INSTALAÇÕES DE CLIMATIZAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTALAÇÕES DE CLIMATIZAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS"

Transcrição

1 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO PARA CONSTRUÇÃO PARA CONSTRUÇÃO DE OBRAS DO PODER JUDICIÁRIO ANEXO I INSTALAÇÕES DE CLIMATIZAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. OBJETO O presente trabalho destina-se ao fornecimento e instalação de um sistema de climatização ambiente, para atender as dependências do prédio Anexo II, Maceió/AL. 2. AMBIENTES ATENDIDOS O sistema de climatização atenderá a todos os ambientes do prédio, com exceção das áreas de circulação, higiene e serviço. 3. DESCRIÇÃO DO SISTEMA O sistema adotado constitui-se de uma central térmica de geração de água gelada, responsável pela produção e distribuição da mesma aos equipamentos climatizadores, encarregados de atendimento dos ambientes distribuídos pelos diversos pavimentos. Na central de geração de água gelada (CAG), serão utilizados: 02 (duas) unidades de resfriamento de água gelada - capacidade nominal 182 TR, 380Vac/3/60Hz e COP mínimo de 4,50; 02 (duas) unidades de resfriamento de água de condensação - capacidade nominal 206 TR 120m³/h, 7,5CV 380Vac/3/60Hz; I) 03 (três) unidades de bombeamento para distribuição de água gelada capacidade nominal 102 m³/h x 62 mca 20CV 380Vac/3/60Hz, operando de forma integrada, compondo duas unidades principais e uma reserva técnica operacional; II) 03 (três) unidades de bombeamento para distribuição de água de condensação capacidade nominal 120 m³/h x 20 mca 15CV 380Vac/3/60Hz, operando de forma integrada, compondo duas unidades principais e uma reserva técnica operacional;

2 III) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada; IV) 01 (uma) rede hidráulica de água de condensação; V) 01 (uma) unidade climatizadora de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 10 TR m³/h x 12 mca 2CV 380Vac/3/60Hz; VI) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; 01 (um) quadro elétrico de acionamento, construído e instalado conforme especificações descritas no projeto; 01 (um) quadro elétrico de comando e controle, construído e instalado conforme especificações descritas no projeto. Para atender aos ambientes do Pavimento térreo, serão utilizados: 01 (uma) unidade climatizadora compacta de ambiente tipo HI-WALL de instalação aparente em parede, capacidade nominal 1,14 TR 220Vac/1/60Hz; 04 (quatro) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 1,7 TR 220Vac/1/60Hz; 03 (três) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 2,4 TR 220Vac/1/60Hz; 06 (seis) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 3 TR 220Vac/1/60Hz; VII) 02 (duas) unidades climatizadoras de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 25 TR m³/h x 32 mca 5CV 380Vac/3/60Hz; VIII) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; IX) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada. Para atender aos ambientes do 1 o Pavimento, serão utilizados: 15 (quinze) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 3 TR 220Vac/1/60Hz; X) 01 (uma) unidade climatizadora de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 5 TR m³/h x 28 mca 1CV 380Vac/3/60Hz; XI) 01 (uma) unidade climatizadora de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 10 TR m³/h x 32 mca 2CV 380Vac/3/60Hz; XII) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; XIII) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada. Para atender aos ambientes do 2 o Pavimento, serão utilizados: XIV) 02 (duas) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 3 TR 220Vac/1/60Hz; XV) 04 (quatro) unidades climatizadoras de gabinete para rede de dutos

3 capacidade nominal 10 TR m³/h x 32 mca 2CV 380Vac/3/60Hz; XVI) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; XVII) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada. Para atender aos ambientes do 3 o Pavimento, serão utilizados: XVIII) 06 (seis) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 3 TR 220Vac/1/60Hz; XIX) 04 (quatro) unidades climatizadoras de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 10 TR m³/h x 32 mca 2CV 380Vac/3/60Hz; XX) 02 (duas) unidades climatizadoras de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 35 TR m³/h x 36 mca 7,5CV 380Vac/3/60Hz; XXI) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; XXII) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada. Para atender aos ambientes do 4 o Pavimento, serão utilizados: XXIII) 06 (seis) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 3 TR 220Vac/1/60Hz; XXIV) 04 (quatro) unidades climatizadoras de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 10 TR m³/h x 32 mca 2CV 380Vac/3/60Hz; XXV) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; XXVI) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada. Para atender aos ambientes do 5 O Pavimento, serão utilizados: XXVII) 06 (seis) unidades climatizadoras compactas de ambiente tipo CASSETE de instalação embutida no teto, capacidade nominal 3 TR 220Vac/1/60Hz; XXVIII) 01 (uma) unidade climatizadora de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 12,5 TR m³/h x 32 mca 2CV 380Vac/3/60Hz; XXIX) 01 (uma) unidade climatizadora de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 15 TR m³/h x 32 mca 3CV 380Vac/3/60Hz; XXX) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; XXXI) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada. Para atender aos ambientes do 6 o Pavimento, serão utilizados:

4 XXXII) 03 (três) unidades climatizadoras de gabinete para rede de dutos capacidade nominal 15 TR m³/h x 32 mca 3CV 380Vac/3/60Hz; XXXIII) 01 (uma) rede de dutos de distribuição de ar tratado, fabricados conforme especificações descritas no projeto; XXXIV) 01 (uma) rede hidráulica de água gelada. 4. PREMISSAS DE PROJETO 4.1PARÂMETROS AMBIENTAIS INTERNOS Temperatura bulbo seco 24ºC ± 1ºC Umidade relativa 55% ± 3% Nível de ruído máximo 45 db(a) Velocidade máxima do ar 0,25 m/s 4.2PARÂMETROS AMBIENTAIS EXTERNOS Temperatura bulbo seco 32ºC ± 2ºC Umidade relativa 64% ± 5% Clima tropical quente-úmido Localização 9 21 S / W Altitude nível do mar 4.3CATEGORIA DE FILTRAGEM DE AR Os filtros de ar de retorno e de captação de ar externo para renovação serão classe G3. 4.4LEGISLAÇÃO ATENDIDA O projeto técnico foi elaborado em concordância com a normatização oficial vigente: NBR / ABNT Instalações de Ar Condicionado para Conforto Parâmetros Básicos de Projeto; NBR / ABNT Instalações Elétricas de Baixa Tensão; NBR / ABNT Manutenção Programada em Sistemas de Ar Condicionado e Ventilação. Portaria nº GM/MS Regulamento Técnico para Operação, Manutenção e Controle de Instalações de Climatização; Resolução RE nº 09/2003 ANVISA Padrões Referenciais de Qualidade de Ar Interior. Nas soluções aplicadas ao presente projeto, foram adotados os padrões técnicos atualizados das seguintes instituições: ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas ASHRAE American Society of Heating, Refrigerating and Air Conditioning Engineers ARI Air Conditioning and Refrigerating Institute SMACNA Sheet Metal and Air Conditioning Contractor s National Association ASTM American Society for Testing Materials ANSI American National Standart Institute DIN Deutsch Industrie Normen 4.5DOCUMENTOS INTEGRANTES O projeto técnico é composto pelos seguintes documentos: Projeto de climatização n o ACC v02.1;

5 Caderno de especificações técnicas n o ACC v02.1; Planilha de investimentos n o ACC v ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 5.1EQUIPAMENTOS Resfriador de Água Gelada (CHILLER) Unidade resfriadora de líquido refrigerada a água para instalação abrigada, configuração em duplo circuito de refrigeração; equipada com compressores Screw, válvulas de expansão eletrônicas, controlador digital microprocessado integrado e operação com refrigerante HFC-134a. Compressores Screw Modelo duplo parafuso semi-hermético, equipado com silenciador interno, válvula de retenção e válvula de serviço na linha de descarga. Controle de capacidade provido por válvula solenóide, com redução mínima de operação até 20% da carga nominal. Configuração de partida em condição descarregada. Resfriamento do motor elétrico por injeção direta de refrigerante líquido e proteção de sobrecarga interna via termistor. Sistema de lubrificação composto de pré-filtro e filtro interno com capacidade de 3 mícrons. Resfriador de água gelada (EVAPORADOR) Evaporador tipo Casco-Tubo, com refrigerante no lado do casco e água de resfriamento no lado dos tubos e dois circuitos refrigerantes independentes. Operação do sistema por inundação de líquido com controle de nível de refrigerante. Construção do casco em chapa de aço carbono classificada, soldada eletricamente, cabeçotes removíveis para limpeza mecânica interna dos tubos, conexões de água soldáveis e conexões de drenagem e purga. Construção dos tubos em cobre sem costura, aletados internamente e fixados mecanicamente no corpo do trocador. Isolamento térmico externo com espuma térmica de células fechadas espessura de 19 mm e fator K máximo de 0,28. Teste de pressão conforme padrão europeu, para pressões máximas de kpa no lado de refrigerante e kpa no lado de água. Resfriador de água de condensação (CONDENSADOR) Condensador tipo Casco-Tubo, com refrigerante no lado do casco e água de resfriamento no lado dos tubos, dois circuitos refrigerantes independentes e separador de óleo. Construção do casco em chapa de aço carbono classificada, soldada eletricamente, cabeçotes removíveis para limpeza mecânica interna dos tubos e conexões de água soldáveis. Construção dos tubos em cobre sem costura, aletados internamente e fixados mecanicamente no corpo do trocador. Teste de pressão conforme padrão europeu, para pressões máximas de kpa no lado de refrigerante e kpa no lado de água. Circuitos de Refrigeração Cada circuito inclui: separador de óleo, válvulas nas linhas de descarga e líquido, visor de líquido com indicador de umidade, filtro secador, dispositivos de expansão eletrônico, sensores de pressão e temperatura, dispositivos de alívio de alta e baixa pressão e carga

6 completa de refrigerante HFC-134a e óleo dos compressores. Todos os componentes do circuito refrigerante devem ser soldados para uma impermeabilização completa contra vazamentos. Gabinete e Chassi Construídos em chapa de aço galvanizado, pintado em tinta de poliéster com secagem em estufa. Caixa de Controle e Circuito de Força Construída em painéis de chapa de aço galvanizado pintados, acessíveis através de porta articulada com fechos rotativos de ¼. Composto de chave seccionadora, fusíveis e disjuntores, contatores dos compressores, relés térmicos, transformador do circuito de controle (alimentação trifásica sem neutro) e sistema de controle Pro-Dialog R Torre de Resfriamento Unidade de resfriamento evaporativo de líquidos, destinada ao arrefecimento de água de condensação. Gabinete e Chassi Corpo, difusor, porta de inspeção e bacia construídos em poliéster reforçado com fibra de vidro (PRFV) auto-extingüível. Enchimento Filme de PVC de alto rendimento auto-extingüível e grade de polipropileno de grande resistência mecânica e térmica. Eliminadores de gotas Fabricado em polipropileno com formato de onda de alta eficiência. Sistema de distribuição de água Construído em tubos de aço galvanizado e de PVC, com bicos de aspersão de baixa pressão e orifícios de design especial para garantir o completo espalhamento do fluxo d água. Conjunto motor-ventilador Constituído de hélice plástica de pás injetadas com acionamento direto, suporte metálico e motor elétrico IP55, TFVE e isolamento classe B Bomba de Água Gelada / Água de Condensação Bomba centrífuga radial com voluta, de simples estágio, projetada e construída conforme as normas DIN e ISO Construção Construída em FoFo GG20, padrão horizontal de um estágio, sistema Back Pull Out, desmontável por trás, permitindo manutenção fácil e rápida do conjunto girante, mantendo sobre a base o corpo espiral, evitando o deslocamento da tubulação. Rotor Construído em aço e balanceado estática e dinamicamente.

7 Eixo Construção robusta em aço, super dimensionado, oferecendo deflexão mínima para as cargas máximas e protegido por luva na região das gaxetas. Vedação do eixo Feita por gaxetas ou selo mecânico. Mancais De rolamento, com sede reforçada e projetados para longa vida útil. Lubrificação por graxa. Flanges Construídos conforme norma DIN 2533, com o bocal de descarga na linha de centro, de forma a distribuir as cargas a tubulação de recalque de forma simétrica e auxiliando na escorva da bomba. Base De aço estruturado soldado na carcaça espiral, garantindo perfeita ancoragem do conjunto. Acoplamento Direto através de luva elástica. Amortecedores de vibração De mola, tipo VIBRACHOQ, com indicação dos respectivos pontos de instalação e furos necessários nas bases para fixação, furos estes executados antes da galvanização Motor elétrico Motor elétrico trifásico para acionamento em 220/380V, 60Hz, IV pólos, com grau de proteção IP55 protegido contra jatos d água de baixa pressão a partir de qualquer direção Climatizadores de Gabinete (Fancoil) Gabinete, Painéis e Chassi Construído com painéis duplos em chapa de aço galvanizado e fosfatizado, recoberto por pintura a pó poliéster. Gabinete em perfis extrudados de alumínio de perfil de autoencaixe isolados termicamente e fixados a cantos especiais de material termoplástico e apoiados sobre as bases com calços de borracha tipo neoprene de 100x100x25 mm. Construção do gabinete tipo modular e que permita sua desmontagem na obra e posterior remontagem no local da instalação. Estanqueidade construtiva garantida por perfis de borracha. Isolamento interno com núcleo em poliuretano expandido, com retardante a chama, densidade de 40 kg/m³ e coeficiente de condutividade térmica de 0,019 W/mK na espessura de 25 mm, com acabamento interno de chapa de aço galvanizado e fosfatizado, recoberto por pintura a pó poliéster. Trocador de calor Construído em tubos de cobre de diâmetro 1/2" com 8 aletas de alumínio por polegada e 4 filas de profundidade, conforme características específicas de cada modelo definidas pelas especificações do projeto. Os coletores são construídos em tubos de cobre e conexões de latão e devem ser dimensionados para minimizar as perdas de pressão no lado de água.

8 Filtro de ar Filtragem com filtros planos grossos 2 - grau de filtragem G3 conforme ASHRAE, 85% no teste gravimétrico em material de fibra sintética descartável. Ventilador Construído com rotor de pás voltadas para frente, tipo sirocco, dupla aspiração, balanceados estática e dinamicamente, mancais do tipo monobloco rígido, com conjunto auto-alinhado, rolamentos autocompensadores de esferas com lubrificação permanente, fixados a estrutura por coxins de borracha de neoprene. Velocidade máxima de descarga de 10 m/s. Transmissão Polia regulável e base esticadora das correias. Motor elétrico Motor elétrico trifásico para acionamento em 220/380V, 60HZ, IV pólos, com grau de proteção IP55 protegido contra jatos d água de baixa pressão a partir de qualquer direção. Bandeja de drenagem Bandeja de água condensada construída em material termo-plástico ABS livre de corrosão e isolada termicamente com poliuretano expandido, conectada ao tubo coletor de dreno através de uma curva flexível de borracha Climatizadores de Ambiente (Fancoil hidrônico) Trocador de calor Construído em tubos de cobre liso com diâmetro de 9,53 mm e 0,30 mm de espessura e expandido mecanicamente. Aletas de alumínio com 0,11 mm de espessura e espaçamento de 15 aletas por polegada. Conexões de latão em diâmetro de 3 / 4 " com rosca interna padrão BSP e suspiro de ar com plug roscado. Ventilador Ventilador centrífugo de simples aspiração, tipo sirocco, turbinas com pás curvadas para frente, autobalanceadas e acopladas diretamente ao eixo do motor. Motor elétrico Motor de 3 velocidades com proteção de sobrecarga interna e reset automático. Alimentação em 220Vac/1/60Hz com variação admissível entre V. Gabinete e Chassi Construído em chapa de aço galvanizado e plástico de alta resistência tipo ABS. Modelos de instalação aparente no ambiente e de embutir. Filtro de ar Manta filtrante em material de fibra sintética descartável, classe G3 conforme ASHRAE (eficiência gravimétrica de 89%), espessura de 20 mm. Bandeja de drenagem Construída em chapa de aço galvanizado e revestimento térmico interno de BIDIM, com dreno de diâmetro de ½ e saída pela lateral da unidade. 5.2INSTALAÇÕES

9 Rede Hidráulica para Água Gelada Deverá ser fornecida e instalada toda a rede hidráulica de distribuição de água, para interligação dos equipamentos, obedecendo ao dimensionamento e caminhamento do projeto. Será construída em tubos de aço galvanizado, segundo a norma DIN 2440, nos diâmetros até 3 e tubos de aço preto com ligações soldadas nos diâmetros superiores a 3, os quais receberão pintura antiferruginosa e acabamento em toda a tubulação. Os apoios serão construídos de acordo com os padrões técnicos atuais e com as ferragens apropriadas, bem como as distâncias entre os suportes e o espaçamento mínimo entre as tubulações; de forma a permitir pintura, inspeção, folga entre flanges, colocação do isolamento térmico, etc. A drenagem será executada em tubo de PVC de 25 mm. Para as conexões dos equipamentos com a rede hidráulica serão adotadas as conexões padrão conforme definido no projeto. O isolamento térmico será aplicado em toda a tubulação de água gelada, sendo todo ele executado em espuma elastomérica. Antes da aplicação do isolamento a superfície dos tubos deverá ser limpa, desengraxada e tratada com uma demão de tinta antiferruginosa Rede de Dutos de Distribuição de Ar Serão empregados nos trechos de insuflamento e retorno de ar, dutos de seção retangular confeccionados em chapa de aço galvanizado e chavetados mecanicamente. Os dutos serão isolados externamente, conforme detalhe técnico especificado no projeto. Os dutos terão padrão construtivo em chapas de aço galvanizado com bitolas de acordo com as normas ABNT e SMACNA, com a maior seção do duto determinando a espessura da chapa. A construção obedecerá também às recomendações da ASHRAE, no que diz respeito a estanqueidade e encaixes. As junções e costuras deverão assegurar o melhor acabamento possível e uma perfeita calafetação. As dobras e junções deverão ser tratadas a base de anticorrosivo com primer em zinco com veículo epóxi. Os joelhos e curvas de pequeno raio serão dotados de veios defletores construídos de acordo com as normas da ASHRAE e da SMACNA. A sustentação dos dutos se fará por intermédio de cantoneiras do tipo "L" com as dimensões de 1"x1"x1/8" tratadas contra corrosão. Os dutos com seção igual ou superior a 1 (um) metro serão providos de FLANGES tratadas com primer no intuito de dar mais rigidez aos mesmos. As superfícies dos dutos que possam ser visíveis através das bocas de insuflamento, serão pintadas na cor preto fosco. Os colarinhos para colocação de grelhas possuirão captores para facilitar e uniformizar o fluxo de saída do ar. As junções dos dutos com as bocas de descarga dos ventiladores serão providas de conexões flexíveis em lona impermeável, fixadas aos mesmos através de tiras de chapas e rebites. Durante a operação de montagem dos dutos, os mesmos deverão ser limpos após a construção e antes da aplicação, tomando-se o cuidado de ao final de um período de trabalho serem fechados para que neles não venha a ter acesso qualquer elemento estranho ou mesmo sujeira. Os dutos de insuflamento serão isolados com manta de lã de vidro na espessura de 25mm, densidade média 20kg/m 3. Os dutos que não forem isolados, serão pintados, com tinta de acabamento na cor definida pelo contratante, após pintura primer com tinta à base de cromato de zinco Elementos de Distribuição de Ar

10 Deverão ser fornecidos e instalados nas dimensões, quantidades, localizações e modelos indicados nas plantas. Deverão ser construídos em alumínio anodizado na cor natural e atenderão aos parâmetros previstos de: vazão, alcance, pressão estática, velocidade e nível de ruído. Na montagem dos mesmos deverão ser tomados cuidados de forma a evitar que fiquem frestas ou fugas falsas de ar Rede Elétrica Deverão ser executadas de acordo com as recomendações da NBR 5.410/ABNT Instalações de Baixa Tensão. Deverão ser realizadas todas as ligações constantes das especificações do projeto de tal forma que os pontos de força, os painéis e os motores dos diversos elementos que compõem o sistema de ar condicionado estejam perfeitamente interligados. Os condutores deverão ser em cobre isolado para uma tensão de trabalho de 0,6/1 KV e montados de forma que não fiquem sujeitos a esforços mecânicos incompatíveis com a sua resistência. As emendas ou derivações que venham a ser necessárias deverão ser realizadas em caixas de passagens e utilizar-se-á para tal, conectores que assegurem a resistência mecânica e o contato elétrico perfeito e permanente, sendo tomado também o cuidado de ser reconstruído o isolamento com as mesmas características das do condutor utilizado. As ligações dos condutores elétricos aos bornes dos aparelhos deverão ser feitas tomando-se os mesmos cuidados no que diz respeito a contato elétrico e resistência mecânica, endurecendo a ponta dos cabos iguais ou menores que 4 mm 2 com estanho e ligando-os diretamente aos bornes; ligando e pressionando através de parafusos os de seção igual ou inferior a 6 mm 2. Os de bitola acima das mencionadas serão providos de terminais apropriados. Os eletrodutos deverão ser do tipo rígido, protegidos contra corrosão, usando-se luvas nas emendas, e fazendo-se com que as mesmas se toquem ao serem atarrachadas com o objetivo de dar continuidade de superfície aos mesmos. Entre cada 2 (duas) caixas de ligação as tubulações deverão ser providas no máximo 3 (três) curvas de 90º ou um equivalente máximo á soma de 270º. Os raios das curvas obedecerão à tabela para tal recomendada na norma e apresentada nas especificações. A aplicação das caixas de derivação e dos conduletes será feita seguindo-se a NBR 5.410/ABNT e as especificações técnicas do projeto, bem como os apoios para os condutores em trechos verticais que utilizarão suportes isolados com resistência mecânica adequado ao peso a suportar para não danificar o isolamento. Toda a rede de eletrodutos será fixada à estrutura do prédio através de abraçadeiras, obedecendo ao distanciamento máximo entre suportes das especificações do projeto. 6. SUBESTAÇÃO ABRIGADA Composta por toda a instalação elétrica de Média Tensão, deste os terminais dos cabos de média tensão no cubículo de proteção, até o transformador de 500 kva. A Instalação é feita através de Vergalhão de cobre eletrolítico nu com diâmetro de 6,35 mm pintado nas cores vermelha, verde e amarela com conectores e terminais roscáveis em cobre, fixados sobre isoladores tipo pedestal de porcelana isolamento para 15 kv. Nos cubículos de proteção e no do transformador será instalada uma chave seccionadora trifásica 15 kv, 400A. Para a proteção contra sobrecorrentes é instalado no cubículo de proteção um Disjuntor de média tensão isolamento À Pequeno Volume de Óleo, com relé primário de ação direta, relé falta de fase, relé de subtenção, corrente nominal de 630A, tensão máx. de 17,5 kv, tensão nominal de 13,8kV, ajuste do relé de ação direta de A,

11 capacidade de interrupção 350 MVA e nível de isolamento de 95 kv. Para o comando do relé de subtensão será instalado um Transformador de Potencial (TP) V/ 110 V/ 500 VA. Para a Climatização do novo prédio será implantado um Transformador de distribuição trifásico de 500 kva, freqüência de 60 Hz, tensão primária 13800/13200/ 12600/12000V, tensão nominal de 380/220V, refrigeração a óleo e perdas máximas de 5 %. O aterramento desta subestação deve ser conectado a alimentação da malha de aterramento, e compreende em aterrar todas as partes metálicas da subestação, bem como ao neutro do transformador, todas as conexões deverão ser conexões exotérmicas. 7. ALIMENTAÇÃO GERAL DE MÉDIA TENSÃO O encaminhamento da alimentação em média tensão será fixado sob a laje do subsolo e dentro do shaft, realizada em eletroduto galvanizado queimado a fogo, diâmetro de 110 mm, com caixas de passagens em aço, de sobrepor em parede, medindo 30x30x13 mm, a cada 15 m na horizontal e de 02 em 02 andares no Shaft. No acabamento das caixas de passagens, utilizar bucha e arruela de acabamento. Esta alimentação será em cabo de média tensão unipolar em cobre isolamento em EPR cobertura em PVC, isolação para 15 kv, seção 25 mm 2 ; cabo este com terminais contráteis a frio de silicone com isolamento para 15 kv nas suas extremidades. Junto com esta alimentação será feita uma alimentação da Malha de aterramento para a subestação, composta por 02 cabos de cobre nu seção 50 mm 2, dentro de um eletroduto em PVC de 1, passando por dentro da caixa de passagem de média tensão. 8. ALIMENTAÇÃO GERAL DE BAIXA TENSÃO A alimentação geral de baixa tensão é composta por cabos unipolares de cobre isolamento em PVC, isolação para 1kV, flexível, deste os terminais de baixa tensão no transformador até o disjuntor geral de baixa tensão, composta por 02 cabos por fase e 02 para o neutro, seção 240 mm PAINÉIS GERAIS DE BAIXA TENSÃO Será instalado após o transformador um painel modular desmontável em aço, com pintura eletrostática, medindo x800x800 mm, completo com placas de montagens, perfis verticais e laterais para fixação das placas e do barramento de cobre nu trifásico neutro e terra para A. Também neste painel deverá ser instalado um sistema de medição de corrente e tensão e luzes sinalização nas 03 fases. Dentro do painel deverá ser instalada a proteção geral da instalação, que é a seguinte: a) DISJUNTOR GERAL 01 disjuntor termomagnético trifásico de 800 A, 450 V, 35 ka, com disparador térmico e magnético ajustável. 10.GRADES E SUPORTES METÁLICOS Deverão ser instaladas grades de proteção com telas metálicas em malha de 1 x1, em todos os cubículos. Bem como deverão ser instalados suportes metálicos em cantoneira de 50 mm para os equipamentos elétricos da instalação de média tensão da subestação. 11.PROJETO ELÉTRICO DA SUBESTAÇÃO Deverá ser apresentado um Projeto Elétrico da Subestação, devidamente aprovado na concessionária local - CEAL.

12 11.1Quadros Elétricos Deverão ser executados de conformidade com a Norma NBR 5.410/ABNT, sendo construídos em painéis de aço tratado contra a corrosão como especificado e composto pelos elementos indicados nas especificações técnicas do projeto executivo a ser apresentado pelo instalador, sendo os componentes de padrão Siemens ou equivalente. 11.2Sistema de Controle Deverão ser atendidas as especificações técnicas do projeto na sua totalidade, garantindo a plena operação dos componentes e subsistemas. O sistema deverá ser dotado de tecnologia DDC (Direct Digital Control), composto por controlador programável digital microprocessado (CP), de estrutura modular, hardware standard e componentes dotados de inteligência autônoma, com características de comunicação e protocolo abertos, interligável a qualquer sistema de supervisão disponível no mercado, através de interface aberta; ficando sob responsabilidade do fornecedor do sistema a divulgação do modelo de informação do protocolo de comunicação. Devem estar incluídos no sistema, todos os sensores, transdutores e equipamentos auxiliares necessários para atender os pontos de controle, conforme discriminado na tabela definida no projeto. Deverá ser fornecido software aplicativo para comunicação remota, disponibilizando acesso a relatórios de dados e históricos e para configuração dos parâmetros de operação. Este software deve rodar em ambiente windows e não necessariamente ser um software supervisório. Características técnicas Módulo controlador: O equipamento deve ser digital, microprocessado, autônomo, multitarefa e multiusuário. Constituído de eletrônica modular com CPU principal com relógio de tempo real, controlador de comunicação de rede, fonte de alimentação, interfaces de entrada e saída com capacidades compatíveis com a alocação dos pontos de controle de acordo com a necessidade de cada sistema, módulo de interface homem/máquina (IHM) com display alfanumérico LCD e teclado. Os módulos de saídas digitais devem disponibilizar o acionamento direto dos equipamentos em 220Vac/60Hz. Deve ter memória para suportar seu sistema operacional e banco de dados, incluindo processos e rotinas de controle, gerenciamento de alarmes, dados históricos e aplicação de suporte de manutenção. A alimentação deve ser em 220Vac/60Hz monofásica e, em caso de falta de energia, deve ser evitada a perda de dados. Deve ser dotado de memória não-volátil para garantir todos os dados críticos de configuração e uma bateria com capacidade de alimentar o relógio de tempo real e toda a memória por um período mínimo de 48 horas. Deve realizar constantemente autodiagnóstico de operação, diagnóstico de comunicação e de todos os módulos auxiliares existentes. As mensagens de operação do controlador devem ser expressas em língua portuguesa. O protocolo de comunicação deve ser totalmente aberto e disponibilizar acesso completo aos parâmetros e variáveis de controle. Módulo de entradas analógicas: Interno ou externo, com pontos de entrada para sensores de temperatura e umidade, com sinais de 0 1 Vcc e/ou 4-20 ma. Módulo de entradas digitais: Interno ou externo, com pontos de entrada livres de potencial. Módulo de saídas analógicas:

13 Externo, com saídas proporcionais de 0 a 10 Vcc. Módulo de saídas digitais: Externo, composto de relés eletromecânicos com contatos reversores de capacidade de comutação de 7 Aca. Deve fornecer indicação luminosa local do estado de acionamento de cada saída, permitindo sua visualização direta sem a necessidade de terminais de comunicação. Módulo de comunicação: Conexão externa para porta serial RS485, permitindo a instalação de um bus de comunicação para rede local e conexão direta para interligação de modem para acesso remoto via linha discada. Sensor de temperatura ambiente: Sensor de estado sólido, acoplado em caixa metálica de alta resistência para instalação direta em ambientes, em condições normais de operação (sem condensação). Faixa de operação: -10 a 60ºC Faixa de utilização: 0 a 40ºC Precisão: ± 0,5% Bitola de fio nas conexões: 14 AWG Sensor de umidade relativa ambiente: Sensor de estado sólido, acoplado em caixa metálica de alta resistência para instalação direta em ambientes, em condições normais de operação (sem condensação). Faixa de operação: 0 a 100% Faixa de utilização: 20 a 99% Precisão: ± 2% Bitola de fio nas conexões: 14 AWG Sensor de temperatura para dutos de ar: Sensor de estado sólido, acoplado em caixa metálica de alta resistência para instalação direta em ambientes, em condições normais de operação (sem condensação). Faixa de operação: -10 a 60ºC Faixa de utilização: 0 a 40ºC Precisão: ± 0,5% Bitola de fio nas conexões: 14 AWG Sensor de temperatura para tubulação de água gelada: Sensor de estado sólido, montado em cápsula de aço inoxidável para instalação em poço de imersão de tubulações hidráulicas, em condições normais de operação (sem condensação). Faixa de operação: -10 a 60ºC Faixa de utilização: 0 a 40ºC Precisão: ± 0,5% Bitola de fio nas conexões: 14 AWG 12.SERVIÇOS Deverá ser fornecida a mão de obra especializada para perfeita execução da instalação, atendendo a todas as especificações do projeto constando de: a) Instalação dos equipamentos e dispositivos de controle; Fabricação e montagem da rede hidráulica de água gelada; Fabricação e montagem da rede de dutos de distribuição de ar; Montagem de difusores e grelhas; Confecção de projeto executivo das instalações elétrica, de controle digital e quadros elétricos; Execução da instalação elétrica e quadros elétricos; Instalação e configuração do sistema de controle; Transporte vertical e horizontal na obra; Instrumental para medição e aferição dos parâmetros operacionais, ajustes e

14 balanceamento da instalação. 13.GARANTIA As instalações fornecidas deverão ter um período de garantia mínimo de 36 (trinta e seis) meses, a contar da data de entrega da instalação em perfeito estado de funcionamento, contra quaisquer defeitos ou vícios de qualidade na fabricação, montagem e instalação. Deverão ser assumidos todas as despesas de estadia, transporte, mão-de-obra e materiais de reposição necessários ao cumprimento dos termos de garantia, exceto aqueles que se verificarem por não obediência às recomendações feitas pelos fornecedores de produtos e serviços. 14.OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA Fornecer mão-de-obra especializada para o gerenciamento técnico das atividades; Apresentar um cronograma de execução da obra, compatibilizando-o com os horários de funcionamento do contratante e as atividades correlatas da empresa de obras civis e restauração histórica do prédio, que atuará em operação conjunta na instalação; Elaborar e fornecer projeto executivo para a aprovação da fiscalização, com as características descritas nas especificações do presente projeto, ou apresentar documento próprio atestando a total concordância com o presente projeto; Fornecer todos os equipamentos e ferramentas necessárias à execução da fabricação, montagens e testes operacionais da instalação; Fornecer os meios físicos para o transporte horizontal e vertical de todos os materiais e equipamentos, bem como o seguro dos mesmos; Operacionalizar o sistema, efetuando os testes, ajustes e configurações necessários; Fornecer, na entrega final da obra, o projeto revisado COMO CONSTRUÍDO (AS BUILT) contendo todas as alterações ocorridas na instalação em relação ao projeto original contratado; Fornecer ao contratante os manuais de operação e manutenção específicos para o sistema, em conjunto com os catálogos e manuais técnicos dos equipamentos, produtos e materiais fornecidos; Fornecer relatório final dos testes e medições de partida da instalação, para aprovação e entrega final da obra; Fornecer treinamento técnico específico para a operação do sistema ao pessoal designado pelo contratante. 15.OBRIGAÇÕES DO CONTRATANTE Fornecer ao contratado as condições de trabalho, local reservado para a instalação de um canteiro de obras e guarda de materiais, equipamentos e ferramental necessários à execução da instalação; Garantir ao contratado o pleno acesso às áreas envolvidas nas atividades da obra; Fornecer os serviços de obras civis, restauração e recomposição dos trechos do prédio que sofrerem intervenção pela instalação do sistema, alimentação elétrica aos quadros de força e controle e rede de captação de drenagem; conforme as especificações do presente projeto. 16.PROPOSTAS

15 As propostas técnica e comercial deverão estar de pleno acordo com as especificações do presente projeto; O proponente deverá endossar o presente projeto, assumindo total responsabilidade pelo mesmo; O proponente deverá responsabilizar-se pelos quantitativos apresentados na sua proposta, não sendo permitida a alegação de que o material é insuficiente para a conclusão dos serviços; As propostas deverão apresentar descrição completa de todos os materiais e equipamentos a serem fornecidos. Deverão ser anexados os catálogos e manuais técnicos dos equipamentos, produtos e materiais propostos; A proposta comercial deverá apresentar: preços unitários e globais para todos os itens da planilha de custos, preço global final para a instalação, condições de pagamento, validade da proposta e condições de garantia.

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO FL.: 1/8 SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO SISTEMA DO AR CONDICIONADO CENTRO DE CULTURA, MEMÓRIA E ESTUDOS DA DIVERSIDADE SEXUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. LOJAS 515 e 518 - METRÔ REPÚBLICA

Leia mais

Apresentação de Produto ECLIPSE ECLIPSE SÉRIE YM

Apresentação de Produto ECLIPSE ECLIPSE SÉRIE YM Apresentação de Produto ECLIPSE ECLIPSE SÉRIE YM Climatizador de ar ECLIPSE As unidades climatizadoras ECLIPSE, estão disponíveis em 16 modelos, com vazões de ar que variam de 1.300 a 34.000 m 3 /h, e

Leia mais

GVS GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO

GVS GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS INTRODUÇÃO Os gabinetes de ventilação da linha são equipados com ventiladores de pás curvadas para frente (tipo "sirocco"), de dupla aspiração

Leia mais

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO:

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO: 1. DESCRIÇÃO: OBJETO: O sistema de ventilação mecânica visa propiciar as condições de qualidade do ar interior nos vestiários do mercado público de Porto Alegre. Para a manutenção das condições serão controlados

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CADERNO DE MEMORIAL DESCRITIVO EQUIPAMENTOS DE VENTILAÇÃO LOCAL: FORTALEZA-CE UNIDADE: RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO DATA: JANEIRO/2010 AUTOR: ADERBAL COSTA ARAÚJO ENG MECÂNICO

Leia mais

PALÁCIO DA ABOLIÇÃO PROJETO DE AR CONDICIONADO ASSUNTO: MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES E ESPEFIFICAÇÕES TÉCNICAS

PALÁCIO DA ABOLIÇÃO PROJETO DE AR CONDICIONADO ASSUNTO: MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES E ESPEFIFICAÇÕES TÉCNICAS PALÁCIO DA ABOLIÇÃO PROJETO DE AR CONDICIONADO ASSUNTO: MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES E ESPEFIFICAÇÕES TÉCNICAS AUTOR : COMARU PROJETOS E CONSULTORIA DATA : JULHO DE 2008 ÍNDICE: 1.0 Relação de desenhos

Leia mais

Coldex Tosi Ar Condicionado

Coldex Tosi Ar Condicionado Coldex Tosi Ar Condicionado Intercambiador de Calor de Extensão Direta 2 a 40 TR ESPECIICAÇÕES CONSTRUTIVAS Os climatizadores Modelo foram projetados visando obter maior vida útil, performance e facilidade

Leia mais

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA CIVIL AQUISIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PARA O SISTEMA DE AR CONDICIONADO E EXAUSTÃO MECÂNICA, DA ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS DO TERMINAL MARÍTIMO DE PASSAGEIROS DO PORTO DE FORTALEZA

Leia mais

Coldex Tosi Ar Condicionado

Coldex Tosi Ar Condicionado Coldex Tosi Ar Condicionado Especificações Construtivas Os climatizadores (Fan Coil Tosi Baby) foram projetado vizando obter maior vida útil, performance adequada e facilidade de instalação, operação

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

0(025,$/'(6&5,7,92. (63(&,),&$d (67e&1,&$63$5$,167$/$d 2'2/27(

0(025,$/'(6&5,7,92. (63(&,),&$d (67e&1,&$63$5$,167$/$d 2'2/27( 35(* 235(6(1&,$/683$71ž 0(025,$/'(6&5,7,92 (63(&,),&$d (67e&1,&$63$5$,167$/$d 2'2/27( As presentes especificações estabelecem os requisitos mínimos a serem obedecidos no fornecimento e instalação dos materiais

Leia mais

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores VENTILADORES Aspectos gerais As unidades de ventilação modelo BBS, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para frente, e BBL, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para trás, são fruto de

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

Resfriadores Evaporativos BRISBOX

Resfriadores Evaporativos BRISBOX Características do Produto: Resfriadores Evaporativos BRISBOX BRISBOX Aplicações Resfriadores evaporativos Munters, possuem uma ótima performance energética e podem ser aplicados em: Bingos; Boates; Academias;

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO SELF CONTAINED

CATÁLOGO TÉCNICO SELF CONTAINED CATÁLOGO TÉCNICO SELF CONTAINED Capacidade de 3 a 50TR Estrutura em perfil de alumínio extrudado Tampas rechapeadas e facilmente removíveis Pintura eletrostática a pó Várias opções de montagem e acabamentos

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

U.O. ADMINISTRAÇÃO GERAL PROJETOS E OBRAS

U.O. ADMINISTRAÇÃO GERAL PROJETOS E OBRAS INSTALAÇÃO DE SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO E.R. GUARULHOS 1. OBJETO O presente memorial refere-se ao fornecimento e instalação de conjuntos de ar condicionado, a serem instalados no E.R. Guarulhos, localizado

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela:

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela: ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA COM REPOSIÇÃO PARCIAL DE PEÇAS ORIGINAIS DOS EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAÇÃO

Leia mais

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO PROCESSO Nº 09/2011 ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 02/2011 OBJETO: instalação e fornecimento de condicionadores de ar ÍNDICE A. OBJETIVO... 15 B. GENERALIDADES... 15 1. DOCUMENTOS

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO E PLANILHA DE SERVIÇOS

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO E PLANILHA DE SERVIÇOS ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO E PLANILHA DE SERVIÇOS MEMORIAL DESCRITIVO 1.0 - INTRODUÇÃO Este memorial descritivo tem por objetivo definir as especificações e características técnicas básicas para a execução

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Folha 1 / 7 Sistema de Ar Condicionado SALA CLUSTER

MEMORIAL DESCRITIVO Folha 1 / 7 Sistema de Ar Condicionado SALA CLUSTER MEMORIAL DESCRITIVO Folha 1 / 7 Nº Arquivo 051212 1 Objetivo Estabelecer os procedimentos para o fornecimento e instalação de equipamentos para o Sistema central de Ar Condicionado para climatização da

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

VENTILADORES LIMIT LOAD

VENTILADORES LIMIT LOAD VENTILADORES LIMIT LOAD UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA VENTILADORES LIMIT LOAD Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: ELSC 560 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação

Leia mais

Catálogo geral Fancoil

Catálogo geral Fancoil Catálogo geral Fancoil 1 Catálogo Técnico de unidades Intercambiadoras de calor Índice 1- Características Construtivas 3 2- Nomenclatura 4 3- Dados Nominais 5 4- Diâmetro dos coletores 7 5- Peso dos equipamentos

Leia mais

VENTILADOR INDUSTRIAL

VENTILADOR INDUSTRIAL VENTILADOR INDUSTRIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA VENTILADORES INDUSTRIAIS Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: E L D I 560 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação

Leia mais

FÓRUM DE BARREIRAS PRÉDIO NOVO

FÓRUM DE BARREIRAS PRÉDIO NOVO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA FÓRUM DE BARREIRAS PRÉDIO NOVO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO EMPRESA RESPONSÁVEL: Senemig Engenharia LTDA RESPONSÁVEIS TÉCNICOS:

Leia mais

Simples aspiração Dupla aspiração Duplex Rotores de alumínio Rotores chapa galvanizada

Simples aspiração Dupla aspiração Duplex Rotores de alumínio Rotores chapa galvanizada Simples aspiração Dupla aspiração Duplex Rotores de alumínio Rotores chapa galvanizada Fábrica: Av. Brasil, 20.151 Coelho Neto Rio de Janeiro CE 21.530-000 Telefax: (21) 3372-8484 vendas@trocalor.com.br

Leia mais

ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO

ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC- 005/2006 1 Equipamento : Chillers ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO 1. PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA Verificar a existência de ruídos e vibrações anormais

Leia mais

Coldex Tosi Ar Condicionado

Coldex Tosi Ar Condicionado Coldex Tosi Ar Condicionado Condicionadores de Ar Self Contained 5 a 40 TR tipo ROOF-TOP ESPECIFICAÇÕES A linha SELF CONTAINED TOSI foi projetada visando obter a melhor relação custo-beneficio do mercado,

Leia mais

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Produzidos com os melhores componentes disponíveis no mundo e projetados com foco em economia de energia e facilidade de operação e manutenção,

Leia mais

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA.

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS DE ISOLAÇÃO COM BLINDAGEM APLICAÇÃO Os transformadores monofásicos de isolação com blindagens, magnética e eletrostática, foram desenvolvidos

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS)

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC) SISTEMA DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS) ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 015/DAT/CBMSC)

Leia mais

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial Tomada de Preço nº. 003/2013 Processo Finep nº 01.09.0563.

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial Tomada de Preço nº. 003/2013 Processo Finep nº 01.09.0563. ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS LOTE 01 Especificar Sistema de Geração de Ar Comprimido, incluindo compressor, secador por adsorção e filtros coalescentes Diagrama Pneumático. Confirmar detalhes com equipe

Leia mais

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET

CONJUNTOS DE FACAS DE AR WINDJET CONJUNTOS DE FACAS WINDJET CONJUNTO DE FACAS WINDJET SOPRADORES CONJUNTOS DE FACAS WINDJET SUMÁRIO Página Visão geral dos pacotes de facas de ar Windjet 4 Soprador Regenerativo 4 Facas de ar Windjet 4

Leia mais

PROJETO AME BOTUCATU

PROJETO AME BOTUCATU PROJETO AME BOTUCATU Memorial Descritivo Ar Condicionado - PRELIMINAR Ass: - Data: - - PARA INFORMAÇÃO Ass: - Data: - - PARA APROVAÇÃO Ass: - Data: - X LIBERADO P/ FABRICAÇÃO Ass: CONNECT / ALDE BARCELOS

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS 1 EQUIPAMENTOS 0 1.1 Unidade resfriadora de água gelada (CHILLER) - capacidade nominal 182TR, acionamento 380V/3/60Hz.Condensação a água -TRANE/CARRIER OU pç 2 R$ 325.084,00 R$ 650.168,00 R$ 650.168,00

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CLIMATIZAÇÃO

CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CLIMATIZAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS M E M O R I A L D E S C R I T I V O E S P E C I F I C A Ç Õ E S T É C N I C A S C R I T É R I O D E M E D I Ç Ã O CLIMATIZAÇÃO COREN CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SERGIPE ARACA

Leia mais

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES Complexo Esportivo de Deodoro Edital 1.10 1. Instalações Hidráulicas e Sanitárias Os serviços de manutenção de instalações hidráulicas e sanitárias,

Leia mais

ANALISADORES DE GASES

ANALISADORES DE GASES BGM BOMBA DE SUCÇÃO SÉRIE COMPACTA ANALISADORES DE GASES Descrição: Gera uma depressão no processo, succionando a amostra e criando a vazão exata para atender o tempo necessário de condicionamento do gás

Leia mais

CLIMATIZAÇÃO. Relação de Entradas e Saídas

CLIMATIZAÇÃO. Relação de Entradas e Saídas CLIMATIZAÇÃO O exemplo apresentado aqui controla um sistema que envolve bombas, torres, chillers e fan-coils para climatização ambiente para conforto térmico. Pode-se montar controles para sistemas dos

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

CONTROLADOR CONDAR MP3000.

CONTROLADOR CONDAR MP3000. CONTROLADOR CONDAR MP3000. O equipamento CONDAR MP3000 é um Controlador Eletrônico Microprocessado desenvolvido especificamente para automação de até três Condicionadores de Ar instalados em um mesmo ambiente

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÕES CASA DE RUI BARBOSA

MANUAL DE OPERAÇÕES CASA DE RUI BARBOSA MANUAL DE OPERAÇÕES CLIMATIZAÇÃO DA BIBLIOTECA CASA DE RUI BARBOSA Av. São Clemente, Nº134 Botafogo Rio de Janeiro/RJ 1 O presente Manual tem por objetivo descrever e especificar as características operacionais,

Leia mais

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA

CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA CABINES METÁLICAS PRÉ-FABRICADAS DESTINADAS À MEDIÇÃO,PROTEÇÃO E TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. 1 2 ROMAGNOLE Produtos Elétricos S.A. A energia é o núcleo dos acontecimentos,

Leia mais

GABINETES DE VENTILAÇÃO

GABINETES DE VENTILAÇÃO GABINETES DE VENTILAÇÃO espirovent UMA MARCA DO GRUPO DUTOS E Descricao e Nomenclatura GABINETES DE VENTILACAO GABINETES DE VENTILAÇÃO PERSPECTIVA GERAL As caixas de ventilação da linha ESDG e ELDG são

Leia mais

MEMORIAL AR CONDICIONADO COMPLEXO PAULO CAVALCANTE

MEMORIAL AR CONDICIONADO COMPLEXO PAULO CAVALCANTE MEMORIAL AR CONDICIONADO COMPLEXO PAULO CAVALCANTE Página 1 de 15 ÍNDICE 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 NORMAS TÉCNICAS 3.0 PARAMETROS DE PROJETO 4.0 DADOS CARGA TÉRMICA 5.0 ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS VRF 5.1

Leia mais

O bom funcionamento de um Grupo Gerador depende fundamentalmente de sua instalação.

O bom funcionamento de um Grupo Gerador depende fundamentalmente de sua instalação. INSTALAÇÃO DE GRUPO MOTOR GERADOR INTRODUÇÃO O bom funcionamento de um Grupo Gerador depende fundamentalmente de sua instalação. Se o Grupo Gerador for instalado dentro dos parâmetros recomendados e se

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO PREDIAL APÊNDICE A

PLANO DE MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO PREDIAL APÊNDICE A TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA PLANO DE MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO PREDIAL APÊNDICE A A amplitude da manutenção e inspeção indicada no Termo de Referência está

Leia mais

Projeto de Dimensionamento dos Ar Condicionados para Climatização dos Ambientes do COT-UFMT

Projeto de Dimensionamento dos Ar Condicionados para Climatização dos Ambientes do COT-UFMT Projeto de Dimensionamento dos Ar Condicionados para Climatização dos Ambientes do COT-UFMT Engenheiro Mecânico: Marcelo Mendes Vieira Registro Nacional CREA: 260569341-4 Convênio 002/2011/SECOPA Fundação

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

VENTILAÇÃO E EXAUSTÃO DE COZINHA

VENTILAÇÃO E EXAUSTÃO DE COZINHA INSTALAÇÕES MECÂNICAS E DE UTILIDADES VENTILAÇÃO E EXAUSTÃO DE COZINHA O projeto de exaustão por ventilação mecânica para as instalações da área de serviço da EEP Escola de Ensino Profissionalizante justifica-se

Leia mais

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS220 - Condensação a Ar Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS220 - Condensação a Ar Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO MS220 - Condensação SEM ÓLEO AEFICIÊNCIA EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO REFRIGERANTE R134A CONDENSADOR AXIAL Seleção Rápida - Turbotosi com Condensação MODELO CAPACIDADE

Leia mais

INTRODUÇÃO INFORMAÇÕES ADICIONAIS NOTAS

INTRODUÇÃO INFORMAÇÕES ADICIONAIS NOTAS 1 INTRODUÇÃO Neste catálogo estão descritos todos os modelos de bombas das linhas E e EP de nossa fabricação assim como seus acessórios e opcionais. Dele constam informações técnicas, desde a construção,

Leia mais

LABORATÓRIO DE REFRIGERAÇÃO

LABORATÓRIO DE REFRIGERAÇÃO EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº 18/Vice-Reitoria-Joaçaba Objetivo: AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA O LABORATÓRIO REFRIGERAÇÃO A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - FUNOESC representada por sua

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM 07/12/2015

EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM 07/12/2015 SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO - SAAE CNPJ: 21.260.443/0001-91 - Inscrição Estadual: isento Rua Nonô Ventura, 394, CEP 35680-205, Bairro Lourdes - Itaúna/MG EDITAL DE PREGÃO N.º 50/15 RETIFICADO EM

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

Evaporadores. Ciclo de refrigeração

Evaporadores. Ciclo de refrigeração Evaporadores Ciclo de refrigeração Evaporadores Função Extrair calor do meio a ser resfriado (ar, água ou outra substância). Processo Mudança de estado do gás refrigerante, da fase líquida para a fase

Leia mais

CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS

CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS DANCOR S.A INDÚSTRIA MECÂNICA Professor: José Luiz Fev/2012 CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR 1- BOMBAS D ÁGUA (MÁQUINAS DE FLUXO): 1.1 DEFINIÇÃO Máquinas de fluxo

Leia mais

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo.

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo. BOLETIM DE GARANTIA (N o 05 / 2013) Código de erro do Cassete e Piso-Teto No. TIPO DESCRIÇÃO Flash Blink Código Nota 1 Falha 2 Falha 3 Falha 4 Falha 5 Falha 6 Falha Placa acusa erro no sensor de temperatura

Leia mais

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade)

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade) PROJETO ELÉTRICO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA CEFET - BA MEMORIAL DESCRITIVO Este projeto visa a unificação de medição de média tensão, reforma da subestação II e instalação de alimentadores

Leia mais

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação MANUAL TÉCNICO Série: FBME Aplicação Desenvolvida para trabalhar com líquidos limpos ou turvos, em inúmeras aplicações, tais como indústrias químicas, petroquímicas, papel, polpa, siderúrgica, mineração,

Leia mais

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz Sistema de Fluxo de Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior 60 Hz Solução de Conforto Inovadora A Trane, líder global no fornecimento de sistemas, soluções e serviços HVAC, oferece soluções

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

AR CONDICIONADO. Componentes

AR CONDICIONADO. Componentes AR CONDICIONADO AR CONDICIONADO Basicamente, a exemplo do que ocorre com um refrigerador (geladeira), a finalidade do ar condicionado é extrair o calor de uma fonte quente, transferindo-o para uma fonte

Leia mais

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS500 - Condensação a Água Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS500 - Condensação a Água Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR MS500 - Condensação SEM ÓLEO AEFICIÊNCIA INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO R134A CASCO-TUBOS Seleção Rápida - Turbotosi com Condensação MODELO CHILLERS TURBOTOSI - CONDENSAÇÃO A ÁGUA

Leia mais

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA FINATEC - EDIFÍCIO SEDE ENDEREÇO: LOCALIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO: UNIDADE MOD.: Nº DE SÉRIE: CÓDIGO

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GERAIS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GERAIS Armários Construídos em madeira compensada laminada do tipo virola naval de 15 mm de espessura, revestido internamente laminado melamínico liso e externamente em laminado melamínico texturizado. Os que

Leia mais

Área de Transmissão Divisão de Manutenção de Transmissão Departamento de Manutenção de Santa Maria

Área de Transmissão Divisão de Manutenção de Transmissão Departamento de Manutenção de Santa Maria PROJETO BÁSICO 1. OBJETO: Prestação de Serviços por empresa de engenharia especializada para elaboração de projetos e execução de serviços, com fornecimento parcial de materiais, para substituição de 04

Leia mais

Homologado pelos fabricantes de equipamentos

Homologado pelos fabricantes de equipamentos Homologado pelos fabricantes de equipamentos Confiabilidade e durabilidade são indispensáveis. A suspensão de uma sessão de radioterapia ou a perda de hélio em uma ressonância magnética precisam ser evitadas

Leia mais

Memorial Descritivo. ENG_AC_1034 Fevereiro_2010. Hospital das Clinicas - Ressonância Magnética. Marília SP. Registro no Crea SP 0628401

Memorial Descritivo. ENG_AC_1034 Fevereiro_2010. Hospital das Clinicas - Ressonância Magnética. Marília SP. Registro no Crea SP 0628401 Memorial Descritivo Hospital das Clinicas - Ressonância Magnética Marília SP Registro no Crea SP 0628401 ENG_AC_1034 Fevereiro_2010 TEL: (16) 3624 7512 / 3236 6570 e-mail: niccioli@niccioli.eng.br ÍNDICE

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

MOTOBOMBAS E CONJUNTOS PARA COMBATE A INCÊNDIO

MOTOBOMBAS E CONJUNTOS PARA COMBATE A INCÊNDIO MOTOBOMBAS E CONJUNTOS PARA COMBATE A INCÊNDIO Motobombas para combate a incêndio ÍNDICE FSGIN Pg. 3 FIN Pg. 13 Pg. 33 A Famac tem a solução certa em Bombas para sistemas de combate a incêndio. CONJUNTOS

Leia mais

2.5. Placas eletrônicas da central

2.5. Placas eletrônicas da central 2.5. Placas eletrônicas da central Placa eletrônica de laço Piezo Placa de laço Na placa eletrônica de laço podem ser ligados quatro laços de detecção, compostos por detectores de fumaça, detectores termovelocimétricos

Leia mais

vendas1@juntasamf.com.br

vendas1@juntasamf.com.br À Sr( a) Ref.: Apresentação para Cadastro de Fornecedor Prezados Senhores, Vimos através desta, apresentar a Juntas AMF Ind. e Com. de Peças Ltda., uma empresa que já se tornou referencia no mercado de

Leia mais

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz e 50 Hz

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz e 50 Hz Sistema de Fluxo de Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior 60 Hz e 50 Hz Solução inovadora de conforto A Trane, líder global no fornecimento de sistemas, soluções e serviços HVAC, oferece

Leia mais

Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO. Série GXG-S Série GSG-S

Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO. Série GXG-S Série GSG-S Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO Série GXG-S Série GSG-S Chiller Centrífugo Novas Séries GXG-S e GSG-S A nova série de Chiller Centrífugo de Alta Eficiência

Leia mais

Self Wall Mounted. Catálogo Técnico Unidade Wall Mounted 50BW 24/36/48/60

Self Wall Mounted. Catálogo Técnico Unidade Wall Mounted 50BW 24/36/48/60 Self Wall Mounted Catálogo Técnico Unidade Wall Mounted 50BW 24/36/48/60 Índice 1 2 3 4 5 6 7 8 INTRODUÇÃO...3 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS GERAIS...5 DADOS ELÉTRICOS...6 DADOS DIMENSIONAIS...6 CIRCUITO FRIGORÍFICO...9

Leia mais

CONTRATO DE MANUTENÇÃO DE SISTEMA DO AR CONDICIONADO DO PAÇO MUNICIPAL, PRAÇA MONTEVIDÉU Nº10. Anexo XII - PROJETO BÁSICO

CONTRATO DE MANUTENÇÃO DE SISTEMA DO AR CONDICIONADO DO PAÇO MUNICIPAL, PRAÇA MONTEVIDÉU Nº10. Anexo XII - PROJETO BÁSICO 1 CONTRATO DE MANUTENÇÃO DE SISTEMA DO AR CONDICIONADO DO PAÇO MUNICIPAL, PRAÇA MONTEVIDÉU Nº10 Anexo XII - PROJETO BÁSICO 1. OBJETO Serviços de manutenção preventiva e corretiva de sistema do ar condicionado

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

Ventiladores Centrífugos RadiFit EC. Compactos, eficientes e de reposição fácil.

Ventiladores Centrífugos RadiFit EC. Compactos, eficientes e de reposição fácil. Ventiladores Centrífugos RadiFit EC Compactos, eficientes e de reposição fácil. Se encaixa, economiza e faz sentido! A nossa linha de ventiladores centrífugos RadiFit com voluta e pás curvadas para trás

Leia mais

EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica

EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica Descrição Geral: Equipamento esterilizador horizontal automático para esterilização por vapor saturado de alta temperatura com duas

Leia mais

SISTEMAS DE RESFRIAMENTO EVAPORATIVO

SISTEMAS DE RESFRIAMENTO EVAPORATIVO SISTEMAS DE RESFRIAMENTO EVAPORATIVO Introdução Eficientes, duráveis e com baixo custo de manutenção, os painéis Celdek, ventiladores Euroemme, sistemas EasyCool, Brisbox e Wetdek, são utilizados para

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TR 2 DA DESCRIÇÃO BÁSICA DOS SERVIÇOS, EQUIPAMENTOS E COMPONENTES

TERMO DE REFERÊNCIA - TR 2 DA DESCRIÇÃO BÁSICA DOS SERVIÇOS, EQUIPAMENTOS E COMPONENTES CENTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1 DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA - TR Pregão Eletrônico nº 015/08 Anexo II 1.1 Prestação de serviços para instalação/remanejamento

Leia mais

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva Com a linha Geafol, obteve-se um transformador com excelentes características elétricas, mecânicas e térmicas que, adicionalmente, ainda é ecológico. São produzidos sob certificação DQS, ISO 9001 e ISO

Leia mais

Controle Térmico. Uma solução inteligente para cada processo. www.megacal.com.br

Controle Térmico. Uma solução inteligente para cada processo. www.megacal.com.br Controle Térmico Uma solução inteligente para cada processo www.megacal.com.br Linha EC Microprocessado Linha Plus CLP Equipamentos sem reservatório Aplicação em sistemas com reservatórios externos para

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO CAIXAS PARA EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO E PROTEÇÃO DE UNIDADES CONSUMIDORAS INDIVIDUAIS OU AGRUPADAS EMISSÃO: JANEIRO /02 REVISÃO: MARÇO /06 FOLHA : 1 / 23 A P R E S E N

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO CLIENTE: OBRA: LOCAL: BNDES RETROFIT DESUL AV. JUSCELINO KUBITSCHEK,

Leia mais

Tubos e Conexões com Qualidade Schulz

Tubos e Conexões com Qualidade Schulz Linha ConectAR Tubos e Conexões com Qualidade Schulz O constante crescimento da indústria, dos processos tecnológicos e o forte impulso da automação industrial, exigem instalações de ar comprimido, eficientes,

Leia mais

Bipartida Axialmente

Bipartida Axialmente Linha BP BI-PARTIDA ROTOR DE DUPLA SUCÇÃO Bipartida Axialmente Soluções em Bombeamento INTRODUÇÃO Neste catálogo estão descritos todos os modelos de bombas da linha BP de nossa fabricação. Nele constam

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO AR CONDICIONADO E VENTILAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO AR CONDICIONADO E VENTILAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO AR CONDICIONADO E VENTILAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO - AR CONDICIONADO - Arquivo 828-m-arcon.doc Página 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVO DAS INSTALAÇÕES...3 2. NORMAS APLICÁVEIS...3 3. DOCUMENTOS

Leia mais

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO Equipamento: COLETOR COMPACTADOR DE LIXO 10 m³ Modelo : CCL-10 Aplicação: Coleta de resíduos domésticos e/ou industriais,selecionados ou não Fabricante: VEMAQ - Indústria Mecânica de Máquinas Ltda 1 -

Leia mais

Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2. Recuperadores de Energia RECUP...3.6. Recuperadores de Energia RIS P...3.8

Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2. Recuperadores de Energia RECUP...3.6. Recuperadores de Energia RIS P...3.8 Índice Recuperadores de Energia Recuperadores de Energia Recuperadores de Energia RIS H/V...3.2 Recuperadores de Energia RECUP...3.6 Recuperadores de Energia RIS P...3.8 Unidade de Fluxos Cruzados EBF...3.11

Leia mais

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador.

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador. CAPÍTULO 8 TRANSFORMADORES ELÉTRICOS 8.1 CONCEITO O transformador, representado esquematicamente na Figura 8.1, é um aparelho estático que transporta energia elétrica, por indução eletromagnética, do primário

Leia mais

FASE III GLOBAL CHILLER. CATÁLOGO TÉCNICO 82 a 358 TR 60Hz

FASE III GLOBAL CHILLER. CATÁLOGO TÉCNICO 82 a 358 TR 60Hz FASE III GLOBAL CHILLER CATÁLOGO TÉCNICO 30HX 80 a 375 TR 60Hz 30GX 82 a 358 TR 60Hz ÍNDICE 1. NOMENCLATURA... 3 2. INTRODUÇÃO... 4 3. CARACTERÍSTICAS... 4 4. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS... 7 5. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. CAIXA DE MEDIÇÃO EM 34, kv 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de

Leia mais

CHAVES DE NÍVEL. Montagem de Topo

CHAVES DE NÍVEL. Montagem de Topo CHAVES DE NÍVEL Montagem de Topo A CONAUT, desde 1965 no mercado nacional, é hoje uma marca conhecida e respeitada no ramo de automação e instrumentação, atuando em todos os ramos da indústria. Além de

Leia mais