2.4 (regulação, representatividade, composição, atribuições, posição organizacional) SIMULAÇÃO DO PERFIL DE AVALIAÇÃO DA GESTÃO DAS UNIV 1.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2.4 (regulação, representatividade, composição, atribuições, posição organizacional) SIMULAÇÃO DO PERFIL DE AVALIAÇÃO DA GESTÃO DAS UNIV 1."

Transcrição

1 1 Qualidade do serviço no acompanhamento do contrato 1.1 Perfil dos servidores envolvidos no acompanhamento do contrato 1.2 Dimensionamento da equipe envolvida no acompanhamento do contrato 2 Práticas voltadas para o aumento da eficiência Energética 2.1 Sistema de Monitoramento do consumo de EE 2.2 Projeção da demanda de EE 2.3 Base de dados com séries históricas de consumo e gasto de EE 2.4 Existência de Comissão/Grupo voltados para eficiência energética (regulação, representatividade, composição, atribuições, posição organizacional) 3 Infra-Estrutura da Rede Elétrica (rede/equipamentos) 3.1 Estado de conservação da rede 3.2 Estado de conservação dos equipamentos 3.3 Capacidade instalada em relacão a demanda existente 4 Serviço de Manutenção 4.1 Dimensionamento do pessoal de manutenção elétrica 4.2 Capacitação do pessoal de manutenção elétrica 4.3 Tempo de atendimento 4.4 Capacidade de resolucão de problemas SIMULAÇÃO DO PERFIL DE AVALIAÇÃO DA GESTÃO DAS UNIV 1 CRITÉRIO 1. Qualidade do serviço no acompanhamento do contrato 1.1 Perfil dos servidores envolvidos no acompanhamento do contrato 1.2 Dimensionamento da equipe envolvida no acompanhamento do contrato 2 Práticas voltadas para o aumento da eficiência Energética 2.1 Sistema de Monitoramento do consumo de EE 2.2 Projeção da demanda de EE Excelente 2.3 Base de dados com séries históricas de consumo e gasto de EE Existência de Comissão/Grupo voltados para eficiência energética 2.4 (regulação, representatividade, composição, atribuições, posição organizacional) 3 Infra-Estrutura da Rede Elétrica (rede/equipamentos) 3.1 Estado de conservação da rede 3.2 Estado de conservação dos equipamentos 3.3 Capacidade instalada em relação a demanda existente 4 Serviço de Manutenção 4.1 Dimensionamento do pessoal de manutenção elétrica 4.2 Capacitação do pessoal de manutenção elétrica 4.3 Tempo de atendimento 4.4 Capacidade de resolução de problemas

2 A GESTÃO DAS UNIV 1 Ótimo 100 Bom Regular 0 Ruim

3 1 Qualidade do serviço no acompanhamento do contrato 1.1 Perfil dos servidores envolvidos no acompanhamento do contrato Dimensionamento da equipe envolvida no acompanhamento do contrato Práticas voltadas para o aumento da eficiência Energética Sistema de Monitoramento do consumo de EE Projeção da demanda de EE Base de dados com séries históricas de consumo e gasto de EE Existência de Comissão/Grupo voltados para eficiência energética (regulação, representatividade, composição, atribuições, posição organizacional) Infra-Estrutura da Rede Elétrica (rede/equipamentos) Estado de conservação da rede Estado de conservação dos equipamentos Capacidade instalada em relacão a demanda existente Serviço de Manutenção Dimensionamento do pessoal de manutenção elétrica Capacitação do pessoal de manutenção elétrica 4.3 Tempo de atendimento Capacidade de resolucão de problemas -20 ENER

4 ENERGIA ELÉTRICA - ANÁLISE COMPARADA DAS IFES Bom Neutro UNIV 1 UNIV 2 UNIV 3 UNIV B N U U U U

5 A DAS IFES Bom Neutro UNIV 1 UNIV 2 UNIV 3 UNIV

6 1 Qualidade do serviço no acompanhamento do contrato 1.1 Perfil dos servidores envolvidos no acompanhamento do contrato Dimensionamento da equipe envolvida no acompanhamento do contrato Práticas voltadas para o aumento da eficiência Energética Sistema de Monitoramento do consumo de EE Projeção da demanda de EE Base de dados com séries históricas de consumo e gasto de EE Existência de Comissão/Grupo voltados para eficiência energética (regulação, representatividade, composição, atribuições, posição organizacional) Infra-Estrutura da Rede Elétrica (rede/equipamentos) Estado de conservação da rede Estado de conservação dos equipamentos Capacidade instalada em relacão a demanda existente Serviço de Manutenção Dimensionamento do pessoal de manutenção elétrica Capacitação do pessoal de manutenção elétrica 4.3 Tempo de atendimento 4.4 Capacidade de resolucão de problemas PONTUAÇÃO EN

7 PONTUAÇÃO Bom Neutro UNIV 5 UNIV 6 UNIV ENERGA ELÉTRICA - ANÁLISE COMPARADA DAS IFES

8 RADA DAS IFES Bom Neutro UNIV 5 UNIV 6 UNIV

9 CRITÉRIOS Qualidade do serviço no acompanhamento do contrato Práticas voltadas para o aumento da eficiência Energética Infra-Estrutura da Rede Elétrica (rede/equipamentos) Serviço de Manutenção AVALIAÇÃO GLOBAL

10 AVALIAÇÃO PARCIAL UNIV. 1 UNIV. 2 UNIV. 3 UNIV. 4 UNIV. 5 UNIV. 6 UNIV. 7 18,4-11,3 23,2 27,0 18,4 7,0 7,0 8,4-11,2 15,6 5,7 8,7 8,7 16,9 3,4 0,0 6,6 15,4 20,4 10,0-2,6 5,9 0,0 12,6 7,9 8,3-8,6-3,

11 Distribuição de Pesos entre os 4 Princiapis Critérios da Gestão de Energia Elétrica

12

13

14

15

Ordenação dos Critérios

Ordenação dos Critérios Ordenação dos Critérios Grau de Importância SAGEM Coleta das IFES Critérios 1 100 1 Qualidade do serviço no acompanhamento do contrato 2 40 1.1 Perfil dos servidores envolvidos no acompanhamento do contrato

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão SOF / SPI / DEST. Espelho da Despesa Plurianual 3,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 2,00

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão SOF / SPI / DEST. Espelho da Despesa Plurianual 3,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 2,00 Tipo Detalhamento: 1 - Demais Despesas Discricionárias Programa: 2119 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério de Minas e Energia 13E6 - Construção do Edifício Sede da ANEEL Tipo Projeto Localizador

Leia mais

Design de Sistemas Fotovoltaicos. Apresentação do Curso

Design de Sistemas Fotovoltaicos. Apresentação do Curso Design de Sistemas Fotovoltaicos Apresentação do Curso Sobre a Blue Sol A Blue Sol Energia Solar foi criada em 2008 com a finalidade de se especializar em soluções em energia solar e distribuição de produtos

Leia mais

Geração, Transmissão e Distribuição de EE

Geração, Transmissão e Distribuição de EE Geração, Transmissão e de EE Instalações Elétricas Profs. Alexandre Mota / Lia Mota 1 o Semestre de 2011 ENERGIA 2 Muitas formas de energia na natureza: térmica, luminosa, cinética e potencial (energia

Leia mais

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO. Ar Condicionado e Cogeração a Gás Natural. Alexandre Breda Gerente de Climatização e Cogeração abreda@comgas.com.

COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO. Ar Condicionado e Cogeração a Gás Natural. Alexandre Breda Gerente de Climatização e Cogeração abreda@comgas.com. COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO Ar Condicionado e Cogeração a Gás Natural Alexandre Breda Gerente de Climatização e Cogeração abreda@comgas.com.br - Outubro 2009-1 1 AGENDA 1. Up to Date Ar Condicionado

Leia mais

Especificação para o projeto elétrico de BT

Especificação para o projeto elétrico de BT Especificação para o projeto elétrico de BT O aluno deve escolher uma planta baixa de uma residência, que apresente carga instalada superior a 15 kw, considerando que a tensão da rede de distribuição seja

Leia mais

Manual Brasileiro NR: MA 7 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 01/12/2003. INFRA-ESTRUTURA Data desta Revisão: 06/03/2006

Manual Brasileiro NR: MA 7 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 01/12/2003. INFRA-ESTRUTURA Data desta Revisão: 06/03/2006 Manual Brasileiro NR: MA 7 Pág: 1/1 INFRA-ESTRUTURA Esta seção agrupa todos os componentes que se relacionam à gestão e à manutenção da infra-estrutura da organização. Subseções atuais: Gestão de Projetos

Leia mais

PERÍCIAS DE ENGENHARIA ELÉTRICA

PERÍCIAS DE ENGENHARIA ELÉTRICA PERÍCIAS DE ENGENHARIA ELÉTRICA PERICIAS NAS DIVERSAS ÁREAS DA ENGENHARIA ELÉTRICA 1. PERICIAS EM TRANSFORMADORES Transformadores a óleo e transformadores a seco; Verificação de seus componentes; Ensaios

Leia mais

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Orientações para a implementação de EE em edifícios públicos Paula Baratella, arq. MSc. Analista

Leia mais

PROBEN PROGRAMA DE BOM USO ENERGÉTICO

PROBEN PROGRAMA DE BOM USO ENERGÉTICO PROBEN PROGRAMA DE BOM USO ENERGÉTICO Proben Esplanada ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA ENTRE O MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO E A UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS,

Leia mais

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa?

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Conselho de Administração / Alta Direção Nós estamos extraindo o maior valor possível dos nossos

Leia mais

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso

Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Tecnólogo em Manutenção Industrial Contexto do Curso Diagramas que descrevem o contexto, objetivos e participantes dos projetos 1 Tecnólogo em Manutenção Industrial Missão: Formar tecnólogos de nível superior

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO DE INFRAESTRUTURA. www.b2bnetwork.com.br

DESCRITIVO TÉCNICO DE INFRAESTRUTURA. www.b2bnetwork.com.br DESCRITIVO TÉCNICO DE INFRAESTRUTURA O B2BNetwork é uma plataforma, que é implantada em servidores conectados a uma infraestrutura de rede e/ou de internet. Descrevemos abaixo as possibilidades de ambientes

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2013 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

Serviços em Energia Agregando Valor

Serviços em Energia Agregando Valor Agregando Valor Antonio Carlos Messora Energia Como usar de forma racional e eficiente? Como diminuir custos? Mercado livre ou cativo? Curto Prazo, Longo Prazo ou Que Prazo? O preço vai subir ou descer?

Leia mais

www.tese.org.pt www.facebook.com/tese.ongd www.linkedin.com/in/teseongd

www.tese.org.pt www.facebook.com/tese.ongd www.linkedin.com/in/teseongd www.tese.org.pt www.facebook.com/tese.ongd www.linkedin.com/in/teseongd Energias Renováveis e o Desenvolvimento Social 1. Apresentação da Instituição 2. Projectos da Área das Energias Renováveis e Impactes

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações

Eficiência Energética em Edificações Eficiência Energética em Edificações CONTEÚDO ABORDADO ORGANOGRAMA CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA Consumo Faturado de Energia Elétrica 2011 430 TWh (Fonte: EPE Janeiro 2012) PROCEL EDIFICA O PROGRAMA O Programa

Leia mais

TESTE. Sua empresa está em conformidade com a ISO 27002? POLÍTICA DE SEGURANÇA. 2. Algum responsável pela gestão da política de segurança?

TESTE. Sua empresa está em conformidade com a ISO 27002? POLÍTICA DE SEGURANÇA. 2. Algum responsável pela gestão da política de segurança? TESTE Sua empresa está em conformidade com a ISO 27002? O objetivo do teste tem cunho prático e o objetivo de auxiliá-lo a perceber o grau de aderência de sua empresa em relação às recomendações de Segurança

Leia mais

SENAI como plataforma para capacitação e serviços tecnológicos em biogás Rodrigo Augusto F.O. Zawadzki

SENAI como plataforma para capacitação e serviços tecnológicos em biogás Rodrigo Augusto F.O. Zawadzki SENAI como plataforma para capacitação e serviços tecnológicos em biogás Rodrigo Augusto F.O. Zawadzki SENAI. Nosso i é de indústria. Área de Atuação Aprendizagem Qualificação Profissional Treinamento

Leia mais

Gestão Processos para a tomada de decisão em uma Organização

Gestão Processos para a tomada de decisão em uma Organização Gestão Processos para a tomada de decisão em uma Organização Palestrante: André Luis Sermarini Gerente Depto Desenvolvimento Organizacional ISA CTEEP Cia da Transmissão de Energia Elétrica Paulista Histórico

Leia mais

BRASÍLIA-DF INFRA-ESTRUTURA PREDIAL.

BRASÍLIA-DF INFRA-ESTRUTURA PREDIAL. 1 1-INTRODUÇÃO: CURSO DE CAPACITAÇÃO INFRA-PRED-BMC : Área : Predial (Residencial e Comercial) Carga Horária de cada Módulo: 40 horas -aula Duração Máxima: 120 dias Módulos : 08 ( oito)* * Que se complementam

Leia mais

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE Seção I Da Finalidade Art. 1º A Unidade de Apoio à Gestão Estratégica (UAGE) tem como finalidade promover o gerenciamento estratégico setorial

Leia mais

Projetos e Investimentos em Eficiência Energética e Geração Distribuída

Projetos e Investimentos em Eficiência Energética e Geração Distribuída Projetos e Investimentos em Eficiência Energética e Geração Distribuída CPFL Energia Crescimento sustentável Empresa centenária com atuação no setor elétrico, criada em 1912 Market cap de R$20 bilhões,

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD

ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD Institui e regulamenta o Programa de Uso Racional de Água e Energia Elétrica no âmbito da UFCSPA. O PRÓ-REITOR DE ADMINISTRAÇÃO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE

Leia mais

Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética. Reive Barros dos Santos Diretor

Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética. Reive Barros dos Santos Diretor Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética Reive Barros dos Santos Diretor São Paulo - SP 26 de agosto de 2015 Missão Proporcionar condições favoráveis para que o mercado

Leia mais

TÉCNICO(A) INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES FOTOVOLTAICOS

TÉCNICO(A) INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES FOTOVOLTAICOS TÉCNICO(A) INSTALADOR DE SISTEMAS SOLARES FOTOVOLTAICOS QUADRO RESUMO FORMAÇÃO UFCD Duração (H) Sistemas solares fotovoltaicos 4587 50 Módulos solares fotovoltaicos 4588 50 Projeto de sistema solar fotovoltaico

Leia mais

Automação Residencial Mercado e soluções

Automação Residencial Mercado e soluções Automação Residencial Mercado e soluções Eng. Gabriel Peixoto G. U. e Silva Diretor - Presidente Neocontrol Desenvolvedora e fabricante de equipamentos para a o mercado de automação residencial. Possuímos

Leia mais

Gabriel Assef Fernandes SENAI Centro Internacional de Inovação Federação das Indústrias do Paraná

Gabriel Assef Fernandes SENAI Centro Internacional de Inovação Federação das Indústrias do Paraná Gabriel Assef Fernandes SENAI Centro Internacional de Inovação Federação das Indústrias do Paraná EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA INDÚSTRIA Custo da energia elétrica no Brasil é um dos mais caros do mundo. Crescimento

Leia mais

A Empresa 0940180 HTL

A Empresa 0940180 HTL A Empresa A HTL iniciou suas atividades em fevereiro de 2011, e desde então executa trabalhos de instalação, manutenção, prevenção e adequação de equipamentos e sistemas elétricos, assim como projetos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM INFORMÁTICA EtecMONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA EE: Eixo

Leia mais

PRODESP Tecnologia da Informação

PRODESP Tecnologia da Informação Congresso TI Verde - SUCESU História Início - 24 de julho de 1969. Anos 70 - A nova Sede da PRODESP. Anos 80 - Processo de Descentralização. Anos 90 - Referência em E-E Gov no país e no exterior. História

Leia mais

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 RME Rio Minas Energia Participações S.A Luce Brasil Fundo de Investimentos - LUCE Missão da Light: Ser uma grande empresa

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Gestão da Energia e Sustentabilidade

Conceitos Básicos sobre Gestão da Energia e Sustentabilidade Conceitos Básicos sobre Gestão da Energia e Sustentabilidade Energia: Power (Poder) ou Fraqueza? Eficiência Energética o paradigma A estrutura do trilema : Energia não é Eletricidade Energia: Eletricidade,

Leia mais

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100)

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

Licenciamento Ambiental de UHEs. Núcleo de Licenciamento Ambiental IBAMA/MG

Licenciamento Ambiental de UHEs. Núcleo de Licenciamento Ambiental IBAMA/MG Licenciamento Ambiental de UHEs Núcleo de Licenciamento Ambiental IBAMA/MG Conceitos O Licenciamento Ambiental Federal é um processo administrativo estabelecido pela Política Nacional do Meio Ambiente

Leia mais

Concurso "III Prata da Casa" Edição 2013 "Ação Inovadora" Cadastro da Prática ou Ideia

Concurso III Prata da Casa Edição 2013 Ação Inovadora Cadastro da Prática ou Ideia 26 Concurso "III Prata da Casa" Nome do Participante ABIGAIL CRISTINE CARNEIRO Cargo Assessora Jurídica Email Institucional accarneiro@mp.pr.gov.br Contatos Telefônicos (41) 3279-3089 (41) 9921-7438 (41)

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA Dezembro de 2006 REGOV 2.0 2-12/2006-2 - Índice 1. Introdução... 3 2. Apresentação ao Programa... 3 3. Atividades a serem desenvolvidas no. 3 3.1. Fase de Implantação

Leia mais

AYLA SÂMYA SOUSA SOBRINHO O PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA NA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS - SEMA

AYLA SÂMYA SOUSA SOBRINHO O PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA NA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS - SEMA AYLA SÂMYA SOUSA SOBRINHO O PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA NA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO E RECURSOS HUMANOS - SEMA TERESINA 2013 AYLA SÂMYA SOUSA SOBRINHO O PRINCÍPIO DA EFICIÊNCIA NA SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

Indicadores - Perspectiva Sociedade

Indicadores - Perspectiva Sociedade Indicadores - Perspectiva Sociedade Fortalecer a imagem institucional da Justiça do Trabalho IMAGEM ORGANIZACIONAL GRAU DE CONFIANÇA NA JUSTIÇA DO TRABALHO Mede o grau de confiança dos advogados e partes

Leia mais

A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO

A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO Projeto Hospital UNIMED - RIO Construído em uma área de 30 mil m² o Hospital UNIMED RIO foi inaugurado em Dez / 2012 O Hospital tem como seus principais

Leia mais

Roteiro. Desenvolvimento Sustentável: Conceitos e dimensões 27/10/2011. Histórico. Conceitos. Princípios. Dimensões. Pegada ecológica.

Roteiro. Desenvolvimento Sustentável: Conceitos e dimensões 27/10/2011. Histórico. Conceitos. Princípios. Dimensões. Pegada ecológica. Desenvolvimento Sustentável: Conceitos e dimensões Out/2011 Roteiro Histórico Conceitos Princípios Dimensões Pegada ecológica TI Verde Cidades Sustentáveis 1 Paradigma do desenvolvimento O desenvolvimento

Leia mais

Política de Gestão de Pessoas

Política de Gestão de Pessoas julho 2010 5 1. Política No Sistema Eletrobras, as pessoas são agentes e beneficiárias do fortalecimento organizacional, contribuindo para a competitividade, rentabilidade e sustentabilidade empresarial.

Leia mais

Oportunidade e Competitividade. Thibault Perrigault Gerente de Eficiência Energética

Oportunidade e Competitividade. Thibault Perrigault Gerente de Eficiência Energética Contratos de Eficiência Energética Oportunidade e Competitividade Thibault Perrigault Gerente de Eficiência Energética Assuntos e Oportunidades Uma regulação cada dia mais rigorosa, visando a redução do

Leia mais

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Contexto Perfil de emissões MCTI Ministério do Meio Ambiente Objetivos Ampliar e aprimorar a participação

Leia mais

Catálogo. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Centro de Energia Eólica. Apoio:

Catálogo. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Centro de Energia Eólica. Apoio: Catálogo Apoio: APRESENTAÇÃO O (CE-EÓLICA) se consolida como uma ação estratégica da PUCRS em função do crescimento das competências nesta área, a partir de atividades especificas realizadas pelo NUTEMA,

Leia mais

)))* "*+$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação "$%&'(

)))* *+$ Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação $%&'( )))* "*+$!"# Núcleo de Projetos Especiais Divisão de Processos e Segurança da Informação "$%&'( , $-. Cecom Centro de Computação: atendimento das demandas corporativas da universidade. LCC Laboratório

Leia mais

Relatório Consolidado da aplicação da Fase 3 Monitoramento da Metodologia Sebrae 5 Menos que são Mais Redução de Desperdício e Eficiência Energética

Relatório Consolidado da aplicação da Fase 3 Monitoramento da Metodologia Sebrae 5 Menos que são Mais Redução de Desperdício e Eficiência Energética Relatório Consolidado da aplicação da Fase 3 Monitoramento da Metodologia Sebrae 5 Menos que são Mais Redução de Desperdício e Eficiência Energética em 27 empresa de alimentação no Distrito Federal. BRASÍLIA

Leia mais

Empresas incubadas: casos de pesquisa para inovação em energia solar fotovoltaica 3º InovaFV 05/03/2013 Campinas - SP

Empresas incubadas: casos de pesquisa para inovação em energia solar fotovoltaica 3º InovaFV 05/03/2013 Campinas - SP Empresas incubadas: casos de pesquisa para inovação em energia solar fotovoltaica 3º InovaFV 05/03/2013 Campinas - SP Bruno Wilmer Fontes Lima Comercial e Projetos bruno.lima@solsticioenergia.com +55 19

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos Programa de Gestão Estratégica

Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos Programa de Gestão Estratégica Missão: "Formar profissionais críticos, atuantes e capazes de contribuir desenvolvimento científico e tecnológico no Brasil e no mundo, através da pesquisa científica, ensino de qualidade e extensão na

Leia mais

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa Índice 3 Resultados da pesquisa 17 Conclusão 19 Questionário utilizado na pesquisa Esta pesquisa é uma das ações previstas no Plano de Sustentabilidade para a Competitividade da Indústria Catarinense,

Leia mais

Portal de Memória Técnica

Portal de Memória Técnica Portal de Memória Técnica 1. INTRODUÇÃO A atividade de consultoria é valorizada devido à vasta experiência em diversos cenários e culturas. Muitas vezes o serviço ou produto é o mesmo, no entanto a prática

Leia mais

ORÇAMENTO 2015 07 DE JULHO DE 2015 - ADUFAC

ORÇAMENTO 2015 07 DE JULHO DE 2015 - ADUFAC ORÇAMENTO 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE 07 DE JULHO DE 2015 - ADUFAC ORÇAMENTO 2015 LOA DESCRIÇÃO R$ % % PESSOAL E ENCARGOS 197.214.640 64 71 BENEFÍCIOS 8.493.791 3 3 OCC (CUSTEIO E CAPITAL) 72.511.959

Leia mais

C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r

C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r G l o b a l C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r v.1.8 de 14/07/2010 1 1993: fundada como Integradora de Sistemas 2009: reconhecida Inteligência em Projetos 16 anos de realizações: + 350 projetos no

Leia mais

REDES LEEN DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA COBEE 2015. Tecnologia e Sustentabilidade na Construção Civil. Todos os direitos reservados

REDES LEEN DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA COBEE 2015. Tecnologia e Sustentabilidade na Construção Civil. Todos os direitos reservados REDES LEEN DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA COBEE 2015 1 Expandir oferta x reduzir consumo 9 9 Barreiras 10 10 Ideia Redes de Eficiência Energética LEEN GmbH (Learning Energy Efficiency Networks) PSR Spinoff do

Leia mais

MATRIZ DE REQUISITOS -DGTEC

MATRIZ DE REQUISITOS -DGTEC UNIDADE ORGANIZACIONAL CARGO/ FUNÇÃO Símbolo Formação Acadêmica Obrigatória (Res. 05/2014) Formação Acadêmica Recomendada Tempo de Experiência Recomendado Diretor Geral DG da TI. Pós. Assistente I CAI-3

Leia mais

Objetivos do Compromisso Bahia

Objetivos do Compromisso Bahia Objetivos do Compromisso Bahia Geral Conferir qualidade ao gasto público estadual Específicos Desenvolver uma cultura de responsabilização dos servidores em relação à gestão pública Dotar o governo de

Leia mais

Começa por você! Resultados das ações da Campanha De quem é a responsabilidade?

Começa por você! Resultados das ações da Campanha De quem é a responsabilidade? Resultados das ações da Campanha De quem é a responsabilidade? CAMPANHA DE QUEM É A RESPONSABILIDADE? Início da Campanha outubro de 2009 Objetivo: Implementar a A3P e incentivar os servidores para adoção

Leia mais

RELAÇÃO DOS CURSOS POR ÁREAS TEMÁTICAS 2015

RELAÇÃO DOS CURSOS POR ÁREAS TEMÁTICAS 2015 GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO ESCOLA DE SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DA PARAIBA NÚCLEO DE SELEÇÃO E TREINAMENTO - NUSET RELAÇÃO DOS CURSOS POR ÁREAS TEMÁTICAS 2015 1 CAPACITAÇÃO

Leia mais

Eficiência Energética. Roberto Carlos da Silva - Técnico Comercial Agosto de 2005

Eficiência Energética. Roberto Carlos da Silva - Técnico Comercial Agosto de 2005 Eficiência Energética Roberto Carlos da Silva - Técnico Comercial Agosto de 2005 Desafios para a Competitividade das Empresas Baixa Eficiência Energética; Necessidade de Novas Tecnologias e de Recursos

Leia mais

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO

Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Critérios para certificação de Sites SciELO: critérios, política e procedimentos para a classificação e certificação dos sites da Rede SciELO Versão Março 2008 1 Introdução Este documento tem por objetivo

Leia mais

VALORIZAÇÃO DO PAPEL DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA GESTÃO MUNICIPAL MUNICIPIO DA MAIA

VALORIZAÇÃO DO PAPEL DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA GESTÃO MUNICIPAL MUNICIPIO DA MAIA VALORIZAÇÃO DO PAPEL DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA GESTÃO MUNICIPAL MUNICIPIO DA MAIA 03 Maio 2013 Adelina Rodrigues 1 APRESENTAÇÃO ADELINA RODRIGUES Téc. Superior da CMM e Gestora Municipal de Energia Licenciatura

Leia mais

Maior eficiência energética e participação de fontes renováveis

Maior eficiência energética e participação de fontes renováveis Cidades Solares: iniciativa Campinas Campinas, 22 de novembro de 2007 Maior eficiência energética e participação de fontes renováveis Um estudo para a WWF do Brasil Rodolfo Dourado Maia Gomes International

Leia mais

Garantir efetividade na tramitação dos processos judiciais e administrativos e assegurar a razoável duração do processo.

Garantir efetividade na tramitação dos processos judiciais e administrativos e assegurar a razoável duração do processo. Eficiência Operacional. Buscar a efetividade nos trâmites judiciais e administrativos. Garantir efetividade na tramitação dos processos judiciais e administrativos e assegurar a razoável duração do processo.

Leia mais

I. APRESENTAÇÃO... i II. CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES)... 1

I. APRESENTAÇÃO... i II. CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES)... 1 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO... i EQUIPE... iii METODOLOGIA... v II. CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA (ES)... 1 1. CARACTERÍSTICAS GEOGRÁFICAS E DEMOGRÁFICAS... 1 2. CARACTERÍSTICAS ECONÔMICAS... 1 3.

Leia mais

Projeto integrado do curso de Análise de Sistemas e Tecnologia da Informação

Projeto integrado do curso de Análise de Sistemas e Tecnologia da Informação Projeto integrado do curso de Análise de Sistemas e Tecnologia da Informação Reestruturação da infraestrutura de Tecnologia da Informação de um helpdesk Por: Bruna Freire Pedroso da Costa - Marketing Lucas

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO CAPA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Contextualização Crescimento das Despesas Administrativas Despesas Administrativas - comparáveis entre os órgãos; Suporte às despesas finalísticas. Apoio Administrativo,

Leia mais

Aula 5 Infraestrutura Elétrica

Aula 5 Infraestrutura Elétrica Aula 5 Infraestrutura Elétrica Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Ruído Elétrico Os problemas de energia elétrica são as maiores causas de defeitos no hardware das redes de computadores e conseqüente

Leia mais

Conheça a nossa história

Conheça a nossa história 9 Conheça a nossa história É uma empresa goiana, formada por uma equipe que trabalha a mais de 8 anos com a comercialização de alimentos saudáveis no estado de Goiás, oferecendo sanduíches naturais e o

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL PLS - 2015

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL PLS - 2015 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA EXECUTIVA PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL PLS - 2015 RESULTADOS SEMESTRAIS Brasília Agosto de 2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 MONITORAMENTO... 3 3

Leia mais

Solução EF-ENERGY + Solução WEG para Armazenagem de Grãos

Solução EF-ENERGY + Solução WEG para Armazenagem de Grãos ECONOMIA DE ENERGIA GARANTIDA Solução EF-ENERGY + Solução WEG para Armazenagem de Grãos Destinado a gerar economia de energia na aeração de grãos, a solução de eficiência energética EF-ENERGY regula automaticamente

Leia mais

Práticas de Home Office na Ticket Brasil. Arnaldo Moral Gerente de RH

Práticas de Home Office na Ticket Brasil. Arnaldo Moral Gerente de RH Práticas de Home Office na Ticket Brasil Arnaldo Moral Gerente de RH Perfil Edenred Market Share Líder nos principais segmentos de atuação 41 países Sendo 59% de volume em países emergentes + 6.000 Colaboradores

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REITORIA Avenida Rio Branco, 50 Santa Lúcia 29056-255 Vitória ES 27 3357-7500 COMISSÃO GESTORA DOS PLANOS DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL PLANO

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

SISTEMA DE GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA SISTEMA DE GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA A resolução normativa da aneel nº 414/2010, determina, no art. 218, que as prefeituras terão que receber das concessionárias de energia, e gerenciarem, todo o acervo

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

Eficiência Energética Aplicada na Indústria. Dr. Pedro Magalhães Sobrinho

Eficiência Energética Aplicada na Indústria. Dr. Pedro Magalhães Sobrinho Eficiência Energética Aplicada na Indústria Dr. Pedro Magalhães Sobrinho Eficiência 1 - Virtude de se obter um determinado efeito. 2 - Atitude, competência, eficácia em um cargo que se ocupa ou trabalho

Leia mais

Seminário Segurança Nuclear e Radiológica. Ministro Augusto Sherman Cavalcanti

Seminário Segurança Nuclear e Radiológica. Ministro Augusto Sherman Cavalcanti Seminário Segurança Nuclear e Radiológica Ministro Augusto Sherman Cavalcanti I Auditoria Operacional Cnen visão geral apreendida amplo leque de atribuições. atividades com alto grau de complexidade e

Leia mais

KBAE é uma empresa que oferece soluções para o melhor desenvolvimento e utilização dos recursos e tecnologia de sua empresa.

KBAE é uma empresa que oferece soluções para o melhor desenvolvimento e utilização dos recursos e tecnologia de sua empresa. www.kbae.com KBAE é uma empresa que oferece soluções para o melhor desenvolvimento e utilização dos recursos e tecnologia de sua empresa. Os sistemas de informação são imprescindíveis para a tomada de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC RODRIGUES DE ABREU Código: 135 Município: Bauru / SP Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus

2 Oferta de cursos técnicos e superiores por eixo tecnológico, por Campus. Taxa de ingresso nos cursos técnicos na forma de oferta, por Campus PERSPECTIVA OBJETIVO INDICADOR META RESULTADOS INSTITUCIONAIS 1 Nº de cursos técnicos e superiores, articulados com os arranjos produtivos locais por Campus; 2 Oferta de cursos técnicos e superiores por

Leia mais

Proposta Orçamentária

Proposta Orçamentária Proposta Orçamentária Código Título da Unidade Limite Despesa Saldo 26268 Fundação Universidade Federal de Rondônia 104.468.068 104.468.068 0 Total Geral: 104.468.068 104.468.068 0 SIMEC- Sistema Integrado

Leia mais

Buscamos sempre a solução mais eficaz, de acordo com o avanço tecnológico dos sistemas de Telecomunicações e Tecnologia da Informação.

Buscamos sempre a solução mais eficaz, de acordo com o avanço tecnológico dos sistemas de Telecomunicações e Tecnologia da Informação. A T7 Solutions Informática e Telecomunicações atua como prestadora de serviços de Infraestrutura de TI e Telecom, com foco no desenvolvimento e implementação de soluções de Infraestrutura, Dados e Voz.

Leia mais

Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil

Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil Texto Preliminar Completo - Agosto 2011 INTRODUÇÃO Começam a existir no Brasil um bom número de edifícios com

Leia mais

CASO DE SUCESSO. Transformando Dados em Informação Certa no Tempo Certo. A solução auxiliou na redução de custos com manutenção MICROWARE

CASO DE SUCESSO. Transformando Dados em Informação Certa no Tempo Certo. A solução auxiliou na redução de custos com manutenção MICROWARE CASO DE SUCESSO MICROWARE CLIENTE: SUSEP - Superintendência de Seguros Privados SEGMENTO: Público Transformando Dados em Informação Certa no Tempo Certo A SUSEP amplia sua estrutura de Datacenter e adquire

Leia mais

X SIMPASE Temário TEMA 1. Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como:

X SIMPASE Temário TEMA 1. Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como: X SIMPASE Temário TEMA 1 Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como: - Implantação, operação e manutenção de sistemas de automação

Leia mais

O chuveiro elétrico. continua. sendo um problema no período de ponta! Demanda de energia é problema para a ANEEL. Prof. Racine T. A.

O chuveiro elétrico. continua. sendo um problema no período de ponta! Demanda de energia é problema para a ANEEL. Prof. Racine T. A. Aquecimento solar de água em habitações de interesse social Prof. Racine T. A. Prado Demanda de energia é problema para a ANEEL O chuveiro elétrico continua O chuveiro elétrico permanece um problema no

Leia mais

Dream Energis. Sistema de Eficiência Energética A forma inteligente de medir e controlar a sua energia. Dream Code

Dream Energis. Sistema de Eficiência Energética A forma inteligente de medir e controlar a sua energia. Dream Code Dream Energis Sistema de Eficiência Energética A forma inteligente de medir e controlar a sua energia Dream Code Como podemos ajudá-lo a poupar energia? Estimativa de18% de poupança de energia todos os

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 4ª REGIÃO PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA DA 4ª REGIÃO PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA PRR4 N.º 054, DE 03 DE JUNHO DE 2011. Institui o Programa de Gestão Ambiental e Sustentabilidade e cria a Comissão de Gestão Ambiental e Sustentabilidade no âmbito da Procuradoria Regional da

Leia mais

Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética

Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética Rexroth 4EE Rexroth para Eficiência Energética Procurando reduzir gastos com energia? Por que não aumentar a produtividade ao mesmo tempo? Reduzir os custos operacionais usando a energia com eficiência

Leia mais

Autores: Rodolfo S. Cabral (CCEE), Carlos Dornellas (CCEE), André Valverde (CCEE), Guilherme Borin (CCEE), Nilton Lima (CCEE)

Autores: Rodolfo S. Cabral (CCEE), Carlos Dornellas (CCEE), André Valverde (CCEE), Guilherme Borin (CCEE), Nilton Lima (CCEE) XVIII SEPEF FERRAMENTAS DE GESTÃO DE RISCO NA COMERCIALIZAÇÃO PARA AGENTES DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA Autores: Rodolfo S. Cabral (CCEE), Carlos Dornellas (CCEE), André Valverde (CCEE), Guilherme Borin

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS UMA IMPORTANTE ALTERNATIVA PARA O AVANÇO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA Daniel R. Figueiredo Especialista em Estruturação de Projetos de PPP e Concessões 26/08/2015

Leia mais

Teste: sua empresa está em conformidade com a ISO17799?

Teste: sua empresa está em conformidade com a ISO17799? 44 Novembro de 2002 Teste: sua empresa está em conformidade com a ISO17799? O artigo deste mês tem cunho prático e o objetivo de auxiliá-lo a perceber o grau de aderência de sua empresa em relação às recomendações

Leia mais

Cerca de 30% do consumo elétrico no Comércio e Serviços

Cerca de 30% do consumo elétrico no Comércio e Serviços Os motores elétricos apresentam um papel fundamental nas empresas, o que se reflete igualmente num peso elevado nos custos energéticos associados ao seu funcionamento. Cerca de 70% do consumo elétrico

Leia mais

Apresentação. Empresarial SOLUÇÕES EM TI

Apresentação. Empresarial SOLUÇÕES EM TI Apresentação Empresarial 2013 2014 SOLUÇÕES EM TI Ins tucional A Empresa Empresa focada na gestão de tecnologia da informação, que visa proporcionar a seus clientes redução dos gastos com TI, monitoramento

Leia mais

Soluções para redução do consumo com água e energia elétrica nas IFEs

Soluções para redução do consumo com água e energia elétrica nas IFEs Soluções para redução do consumo com água e energia elétrica nas IFEs SPO/MEC SETEC/MEC SESU/MEC MP/SOF MF/STN SG/PR Contextualização A importância da redução dos gastos para controle das contas públicas

Leia mais

COMO ENVIAR AS CONTRIBUIÇÕES?

COMO ENVIAR AS CONTRIBUIÇÕES? FORMULÁRIO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÃO AO APERFEIÇOAMENTO DO TEXTO DA PROPOSTA DE PROJETO DE LEI QUE ALTERA, REVOGA E ACRESCE DISPOSITIVOS DÀ LEI Nº 8.159, DE 1991, QUE DISPÕE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL

Leia mais

3º Encontro Técnico do RHAE SIMC

3º Encontro Técnico do RHAE SIMC FOCO EM PESSOAS FOCO EM PROCESSOS FOCO EM FERRAMENTAS 3º Encontro Técnico do RHAE SIMC Sistema para Apoio à Decisão em Gerência de Malhas de Transporte Viário baseado no Monitoramento em Tempo Real das

Leia mais

Perspectiva Recursos - Tema Pessoas Objetivo - Desenvolver competências e valorizar pessoas

Perspectiva Recursos - Tema Pessoas Objetivo - Desenvolver competências e valorizar pessoas Indicador Responsável: SET Índice Mínimo de Capacitação dos Servidores em Competências (IMCSC) Servidores Capacitados x 100 Servidores em Exercício Variáveis Servidores Capacitados: servidores que tiveram

Leia mais