Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez"

Transcrição

1 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez Workshop para Profissionais de Saúde Factos sobre a Malária 250 milhões de casos por ano em todo o mundo 9 em cada 10 casos registam-se em África Em África, morre uma pessoa vítima de malária a cada 10 segundos As mulheres e as crianças pequenas são os grupos de maior risco Afecta cinco vezes mais pessoas do que a SIDA, a lepra, o sarampo e a tuberculose em conjunto 2 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 1

2 Factos sobre a Malária e a Gravidez Existem anualmente 25 milhões de mulheres Africanas grávidas nas áreas afectadas pela malária A malária é mais frequente e mais complicada durante a gravidez Nas áreas onde a malária é endémica, a doença pode contribuir para: Até 15% da anemia maternal 8 14% de baixo peso à nascença 30% de baixo peso à nascença evitável 3 8% da mortalidade infantil 3 Parceria para a Redução da Malária Parceria mundial lançada pela OMS, UNICEF, UNDP em 1998 para fornecer uma abordagem global coordenada para a luta contra a malária. Parceiros: governos, grupos privados, organizações de pesquisa, sociedade civil, comunicação social. Visão: Concretizar até 2015 os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (MDGs) relacionados com a malária. A malária já não é a principal causa de mortalidade e nem uma barreira para o desenvolvimento e crescimento social e económico em qualquer parte do mundo. 4 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 2

3 Parceria Fazer Recuar a Malária (RBM) Prioridade: Evitar resultados fracos causados pela malária na gravidez Cimeira RBM Yaoundé 2005: Plano estratégico tinha como alvo grupos vulneráveis Meta: até 2010, 80% das mulheres grávidas nas áreas de transmissão estável receberem TIP Recursos e ferramentas de promoção gratuitos em: 5 Prevenção e Tratamento da Malária na Gravidez Estratégia da OMS: Uso de redes tratadas com insecticida (RTIs) Tratamento intermitente preventivo (TIP) Gestão de casos de mulheres com sintomas e sinais de malária Plataforma para estes serviços: cuidados pré-natais focalizados com educação sanitária sobre a malária 6 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 3

4 Prevenção e Controlo da Malária durante a Gravidez Capítulo Um: Cuidados Pré-Natais Focalizados Cuidados Pré-Natais Focalizados: Objectivos do Capítulo Explicar as diferenças entre os cuidados especializados básicos, adicionais e iniciais Descrever as quatro metas principais dos CPN focalizados Descrever os elementos essenciais de um plano de prontidão para partos e complicações Discutir a frequência e coordenação das consultas CPN focalizadas Descrever os componentes de manutenção de registos para CPN Focalizados 8 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 4

5 Cuidados Pré-Natais Tradicionais Enfatizam: Cuidados ritualísticos, de rotina Acções frequentemente não se baseiam em factos nem direccionadas a metas orientadas ao objectivo Visitas frequentes Não enfatizam as necessidades específicas das pacientes Frequentemente baseadas numa abordagem de risco 9 Cuidados Pré-Natais Focalizados Uma abordagem ao CPN que enfatiza: Acções baseadas nas evidências e orientadas para o objectivo Cuidados individualizados e focalizados na grávida Qualidade vs. quantidade de consultas Cuidados prestados por profissionais qualificados 10 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 5

6 Acções Baseadas em Evidências, Orientadas para Objectivos Responder às questões de saúde mais prevalentes que afectem as mulheres e recém-nascidos Ajustadas a populações/regiões específicas Adequadas à idade gestacional Com base em razões firmes 11 Cuidados Individualizados, Centrados na Grávida Com base nas: Necessidades e preocupações específicas Circunstâncias História, exame físico, testagem Recursos disponíveis de cada mulher 12 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 6

7 Qualidade vs. Quantidade de Consultas ANC Estudo da OMS em diversos centros: Número de consultas reduzido sem afectar o resultado para a mãe e o bebé Recomendações: Conteúdo e qualidade vs. número de consultas Cuidados orientados para o objectivo Mínimo de quatro consultas 13 Deixaram de ser Recomendados Numerosas consultas de rotina: Sobrecarga para as grávidas e para o sistema de saúde Medições e exames de rotina: Altura e peso da grávida Edema do tornozelo Posição fetal antes das 36 semanas Cuidados baseados na avaliação dos riscos 14 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 7

8 Abordagem de Risco Não é uma estratégia eficaz de CPN porque: Não se podem prever complicações todas as mulheres grávidas correm o risco de desenvolver complicações Os factores de risco normalmente não são a causa directa das complicações 15 Abordagem de Risco (cont.) Muitas grávidas de baixo risco desenvolvem complicações: Têm uma falsa sensação de segurança Não sabem como reconhecer/resolver os problemas Muitas grávidas de alto risco dão à luz sem quaisquer complicações: Uso ineficiente dos escassos recursos 16 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 8

9 Cuidados Prestados por um Profissional Capacitado Possui formação e experiência formais Possui conhecimentos, capacidades e qualificações para prestar cuidados de saúde materna e neo-natal seguros e eficientes Atende ao domicílio, no hospital, centro de saúde Pode ser uma parteira, enfermeira, médico, oficial clínico, etc. 17 Âmbito dos CPN Focalizados O âmbito dos serviços pré-natais inclui: Cuidados básicos Cuidados para necessidades adicionais Cuidados especializados adicionais 18 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 9

10 Cuidados Básicos para todas as grávidas Serviços que todas as grávidas deveriam receber para assegurar, apoiar e manter um ciclo de maternidade normal: Detecção atempada das complicações, condições crónicas e outros problemas/potenciais problemas Promoção de saúde para facilitar praticas saudáveis Apoio nutricional Prontidão para o parto/complicação Testagem/aconselhamento sobre HIV (excepto se a paciente recusar ) Imunizações outras medidas preventivas 19 Cuidados Adicionais para algumas grávidas Para responder a preocupações tais como desconfortos comuns ou necessidades especiais durante a gravidez Necessidades especiais: condições ou factores pessoais/sociais a considerar no planeamento e implementação dos cuidados Exemplos de cuidados adicionais: Aconselhamento sobre tópicos de saúde específicos Responder às necessidades das adolescentes grávidas Cuidados com grávidas sero-positivas 20 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 10

11 Cuidados Especializados Iniciais para algumas grávidas Algumas grávidas irão necessitar de cuidados especializados iniciais para problemas mais graves ou complicações incluindo consultas CPN adicionais e/ou transferência Exemplos: complicações que representem risco de vida, por exemplo, malária grave, anemia ou hemorragia prénatal Não inclui a gestão do problema, mas a estabilização e preparação para transferência para um nível de cuidados mais elevado 21 Âmbito dos ANC Focalizados A maioria das grávidas necessita somente destes serviços Algumas grávidas também necessitam destes serviços Poucas grávidas necessitam destes serviços 22 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 11

12 Meta dos Cuidados Pré-Natais Focalizados Promover a saúde e sobrevivência materna e neo-natal através da: Identificação e tratamento dos problemas sanitários existentes Detecção precoce e tratamento de problemas e/ou complicações resultantes da gravidez Preparação para o parto e prontidão para responder a complicações Promoção da saúde e prevenção de doenças 23 Identificação e Tratamento dos Problemas Sanitários Existentes A detecção atempada e tratamento de problemas que podem complicar a gravidez da mulher Avaliação dirigida: O profissional de saúde entrevista, examina e testa a grávida para detectar sinais/sintomas de condições que sejam comuns na população a ser servida além das complicações associadas com a gravidez. Fornecer (ou facilitar) o tratamento adequado 24 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 12

13 Identificação e Tratamento dos Problemas Sanitários Existentes (cont.) Malária historial e exame físico: A grávida vive numa área de transmissão de malária estável ou instável? Febre e sinais/sintomas paralelos Casos complicados vs. casos não complicados Anemia grave exame físico, teste Hipertensão medição da pressão arterial HIV aconselhamento e testagem Infecções sexualmente transmissíveis: Incluindo triagem de sífilis (RPR) e outras 25 Detecção Precoce de Complicações e/ou Doenças Outro componente da avaliação dirigida Detecção de sinais e sintomas de complicações maternas, por exemplo: Hemorragia Pré-eclampsia/eclampsia Parto prolongado/obstruído Sepsis/infecção 26 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 13

14 Detecção Precoce de Complicações e/ou Doenças (cont.) Gestão de complicações ou gestão inicial e estabilização, incluindo medidas de salvaguarda da vida conforme necessário Facilitar a gestão ou transferência para um nível de cuidados mais elevado 27 Preparação para o Parto e Prontidão para Responder a Complicações Desenvolver plano de parto para um parto normal e possíveis complicações: Preparativos realizados com antecedência pela grávida e família (com o apoio do profissional qualificado) Geralmente não se trata de um documento escrito Revisto/verificado em cada consulta Minimizar a desorganização no momento do parto ou em caso de emergência Garantir cuidados apropriados e atempados 28 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 14

15 Elementos Essenciais de um Plano de Parto Estabelecimento ou local do parto: Em casa ou numa unidade de saúde, estabelecimento apropriado para emergências Profissional qualificado: Para assistir ao parto Profissional/estabelecimento de saúde: Informações para Contacto Transporte: Fiável, acessível, especialmente fora de horas Fundos: Poupanças pessoais, fundos de emergência Tomada de decisão: Quem tomará as decisões, especialmente numa emergência 29 Elementos Essenciais de um Plano de Parto (cont.) Apoio da família e da comunidade: Cuidados para a família durante a ausência da grávida e presença de um acompanhante durante o parto Doador de sangue: Em caso de emergência Itens necessários: Para um parto limpo e seguro e para os cuidados com o recém-nascido Conhecimentos sobre: Sinais de perigo/sinais de trabalho de parto em estágio avançado 30 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 15

16 Sinais de Perigo na Gravidez Sangramento vaginal Dificuldades respiratórias Febre Fortes dores abdominais Cefaleia/visão turva graves Convulsões/perda de consciência Dores de parto antes das 37 semanas 31 Promoção de Saúde e Prevenção de Doenças Informar e instruir a grávida utilizando mensagens sobre saúde e aconselhamento adequados às: Necessidades, preocupações e circunstâncias individuais Idade gestacional Questões de saúde mais prevalecentes Apoiar a grávida na tomada de decisões e resolução de problemas existentes ou previstos Envolver o companheiro e a família no apoio/adopção de práticas de saúde 32 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 16

17 Promoção de Saúde e Prevenção de Doenças (cont.) Prevenção da malária: Tratamento intermitente preventivo (TIP) Utilização de redes tratadas com insecticida (RTI) O que a família puder fazer para minimizar a proliferação/picada do mosquito Outras questões importantes a serem discutidas incluem: Nutrição Cuidados desconfortos normais Uso de substâncias potencialmente nocivas Higiene Repouso e actividade 33 Tópicos de Promoção de Saúde Relações sexuais e sexo seguro Aleitamento materno exclusivo nos primeiros meses de vida Testagem e aconselhamento sobre a infecção HIV: A menos que ela decida em contrário Planeamento familiar/coordenação e espaçamento saudável das gravidezes 34 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 17

18 Prevenção de Doenças Conjuntamente com mensagens de saúde, outro aspecto importante na promoção da saúde é o fornecimento de intervenções seguras e racionais para evitar determinadas condições 35 Prevenção de Doenças (cont.) Prevenção da malária: Tratamento periódico preventivo (TIP) Uso de redes tratadas com insecticida (RTIs), incluindo redes tratadas com insecticida de longa duração (RTILDs) Onde obter acesso O que a família pode fazer para minimizar a proliferação/picadas do mosquito Prevenção da transmissão do VIH de mãe-para-filho (PMTCT) se aplicável: Seguir directrizes locais 36 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 18

19 Prevenção de Doenças (cont.) Evitar outras doenças/deficiências endémicas: Anemia: Suplementos de ferro/ácido fólico e aconselhamento nutricional Tratamento presuntivo para infecção com ténia Tétano: Vacina contra o tétano Suplementos de vitamina A (de acordo com as directrizes nacionais): Ajuda a evitar a cegueira nocturna e auxilia no crescimento e desenvolvimento fetal 37 Prevenção de Doenças (cont.) Suplementos de iodo (de acordo com directrizes nacionais): A deficiência de iodo é a principal causa de atrasos mentais e danos cerebrais evitáveis especialmente no feto em desenvolvimento e crianças pequenas. Durante a gravidez, esta também aumenta as probabilidades de aborto espontâneo e nados mortos. 38 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 19

20 Marcação e Periodicidade das Consultas CPN Primeira consulta: Até a 16ª semana ou quando a paciente se aperceber de que está grávida Segunda consulta: por volta da 24ª e 28ª semana ou, pelo menos, uma vez no 2 trimestre Terceira consulta: por volta da 32ª semana Quarta consulta: por volta da 36ª semana Outras consultas: Em caso de complicações, ou se for necessária uma consulta de acompanhamento ou de encaminhamento, se a grávida desejar consultar o profissional de saúde ou se este alterar a frequência das consultas com base nas suas observações ou na política local 39 Manutenção de Registos das Consultas CPN Necessário para: Monitorar adequadamente o estado da grávida Fornecer continuidade nos serviços Comunicação efectiva entre profissionais de saúde e locais de prestação de cuidados de saúde (em caso de transferência) 40 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 20

21 Responsabilidades na Manutenção de Registos Local de prestação de cuidados de saúde: Estabelece e mantém um registo de cada grávida e ecém-nascido que recebem cuidados Profissional de saúde: Recolhe a informação, regista-a, faz referências, e actualiza-a em cada consulta Certifica-se de que a informação seja precisa e esteja escrita de forma clara 41 Manutenção de Registos Registar toda a informação no boletim de CPN e no boletim clínico da grávida: Primeira consulta de CPN: Historial Exame físico Testagem adequada (ex., malária, VIH) Prestação de cuidados, incluindo TIP, TT, ferro/ácido fólico Discussão de mensagens de saúde, incluindo plano de parto, prevenção da malária (uso de RTIs) e sinais de alerta Data da próxima consulta de CPN 42 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 21

22 Manutenção de Registos (cont.) Consultas de CPN seguintes: Historial provisório Exame físico direccionado, testes Prestação de cuidados, incluindo provisão de TIP, se necessário Mensagens de saúde (incluindo controle/revisão do plano de parto) Aconselhamento/testagem VIH caso não tenha sido anteriormente efectuado ou se a grávida assim o desejar Data da próxima consulta de CPN 43 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez Capítulo Dois: Transmissão da Malária Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 22

23 Transmissão da Malária: Objectivos do Capítulo Definir malária e forma de transmissão Descrever a extensão da malária em África no geral e no seu próprio país Comparar os efeitos da malária em área de transmissão estável e instável Enumerar os efeitos da malária em grávidas e nos bebés ainda não nascidos Descrever os efeitos da malária em grávidas com VIH/SIDA 45 Transmissão da Malária Provocada por parasitas Plasmodium: Plasmodium falciparum: O tipo mais comum na maioria dos países Africanos Causa a doença mais grave Plasmodium vivax Plasmodium ovale Plasmodium malaria 46 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 23

24 Transmissão da Malária (cont.) Propaga-se através dos mosquitos Anopheles fêmeas infectados com parasitas Os mosquitos Anopheles geralmente estão activos durante a noite Mosquito infectado pica a pessoa Os parasitas da malária reproduzem-se no sangue humano O mosquito pica uma pessoa infectada, e vai picar e infectar outra pessoa 47 Mosquito Anopheles Os mosquitos Anopheles diferem de outros mosquitos na forma como está posicionado o seu corpo. O corpo do Anopheles aponta para cima para o ar em linha recta, mas noutros mosquitos, a traseira está dobrada e aponta para baixo. 48 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 24

25 Factores que Afectam a Transmissão Locais de reprodução Parasitas Clima População 49 Locais de Reprodução Águas estagnadas ou paradas: Pequenos lagos, valas, poços, e canais Pântanos, reservatórios, e campos de arroz Poças de águas depois de chover Tanques de água descobertos Cursos de água com pouco fluxo ao longo das margens Pegadas de animais cheias de água Objectos que armazenam água: latas, e recipientes, vazios 50 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 25

26 Parasitas e Clima É necessário que existam parasitas suficientes na população humana para infectar o mosquito Para o mosquito sobreviver e o parasita se desenvolver é necessário que a temperatura seja em média entre os C e a humidade acima de 60% Quanto mais quente o tempo, mais rápido será o desenvolvimento do parasita 51 População Em África, os mosquitos Anopheles não voam para além de cerca de 1 2 km dos seus locais de reprodução As pessoas devem estar perto ou a uma curta distância destes locais de reprodução para serem picadas pelo mosquito infectado 52 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 26

27 Populações Mais Afectadas Pela Malária Crianças com menos de 5 anos de idade: Cerca de 70% dos óbitos por causa da malária Mulheres grávidas: Mais propensas a serem infectadas relativamente às mulheres não grávidas Mulheres na primeira ou segunda gravidez correm mais riscos Bebés ainda não nascidos Imigrantes provenientes de áreas de fraca transmissão Pessoas infectadas com o VIH 53 Níveis de Transmissão- Transmissão Estável Locais onde a população está continuamente exposta à malária a uma taxa relativamente constante A imunidade é desenvolvida durante a infância Os adolescentes e adultos são parcialmente imunes, apesar de poderem ter alguns parasitas no seu sangue A imunidade é reduzida durante a gravidez e pode-se perder quando as pessoas permanecem fora da área de transmissão elevada por muito tempo As crianças e mulheres grávidas nas áreas de transmissão estável correm maior risco de ficarem doentes com malária 54 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 27

28 Transmissão Estável Imunidade adquirida elevada Infecção assimptomática a 1ª e 2ª gravidez correm mais risco. Todas as mulheres grávidas HIV positivas estão sob maior risco. Anemia Sequestro placental integridade placental alterada Menos transporte de nutrientes Mortalidade materna Baixo peso à nascença Maior mortalidade infantil WHO Níveis de Transmissão- Transmissão Instável A população não é exposta à malária com muita frequência A malária por vezes pode ser sazonal nestas áreas (por exemplo, estação chuvosa) A população desenvolve pouca ou nenhuma imunidade Crianças, adultos, mulheres grávidas e não grávidas são igualmente susceptíveis 56 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 28

29 Níveis de Transmissão- Transmissão Instável (cont.) A malária durante a gravidez pode ser muito grave; podem ocorrer complicações num curto período As mulheres grávidas normalmente apresentam sinais/sintomas clínicos e algumas vezes malária grave, o que representa um risco de vida Resultados comuns da infecção com malária em áreas instáveis: Abortos, nados mortos e baixo peso à nascença 57 Transmissão Instável Imunidade adquirida baixa ou inexistente Doença clínica Doença grave Todas as gravidezes correm risco Estratégias Chave de Intervenção: Reconhecimento da doença e gestão dos casos Risco para a mãe Risco para o feto WHO Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 29

30 Níveis de Transmissão - Transmissão Mista Podem ocorrer diversos níveis de transmissão dentro de um país ou região Dentro de uma região malárica (tal como a África Austral) podem existir áreas sem malária Os factores que afectam a transmissão incluem a temperatura, humidade e altitude: O tempo de vida do mosquito aumenta com a humidade elevada, enquanto o tempo frio (abaixo de 16 C) retarda o desenvolvimento do parasita da malária 59 Efeitos da Malária nas Grávidas Todas as grávidas que vivem em áreas endémicas de malária encontram-se em risco Os parasitas atacam e destroem os glóbulos vermelhos A malária é a causa de até 15% de anemia durante a gravidez Pode provocar anemia grave Em África, a anemia provocada pela malária é a causa de cerca de óbitos de mulheres por ano 60 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 30

31 Efeitos da Malária nas Grávidas (cont.) Os efeitos variam de ligeiros a graves, dependendo do nível de transmissão da malária num determinado cenário e do nível de imunidade da grávida O nível de imunidade depende de diversos factores: Intensidade da transmissão da malária Número de gravidezes anteriores Presença de outras condições, tais como o VIH, que pode diminuir a reacção imunitária durante a gravidez 61 VIH/SIDA durante a Gravidez Reduz a resistência da grávida à malária Aumenta a probabilidade de desenvolver malária clínica Faz com que o tratamento da malária seja menos eficaz Aumenta o risco de problemas associados com a malária durante a gravidez Aumenta o risco de restrição do crescimento intrauterino Aumenta o risco de parto prematuro Aumenta o risco de anemia materna 62 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 31

32 VIH/SIDA e Malária As grávidas que estejam co-infectadas com o VIH e malária correm um risco elevado de anemia e infecção da placenta com malária Os seus recém-nascidos estão por este motivo mais propensos a terem baixo peso à nascença e a morrerem durante a infância 63 Integração dos Serviços de Malária e VIH: Recomendações da OMS A protecção com RTIs é uma prioridade importante Mulheres sero-positivas com risco de malária deveriam receber TIP com SP (pelo menos 3 doses ou conforme directrizes nacionais) ou com profilaxia de cotrimoxazole: NÃO dar SP a pacientes tratados diariamente com cotrimoxazole Deverá existir uma colaboração entre os programas de saúde reprodutiva com os programas de controlo do VIH e malária para assegurar a prestação de serviços integrados: Aconselhamento e cuidados dirigidos para a prevenção/tratamento tanto da malária como do VIH Ferramentas de diagnóstico apropriadas para ambas doenças, antiretrovirais, e antimaláricos disponíveis a todos os níveis do sistema de cuidados de saúde 64 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 32

33 Malária e Anemia Falciforme Pessoas com anemia de tracto falciforme têm alguma resistência contra a malária falciparum, especialmente na primeira infância Apesar de poderem ter protecção, continua a ser importante que as pessoas com anemia do tracto falciforme recebem TIP e usem RTIs e outras medidas preventivas 65 Efeitos da Malária em Bebés ainda não Nascidos Durante a gravidez, os parasitas da malária ocultam-se na placenta Isto interfere com a transferência de oxigénio e de nutrientes para o bebé, aumentando o risco de: Aborto espontâneo Parto prematuro Baixo peso à nascença o maior factor de risco de morte no primeiro mês de vida Nado-morto 66 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 33

34 Efeitos da Malária nas Comunidades É a causa de ausência no trabalho e redução do salário É a causa de frequentes ausências escolares Pode causar anemia crónica nas crianças, inibindo o crescimento e desenvolvimento intelectual afectando a produtividade futura Utiliza recursos escassos Sobrecarrega os recursos financeiros (o tratamento é mais custoso que a prevenção) Medicamentos (custo) Provoca mortes evitáveis, especialmente entre crianças e mulheres grávidas 67 Resumo dos Pontos Principais A malária transmite-se através da picada do mosquito As grávidas e as crianças são as mais afectadas As grávidas infectadas com malária podem não apresentar sintomas As grávidas com VIH/SIDA correm mais riscos de infecção com malária 68 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 34

35 Resumo dos Pontos Principais (cont.) A malária pode causar anemia grave, aborto espontâneo, baixo peso à nascença É possível prevenir a malária É possível tratar a malária 69 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez Capítulo Três : Prevenção da Malária Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 35

36 Prevenção da Malária: Objectivos do Capítulo Enumerar os três elementos da prevenção e controlo da malária e acordo com a estratégia da OMS para Malária Durante agravidez (MDG) Enumerar os elementos para aconselhar as grávidas a utilizarem redes tratadas com insecticida (RTI) e Tratamento intermitente preventivo (TIP) durante a gravidez e outros meios de prevenção da malária Descrever a utilização de sulfadoxina-pirimetamina (SP) para o TIP, incluindo dosagem, coordenação e contra-indicações 71 Estratégia da OMS/AFRO para a Prevenção da Malária Projectada para se adequar à maioria dos cenários Africanos com directrizes para adaptá-la à situação local Baseada no facto de a maioria dos Países da África subsaariana representarem área de transmissão estável 72 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 36

37 Estratégia da OMS/AFRO para a Prevenção da Malária (cont.) Redes tratadas com insecticida (RTIs) Tratamento periódico preventivo na gravidez (TIPg) Gestão de casos de malária e anemia 73 RedesTratadascom Insecticida Muito eficazes porque os mosquitos picam à noite quando a grávida está a dormir Reduzem o contacto humano com os mosquitos por: Matá-los quando aterram na rede, ou Repelindo-os, além de afastá-los para longe de onde as pessoas estão a dormir 74 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 37

38 RedesTratadascom Insecticida (cont.) Evitam o contacto físico com os mosquitos Matam ou repelem outros insectos: Piolhos Carraças Percevejos 75 RedesTratadascom Insecticida (cont.) Redes sem tratamento Fornecem alguma protecção contra a malária Não matam nem repelem os mosquitos em contacto com a rede Não reduzem o número de mosquitos Não matam outros insectos como piolhos, carraças e percevejos São seguras para a grávida, crianças e bebés Redes tratadas com insecticida Fornecem um alto nível de protecção contra a malária Matam ou repelem os mosquitos em contacto com a rede Reduzem o número de mosquitos no interior/exterior da rede Matam outros insectos como os piolhos, e percevejos São seguras para a grávida, crianças e bebés 76 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 38

39 Benefícios das Redes Tratadas com Insecticida Evitam as picadas do mosquito Protegem contra a malária, reduzindo a: Anemia Prematuridade e baixo peso à nascença Risco de morte para a mãe e o recém-nascido Ajudam as pessoas a terem um sono mais tranquilo Promovem o crescimento e desenvolvimento do feto e do recém-nascido 77 Benefícios das Redes Tratadas com Insecticida: Comunidade Custam menos do que tratar a malária Reduzem o número de crianças e adultos doentes (ajudando as crianças a crescer saudáveis e os adultos activos a manterem-se produtivos) Reduzem o número de óbitos 78 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 39

40 Onde Encontrar as Redes Tratadas com Insecticida Comércio geral Drogarias/farmácias Mercados Unidades de saúde públicas e privadas Profissionais de saúde comunitários ONGs, organizações baseadas na comunidade 79 Como Utilizar as Redes Tratadas com Insecticida Suspensas sobre a cama ou a esteira Presas sob o colchão ou esteira Todas as noites, durante todo ano Se possível, devem ser utilizadas por todos, dando prioridade às grávidas, bebés e crianças 80 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 40

41 RedesTratadascom Insecticida RTI presa sob a cama RTI presa sob o colchão 81 Cuidados a Ter com as Redes Tratadas com Insecticida Manusear com cuidado para evitar rasgões Manter a rede presa durante o dia para evitar danificá-la Verificar regularmente que não tenha buracos, devendo ser reparada se estes forem encontrados Para se manterem eficazes, as redes devem ser tratadas regularmente com insecticida Manter a rede afastada do fumo, fogo e da luz directa do sol 82 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 41

42 RedesTratadascom Insecticida de Longa Duração (RTILDs) Uma rede pré-tratada, pronta a usar que dura entre 3 e 5 anos (dependendo do tipo) e não necessita ser retratada durante esse período Comparado com as RTIs, as redes de longa duração: Normalmente só têm um único custo Não necessitam de tratamento adicional Poupam dinheiro na medida em que não existem custos adicionais associados com o re-tratamento, campanhas de re-tratamento ou insecticidas adicionais 83 Tratamento intermitente preventivo (TIP) Com base na assumpção de que todas as grávidas que vivem numa área de elevado grau de transmissão da malária têm parasitas da malária no seu sangue ou placenta, quer apresentem sintomas de malária ou não. Embora uma grávida com malária possa não apresentar sintomas, ela e o seu bebé podem mesmo assim ser afectados pela doença. 84 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 42

43 Tratamento intermitente preventivo (TIP): Use OMS 2004: Todas as grávidas deveriam receber pelo menos duas doses sulfadoxina-pirimetamina (SP) durante as consultas CPN Administrar a primeira dose depois de sentir os movimentos do feto e não antes da 16ª semana de gestação Administrar a 2ª dose pelo menos 1 mês (4 semanas) mais tarde Evitar que os parasitas ataquem a placenta ajuda o feto a desenvolver-se naturalmente e evita o baixo peso à nascença. 85 Tratamento intermitente preventivo: Dose e Periodicidade Uma única dose é composta por três comprimidos de sulfadoxina 500 mg + pirimetamina 25 mg O profissional de saúde deve fornecer a dose e observar pessoalmente a paciente enquanto a toma 86 Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez 43

Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez. Workshop para Profissionais de Saúde

Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez. Workshop para Profissionais de Saúde Prevenção e Controlo da Malária Durante a Gravidez Workshop para Profissionais de Saúde Factos sobre a Malária 250 milhões de casos por ano em todo o mundo 9 em cada 10 casos registam-se em África Em África,

Leia mais

controlo da malária Manual de referência para profissionais de saúde Segunda edição

controlo da malária Manual de referência para profissionais de saúde Segunda edição Prevenção e controlo da malária d u r a n t e a g r av i d e z Manual de referência para profissionais de saúde Segunda edição P r e v e n ç ã o e controlo da malária durante a gravidez Manual de referência

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE MANUAL DE FORMAÇÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DA SAÚDE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE MANUAL DE FORMAÇÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DA SAÚDE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE MANUAL DE FORMAÇÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DA SAÚDE Programa Nacional de Controlo da Malária Março, 2007 1 Introdução Natureza da formação Os Agentes Comunitários

Leia mais

Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia

Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia A pré-eclâmpsia é muito mais comum do que a maior parte das pessoas pensa na realidade ela é a mais comum das complicações graves da gravidez. A pré-eclâmpsia

Leia mais

Malária durante a Gravidez

Malária durante a Gravidez Malária durante a Gravidez Emmanuel Otolorin, Director Nacional, Nigéria William Brieger, Especialista Sénior na área da Malária Jhpiego, The Johns Hopkins University Esta palestra foi preparada por Emmanuel

Leia mais

Uso correcto dos medicamentos

Uso correcto dos medicamentos Uso correcto dos medicamentos CAPÍTULO 6 Curar sem medicamentos Para curar a maioria das doenças, não é necessário utilizar medicamentos. O organismo tem as suas defesas próprias, ou maneiras de resistir

Leia mais

Prevenção e Controlo da Malária durante a Gravidez

Prevenção e Controlo da Malária durante a Gravidez ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO ILUSTRATIVA para a Prevenção e Controlo da Malária durante a Gravidez Desenvolvido por Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health Centro para Programas de Comunicação Lista

Leia mais

inhemaco S.A. is a pre-eminent provider of Cross-border Medical Risk Management Solutions Traveller s MALARIA www.inhemaco.com

inhemaco S.A. is a pre-eminent provider of Cross-border Medical Risk Management Solutions Traveller s MALARIA www.inhemaco.com inhemaco S.A. is a pre-eminent provider of Cross-border Medical Risk Management Solutions Traveller s MALARIA www.inhemaco.com PO MALÁRIA: A DOENÇA A malária é a mais importante de todas as doenças parasíticas

Leia mais

Combater. A SIDA, a Malária e outras doenças TU MERECES! HIV/SIDA. Estes são os sintomas mais dolorosos do vírus da SIDA!

Combater. A SIDA, a Malária e outras doenças TU MERECES! HIV/SIDA. Estes são os sintomas mais dolorosos do vírus da SIDA! Combater A SIDA, a Malária e outras doenças Estes são os sintomas mais dolorosos do vírus da SIDA! Confiei em ti! Metesme nojo! Não estou autorizado a falar contigo. Trouxeste vergonha à tua família! Como

Leia mais

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO Presentemente, a infeçãovih/sida não tem cura e a prevenção é a única medida eficaz. A infeçãovih/sida tem uma história relativamente recente, mas já dramática

Leia mais

8 passos da consulta da criança para o APE

8 passos da consulta da criança para o APE 8 passos da consulta da criança para o APE 1 Cumprimentar Perguntar a idade da criança 2-11 meses 1-5 anos Perguntar o que tem a criança Febre Diarreia Tosse Outro 1 2 Tem Sinais Gerais de perigo? SIM!

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

As causas das doenças

As causas das doenças CAPÍTULO 2 As causas das doenças As pessoas têm maneiras diferentes de explicar a causa duma doença. Um bebé está com diarreia. Mas porquê? Em certas comunidades, talve digam que isso aconteceu porque

Leia mais

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT APOIO: Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD Casa de Cultura da Beira/CCB CERjovem ATENÇAÕ MULHER MENINA! Fundação Portugal - África RESPOSTAS

Leia mais

Pontos principais Antecedentes e contexto Políticas e estratégias para o controle da malária Tratamento

Pontos principais Antecedentes e contexto Políticas e estratégias para o controle da malária Tratamento Resumo O Relatório Mundial da Malária de 2009 resume informação recebida de 108 países com malária endêmica e de outras fontes e atualiza a análise apresentada no Relatório de 2008. Destaca o progresso

Leia mais

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA, OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA, OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE MATERNA, OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA APROVADO POR UNANIMIDADE EM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE NOVEMBRO

Leia mais

FEBRE AMARELA: Informações Úteis

FEBRE AMARELA: Informações Úteis FEBRE AMARELA: Informações Úteis Quando aparecem os sintomas? Os sintomas da febre amarela, em geral, aparecem entre o terceiro e o sexto dia após a picada do mosquito. Quais os sintomas? Os sintomas são:

Leia mais

P r e v e n ç ã o e controlo da malária durante a gravidez

P r e v e n ç ã o e controlo da malária durante a gravidez P r e v e n ç ã o e controlo da malária durante a gravidez Manual do participante Segunda edição Copyright 2008 pela Jhpiego, uma afiliada da Universidade Johns Hopkins. Todos os direitos reservados. Para

Leia mais

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida?

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Para NÃO APANHAR nas relações intimas e sexuais: 1. Não fazer sexo enquanto não se sentir preparado para usar o preservativo (pode experimentar primeiro

Leia mais

Grupos Sanguíneos e Anticorpos contra Glóbulos Vermelhos na Gravidez

Grupos Sanguíneos e Anticorpos contra Glóbulos Vermelhos na Gravidez Grupos Sanguíneos e Anticorpos contra Glóbulos Vermelhos na Gravidez Durante a gravidez, ser-lhe-ão oferecidos testes para identificar o seu grupo sanguíneo e para determinar se tem anticorpos contra glóbulos

Leia mais

FAÇA A SUA PARTE. Um mosquito não é mais forte que um país inteiro!

FAÇA A SUA PARTE. Um mosquito não é mais forte que um país inteiro! FAÇA A SUA PARTE Um mosquito não é mais forte que um país inteiro! DENGUE O que é? A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em

Leia mais

Do nascimento até 28 dias de vida.

Do nascimento até 28 dias de vida. Do nascimento até 28 dias de vida. CONDIÇÕES MATERNAS Idade : Menor de 16 anos, maior de 40. Fatores Sociais: Pobreza,Tabagismo, Abuso de drogas, Alcoolismo. Má nutrição História Clínica: Diabetes materna,

Leia mais

Atenção Pós-natal para Mães e Recém-nascidos (Destaques do Guia da OMS)

Atenção Pós-natal para Mães e Recém-nascidos (Destaques do Guia da OMS) Outubro/2015 N 39 Atenção Pós-natal para Mães e Recém-nascidos (Destaques do Guia da OMS) O período pós-natal constitui um período crítico da vida de mães e recém-nascidos. A maioria das mortes maternas

Leia mais

GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ:

GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ: PORTUGUESE GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ: Como pode proteger-se e ao seu bebé Este folheto informa-a sobre: a vacinação contra a gripe suína (gripe A H1N1), que pode receber durante a gravidez, para a ajudar

Leia mais

Problemas de saúde causados por mosquitos... 141 História: Malária na auto-estrada transamazónica... 142 Como é que os mosquitos causam doenças...

Problemas de saúde causados por mosquitos... 141 História: Malária na auto-estrada transamazónica... 142 Como é que os mosquitos causam doenças... Problemas de saúde causados por mosquitos............................. 141 História: Malária na auto-estrada transamazónica................. 142 Como é que os mosquitos causam doenças..............................

Leia mais

Transfusão de sangue UHN. Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas

Transfusão de sangue UHN. Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas Transfusão de sangue Blood Transfusion - Portuguese UHN Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas Quais são os benefícios da transfusão de sangue? A transfusão de sangue pode

Leia mais

Atendimento de retorno

Atendimento de retorno Algumas crianças doentes têm de retornar para que o médico as veja de novo. Terá de ser dito às mães quando elas devem regressar para a consulta de retorno. Nessa consulta, o médico pode ver se a criança

Leia mais

Programas de monitorização da malária

Programas de monitorização da malária CAPÍTULO 8 III Programas de monitorização da malária Magda Robalo, Josephine Namboze, Melanie Renshaw, Antoinette Ba-Nguz, Antoine Serufilira A malária é um desafio muito importante para a saúde e o desenvolvimento

Leia mais

Identificar o PHDA. Os sintomas do PHDA integram-se em três subtipos básicos:

Identificar o PHDA. Os sintomas do PHDA integram-se em três subtipos básicos: A primeira coisa que deve saber sobre o PHDA é que esta é uma condição real e tratável que afecta milhões de crianças, adolescentes e adultos. Mais importante, com diagnóstico apropriado e tratamento eficaz,

Leia mais

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 44 44 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO BRASIL OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 45 45 4 " META 5 REDUZIR EM DOIS TERÇOS, ENTRE

Leia mais

Sandoz Uma decisão saudável A pílula do dia seguinte

Sandoz Uma decisão saudável A pílula do dia seguinte Sandoz Uma decisão saudável A pílula do dia seguinte 1 O que é um anticonceptivo de emergência ou a "pílula do dia seguinte"? A "pílula do dia seguinte" é um anticonceptivo que previne uma gravidez não

Leia mais

Apresentação Mobilização no combate à dengue

Apresentação Mobilização no combate à dengue Apresentação Mobilização no combate à dengue Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública do mundo. Com a temporada de chuvas, os riscos de surtos da doença ficam ainda

Leia mais

Perguntas e Respostas relativas à Encefalite Japonesa (Encefalite epidémica B)

Perguntas e Respostas relativas à Encefalite Japonesa (Encefalite epidémica B) Perguntas e Respostas relativas à Encefalite Japonesa (Encefalite epidémica B) 1. A encefalite japonesa e a encefalite epidémica B são a mesma doença? R: Sim, trata-se da mesma doença. A designação de

Leia mais

Os cientistas da Cancer Research UK estimam que até 4.500 vidas serão salvas anualmente em Inglaterra pelo rastreio cervical.

Os cientistas da Cancer Research UK estimam que até 4.500 vidas serão salvas anualmente em Inglaterra pelo rastreio cervical. CERVICAL SCREENING PORTUGUESE Os Factos RASTREIO CERVICAL (TESTE DE PAP) PORTUGUÊS Os Factos O que é o rastreio cervical (Teste de Pap)? O rastreio cervical não é um exame de diagnóstico do cancro cervical.

Leia mais

Jornada Continua de Educação para Saúde

Jornada Continua de Educação para Saúde ANNEX E: CURRICULUM FOR TRAINING ON PREVENTION OF MALARIA, TUBERCULOSIS, REPRODUCTIVE HEALTH, HIV/AIDS Em Parceria com: ORGANIZAÇÕES BASEADA NA FÉ REDE ESPERANÇA DE LUTA CONTRA O VIH/SIDA Jornada Continua

Leia mais

AULAS PRÁTICAS DA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA II

AULAS PRÁTICAS DA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA II AULAS PRÁTICAS DA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA II 1. Objetivos das aulas práticas 1.1 Gerais Ser capaz de, através do cadastramento, detectar problemas, pensar nas causas destes problemas e propor soluções

Leia mais

AFR/MAL/04/01 Original: Inglês. Plano de Acção para a Prevenção e Controlo do Paludismo durante a Gravidez a Região Africana

AFR/MAL/04/01 Original: Inglês. Plano de Acção para a Prevenção e Controlo do Paludismo durante a Gravidez a Região Africana AFR/MAL/04/01 Original: Inglês Plano de Acção para a Prevenção e Controlo do Paludismo durante a Gravidez a Região Africana Brazzaville 2005 Plano de Acção para a Prevenção e Controlo do Paludismo durante

Leia mais

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA:

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: Portuguese VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: informação para pais de crianças com mais de seis meses e menos de cinco anos de idade Gripe. Proteja-se a si e aos outros. 1 Índice Sobre este folheto 3 O que

Leia mais

APROVEITE AS SUAS CONSULTAS PARA INFORMAR SOBRE O PLANEAMENTO FAMILIAR REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE

APROVEITE AS SUAS CONSULTAS PARA INFORMAR SOBRE O PLANEAMENTO FAMILIAR REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE APROVEITE AS SUAS CONSULTAS PARA INFORMAR SOBRE O PLANEAMENTO FAMILIAR REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE ACONSELHE SOBRE OS BENEFÍCIOS DO PLANEAMENTO FAMILIAR Permite aos casais tomarem decisões

Leia mais

Esta informação reflete o que era conhecido em abril de 2016. Veja o website da Hesperian em http://en.hesperian.org/hhg/zika para atualização.

Esta informação reflete o que era conhecido em abril de 2016. Veja o website da Hesperian em http://en.hesperian.org/hhg/zika para atualização. Esta informação reflete o que era conhecido em abril de 2016. Veja o website da Hesperian em http://en.hesperian.org/hhg/zika para atualização. O Vírus Zika O vírus Zika é transmitido por mosquitos de

Leia mais

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA -

- ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - - ESCOLA SUPERIOR GALLAECIA - Plano de Contingência Gripe A Ano lectivo 2009/2010 Acções a organizar na preparação de um Plano de Contingência para uma eventual pandemia de gripe. Inquérito aos Estudantes

Leia mais

Febre e malária. Febre. z constipações z gripe z bronquite aguda z otite z amigdalite z infecções urinárias z hepatite z brucelose

Febre e malária. Febre. z constipações z gripe z bronquite aguda z otite z amigdalite z infecções urinárias z hepatite z brucelose Febre e malária CAPÍTULO 17 Febre Quando o corpo duma pessoa está quente, di-se que ela tem febre. A febre eleada pode ser perigosa, principalmente numa criança pequena. Se possíel, a febre dee ser medida

Leia mais

P r e v e n ç ã o e controlo da malária durante a gravidez

P r e v e n ç ã o e controlo da malária durante a gravidez P r e v e n ç ã o e controlo da malária durante a gravidez Guia do formador Segunda edição Copyright 2008 pela Jhpiego, uma afiliada da Universidade Johns Hopkins. Todos os direitos reservados. Para mais

Leia mais

Apêndice C: Avaliação da qualidade dos serviços Diretrizes de discussão

Apêndice C: Avaliação da qualidade dos serviços Diretrizes de discussão 123 Apêndice C: Avaliação da qualidade dos serviços Diretrizes de discussão GERAL Visitas domiciliares de APS Educação para saúde ATENÇÃO MATERNA Pré-natal Parto seguro Pós-natal Planejamento familiar

Leia mais

Diabetes Gestacional

Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional Introdução O diabetes é uma doença que faz com que o organismo tenha dificuldade para controlar o açúcar no sangue. O diabetes que se desenvolve durante a gestação é chamado de diabetes

Leia mais

Tuberculosis Portuguese Tuberculose A tuberculose a doença, o tratamento e a prevenção

Tuberculosis Portuguese Tuberculose A tuberculose a doença, o tratamento e a prevenção Tuberculosis Portuguese Tuberculose A tuberculose a doença, o tratamento e a prevenção A tuberculose é uma doença infecciosa que normalmente afecta os pulmões, embora também possa afectar qualquer parte

Leia mais

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE MAIO - 2001 Ministério da Saúde Departamento de Saúde da Comunidade 1 INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE No mês de Julho de 2001, o Programa

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

DECLARAÇÃO DE CONSENSO

DECLARAÇÃO DE CONSENSO Consulta Técnica sobre HIV e Alimentação Infantil realizada em nome da IATT Equipe de Trabalho Inter Agencias sobre a Prevenção de infecções pelo HIV em mulheres grávidas, mães e seus bebes Genebra, 25

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial,

Leia mais

CARTÕES DE IEC EM CONTROLE DAS ENDEMIAS - CE

CARTÕES DE IEC EM CONTROLE DAS ENDEMIAS - CE CARTÕES DE IEC EM CONTROLE DAS ENDEMIAS - CE Os CARTÕES DE ZEC - CE - Informação, Educação e Comunicação para o Controle das Endemias, compõem - se de um conjunto de cartões com informações técnicas, desenhos

Leia mais

PROTOCOLO GESTANTE COM SÍFILIS. Carmen Silvia Bruniera Domingues Vigilância Epidemiológica Programa Estadual DST/Aids - SP

PROTOCOLO GESTANTE COM SÍFILIS. Carmen Silvia Bruniera Domingues Vigilância Epidemiológica Programa Estadual DST/Aids - SP PROTOCOLO GESTANTE COM SÍFILIS Carmen Silvia Bruniera Domingues Vigilância Epidemiológica Programa Estadual DST/Aids - SP O que fazer antes do bebê chegar? Os caminhos do pré-natal... (fase I estamos grávidos

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial,

Leia mais

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches The Commonwealth of Massachusetts Executive Office of Health and Human Services Department of Public Health Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches 18 de setembro, 2009 A gripe H1N1 (suína) voltará

Leia mais

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da 2 A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da inflamação, o que dificulta a realização das trocas gasosas.

Leia mais

BANCO DE LEITE HUMANO DO CHLC - MAC PERGUNTAS FREQUENTES

BANCO DE LEITE HUMANO DO CHLC - MAC PERGUNTAS FREQUENTES BANCO DE LEITE HUMANO DO CHLC - MAC PERGUNTAS FREQUENTES 1. O que é um Banco de Leite Humano? 2. Em que situações é utilizado o Leite Humano Pasteurizado, as suas vantagens e desvantagens? 3. Que critérios

Leia mais

Objectivos Pedagógicos

Objectivos Pedagógicos Programa de Ciências da Natureza 6º Ano Tema: Ambiente de Vida Capítulo II- Agressões do meio e integridade do organismo 1) A Higiene No Capítulo 3, Tratamento das Infecções, fala-se sobre a utilização

Leia mais

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com:

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L 3.1. Diagnóstico da Gravidez O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: Após confirmação da gravidez

Leia mais

Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações

Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações 147 Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações Visita domiciliar de APS Monitorização do crescimento Imunizações Terapia de reidratação oral Planejamento familiar Módulo 6: Qualidade do

Leia mais

Informe Epidemiológico EBOLA Atualizado em 26-09-2014, às 10h

Informe Epidemiológico EBOLA Atualizado em 26-09-2014, às 10h Informe Epidemiológico EBOLA Atualizado em 26-09-2014, às 10h Em 08 de agosto de 2014 a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto pela Doença do Vírus Ebola no Oeste da África, uma Emergência

Leia mais

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Texto elaborado pelos Drs Pérsio Roxo Júnior e Tatiana Lawrence 1. O que é imunodeficiência? 2. Estas alterações do sistema imunológico são hereditárias?

Leia mais

Rastreio de Diagnóstico Precoce em recém-nascidos para o seu bebé

Rastreio de Diagnóstico Precoce em recém-nascidos para o seu bebé Rastreio de Diagnóstico Precoce em recém-nascidos para o seu bebé Na primeira semana após o nascimento, é-lhe oferecida a possibilidade de efetuar um rastreio de diagnóstico precoce ao seu bebé. Porque

Leia mais

Vigilância epidemiológica da infecção

Vigilância epidemiológica da infecção Vigilância epidemiológica da infecção Maria Teresa Neto UCIN, Hospital de Dona Estefânia CCIH, Hospital de Dona Estefânia Coordenadora do Programa Nacional de Vigilância Epidemiológica das Infecções em

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Doença pelo novo vírus da gripe A (H1N1)v - Mulheres grávidas ou a amamentar Nº: 26/DSR DATA: 28/07/09 Para: Contacto na DGS: Todos os estabelecimentos

Leia mais

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06 Para: Contacto na DGS: Todos os médicos e enfermeiros que exerçam

Leia mais

Rhophylac 300 microgramas/2 ml solução injetável em seringa pré-cheia

Rhophylac 300 microgramas/2 ml solução injetável em seringa pré-cheia Folheto informativo: Informação para o utilizador Rhophylac 300 microgramas/2 ml solução injetável em seringa pré-cheia Imunoglobulina humana contra o antigénio D Leia com atenção todo este folheto antes

Leia mais

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO As escolas e outros estabelecimentos de ensino assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia

Leia mais

Preparando a casa para receber o bebê

Preparando a casa para receber o bebê Preparando a casa Preparando a casa para receber o bebê Vamos ensinar aos pais os direitos das crianças? Está chegando a hora do bebê nascer. A família deve ajudar a gestante a preparar a casa para a chegada

Leia mais

PROVA FORMAÇÃO DE AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS Prefeitura Municipal de Ouro Preto 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia.

PROVA FORMAÇÃO DE AGENTE DE COMBATE A ENDEMIAS Prefeitura Municipal de Ouro Preto 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia. 1- Assinale a alternativa que define o que é epidemiologia. a) Estudo de saúde da população humana e o inter relacionamento com a saúde animal; b) Estudo de saúde em grupos de pacientes hospitalizados;

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Para: Contacto na DGS: Ondas de calor medidas de prevenção Recomendações dirigidas à população Conhecimento de todos os estabelecimentos

Leia mais

Perguntas frequentes sobre a doença do vírus Ébola

Perguntas frequentes sobre a doença do vírus Ébola Tradução para Português: Perguntas frequentes sobre a doença do vírus Ébola Actualizado em 7 de Agosto de 2014 1. O que é a doença do vírus Ébola? A doença do vírus Ébola (até há pouco tempo conhecida

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Pantoprazol Jaba 40mg Comprimidos gastrorresistentes Pantoprazol Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém

Leia mais

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO: mulheres em idade fértil, gestantes, puérperas e bebês com microcefalia

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO: mulheres em idade fértil, gestantes, puérperas e bebês com microcefalia PROTOCOLO DE ATENDIMENTO: mulheres em idade fértil, gestantes, puérperas e bebês com microcefalia Boletim Epidemiológico de Microcefalia (até 5 de dezembro) 1.761 casos suspeitos 14 estados 422 municípios

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA EB 2,3 DE ALBARRAQUE GRIPE A (H1N1) Elaborado pela Direcção do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva Tel: 219156510 Fax: 219156513 Mail: eb23alba.geral@mail.telepac.pt

Leia mais

PREVENÇÃO DA SIDA MAIS DE 10 MIL RESPOSTAS!

PREVENÇÃO DA SIDA MAIS DE 10 MIL RESPOSTAS! PREVENÇÃO DA SIDA Não baixar os braços Campanhas de prevenção frequentes, bem dirigidas e sem tabus são armas essenciais na luta contra a propagação da sida. O nosso inquérito a mais de 10 mil pessoas

Leia mais

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc...

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Protozoários Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Estrutura: Realizam as funções vitais: Locomoção e respiração; Obtenção de alimentos; Digestão; Excreção; Reprodução.

Leia mais

LOPPIANO ENGENHARIA LTDA. Rua dos Andradas, 107 - Centro 13300-170 - Itu SP Fone: (11) 4022-7415 DENGUE

LOPPIANO ENGENHARIA LTDA. Rua dos Andradas, 107 - Centro 13300-170 - Itu SP Fone: (11) 4022-7415 DENGUE DENGUE A palavra dengue tem origem espanhola e quer dizer "melindre", "manha". O nome faz referência ao estado de moleza e prostração em que fica a pessoa contaminada pelo arbovírus (abreviatura do inglês

Leia mais

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa NSW Health Factsheet - Portuguese A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa The connection between TB and HIV Esta é uma folha informativa sobre tuberculose (TB) e o Vírus de Imunodeficiência

Leia mais

Saúde da Mulher. Ana Cristina Pinheiro. Saúde da Mulher

Saúde da Mulher. Ana Cristina Pinheiro. Saúde da Mulher Saúde da Mulher Realizado por: Ana Cristina Pinheiro (Maio de 2007) Saúde da Mulher Uma família equilibrada não pode ser produto do acaso ou da ignorância. O nascimento de uma criança deve ser o resultado

Leia mais

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO 1 O que quer dizer sexo seguro? Sexo seguro quer dizer, práticas sexuais responsáveis sem riscos de engravidar, ou de contrair uma infecção transmitida sexualmente,

Leia mais

A Gripe A ALGUMAS NOTAS HISTÓRICAS SOBRE A GRÍPE. Data de 1580, a primeira descrição completa de uma pandemia gripal.

A Gripe A ALGUMAS NOTAS HISTÓRICAS SOBRE A GRÍPE. Data de 1580, a primeira descrição completa de uma pandemia gripal. A Gripe A ALGUMAS NOTAS HISTÓRICAS SOBRE A GRÍPE Data de 1580, a primeira descrição completa de uma pandemia gripal. Desde esta altura que correram mundo, mais de trinta pandemias, causadas por diversos

Leia mais

Alexandre O. Chieppe

Alexandre O. Chieppe Transmissão Vertical da Sífilis S e do HIV Alexandre O. Chieppe Coordenação Estadual de DST/AIDS-CVE Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro Câmara Técnica de AIDS do CREMERJ Do Início da Epidemia

Leia mais

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR?

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? O NÚMERO DE PESSOAS AFETADAS POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EVITÁVEIS NÃO PÁRA DE AUMENTAR. AS CRIANÇAS E OS MAIS VELHOS SÃO OS MAIS ATINGIDOS. SÃO DOENÇAS

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

RECOMENDAÇÕES DA OMS PARA A PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA HEMORRAGIA PÓS-PARTO Destaques e principais mensagens das novas recomendações globais de 2012

RECOMENDAÇÕES DA OMS PARA A PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA HEMORRAGIA PÓS-PARTO Destaques e principais mensagens das novas recomendações globais de 2012 RECOMENDAÇÕES DA OMS PARA A PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA HEMORRAGIA PÓS-PARTO Destaques e principais mensagens das novas recomendações globais de 2012 Antecedentes Apesar do progresso feito nos últimos anos

Leia mais

Saúde Materna e do Recém-Nascido

Saúde Materna e do Recém-Nascido CAPÍTULO 22 Saúde Materna e do Recém-Nascido Pontos Básicos para Profissionais de Saúde e Clientes Aguarde até que o filho mais novo tenha 2 anos de idade ou mais antes de tentar engravidar novamente.

Leia mais

DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL

DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL Like A saúde da mãe e o desenvolvimento do bebé podem ser seguidos passo a passo, graças a um conjunto de exames clínicos que permitem manter a gravidez sob controlo. Além disso,

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Androcur 100 mg comprimidos Acetato de ciproterona Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento. - Conserve este folheto. Pode ter necessidade

Leia mais

Ano lectivo 2004/2005. Andreia Alves Nuno Gonçalves Rita Ferreira

Ano lectivo 2004/2005. Andreia Alves Nuno Gonçalves Rita Ferreira Ano lectivo 2004/2005 Andreia Alves Nuno Gonçalves Rita Ferreira Este trabalho vai falar de: Doenças sexualmente transmissíveis. Meios contraceptivos. Como usar alguns dos métodos m de contracepção. As

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL

A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL Programa BemVindo - www.bemvindo.org.br A OMS - Organização Mundial da Saúde diz que "Pré-Natal" é conjunto de cuidados médicos, nutricionais, psicológicos e sociais, destinados

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO. Quinta da Fonte, 19 Edifício Vasco da Gama 2770-192 Paço de Arcos Portugal Tel: 800 202 520

FOLHETO INFORMATIVO. Quinta da Fonte, 19 Edifício Vasco da Gama 2770-192 Paço de Arcos Portugal Tel: 800 202 520 FOLHETO INFORMATIVO Leia atentamente este folheto antes de utilizar o medicamento. - Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente. - Caso tenha dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Leia mais

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente Carrefour Guarujá Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente Enfª Bárbara Pereira Quaresma 2 O que é DST? Toda doença transmitida através de relação sexual. Você sabe como se pega uma DST? SEXO VAGINAL

Leia mais

INTEGRADAS E FORMATIVAS DAS UNIDADES SANITÁRIAS DA PROVÍNCIA DO BIÉ

INTEGRADAS E FORMATIVAS DAS UNIDADES SANITÁRIAS DA PROVÍNCIA DO BIÉ REPUBLICA DE ANGOLA GOVERNO DA PROVINCIA DO BIÉ DIRECÇÃO PROVINCIAL DA SAÚDE CADERNO DE SUPERVISÕES INTEGRADAS E FORMATIVAS DAS UNIDADES SANITÁRIAS DA PROVÍNCIA DO BIÉ MUNICÍPIO: ANO: UNIDADE SANITÁRIA:

Leia mais

VIDAS EM PERIGO: MALÁRIA DURANTE A GRAVIDEZ

VIDAS EM PERIGO: MALÁRIA DURANTE A GRAVIDEZ VIDAS EM PERIGO: MALÁRIA DURANTE A GRAVIDEZ Em qualquer lugar onde existe malária, mulheres grávidas estão em perigo. As áreas com tonalidade mais forte no mapa, indicam zonas de maior prevalência da malária

Leia mais

Álbum Seriado. Livres da Malária: Vamos Erradicar a Malária!

Álbum Seriado. Livres da Malária: Vamos Erradicar a Malária! Livres da Malária: Vamos Erradicar a Malária! Álbum Seriado Livres da Malária: Vamos Erradicar a Malária! Escrito por Rachel Brooker e Mary DeCoster Editado por ; Emma Hernnadez Traduzido por Celso J.

Leia mais

POSIÇÃO COMUM AFRICANO SOBRE ACABAR COM O CASAMENTO INFANTIL

POSIÇÃO COMUM AFRICANO SOBRE ACABAR COM O CASAMENTO INFANTIL AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis Ababa, ETHIOPIAP. O. Box 3243Telephone +251 11 5517 700 Fax : 00251 11 5517844 www.au.int POSIÇÃO COMUM AFRICANO SOBRE ACABAR COM O CASAMENTO INFANTIL

Leia mais