PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO DE ESCADA DOMÉSTICA METÁLICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO DE ESCADA DOMÉSTICA METÁLICA"

Transcrição

1 PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO DE ESCADA DOMÉSTICA METÁLICA 1 OBJETIVO Este procedimento estabelece as condições necessárias para a concessão da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade para empresas fabricantes de Escadas Domésticas Metálicas, através do mecanismo de certificação voluntária, no âmbito do IFBQ, em atendimento aos requisitos da norma NBR DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA MQ-IFBQ-002 Manual da Qualidade do Instituto Falcão Bauer da Qualidade; PSQ-IFBQ-001 Procedimento Geral para Concessão da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade; PSQ-IFBQ-003 Procedimento para Controle e Alteração da Documentação; PSQ-IFBQ-009 Procedimento para Subcontratação de serviços; NBR NBR ISO 9001 Escada Doméstica Metálica Projeto e fabricação; Sistemas de qualidade da qualidade - Requisitos; 3 DEFINIÇÕES Para efeito deste procedimento são adotadas as definições a seguir e as contidas na norma NBR Memorial Descritivo - Relatório fornecido pelo SOLICITANTE contendo as características de cada família de Escada Doméstica Metálica, devendo conter no mínimo: Fotos coloridas dos produtos (nas posições: lateral aberta e frontal); Marcas comerciais e/ou referência comerciais do produto; Projetos dos modelos que compõem a família; Informações contidas no produto embalado; Carga nominal de trabalho de cada modelo; Características geométricas: Convergente ou paralela, Auto-sustentável ou não, dimensões externas e espessura do perfil do montante; Quantidade, espessura e tipos de revestimento dos degraus (para cada modelo); Relação dos componentes utilizados na fabricação das escadas e respectivos fornecedores. 3.2 Modelo escadas de mesmo projeto, com mesmo acabamento e matérias primas; Elaborado por: Verificado por: Aprovado por: PEP-SBC /05/ /05/ /07

2 3.3 Família Conjunto dos modelos de mesmo design (tipo de montante, degrau, tirante, rebites revestimento de piso etc.) que diferem entre si apenas no comprimento, no acabamento superficial e/ou na quantidade de degraus. 4 CONDIÇÕES GERAIS As condições gerais para a Avaliação da Conformidade para a certificação Voluntária do produto Escadas Domésticas Metálicas, através do IFBQ, estão descritas no procedimento PSQ-IFBQ-001 Procedimento Geral para Concessão da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade. 5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS A Marca de Conformidade a ser afixada em Escadas Domésticas Metálicas tem por objetivo indicar a existência de nível adequado de confiança de que os produtos estão em conformidade com a norma NBR Caso haja revisão da NBR ou outro documento, com base no qual foi concedida a Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade, o IFBQ estipulará um prazo para a adequação às novas exigências. Caso o produto certificado tenha seu projeto modificado, o fornecedor licenciado deve comunicar este fato ao IFBQ que poderá exigir a apresentação da solicitação de extensão do escopo da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade. No caso do IFBQ exigir a apresentação de solicitação de extensão do escopo da Autorização, os produtos pertinentes a esta só poderão ser comercializados com a identificação da certificação, a partir do momento em que o IFBQ aprovar a extensão. Caso o IFBQ encontre alguma não-conformidade que leve a suspensão ou cancelamento da Certificação, este deverá dar ciência ao cliente e ao Inmetro, dentro de, no máximo 72 (setenta e duas) horas após a comprovação do fato, dando detalhes do produto e da não conformidade encontrada, para que sejam tomadas as providências cabíveis. 5.1 Codificação da certificação A codificação da certificação desse produto deve obedecer às considerações do PSQ- IFBQ-003, adotando como identificação do produto as letras ESC. 6. MODELO DE CERTIFICAÇÃO COM AUDITORIA NO FABRICANTE E ENSAIOS NO PRODUTO COLETADO NA FÁBRICA E NO COMÉRCIO. 6.1 Solicitação da Avaliação da Conformidade O Solicitante deve formalizar ao IFBQ, seu pedido para a obtenção da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade, encaminhando os seguintes documentos: - Formulário de "Solicitação de Certificação - Aceite da proposta técnico-comercial; PEP-SBC /05/ /05/ /07

3 - Cópia autenticada do cartão do CNPJ, do contrato social da empresa e sua última alteração; - Memorial Descritivo do produto e Catálogo dos produtos (se houver); - Procedimentos documentados para: identificação e segregação do produto não conforme; identificação do produto final; ação corretiva e Ação preventiva; recebimento e tratativas de reclamação de clientes. 6.2 Análise da Documentação O IFBQ, ao receber a documentação especificada no item 6.1, deve abrir um processo de concessão de Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade / Certificado de Conformidade, codificado conforme estabelecido no procedimento PSQ- IFBQ-003 e deve realizar uma análise crítica quanto à pertinência da solicitação, além de uma avaliação da documentação encaminhada pelo fornecedor. O registro desta análise é feito no IMP. 065 Análise do Processo de Certificação. Caso seja identificada não conformidade na documentação recebida, esta deve ser formalmente encaminhada ao fornecedor, que deverá providenciar a sua correção e formalizá-la ao IFBQ, evidenciando a implementação das correções para nova análise. O IFBQ deve comunicar formalmente ao fornecedor no caso do resultado da análise ser pela inviabilização do processo de certificação. 6.3 Auditoria Após análise da documentação recebida, o IFBQ programa a Auditoria para verificação da adequação do sistema de gestão da qualidade da empresa aos requisitos abaixo, de acordo com a norma NBR 9001:2008 e amostragem de produtos. Identificação e segregação de produto não conforme; Identificação do produto final; Ação corretiva e Ação preventiva; Recebimento e tratativas de reclamação de clientes. 6.4 Amostragem A amostragem deve seguir os critérios estabelecidos no ANEXO A, deste procedimento. 6.5 Ensaios Os ensaios serão realizados em laboratórios de terceira parte contratados pelo IFBQ, sendo utilizado os critérios prescritos no Procedimento PSQ-IFBQ-009. Os resultados dos ensaios e inspeções serão comunicados ao solicitante através do IFBQ. As famílias de Escadas Domésticas Metálicas objeto da certificação serão submetidas a todas as verificações requeridas na NBR 13430, relacionadas a seguir: 1. Verificação dimensional; 2. Ensaio de compressão; 3. Ensaio de resistência à flexão no montante lateral; 4. Ensaio de resistência à flexão do degrau; PEP-SBC /05/ /05/ /07

4 5. Ensaio de suporte para baldes; 6. Ensaio de estabilidade frontal; 7. Ensaio de estabilidade lateral; 8. Ensaio de estabilidade traseira; 9. Ensaio de estabilidade torcional; 10. Ensaio de torção da lateral e das travas; 11. Ensaio da estrutura; 12. Ensaio de resistência à flexão em balanço das laterais dianteira e traseira; 13. Ensaio de queda das laterais da escada; 14. Ensaio de escorregamento; 15. Verificação da marcação e rotulagem. 6.6 Concessão da Certificação Cumpridos todos os requisitos exigidos neste Procedimento para o modelo escolhido, o IFBQ apresenta o processo ao Gerente Geral. É competência exclusiva do Gerente Geral a aprovação da concessão da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade para os produtos que tenham demonstrado conformidade a Norma NBR Com o parecer do Gerente Geral, o IFBQ comunica ao Solicitante o resultado da deliberação. Em caso de aprovação, é encaminhado o Contrato de Concessão da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade. Caso o parecer seja desfavorável à concessão da Autorização, são informadas ao Solicitante as medidas a serem tomadas, conforme deliberação do Gerente Geral. Após a assinatura do referido contrato é enviada a Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade, contendo a relação dos produtos certificados. 6.7 Manutenção da Certificação O controle para manutenção da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade é realizado pelo IFBQ, através de uma (01) auditoria anual no sistema de gestão da qualidade com dimensionamento conforme Proposta Técnica aprovada, e ensaios para constatar se as condições técnico-organizacionais que deram origem à concessão inicial da Autorização estão sendo mantidas. Serão realizados ensaios para avaliação da conformidade das Escadas Domésticas Metálicas em exemplares amostrados anualmente na fábrica e no comércio, por família certificada, alternadamente e com periodicidade semestral. A amostragem anual na fábrica será realizada juntamente com a Auditoria e a amostragem anual no comércio será realizada em estabelecimentos conforme o item A2.2 do Anexo A. Para a manutenção da certificação do produto, é necessário que as amostras ensaiadas demonstrem conformidade a todos os requisitos verificados. Na ocorrência de não conformidade no ensaio de manutenção da certificação, este deve ser repetido em amostras de contra-prova e testemunha no atributo não conforme. PEP-SBC /05/ /05/ /07

5 A confirmação da não conformidade em ensaio de manutenção acarreta na suspensão imediata da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade para a família reprovada. Para retorno do produto ao sistema será efetuada uma nova amostragem (fábrica ou comércio) para ensaios no produto, após a demonstração da implementação de ação corretiva pelo Solicitante. 7. PARALISAÇÃO DA FABRICAÇÃO E IMPORTAÇÃO A empresa detentora da Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade, que cessar definitivamente a fabricação de produtos certificados deve informar este fato ao IFBQ. 8. IDENTIFICAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO NO ÂMBITO DO SBAC O Licenciado deve apor no produto e/ou nas embalagens primárias das escadas para as quais obteve a certificação, de forma visível a identificação a seguir: 9. CONTROLE DE ALTERAÇÕES PEP-SBC /05/ /05/ /07

6 Revisão Motivo 04 Mudança do Termo Visita técnica para Auditoria 05 Alteração do termo Gerente Executivo para Gerente Geral 06 Revisão dos critérios de auditoria, periodicidade dos ensaios e identificação da conformidade 07 Alteração do Termo Licença de Uso da Marca para Autorização para Uso do Selo de Identificação da Conformidade e atualização do logo do IFBQ 08 Alteração de EDM para ESC no item 5.1. Adição de Verificação dimensional nos itens 6.5 e 6.7 item 1 09 Ajuste geral do procedimento para facilitar entendimento. Alteração da Marca de Certificação. Esclarecimento da amostragem. PEP-SBC /05/ /05/ /07

7 ANEXO A AMOSTRAGEM A amostragem para ensaios de verificação da conformidade das Escadas Domésticas Metálicas é realizada por técnicos do IFBQ ou representantes por ele designados. São amostradas todas as famílias de escadas objeto da certificação. O relatório de amostragem deve conter as características da amostra, observando, no mínimo: a designação do produto (Marca ou referência comercial), quantidade de degraus de cada escada e quantidade de escadas amostradas. A1. Amostragem inicial Os produtos devem ser avaliados por família e planta produtiva. De cada família a ser certificada serão amostrados 16 exemplares do modelo de escada, com o maior número de degraus. A2. Amostragem periódica Nas sucessivas amostragens, deverão ser coletados diferentes tipos de escadas, de modo a realizar verificações em todas as referências comerciais fabricadas. A2.1 Amostragem na fábrica Devem ser amostradas 16 escadas por família a ser certificada. Sendo a realização da coleta no estoque ou na linha de produção, em produtos liberados para a comercialização. A Licenciada deve dispor de uma quantidade de peças produzidas superior a 65 unidades do produto para que possam ser selecionadas as amostras. A2.2 Amostragem no Comércio - As amostras devem ser adquiridas em pontos de venda ou nos distribuidores do produto. Nas amostragens realizadas no comércio, o fabricante será devidamente informado pelo IFBQ, para que reponha os estoque do seu revendedor, distribuidor ou cliente. Neste caso devem ser amostradas 16 escadas por família certificada. Quando houver dificuldades que impeçam a realização desta coleta, esta pode ser efetuada nas dependências do fabricante, na área de expedição. PEP-SBC /05/ /05/ /07

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria n.º 186, de 04 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA. Art. 3º Informar que as críticas e sugestões a respeito da proposta de texto deverão ser encaminhadas para os seguintes endereços:

CONSULTA PÚBLICA. Art. 3º Informar que as críticas e sugestões a respeito da proposta de texto deverão ser encaminhadas para os seguintes endereços: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial- Inmetro Portaria n.º 031, de 24 de fevereiro de 2006. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

COMPLEMENTO BERÇOS INFANTIS. Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen Carolina Martins

COMPLEMENTO BERÇOS INFANTIS. Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen Carolina Martins Página 1 de 1 Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen Carolina Martins Aprovado por: Maria Lucia Hayashi Data Aprovação: 06/01/2015 1 - OBJETIVO Estabelecer os critérios para o programa

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 Página 1 de 18 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... 4 7. CONDIÇÕES GERAIS... 4 8. MARCA

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 185,de 04 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE PARA MEIOS DE HOSPEDAGEM

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE PARA MEIOS DE HOSPEDAGEM PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA SUSTENTABILIDADE PARA MEIOS DE HOSPEDAGEM 1. OBJETIVO Este procedimento estabelece os requisitos para Avaliação da Conformidade para Sistemas

Leia mais

CARRINHOS PARA CRIANÇAS

CARRINHOS PARA CRIANÇAS Página 1 de 1 Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen Carolina Martins Aprovado por: Maria Lucia Hayashi Data Aprovação: 06/01/2015 1. OBJETIVO Estabelecer os critérios para o Programa

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 Página 1 de 21 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...4 8.

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 35, de 14 de fevereiro de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 86, de 26 de maio de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... Página 1de 17 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...4 8. SELO DE IDENTIFICAÇAO

Leia mais

Portaria n.º 298, de 27 de julho de 2010

Portaria n.º 298, de 27 de julho de 2010 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 298, de 27 de julho de 2010

Leia mais

Portaria n.º 231, de 30 de junho de 2008. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 231, de 30 de junho de 2008. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 231, de 30 de junho de 2008.

Leia mais

Portaria n.º 456, de 01 de dezembro de 2010

Portaria n.º 456, de 01 de dezembro de 2010 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 456, de 01 de dezembro de

Leia mais

Agulhas Hipodérmicas Estéreis para Uso Único e Agulhas Gengivais Estéreis para Uso Único

Agulhas Hipodérmicas Estéreis para Uso Único e Agulhas Gengivais Estéreis para Uso Único Complemento de Regra de Certificação Doc: 703-CRC-002 Página: 1/11 Elaborado por: Priscila Martins Pedroso Verificado por: Karen Martins Eliana T. Shimoda Lester Amaral Edilson Tsutomu Kishimoto Aprovado

Leia mais

Portaria n.º 622, de 22 de novembro de 2012.

Portaria n.º 622, de 22 de novembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 622, de 22 de novembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM PRODUTOS

INSTITUTO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM PRODUTOS PROCEDIMENTO PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE MAMADEIRAS E BICOS DE MAMADEIRAS SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Documentos Complementares 3 Siglas 4 Definições 5 Codificação da Certificação 6 Mecanismo de Avaliação

Leia mais

REQUISITOS PARA RECONHECIMENTO DA CONFORMIDADE PARA CABOS PROFIBUS PA - DP

REQUISITOS PARA RECONHECIMENTO DA CONFORMIDADE PARA CABOS PROFIBUS PA - DP Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o Programa de Reconhecimento da Conformidade de Cabos Profibus PA e Profibus DP, atendendo aos requisitos técnicos, visando garantir a segurança na utilização

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... 3. 4. Referências... 3. 5. Definições... 3

SUMÁRIO. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... 3. 4. Referências... 3. 5. Definições... 3 Página 1 de 29 SUMÁRIO 1. Histórico de mudanças... 2 2. Escopo... 3 3. Manutenção... 3 4. Referências... 3 5. Definições... 3 6. Qualificação da equipe de auditores... 5 7. Condições gerais... 5 7.1 Autorização

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM PRODUTOS

INSTITUTO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM PRODUTOS PROCEDIMENTO PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE COLCHÕES E COLCHONETES DE ESPUMA FLEXÍVEL DE POLIURETANO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Documentos Complementares 3 Definições 4 Codificação da Certificação 5 Mecanismo

Leia mais

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Administração Empresarial Ltda. Caso tenha necessidade de orientações

Leia mais

Certificação de Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado

Certificação de Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado Pág. Nº 1/26 SUMÁRIO Histórico das revisões 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Siglas 5 Descrição do processo de certificação 6 Manutenção da certificação 7 Marcação dos produtos certificados

Leia mais

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia,Normalização e Qualidade Industrial - Inmetro Portaria n.º 158, de 29 de agosto de 2005. O PRESIDENTE

Leia mais

PC-HK-002 PROCEDIMENTO DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS BRINQUEDOS

PC-HK-002 PROCEDIMENTO DE CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS BRINQUEDOS 1 OBJETIVO Este procedimento estabelece os critérios para certificação de, através do mecanismo de certificação compulsória, atendendo aos requisitos do Regulamento de Avaliação da Conformidade anexo à

Leia mais

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... Página 1 de 22 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... 4 7. CONDIÇÕES GERAIS... 4 8. SELO

Leia mais

Portaria n.º 501, de 29 de dezembro de 2011.

Portaria n.º 501, de 29 de dezembro de 2011. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA INMETRO Portaria n.º 501, de 29 de dezembro de 2011. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA

Leia mais

Portaria n 230, de 17 de agosto de 2009.

Portaria n 230, de 17 de agosto de 2009. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n 230, de 17 de agosto de 2009.

Leia mais

Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014.

Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Certificação de reatores eletrônicos para lâmpadas fluorescentes

Certificação de reatores eletrônicos para lâmpadas fluorescentes 1/26 Palavras-chave: Certificação, reatores. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Referências 1 Objetivo Este Procedimento tem como objetivo

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...4

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 Página 1 de 22 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...5 8.

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... 3. 4. Referências... 3. 5. Definições... 3

SUMÁRIO. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... 3. 4. Referências... 3. 5. Definições... 3 Página 1 de 28 SUMÁRIO 1. Histórico de mudanças... 2 2. Escopo... 3 3. Manutenção... 3 4. Referências... 3 5. Definições... 3 6. Qualificação da equipe de auditores... 5 7. Condições gerais... 5 7.1 Autorização

Leia mais

Considerando o disposto na Resolução ANTT nº 701, de 25 de agosto de 2004, que altera a Resolução ANTT nº 420, de 12 de fevereiro de 2004;

Considerando o disposto na Resolução ANTT nº 701, de 25 de agosto de 2004, que altera a Resolução ANTT nº 420, de 12 de fevereiro de 2004; Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior- MDIC Instituto Nacional de Metrologia Normalização e Qualidade Industrial - Inmetro Portaria nº 10, de 24 de janeiro de 2006. O PRESIDENTE

Leia mais

PCP 001 Tanques de Armazenamento Subterrâneo de Combustíveis.

PCP 001 Tanques de Armazenamento Subterrâneo de Combustíveis. rev 06 06/01/2016 Aprovado por PAG 1 / 10 1 OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo estabelecer as condições para a avaliação da conformidade do produto tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 536, de 21 de outubro de 2015. O PRESIDENTE

Leia mais

Certificação de Artigos Escolares

Certificação de Artigos Escolares Pág.: 1/44 Elaboração / Revisão Análise Crítica e Aprovação Data Clider Silva Gerente Técnico Fabio Eduardo Barbosa Executivo Sênior 19/09/2014 1. OBJETIVO E ESCOPO DE APLICAÇÃO Estabelecer as diretrizes

Leia mais

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...

1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... Página 1 de 23 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...5 7. CONDIÇÕES GERAIS...5 8. SELO DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Certificação de sacolas plásticas impressas tipo camiseta

Certificação de sacolas plásticas impressas tipo camiseta Pág. Nº 1/13 SUMÁRIO Histórico das revisões 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Siglas 5 Descrição do processo de certificação 6 Manutenção da certificação 7 Marcação dos produtos certificados

Leia mais

BICICLETAS DE USO INFANTIL

BICICLETAS DE USO INFANTIL Página: 1/12 Elaborado por: Maria Lucia Hayashi Verificado por: João Gustavo L. Junqueira Aprovado por: Regina Toscano Data Aprovação: 10/12/2013 1 OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares

Leia mais

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 130, de 31 de julho de 2003. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

Portaria n.º 093, de 12 de março de 2007.

Portaria n.º 093, de 12 de março de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 093, de 12 de março de 2007.

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 Página 1 de 25 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... 5 7. CONDIÇÕES GERAIS... 5 8. SELO

Leia mais

Portaria n.º 262, de 12 de Julho de 2007.

Portaria n.º 262, de 12 de Julho de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 262, de 12 de Julho de 2007.

Leia mais

1º ENCONTRO NACIONAL DO PSQ ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO 2015

1º ENCONTRO NACIONAL DO PSQ ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO 2015 1º ENCONTRO NACIONAL DO PSQ ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO 2015 FABRICANTES, LOJISTAS, CONSTRUTORAS E CONSUMIDORES 1º ENCONTRO NACIONAL DO PSQ ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO 2015 PSQ Esquadrias de Alumínio 2015 Alberto

Leia mais

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 013, de 13 de janeiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

COMPLEMENTO. INTERRUPTORES E/OU DISJUNTORES A CORRENTES DIFERENCIAIS E RESIDUAIS PARA USO DOMÉSTICO E ANÁLOGO IDR s e DDR s (RCCB S e RCBO S)

COMPLEMENTO. INTERRUPTORES E/OU DISJUNTORES A CORRENTES DIFERENCIAIS E RESIDUAIS PARA USO DOMÉSTICO E ANÁLOGO IDR s e DDR s (RCCB S e RCBO S) COMPLEMENTO INTERRUPTORES E/OU DISJUNTORES A CORRENTES Doc: 702-CRC-008 Revisão: 02 Página: 1/19 Elaborado por: Laércio dos Santos Verificado por: Karen Carolina Martins Nelson Coelho Aprovado por: Nelson

Leia mais

Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de 2011.

Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de 2011. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 54, de 13 de fevereiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

PCP 006 Componentes dos Sistemas de Descarga e de Abastecimento de Combustíveis.

PCP 006 Componentes dos Sistemas de Descarga e de Abastecimento de Combustíveis. rev 02 02/02/2016 Aprovado por PAG 1 / 16 1 OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo estabelecer as condições para a avaliação dos componentes dos sistemas de descarga e de abastecimento de combustíveis,

Leia mais

Portaria n.º 162, de 05 de abril de 2012.

Portaria n.º 162, de 05 de abril de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA INMETRO Portaria n.º 162, de 05 de abril de 2012. O Presidente

Leia mais

Portaria n.º 289, de 06 de outubro de 2009.

Portaria n.º 289, de 06 de outubro de 2009. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 289, de 06 de outubro de

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA. Art. 5º - Publicar esta Portaria de Consulta Pública no Diário Oficial da União, quando iniciará a sua vigência.

CONSULTA PÚBLICA. Art. 5º - Publicar esta Portaria de Consulta Pública no Diário Oficial da União, quando iniciará a sua vigência. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n º 105, de 02 de junho de 2005 CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE VÁLVULAS INDUSTRIAIS NBR-15.827:2007

CERTIFICAÇÃO DE VÁLVULAS INDUSTRIAIS NBR-15.827:2007 SGS do Brasil CERTIFICAÇÃO DE VÁLVULAS INDUSTRIAIS NBR-15.827:2007 No. Revisão Data IND-3039/2008 12 18/05/2012 MANUAL DE INSTRUÇÕES INDUSTRIAL Autor Aprovado Por Fabiane Vencato Marcelo Stenzel PROCEDIMENTO

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DE ACORDO COM A NBR ISO 9001

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DE ACORDO COM A NBR ISO 9001 PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DE ACORDO COM A NBR ISO 9001 1 OBJETIVO Este procedimento estabelece os requisitos para Avaliação da Conformidade para Sistemas

Leia mais

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade Pág. 1 de 12 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é o de estabelecer os critérios de certificação da ABRACE, para prestação de serviços de avaliação da conformidade e certificação de Sistemas de Gestão.

Leia mais

Portaria n.º 031, de 18 de janeiro de 2007. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 031, de 18 de janeiro de 2007. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 031, de 18 de janeiro de

Leia mais

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014.

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria n.º 269, de 21 de junho de 2011.

Portaria n.º 269, de 21 de junho de 2011. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 269, de 21 de junho de 2011.

Leia mais

Histórico das Revisões

Histórico das Revisões PSQM-DO-007 05 Regulamento para Uso de Certificado e Logomarca 1/15 Histórico das Revisões Revisão Itens Alterados Elaboração Análise Critica/Aprovação Data 01 Emissão Inicial Assessora da Qualidade Executivo

Leia mais

Ministério da Justiça

Ministério da Justiça Ministério da Justiça Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO Portaria nº 47, de 13 de março de 1992 O Presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização

Leia mais

Processo de Certificação PGMQ -TV RSQM-DO-028-04-DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO

Processo de Certificação PGMQ -TV RSQM-DO-028-04-DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO Processo de Certificação PGMQ -TV O que é OCC? Organismos de Certificação Credenciado (Acreditado) pela CGCRE Conduzem e concedem a certificação de conformidade, com base em normas nacionais, regionais,

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA. Art. 3º Informar que as críticas e sugestões, a respeito da proposta de texto, deverão ser encaminhadas para os seguintes endereços:

CONSULTA PÚBLICA. Art. 3º Informar que as críticas e sugestões, a respeito da proposta de texto, deverão ser encaminhadas para os seguintes endereços: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior- MDIC Instituto Nacional de Metrologia Normalização e Qualidade Industrial - Inmetro Portaria nº 21, de 01 de fevereiro de 2006. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. SIGLAS E DEFINIÇÕES...4

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. SIGLAS E DEFINIÇÕES...4 INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA DISPOSITIVO INTEGRADO A BASE Página 1 de 20 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS...3 5. SIGLAS E DEFINIÇÕES...4 6. QUALIFICAÇÃO

Leia mais

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Artigo 1 - Objetivo do documento 1.1. Este documento tem como objetivo regulamentar as atividades para credenciamento de uma empresa no Selo Excelência ABCEM.

Leia mais

Portaria n.º489, de 4 de novembro de 2014. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Aperfeiçoamento dos Requisitos de Avaliação da Conformidade para Brinquedos

Portaria n.º489, de 4 de novembro de 2014. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Aperfeiçoamento dos Requisitos de Avaliação da Conformidade para Brinquedos Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º489, de 4 de novembro de 2014. CONSULTA

Leia mais

Regulamento de Certificação de Brinquedos

Regulamento de Certificação de Brinquedos Pág.: 1/31 Elaboração Análise Crítica Aprovação Priscilla Siqueira Marques Representante da Direção Clider Adriane de Sousa Silva Gerente de Certificação Fabio Eduardo de Freitas Barbosa Executivo Sênior

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E/OU AMBIENTAL (ISO 9001 / 14001) Palavra chave: certificação, qualidade, meio ambiente, ISO, gestão

CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E/OU AMBIENTAL (ISO 9001 / 14001) Palavra chave: certificação, qualidade, meio ambiente, ISO, gestão 1 de 8 1. OBJETIVO Estabelecer o processo para concessão, manutenção, extensão, suspensão e cancelamento de certificações de Sistema de Gestão da Qualidade, conforme a Norma NBR ISO 9001 e Sistema de Gestão

Leia mais

Complemento de Regra de Certificação VIDRO DE SEGURANÇA. Elaborado por: Joe Luiz Tolezano Verificado por: Karen Martins

Complemento de Regra de Certificação VIDRO DE SEGURANÇA. Elaborado por: Joe Luiz Tolezano Verificado por: Karen Martins Página: 1/24 Elaborado por: Joe Luiz Tolezano Verificado por: Karen Martins Aprovado por: Arnaldo Barbulio Filho Data Aprovação: 05/07/2013 1. OBJETIVOS Estabelecer os requisitos mínimos para o Programa

Leia mais

Portaria n.º 350, de 06 de setembro de 2010.

Portaria n.º 350, de 06 de setembro de 2010. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 350, de 06 de setembro de

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção...

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... Página 1 de 8 SUMÁRIO 1. Histórico de mudanças... 2 2. Escopo... 3 3. Manutenção... 3 4. Referências... 3 5. Definições... 3 6. Qualificação da equipe de auditores... 3 7. Condições gerais... 3 7.1 Selo

Leia mais

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Serviços Ltda. Caso tenha necessidade de orientações sobre o assunto contido nesta

Leia mais

Portaria n.º 153, de 28 de maio de 2009.

Portaria n.º 153, de 28 de maio de 2009. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 153, de 28 de maio de 2009.

Leia mais

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas Pág. Nº 2/10 0 Introdução O programa de Rotulagem Ambiental da ABNT foi desenvolvido para apoiar um esforço contínuo para melhorar e/ou manter a qualidade ambiental por meio da redução do consumo de energia

Leia mais

Portaria n.º 615, de 12 de novembro de 2012

Portaria n.º 615, de 12 de novembro de 2012 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 615, de 12 de novembro de 2012 O PRESIDENTE

Leia mais

Art. 1º Dar nova redação aos art. 4º e 5º da Portaria Inmetro n.º 105/2012, que passarão a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º Dar nova redação aos art. 4º e 5º da Portaria Inmetro n.º 105/2012, que passarão a vigorar com a seguinte redação: Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 184, de 31 de março de 2015. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 313, de 15 de junho de 2012. CONSULTA

Leia mais

Portaria n.º 372, de 17 de julho de 2012.

Portaria n.º 372, de 17 de julho de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 372, de 17 de julho de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria n.º 605, de 12 de dezembro de 2013. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 605, de 12 de dezembro de 2013. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO ETERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 605, de 12 de dezembro de 2013. CONSULTA

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 55, de 13 de fevereiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria n.º 482, de 07 de dezembro de 2010

Portaria n.º 482, de 07 de dezembro de 2010 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 482, de 07 de dezembro de

Leia mais

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 109, de 13 de junho de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER 1. Introdução A Certificação do Selo Ecológico Falcão Bauer possui caráter voluntário e visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação do diferencial ecológico apresentado

Leia mais

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ICQ BRASIL OCS Organismo de Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade, acreditado pelo INMETRO para certificação de terceira parte, em conformidade com a norma da Série NBR ISO 9000, a ser usada

Leia mais

Portaria n.º 334, de 24 de agosto de 2010. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 334, de 24 de agosto de 2010. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 334, de 24 de agosto de 2010.

Leia mais

REGISTRO DO PRODUTO, SELO DE IDENTIFICAÇÃO,

REGISTRO DO PRODUTO, SELO DE IDENTIFICAÇÃO, INTERFACE PROCESSO NÚMERO REVISÃO 02 TÍTULO : CERTIFICAÇÃO E USO DE LICENÇA, CERTIFICAÇÃO/MARCAS DE CONFORMIDADE. DATA DE APROVAÇÃO INICIAL 08/04/2013 REVISÃO ATUAL 09/12/2013 APROVAÇÃO FÁBIO CAMPOS FATALLA

Leia mais

Considerando a necessidade de zelar pela eficiência energética e segurança elétrica dos Condicionadores de Ar;

Considerando a necessidade de zelar pela eficiência energética e segurança elétrica dos Condicionadores de Ar; Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 643, de 30 de novembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 075, de 15 de maio de 2003. O PRESIDENTE DO

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 9 1. OBJETIVO: Este procedimento estabelece o processo para concessão, manutenção, extensão e exclusão da certificação de Sistema de Gestão de Segurança da Informação, em conformidade com norma ABNT

Leia mais

Portaria n.º 282, de 07 de agosto de 2008. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível

Portaria n.º 282, de 07 de agosto de 2008. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para Etanol Combustível Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 282, de 07 de agosto de 2008

Leia mais

comparações interlaboratoriais propostos pelo MAPA e avaliação do desempenho dos técnicos do laboratório em treinamentos.

comparações interlaboratoriais propostos pelo MAPA e avaliação do desempenho dos técnicos do laboratório em treinamentos. ANEXO CRITÉRIOS PARA CREDENCIAMENTO, RECONHECIMENTO, EXTENSÃO DE ESCOPO E MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA Art. 1º Os critérios constantes deste

Leia mais

Mecanismos de controle para a Garantia da Qualidade Orgânica

Mecanismos de controle para a Garantia da Qualidade Orgânica Mecanismos de controle para a Garantia da Qualidade Orgânica Experiência do Brasil e proposta de uso para IG/DO 2º Taller Regional TCP/RLA/3211 Calidad de los alimentos vinculada al origen y las tradiciones

Leia mais

Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de 2011.

Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de 2011. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de

Leia mais

CARTILHA PARA O USO DA MARCA

CARTILHA PARA O USO DA MARCA Página 1 de 11 PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO Este procedimento é parte integrante do Sistema de Gestão da Qualidade da BRICS. Quando disponível em domínio público, está sujeito a alterações sem aviso

Leia mais

Considerando a importância de que tais componentes, comercializados no país, apresentem requisitos mínimos de segurança;

Considerando a importância de que tais componentes, comercializados no país, apresentem requisitos mínimos de segurança; Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 388, de 24 de julho de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria n.º 454, de 01 de dezembro de 2010

Portaria n.º 454, de 01 de dezembro de 2010 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 454, de 01 de dezembro de

Leia mais

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade Pág. 1 de 15 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é o de estabelecer os critérios de certificação da ABRACE, para prestação de serviços de avaliação da conformidade e certificação de Sistemas de Gestão.

Leia mais

Entidade Setorial Nacional Mantenedora

Entidade Setorial Nacional Mantenedora Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Nacional da Indústria Cerâmica ANICER Santa Luzia, 651, 12º andar Centro - Rio de Janeiro / RJ Tel/Fax: (21) 2524-0128 Site: www.anicer.com.br E-mail:

Leia mais