AULA 04. UPOV União Internacional para a Proteção das Obtenções Vegetais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA 04. UPOV União Internacional para a Proteção das Obtenções Vegetais"

Transcrição

1 AULA 04 UPOV União Internacional para a Proteção das Obtenções Vegetais Profª. Marcela Carlota Nery PRODUÇÃO E TECNOLOGIA DE SEMENTES Propriedade Intelectual em Plantas (UPOV) Conceito: É o direito de propriedade sobre a criação de cultivares, com base em um conjunto uniforme e claramente definido de princípios, por prazo determinado. Objetivos: Incentivo ao desenvolvimento da Agricultura. Salvaguardar os interesses do Melhoramento de Plantas. 1

2 Por que Proteger Cultivares? Importância de cultivares melhoradas Melhoria continua da produção de alimentos, energia renovável e matéria prima para a industria. Custo do investimento na pesquisa Habilidade, trabalho, recursos materiais, dinheiro e tempo. Retorno e novos investimentos A proteção permite a recuperação de investimentos e a programação de inversões futuras. Marco Legal Atual Lei de Patentes (9.279 de 14/05/96) Lei de Proteção de Cultivares ( de 25/04/97) Lei de Sementes ( de 05/08/03) Lei de Biossegurança ( de 4/03/2005) 2

3 Lei de Proteção de Cultivares (9.456/97) Assegura a propriedade intelectual do melhoramento genético de plantas Confere Direito ao Obtentor da Cultivar de reprodução e exploração comercial por tempo limitado Garante os investimentos em pesquisa Confere maior responsabilidade ao obtentor Segue a Convenção de 1978 da UPOV Instituiu o SNPC 1997 (Lei de Proteção de Cultivares) = Lei 9456 => Royalties. Proteção de cultivares = Direito do melhorista. Art. 11º A proteção da cultivar vigorará, a partir da data da concessão do Certificado Provisório de Proteção, pelo prazo de quinze anos. Art. 37º Aquele que vender, oferecer à venda, reproduzir, importar, exportar, bem como embalar ou armazenar para esses fins, ou ceder a qualquer título, material de propagação de cultivar protegida, com denominação correta ou com outra, sem autorização do titular, fica obrigado a indenizá-lo.. Art. 45º Fica criado, no âmbito do Ministério da Agricultura e do Abastecimento, o Serviço Nacional de Proteção de Cultivares SNPC, a quem compete a proteção de cultivares. 3

4 4

5 CONCEITOS SEMENTE: material de reprodução vegetal de qualquer gênero, espécie ou cultivar, proveniente de reprodução sexuada ou assexuada, que tenha finalidade específica de semeadura. CULTIVAR: variedade de qualquer gênero ou espécie vegetal superior que seja claramente distinguível de outras cultivares conhecidas, por margem mínima de descritores, por sua denominação própria, que seja homogênea e estável quanto aos descritores através de gerações sucessivas. 5

6 CONCEITOS CULTIVAR LOCAL: variedade desenvolvida, adaptada ou produzida por agricultores familiares, assentados ou indígenas, com características fenotípicas bem determinadas e reconhecidas pela respectiva comunidade, que não se caracterizem como substancialmente semelhantes às cultivares comerciais. AMOSTRADOR: pessoa física credenciada pelo Mapa para execução da amostragem. COMERCIANTE: pessoa física ou jurídica que exerce o comércio de sementes. CONCEITOS DETENTOR DE SEMENTES: pessoa física ou jurídica que estiver na posse da semente. MANTENEDOR: pessoa física ou jurídica que se responsabiliza por tornar disponível um estoque mínimo de propagação de uma cultivar inscrita no RNC, conservando suas características de identidade genética e pureza varietal. INTRODUTOR: pessoa física ou jurídica que introduz pela primeira vez, no país, uma cultivar desenvolvida em outro país. 6

7 CONCEITOS PRODUTOR DE SEMENTES: pessoa física ou jurídica que, assistida por Responsável Técnico, produz semente destinada à comercialização. USUÁRIO DE SEMENTES: aquele que utiliza sementes com objetivo de semeadura. CONCEITOS RESPONSÁVEL TÉCNICO: Engenheiro Agrônomo ou Engenheiro Florestal, registrado no respectivo CREA, a quem compete a responsabilidade técnica pela produção, beneficiamento, reembalagem ou análise de sementes em todas as suas fases, na sua respectiva área de habilitação profissional. TERMO DE CONFORMIDADE: documento emitido pelo Responsável Técnico, com objetivo de atestar que a semente foi produzida de acordo com as normas e padrões estabelecidos pelo Mapa. 7

8 CONCEITOS FISCALIZAÇÃO: exercício do poder de policia, visando coibir atos em desacordo com os dispositivos desta lei e de sua regulamentação, realizado por fiscal federal agropecuário do Mapa ou por funcionários da administração estadual, municipal ou Distrito Federal, capacitados para o exercício da fiscalização e habilitados pelos respectivos conselhos de fiscalização do exercício profissional. IDENTIDADE GENÉTICA: conjunto de caracteres genotípicos e fenotípicos da cultivar que se diferencia de outras. CONCEITOS SEMENTE PARA USO PRÓPRIO: quantidade de material de reprodução vegetal guardada pelo agricultor, a cada safra, para semeadura exclusivamente na safra seguinte e em sua propriedade ou outra cuja posse detenha; VALOR DO CULTIVO E USO- VCU: valor intrínseco de combinação das características agronômicas da cultivar com as suas propriedades de uso em atividades agrícolas, industriais, comerciantes ou consumo in natura. 8

9 CONCEITOS LOTE: quantidade definida de sementes, identificada por letra, número ou combinação dos dois, da qual cada porção é, dentro de tolerâncias permitidas, homogênea e uniforme para as informações contidas na identificação. CLASSE: Grupo de identificação da sementes de acordo com o processo de produção RENASEM Onde inscrever-se se ou credenciar-se? site do MAPA 9

10 10

11 11

12 RENASEM pessoa jurídica: individualmente por CNPJ alteração: 30 dias validade: 3 anos cancelamento: automático, 60 dias após o vencimento, se não solicitada renovação RENASEM Taxa (Instrução de Serviço CSM/DFIA/SDA/MAPA nº 01/05) A pessoa física ou jurídica que exercer mais de uma atividade pagará somente o valor referente à maior taxa de inscrição ou de credenciamento nas atividades que desenvolve Inscrição R$ 100,00: produtor beneficiador reembalador armazenador comerciante Credenciamento - R$ 200,00: entidade de certificação certificador de produção própria laboratório de análise R$ 50,00: responsável técnico amostrador 12

13 RENASEM Taxa - Como recolher? GRU - pagamento exclusivamente no Banco do Brasil SIAFI - Sistema de Administração Financeira Guia de Recolhimento da União Impressão GRU Simples Unidade favorecida:.código: nº Gestão: nº Recolhimento:.Código: nº Contribuinte:.CNPJ ou CPF.Nome do Contribuinte Valor Principal Valor Total Clicar em Emitir GRU Simples Imprimir a GRU PRODUÇÃO DE SEMENTES cultivar inscrita no Registro Nacional de Cultivares RNC site: Serviços Cultivares Sementes e Mudas Cultivares Registradas(RNC) veja a lista de cultivares registradas Selecione a espécie 13

14 RESPONSABILIDADE TÉCNICA engenheiro agrônomo engenheiro florestal RESPONSÁVEL TÉCNICO credenciar-se no RENASEM firmar Termo de Compromisso junto ao MAPA elaborar e assinar projeto técnico acompanhar, quando solicitado, a fiscalização executar as vistorias obrigatórias estabelecidas p/o campo de produção de sementes, lavrando os laudos nos prazos 14

15 RESPONSÁVEL TÉCNICO supervisionar e acompanhar as atividades de: Beneficiamento Reembalagem Armazenamento Análise de sementes emitir e assinar: Boletim de Análise de Sementes Termo de Conformidade Certificado de Sementes 15

MATERIAL DE MULTIPLICAÇÃO E DE REPRODUÇÃO SEMENTES E MUDAS. rio

MATERIAL DE MULTIPLICAÇÃO E DE REPRODUÇÃO SEMENTES E MUDAS. rio MATERIAL DE MULTIPLICAÇÃO E DE REPRODUÇÃO SEMENTES E MUDAS Rosangele Balloni R. Gomes Engª Agrª Fiscal Federal Agropecuário rio Sup. Fed. Agric. Pec.. e Abastecimento em São Paulo SFA/SP LEGISLAÇÃO LEI

Leia mais

Sementes Principal insumo da agricultura. Perpetuação das espécies Veículo de toda tecnologia gerada Alimento Pesquisa

Sementes Principal insumo da agricultura. Perpetuação das espécies Veículo de toda tecnologia gerada Alimento Pesquisa Sementes Principal insumo da agricultura Perpetuação das espécies Veículo de toda tecnologia gerada Alimento Pesquisa Alto valor no mercado Inovações tecnológicas Crescimento no Comércio Internacional

Leia mais

ASPECTOS LEGAIS DA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE SEMENTES E MUDAS

ASPECTOS LEGAIS DA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE SEMENTES E MUDAS ASPECTOS LEGAIS DA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE SEMENTES E MUDAS CURSO SOBRE PROTEÇÃO E REGISTRO DE CULTIVARES 27 A 28 DE MAIO 2010 LONDRINA-PR SAMIRA OMAR MOHAMAD EL TASSA COLODEL FISCAL

Leia mais

SITUAÇÃO ATUAL DA LEGISLAÇÃO DE BATATA SEMENTE

SITUAÇÃO ATUAL DA LEGISLAÇÃO DE BATATA SEMENTE SITUAÇÃO ATUAL DA LEGISLAÇÃO DE BATATA SEMENTE V SEMINÁRIO BRASILEIRO DA BATATA 21 DE OUTUBRO 2010 UBERLÂNDIA - MG SAMIRA OMAR MOHAMAD EL TASSA FISCAL FEDERAL AGROPECUÁRIO SERVIÇO DE FISCALIZAÇÃO DE INSUMOS

Leia mais

RENASEM. Lei 10.711 de 5 de agosto de 2003. Decreto 5.153 de 23 de julho de 2004. Instrução Normativa nº 24 de 20 de dezembro de 2005 Mudas

RENASEM. Lei 10.711 de 5 de agosto de 2003. Decreto 5.153 de 23 de julho de 2004. Instrução Normativa nº 24 de 20 de dezembro de 2005 Mudas RENASEM Lei 10.711 de 5 de agosto de 2003 Decreto 5.153 de 23 de julho de 2004 Instrução Normativa nº 24 de 20 de dezembro de 2005 Mudas Instrução Normativa nº 9 de 02 de junho de 2005 De acordo com a

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário

Ministério do Desenvolvimento Agrário CULTIVARES LOCAIS, TRADICIONAIS OU CRIOULAS LEGISLAÇÃO BRASILEIRA SOBRE CULTIVARES, SEMENTES E MUDAS POLÍTICAS PARA AGRICULTURA FAMILIAR E O CADASTRO CRIADO PELA PORTARIA MDA 51/2007 J.C. Zukowski Coordenador

Leia mais

ANEXO NORMAS PARA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE MUDAS

ANEXO NORMAS PARA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE MUDAS ANEXO NORMAS PARA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE MUDAS 1. OBJETIVO Fixar diretrizes básicas a serem obedecidas na produção, comercialização e utilização de mudas, em todo o território nacional,

Leia mais

Sementes e Mudas Orgânicas

Sementes e Mudas Orgânicas Sementes e Mudas Orgânicas Cenário atual e desafios para o futuro Eng Agr Marcelo S. Laurino Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Comissão da Produção Orgânica de São Paulo BioFach América

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.828-B, DE 1998. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.828-B, DE 1998. O CONGRESSO NACIONAL decreta: COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 4.828-B, DE 1998 Dispõe sobre o Sistema Nacional de Sementes e Mudas e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

Anexo I - Relatório Anual de Produção e Comercialização de Sementes de Espécies Florestais;

Anexo I - Relatório Anual de Produção e Comercialização de Sementes de Espécies Florestais; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 56, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

LEI N 10.711, DE 5 DE AGOSTO DE 2003

LEI N 10.711, DE 5 DE AGOSTO DE 2003 TEMÁRIO: 1 Lei n. 10.711, de 05 de agosto de 2003. Seção 1. LEI N 10.711, DE 5 DE AGOSTO DE 2003 Dispõe sobre o Sistema Nacional de Sementes e Mudas e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS Legislação Brasileira Sobre Sementes e Mudas: o que o Engenheiro Florestal precisa saber para ser um

Leia mais

Fiscalização de Material Genético Animal

Fiscalização de Material Genético Animal Programa 0375 Qualidade de Insumos e Serviços Agropecuários Objetivo Salvaguardar a produção e a produtividade agropecuária pela garantia de níveis adequados de conformidade e qualidade dos insumos básicos

Leia mais

LEGISLAÇÃO. Produção de Mudas de Espécies Nativas Florestais

LEGISLAÇÃO. Produção de Mudas de Espécies Nativas Florestais Produção de Mudas de Espécies Nativas Florestais LEGISLAÇÃO Jaeder Lopes Vieira M. Sc. Engenheiro Agrônomo Licenciado em Biologia Analista Ambiental Sênior Instituto Terra Professor da UNIPAC Aimorés/MG

Leia mais

REGISTRO E PROTEÇÃO DE CULTIVARES Panorama atual no Brasil

REGISTRO E PROTEÇÃO DE CULTIVARES Panorama atual no Brasil Búzios/RJ, julho/2011 REGISTRO E PROTEÇÃO DE CULTIVARES Panorama atual no Brasil Daniela de Moraes Aviani Coordenadora do Serviço Nacional de Proteção de Cultivares SNPC/DEPTA/SDC/MAPA PROTEÇÃO X REGISTRO

Leia mais

Temos sementes à pronta entrega com toda a documentação totalmente legalizada.

Temos sementes à pronta entrega com toda a documentação totalmente legalizada. SEMENTES CAIÇARA MARCA REGISTRADA www.sementescaicara.com.br Não abasteça o mercado ilegal de sementes, ao adquirir este produto solicite de seu fornecedor a inscrição no Registro Nacional de Sementes

Leia mais

SISTEMA DE PRODUÇÃO DE SEMENTES SILVIO MOURE CICERO. 1. Introdução

SISTEMA DE PRODUÇÃO DE SEMENTES SILVIO MOURE CICERO. 1. Introdução 1 SISTEMA DE PRODUÇÃO DE SEMENTES SILVIO MOURE CICERO 1. Introdução A Lei n 10.711, sancionada em 05/08/2003 e regulamentada pelo Decreto n 5.153 de 23 de julho de 2004, instituiu o Sistema Nacional de

Leia mais

Informações aos Usuários de Proteção de Cultivares

Informações aos Usuários de Proteção de Cultivares Informações aos Usuários de Proteção de Cultivares "Carta de Serviços ao Cidadão" (nos termos do Decreto nº 6.932/2009) Atualizadas em novembro / 2010 SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES - SNPC/DEPTA/SDC/MAPA

Leia mais

LEI Nº 10.711, DE 5 DE AGOSTO DE 2003

LEI Nº 10.711, DE 5 DE AGOSTO DE 2003 LEI Nº 10.711, DE 5 DE AGOSTO DE 2003 Dispõe sobre o Sistema Nacional de Sementes e Mudas e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a

Leia mais

Departamento de Fiscalização de Insumos Agrícolas

Departamento de Fiscalização de Insumos Agrícolas Departamento de Fiscalização de Insumos Agrícolas Álvaro Antônio Nunes Viana Diretor do Departamento ESTRUTURA DO DFIA Coordenação de Sementes e Mudas Coordenação de Fertilizantes, Corretivos e Inoculantes

Leia mais

Cultivares. Indicações Geográficas

Cultivares. Indicações Geográficas Propriedade { Intelectual na Agricultura Denis Borges Barbosa Uma Parte do direito brasileiro Cultivares Indicações Geográficas Marcas coletivas agrícolas Propriedade Intelectual na Agricultura Registro

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE DEZEMBRO DE 2005.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE DEZEMBRO DE 2005. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE DEZEMBRO DE 2005. > O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso

Leia mais

REGISTRO NACIONAL DE CULTIVARES RNC

REGISTRO NACIONAL DE CULTIVARES RNC MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA SDA DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE INSUMOS AGRÍCOLAS DFIA COORDENAÇÃO DE SEMENTES E MUDAS REGISTRO NACIONAL DE

Leia mais

ACESSO AO SISTEMA RENASEM

ACESSO AO SISTEMA RENASEM ACESSO AO SISTEMA RENASEM 1 Antes de mais nada, convém verificar o navegador que você está utilizando. O RENASEM está homologado para utilização apenas através do navegador Internet Explorer nas versões

Leia mais

ANEXO NORMAS PARA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE SEMENTES.

ANEXO NORMAS PARA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE SEMENTES. ANEXO NORMAS PARA PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE SEMENTES. 1. OBJETIVO Fixar diretrizes básicas a serem obedecidas na produção, comercialização e utilização de sementes, em todo o território

Leia mais

PRODUTOS ORGÂNICOS SISTEMAS PARTICIPATIVOS DE GARANTIA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

PRODUTOS ORGÂNICOS SISTEMAS PARTICIPATIVOS DE GARANTIA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento PRODUTOS ORGÂNICOS SISTEMAS PARTICIPATIVOS DE GARANTIA Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 2008 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.Todos os direitos reservados. É permitida

Leia mais

PRODUÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO BRASIL: NOVOS DESAFIOS E PERSPECTIVAS SÉRGIO PAULO COELHO

PRODUÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO BRASIL: NOVOS DESAFIOS E PERSPECTIVAS SÉRGIO PAULO COELHO PRODUÇÃO DE SEMENTES DE SOJA NO BRASIL: NOVOS DESAFIOS E PERSPECTIVAS SÉRGIO PAULO COELHO PROMOVER O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A COMPETIVIDADE DO AGRONEGÓCIO EM BENEFÍCIO DA SOCIEDADE BRASILEIRA LEGISLAÇÃO

Leia mais

ANEXO I CAPÍTULO I DO CONTROLE, USO E EXIGÊNCIAS DO CFO E DO CFOC

ANEXO I CAPÍTULO I DO CONTROLE, USO E EXIGÊNCIAS DO CFO E DO CFOC ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO PARA DISCIPLINAR A UTILIZAÇÃO DO CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO DE ORIGEM - CFO E O CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO DE ORIGEM CONSOLIDADO - CFOC CAPÍTULO I DO CONTROLE, USO E EXIGÊNCIAS

Leia mais

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Sumário: 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EFD 1. 1 APRESENTAÇÃO 1. 2 LEGISLAÇÃO 1. 3 DA APRESENTAÇÃO DO ARQUIVO DA EFD 1. 4

Leia mais

Instituto Brasileiro de Florestas:

Instituto Brasileiro de Florestas: Instituto Brasileiro de Florestas: O Instituto Brasileiro de Florestas (IBF) tem como missão a restauração e conservação de florestas nativas. Desde a sua fundação, o IBF se preocupa em encontrar soluções

Leia mais

REGISTRO NACIONAL DE CULTIVARES - RNC -

REGISTRO NACIONAL DE CULTIVARES - RNC - Tópicos Especiais em Proteção de Cultivares e Regulação de Plantas Transgênicas no Brasil REGISTRO NACIONAL DE CULTIVARES - RNC - Virgínia Arantes Ferreira Carpi Fiscal Federal Agropecuário Chefe do SCSM/CSM/DFIA/SDA

Leia mais

Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura

Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura Marcia Soares Vidal Simpósio Latino Americano de Ciência, Tecnologia e Inovação em Agropecuária 27 a 30 de Outubro de 2015 Seropédica - RJ Panorama Economia

Leia mais

PORTARIA Nº 131, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008

PORTARIA Nº 131, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 PORTARIA Nº 131, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 Estabelece os requisitos técnicos e procedimentos para credenciamento de empresas prestadoras de serviço de vistoria em veículos automotores. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO

Leia mais

ANEXO I MODELO DE REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO DE PLANTAS FORNECEDORAS DE MATERIAL DE PROPAGAÇÃO

ANEXO I MODELO DE REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO DE PLANTAS FORNECEDORAS DE MATERIAL DE PROPAGAÇÃO ANEXO I MODELO DE REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO DE PLANTAS FORNECEDORAS DE MATERIAL DE PROPAGAÇÃO O Produtor de Mudas, abaixo identificado, requer a inscrição de: PLANTA BÁSICA PLANTA MATRIZ JARDIM CLONAL

Leia mais

(HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA)

(HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA) ANEXO I Solicitação de Autorização de Funcionamento de Empresas Distribuidoras de Produtos Farmacêuticos (HOJE É FEITO POR PETICIONAMENTO ELETRÔNICO NO SITE DA ANVISA) A empresa interessada em desenvolver

Leia mais

AQUISIÇÃO GOVERNO FEDERAL AGF 2011 - ARROZ

AQUISIÇÃO GOVERNO FEDERAL AGF 2011 - ARROZ O QUE É A AGF? É a aquisição direta de produto constante da pauta da Política de Garantia de Preço Mínimo pelo Governo Federal. QUANDO É REALIZADA? Quando o preço de mercado estiver abaixo do Preço Mínimo

Leia mais

ÍNDICE 1 - APRESENTAÇÂO 2 2 - INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO 2 3- INFORMAÇÕES PARA O CANDIDATO 4 4 - SUBSÍDIOS E DESPESAS 5 - REGULAMENTO 5

ÍNDICE 1 - APRESENTAÇÂO 2 2 - INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO 2 3- INFORMAÇÕES PARA O CANDIDATO 4 4 - SUBSÍDIOS E DESPESAS 5 - REGULAMENTO 5 ÍNDICE 1 - APRESENTAÇÂO 2 2 - INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO 2 3- INFORMAÇÕES PARA O CANDIDATO 4 4 - SUBSÍDIOS E DESPESAS 4 5 - REGULAMENTO 5 1 1. Apresentação O curso tem por objetivo habilitar técnicos para

Leia mais

AQUISIÇÃO GOVERNO FEDERAL AGF 2011 - TRIGO

AQUISIÇÃO GOVERNO FEDERAL AGF 2011 - TRIGO O QUE É A AGF? É a aquisição direta de produto constante da pauta da Política de Garantia de Preço Mínimo pelo Governo Federal. QUANDO É REALIZADA? Quando o preço de mercado estiver abaixo do Preço Mínimo

Leia mais

Regulamenta o art. 21 da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

Regulamenta o art. 21 da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. DECRETO Nº 5.746, DE 5 DE ABRIL DE 2006 Regulamenta o art. 21 da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

ANEXO I. PROJETO DECURTA DURAÇÃO

ANEXO I. PROJETO DECURTA DURAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DECURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Curso de Capacitação de Técnicos em Classificação de Produtos Vegetais

Leia mais

PADRONIZAÇÃO & CLASSIFICAÇÃO VEGETAL

PADRONIZAÇÃO & CLASSIFICAÇÃO VEGETAL PADRONIZAÇÃO & CLASSIFICAÇÃO VEGETAL Osmário Zan Matias Fiscal Agropecuário SFA/GO Engenheiro Agrônomo CREA/GO - 2.899/D osmario.zan@agricultura.gov.br Lei nº 9.972 de 25 de maio de 2000 Institui a classificação

Leia mais

Dispõe sobre a Licença Sanitária de Pequenas Fábricas Rurais de Laticínios e dá outras providências.

Dispõe sobre a Licença Sanitária de Pequenas Fábricas Rurais de Laticínios e dá outras providências. Lei nº 15607 DE 06/10/2015 Norma Estadual - Pernambuco Publicado no DOE em 07 out 2015 Dispõe sobre a Licença Sanitária de Pequenas Fábricas Rurais de Laticínios e dá outras providências. O Presidente

Leia mais

LEI DE CULTIVARES. LEI Nº 9.456, de 25 de abril de 1997. Institui a Lei de Proteção de Cultivares e dá outras providências

LEI DE CULTIVARES. LEI Nº 9.456, de 25 de abril de 1997. Institui a Lei de Proteção de Cultivares e dá outras providências LEI DE CULTIVARES LEI Nº 9.456, de 25 de abril de 1997 Institui a Lei de Proteção de Cultivares e dá outras providências O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

Art. 3º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 487, DE 1º DE OUTUBRO DE 2010 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA

Leia mais

REGULAMENTO Promoção Comercial POTE DA SORTE

REGULAMENTO Promoção Comercial POTE DA SORTE A partir de 01/10/2015, os itens 1.1, 1.1.1, 1.1.2, 2.2, 2.3, 2.5, 3.3, 4.1, 4.2, bem como o Quadro I do item 3.1 deste regulamento foram alterados. Fiquem atentos às novas redações constantes abaixo.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DAS MEDIDAS DE DEFESA SANITÁRIA ANIMAL

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DAS MEDIDAS DE DEFESA SANITÁRIA ANIMAL LEI N. 1.486, DE 17 DE JANEIRO DE 2003 Dispõe sobre a Defesa Sanitária Animal no Estado do Acre e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 2.861-A, DE

PROJETO DE LEI N.º 2.861-A, DE CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 2.861-A, DE 2008 (Do Senado Federal) PLS Nº 227/2005 OFÍCIO Nº 93/2008 Altera a Lei nº 4.950-A, de 22 de abril de 1966, para estender aos técnicos de nível médio,

Leia mais

TÍTULO 30 COMPRA COM DOAÇÃO SIMULTÂNEA CDS

TÍTULO 30 COMPRA COM DOAÇÃO SIMULTÂNEA CDS (*) 1) FINALIDADE: Aquisição de alimentos de organizações fornecedoras constituídas por público descrito no parágrafo 2º, item 4, Art. 3º da Lei Nº 11.326/2006, com vistas à doação para organizações constituídas

Leia mais

Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br

Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br Esse material pode ser denominado Notas de Aulas. Ele não é autodidático, não o utilize como fonte única de consulta para estudos para préconcurso. Use-o

Leia mais

ANEXO II MODELO DO CFO NOME DO ÓRGÃO ESTADUAL DE DEFESA SANITÁRIA VEGETAL

ANEXO II MODELO DO CFO NOME DO ÓRGÃO ESTADUAL DE DEFESA SANITÁRIA VEGETAL ANEXO II MODELO DO CFO NOME DO ÓRGÃO ESTADUAL DE DEFESA SANITÁRIA VEGETAL CERTIFICADO FITOSSANITÁRIO DE ORIGEM: Nº Nome do produtor/nome empresarial: Endereço: Município: UF: CNPJ / CPF/ Identi cação da

Leia mais

Pró-Reitoria de Ensino Departamento de Concursos e Processos Seletivos

Pró-Reitoria de Ensino Departamento de Concursos e Processos Seletivos EDITAL Nº. 16/2010 - VAGAS REMANESCENTES DO PROCESSO SELETIVO 2010 SEGUNDO SEMESTRE CAMPUS BOM JESUS DO ITABAPOANA O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, IF Fluminense, faz público

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO -SEPLAN DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE:

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA SECRETARIA DE PLANEJAMENTO -SEPLAN DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE: DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÕES DE: 1. ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO / AMPLIAÇÃO /REFORMA / REGULARIZAÇÃO de Deve ter os dados do proprietário, dimensões do lote e ser registrada em cartório. Será aceito dimensões

Leia mais

PUBLICADO DOC 17/11/2011, PÁG 107

PUBLICADO DOC 17/11/2011, PÁG 107 PUBLICADO DOC 17/11/2011, PÁG 107 PROJETO DE RESOLUÇÃO 03-00023/2011 da Mesa Diretora Institui no âmbito da Câmara Municipal de São Paulo Sistema de Consignação Facultativa em Folha de Pagamento na modalidade

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS

SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS NÍVEL SUPERIOR REALIZAÇÃO: SECRETARIA GERAL DE RECURSOS HUMANOS U F S C a r EDITAL Nº 011/2010 O Secretário Geral de Recursos Humanos da Universidade

Leia mais

CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

CAPÍTULO I DA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL INSTRUÇÃO NORMATIVA, N.º 09, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2002. Aprovada: Resolução/CD nº 37/2002 - D.O 222, de 18/11/02, seção 1, p.86 e B.S. nº 46, de 18/11/02 Define diretrizes básicas da atividade de fiscalização

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DIVINÓPOLIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE DIVINÓPOLIS LEI Nº 7.011/2009 Dispõe sobre a constituição do Serviço de Inspeção Municipal - S.I.M. e os procedimentos de inspeção sanitária, do processo de produção de bebidas e alimentos de origem animal e/ou vegetal,

Leia mais

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e?

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

Anexo V- Modelo de Requerimento de Inscrição da Produção da Unidade de Propagação in vitro;

Anexo V- Modelo de Requerimento de Inscrição da Produção da Unidade de Propagação in vitro; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 22, DE 27 DE AGOSTO DE 2012 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO: PREVER DÁ SORTE

REGULAMENTO PROMOÇÃO: PREVER DÁ SORTE REGULAMENTO PROMOÇÃO: PREVER DÁ SORTE DADOS DA PROMOTORA DA PROMOÇÃO PREVER SERVIÇOS POSTUMOS LTDA Rua Dr. Saulo Porto Virmond, 223 Sala 01 Chácara Paulista / Maringá/PR CEP: 87005-090 CNPJ: 02.995.385/0001-08

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. Aprova o Regulamento Interno da Biblioteca da PR/TO. O PROCURADOR-CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

Não DADOS DA EMPRESA RAZÃO SOCIAL: ENDEREÇO:

Não DADOS DA EMPRESA RAZÃO SOCIAL: ENDEREÇO: Formulário para renovação de credenciamento para comercialização de vacina contra a febre aftosa no Estado do Rio Grande do Sul (O preenchimento desse formulário deve ser realizado pelo Médico Veterinário

Leia mais

LEI DE CULTIVARES LEI N.º 9.456, DE 25 DE ABRIL DE 1997

LEI DE CULTIVARES LEI N.º 9.456, DE 25 DE ABRIL DE 1997 LEI DE CULTIVARES LEI N.º 9.456, DE 25 DE ABRIL DE 1997 Institui a Lei de Proteção de Cultivares e dá outras providências O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB PROCEDIMENTOS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DA COMPRA DE SOJA EM GRÃOS DO PRODUTOR RURAL PELA CONAB E O PAGAMENTO EM SEMENTE CERTIFICADA -C1 E CERTIFICADA- C2, E S1 e S2 1. A CONAB/DIGES/SUOPE DIVULGA PARA A

Leia mais

CARTILHA DO USUÁRIO DO SERVIÇO DE FISCALIZAÇÃO DE PRODUTOS CONTROLADOS DA 4ª REGIÃO MILITAR: EMPRESAS QUE TRABALHAM COM BLINDAGEM

CARTILHA DO USUÁRIO DO SERVIÇO DE FISCALIZAÇÃO DE PRODUTOS CONTROLADOS DA 4ª REGIÃO MILITAR: EMPRESAS QUE TRABALHAM COM BLINDAGEM MINISTÉRIO DA DEFESA BELO HORIZONTE MINAS GERAIS EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DO LESTE 9 DE MARÇO DE 2015 COMANDO DA 4ª REGIÃO MILITAR (4º Distrito Militar/1891) REGIÃO DAS MINAS DO OURO CARTILHA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE TEIXEIRA DE FREITAS ESTADO DA BAHIA LEI Nº489/2009, de 14 de outubro de 2009. Cria o Serviço de Inspeção Municipal de Produtos de Origem Animal e Vegetal de Teixeira de Freitas SIM Teixeira de Freitas e dá outras providências. O Prefeito

Leia mais

Proposta para que o PAA possa apoiar a regularização ambiental

Proposta para que o PAA possa apoiar a regularização ambiental Proposta para que o PAA possa apoiar a regularização ambiental Considerando a Diretriz 2 do Plano Nacional de Segurança Alimentar: Promoção do abastecimento e estruturação de sistemas descentralizados,

Leia mais

Esta versão não substitui a publicada no DOU INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02, DE 30 DE SETEMBRO DE 2005

Esta versão não substitui a publicada no DOU INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02, DE 30 DE SETEMBRO DE 2005 Esta versão não substitui a publicada no DOU INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02, DE 30 DE SETEMBRO DE 2005 Dispõe sobre os critérios e procedimentos relativos ao enquadramento de projetos de produção de biodiesel

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SEMENTES E MUDAS TEMÁRIO: 1 Instrução Normativa n 11 de 16 de maio de 2006. Publicação: D.O.U. do dia 17/05/2006, Seção 1. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

confinados, sala de máquinas, berços pátios de estocagem, pátios de armazenamento, galpões, áreas externas, sistemas de esgoto.

confinados, sala de máquinas, berços pátios de estocagem, pátios de armazenamento, galpões, áreas externas, sistemas de esgoto. TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONTROLE DE VETORES E PRAGAS A SER EXECUTADO NO MUSEU DO AMANHÃ. JUSTIFICATIVA O Museu do Amanhã será

Leia mais

Instrução Normativa MAPA 32/2012 (D.O.U. 21/11/2012)

Instrução Normativa MAPA 32/2012 (D.O.U. 21/11/2012) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento BINAGRI - SISLEGIS Instrução Normativa MAPA 32/2012 (D.O.U. 21/11/2012) MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO

Leia mais

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL CONCURSOS DE BOLSAS 2016.1

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL CONCURSOS DE BOLSAS 2016.1 UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL CONCURSOS DE BOLSAS 2016.1 O Reitor do UNIABEU - Centro Universitário torna pública a abertura de inscrições para o Processo Seletivo Social, para o 1º semestre de 2016,

Leia mais

ATIVIDADE: INDÚSTRIA E BENEFICIAMENTO

ATIVIDADE: INDÚSTRIA E BENEFICIAMENTO ATIVIDADE: INDÚSTRIA E BENEFICIAMENTO Documentos Necessários para o Licenciamento Ambiental Para solicitação da Licença Prévia L. P. (art. 10 do Decreto Estadual nº 10.028/87) 1 - RB Requerimento solicitando

Leia mais

Art. 1º O Cadastro de Exploradores e Consumidores de Produtos Florestais do Estado de Rondônia CEPROF- RO fica subordinado à Gerência Ambiental.

Art. 1º O Cadastro de Exploradores e Consumidores de Produtos Florestais do Estado de Rondônia CEPROF- RO fica subordinado à Gerência Ambiental. PORTARIA N. 0172/2006/GAB/SEDAM Porto Velho 16 de outubro de 2.006 Cria as normas e procedimentos para o Cadastro de Exploradores e Consumidores de Produtos Florestais do Estado de Rondônia CEPROF-RO O

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005.

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005. INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 24,

Leia mais

Regulamento de Avaliação da Conformidade das Unidades Armazenadoras

Regulamento de Avaliação da Conformidade das Unidades Armazenadoras Regulamento de Avaliação da Conformidade das Unidades Armazenadoras SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Documentos Complementares 3 Siglas e Definições 4 Condições Gerais 5 Mecanismo de Avaliação da Conformidade 6 Alterações

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA CAU/SP Nº 003/2015 INSCRIÇÃO E REVALIDAÇÃO DE INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA CAU/SP Nº 003/2015 INSCRIÇÃO E REVALIDAÇÃO DE INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA CAU/SP Nº 003/2015 INSCRIÇÃO E REVALIDAÇÃO DE INSCRIÇÃO DE ARQUITETOS E URBANISTAS PARA PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA CONVÊNIO DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO CAU/SP

Leia mais

Sistema de Recolhimentos

Sistema de Recolhimentos Divisão de Arrecadação DIAR/CFI/PRAD Sistema de Recolhimentos Manual do Usuário Contribuinte NTI Núcleo de Tecnologia da Informação 1. Sistema de Recolhimentos A Guia de Recolhimentos da União, ou GRU,

Leia mais

PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010

PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010 PORTARIA N 1.034, DE 26 DE OUTUBRO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, o

Leia mais

A visão da iniciativa privada quanto à pirataria e os seus avanços

A visão da iniciativa privada quanto à pirataria e os seus avanços A visão da iniciativa privada quanto à pirataria e os seus avanços Viviane Kunisawa May 2013 Filipe Geraldo de M. Teixeira Lead Counsel Germplasm Legal Compliance - Global Lead Counsel Germplasm Legal

Leia mais

Sobre a propriedade intelectual e produção de cultivares

Sobre a propriedade intelectual e produção de cultivares Sobre a propriedade intelectual e produção de cultivares 29/04/2009 Reginaldo Minaré O Acordo Relativo aos Aspectos do Direito da Propriedade Intelectual Relacionados com o Comércio ADPIC, mais conhecido

Leia mais

1. Graduação em Enfermagem, fixado na forma do Anexo II e da Lei Estadual N 13.666, de 05 de julho de 2002. PECULIARIDADE

1. Graduação em Enfermagem, fixado na forma do Anexo II e da Lei Estadual N 13.666, de 05 de julho de 2002. PECULIARIDADE CARGO: AGENTE PROFISSIONAL - AP FUNÇÃO: ENFERMEIRO CÓDIGO DA FUNÇÃO: APEN CBO: 07110 CARGA HORÁRIA: 40 horas COMPLEXIDADE/ESCOLARIDADE EXIGIDA JORNADA: nos termos da legislação vigente 1. Graduação em

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE SEMENTES SEGUNDO A ATUAL LEGISLAÇÃO E OS BENEFÍCIOS DO SISTEMA NACIONAL DE SEMENTES

Leia mais

No Sistema Participativo de Garantia as avaliações da conformidade visam:

No Sistema Participativo de Garantia as avaliações da conformidade visam: MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO SISTEMA PARTICIPATIVO DE GARANTIA DA QUALIDADE ORGÂNICA E BIODINÂMICA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AGRICULTURA BIODINÂMICA - VERSÃO 5 No Sistema Participativo de Garantia as avaliações

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2012

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2012 ANEXO À RESOLUÇÃO Nº, DE DE DE 2012 PROCEDIMENTOS PARA LICENCIAMENTO DE ESTAÇÕES DE RADIOCOMUNICAÇÃO ASSOCIADAS À PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO DESTINADO AO USO DO PÚBLICO EM GERAL - STFC

Leia mais

Instrução Normativa nº 001, de 27 de janeiro de 2014

Instrução Normativa nº 001, de 27 de janeiro de 2014 Instrução Normativa nº 001, de 27 de janeiro de 2014 O diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo IDAF, usando das atribuições que lhe confere o artigo 48 do regulamento

Leia mais

PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002

PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002 PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002 "Estabelece que a exploração e a supressão de produtos florestais nativos em qualquer modalidade, no Estado de Santa Catarina, dependem da emissão,

Leia mais

Marco Regulatório sobre acesso ao Patrimônio Genético

Marco Regulatório sobre acesso ao Patrimônio Genético Marco Regulatório sobre acesso ao Patrimônio Genético A partir de 23 de agosto de 2001 com a implementação da Medida Provisória nº2.186, o acesso do patrimônio genético brasileiro passou a ser regulamentado.

Leia mais

DECRETO Nº 728, DE 14 DE MARÇO DE 2016

DECRETO Nº 728, DE 14 DE MARÇO DE 2016 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 728, DE 14 DE MARÇO DE 2016 Regulamenta a Lei nº 9.498, de 19 de novembro de 2014, que dispõe sobre a cobrança de preço público decorrente da prestação de serviços de

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE RECRUTAMENTO Nº 001/2016 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 012/2016

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE RECRUTAMENTO Nº 001/2016 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 012/2016 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE RECRUTAMENTO Nº 001/2016 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 012/2016 I. DO OBJETO DA CONTRATAÇÃO Contratação de TÉCNICO DE CAMPO para o Projeto Produção Sustentável em Áreas

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONTRATANTE: A PESSOA FÍSICA identificada no formulário de matrícula do curso, que, para todos os efeitos,

Leia mais

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016 Diário Ofi cial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 126 (26) 27

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016 Diário Ofi cial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 126 (26) 27 sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016 Diário Ofi cial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 126 (26) 27 Deliberação CEE-138, de 11-2-2016 Fixa normas para autorização de funcionamento e supervisão de estabelecimentos

Leia mais

Legislação ambiental aplicada à cultura do eucalipto

Legislação ambiental aplicada à cultura do eucalipto Legislação ambiental aplicada à cultura do eucalipto Palestrante: M.Sc. Leandro de Almeida Salles Analista de Atividades do Meio Ambiente Especialidade: Engenharia Florestal Constituição Federal Art.

Leia mais

COORDENADORIA DO IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA E TAXAS SUBSECRETARIA DE TRIBUTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

COORDENADORIA DO IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA E TAXAS SUBSECRETARIA DE TRIBUTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO COORDENADORIA DO IMPOSTO SOBRE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA E TAXAS SUBSECRETARIA DE TRIBUTAÇÃO E FISCALIZAÇÃO PORTARIA F/SUBTF/CIS N.º 178 DE 25 DE OUTUBRO DE 2010 Dispõe sobre cancelamento de guia de

Leia mais

CONTRATO DE ABERTURA DE CONTA RODOCRED BÁSICA

CONTRATO DE ABERTURA DE CONTA RODOCRED BÁSICA CONTRATO DE ABERTURA DE CONTA RODOCRED BÁSICA Por este instrumento, o Contratado do serviço de transporte qualificado no respectivo TERMO DE ADESÃO ao Sistema RODOCRED, o qual é parte integrante deste

Leia mais

ANEXO II HISTÓRICO DAS FEIRAS DE TROCA DE SEMENTES TRADICIONAIS E CRIOULAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

ANEXO II HISTÓRICO DAS FEIRAS DE TROCA DE SEMENTES TRADICIONAIS E CRIOULAS DO ESTADO DE SÃO PAULO ANEXO II HISTÓRICO DAS FEIRAS DE TROCA DE SEMENTES TRADICIONAIS E CRIOULAS DO ESTADO DE SÃO PAULO JUSTIFICATIVA Após a organização do 1 Seminário de Acesso a Sementes Crioulas e Orgânicas em abril de 2010

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições gerais

CAPÍTULO I Disposições gerais ESTATUTOS DO CONSELHO DAS FINANÇAS PÚBLICAS Aprovados pela Lei n.º 54/2011, de 19 de outubro, com as alterações introduzidas pelo artigo 187.º da Lei n.º 82-B/2014, de 31 de dezembro (Grafia adaptada em

Leia mais

RELATÓRIO DE PRODUTOS COMERCIALIZADOS Secretarias de Agricultura dos Estados

RELATÓRIO DE PRODUTOS COMERCIALIZADOS Secretarias de Agricultura dos Estados RELATÓRIO DE PRODUTOS COMERCIALIZADOS Secretarias de Agricultura dos Estados Com base nas informações disponíveis, a ANDAV fez um levantamento nas Legislações Estaduais referente à necessidade de entrega

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte

Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte Lei nº 400, de 21 de março de 2013. DISPÕE SOBRE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INSPEÇÃO MUNICIPAL - SIM DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL E VEGETAL NO MUNICIÍPIO DE IPIRANGA DO NORTE-MT E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Tema: Reserva Legal. Familiar/MMA

Tema: Reserva Legal. Familiar/MMA Tema: Reserva Legal Norma atual Proposta 1 Proposta Agricultura Proposta Movimento MAPA/ruralistas Familiar/MMA Socioambientalista Recuperação de RL: exige a Reconhecimento de Não aceitar anistia para

Leia mais

REUNIÃO CONJUNTA DA CÂMARA TEMÁTICA DE REPARTIÇÃO DE BENEFÍCIOS E DE CONHECIMENTO TRADICIONAL ASSOCIADO

REUNIÃO CONJUNTA DA CÂMARA TEMÁTICA DE REPARTIÇÃO DE BENEFÍCIOS E DE CONHECIMENTO TRADICIONAL ASSOCIADO REUNIÃO CONJUNTA DA CÂMARA TEMÁTICA DE REPARTIÇÃO DE BENEFÍCIOS E DE CONHECIMENTO TRADICIONAL ASSOCIADO Ata da 6ª Reunião Conjunta CTA/CTRB Local: Sede do CGEN, SCEN, Trecho 2 - Ed. Sede do IBAMA, Bloco

Leia mais