Serviços para Acesso ao SIRGAS2000 no Brasil. SIRGAS2014 La Paz, 25 de novembro de 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Serviços para Acesso ao SIRGAS2000 no Brasil. SIRGAS2014 La Paz, 25 de novembro de 2014"

Transcrição

1 Serviços para Acesso ao SIRGAS2000 no Brasil SIRGAS2014 La Paz, 25 de novembro de 2014

2 Sumário Adoção do SIRGAS2000 no Brasil Informações e serviços disponibilizados Coordenadas SIRGAS2000 / BDG ProGrid (Grades de Transformação) MAPGEO2010 (Modelo de Ondulações Geoidais) Serviço IBGE-PPP RBMC e RBMC-IP PPP em tempo real Manutenção do SIRGAS2000 Portal INDE / Visualizador INDE

3 Adoção do SIRGAS2000: Cronograma Data Ação 2000 Criação do PMRG /02/ /02/2015 Definição do Sistema de Referência Início do Período de Transição 2 (convivência entre os sistemas antigos e o SIRGAS2000) Adoção definitiva do novo sistema 3 1: I Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil 2: RPR 01/2005, em desdobramento ao II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil (de 30/11 a 03/12/2004) 3: Proposta de nova RPR

4 Informações e serviços disponibilizados em SIRGAS2000 Coordenadas SIRGAS2000, época para as estações GPS e Doppler da rede planimétrica brasileira (novo ajustamento da rede planimétrica) (fev 2005) Modelo geoidal referido ao SIRGAS MAPGEO2004 (fev 2005) Parâmetros de transformação SAD 96 SIRGAS2000 (fev 2005) (TCGEO) Coordenadas SIRGAS2000, época para as estações da Rede clássica (mar 2006) ProGrid (converte CA61, CA7072, SAD69 e SAD96 para SIRGAS2000) (nov 2008) Serviço IBGE-PPP (abr 2009) Serviços RBMC (pós-processamento) e tempo real (RBMC-IP) (mai 2009) Novo Modelo Geoidal MAPGEO2010 (jun 2010)

5 COORDENADAS SIRGAS2000 Disponibilizadas em 2005 GPS = 2620 Doppler = 1006

6 COORDENADAS SIRGAS2000 disponibilizadas em 2006 Rede Clássica = 4776

7 Bando de Dados Geodésicos

8 PARÂMETROS DE TRANSFORMAÇÃO DE SAD-69 PARA SIRGAS2000 RESUMO DOS RESULTADOS 1) Usar os parâmetros acima para converter resultados de posicionamentos atuais em SAD 69 (i.e., com efemérides operacionais) para SIRGAS2000 ou WGS84 Parâmetros Oficiais SAD 69 SIRGAS2000 X = - 67,35 m Y = 3,88 m Z = - 38,22 m 1) Os parâmetros oficiais SAD69 WGS-84, calculados em 1989(RPR 23/89), correspondem à primeira realização do WGS-84; 2) Estes parâmetros devem ser utilizados para levantamentos realizados até dez de 1993 Parâmetros Oficiais SAD 69 SIRGAS2000 X = - 66,87 m Y = 4,37 m Z = -38,52 m

9 FERRAMENTAS E SERVIÇOS online ProGriD - Programa de Transformação de Coordenadas

10 ANEXO - GRADES DE TRANSFORMAÇÃO (10 x 10 ) Transformação 2D Grades de Transformação entre os sistemas CA, SAD69 e SIRGAS2000 Córrego Alegre 1961 CA61_003.GSB Córrego Alegre SAD 69 SAD69/96 CA7072_003.GSB SAD69_003.GSB SAD96_003.GSB

11 FERRAMENTAS E SERVIÇOS online Modelo de Ondulação Geoidal - MAPGEO2010 Sistema Interpolador de Ondulação Geoidal

12 FERRAMENTAS E SERVIÇOS online GPS/RRNN Média RMS Máxima discrepância Mínima discrepância MAPGEO2010-0,01 0,32 2,47-0,94 MAPGEO2004 0,43 0,66 3,21-4,13

13 FERRAMENTAS E SERVIÇOS online Serviço IBGE-PPP Lançamento em abril 2009; Serviço gratuito de processamento de dados GNSS; Resultados disponíveis 2:30 horas após a conclusão da coleta de dados; Faz uso do aplicativo de processamento CSRS-PPP desenvolvido pelo Geodetic Survey Division of Natural Resources of Canada (NRCan); ~ 400 processamentos por dia; Seu uso é indicado nas novas normas técnicas do INCRA georreferenciamento de imóveis rurais

14 FERRAMENTAS E SERVIÇOS online IBGE-PPP: Principais Características Processa dados GPS, de qualquer tipo de receptor, desde que estejam no formato RINEX ou HATANAKA; Os dados podem estar em qualquer intervalo de coleta; Fornece resultados para levantamentos realizados tanto no modo estático quanto no cinemático; As coordenadas planimétricas SIRGAS propagadas para a época através do Modelo de Velocidades SIRGAS VEMOS2009; As altitudes ortométricas obtidas através do Modelo de Ondulação Geoidal MAPGEO2010.

15 Atualização do Serviço Atualização do Serviço Online IBGE-PPP IBGE-PPP (antigo) IBGE-PPP (novo) Constelação GPS GPS/GLONASS Órbita (sp3) IGS/IGR IGS/IGR (fora do Brasil) EMF/EMR/EMU (dentro do Brasil) Relógio (clk) IGS e IGR (intervalo de 5 min) IGS/IGR (5 min) - fora do Brasil EMF/EMR/EMU (30 s) - dentro do Brasil DCB (tendência inter-freq dos receptores e satélites) L1 L1 e L2 Satélites GPS Blk I, II, IIA e IIR Blk I, II, IIA, IIR, IIRM e IIF Satélite GLONASS - Blk orig, M e K Dados Meteorológicos Atmosfera Padrão Modelo GPT Modelo Troposférico Temp (C): Pressao (Mb): Hum. Relativa(%): Atraso da comp. Seca (Hidrostático): Davis (GPT) Atraso da comp. úmida: Hopfield (GPT) Função Map: GMF (Global Mapp. Function) Tempo de espera para submeter os dados Órbita Final: 13 a 19 dias Órbita Rápida: 40h a 64h Órbita Final: 11 a 17 dias Órbita Rápida: 12h a 36h Órbita Ultra Rápida: 1h30' a 2h30' Relatório Simples Detalhado (com gráficos dos result. Arq. POS) Versão ANTEX

16 IBGE-PPP RINEX ou HATANAKA Zip, gzip 20 Mb

17 Processamentos realizados via IBGE-PPP Seu uso é indicado nas novas normas do INCRA Processamentos Realizados Processamentos Qtd Abr Mai Jun Jul Ago Set Out NovDez Jan FevMar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out NovDez Jan FevMar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out NovDez Jan FevMar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out NovDez Jan FevMar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Abril/ Outubro/

18 Processamentos realizados via IBGE- PPP até set

19 Resultados Comparação 1 seg x 5 seg metros 0,200 0,180 0,160 0,140 0,120 0,100 0,080 0,060 0,040 0,020 0,000 1 segundo 20min 30min 45min 0,143 0,112 0,109 0,092 0,080 0,086 0,066 0,052 0,055 0,042 0,039 0,037 0,027 0,021 0,026 0,026 0,015 0,011 DLAT DLON DHGT SLAT SLON SHGT 1seg metros 0,200 0,180 0,160 0,140 0,120 0,100 0,080 0,060 0,040 0,020 0,000 5 segundos 20min 30min 0,186 45min 0,140 0,129 0,105 0,112 0,113 0,075 0,083 0,081 0,074 0,054 0,039 0,044 0,052 0,026 0,031 0,019 0,021 DLAT DLON DHGT SLAT SLON SHGT 5seg

20 Resultados L1 (15 seg) julho metros 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 PPP hora 2 horas 4 horas 6 horas 1,116 0,6180,5300,501 0,477 0,4930,4430,4360,426 0,777 0,775 0,6150,584 0,530 0,430 0,466 0,538 0,3000,209 0,170 0,320 0,437 0,2230,182 DLAT DLON DHGT SLAT SLON SHGT novembro metros 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 3,895 PPP hora 2 horas 4 horas 3,058 6 horas 2,235 1,521 1,660 1,233 1,345 1,061 0,995 1,082 1,114 0,778 0,809 0,766 0,428 0,454 0,536 0,2920,2090,169 0,316 0,433 0,2220,181 DLAT DLON DHGT SLAT SLON SHGT

21 Resultados L3 (L1 + L2 )ion free - 15 seg julho metros 0,080 0,060 0,040 0,020 0,000 PPP hora 2 horas 4 horas 6 horas 0,049 0,045 0,038 0,035 0,024 0,024 0,016 0,018 0,019 0,016 0,012 0,015 0,008 0,011 0,013 0,006 0,009 0,007 0,009 0,010 0,005 0,003 0,006 0,002 DLAT DLON DHGT SLAT SLON SHGT novembro metros 0,080 0,060 0,040 0,020 0,000 PPP hora 2 horas 4 horas 0,053 0,049 6 horas 0,041 0,036 0,028 0,021 0,024 0,020 0,013 0,014 0,017 0,014 0,018 0,013 0,014 0,007 0,007 0,006 0,008 0,010 0,005 0,003 0,006 0,002 DLAT DLON DHGT SLAT SLON SHGT

22 Resultados Comparação entre versões antiga x nova Diferenças 1 hora (solução GNSS x GPS)

23 Resultados Comparação antiga x nova Desvio Padrão 1 hora (solução GNSS)

24 FERRAMENTAS E SERVIÇOS online Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS RBMC Trabalho de cooperação com mais de 40 instituições INPE e INCRA; Atividades recentes: troca de equipamentos GNSS dados meteorológicos (desde abril/2014) Aplicações práticas: georreferenciamento, cadastro, posicionamento e navegação. Aplicações científicas: Modelagem da ionosfera, modelos numéricos de previsão do tempo, modelagem da troposfera e geodinâmica. ~ downloads mensais; Dados disponibilizados para livre acesso nos portais do IBGE e INCRA; ftp://geoftp.ibge.gov.br/rbmc/ (arquivos de 24 horas / 15 segundos) (arquivos de 1 hora / 1 ou 5 segundos)

25 POLI RBMC: Estações Operacionais (112) nov em tempo real 30

26 Configuração da estação GNSS 31

27 Serviço RBMC-IP Disponibiliza fluxo de dados, efemérides e correções GNSS das estações da RBMC-IP através do protocolo TCP/IP, possibilitando a realização de levantamentos RTK; Utiliza o NTRIP - Networked Transport of RTCM via Internet Protocol (desenvolvido pela Agência Alemã de Geodésia e Cartografia); Acesso ao serviço RBMC - IP Acesso aos dados é feito via cadastro (usuário não está diretamente conectado ao receptor) Permissão de acesso para 5 estações, no máximo; O cadastro é válido por 6 meses, no máximo, podendo ser renovado. Acessível através do endereço: Software livre para cálculo: RTKLIB, RTKGPS, BNC

28 RBMC-IP Estatísticas de cadastro e uso Usuários cadastrados em 2013: 4931 Novos cadastrados em 2014: 3135 Estações mais selecionadas no cadastro do RBMC-IP em quantidade de seleções POLI MGBH BRAZ RIOD UFPR PPTE SPCA VICO EESC GOGY Estações

29 Mapa estações IGS-RT +150 estações total (10 RBMC)

30 Serviço PPP em tempo real Rede IGS em tempo real Servidor NTRIP IBGE Servidor IGS em tempo real (BKG) SIRGAS e RTCM3EPH Usuários com BNC Client

31 PPP em tempo real Resultados PPP-RT (estático)

32 Manutenção do Referencial SIRGAS2000: Centro de Processamento e Combinação SIRGAS Dados de 141 estações processadas semanalmente

33 Centro de Análise SIRGAS Boa Vista Altamira Macapa Manaus Imperatriz Porto Velho Rio Branco Marabá Guajara-Mirim Ji-Paraná Cuiabá

34 Portal da INDE

35 Geoserviços: Visualizador INDE

36 O que muda com o término do Período de Transição / Nova Resolução Todos os usuários no Brasil devem adotar exclusivamente o SIRGAS2000 em suas atividades, encerrando-se o uso concomitante do SAD 69 no Sistema Geodésico Brasileiro e do SAD 69 e Córrego Alegre no Sistema Cartográfico Nacional; IBGE publicará em seu Banco de Dados Geodésicos as coordenadas das estações referidas apenas ao SIRGAS2000; Oficializar o uso das Grades de Transformação entre os referenciais Córrego Alegre 1961, Córrego Alegre , SAD 69, SAD69/96 e SIRGAS2000; bem como orientações sobre o seu uso, conforme ANEXO;

37 Informações Banco de Dados Geodésicos: menu GEOCIÊNCIAS GEODÉSIA Banco de Dados do item SGB RBMC: menu GEOCIÊNCIAS GEODÉSIA RBMC

38 Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS RBMC Dados Meteorológicos Informações coletadas a cada minuto Temperatura Pressão Umidade Relativa

39 Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS RBMC Novas estações NOV 2014

40 Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS RBMC Novas estações 2015

RBMC e RBMC-IP: Rede GNSS ativa como apoio aos levantamentos de campo. Sonia Maria Alves Costa

RBMC e RBMC-IP: Rede GNSS ativa como apoio aos levantamentos de campo. Sonia Maria Alves Costa RBMC e RBMC-IP: Rede GNSS ativa como apoio aos levantamentos de campo Sonia Maria Alves Costa Mundogeo#Connect 2014 São Paulo, 8 de maio de 2014 Sumário Status da Rede Serviço RBMC-IP Acesso ao Serviço

Leia mais

Passado, Presente e Futuro das Atividades Geodésicas no Brasil em Apoio ao SIRGAS

Passado, Presente e Futuro das Atividades Geodésicas no Brasil em Apoio ao SIRGAS Passado, Presente e Futuro das Atividades Geodésicas no Brasil em Apoio ao SIRGAS Luiz Paulo Souto Fortes Sonia Maria Alves Costa Alberto Luis da Silva Roberto Teixeira Luz Marcelo Alessandro Nunes Valéria

Leia mais

Normas e especificações para levantamentos GPS

Normas e especificações para levantamentos GPS Normas e especificações para levantamentos GPS IBGE- DGC - Coordenação de Geodésia IBGE- UE/SC Gerência de Geodésia e Cartografia IV CONFEGE - 21/08/06 a 25/08/06 - Rio de Janeiro/RJ Conteúdo Introdução:

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Sistema Geodésico de Referência: Figura geométrica da superfície terrestre: Época de referência das coordenadas:

NOTA TÉCNICA. Sistema Geodésico de Referência: Figura geométrica da superfície terrestre: Época de referência das coordenadas: NOTA TÉCNICA TÉRMINO DO PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARA ADOÇÃO NO BRASIL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA GEOCÊNTRICO PARA AS AMÉRICAS (SIRGAS), EM SUA REALIZAÇÃO DE 2,4 (SIRGAS2) A definição, implantação e manutenção

Leia mais

A reformulação do serviço de pós-processamento on-line de dados GNSS IBGE-PPP: estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul

A reformulação do serviço de pós-processamento on-line de dados GNSS IBGE-PPP: estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul Embrapa Informática Agropecuária/INPE, p. 384-388 A reformulação do serviço de pós-processamento on-line de dados GNSS IBGE-PPP: estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul Ronaldo Lisboa Gomes 1 José

Leia mais

GNSS: CONCEITOS, MODELAGEM E PERSPECTIVAS FUTURAS DO POSICIONAMENTO POR SATÉLITE

GNSS: CONCEITOS, MODELAGEM E PERSPECTIVAS FUTURAS DO POSICIONAMENTO POR SATÉLITE GNSS: CONCEITOS, MODELAGEM E PERSPECTIVAS FUTURAS DO POSICIONAMENTO POR SATÉLITE Prof. Dra. Daniele Barroca Marra Alves Departamento de Cartografia SUMÁRIO Posicionamento Sistemas de Posicionamento GPS,

Leia mais

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED RBMC-IP Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED 06 de Maio de 2009 Sumário Sistema GPS Técnica de Posicionamento

Leia mais

PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL

PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL 1 Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil Rio de Janeiro - IBGE/CDDI 1 O que é um sistema geodésico de referência? É

Leia mais

Recentes Atividades Brasileiras Realizadas para o SIRGAS

Recentes Atividades Brasileiras Realizadas para o SIRGAS Recentes Atividades Brasileiras Realizadas para o SIRGAS Sonia Maria Alves Costa, Repres. Nac. Comitê SIRGAS Reunião SIRGAS, 2007 Bogota, Colômbia, 7 e 8 de junho Geomática 2007 Sumário Adoção do SIRGAS

Leia mais

Universal Transverso de Mercator determinadas pelo Posicionamento por Ponto Preciso

Universal Transverso de Mercator determinadas pelo Posicionamento por Ponto Preciso Universal Transverso de Mercator determinadas pelo Posicionamento por Ponto Preciso Leonardo Costa Garcia Prof a. Ms. Adriane Brill Thum UNISINOS Especialização em Informações Espaciais Georreferenciadas

Leia mais

Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro

Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro R.PR 1/2005 FOLHA 1/1 Competência: Artigo 24 do Estatuto aprovado pelo Decreto nº 4.740, de 13 de junho de 2003. O PRESIDENTE da FUNDAÇÃO INSTITUTO

Leia mais

PPP PÓS PROCESSADO E EM TEMPO REAL. Prof. Dr. Haroldo Antonio Marques - UFPE Prof. Dr. João Francisco Galera Monico - UNESP

PPP PÓS PROCESSADO E EM TEMPO REAL. Prof. Dr. Haroldo Antonio Marques - UFPE Prof. Dr. João Francisco Galera Monico - UNESP PPP PÓS PROCESSADO E EM TEMPO REAL Prof. Dr. Haroldo Antonio Marques - UFPE Prof. Dr. João Francisco Galera Monico - UNESP Introdução Posicionamento GNSS em tempo real (ex.: RTK e DGPS): RTPPP (Real Time

Leia mais

Manual do Usuário. Aplicativo Online IBGE-PPP. Versão: dezembro 2013. Coordenação de Geodésia. Diretoria de Geociências

Manual do Usuário. Aplicativo Online IBGE-PPP. Versão: dezembro 2013. Coordenação de Geodésia. Diretoria de Geociências Versão: dezembro 2013 Coordenação de Geodésia Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Página 1 1 Introdução 3 2 Especificações do Serviço 3 2.1. Arquivos necessários para o processamento 3 2.1.1.

Leia mais

Manual do Usuário. Posicionamento Por Ponto Preciso Versão: março 2009. Coordenação de Geodésia. Diretoria de Geociências

Manual do Usuário. Posicionamento Por Ponto Preciso Versão: março 2009. Coordenação de Geodésia. Diretoria de Geociências Posicionamento Por Ponto Preciso Versão: março 2009 Coordenação de Geodésia Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Página 1 Posicionamento Por Ponto Preciso - PPP 1. Como usar o PPP... 3 1.1.

Leia mais

II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil

II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil PMRG - Projeto Mudança do Referencial Geodésico RESUMO DOS PAINÉIS 4 e 5 PAINEL 4: Perguntas: Que aplicativos e serviços devem ser disponibilizados?

Leia mais

CONCEITO DE GEODÉSIA A FORMA DA TERRA SUPERFÍCIES DE REFERÊNCIA MARCOS GEODÉSICOS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA

CONCEITO DE GEODÉSIA A FORMA DA TERRA SUPERFÍCIES DE REFERÊNCIA MARCOS GEODÉSICOS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA Sumário P r o f. Ti a g o B a d r e M a r i n o G e o p r o c e s s a m e n t o D e p a r t a m e n t o d e G e o c i ê n c i a s I n s t i t u t o d e A g r o n o m i a U F R R J 2 Conceito de Geodésia

Leia mais

Técnicas de Levantamento atendendo a Lei 10.267 2ª edição da norma técnica e Soluções para Topografia Como reduzir custos e aumentar produtividade

Técnicas de Levantamento atendendo a Lei 10.267 2ª edição da norma técnica e Soluções para Topografia Como reduzir custos e aumentar produtividade Técnicas de Levantamento atendendo a Lei 10.267 2ª edição da norma técnica e Soluções para Topografia Como reduzir custos e aumentar produtividade Eng. Wesley Polezel INTRODUÇÃO - Lei 10.267 / outubro

Leia mais

Discrepâncias das coordenadas obtidas por Posicionamento por Ponto Preciso (PPP)

Discrepâncias das coordenadas obtidas por Posicionamento por Ponto Preciso (PPP) Discrepâncias das coordenadas obtidas por Posicionamento por Ponto Preciso (PPP) Lécio Alves Nascimento 1 William Dal Poz 1 Julio Cesar de Oliveira 1 Thiago Antônio de Oliveira 1 1 Universidade Federal

Leia mais

PPP EM TEMPO REAL UTILIZANDO A RBMC-IP PARA A REGIÃO DA CIDADE DO RECIFE

PPP EM TEMPO REAL UTILIZANDO A RBMC-IP PARA A REGIÃO DA CIDADE DO RECIFE WORKSHOP DA RBMC PPP EM TEMPO REAL UTILIZANDO A RBMC-IP PARA A REGIÃO DA Eng. Agrim. Alexandre do Nascimento Souza Prof. Dr. Silvio Jacks dos Anjos Garnés Prof. Dr. Haroldo Antonio Marques INTRODUÇÃO Neste

Leia mais

GT 3 - Conversão de Referenciais II SEMINÁRIO SOBRE REFERENCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL

GT 3 - Conversão de Referenciais II SEMINÁRIO SOBRE REFERENCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL II SEMINÁRIO SOBRE REFERENCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL Geodesico - PMRG da Infraestrutura Geoespacial Nacional - PIGN GT 3 - Conversão de Referenciais Leonar Castro de Oliveira - coordenar ( gt3pmrg@ibge.gov.br

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO DO SISTEMA DE POSICIONAMENTO GLOBAL GPS. Luiz Paulo Souto Fortes René A. Zepeda Godoy

REDE BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO DO SISTEMA DE POSICIONAMENTO GLOBAL GPS. Luiz Paulo Souto Fortes René A. Zepeda Godoy REDE BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO DO SISTEMA DE POSICIONAMENTO GLOBAL GPS Luiz Paulo Souto Fortes René A. Zepeda Godoy Departamento de Geodésia Diretoria de Geociências IBGE Av. Brasil, 15.671

Leia mais

ConBAP 2010 Ribeirão Preto.

ConBAP 2010 Ribeirão Preto. Atualização e perspectivas futuras nas tecnologias de posicionamento por satélite JOAO FRANCISCO GALERA MONICO Departamento de Cartografia, FCT/UNESP galera@fct.unesp.br galera@pq.cnpq.br ConBAP 2010 Ribeirão

Leia mais

NOVA HIERARQUIA DA REDE PLANIMÉTRICA DO SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO

NOVA HIERARQUIA DA REDE PLANIMÉTRICA DO SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO NOVA HIERARQUIA DA REDE PLANIMÉTRICA DO SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO INTRODUÇÃO Sonia Maria Alves Costa Luiz Paulo Souto Fortes Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Av. Brasil 15671, Parada

Leia mais

PPP EM TEMPO REAL COM ESTIMATIVA DOS ERROS DOS RELÓGIOS DOS SATÉLITES GNSS

PPP EM TEMPO REAL COM ESTIMATIVA DOS ERROS DOS RELÓGIOS DOS SATÉLITES GNSS IX Seminário Anual do GEGE PPP EM TEMPO REAL COM ESTIMATIVA DOS ERROS DOS RELÓGIOS DOS SATÉLITES GNSS Doutorando: Orientador: Co-Orientadores: Haroldo Antonio Marques PPGCC/UNESP Dr. João Francisco Galera

Leia mais

Atividades Recentes do SIRGAS no Brasil

Atividades Recentes do SIRGAS no Brasil Atividades Recentes do SIRGAS no Brasil Sonia Maria Alves Costa Luiz Paulo Souto Fortes Diretoria de Geociências Reunião SIRGAS 2008 Montevidéu, 28 de maio de 2008 Projeto Mudança do Referencial Geodésico

Leia mais

GA119 MÉTODOS GEODÉSICOS

GA119 MÉTODOS GEODÉSICOS Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Cartográfica e de Agrimensura GA119 MÉTODOS GEODÉSICOS Profa. Regiane Dalazoana 4 Métodos baseados em Geodésia Espacial 4.1 Métodos Celestes da Geodésia

Leia mais

Revista Ponto de Referência

Revista Ponto de Referência Projeto Infra-estrutura Geoespacial Nacional - PIGN O Projeto Infra-estrutura Geoespacial Nacional -PIGN- é coordenado pelo IBGE e pela Universidade de New Brunswick - UNB- e patrocinado pela Agência Canadense

Leia mais

QUAL A MELHOR SOLUÇÃO NO PPP ON-LINE MAGICGNSS: GPS, GLONASS OU A COMBINAÇÃO ENTRE AMBOS?

QUAL A MELHOR SOLUÇÃO NO PPP ON-LINE MAGICGNSS: GPS, GLONASS OU A COMBINAÇÃO ENTRE AMBOS? QUAL A MELHOR SOLUÇÃO NO PPP ON-LINE MAGICGNSS: GPS, GLONASS OU A COMBINAÇÃO ENTRE AMBOS? Matheus Henrique Maia Lisboa Raiane Rintielle Vaz Menezes William Rodrigo Dal Poz Afonso de Paula dos Santos Universidade

Leia mais

ESTUDO SOBRE O MODELO GEOIDAL BRASILEIRO EM ESTAÇÕES ALTIMÉTRICAS DE PRIMEIRA ORDEM LOCALIZADAS NO LITORAL E AGRESTE DO ESTADO DE PERNAMBUCO

ESTUDO SOBRE O MODELO GEOIDAL BRASILEIRO EM ESTAÇÕES ALTIMÉTRICAS DE PRIMEIRA ORDEM LOCALIZADAS NO LITORAL E AGRESTE DO ESTADO DE PERNAMBUCO ESTUDO SOBRE O MODELO GEOIDAL BRASILEIRO EM ESTAÇÕES ALTIMÉTRICAS DE PRIMEIRA ORDEM LOCALIZADAS NO LITORAL E AGRESTE DO ESTADO DE PERNAMBUCO Aluno: Charles Silva de Albuquerque Orientador: Prof. MSc. Glauber

Leia mais

Introdução à Geodésia

Introdução à Geodésia UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Disciplina: Leitura e Interpretação de Cartas Introdução à Geodésia Prof. Dr. Richarde Marques richarde@geociencias.ufpb.br

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA LEVANTAMENTOS RELATIVOS ESTÁTICOS GPS

RECOMENDAÇÕES PARA LEVANTAMENTOS RELATIVOS ESTÁTICOS GPS RECOMENDAÇÕES PARA LEVANTAMENTOS RELATIVOS ESTÁTICOS GPS abril de 2008 Recomendações para Levantamentos Relativo Estático - GPS ÍNDICE LISTA DE FIGURAS... I LISTA DE TABELAS... II LISTA DE ABREVIAÇÕES...

Leia mais

0. Formulário. 1. Identificação do local da estação GPS

0. Formulário. 1. Identificação do local da estação GPS 0. Formulário Preparado por - Equipe Técnica da RBMC - Centro de Controle Engª. Kátia Duarte Pereira Data - 23 julho 1997 Atualização - 13 março 2007 Troca de receptor e antena 1. Identificação do local

Leia mais

Programa de Monitoramento do Lençol Freático do AHE Jirau

Programa de Monitoramento do Lençol Freático do AHE Jirau Programa de Monitoramento do Lençol Freático do AHE Jirau Preparado Por Preparado Para ICF Consultoria do Brasil Ltda. Av. das Américas, nº 700, Bloco 6, sala 251 Barra da Tijuca Rio de Janeiro, RJ CEP

Leia mais

MundoGeo#Connect LatinAmerica Dasafios para a disponibilização de dados geoespaciais à sociedade

MundoGeo#Connect LatinAmerica Dasafios para a disponibilização de dados geoespaciais à sociedade MundoGeo#Connect LatinAmerica Dasafios para a disponibilização de dados geoespaciais à sociedade João Bosco de Azevedo Diretoria de Geociências - IBGE Belo Horizonte, outubro de 2005 Diretoria de Geociências

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS DIFERENTES TIPOS DE EFEMÉRIDES PRECISAS E MODELOS DE VELOCIDADE NO TRANSPORTE DE COORDENADAS

INFLUÊNCIA DOS DIFERENTES TIPOS DE EFEMÉRIDES PRECISAS E MODELOS DE VELOCIDADE NO TRANSPORTE DE COORDENADAS p. 001-006 INFLUÊNCIA DOS DIFERENTES TIPOS DE EFEMÉRIDES PRECISAS E MODELOS DE VELOCIDADE NO TRANSPORTE DE COORDENADAS FELIPE MENDES SUCI¹ ALESSANDRO SALLES CARVALHO² MOISÉS FERREIRA COSTA³ ¹Universidade

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 3. SISTEMAS DE REFERÊNCIA CLÁSSICOS 4. SISTEMAS DE REFERÊNCIA MODERNOS 5. MATERIALIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE REFERÊNCIA

1. INTRODUÇÃO 3. SISTEMAS DE REFERÊNCIA CLÁSSICOS 4. SISTEMAS DE REFERÊNCIA MODERNOS 5. MATERIALIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE REFERÊNCIA SISTEMAS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO 2. SISTEMAS COORDENADOS E SUPERFÍCIES UTILIZADOS EM GEODÉSIA 2.1 Sistema de Coordenadas Cartesianas 2.2 Sistema de Coordenadas Geodésicas 2.3 Sistema de Coordenadas

Leia mais

No caso de existência no BDG, surgirá a seguinte mensagem: Visualize o resultado da pesquisa no final da página. Clicar sobre o botão OK.

No caso de existência no BDG, surgirá a seguinte mensagem: Visualize o resultado da pesquisa no final da página. Clicar sobre o botão OK. Sistema Geodésico Brasileiro Banco de Dados Geodésicos Opções de consulta: Para realizar este tipo de consulta, deve-se digitar o(s) código(s) da(s) estação(ões) a serem pesquisadas e clicar sobre o botão

Leia mais

Métodos de Posicionamento GNSS. Prof. Pedro Donizete Parzzanini

Métodos de Posicionamento GNSS. Prof. Pedro Donizete Parzzanini Métodos de Posicionamento GNSS Prof. Pedro Donizete Parzzanini GNSS Global Navigattion Satellite System Termo utilizado para a denominação de um conjunto de Sistemas de Navegação por Satélites que permitem

Leia mais

PPP: uma alternativa rápida, precisa e econômica para o planejamento territorial

PPP: uma alternativa rápida, precisa e econômica para o planejamento territorial PPP: uma alternativa rápida, precisa e econômica para o planejamento territorial P.C.L. Segantine, M. Menzori Escola de Engenharia de São Carlos EESC/USP seganta@sc.usp.br RESUMO Os últimos anos têm sido

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013 CURSOS DE EXTENSÃO Julho 2013 Curso de AutoCAD Objetivo: Proporcionar treinamento técnico especializado sobre o sistema CADD, através do software AutoCAD, capacitando o treinando a elaborar configurações

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ACURÁCIA A PARTIR DE DIFERENTES TEMPOS DE RASTREIO UTILIZANDO A SOLUÇÃO PPP ON-LINE DO IBGE

AVALIAÇÃO DA ACURÁCIA A PARTIR DE DIFERENTES TEMPOS DE RASTREIO UTILIZANDO A SOLUÇÃO PPP ON-LINE DO IBGE p. 001-007 AVALIAÇÃO DA ACURÁCIA A PARTIR DE DIFERENTES TEMPOS DE RASTREIO UTILIZANDO A SOLUÇÃO PPP ON-LINE DO IBGE TIAGO DIOGO PERDIGÃO AFONSO DE PAULA DOS SANTOS Universidade Federal de Viçosa - UFV

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013 CURSOS DE EXTENSÃO Julho 2013 Curso de AutoCAD Objetivo: Proporcionar treinamento técnico especializado sobre o sistema CADD, através do software AutoCAD, capacitando o treinando a elaborar configurações

Leia mais

A Alezi Teodolini está há quase de 40 no mercado, oferecendo produtos e serviços na coleta de informações de campo com a missão de:

A Alezi Teodolini está há quase de 40 no mercado, oferecendo produtos e serviços na coleta de informações de campo com a missão de: A Empresa A está há quase de 40 no mercado, oferecendo produtos e serviços na coleta de informações de campo com a missão de: EQUIPAR E CAPACITAR O MERCADO BRASILEIRO Sempre pioneira nos seus ramos de

Leia mais

VENICIO EDUARDO ELOI DA SILVA ESTUDO PRELIMINAR PARA HOMOLOGAÇÃO DE UM MARCO GEODÉSICO NO CAMPUS DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO

VENICIO EDUARDO ELOI DA SILVA ESTUDO PRELIMINAR PARA HOMOLOGAÇÃO DE UM MARCO GEODÉSICO NO CAMPUS DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL VENICIO EDUARDO ELOI DA SILVA ESTUDO PRELIMINAR PARA HOMOLOGAÇÃO DE UM MARCO GEODÉSICO NO CAMPUS DA UNIVERSIDADE

Leia mais

AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA

AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA Objetivos TOPOGRAFIA Gerais Visão geral de Sistemas de Referência Específicos Sistemas de Coordenadas; Sistema de Referência; Datum Geodésico; Sistemas de Referência De acordo

Leia mais

GNSS GeoMax Série Zenith10 & Zenith20

GNSS GeoMax Série Zenith10 & Zenith20 GNSS GeoMax Série Zenith10 & Zenith20 GeoMax Sobre nós Na GeoMax, nós fornecemos uma abrangente pasta de soluções integradas através do desenvolvimento, da fabricação e da distribuição de instrumentos

Leia mais

INTEGRAÇÃO DAS REDES DE MONITORAMENTO CONTÍNUO: UMA NECESSIDADE?

INTEGRAÇÃO DAS REDES DE MONITORAMENTO CONTÍNUO: UMA NECESSIDADE? INTEGRAÇÃO DAS REDES DE MONITORAMENTO CONTÍNUO: UMA NECESSIDADE? Comissão Técnica II Agrimensura, Geodésia, Astronomia e Topografia Kátia Duarte Pereira IBGE/Departamento de Geodésia Av. Brasil 15.671,

Leia mais

MARÍLIA SANGLARD ALMEIDA

MARÍLIA SANGLARD ALMEIDA MARÍLIA SANGLARD ALMEIDA ANÁLISE COMPARATIVA DA QUALIDADE POSICIONAL DOS MÉTODOS DE POSICIONAMENTO POR PONTO PRECISO E DO POSICIONAMENTO RELATIVO ESTÁTICO COM GNSS Dissertação apresentada à Universidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DA VARIAÇÃO DO VETOR DOS ERROS NO POSICIONAMENTO ABSOLUTO EM RECEPTOR GPS DE NAVEGACÃO

AVALIAÇÃO DA VARIAÇÃO DO VETOR DOS ERROS NO POSICIONAMENTO ABSOLUTO EM RECEPTOR GPS DE NAVEGACÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA DE POMPEIA CURSO TECNOLOGIA EM MECANIZAÇÃO EM AGRICULTURA DE PRECISÃO AUGUSTO CAPPELINI BRANDT CÉSAR AUGUSTO FELTRIN NUNES AVALIAÇÃO DA VARIAÇÃO DO VETOR DOS ERROS NO POSICIONAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Análise dos Dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS 1996 a 2000

RELATÓRIO TÉCNICO. Análise dos Dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS 1996 a 2000 RELATÓRIO TÉCNICO Análise dos Dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS Rio de Janeiro 2011 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e

Leia mais

RBMC: SETE ANOS FORNECENDO REFERÊNCIA A POSICIONAMENTOS GPS NO BRASIL E EXTERIOR

RBMC: SETE ANOS FORNECENDO REFERÊNCIA A POSICIONAMENTOS GPS NO BRASIL E EXTERIOR RBMC: SETE ANOS FORNECENDO REFERÊNCIA A POSICIONAMENTOS GPS NO BRASIL E EXTERIOR Kátia Duarte Pereira Jardel Aparecido Fazan Luiz Paulo Souto Fortes Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Diretoria

Leia mais

ícone para finalizar a abertura do trabalho/obra,conforme as figuras mostradas na seqüência.

ícone para finalizar a abertura do trabalho/obra,conforme as figuras mostradas na seqüência. Este guia tem como intuito auxiliar o profissional de campo a configurar e utilizar o sistema ProMark500 RTK nos modos de levantamento RTK ou pós-processamento, utilizando o software FAST Survey instalado

Leia mais

O SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO E A LEI DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS

O SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO E A LEI DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS O SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO E A LEI DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS Kátia Duarte Pereira 1 Moema José de Carvalho Augusto 2 1 Instituto Brasileiro de Geografia e Estística/ Diretoria de Geociências

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus de Presidente Prudente Faculdade de Ciências e Tecnologia Redes GPS Ativa no Brasil João Francisco Galera Monico FCT/Unesp Rede GPS Ativa Em termos de posicionamento,

Leia mais

II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil

II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil PMRG - Projeto Mudança do Referencial Geodésico RESUMO DOS PAINÉIS 1, 2 e 3 Perguntas: PAINEL 1: IMPACTOS NO MAPEAMENTO TOPOGRÁFICO SISTEMÁTICO Quais

Leia mais

ANEXO L RESUMO ESPECIFICAÇÕES INCRA

ANEXO L RESUMO ESPECIFICAÇÕES INCRA ANEXO L RESUMO ESPECIFICAÇÕES INCRA 1 Metodologia A metodologia utilizada para a determinação dos pontos de divisa, seguiu a metodologia para georreferenciamento de imóveis rurais do emitido pelo INCRA

Leia mais

GEORREFERENCIAMENTO REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

GEORREFERENCIAMENTO REVISÃO BIBLIOGRÁFICA GEORREFERENCIAMENTO CASSIANO GARCIA ROQUE 1, IVAN CLEITON DE OLIVEIRA 2, PRISCILA PEREIRA FIGUEIREDO 3, EVERTON VALDOMIRO PEDROSO BRUM 1 E MAIRO FABIO CAMARGO 4 1 Prof. Dr., Departamento de Agronomia da

Leia mais

Hoje adota novas tecnologias no posicionamento geodésico, como por exemplo o Sistema de Posicionamento Global (GPS)

Hoje adota novas tecnologias no posicionamento geodésico, como por exemplo o Sistema de Posicionamento Global (GPS) Geodésia A Geodésia é uma ciência que se ocupa do estudo da forma e tamanho da Terra no aspecto geométrico e com o estudo de certos fenômenos físicos relativos ao campo gravitacional terrestre, visando

Leia mais

18/11/2010 CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS. Objetivo.

18/11/2010 CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS CURSO BÁSICO DE GPS. Objetivo. Objetivo Autos de Infração 2007 - SICAFI - Objetivo Objetivo Ponto coletado em WGS84 e reinserido em SAD69. Erro de 67.98 metros O Sistema GPS O Sistema GPS O sistema GPS foi desenvolvido pelo Departamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CARTOGRÁFICA RENAN DOZZO FARIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CARTOGRÁFICA RENAN DOZZO FARIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CARTOGRÁFICA RENAN DOZZO FARIAS ESTUDO COMPARATIVO DE MÉTODOS DE POSICIONAMENTO GNSS PARA O MAPEAMENTO

Leia mais

6 Geoprocessamento. Daniel de Castro Victoria Edlene Aparecida Monteiro Garçon Bianca Pedroni de Oliveira Gustavo Bayma Silva Daniel Gomes

6 Geoprocessamento. Daniel de Castro Victoria Edlene Aparecida Monteiro Garçon Bianca Pedroni de Oliveira Gustavo Bayma Silva Daniel Gomes 6 Geoprocessamento Daniel de Castro Victoria Edlene Aparecida Monteiro Garçon Bianca Pedroni de Oliveira Gustavo Bayma Silva Daniel Gomes 156 O que é geoprocessamento? Consiste no uso de ferramentas computacionais

Leia mais

CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS

CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS Orientação e Forma Diversidade = A visibilidade é variável Ordem = As categorias se ordenam espontaneamente Proporcionalidade = relação de proporção visual Cores convencionais

Leia mais

Receptor GNSS Navcom SF 3040 com tecnologia StarFire

Receptor GNSS Navcom SF 3040 com tecnologia StarFire Receptor GNSS Navcom SF 3040 com tecnologia StarFire Webinar MundoGeo/Alezi Teodolini Um novo paradigma para os receptores GNSS: precisão de 5 cm com apenas um equipamento e sem utilizar bases Algumas

Leia mais

PROPOSTA Nº 024/2014 CCEEAGRI

PROPOSTA Nº 024/2014 CCEEAGRI CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CONFEA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA COORDENADORIA DE CÂMARAS ESPECIALIZADAS DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA - CCEEAGRI PROPOSTA Nº 024/2014 CCEEAGRI ASSUNTO : BRASILIA-DF,

Leia mais

Equipe Ténica. Coordenadores dos Grupos de Trabalho: Coordenação de Produção da Revista. Valéria Oliveira Henrique de Araújo - IBGE

Equipe Ténica. Coordenadores dos Grupos de Trabalho: Coordenação de Produção da Revista. Valéria Oliveira Henrique de Araújo - IBGE Equipe Ténica Coordenadores dos Grupos de Trabalho: Secretaria Executiva Maria Cristina Barboza Lobianco - IBGE Interface com o Usuário Maria Cristina Barboza Lobianco - IBGE Mark Doucette WaterMark /

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ ADEMAR LUIZ CHIQUETTO ANA LIDIA MOURA DO CARMO DIEGO DE OLIVEIRA GABRIEL NADOLNY

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ ADEMAR LUIZ CHIQUETTO ANA LIDIA MOURA DO CARMO DIEGO DE OLIVEIRA GABRIEL NADOLNY UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ ADEMAR LUIZ CHIQUETTO ANA LIDIA MOURA DO CARMO DIEGO DE OLIVEIRA GABRIEL NADOLNY GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEL RURAL, NO MUNICÍPIO DE IRATI, PR UTILIZANDO O MÉTODO DE POSICIONAMENTO

Leia mais

Tutorial 1: Processamento de observações GPS no Pinnacle

Tutorial 1: Processamento de observações GPS no Pinnacle Gil Gonçalves - Versão 1.1 Tutorial 1: Processamento de observações GPS no Pinnacle ÍNDICE 1. Introdução...1 2. Passos necessários...2 Observações:...11 Anexos...12 Anexo 1: Orbitas precisas: Serviço IGS...12

Leia mais

INFLUÊNCIA DA LATÊNCIA NAS CORREÇÕES DGPS

INFLUÊNCIA DA LATÊNCIA NAS CORREÇÕES DGPS INFLUÊNCIA DA LATÊNCIA NAS CORREÇÕES DGPS Felipe Ferrari a,b* Leonardo Castro de Oliveira a, Alexandre Benevento Marques a,c a Instituto Militar de Engenharia, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de

Leia mais

Conceitos de Geodésia

Conceitos de Geodésia Sumário P r o f. Ti a g o B a d r e M a r i n o G e o p r o c e s s a m e n t o D e p a r t a m e n t o d e G e o c i ê n c i a s I n s t i t u t o d e A g r o n o m i a U F R R J SISTEMAS DE COORDENADAS

Leia mais

Resolução de São Paulo

Resolução de São Paulo Resolução de São Paulo Este documento tem a finalidade de divulgar as resoluções emanadas por ocasião de duas reuniões do GT2 Grupo de Trabalho Definição e Estratégias para Materialização Geodésico do

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO DO SISTEMA GPS (RBMC) ESTÁGIO ATUAL

REDE BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO DO SISTEMA GPS (RBMC) ESTÁGIO ATUAL REDE BRASILEIRA DE MONITORAMENTO CONTÍNUO DO SISTEMA GPS (RBMC) ESTÁGIO ATUAL Luiz Paulo Souto Fortes Departamento de Geodésia DGC IBGE Av. Brasil, 15.671 Parada de Lucas Rio de Janeiro RJ CEP 21.241 Brasil

Leia mais

O QUE É GPS? FUNCIONAMENTO DO GPS DIFERENTES SISTEMAS SISTEMA GNSS SISTEMA GPS SISTEMA GLONASS SISTEMA GALILEO PERTURBAÇÕES DO SINAL

O QUE É GPS? FUNCIONAMENTO DO GPS DIFERENTES SISTEMAS SISTEMA GNSS SISTEMA GPS SISTEMA GLONASS SISTEMA GALILEO PERTURBAÇÕES DO SINAL GPS Sistema de Posicionamento por Satélites Artificiais P r o f. Ti a g o B a d r e M a r i n o G e o p r o c e s s a m e n t o D e p a r t a m e n t o d e G e o c i ê n c i a s I n s t i t u t o d e A

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

GPS Global positioning system

GPS Global positioning system GPS Global positioning system O Sistema de Posicionamento Global GPS-NAVSTAR (Navigation Satellite Time And Ranging) foi concebido inicialmente para substituir o sistema NNNS/TRANSIT que apresentava várias

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PPP EM ESTAÇÕES DA RBMC PRÓXIMAS A ESTAÇÕES DA REDE CIGALA/CALIBRA NO CONTEXTO DE CINTILAÇÃO IONOSFÉRICA

AVALIAÇÃO DO PPP EM ESTAÇÕES DA RBMC PRÓXIMAS A ESTAÇÕES DA REDE CIGALA/CALIBRA NO CONTEXTO DE CINTILAÇÃO IONOSFÉRICA AVALIAÇÃO DO PPP EM ESTAÇÕES DA RBMC PRÓXIMAS A ESTAÇÕES DA REDE CIGALA/CALIBRA NO CONTEXTO DE CINTILAÇÃO IONOSFÉRICA Bruno César Vani brunovani22@gmail.com Prof. Dr. João Francisco Galera Monico galera@fct.unesp.br

Leia mais

Sistema de Posicionamento por Satélite

Sistema de Posicionamento por Satélite Implantação de Faixa de Dutos Sistema de Posicionamento por Satélite Resumo dos conhecimentos necessários para o entendimento e uso dos Sistemas de s e seus equipamentos. 1 Introdução Os sistemas de posicionamento

Leia mais

Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações. Antonio Macilio Pereira de Lucena

Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações. Antonio Macilio Pereira de Lucena Técnicas de Geodésia Espacial: Princípios e Aplicações Antonio Macilio Pereira de Lucena VLBI Very Long Baseline Interferometry; GNSS- Global Navegation Satellite System; SLR- Satellite Laser Range; DORIS-

Leia mais

GERAÇÃO DE MAPAS DE TEC EM QUASE TEMPO REAL E ESTRUTURA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS EM FORMATO IONEX

GERAÇÃO DE MAPAS DE TEC EM QUASE TEMPO REAL E ESTRUTURA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS EM FORMATO IONEX GERAÇÃO DE MAPAS DE TEC EM QUASE TEMPO REAL E ESTRUTURA PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS EM FORMATO IONEX Claudinei Rodrigues de Aguiar 1 Gean Michel Ceretta 2 Hudson dos Santos Lapa 2 Paulo de Oliveira

Leia mais

9º Seminário de Transporte e Desenvolvimento Hidroviário Interior

9º Seminário de Transporte e Desenvolvimento Hidroviário Interior 9º Seminário de Transporte e Desenvolvimento Hidroviário Interior Manaus, 6 a 8 de Outubro de 2015 Posicionamento Vertical em Hidrovias Segundo Prescrições Internacionais da FIG-International Federation

Leia mais

AS MISSÕES MODERNAS. Denizar Blitzkow EPUSP PTR. Laboratório de Topografia e Geodésia - LTG IV CONFEGE - IBGE Rio de Janeiro - 21 de agosto de 2006

AS MISSÕES MODERNAS. Denizar Blitzkow EPUSP PTR. Laboratório de Topografia e Geodésia - LTG IV CONFEGE - IBGE Rio de Janeiro - 21 de agosto de 2006 AS MISSÕES MODERNAS Denizar Blitzkow EPUSP PTR Laboratório de Topografia e Geodésia - LTG IV CONFEGE - IBGE Rio de Janeiro - 21 de agosto de 2006 Era Espacial Foi responsável por inúmeras mudanças na geodésia

Leia mais

Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Centro de Tecnologia e Ciências. Faculdade de Engenharia. Jhonnes Alberto Vaz

Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Centro de Tecnologia e Ciências. Faculdade de Engenharia. Jhonnes Alberto Vaz Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro de Tecnologia e Ciências Faculdade de Engenharia Jhonnes Alberto Vaz Estudo das etapas e critérios para a homologação de marco geodésico planimétrico Rio

Leia mais

Análise dos Dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS

Análise dos Dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS Análise dos Dados da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS Relatório Técnico Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO

Leia mais

APLICAÇÃO DO SISTEMA DE POSICIONAMENTO GLOBAL (GPS) NA COLETA DE DADOS

APLICAÇÃO DO SISTEMA DE POSICIONAMENTO GLOBAL (GPS) NA COLETA DE DADOS APLICAÇÃO DO SISTEMA DE POSICIONAMENTO GLOBAL (GPS) NA COLETA DE DADOS JOSÉ VICENTE ELIAS BERNARDI Professor Associado Universidade Federal de Rondônia PAULO M. BARBOSA LANDIM Professor Emérito da Universidade

Leia mais

Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições

Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições ESTAÇÃO GPS Para homologação e integração de estações determinadas por outros órgãos e instituições ao Sistema Geodésico Brasileiro

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E ESTUDOS HIDROENERGÉTICOS SGH

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E ESTUDOS HIDROENERGÉTICOS SGH 1/26 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E ESTUDOS HIDROENERGÉTICOS SGH DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE SERVIÇOS DE CARTOGRAFIA E TOPOGRAFIA, RELATIVOS A ESTUDOS E PROJETOS

Leia mais

Gerente Técnico Eng. Marciano Carneiro CREA /RS 132837 - INCRA D5Q Departamento de Geotecnologia Setor Suporte Técnico

Gerente Técnico Eng. Marciano Carneiro CREA /RS 132837 - INCRA D5Q Departamento de Geotecnologia Setor Suporte Técnico Gerente Técnico Eng. Marciano Carneiro CREA /RS 132837 - INCRA D5Q Departamento de Geotecnologia Setor Suporte Técnico Quem somos Há mais de 15 anos no mercado, a Allcomp Geotecnologia e Agricultura atua

Leia mais

Aplicada à Engenharia Civil AULA 12. Sensoriamento Remoto. Fundamentos Teóricos. Prof. Rodolfo Moreira de Castro Junior

Aplicada à Engenharia Civil AULA 12. Sensoriamento Remoto. Fundamentos Teóricos. Prof. Rodolfo Moreira de Castro Junior Geomática Aplicada à Engenharia Civil AULA 12 Sensoriamento Remoto Fundamentos Teóricos e Práticos Prof. Rodolfo Moreira de Castro Junior Laboratório de Topografia e Cartografia - CTUFES Definição ão:

Leia mais

TOPOGRAFIA GEOTECNOLOGIAS E MEIO AMBIENTE RELATÓRIO TÉCNICO DO LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO PLANIALTIMÉTRICO GEORREFERENCIADO

TOPOGRAFIA GEOTECNOLOGIAS E MEIO AMBIENTE RELATÓRIO TÉCNICO DO LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO PLANIALTIMÉTRICO GEORREFERENCIADO siga TOPOGRAFIA GEOTECNOLOGIAS E MEIO AMBIENTE RELATÓRIO TÉCNICO DO Prestação de serviços técnicos especializados para execução de Levantamento Topográfico e Cadastral de imóvel relacionado no item 2 do

Leia mais

Transformação entre o SAD 69 e o SIRGAS2000 no ArcGIS

Transformação entre o SAD 69 e o SIRGAS2000 no ArcGIS Transformação entre o SAD 69 e o SIRGAS2000 no ArcGIS Relatório de pesquisa Como projetar dados em SAD69 para SIRGAS 2000 no ArcGIS. Conteúdo Introdução... 2 Quando usar NTV2 ou GEOCENTRIC TRANSLATION...

Leia mais

Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital

Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital Diagnóstico Ambiental do Município de São Leopoldo (Relatório da Implantação

Leia mais

PPP EM TEMPO REAL COM ESTIMATIVA DAS CORREÇÕES DOS RELÓGIOS DOS SATÉLITES NO CONTEXTO DE REDE GNSS

PPP EM TEMPO REAL COM ESTIMATIVA DAS CORREÇÕES DOS RELÓGIOS DOS SATÉLITES NO CONTEXTO DE REDE GNSS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Programa de Pós-Graduação em Ciências Cartográficas HAROLDO ANTONIO MARQUES PPP EM TEMPO REAL COM ESTIMATIVA

Leia mais

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global 1 Sistema de Posicionamento Global é um sistema de posicionamento por satélite que permite posicionar um corpo que se encontre à superfície

Leia mais

Posicionamento por Satélite. Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça

Posicionamento por Satélite. Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça Posicionamento por Satélite Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça O Sistema GPS - Características Básicas O sistema GPS é composto por três segmentos:

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA

Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA 2ª Edição Aplicada à Lei 10.267, de 28 de agosto de 2001 e ao Decreto 4.449, de 30 de outubro de 2002

Leia mais

Levantamentos Através do Sistema GPS

Levantamentos Através do Sistema GPS Levantamentos Através do Sistema GPS Marcos A. Timbó Departamento de Cartografia 2000 1 - APRESENTAÇÃO A história das observações celestes é milenar e se perde nas brumas do tempo, remontando aos primórdios

Leia mais