RHP inaugura Serviço de Cirurgia Vascular pelo SUS Pág. 03. Entrevista. Carnaval. Residência Médica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RHP inaugura Serviço de Cirurgia Vascular pelo SUS Pág. 03. Entrevista. Carnaval. Residência Médica"

Transcrição

1 Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco Abril/2012 ANO XXV 96 RHP inaugura Serviço de Cirurgia Vascular pelo SUS Pág. 03 Entrevista Carnaval Residência Médica Nova diretora médica fala sobre a busca pela excelência pág. 5 Ivete Sangalo no Segura Seringa págs. 6e7 Programa em fase de ampliação pág. 9

2 02 Editorial Turismo Médico A Espanha, na década passada, investiu no Nordeste na infraestrutura, lazer e energia, agora, sentindo as necessidades provenientes da modernidade quer entrar em turismo médico. Portugal, através das ex-colônias Angola e Moçambique deve estimular a vinda para o Brasil, país que oferece uma boa relação de preço e qualidade. O Nordeste possui todos atrativos para que um doente venha procurar tratamento na região. O Recife é o ponto básico para os cuidados médicos, pela rede hospitalar que possui. Destacamos o Real Hospital Português com máquinas de ponta, cuidados assistenciais comparáveis aos medalhões de São Paulo, médicos especialistas nos diversos ramos da medicina. Além do tratamento do paciente, a família aproveita o turismo local, inigualável pela sua posição tropical, com um céu azul, um mar de temperatura agradável, as praias de uma beleza natural que encanta quem as visita. Os hotéis oferecem um bem-estar, digno de um bom convívio, e com assistência à altura dos visitantes, tendo funcionários bilíngues e educação de fino trato. Pernambuco tem por capital Recife, com um povo hospitaleiro e recebe familiarmente todos que o vistam. Se refletirmos sobre o Turismo Médico, reconheceremos que o Nordeste é a região mais acessível à vinda de pacientes pelas maravilhosas oportunidades que oferece. Comitiva da cidade do Porto visita o RHP Sra. Guilhermina Rêgo, Drs. Jorge Mendes e Sandra Matos, Enfª. Flávia Morone, Srs. Gonçalo Gonçalves, Rui Rio, Hélio Calábria, Alberto Ferreira da Costa, Manuel Teixeira e Sra. Raquel Maia. Delegação portuguesa da cidade do Porto, presidida pelo prefeito Rui Fernando da Silva Rio, esteve no Recife no período de 19 a 22 de março. Na agenda de compromissos, visitas às instituições portuguesas e encontro com autoridades dos poderes públicos municipais e estaduais. Fizeram parte da comitiva o chefe de gabinete Manuel Pinto Teixeira, os vereadores Gonçalo Gonçalves e Guilhermina Rego, a diretora da presidência Raquel Maia, a secretária Maria do Céu Simões e a operadora de imagem Marta Silva. O grupo visitou o Real Hospital Português no dia 20/03, sendo recebido pelo Provedor Alberto Ferreira da Costa e Diretoria no Salão Nobre. Na ocasião, o prefeito Rui Rio recebeu do Provedor a Medalha de Prata Comemorativa aos 155 anos do RHP, além da oferta do livro do Hospital e da biografia de Alberto Ferreira da Costa para todos os integrantes da delegação. Em retribuição, o Provedor foi presenteado com um livro sobre a Câmara Municipal do Porto. A visita foi encerrada com um passeio pelos principais setores do Hospital, com destaque para as áreas de diagnóstico por imagem, hemodinâmica e o novo Edf. São João de Deus. É uma publicação do Av. Agamenon Magalhães, 4760, Paissandú Recife/PE - CEP: Fone: (81) Fax: (81) Provedor: Alberto Ferreira da Costa Vice-Provedor: Joaquim da Costa Amorim 2º Vice-Provedor: Armênio Ferreira Diogo 3º Vice-Provedor: José Maria da Silva Matos Diretora de Comunicação: Laura Areias Redação: Mirela Sá (DRT 3256) Jornalista Responsável: Laura Areias (DRT 2195) Fotos: Giovanni Chamberlain, Bosco Lacerda Filho e Danilo Sá Direção Gráfica: Bm4 - Comunicação e Marketing Tiragem: exemplares

3 03 RHP inaugura Serviço de Cirurgia Vascular pelo SUS A iniciativa é uma parceria com a Secretaria Estadual de Saúde para desafogar as emergências públicas Mais de 100 atendimentos ambulatoriais, cerca de 70 internamentos e 19 procedimentos cirúrgicos são alguns números dos primeiros dois meses de atividades do novo serviço de cirurgia vascular credenciado ao SUS, parceria entre o Real Hospital Português e a Secretaria Estadual de Saúde (SES). A iniciativa visa desafogar as emergências do Hospital da Restauração e do Hospital Getúlio Vargas, referências no tratamento de pacientes com doenças vasculares. O evento de inauguração ocorreu no dia 31/01, com a presença do secretário de Saúde de Pernambuco Antônio Figueira, do então secretário-executivo de Regulação e Assistência à Saúde, Humberto Antunes, da secretária executiva de Saúde Tereza Campos, dos diretores do HR, Miguel Arcanjo, e do HGV, Roberto Cruz, além de toda Diretoria do RHP. O serviço dispõe de dois consultórios no Ambulatório de Beneficência Maria Fernanda, recebendo os pacientes de segunda a sexta-feira, além de 24 leitos de enfermaria, com apartamentos individuais, para atendimento dos pacientes encaminhados do HR e do HGV através da Central de Regulação do Estado. Esperamos resolver o problema da demanda nesses dois grandes hospitais. O Português vai atuar como Hospital de retaguarda, afirmou Figueira. Segundo o cirurgião vascular Walter von Söshten, chefe da unidade, o serviço irá priorizar o tratamento dos pacientes portadores de Trombose Venosa Profunda e Isquemia Crítica de Membros Inferiores, doenças vasculares mais frequentes nas emergências públicas. Esses pacientes terão acesso a toda infraestrutura do RHP, desde exames complementares de alta complexidade até intervenções vasculares e endovasculares, como as angioplastias, explicou o médico. Na opinião do Provedor Alberto Ferreira da Costa, com este projeto o Hospital Português amplia sua contribuição no desenvolvimento da saúde em Pernambuco, foco da gestão do governador Eduardo Campos. Provedor Alberto Ferreira da Costa e os Drs. Antônio Figueira, Walter von Söshten e Carlos Moraes Sr. Alberto Ferreira da Costa e os Drs. Antônio Figueira, Guilherme Robalinho, Roberto Cruz, Tereza Campos e Miguel Arcanjo. Corte inaugural. O Secretário de Saúde Antônio Figueira e Dr. Walter von Söshten visitam pacientes.

4 04 Artigo Teste do olhinho Por Dra. Juliana Malta O Teste do Olhinho é um exame rápido, fácil e indolor que permite diagnosticar, ainda nas primeiras horas de vida, se o recém-nascido possui algum problema visual congênito, ou seja, adquirido desde o nascimento. O exame avalia a presença do reflexo vermelho e é baseado no mesmo efeito que deixa os olhos vermelhos em fotografias. Para isso, o médico utiliza, a uma distância de 30 a 45 cm do bebê, o oftalmoscópio. Com este aparelho, se detecta ou não a existência do reflexo normal de cor alaranjada. Se o reflexo estiver distorcido ou esbranquiçado, é provável que algum tipo de doença oftalmológica, como catarata, opacidades de córnea, graus fortes (miopia, astigmatismo), retinoblastoma, entre outras, atrapalhe a entrada da luz. O retinoblastoma é o tumor maligno ocular mais frequente entre as crianças que, se não tratado precocemente, pode ocasionar a morte. Todos os recém-nascidos devem realizar o Teste do Olhinho no primeiro mês de vida. Outra patologia que merece atenção é a Retinopatia da Prematuridade (ROP), uma enfermidade secundária à vascularização inadequada da retina imatura dos prematuros. Esta doença é uma das principais causas de cegueira, prevenível na infância, sendo responsável por crianças cegas em todo o mundo. O programa de triagem para a identificação do RN de risco que necessite de tratamento é peso ao nascimento menor que gramas e/ou idade gestacional 32 semanas; ou em RNs com presença de fatores de risco tais quais: Síndrome do desconforto respiratório; sepse; transfusões sanguíneas; gestação múltipla; hemorragia intraventricular. O primeiro exame deve ser realizado entre a 4ª e 6ª semana de vida. Neste exame é necessária a dilatação pupilar e uso de equipamentos específicos que permitam a observação da área mais periférica da retina. Deve-se, portanto, ter atenção no sentido de reduzir o desconforto e efeitos sistêmicos causados pela realização do exame como Dra. Juliana Malta - oftalmologista do Real Visão. a colocação de colírio anestésico, auxílio de uma enfermeira ou auxiliar de enfermagem para conter o prematuro, assim como considerar o uso de glicose durante o exame. O exame deve ser realizado por oftalmologista com experiência em exame de mapeamento de retina em prematuros e conhecimento da doença para identificar a localização e as alterações retinianas sequenciais. A doença é classificada em estágios e em zonas pela localização da doença. Nos estágios iniciais, o acompanhamento é realizado e há a possibilidade de regressão espontânea. Quando o tratamento é necessário este é realizado por meio de laserterapia. O procedimento deve ser realizado sob anestesia geral ou analgesia e sedação associadas à anestesia tópica e o paciente monitorizado por um neonatologista ou anestesista. Em casos mais graves pode ser necessário o uso de medicações e até cirurgia vítreo-retiniana. O Real Visão conta com equipe capacitada no reconhecimento e tratamento da Retinopatia da Prematuridade, além de especialistas em Retinoblastoma e acompanhamento oftalmopediátrico. Serviço: Real Visão

5 Dra. Maria do Carmo Lencastre Em busca de excelência em qualidade Entrevista 05 MR E que fase é essa que o RHP está passando? MCL O Hospital tem uma longa história, sempre foi arrojado e pioneiro, avançou muito em tecnologia e sempre teve grandes nomes na medicina colaborando com a Instituição. Agora vive um momento de investimentos em qualidade, com foco nos recursos humanos, tanto na área administrativa como na assistencial. Atualmente, com o Programa de Residência Médica, o RHP já vem dando sua contribuição para o treinamento de médicos do Estado, como campo de estágio. A médio e longo prazos, os planos são para investimentos em ensino e pesquisa. MR Como você está encarando o desafio? MCL É um desafio multifacetado. O RHP é muito grande e atende da maternidade ao fim da vida, contemplar tudo isso num padrão de qualidade único é um desafio e tanto. Acredito que esse não é um trabalho só da Diretoria, mas envolve todo o Hospital, em suas mais diversas áreas. Com a liderança do Provedor Alberto Ferreira da Costa e por estarem todos envolvidos é que tenho certeza de que o projeto RHP continuará dando certo. Referência em Pernambuco e no Brasil pela competência de seus profissionais e pela infraestrutura de ponta nas áreas física e tecnológica, o Real Hospital Português vive uma nova fase de consolidação da excelência em qualidade. Para coordenar o projeto, o RHP convidou a geriatra portuguesa Maria do Carmo Lencastre, que assumiu a diretoria técnica/médica da Instituição. MENSAGEIRO REAL Como surgiu o convite para assumir a direção médica do Real Hospital Português? MARIA DO CARMO LENCASTRE Foi um processo gradativo. No começo, opinando em questões relativas à área médica, depois com participações em missões representando a entidade, até o convite para o cargo. Confesso que fiquei surpresa e aceitei sabendo do grande desafio que tinha pela frente. O RHP é minha casa, onde sempre investi montando o serviço de Geriatria e Gerontologia, e não poderia deixar de colaborar nessa fase. MR Em que aspecto sua experiência pode contribuir neste processo? MCL Como geriatra, sempre foi necessário trabalhar em equipe para otimizar o atendimento ao doente. Posso colaborar usando essa experiência e, dentro das possibilidades, agregar todos, a serviço de quem nos procura. MR Na sua opinião, quais são os pontos fortes do Hospital Português hoje e quais os projetos futuros? MCL O RHP tem uma tradição de qualidade e é envolvido com a sociedade. É beneficente e quer manter isso como sua marca. É um Hospital de alta complexidade, que atende em todas as áreas da medicina, equipado com toda a tecnologia de ponta, além de contar com profissionais de altíssima qualidade. É ousado e lança-se agora para uma parceria com o hospital americano John Hopkins, referência mundial em saúde. O futuro é esse: continuar a ser um centro de referência, agora internacional.

6 06 Ivete Sangalo abalou Festa promovida pelo RHP foi um sucesso de públ A prévia carnavalesca do Real Hospital Português, com o bloco Segura a Seringa, em sua 18ª edição, teve como atração principal a cantora baiana Ivete Sangalo. Com um repertório regado a sucessos antigos e até o autêntico frevo pernambucano, a estrela sacudiu as oito mil pessoas presentes no Clube Português, no dia 02/02. O cantor Almir Rouche e a Orquestra Maximus também animaram a noite. Com um público eletrizado do início ao fim, a festa que surgiu como bloco de rua, hoje tomou proporções de mega evento. Obrigada por me escolherem, no meio de tantos artistas que também amam Pernambuco, para fazer a festa de vocês, agradeceu Ivete. Um dos momentos mais marcantes da apresentação foi quando a baiana cantou os frevos Voltei, Recife e o Hino do Elefante. No camarote da Diretoria, o Provedor Alberto Ferreira da Costa recepcionou os convidados e as autoridades que prestigiaram a folia. Destaque para as presenças do governador Eduardo Campos, do prefeito João da Costa, do senador Humberto Costa, do presidente da Assembleia Guilherme Uchôa, dos deputados Mendonça Filho, Raul Jungmann, André de Paula e Vinícius Labanca, entre outras. A festa está maravilhosa, o RHP é grandioso em tudo, até na hora de fazer a confraternização com seus funcionários, afirmou o senador Humberto Costa. Com o tema Descobrimento do Brasil, a decoração do evento foi assinada por Robson Chagas. Uma grande caravela, posicionada na entrada do Clube, com projeções de imagens do descobrimento e da história do RHP, dava as boas-vindas aos convidados. Na sequência, um túnel com elementos do Oceano Atlântico conduzia os foliões para dentro do baile, decorado com coqueirais e peixes dourados. No camarote da Diretoria, um buffet de quitutes lusitanos oferecido pelo Serviço de Nutrição do RHP.

7 07 u o Segura a Seringa lico e ainda congregou o mundo médico e político

8 08 Tratamento das doenças ósteo-metabólicas devolve qualidade de vida ao paciente renal crônico Dr. André Falcão, coordenador do Ambulatório de Doenças Ósteo-Metabólicas As doenças renais produzem inúmeras alterações orgânicas, muitas delas de forma irreversível, a exemplo da hipertensão arterial, anemia, perda do apetite, tendência a sangramentos, entre outros. Em diversos estágios da forma crônica da doença, aparecem os chamados distúrbios minerais e as alterações ósseas, complicações que podem interferir, significativamente, na qualidade de vida do paciente renal. Segundo o nefrologista André Falcão, coordenador do Ambulatório de Doenças Ósteo-Metabólicas do Real Hospital Português, os distúrbios minerais englobam uma gama considerável de sintomas e modificações orgânicas provocadas, por exemplo, pela alteração do cálcio, do fosfato, do paratohormônio, da vitamina D, da quantidade de ácidos do organismo, de forma muitas vezes concomitante. Isto ocorre porque os rins têm funções muito mais complexas do que apenas a filtração. A metabolização de hormônios e o processamento de outras substâncias são fundamentais para manter o equilíbrio do organismo, atividades que o rim doente já não realiza,explica. Entre os sintomas mais comuns estão: prurido (coceira muito intensa), fraqueza, alterações da anatomia do osso (deformidades), tendência a fraturas, calcificações de vasos sanguíneos e de outros tecidos (o que predispõe a ataques cardíacos), déficit de crescimento nas crianças, dores ósseas mais ou menos intensas e tendência a rotura de tendões. De acordo com o especialista, 10% dos pacientes com problema renal apresentam algum tipo de alteração metabólica. O número sobe para 100% dos casos quando são pacientes portadores de insuficiência renal crônica. Há cerca de 30 anos, quando não se tinha um diagnóstico preciso, alguns pacientes reduziam de tamanho, em quase 50%, devido a estas alterações, revela André Falcão. Hoje, o diagnóstico já está bem validado, sendo feito através da história do paciente, exames laboratoriais específicos e, algumas vezes, com necessidade de realizar biópsia do osso para entender o distúrbio de forma mais clara. O tratamento é feito de forma individual, caso a caso. De forma genérica, adotam-se modificações dietéticas, uso de medicamentos específicos para controle do cálcio, do fósforo ou do paratormônio, até a retirada das glândulas paratireóides para controle da doença. Serviço: Ambulatório RELAÇÃO DE CONVÊNIOS ATIVOS NO RHP ALLIANZ AMEPE-CAMPE AMIL ASSEFAZ BANCO CENTRAL CAMED CASSI (BANCO DO BRASIL) CORREIOS CONAB EMBRATEL FACHESF FIOSAÚDE FUNCEF SAÚDE CAIXA FUSEX GAMA SAÚDE LTDA GEAP GOLDEN CROSS* INFRAERO MEDIAL SAÚDE MEDISERVICE MINIST. PUBL.TRABALHO MINIST. PUBL. FEDERAL MINIST. PUBL. MILITAR PETROBRAS DISTRIBUIDORA PETROB. PETRÓLEO PROASA SAÚDE EXCELSIOR SAÚDE BRADESCO SUL AMÉRICA UNAFISCO SAÚDE UNIBANCO AIG SAÚDE UNIMED RECIFE *Consulte seu plano para verificar a abrangência da cobertura

9 09 Programa de residência médica em processo de ampliação Além da Geriatria, RHP recebe residentes em Traumato-Ortopedia e solicita credenciamento em mais três especialidades O Programa de Residência Médica do Real Hospital Português, iniciado de forma pioneira com a Geriatria em 2009, chega em 2012 consolidado e com fôlego renovado. No último dia 15/03, durante a abertura oficial do Programa de Residência Médica, o Provedor do RHP, Alberto Ferreira da Costa, anunciou a nova residência em Traumato-Ortopedia e revelou que está pleiteando o credenciamento para Clínica Médica, Nefrologia e Medicina Nuclear. Para a coordenadora do Programa, a geriatra Maria do Carmo Lencastre, é um momento importante de investimento em qualificação, uma vez que a residência médica é considerada padrão ouro para o treinamento de novos profissionais. Além de colaborar com o Estado na formação de especialistas, oferecendo seu enorme campo de estágio e treinamento com médicos de reconhecida excelência, o RHP está contribuindo para melhorar a qualidade do atendimento médico para a população, opina. Durante a solenidade, foram apresentados os novos residentes da Geriatria, Jamerson Carvalho e Tiago Coimbra, e da Ortopedia, Aurivan Melo e Rafael Brito. Estou muito feliz com a oportunidade de fazer a residência numa instituição histórica e assumo o compromisso de exercê-la com total responsabilidade, honrando a importância do Hospital, falou Jamerson. Também estiveram presentes ao evento os coordenadores das residências em Geriatria, Lucas Andrade, e em Ortopedia, Fábio Brandão. Sobre o credenciamento para as novas especialidades, o gerente médico Guilherme Robalinho explica que é uma necessidade de mercado. Já demos início ao processo e esperamos, ainda em 2012, recebermos o aval da Comissão Nacional de Residência Médica, revela. Equipe do Programa de Residência e Diretoria do RHP. Provedor Alberto Ferreira da Costa dando as boas vindas aos residentes. Dr. Guilherme Robalinho apresentando o Instituto de Ensino e Pesquisa Alberto Ferreira da Costa.

10 10 Música para aliviar a alma Real Encanto aposta em projeto musical para humanizar o ambiente hospitalar Páscoa na Geriatria O aumento do bem-estar geral dos pacientes é o grande benefício da música usada como ferramenta de humanização hospitalar. Pensando nisso, desde 2008, o Coral RHP e o Serviço Social do Hospital criaram o projeto Real Encanto. O objetivo do grupo é, através da música, levar alegria aos pacientes internados, minimizando o sofrimento provocado pela doença e contribuindo para sua recuperação, além de ser um motivo de distração. Segundo a assistente social Janeide Souza, o Real Encanto promove momentos de relaxamento e quebra da rotina de pacientes e funcionários. O projeto acontece durante o ano inteiro, seguindo o calendário de festividades como Carnaval, Páscoa, São João, Dia das Crianças, Dia do Idoso, Natal, entre outros, enumera. Vários setores do Hospital são visitados com destaque para as alas de UTI, Pediatria e Geriatria. Observamos que nestas comemorações a alegria e participação transformam para melhor o dia a dia do paciente e de toda a equipe, comenta a geriatra Maria do Carmo Lencastre. Carnaval Real Encanto em ação nos leitos Colaboradores entram no clima

11 Aconteceu 11 Parabéns O Coral RHP, formado pelos colaboradores da Instituição, comemoraram 10 anos de atividades no dia 10 de abril. O grupo, regido pelo maestro Tarik Bispo, conta hoje com 24 integrantes. Além da participação nos principais festivais de canto coral e eventos institucionais, o grupo realiza um importante trabalho de humanização, fazendo apresentações em datas comemorativas para os pacientes internados no Hospital. Nossos parabéns aos integrantes do coro e votos de vida longa! Inaugurações O Provedor do Real Hospital Português, Alberto Ferreira da Costa, inaugurou, no dia 13/03, dois novos serviços que vão garantir mais comodidade aos clientes do complexo hospitalar. A abertura da segunda unidade do Real Café, localizado no térreo do novo Edf. São João de Deus, e o serviço de lavagem ecológica de carros DryUp, no 5º andar do Edf. Garagem. Os empresários Shirley Molina e Alcides Cardoso, respectivamente, estão à frente dos novos negócios. Laboratório 100% O laboratório de análises clínicas do Hospital Português Real Lab divulgou o resultado da avaliação do Ensaio de Proficiência da Control Lab para o ano de 2011, atingindo 100% de adequação. Esta certificação, bem como nosso excelente desempenho, garantem a confiabilidade e asseguram a qualidade consistente dos nossos laudos laboratoriais, comemora o diretor do Real Lab, o patologista Luiz Otávio. Real Café DryUp Drs. William Stamford, Fernando Nolasco, Carlos Pires, Manuel Pestana e José Nogueira. Transplante renal Oncologia O médico Ricardo Costa recebeu o título de Oncologista Clínico após aprovação pela American Board of Medical Oncology ABIM. O especialista atua na Real Onco, no Hospital Português. Os chefes dos serviços de Urologia e Nefrologia do Real Hospital Português, José Nogueira e William Stamford, estiveram em Portugal, de 28 a 31 de março, para participar do Encontro Renal 2012, realizado no Centro de Congressos de Vilamoura. Especialistas dos Estados Unidos, Portugal e Brasil trocaram experiências na área de transplante renal intervivos e cadáveres.

12 Real Visão: abra seus olhos para o melhor. O Real Visão é um dos mais modernos centros oftalmológicos do país, com equipe de profissionais altamente especializada e atendimento humanizado. Dispõe de equipamentos de última geração, como Orbscan, OCT Visante e o OCT Spetralis para cirurgias refrativas, retinopatia diabética, degeneração macular entre outros exames de alta complexidade. Também possui um serviço exclusivo de lentes de contato e um completo centro cirúrgico com qualidade e padrão internacional. Pensou em saúde, pensou no Real Hospital Português. Marcação de consultas: Dra. Mª do Carmo Lencastre Diretora Técnica / Médica CRM-PE: 8325 Avenida Agamenon Magalhães, 4760, Paissandu - Recife/PE - PABX: CEP: Av. Conselheiro Aguiar, 2502, Boa Viagem - Recife/PE - Fone:

Módulo 7: ROP. O que é a retinopatia da prematuridade? Qual a população que precisa ser examinada? examinada? realizado? realizado?

Módulo 7: ROP. O que é a retinopatia da prematuridade? Qual a população que precisa ser examinada? examinada? realizado? realizado? Atenção à saúde do Recém-nascido de Risco Superando pontos críticos Módulo 7: ROP O que é a retinopatia da prematuridade? Qual a população que precisa ser examinada? examinada? ser Q Quando uando o o exame

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 060/2012

PROJETO DE LEI Nº 060/2012 PROJETO DE LEI Nº 060/2012 Dispõe sobre a obrigatoriedade da realização do exame para diagnóstico da retinopatia da prematuridade, TESTE DO OLHINHO, nos recém-nascidos, antes da alta hospitalar, em Hospitais

Leia mais

Seminário: "TURISMO DE SAÚDE NO BRASIL: MERCADO EM ASCENSÃO"

Seminário: TURISMO DE SAÚDE NO BRASIL: MERCADO EM ASCENSÃO Seminário: "TURISMO DE SAÚDE NO BRASIL: MERCADO EM ASCENSÃO" FLEURY LINHA DO TEMPO Uma história de sucesso Uma história de sucesso Uma história de sucesso Uma história de sucesso Uma história de sucesso

Leia mais

HOSPITAL ABREU SODRÉ A sua próxima escolha.

HOSPITAL ABREU SODRÉ A sua próxima escolha. HOSPITAL ABREU SODRÉ A sua próxima escolha. Qualidade máxima e confiança são fundamentais no momento de escolher um hospital, e você precisa do que há de melhor na área médica. Por isso, prepare-se para

Leia mais

PORTARIA Nº 177, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009 DODF de 17.09.2009

PORTARIA Nº 177, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009 DODF de 17.09.2009 PORTARIA Nº 177, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009 DODF de 17.09.2009 O SECRETÁRIO DE ESTADO DE SAÚDE DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o inciso X do artigo 204 do Regimento Interno,

Leia mais

CEGUEIRA E CATARATA. Perguntas e respostas

CEGUEIRA E CATARATA. Perguntas e respostas CEGUEIRA E CATARATA Perguntas e respostas Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira 14. O que torna a pessoa cega? Somado aos acidentes e defeitos

Leia mais

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA 2) Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático

Leia mais

Dr.Pedro Silveira Gonçalves Filho

Dr.Pedro Silveira Gonçalves Filho A SAÚDE OCULAR NA SAÚDE DO BRASIL Dr.Pedro Silveira Gonçalves Filho CONF. OMS / ALMA- ATA/ URSS-1978 Atenção Primária de Saúde A prevenção da cegueira é parte integrante da atenção primária de saúde. Deve

Leia mais

Profa. Dra. Silvia P. S. Kitadai Área Técnica da Saúde Ocular CODEPPS - SMS. Retinopatia da Prematuridade 2006

Profa. Dra. Silvia P. S. Kitadai Área Técnica da Saúde Ocular CODEPPS - SMS. Retinopatia da Prematuridade 2006 Profa. Dra. Silvia P. S. Kitadai Área Técnica da Saúde Ocular CODEPPS - SMS Retinopatia da Prematuridade 2006 BULBO OCULAR Retinopatia da Prematuridade Doença vaso proliferativa multifatorial Uma das

Leia mais

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes

Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Veículo: Jornal da Comunidade Data: 24 a 30/07/2010 Seção: Comunidade Vip Pág.: 4 Assunto: Diabetes Uma vida normal com diabetes Obesidade, histórico familiar e sedentarismo são alguns dos principais fatores

Leia mais

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS ÍNDICE Apresentação...03 Hospital Universitário Cajuru...04 Estrutura...04 Especialidades Atendidas...05 Diferenças entre atendimento de urgência, emergência e eletivo...06 Protocolo de Atendimento...07

Leia mais

Câmara Municipal de São Paulo

Câmara Municipal de São Paulo DISCURSO PROFERIDO PELO VEREADOR NATALINI NA 126ª SESSÃO ORDINARIA, REALIZADA EM 24/03/10 GRANDE EXPEDIENTE O SR. NATALINI (PSDB) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Vereadores, telespectadores da TV Câmara

Leia mais

Visão Subnormal. Guia do Apresentador

Visão Subnormal. Guia do Apresentador Visão Subnormal Guia do Apresentador SLIDE 1 Introdução do apresentador. O propósito desta apresentação é oferecer informações sobre o que é a visão subnormal, o que pode ser feito sobre ela e onde se

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA NORMAS PARA CREDENCIAMENTO E RECREDENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO EM NEFROLOGIA Curso de Especialização em Nefrologia OBJETIVOS DO PROGRAMA OBJETIVO GERAL Capacitar o profissional médico no conteúdo

Leia mais

EVITANDO ACIDENTES. Como evitar acidentes com os olhos. Cozinhando. Produtos de limpeza. Objetos e crianças. Plantas

EVITANDO ACIDENTES. Como evitar acidentes com os olhos. Cozinhando. Produtos de limpeza. Objetos e crianças. Plantas EVITANDO ACIDENTES Como evitar acidentes com os olhos Quando se trata de acidentes com os olhos, o melhor remédio é a prevenção, pois algumas lesões podem causar desde a perda da qualidade da visão até

Leia mais

DO PACIENTE RENAL Tratamento conservador

DO PACIENTE RENAL Tratamento conservador aminidicionário DO PACIENTE RENAL Tratamento conservador Ao paciente e seus familiares, este pequeno dicionário tem a intenção de ajudar no entendimento da doença que passou a fazer parte das suas vidas.

Leia mais

EXERCÍCIOS ALIMENTOS. As novidades em nutrição. Eles ajudam você a ter uma vida melhor VIVER MAIS. Como amadurecer sem perder o otimismo

EXERCÍCIOS ALIMENTOS. As novidades em nutrição. Eles ajudam você a ter uma vida melhor VIVER MAIS. Como amadurecer sem perder o otimismo EXERCÍCIOS Eles ajudam você a ter uma vida melhor ALIMENTOS As novidades em nutrição VIVER MAIS Como amadurecer sem perder o otimismo Alto padrão em saúde Eles se destacam pela qualidade das instalações,

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. Rua Visconde de Paranaguá, nº 24 Campus Saúde CEP: 96.200-190 Bairro Centro Rio Grande Rio Grande do Sul/RS Brasil Acesso

Leia mais

Documento de posição da retinopatia diabética

Documento de posição da retinopatia diabética Documento de posição da retinopatia diabética Grupo de Trabalho de Planejamento a Longo Prazo do SightFirst (SFLRP) Agosto de 2008 Apresentação A missão do programa Leonístico SightFirst é apoiar o desenvolvimento

Leia mais

Esta foi a avaliação feita pelo

Esta foi a avaliação feita pelo 8 Novembro Azul O País se ilumina de azul para conscientizar-se sobre o diabetes e suas consequências O Conselho Brasileiro de Oftalmologia decidiu apoiar de forma mais efetiva o Mutirão do Olho Diabético

Leia mais

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Pressão controlada apresentação Chamada popularmente de pressão alta, a hipertensão é grave por dois motivos: não apresenta sintomas, ou seja,

Leia mais

Estudo de caso: Hospital Albert Einstein. Mirian do Carmo Branco da Cunha Diretora de Recursos Humanos, SBIB Hospital Albert Einstein

Estudo de caso: Hospital Albert Einstein. Mirian do Carmo Branco da Cunha Diretora de Recursos Humanos, SBIB Hospital Albert Einstein Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Estudo de caso: Hospital Albert Einstein Mirian do Carmo Branco da Cunha Diretora de Recursos Humanos, SBIB

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

Câmara Municipal de São Paulo

Câmara Municipal de São Paulo DISCURSO PROFERIDO PELO VEREADOR NATALINI NA 195ª SESSÃO ORDINARIA, REALIZADA EM 16/11/10 GRANDE EXPEDIENTE O SR. NATALINI (PSDB) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Vereadores, paulistanos que nos acompanham

Leia mais

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA A - Empresa Com um terreno de 1.000.000 m² e 354.000 m² de área construída, o Centro Comercial Leste Aricanduva surgiu em 1991 com a inauguração do primeiro shopping center

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA OBJETIVOS DO PROGRAMA Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático essenciais,

Leia mais

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES A Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes-CIHDOTT tem por objetivo a organizar todo o processo

Leia mais

DO FIM AO RENASCIMENTO

DO FIM AO RENASCIMENTO Foto: Arquivo Sistema de Procura de Órgãos e Tecidos do Hospital das Clínicas (SPOT-HC) DO FIM AO RENASCIMENTO A MORTE DE UNS PODE SALVAR A VIDA DE OUTROS QUE ESTÃO EM RISCO 6 Não há lado bom quando uma

Leia mais

INCOR COMEMORA 1OOº TRANSPLANTE CARDÍACO PEDIÁTRICO

INCOR COMEMORA 1OOº TRANSPLANTE CARDÍACO PEDIÁTRICO Sugestão de nota de agenda INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP 16 de maio de 2011 INCOR COMEMORA 1OOº TRANSPLANTE CARDÍACO PEDIÁTRICO No sábado, 7 de maio, o coração dos profissionais

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Produtos Unimed Grande Florianópolis

Produtos Unimed Grande Florianópolis Produtos Unimed Grande Florianópolis A Unimed é o plano de saúde que oferece os melhores médicos do Brasil. Vamos além para que sua saúde seja plena e de qualidade. Para nós, o importante é ver você bem

Leia mais

PARECER COREN-SP 62/2013 CT PRCI n 100.960 Tickets nº 280.706

PARECER COREN-SP 62/2013 CT PRCI n 100.960 Tickets nº 280.706 PARECER COREN-SP 62/2013 CT PRCI n 100.960 Tickets nº 280.706 Ementa: Realização do exame de fundo de olho por Enfermeiro. 1. Do fato Enfermeira solicita parecer sobre a competência do Enfermeiro para

Leia mais

Fórum. Desafio da Gestão das Organizações Não Governamentais

Fórum. Desafio da Gestão das Organizações Não Governamentais Fórum Desafio da Gestão das Organizações Não Governamentais Centro Infantil Boldrini Nov / 2013 José Alberto Vieira Saltini Importância do Terceiro Setor É inegável a crescente importância do Terceiro

Leia mais

4 Quando o número de vagas proposto corresponde adequadamente à dimensão do corpo

4 Quando o número de vagas proposto corresponde adequadamente à dimensão do corpo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Regulação e Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

Processo Seletivo 2015.1

Processo Seletivo 2015.1 Processo Seletivo 2015.1 Edital 1. O Curso 2. Hospitais Sedes 3. Das Inscrições 4. Das vagas e seleção 5. Prova escrita / Entrevista 6. Apresentação do Programa 7. Requesitos para inscrição 8. Cronograma

Leia mais

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII Rua Rio Branco, 216, Centro, CEP 650-490, São Luís /MA - Fone: (98) 3878.21 Credenciado pela Portaria Ministerial nº 1764/06, D.O.U. 211 de 03.11.06, Seção 01, Folha14 ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

Leia mais

HCE EM ATOS... HOTEL DE TRÂNSITO- CENTRO GENERAL ERNANI AYROSA

HCE EM ATOS... HOTEL DE TRÂNSITO- CENTRO GENERAL ERNANI AYROSA HCE EM ATOS... Responsabilidade Social ACISO na Maré Duas fonoaudiólogas do HCE, as tenentes Danielle Lopes e Renata Cony participaram da Ação Cívico-Social (Aciso) do CPOR, que aconteceu no Complexo da

Leia mais

Entendendo seus resultados sanguíneos. Avitum

Entendendo seus resultados sanguíneos. Avitum Entendendo seus resultados sanguíneos Avitum Por que você precisa verificar meu sangue tantas vezes? Todos os meses tiramos uma série de amostras de sangue para verificar se você está dialisando bem, e

Leia mais

PROJETO: AÇÃO DE SAÚDE

PROJETO: AÇÃO DE SAÚDE PROJETO: AÇÃO DE SAÚDE FEIRAS DE SAÚDE EM UBÁ MG Projeto realizado pela Prefeitura de Ubá MG, administração 2009-2012, em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora. Coordenador Geral: Vereador

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS

Leia mais

Autor: Vereador Carlo Caiado

Autor: Vereador Carlo Caiado DESPACHO 2007 N O Página 1 de 9 Projeto de Decreto Legislativo nº173/2007 Concede o Título de Cidadão Honorário do Município do Rio de Janeiro ao Doutor Adelso de Miranda Costa - Médico Radiologista. Autor:

Leia mais

ÍNDICE: ESPECIALIDADES:

ÍNDICE: ESPECIALIDADES: ÍNDICE: ESPECIALIDADES: ACUPUNTURA... ANGIOLOGIA... CARDIOLOGIA... CLÍNICA MÉDICA... DERMATOLOGIA... ENDOCRINOLOGIA... FONOAUDIOLOGIA... GASTROENTEROLOGIA... GERIATRIA... GINECOLOGIA... INFECTOLOGIA...

Leia mais

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: LISTZ MADRUGA VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA:

Leia mais

Glaucoma. O que é glaucoma? Como acontece?

Glaucoma. O que é glaucoma? Como acontece? Glaucoma O que é glaucoma? Glaucoma é uma doença crônica do olho (que dura toda a vida), que ocorre quando há elevação da pressão intra-ocular (PIO), que provoca lesões no nervo ótico e, como conseqüência,

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DO ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DO ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DO ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA NORMA TÉCNICA PARA FLUXO DE PACIENTES CIRÚRGICOS ENTRE HOSPITAIS GERAIS ESTADUAIS DE REFERÊNCIA DA REGIÃO METROPOLITANA E MOSSORÓ E AS UNIDADES

Leia mais

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013

GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia. Salvador, 14 de março de 2013 GOVERNO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA Centro Estadual de Oncologia Salvador, 14 de março de 2013 ROTEIRO O CICAN Breve Histórico Missão Perfil Ambulatórios Quimioterapia Centro Cirúrgico

Leia mais

Unimed Brasil. A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede de assistência médica do Brasil:

Unimed Brasil. A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede de assistência médica do Brasil: Unimed Brasil A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede de assistência médica do Brasil: Presente em 83% território nacional; 375 cooperativas

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais

QUALIDADE E SEGURANÇA EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR E HOSPITALAR

QUALIDADE E SEGURANÇA EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR E HOSPITALAR QUALIDADE E SEGURANÇA EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR E HOSPITALAR HOME CARE Ajudar o paciente a resgatar a qualidade de vida em sua própria residência, é o compromisso do NADH. O atendimento personalizado é

Leia mais

TESTE DO REFLEXO VERMELHO tem ampla campanha nacional de divulgação

TESTE DO REFLEXO VERMELHO tem ampla campanha nacional de divulgação 8 Teste do Olhinho TESTE DO REFLEXO VERMELHO tem ampla campanha nacional de divulgação Quando estava grávida, descobri que, logo ao nascer, de preferência na maternidade, todo bebê deve fazer um exame

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA. CEP Município UF DDD/Telefones 40110-060 Salvador BA (71) 3283-8141. coreme@ufba.br

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA. CEP Município UF DDD/Telefones 40110-060 Salvador BA (71) 3283-8141. coreme@ufba.br Nome Completo da Instituição Hospital Universitário Professor Edgard Santos Universidade Federal da Bahia Endereço Completo Rua Augusto Viana s/nº - Canela CEP Município UF DDD/Telefones 110-060 Salvador

Leia mais

Palavras-chave: saúde - glaucoma - prevenção - qualidade de vida - responsabilidade social.

Palavras-chave: saúde - glaucoma - prevenção - qualidade de vida - responsabilidade social. Projeto Glaucoma Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Hoftalon - Centro de Estudo e Pesquisa da Visão Cidade:

Leia mais

VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS

VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS Leia o código e assista a história de seu Fabrício Agenor. Este é o seu Fabrício Agenor. Ele sempre gostou de comidas pesadas e com muito tempero

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA HOSPITALAR Unidade Dias

Leia mais

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ Origem A preocupação com as questões sociais fez com que o professor e sacerdote italiano D. Luigi Maria Verzé chegasse ao Brasil, em 1974, através do Monte

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA DATA: 1 a 3 de SETEMBRO LOCAL: HOTEL GOLDEN TULIP / VITÓRIA-ES Realização: Tema: O Envolvimento Interdisciplinar na Qualidade de Assistência e na Segurança do Paciente COMISSÃO ORGANIZADORA

Leia mais

ALTERAÇÕES RENAIS. Texto extraído do Editorial do Endocrinologia&Diabetes clínica e experimental vol. 7 número 3, julho/2007.

ALTERAÇÕES RENAIS. Texto extraído do Editorial do Endocrinologia&Diabetes clínica e experimental vol. 7 número 3, julho/2007. ALTERAÇÕES RENAIS E.D. teve seu diabetes diagnosticado em 1985, nessa época tinha 45 anos e não deu muita importância para os cuidados que seu médico lhe havia recomendado, sua pressão nesta época era

Leia mais

Educação Para O Sistema

Educação Para O Sistema QUALIHOSP 2012 Educação Para O Sistema Marcos Roberto Ymayo Pedro Felix Vital Jr Objetivos História Programas de ensino Mercado local, desafios e realidade Perfil do profissional Vocação institucional

Leia mais

Doação de leite materno salva vidas de bebês nas UTIs

Doação de leite materno salva vidas de bebês nas UTIs Doação de leite materno salva vidas de bebês nas UTIs Além do atendimento especializado que somente a UTI Neonatal pode oferecer aos bebês prematuros, o leite materno é fundamental para que se desenvolvam

Leia mais

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante POR QUE CRIAR CIHDOTTs? 6294 hospitais no país Necessidade de descentralização Equipes localizadas dentro do hospital notificante

Leia mais

Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto 120 anos de qualidade

Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto 120 anos de qualidade REPORTAGEM Homenagem Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto 120 anos de qualidade No Dia Mundial da Visão o Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto celebrou o seu aniversário. Para o assinalar realizou

Leia mais

2009/2010 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DE ANESTESIA

2009/2010 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DE ANESTESIA 2009/2010 COMISSÃO CIENTÍFICA Celínia Antunes Cristina Baião Fernanda Príncipe Henrique Dias Jorge Coelho José Alberto Martins José David Ferreira Marcos Pacheco Nuno Tavares Lopes Paulo Amorim Paulo Figueiredo

Leia mais

Experiência da Secretaria Municipal de Saúde do Recife SUS

Experiência da Secretaria Municipal de Saúde do Recife SUS Experiência da Secretaria Municipal de Saúde do Recife Unidade de Cuidados Integrais à Saúde Professor: Guilherme Abath (UCIS) Odimariles Dantas Gerente da UCIS/PCR Unidade de Cuidados Integrais à Saúde

Leia mais

Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos

Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos Núcleo de Atenção Integral à Saúde da Unimed SJC O Núcleo de Ação Integral à Saúde (NAIS) é o setor responsável pela promoção da saúde e prevenção

Leia mais

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN DIMENSIONAMENTO DE SERVIÇOS ASSISTENCIAIS E DA GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA BRASÍLIA-DF, 27 DE MARÇO DE 2013. Página 1 de 20 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1.

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE Elaborado por: Ana Paula de Menezes Assistente Social da CASSIND APRESENTAÇÃO A internação domiciliar ou home care é compreendida como a instalação de uma estrutura

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA (PRM) CIRURGIA GERAL

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA (PRM) CIRURGIA GERAL INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA (PRM) CIRURGIA GERAL Introdução Caro (a) médico residente O Programa de Residência Médica em Cirurgia Geral, do Hospital Regional de Ponta Grossa

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR

PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR Prof. Dr. Jones Alberto de Almeida Divisão de saúde ocupacional Barcas SA/ CCR ponte A necessidade de prover soluções para demandas de desenvolvimento, treinamento

Leia mais

CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde Toledo PR PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS

CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde Toledo PR PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS OFTALMOLOGIA Pré-requisitos: História clínica detalhada; Exame físico completo; Exames complementares essenciais conforme o

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA Unidade Dias

Leia mais

O Renal é um ser humano como todos e tem seu direito de ser respeitado e não ter vergonha de ser renal. Jaderson

O Renal é um ser humano como todos e tem seu direito de ser respeitado e não ter vergonha de ser renal. Jaderson Jaderson é um garoto de 11 anos, portador de insuficiência renal crônica, paciente do Serviço de Hemodiálise Pediátrica do Hospital Roberto Santos em Salvador-BA. É uma criança muito inteligente e talentosa,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR II REALIZADO NA UNIDADE BÁSICA DE SÁUDE VILA GAÚCHA PRISCILA DOS SANTOS LEDUR Porto Alegre 2011 PRISCILA DOS

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - CURITIBA Unidade

Leia mais

UM SONHO, UMA MISSÃO, UMA CONQUISTA

UM SONHO, UMA MISSÃO, UMA CONQUISTA 2 Business View Brasil Agosto 2015 UM SONHO, UMA MISSÃO, UMA CONQUISTA Diagnóstico humanizado e um nome que é sinônimo de credibilidade Quando um grupo de médicos da cidade de Maringá, no Estado do Paraná,

Leia mais

SinMed/RJ Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro

SinMed/RJ Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro SinMed/RJ Hospital Lourenço Jorge acaba de perder cirurgiões vasculares. Unidade já não tinha especialistas em tórax e cérebro Superlotação na emergência do Hospital Lourenço Jorge Foto: Emanuel Alencar

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO I SOLICITAÇÃO DE: INSCRIÇÃO REGISTRO CADASTRO ATUALIZAÇÃO DE DADOS: (a cargo do CRM) II 1 Razão Social IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE 2 Designação de Fantasia / Nome Usual 3 Endereço 4 Município

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2008 ANEXO 2 ATIVIDADES, ESCOLARIDADE E REQUISITOS

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2008 ANEXO 2 ATIVIDADES, ESCOLARIDADE E REQUISITOS PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2008 ANEXO 2 ATIVIDADES, ESCOLARIDADE E REQUISITOS A. CARGOS DE ADMINISTRAÇÃO GERAL NÍVEL SUPERIOR CARGO: PROFESSOR DE ATIVIDADES MUSICAIS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES MARIÁ BARBALHO NARDI Orientadora: Prof.ª Drª Isabel Cristina Echer

Leia mais

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015

Cartilha de Prevenção. ANS - nº31763-2. Diabetes. Fevereiro/2015 Cartilha de Prevenção 1 ANS - nº31763-2 Diabetes Fevereiro/2015 Apresentação Uma das missões da Amafresp é prezar pela qualidade de vida de seus filiados e pela prevenção através da informação, pois esta

Leia mais

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

Animal. Casa. Compras. Fitness. Ensino. Gastronomia. Ano 1. Nº 1. 20 mil exemplares. www.revistacomuniq.com.br facebook.

Animal. Casa. Compras. Fitness. Ensino. Gastronomia. Ano 1. Nº 1. 20 mil exemplares. www.revistacomuniq.com.br facebook. Animal Casa Ano 1. Nº 1. 20 mil exemplares www.revistacomuniq.com.br facebook.com/revistacomuniq 2013 Compras Gastronomia Ensino Fitness Animal Casa www.revistacomuniq.com.br facebook.com/revistacomuniq

Leia mais

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com.

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com. Outubro 2012 NATAL www.unirn.com.br (84) 4009-4664 Rua Açu, 665 - Tirol Natal/RN - CEP 59020-110 30 anos de história no RN www.unirn.com.br COOPERATIVA LÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE ANS - n.º 34531-8 Palavra

Leia mais

"Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade?" Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES

Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade? Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES "Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade?" Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES AGENDA Programação do Evento - Histórico do Centro Integrado de Atenção a

Leia mais

Guia para o tratamento com Lucentis (ranibizumab)

Guia para o tratamento com Lucentis (ranibizumab) Guia para o tratamento com Lucentis (ranibizumab) Para a perda de visão devida a neovascularização coroideia (NVC) secundária a miopia patológica Informação importante para o doente Secção 1 Sobre o Lucentis

Leia mais

26 de Fevereiro a 03 de Março de 2008

26 de Fevereiro a 03 de Março de 2008 Pesquisa Clipping InterJornal MapaMídia 26 de Fevereiro a 03 de Março de 2008 Lista das Notícias (Positivas, Neutras e Negativas) publicadas nos principais Jornais, Revistas e Sites, citando Danilo Cabral

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO NAS DOENÇAS CRÔNICAS

Leia mais

Guia Prático de Utilização do Plano

Guia Prático de Utilização do Plano Guia Prático de Utilização do Plano Aqui você tem o que há de melhor para a sua saúde. O QUE É A UNIMED APRESENTAÇÃO Sua finalidade é prestar assistência médica e hospitalar de alto padrão, dentro do sistema

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE REGIÕES DE SAÚDE CRS Política de Saúde para o Idoso no Estado de São Paulo Selo Hospital Amigo do Idoso Centro de Referência do Idoso Resolução

Leia mais

AEASC. Editorial. Expediente

AEASC. Editorial. Expediente Expediente A Revista AEASC é uma publicação bimestral da Associação dos Ex-alunos da F.C.M. da Santa Casa de São Paulo. Endereço: Rua Dr. Cesário Mota Júnior, 112 CEP 01221-020 Tel. / Fax.: (11) 3362-1869

Leia mais

Portugal Making sure your health comes first. www.medicalport.org. Prestador Global de Turismo Médico. Copyright Medical Port 2015

Portugal Making sure your health comes first. www.medicalport.org. Prestador Global de Turismo Médico. Copyright Medical Port 2015 Portugal Making sure your health comes first www.medicalport.org SOBRE PORTUGAL O Índice Global da Competitividade 2014 2015 posiciona Portugal em 24º lugar no campo da Saúde e da Educação Primária com

Leia mais

RELATÓRIO EXECUTIVO N 004/14 32ª REUNIÃO DE DIRETORIA GERIR/HUGO

RELATÓRIO EXECUTIVO N 004/14 32ª REUNIÃO DE DIRETORIA GERIR/HUGO RELATÓRIO EXECUTIVO N 004/14 32ª REUNIÃO DE DIRETORIA GERIR/HUGO Data: 04/02/2014 Horário: 10h Presentes: Ciro Ricardo Pires de Castro (Diretor Geral - HUGO), Sr. Thulio Lorentz (Diretor Administrativo

Leia mais

Ensino. Principais realizações

Ensino. Principais realizações Principais realizações Reestruturação dos Programas de ; Início do Projeto de Educação à Distância/EAD do INCA, por meio da parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública ENSP/FIOCRUZ; Três novos Programas

Leia mais

DO PACIENTE RENAL Terapia de substituição renal

DO PACIENTE RENAL Terapia de substituição renal aminidicionário DO PACIENTE RENAL Terapia de substituição renal Ao paciente e seus familiares, este pequeno dicionário tem a intenção de ajudar no entendimento da doença que passou a fazer parte das suas

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O SERVIÇO DE FISIOTERAPIA SUMÁRIO

ORIENTAÇÕES SOBRE O SERVIÇO DE FISIOTERAPIA SUMÁRIO ORIENTAÇÕES SOBRE O SUMÁRIO CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO 2 CAPÍTULO II - ENCAMINHAMENTO PARA FISIOTERAPIA - MÉDIA COMPLEXIDADE 2 CAPÍTULO III - RECEPÇÃO E AUTORIZAÇÃO DE ENCAMINHAMENTOS 3 CAPÍTULO IV - CONSULTA

Leia mais