Simbologia para Projetos de Redes Urbanas e Rurais de Distribuição de Energia Elétrica. Padronização. Revisão 05 07/2014 NORMA ND.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Simbologia para Projetos de Redes Urbanas e Rurais de Distribuição de Energia Elétrica. Padronização. Revisão 05 07/2014 NORMA ND."

Transcrição

1

2

3 Simbologia para Projetos de Redes Urbanas e Rurais de Distribuição de Energia Elétrica Padronização Revisão 05 07/2014 NORMA ND.40

4 ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento e Operação Rua Ary Antenor de Souza, 321 Jd. Nova América Campinas SP Tel.: (19) Site: ND.40 Simbologia para Projetos de Redes Urbanas e Rurais de Distribuição de Energia Elétrica Campinas SP, páginas

5 Aprovações Alvaro Luiz Murakami Gerente Executivo de Engenharia, Planejamento e Operação Rodrigo Teodoro Bilia de Moraes Gerente de Expansão e Preservação de Redes

6 Página 4 Revisão 05 07/2014

7 Elaboração Clarice Itokazu Oshiro Cleber Rodrigues de Sousa Edmilson Landenberger Menegatti Guilherme de Paula Pereira José Carlos Paccos Caram Junior ND.40 Página 5 Revisão 05 07/2014

8 À ELEKTRO é reservado o direito de modificar total ou parcialmente o conteúdo desta norma, a qualquer tempo e sem prévio aviso considerando a constante evolução da técnica, dos materiais e equipamentos bem como das legislações vigentes. Página 6 Revisão 05 07/2014

9 ÍNDICE CONTROLE DE REVISÕES OBJETIVO CAMPO DE APLICAÇÃO DEFINIÇÕES REFERÊNCIAS NORMATIVAS Normas técnicas da Elektro CONDIÇÕES GERAIS CONDIÇÕES E ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS Convenções para projetos elétricos Convenções Exemplos Materiais e equipamentos elétricos Condutores Material dos condutores Alumínio nu (CA/CAA) Cobre (C) Aço zincado () Aço - alumínio (W) Cabo de alumínio coberto Cabo pré-reunido (multiplexado) de BT Cabo pré-reunido (multiplexado) de AT com blindagem metálica Cabo de alumínio multiplexado para ramal de ligação em BT Aterramento e para-raios Estais Equipamentos Iluminação pública Postes Codificação dos postes Transformadores Página 7 Revisão 05 07/2014

10 Compartilhamento de infraestrutura Consumidores Redes de distribuição de energia elétrica Rede convencional (com condutores nus) Rede bifásica Rede monofilar com retorno por terra (MRT) Rede protegida compacta Rede protegida em cruzetas Rede isolada Rede subterrânea Topografia Limites Cercados, valados e tapumes Vias e comunicação Benfeitorias, acidentes geográficos e solo Página 8 Revisão 05 07/2014

11 CONTROLE DE REVISÕES Revisão Data Descrição Revisão e atualização do documento às diretrizes do SGQ e ao modelo F-SGQ-010. Inclusão da simbologia e codificação dos postes de fibra de vidro. Inclusão da simbologia de lâmpada vapor metálico. Revisão de forma e atualização do documento de acordo com as diretrizes do Sistema de Gestão da Qualidade Revisão de forma e da subseção Rede Protegida Compacta. Página 9 Revisão 05 07/2014

12 Página 10 Revisão 05 07/2014

13 1 OBJETIVO Esta Norma tem por objetivo estabelecer as convenções e símbolos utilizados na elaboração de projetos de redes urbanas e rurais de distribuição de energia elétrica na área de concessão da ELEKTRO. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma aplica-se a todos os projetos de redes novas, reformas e extensões de redes urbanas e rurais de distribuição de energia elétrica na área de concessão da Elektro Eletricidade e Serviços S.A. 3 DEFINIÇÕES Para fins desta Norma, são adotadas as definições constantes nas normas técnicas da ELEKTRO e nas normas técnicas brasileiras da ABNT, aplicáveis. 4 REFERÊNCIAS NORMATIVAS 4.1 Normas técnicas da Elektro ND.02, Estruturas para redes aéreas urbanas de distribuição de energia elétrica Padronização. ND.03, Estruturas para redes aéreas rurais de distribuição de energia elétrica Padronização. ND.04, Estruturas para redes aéreas rurais de distribuição de energia elétrica 34,5 kv Padronização. ND.07, Estruturas para redes aéreas isoladas de distribuição de energia elétrica Padronização. ND.12, Redes protegidas compactas Critérios para projetos e padronização de estruturas. ND.13, Padronização de estruturas e critérios para utilização de postes de concreto duplo T em redes urbanas. ND.21, Projetos de redes aéreas rurais de distribuição de energia elétrica Norma. ND.22, Projetos de redes aéreas urbanas de distribuição de energia elétrica Norma. ND.25, Projetos de redes aéreas isoladas e protegidas de distribuição de energia elétrica Norma. ND.44, Critérios para projeto, construção e manutenção de rede monofilar com retorno por terra (MRT). ND.45, Sistema bifásico rural em 13,8 kv Redes aéreas rurais de distribuição de energia elétrica Norma e padronização. ND.46, Critérios para projetos e construção de redes subterrâneas em condomínios. ND.47, Compartilhamento de infra-estrutura de rede elétrica com redes de telecomunicações Norma. 5 CONDIÇÕES GERAIS Os projetos das redes primárias e secundárias de distribuição de energia elétrica devem ser elaborados em plantas básicas, contendo as indicações dos logradouros públicos (ruas, avenidas, praças, calçadas, canteiros centrais etc.), rodovias, estradas, edificações, acidentes topográficos e obstáculos, redes e linhas elétricas existentes e demais condições Página 11 Revisão 05 07/2014

14 dos locais que podem interferir na execução das redes, em escala adequada ao tipo de projeto e de acordo com o estabelecido nas respectivas normas de projeto da ELEKTRO. 6 CONDIÇÕES E ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS 6.1 Convenções para projetos elétricos Convenções Sinal Este sinal circundando um símbolo ou número de identificação significa: A INSTALAR Este sinal significa: A INSTALAR o símbolo ou número de identificação sobre o traço e A REINSTALAR o símbolo ou número de identificação sob o traço Este sinal cortando símbolo ou número de identificação significa: A RETIRAR Este sinal unindo símbolo ou número de identificação significa: A REMOVER Este sinal significa: CONDUTOR EXISTENTE Este sinal significa: CONDUTOR A INSTALAR Este sinal significa: MUDANÇA DE BITOLA OU SEÇÃO PB50N Este sinal significa: REDE SECUNDÁRIA 3xA2/0-13,8 kv Este sinal significa: REDE PRIMÁRIA Exemplos Representação de rede primária e secundária Rede Secundária PB50N S 3xA2/0(2/0)02 Rede Primária 3xA02-13,8 kv N1- IB Página 12 Revisão 05 07/2014

15 Representação de circuito duplo rede primária 3xA50P(9,53) - 13,8 kv Circuito superior PB35N N1-CE1 STB Circuito inferior N1-CE1A STB 3xA4/0-13,8 kv N1-CE1 STB Substituição de iluminação pública Indicação individual 100 W Indicação em grupo V 100 W V 100 W V V V C5R C5R C5R C5R C5R Ou indicar: "As lâmpadas serão substituídas por VS W" Substituições de poste C5R V 3xA02(02)02 3xA2/0(2/0)02 V V V V 3xA2/0-13,8 kv N1 3C5R M1 3C5R BRIP M1 3C5R M1 3C5R M1-3C5R BRIP Página 13 Revisão 05 07/2014

16 Substituição ou reinstalação de poste ou equipamento K 3xA02(02)02 V 3xA02-13,8 kv M1 3C5R 3xA2/0(02)02 V V 3xA4/0-13,8 kv M1 3C5R M1N3 3C5R M1 3C5R 1. Para a substituição de poste por outro novo e a reinstalação dos materiais/equipamentos Base Concr. M1N3 3C5R BRIP A reinstalar 2. Para a substituição de poste por outro removido na mesma obra e a reinstalação dos materiais/equipamentos M1N3-3C5R - BRIP 3. Para o mesmo do item 2 com a colocação de BASE CONCRETADA. BASE CONCRETADA M1N3-3C5R - BRIP Remoção e reinstalação de poste 3xA2/0(02) C5R 3xA02(02) C5R C5R C5R C 5R Página 14 Revisão 05 07/2014

17 Árvores próximas à rede 3xA2/0(02) 9M 2C4R 9M 2C4R Podar duas árvores Nota: Indicar no projeto a espécie da árvore a ser podada. 6.2 Materiais e equipamentos elétricos Condutores Para a indicação dos condutores, adotar a convenção a seguir: Número de condutores-fase; Tipo de condutor/cabo (alumínio CA, alumínio CAA, protegido etc.); Bitola (AWG/MCM) ou seção (mm 2 ) das fases; Bitola (AWG/MCM) ou seção (mm 2 ) do neutro, quando aplicável; Bitola (AWG/MCM) do controle, quando aplicável; Tensão nominal da rede (somente para redes primárias) Material dos condutores Material Alumínio (CA) Alumínio com alma de aço (CAA) Cobre Aço-zincado Aço-alumínio Codificação A S C W Alumínio nu (CA/CAA) Exemplos: Bitola (AWG/MCM) Codificação 4(*) /0 2/0 4/0 4/0 336,4 336,4 477,0 477 (*) Somente para condutores de alumínio CAA. 3xA4/0(2/0)02: Três condutores-fase CA de bitola 4/0 AWG, condutor-neutro CA de bitola 2/0 AWG e controle de bitola CA 2 AWG. 3xS04 13,8 kv: Três condutores-fase CAA de bitola 4 AWG, tensão nominal de 13,8 kv. Página 15 Revisão 05 07/2014

18 6.2.4 Cobre (C) Exemplo: Seção nominal (mm 2 ) Codificação xC70(35)25: Três condutores-fase de cobre seção 70 mm 2, condutor-neutro de cobre seção 35 mm 2 e controle seção 25 mm Aço zincado () Exemplo: Denominação Codificação 3,09 mm 30 2 x 2,25 mm 22 1x30 7,97 kv: Um condutor-fase de aço zincado de diâmetro 3,09 mm, tensão nominal 7,97 kv Aço - alumínio (W) Exemplo: Denominação Codificação 3,26 mm 32 2 x 2,59 mm 25 1xW32 7,97 kv: Um condutor-fase de aço-alumínio de 3,26 mm, tensão nominal de 7,97 kv Cabo de alumínio coberto Exemplo: Seção (mm 2 ) Codificação 50(*) 50P 70 70P P P 240(*) 240P (*) Somente para classe de tensão 15 kv. 3xA50P 13,8 kv: Três condutores-fase de alumínio coberto seção 50 mm 2, tensão nominal de 13,8 kv (rede protegida em cruzetas). Página 16 Revisão 05 07/2014

19 6.2.8 Cabo pré-reunido (multiplexado) de BT Cabo pré-reunido (multiplexado) de BT com neutro nu Exemplo: Seção nominal (mm 2 ) Codificação 3 x 1 x PB35N 3 x 1 x PB50N 3 x 1 x PB70N 3 x 1 x PB95N 3 x 1 x PB120N PB35N: Três condutores-fase de alumínio isolado seção 35 mm 2 e condutorneutro de alumínio-liga nu seção 50 mm Cabo pré-reunido (multiplexado) de BT com neutro isolado Exemplo: Seção nominal (mm 2 ) Codificação 3 x 1 x PB35 3 x 1 x PB50 3 x 1 x PB70 3 x 1 x PB95 3 x 1 x PB120 PB35: Três condutores-fase de alumínio isolado seção 35 mm 2 e condutor-neutro de alumínio-liga nu seção 50 mm Cabo pré-reunido (multiplexado) de AT com blindagem metálica Exemplo: Seção nominal (mm 2 ) Codificação 3 x 1 x PA50B 3 x 1 x PA70B 3 x 1 x PA95B 3 x 1 x PA120B 3 x 1 x PA185B 3 x 1 x PA240B PA50B: Três condutores-fase de alumínio isolado seção 50 mm 2 e condutorneutro de alumínio-liga nu 70 mm 2 com blindagem metálica Cabo de alumínio multiplexado para ramal de ligação em BT Seção (mm 2 ) Codificação Nota: acrescentar D duplex; T triplex e Q quadruplex. Exemplo: A25Q: cabo de alumínio multiplexado de seção 25 mm 2, quadruplex. Página 17 Revisão 05 07/2014

20 Aterramento e para-raios Aterramento Para-raios Estais Âncora Contra poste madeira Contra poste concreto Poste a poste (poste madeira) Poste a poste (poste concreto) Poste a cruzeta (poste madeira) Poste a cruzeta (poste concreto) Subsolo (poste madeira) Subsolo (poste concreto) Sapata de pântano Base concretada Página 18 Revisão 05 07/2014

21 Equipamentos - Chave-fusível abertura sem carga Chave-fusível abertura com carga Chave-fusível com dispositivo de aterramento - - Seccionador unipolar tipo faca abertura sem carga Seccionador unipolar tipo faca abertura com carga Seccionador tripolar tipo chifre Chave a óleo - Chave a óleo com dois jogos de seccionadores C G C G Chave a gás 3 3 L L - L Chave-fusível repetidora três operações - abertura com carga Chave-fusível com lâmina desligadora - abertura com carga Chave-fusível com lâmina desligadora abertura sem carga L L Chave-fusível e chave-fusível com lâmina desligadora abertura com carga Página 19 Revisão 05 07/2014

22 IF IF Indicador de corrente de falta S... S... Seccionalizador automático: S 1 monofásico S 2 bifásico S 3 trifásico R R Regulador automático R... R... Religador de tensão: R 1 monofásico R 2 bifásico R 3 trifásico B B Auto booster D D Disjuntor Banco de capacitores Banco de capacitores com controle automático NOTA indica a capacidade nominal do equipamento ou banca. Página 20 Revisão 05 07/2014

23 Iluminação pública S S VS 70 W S S VS 100 W S S VS 150 W S S VS 250 W S S VS 400 W T T VT 150 W T T VT 250 W T T VT 400 W - V VM 80 W - V VM 125 W - V VM- 400 W M M Mista - F - I Luminária com lâmpada fluorescente Luminária com lâmpada incandescente Página 21 Revisão 05 07/2014

24 - L Luminária aberta com lâmpada incandescente Relé fotoeletrônico comando individual - NOTA VS - vapor de sódio; VT - vapor metálico; VM - vapor de mercúrio. 2 x 30 A ou 1 x 50 A Relé fotoeletrônico comando em grupo (1 x 50 A ou 2 x 30 A) Página 22 Revisão 05 07/2014

25 Postes Concreto circular Concreto duplo T Madeira Poste de fibra de vidro Poste de fibra de vidro modular Contra poste de madeira Contra poste de concreto Aço-carbono de seção circular Aço-carbono de seção quadrada Ornamental - Concreto quadrado - Trilho - Torre ou treliça Página 23 Revisão 05 07/2014

26 Codificação dos postes Tipo Comprimento m Resistência nominal dan Codificação Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto circular Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Concreto DT D Página 24 Revisão 05 07/2014

27 Tipo Comprimento m Resistência nominal dan Codificação Madeira L LE Madeira M ME Madeira P PE Madeira L LE Madeira M ME Madeira P PE Madeira XP XP Madeira M ME Madeira P PE Madeira XP XP Madeira M ME Madeira P PE Madeira XP XP Madeira P PE Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Fibra de vidro - FV FV Fibra de vidro modular - MD MD Página 25 Revisão 05 07/2014

28 Transformadores Y- X-Y- ELEKTRO em poste Y- X-Y- Particular em poste Y- X-Y- Isolamento Y- X-Y- ELEKTRO em estaleiro Y- X-Y- Particular em estaleiro Y- X-Y- ELEKTRO em subestação abrigada Y- X-Y- Particular em subestação abrigada Ponto de carga especial Medição em AT NOTA X corresponde ao número de tombamento. Y corresponde ao número de fases. corresponde à potência nominal Compartilhamento de infraestrutura Devem ser indicadas, ao lado do respectivo poste, a identificação da ocupante e as características do(s) cabo(s) e/ou equipamento(s) instalados. Página 26 Revisão 05 07/2014

29 Consumidores Consumidor Notas: No projeto, devem constar as seguintes informações referentes a cada consumidor: - Dados do consumidor; - Número da OS; - Indicação das fases. Devem ser indicados os consumidores especiais, tais como: hospitais, prefeitura municipal, escolas, empresas de telecomunicações etc. Para consumidor com entrada subterrânea adotar: Característica Entrada subterrânea - BT Característica Entrada subterrânea - MT Exemplos Consumidores existentes AV. BRASIL PB50N Consumidores a instalar Dados Consumidor Nº O.S. Fases+neutro Dados Consumidor Nº O.S. Fases+neutro Dados Consumidor Nº O.S. Fases+neutro PB 50N AV. BRASIL Dados Consumidor Nº O.S. Fases+neutro Dados Consumidor Nº O.S. Fases+neutro João Silva O.S A-B-N Dados Consumidor Nº O.S. Fases+neutro Dados Consumidor Nº O.S. Fases+neutro Página 27 Revisão 05 07/2014

30 6.3 Redes de distribuição de energia elétrica Rede convencional (com condutores nus) Fim de rede Rede secundária Fim de rede Rede primária e secundária Seccionamento com castanhas (rede) V V Seccionamento com castanhas (fio controle) Seccionamento de rede (sem mudança de bitola ou nº de condutores) Seccionamento de rede (com mudança de bitola ou nº de condutores) Seccionamento de rede com jampe (sem mudança de bitola ou nº de condutores) Seccionamento de rede com jampe (com mudança de bitola ou nº de condutores) Mudança de bitola ou nº de condutores Secundária com afastador Página 28 Revisão 05 07/2014

31 Seccionamento sem jampe aéreo Seccionamento com jampe aéreo Cruzamento com ligação Cruzamento sem ligação Página 29 Revisão 05 07/2014

32 6.3.2 Rede bifásica 2xS04-13,8 kv V1 V1A 2xS04-13,8 kv V1 V1A Rede bifásica Alumínio com alma de aço 4 AWG Estrutura tipo V1 (tangentes e ângulo: α 15º) Estrutura tipo V1A (ângulos: 15º < α 45º) U5B U5B Estrutura tipo U5B (ângulos: 45º < α 90º) V3 V4 V4 V3 Estrutura tipo V3 (fim de rede) Estrutura tipo V4 (ancoragem da rede) V1-U3 V1-U3 Estrutura tipo V1-U3 Derivação de rede (bifásico-monofásico) 30 V1-U3 30 V1-U3 Estrutura tipo V1-U3 Derivação de rede em ângulo (ângulo: α 30º) (bifásico-monofásico) V1-V3 V1-V3 Estrutura tipo V1-V3 Derivação de rede (bifásico-bifásico) 30 V1-V3 30 V1-V3 Estrutura tipo V1-V3 Derivação de rede em ângulo (ângulo: α 30º) (bifásico-bifásico) Página 30 Revisão 05 07/2014

33 M-V3 M-V3 Estrutura tipo M-V3 Derivação de rede (trifásico-bifásico) 30 M-V3 30 M-V3 Estrutura tipo M-V3 Derivação de rede em ângulo (ângulo: α 30º) (trifásico-bifásico) M-N2BFL M-N2BFL Estrutura tipo M-N2BFL Derivação de rede (trifásico-bifásico) 30 M-N2BFL 30 M-N2BFL Estrutura tipo M-N2BFL Derivação de rede em ângulo (ângulo: α 30º) (trifásico-bifásico) M-N3B M-N3B Estrutura tipo M-N3B Derivação de rede (trifásico-bifásico) 30 M-N3B 30 M-N3B Estrutura tipo M-N3B Derivação de rede em ângulo (ângulo: α 30º) (trifásico-bifásico) V1-U3 FU V1-U3 FU Estrutura tipo V1-U3 FU Derivação de rede com chavefusível (bifásico-monofásico) 30 V1-U3 FU 30 V1-U3 FU Estrutura tipo V1-U3 FU Derivação de rede em ângulo com chave-fusível (ângulo: α 30º) (bifásico-monofásico) V1-V3 FU V1-V3 FU Estrutura tipo V1-V3 FU Derivação de rede com chavefusível (bifásico-bifásico) Página 31 Revisão 05 07/2014

34 30 V1-V3 FU 30 V1-V3 FU Estrutura tipo V1-V3 FU Derivação de rede em ângulo com chave-fusível (ângulo: α 30º) (bifásico-bifásico) M-V3 FU M-V3 FU Estrutura tipo M-V3 FU Derivação de rede com chavefusível (trifásico-bifásico) 30 M-V3 FU M-N2BFL FU 30 M-V3 FU M-N2BFL FU Estrutura tipo M-V3 FU Derivação de rede em ângulo com chave-fusível (ângulo: α 30º) (trifásico-bifásico) Estrutura tipo M-N2BFL FU Derivação de rede com chavefusível (trifásico-bifásico) 30 M-N2BFL FU 30 M-N2BFL FU Estrutura tipo M-N2BFL FU Derivação de rede em ângulo com chave-fusível (ângulo: α 30º) (trifásico-bifásico) M-N3B FU M-N3B FU Estrutura tipo M-N3B FU Derivação de rede com chavefusível (trifásico-bifásico) 30 M-N3B FU 30 M-N3B FU Estrutura tipo M-N3B FU Derivação de rede em ângulo com chave-fusível (ângulo: α 30º) (trifásico-bifásico) N4B N4B Estrutura tipo N4B Travessia aérea N4BCF N4BCF Estrutura tipo N4BCF Travessia aérea (com cruzeta de ferro) Página 32 Revisão 05 07/2014

35 V3-N3B V3-N3B Estrutura tipo V3-N3B Travessia aérea N3B-N3B N3B-N3B Estrutura tipo N3B-N3B Travessia aérea V1-PR V1-PR Estrutura tipo V1-PR Instalação de para-raios N4B-FU N4B-FU Estrutura tipo N4B-FU Instalação de chave-fusível N4B-LD L L N4B-LD Estrutura tipo N4B-LD Instalação de chave-fusível com lâmina desligadora V1-TR V1-TR Estrutura tipo V1-TR Posto de transformação ao longo da rede V3-TR V3-TR Estrutura tipo V3-TR Posto de transformação em fim de rede N2BFL-TR N2BFL-TR Estrutura tipo N2BFL-TR Posto de transformação em fim de rede N3B-TR N3B-TR Estrutura tipo N3B-TR Posto de transformação em fim de rede Página 33 Revisão 05 07/2014

36 6.3.3 Rede monofilar com retorno por terra (MRT) 1x30-7,97 kv U1 1x30-7,97 kv U1 Rede MRT Condutor de aço zincado 3,09 mm Estrutura tipo U1 U2 U2 Estrutura tipo U2 U5 U5 Estrutura tipo U5 U3 U3 Estrutura tipo U3 (fim de rede) U4 U4 Estrutura tipo U4 (ancoragem da rede) U1-U3 U1-U3 Estrutura tipo U1-U3 Derivação de rede (monofásico-monofásico) U1-U3 FU U1-U3 FU Estrutura tipo U1-U3 FU Derivação de rede com chavefusível (monofásico-monofásico) M-U3 FU M-U3 FU Estrutura tipo M-U3 FU Derivação de rede (trifásico-monofásico) U1-PR U1-PR Estrutura tipo U1-PR Instalação de para-raios Página 34 Revisão 05 07/2014

37 U3-U3 U3-U3 Estrutura tipo U3-U3 U3-U3 FU U3-U3 FU Estrutura tipo U3-U3 FU (com chave-fusível) U4-FU U4-FU Estrutura tipo U4-FU Instalação de chave-fusível U1-TR U1-TR Estrutura tipo U1-TR Posto de transformação ao longo da rede U3-TR U3-TR Estrutura tipo U3-TR Posto de transformação em fim de rede N3U3-TRI N3U3-TRI Estrutura tipo N3U3-TRI Instalação de transformador de isolamento Página 35 Revisão 05 07/2014

38 6.3.4 Rede protegida compacta A indicação da rede deve obedecer à nomenclatura: 3x codificação do cabo coberto (9,53) tensão nominal da rede. Exemplo: 3xA50P (9,53) 13,8 kv: rede protegida compacta com cabos de alumínio coberto 50 mm 2 e mensageiro de 9,53 mm (3/8 ), tensão nominal 13,8 kv. A quantidade de espaçadores ao longo do vão deverá estar indicada no respectivo vão, conforme ilustrado a seguir: Rede protegida compacta a instalar 3xA50P (9,53) - 13,8 kv 34 m 3xA50P (9,53) - 13,8 kv 30 m 32 m 33 m 3xA02-13,8 kv (4 espaçadores) (3 espaçadores) (4 espaçadores) (3 espaçadores) CE3-CE CE CE1A CE N3.CE Rede protegida compacta existente 3xA50P (9,53) - 13,8 kv 34 m 3xA50P (9,53) - 13,8 kv 30 m 32 m 33 m 3xA02-13,8 kv (4 espaçadores) (3 espaçadores) (4 espaçadores) (3 espaçadores) CE3-CE3 CE CE1A CE N3.CE3 Página 36 Revisão 05 07/2014

39 3xA50P (9,53)-13,8 kv 3xA50P (9,53)-13,8 kv Rede protegida compacta Cabo de alumínio protegido 50 mm 2 e mensageiro 9,53 mm CE1 CE1 Estrutura tipo CE1 (tangentes e ângulo: α 7º) CE1A CE1A Estrutura tipo CE1A (com braço antibalanço) CE2 CE2 Estrutura tipo CE2 (ângulo: 7º < α 60º - cabos 50 mm 2 e 70 mm 2 e 7º < α 45º - cabos 120 mm 2 e 185 mm 2 ) CE3 CE3 Estrutura tipo CE3 (fim de rede) CE4 CE4 Estrutura tipo CE4 (ângulo: 60º < α < 90º - cabos 50 mm 2 e 70 mm 2 e 45º α < 90º - cabos 120 mm 2 e 185 mm 2 e ancoragem da rede) CE4 CE4 Estrutura tipo CE4 (mudança de seção) CE3-CE3 CE3-CE3 Estrutura tipo CE3-CE3 (ângulo: > 90º) CE2.3 CE2.3 Estrutura tipo CE2.3 Derivação de rede (ramal cruzando a rua) CE2.CE3 CE2.CE3 Estrutura tipo CE2.CE3 Derivação de rede (ramal não cruzando a rua) Página 37 Revisão 05 07/2014

40 CE2.CE3 CF CE2.CE3 CF Estrutura tipo CE2.CE3 CF Derivação de rede (ramal não cruzando a rua com chave-fusível) CE2-N3 CF CE2-N3 CF Estrutura tipo CE2-N3 CF Derivação de rede (ramal de rede nua com chavefusível) N3.CE3 N3.CE3 Estrutura tipo N3.CE3 Transição rede nua-rede protegida compacta N3.CE3 SUH N3.CE3 SUH Estrutura tipo N3.CE3 SUH Transição rede nua-rede protegida compacta (com seccionador unipolar na posição horizontal) N3.CE3 SUI N3.CE3 SUI Estrutura tipo N3.CE3 SUI Transição rede nua-rede protegida compacta (com seccionador unipolar na posição inclinada) I-CE3 I-CE3 Estrutura tipo I-CE3 Transição rede isolada rede protegida compacta CE3-I SUI CE3-I SUI Estrutura tipo CE3-I SUI Transição rede protegida compacta rede isolada (com seccionador unipolar na posição inclinada) CE2 PR CE2 PR Estrutura tipo CE2 PR (instalação de para-raios) CE4 CF CE4 CF Estrutura tipo CE4 CF (instalação de chaves-fusíveis) Página 38 Revisão 05 07/2014

41 CE4 SUH CE4 SUH Estrutura tipo CE4 SUH (instalação de seccionador unipolar na posição horizonta) CE4 SUI CE4 SUI Estrutura tipo CE4 SUI (instalação de seccionador unipolar na posição inclinada) CE2 TR CE2 TR Estrutura tipo CE2 TR Posto de transformação ao longo da rede CE3 TR CE3 TR Estrutura tipo CE3 TR Posto de transformação em fim de rede Rede protegida em cruzetas A indicação dos cabos deve obedecer à seguinte nomenclatura: 3x codificação do cabo coberto tensão nominal da rede. Exemplo: 3xA50P 13,8 kv: rede protegida em cruzetas com cabos de alumínio cobertos de 50 mm 2, tensão nominal 13,8 kv Rede protegida em cruzetas a instalar 3xA50P - 13,8 kv 40 m 38 m 37 m 39 m 3xA02-13,8 kv M M1 M1 M1 N Rede protegida em cruzetas existente 3xA50P - 13,8 kv 40 m 38 m 37 m 39 m 3xA02-13,8 kv M M1 M1 M1 N4 Página 39 Revisão 05 07/2014

42 6.3.6 Rede isolada Rede secundária isolada PB 50N PB 50N Rede isolada (BT) 3 x 1 x mm 2 Neutro nu STB STB Estrutura STB (tangente - BT) Neutro nu STBI STBI Estrutura STBI (tangente - BT) Neutro isolado FLB FLB Estrutura FLB (fim de rede BT) Neutro nu FLBI FLBI Estrutura FLBI (fim de rede BT) Neutro isolado FLAB FLABI FLABD FLAB FLABI FLABD Estrutura FLAB (ângulo: 30º < α 60º BT) Neutro nu Estrutura FLABI (ângulo: 30º < α 60º BT) Neutro isolado Estrutura FLABD (ângulo: α > 60º BT) Neutro nu FLABDI FLABDI Estrutura FLABDI (ângulo: α > 60º BT) Neutro isolado FLB FLB Estrutura FLB (mudança de seção BT) Neutro nu FLBI FLBI Estrutura FLBI (mudança de seção BT) Neutro isolado Página 40 Revisão 05 07/2014

43 FLB FLB Estrutura FLB (alívio de tensão mecânica BT) Neutro nu FLBI FLBI Estrutura FLBI (alívio de tensão mecânica BT) Neutro isolado N FLB NI N FLB NI Estrutura FLB NI (finais de rede pré-reunido BT) (com neutro interligado) Neutro nu N FLBI NI N FLBI NI Estrutura FLBI NI (finais de rede pré-reunido BT) (com neutro interligado) Neutro isolado IB IB Estrutura IB Interligação pré-reunido/nu - BT Neutro nu IBI IBI Estrutura IBI Interligação pré-reunido/nu - BT Neutro isolado SDB SDB Estrutura SDB Derivação - BT Neutro nu SDBI SDBI Estrutura SDBI Derivação - BT Neutro isolado DNPB DNPB Estrutura DNPB Derivação nu/pré-reunido BT Neutro nu DNPBI DNPBI Estrutura DNPBI Derivação nu/pré-reunido BT Neutro isolado Página 41 Revisão 05 07/2014

44 SPB SPB Estrutura SPB Seccionamento - BT Neutro nu SPBI SPBI Estrutura SPBI Seccionamento - BT Neutro isolado SAB SAB Estrutura SAB Seccionamento aéreo - BT Neutro nu ou isolado CAB CAB Estrutura CAB Cruzamento aéreo BT Neutro nu ou isolado Página 42 Revisão 05 07/2014

45 Rede primária isolada PA50B PA50B Rede isolada (AT) 3 x 1 x mm 2 com blindagem metálica STA70 STA70 Estrutura STA70 (tangente AT) Neutro 70 mm 2 STA95 STA95 Estrutura STA95 (tangente AT) Neutro 95 mm 2 STAA STAA Estrutura STAA (tangente AT) (ângulo: 10º < α 45º) Neutro 95 mm 2 FLA70 FLA70 Estrutura FLA70 (fim de rede AT) Neutro 70 mm 2 FLA95 FLA95 Estrutura FLA95 (fim de rede AT) Neutro 95 mm 2 FLAA FLAA Estrutura FLAA (ângulo: 10º < α 60º AT) Neutro 70 mm 2 FLAD FLAD Estrutura FLAD (ângulo: α > 60º AT) Neutro 70 mm 2 FLAAD FLAAD Estrutura FLAAD (ângulo: α > 45º AT) Neutro 95 mm 2 FLA FLA Estrutura FLA (mudança de seção AT) DPNA70 DPNA70 Estrutura DPNA70 Derivação pré-reunido/nu AT Neutro 70 mm 2 Página 43 Revisão 05 07/2014

46 DPNA95 DPNA95 Estrutura DPNA95 Derivação pré-reunido/nu - AT Neutro 95 mm 2 DNPA70 DNPA70 Estrutura DNPA70 Derivação nu/pré-reunido - AT Neutro 70 mm 2 DNPA95 DNPA95 Estrutura DNPA95 Derivação nu/pré-reunido - AT Neutro 95 mm 2 INPA70 INPA70 Estrutura INPA70 Interligação Nu/Pré-Reunido - AT Neutro 70 mm 2 INPA95 INPA95 Estrutura INPA95 Interligação nu/pré-reunido - AT Neutro 95 mm 2 IPNA70 IPNA70 Estrutura IPNA70 Interligação pré-reunido/nu - AT Neutro 70 mm 2 IPNA95 IPNA95 Estrutura IPNA95 Interligação pré-reunido/nu - AT Neutro 95 mm 2 ITA-FLB ITA-FLB Estrutura ITA-FLB Posto de transformação - AT (com secundária em fim de rede) ITA-STB ITA-STB Estrutura ITA-STB Posto de transformação - AT (com secundária em tangente) Página 44 Revisão 05 07/2014

47 6.3.7 Rede subterrânea Projeto elétrico A 3x1xS - 13,8 kv A 3x1xS - 13,8 kv Circuito primário A 3x1xS (T) - 13,8 kv A 3x1xS (T) - 13,8 kv Circuito primário + terra Cn - A 3x1xS (N) Cn - A 3x1xS (N) Circuito secundário C 2x1xS (N) C 2x1xS (N) Ramal de entrada Terminal de média tensão (instalado no poste de transição) Seccionamento de circuito primário SCP Fim de rede secundário FLS Transformador em pedestal QDP QDP Quadro de distribuição em pedestal Indicador de defeito ID Para-raios desconectável Emenda reta fixa de baixa tensão Derivação para ramal de entrada Legenda: Material do condutor: A (alumínio) e C (cobre); T seção do condutor de proteção (terra); C n Número do circuito; S seção do condutor-fase; N seção do condutor-neutro. Página 45 Revisão 05 07/2014

48 Projeto civil Caixa de passagem primária - CP-1 (800 mm x 800 mm) Caixa de passagem primária - CP-2 (1 500 mm x mm) Caixa de passagem secundária - CS-1 (600 mm x 600 mm) Caixa de passagem secundária - CS-2 (1 000 mm x 500 mm) Caixa de passagem ramal de entrada - CS-3 (400 mm x 400 mm) Caixa de inspeção de aterramento CIA Base de concreto para transformador em pedestal (com caixa de passagem acoplada) Base de concreto para transformador em pedestal (sem caixa de passagem acoplada) Base de concreto para quadro de distribuição em pedestal BDC(LxC) - Øn BDC(LxC) - Øn Banco de dutos envelopados em concreto BDC (L x C) x D n BDE(LxC) - Øn BDE(LxC) - Øn Banco de dutos diretamente enterrados BDE (L x C) x D n LDC-(L)xDN LDC-(L)xDN Linha de duto para ligação de consumidor LDC (L) x D n Legenda: BDC: banco de dutos envelopados em concreto; BDE: banco de dutos diretamente enterrados; LDE: linha de dutos diretamente enterrados; (L x C): formação do banco (L linha e C coluna); (L): quantidade de dutos na linha; D n : diâmetro nominal do duto. Página 46 Revisão 05 07/2014

49 Exemplos: Circuito primário C1 - A 3x1x70 (70) Circuito secundário e ramais de entrada C1 - A 3x1x120(120) C1 - A 3x1x120(120) C1 - A 3x1x120(120) C 2x35(35) C 2x35(35) C 3x25(25) C 3x25(25) Página 47 Revisão 05 07/2014

50 6.4 Topografia Limites Limites de estados Limites de municípios Limites de distritos Cercados, valados e tapumes Muros Cerca de arame Gradil de ferro Cerca viva comum Cerca viva com valados Vias e comunicação Estrada de ferro eletrificada (nome da Companhia) Estrada de ferro em projeto Estrada de rodagem pavimentada Estrada de rodagem não pavimentada Estrada de rodagem em construção ou em projeto Linha telefônica TV a cabo e outros Página 48 Revisão 05 07/2014

51 6.4.4 Benfeitorias, acidentes geográficos e solo Cidades, vilas ou povoados Edificação Sedes de fazendas Igreja ou capela Cemitério E Escola R.A. Reservatório d água Linha adutora Estação de tratamento d água Córrego Rio Brejo Mangue Lagoa Açude ou represa Valo, erosão Barranco, corte e aterro Ponte Túnel Viaduto Campo de aviação e/ou aeroporto Página 49 Revisão 05 07/2014

Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas. Norma. Revisão 03 07/2014 NORMA ND.12

Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas. Norma. Revisão 03 07/2014 NORMA ND.12 Redes Protegidas Compactas - Critérios para Projetos e Padronização de Estruturas Norma 07/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Rua Ary Antenor de Souza, 321 Jd. Nova

Leia mais

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica CEMAR NORMA DE PROCEDIMENTOS Função: Área: Processo: Código: Técnica Técnica Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica NP-12.306.02 Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Leia mais

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia

PD-4.003. Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana 36,2kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia Da Distribuição PD-4.003 Redes de Distribuição Aérea Urbana

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA DSEE 11/12/2014 DATA SUMÁRIO

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição Norma 05/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento e Operação

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estrutura CE2H TR (2º Nível) Poste de Concreto de Seção Circular 7. Estrutura CE2H

Leia mais

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações

Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações ID-4.044 Compartilhamento de Infraestrutura de Rede de Distribuição Aérea com Redes de Telecomunicações Diretoria de Engenharia Gerência de Serviços Técnicos ELABORADO: Luiz Eduardo R. Magalhães Gerência

Leia mais

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA. NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE-001 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA COM CABOS COBERTOS CLASSE 15 kv Cuiabá Mato Grosso - Brasil APRESENTAÇÃO 1- OBJETIVO...04 2- CAMPO DE APLICAÇÃO...04

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS

NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS NORMA TÉCNICA NTE - 023 MONTAGEM DE REDES SECUNDÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA TRIFÁSICA, URBANA, COM CONDUTORES ISOLADOS MULTIPLEXADOS Cuiabá Mato Grosso - Brasil INDICE 1 OBJETIVO...03

Leia mais

ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS

ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREAS PRIMÁRIAS COMPACTAS PROTEGIDAS DIRETORIA TÉCNICA - TE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA - TPE GERÊNCIA DE PADRONIZAÇÃO - TPPA Assunto: MONTAGEM ELETROMECÂNICA Título: ESTRUTURAS PARA REDES COMPACTAS PROTEGIDAS PT.RD.06.002

Leia mais

ID-2.024. Instrução Técnica. Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo. Diretoria de Engenharia e Serviços

ID-2.024. Instrução Técnica. Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo. Diretoria de Engenharia e Serviços ID-2.024 Procedimento Técnico para Projetos e Implantação de Postes na AES Eletropaulo Instrução Técnica Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição 2 Folha de Controle Elaborado

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1 NORMA TÉCNICA CELG D Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv NTC-06 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Ligações de Equipamentos de Raios X nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica

Ligações de Equipamentos de Raios X nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Ligações de Equipamentos de Raios X nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Revisão 05 0/03 NORMA ND.5 ELEKTRO Eletricidade e erviços.a. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. PROPRIETÁRIO: IFSULDEMINAS - Câmpus Muzambinho.. Estrada de Muzambinho, km 35 - Bairro Morro Preto.

MEMORIAL DESCRITIVO. PROPRIETÁRIO: IFSULDEMINAS - Câmpus Muzambinho.. Estrada de Muzambinho, km 35 - Bairro Morro Preto. MEMORIAL DESCRITIVO ASSUNTO: Projeto de adaptação de rede de distribuição de energia elétrica urbana em tensão nominal primária de 13.8KV e secundária de 220/127V, com 02 postos de transformação de 75KVA

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48

COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 Página 1 de 19 COMUNICADO TÉCNICO Nº 48 ATENDIMENTO DE NOVOS CONSUMIDORES LOCALIZADOS EM ÁREAS DE SISTEMAS SUBTERRÂNEOS DE DISTRIBUIÇÃO Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD 2.0 NTD 2.0.07 REDES SECUNDÁRIAS ISOLADAS RSI PADRÕES BÁSICOS DE 5ª EDIÇÃO AGOSTO-2011 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDENCIA DE PLANEJAMENTO E PROJETOS GERÊNCIA DE NORMATIZAÇÃO E TECNOLOGIA 1/34 NORMA TÉCNICA

Leia mais

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS

SISTEMA DE DOCUMENTOS NORMATIVOS SUBSISTEMA DE NORMAS TÉCNICAS APRESENTAÇÃO...4 1 OBJETIVO...3 2 AMPLITUDE...3 3 RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4 CONCEITUAÇÃO...3 4.1 REDE DE DISTRIBUIÇÃO...3 4.2 REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA RDU...3 4.3 REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE DOCUMENTO NORMATIVO CRITÉRIO DE PROJETO DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE Código Página Revisão Emissão CP 015 I 1 JAN/2004 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

Redes subterrâneas em loteamentos e condomínios particulares Por Caius V. S. Malagoli*

Redes subterrâneas em loteamentos e condomínios particulares Por Caius V. S. Malagoli* 46 Capítulo VI em loteamentos e condomínios particulares Por Caius V. S. Malagoli* Tendência irreversível no mercado da construção civil, as redes subterrâneas a cada dia ganham mais terreno em obras em

Leia mais

Ligações de Máquinas de Solda nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica

Ligações de Máquinas de Solda nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Ligações de Máquinas de olda nas Redes de Distribuição de Energia Elétrica Revisão 05 0/03 NORMA ND.50 ELEKTRO Eletricidade e erviços.a. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 MONTAGEM DE S PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, RURAL, COM CONDUTORES NUS - 13,8 E 34,5 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA INDICE 1- OBJETIVO...

Leia mais

TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS

TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS ANEXO II 1. REDE DE DISTRIBUIÇÃO URBANA (RDU) Os serviços de Melhoria e Ampliação de Rede de Distribuição Urbana executados conforme projeto executivo elaborado serão

Leia mais

FASCÍCULO CONDIÇÕES GERAIS EMPREENDIMENTOS PARTICULARES LIVRO DE INSTRUÇÕES GERAIS

FASCÍCULO CONDIÇÕES GERAIS EMPREENDIMENTOS PARTICULARES LIVRO DE INSTRUÇÕES GERAIS FASCÍCULO CONDIÇÕES GERAIS EMPREENDIMENTOS PARTICULARES LIVRO DE INSTRUÇÕES GERAIS 2-22 INDICE INTRODUÇÃO... 3 1. OBJETIVO... 4 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 4 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 4 4. TERMINOLOGIA

Leia mais

TABELA II - CLASSES DE TENSÃO, TENSÃO PRIMÁRIA E TENSÃO SECUNDÁRIA (OBS:

TABELA II - CLASSES DE TENSÃO, TENSÃO PRIMÁRIA E TENSÃO SECUNDÁRIA (OBS: Anexo II Lista de alterações TABELA II - CLASSES DE TENSÃO, TENSÃO PRIMÁRIA E TENSÃO SECUNDÁRIA (OBS: Deve indicar a tensão nominal dos equipamentos, não a tensão que está sendo operado ou tensão máxima)

Leia mais

DESAFIOS DE PLANEJAMENTO E PROJETO EM CENTROS URBANOS. Engº Rogério Macedo Moreira

DESAFIOS DE PLANEJAMENTO E PROJETO EM CENTROS URBANOS. Engº Rogério Macedo Moreira DESAFIOS DE PLANEJAMENTO E PROJETO EM CENTROS URBANOS Engº Rogério Macedo Moreira 570 Municípios 7,4 Milhões de Clientes Redes Subterrâneas: 195 km Primária 339 km Secundária 255 Condomínios 1) Introdução

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Simbologia para Projetos de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Urbanas e Rurais NTC-64

NORMA TÉCNICA CELG. Simbologia para Projetos de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Urbanas e Rurais NTC-64 NORMA TÉCNICA CELG Simbologia para Projetos de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Urbanas e Rurais NTC-64 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3. TIPOS

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-313.0015 COMPARTILHAMENTO DE

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice:

MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI. Índice: MEMORIAL TÉCNICO-DESCRITIVO Rede Aérea de Distribuição Urbana Loteamento COLIBRI Índice: 1 - Generalidades 2 - Rede aérea de Alta Tensão 3 - Rede Secundária 4 - Aterramentos 5 - Posto de Transformação

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ASPECTOS GERAIS... 2 3. EXCEÇÕES... 2 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

PADRÃO DE ESTRUTURA PE 031 R 03 REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DE ENERGIA ELÉTRICA URBANA E RURAL

PADRÃO DE ESTRUTURA PE 031 R 03 REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DE ENERGIA ELÉTRICA URBANA E RURAL PADRÃO DE ESTRUTURA PE 031 R 03 REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DE ENERGIA ELÉTRICA URBANA E RURAL DOCUMENTO NORMATIVO Código PADRÃO DE ESTRUTURA PE - 031 Página I REDE PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

Leia mais

006/2015 NORMA TÉCNICA NT-006/2015 R-04 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

006/2015 NORMA TÉCNICA NT-006/2015 R-04 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DA REDE 006/2015 NORMA TÉCNICA /2015 R- FOLHA DE CONTROLE FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO Esta Norma tem por objetivo estabelecer os procedimentos aplicáveis

Leia mais

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores

ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Norma Técnica Distribuição de Energia Elétrica ND-2.009 Ligação de Edifícios com Transformadores em Pedestal Autores: Plácido Antonio Brunheroto

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Edição Data Alterações em relação à edição anterior Projeto de Rede de Distribuição Aérea Compacta - 13,8kV Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Elaborar Projetos e Orçamentos / Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.03-00.05

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Condutores elétricos

Condutores elétricos Sair da Norma Voltar para o Índice Alfabético Geral Condutores elétricos NOV 1986 NBR 5471 ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-02 CAPÍTULO TÍTULO PÁGINA 1. GERAL ÍNDICE INTRODUÇÃO... 1 1 1 Objetivo... 1 2 2 Terminologia... 1 2 2. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

Alterações MCPSE versão 9 (com as novas taxas de depreciação )

Alterações MCPSE versão 9 (com as novas taxas de depreciação ) Cadastro de Equipamentos Alterações MCPSE versão 9 (com as novas taxas de depreciação ) P1 Qual o procedimento a ser adotado quando não se encontrar um determinado valor de atributo nas tabelas do MCPSE?

Leia mais

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional PRODIST Módulo 7 Cálculo de Perdas na Distribuição Revisão 0 1 2 3 Motivo da Revisão

Leia mais

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO 1 - APRESENTAÇÃO: O presente memorial visa descrever as diretrizes básicas que devem ser observadas na reformulação da iluminação pública do Parque Marinha do Brasil. 2

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-313.0021 CRITÉRIOS PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS:

Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS: Á RIO GRANDE ENERGIA S/A DIVISÃO DE SERVIÇOS DA DISTRIBUIÇÃO REGIONAL CENTRO PASSO FUNDO - RS DADOS BÁSICOS: Projeto nº. 59 / 2013 Nome: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande

Leia mais

Proteção de Redes Aéreas de Distribuição

Proteção de Redes Aéreas de Distribuição Proteção de Redes Aéreas de Distribuição Revisão 02 07/2014 NORMA ND.78 ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento e Operação Rua Ary Antenor

Leia mais

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição

NOTA TÉCNICA 6.005. Página 1 de 20. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Planejamento do Sistema. Gerência da Distribuição Página 1 de 0 NOTA TÉCNICA 6.005 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INTERLIGAÇÃO DE GERADOR PARTICULAR DE CONSUMIDOR PRIMÁRIO COM A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DA AES ELETROPAULO UTILIZANDO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

Leia mais

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT

Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT Aplicação de Condutores de Alumínio em Medição de Consumidor em BT 1 Escopo Esta ITA Ampla, tem por objetivo estabelecer os procedimentos a serem adotados para aplicação de condutores de alumínio em substituição

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PLANO DIRETOR DE MÉDIA TENSÃO RECREIO DOS BANDEIRANTES

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PLANO DIRETOR DE MÉDIA TENSÃO RECREIO DOS BANDEIRANTES XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PLANO DIRETOR DE MÉDIA TENSÃO RECREIO DOS BANDEIRANTES RODRIGO DE MORAES PEREIRA DA ROSA PAULO ROBERTO SANTIAGO BASTOS FERNANDO FERRO MACEDO LIGHT

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 31/07/2007 Adequação ao novo modelo, revisão e inclusão de diversos itens.

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. 4ª 31/07/2007 Adequação ao novo modelo, revisão e inclusão de diversos itens. Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição Processo Atendimento aos Clientes Atividade Código Edição Data SM01.00-00.004 11ª Folha 1 DE 117 25/08/2014 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE 750kVA DESTINADA AO PRÉDIO DA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DE PERNAMBUCO, SITUADO NO MUNICÍPIO DE RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO. MEMORIAL DESCRITIVO 1. FINALIDADE:

Leia mais

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV ÍNDICE APRESENTAÇÃO....2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE... 3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-CONDUTORES...4 6-PROCEDIMENTOS...5 6.1- Afastamentos padronizados...5 6.2-Engastamento

Leia mais

ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais

ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais Norma Técnica Distribuição de Energia Elétrica ND-2.008 Redes de Distribuição Subterrânea - 13,2 kv Loteamentos Residenciais

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 001 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTA PROTEGIDA CLASSE 15 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2. CAMPO DE APLICAÇÃO...03

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.01.01 CRITÉRIOS DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS. Sumário

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.01.01 CRITÉRIOS DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS. Sumário 1. Objetivo... 6 2. Aplicação... 6 3. Documentos de referência... 6 4. Obtenção de dados preliminares... 6 4.1. Características do projeto... 6 4.1.1. Localização... 6 4.1.2. Tensão de operação... 6 4.1.3.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

LIGAÇÃO NOVA E AUMENTO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM ENTRADAS COLETIVAS EXISTENTES (PADRÃO ANTIGO)

LIGAÇÃO NOVA E AUMENTO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM ENTRADAS COLETIVAS EXISTENTES (PADRÃO ANTIGO) LIGAÇÃO NOVA E AUMENTO DE CARGA PARA UNIDADES CONSUMIDORAS COMPREENDIDAS EM ENTRADAS COLETIVAS EXISTENTES (PADRÃO ANTIGO) Condições de atendimento Diretoria de Distribuição Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV SUL / SUDESTE AFASTADOR, ARMACAO SECUNDARIA, ACO CARBONO 1010-1020, ZINCADO A QUENTE, DIMENSOES: 1000 X700 10002599 MM, 4 FUROS, NORMAS

Leia mais

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO

NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Companhia Paranaense de Energia COPEL NORMAS TÉCNICAS COPEL NTC 901100 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Órgão Emissor: Coordenação de Comercialização de Energia - CCD Coordenadoria de

Leia mais

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT.

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. DIRETORIA TÉCNICA DEPARTAMENTO COMERCIAL DIVISÃO DE MEDIÇÃO ADENDO 02 Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. Florianópolis, agosto de 2005.

Leia mais

006/2013 NORMA TÉCNICA NT-006/2013 R-03 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

006/2013 NORMA TÉCNICA NT-006/2013 R-03 COMPARTILHAMENTO DE INFRAESTRUTURA DE LINHA DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA 006/2013 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DA REDE 006/2013 NORMA TÉCNICA /2013 R- FOLHA DE CONTROLE I NOV/2012 APRESENTAÇÃO Esta Norma tem por objetivo estabelecer os procedimentos aplicáveis

Leia mais

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Normas CEMIG ND2.1 - Instalações Básicas de Redes de Distribuição Áreas Urbanas ND3.1 - Projetos de Redes de Distribuição Aéreas Urbanas RDU Rede de Distribuição

Leia mais

1. FINALIDADE... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 4 4. DEFINIÇÕES... 5 5. REFERÊNCIAS... 9 6. CRITÉRIOS GERAIS...

1. FINALIDADE... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 4 4. DEFINIÇÕES... 5 5. REFERÊNCIAS... 9 6. CRITÉRIOS GERAIS... 29/04/2014 1 de 1 SUMÁRIO 1. FINALIDADE... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 4 4. DEFINIÇÕES... 5 5. REFERÊNCIAS... 9 6. CRITÉRIOS GERAIS... 11 6.1 Generalidades... 11 6.2 Topologia

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 4 Previsão de cargas e divisão das instalações elétricas.

Disciplina: Eletrificação Rural. Unidade 4 Previsão de cargas e divisão das instalações elétricas. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 4 Previsão de cargas e divisão das instalações elétricas. Prof.

Leia mais

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3

NORMA TÉCNICA SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 30 / 08 / 2012 1 de 19 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 3 4.1 Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT... 3 4.2 Agência Nacional de Energia

Leia mais

Canoas, 20 de julho de 2010.

Canoas, 20 de julho de 2010. PROJETO DE SUBESTAÇÃO TRANSFORMADORA ABRIGADA DE 112,5 KVA COM RAMAL DE ENTRADA SUBTERRÂNEO E MEDIÇÃO INDIRETA EM FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA. LOTEAMENTO CAPRI RUA DR.

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ENCARGOS DE SERVIÇOS CONTRATADOS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO E TABELA DE MÃO DE OBRA

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ENCARGOS DE SERVIÇOS CONTRATADOS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO E TABELA DE MÃO DE OBRA PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ENCARGOS DE SERVIÇOS CONTRATADOS EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO E TABELA DE MÃO DE OBRA Código NTD-00.073 Data da emissão 31.12.2003 Data da última revisão 30.11.2010 Folha

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD - 011

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD - 011 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD - 011 FORNECIMENTO EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO Departamento Responsável Superintendência de Engenharia Primeira Edição - Dezembro de 06 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...6

Leia mais

Instalações Elétricas

Instalações Elétricas Instalações Elétricas Eletricidade Instalações Elétricas Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 2 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Concessionária

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 1 1.1 ITEM DISCRIMINAÇÃO UNID QUANT P.UNIT.S/ BDI P.UNIT.C/ BDI ITEM S/ BDI ITEM C/BDI 1.1.1 Limpeza do terreno m2 24,99 1,84 2,37 45,98 59,23 1.1.2 Locação da obra m2 24,99 4,56 5,87 113,95 146,69 1.2

Leia mais

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo - Figuras, separações e afastamentos entre equipamentos e edificações. 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5 Procedimentos

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-20 MONTAGEM DE REDES PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, URBANA COM CABOS COBERTOS EM ESPAÇADORES CLASSE 15 kv página APRESENTAÇÃO 1. OBJETIVO...03 2.

Leia mais

NORMA TÉCNICA NT-002/2010 R-02

NORMA TÉCNICA NT-002/2010 R-02 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT NORMA TÉCNICA NT-0/2010 R- FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM FOLHA DE CONTROLE NT-0 I APRESENTAÇÃO Esta Norma é aplicável às instalações novas,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV ELABORADO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas.

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas. fls. 1/6 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Linhas Físicas de Telecomunicações, com Cabos Metálicos e com Fibras Ópticas. PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ELÉTRICOS

ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ELÉTRICOS De acordo com o item 7 do RIC de BT Fecoergs deverá ser apresentado projeto a Creluz nas seguintes situações: a) unidade consumidora com carga instalada superior a 75 kw; b) prédio de múltiplas unidades

Leia mais

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO. Fornecimento de Energia Elétrica Nos banheiros deverão ser instalados um disjuntor bifásico no quadro de energia existente de cada quadrante conforme projeto. Deste quadro sairá a alimentação para os banheiros.

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO CT-39 REQUISITOS PARA O ATENDIMENTO E INCORPORAÇÃO DE REDES EM LOTEAMENTOS/EMPREENDIMENTOS PARTICULARES.

COMUNICADO TÉCNICO CT-39 REQUISITOS PARA O ATENDIMENTO E INCORPORAÇÃO DE REDES EM LOTEAMENTOS/EMPREENDIMENTOS PARTICULARES. Página 1 de 47 COMUNICADO TÉCNICO CT-39 REQUISITOS PARA O ATENDIMENTO E INCORPORAÇÃO DE REDES EM LOTEAMENTOS/EMPREENDIMENTOS PARTICULARES. Diretoria de Engenharia Diretoria Comercial Gerência de Serviços

Leia mais

Padronização de Estruturas e Critérios para Utilização de Postes de Concreto Duplo T em Redes Urbanas. Norma. Revisão 04 03/2014 NORMA ND.

Padronização de Estruturas e Critérios para Utilização de Postes de Concreto Duplo T em Redes Urbanas. Norma. Revisão 04 03/2014 NORMA ND. Padronização de Estruturas e Critérios para Utilização de Postes de Concreto Duplo T em Redes Urbanas Norma 03/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Rua Ary Antenor de

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição. NTC-05 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG D. Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição. NTC-05 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG D Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição NTC-05 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. CAMPO DE APLICAÇÃO 3 4. TERMINOLOGIA

Leia mais

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS ÍNDICE 1. OBJETIVOS... 1 2. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 1 3. EMPREENDIMENTOS DE INTERESSE... 2 4.

Leia mais

GABARITO - DEF30. Questão 1

GABARITO - DEF30. Questão 1 GABARITO - DEF30 Questão 1 a) Ensaio em aberto: Um dos lados do transformador é deixado em aberto, normalmente o lado de alta tensão. Instrumentos de medição são conectados para medir a corrente I 1, V

Leia mais

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS 1- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Convencional Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 13 2- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Compacta Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-1/MN-3 29/5/212 RES nº 85/212, 29/5/212 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Título: Atestado de Homologação de fornecedores de materiais

Título: Atestado de Homologação de fornecedores de materiais 1 de 1 Atestamos, para devidos fins, que a empresa ELETROCAL IND.COM.MATERIAIS ELET LTDA, registrada no CNPJ/MF sob nº 83.060.012/0001-39, com sede à AV. ENG. LOURENÇO FAORO, nº 4567, CAÇADOR SC, CEP 89500-000,

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A descrição das atividades tem como propósito facilitar o relacionamento entre a CONTRATANTE e a CONTRATADA, na medida em que visa

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CABOS COBERTOS FIXADOS EM ESPAÇADORES APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Amarrações SEÇÃO 6 Cruzamentos SEÇÃO 7 Conexões e Emendas SEÇÃO

Leia mais

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08 MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO: O presente memorial tem por objetivo possibilitar uma visão global do projeto elétrico e da implantação da rede de distribuição em Baixa Tensão e iluminação pública do

Leia mais

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais