Redes Regional e Nacional de Televisão: TV Mirante e TV Globo. Roseane Arcanjo Pinheiro Universidade Metodista de São Paulo.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redes Regional e Nacional de Televisão: TV Mirante e TV Globo. Roseane Arcanjo Pinheiro Universidade Metodista de São Paulo."

Transcrição

1 1 Redes Regional e Nacional de Televisão: TV Mirante e TV Globo Roseane Arcanjo Pinheiro Universidade Metodista de São Paulo Resumo As redes midiáticas se expandiram nas últimas décadas no Brasil. Nesse panorama, o objetivo é descrever o funcionamento das TV locais e regionais, verificando quais suas possibilidades de atuação e como se desenvolvem em um sistema televisivo caracterizado pelo predomínio do eixo Rio-São Paulo. Para compreender essa realidade, optou-se por analisar a experiência da Rede Mirante de Televisão, uma afiliada da Rede Globo, localizada no Estado do Maranhão, Região Nordeste. Realizou-se uma pesquisa qualitativa, onde foi utilizada a técnica de estudo de caso. A principal conclusão é que trata-se de uma rede semiflexível, onde se interrelacionam as linhas mestras, emitidas pela rede nacional, e a autonomia das redes afiliadas para elaborar, produzir e gerar conteúdos para a programação jornalística exibida para todo o país. Palavras-chave: Redes; Estratégia-Rede; Redes Midiáticas; Tecnologia; Produção Jornalística; Operacionalização; Infra-Estrutura. 1. Introdução O marco das transmissões em rede nacional no Brasil foi a apresentação em 02 de setembro de 1969 do Jornal Nacional, principal programa jornalístico da Rede Globo. Com o alcance de 54 milhões de telespectadores, a transmissão possibilitou o envio para todo o país de imagens do Rio, São Paulo e Porto Alegre (BAHIA, 1972, p.146). Desde acontecimento até a atualidade, as redes nacionais cresceram em número e poderio tecnológico, processo capitaneado principalmente pelos investimentos estatais e a globalização da economia. Hoje o país possui sete redes de televisão (Rede Globo, SBT, Record, Bandeirantes, Rede TV, Rede Cultura e TVE), além de outros canais, disponibilizados através da TV por assinatura, como Globo News (SKY) e Band News (DIRECT TV). As redes nacionais coordenam um leque de emissoras menores, filiadas e afiliadas, e geram para todo o país programas jornalísticos, culturais e educativos. Em suas grades de programação que incluem jornalismo, novelas, seriados, filmes, musicais etc é inserida a programação regional. O estímulo à produção regional e à valorização da cultura nacional está

2 2 previsto pela Constituição Federal, através do artigo 221, mas a participação das emissoras menores ainda depende da regulamentação do artigo constitucional e por isso a porcentagem de conteúdo local varia de rede para rede. Desde 1991, tramita na Câmara Federal, o projeto de lei da deputada federal Jandira Feghali (PCdoB/Rio de Janeiro), que trata da regionalização da produção e do mercado audiovisual, com propostas para regulamentar o conteúdo local nas emissoras de TV. Em função da falta de regulamentação, a produção regional depende das articulações entre rede nacional e emissoras nos Estados, da infra-estrutura tecnológica disponível, do número de anunciantes, da audiência e da qualificação dos recursos humanos de cada afiliada. A valorização do local nos meios de comunicação é um dos reflexos do processo de internacionalização da economia e do fim das barreiras geográficas e culturais, desencadeados pelo desenvolvimento tecnológico e econômico, principalmente nos século XX e XXI. No contexto global de expansão do sistema capitalista, novos mercados consumidores são desbravados e públicos com demandas específicas são descobertos, estabelecendo-se complexas conexões entre global e o local, como aponta BOURDIN (2001, p.68-69). Dessa forma, a compreensão do mundo, sublinha ROBERTSON (2000, p.262), perpassa pelas conexões das localidades, ou melhor dizendo, pela invenção da localidade ou ideologia do lar. Essa ânsia pelo particular vem essencialmente da condição ou sensação do desenraizamento, da ausência de laços mais estreitos, da busca por uma identidade mais delineada, uma das características do mundo globalizado, testemunha da memorável proliferação da organização e promoção internacional da localidade (2000, p.262). Com o objetivo de compreender a interpenetração entre grupos midiáticos nacionais e regionais, outra face da convergência entre meios de comunicação, economia e tecnologia, pesquisa-se a experiência da Rede Mirante de Televisão, afiliada da Rede Globo no Maranhão, em um cenário onde predominam as redes midiáticas da região Sudeste, principalmente do eixo Rio-Paulo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, onde utilizou-se a técnica de estudo de caso. Para realizar o trabalho foram feitas entrevistas com a coordenadora do Núcleo da rede da TV Mirante, jornalista Eveline Cunha, e com a repórter de rede em São Luís, jornalista Viviane Medeiros. 2. As Redes Nacionais de Televisão no Brasil A primeira emissora de televisão do Brasil e da América Latina, a TV Tupi de São Paulo, inaugurada em setembro de 1950, nasceu sob um projeto de rede nacional, os Diários Associados, do empresário e jornalista Assis Chateaubriand, proprietário de uma cadeia de

3 3 jornais. Chateaubriand idealizou uma emissora de televisão que pudesse gerar programação para todas as regiões, projeto que se estendeu às suas emissoras de rádio (MORAES, 1994). Para o jornalista, os meios de comunicação teriam um espaço cada vez maior na vida de homens e mulheres, representando um mercado não explorado e com grande potencialidade no Brasil. Além da TV Tupi, outras emissoras foram fundadas nos anos 50 e 60 e paulatinamente foram concretizando projetos de redes de comunicação. Em 1953, a TV Record foi inaugurada incrementando o recém-nascido mercado televisivo. Nos primeiros anos, a emissora, de propriedade da família Machado de Carvalho, apostou na cobertura esportiva, shows, jornalismo e musicais. Atualmente o grupo, de propriedade da Igreja Universal do Reino de Deus, é o terceiro colocado em audiência, com cobertura de aproximadamente 90 milhões de telespectadores em municípios brasileiros. Desde 2000 disponibiliza seus programas no exterior através da Record Internacional (REDE RECORD, 2006). Fundada em 1965, a Rede Globo conta com 113 emissoras entre geradoras e afiliadas, a TV Globo pode ser assistida em 99,84% dos municípios brasileiros (REDE GLOBO, 2006). Com programação baseada em shows, dramaturgia, jornalismo, entretenimento e documentários, emprega 13 mil funcionários. A maior parte da sua programação é produzida em seus estúdios, chegando a 88% no horário nobre e também é apresentada no exterior através da Globo Internacional, chegando a 5, 5 milhões brasileiros e portugueses. Também na década de 60, de acordo com MULLER (2005, p.02-03), o empresário João Jorge Saad obteve a concessão do canal 13 de televisão e colocou no ar em 13 de maio de 1967 a TV Bandeirantes, a primeira a produzir uma programação e transmiti-la em cores a todo o país. Na década de 70, o grupo começou a montagem da Rede Bandeirantes e adquiriu canais em Minais Gerais e Rio de Janeiro. Hoje possui 27 afiliadas e 9 filiais, atingindo municípios e chegando a domicílios. O Grupo Bandeirantes de Comunicação tem 79 emissoras, captadas por cerca de 43 milhões de domicílios com TV (REDE BANDEIRANTES, 2006). A iniciativa privada apostou nos investimentos no segmento televisivo e estimulou projetos semelhantes do poder público. As emissoras de TV públicas surgiram no final dos anos 60 com propostas de programação voltada para educação e cultura. Entre 1967 e 1974 foram criadas 9 emissoras públicas, após estudos realizados pelo Ministério da Educação. Atualmente os principais canais públicos são a TVE Brasil e a Rede Cultura. A TVE Brasil dispõe de dois canais de TV convencionais (TVE Brasil e TVE do Maranhão); um canal de TV via satélite; três canais de rádio convencionais, rádios MEC AM e MEC FM, no Rio de Janeiro, a Rádio MEC- Brasília e um por satélite (TVE BRASIL, 2005).

4 4 Atingindo localidades, a TV Cultura, com sede em São Paulo e administrada pela Fundação Padre Anchieta, está disponível nas modalidades digital e analógica, compreendendo 21 estados, além do Distrito Federal. Apresenta afiliadas em 20 desses estados e na capital federal (TV CULTURA, 2005). Nas décadas de 80 e 90, dois grupos midiáticos despontaram no mercado de comunicação, o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) e a Rede TV, e acirraram a concorrência. Hoje disputam o segundo e o terceiro lugares na preferência do público, ao lado da Rede Record. O Sistema Brasileiro de Televisão, fundado em 19 de agosto de 1981 pelo apresentador Sílvio Santos, é composto por 107 e emissoras que abarcam 98% da população. O grupo atinge 15 milhões de brasileiros diariamente e abocanha em média 21 % do bolo publicitário no meio televisivo (SBT, 2005). A rede de televisão mais nova, a Rede TV, entrou no ar em 1999 com cinco emissoras (REDE TV, 2005). Com uma programação que oferece entretenimento, esportes, jornalismo e especiais, a Rede TV, em sete anos saltou de 5 para 42 emissoras, abrangendo 84% do território nacional e municípios. 3. Os Grupos Midiáticos nas Regiões do País 1Ao passo que as redes nacionais cresciam em tamanho e faturamento, grupos de mídias regionais ou locais iniciavam suas atividades para atender demandas específicas relacionadas às questões econômicas, sociais, culturais e políticas de suas localidades. As redes regionais possuem perfis diferenciados, são grupos que se dedicam ao ramo das comunicações ou que também agregam investimentos em outros setores da economia, como gás e transportes. A temática é estudada pelo Núcleo de Pesquisa em Regionalização e Internacionalização Midiática, liderado pela Prafa. Dra. Anamaria Fadul, na Universidade Metodista de São Paulo. O grupo está realizando o mapeamento dos grupos midiáticos nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e Sul (MULLER, 2003). Para compreender a dinâmica e a trajetória dessas organizações, destacam-se quatro casos: Rede Amazônica (região Norte), Grupo Verdes Mares de Comunicação (região Nordeste), Rede Matogrossense de Televisão (região Centro-Oeste) e Rede Brasil Sul de Comunicação-RBS (região Sul). Através da iniciativa dos empresários Phelippe Daou, Milton Cordeiro, Joaquim Margarido e Robert Phellipe, a Rede Amazônica de Televisão iniciou suas operações em setembro de 1972 como TV Amazonas, canal 05. Cravada em uma extensa área e onde o transporte fluvial é predominante, levar a programação para todo a região, excluindo Pará e Tocantins, instalar transmissores e antenas nos municípios e convencer as lideranças locais da importância da

5 5 empreitada, foram os principais desafios da emissora (CABRAL, 2003, p.19). Essas dificuldades foram superadas com a transmissão via satélite em 1982 através do Intelsat. Outra mudança ocorreu em 1986 quando a TV Amazonas deixou a Rede Bandeirantes e se tornou afiliada da TV Globo. A expansão do grupo, os investimentos implementados e o incremento tecnológico impulsionaram a TV Amazonas a tornar-se líder de audiência e a superar os obstáculos iniciais, como afirma CABRAL (2003, p.20): Hoje, está interligada a maior parte do Estado distribuindo programações locais, estaduais e regionais (graças a sua ligação ao grupo Rede Amazônica de Rádio e Televisão), nacionais e internacionais pois, é filiada a Rede Globo, que atinge mais de 90% do território brasileiro, e tem parceria com a CNN, trocando matérias sobre a Amazônia e treinando seus profissionais. A Rede Amazônica, localizada em Manaus, abrange a maior parte da região Norte, com emissoras em cinco capitais (Manaus, Porto Velho, Boa Vista, Macapá e Rio Branco), sua infraestrutura é composta ainda por 05 geradoras, 05 estações em UHF, 08 minigeradoras e 202 retransmissoras, além do canal temático AmazonSat, com sinal aberto em toda a região amazônica, sendo captado nas demais regiões através de antena parabólica (REDE AMAZÔNICA, 2006). No Nordeste, o Sistema Verdes Mares de Comunicação, de Fortaleza-CE, seguiu caminho semelhante ao da Rede Amazônica. O grupo lançou em 01 de julho de 1998 a Rede Diário com o objetivo de divulgar para todo o país a cultura do povo cearense. A rede é afiliada da Rede Globo e compreende outras mídias como jornal, rádio e internet (LIMA, 2004, p.11). A Rede Diário chega a 63 municípios cearenses e a nove Estados brasileiros por canais abertos ou por assinatura: São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Acre e Rondônia. A Rede Diário tem o maior número de profissionais de jornalismo entre as emissoras locais. São 76 profissionais na capital e no interior do Ceará, além de outras equipes em Recife, Teresina e São Paulo. Outra característica é a cobertura de eventos relacionados à cultura popular, festividades religiosas, carnavais fora de época e exposições agropecuárias promovidas no Estado. De acordo com LIMA (2004, p.13), o telespectador, seja cearense ou nordestino, acaba se identificando com o que vê na tela e isso é demonstrado pelos números de mensagens que a TV recebe todos os dias. São cerca de mil e 500 s por mês, além de centenas de cartas. Na região Centro-Oeste, a primeira emissora de televisão foi a TV Morena, Canal, do Grupo Zahran, inaugurada em dezembro de Dois anos depois, a mesma organização colocou no

6 6 ar a TV Centro América, em Cuiabá-MT, o marco das atividades da Rede Matogrossense de Televisão-RMT (REDE MATOGROSSENSE, 2006). O grupo, além do mercado de comunicação - formado por oito canais - diversificou seus negócios com a Copaz Distribuidora de Gás, a transportadora Transgas e o Haras El Zahan. Afiliada da Rede Globo desde 1976, a RMT transmite suas imagens para aproximadamente 200 municípios do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e detém 75% de audiência regional sustentada por uma programação voltada para temas regionais, rurais, jornalísticos e esportivos (REDE MATOGROSSENSE, 2006). Na região Sul, o grupo RBS, de Porto Alegre/RS, mantém 6 jornais, 26 emissoras de rádio, um portal de notícias, duas emissoras locais e uma gravadora. Possui ainda 18 emissoras de TV afiliadas à Rede Globo. Outro braço da empresa, fundada em 1957 pelo empresário Maurício Sirotsky Sobrinho, é a Rede Gaúcha Sat, detentora de 123 emissoras afiliadas em dez Estados brasileiros (RBS, 2006). A rede pauta-se pelo incentivo à popularização da cultura regional dos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina por meio da realização de campanhas, eventos e produção de documentários. 4. TV Mirante, um Núcleo de Rede no Maranhão As experiências regionais, a exemplo das redes citadas acima, denotam um crescente interesse das populações por notícias e serviços relacionados à sua realidade, demanda captada pelos grupos midiáticos, associados às grandes redes nacionais. Para conhecer a autonomia das afiliadas para a produção audiovisual e a visibilidade desse material nas tevês nacionais investiga-se a trajetória da Rede Mirante de Televisão, no Maranhão, integrante do Sistema Mirante de Comunicação, o maior grupo privado de comunicação do Estado. O Maranhão é o segundo maior território em extensão no Nordeste, representando 21,36% da região. Sua população é de habitantes, conforme Censo Demográfico de 2000, do IBGE, sendo que 59,5% moram nas áreas urbanas e 40,5% na zona rural. A capital São Luís apresenta habitantes. A economia maranhense está estruturada em atividades agropecuárias, industriais e serviços (GOVERNO DO ESTADO, 2005). No entanto, a pobreza é um dos principais entraves ao desenvolvimento econômico. No ranking dos 50 municípios mais miseráveis do país, 23 pertencem ao Maranhão (FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS, 2006). Quadro 01 Dados sócio-econômicos e geográficos - Maranhão População Distribuição Extensão Produto Renda per Pop. (em km²) Interno capita (R$) - Bruto ano 2000 Nº municípios

7 7 (bi de R$) Urbana: 59, ,293 13, , % Rural: 40,5 % Fonte: Governo do Estado, Atlas de Desenvolvimento Humano/PNUD, IBGE, Conf. Nac. Municípios O Sistema Mirante de Comunicação, que surgiu em 01 de maio de 1959, é formado pelas seguintes organizações: Rede Mirante de Televisão, jornal O Estado do Maranhão, Rádio Mirante FM, Rádio Mirante AM e o portal de notícias Imirante. Outro ramo de atuação é a indústria do entretenimento, com a organização de shows de artistas e do Marafolia, carnaval fora de época que ocorre no mês de outubro em São Luís. A empresa é propriedade da família do senador José Sarney (PMDB-AP). A missão da instituição é informar, entreter e oferecer produtos e serviços com qualidade e identificados com a história e a cultura do Maranhão e do Brasil. (REDE MIRANTE, 2005). A Rede Mirante de Televisão, fundada em São Luís no dia 15 de março de 1987, atinge hoje 195 do total de 217 municípios maranhenses (ATLAS DE COBERTURA DA REDE GLOBO, 2005). Para atingir o maior número de localidades, a Rede Globo autorizou 20 prefeituras a retransmitirem seu sinal (ver Quadro 02). Inicialmente afiliada do SBT, a Rede Mirante lançou o telejornal Mirante Notícias, seu primeiro programa local. Posteriormente surgiram os telejornais Studio 10 e Idéia Nova; o esportivo Camisa 10; o programa de entrevistas Meio-Dia; o programa Ação em Cena, visando o público jovem; e o Revista 10, com jornalismo, variedades e entretenimento. Em 1991, ao tornar-se afiliada da Rede Globo de Televisão, adotou o padrão de qualidade da emissora e seus parâmetros para produção de conteúdo, treinamento de recursos humanos e veiculação de programas. Associada a Globo, a Rede apostou em novos programas, enfocando assuntos relacionados à comunidade - Repórter Mirante, exibido nas tarde de sábados, e o Mirante Comunidade, que vai ar nas manhãs de domingo e reforçou o departamento de jornalismo, colocando na grade de programação duas edições diárias do telejornal local, JMTV, uma no final da manhã e outra no início da noite (REDE MIRANTE, 2005). Quadro 02 Municípios maranhenses com retransmissores Rede Globo** Município População

8 8 Amapá do Maranhão Apicum-Açu Bacurituba Belágua Buriti Central do Maranhão Feira Nova do Maranhão Fernando Falcão Governador Newton Bello Itaipava do Grajaú Lago Verde Maranhãozinho Matões do Norte Porto Rico do Maranhão Santa Filomena do Maranhão Santana do Maranhão Santo Amaro do Maranhão São Raimundo do Doca Bezerra São Roberto Serrano do Maranhão Fonte: Atlas de Cobertura Via Satélite, Rede Globo **Os municípios possuem permissão da Rede Globo para retransmitir o sinal, dessa forma o telespectador não necessitará de antena parabólica. 5. TV Mirante e a TV Globo: Conteúdos Local e Nacional No interior do Maranhão, a Rede Mirante estruturou emissoras nos municípios de São Luís, Imperatriz, Timon e Santa Inês (ver Mapa 01). De acordo com a coordenadora do Núcleo de rede da TV Mirante, jornalista Eveline Cunha, essas emissoras geram material jornalístico para os telejornais locais através de 22 equipes (ver Quadro 03) e estão distribuídas da seguinte forma: Quadro 03 Distribuição das equipes de jornalismo nas emissoras do Interior

9 9 Município Número São Luís 11 Imperatriz 05 Timon 01 Caxias 01 Codó 01 Bacabal 01 Santa Inês 02 TOTAL 22 Fonte: Núcleo de Rede Sistema Mirante de Comunicação TV São Luís Mapa 01 Cobertura Rede TV Mirante Santa Inês TV Imperatriz TV Timon Rede Mirante de Comunicação: emissoras da capital e interior Fonte: Atlas de Cobertura da Rede Globo de Televisão, 2005

10 10 De acordo com a coordenadora de rede da TV Mirante, as emissoras do interior produzem conteúdo para os telejornais locais, com entradas ao vivo das equipes de Imperatriz e Timon. Imperatriz entra ao vivo no Bom Dia Maranhão com 2 vts e no JMTV, de meio dia, com 3. São vts de Imperatriz e da região, inclusive Açailândia. Timon também entra ao vivo e coordena as cidades de Caxias, Codó, e região. Eles produzem na região, mandam o vt para lá, onde é editado e gerado para São Luís. Santas Inês não tem Embratel e por isso manda vt com menos freqüência ou pelo malote ou em ônibus, explica. Se as emissoras do interior também produzem conteúdo para os telejornais locais, o núcleo de rede da TV Mirante é responsável pela produção de material jornalístico para os programas da Rede Globo de Televisão. Para atender a demanda da rede nacional, o núcleo possui um repórter, um produtor e um coordenador. Atualmente a repórter da Rede Globo em São Luís é a jornalista Viviane Medeiros, que também pode produzir matérias jornalísticas para os telejornais locais. O repórter de rede permanece como correspondente por dois anos em média, sendo substituído por outro jornalista indicado pela Rede Globo. A jornalista é a quarta repórter de rede em São Luís, anteriormente trabalharam Cristina Graeml, Edmilson Ávila e Wallace Lara. Viviane Medeiros afirma que as pautas são escolhidas pelo repórter em conjunto com a produção. Tanto repórteres quanto produtores têm absoluta liberdade para escolher os temas e sugerir as pautas. E, é claro, é importante ficar atento ao que está acontecendo porque muitas vezes uma reportagem nasce do factual. Sobre os desafios de gerar conteúdo de interesse nacional com referências locais, a jornalista destaca que o mais relevante é produzir um material jornalístico diferenciado. Quando chegamos a um lugar desconhecido levamos conosco uma espécie de olhar estrangeiro. É um olhar fresco para tudo o que está em volta. Muitas vezes, enxergamos novidade no que era visto como lugar-comum. (...). É o que faz com que um tema aparentemente local ganhe uma abordagem não apenas nacional mas, sobretudo, diferenciada. E o resultado acaba despertando o interesse do telespectador. Por isso, acho muito saudável esse intercâmbio de profissionais nas redações Brasil afora. A coordenadora de rede, Eveline Cunha confirma que a Rede Globo não determina uma quantidade de matérias de cada afiliada para o Bom Dia Brasil, Jornal Hoje, Jornal Nacional, Jornal da Globo, Fantástico, Globo Repórter (TV aberta) ou para os programas da GloboNews (TV por assinatura). As praças oferecem as pautas para a Rede Globo através de , canal de voz ou telefone, conforme o perfil e público de cada telejornal. Com a autorização da cabeça

11 11 de rede, o material é produzido, editado e gerado para São Paulo. As orientações da Rede Globo, afirma Eveline, estão relacionadas ao tipo de matéria que interessa a cada telejornal. De forma geral, as reportagens podem ser factuais - sobre acontecimentos do dia ou produzidas, quando são abordados temas relacionados ao Maranhão e que despertem interesse nacional. A produção do material dependerá dos fatos, do assunto abordado e do jornal que poderá veiculá-lo, como observa a coordenadora de rede: Vale pra quem pensar primeiro. Um exemplo é de que todo o Nordeste está fora do horário de verão, mas a gente ofereceu a matéria primeiro para mostrar que o horário de banco por aqui muda, os vôos e assim há 2 anos que o Maranhão fecha a matéria de rede sobre o início do horário de verão para quem está de fora do novo horário. Um dos telejornais mais concorridos é o Jornal Nacional, diz Eveline, por conta do perfil do programa, voltado para política, economia e noticiário internacional. As principais praças, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, ocupam geralmente maior espaço em razão da importância política e econômica dessas cidades. No entanto, se o material de São Luís for factual tem maior chance de entrar em qualquer programa da Rede Globo. A jornalista relembra um acontecimento local que se tornou nacional: Um exemplo foi quando a ponte que dá acesso a São Luís rompeu, ficamos ilhados e a cidade estava cheia de caminhoneiros com prejuízos porque não conseguiam sair. O assunto valeu de várias formas: uma espécie de satisfação para mostrar os que não conseguiram sair; o absurdo de uma capital que por um pequeno problema fica isolada; depois veio o risco de desabastecimento, chegou a faltar gasolina no interior. Você percebe que um único assunto representou várias reportagens e abordagens. O conteúdo produzido pelo Núcleo de Rede no Maranhão é enviado via Embratel para a Rede Globo. Diariamente, a Rede Mirante tem dois horários reservados para o envio do material: as reportagens para Jornal Hoje são encaminhadas às 11:30h e para o Jornal Nacional às 17:30h. Os outros telejornais não apresentam horário específico. Outro caminho é o malote quando a matéria não é factual. Quando há dificuldades com a geração pela Embratel, o núcleo recorre às afiliadas mais próximas do Estado, como conta a coordenadora: No final de novembro (de 2005) roubaram os fios da Embratel na capital maranhense. Não se podia gerar nada daqui e foi justamente quando aconteceu o flagrante de um padre em um motel. No primeiro dia mandamos uma foto pela internet e informações pra uma nota com a foto dele no Jornal Nacional. No dia seguinte, fizemos a matéria aqui, editamos em um espaço de

12 12 tempo corrido, colocamos a fita em um avião e mandamos para Fortaleza e lá a afiliada da Globo, a TV Verdes Mares, fez a geração. Isso aconteceu por 15 dias. A Rede Mirante de Televisão vem ocupando um espaço significativo na grade de programas jornalísticos da Rede Globo. No mês de novembro de 2005, na TV aberta foram veiculadas 20 matérias geradas pelo Maranhão, totalizando quase uma por dia. De janeiro a novembro do mesmo ano, em todos os programas da rede nacional, foram exibidas 135 reportagens produzidas pela Mirante. Na TV fechada, em 2004, o Maranhão foi o Estado que mais enviou material para o programa Via Brasil, do canal Globo News, segundo informação do Núcleo de Rede. A repórter de rede, Viviane Medeiros, avalia de forma positiva a veiculação das matérias jornalísticas a partir do Maranhão: Temos um aproveitamento de quase 100% do nosso trabalho nos últimos meses, o que mostra que estamos afinando nossa relação com os jornais, entendendo o perfil de cada um deles e melhorando a nossa produção. Em média, temos tido de dez a quinze reportagens por mês no ar, o que significa dizer que a cada três dias o Maranhão é visto em algum telejornal nacional Bom Dia Brasil, Jornal Hoje, Jornal Nacional e Jornal da Globo (...) Além disso, em um ano tivemos quatro participações no Globo Repórter, o que, até então, nunca havia acontecido na TV Mirante. Os profissionais e técnicos que participam da produção de conteúdo local ou nacional participam de treinamento oferecido pela Rede Globo. O objetivo é manter o padrão de qualidade em todas as afiliadas. A capacitação acontece através de intercâmbio e de cursos chamados de UniGlobo, que podem ser presenciais ou virtuais. São envolvidos repórteres, produtores, editores e cinegrafistas de todo o Brasil. 6. Conclusões As redes nacionais de televisão no Brasil firmaram-se a partir dos anos 60 e 70 com a consolidação do mercado, maior de investimento no segmento e desenvolvimento tecnológico, que permitiu a geração do sinal da cabeça de rede para todas as regiões. O país tem atualmente sete redes de televisão, sendo duas públicas e cinco privadas, abrangendo praticamente todo o território nacional. Neste panorama, as redes regionais cresceram e ampliaram seus negócios. A valorização das demandas locais tem suas raízes em um processo de expansão do sistema capitalista que remonta aos séculos XIX e XX, desencadeador do desmonte das barreiras geográficas, culturais e políticas entre as nações. A internacionalização da economia acentuou a circulação

13 13 de bens culturais e o desenvolvimento tecnológico propiciou o surgimento de redes de serviços e o acesso aos novos consumidores espalhados pelo planeta. À semelhança de outros países, no Brasil, os grupos midiáticos de comunicação, situados nas regiões mais desenvolvidas, concentraram a produção e a geração de conteúdo. No entanto, suas redes locais, em face do desenvolvimento técnico, crescimento do mercado publicitário e oferta de mão de obra qualificada, ampliaram sua participação nos programas jornalísticos das redes nacionais. Para compreender a trajetória e expansão das redes regionais, estudou-se a Rede Mirante de Comunicação, afiliada da Rede Globo no Maranhão há 15 anos. Detectou-se que não existe uma articulação engessada entre rede nacional e afiliada. A veiculação de mensagens produzidas localmente nos programas exibidos ema rede nacional está relacionada a quatro variáveis de naturezas diferentes: abordagem do fato, se for de interesse local com repercussão social (motivação cultural); essência da notícia, se factual ou atemporal, perfis do programa nacional que veiculará a reportagem e de seu público (motivação jornalística); condições técnicas de geração (motivação tecnológica) e o patamar econômico e político da cidade ou Estado gerador do material jornalístico (motivação política-econômica). Por outro lado, a Rede Globo costuma recomendar padrões às suas afiliadas quanto à questão técnica, com vistas a manter a qualidade do conteúdo a ser veiculado, pois a geração do material deve ser via satélite, salvo exceções; e à linguagem, os formatos jornalísticos adotados se assemelham nas afiliadas, os programas apresentam o mesmo cenário com pequenas alterações, os apresentadores adotam vestimentas semelhantes e a edição das reportagens segue modelo das edições nacionais. Essas linhas gerais são repassadas aos técnicos e profissionais de comunicação através de capacitações presenciais ou virtuais. A Rede Mirante de Televisão, como as demais afiliadas, pode realizar projetos próprios, com um programa de variedades diário, a exemplo do Revista 10, já exibido ao 12h, ou inspirar-se em programas nacionais e produzir o Mirante Repórter, com o mesmo perfil do Globo Repórter, e colocá-lo no ar no horário no sábado à tarde. A autonomia da rede estende-se às emissoras o interior, com as quais se articulada para produzir reportagens para todo o Maranhão, sem intervenções ou monitoramento da emissora nacional. Pode-se afirmar que a Rede Mirante de Comunicação faz parte de uma rede semiflexível, onde se inter-relacionam as linhas mestras emitidas pela rede nacional e a autonomia das redes afiliadas para elaborar, produzir e gerar conteúdos para a programação jornalística exibida para todo o país. Nota-se que a Rede Globo utiliza estratégias para manter sua articulação com as redes locais ao delimitar um projeto geral a ser seguido por todas as suas afiliadas, ao enviar

14 14 um repórter de rede visando troca de experiências, realizar capacitações permanentes com as equipes e manter contato diário para intercâmbio de idéias (reuniões com viva voz, telefone, s etc) Conforme MARCON; MOINET (2001, p.23), a estratégia vencedora é aquela que recupera a informação no fundo de seus filets, trata-a e a transforma em decisão-ação desejada, portanto entendemos que a Rede Globo segue uma estratégia-rede, ou seja uma ação movida por um fim, sistema no qual ocorre a investigação do ambiente e a coordenação dos atores a serviço do projeto final, do propósito coletivo amparado pela dinâmica das ligações flexíveis. A relação Rede Mirante-Rede Globo espelha-se no princípio da inteligência, que se concretiza através de liderança com autoridade, credibilidade e a idéia-força, condutora do projeto coletivo. A inteligência é uma aptidão estratégica geral para resolver problemas particulares. A rede oferece à inteligência um extraordinário meio de ação estratégica: a ligação (MARCON; MOINET, 2001, p.20). As reflexões sobre a performance das redes midiáticas e as articulações de seus integrantes geram temas a serem pesquisados nos cursos de graduação e pós-graduação em comunicação por conta da complexidade e singularidades da trajetória dos meios de comunicação no Brasil. Podem ser realizados estudos comparativos sobre a produção regional veiculada em rede nacional e como as redes locais penetram nas redes nacionais, descortinando suas estratégias e inovações no processo de produção jornalística, no desenvolvimento tecnológico e na geração de gêneros ou formatos que posteriormente podem ser adotados pelos grupos midiáticos nacionais. 7. Referências Bibliográficas BAHIA, Juarez. Jornal, História e Técnica. 3 ed. São Paulo: Ibrasa, BOURDIN, Alain. A questão local. Rio de Janeiro: DP &A Editora, CABRAL, Eula Dantas Cabral. História da Televisão Amazonense. Rede Alfredo de Carvalho. In: I Encontro Nacional de História da Mídia Brasileira, 2003, Rio de Janeiro. Disponível em Acesso em: 09 dez LIMA, Maria Érica de Oliveira. Mídia Regional: estudo de caso do grupo Somzoom Sat e TV Diário. In: ENCONTROS LUSO-GALEGO DE COMUNICACIÓN E CULTURA/III CONGRESO LUSO-GALEGO DE ESTUDOS XORNALÍSTICOS, II, 2004, Santiago de Compostela, Espanha. FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Mapa da Fome II. Fundação Getúlio Vargas. Disponível em: Acesso em 02 jan 2006.

15 15 GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO. Informações Gerais. Governo do Estado. Disponível em: <http://www.ma.gov.br/cidadao/estado/informacoes_gerais.php>. Acesso em 15 dez MARCON, Christian; MOINET, Nicolas. Introdução. In: Estratégia-rede: Ensaio de Estratégia. Caxias do Sul: EDUSCS, MORAIS, Fernando. Chatô: Rei do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, MULLER, Karin. Grupos Midiáticos Regionais do Nordeste: processos de regionalização e internacionalização. São Paulo: Fapesp; Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social/Universidade Metodista de São Paulo, Rede Bandeirantes no Maranhão. Regiocom. In: X Colóquio Internacional de Comunicação para o Desenvolvimento Regional, 2005, Chapecó. Cátedra Unesco de Comunicação-UMESP/Unochapecó, PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Constituição Brasileira. Brasília, Subchefia para Assuntos Jurídicos/Casa Civil. Disponível em: Acesso em 02 jan REDE AMAZÔNICA DE TELEVISÃO. Histórico. Rede Amazônica.Disponível em: <http://portalamazonia.globo.com/redeamazonica/historico.htm>. Acesso em 11 jan REDE BANDEIRANTES. Atlas de cobertura. Rede Bandeirantes. Disponível em: <http://www.jovedata.com.br/band/atlas2/resumobr.htm>. Acesso em: 05 jan RBS. Apresentação do grupo. Rede Brasil Sul. Disponível em: <http://www.rbs.com.br/rbscom/jsp/default.jsp?contexto=grupo&paginamenu=../library/menu_gr upo_apresentacao.lbi&paginaconteudo=../library/gruporbs_capa.lbi>. Acesso em: 10 jan REDE GLOBO. Atlas de Cobertura Maranhão. Rede Globo de Televisão. Disponível em: <http://comercial.redeglobo.com.br/atlas2004/mapas/php/con_satelite2.php?puf=ma>. Acesso em: 13 dez Institucional. Rede Globo de Televisão. Disponível em: <http://redeglobo3.globo.com/institucional/>. Acesso em: 12 dez REDE MATOGROSSENSE. Grupo. Rede Matogrossense de Televisão.Disponível em: <http://www.fundacaozahran.org.br/sec.htm?cont=grupo&gru_id=3>. Acesso em: 10 jan REDE MIRANTE DE TELEVISÃO. Quem somos. Imirante. Disponível em <http://imirante.globo.com/_index.asp>. Acesso em 05 dez REDE RECORD. Empresa. Portal Rede Record.Disponível em:<http://www.rederecord.com.br/empresa.asp>. Acesso em 10 dez

16 16 REDE TV. Institucional. Rede TV. Disponível em: <http://www.redetv.com.br/>. Acesso em: 05 dez ROBERTSON, Roland. Globalização: teoria social e cultural global. Petrópolis: Vozes, SBT.Institucional. SBT. Disponível em: < Acesso em 12 dez TV CULTURA. Institucional. TV Cultura. Disponível em: <http://www.tvcultura.com.br/detalhe_institucional.aspx?id=40>. Acesso em: 30 dez TVE BRASIL. Institucional. TVE Brasil. Disponível em: < Acesso em: 21 dez

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi)

Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática. (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) Mídia e Região na Era Digital: Diversidade Cultural & Convergência Midiática (org. Anamaria Fadul e Maria Cristina Gobbi) XI Colóquio Internacional de Comunicação para o Desenvolvimento Regional (9,10,11

Leia mais

5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais

5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais 5 Apresentação do método de avaliação de desempenho aplicado ao Programa TV Digital para as Áreas Rurais 5.1 A Rede Globo A Rede Globo é uma das maiores redes de televisão do mundo, com milhões de espectadores

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

Nº 19 Novembro de 2011. A Evolução da Desigualdade de Renda entre os anos de 2000 e 2010 no Ceará e Estados Brasileiros Quais foram os avanços?

Nº 19 Novembro de 2011. A Evolução da Desigualdade de Renda entre os anos de 2000 e 2010 no Ceará e Estados Brasileiros Quais foram os avanços? Nº 19 Novembro de 2011 A Evolução da Desigualdade de Renda entre os anos de 2000 e 2010 no Ceará e Estados Brasileiros Quais foram os avanços? GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos

Leia mais

Dia Nacional da Consciência Negra

Dia Nacional da Consciência Negra Dia Nacional da Consciência Negra Sobre a EBC Criada em 007 para instituir o Sistema Público de Comunicação, a Empresa Brasil de Comunicação é formada pela TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil,

Leia mais

Portfolio Rede Regional Localização e audiência dos veículos

Portfolio Rede Regional Localização e audiência dos veículos Portfolio Rede Regional Localização e audiência dos veículos Quem somos O que fazemos Como fazemos Vendedores de mídia Gestão Comercial Exclusividade Fazemos parte da FTPI, uma das maiores empresas de

Leia mais

A opinião favorável de um consumidor sempre pode ser conquistada ou fortalecida!

A opinião favorável de um consumidor sempre pode ser conquistada ou fortalecida! Boas ideias, dedicação, conquistas, investimentos, inovação, qualidade e muito trabalho fazem parte da trajetória vencedora de indústrias, grandes empresas e entidades governamentais que conquistaram,

Leia mais

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei; Excelentíssimos Senhores Senadores, gostaria de agradecer pela oportunidade de participar dessa audiência pública, essencial não apenas para regulamentação do art. 221, II e III da Constituição, mas também

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

Lei 12.485/2011. SeAC Serviço de Acesso condicionado. Lei da TV Paga

Lei 12.485/2011. SeAC Serviço de Acesso condicionado. Lei da TV Paga Lei 12.485/2011 SeAC Serviço de Acesso condicionado Lei da TV Paga Segundo a Anatel, o serviço de TV por assinatura atende aproximadamente 54,2 milhões de lares brasileiros e 27,9% das residências do país.

Leia mais

O PROJETO PORQUE PATROCINAR

O PROJETO PORQUE PATROCINAR PAIXÃO NACIONAL O gosto pelo futebol parece ser uma das poucas unanimidades nacionais do Brasil. As diferenças sociais, políticas e econômicas, tão marcantes no dia a dia do país diluem-se quando a equipe

Leia mais

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional

Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional Regulamento Prêmio Sebrae de Jornalismo 6ª edição Nacional 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO 1.1. O Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) é um concurso jornalístico instituído pelo Sebrae Nacional Serviço Brasileiro

Leia mais

Copyright 2015 Country Shop Produções Ltda All Right Reserved

Copyright 2015 Country Shop Produções Ltda All Right Reserved Sede Própria em São Paulo Av. Nações Unidas, 18.801, Cj. 703 - São Paulo - SP Fone: 55 11 3791 6000 / 3596 7000 - www.countryshoptv.com Franquia Rio de Janeiro - RJ Fone: 55 21 2492 3339 / 99982 3310 -

Leia mais

FTPI Digital Portfó f lio i d e e v e v í e c í u c los

FTPI Digital Portfó f lio i d e e v e v í e c í u c los FTPI Digital Portfólio de veículos Apresentação Este portfólio apresenta os veículos representados pela FTPI Digital divididos nas seguintes categorias: Portais Regionais Sites de Classificados Sites de

Leia mais

MAR SEM FIM. Redescobrindo a costa brasileira.

MAR SEM FIM. Redescobrindo a costa brasileira. MAR SEM FIM Redescobrindo a costa brasileira. Sempre na busca de uma linguagem inovadora, ao combinar educação e entretenimento, a TV Cultura se tornou a emissora mais premiada do Brasil com sua receita

Leia mais

Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH

Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH Oficina Índice de Desenvolvimento Humano IDH Oficina CH/EM Caro Aluno, Esta oficina tem por objetivo analisar as principais características de um dos principais indicadores socioeconômicos utilizados na

Leia mais

- Deptº de Marketing -TV Bahia. Rua Aristides Novis nº 123 Federação. Tel.: (71) 3203-1207 -

- Deptº de Marketing -TV Bahia. Rua Aristides Novis nº 123 Federação. Tel.: (71) 3203-1207 - O Projeto Despertar a consciência de que cada um é responsável pelo equilíbrio ambiental e que, cabe a nós convencermos a quem convivemos disso. É o mote do projeto que vai estimular a conscientização

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

Sotreq em números. i s. e em. 7 1 an. A mai. C ar t. do B

Sotreq em números. i s. e em. 7 1 an. A mai. C ar t. do B MÍDIA KIT O Grupo Sotreq Há 71 anos, o Grupo Sotreq representa a confiabilidade no mercado brasileiro para venda e locação de máquinas e equipamentos Cartepillar. Com produtos direcionados para mercados

Leia mais

MDD Mídias Interativas. A Evolução da TV no Brasil

MDD Mídias Interativas. A Evolução da TV no Brasil Pós-Graduação MDD Mídias Interativas A Evolução da TV no Brasil Apresentações Profª. Graciana Simoní Fischer de Gouvêa Email: graciana.fischer@prof.infnet.edu.br Evolução da TV Evolução do Homem x TV Evolução

Leia mais

Algar Telecom lança TV por assinatura via satélite

Algar Telecom lança TV por assinatura via satélite Algar Telecom lança TV por assinatura via satélite Com investimentos de mais de R$ 160 milhões, empresa amplia seu portfólio de serviços São Paulo, 20 de maio de 2010 A Algar Telecom, empresa de telecomunicações

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA (ANEXO I ao Edital de Pregão Amplo nº 10/2008)

TERMOS DE REFERÊNCIA (ANEXO I ao Edital de Pregão Amplo nº 10/2008) TERMOS DE REFERÊNCIA (ANEXO I ao Edital de Pregão Amplo nº 10/2008) 1 INTRODUÇÃO 1.1Compete à Agência Nacional de Telecomunicações - Anatel atuar com publicidade na adoção das medidas necessárias para

Leia mais

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS ASPECTOS 11 SOCIOECONÔMICOS 11.1. INFORMAÇÕES GERAIS O suprimento de energia elétrica tem-se tornado fator indispensável ao bem-estar social e ao crescimento econômico do Brasil. Contudo, é ainda muito

Leia mais

PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM PRODUTO DE INCENTIVO A FAVOR DAS ENTIDADES DA TV COMUNITÁRIA

PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM PRODUTO DE INCENTIVO A FAVOR DAS ENTIDADES DA TV COMUNITÁRIA 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS COMO UM

Leia mais

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito Banda Larga TV por Assinatura Telefonia Fixa Respeito APIMEC RIO Rio de Janeiro, 22 de Novembro de 2013 A GVT é uma empresa autorizada pela Anatel a prestar serviços em todo o país A GVT tem licença STFC

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro JULHO DE 2014 BRASIL O mês de julho de 2014 fechou com um saldo líquido positivo de 11.796 novos empregos em todo país, segundo dados do Cadastro

Leia mais

CANAIS 14 UHF 22 da NET

CANAIS 14 UHF 22 da NET www.facebook.com/tvredepaulista www.twitter.com/tvredepaulista www.youtube.com/tvredepaulista www.projectocom.com.br tvredepaulista Fundação Cultural Anhanguera R. Dr. Leonardo Cavalcanti, 56 Centro Jundiaí/SP

Leia mais

PRODUÇÃO REGIONAL NA TV ABERTA BRASILEIRA

PRODUÇÃO REGIONAL NA TV ABERTA BRASILEIRA PRODUÇÃO REGIONAL NA TV ABERTA BRASILEIRA Um estudo em 11 capitais brasileiras 1 1 Uma realização do Observatório do Direito à Comunicação (www.direitoacomunicacao.org.br). Coordenação, apuração e análise

Leia mais

UMC Repórter: Prestação de Serviços Em Prol do Bairro Ponte Grande 1

UMC Repórter: Prestação de Serviços Em Prol do Bairro Ponte Grande 1 UMC Repórter: Prestação de Serviços Em Prol do Bairro Ponte Grande 1 Rogério NASCIMENTO 2 Caio ROCHA 3 Josuel SILVA 4 Júlia FIGUEIREDO 5 Marina ALENCAR 6 Hércules MOREIRA 7 Universidade de Mogi das Cruzes,

Leia mais

100 anos da Soja no Brasil

100 anos da Soja no Brasil PROJETO ESPECIAL 100 anos da Soja no Brasil MASTER Oportunidade No ano em que se comemora 100 anos da principal cultura agrícola do Brasil, o Canal Rural vai contar um pouco da historia deste grão que

Leia mais

Pluralidade dos Meios de Comunicação

Pluralidade dos Meios de Comunicação Pluralidade dos Meios de Comunicação Novembro/212 APRESENTAÇÃO A pesquisa Pluralidade dos Meios de Comunicação, desenvolvida pelo Instituto Palavra Aberta entidade criada em fevereiro de 21 pela Abert

Leia mais

CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008;

CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008; CONSELHO CURADOR EBC RECOMENDAÇÃO Nº 02/2014 Dispõe sobre propostas para adequação do Plano de Trabalho 2015 da EBC. Considerando o inciso I do Art. 17 da Lei 11.652 de 2008; Considerando que o Plano de

Leia mais

Em 2009, a Fundação Padre Anchieta mais uma vez estará presente na Campus Party.

Em 2009, a Fundação Padre Anchieta mais uma vez estará presente na Campus Party. Mais uma vez, a cidade de São Paulo se prepara para receber a Campus Party entre os dias 19 e 25 de janeiro de 2009. Milhares de internautas vêm a cidade participar do evento, que é o maior encontro mundial

Leia mais

Sistemas de comunicação e novas tecnologias

Sistemas de comunicação e novas tecnologias Sistemas de comunicação e novas tecnologias Módulo 3: Capitalismo informacional 3.3: Ascensão da TV paga Esta obra estálicenciada sob umalicença CreativeCommons. Prof. Dr. Marcos Dantas 1948 Pequenos empreendedores

Leia mais

O SR. MARCUS VICENTE (PTB-ES) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores

O SR. MARCUS VICENTE (PTB-ES) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores 31/05/2005 O SR. MARCUS VICENTE (PTB-ES) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, este é um momento de grande relevância para o segmento de comunicação social de

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

PLANO DE PATROCÍNIO EVENTO REGIONAL VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL

PLANO DE PATROCÍNIO EVENTO REGIONAL VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL PLANO DE PATROCÍNIO EVENTO REGIONAL VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL Dir. Nac. de Marketing Jun/13 APRESENTAÇÃO A Rede Calderaro de Comunicação realiza pelo quinto ano a transmissão do Campeonato Amazonense

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

EBC EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO

EBC EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO EBC EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO Relatório de Atividades Nov 2007/Dez 2008 1 EBC EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES NOV 2007/DEZ 2008 A EBC e o Sistema Público de Comunicação I A criação

Leia mais

SBT PILARES SBT COBERTURA REGIONAIS FAMÍLIA INFORMAÇÃO DIVERSÃO

SBT PILARES SBT COBERTURA REGIONAIS FAMÍLIA INFORMAÇÃO DIVERSÃO AGROPEC 360º SBT PILARES SBT FAMÍLIA A base de nossos esforços e conquistas. Segundo pesquisas, o SBT é reconhecidamente uma emissora para toda a família. INFORMAÇÃO Informar bem para melhor formar nosso

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES Barbara Christine Nentwig Silva Professora do Programa de Pós Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social /

Leia mais

http://diariodocongresso.com.br/novo/2011/09/expresso-livre-alcanca-20-mil-usuarios...

http://diariodocongresso.com.br/novo/2011/09/expresso-livre-alcanca-20-mil-usuarios... Page 1 of 8 Diário do Congresso Os Bastidores do Poder On-line Os Bastidores do Poder On-line Capa Senado Câmara Entrevistas Artigos Blogs Opinião Partidos Políticos Pesquise no DC 1ª Página Jornais 1ª

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

Inovação e o Telejornalismo Digital

Inovação e o Telejornalismo Digital Inovação e o Telejornalismo Digital Prof. Antonio Brasil Cátedra UFSC - RBS 2011 Telejornalismo Digital Novas práticas, desafios e oportunidades O que é Telejornalismo Digital Inovação tecnológica Interatividade

Leia mais

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico 4 Luau Bom D+ 10 Bom D+ Verão 16 Desafio Ciclístico 22 Triathlon Bahia de Todos os Santos 28 Revezamento a Nado Farol a Farol 34 Carnaval 2013 Record Bahia O que já era bom ficou ainda melhor. A primeira

Leia mais

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL.

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. A CLASSE C IDENTIFICA CINEMA, INTERNET E TV POR ASSINATURA COMO

Leia mais

#11 RECORDNEWS NOV - GMT.xls. Start Time. Data. Programme Title EPG Synopsis

#11 RECORDNEWS NOV - GMT.xls. Start Time. Data. Programme Title EPG Synopsis Data 01/11/2011 00:15 RECORD NEWS BRASIL 01/11/2011 01:00 JORNAL DA RECORD NEWS Heródoto Barbeiro, e sua colega de bancada, Thalita Oliveira comandam um notíciário dinâmico e moderno 01/11/2011 02:15 ENTREVISTA

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Doutoranda: Nadir Blatt

Doutoranda: Nadir Blatt Territórios de Identidade no Estado da Bahia: uma análise crítica da regionalização implantada pela estrutura governamental para definição de políticas públicas, a partir da perspectiva do desenvolvimento

Leia mais

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados Datafolha, propaganda e eleitores nos estados 23 de agosto de 2010 1. Vitória de Dilma no 1º turno Bastou uma semana de horário eleitoral gratuito em rádio e televisão ao lado do presidente Lula para Dilma

Leia mais

Com relação aos Compromissos Nacionais

Com relação aos Compromissos Nacionais Plano de Ação México Com relação aos Compromissos Nacionais 1. Nos último anos, o Ministério da Cultura do Brasil (MinC) vem debatendo com especial ênfase o impacto econômico propiciado pela música na

Leia mais

Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015

Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015 Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015 A relevância e credibilidade dos resultados da pesquisa UPP: O que pensam os policiais foram, sem dúvida, pontos de partida

Leia mais

PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA

PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA PRONUNCIAMENTO SOBRE VIGÊNCIA DA PORTARIA 1.220/2007, DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, QUE ATRASA A PROGRAMAÇÃO DA TELEVISÃO ABERTA NOS ESTADOS DO AMAZONAS, MATO GROSSO DO SUL, PARÁ, RONDÔNIA, RORAIMA E ACRE

Leia mais

Elaboração de pauta para telejornal

Elaboração de pauta para telejornal Elaboração de pauta para telejornal Pauta é a orientação transmitida aos repórteres pelo pauteiro, profissional responsável por pensar de que forma a matéria será abordada no telejornal. No telejornalismo,

Leia mais

SÃO JOÃO 2015 VERSÃO SEM FOTOS E LOGOS

SÃO JOÃO 2015 VERSÃO SEM FOTOS E LOGOS SÃO JOÃO 2015 VERSÃO SEM FOTOS E LOGOS O PROJETO Marcada pelos festejos juninos, a Bahia ferve durante o mês de junho. Mês do São João, festa que atrai milhares de pessoas e que representa um importante

Leia mais

Educação e trabalho em saúde

Educação e trabalho em saúde Educação e trabalho em saúde Dra. Celia Regina Pierantoni, MD, DSc Professora Associada do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do IMS/UERJ. Coordenadora Geral do ObservaRH. Diretora do Centro Colaborador

Leia mais

Portifólio Regina Ramalho

Portifólio Regina Ramalho 1 Portifólio Regina Ramalho Diretora de Comunicação e Editora do Pró Trabalhador Aniger Comunicação janeiro de 2013 até o momento (1 ano 6 meses)aclimação Regina Ramalho- Estratégias de comunicação e Assessoria

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 010/2013

ATO NORMATIVO Nº 010/2013 ATO NORMATIVO Nº 010/2013 Organiza as ações de comunicação social, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia. OPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

EVOLUÇÃO DA MÍDIA AUDIOVISUAL ANDRÉIA SOARES F. DE SOUZA

EVOLUÇÃO DA MÍDIA AUDIOVISUAL ANDRÉIA SOARES F. DE SOUZA EVOLUÇÃO DA MÍDIA AUDIOVISUAL ANDRÉIA SOARES F. DE SOUZA Cronograma de Evolução da Mídia Audiovisual no Brasil Gráfico representativo do desenvolvimento de mídia audiovisual no Brasil década a década A

Leia mais

Apresentação. Diariamente no Net Cidade Canal 26 Sábados na Band Canal 10 Apresentação Eliane Beuren www.progviverbem.com.br

Apresentação. Diariamente no Net Cidade Canal 26 Sábados na Band Canal 10 Apresentação Eliane Beuren www.progviverbem.com.br Apresentação No ar desde 13 de março de 2002, o Programa Viver Bem é apresentado por Eliane Beuren e inspirado no prazer que sentimos em viver e na conquista de uma melhor qualidade de vida através da

Leia mais

HÁBITOS DE INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO DE OPINIÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA II. Relatório de Pesquisa Quantitativa

HÁBITOS DE INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO DE OPINIÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA II. Relatório de Pesquisa Quantitativa HÁBITOS DE INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO DE OPINIÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA II Relatório de Pesquisa Quantitativa Dezembro de 2010 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. METODOLOGIA... 4 2. TELEVISÃO... 11 3. RÁDIO... 31

Leia mais

A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina

A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina A Parceria UNIVIR / UNIGLOBO- Um Case Focado no Capital Intelectual da Maior Rede de TV da América Latina Blois, Marlene Montezi e-mail: mmblois@univir.br Niskier, Celso e-mail: cniskier@unicarioca.edu.br

Leia mais

Dimensão social. Educação

Dimensão social. Educação Dimensão social Educação 218 Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 36 Taxa de escolarização Representa a proporção da população infanto-juvenil que freqüenta a escola. Descrição As variáveis

Leia mais

Faces do Telejornalismo: O Processo de Construção de Telejornalismo na Cidade de Uberlândia 1

Faces do Telejornalismo: O Processo de Construção de Telejornalismo na Cidade de Uberlândia 1 Faces do Telejornalismo: O Processo de Construção de Telejornalismo na Cidade de Uberlândia 1 Lucas Felipe JERÔNIMO 2 Mirna TONUS 3 Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG RESUMO O texto tem

Leia mais

Implantação e Gestão do Sistema Público de Comunicação

Implantação e Gestão do Sistema Público de Comunicação Implantação e Gestão do Sistema Público de Comunicação Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Brasília, 21 de Outubro de 2009 Retrospectiva Marcos regulatórios/legislativos

Leia mais

MISSÃO. O portal Convergência Digital fala para quem decide, para quem consome. convergenciadigital.com.br

MISSÃO. O portal Convergência Digital fala para quem decide, para quem consome. convergenciadigital.com.br MISSÃO Ser a maior rede de informações 100% on-line das áreas de Tecnologia da Informação e Telecomunicações do País, com conteúdo diferenciado e de primeira qualidade O portal Convergência Digital fala

Leia mais

o melhor da noite já está no ar...

o melhor da noite já está no ar... PROGRAMA O PROGRAMA O Programa Click Noite é veiculado diariamente há 11 anos, acompanhando os principais eventos e acontecimentos de São Paulo. Há alguns anos iniciou a cobertura em outros estados e também

Leia mais

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS APRESENTAÇÃO A Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN em parceria com a SUFRAMA e sob a coordenação

Leia mais

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA

ECONOMIA DA CULTURA. Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec MINISTÉRIO DA CULTURA MINISTÉRIO DA CULTURA ECONOMIA DA CULTURA UM SETOR ESTRATÉGICO PARA O PAÍS Paula Porta Assessora especial do Ministro da Cultura e Coordenadora do Prodec A produção, a circulação e o consumo de bens e

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO

PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO PLANO DE PATROCÍNIO INTEGRADO VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL Dir. Nac. de Marketing 08/Mar/2013 A Rede Record, Record News e o Portal R7, dão o tom do verão em uma oportunidade para o Anunciante evidenciar

Leia mais

- Deptº de Marketing -TV Bahia. Rua Aristides Novis nº 123 Federação. Tel.: (71) 3203-1207 -

- Deptº de Marketing -TV Bahia. Rua Aristides Novis nº 123 Federação. Tel.: (71) 3203-1207 - O Projeto Uma viagem para revelar as raízes das tradições dos festejos juninos e os grandes eventos que movimentam o interior da Bahia, seu impacto no cotidiano e economia locais. Em um mês na estrada,

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA Case vencedor do VII Prêmio ANATEC na categoria B2B Serviços BANCA ASSINATURA CUSTOMIZADA PORTFÓLIO A maior provedora de conteúdo de economia, negócios e finanças da América

Leia mais

VEM AÍ A FEIRA COM OPORTUNIDADE PARA OS JOVENS NAS CARREIRAS DO AGRONEGÓCIO

VEM AÍ A FEIRA COM OPORTUNIDADE PARA OS JOVENS NAS CARREIRAS DO AGRONEGÓCIO PROPOSTA COMERCIAL VEM AÍ A FEIRA COM OPORTUNIDADE PARA OS JOVENS NAS CARREIRAS DO AGRONEGÓCIO A INSPER,SRB e Canal Rural trazem a oportunidade para as organizações do setor conectarem-se com profissionais

Leia mais

Rede Milícia Sat: A Fé Pelo Ar: 24 Horas de Evangelização (sem comerciais)

Rede Milícia Sat: A Fé Pelo Ar: 24 Horas de Evangelização (sem comerciais) 1 Rede Milícia Sat: A Fé Pelo Ar: 24 Horas de Evangelização (sem comerciais) Prof. Domingo Glenir Santarnecchi Revista Raízes Fundação Pró-Memória São Caetano do Sul Resumo A Rede Milícia Sat é a maior

Leia mais

:: C A N A L B A N D N E W S ::

:: C A N A L B A N D N E W S :: :: TABELA DE PREÇOS :: JANEIRO JANEIRO 2013 2011 :: C A N A L B A N D N E W S :: SKY, NET, Claro TV, Oi Tv e independentes, alcança mais de 10.800.000 assinantes. SEXO 4 IDADE CLASSE SOCIAL DIA INÍCIO

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo 1 Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo DESTINO: São Paulo/SP INSTITUIÇÃO PROMOTORA: São Paulo Turismo S/A RESPONSÁVEL: Tasso Gadzanis Luiz Sales

Leia mais

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte PPCAAM Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Secretaria de Direitos Humanos Presidência

Leia mais

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográficos NAVEGANTES

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográficos NAVEGANTES A Evolução da Mídia Exterior Dados Demográficos NAVEGANTES JOINVILLE Jaraguá do Sul é a terceira economia de Santa Catarina e sede de algumas das maiores empresas do Brasil nos setores eletromecânico e

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

CAP.III. CARACTERIZAÇÃO DE MONOPÓLIO NA REGIÃO SUL DO BRASIL

CAP.III. CARACTERIZAÇÃO DE MONOPÓLIO NA REGIÃO SUL DO BRASIL CAP.III. CARACTERIZAÇÃO DE MONOPÓLIO NA REGIÃO SUL DO BRASIL Este capítulo tentará caracterizar através de dados sobre propriedade cruzada, índice de audiência, abrangências de alcance das emissoras e

Leia mais

Somos a melhor opção de investimento para sua marca. mídia kit

Somos a melhor opção de investimento para sua marca. mídia kit Somos a melhor opção de investimento para sua marca. mídia kit Primeiro, um pouquinho sobre nós... Ao infinito e além! ESSE É O NOSSO LEMA. Com 26 anos de estrada, a TV Serra Dourada só cresceu. Também,

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 3.771, DE 2004 Dispõe sobre a identificação obrigatória da localização de paisagens de interesse turístico nas condições que

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS PLANO DE ENSINO Código Unidade 042 Cód. Curso Curso 42501 COMUNICAÇÃO SOCIAL Habilitação Etapa Sem/Ano JORNALISMO 6ª 1º / 2009 Cód. Disc. Disciplina Créditos CH Sem Teoria Prática 121.3604.2 TELEJORNALISMO I 04 X X Docentes

Leia mais

Conscientização, abrace esta causa junto com a RECORD NEWS.

Conscientização, abrace esta causa junto com a RECORD NEWS. A RECORD NEWS, assim como empresas e ONGs, defende a responsabilidade ambiental. Pensando em mostrar a importância da sustentabilidade, a emissora abre espaço em sua programação para exibição do programa

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA ÁREA DA CONSTRUÇÃO CIVIL: UMA EXPERIÊNCIA PROMISSORA

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA ÁREA DA CONSTRUÇÃO CIVIL: UMA EXPERIÊNCIA PROMISSORA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA ÁREA DA CONSTRUÇÃO CIVIL: UMA EXPERIÊNCIA PROMISSORA Maria Inês Franco Motti Sonia Maria José Bombardi Fundacentro Fundação Jorge Duprat de Segurança e Medicina do Trabalho O mundo

Leia mais

TV Amapá: 36 anos de compromisso com a noticia 1. Abinoan Santiago dos Santos 2. Claudia Tamires Ferreira Cavalcanti Leão 3

TV Amapá: 36 anos de compromisso com a noticia 1. Abinoan Santiago dos Santos 2. Claudia Tamires Ferreira Cavalcanti Leão 3 TV Amapá: 36 anos de compromisso com a noticia 1 Abinoan Santiago dos Santos 2 Claudia Tamires Ferreira Cavalcanti Leão 3 Ivan Carlo Andrade de Oliveira 4 Resumo Este artigo propôs em resgatar um pouco

Leia mais

TV VE - uma experiência em webjornalismo participativo na produção de conteúdo audiovisual sob a ótica da comunidade da Vila Embratel 1

TV VE - uma experiência em webjornalismo participativo na produção de conteúdo audiovisual sob a ótica da comunidade da Vila Embratel 1 I Jornada de Pesquisa e Extensão Trabalhos Científicos TV VE - uma experiência em webjornalismo participativo na produção de conteúdo audiovisual sob a ótica da comunidade da Vila Embratel 1 Márcio Carneiro

Leia mais

ImageMagica. A Maior Organização de Fotografia do País

ImageMagica. A Maior Organização de Fotografia do País ImageMagica A Maior Organização de Fotografia do País Sobre Nós Criada em 1995 pelo fotógrafo André François, a ImageMagica é uma organização internacional sem fins lucrativos que promove educação, cultura

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social Políticas Públicas de Comunicação...a presença ativa duma universidade, revigorada ao contato de seu núcleo mais vivo e ciosa do seu espaço

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MARKETING ELETRÔNICO

PLANEJAMENTO DE MARKETING ELETRÔNICO Instituto FA7 IBMEC MBA em Marketing Disciplina: Professor: Turma: Equipe: Marketing Eletrônico Renan Barroso Marketing II - Fortaleza Ana Hilda Sidrim, Ana Carolina Danziger PLANEJAMENTO DE MARKETING

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing.

Comunicação social Jornalismo, Relações Públicas, Assessoria e Comunicação de Marketing. Comunicação social Comunicação social A Comunicação Social é um campo de conhecimento académico que estuda a comunicação humana e as questões que envolvem a interação entre os sujeitos em sociedade. Os

Leia mais

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal Rádio Digital Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal Roberto Pinto Martins Secretário rio de Telecomunicações Ministério das Comunicações Sumário 1. Cenário

Leia mais

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA (versão simples da Lei da Comunicação Social Eletrônica) CAPÍTULO 1 PARA QUE SERVE A LEI Artigo 1 - Esta lei serve para falar como vai acontecer de fato o que está escrito em alguns

Leia mais

Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão

Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão SET 2014 A SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão) é a principal associação de profissionais que trabalham com tecnologias e sistemas operacionais

Leia mais