEREIRO DE 2010 Grupo II Impacto do Custo Brasil na competitividade sistêmica e setorial da indústria brasileira de bens de capital FEVEREIRO DE 2010 1 Objetivo O presente trabalho se propõe a mensurar o Custo Brasil,

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL Uma análise do período 2000 2011 Abril de 2012 A competitividade da ind. de transformação e de BK A evolução do período 2000 2011, do:

Leia mais