CONHECIMENTO DE PROFESSORES DE 1º A 5 ANO SOBRE O TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONHECIMENTO DE PROFESSORES DE 1º A 5 ANO SOBRE O TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE"

Transcrição

1 CONHECIMENTO DE PROFESSORES DE 1º A 5 ANO SOBRE O TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE Resumo VANESSA APARECIDA PELUCCIO DE AZEVEDO ( UNESP- Marilia ) SABRINA ALVES DIAS ( UNESP- Marília) REGINA KEIKO MIURA ( UNESP Marília) O referente trabalho buscou levantar o conhecimento de professores do 1 ao 5 ano sobre o Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e como trabalham com esses alunos em sala de aula. Participaram desse estudo 10 professores de uma escola da rede regular de ensino de uma escola do interior paulista. A técnica de coleta de dados utilizada foi a entrevista semiestruturada. As informações obtidas possibilitaram identificar que a maioria dos professores tem pouco conhecimento sobre TDAH, ou desconhece a origem ou nunca receberam orientações e capacitação sobre o assunto, com exceção dois sujeitos que relatam saber um pouco devido a palestras e pequenos cursos. Esse trabalho permitiu identificar a necessidade de estudos acerca do TDAH dentro do ambiente escolar, capacitando e orientando pais e professores para trabalhar com alunos com esse diagnóstico. Introdução O TDAH teve seu primeiro relato na literatura em 1865, na poesia de um médico alemão, mas foram George Still e Alfred Tredgold os primeiros autores a mencionar clinicamente o que mais se parece com o TDAH. Still (1902) descreveu 43 crianças que apresentavam dificuldades sérias para manter a atenção, segundo ele essas crianças tinham dificuldade para manter o controle moral do comportamento, algumas delas para ele tinham adquirido esse defeito devido a uma doença cerebral aguda. Esse autor também descobriu as mesmas características em crianças com inteligência dita normal, fato demonstrado em 20 dos 43 casos analisados. Entre os anos de 1917 e 1918 foram encontrados crianças com sintomas de inquietação, desatenção, impulsividade e hipertatividade após contraírem encefalite (BARKLEY, 2008). De acordo com a descrição de Barkley (2008, p.19): Na década de 50, os pesquisadores começaram diversas investigações sobre os mecanismos neurológicos por trás desses sintomas comportamentais, cujo mais famoso provavelmente seja o de Laufer e colaboradores (1957). Esses autores se referiam as crianças com TDAH como indivíduos com um transtorno de impulso hipercinético e postularam que a deficiência no sistema nervoso central ocorria na área talâmica, onde haveria pouca filtração dos estímulos, permitindo que um excesso de estimulação chegasse ao cérebro. O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM- II American Pyschiatric Association, 1968, p.50) definiu a hiperatividade oficialmente como um transtorno de reação hipercinética, benigno, onde o sujeito apresenta muita atividade, inquietação, distração e com 2220

2 provável diminuição até a adolescência. No início dos anos 80 foi publicado o DSM -III (American Pyschiatric Association, 1980) alterando o diagnóstico de reação hipercinética da infância para TDA. Em 1987 foi publicada uma revisão do DSM -III (American Pyschiatric Association) onde foram estipulados novos critérios diagnósticos para o TDA + H (BARKLEY, 2008). Conforme Barkley (2008, p.31-32): Os novos critérios diagnósticos eram notáveis não apenas por sua maior ênfase na desatenção e impulsividade como aspectos definidores do transtorno, mas também por sua criação de listas de sintomas muito mais específicas, um ponto de corte explícito para os sintomas, diretrizes específicas para a idade de início e duração dos sintomas e exigência de exclusão de outras condições psiquiátricas da infância como explicação para os sintomas. Os instrumentos utilizados na atualidade para diagnosticar o Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade são o DSM- IV (American Pyschiatric Association, 1994) e o CID- 10 (Classificação Internacional de Doenças). O DSM -IV (1994) emprega a terminologia de TDA/H e descreve como: Um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade, mais freqüente e severo do que aquele tipicamente observado em indivíduos em nível equivalente de desenvolvimento, os sintomas hiperativo-impulsivos que causam prejuízo devem ter estado presentes antes dos 7 anos, mas muitos indivíduos são diagnosticados depois, após a presença dos sintomas por alguns anos. Ele também divide o TDAH em subtipos: Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade, tipo Combinado; Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade, tipo Predominantemente Desatento; Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade, tipo Predominantemente Hiperativo-Impulsivo. Barkley (2002, 2008) define o TDAH como um transtorno comportamental real que envolve problemas com os períodos de atenção, de controle de impulso e com o nível de atividade, as conseqüências desses fatores refletem diretamente na vida de um sujeito, principalmente das crianças. Ao longo do século XX ocorreram vários estudos com relação aos fatores neurológicos e essas pesquisas têm em comum os sintomas e as lesões produzidas nos lobos frontais, mas especificamente no córtex pré-frontal. Esses pesquisadores relatam que crianças e adultos com lesões nessa área apresentam déficit na atenção prolongada, inibição, regulação da emoção e motivação, e na capacidade de organizar o comportamento ao longo do tempo. Barkley (2008) faz uma distinção entre sintomas e comprometimento, segundo ele o sintoma se refere a um comportamento ou respostas comportamentais e o comprometimento corresponde às conseqüências ou resultados dos sintomas. Os sintomas do TDAH são: 2221

3 Desatenção, que são identificadas pela dificuldade de manter a atenção a detalhes; cometer erros por descuido; não conseguir seguir regras e instruções, começar e não terminar uma tarefa; ser desorganizado; evitar atividades que exijam um esforço mental continuado; perder coisas importantes; distrai-se com facilidade com coisas que não têm nada a ver com o que está fazendo; esquecer compromissos e tarefas; Hiperatividade pode ser compreendida por uma inquietação motora e apresentam os comportamentos de ficar mexendo as mãos e os pés quando sentado; não parar sentado por muito tempo; pular e correr excessivamente em situações inadequadas; ser barulhento para jogar ou divertir-se; ser muito agitado; falar demais; Impulsividade é o fato de agir sem pensar nas consequências e é observado por responder perguntas antes de terem sido terminadas; ter dificuldade de esperar a sua vez e intrometer-se em conversas ou jogos dos outros. De acordo Graeft e Vaz (2008): Abordagens científicas atuais sugerem que as dificuldades referentes a parar, pensar, planejar e depois agir, estratégias que são usadas para autocontrole, estão ligadas a um déficit importante no mecanismo de inibição do comportamento. Essa dificuldade pode prejudicar significativamente o gerenciamento de ações, ou seja, a criança com TDAH possui uma falha no autocontrole, a qual impossibilita que ela gerencie seus comportamentos de forma tão eficaz como as outras. O diagnóstico do TDAH, segundo pesquisas é bem polêmico e complexo, existem muitas discussões de qual seria o melhor critério para diagnosticar. Caliman (2008) em seu artigo descreve que muitos fatores têm feito com que o diagnóstico de TDAH seja descrito como uma polêmica internacional, segundo a autora alguns fatos têm contribuído para essas suspeitas, como, o aumento de casos e consequentemente uma grande quantidade de prescrição de medicamentos e de pessoas que com base em evidências do diagnóstico pleiteiam o direito a educação especial e privilégios no ambiente de trabalho. O diagnóstico, não é algo simples e deveria envolver uma equipe de profissionais especializados, mas a realidade brasileira é outra, poucos são profissionais aptos para atender a todos os sujeitos apresentam os sintomas. A participação dos pais e responsável pela criança ou adolescente é muito importante, esses podem buscar em livros, artigos e sites relacionados ao tema informações relevantes e modelos de questionários que envolvam a observação do comportamento. O profissional ao avaliar uma criança com hipótese de TDAH tem que além da análise criteriosa das informações levantadas pelos responsáveis; uma entrevista clínica com os pais e a criança; exame clínico; entrevista com os professores da criança e preenchimento pelos professores da escala de comportamento (Barkley, 2002). Posteriores ao diagnóstico são necessárias intervenções psicoterápica e pedagógica, um esclarecimento familiar tirando todas as dúvidas, uso de medicação e orientações sobre o manejo do comportamento pela família e professores. O uso do medicamento pode ocasionar melhoras significativas, mas terá um melhor resultado quando somados as demais intervenções. O quadro 1 descreve os medicamentos utilizados no tratamento de sujeitos com TDAH. 2222

4 Quadro 1- Medicamentos utilizados no tratamento do TDAH NOME QUÍMICO Metilfenidato (ação curta) NOME COMERCIAL DOSAGEM MEDICAMENTOS DE PRIMEIRA LINHA Ritalina 5 a 20mg de 2 a 3 vezes ao dia DURAÇÃO DO EFEITO 3 a 5 horas Metilfenidato (ação prolongada) Concerta Ritalina LA 18 a 72mg pela manhã 20 a 40mg pela manhã Cerca de 12 horas Cerca de 8 horas Atomoxetina Strattera 10,18,25,40 e 60mg 1 vez ao dia Cerca de 24 horas MEDICAMENTOS DE SEGUNDA LINHA (não são a primeira opção) Imipramina (antidepressivo) Nortriptilina (antidepressivo) Bupropiona (antidepressivo) Clonidina (medicamento anti-hipertensivo) Fonte: Tofranil Pamelor Wellbutrin SR Atensina 2,5 a 5mg por kg de peso divididos em 2 doses 1 a 2,5mg por kg de peso divididos em 2 doses 150mg 2 vezes ao dia 0,05mg ao deitar ou 2 vezes ao dia 12 a 24 horas Caliman (2008), em seu estudo descreve a preocupação com o aumento do número de crianças e adolescentes que fazem o uso de medicamentos específicos para o TDAH. Relata ainda que em 1999 os Estados Unidos consumiram 85% da produção mundial do medicamento metilfenidato e o mais preocupante é que os consumidores eram formados por crianças e adolescentes. Na Alemanha em 2004 cerca de 500 mil crianças já haviam sido diagnosticadas com esse transtorno. No Brasil diferentes reportagens também relatam a preocupação com o aumento das vendas do medicamento Ritalina nos últimos cinco anos. Gomes et al (2007) realizaram um estudo no Brasil acerca do conhecimento de médicos, psicólogos e educadores sobre os aspectos clínicos do transtorno. Participaram dessa pesquisa indivíduos de diferentes regiões do país, os resultados demonstraram que em todos os grupos entrevistados tinham respostas sem fundamento científico que poderiam contribuir para um diagnóstico e tratamento inadequado. Um dos grandes problemas para um diagnóstico adequado no Brasil é a falta de conhecimento sobre o transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. Gomes et al (2007), em sua pesquisa constataram a necessidade de um programa de capacitação e educação continuada para profissionais que atuam com o TDAH e orientações contínuas para pais e escolas. 2223

5 A hipertatividade é bem comum no ambiente escolar, mas infelizmente estudos demonstram que a escola não sabe como atuar com essas crianças e com as que apresentam qualquer um dos subtipos de TDAH. Pensando nos alunos com TDAH, o referente trabalho buscou levantar o conhecimento de professores do 1 ao 5 ano sobre o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e como trabalham com esses alunos em sala de aula Método Participantes Participaram desse estudo nove professores de 1 a 5 ano de uma escola da rede pública de ensino. O quadro abaixo descreve uma breve caracterização dos professores participantes. Quadro 2- Caracterização dos professores participantes da pesquisa Local Sexo Formação Básica Formação específica Tempo que leciona P1 F Magistério Não tem 4 anos P2 F Pedagogia Psicopedagogia 6 anos P3 F Pedagogia Psicopedagogia 8 anos P4 F Pedagogia Não tem 8 anos P5 F Pedagogia Não tem 9 anos P6 F Magistério Não tem 10 anos P7 F Magistério Não tem 14 anos P8 F Pedagogia Não tem 14 anos P9 F Pedagogia Psicopedagogia 17 anos P10 F Pedagogia Psicopedagogia 20 anos Para o estudo foi selecionada uma escola da rede municipal de ensino, localizada em uma cidade do interior paulista, o quadro 2 apresenta dados sobre a escola participante da pesquisa. Quadro 2-Distribuição das turmas por ano e período Ano ou série Quantidade de turmas Manhã Tarde 1º ano 1 2 2º ano 2 3 3ano 2 3 4ano 3 3 5ano 4 2 Total

6 A escola atende no total 680 alunos com idade de 5 a 11 anos, têm o seu funcionamento no período diurno distribuídos entre manhã e tarde, segue abaixo uma tabela relatando a distribuição de números de salas por período. Os dados foram levantados apenas dos professores do período da tarde devido à facilidade de contato com os mesmos e de um retorno mais rápido das informações solicitadas. O instrumento utilizado foi a entrevista semi-estruturada por ser uma técnica que permite uma interação direta entre pesquisador e entrevistado, onde é possível levantar outras informações do entrevistado durante a entrevista, como os gestos, e expressões não verbais. (MANZINI, 1991; GIL, 1999). As entrevistas foram realizadas em uma escola da rede regular de ensino de uma cidade do interior paulista, em um horário previamente combinado com os participantes, ficando claro que não será divulgada a identidade dos entrevistados e que as informações coletadas serão utilizadas apenas para fins científicos. Resultados e discussão Com relação as informações dos professores sobre o TDAH, foi possível observar que a maioria tem pouco conhecimento ou desconhece a origem ou nunca receberam orientações ou capacitação sobre o assunto, com exceção dois sujeitos que relatam saber um pouco devido a palestras e pequenos cursos, conforme descreve o quadro 2. Quadro 2- Relato dos professores sobre o Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) Respostas Questões Sim não Tem conhecimento da origem do TDAH? 1 9 Você tem algum aluno diagnosticado com TDAH? 2 8 Aluno em suspeita que tenha o TDAH? 8 2 Sabe a diferença entre dificuldade e transtorno de 4 6 aprendizagem Já recebeu algum tipo de capacitação sobre o que é TDAH 2 8 e como trabalhar com alunos que tenha esse transtorno? Apesar da pequena quantidade de sujeitos, é possível com observar a necessidade de um programa de capacitação de professores não apenas sobre a definição e origem do TDAH, mas também informações relevantes que irão ajudar o professor a estabelecer ações pedagógicas para melhorar a qualidade de aprendizagem desse aluno. Outro dado importante demonstrado no quadro é que um número significativo de professores não tem conhecimento da origem, não sabem a diferença entre dificuldade de aprendizagem e transtorno de aprendizagem e mesmo assim dizem suspeitar de que alunos tenham o TDAH, em nenhum relato houve a recusa de levantar os possíveis casos em sala de aula, mesmo com a pouca informação e o mais preocupante é que a maioria das repostas contém mais de um aluno por turma com hipótese diagnóstica de TDAH. 2225

7 Um fator positivo entre os pesquisados é que grande parte tem conhecimento de alguns dos sintomas do TDAH, principalmente a desatenção, mas não sabem como trabalhar com os alunos para que ocorra a melhora desse quadro e um aumento da atenção do aluno. De acordo com PFIFFNER (2003) muitos professores não têm informações sobre o TDAH ou estão desatualizados, verificou que desconhecem a natureza e consequência para um aluno que tem esse transtorno, por isso não conseguem desenvolver mudanças positivas em sala de aula para modificar os comportamentos inadequados de seu aluno. Algumas ações do professor podem contribuir para o desenvolvimento escolar do aluno, como elogiar os avanços e tentativas da criança manter a atenção; separar um tempo para intervenção individualizada; retomar as regras da sala quando necessário; diminuir o tempo das tarefas; usar sempre que possível o lúdico nas atividades propostas, porque assim o aluno com TDAH conseguirá manter a atenção por um tempo maior; tentar diminuir os estímulos que poderão gerar uma desatenção. O professor poderá fazer um relatório do comportamento do aluno onde poderá observar em que momento os comportamentos de desatenção, hiperatividade e impulsividade estão em maior frequência e definir novas estratégias de manejo do comportamento em sala de aula. Conclusões Esse trabalho permitiu identificar a necessidade de estudos acerca do TDAH dentro do ambiente escolar, capacitando e orientando pais e professores, não somente sobre o que é o TDAH, mas, buscando responder perguntas do tipo, o que fazer quando se tem um aluno com TDAH? Conforme foi relatado um tratamento correto envolve a participação não apenas de profissionais especializado, mas também dos pais e educadores, por esse motivo muitos mitos e crenças acerca desse transtorno devem ser superadas através do conhecimento de informações cientificamente comprovadas. O mais preocupante é a realidade de crianças e adolescentes compreendidos erroneamente devido ao seu comportamento de desatenção, hiperatividade e impulsividade, nas escolas e pela própria sociedade em geral que não tem conhecimento do real problema que eles enfrentam. Referências ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE PSIQUIATRIA. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais, DSM-IV. 4 ed. Porto Alegre: Artmed, BARKLEY, R. A. (Org) Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH): um guia completo para pais, professores e profissionais da saúde. Porto Alegre: Artmed, p. BARKLEY, R. A. (Org) Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH): manual para diagnóstico e tratamento. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, p. BATMAN, B. An educator's view of a diagnostic approach to learning disorders. In: Hellmuth, J. (Ed.) Learning disorders. Seattle: Special Child Publications,

8 CALIMAN, L. V. O TDAH: entre as funções, disfunções e otimização da atenção. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 3, p , set PFIFFNER, L.J. Rumo a escola com o pé direito: administrando a educação de seu filho.in: BARKLEY, R. A. (Org) Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH): um guia completo para pais, professores e profissionais da saúde. Porto Alegre: Artmed, Capítulo 15, p GIL, A. C. Métodos e técnicas da pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1999 GOMES, Marcelo et al. Conhecimento sobre o transtorno do déficit de atenção/ hiperatividade no Brasil. Jornal brasileiro de psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 56, n. 2, p , GRAEFF, R. L.; VAZ, C. E. Avaliação e diagnóstico do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Psicol. USP, vol.19, no. 3, p , set MANZINI, E. J. A entrevista na pesquisa social. Didática. São Paulo, v. 26/27, p , 1990/1991. MOOJEN, S. M.; DORNELES, B. V.; COSTA, A. Avaliação psicopedagógica no TDAH. In: ROHDE, L. A.; MATTOS P. et al. Princípios e práticas em Transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade. Porto Alegre: Artemed, Capítulo 7, p ROHDE, L. A.; MATTOS P. et al. Princípios e práticas em Transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade. Porto Alegre: Artemed, p. 2227

Discentes do curso de psicologia,centro Universitário de Maringá (CESUMAR), Maringá - Pr- Brasil, umbelinajusto@wnet.com.br 2

Discentes do curso de psicologia,centro Universitário de Maringá (CESUMAR), Maringá - Pr- Brasil, umbelinajusto@wnet.com.br 2 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 SINTOMAS DE TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: UMA ANÁLISE SOBRE A UTILIZAÇÃO DE METILFENIDATO NA

Leia mais

Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) Letícia Faria Psicóloga Psicopedagoga Doutoranda da UnB

Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) Letícia Faria Psicóloga Psicopedagoga Doutoranda da UnB Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) Letícia Faria Psicóloga Psicopedagoga Doutoranda da UnB TDAH Alteração estrutural e funcional do cérebro Múltiplas causas transtorno bio-psicossocial

Leia mais

Capacitação docente para atendimento educacional especial:

Capacitação docente para atendimento educacional especial: Capacitação docente para atendimento educacional especial: Dislexia e TDAH Profa. Dra. Ednéia Hayashi Departamento de Psicologia Geral e Análise do Comportamento Membro do NAC 2012 e 2014 *material elaborado

Leia mais

CONHECIMENTO DO PROFESSOR SOBRE TDAH E SUA RELAÇÃO COM O DESEMPENHO ESCOLAR DO ALUNO HIPERATIVO

CONHECIMENTO DO PROFESSOR SOBRE TDAH E SUA RELAÇÃO COM O DESEMPENHO ESCOLAR DO ALUNO HIPERATIVO CONHECIMENTO DO PROFESSOR SOBRE TDAH E SUA RELAÇÃO COM O DESEMPENHO ESCOLAR DO ALUNO HIPERATIVO ALINE OLIVEIRA SALGUEIRO* CLÁUDIA ROBERTA GASPARETTO NÁDIA HARUMI INUMARU RESUMO: O presente trabalho investiga

Leia mais

Apresenta: Apresentação: Thais F., Francine S. R. e Rita (acadêmicas) Orientação: Profa Dra.Patrícia A. Pinheiro Crenitte

Apresenta: Apresentação: Thais F., Francine S. R. e Rita (acadêmicas) Orientação: Profa Dra.Patrícia A. Pinheiro Crenitte Apresenta: Apresentação: Thais F., Francine S. R. e Rita (acadêmicas) Orientação: Profa Dra.Patrícia A. Pinheiro Crenitte Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade É um distúrbio (condição crônica)

Leia mais

A Problemática do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) :

A Problemática do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) : A Problemática do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) : Transtorno de Déficit de Atenção chama a atenção pela sigla TDAH sendo um distúrbio que ocorre em pessoas desde os primeiros

Leia mais

TDAH. Rosania Morales Morroni. Rosana Talarico Pereira. Cintia Souza Borges de Carvalho. http://itaquainclusao.blogspot.com

TDAH. Rosania Morales Morroni. Rosana Talarico Pereira. Cintia Souza Borges de Carvalho. http://itaquainclusao.blogspot.com TDAH Rosania Morales Morroni DIRIGENTE REGIONAL DE ENSINO Rosana Talarico Pereira SUPERVISOR DE ENSINO Cintia Souza Borges de Carvalho PCOP EDUCAÇÃO ESPECIAL http://itaquainclusao.blogspot.com Rede de

Leia mais

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TDAH - EPIDEMIOLOGIA Tx. Varia entre 1,5 5,8% Crianças e adolescentes; Difere

Leia mais

DISLEXIA E TDAH: SUBSÍDIOS ÀS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ERONICE DE SOUZA LEÃO PSICOPEDAGOGA

DISLEXIA E TDAH: SUBSÍDIOS ÀS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ERONICE DE SOUZA LEÃO PSICOPEDAGOGA DISLEXIA E TDAH: SUBSÍDIOS ÀS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ERONICE DE SOUZA LEÃO PSICOPEDAGOGA DISLEXIA E TDAH: SUBSÍDIOS ÀS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NEM TODAS AS DIFICULDADES DE APRENDER SÃO TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM

Leia mais

ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO

ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO ESTUDO DE CASO PSICOPEDAGÓGICO Autora: Suellen Viviane Lemos Fernandes Co-autora: Maria Irene Miranda Bernardes Universidade Federal de Uberlândia suellenped65@hotmail.com Introdução O presente trabalho

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS E O TRANSTORNO DÉFICIT ATENÇÃO HIPERATIVIDADE: RESULTADOS DE UMA PESQUISA

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS E O TRANSTORNO DÉFICIT ATENÇÃO HIPERATIVIDADE: RESULTADOS DE UMA PESQUISA REPRESENTAÇÕES SOCIAIS E O TRANSTORNO DÉFICIT ATENÇÃO HIPERATIVIDADE: RESULTADOS DE UMA PESQUISA Resumo LUFT, Sibila PPGE/UFSM siluft@hotmail.com Eixo Temático: Diversidade e Inclusão Agência Financiadora:

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS E HIPERATIVIDADE: RESULTADOS DE UMA PESQUISA COM PROFESSORAS

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS E HIPERATIVIDADE: RESULTADOS DE UMA PESQUISA COM PROFESSORAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS E HIPERATIVIDADE: RESULTADOS DE UMA PESQUISA COM PROFESSORAS Sibila Luft (Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS) O Transtorno Déficit Atenção/Hiperatividade foi reconhecido

Leia mais

Orientações a respeito do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade

Orientações a respeito do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade Orientações a respeito do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade Nathália Fernandes Andreza Aparecida Polia Ranielí Gonçalves de Souza Halessandra Medeiros O Transtorno do Déficit de Atenção

Leia mais

Comorbidades que podem estar associadas a Dislexia (TDA/TDAH)

Comorbidades que podem estar associadas a Dislexia (TDA/TDAH) Comorbidades que podem estar associadas a Dislexia (TDA/TDAH) Por Ana Luiza Borba Psicóloga e Especialista em Psicopedagogia O aluno com distúrbio de aprendizagem (DA), possui, no plano educacional, um

Leia mais

FRANCIELLE FERNANDA TONZA VASCONCELOS DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: UMA PESQUISA COM NEUROPEDIATRAS E COM PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

FRANCIELLE FERNANDA TONZA VASCONCELOS DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: UMA PESQUISA COM NEUROPEDIATRAS E COM PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL FRANCIELLE FERNANDA TONZA VASCONCELOS DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: UMA PESQUISA COM NEUROPEDIATRAS E COM PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL LONDRINA 2010 FRANCIELLE FERNANDA TONZA VASCONCELOS DÉFICIT

Leia mais

ANÁLISE DE RELATOS DE PAIS E PROFESSORES DE ALUNOS COM DIAGNÓSTICO DE TDAH

ANÁLISE DE RELATOS DE PAIS E PROFESSORES DE ALUNOS COM DIAGNÓSTICO DE TDAH Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 660 ANÁLISE DE RELATOS DE PAIS E PROFESSORES DE ALUNOS COM DIAGNÓSTICO DE TDAH Camila Rodrigues Costa 1, 2 Matheus

Leia mais

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA DO TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA DO TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA DO TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE Setembro 2012 Amanda Souza Fabiane Carvalho Janaína Dias Lídia Costa Alunas do 4º ano de psicologia do Centro Universitário

Leia mais

TEA Módulo 4 Aula 2. Comorbidades 1 TDAH

TEA Módulo 4 Aula 2. Comorbidades 1 TDAH TEA Módulo 4 Aula 2 Comorbidades 1 TDAH É uma das comorbidades mais comuns e mais preocupantes quando se trata do Transtorno do Espectro Autista porque leva a duas coisas fundamentais que podem atrapalhar

Leia mais

UMA VISÃO CLÍNICA DO TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE NA CRIANÇA: REVISÃO

UMA VISÃO CLÍNICA DO TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE NA CRIANÇA: REVISÃO UMA VISÃO CLÍNICA DO TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE NA CRIANÇA: REVISÃO Érika Cristina Moreno 2 ; Priscila Medeiros Araújo 2 ; Romilda Ferreira de Sousa Oliveira 2 ; Rosivânia Barbosa

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: A RELAÇÃO DE PARCERIA ENTRE PROFESSORES QUE TRABALHAM NO MODELO DE ENSINO COLABORATIVO

EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: A RELAÇÃO DE PARCERIA ENTRE PROFESSORES QUE TRABALHAM NO MODELO DE ENSINO COLABORATIVO EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: A RELAÇÃO DE PARCERIA ENTRE PROFESSORES QUE TRABALHAM NO MODELO DE ENSINO COLABORATIVO Patrícia Santos de Oliveira¹ Melina Thais da Silva² RESUMO A proposta de trabalho

Leia mais

PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM TDAH TRANSTORNO DÉFICT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE

PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM TDAH TRANSTORNO DÉFICT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE 44 PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM TDAH TRANSTORNO DÉFICT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE Omaita Silva dos Santos Elaine Cristina Navarro RESUMO Este trabalho apresenta questões sobre o Transtorno de Déficit de

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN INTERVENÇÃO EDUCATIVA INSTITUCIONAL PROJETO PSICOPEDAGÓGICO Justificativa O conhecimento contemporâneo apresenta, entre outras características, as do crescimento acelerado,

Leia mais

19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ

19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ 19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ Waldemar dos Santos Cardoso Junior (Universidade Federal do Pará /Campus Universitário

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O TRABALHO PEDAGÓGICO PARA A CRIANÇA COM TDAH: REVELAÇÕES DO CONTEXTO EDUCACIONAL

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O TRABALHO PEDAGÓGICO PARA A CRIANÇA COM TDAH: REVELAÇÕES DO CONTEXTO EDUCACIONAL A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E O TRABALHO PEDAGÓGICO PARA A CRIANÇA COM TDAH: REVELAÇÕES DO CONTEXTO EDUCACIONAL 1 INTRODUÇÃO Eixo 06: A formação de professores na perspectiva da inclusão Marlene Rodrigues

Leia mais

GESTÃO ESCOLAR: Motivação para melhorar

GESTÃO ESCOLAR: Motivação para melhorar GESTÃO ESCOLAR: Motivação para melhorar Betina Waihrich Teixeira 1 Sandra Maria do Nascimento de Oliveira 2 Resumo: O gestor escolar deve ter uma boa liderança de comunicação, sabendo interagir com sua

Leia mais

DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICA. Disciplina: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E PSICOPATOLOGIA 3 ano/2012

DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICA. Disciplina: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E PSICOPATOLOGIA 3 ano/2012 DEPARTAMENTO DE PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA MÉDICA Disciplina: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E PSICOPATOLOGIA 3 ano/2012 As disciplinas de Psicologia do Desenvolvimento e Psicopatologia são integradas e serão

Leia mais

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA Naiane Novaes Nogueira 1 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB n_n_nai@hotmail.com José

Leia mais

Como lidar com alunos com necessidades especiais?

Como lidar com alunos com necessidades especiais? Como lidar com alunos com necessidades especiais? Ao decorrer deste e-book gratuito, você verá 26 dicas incríveis para aprimorar o seu relacionamento em sala de aula com alunos que possuem necessidades

Leia mais

Guia prático para professores

Guia prático para professores Guia prático para professores Cabeças na lua? Dificuldades de atenção na sala de aula Sugestões práticas da: Como agentes educativos que interagem diariamente com as crianças, os professores desempenham

Leia mais

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Psicofármacos:Transtorno

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO PSICOPEDAGOGIA 1 - JUSTIFICATIVA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO PSICOPEDAGOGIA 1 - JUSTIFICATIVA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO PSICOPEDAGOGIA 1 - JUSTIFICATIVA Atualmente os ambientes educacionais não estão mais localizados somente nas Escolas e/ou Instituições de ensino. Muitas organizações,

Leia mais

A DANÇA E O DEFICIENTE INTELECTUAL (D.I): UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA À INCLUSÃO

A DANÇA E O DEFICIENTE INTELECTUAL (D.I): UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA À INCLUSÃO A DANÇA E O DEFICIENTE INTELECTUAL (D.I): UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA À INCLUSÃO CARNEIRO, Trícia Oliveira / Centro Universitário Leonardo da Vinci SODRÉ, Marta Patrícia Faianca / Universidade do Estado do

Leia mais

CAPÍTULO II: REVISÃO DE LITERATURA. 2.1 Conceito de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

CAPÍTULO II: REVISÃO DE LITERATURA. 2.1 Conceito de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade CAPÍTULO I: INTRODUÇÃO O Transtorno de Déficit de Atenção (TDAH) pode ser definido como um transtorno neurobiológico, normalmente detectado ainda na infância. Podendo ser caracterizada pela desatenção,

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

O QUE É A NEUROPSICOPEDAGOGIA. Neuropsicopedagoga Thaianny Salles. www.grupopsicopedagogiando.com.br

O QUE É A NEUROPSICOPEDAGOGIA. Neuropsicopedagoga Thaianny Salles. www.grupopsicopedagogiando.com.br O QUE É A NEUROPSICOPEDAGOGIA Palestrante: Neuropsicopedagoga Thaianny Salles www.grupopsicopedagogiando.com.br A mente... O cérebro... PRINCIPAIS CONCEITOS NEURO Do grego Neuron, nervo e Logos, estudo.

Leia mais

TÍTULO: AUTISMO INFANTIL: UM ESTUDO DA LEGISLAÇÃO ACERCA DA INCLUSÃO NO ENSINO REGULAR

TÍTULO: AUTISMO INFANTIL: UM ESTUDO DA LEGISLAÇÃO ACERCA DA INCLUSÃO NO ENSINO REGULAR Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: AUTISMO INFANTIL: UM ESTUDO DA LEGISLAÇÃO ACERCA DA INCLUSÃO NO ENSINO REGULAR CATEGORIA: EM

Leia mais

TRABALHO DOCENTE E SAÚDE DO PROFESSOR

TRABALHO DOCENTE E SAÚDE DO PROFESSOR TRABALHO DOCENTE E SAÚDE DO PROFESSOR Carla Roane de Souza Santana¹; Ana Priscila da Silva Lima²; Albertina Marília Alves Guedes³ ¹Aluna do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal do Sertão

Leia mais

LINHA DO TEMPO TDAH ETIOLOGIA PREVALÊNCIA TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE (TDAH) VALIDADE DO DIAGNÓSTICO 23/10/2008

LINHA DO TEMPO TDAH ETIOLOGIA PREVALÊNCIA TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE (TDAH) VALIDADE DO DIAGNÓSTICO 23/10/2008 TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE Dra. Gabriela Dias SANTA CASA GEDA - UFRJ TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO / HIPERATIVIDADE (TDAH) Transtorno neurocomportamental caracterizado por: DESATENÇÃO

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO PSICÓLOGO ESCOLAR E DO PSICOPEDAGOGO NO DIAGNÓSTICO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM. Resumo

CONTRIBUIÇÕES DO PSICÓLOGO ESCOLAR E DO PSICOPEDAGOGO NO DIAGNÓSTICO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM. Resumo DOI: http://dx.doi.org/10.14295/idonline.v6i18.206 66 Interface Educação CONTRIBUIÇÕES DO PSICÓLOGO ESCOLAR E DO PSICOPEDAGOGO NO DIAGNÓSTICO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM Edilândia Carvalho de Sousa

Leia mais

Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados

Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados Por Maria Teresa Somma Com o intuito de entender os motivos que levam franqueados a transferir o seu negócio, foi realizada uma pesquisa exploratória

Leia mais

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ

FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ FACULDADE PORTO DAS MONÇÕES PORTO FELIZ COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA Psicopedagogia Projeto Pedagógico CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA

Leia mais

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014. DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo: MACHADO, Diana dos Santos 1 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Leia mais

Curso de Pedagogia. Estágio curricular. Supervisionado. Manual de Orientações

Curso de Pedagogia. Estágio curricular. Supervisionado. Manual de Orientações Curso de Pedagogia Estágio curricular Supervisionado Manual de Orientações Estágio Curricular Supervisionado Diretor Acadêmico Prof. Dr. Ismael Forte Valentin Coordenadora do Curso de Pedagogia Profa.

Leia mais

Dislexia: Como Suspeitar e Identificar Precocemente o Transtorno na Escola

Dislexia: Como Suspeitar e Identificar Precocemente o Transtorno na Escola Dislexia: Como Suspeitar e Identificar Precocemente o Transtorno na Escola Autor: Telma Pantano Data: 30/12/2009 Releitura realizada por Lana Bianchi e Vera Lucia Mietto. A identificação precoce de um

Leia mais

O PSICÓLOGO (A) E A INSTITUIÇÃO ESCOLAR ¹ RESUMO

O PSICÓLOGO (A) E A INSTITUIÇÃO ESCOLAR ¹ RESUMO O PSICÓLOGO (A) E A INSTITUIÇÃO ESCOLAR ¹ CORRÊA, D. M. W²; SILVEIRA, J. F²; ABAID, J. L. W³ 1 Trabalho de Pesquisa_UNIFRA 2 Psicóloga, graduada no Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria,

Leia mais

ANEXO XI (Retificado no DOU de 18/07/2013, Seção 1, pág 25)

ANEXO XI (Retificado no DOU de 18/07/2013, Seção 1, pág 25) ANEXO XI (Retificado no DOU de 18/07/2013, Seção 1, pág 25) MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL LAUDO DE AVALIAÇÃO AUTISMO (Transtorno Autista e Autismo Atípico) Serviço Médico/Unidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E SOCIEDADE CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA MANUAL DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA Nova

Leia mais

ROTINA DIDÁTICO-PEDAGÓGICA: INSERÇÃO DA CRIANÇA AUTISTA NO CONTEXTO ESCOLAR.

ROTINA DIDÁTICO-PEDAGÓGICA: INSERÇÃO DA CRIANÇA AUTISTA NO CONTEXTO ESCOLAR. ROTINA DIDÁTICO-PEDAGÓGICA: INSERÇÃO DA CRIANÇA AUTISTA NO CONTEXTO ESCOLAR. MONTEIRO, Paola Campolina Graduanda em Pedagogia / Universidade de Brasília AZEVEDO, Sabrina Maria Cezario de Graduanda em Pedagogia

Leia mais

SOFRIMENTO PSÍQUICO NA ADOLESCÊNCIA Marcia Manique Barreto CRIVELATTI 1 Solânia DURMAN 2

SOFRIMENTO PSÍQUICO NA ADOLESCÊNCIA Marcia Manique Barreto CRIVELATTI 1 Solânia DURMAN 2 SOFRIMENTO PSÍQUICO NA ADOLESCÊNCIA Marcia Manique Barreto CRIVELATTI 1 Solânia DURMAN 2 INTRODUÇÃO: Durante muitos anos acreditou-se que os adolescentes, assim como as crianças, não eram afetadas pela

Leia mais

GRUDHE GRUPO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO HUMANO E EDUCAÇÃO

GRUDHE GRUPO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO HUMANO E EDUCAÇÃO GRUDHE GRUPO DE PESQUISA DESENVOLVIMENTO HUMANO E EDUCAÇÃO Introdução do grupo Zena Eisenberg Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio O Grupo de Pesquisa Desenvolvimento Humano e Educação

Leia mais

A APRENDIZAGEM DA ESCRITA PELA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN INSERIDA EM UMA SALA DE AULA REGULAR

A APRENDIZAGEM DA ESCRITA PELA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN INSERIDA EM UMA SALA DE AULA REGULAR A APRENDIZAGEM DA ESCRITA PELA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN INSERIDA EM UMA SALA DE AULA REGULAR RESUMO Mda Maria Karolina de Macêdo Silva / UFRN Profª Drª Luzia Guacira dos Santos Silva / UFRN As escolas

Leia mais

III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS

III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO 1. Há quanto tempo você participa do Programa de bolsa-auxílio do Instituto Girassol? Até 1 ano 3 De 1 a 2 anos 8 De 2 a 3 anos 3 De 2 a 3 anos 21% Até 1 ano 22%

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL: SUBESTRATÉGIA METACOGNITIVA DE PLANEJAMENTO

EDUCAÇÃO INFANTIL: SUBESTRATÉGIA METACOGNITIVA DE PLANEJAMENTO EDUCAÇÃO INFANTIL: SUBESTRATÉGIA METACOGNITIVA DE PLANEJAMENTO BATISTA, Giovani de Paula PUCPR giovanip_batista@hotmail.com GUENO, Renata UFPR renata_gueno@hotmail.com PORTILHO, Evelise Maria Labatut PUCPR

Leia mais

Orientadora, Docente do Curso de Nutrição do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS.

Orientadora, Docente do Curso de Nutrição do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS. ATUAÇÃO INTERDISCIPLINAR PARA PACIENTES COM DIABETES NA ATENÇÃO BASICA UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 1 BOEIRA, Giana 2 ; CADÓ, Thaís 3 ; FRIGO, Letícia 4 ; MANFIO, Francieli 5 ; MATTOS, Karen 6 ; PIAIA, Eveline

Leia mais

A DISLEXIA E A ABORDAGEM INCLUSIVA EDUCACIONAL

A DISLEXIA E A ABORDAGEM INCLUSIVA EDUCACIONAL A DISLEXIA E A ABORDAGEM INCLUSIVA EDUCACIONAL Adriana de Souza Lemos dryycalemos@hotmail.com Paulo Cesar Soares de Oliveira libras.paulo@hotmail.com FACULDADE ALFREDO NASSER RESUMO: O objetivo dessa pesquisa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO A IMPORTÂNCIA DE SE TRABALHAR OS VALORES NA EDUCAÇÃO Eliane Alves Leite Email: li.phn.louvoregloria@hotmail.com Fernanda Cristina Sanches Email: fer_cristina2007@hotmail.com Helena Aparecida Gica Arantes

Leia mais

TÍTULO: RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS ESTUDO DE CASO NO RAMO VAREJISTA DE SUPERMERCADOS NA CIDADE DE SANTA ALBERTINA/SP

TÍTULO: RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS ESTUDO DE CASO NO RAMO VAREJISTA DE SUPERMERCADOS NA CIDADE DE SANTA ALBERTINA/SP TÍTULO: RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS ESTUDO DE CASO NO RAMO VAREJISTA DE SUPERMERCADOS NA CIDADE DE SANTA ALBERTINA/SP CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

HIPERATIVIDADE E O DÉFICIT DE ATENÇÃO NO CONTEXTO ESCOLAR

HIPERATIVIDADE E O DÉFICIT DE ATENÇÃO NO CONTEXTO ESCOLAR HIPERATIVIDADE E O DÉFICIT DE ATENÇÃO NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo Fernanda Cezar de Assis 1 - UEM Maria de Jesus Cano Miranda 2 - UEM Grupo de Trabalho - Educação, Complexidade e transdisciplinaridade Agência

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE TDAH E O ENSINO DE INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA: O DESAFIO DE CONVIVER COM ALUNOS COM DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DAS PRÁTICAS DO YOGA À EDUCAÇÃO

A INTEGRAÇÃO DAS PRÁTICAS DO YOGA À EDUCAÇÃO A INTEGRAÇÃO DAS PRÁTICAS DO YOGA À EDUCAÇÃO Estamos vivendo um momento em nosso planeta em que profissionais de diversas áreas como medicina, tecnologia, administração, enfim todos aqueles que estão preocupados

Leia mais

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Autismo: um olhar pedagógico Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Algumas reflexões iniciais: Primeiramente, é importante dizer que não há respostas prontas para todas as questões

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e; RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011 Institui os procedimentos e orientações para Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva no Sistema Municipal de Ensino de Manaus. O CONSELHO

Leia mais

Manual da Pós-graduação em Psicopedagogia. Redação: Profa. Dra. Melissa Lucchi

Manual da Pós-graduação em Psicopedagogia. Redação: Profa. Dra. Melissa Lucchi Manual da Pós-graduação em Psicopedagogia Redação: Profa. Dra. Melissa Lucchi São José dos Campos Março de 2016 SUMÁRIO 1 SOBRE O CURSO... 3 2 PÚBLICO-ALVO... 3 3 POR QUE FAZER PÓS-GRADUAÇÃO NA FACULDADE

Leia mais

DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA

DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA Graciane Marchezan do Nascimento Lopes Instituto Federal Farroupilha Câmpus Alegrete Introdução Há um grande número de doenças transmissíveis que causam

Leia mais

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva Pela primeira vez, o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD)

Leia mais

TRAÇOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM SÃO LUÍS- MA: UM DIAGNÓSTICO DO PERFIL SOCIOCULTURAL E EDUCACIONAL DE ALUNOS DAS ESCOLAS PARCEIRAS DO PIBID.

TRAÇOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM SÃO LUÍS- MA: UM DIAGNÓSTICO DO PERFIL SOCIOCULTURAL E EDUCACIONAL DE ALUNOS DAS ESCOLAS PARCEIRAS DO PIBID. TRAÇOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM SÃO LUÍS- MA: UM DIAGNÓSTICO DO PERFIL SOCIOCULTURAL E EDUCACIONAL DE ALUNOS DAS ESCOLAS PARCEIRAS DO PIBID. Resumo Alcenir Amorim de Sousa 1 1 Instituto Federal de educação

Leia mais

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Gisllayne Rufino Souza UFPB gisllayne.souza@gmail.com Profa. Dra. Marlene Helena de Oliveira França UFPB/Centro de Educação/Núcleo

Leia mais

REFLEXÕES INICIAIS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS PARA INCLUIR OS DEFICIENTES AUDITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA.

REFLEXÕES INICIAIS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS PARA INCLUIR OS DEFICIENTES AUDITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA. REFLEXÕES INICIAIS DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS PARA INCLUIR OS DEFICIENTES AUDITIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Ana Caroline Alves Flávia Temponi Góes** Resumo Neste trabalho apresento um estudo acerca

Leia mais

Índice. 1. Distúrbios de Comportamento...3

Índice. 1. Distúrbios de Comportamento...3 GRUPO 5.2 MÓDULO 13 Índice 1. Distúrbios de Comportamento...3 1.1. O que é Comportamento?... 3 1.2. O que é Distúrbio de Comportamento?... 3 1.3. Tipos de Distúrbios de Comportamento... 3 2 1. DISTÚRBIOS

Leia mais

Carla de Carvalho Macedo Silva (CMPDI UFF)

Carla de Carvalho Macedo Silva (CMPDI UFF) CONSTRUÇÃO COLETIVA DO PLANO PEDAGÓGICO INDIVIDUALIZADO: IMPACTO NO PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL EM CLASSES REGULARES. Carla de Carvalho Macedo Silva (CMPDI UFF) Manuel

Leia mais

UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES

UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO MÉDIO ENVOLVENDO FRAÇÕES Taciany da Silva Pereira¹, Nora Olinda Cabrera Zúñiga² ¹Universidade Federal de Minas Gerais / Departamento

Leia mais

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 OBSERVAÇÃO NA ESCOLA Localização da Escola 29/03 16/04 Espaço Físico PPP e o Ensino de Ciências OBSERVAÇÃO NA SALA Relação Professor/Alunos

Leia mais

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA São Paulo SP 04/2012 Categoria: C - Métodos e Tecnologias Setor Educacional: 3 Educação Universitária Natureza do Trabalho:

Leia mais

UM ESTUDO DE CASO SOBRE O TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO/HIPERATIVIDADE - TDAH

UM ESTUDO DE CASO SOBRE O TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO/HIPERATIVIDADE - TDAH CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA - UNICEUB FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO FACE PEDAGOGIA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Maria Dolores Cunha de Sousa UM ESTUDO DE

Leia mais

CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE ANSIEDADE E SUAS POSSIBILIDADES DE APRENDIZAGEM NA ESCOLA POR MEIO DA DESCENTRAÇÃO

CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE ANSIEDADE E SUAS POSSIBILIDADES DE APRENDIZAGEM NA ESCOLA POR MEIO DA DESCENTRAÇÃO CRIANÇAS COM TRANSTORNO DE ANSIEDADE E SUAS POSSIBILIDADES DE APRENDIZAGEM NA ESCOLA POR MEIO DA DESCENTRAÇÃO Geiva Carolina Calsa (DTP/UEM) Telma Cristina Amaral (PG/UEM) Mariana Costa do Nascimento (G/UEM)

Leia mais

TRANSTORNO DE DEFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: IMPLICAÇÕES E DESAFIOS NO ESPAÇO ESCOLAR

TRANSTORNO DE DEFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: IMPLICAÇÕES E DESAFIOS NO ESPAÇO ESCOLAR TRANSTORNO DE DEFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE: IMPLICAÇÕES E DESAFIOS NO ESPAÇO ESCOLAR A.S.S, co-autora UESB/JQ E.O.S.C., co-a utora UESB/JQ G.O.A., co-autora UESB/JQ T.S.N., autora UESB/JQ RESUMO:

Leia mais

PERTURBAÇÃO DE HIPERATIVIDADE E DÉFICE DE ATENÇÃO(PHDA)

PERTURBAÇÃO DE HIPERATIVIDADE E DÉFICE DE ATENÇÃO(PHDA) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA Escola EB 2,3/ES de São Sebastião de Mértola Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial 3º ano Ano Letivo: 2013/2014 Psicopatologia Geral PERTURBAÇÃO DE HIPERATIVIDADE

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO EDUCATIVO DO PROFESSOR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ATENÇÃO E MEMÓRIA

Leia mais

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS.

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS. PRINCIPAIS DIFICULDADES ENFRENTADAS PELOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO CEIPEV. E CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA SUPERÁ-LAS. Fernanda Gabriely Andrade 1 Lindeberg Ventura de Sousa 2 Antônio Gautier Falconiere

Leia mais

Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão. Gerência de Ensino Especial

Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão. Gerência de Ensino Especial Diretrizes Operacionais Referentes à Rede de Apoio à Inclusão Gerência de Ensino Especial I - Equipe multiprofissional Profissionais: psicólogo, fonoaudiólogo, assistente social. Lotação: Nos Centros de

Leia mais

BIODIGITAL: ANÁLISE E PERSPECTIVAS DE UM SITE EDUCACIONAL SOBRE A BIODIVERSIDADE DE ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS.

BIODIGITAL: ANÁLISE E PERSPECTIVAS DE UM SITE EDUCACIONAL SOBRE A BIODIVERSIDADE DE ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS. BIODIGITAL: ANÁLISE E PERSPECTIVAS DE UM SITE EDUCACIONAL SOBRE A BIODIVERSIDADE DE ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS. Mariana Resende de Oliveira Aluna de graduação em Ciências Biológicas Licenciatura, bolsista

Leia mais

Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas. Carmen Lúcia de A. santos

Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas. Carmen Lúcia de A. santos Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Carmen Lúcia de A. santos 2011 Nosologia e Psicopatologia "Psico-pato-logia" "psychê" = "psíquico", "alma" "pathos" = "sofrimento, "patológico" "logos" "lógica",

Leia mais

Fundamentos Teóricos e Práticos. com TDAH e Dislexia

Fundamentos Teóricos e Práticos. com TDAH e Dislexia Fundamentos Teóricos e Práticos no Processo Educativo do Aluno com TDAH e Dislexia Transtornos do Desenvolvimento da Leitura e da Escrita DISLEXIA Aparecimento dos primeiros relatos Crianças com inteligência

Leia mais

O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA

O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA Bruna Tayane da Silva Lima; Eduardo Gomes Onofre 2 1 Universidade Estadual

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA

EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA Rogério Santos Grisante 1 ; Ozilia Geraldini Burgo 2 RESUMO: A prática da expressão corporal na disciplina de Artes Visuais no Ensino Fundamental II pode servir

Leia mais

PESQUISANDO O QUARTEL DO XX:

PESQUISANDO O QUARTEL DO XX: PESQUISANDO O QUARTEL DO XX: Um Olhar Sobre a Experiência de Integração Curricular no Curso de Conservação e Restauro na Modalidade EJA Renata Tavares de Brito Falleti* Diante do contexto pedagógico conflitante

Leia mais

PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING

PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING BR/2007/PI/H/3 PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING Brasília 2007 PESQUISA SAÚDE E EDUCAÇÃO: CENÁRIOS PARA A CULTURA DE PREVENÇÃO NAS ESCOLAS BRIEFING -

Leia mais

DETECÇÃO E INTERVENÇÃO PRECOCE DE PSICOPATOLOGIAS GRAVES

DETECÇÃO E INTERVENÇÃO PRECOCE DE PSICOPATOLOGIAS GRAVES DETECÇÃO E INTERVENÇÃO PRECOCE DE PSICOPATOLOGIAS GRAVES Laura de Vilhena Abrão Paola Visani Esse estudo faz parte de um projeto de pesquisa maior que surgiu a partir de questões que os profissionais e

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL: PRÁTICAS INCLUSIVAS E ARTICULADORAS NA CONTINUIDADE DO ENSINO EM MEIO AO TRABALHO COLABORATIVO

EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL: PRÁTICAS INCLUSIVAS E ARTICULADORAS NA CONTINUIDADE DO ENSINO EM MEIO AO TRABALHO COLABORATIVO EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL: PRÁTICAS INCLUSIVAS E ARTICULADORAS NA CONTINUIDADE DO ENSINO EM MEIO AO TRABALHO COLABORATIVO Janaina Fernanda Gasparoto Fusco Faculdade de ciências/ UNESP-Bauru

Leia mais

OS DESAFIOS DO DIAGNÓSTICO/ IDENTIFICAÇÃO DA SUPERDOTAÇÃO

OS DESAFIOS DO DIAGNÓSTICO/ IDENTIFICAÇÃO DA SUPERDOTAÇÃO OS DESAFIOS DO DIAGNÓSTICO/ IDENTIFICAÇÃO DA SUPERDOTAÇÃO TÂNIA GONZAGA GUIMARÃES SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO DF CONBRASD - SÓCIA FUNDADORA Explorando minhas habilidades Nesta coluna, liste tudo

Leia mais

PROJETO DE INCLUSÃO ESCOLAR. Inclusão escolar de crianças e adolescentes com transtornos psíquicos e problemas em seu desenvolvimento.

PROJETO DE INCLUSÃO ESCOLAR. Inclusão escolar de crianças e adolescentes com transtornos psíquicos e problemas em seu desenvolvimento. PROJETO DE INCLUSÃO ESCOLAR 1 TITULO DO PROJETO: Inclusão escolar de crianças e adolescentes com transtornos psíquicos e problemas em seu desenvolvimento. 2 SUMÁRIO: Atualmente muito se tem incentivado

Leia mais

Mentiras, roubos e pichações (Transtorno de conduta)

Mentiras, roubos e pichações (Transtorno de conduta) Mentiras, roubos e pichações (Transtorno de conduta) Leila Maria Amaral Ribeiro 1, Marina Janzen Kassab 2, Samantha Lemos Ferreira da Silva 2 Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psiquiatria.

Leia mais

NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO DE PSICOPEDAGOGIA

NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO DE PSICOPEDAGOGIA NORMAS GERAIS DE ESTÁGIO DE PSICOPEDAGOGIA I - APRESENTAÇÃO Este manual destina-se a orientação dos procedimentos a serem adotados durante o estágio supervisionado. Procuramos ser objetivos e práticos

Leia mais

A INCLUSÃO ESCOLAR DO PORTADOR DE SINDROME DE DOWN

A INCLUSÃO ESCOLAR DO PORTADOR DE SINDROME DE DOWN 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A INCLUSÃO ESCOLAR DO PORTADOR DE SINDROME DE DOWN Leonardo Triaca 1 ; Elizabeth Emma Soares de Nunez 2 ; Adriana Zilly 3 RESUMO: Com a política de inclusão

Leia mais

Tratamento da dependência do uso de drogas

Tratamento da dependência do uso de drogas Tratamento da dependência do uso de drogas Daniela Bentes de Freitas 1 O consumo de substâncias psicoativas está relacionado a vários problemas sociais, de saúde e de segurança pública, sendo necessário

Leia mais

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Genética e Ambiente A combinação de fatores ambientais e genéticos é que determina o produto

Leia mais

O XADREZ COMO FERRAMENTA MULDISCIPLINAR

O XADREZ COMO FERRAMENTA MULDISCIPLINAR O XADREZ COMO FERRAMENTA MULDISCIPLINAR Lindsay Franciane da Costa Melo Reis * RESUMO O presente projeto busca proporcionar uma ação multidisciplinar através do xadrez na Escola de ensino Fundamental Santa

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 ATENDIMENTO ÀS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DA PROPOSTA DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE UBERLÂNDIA. Helena Maria Gomes Maria Isabel de Araújo Maria do Socorro A. da Silva (autora)

Leia mais