COMUNICADO. O Santander Totta alcançou 271,1 milhões de euros de Resultado Líquido no final do primeiro semestre de 2007, uma subida de 28,1%.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMUNICADO. O Santander Totta alcançou 271,1 milhões de euros de Resultado Líquido no final do primeiro semestre de 2007, uma subida de 28,1%."

Transcrição

1 Santander Totta, SGPS, SA Sede: Rua do Ouro, Lisboa Capital Social: ,25 Matriculado na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa Sob o n.º Pessoa Colectiva n.º COMUNICADO O Santander Totta alcançou 271,1 milhões de euros de Resultado Líquido no final do primeiro semestre de 2007, uma subida de 28,1%. O Santander Totta atingiu no primeiro semestre de 2007 um Resultado Líquido de 271,1 milhões de euros, um crescimento de 28,1% em relação ao período homólogo de 2006, reflexo do aumento de 24,6% do Produto Bancário e 38,5% de crescimento do Resultado de Exploração. Excluindo o impacto de itens não recorrentes o Resultado Líquido cresceu 20,5%, atingindo os 255 milhões de euros. O Rácio de Eficiência (1) recorrente verificou nova melhoria e caiu 1,8p.p alcançando 37,0% (38,8% em Junho de 2006). O Banco manteve níveis elevados de rentabilidade dos seus capitais com o ROE a atingir 26,2%, uma melhoria de 1,8p.p.. Segundo Nuno Amado, Presidente executivo do Santander Totta, Num enquadramento macroeconómico e regulamentar complexo, conseguimos aumentar o resultado recorrente em cerca de 20,5% e o resultado líquido em 28,1%. Mantivemos assim a consistência do crescimento de resultados - pelo 11ª trimestre consecutivo crescemos acima de 20%-, não obstante o lançamento de politicas de captação e vinculação de clientes muito competitivas e com impacto na conta de resultados, como é, em especial, o caso da campanha Comissões Zero. De referir também que, neste ano em que o grupo comemora 150 anos de existência, apesar de termos avançado com investimentos na reestruturação e melhoria de processos e aberto mais de 44 balcões nos últimos 18 meses, conseguimos atingir um rácio de eficiência recorde de 37,0%, atingindo simultaneamente níveis de rentabilidade elevados, de que destacamos um ROE superior a 26%. Gostaria também de sublinhar que o acerto da nossa estratégia e o desempenho das nossas equipas acaba de ser reconhecido com a atribuição do prémio de Melhor Banco em Portugal 2007, pela revista Euromoney. (1) Exclui amortizações. Com amortizações seria 42,6%.

2 O Resultado Líquido Consolidado aumentou 28,1% nos primeiros seis meses do ano face ao período homólogo, e totalizou 271,1 milhões de euros. O Resultado Antes de Impostos e IM cresceu 26,7%, atingindo 331,3 milhões de euros. A Rendibilidade dos Capitais Próprios (ROE) melhorou 1,8p.p para 26,2%. O resultado do semestre foi influenciado por itens não recorrentes, nomeadamente o ganho verificado na alienação de parte da posição detida no BPI e a criação em simultâneo de provisões de carácter não recorrente para reestruturação e reforço da solidez do balanço, com efeito líquido de 21 milhões de euros antes de impostos, e que deriva de um impacto em ROFs de 77 milhões de euros positivos, a que deduzem, como verbas principais, provisões para reforço do balanço, para reestruturação e antecipação dos custos de sistemas (para implementação do Partenon), e que ascendem a 55 milhões de euros. Em termos recorrentes o resultado Líquido cresceu 20,5% e atingiu 255 milhões de euros. O Produto Bancário e Actividade de Seguros verificou uma subida de 24,6% no final de Junho de 2007, alavancado por resultados de operações financeiras fruto do ganho registado com a venda das acções do BPI. Em termos recorrentes o Produto Bancário cresceu 10,5%. O Produto Bancário gerado com clientes cresceu 7,1%, fruto de uma melhoria da vinculação de clientes e apesar do difícil enquadramento legal e regulamentar. Os Custos de Transformação registaram um aumento de 5,3% em termos recorrentes e passaram de 214,7 milhões de euros em Junho de 2006 para 226 milhões de euros em Junho de Assim, o crescimento dos custos esteve em linha com a inflação registada e o crescimento da rede de balcões do Banco. O Rácio de Eficiência (1) voltou a melhorar, atingindo em termos recorrentes 37,0%, menos 1,8p.p. O rácio de Crédito vencido +90 dias sobre o Crédito total (2) manteve-se praticamente inalterado passando de 0,53% no final de Junho de 2006 para 0,55% em Junho de A cobertura do Crédito vencido +90 dias por provisões (3) passou de 353,7% para 336%, no mesmo período. O Rácio de Novo Crédito Vencido liquido de recuperações anualizado (4) foi de 0,24%. O Volume de Negócio aumentou 8,9% e atingiu milhões de euros a Junho de 2007, com os Recursos de Clientes a subirem 12,4% para milhões de euros e o Crédito Bruto Concedido (2) a aumentar 5,7% para milhões de euros, impulsionado pelo crescimento de crédito a particulares e a PMEs, que subiu 11,6% O Rácio de Solvabilidade (de acordo com a instrução 16/2004 do Banco de Portugal) foi de 11% e o Core Capital fixou-se nos 7,1%, o que compara com 11,8% e 6,7% em Junho de 2006, respectivamente. De acordo com as normas do Banco de Portugal estes valores não incluem os resultados já gerados em 2007, por não estarem ainda auditados. O Santander Totta mantém o rating mais elevado da banca portuguesa, tendo em 2007 a Moodys revisto a notação de rating de longo prazo A1 para Aa3. O Santander Totta obteve mais uma vez e em 2007, o prémio de Melhor Banco em Portugal atribuído pela revista Euromoney. (1) Exclui amortizações. Com amortizações seria de 42,6%. (2) Inclui crédito bruto, crédito hipotecário securitizado e papel comercial e garantias e avales. (3) Ajustado por securitização. (4) Rácio de novo crédito vencido = (variação do crédito vencido + write offs ) / crédito total médio (incluindo securitização). 2

3 Lisboa, 31 de Julho de O Santander Totta atingiu no final do primeiro semestre de 2007, um Resultado Líquido Consolidado de 271,1 milhões de euros, evidenciando um aumento de 28,1% face a Junho de O Resultado de Exploração cresceu 38,5% e o Resultado Antes de Impostos e IM registou uma subida de 26,7% e alcançou 331,3 milhões de euros em Junho de O ROE melhorou 1,8p.p e situou-se nos 26,2%. Os resultados do primeiro semestre beneficiaram do impacto favorável da alienação de uma posição de 4,6% no BPI, embora este ganho tenha sido em parte anulado pela criação de provisões de carácter extraordinário. O Banco espera que as provisões de carácter não recorrente criadas não só dêem ainda maior solidez ao balanço como também contribuam para a melhoria futura da sua eficiência e produtividade. Assim em termos recorrentes, o Resultado Líquido cresceu 20,5% com a eficiência operacional a melhorar mais 1,8p.p., quando comparada com o período homólogo. A forte actividade comercial desenvolvida ao longo do semestre resultou em crescimentos significativos no crédito nos segmentos de particulares, pequenos negócios e PMEs que, a par de um forte aumento de recursos, permitiu o aumento do Volume de Negócio em 8,9%. Assim, o aumento do Produto Bancário em 24,6% alavancado por um aumento dos resultados de operações financeiras, consequência da venda das acções do BPI e o controlo de custos registado, apesar da expansão da rede comercial, permitiu o aumento do Resultado de Exploração em 38,5%. Em termos recorrentes o Resultado de Exploração aumentou 14,4%, resultado de um crescimento de 10,5% no Produto Bancário e de 5,3% nos custos. O Resultado Líquido Consolidado teve um crescimento de 28,1% e atingiu 271,1 milhões de euros no final de Junho de 2007, e em linha com o crescimento do resultado por acção. Em termos recorrentes, o Resultado Liquido atingiu 255 milhões de euros, um crescimento de 20,5% em relação ao período homólogo. Eur: milhões Jun/07 Jun/06 Var(%) Produto Bancário e Activ. Seguros % Custos Operacionais % Resultado de Exploração % Imparidade e outras provisões % Resultado antes de Impostos e IM % Resultado Líquido Consolidado % Resultado Líquido Consolidado recorrente % 3

4 RESULTADOS A Margem Financeira do Santander Totta alcançou 352,8 milhões de euros e aumentou 5,5% de Junho 2006 para Junho O aumento da Margem Financeira foi alcançado apesar do impacto de nova regulamentação no crédito, do ambiente fortemente concorrencial e do alargamento substancial da maturidade do funding institucional do Banco, aproveitando os reduzidos spreads existentes no mercado. De destacar o crescimento de 10,5% verificado no crédito concedido na Banca Comercial, suportado pelos aumentos verificados nos segmentos de particulares e negócios de 10,2% e 20,5%, respectivamente. O Volume de Negócio subiu 8,9%, fruto igualmente de um forte crescimento de Recursos. O esforço do Banco no aumento do número e do grau de vinculação dos seus clientes através do lançamento da campanha Comissões Zero, condicionou fortemente a evolução das Comissões que se mantiveram em níveis semelhantes aos do período homólogo (que no entanto beneficiavam igualmente de um contributo superior ao habitual da actividade de banca de investimento). Assim, e apesar do ambiente fortemente concorrencial e do esforço de investimento do Banco na captação e vinculação de clientes, o Produto Bancário gerado com clientes cresceu 7,1%, impulsionado igualmente pela excelente evolução da actividade de seguros (cujo contributo aumentou 41,9%) e pela actividade de produtos derivados e estruturados transaccionados com clientes através das plataformas dirigidos aos segmentos de negócios e PMEs (Santander Global Connect) e a empresas de maior dimensão. Eur: milhões Jun/07 Jun/06 Var(%) Margem Financeira % Comissões Líquidas % Actividade de seguros % Margem Comercial % Resultados de Op. Fin. de clientes % Produto bancário gerado com clientes % Resultados de Op. Fin. de mercados > 200% Produto Bancário e Activ. Seguros % O aumento de 5,8% nos custos operacionais recorrentes esteve em linha com a inflação registada e com a expansão da rede comercial onde se registou a abertura de 44 balcões nos últimos 18 meses, apesar do esforço de investimento tecnológico realizado para introduzir a plataforma única Partenón. O ritmo superior de crescimento dos proveitos, a par do controlo na progressão dos custos, permitiu alcançar novos ganhos de eficiência, com o 4

5 Rácio de Eficiência recorrente a evoluir de 38,8% em Junho de 2006 para 37,0% em Junho de 2007 (-1,8p.p.). O Rácio de Eficiência com amortizações também melhorou significativamente, tendo registado uma queda de 1,9p.p., situando-se nos 42,6%. Eur: milhões Jun/07 Jun/06 Var(%) Custos c/ Pessoal recorrentes % Gastos Gerais % Custos de Transformação recorrentes % Amortizações % Custos Operacionais recorrentes % Custos de Transf. inc. não recorrentes % Custos Operacionais inc. não recorrentes % Rácio Eficiência (exc. amort.) recorrente 37.0% 38.8% -1.8 p.p. Rácio Eficiência (incl.amort.) recorrente 42.6% 44.5% -1.9 p.p. Rácio Eficiência (exc. amort.) não recorrente 33.3% 38.8% -5.5 p.p. Rácio Eficiência (incl.amort.) não recorrente 38.3% 44.5% -6.2 p.p. A qualidade da carteira de crédito continua a reflectir-se no rácio de crédito vencido (+90 dias) que atingiu 0,5%, ao nível do período homólogo. O rácio de cobertura situou-se nos 336%, no final de Junho de O Resultado Líquido cresceu 28,1% de Junho de 2006 para Junho de 2007 e alcançou 271,1 milhões de euros em Junho de O ROE melhorou 1,8p.p e atingiu 26,2% (24,4% em Junho 2006). Em termos recorrentes o Resultado Liquido cresceu 20,5% para 255 milhões de euros. Evolução do Resultado Líquido Consolidado Milhões de euros 211,7 +5,2 +58,3 Imparidade e Outras Provisões Produto Bancário e Activ. Seguros -14,2 Custos Operacionais -6 Impostos e IM ,1 Impacto de itens não recorrentes 271,1 Junho 2006 Junho

6 BALANÇO E ACTIVIDADE No final do primeiro semestre de 2007, o Volume de Negócio do Santander Totta cifrou-se em milhões de euros, um crescimento de 8,9% em relação ao período homólogo, o que repercute o aumento de 5,7% verificado no Crédito Bruto sobre Clientes e de 12,4% em Recursos de Clientes. O Crédito Bruto sobre Clientes passou de milhões de euros em Junho de 2006 para milhões de euros em Junho de 2007, um aumento de 5,7%, o qual foi suportado pelo crescimento de crédito na Banca Comercial que subiu 10,5% no mesmo período. De destacar o crescimento verificado no segmento de particulares, +10,2% devido à subida do crédito à habitação de 9,9% (atingiu milhões de euros) e do crédito ao consumo de 21,8% (alcançou milhões de euros). No segmento de Negócios registou-se um significativo aumento de 20,5% e a rede Empresas voltou a aumentar o crédito concedido em 6,7% no final de Junho de Eur: milhões Jun/07 Jun/06 Var(%) Banca Comercial % Crédito a Particulares % do qual Habitação % Consumo % Negócios % Rede Empresas % Grandes Empresas e Institucionais % Garantias, avales e outros % Crédito Bruto (c/ securitização e papel comercial) % Os Recursos de Clientes aumentaram 12,4% e ascenderam a milhões de euros. Este aumento foi suportado pelo crescimento dos débitos representados por títulos e dos recursos fora de balanço, nomeadamente fundos e seguros. Esta evolução permitiu compensar a ligeira quebra verificada nos depósitos de clientes de 0,6%. Eur: milhões Jun/07 Jun/06 Var(%) Depósitos % Débitos Representados por Títulos % Fundos de Investimento geridos % Seguros e outros Recursos % Recursos de Clientes % 6

7 A qualidade da carteira de crédito revelou forte nível de solidez como evidenciado pelo rácio de crédito vencido (+90 dias) que se manteve inalterado nos 0,5% e pelo elevado rácio de cobertura de 336% no final de Junho de Apesar da subida substancial das taxas de juro, o Banco tem gerido de forma muito eficaz o seu Prémio de Risco. Tal é evidenciado pelo nível de 0,24% anualizado verificado nas novas entradas de crédito vencido, liquidas de recuperações, um valor baixo para a fase do ciclo económico em que nos encontramos e que evidencia a qualidade das politicas de risco do Banco. Jun/07 Jun/06 Var(%) Rácio de Crédito Vencido + 90 dias (c/securitização) 0.55% 0.53% p.p. Cobertura por provisões (Crédito vencido + 90 dias) (c/securitização) 336.0% 353.7% p.p. Rácio de Crédito com Incumprimento(*) (c/ securitização) 0.57% 0.55% p.p. Crédito com Incumprimento (*) Líq./Crédito Total Liq. (c/ securitização) 0.36% 0.30% p.p. Cobertura de Crédito com Incumprimento (*) (c/ securitização) 329.6% 345.1% p.p. Rácio de novo crédito vencido (*) 0.42% 0.03% p.p. Rácio de novo crédito vencido liquido de recuperações (*) 0.24% -0.10% p.p. (*) Crédito vencido +90 dias + Crédito Cobrança Duvidosa (cálculo de acordo c/ alínea a) do nº 1 do nº4 do Aviso 3/95) RENDIBILIDADE E SOLVABILIDADE O ROE melhorou de novo e atingiu 26,2% em final de Junho de 2007 (+1,8p.p que em Junho de 2006). O EPS cresceu 28,1%, em linha com o crescimento do Resultado Líquido consolidado (20,5% em termos recorrentes). De acordo com a instrução 16/2004 do Banco de Portugal, o rácio de solvabilidade situou-se em 11%, o Tier I em 8,9% e o Core Capital em 7,1%. Por não se encontrarem ainda auditados e seguindo as normas do Banco de Portugal, os rácios não incluem a previsível retenção de parte do resultado já gerado em Incluindo nos rácios de solvabilidade o resultado gerado (líquido do dividendo a distribuir), o Core Capital seria de 7,7%, o Tier I de 9,6% e o rácio de solvabilidade de 11,6%, atestando a solidez do balanço do Grupo. 7

8 Eur: milhões Jun/07 Jun/06 Fundos Próprios de Base Fundos Próprios Complementares e deduções Total de Fundos Próprios Activos e Extrapatrimoniais ponderados Core capital 7.1% 6.7% Rácio de Adequação de Fundos Próprios de Base 8.9% 8.3% Rácio de Adequação de Fundos Próprios 11.0% 11.8% Em 2007, o Santander Totta continua a beneficiar da mais elevada notação de rating atribuída a qualquer banco português de capitais privados: AA, Aa3 e AA para a dívida de longo prazo, atribuídas pela Fitch Ratings, Moody s e Standard & Poors. Em 2007 a Standard & Poors e a Fitch Ratings reviram em alta a notação do Banco para AA (Outlook stable). A Moodys reviu a notação de rating de longo prazo de A1 para Aa3. Rácio de Eficiência (exclui amortizações) Resultado Líquido (Mn eur) 38.8% -1.8 p.p. 37% (*) % (*) 33.3% Jun/06 Jun/07 Jun/06 Jun/07 ROE Solvabilidade (BdP) +1.8 p.p. 24.4% 26.2% 8.9% 11.0% 7.1% Jun/06 Jun/07 Core capital Tier I Solvency ratio (*) em termos recorrentes 8

9 BANCA COMERCIAL O primeiro semestre fica marcado pela fusão das marcas Santander e Totta. Em finais de Janeiro o Grupo lançou uma forte campanha de carácter institucional para consolidar a marca Santander Totta. Por outro lado, 2007 é igualmente o ano em que o Grupo Santander comemora o seu 150º aniversário. Neste contexto o Banco Santander lançou a primeira campanha global em 14 dos principais países onde está presente, entre eles, Portugal. A campanha tem como lema O Banco Internacional com mais balcões do Mundo, e destaca exactamente o facto de o Santander ter cerca de balcões em mais de 40 países, servindo mais de 69 milhões de clientes. Em banca comercial a actividade dirigida a clientes particulares alicerçou-se na crédito à habitação, tendo sido lançada a campanha Crédito Habitação Duplo Zero que oferece prazos de financiamento alargados até 50 anos, financiamentos até 100% do valor de avaliação e condições especiais para jovens até aos 35 anos, como também, taxa fixa, valor residual e opção de carência de capital durante um período alargado de tempo. Em Maio, o Santander Totta lançou uma grande campanha focada na fidelização e captação de clientes Venha para o Santander Totta e não pague comissões. Esta campanha teve como objectivo posicionar o Santander Totta como o Banco das comissões zero. A Rede de Empresas pautou a sua actuação para o crescimento do Produto Bancário, onde foram fundamentais as operações estruturadas, o crescimento da carteira de crédito e a captação de novos clientes e aumento da vinculação dos actuais clientes. A carteira de crédito registou um incremento no semestre de 258 milhões de euros, destacando-se a manutenção dos excelentes resultados ao nível do crédito vencido e da morosidade de gestão. O Banco lançou igualmente no segmento uma campanha direccionada ao incremento da sua base de clientes e vinculaçao. A campanha Zero Euros apresenta um conjunto variado de soluções à medida das empresas, que permite beneficiar da isenção de comissões nos principais serviços bancários (despesas de manutenção, pagamento de ordenados e pagamento a fornecedores, transferências bancárias nacionais, e a oferta de três cadernetas de 20 cheques cruzados por mês). Associado a esta conta, o Banco disponibiliza o Cartão Business, um cartão de crédito com uma TAEG de apenas 7,5%, sem exigir do cliente quaisquer garantias adicionais. Em Maio lançou-se igualmente a campanha Solução Automóvel, com prestações muito atractivas e ofertas exclusivas de equipamento à escolha e ainda de 150 de combustível, para assinalar a comemoração de 150 anos do Santander. No segmento de particulares e private o primeiro semestre foi bastante positivo em termos de montante colocado, com um montante total a rondar os 675 milhões de euros, o que representa um acréscimo de cerca de 37% face a igual período do ano de Em termos de Private Banking, a colocação aumentou significativamente, 9

10 tendo sido colocado cerca de 138% superior face ao período homólogo de Em termos de produtos, destaca-se o Fundo Especial de Investimento Santander Invest Multi-Estratégia, que combina cinco estratégias diversificadas, e o Seguro Rendimento Campeão, que aposta na performance de quatro fundos de investimento premiados pela Standard & Poor s como sendo os melhores para as respectivas classes. BANCA DE INVESTIMENTO E CORPORATE BANKING Em 2007, na área de Corporate Finance, o Banco desenvolveu intensa actividade na consolidação da posição como um dos principais actores do mercado nacional. No semestre destacam-se a conclusão com sucesso da assessoria financeira à Sonae Indústria no lançamento de uma OPA de exclusão sobre a Tafisa (Espanha); a assessoria financeira à Costa Terra na estruturação financeira do projecto e no estabelecimento de parcerias estratégicas; a assessoria à REN Redes Energéticas Nacionais, SGPS, SA no processo de colocação em bolsa; e a assessoria na venda de uma participação na Altitude Software. De referir o continuado reconhecimento desta actividade do Banco em Portugal, tendo sido atribuído o prémio de Deal of the Year 2007 da prestigiada revista The Banker, relativo à operação de aquisição da participação da Amorim Energia na GALP. A área de Tesouraria e Mercado de Capitais manteve no primeiro semestre um crescimento importante, tanto no negócio de clientes como no de carteiras. Em clientes, o segmento Corporate e os segmentos de retalho (Global Connect) destacaram-se pelo acentuado crescimento do número de operações e dos valores contratados, sobretudo em operações de derivados de gestão de riscos financeiros. Em clientes institucionais a actividade manteve uma dinâmica crescente em linha com o primeiro trimestre. O negócio de equity sales continuou a evoluir muito favoravelmente, acompanhando o crescimento dos volumes negociados no mercado Euronext Lisboa. Na actividade de trading os resultados continuam a crescer consideravelmente na gestão das carteiras de negociação com um excelente rácio de retorno absoluto face ao risco médio assumido. No segmento de Corporate Banking, o primeiro semestre de 2007 caracterizou-se por uma forte actividade comercial junto dos clientes, com enfoque especial na venda de soluções de protecção para a subida das taxas de juro. Nesta área deu-se continuidade ao apoio aos clientes na gestão pró-activa dos riscos financeiros, identificando os produtos mais adequados às expectativas de evolução de mercado e à realidade concreta de cada empresa. Adicionalmente, o grupo desenvolveu a sua actividade de organização e liderança de Empréstimos Obrigacionistas, Programas de Papel Comercial e operações de Crédito Sindicado, mantendo um posicionamento forte junto da base de clientes Corporate. A continuação da subida das taxas de juro na zona Euro durante o primeiro semestre de 2007, o alargamento do leque de produtos disponíveis, na sua maioria de cobertura de risco de taxa de juro, bem como uma segmentação mais eficaz do 10

11 mercado, influenciaram positivamente a actividade de derivados no segmento de empresas e negócios. Neste contexto, assistiu-se ao alargamento da actividade durante o semestre, tanto no segmento empresas como em negócios, com o número de operações e os resultados a aumentarem mais de 30% e 70%, respectivamente, face ao período homólogo de GESTÃO DE ACTIVOS Durante o primeiro semestre de 2007, nos Fundos de Investimento Mobiliário, registouse um crescimento global de cerca de 278 milhões de euros, a que correspondeu um aumento de 5%. A 30 de Junho de 2007, a Santander Gestão de Activos SGFIM geria 34 Fundos de Investimento que representavam cerca de 5,6 mil milhões de euros e, segundo a APFIPP, no final do período em análise tinha uma quota de 18,5%, sendo a segunda maior sociedade gestora de Fundos Mobiliários em Portugal. Prosseguindo a estratégia de criar produtos de valor acrescentado para os clientes do Grupo Santander Totta, foi lançado durante este semestre o Santander Infra-Estruturas Invest - Fundo Especial de Investimento Fechado, de perfil conservador mas que permite tirar partido da valorização de 5 cabazes de acções que apostam em empresas que pertencem ao sector de infra-estruturas; o Santander Invest Multi-Estratégias- Fundo Especial de Investimento Fechado, de perfil conservador que pretende tirar partido da evolução, durante o período de vida do Fundo de 5 estratégias distintas; o Santander Global - Fundo de Investimento Mobiliário Flexível, de perfil de risco moderado cuja flexibilidade na sua gestão, permite a este Fundo tirar partido das condições de mercado; o Santander dinâmico Fundo Especial de Investimento Aberto, fundo mais agressivo desta gama e que proporciona uma gestão dinâmica. Os Fundos de Investimento Mobiliário do Grupo continuam a ocupar lugares de topo do ranking das rendibilidades nas respectivas categorias. Com efeito, de acordo com os dados da APFIPP, em 30 de Junho de 2007 destacava-se a performance obtida dos seguintes Fundos: Santander Acções Portugal (1º lugar nos últimos 1, 2, 3, 5 e 10 anos), Acções Global (1º lugar nos últimos 1 e 2 anos), Santander PPA (1º lugar nos últimos 1, 2, 3 e 10 anos) Poupança Premium FPR (1º lugar nos últimos 1, 2 e 3 anos) e Poupança Segura FPR (1º lugar nos últimos 5 anos), Multinvest (1º lugar desde o inicio do ano e no último ano), Santander Carteira Alternativa FEI (1º lugar nos últimos 2 e 3 anos). Pela terceira vez a Santander Gestão de Activos ganhou o prémio da melhor Sociedade Gestora de Acções atribuído pelo Diário Económico e Standard & Poor's. Foi uma das Sociedades mais premiadas com a atribuição de cinco prémios. SEGUROS A Santander Totta Seguros, manteve, no primeiro semestre de 2007, a estratégia de diversificação de oferta de produtos financeiros, quer ao nível de produto, quer de segmento, bem como de aumento de penetração e de extensão de coberturas nos produtos vinculados de risco. Relativamente aos seguros de vida financeiros, de destacar o lançamento do seguro Euro Energia Investimento sob a forma de Fundo 11

12 Autónomo de Investimento, dividido em unidades de participação (unit linked), cuja política de investimento visa proporcionar uma remuneração mínima e uma remuneração variável, tendo o volume total comercializado ascendido a cerca de 90 milhões de euros. No âmbito dos seguros de vida risco em open market, de mencionar o lançamento do Plano Vida para o segmento de mercado massivo, tendo-se atingido mais de 10,000 planos em 6 meses. No domínio da poupança, de referir também a emissão de uma série de Seguro Poupança Garantida 2007 PPR. No primeiro semestre de 2007 o valor dos prémios emitidos alcançou os 780,9 milhões de euros e os seguros de risco vinculados a operações de crédito à habitação e consumo registaram um aumento de 23,2% relativamente ao período homólogo, com um valor de prémios de 38,5 milhões de euros. A Santander Totta Seguros consolidou a posição de liderança em termos de quota de mercado de variação de provisões matemáticas. Igualmente de destacar a quota de 19% em termos de prémios de seguros financeiros e de 18% em termos globais, detendo a segunda posição de mercado. INFORMAÇÃO INSTITUCIONAL O Santander (SAN.MC, STD.N) é o primeiro banco da zona euro por capitalização bolsista e o sétimo no mundo por resultados. Fundado em 1857, conta com milhões de euros em fundos geridos, 67 milhões de clientes, balcões e presença em mais de 40 países. É o principal Grupo Financeiro ibérico e na América Latina, e desenvolve uma importante actividade de negócios na Europa, com uma destacada presença no Reino Unido através do Abbey, assim como em Portugal, onde é o terceiro grupo financeiro privado. É líder em financiamento ao consumo na Europa através do Santander Consumer Finance, com presença em 12 países europeus (Alemanha, Itália, Espanha, entre outros) e nos Estados Unidos. 12

13 Santander Totta, SGPS Indicadores milhões de euros Jun 07 Jun 06 Var. Crédito Bruto (1) % do qual Banca Comercial % Crédito a Particulares % do qual Habitação % Consumo % Negócios % Rede Empresas % Grandes Empresas e Institucionais % Recursos % do qual Depósitos % Débitos representados por títulos % Fundos de investimento (geridos) % Seguros e outros recursos % ROE 26.2% 24.4% +1.8 p.p. Rácio de Eficiência (exclui amortizações) não recorrente 33.3% 38.8% -5.5 p.p. Rácio de Eficiência (inclui amortizações) não recorrente 38.3% 44.5% -6.2 p.p. Rácio de Eficiência (exclui amortizações) recorrente 37.0% 38.8% -1.8 p.p. Rácio de Eficiência (inclui amortizações) recorrente 42.6% 44.5% -1.9 p.p. Rácio de Novo Crédito vencido 0.24% -0.10% p.p. (1) inclui securitização e papel comercial. 13

14 SANTANDER TOTTA, SGPS Demonstração de Resultados Consolidada a 30 de Junho de 2007 (*) milhões de euros Jun 07 Jun 06 Var. Margem Financeira Estrita % Rendimentos de Instrumentos de Capital % Margem Financeira % Comissões Líquidas e Proveitos de Seguros % Outros resultados da actividade bancária (0.3) % Actividade de seguros % Margem Comercial % Resultado de Operações Financeiras >200,0% Produto Bancário e Actividade de Seguros % Custos Operacionais (263.8) (246.2) +7.2% Resultado de Exploração % Imparidade, Prov.Líq.de Anulações e Out. Resultados (93.5) (45.2) % Resultados Antes de Imposto e I.M % Impostos (60.0) (49.6) +21.0% Resultados Após Impostos % Interesses Minoritários (0.3) (0.3) +2.6% Resultado Consolidado do Exercício % (*) Resultados não auditados 14

15 SANTANDER TOTTA, SGPS Balanço Consolidado a 31 de Junho de 2007 ACTIVO Jun 07 milhões de euros Jun 06 Disp. em B. Centrais e Créd. S/ Inst. de Crédito Activos Financeiros dos quais: Detidos para negociação Detidos para venda Crédito Líquido Investimentos Detidos até à maturidade Activos não correntes detidos para venda Outros activos tangíveis Activos intangíveis Outros Activos TOTAL DO ACTIVO PASSIVO Recursos de Instituições de Crédito Passivos Financeiros Débitos para com Clientes Títulos emitidos Provisões Diversas e Outros Passivos Instrumentos representativos de capital Passivos Subordinados Outros Passivos Capitais Próprios TOTAL DO PASSIVO + CP

16 Rácios de solvabilidade: Santander Totta, SGPS Rácios calculados de acordo com a alínea a) do nº1 do nº 4 do Aviso 3/95 e com a instrução nº 16/2004 do Banco de Portugal milhões de euros Junho 07 Junho 06 Var. Rácio de Adequação de Fundos Próprios 11.0% 11.8% -0.8 p.p. Rácio de Adequação de Fundos Próprios de Base 8.9% 8.3% +0.6 p.p. Crédito com Incumprimento/Crédito Total (inc. Securitização) 0.57% 0.55% p.p. Cobertura de Crédito com Incumprimento (inc. Securitização) 329.6% 345.1% p.p. Crédito com Incumprimento Liq./Crédito Total Liq. (inc. Securitização) 0.36% 0.30% p.p. Junho 07 Junho 06 Var. Res. Antes de Impostos e Interesses Minoritários/Activo Líquido Médio 1.7% 1.5% +0.2 p.p. Produto Bancário /Activo Líquido Médio(*) 3.1% 3.6% -0.5 p.p. Res. Antes de Impostos e Interesses Minoritários/Capitais Próprios Médios (**) 26.4% 25.2% +1.2 p.p. (Custos de Funcionamento(CP+FST)+Amortizações)/Produto Bancário (***) 38.3% 44.5% -6.2 p.p. Custos Pessoal/Produto Bancário (****) 21.6% 25.2% -3.6 p.p. (*) Produto Bancário inclui Actividade de Seguros, visto que na nova DR os custos também englobam esta actividade (**) Inclui interesses minoritários (de acordo com Instrução 16/2004 do BdP) (***) Produto Bancário inclui Actividade de Seguros, visto que na nova DR os custos também englobam esta actividade. Inclui, de acordo com IFRS, as indemnizações e pré-reformas. (****) Produto Bancário inclui Actividade de Seguros, visto que na nova DR os custos também englobam esta actividade. Inclui, de acordo com IFRS, as indemnizações e pré-reformas. 16

Resultados consolidados do Banco BPI no 1.º semestre de 2011

Resultados consolidados do Banco BPI no 1.º semestre de 2011 www.ir.bpi.pt BANCO BPI, S.A. - Sociedade aberta Capital Social: 990 000 000 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede:

Leia mais

FACTO RELEVANTE INFORMAÇÃO PRÉVIA RELATIVA À ACTIVIDADE E RESULTADOS OBTIDOS PELO GRUPO BANIF NO EXERCÍCIO DE 2005

FACTO RELEVANTE INFORMAÇÃO PRÉVIA RELATIVA À ACTIVIDADE E RESULTADOS OBTIDOS PELO GRUPO BANIF NO EXERCÍCIO DE 2005 BANIF S G P S, S.A. Sociedade com o capital aberto ao investimento do público Sede Social: Rua de João Tavira, 30 - Funchal Capital Social: 200.000.000 Euros Matrícula Nº 3658 Conservatória do Registo

Leia mais

COMUNICADO. Bank Millennium na Polónia apresenta Resultados de 2005

COMUNICADO. Bank Millennium na Polónia apresenta Resultados de 2005 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João I, 28, Porto Mat. CRC do Porto: 40.043 NIPC: 501.525.882 Capital Social Registado: 3.588.331.338 Euros COMUNICADO Bank Millennium na

Leia mais

Resultados consolidados do Banco BPI entre Janeiro e Setembro de 2010

Resultados consolidados do Banco BPI entre Janeiro e Setembro de 2010 www.ir.bpi.pt BANCO BPI, S.A. - Sociedade aberta Capital Social: 900 000 000 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede:

Leia mais

FACTO RELEVANTE INFORMAÇÃO PRÉVIA RELATIVA À ACTIVIDADE E RESULTADOS OBTIDOS PELO GRUPO BANIF NO 1º SEMESTRE DE 2005

FACTO RELEVANTE INFORMAÇÃO PRÉVIA RELATIVA À ACTIVIDADE E RESULTADOS OBTIDOS PELO GRUPO BANIF NO 1º SEMESTRE DE 2005 Banif SGPS, SA Sociedade com o capital aberto ao investimento do público Sede Social: Rua de João Tavira, 30-9 000 Funchal Capital Social: 200.000.000 Euros - Pessoa Colectiva n.º 511 029 730 Matrícula

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL/CONSOLIDADA (Não Auditada)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL/CONSOLIDADA (Não Auditada) INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL/CONSOLIDADA (Não Auditada) (aplicável às entidades sujeitas à disciplina normativa contabilística das IAS / IFRS) BANCO BPI, S.A. Sociedade com o capital aberto ao investimento

Leia mais

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Nota Prévia Os resultados reportados oficialmente reflectem a integração do Grupo Tecnidata a 1 de Outubro de 2008, em seguimento da assinatura do contrato de

Leia mais

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros .2 Situação patrimonial dos setores não financeiros No primeiro semestre de 203, prosseguiu o processo de ajustamento gradual dos desequilíbrios no balanço dos particulares 3 Nos primeiros seis meses de

Leia mais

27 maio 2016. Informação financeira não auditada

27 maio 2016. Informação financeira não auditada Apresentação de Resultados 1T2016 27 maio 2016 Informação financeira não auditada Agenda 1. Destaques 2. Funding e Liquidez 3. Qualidade dos Ativos 4. Capital 5. Resultados 6. Side Bank 7. Sumário Apêndice:

Leia mais

Comunicado de Resultados

Comunicado de Resultados Comunicado de Resultados Resultados Consolidados 30 de Junho de 2007 Sonae Distribuição S.G.P.S., SA Em destaque A Sonae Distribuição apresentou ao longo do primeiro semestre de 2007 um crescimento de

Leia mais

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Proveitos Operacionais de 60,8 milhões de euros (+ 8,1%) EBITDA de 5,6 milhões de euros (+ 11,1%) Margem EBITDA 9,2% (vs. 8,9%) Resultado

Leia mais

Santander Totta mantém excelentes níveis de eficiência e solidez em contexto económico complexo

Santander Totta mantém excelentes níveis de eficiência e solidez em contexto económico complexo Santander Totta, SGPS, SA Sede: Rua do Ouro, 88 1100-063 Lisboa COMUNICADO Santander Totta mantém excelentes níveis de eficiência e solidez em contexto económico complexo Rendibilidade permite reforço

Leia mais

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 14 10º -1050-121 Lisboa Capital Social: 118.332.445 Euros - NIPC e Mat. na C.R.C. de Lisboa sob

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS DO BANCO BPI ENTRE JANEIRO E SETEMBRO DE 2014

RESULTADOS CONSOLIDADOS DO BANCO BPI ENTRE JANEIRO E SETEMBRO DE 2014 BANCO BPI, S.A. Sociedade aberta Capital Social: 1 293 063 324.98 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede: Rua Tenente

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS ANUAL 2015 FEVEREIRO 2016 Conferência de imprensa Disclaimer A informação constante neste documento foi preparada de acordo com as normas internacionais de relato financeiro

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2003 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A.

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2003 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. De acordo com o disposto no artigo 8º do Regulamento n.º 11/2000 da CMVM transcreve-se a EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2003 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO EMPRESA DE SEGUROS Santander Totta Seguros, Companhia de Seguros de Vida S.A., com Sede na Rua da Mesquita, nº 6 - Torre A - 2º - 1070 238 Lisboa, Portugal (pertence ao Grupo Santander). A Santander Totta

Leia mais

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira EMITENTE Grupo Visabeira SGPS, S.A. RATING DE EMITENTE Médio e Longo Prazo BB+ (BB+, com tendência estável) B

Leia mais

GROUPAMA SEGUROS, SA RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

GROUPAMA SEGUROS, SA RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO GROUPAMA SEGUROS, SA RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2008 ECONOMIA PORTUGUESA A economia portuguesa tem observado fracos crescimentos do Produto Interno Bruto, tendo atingido um valor

Leia mais

B. Qualidade de Crédito dos Investimentos das Empresas de Seguros e dos Fundos de Pensões. 1. Introdução. 2. Âmbito

B. Qualidade de Crédito dos Investimentos das Empresas de Seguros e dos Fundos de Pensões. 1. Introdução. 2. Âmbito B. Qualidade de Crédito dos Investimentos das Empresas de Seguros e dos Fundos de Pensões 1. Introdução A mensuração, mitigação e controlo do nível de risco assumido pelos investidores institucionais (e

Leia mais

Banco Emitente: BANCO SANTANDER TOTTA, S.A.

Banco Emitente: BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. Banco Emitente: BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. Sede: Rua Áurea, 88 1100-060 LISBOA Capital Social: 656.723.284 Número de Matricula na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa (1ª) e de Contribuinte: 500

Leia mais

GROUPAMA SEGUROS VIDA, SA

GROUPAMA SEGUROS VIDA, SA GROUPAMA SEGUROS VIDA, SA RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2006 ECONOMIA PORTUGUESA Após o fraco crescimento da economia observado em 2005 (0.4 por cento) estima-se que o Produto Interno

Leia mais

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 23 ABRIL 2012 ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 Este documento foi preparado pela Grupo Soares da Costa, SGPS, SA (Soares da Costa), unicamente

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS DO BANCO BPI EM 2014

RESULTADOS CONSOLIDADOS DO BANCO BPI EM 2014 BANCO BPI, S.A. Sociedade aberta Capital Social: 1 293 063 324.98 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede: Rua Tenente

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros Danos d. Automóvel II PROVISÕES TÉCNICAS E ATIVOS REPRESENTATIVOS

Leia mais

IMPRESA. Resultados 2º Trimestre 2009

IMPRESA. Resultados 2º Trimestre 2009 IMPRESA Resultados 2º Trimestre 2009 IMPRESA SGPS SA Sociedade Aberta Capital Social Eur 84.000.000 Rua Ribeiro Sanches, 65 Número Fiscal 502 437 464 Conservatória do Registo Comercial de Lisboa Lisboa,

Leia mais

Relatório de Actividades 1.º Trimestre de 2011

Relatório de Actividades 1.º Trimestre de 2011 Capa 2011 Relatório de Actividades 1.º Trimestre de 2011 Evolução da actividade, aspectos mais relevantes e resultados obtidos pelo Banif - Grupo Financeiro no 1.º Trimestre de 2011 Os resultados líquidos

Leia mais

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 Av. Vasco da Gama, 1410 4431-956 Telefone 22-7867000 Fax 22-7867215 Registada na C.R.C. de sob o nº 500239037 Capital Social: Euro 35.000.000 Sociedade Aberta

Leia mais

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 1. Sumário Para mais informação contactar: Cláudia Falcão claudia.falcao@jeronimomartins.pt (+351-21 752 61 05) Hugo Fernandes hugo.fernandes@jeronimomartins.pt

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2014

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2014 N.º 3 fevereiro 215 Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 21 O Banco de Portugal publica hoje, no Boletim Estatístico, as estatísticas de balanço e de

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: 100% do capital investido garantido na maturidade Remuneração não garantida Possibilidade

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro

Leia mais

COMUNICADO. Resultados Consolidados do 1º Semestre de 2007 (Não Auditados)

COMUNICADO. Resultados Consolidados do 1º Semestre de 2007 (Não Auditados) SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede: Estrada de Alfragide, 67, Amadora Capital Social: 169.764.398,00 NIPC 503 219 886 Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

Comunicado de Resultados

Comunicado de Resultados Comunicado de Resultados Resultados trimestrais consolidados a 31 de Março de 2006 4 de Maio de 2006 Highlights Volume de negócios de 646 milhões de Euros crescimento de 9% em Portugal face a período homólogo

Leia mais

MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006

MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006 MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006 MOTA-ENGIL, SGPS, S.A. EDIFÍCIO MOTA TEL: 351 22 5190300 SOCIEDADE ABERTA RUA DO REGO LAMEIRO,

Leia mais

HEDGE FUND INVEST FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009

HEDGE FUND INVEST FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009 HEDGE FUND INVEST FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009 CONTEÚDO PÁGINA

Leia mais

Atividade Consolidada Grupo Caixa Geral de Depósitos. 31 de março de 2015 Contas não auditadas

Atividade Consolidada Grupo Caixa Geral de Depósitos. 31 de março de 2015 Contas não auditadas Atividade Consolidada Grupo Caixa Geral de Depósitos 31 de março de 2015 Contas não auditadas Agenda Resultados Balanço Liquidez Solvência Conclusões NOTA: Os valores relativos a março de 2014 são reexpressos

Leia mais

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15%

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15% INAPA INVESTIMENTOS, PARTICPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade Aberta ) Sede: Rua do Salitre, n.º 142, 1269-064, Lisboa Capital social: 27 237 013 Matrícula n.º 500 137 994 (anteriormente 36 338) da Conservatória

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008) INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008) Em cumprimento das obrigações legais aplicáveis (Código dos Valores Mobiliários) o Conselho de Administração da IMPRESA apresenta a INFORMAÇÃO relativa ao 3º

Leia mais

1. Resultados do Exercício

1. Resultados do Exercício PARAREDE, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede Social: Av. José Malhoa nº 21, 1070157 Lisboa Pessoa Colectiva nº 503.541.320 Capital Social de 125.087.500 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS. Informação não auditada.

Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS. Informação não auditada. Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 2015 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS Lisboa, 7 de Agosto de 2015 Informação não auditada. RESULTADOS CONSOLIDADOS: Janeiro

Leia mais

Documento Informativo. Obrigações db Double Chance Europe. - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - Produto Financeiro Complexo

Documento Informativo. Obrigações db Double Chance Europe. - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - Produto Financeiro Complexo Documento Informativo Obrigações db Double Chance Europe - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - ISIN: XS0464427177 Produto Financeiro Complexo 1. Produto As Obrigações relativas ao Índice

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro semestre de 20, foi a subida das taxas do

Leia mais

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001 Economia dos EUA e Comparação com os períodos de - e - Clara Synek* O actual período de abrandamento da economia dos EUA, iniciado em e previsto acentuar-se no decurso dos anos /9, resulta fundamentalmente

Leia mais

Resultados Consolidados do Millennium bcp em 31 de março de 2016

Resultados Consolidados do Millennium bcp em 31 de março de 2016 2 de maio de 2016 Resultados Consolidados do Millennium bcp em 31 de março de 2016 Rendibilidade e eficiência Reforço dos lucros recorrentes Evolução do negócio Balanço equilibrado Qualidade dos ativos

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2007

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2007 INAPA INVESTIMENTOS, PARTICPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade Aberta ) Sede: Rua do Salitre, n.º 142, freguesia de São Mamede, Lisboa Capital social: 150 000 000 NIPC: 500 137 994 Matrícula n.º 36 338 da

Leia mais

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João I, 28, Porto Mat. CRC do Porto: 40.043 NIPC: 501.525.882 Capital Social Registado: 3.257.400.827 Euros COMUNICADO Resultados Consolidados

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE NO 1º SEMESTRE DE 2014/15

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE NO 1º SEMESTRE DE 2014/15 SPORTING CLUBE DE PORTUGAL FUTEBOL, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 67 000 000 euros Capital Próprio: (118 030 000) euros aprovado em Assembleia Geral de 01 de Outubro de 2014 Sede Social: Estádio

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadora Capital Social: 169.764.398 Euros sob o número único de matrícula e de pessoa colectiva 503 219 886 COMUNICADO

Leia mais

SONAE IMOBILIÁRIA. Contas Consolidadas do 1º Trimestre de 2000

SONAE IMOBILIÁRIA. Contas Consolidadas do 1º Trimestre de 2000 010 SONAE IMOBILIÁRIA Contas Consolidadas do 1º Trimestre de 2000 INTRODUÇÃO O Resultado Líquido Consolidado após Interesses Minoritários (não auditado) do 1º Trimestre de 2001 da Sonae Imobiliária cresceu

Leia mais

Resultados Líquidos melhoram 94%

Resultados Líquidos melhoram 94% INAPA INVESTIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade aberta ) Sede: Rua do Salitre, 142, 1269 064 Lisboa Capital Social: 150 000 000 Euros Matrícula n.º 500 137 994 (anteriormente n.º 36 338) da

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 3M 2015 MAIO 2015 Disclaimer Este documento não representa uma oferta de valores mobiliários para venda nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão ou em qualquer outra jurisdição.

Leia mais

Resultados Consolidados. Exercício de 2007

Resultados Consolidados. Exercício de 2007 Resultados Consolidados Exercício de 2007 21 de Abril de 2008 Sumário Overview 2007 Highlights Resultados Consolidados Evolução por Área de Negócio 21 de Abril de 2008 2 Overview 2007 Decréscimo do crescimento

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010 Lisboa, 18 de Fevereiro de 2011 Fortes resultados numa envolvente marcada pelos desafios. Vendas consolidadas atingem 8,7 mil milhões de euros (crescimento

Leia mais

Relatório de Gestão. Enquadramento Macroeconómico / Setorial

Relatório de Gestão. Enquadramento Macroeconómico / Setorial Relato Financeiro Intercalar 1º trimestre de 2014 = Contas Consolidadas = (Não Auditadas) Elaboradas nos termos do Regulamento da CMVM nº 5/2008 e de acordo com a IAS34 Relatório de Gestão Enquadramento

Leia mais

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros SUMÁRIO Produção de seguro directo No terceiro trimestre de, seguindo a tendência evidenciada ao longo do ano, assistiu-se a uma contracção na produção de seguro directo das empresas de seguros sob a supervisão

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

Resultado Líquido das atividades continuadas fortemente influenciado por reforço de provisões e imparidades bem como encargos financeiros de 49,6 M

Resultado Líquido das atividades continuadas fortemente influenciado por reforço de provisões e imparidades bem como encargos financeiros de 49,6 M RESULTADOS 9M2014 DESTAQUES página 3 Total de Proveitos Operacionais nos 9M14 de 158 M Evolução na performance operacional, com reflexo no aumento do EBITDA (numa base comparável) de 35% para os 8,5 M

Leia mais

Capítulo 2 ESTABILIDADE E SUPERVISÃO DO SISTEMA FINANCEIRO

Capítulo 2 ESTABILIDADE E SUPERVISÃO DO SISTEMA FINANCEIRO Capítulo 2 ESTABILIDADE E SUPERVISÃO DO SISTEMA FINANCEIRO Capítulo 2 - Estabilidade e Supervisão do Sistema Financeiro 1. Estabilidade do Sistema Financeiro O Banco de Cabo Verde tem, de entre as suas

Leia mais

Relatório e Contas 2012 Caixa Central

Relatório e Contas 2012 Caixa Central Relatório e Contas 2012 Caixa Central Página 1 Relatório e Contas 2012 Caixa Central Página 2 Análise Financeira Relatório e Contas 2012 Caixa Central Página 3 Análise Financeira Demonstração de Resultados

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

turbo warrants manual /////// www warrants commerzbank com ///////////////////////////////////////////////////////////////////// Warrants Estruturados Turbo warrants Turbo Warrants Acelere os seus investimentos

Leia mais

Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A.

Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. Sociedade Aberta Matriculada sob o nº05888/20001204 na Conservatória do Registo Comercial de Setúbal Capital Social: 767 500 000 N.I.P.C. 503 025 798 Informação

Leia mais

3. Evolução do mercado segurador e dos fundos de pensões

3. Evolução do mercado segurador e dos fundos de pensões Figura 5 Evolução de empréstimos, depósitos e taxas de juro do setor bancário 3% 2% 1% % -1% -2% -3% -4% -5% -6% -7% -8% Emprés mos concedidos pelo setor bancário (variação anual) dez-1 dez-11 dez-12 dez-13

Leia mais

Banco Popular Portugal, SA. Relatório e Contas

Banco Popular Portugal, SA. Relatório e Contas Banco Popular Portugal, SA Relatório e Contas 2013 Sumário Página Índice de Quadros e Figuras... 3 Informação Geral... 4 Órgãos Sociais... 5 O Banco Popular Portugal em números... 6 Relatório de Gestão...

Leia mais

De acordo com o disposto no artigo 10.º do Regulamento n.º 5/2008 da CMVM transcreve-se o RELATÓRIO E CONTAS DO 1.º TRIMESTRE DE 2016

De acordo com o disposto no artigo 10.º do Regulamento n.º 5/2008 da CMVM transcreve-se o RELATÓRIO E CONTAS DO 1.º TRIMESTRE DE 2016 Reuters>bcp.Is Exchange>MCP Bloomberg>bcp pl ISIN PTBCP0AM00007 2016 Relatório e Contas 1.º Trimestre De acordo com o disposto no artigo 10.º do Regulamento n.º 5/2008 da CMVM transcreve-se o RELATÓRIO

Leia mais

ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR

ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR Estudos da Central de Balanços Maio 2015 21 21 ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR Estudos da Central de Balanços Maio 2015 Lisboa, 2015 www.bportugal.pt ANÁLISE

Leia mais

A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS

A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS PORTUGAL A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS Maria Celeste Hagatong Comissão Executiva do Banco BPI Lisboa, 3 de Junho

Leia mais

Relatório de evolução da atividade seguradora

Relatório de evolução da atividade seguradora Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 214 I. Produção e custos com sinistros 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2013 Bom dia a todos e obrigado por participarem

Leia mais

Resultados Consolidados do Millennium bcp em 31 de dezembro de 2015

Resultados Consolidados do Millennium bcp em 31 de dezembro de 2015 1 de fevereiro de 2016 Resultados Consolidados do Millennium bcp em 31 de dezembro de 2015 Rendibilidade e eficiência Regresso dos lucros Lucro consolidado de 235 milhões de euros em 2015, comparando com

Leia mais

Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro

Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro Clara Synek * Resumo O aumento da incerteza relativo às perspectivas económicas, do mercado de trabalho,

Leia mais

Comunicado de Imprensa

Comunicado de Imprensa Comunicado de Imprensa RESULTADOS JANEIRO-SETEMBRO DE 2015 Santander Totta obtém um resultado líquido de 176,7 milhões de euros, com um aumento de 48,7% A solidez e eficiência do Banco Santander Totta

Leia mais

X FÓRUM DA BANCA BANCA, SUPERVISÃO E FINANCIAMENTO DA ECONOMIA

X FÓRUM DA BANCA BANCA, SUPERVISÃO E FINANCIAMENTO DA ECONOMIA BANCA, SUPERVISÃO E FINANCIAMENTO DA ECONOMIA ÍNDICE I. Evolução da banca na última década II. Efeitos da crise financeira 2008-2010 III. Situação actual IV. Financiamento à economia V. Principais desafios

Leia mais

Trabalho nº1 Análise Económico Financeira. BRISA Auto-Estradas de Portugal, S.A.

Trabalho nº1 Análise Económico Financeira. BRISA Auto-Estradas de Portugal, S.A. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 5º Ano, 1º Semestre Economia e Gestão - 2000/2001 Trabalho nº1 Análise Económico Financeira

Leia mais

Desalavancagem do Setor Privado em Portugal

Desalavancagem do Setor Privado em Portugal Em Análise Desalavancagem do Setor Privado em Portugal Por Clara Synek* I - Introdução Num momento em que foi iniciada a correção de um dos desequilíbrios da economia portuguesa excessivo endividamento

Leia mais

Análise de Conjuntura do Sector da Construção 2º trimestre 2014

Análise de Conjuntura do Sector da Construção 2º trimestre 2014 Análise de Conjuntura do Sector da Construção 2º trimestre 2014 Apreciação Global Os dados estatísticos disponíveis para o 2º trimestre de 2014 parecem confirmar finalmente, e pela primeira vez em muitos

Leia mais

SOLUÇÕES IBÉRICAS PARA EMPRESAS MARÇO 2014

SOLUÇÕES IBÉRICAS PARA EMPRESAS MARÇO 2014 MARÇO 2014 EM ESPANHA, COMO EM PORTUGAL BPI e CaixaBank desenvolveram, em parceria, as Soluções Ibéricas para Empresas, uma oferta inovadora de produtos e serviços para apoiar as empresas que operam no

Leia mais

Comunicado de Imprensa

Comunicado de Imprensa Comunicado de Imprensa RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015 Santander Totta obtém um resultado líquido de 103,6 milhões de euros, com um aumento de 29,2% Os resultados do primeiro semestre evidenciam

Leia mais

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013 JULHO 2013 EM MOÇAMBIQUE, COMO EM PORTUGAL O BPI e o BCI disponibilizam as Soluções Moçambique-Empresas, um conjunto de produtos e serviços desenhados para empresas que pretendam investir ou exportar para

Leia mais

Agora gostaríamos de passar a palavra ao Sr. Marcial Portela. Por favor, Sr. Portela, pode prosseguir.

Agora gostaríamos de passar a palavra ao Sr. Marcial Portela. Por favor, Sr. Portela, pode prosseguir. Operadora: Boa tarde, e obrigada por aguardarem. Sejam bem-vindos à teleconferência de resultados relativos ao 2T12 do Banco Santander S.A.. Presentes aqui estão o Sr. Marcial Portela, Presidente Executivo

Leia mais

ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007

ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007 ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007 SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS,SA Sociedade Aberta Capital Social: EUR 169.764.398 NIPC: 503 219 886 Matriculada na CRC da Amadora sob o

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 No terceiro trimestre, reforçámos as nossas posições de liderança tanto na Polónia como em Portugal com aumento de quotas de mercado

Leia mais

Prospecto Informativo. CapitAll Allianz Top 20. (Não Normalizado) www.allianz.pt

Prospecto Informativo. CapitAll Allianz Top 20. (Não Normalizado) www.allianz.pt Prospecto Informativo CapitAll Allianz Top 20 (Não Normalizado) www.allianz.pt Companhia de Seguros Allianz Portugal, S.A. R. Andrade Corvo, 32 1069-014 Lisboa Telefone +351 213 165 300 Telefax +351 213

Leia mais

PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO. Citibank International plc

PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO. Citibank International plc PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO Citibank International plc Valores Mobiliários auto-call Escalator até 50.000.000 euros associados aos Índices EURO STOXX 50 SM, Nikkei 225 e S&P 500 com vencimento

Leia mais

Comunicado de Imprensa

Comunicado de Imprensa Comunicado de Imprensa RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 Santander Totta obtém um resultado líquido de 53,8 milhões de euros, com um aumento de 27,8% O Santander Totta registou nos primeiros três

Leia mais

FUNDO DE PENSÕES ABERTO REFORMA EMPRESA RELATÓRIO DE AUDITORIA REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

FUNDO DE PENSÕES ABERTO REFORMA EMPRESA RELATÓRIO DE AUDITORIA REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 FUNDO DE PENSÕES ABERTO REFORMA EMPRESA RELATÓRIO DE AUDITORIA REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 RUA GENERAL FIRMINO MIGUEL, 3, TORRE 2-1º A/B, 1600-100 LISBOA, PORTUGAL TEL.: + 351217210180

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 As projeções para a economia portuguesa em 2015-2017 apontam para uma recuperação gradual da atividade ao longo do horizonte de projeção. Após um crescimento

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS

RESULTADOS CONSOLIDADOS 2012 RESULTADOS CONSOLIDADOS Lisboa, 8 de Fevereiro de 2013 A presente informação anual não foi sujeita a auditoria. Processo de Recapitalização A 31 de Dezembro de 2012 foi anunciada a aprovação por parte

Leia mais

Comunicado Reuters>bcp.Is Exchange>MCP Bloomberg>bcp pl ISIN PTBCP0AM00007

Comunicado Reuters>bcp.Is Exchange>MCP Bloomberg>bcp pl ISIN PTBCP0AM00007 26 de Outubro de 2010 Actividade do Bank Millennium (Polónia) no 3º Trimestre de 2010 O Banco Comercial Português, S.A. informa que o Bank Millennium S.A. com sede em Varsóvia, Polónia, entidade na qual

Leia mais

ESAF Fundos de Investimento Mobiliário RELATÓRIO E CONTAS ESPÍRITO SANTO LIQUIDEZ

ESAF Fundos de Investimento Mobiliário RELATÓRIO E CONTAS ESPÍRITO SANTO LIQUIDEZ RELATÓRIO E CONTAS ESPÍRITO SANTO LIQUIDEZ 30 de Junho de 2012 1. CARACTERIZAÇÃO DO FUNDO a) Objectivo e política de investimento O Espírito Santo Liquidez Fundo Especial de Investimento Aberto, adiante

Leia mais

OS PLANOS POUPANÇA-REFORMA

OS PLANOS POUPANÇA-REFORMA 7 OS PLANOS POUPANÇA-REFORMA 7 OS PLANOS POUPANÇA-REFORMA As alterações no sistema de Segurança Social, bem como a importância da manutenção do nível de vida após a idade de aposentação, têm reforçado

Leia mais

Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento

Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Eduardo Stock da Cunha CEO Novo Banco Novembro de 2014 Novembro 2014 Depois de um período de contração,

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Impostos & Contribuição Social 4º trimestre 2010

Impostos & Contribuição Social 4º trimestre 2010 Impostos & Contribuição Social 4º trimestre 2010 As principais novidades/ alterações recentes, em matéria fiscal e contributiva, resultam da aprovação do Plano de Estabilidade e Crescimento para 2010 2013

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Lucro atribuído ORDINÁRIO. Evolução 1S'15 / 1S'14

Lucro atribuído ORDINÁRIO. Evolução 1S'15 / 1S'14 Lucro atribuído ORDINÁRIO. Evolução 1S'15 / 1S'14 21 Aumento generalizado do lucro, especialmente nas grandes unidades Milhões de euros Lucro atribuído ordinário 1S 15 % Var. s/ 1S'14 Em euros constantes

Leia mais

ATIVIDADE E RESULTADOS DO GRUPO NOVO BANCO EM 2015

ATIVIDADE E RESULTADOS DO GRUPO NOVO BANCO EM 2015 Press Release Lisboa, 24 de fevereiro de 2016 ATIVIDADE E RESULTADOS DO GRUPO NOVO BANCO EM 2015 (Informação financeira não auditada) PRINCIPAIS DESTAQUES Resultados O resultado operacional foi positivo

Leia mais