Mapeamento de Processos Tendências para 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mapeamento de Processos Tendências para 2015"

Transcrição

1 13º SEMINÁRIO DE SEGURANÇA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL 2º SEMINÁRIO DA QUALIDADE O PLANEJAMENTO COMO FERRAMENTA DE PREVENÇÃO DE PERDAS E OTIMIZAÇÃO DE RESULTADOS Mapeamento de Processos Tendências para 2015

2 Abordagem de Processos O Sistema de Gestão na Abordagem por Processos é caracterizado pela capacidade de interrelacionar os processos da organização para que os mesmos operem de maneira SINÉRGICA.

3 Abordagem de Processos Demonstração de: Foco no mercado Competência organizacional Desempenho dos processos Atendimento às expectativas das partes interessadas Gerenciamento eficaz (produto/serviço, processo, sistema) Gestão de riscos ao negócio

4 O que é um processo? Conjunto de atividades inter-relacionadas ou interativas que transformam insumos (entradas) em produtos (saídas). ISO9000:2005 Processo Entrada Atividade 1 Atividade 2 Atividade 3 Saída

5 O que é um processo? promoção visitas preparatorias previsão das vendas contrato com o cliente administração dos pedidos plano medio prazo orçamento administrar planejamento exploração planejar capacidades plano de produção abastecimento produção PROCESSOS monitorar planejar manutenção nivel 1 qualificação fornecedores transporte négociar contrato fornecedor administrar estocagem entrada planejar entrega controle entrega Osprocessosjuntam as atividades conforme uma lógica de Finalidade, de Resultados São centralizados sobre o mercado e o cliente Favorecem a gestão do tempo Um produto/serviço entregue......no cliente...nas quantidades e nos prazos definidos... com a qualidade desejada

6 Como os processos interagem? MONITORAMENTO Processo Anterior Entradas PROCESSO Saídas Próximo Processo REALIMENTAÇÃO

7 Exemplo de Interação dos Processos Reunião Análise de Projetos e Recursos P & D V & M IDEALIZAÇÃO Gerenciamento de Projetos PLANEJ Configuração Avaliação das Contrato Preliminar Alternativas Monitoraçã de Projeto de Produto Avaliaçã de Produto o o Desenvolvimento de Produto e Processo Disponibilização Disponibilização de Tecnologia Market Assesment Marketing Vendas Reunião PC Reunião de Priorização CONCEPÇÃO CONVERSÃO EXECUÇÃO Análise Preliminar de Mercado Cotação Preliminar Análise de Mercado Viabilidade Técnica e Econômica Especificação final do Produto e Processo Confirmação dos Volumes Implantação Meios Produtivos Certificação e Homologação de Produto e Processo Formação de Preço Suporte Técnico Contrato PRODUÇÃO Contrato Pedido Entregue Pedido Confirmado Manufatura Administração de Vendas Suporte de Manufatura Supply Chain Avaliação das Alternativas de Engenharia Processo de Manufatura Lote Protótipo Lote Piloto Certificação e homologação processo Definição ce Fornecedores Potenciais Gestão de Materiais Definição dos Fornecedores Estratégicos MRP Planejament o Certificação e homologação Fornecedor MRP Aquisiçã o Contrato Gerenciamento de Melhorias da Qualidade Gestão & Qualidade Suporte no Estabelecimento de Acordos de Qualidade com Clientes Avaliações da Qualidade Auditoria Implantação Tratamento de Reclamações de Clientes

8 a) Determinar os processos necessários

9 b) Determinar as entradas e saídas Processo Anterior Entradas PROCESSO Saídas Próximo Processo

10 c) Determinar a sequência e interação entre eles Processo 3 Processo 2 Processo 1

11 d) Determinar os riscosà conformidade e à satisfação GRANDE MUDANÇA!

12 e) Determinar critérios, métodos, medições e indicadores GRANDE MUDANÇA!

13 f) Determinar os recursose garantir disponibilidade PROCESSO

14 g) Determinar responsabilidades e autoridades

15 h) Implementar as ações para obter os resultados (programa de gestão) GRANDE MUDANÇA!

16 i) Monitorar, analisar e mudar estes processos GRANDE MUDANÇA!

17 j) Garantir a melhoria destes processos

18 Richard Chan PM ANALYSIS CONSULTORIA E TREINAMENTO Patrocínio Apoio

ebook Tratamento das Reclamações dos Clientes nas Organizações

ebook Tratamento das Reclamações dos Clientes nas Organizações ebook Tratamento das Reclamações dos Clientes nas Organizações ParasalvaroeBookemseucomputador,aproxime o mouse do quadrado vermelho clique no ícone 0 INTRODUÇÃO 1 OBJETIVO PROGRAMA 2 REFERÊNCIAS NORMATIVAS

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Capítulo 10: Desenvolvendo Soluções para as Empresas com a Tecnologia da Informação 10-1 Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet James A. O'Brien Saraiva S/A Livreiros Editores,

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO 2010 Curso: Administração Disciplina: Administração de Materiais Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 5º 1 - Ementa (sumário, resumo) Origem e desenvolvimento

Leia mais

Alinhando Produção de Software e TI Copyright 2004 Jorge H C Fernandes. Todos os direitos Reservados

Alinhando Produção de Software e TI Copyright 2004 Jorge H C Fernandes. Todos os direitos Reservados Alinhando Produção de e TI White paper Prof. Dr. Jorge Henrique Cabral Fernandes jhcf@cic.unb.br Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília Junho de 2004 Conteúdo 1 - Organizações precisam

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA REDENTOR 1º FOCO: FORMAÇÃO BÁSICA I:

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA REDENTOR 1º FOCO: FORMAÇÃO BÁSICA I: MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA REDENTOR 1º FOCO: FORMAÇÃO BÁSICA I: Compreender o comportamento do homem nas relações sociais, nas relações de poder, na percepção de si mesmo e na relação

Leia mais

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Estratégico Previsão do Negócio Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Mercados e demandas de longo prazo. Competidores. Fatores econômicos,

Leia mais

Aula 2º bim. GEBD dia16/10

Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Compras e Manufatura (produção) O ciclo de compras liga uma organização a seus fornecedores. O ciclo de manufatura envolve a logística de apoio à produção. O ciclo de atendimento

Leia mais

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Prof. MARCELO COSTELLA FRANCIELI DALCANTON ISO 9001- INTRODUÇÃO Conjunto de normas e diretrizes internacionais para sistemas de gestão da qualidade; Desenvolve

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

Auditoria Energética

Auditoria Energética Auditoria Energética Função das Auditorias Energéticas Como estamos? Quanta energia está sendo utilizada? Onde a energia está sendo utilizada? Quando a energia está sendo utilizada? Como e em qual equipamentos

Leia mais

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT (SCM) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira

SUPPLY CHAIN MANAGEMENT (SCM) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira SUPPLY CHAIN MANAGEMENT (SCM) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira 8º semestre DEFINIÇÃO DE CADEIA DE SUPRIMENTOS Conjunto de atividades que objetivam fornecer produtos

Leia mais

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN

Sistemas ERP. Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial. Unirio/PPGI SAIN Sistemas ERP Enterprise Resource Planning ou Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Definições Sistemas de informações que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema

Leia mais

Sobre o Professor e os Discentes

Sobre o Professor e os Discentes FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes O que é ERP? ERP é a sigla de Enterprise Resourse Planning (Planejamento dos Recursos Empresariais). Trata-se de uma técnica moderna de gestão empresarial pela qual todas as informações de todas as áreas

Leia mais

Escritório de Projetos

Escritório de Projetos Escritório de Projetos Agenda Conceito de Escritório de Projetos Por que implementar um Escritório de Projetos? Implementando um Escritório de Projetos Funções do Escritório de Projetos Modelo de Maturizade

Leia mais

30/09/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves. Como surgiu o termo?

30/09/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves. Como surgiu o termo? Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenhariade Produção PPGEP/UFSCar 2005 Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Consultor

Leia mais

Ferramentas de Gestão

Ferramentas de Gestão Curso de Especialização em Gestão Empresarial (MBA Executivo Turma 12) Disciplina: Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Dr. Álvaro José Periotto Ferramentas de Gestão Sis x Eficiência No sistema integrado

Leia mais

O valor da informação e da comunicação em sistemas de gestão da qualidade ISO 9001

O valor da informação e da comunicação em sistemas de gestão da qualidade ISO 9001 O valor da informação e da comunicação em sistemas de gestão da qualidade ISO 9001 Alexandre Nixon Soratto, Msc. (INMETRO) ansoratto@inmetro-sc.gov.br Gregório Varvakis, PhD. (UFSC) grego@egc.ufsc.br Resumo

Leia mais

Disciplinas Fundamentais 2009 (2º quadrimestre)

Disciplinas Fundamentais 2009 (2º quadrimestre) Disciplinas Fundamentais 2009 (2º quadrimestre) Aplicações da Estatística na Transmitir conceitos e técnicas de gestão de projetos, relevantes desde a concepção, desenvolvimento e entrega dos resultados

Leia mais

Tópicos em Engenharia de Segurança do Trabalho. Aulas 1 e 2

Tópicos em Engenharia de Segurança do Trabalho. Aulas 1 e 2 Tópicos em Engenharia de Segurança do Trabalho Dez/2014 Aulas 1 e 2 Gerenciamento de Projetos A globalização torna os mercados cada vez mais competitivos e clientes modernos mais exigentes e sedentos de

Leia mais

ABNT NBR ISO. Introdução à ABNT NBR ISO 14001:2015

ABNT NBR ISO. Introdução à ABNT NBR ISO 14001:2015 ABNT NBR ISO 14001 Introdução à ABNT NBR ISO 14001:2015 A ABNT NBR ISO 14001 é uma norma aceita internacionalmente que define os requisitos para colocar um sistema da gestão ambiental em vigor. Ela ajuda

Leia mais

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais.

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Quem Somos A MDS soluções é uma prestadora de serviços que procura apoiar

Leia mais

Na Tabela C.1 abaixo será apresentada a estrutura comparativa entre os tópicos das normas NBR ISO 9001:2000 e ABNT ISO/TS 16949/2002.

Na Tabela C.1 abaixo será apresentada a estrutura comparativa entre os tópicos das normas NBR ISO 9001:2000 e ABNT ISO/TS 16949/2002. 1 Na Tabela C.1 abaixo será apresentada a estrutura comparativa entre os tópicos das normas NBR ISO 9001:2000 e ABNT ISO/TS 16949/2002. Norma NBR ISO 9001:2000 Esta norma é equivalente à ISO 9001:2000.

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Capítulo : SPT e SIG Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet Objetivos do Capítulo Explicar como os sistemas de informação empresariais podem apoiar as necessidades de informação

Leia mais

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade II GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Após a Segunda Guerra Mundial: Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento. Responsáveis pela reconstrução de muitos

Leia mais

GESTÃO GESTRATÉGICA DE SUPRIMENTOS

GESTÃO GESTRATÉGICA DE SUPRIMENTOS GESTÃO GESTRATÉGICA DE SUPRIMENTOS INTRODUÇÃO O setor de suprimentos é, dentre os diversos outros setores da empresa, um dos que tem maior potencial de impacto nos resultados financeiros de uma organização,

Leia mais

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software Rafael Espinha, Msc rafael.espinha@primeup.com.br +55 21 9470-9289 Maiores informações: http://www.primeup.com.br riskmanager@primeup.com.br +55 21 2512-6005 Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Adriana Ferreira de Faria (Uniminas) affaria@uniminas.br Adriano Soares Correia (Uniminas) adriano@ep.uniminas.br

Leia mais

Investimento: a partir de R$ 179,00 mensais. MBA Executivo em Finanças Corporativas

Investimento: a partir de R$ 179,00 mensais. MBA Executivo em Finanças Corporativas Investimento: a partir de R$ 179,00 mensais Tempo de realização do MBA: 18 meses Investimento: R$179,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF) Ou Investimento: R$ 219,00 (acesso ao portal na internet,

Leia mais

Da logística ao gerenciamento da cadeia de suprimentos

Da logística ao gerenciamento da cadeia de suprimentos Da logística ao gerenciamento da cadeia de suprimentos Prof. Jacques profjacques@jfsconsultoria.com.br FATEC-BS 2009 ções: Segundo Ballou (2006), antes de 1950, logística estava predominantemente associada

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

PROVAS N2-2015.2 CURSO: ADMINISTRAÇÃO 2ª CHAMADA N2 2º PERÍODO

PROVAS N2-2015.2 CURSO: ADMINISTRAÇÃO 2ª CHAMADA N2 2º PERÍODO CURSO: ADMINISTRAÇÃO 2º PERÍODO - Matemática Financeira - Estatística - Teoria Geral da Administração - Metodologia Científica - Fundamentos do Direito e Legislação - Contabilidade - Contabilidade - Fundamentos

Leia mais

ANEXO I Tabela de Cursos e Descontos CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM o SINDUSCON/ES e INSTITUTO CABRAL LTDA

ANEXO I Tabela de Cursos e Descontos CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM o SINDUSCON/ES e INSTITUTO CABRAL LTDA ANEXO I Tabela de Cursos e Descontos QUE ENTRE SI CELEBRAM o SINDUSCON/ES e INSTITUTO CABRAL LTDA ANEXO I Conforme previsto em CONTRATO DE DE S nos Cursos ofertados pelo INSTITUTO CABRAL EDUCACIONAL, esse

Leia mais

Agosto, 2012. Gestão de Processos de Negócio. Case WEG

Agosto, 2012. Gestão de Processos de Negócio. Case WEG Agosto, 2012 Gestão de Processos de Negócio Case WEG Por que Gestão de Processos? Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Por que Gestão de Processos? Por que a Gestão dos Processos?

Leia mais

FUNDAMENTOS E ESTRATÉGIA DE IMPLANTAÇÃO PLM DE IMPLANTAÇÃO PLM

FUNDAMENTOS E ESTRATÉGIA DE IMPLANTAÇÃO PLM DE IMPLANTAÇÃO PLM Seminário Internacional PRODUCT LIFECYCLE MANAGEMENT FUNDAMENTOS E ESTRATÉGIA DE IMPLANTAÇÃO PLM Darli Rodrigues Vieira Seminário Internacional PRODUCT LIFECYCLE MANAGEMENT FUNDAMENTOS E ESTRATÉGIA DE

Leia mais

Conservação de Água e Energia Elétrica 14 de outubro de 2014

Conservação de Água e Energia Elétrica 14 de outubro de 2014 Conservação de Água e Energia Elétrica 14 de outubro de 2014 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Outubro 2014 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Leia mais

PORTFÓLIO PARA CURSOS PENSA IN HOUSE

PORTFÓLIO PARA CURSOS PENSA IN HOUSE PORTFÓLIO PARA CURSOS PENSA IN HOUSE O PENSA, Centro de Conhecimento em Agronegócios é uma organização que integra os Departamentos de Economia e Administração da FEA-USP, São Paulo e Ribeirão Preto. Foi

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DEPARTAMENTO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

Premissas conceituais e abordagem

Premissas conceituais e abordagem Premissas conceituais e abordagem EDUCAÇÃO CORPORATIVA: CONSTRUINDO A PONTE ENTRE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS (competências humanas) E ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIO (competências organizacionais) Instituto Sindipeças

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Gabriel Assef Fernandes SENAI Centro Internacional de Inovação Federação das Indústrias do Paraná

Gabriel Assef Fernandes SENAI Centro Internacional de Inovação Federação das Indústrias do Paraná Gabriel Assef Fernandes SENAI Centro Internacional de Inovação Federação das Indústrias do Paraná EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA INDÚSTRIA Custo da energia elétrica no Brasil é um dos mais caros do mundo. Crescimento

Leia mais

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014

Estrutura da ISO DIS 9001/2015 ISO/TC 176/SC 2 Document N1224, July 2014 Prefácio Introdução 0.1 Generalidades 0.2 As normas ISO para gestão da qualidade 0.3 Abordagem de processo 0.4 Ciclo PDCA 0.5 Pensamento baseado em risco Estrutura da ISO DIS 9001/2015 0.6 Compatibilidade

Leia mais

ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA

ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA O estudo a ser entregue deverá avaliar a viabilidade do projeto de PPP proposto segundo a ótica de todos os fornecedores de capital

Leia mais

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Realidade das Empresas Brasileiras ISO/IEC 12207 ISO/IEC 15504 CMMI Softex Governo Universidades Modelo de Referência para

Leia mais

Aula 6 2º bim. - Gestão de Empresas Baseada na Demanda

Aula 6 2º bim. - Gestão de Empresas Baseada na Demanda Aula 6 2º bim. - Gestão de Empresas Baseada na Demanda Perfil de Risco da Cadeia Continuidade dos Negócios Grande preocupação das empresas. Atualmente, foca-se muito a TI e a gestão de processos internos,

Leia mais

Funções de uma Organização. Funções de uma Organização. Áreas Funcionais. Áreas Funcionais. Áreas Funcionais FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO VI

Funções de uma Organização. Funções de uma Organização. Áreas Funcionais. Áreas Funcionais. Áreas Funcionais FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO VI Funções de uma Organização FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO VI As funções representam o conjunto de processos que aplicam um recurso da organização. Cada função é realizada dentro de uma organização

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

WORKSHOP MELHORIA DE PROCESSOS

WORKSHOP MELHORIA DE PROCESSOS WORKSHOP MELHORIA DE PROCESSOS Superintendência de Planejamento e Gestão Escritório de Processos Organizacionais Goiânia, 27 de maio de 2009 Objetivos: WORKSHOPS DE MELHORIA DE PROCESSOS Promover o mapeamento,

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental ISO 14001 Prof. Gustavo Rodrigo Schiavon Eng. Ambiental ISO 14001 Existem duas normas bastante difundidas para orientação da implantação de um Sistema de Gestão

Leia mais

Governança Plano de contratação Ranking de fornecedores

Governança Plano de contratação Ranking de fornecedores www.pwc.com.br Governança Plano de contratação Ranking de fornecedores Introdução O mundo mudou!!! No ambiente de projetos atual não basta mais tratarmos apenas de planejamento e controle, precisamos melhorar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular PERÍODO: 1º ECON0001- ECONOMIA DE EMPRESAS OBRIG 60 0 60 4.0 EQUIVALÊNCIA: Fórmula: ECON0005 E ECON0020 ECON0005 - INTRODUÇÃO À ECONOMIA ECON0020- INTRODUÇÃO À ECONOMIA INTRODUÇÃO À MICROECONOMIA: PRODUTO,

Leia mais

MB Consultoria. ConsultoriaemGestãoparaa ExcelênciaemseusNegócios

MB Consultoria. ConsultoriaemGestãoparaa ExcelênciaemseusNegócios emgestãoparaa ExcelênciaemseusNegócios Apresentação A é uma empresa jovem que conta com parceiros qualificados nas áreas de contabilidade, administração, direito, especialistas em finanças, controladoria

Leia mais

Introdução O AMBIENTE DAS EMPRESAS. Seleção Ambiental. Mapeamento Ambiental

Introdução O AMBIENTE DAS EMPRESAS. Seleção Ambiental. Mapeamento Ambiental Introdução O AMBIENTE DAS EMPRESAS Curso: Engenharia Mecatrônica Disciplina: Administração Ambiente Universo que envolvo e externamente uma empresa É a própria sociedade maior É de onde as empresas obtém

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio São Paulo, 10 de Março de 2003 Índice 0 INTRODUÇÃO...4 0.1 ASPECTOS GERAIS...4 0.2 BENEFÍCIOS DE

Leia mais

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos Prof. Ricardo J. Rabelo Conteúdo Introdução & Problemática

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CICLO PROFISSIONAL 9º BIMESTRE PESQUISA OPERACIONAL I 80 horas Modelagem de Problemas; Noções de otimização; Introdução a Programação Linear;

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO EPR 707 Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO O que é o PDP PDP é o processo de negócio que: Busca as especificações de projeto

Leia mais

29/05/2012. Gestão de Projetos. Luciano Gonçalves de Carvalho FATEC. Agenda. Gerenciamento de Integração do Projeto Exercícios Referências FATEC

29/05/2012. Gestão de Projetos. Luciano Gonçalves de Carvalho FATEC. Agenda. Gerenciamento de Integração do Projeto Exercícios Referências FATEC Gestão de Projetos 1 Agenda Gerenciamento de Integração do Projeto Exercícios Referências 2 1 GERENCIAMENTO DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO 3 Gerenciamento da Integração do Projeto Fonte: EPRoj@JrM 4 2 Gerenciamento

Leia mais

Pesquisa sobre Iniciativas em BPM

Pesquisa sobre Iniciativas em BPM Pesquisa sobre Iniciativas em BPM Apresentação...2 1. Perfil dos Participantes da Pesquisa...3 2. Como as organizações estão adotando o BPM... 4 2.1. Como as organizações entendem o conceito de BPM?...

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000 GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Modelo da Série NBR ISO 9000 A Garantia da Qualidade requer uma ação coordenada de todo sistema produtivo da empresa, do fornecedor de insumos de

Leia mais

Revisão da ISO 9001:2015. Fernanda Spinassi

Revisão da ISO 9001:2015. Fernanda Spinassi Revisão da ISO 9001:2015 Fernanda Spinassi Requisito 4 Contexto da Organização Está mais claramente definida a obrigação de monitorar e analisar criticamente as questões externas e internas da organização

Leia mais

MÓDULO III Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM FINANÇAS III.1 GESTÃO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS

MÓDULO III Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM FINANÇAS III.1 GESTÃO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS MÓDULO III Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM FINANÇAS III.1 GESTÃO DE ATIVIDADES FINANCEIRAS Função: Gestão de Atividades Financeiras 1. Analisar índices e projeções financeiras.

Leia mais

1 o CONGRESSO INTERNACIONAL DE QUALIDADE E ACREDITAÇÃO EM SAÚDE

1 o CONGRESSO INTERNACIONAL DE QUALIDADE E ACREDITAÇÃO EM SAÚDE 1 o CONGRESSO INTERNACIONAL DE QUALIDADE E ACREDITAÇÃO EM SAÚDE ACREDITAÇÃO, EXCELÊNCIA, COMPETITIVIDADE E RESULTADOS A EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL MATER DEI BELO HORIZONTE POR QUÊ O HOSPITAL MATER DEI IMPLANTOU

Leia mais

Método: aulas expositivas, transparências e Estudo de Casos. Exercícios estruturados; Provas e trabalhos em grupo.

Método: aulas expositivas, transparências e Estudo de Casos. Exercícios estruturados; Provas e trabalhos em grupo. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CCJE Departamento de Administração Prof. Marcos Paulo Valadares de Oliveira marcos.p.oliveira@ufes.br ADM 2179 - Administração de Materiais - Programa 1 Semestre

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP 2 ERP Planejamento dos Recursos da Empresa 3 CONCEITO DE

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso 7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso Saiba como colocar o PINS em prática no agronegócio e explore suas melhores opções de atuação em rede. Quando uma empresa

Leia mais

Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP

Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Gestão por Processos SAP Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP Inscrições Abertas: Início das aulas: 24/08/2015 Término das aulas: Agosto de 2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * PALAVRAS-CHAVE: Sistema de Gestão da Qualidade. Representante da Diretoria. ISO 9001.

O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * PALAVRAS-CHAVE: Sistema de Gestão da Qualidade. Representante da Diretoria. ISO 9001. O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * Adalberto Luiz de Souza ** RESUMO: Este texto tem por finalidade descrever o papel do representante da direção, referente ao atendimento de requisito

Leia mais

Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP

Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Gestão por Processos SAP Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP Inscrições Abertas: Início das aulas: 25/05/2015 Término das aulas: Maio de 2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS - UMA VISÃO GERENCIAL

CUSTOS LOGÍSTICOS - UMA VISÃO GERENCIAL CUSTOS LOGÍSTICOS - UMA VISÃO GERENCIAL Data: 10/12/1998 Maurício Lima INTRODUÇÃO Um dos principais desafios da logística moderna é conseguir gerenciar a relação entre custo e nível de serviço (trade-off).

Leia mais

Cartilha do. de TI. - com ênfase na segurança das informações. Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI

Cartilha do. de TI. - com ênfase na segurança das informações. Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI Cartilha do gestor de solução de TI - com ênfase na segurança das informações Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI Apresentação O sucesso da atuação do Tribunal de Contas da União depende

Leia mais

MBA GESTÃO EMPRESARIAL

MBA GESTÃO EMPRESARIAL MBA GESTÃO EMPRESARIAL 1. APRESENTAÇÃO Ter uma gestão competente é diferencial para sobreviver num mercado cada vez mais competitivo e globalizado. Para isso, os gestores necessitam cada vez mais de conhecimentos

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO TOR/CAPES/FNDE/MEC Nº 061/2012 1. Projeto: Aprimoramento

Leia mais

A ESTRUTURA DA GESTÃO DE

A ESTRUTURA DA GESTÃO DE A ESTRUTURA DA GESTÃO DE PROJETOS Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETO Gerenciamento de Projetos GP é o caminho para atingir

Leia mais

Aula I Introdução à Logística

Aula I Introdução à Logística Aula I Introdução à Logística Professor Argélio Lima Paniago COMO PODEMOS DEFINIR A LOGÍSTICA? 2 1 O inicio da Logística teve sua interpretação relacionada com as operações militares (movimentaçãode tropas,

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE GESTÃO MPG VERITAS

CERTIFICAÇÃO DE GESTÃO MPG VERITAS 2011 CERTIFICAÇÃO DE GESTÃO MPG VERITAS MPG VERITAS 1/1/2011 Você deve ser a mudança que você deseja ver no mundo Mahatma Gandhi SUMÁRIO 1. Introdução 2. Histórico 3. Prêmio MPG VERITAS de gestão 3.1 Gestão

Leia mais

POSICIONAMENTO LOGÍSTICO E A DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS CLIENTES

POSICIONAMENTO LOGÍSTICO E A DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS CLIENTES POSICIONAMENTO LOGÍSTICO E A DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS CLIENTES 10/06/2000/em Artigos /por Peter Wanke Definir a política mais apropriada para atendimento aos clientes constitui um dos fatores

Leia mais

CAPÍTULO 4 - Gerenciamento de integração do projeto

CAPÍTULO 4 - Gerenciamento de integração do projeto CAPÍTULO 4 - Gerenciamento de integração do projeto 4.1 Desenvolver o termo de abertura do projeto INICIAÇÃO.1 Contrato (quando aplicável).2 Declaração do trabalho do projeto.1 Métodos de seleção de.2

Leia mais

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli 1 Roteiro da Apresentação 1. Introdução e Objetivos 2.

Leia mais

PERFIL DO PALESTRANTE

PERFIL DO PALESTRANTE Agenda PERFIL DO PALESTRANTE João Batista Gonçalves jbatista@en-sof.com.br Formação Acadêmica Bacharel em Administração Pós Graduado em Sistemas Mestre em Finanças Experiência Profissional 35 Anos em Tecnologia

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Diagnóstico e Auditoria da Logística. Check-List Básico

Diagnóstico e Auditoria da Logística. Check-List Básico Diagnóstico e Auditoria da Logística Check-List Básico 1 Diagnóstico e Auditoria da Logística Objetivos Elaborar diagnóstico do sistema logístico para identificar os desvios e as correspondentes causas

Leia mais

GESTÃO DE PROCESSOS GESTÃO DE PROCESSOS MÓDULO I - 1

GESTÃO DE PROCESSOS GESTÃO DE PROCESSOS MÓDULO I - 1 GESTÃO DE PROCESSOS GESTÃO DE PROCESSOS MÓDULO I - 1 COMPETITIVIDADE Rentabilidade Fluxo de caixa Crescimento de mercado GESTÃO DE PROCESSOS MÓDULO I - 2 FOCO EM RESULTADOS Gestão dos processos associados

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 7. TIPOS DE CERTIFICAÇÃO continuação

NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 7. TIPOS DE CERTIFICAÇÃO continuação NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 7 TIPOS DE CERTIFICAÇÃO continuação Índice 1. Tipos de certificação - continuação...3 1.1. Sistema da Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001)... 3 1.2. Segurança da

Leia mais

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG Gestão da engenharia de manutenção Otimização no uso de equipamentos Gestão de custos e mão de obra Aumente a confiabilidade e disponibilidade dos equipamentos

Leia mais

CAPACITAÇÕES ABIS. Requisitos do Programa de Boas Práticas de Fabricação como Pré-Requisito para a implantação da ISO 22000

CAPACITAÇÕES ABIS. Requisitos do Programa de Boas Práticas de Fabricação como Pré-Requisito para a implantação da ISO 22000 CAPACITAÇÕES ABIS Requisitos do Programa de Boas Práticas de Fabricação como Pré-Requisito para a implantação da ISO 22000 Cada funcionário de uma empresa de alimentos, ou de bebidas, deve entender e aplicar

Leia mais

GESTÃO DE MATERIAIS ALMOXARIFADO

GESTÃO DE MATERIAIS ALMOXARIFADO GESTÃO DE MATERIAIS ALMOXARIFADO INTRODUÇÃO Raríssimas empresas trabalham sem estoques, sejam eles de matéria-prima ou insumos, usados na fabricação ou produtos acabados para seus clientes. As organizações

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL ERP José Manuel de Sacadura Rocha jsacadura@ultrarapida.com.br O que é um ERP? Um sistema integrado de gestão Integra vários módulos de SW especialistas É suportado

Leia mais

ACADEMIA DE PP ( PLANEJAMENTO E PRODUÇÃO)

ACADEMIA DE PP ( PLANEJAMENTO E PRODUÇÃO) A Academia é o melhor caminho para especialização dentro de um tema no ERP da SAP. Para quem busca uma formação com certificação em Planejamento e Produção, o mais indicado é participar da Academia de

Leia mais

PMBOK 4ª Edição III. O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto

PMBOK 4ª Edição III. O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto PMBOK 4ª Edição III O padrão de gerenciamento de projetos de um projeto 1 PMBOK 4ª Edição III Processos de gerenciamento de projetos de um projeto 2 Processos de gerenciamento de projetos de um projeto

Leia mais

POR QUE FAZER O PROGRAMA EMPREENDEDOR RURAL NO CEARÁ?

POR QUE FAZER O PROGRAMA EMPREENDEDOR RURAL NO CEARÁ? POR QUE FAZER O PROGRAMA EMPREENDEDOR RURAL NO CEARÁ? 1 1. Necessidade de modernização das propriedades rurais; 2. Necessidades de novas lideranças; 3. Necessidade de visão empresarial; 4. Baixa auto-estima

Leia mais

Sistemas para Gestão e Inovação

Sistemas para Gestão e Inovação Sistemas para Gestão e Inovação empresa A ACCION é uma empresa de software, inovação, relacionamento e suporte à gestão. O nome ACCION, tem origem na vocação de nossa empresa: AÇÃO! Nos segmentos que atuamos,

Leia mais