Coleção Comissão Interestadual da Bacia do Paraná-Uruguai (CIBPU) * Nota elaborada por Carlos Barros Gonçalves em abril de 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Coleção Comissão Interestadual da Bacia do Paraná-Uruguai (CIBPU) * Nota elaborada por Carlos Barros Gonçalves em abril de 2011"

Transcrição

1 Coleção Comissão Interestadual da Bacia do Paraná-Uruguai (CIBPU) * Nota elaborada por Carlos Barros Gonçalves em abril de 2011 Trata-se de documentos, relatórios, mapas, estudos técnicos e publicações diversas referentes à atuação da Comissão Interestadual da Bacia do Paraná-Uruguai e compreende os anos de 1954 a Este conjunto documental foi doado ao Centro de Documentação Regional pela Professora Cleonice Gardin (UFGD) que, por meio destas fontes escreveu a tese GARDIN, Cleonice. Histórico e avaliação do papel da Comissão Interestadual da Bacia Paraná-Uruguai no desenvolvimento regional ( ): São Paulo e Mato Grosso f. + anexos. Tese (Doutorado em Geografia) FFLCH/USP, São Paulo. O material foi separado em 2 caixas, contendo envelopes, pastas e encadernações, conforme sua organização original. CX 1 ENCADERNAÇÕES Anais da X Conferência dos Governadores. CIBPU, 1968 CIBPU Relatório Plano de industrialização regional: alguns aspectos da economia do Estado de MT e seleção de pólos de desenvolvimento. Elaborado por Nelson Mortada, 1964 Estrutura geo-econômica de MT. Elaborado por Estácio Correa da Trindade. CIBPU, 1962 A região de Ilha Solteira e suas possibilidades de desenvolvimento econômico: caracterização da agricultura. CESP, 1970 A regionalização do Estado de São Paulo. CIBPU, 1968 Recursos minerais da Bacia Paraná-Uruguai. CIBPU, 1956 Projeto de um distrito industrial-presidente Prudente. CIBPU, 1968 Análise preliminar do desenvolvimento econômico da Bacia Paraná-Uruguai. CIBPU, 1956 CIBPU Relatório Problemas de desenvolvimento-necessidades e possibilidades do Estado de São Paulo. Estudo elaborado pela SAGMACS. I volume, 1954 Meios internacionais de financiamento a projetos de desenvolvimento da economia paulista. Por Jorge do Amaral Silva. CIBPU, 1964 Possibilidades industriais na Bacia Paraná-Uruguai. CIBPU, 1956 Análise da situação educacional ensino fundamental e médio no Estado de São Paulo. Por Celso Lamparelli e Luiz Rivera. CIBPU, 1964

2 CX 2 ENVELOPE 1 Texto: Análise econômica do sistema educacional da região Centro Sul. Pesquisa desenvolvida por Antonio Carlos Campino e Egas Moniz Nunes, 1971 Texto: CIBPU. Energia elétrica: produção e demanda (São Paulo), 1968 Texto: Cooperativismo e desenvolvimento das zonas rurais do estado de São Paulo. Elaborado por Diva Benevides Pinho. CIBPU, 1974 Texto: Meios internacionais de financiamento a projetos de desenvolvimento da economia paulista. Por Jorge do Amaral Cintra. CIBPU, 1964 Texto: Equipamentos urbanos de água e esgoto no estado de São Paulo. CIBPU, 1964 Texto: Análise da situação educacional ensino fundamental e médio no estado de São Paulo. Por Celso Lamparelli e Luiz Rivera. CIBPU, 1964 Texto: Saúde e saneamento. Por Paulo de Carvalho e Castro. CIBPU, 1964 Texto: O ensino técnico em São Paulo. Por Modesto Scagliusi. CIBPU, 1964 Texto: Problemas básicos da agricultura paulista. Por Luiz Mendonça de Freitas. CIBPU, 1964 Texto: O problema industrial paulista. Por Walter Paul Krause. CIBPU, 1964 Texto: Problemas de desenvolvimento, necessidades e possibilidades dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Estudo elaborado pela SAGMACS. Atlas Texto: Condições geográficas e aspectos geoeconômicos da Bacia Paraná-Uruguai. Estudo elaborado pela AGB, 1955 Texto: Os pólos de desenvolvimento industrial da CIBPU e o planejamento regional. Trabalho apresentado ao I Seminário Nacional sobre pólos de desenvolvimento, sob o patrocínio da SUDENE-EPEA CNG, 1966 ENVELOPE 2 Texto: IX Conferência dos Governadores. Comissão técnica de energia elétrica. CIBPU, 1963 Texto: IX Conferência dos Governadores. Comissão técnica de industrialização regional. CIBPU, 1963 Texto: Poluição e psicultura. Faculdade de Saúde Pública USP; CIBPU, 1990 Texto: Recursos humanos e estrutura do comércio exterior. Por Carlos Antonio Rocca e José Roberto Mendonça de Barros Texto: Normas gerais de construção e urbanismo para cidades do interior. CIBPU, 1955 Texto: Os investimentos estrangeiros e a Bacia Paraná-Uruguai. Relatório apresentado pelo Dr. Adail Morais ao Conselho Deliberativo da CIBPU sobre a viagem que realizou em 1957 aos EUA e a Europa Texto: Mercado da COSIMA: estudo preliminar. CIBPU, 1964 Texto: Plano de industrialização regional: alguns aspectos da economia do Estado de Santa Catarina e seleção dos pólos de desenvolvimento. Por Raul Czarny. CIBPU, 1964 Texto: Plano de industrialização regional: alguns aspectos da economia do estado do Rio Grande do Sul e escolha dos pólos de desenvolvimento industrial. Por Akihiro Ikeda. CIBPU, 1964 Texto: Plano de industrialização regional: alguns aspectos da economia do estado de Minas Gerais e seleção dos pólos de desenvolvimento. Por Hilton Liviero Pezzoni. CIBPU, 1964

3 Texto: Plano de industrialização regional: alguns aspectos da economia do estado do Paraná e seleção dos pólos de desenvolvimento. Por Paulo Yokota. CIBPU, 1964 ENVELOPE 3 Texto: Pré-projeto para instalação de uma usina de beneficiamento de leite. CIBPU, s.d. Texto: Análise econômica do sistema educacional de São Paulo. CIBPU, 1970 Texto: Proteína concentrada de peixe (F.P.C.). Trabalho elaborado por João Berger. CIBPU, 1968 Texto: Pré-projeto para instalação de indústria de óleos vegetais. CIBPU, 1981 Texto: Industrialização do Babaçu. CIBPU; CTPTA, s.d. Texto: Aspectos do abastecimento na cidade de São Paulo. CIBPU, 1967 Texto: Diagnóstico geral da Bacia Paraná-Uruguai. Tese apresentado ao Congresso de Araná, 1965 Texto: Solos da Bacia Paraná-Uruguai. CIBPU, 1961 Texto: Notas preliminares sobre as águas do sub-solo da Bacia Paraná-Uruguai. Por Reinhard Maack, 1970 Texto: Preservação e industrialização do pescado. Trabalho elaborado por João Berger. CIBPU, 1967 Texto: Geologia e engenharia de barragens. Traduação de Ernesto Pichler. CIBPU, 1956 Recursos florestais da Bacia Paraná-Uruguai. Por Eudoro H. Lins de Barros. CIBPU, 1956 Texto: Companhia Siderúrgica Matogrossense-COSIMA. CIBPU, s.d. Texto: Plano Hidroviário do Estado. Departamento de Portos, Rios e Canais RS, 1961 Palestra do engenheiro Affonso Henrique Furtado Portugal, proferida na reunião do Conselho Deliberativo da CIBPU em 25/6/65 Texto: Plano de regionalização regional: alguns aspetos da economia do Estado de Goiás e seleção dos pólos de desenvolvimento. CIBPU, 1964 ENVELOPE 4 Texto: Plano regional econômico da Bacia Paraná-Uruguai. Elaborado por Carlos Astrogildo Corrêa. CIBPU, 1954 Texto: Interligação das Bacias Prata-Amazonas: Madeira, Guaporé, Alegre, Aguapei, Paraguai. CIBPU, 1966 Relatório geral sobre a hidrologia da Bacia do Paraná a montante de Guairá. CIBPU, 1966 Texto: Antecedentes sobre El desarrollo de la Cuenca del Plata. Union Panamericana, 1967 Texto: Programas de assistência técnica das Nações Unidas, 1962 Texto: Aproveitamento hidroelétrico do Rio Paraná. Saltos de Urubupungá-Itapura barragem de Jupiá. CIBPU, 1960 Texto: Petrobrás rumo ao Centro Oeste, 1972

4 ENVELOPE 5 Texto: Aproveitamento integral do médio e alto Paraná Usina Hidroelétrica Umuarama (Brasil-Paraguai). CIBPU, 1967 Texto: IX Conferência dos Governadores. Comissão técnica de navegação fluvial. CIBPU, 1963 Texto: Considerações sobre a ligação fluvial das Bacias dos rios Paraguai e Amazonas. Por Carlos Eduardo de Almeida, 1965 Ligação Ibicuí-Jacuí. Relatório Final referente ao protocolo firmado em 4/10/76 entre o estado do Rio Grande do Sul, Portobras, Geipot e Sudesul Texto: Plano geral de trabalho organizado de acordo com o que estabelece o contrato firmado entre o Departamento Estadual de Portos, Rios e Canais e a Comissão Interestadual da Bacia Paraná-Uruguai, 1956 Cópia do contrato firmado entre o Departamento Estadual de Portos, Rios e Canais e a CIBPU, para estudos da ligação das Bacias dos Rios Ibicuí-Jacuí, 1956 Texto: Concorrência pública para a realização de levantamentos topo-hidrográficos para o estudo da ligação das Bacias dos Rios Vacaí e Ibicuí, 1956 Texto: serviços executados afins com a ligação Jacuí-Ibicuí Texto: Dados obtidos nos arquivos do Estado (RS?) sobre a ligação das Bacias do Uruguai e Jacuí. Cópia dos dossiês da DEPRC PASTA 1 Plano de navegação fluvial proposto pela CIBPU transparência Relatório do exercício de CIBPU, 1955 Relatório do exercício de CIBPU, 1961 Relatório do exercício de CIBPU, 1965 Relatório do exercício de CIBPU, 1966 Relatório do exercício de CIBPU, 1967 Aproveitamento integral do Rio Paraná Usina Hidroelétrica Paranayára, Relatório. CIBPU, 1963 Texto: Nova política da CIBPU para o desenvolvimento do Oeste-Centro-Sul do país. Brasil-Oeste, n. 87, novembro 1963 Nota: Em outubro a Conferência dos Governadores da Bacia Paraná-Uruguai. Brasil- Oeste, n. 40, setembro 1959 Recortes diversos de jornais (cópias) Balancetes financeiro e patrimonial da CIBPU, 1954 ENCADERNAÇÕES Conferência dos Governadores para estudo dos problemas da Bacia do Rio Paraná. CIBPU, 1951 CIBPU Relatório Desenvolvimento de São Paulo: imigração estrangeira e nacional-índices demográficos, demógrafo sanitários e educacionais. Por Oracy Nogueira. CIBPU, 1964

5 Notas preliminares sobre as águas do sub-solo da Bacia Paraná-Uruguai. Por Reinhard Maack. CIBPU, 1970 CIBPU o que é? O que faz? Como funciona?. s.d. Relatório geral. Comissão mista Brasil-Estados Unidos para desenvolvimento econômico. Tomo II, 1954 Coleção CIBPU na biblioteca da Fundap, 1993 MAPAS Alto Paraná carta índice Rio Paraná montante de Guairá Aproveitamento hidroelétrico dos Saltos de Urubupungá e Itapura Canalização dos Rios Paranapanema e Tibagi localização das barragens Localização das barragens de Jupiá e Ilha Solteira Rio Ivinhema-Brilhante Levantamento topo-hidrográfico dos Rios Paranapanema-Tibagi-Ivinhema-Brilhante Plano de navegação fluvial da CIBPU, 1956 Aproveitamento integral do Alto Paraná

1) INSTRUÇÃO: Para responder à questão, considere as afirmativas a seguir, sobre a Região Nordeste do Brasil.

1) INSTRUÇÃO: Para responder à questão, considere as afirmativas a seguir, sobre a Região Nordeste do Brasil. Marque com um a resposta correta. 1) INSTRUÇÃO: Para responder à questão, considere as afirmativas a seguir, sobre a Região Nordeste do Brasil. I. A região Nordeste é a maior região do país, concentrando

Leia mais

Bacias hidrográficas brasileiras

Bacias hidrográficas brasileiras Bacias hidrográficas brasileiras O Brasil possui o maior volume de água potável em estado liquido do globo. Isso se deve as suas extensas e caudalosas bacias hidrográficas. Por sua vez essas bacias devem

Leia mais

Atividade de Aprendizagem 1 Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Tema Conteúdos Usos / objetivos Voltadas para procedimentos e atitudes Competências

Atividade de Aprendizagem 1 Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Tema Conteúdos Usos / objetivos Voltadas para procedimentos e atitudes Competências Aquífero Guarani Eixo(s) temático(s) Vida e ambiente / Terra e universo Tema Água e vida / ciclo hidrológico do planeta Conteúdos Águas subterrâneas Usos / objetivos Aprofundamento do estudo sobre as águas

Leia mais

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Recursos Hídricos GEOGRAFIA DAVI PAULINO Bacia Hidrográfica Área drenada por um conjunto de rios que, juntos, formam uma rede hidrográfica, que se forma de acordo com elementos fundamentais como o clima

Leia mais

Hidrografia no Brasil. Luciano Teixeira

Hidrografia no Brasil. Luciano Teixeira Hidrografia no Brasil Luciano Teixeira Hidrografia Brasil Características da Hidrografia Brasileira Pobre em lagos Drenagem Exorréica Predomínio de foz em estuário Predomínio de rios de planaltos Bacias

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Geografia 7 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Complete o quadro com as características dos tipos de clima da região Nordeste. Tipo de clima Área de ocorrência Características

Leia mais

Bacia Hidrográfica ou Bacia de drenagem de um curso de água é o conjunto de terras que fazem a drenagem da água das precipitações para esse curso de

Bacia Hidrográfica ou Bacia de drenagem de um curso de água é o conjunto de terras que fazem a drenagem da água das precipitações para esse curso de Hidrografia Bacia Hidrográfica ou Bacia de drenagem de um curso de água é o conjunto de terras que fazem a drenagem da água das precipitações para esse curso de água. É uma área e, como tal, mede-se em

Leia mais

Águas Continentais do Brasil. Capítulo 11

Águas Continentais do Brasil. Capítulo 11 Águas Continentais do Brasil Capítulo 11 As reservas brasileiras de água doce O Brasil é um país privilegiado pois detém cerca de 12% da água doce disponível no planeta; Há diversos problemas que preocupam:

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7 A - aula 21 FRNTE 8 A - aula 22. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7 A - aula 21 FRNTE 8 A - aula 22. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7 A - aula 21 FRNTE 8 A - aula 22 Profº André Tomasini Clima Fatores de influência do Clima Latitude; Altitude; Continentalidade / Maritimidade; Correntes Marinhas; Massas de

Leia mais

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado GEOGRAFIA 01 Sobre as rochas que compõem

Leia mais

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R:

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R: Data: / /2014 Bimestre: 3 Nome: 6 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 6 1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão

Leia mais

Hidrografia Brasileira

Hidrografia Brasileira HIDROGRAFIA BRASILEIRA 1 O QUE É HIDROGRAFIA? A hidrografia é o ramo da geografia física que estuda as águas do planeta, abrangendo, rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do subsolo e da atmosfera.

Leia mais

O Q UE U É HIDRO R GRA R FIA? A

O Q UE U É HIDRO R GRA R FIA? A HIDROGRAFIA BRASILEIRA O QUE É HIDROGRAFIA? A hidrografia é o ramo da geografia física que estuda as águas do planeta, abrangendo, rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do subsolo e da atmosfera.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GESTÃO PARA REMEDIAÇÃO E PROTEÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DA SUB-BACIA ATIBAIA COM ENFASE NO RESERVATÓRIO DE SALTO GRANDE AMERICANA SP TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

BRASIL REGIONALIZAÇÕES. Mapa II

BRASIL REGIONALIZAÇÕES. Mapa II BRASIL REGIONALIZAÇÕES QUESTÃO 01 - Baseado na regionalização brasileira, apresentados pelos dois mapas a seguir, é INCORRETO afirmar que: Mapa I Mapa II A B D C a. ( ) O mapa II apresenta a divisão do

Leia mais

Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas: Água no cotidiano - Módulo 1. A oferta de água - Módulo 2

Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas: Água no cotidiano - Módulo 1. A oferta de água - Módulo 2 professor Este caderno contém exercícios de fixação e passatempos sobre os temas:. Mapa conceitual sobre Água: Água no cotidiano - Módulo que são em três estados físicos A oferta de água - Módulo 2 é encontrada

Leia mais

ANÁLISE ENERGÉTICA DO RIO TIETÊ A ENERGIA E SUAS POSSIBILIDADES

ANÁLISE ENERGÉTICA DO RIO TIETÊ A ENERGIA E SUAS POSSIBILIDADES ANÁLISE ENERGÉTICA DO RIO TIETÊ A ENERGIA E SUAS POSSIBILIDADES Matheus Henrique Soares Zanqueta¹; Antonio Carlos Caetano de Souza² UFGD-FAEN, C. Postal 533, 79804-970 Dourados-MS, E-mail: matheuszanqueta@outlook.com

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO DE GEOGRAFIA SÉRIE: 7º ANO PROFESSOR: MAGDA e ROSI

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA,

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS E DEBATES

CICLO DE PALESTRAS E DEBATES CICLO DE PALESTRAS E DEBATES PLC PROGRAMA Nº 30/11 NOVO PRODUTOR CÓDIGO FLORESTAL DE ÁGUA Ã NO GUARIROBA Á COMISSÃO DE AGRICULTURA E REFORMA AGRÁRIA DO SENADO FEDERAL Devanir Garcia dos Santos Gerente

Leia mais

Hidrografia. Bacias hidrográficas no mundo. Relevo oceânico

Hidrografia. Bacias hidrográficas no mundo. Relevo oceânico Hidrografia Relevo oceânico Bacias hidrográficas no mundo BACIA HIDROGRÁFICA: Corresponde à área de captação de água superficial e subsuperficial para um canal principal e seus afluentes; portanto, é uma

Leia mais

Domínios Morfoclimáticos

Domínios Morfoclimáticos Domínios Morfoclimáticos Os domínios morfoclimáticos representam a interação e a integração do clima, relevo e vegetação que resultam na formação de uma paisagem passível de ser individualizada. Domínios

Leia mais

HIDROGRAFIA DO BRASIL

HIDROGRAFIA DO BRASIL Hidrografia características gerais HIDROGRAFIA DO BRASIL Bacias hidrográficas Reflete as condições de umidade do clima do país Rica em rios,, mas pobre em lagos Predominância de rios de planalto,, favoráveis

Leia mais

tegradas) e o curso de Engenharia Elétrica ofertado pela UNESP (Universidade

tegradas) e o curso de Engenharia Elétrica ofertado pela UNESP (Universidade Apresentação Página 02 Divulgação das Engenharias nas Escolas de Ensino Médio da Rede Estadual e Privada de Ensino na Região da Alta Paulista As Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) em parceria com

Leia mais

HIDROGRAFIA DO PARANÁ

HIDROGRAFIA DO PARANÁ HIDROGRAFIA DO PARANÁ CONCEITOS Rios: cursos de águas naturais, mais ou menos caudalosos que deságuam em outro rio, no oceano ou num lago. Denominações para os rios: regatos, córregos, ribeirões e rios.

Leia mais

PROJETO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SISTEMA AQUÍFERO GUARANI

PROJETO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SISTEMA AQUÍFERO GUARANI PROJETO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SISTEMA AQUÍFERO GUARANI secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos superintendência de Recursos Hídricos e Pesca Arranjo Institucional

Leia mais

Hidrografia - Brasil. Professora: Jordana Costa

Hidrografia - Brasil. Professora: Jordana Costa Hidrografia - Brasil Professora: Jordana Costa As reservas brasileiras de água doce O Brasil é um país privilegiado em relação a disponibilidade de água; Possui cerca de 12% de água doce do planeta em

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE ORGANIZAÇÃO NA DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DA CESP NO PERÍODO DE 1966 A 1980

PROCEDIMENTOS DE ORGANIZAÇÃO NA DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DA CESP NO PERÍODO DE 1966 A 1980 i PROCEDIMENTOS DE ORGANIZAÇÃO NA DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DA CESP NO PERÍODO DE 1966 A 1980 LUIZ, Natália Mazula 1 RESUMO O tema de interesse e que será desenvolvido está ligado a um projeto História

Leia mais

Testes de Geografia. a) Santo Ângelo (RS) b) Ouro Preto (MG) c) São Paulo (SP) d) Salvador (BA) e) n.d.a.

Testes de Geografia. a) Santo Ângelo (RS) b) Ouro Preto (MG) c) São Paulo (SP) d) Salvador (BA) e) n.d.a. Testes de Geografia 1) No período colonial, apesar do esforço de catequese, empreendido pelos padres jesuítas, dezenas de milhares de indígenas brasileiros foram aprisionados e, depois, escravizados pela

Leia mais

LISTA DE DUPLICATAS INSTITUCIONAL 1 / 2013

LISTA DE DUPLICATAS INSTITUCIONAL 1 / 2013 MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA BIBLIOTECA PROFº INOCÊNCIO MACHADO COELHO Tv. Antônio Baena, 3 Marco CEP 66.093-08 Belém - Pará - Brasil Tel. (9) 008-563

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL 04/05/2011 Senado Federal - Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo O BRASIL EM NÚMEROS BASE PARA O CRESCIMENTO Os investimentos nas áreas

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

A navegação oceânica transporta milhões de toneladas de minérios, grãos e produtos industrializados vendidos em todo o mundo.

A navegação oceânica transporta milhões de toneladas de minérios, grãos e produtos industrializados vendidos em todo o mundo. Imagem:www.digitalglobe.com A navegação oceânica transporta milhões de toneladas de minérios, grãos e produtos industrializados vendidos em todo o mundo. Para evitar perda de estabilidade durante a navegação

Leia mais

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal Brasil e suas Organizações políticas e administrativas GEOGRAFIA Em 1938 Getúlio Vargas almejando conhecer o território brasileiro e dados referentes a população deste país funda o IBGE ( Instituto Brasileiro

Leia mais

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva

IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM. Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva IMIGRANTES NO BRASIL: O CASO DA ENFERMAGEM Ana Luiza Stiebler Vieira Carmen Lúcia Lupi Monteiro Garcia Carmem de Almeida da Silva Objetivo: analisar os imigrantes da área de no Brasil Justificativa Referencial

Leia mais

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012

Tabela 4 - Participação das atividades econômicas no valor adicionado bruto a preços básicos, por Unidades da Federação - 2012 Contas Regionais do Brasil 2012 (continua) Brasil Agropecuária 5,3 Indústria 26,0 Indústria extrativa 4,3 Indústria de transformação 13,0 Construção civil 5,7 Produção e distribuição de eletricidade e

Leia mais

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 1

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 1 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado GEOGRAFIA 01 O episódio sobre a exploração

Leia mais

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 2

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 2 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado 2 GEOGRAFIA 01 No Paraná, a Mata de Araucária,

Leia mais

Amazônia Brasileira e Brasil em Crise

Amazônia Brasileira e Brasil em Crise Amazônia Brasileira e Brasil em Crise 1. (UERJ-2009) Folha de São Paulo, 01/06/2008. Adaptado de Zero Hora, 16/06/2008. Diferentes critérios e objetivos podem orientar a divisão do espaço geográfico em

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica LEI N o 5.899, DE 5 DE JULHO DE 1973. Dispõe sobre a aquisição dos serviços de eletricidade da ITAIPU e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

PRIMEIRO BIMESTRE. Compreenda o processo de formação, transformação e diferenciação das paisagens mundiais.

PRIMEIRO BIMESTRE. Compreenda o processo de formação, transformação e diferenciação das paisagens mundiais. COLÉGIO ESTADUAL NOVO HORIZONTE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PLANO DE TRABALHO DOCENTE (PTD) PROFESSORA: Cleunice Dias de Morais DISCIPLINA: Geografia ANO: 8º A PERÍODO: 2014 CONTEÚDOS ESTRUTURANTES Dimensão

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE ENCONTROS E CONFERÊNCIAS

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE ENCONTROS E CONFERÊNCIAS APRESENTAÇÃO DA SÉRIE ENCONTROS E CONFERÊNCIAS Esta série apresenta encontros, conferências e reuniões entre países da América Hispânica. Atualmente compõe-se de três dossiês: Cumbre de los Pueblos de

Leia mais

RECURSOS HÍDRICOS DA LAGOA DOS PATOS

RECURSOS HÍDRICOS DA LAGOA DOS PATOS - 1 - RMW\ET-12\c:\arquivos\10\X1061.DOC em 04/05/2014 12:06. RECURSOS HÍDRICOS DA LAGOA DOS PATOS Bacia de Contribuição da Lagoa dos Patos: Recursos Hídricos = Irrigação, Pesca, Abastecimento de Água,

Leia mais

Os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais

Os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais Os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais Dois trópicos e dois círculos Polares Tipos de Escalas Gráfica Numérica 1 : 100.000 Principais projeções cartográficas Cilíndrica Cônica Azimutal ou Plana

Leia mais

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato

A HIDROSFERA. Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA Colégio Senhora de Fátima. Disciplina: Geografia 6 ano Profª Jenifer Tortato A HIDROSFERA A água é o mais abundante solvente natural que atua no sentido de desagregar, ou seja, fragmentar

Leia mais

Usina de Balbina(grande degradação ambiental)

Usina de Balbina(grande degradação ambiental) Bacia Amazônica Localizada na região norte do Brasil, é a maior bacia hidrográfica do mundo, possuindo 7 milhões de quilômetros quadrados de extensão (4 milhões em território brasileiro). O rio principal

Leia mais

IV - Aeroportos, conforme definidos pelo inciso 1, artigo 48, do Decreto-Lei nº 32, de 18.11.66;

IV - Aeroportos, conforme definidos pelo inciso 1, artigo 48, do Decreto-Lei nº 32, de 18.11.66; Página 1 de 5 Resoluções RESOLUÇÃO CONAMA Nº 001, de 23 de janeiro de 1986 Publicado no D. O. U de 17 /2/86. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o artigo

Leia mais

Questão 25. Questão 26 Questão 27. alternativa D. alternativa A

Questão 25. Questão 26 Questão 27. alternativa D. alternativa A Questão 25 De modo geral, os espaços geográficos cujo clima é influenciado pela maritimidade apresentam a) menor amplitude térmica anual. b) chuvas escassas e mal distribuídas durante o ano. c) maior amplitude

Leia mais

R E L E V O RELEVO ASPECTOS FÍSICOS COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA 27/05/2014. 1 - montanhas 2 - planícies. 3 - planaltos. Setentrional Ocidental.

R E L E V O RELEVO ASPECTOS FÍSICOS COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA 27/05/2014. 1 - montanhas 2 - planícies. 3 - planaltos. Setentrional Ocidental. Alaska Havaí Canadá Estados Unidos Setentrional Ocidental COMO DIVIDE-SE A AMÉRICA ASPECTOS FÍSICOS 1 - montanhas 2 - planícies 3 - planaltos 1 2 3 R E L E V O RELEVO 1 1) Bacia do Ártico: sofre limitação

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Eventos sismológicos do planeta e as consequências na atualidade - terremotos, tsunamis e outros RELEVO.

1º ano. 1º Bimestre. Eventos sismológicos do planeta e as consequências na atualidade - terremotos, tsunamis e outros RELEVO. EVOLUÇÃO E CONCEITOS DA CIÊNCIA GEOGRÁFICA O Espaço geográfico - localização, tempo e representação Capítulo 1 - Item 1.2 Conceito e história de cartografia Capítulo 4 - Item 4.1 Representações cartográficas

Leia mais

Os impostos. na Bacia Loire-Bretagne. Os impostos Novembro 2008 1

Os impostos. na Bacia Loire-Bretagne. Os impostos Novembro 2008 1 Os impostos na Bacia Loire-Bretagne Os impostos Novembro 2008 1 Disposições regulamentares Lei sobre a água e os meios aquáticos (LEMA) de 30/12/2006 Decreto sobre as modalidades de cálculo dos impostos

Leia mais

INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL

INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL VI SEMINÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL I ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE SANEAMENTO RURAL INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL Ernani Ciríaco de Miranda Diretor SNSA/MCIDADES

Leia mais

Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre aftosa - PNEFA

Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre aftosa - PNEFA Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre aftosa - PNEFA Reunião da Câmara Setorial da Carne Bovina Brasília-DF, 06/08/2014 Secretaria de Defesa Agropecuária Departamento de Saúde Animal Estrutura

Leia mais

IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA

IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA

Leia mais

Prof: Marcio Santos Enem 2009

Prof: Marcio Santos Enem 2009 Prof: Marcio Santos Enem 2009 Mapa Mundi Ciências Humanas Aula III Brasil Características Políticas - Nome: República Federativa do Brasil - 5º país do mundo em população - 5º país do mundo em território

Leia mais

Mikaelly Nayara Santos (*), Alessandra Ribeiro de Moraes * Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), mikaellynayara@hotmail.

Mikaelly Nayara Santos (*), Alessandra Ribeiro de Moraes * Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), mikaellynayara@hotmail. ANÁLISE DOS TRABALHOS APRESENTADOS NAS EDIÇÕES DO CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL SOBRE OS TEMAS GESTÃO AMBIENTAL EM SANEAMENTO E RECURSOS HÍDRICOS. Mikaelly Nayara Santos (*), Alessandra Ribeiro

Leia mais

Prova bimestral 5 o ano 2 o Bimestre

Prova bimestral 5 o ano 2 o Bimestre Prova bimestral 5 o ano 2 o Bimestre geografia Escola: Nome: Data: / / Turma: Leia o trecho da letra da música abaixo e, em seguida, responda às questões. [...] Eu já cantei no Pará Toquei sanfona em Belém

Leia mais

PROF. RICARDO TEIXEIRA A DINÂMICA DA HIDROSFERA

PROF. RICARDO TEIXEIRA A DINÂMICA DA HIDROSFERA PROF. RICARDO TEIXEIRA A DINÂMICA DA HIDROSFERA A hidrosfera fonte para a vida A superfície do planeta Terra é constituída predominantemente de água. Os continentes e ilhas constituem cerca de 30% da superfície

Leia mais

4º ENCONTRO DE FISCALIZAÇÃO E SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE AGROTÓXICOS Regional Sul/ Sudeste/ Centro-Oeste. Carta de Goiânia

4º ENCONTRO DE FISCALIZAÇÃO E SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE AGROTÓXICOS Regional Sul/ Sudeste/ Centro-Oeste. Carta de Goiânia 4º ENCONTRO DE FISCALIZAÇÃO E SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE AGROTÓXICOS Regional Sul/ Sudeste/ Centro-Oeste Carta de Goiânia Aos 15 dias do mês de abril do ano de, nesta cidade de Goiânia, GO, representantes

Leia mais

A Construção de um Programa de Revitalização na Bacia do rio São Francisco

A Construção de um Programa de Revitalização na Bacia do rio São Francisco A Construção de um Programa de Revitalização na Bacia do rio São Francisco Antônio Thomaz Gonzaga da Matta Machado Projeto Manuelzão/UFMG Conceito de Revitalização Caráter técnico-científico Legislação

Leia mais

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015

Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 Simpósio Estadual Saneamento Básico e Resíduos Sólidos: Avanços Necessários MPRS 20.08.2015 O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo da população não possui coleta

Leia mais

Prorrogada a data limite de submissão de trabalhos até o dia 21 de outubro. Ficha de inscrição em anexo.

Prorrogada a data limite de submissão de trabalhos até o dia 21 de outubro. Ficha de inscrição em anexo. I - SIMPÓSIO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Tema: Energia e Meio Ambiente Data: 10 a 12 de novembro de 2008 Prorrogada a data limite de submissão de trabalhos

Leia mais

REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS.

REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS. REDES HIDROGRÁFICAS SÃO TODOS OS RECURSOS HIDROGRÁFICAS DE UM PAÍS, COMPOSTOS GERALMENTE PELOS RIOS, LAGOS E REPRESAS. BACIA HIDROGRÁFICA. É UMA REDE DE TERRAS DRENADAS POR UM RIO E SEUS PRINCIPAIS AFLUENTES.

Leia mais

8 de agosto (quarta-feira)

8 de agosto (quarta-feira) Manaus, 8-11 de agosto de 2012 8 de agosto (quarta-feira) 9h - 15h Entrega de credenciais 9h - 10h30 Reunião dos Coordenadores das Oficinas Temáticas e da Comissão da Carta de Manaus da Magistratura e

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Reportagem: CLÁUDIA RODRIGUES BARBOSA Newsletter CBDB - O que diferencia o Núcleo Regional de Minas Gerais

Leia mais

Sugestões de avaliação. Geografia 6 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. Geografia 6 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação Geografia 6 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Associe as formas de relevo às suas características. (A) Montanhas (B) Planaltos (C) Planícies (D) Depressões ( ) Superfícies

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição

Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários. 9ª edição Termômetro da Consultoria Organizacional e Pesquisa Rápida de Honorários 9ª edição Av Paulista, 6 Conj 77 Bela Vista CEP -9 São Paulo SP Fone/Fax: 89-5/6 897 ibco@ibcoorgbr - wwwibcoorgbr Agosto de 8 Índice

Leia mais

DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG

DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG BRENO FURTADO LIMA 1, EDUARDO OLIVEIRA JORGE 2, FÁBIO CHAVES CLEMENTE 3, GUSTAVO ANDRADE GODOY 4, RAFAEL VILELA PEREIRA 5, ALENCAR SANTOS 6 E RÚBIA GOMES

Leia mais

ÓTICA DAS AÇÕES DA SUFRAMA. Manaus, julho/2012

ÓTICA DAS AÇÕES DA SUFRAMA. Manaus, julho/2012 WORKSHOP BIOMASSA E AGROENERGIA NA ÓTICA DAS AÇÕES DA SUFRAMA Manaus, julho/2012 Tema: Ações Agropecuárias e Florestais do Modelo ZFM no contexto da Economia Verde e Sustentabilidade Palestrante: Paulo

Leia mais

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO JOÃO HERRMANN NETO (PDT/SP), NA SESSÃO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM.../.../... Senhor Presidente

DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO JOÃO HERRMANN NETO (PDT/SP), NA SESSÃO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM.../.../... Senhor Presidente DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO JOÃO HERRMANN NETO (PDT/SP), NA SESSÃO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM.../.../... Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados, As águas subterrâneas que formam os aqüíferos

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL - AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA. Objeto: Análise das Resoluções do Senado Federal autorizativas de endividamento externo.

RELATÓRIO PARCIAL - AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA. Objeto: Análise das Resoluções do Senado Federal autorizativas de endividamento externo. RELATÓRIO PARCIAL - AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA : Análise das Resoluções do Senado Federal autorizativas de endividamento externo. Data: 10/02/2003 Documentos analisados: Planilha de Resoluções do Senado

Leia mais

A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz

A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz A Hora Legal Brasileira e o sistema de fusos horários Sabina Alexandre Luz Estamos certamente acostumados a ouvir a indicação horário de Brasília quando a hora é anunciada na rádio. Esta indicação refere-se

Leia mais

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Pernambuco Na indústria, mais demanda por trabalho Texto publicado em 28 de Dezembro

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA I.Título do Projeto:

TERMO DE REFERÊNCIA I.Título do Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA I.Título do Projeto: INTERLIGAÇÃO DAS HIDROVIAS TIETÊ-PARANÁ E PARANÁ-PRATA COM A TRANSPOSIÇÃO DA REPRESA DE ITAIPU, MEDIANTE A CONSTRUÇÃO DE PORTOS INTERMODAIS E ESTRUTURAS COMPLEMENTARES

Leia mais

Hotel e Golf Clube dos 500 Guaratinguetá SP

Hotel e Golf Clube dos 500 Guaratinguetá SP Hotel e Golf Clube dos 500 Guaratinguetá SP APOIO e INCENTIVO APOIO INSTITUCIONAL APOIO DE MÍDIA ORGANIZAÇÃO GERAL E REALIZAÇÃO APRESENTAÇÃO Ao longo da década de 90, cresceu no País a idéia de que o Estado

Leia mais

COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA

COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA COMPLEXOS REGIONAIS A AMAZÔNIA Ocupa mais de 5 milhões de km ²; Abrange quase toda a região Norte, centro-norte do Mato Grosso e oeste do Maranhão; É marcada pela presença da Floresta Amazônica; A Floresta

Leia mais

Amazônia é essencial para o Brasil

Amazônia é essencial para o Brasil Page 1 of 6 Hidreletricidade: sustentabilidade e desenvolvimento Setor debate maneiras de conciliar construção de usinas hídricas com preservação do meio ambiente, diante da necessidade inevitável de exploração

Leia mais

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2012 DISCIPLINA : GEOGRAFIA - PROFESSOR: GERSON HUCHAK SÉRIE: 7ª

Leia mais

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO GESTÃO do MÍNÍSTRO CEISO AMORÍM NO itamaraty AqosTO 95A DEZEMBRO 94 / FUNDAÇÃO ALEXANDRE DE GUSMÃO Brasília 1995 Tricentenário do nascimento de Alexandre de

Leia mais

46ª 47ª 81ª 82ª 83ª 48ª 49ª

46ª 47ª 81ª 82ª 83ª 48ª 49ª Extraordinárias do Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA realizadas nos exercícios 2006 e 2007 2006 2007 46ª Reunião Extraordinária do CONAMA, 21 e 22/02/2006 85ª Reunião Ordinária do CONAMA, 25 e

Leia mais

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2012 DISCIPLINA: GEOGRAFIA - PROFESSOR: ADEMIR REMPEL SÉRIE: 8º

Leia mais

I Jornadas Iberoamericanas Sobre Cierre de Minas. Fechamento da Mina Serra do Navio

I Jornadas Iberoamericanas Sobre Cierre de Minas. Fechamento da Mina Serra do Navio I Jornadas Iberoamericanas Sobre Cierre de Minas Fechamento da Mina Serra do Navio Comentários & Destaques Eduardo Vale La Rábida, Huelva, España, Del 25 al 29 de septiembre de 2000 Universidad Internacional

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO NO INTERIOR PAULISTA PARALELO ENTRE PRESIDENTE EPITÁCIO E BIRIGUI

SANEAMENTO BÁSICO NO INTERIOR PAULISTA PARALELO ENTRE PRESIDENTE EPITÁCIO E BIRIGUI 427 SANEAMENTO BÁSICO NO INTERIOR PAULISTA PARALELO ENTRE PRESIDENTE EPITÁCIO E BIRIGUI Daiane dos Santos Esquevani¹, Camila Augusta Florindo¹, Mayara Pissutti Albano² Yeda Ruiz Maria² ¹ Discentes do curso

Leia mais

ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU

ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU 1. O médio rio Iguaçu abre as numerosas cataratas ao cair

Leia mais

Legislações Federal e Estadual de Mudança do Clima. Roberto de Aguiar Peixoto

Legislações Federal e Estadual de Mudança do Clima. Roberto de Aguiar Peixoto Legislações Federal e Estadual de Mudança do Clima Roberto de Aguiar Peixoto Sumário da Apresentação Contexto e Objetivos das Leis sobre Mudanças do Clima Breve Histórico: PNMC, PEMC Metas e Principais

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

PORTO FLUVIAL DE PORTO DE PORTO ALEGRE

PORTO FLUVIAL DE PORTO DE PORTO ALEGRE PORTO FLUVIAL DE PORTO DE PORTO ALEGRE Integrantes: Mauricio Beinlich Pedro Granzotto Características físicas: O Porto de Porto Alegre é o mais meridional do Brasil. Geograficamente, privilegiado em sua

Leia mais

ANEXO II. Ambientes organizacionais

ANEXO II. Ambientes organizacionais ANEXO II Ambientes organizacionais 1. Administrativo Gestão administrativa e acadêmica envolvendo planejamento, execução e avaliação de projetos e atividades nas áreas de auditoria interna, organização

Leia mais

UD II - EUROPA FÍSICA

UD II - EUROPA FÍSICA UD II - EUROPA FÍSICA 7. Hidrografia 8. Tipos de mares 9. Hidrovias Referências: Geografia em Mapas (pgs. 46 e 47). Geoatlas 9º ANO 2º BIMESTRE - TU 902 AULA 2 7. HIDROGRAFIA As regiões mais elevadas do

Leia mais

exercícios _ SANTA CATARINA

exercícios _ SANTA CATARINA exercícios _ SANTA CATARINA CONTEXTUALIZANDO SANTA CATARINA EM ATIVIDADES 1. Assinale as proposições que estiverem de acordo com a hidrografia de Santa Catarina e/ou com o mapa a seguir. HIDROGRAFIA DE

Leia mais

CORREÇÃO DAS ATIVIDADES DE SALA E TAREFAS.

CORREÇÃO DAS ATIVIDADES DE SALA E TAREFAS. Aula 19: Conhecendo a hidrosfera do Brasil I CORREÇÃO DAS ATIVIDADES DE SALA E TAREFAS. Correção atividade sala: PG 3: Canadá, Brasil, EUA, Canadá, R.U etc... Bolívia, República do Congo, Mongólia, etc...

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº. 04/2015 EDITAL DE REABERTURA

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº. 04/2015 EDITAL DE REABERTURA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº. 04/25 EDITAL DE REABERTURA A SEPLAG, considerando o número de inscrições e a necessidade de ampliar a concorrência, reabre as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado

Leia mais

cad_08.qxd:layout 1 5/13/11 10:01 AM Page 9 PESQUISA A SUDENE DE CELSO FURTADO, 1958-1964

cad_08.qxd:layout 1 5/13/11 10:01 AM Page 9 PESQUISA A SUDENE DE CELSO FURTADO, 1958-1964 cad_08.qxd:layout 1 5/13/11 10:01 AM Page 9 PESQUISA A SUDENE DE CELSO FURTADO, 1958-1964 cad_08.qxd:layout 1 5/13/11 10:01 AM Page 10 cad_08.qxd:layout 1 5/13/11 10:01 AM Page 11 11 RELATÓRIO FINAL *

Leia mais

Otimização dos impactos econômicos regionais

Otimização dos impactos econômicos regionais Otimização dos impactos econômicos regionais Financiado pelo CNPq Faculdade de Tecnologia da Universidade de Brasília Laboratório de Infraestruturas INFRALAB Contexto Desbalanço da Matriz de Transportes

Leia mais

IT 179 Saneamento Básico

IT 179 Saneamento Básico 2. AÇÕES GOVERNAMENTAIS E LEGISLAÇÃO AMBIENTAL A Organização das Nações Unidas (ONU), formada por quase todos os países do mundo, realiza reuniões para discutir sobre temas importantes para a humanidade

Leia mais

CONVÊNIOS ESTÁGIO CAV/UDESC AGRO AMAZONIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA ÁGUIA FLORESTAL INDÚSTRIA DE MADEIRAS LTDA

CONVÊNIOS ESTÁGIO CAV/UDESC AGRO AMAZONIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA ÁGUIA FLORESTAL INDÚSTRIA DE MADEIRAS LTDA CONVÊNIOS ESTÁGIO CAV/UDESC Nº CONVÊNIO CPA CONVENIADA DOE - DATA INÍCIO VIGÊNCIA AD'ORO S/A 28/26/13 27/06/2018 AGÊNCIA REGULADORA DE SERVIÇO DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SC AGRO AMAZONIA PRODUTOS

Leia mais

CMMC PLANO DE TRABALHO PARA 2015

CMMC PLANO DE TRABALHO PARA 2015 CMMC PLANO DE TRABALHO PARA 2015 Desde 2007, o Congresso Nacional intensificou o acompanhamento e o debate das questões que se referem aos cenários de mudanças climáticas, divulgados pelos relatórios do

Leia mais